rss Assine o RSS de Artigos da Mises.org.br
Por que parei de perder meu tempo com política - e por que você deveria fazer o mesmo
por , terça-feira, 25 de novembro de 2014
constituinte1.jpgVários de meus amigos votam.  Pessoas de quem gosto muito votam.  Mas eu já desisti. 

Essa minha decisão ainda horroriza várias pessoas, mas sejamos sinceros: elas se sentem incomodadas porque essa minha postura, na prática, menospreza e de certa forma desmoraliza as escolhas delas.

Eu até entendo por que essas pessoas votam.  E realmente não as julgo e nem as desprezo por isso.  Eu mesmo já votei várias vezes em minha vida.  Apenas gostaria que elas parassem de sofrer por causa de política; apenas gostaria que, em vez de se irritarem e brigarem por causa de discussões político-partidárias e de resultados eleitorais, elas apenas se tornassem mais felizes.

A política é um tipo de tormento em câmera lenta.  E eu sinceramente não quero ver as pessoas — mais especificamente meus amigos — sofrendo e se irritando com isso. Se você gosta de debater e de sofrer com política, fique à vontade.  Não irei de maneira alguma tentar acabar com esse seu prazer.  Estou apenas dizendo que gostaria muito que pessoas boas e produtivas não despendessem boa parte de seu tempo e de sua energia com essa atividade mentalmente exaustiva e improdutiva.

Vou explicar por que penso assim.

leia mais...

rss Assine o RSS de Artigos da Mises.org.br
Laboratório de ideias keynesianas, Japão aprofunda a recessão
por , segunda-feira, 24 de novembro de 2014

japan-casino-shinzo-abe.jpgDados divulgados na semana passada mostram que a economia japonesa voltou para a recessão após se contrair pelo segundo trimestre consecutivo.  E, nos últimos quatro trimestres, a economia japonesa encolheu em três deles

A conclusão apresentada pelos apologistas do keynesianismo é a de que os eventuais benefícios gerados pela inflação de preços — que saltou de zero para 3,1% ao ano — foram contrabalançados, temporariamente, pelos efeitos negativos gerados por um aumento do imposto sobre vendas, ocorrido em abril deste ano. 

Essa lógica tortuosa ilustra perfeitamente o atual estado de descalabro que reina no debate econômico.  Os economistas dizem que o aumento de preços gerado por esse aumento de impostos sobre as vendas foi o responsável pela forte queda no consumo.  Correto.  No entanto, e curiosamente, esses mesmos economistas não aplicam essa mesma lógica para um aumento de preços gerado por inflação monetária e desvalorização da moeda. 

Segundo eles, um aumento dos preços gerado por desvalorização da moeda e por expansão do crédito irá gerar resultados distintos aos de um aumento de preços gerado por um aumento dos impostos sobre as vendas.  Por quê?  Eles não explicam.

leia mais...

Artigos anteriores

veja mais...


Mais acessados








Multimídia   
  Podcast Mises Brasil
        por Bruno Garschagen - 06/01/2015
  Conferência de Escola Austríaca 2014
        por Diversos - 23/10/2014
  Fraude - Explicando a grande recessão
        por Equipe IMB - 31/10/2012
veja mais...



Instituto Ludwig von Mises Brasil



contato@mises.org.br      formulário de contato           Google+
Desenvolvido por Ativata Software