clube   |   doar   |   idiomas
Sobre o que é "essencial" — quem tem a moral de decidir isso?
Aceitar ditames de políticos significa renunciar às liberdades mais básicas

As recentes decisões de fechar comércios e definir, por meio de um "comitê de científicos", quais são as "atividades essenciais" que podem funcionar esquentaram os ânimos e debates. 

Mais profundo do que o debate sobre as decisões políticas para conter a pandemia está uma discussão necessária. 

Afinal de contas, o que é essencial?

Em filosofia, o essencial é aquilo que confere ao particular a sua característica mais importante, aquela sem a qual este particular não existiria. Ao longo da história, inúmeros debates existiram sobre a essência das coisas, do mundo, dos números, dos fenômenos, dos entes.

No cotidiano, o essencial constitui aquilo de mais básico, necessário e indispensável. É nestes termos que se afirma o economicamente necessário. 

O que não pode faltar para que a sociedade funcione? Pensando nestes termos, é óbvio que surgem replicações dos direitos positivos, como a necessidade de alimento, segurança, abrigo. Não há vida sem pessoas alimentadas, sem pessoas medicadas, sem pessoas em segurança. 

Para manter estas atividades essenciais é preciso que exista transporte (e postos de gasolina), energia, sistemas de dados e sistema bancário, alimentação (cultivo, colheita, controle de pragas, transporte, industrialização). 

A lista é, obviamente, grande.

Entretanto, o debate sobre o que é essencial para a economia se assemelha a um debate muito presente na educação. O que é essencial ensinar? 

Faça essa pergunta e depare-se com os comentários ao redor dela: a impressão é a de que as respostas são sempre de cunho pessoal. 

Se não uso a fórmula de Bhaskara no meu trabalho, o ensino de matemática não foi essencial. Se não me é importante saber se uma oração é subordinada predicativa, o ensino de gramática não foi essencial. Se não trabalho em um laboratório de genética, o ensino de biologia não foi essencial.

Cada sujeito é a sua própria medida para o mundo que o cerca.

Para responder aos que indagam sobre a importância de se aprender sobre tantos assuntos nos anos escolares, eu costumo responder: 

1) Não temos a visão do todo. 

A escola é o momento de apresentar conteúdos aos alunos. Por não sabermos para onde seguirão e quais são suas aptidões e afinidades, precisamos apresentar tudo a todos para que cada um siga seu caminho tendo a maior gama possível de opções. Não ensinar tudo é limitar os alunos. 

2) Há importâncias ocultas no aprendizado de disciplinas que consideramos inúteis. 

Muitas delas nos trazem novas formas de pensar e resolver problemas. Aprender essas disciplinas cria sinapses que serão utilizadas no futuro sem que tenhamos consciência disso. 

3) Por último, trago Hannah Arendt para dizer que a novidade da próxima geração só aparecerá se dermos a ela todo o saber possível disponível. 

Se tentamos moldar a geração com os conhecimentos específicos ou limitados, estamos apenas permitindo que a nova geração implante uma ideia antiga que lhe foi herdada.

Essas respostas para a questão do "educacionalmente essencial" podem iluminar o debate sobre o economicamente essencial. 

Não-essencial para quem?

Quando Eduardo Leite (PSDB), governador do RS, decreta que apenas alimentos podem ser comercializados nos supermercados, falta-lhe completamente a visão do todo. Embora alimentos sejam altamente necessários, há tantas necessidades diárias das pessoas que nenhum governo é capaz de perceber. 

Uma lâmpada é essencial para que uma pessoa de idade não tropece e se acidente no meio da noite. Um chuveiro é essencial para que o banho gelado não adoeça o morador da Serra Gaúcha. As coisas quebram e precisam ser recompradas, repostas, arrumadas. 

Em Salvador, sob uma forte onde de calor, o governo proibiu até mesmo a venda de ventiladores (político deve achar que todos os mortais têm ar-condicionado em casa).

Além disso, por mais que não seja possível ver, há diversas outras conexões que não somos capazes de compreender na economia. Vários dos empreendimentos listados como não-cruciais para a vida humana são, com efeito, integrantes da cadeia de suprimentos daqueles outros empreendimentos tidos como cruciais para a vida humana. Os próprios hospitais, por exemplo, não podem permanecer funcionais sem toda uma cadeia de suprimentos minimamente funcional. E os trabalhadores dos hospitais podem precisar de recorrer a serviços não-essenciais para se manterem sãos. 

Se, por exemplo, a peça de um aparelho de ar-condicionado do hospital quebra, ou, igualmente ruim, se qualquer peça de qualquer equipamento hospitalar (e todos eles são cruciais) tiver de ser reposta, de onde elas virão? Além de o comércio de manutenção e reparação ter sido fechado em algumas localidades, ordenar uma peça nova para as poucas fábricas que ainda estão operando não é viável (por causa do fator tempo). E as distribuidoras não necessariamente estão estocadas. Dependendo da peça, ela pode estar em falta. E aí o hospital tem de parar suas atividades. E em meio a um surto.

Se ocorre uma pane em algum computador ou equipamento eletrônico dos hospitais, nada pode ser feito, pois as oficiais de consertos também estão fechadas em determinadas localidades.

E todo o setor de serviços voltados para o necessário relaxamento e distração das equipes médicas, que são seres humanos como nós e que estão intensamente sob pressão, também está abolido. A rotina dessas pessoas é hospital-casa-hospital, sem nada mais com o que se distrair. 

Até mesmo se o celular de algum deles estragar (o que é perfeitamente factível), não há o que fazer, pois as lojas de consertos de celulares também estão fechadas. Ou seja, o médico nem sequer conseguirá se comunicar. 

Com efeito, está proibido até mesmo comprar uma latinha de cerveja para relaxar após um dia extenuante.

Ou seja, além de haver inúmeras atividades e necessidades interconectadas, até mesmo produtores são consumidores. Definir o que é essencial na economia é impedir novas conexões, é limitar a criação de redes que facilitam a resolução de problemas sociais. 

Por fim, as restrições na economia impedem que o novo surja. O mercado funciona para resolver problemas. Em um novo momento de pandemia, surgem novas demandas e lacunas que podem ser preenchidas através da criatividade empreendedora. Limitar a economia é limitar as novas soluções, reproduzindo um modelo antigo, imposto por quem detém o poder.

Castas

Há de se considerar, para além das frases de efeito e dos panfletos, que o essencial numa economia é a produção e a comercialização de bens. Limitações sobre quem pode produzir e comercializar, como pode produzir e comercializar, onde pode produzir e comercializar, o que pode ser produzido e comercializado, não representam uma defesa do que é essencial em uma economia. 

O essencial em uma economia é a liberdade.

E nenhum político tem a capacidade de discernir e decidir para todos nós o que é e o que não é essencial. Esse descritor homogêneo não é aplicável a indivíduos e suas atividades. Qualquer que seja a definição desta palavra nebulosa, o fato é que, em última instância, os governos empregaram o termo para criar um sistema de castas separando indivíduos "dignos" dos "indignos".


autor

Filipe Celeti
é bacharel e licenciado em Filosofia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela mesma instituição.

  • Revoltado  25/03/2021 19:57
    Quando um desses protocomunistas necessita de um chinelo novo para usar dentro de casa (considerando que não passarão 24 horas de sapato e meia social, tampouco dormirão assim), ele se conforma em caminhar descalço, correndo, quem sabe, o risco de ser acidentalmente picado por algum animal peçonhento?

    E se o mesmo precisar de uma cueca nova "su misura"? Conformaria-se o indivíduo em tela ao usar calças/shorts sem mais nada por baixo, balançando constantemente o pardejoulas?

    E em relação a algum habitante de São José do Rio Preto, no interior paulista, que está impedido por decreto municipal de abastecer seu veículo em postos de gasolina da cidade? Que fará ele, necessitando levar algum parente/conhecido ao hospital mais próximo, em situação de urgência? Levará o enfermo sob uma bicicleta ou moto?

    Se porventura alguém crer sinceramente que o último (o infeliz da cidade em questão) teria uma vida mais confortável que o primeiro (o burocrata), de fato, tal ser humano involuiu...
  • Lauro M%C3%83%C2%BCller Deluque Moraes  25/03/2021 20:36
    Se ele já definem o que podemos ou não consumir, o que garante que daqui a pouco eles não vão dizer que ter propriedade privada não é essencial.

    As bases de uma revolução socialista estão aí.
  • Marcos  25/03/2021 21:28
    Sim, e isso é só o começo. Esse avanço do estado de coisas já vem sendo denunciado aqui há muito tempo, mas ainda tem ingênuo que diz que é tudo "teoria da conspiração".
  • Rafael  25/03/2021 21:34
    Guardadas as devidas proporções, já estamos vivendo sob um comunismo brando:

    1) Fronteiras e locais das cidades fechados

    2) Pessoas proibidas de fazer trabalho produtivo

    3) Maioria da população sem renda

    4) Governos controlando a distribuição de ração (cestas básicas)

    5) Governos determinando o que pode e o que não pode ser consumido e vendido

    6) Censura a qualquer crítica ao estamento tecnocrático

    7) Prisão de quem falar mal da alta corte do país

    8) Censura a qualquer questionamento à ordem vigente

    9) Fábricas e comércios proibidos de operar

    10) A elite midiática/artística/política vivendo faustosamente (postando no Instagram vídeos de vinhos, queijos e serviçais ao seu dispor).
  • Revoltado  26/03/2021 14:56
    Sim, amigo!

    Para ficar ainda mais semelhante à ex-URSS ou Cuba, faltaria não falarmos português (e sim russo ou espanhol) e o chefe do Executivo ser conhecido como Secretário Geral do Partido no Politburô e desencorajamento a estilos de vida que não correspondam à família tradicional.
    Com mais isto, aí sim seria como viver do lado de lá da Cortina de Ferro nos anos 1960 ou 1970.
  • Ronaldo Oliveira Martins  27/03/2021 20:30
    Esse "modelo" que vc descreveu acima, parece muito com a "Sociedade Fabiana" onde as "mudanças desejadas" são implementadas aos poucos e de forma autoritária e gradual.
  • Kaio  25/03/2021 21:06
    Desobediência civil é a resposta. A polícia não possui capacidade de fiscalizar tudo.
  • Gustavo  25/03/2021 21:37
    Delírio seu. Todos os dias, em alguma cidade, uma associação de comerciantes anuncia que "amanhã, iremos abrir e ignorar ordens da prefeitura e do governo do estado".

    Chega o dia e todos afinam.

    Mas não posso recriminá-los: eles já perceberam (finalmente, e com enorme atraso) que a polícia não existe para protegê-los, mas sim para proteger a alta hierarquia do estado. A polícia existe para espancar comerciantes, ambulantes e trabalhadores, e não para realmente combater o crime e proteger a propriedade privada.
  • Paul Kersey  25/03/2021 21:44
    Só agora que descobriram isso? Eu já repeti aqui várias vezes, e vou repetir pela segunda vez: a polícia não é amiga, mas sim inimiga. E pode até ser pior que bandido.

    E o motivo é simples: o braço do estado que impinge tanto o desarmamento do cidadão de bem quanto o autoritarismo dos políticos é justamente a polícia.

    Sim, políticos fazem as leis, mas quem impinge a lei é o braço armado do estado.

    Em termos de desarmamento, se eu quiser comprar uma arma no mercado negro, a minha maior preocupação será a polícia me flagrar e me jogar em cana. Ou seja, paradoxalmente, é a polícia quem garante o sossego da bandidagem; é a polícia quem garante à bandidagem que o cidadão comum está desarmado. É a polícia a maior responsável pelo desarmamento.

    Atualmente, se eu quiser trabalhar para sustentar minha família, é a polícia que irá me impedir e me obrigar a ficar na miséria.

    A polícia nunca teve a função de "defender os direitos da sociedade". Tampouco ela tem a função de "proteger o indivíduo contra criminosos". Essa é a maior lenda já propagada. A função da polícia é uma só: garantir a ordem (evitar distúrbios) e proteger o estado contra agressores. A polícia existe para protetor o próprio aparato estatal contra agressores.

    E se você acha que estou exagerando ou sendo irônico, recomendo pesquisar recente decisão dos tribunais americanos, que disseram explicitamente que a polícia não tem a obrigação constitucional de proteger os cidadãos.

    mobile.nytimes.com/2005/06/28/politics/justices-rule-police-do-not-have-a-constitutional-duty-to-protect.html

    www.washingtonpost.com/education/2018/12/21/us-judge-says-law-enforcement-officers-had-no-legal-duty-protect-parkland-students-during-mass-shooting/

    mises.org/power-market/police-have-no-duty-protect-you-federal-court-affirms-yet-again


    De novo: o próprio governo admitiu que não é função da polícia proteger o indivíduo. E isso nos EUA, hein? Imagine aqui.
  • anônimo  25/03/2021 22:10
    "Chega o dia e todos afinam."

    Falso. O Rio de Janeiro não conseguiu manter a praia fechada nem por 2 dias em 2021. Os policiais só querem mostrar serviço, assim que mostrarem, largam a mão. São iguaizinhos milicos.
  • Cristian  25/03/2021 23:16
    "Falso. O Rio de Janeiro não conseguiu manter a praia fechada nem por 2 dias em 2021. Os policiais só querem mostrar serviço, assim que mostrarem, largam a mão. São iguaizinhos milicos."

    Desculpe-me, mas falso é o que você está dizendo.

    Se for lugares muito frequentado pela burguesia militante lacradora do status quo, pode ser que a policia não faça nada mesmo.

    Mas se for lugar frequentado preferencialmente pelos pobres e "zés ninguém", caso a policia não de conta do recado (apenas tira o corpo fora propositalmente), aí é jogado a questão na mídia para a turma da lacração militar e tocar o terror. E eles estão conseguindo isso com bastante sucesso.

    Vai lá o coitadinho do seu "joão" cabeleireiro abrir o salão dele. Se a policia "afinar", a militância não vai afinar não. E a policia espertamente vai esperar pelos militantes para enfim agir com firmeza e com aval da mídia e dos lacradores.

    Bem vindo ao mundo real amigo! A polícia é o braço esquerdo do estado enquanto que a militância é o direito.
  • Ex-microempresario  26/03/2021 18:00
    Acho que é um pouco de cada.

    Lacração só funciona no varejo. Se uns trinta "seu João" abrirem a barbearia, a lacração não funciona.

    E a polícia não dá conta de prender todo mundo, nem que queira, porque não tem gente para isso.

    Enfim: se 2% desafiarem as ordens, se lascam. Mas se uns 30 ou 40% desafiarem as ordens, quem se lasca é o governo.
  • anônimo  25/03/2021 21:23
    Como vocês resolvem essa questão de vacinas e entes privados comprarem antes dos grupos prioritários? O governo está certo em impedir a importação de vacinas por empresas para priorizar os grupos de riscos?
  • Victor  25/03/2021 21:28
    "Como vocês resolvem essa questão de vacinas e entes privados comprarem antes dos grupos prioritários?"

    Depende. Quem realmente é "pela vida" e "pela saúde" tem de apoiar. Afinal, quanto maior a oferta de vacinas, melhor para todos.

    Agora, quem é pandeminion e torce pelos lockdowns eternos (toda a mídia e a esquerda) tem de ser contra.

    E, olha só!, é exatamente isso o que ocorre.

    "O governo está certo em impedir a importação de vacinas por empresas para priorizar os grupos de riscos?"

    Gentileza explicar como é que impedir a importação (que nada mais é do que restringir a oferta) pode ser algo bom para qualquer grupo?

    Se o governo impedir a importação de alimentos, algum faminto estará em melhor situação em decorrência disso?
    Pessoal realmente parece que não pensa muito antes de falar certas coisas. No fim, é tudo parte do anti-bolsonarismo psicótico.
  • anônimo  26/03/2021 00:25
    Esta restringindo a importação privada, mas não esta deixando de importar. Essa é a questão. Para priorizar grupos de Risco.. (Os que podem morrer pela doença);
    Se ele deixa empresas importarem, vão usar a oferta escassa lá fora para vacinar quem está fora do grupo de risco. Essa é a lógica por trás.
    Não necessariamente concordo com ela. Só quero ver opiniões contrárias
  • David  26/03/2021 02:05
    Sua lógica não faz sentido nenhum. Vejamos:

    "Esta restringindo a importação privada, mas não esta deixando de importar. Essa é a questão."

    Se está restringindo a importação privada, então, por definição, a oferta interna será sub-ótima. Será aquém do que poderia ser. Fosse liberada a importação privada, a oferta disponível seria muito maior. Por definição.

    "Para priorizar grupos de Risco.. (Os que podem morrer pela doença);"

    Não faz sentido nenhum. Desde quando restringir a importação — ou seja, restringir a oferta — é algo bom para "grupo de risco"? Como é que grupo de risco estará em melhor situação havendo menos vacinas disponíveis?

    Lógica zero.

    "Se ele deixa empresas importarem, vão usar a oferta escassa lá fora para vacinar quem está fora do grupo de risco. Essa é a lógica por trás."

    Juro que tentei, mas não entendi nada.
  • Analista de Risco  26/03/2021 12:47
    Logicamente, é uma imbecilidade, mas tem didaticamente tem uma nuance interessante.

    Esse é o melhor paralelo que já vi do conceito da Curva de Laffer (cuja situação limite jamais será vista na prática).

    Vejam: a importação por entes privados não está proibida per se, somente há a exigência de entrega de todas as vacinas ao Estado (o que equivalente a uma tributação de 100%).
    Naturalmente, há um enorme desincentivo à importação pelas vias legais e quem se arriscar a fazer às margens da lei simplesmente dará uma banana ao Estado.

    Se esbulho fosse de apenas 50%, tanto os entes privados quanto o Estado estariam em situação melhor.

    Achei interessante pontuar essa empiria.
  • Felipe  26/03/2021 14:57
    Você obrigar o sujeito a entregar todas as suas vacinas para o SUS é uma das coisas mais comunistas que eu já vi neste País. Ainda bem que um magistrado retirou isso.

    Claro, essa vacina em si eu não confio muito, mas quem quiser tomar, que tome ué. As pessoas tomam decisões individuais baseadas em seus riscos todos os dias.
  • Ex-microempresario  25/03/2021 21:44
    A vacina fez o brasileiro médio descobrir que existem bens escassos.

    E ele concluiu que o remédio para a escassez é o monopólio do estado.

    "Agora é só aplicar o conceito a todos os outros bens escassos e todos nossos problemas estarão acabados."

    Sim, é bem isso que o brasileiro médio pensa, se é que dá para chamar isso de "pensar".
  • Lauro M%C3%83%C2%BCller Deluque Moraes  25/03/2021 22:11
    Não só isso, fez mostar que muitos em casos de sobrevivência se curvariam e diriam ámen à tudo que o Estado fala e faz.
    Na minha família, tive membros (homens e mulheres) que sempre foram micro empreendedores, que viviam do comércio de alimentos.
    Agora que estão em uma situação mais favorável, simplesmente aceitam a ideia do Lockdown e restrições descabidas a liberdade...
    Parece que sou o único contrário.

    Tento argumentar, mas sou chamado de "gado do bozo"
  • Bolsodilma ciroguedes  25/03/2021 22:28
    Está erradíssimo em impedir as compras, pois não existe concorrência no consumo de vacinas. Uma empresa só comprou, não estaria impedindo o governo de vacinar tais prioritários. E daí que comprou antes? Quem disse que a vacina também pertence aos governos?

    Um laboratório de vacinas que receba o dinheiro logo vai aumentar a produção pra atender a demanda e não o fará se tiver que esperar esse SuSastica pagar, o que só ocorre na licitação. E com preços do governo.

    Toda essa burocracia só serviu pra atrasar a producao dos laboratórios.

    Esse papo de grupo prioritário é mais politico que qualquer outra coisa: serve pra dar mais poder e esses políticos. Criaram mais um problema que não existe pra cobrar pela solução.

    Se o comércio das vacinas fosse livre, os laboratórios já teriam investido muito mais pra acelerar a produção. Nas mãos do estado estão todas com o pé no freio . A escassez de vacinas é muito maior.
  • Bolsodilma ciroguedes  26/03/2021 14:22
    Cai a proibição de compra das vacinas

    pleno.news/brasil/politica-nacional/justica-libera-empresas-a-nao-doarem-100-de-vacinas-ao-sus.html

    Eisntein ganhou o Nobel pelo efeito fotoelétrico. Se você discutisse com ele sobre esse assunto, vc perderia, pois o que ele sabe é fato. Mas isso não o tornou especialista em tudo só porque era cientista.

    Em qualquer outro assunto, ele só dava opinião, não fatos.
  • Bruno  25/03/2021 22:22
    Como vocês tem coragem, esperança e expectativa de propagar anarco-capitalismo? Cara olha o que ta acontecendo, as pessoas ACEITAM. Elas GOSTAM DO ESTADO. Até em países considerados terra da liberdade isso ta acontecendo.

    Pra mim esse virus foi uma arma chinesa e do establishment pra aumentar o poder estatal sobre os individuos e enfraquecer a liberdade. Única coisa que pode derrubar o estado é sua falência financeira, onde sua moeda e seu poder de confisco se tornam próximos de ZERO.

    Fora isso, as pessoas aceitam, pedem e GOSTAM do estado. Até mesmo se isso for prejudicial a elas. É IMPRESSIONANTE.

    E sinceramente, temos que lucrar com a imbecilidade alheia, a democracia é um erro estatistico mesmo, porque na democracia vence a maioria e a maioria é composta por imbecis. A vida PASSA e vocês ficam aqui debatendo, tentando convencer e querendo brigar com algo IMPOSSÍVEL DE SER COMBATIDO, simplesmente porque eles detêm o MONOPOLIO e as pessoas gostam desse monopolio e o sustentam.
    A vida passa e você fica perdendo tempo ai com coisa que nunca vai acontecer e que não vai resolver.
    Compre títulos do governo, aplique em rendimentos distorcidos pelo governo, faça serviço pro estado, faça tudo que puder para usufruir dessa ideia imbecil chamada DEMOCRACIA e ESTATISMO.

    Mudei muito, eu era que nem vocês de verdade, levava e esfregava na cara as coisas. Cansei de prever politicas que dariam erradas, cansei de confirmar minhas teses de forma prática e esfrega na cara dos imbecis, cansei de vencer debates e botar o adversário em contradição lógica e argumentativa. Cansei de dar a cara a tapa contra ''doutores da verdade'', é confusão, é desgaste, é perda de tempo. é só prejuizo. Para no final acontecer o que? Isso que ta acontecendo. Nos ultimos tempos eu só tentava libertar amigos e pessoas que me importo. Mas ultimamente vejo que nem isso vale mais a pena.

    Conselho meu galera, VIVA! A vida é uma só e para nos detentores desse conhecimento libertador, é muito mais fácil viver do que o gado. Porque sabemos o caminho da prosperidade e da pobreza e podemos apostar nossas fichas quanto a isso. Podemos nos beneficiar de algo que sempre sabemos o que vai dar e aonde vai dar. ENTÃO CHEGA!
    Eu cheguei em um ponto de ser capaz de ate virar funça, simplesmente porque é GUERRA PERDIDA isso.

    O bitcoin virá e as moedas estatais digitais também, o uso da tecnologia que nos permitiu decentralizar e nos libertar, será usada contra nós. A blockchain estatal vem ai!

    Da ate preguiça de viver nesse mundo, vontade de nascer novamente pra ver se apareço em um lugar ético, moral e com pessoas minimamente decentes.

    Desabafei
  • rarirama  25/03/2021 23:27
    "Como vocês tem coragem, esperança e expectativa de propagar anarco-capitalismo? Cara olha o que ta acontecendo, as pessoas ACEITAM. Elas GOSTAM DO ESTADO. Até em países considerados terra da liberdade isso ta acontecendo."

    Não é verdade. Só porque tem uma minoria barulhenta que quer todo o poder do estado pisando no pescoço do pessoal, não quer dizer que todo mundo acha a mesma coisa. Eu saio na rua, e geralmente eu vejo só 50% do pessoal usando máscara (e mesmo esses, eu duvido que gostem de usar), a polícia nem faz questão de multar quem não usa. Pessoal aqui nem sabe o que é distanciamento. Quando o governador mandou fechar, uma minoria do comércio obedeceu, o resto funcionou normalmente.
    Não sei onde está esse furor por ditadura de pandeminion.

    "Pra mim esse virus foi uma arma chinesa e do establishment pra aumentar o poder estatal sobre os individuos e enfraquecer a liberdade." Única coisa que pode derrubar o estado é sua falência financeira, onde sua moeda e seu poder de confisco se tornam próximos de ZERO."

    Quanto ao vírus: pode-se questionar sobre sua origem, mas o mais provável é que tenha escapado do laboratório em Wuhan por acidente mesmo. A resposta ditatorial do "mundo livre" é só a culminação de séculos de erosão gradativa das instituições naturalmente opostas ao estado (família, religião, cultura). Quanto à forma de derrubar o estado: concordo.

    "E sinceramente, temos que lucrar com a imbecilidade alheia, a democracia é um erro estatistico mesmo, porque na democracia vence a maioria e a maioria é composta por imbecis."

    Sim.

    "A vida PASSA e vocês ficam aqui debatendo, tentando convencer e querendo brigar com algo IMPOSSÍVEL DE SER COMBATIDO, simplesmente porque eles detêm o MONOPOLIO e as pessoas gostam desse monopolio e o sustentam. A vida passa e você fica perdendo tempo ai com coisa que nunca vai acontecer e que não vai resolver.
    Compre títulos do governo, aplique em rendimentos distorcidos pelo governo, faça serviço pro estado, faça tudo que puder para usufruir dessa ideia imbecil chamada DEMOCRACIA e ESTATISMO."

    Você subestima seriamente o poder das ideias. Depois dessa pandemia, quantas pessoas perderam completamente a fé no estado e viraram libertários? Quantas dessas estão dispostas a escrever livros, artigos, fazerem vídeos e debater? Se não isso, pelo menos quantas deixaram de acreditar na ilusão da democracia e do estado benevolente?
    Essa guerra não vai ser vencida em um só dia, mas ela tem que ser entendida como um processo contínuo.

    Essa sanha ditatorial só mostra como o estado tá com medo de perder sua hegemonia.

    "Conselho meu galera, VIVA! A vida é uma só e para nos detentores desse conhecimento libertador, é muito mais fácil viver do que o gado. Porque sabemos o caminho da prosperidade e da pobreza e podemos apostar nossas fichas quanto a isso. Podemos nos beneficiar de algo que sempre sabemos o que vai dar e aonde vai dar. ENTÃO CHEGA!
    Eu cheguei em um ponto de ser capaz de ate virar funça, simplesmente porque é GUERRA PERDIDA isso."

    Respondido acima.

    "O bitcoin virá e as moedas estatais digitais também, o uso da tecnologia que nos permitiu decentralizar e nos libertar, será usada contra nós. A blockchain estatal vem ai!"

    Uma das vantagens do bitcoin é precisamente sua descentralização. Sem ter um servidor central para atacar, como o estado vai impedir ele de ser transacionado? E como um dinheiro digital centralizado, como as CBDC, vai superar os problemas do dinheiro de papel. Se eu puder falar algo sobre elas, é que o processo inflacionário pode ser ainda mais rápido com o dinheiro fiat digital.

    "Da ate preguiça de viver nesse mundo, vontade de nascer novamente pra ver se apareço em um lugar ético, moral e com pessoas minimamente decentes.

    Desabafei"

    Não toma essa black pill ainda. Encontra um grupo de pessoas que compartilham das suas ideias. Estude. Debata. A sua felicidade só depende de você.
  • Bruno  26/03/2021 00:07
    Rarirama, entendo sua perspectiva otimista mas ela é mais condizente no mundo antes da pandemia. De fato eu estava otimista mesmo. Mas agora as pessoas, junto com a midia mainstream, propaga a importancia do estado e como ele salvou vidas. Isso esta na mente.

    Cara pode ver, tem gente DENUNCIANDO reunião e aglomerações, denunciando COMÉRCIO ABERTO, PEDINDO LOCKDOWN mesmo que isso lhe traga prejuizos futuros.

    Como é que você quer que uma sociedade assim derrube o estado? Homens cada vez mais betas, fracos e cheios de soja, mulheres cada vez mais sujas, promiscuas e degeneradas por ondas feministas moderna.

    Sinceramente, o estado existe porque pessoas o legitimam com vontade mesmo, não tem como deixar de existir porque a maioria NUNCA vai deixar de legitimar o estado. Pelo contrário, sempre vai dar benção a ele!

    Fora que o estado sai vendendo privilegios e conquista ainda mais aprovação para o gado.
    Olha o nível, as pessoas estão se trancando por causa do COLETIVO, ninguém consegue ter a simples noção de que isso é completamente INDIVIDUAL ou seja, quem não quer correr risco, fica em casa. Quem quer se arriscar, que assumas as consequências.
    Isso é completamente individual mas as pessoas acham que é coletivo. Todo mundo é um zombie infectado que ao sair esta infectando inocentes propositalmente. É surreal
  • Souza  27/03/2021 01:11
    rarirama, de fato tem muita gente clamando por mais e mais estado como nunca antes vi na vida. Na internet eu vejo muita gente apoiando essa merda de lockdown achando que o estado vai salvá-las desse "vírus mortal". Eu também fico um pouco desanimado com tudo isso, já até perdi amizade por me manifestar contra esse autoritarismo vigente e não aceitar essas atrocidades. É desolador ver gente aceitando perder suas liberdades em troca de uma suposta segurança que, como sabemos, é totalmente fantasiosa, mas cadê que essas pessoas querem acordar e ver a farsa, o lixo, a bosta, a podridão que existe por trás de tudo isso? Essa é uma luta que tem sido cada vez mais cansativa de uns tempos pra cá, acho que só um milagre pode fazer esse povo enxergar de verdade as intenções sujas que o establishment tem com todo esse discurso que ainda seduz tanta gente. E o tempo pra isso parece cada vez mais curto. Enfim, vamos ver quantos crimes desse tipo ainda vão ser necessários pra essas pessoas valorizarem de verdade a liberdade.
  • Felipe  29/03/2021 20:06
    Cuidado com o viés de confirmação.
  • Evandro  29/03/2021 17:21
    Muito bom. Ainda não cheguei nesse estágio de largar mão geral, mas consigo te entender plenamente. O povo é burro mesmo, soberbo e mesquinho. Está na nossa essência, difícil mudar isso.
  • anônimo  26/03/2021 00:05
    Ora, mas todos aqui estão vivendo, muita gente aqui aproveita o conhecimento austríaco para prever e lucrar em cimas das cagadas do governo.

    E não diria que essa é uma guerra perdida, nos últimos anos o número de liberais vem crescendo bastante, não gosto do Olavo mas ele fez um bom trabalhado convertendo esquerdistas.

    Quem gosta de ensinar e converter os outros não tem motivo algum para deixar de lutar, quem não tem capacidade persuativa de ensino ainda pode fincanciar á causa, se quiserem. Ensinar sobre á escola austríaca não é apenas sobre propagar o fim do Estado, mas também mudar á forma de pensar das pessoas sobre o mundo, e como se protegerem das medidas do governo, se não fosse essa gente que exaustamente propaga e cria artigos sobre á escola austríaca, é bem provável que á maior parte das pessoaa aqui nem á conheceria.
  • anônimo  26/03/2021 00:58
    Esse comentário era para sair embaixo dá do Bruno, mas por alguma razão saiu aqui.
  • Jairo  26/03/2021 02:07
    Só uma pergunta. Quem é que pode dizer o que é essencial para mim? E o que não é?
    Quem sabe das minhas necessidades físicas e espirituais? O Dória? O Zema? O Eduardo Leite? O Cláudio Castro? O Rui Costa?

    Mais deprimente é ver o gado (este sim, genuíno) aplaudindo estas medidas.
  • Carlos  26/03/2021 02:12
    Ver políticos cometendo atrocidades e autoritarismos, e demonstrando total e avassaladora ignorância econômica é algo totalmente comum e esperado.

    Agora, dose mesmo é ver a imprensa toda, sem exceção, não apenas aplaudindo, como também apedrejando e caluniando aqueles que ousam questionar este sacrossanto modelo. Jamais pensei que chegaríamos a um ponto em que o presidente (um político!) está certo, e todo o resto da mídia está errado. Que tempos...
  • Arthur  26/03/2021 02:14
    Ué, sempre achei que fosse óbvio para todos aqui que o objetivo de impor essas medidas restritivas estúpidas é chantagear o governo federal, para que abra as portas do cofre e perdoe as dividas dos governos estaduais e municipais. E também para ferrar a economia e, com isso, um prudente e sofisticado tentar a presidência em 2022 (só que eles não contavam com o retorno do Barba).

    Nenhum destes políticos se dispôs a pagar os salários dos que ficarem desempregados com recursos estaduais ou municipais. Assim podem continuar a farra da gastança e jogar a conta no governo federal

    Para o pagador de impostos, vai ser ruim de qualquer forma, independente de qual nível de governo pague, mas explica a aparente estranheza dos comportamentos das diferentes esferas.
  • anônimo  26/03/2021 02:08
    Vocês são a favor de manter serviços de boates, estádios de futebol, shows e outros eventos com grande aglomeração de pessoas? Acham que tais serviços são importantes para a manutenção de serviços considerados essenciais pelo governo?
  • Bernardo  26/03/2021 02:15
    Não sei exatamente quem são estes "vocês", logo, não posso responder por eles. Falando exclusivamente por mim, a resposta é: eu jamais proibiria terceiros de empreender. E jamais proibiria pessoas de fazerem besteiras. Se fizerem, que arquem com as consequências.

    Sim, é tão simples quanto isso.

    Em um cenário de liberdade, as pessoas devem arcar com as consequências de seus atos. Se eu sou o dono de uma boate, e resolvesse abri-la, faria cada cliente assinar um termo de compromisso por meio do qual ele se responsabilizaria por completo por tudo o que vier a ocorrer ali dentro. Se ele assinar, fim de papo. Se ele não assinar, ele não entra na minha propriedade.

    Entenda o básico: ninguém é obrigado a ir a lugar nenhum. Se algum estabelecimento está aberto, ninguém é obrigado a entrar nele. Qual a dificuldade de aceitarem isso?

    Eu, por exemplo, jamais iria a uma grande aglomeração. Mas também jamais proibiria outras pessoas de o fazerem. Não sou totalitário. Não tenho o direito de me meter na vida alheia.

    E se há algo que eu jamais faria — pois aí já é algo completamente imoral — é proibir um pai de família de trabalhar honestamente para ganhar o próprio sustento. E é exatamente isso que estamos vendo hoje. O que esses falsos bons samaritanos estão realmente defendendo é a proibição de que outras pessoas ganhem o próprio sustento. Essa putada totalitária se finge de preocupada e tudo, mas, na prática, o que eles realmente querem é acabar com a autonomia do indivíduo e obrigá-lo a se tornar dependente do estado. Isso traz muito retorno em eleições.

    E você? Defende a proibição ao trabalho, ao empreendedorismo, à autonomia individual e ao sustento próprio? Sim ou não?
  • Felipe J.  28/03/2021 18:41
    Com certeza são essenciais para o empreendedor e os funcionários das respectivas empresas, que muito provavelmente hoje está à bancarrota ou desempregados.
  • Thomas  26/03/2021 02:09
    A real questão é: como podem os epidemiologistas terem se transformado nas únicas pessoas do planeta com o direito de terem uma opinião sem o ônus de serem responsabilizados pelas consequências dela? Por que eles podem especificar medidas que afetarão negativamente toda a sociedade, e essas medidas não podem sequer ser questionadas?

    Será que epidemiologistas também são especialistas na divisão internacional do trabalho, e nas consequências de sua implacável destruição?

    Ao que tudo indica, entramos na era da superstição. E os epidemiologistas viraram as novas sumidades.
  • Ryan  26/03/2021 02:16
    Aparentemente, estudar um vírus de RNA com fita simples e sentido positivo faz com que a pessoa se torne uma especialista em Economia e Ciência Política.
  • Felipe  26/03/2021 12:58
    Escrevi uma frase parecida com essa meses atrás.
  • Falconi   26/03/2021 13:52
    Alto lá.
    Epidemiologistas apenas estudam, fazem diagnósticos, apontam riscos e dão recomendações.
    Quem determina o que vai ser feito efetivamente são os políticos.
    Ou seja, eles falam: "olha, a situação está horrível, o vírus é transmitido pelo contato próximo e gotículas que pessoas soltam, sintomáticas ou não. Hospitais estão lotados. Diante disto o melhor a se fazer é evitar ao máximo s disseminação."

    Quem toma a decisão é o político.
    Vc vai no médico e o médico manda vc tomar antibiótico. Se vc não tomar eh responsabilidade sua, se vier a morrer idem.

    Epidemiologistas não tem culpa, apenas estão dizendo o que o saber até então tem
  • Lucas  26/03/2021 06:13
    Também notei isso. O pessoal da área médica que defende essas medidas estúpidas está completamente blindado. Os políticos, que tomam medidas restritivas amparadas pelas opiniões desses médicos são amplamente criticados pelos que se opõem a elas, mas não se fala um "a" dos médicos que avalizam tudo isso.

    Gente como Natália Pasternak, que afirma que "não existe tratamento precoce" e clama por um "lockdown de verdade" e Dimas Covas, que sugere que médicos que receitam tratamento precoce deveriam ser submetidos ao Código de Nuremberg, passam impunes e ninguém ousa confrontá-los! Está na hora de começar a atacar essa gente - no campo das ideias, é claro - pois boa parte dessas ideias estúpidas parte deles. Os políticos que as colocam em prática são só a ponta do iceberg!
  • Bolsodilma ciroguedes  26/03/2021 14:49
    Medicos estatais: sao iguais aos demais funcionarios publicos.
    Seguem um sistema de hierarquia. E vao ser punidos se nao obedecerem as ordens do burocrata de plantao.
    É a opiniao desses condicionada que sai na midia: "é opiniao médica!".
  • Artista Estatizado  26/03/2021 09:28
    Resposta: será assim enquanto interessar à esquerda.

    Quando não for mais interessante, tudo vira ao contrário, e eles ainda chamarão de genocida quem quiser impor lockdown. Será encontrada alguma desculpa esfarrapada do porquê a situação agora é diferente, e o povão vai acreditar, pois a desculpa será repetida as nauseam na mídia de esquerda.
  • Falconi  26/03/2021 14:55
    E só tem médico que trabalha em rede pública?

    Conheço médico de consultorio, cirurgião que tá desesperado, mas sabe que no fundo não tem o que fazer, distanciamento é o ideal.
    O que ele me diz é que se houvesse um respeito maior às regras quando realmente precisa não chegaria nesse nível tão critico.
    Aliás, olha a Austrália como está. Teve até carnaval!

    www.correiodopovo.com.br/podcasts/direto-ao-ponto/como-a-austr%C3%A1lia-combateu-a-covid-19-e-j%C3%A1-retomou-shows-com-aglomera%C3%A7%C3%B5es-1.591876
  • JOAO LUCAS COUTO CORREIA  26/03/2021 05:34
    Deixando um desabafo:

    Um bar aqui perto de casa foi fechado pela segunda vez esse mês. O coitado do dono foi multado novamente, e depois teve que ir ser fichado na delegacia. Curiosamente nenhuma autoridade se importa com os zé droguinhas que vendem e fumam maconha no ponto de ônibus. Não me entendam mal, eu não me importo com isso, só vejo como é seletivo. Na verdade, tudo que deriva do Estado é seletivo. E o dono do bar? Teve que fechar de vez. Ele tem família, mas quem liga? Bar não é essencial, mesmo que seja o sustento de alguém.

    O lazarento que denunciou o bar obviamente não se importa com isso. Como um iluminado do alto de sua sapiência pensa que está fazendo o melhor para a comunidade. Como os que denunciavam curandeiras para a Inquisição ou entregavam judeus para a Gestapo. O bem comum, mesmo que só passe de uma idéia inexistente, deve vir primeiro. As vezes é perversamente irônico como a coletividade empurra as pessoas pro mais porco egoísmo. Pra mim não é surpresa, o pensamento dessa gente nunca muda, não importa a época:

    -Devo denunciar esse homem, ele acredita em coisas contrárias a vontade de Deus, é uma ameaça á comunidade, provavelmente um endemoniado!

    -Eu tenho certeza que essa mulher esconde filmes americanos dentro de casa, não passa de uma burguesa, uma ameaça á todos nós. Tenho que denunciar ela.

    -Ele não vê que se andar sem mascara vai colocar todos nós em perigo? Alguém tem que tomar uma providencia já!

    E quando tudo isso acaba? Quando os próprios carrascos já se cansaram de empilhar corpos, e concluem que tudo o que fizeram não valeu de nada.
  • Anônimo  27/03/2021 17:09
    Esse é o famigerado cagüêta, o tipinho mais covarde da face da terra. Vai denunciar traficante, ô desgraçado, pra ver o que acontece contigo. Você mesmo, que "denuncia" comerciante, você é um câncer na face da terra que precisa ser extirpado o quanto antes.
  • Artista Estatizado  26/03/2021 12:26
    Tenho algumas dúvidas. Gostaria de saber se alguém consegue esclarecê-las.

    Pergunta: imprensa é essencial?
    Pergunta: rede Globo é essencial?
    Pergunta: Maju "o choro é livre" Coutinho é essencial?
  • Souza  26/03/2021 15:06
    Respostas:

    1 - sendo um ramo controlado pelo estado, a serviço dos interesses do mesmo e com objetivos claramente ideológicos, pode-se dizer tranquilamente que não é essencial;
    2 - idem em relação à essa e outras emissoras;
    3 - depois dessa bizarrice que ela falou em rede nacional, sem comentários.

  • rraphael  26/03/2021 15:16
    seria otimo que decretassem que imprensa nao é essencial
    ela viraria a maior defensora da liberdade , diria que impedir alguem de trabalhar é coisa da ditadura ... mas é o contrario, a grande midia ganhou publico cativo, pra eles a fraudemia nunca acaba, pois o dia que acabar é menos pessoas penduradas nas suas paginas, vendo seus anuncios, concordando com seus artigos ...
    é a mesma discussao do "escola sem partido", militante travestido de professor aproveita a audencia cativa dos alunos pra empurrar qualquer absurdo que quiser, e se alguem denunciar eles gritam "é censura", "lei da mordaça"
  • anônimo  26/03/2021 15:42
    "Pergunta: imprensa é essencial?
    Pergunta: rede Globo é essencial?
    Pergunta: Maju "o choro é livre" Coutinho é essencial?"

    Ora qualquer coisa pode ser essencial, depende do ponto de vista da pessoa, o essencial para vivermos são três: Alimentos, água, e segurança, mas cada coisa pode ser essencial para uma área, um celular ou um PC são essenciais caso eu queira utilizar internet.

    Imprensa é essencial caso você queira estar informado, já á rede Globo não é essencial para mim, porque o jornalismo dela é uma vergonha, mas pode ser essencial para algum alienado que só se informa através dela.
  • Souza  26/03/2021 12:32
    O que mais me impressiona nisso tudo é ver como as pessoas aceitam passivamente essas ideias escravizadoras do estado. Elas acham que o mesmo tá fazendo um bem com esses decretos absurdos, pensam puramente que tão sendo protegidas assim. Elas vendem suas liberdades aos poucos, e quando verem a merda que fizeram (se é que vão ver um dia), vai ser tarde demais.
  • anônimo  26/03/2021 14:36
    Quando Eduardo Leite (PSDB), governador do RS, decreta que apenas alimentos podem ser comercializados nos supermercados, falta-lhe completamente a visão do todo. Embora alimentos sejam altamente necessários, há tantas necessidades diárias das pessoas que nenhum governo é capaz de perceber.

    E quando o canal de Suez fica travado por causa de um encalhe e toda uma cadeia de suprimentos fica prejudicada, o que fazer?
    Qual será a solução de "mercado" nesse caso?

    políticos criam efeitos adversos mas a propria economia de mercado tb.
  • rraphael  26/03/2021 17:02
    "Qual será a solução de "mercado" nesse caso?

    políticos criam efeitos adversos mas a propria economia de mercado tb. "


    prezada pessoa que nao quis se identificar, a soluçao NÃO será canetada, decretos ou burocratas fazendo discurso pomposo para meia duzia de jornalistas

    a atuaçao tem duas frentes : a mao de obra e equipamento pesado para fisicamente desatracar o cargueiro, ambos sao fornecidos pelo mercado enquanto politicos sao completamente inuteis pra dar um nó de marinheiro , e para cobrir prejuizos financeiros e indenizaçoes existem as seguradoras , que tambem fazem parte do mercado

    isso funciona para navios, avioes, carretas e ate para sua encomenda do aliexpress . quando o aviao cai e morre um monte de gente quem paga as indenizaçoes sao as seguradoras contratadas , da mesma forma por haver muito roubo de carga brasil a fora é suicidio nao ter seguro , pela insegurança de nossas vias publicas o seguro de cargas é absurdamente alto - o chamado custo-brasil

    por fim "qual sera a soluçao" da a entender que milhares de pessoas estao no estuario de braço cruzado esperando uma revelaçao divina aparecer por entre as nuvens , quando na realidade desde o primeiro minuto trabalhadores e empresas estao correndo atras para que o trafego naval volte a operar com normalidade , se voce tem interesse no tema portuario pode pesquisar sobre praticagem , embarcaçoes e equipamentos usados e os protocolos para acidentes navais , mas algo me diz que nao era esse seu interesse ...
  • rraphael  26/03/2021 20:24
    com efeito uma das empresas que participam do resgate é a Boskalis

    www.reuters.com/article/us-egypt-suezcanal-salvage-idUSKBN2BI283

    a empresa fez o resgate de um submarino nuclear russo chamado kursk, foi uma historia bastante divulgada nos anos 2000

    boskalis.com/about-us/projects/detail/kursk.html

    "the raising of the 'Kursk' created a new world record, as it is the heaviest object recovered from such depths"

    ainda bem que tem lojas cem , né

    esse assunto esta completamente off-topic mas blza , se ate a "mae russia" contrata uma empresa privada estrangeira nao deveria ser eu que tenho demonstrar alguma coisa , as opçoes de operaçao estao descritas na propria materia
  • anônimo  26/03/2021 17:23
    Problemas acontecem, será solucionado o mais rápido possível se deixar o mercado resolver.

    Se colocar algum político pra resolver esse problema, a humanidade morre de fome se depender desse canal pra se alimentar.

    É apenas essa a diferença.
  • Lucas  26/03/2021 17:50
    E quando o canal de Suez fica travado por causa de um encalhe e toda uma cadeia de suprimentos fica prejudicada, o que fazer?
    Qual será a solução de "mercado" nesse caso?


    A solução está no sistema de preços! Aqui: mises.org.br/article/2898/em-um-cenario-de-escassez-abrupta-o-preco-abusivo-e-a-unica-solucao-realmente-humanista
  • Ex-microempresario  26/03/2021 18:07
    Caramba, navio encalhado é "falha de mercado" agora.

    Será que se o navio fosse estatal não encalharia?

    Alias, o canal em si é propriedade do governo do Egito.
  • Relato  26/03/2021 19:13
    Eu moro numa cidade do interior de MG e, até a criação da "Onda Roxa" obrigatória, cerca de 70% dos comerciantes "não essenciais" abriam seus comércios mesmo na outras ondas mais restritivas sem ser essa roxa.

    Recentemente o governador Romeu Zema demonstrou que liberdade para ele é acima de tudo um palanque político e impôs medidas restritivas obrigatórias em todo o estado de MG. Dessa vez os comerciantes da minha cidade realmente "respeitaram" o decreto e nenhum comércio "não essencial" abriu por muito tempo.

    Eu fiquei curioso com a mudança de postura e perguntei para um tio meu que trabalha na fiscalização o que mudou de lá pra cá para ter havido essa mudança drástica de postura de uma hora para outra. Ele disse que agora a Polícia Militar está andando junto com os fiscais e, segundo as próprias palavras dele, a polícia está "humilhando muito" os "comerciantes irresponsáveis" e a fiscalização está aplicando "multas pesadas" sem dó.

    Espero que um dia a desobediência civil chegue. Quem não tem o direito legítimo de trabalhar ( segundo a verdadeira moral) são esses funcionários públicos.
  • rraphael  26/03/2021 22:03
    hoje eu fui abastecer meu carro e o frentista disse que se eu quisesse alguma coisa do posto de conveniencia deveria parar meu carro um pouco mais distante e pedir sem "dar bandeira" - ainda consegui abastecer normalmente

    mas quem diria que se voce precisar de um cabo pra recarregar um celular, um isqueiro ou uma coquinha gelada tem que fazer da mesma forma que traficantes e contrabandistas fazem, tudo na surdina

    obviamente isso nao é uma ditadura, eu nao tive meus direitos retirados, voces é que sao negacionistas que nao obedecem

    essa semana eu tambem tive um exame no oftalmologista desmarcado pra deus sabe ate quando, isso porque SAUDE so importa se for coronga, se eu estiver ficando cego é irrelevante porque um pandego assim determinou
  • Douglas  26/03/2021 23:48
    Isso tudo é apenas o INÍCIO!

    A próxima crise será a da INTERNET, ao que tudo indica.
    Um apagão mundial que acabará com todos os dados, que deletará todas as informações, levando o mundo aos caos - somos dependentes da web até pra comer.
    Depois, para ser restabelecida, vai exigir CONTROLE TOTAL sobre os usuários (ou seja, todo mundo, porque hoje em dia ninguém vive sme internet).
    Isso já está sendo ensaiado há anos, basta ver como a internet anda tendo "apagões repentinos" nos últimos dias. O watsapp e o google vivem saindo do ar todo o tempo. A internet será a "Próxima vítima".

    Preparem-se, o pior ainda está por vir.
    E não duvidem de coisas piores, lembrem-se que uma ditadura sanitária como a que estamos enfrentando nem sequer era cogitada em 2019, e em 2020 ela veio.

  • weberth mustapha  29/03/2021 14:08
    O Peter do canal Visão libertária falou sobre esse evento. Na verdade, ele é estudado hoje pois é um cenário factível. Mas não acho que uma megacoporação vai fazer isso para impor uma nova ordem mundial.

    Isso é balela, não precisam disso, sabe por que?
    - Porque o povo ocidental já aceita uma ditadura sem precisar de uma ''explicação''. Olha o que foi o lockdown no mundo, praticamente a maioria aceitou com o rabo entre as pernas. Mesmo no cenário de pandemia, o mínimo de dignidade humana deveria ser defendido. Mas não foi.

    Tirando os chamados ''negacionistas'', todo mundo aceitou passivamente qualquer merda política, perdendo TODOs os direitos humanos .
    Se , se o estado quisesse estender indefinitivamente esse cenário, não duvido que o povo aceitaria, com poucos a protestar.

    A verdade, é que o sistema já é uma ditadura, e não é preciso criar cenários conspiracionistas para impor uma mais grave ainda.
  • Ruan Dalacorte  27/03/2021 18:12
    Eu acessei o link que refere-se a proibição do comércio de ventiladores, cai no twitter.
    Fiquei assustado com o padrão:
    -Elogios a bolsonaro e a seus devaneios;
    -Criticas aos críticos;
    -NENHUMA ABREVIAÇÃO;
    -Nenhum erro ortográfico;
    -Nenhum erro ortográfico que salte as vistas;
    -Eu encontro erro ortográfico até no jornal impresso;
    -Primeiros nomes com letra maiúscula? Ta de sacanagem?
    -Perfis postando mais de uma vez, comentários completamente aleatórios.
    -Perfis com milhares de seguidores e milhares de seguidos? Quem segue milhares de pessoas õ.0?

    Isso na pequena amostra sem login. Cara, que doidera.
  • Rodrigo  28/03/2021 01:06
    É simplesmente um absurdo o estado brasileiro não desregulamentar e desburocratizar totalmente a importação de vacinas pelo setor privado.

    É ridículo pensar que o setor privado brasileiro poderia oferecer algum tipo de competição para a demanda do estado brasileiro em um mundo onde o Brasil é um anão. Um país rico e desenvolvido como a Alemanha tem muito mais poder para comprar vacinas(tanto dinheiro quanto infraestrutura para receber a importação) do que o estado brasileiro e o setor privado brasileiro teriam se estivessem juntos e injetando o máximo possível de dinheiro neste mercado global de vacinas. Não há competição pois são dois peixes pequenos num aquário de tubarões. O Brasil é um país extremamente pobre, só não somos africanos por não estarmos na África, o setor privado brasileiro não é nada comparado a competição que um país como os Estados Unidos já oferece no mercado global de vacinas. Não faz nenhum sentido haver regras e restrições para a importação de vacinas pelo setor privado. O mercado de vacinas é global e todos os outros países que existem no mundo sempre puderam negociar nos seus respectivos termos com os laboratórios estrangeiros, a demanda por vacinas de todos os outros países do mundo juntos sempre foi e será infinitamente superior a demanda que o Brasil como um todo pode oferecer.

    Como seria se desde março de 2020 o setor privado brasileiro pudesse negociar e importar vacinas livremente?

    Quão melhor estaria a oferta de vacinas nesse presente momento?

    Quantas vidas teriam sido salvas se o processo de importação de vacinas fosse livre de problemas artificialmente criados?

    Quem são os reais assassinos?



  • Felipe  28/03/2021 21:43
    Uma coisa é certa: se o setor de saúde brasileiro fosse livre, ou seja, sem ANS, Anvisa e Ministério da Saúde, acabaria até essa questão de restringir o uso de medicamentos como ivermectina e hidroxicloroquina. O setor privado de saúde poderia funcionar melhor, haveria leitos de sobra e não estaríamos nisso. Só que sem o SUS e todo esse aparato regulatório, os indivíduos ficam mais independentes, e isso não é tolerado por burocratas e políticos sedentos de poder.

    Alguém mais aqui percebeu que tudo isso é também por culpa de nosso sistema de saúde ter regulações soviéticas e de termos um SUS?
  • Marionete do Nego Ney  28/03/2021 17:11
    [OFF]

    Pessoal, o que vocês acham do livro "Pai rico, pai pobre", do Robert Kiyosaki? Pergunto pois vejo muito gente falando bem e muita gente falando mal.
  • Liberal  28/03/2021 21:35
    Bom artigo.
    Só discordo da noção inicial proposta no argumento de que um aluno de ensino médio deva ser exposta a certos conteúdos que serão, para ele, invariavelmente inúteis.
    Não faz sentido algum ensinar cálculo diferencial ou eletromagnetismo no ensino médio para alguém que já sabe que vai estudar história. É desperdício de tempo (e de dinheiro). Alguma noção de matemática e física sem dúvida é útil para qualquer um, mas no Brasil (especialmente) muitas dessas disciplinas vão um pouco longe demais no Ensino Médio ensinando conteúdos que serão, em essência, inúteis. O argumento do autor é que "não dá para saber se serão inúteis no momento em que são ensinadas", ora, então vamos aumentar o tempo no ensino médio ainda mais e ensinar mecânica quântica no ensino médio também, porque não....
  • anônimo  29/03/2021 01:05
    Não faz sentido algum ensinar cálculo diferencial ou eletromagnetismo no ensino médio para alguém que já sabe que vai estudar história. É desperdício de tempo (e de dinheiro)

    lol, minha avó dizia que a ignorancia é o controle de natalidade da natureza, o problema é que quando a pessoa é estupida quem sofre sao os outros

    a pessoa nao prestou atençao nas aulas de biologia e agora ta ai se peidando de medo por um virus e nos que somos punidos pela estupidez alheia

    pra ficar no que foi citado, todo verao no litoral brasil a fora morre gente por queda de raio pois as pessoas sao muito idiotas pra saber como funciona uma descarga eletrica e o que fazer pra nao ser atingindo , nao deveria ser segredo pra qualquer um que estudou e entendeu as leis e aplicaçoes do eletromagnetismo
    esse aqui tem um video do pessoal brincando de para-raio humano no espelho dagua

    g1.globo.com/sao-paulo/noticia/mulher-atingida-por-raio-no-litoral-de-sp-continua-em-estado-grave-diz-prefeitura.ghtml

    ja a matematica é uma ferramenta , nao é o calculo em si , é a habilidade desenvolvida , o proprio artigo foca nisso e na internet sobram explicaçoes de como funciona a construçao de uma mente analitica
    hoje temos pessoas que chegam a vida adulta sem saber lidar com continhas de porcentagem e expoentes, na escola falavam exatamente a mesma coisa - "pra que eu vou usar isso?" - agora se entope de dividas e reclama que ta sendo roubada nos juros compostos do cartao de credito ... e ainda se acha super culta porque tem diploma em humanas

    estudo nunca é demais ... é melhor saber de algo e nao precisar , do que precisar e nao saber

    por isso eu nao me supreendo que existam terraplanistas em pleno seculo 21 , brasil vai longe com essa mentalidade
  • Emerson Luis  03/04/2021 17:08

    "Em um jogo há vencedores e perdedores. Mas um negócio é sempre vantajoso para ambas as partes. Se o comprador e o vendedor não considerassem uma transação vantajosa …, não entrariam no negócio."

    Mises

    * * *


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.