clube   |   doar   |   idiomas
Poderiam ao menos ter a decência de parar com as justificativas bizarras para o lockdown
A questão das externalidades e do direito

Embora eu sempre tenha preferido estudar economia a direito, nunca me arrependi da decisão de obter um diploma de direito além do meu diploma de economia. 

Ao me expor a detalhes do mundo real que, de outra forma, eu teria perdido, estudar direito melhorou acentuadamente minha capacidade de avaliar políticas e processos econômicos.

Alguns economistas, de alguma maneira, compreendem esses detalhes cruciais sem terem estudado direito formalmente. Dentre estes estudiosos impressionantes temos Armen Alchian, Terry Anderson, Ronald Coase, Harold Demsetz, Thomas Sowell e Bruce Yandle. Mas muitos economistas desconhecem esses detalhes. O resultado, muitas vezes, são análise políticas equivocadas e conselhos irrealistas e contraproducentes.

Tais análises e conselhos ruins são especialmente dominantes quando os economistas escrevem sobre as chamadas "externalidades". 

Externalidades são efeitos causados por terceiros, como quando as ações de Gustavo e Sara têm um impacto sobre o bem-estar de Silas, com Silas não tendo sido consultado por Gustavo ou Sara.

Se este impacto aumenta o bem-estar de Silas, chamamos isso de "externalidade positiva" – como ocorreria, por exemplo, se Sara pagasse a Gustavo para reformar sua casa, aumentando assim o valor de mercado da casa do vizinho Silas. 

Se esse impacto piorar o bem-estar de Silas, nós o chamamos de "externalidade negativa" – como ocorreria, por exemplo, se Gustavo, enquanto trabalha na reforma da casa de Sara, fizesse barulhos altos que incomodasse profundamente Silas enquanto este fazia ioga ou estava em uma reunião importante.

Quando economistas encontram exemplos práticos como esses, seu primeiro instinto é lamentar o fato de Sara e Gustavo ignorarem os impactos de suas ações sobre Silas. Já o segundo instinto é descrever as intervenções que o governo deveria fazer para garantir que Gustavo e Sara levassem em consideração esses impactos. Uma recomendação típica normalmente é tributar as pessoas por qualquer barulho irritante causado por seus projetos de reforma domiciliar.

Os economistas reconhecem que os custos administrativos de se impingir tais políticas são, na maioria das vezes, tão altos, que elas se tornam insensatas. No entanto, pelo menos em princípio, muitos economistas estão propensos a concluir que a ausência de tributação sobre barulhos altos da construção civil faz com que muito ruído desagradável seja feito impunemente em horários impróprios.

A sutil genialidade do direito

O direito, no entanto, frequentemente leva em conta tais efeitos de maneiras que os economistas não percebem. A mais importante destas formas reside na maneira específica com que o direito cria – e se recusa a criar – direitos de propriedade

O padrão resultante e detalhado dos direitos de propriedade é importante.

Na lei anglo-americana, uma pessoa tem direito a uma indenização somente se ela transfere o título de uma propriedade valiosa sem ter tido a intenção de dar um presente (como ocorre em casos de desapropriação), ou se ela sofre a perda de alguma propriedade (ou parte dela) em decorrência das ações de alguém que violou seus direitos de propriedade. 

Portanto, o simples fato de que a ação de Sara aumentou o bem-estar de Silas é insuficiente para criar uma obrigação de que alguém pague Sara por sua ação "positiva". 

Da mesma forma, o simples fato de Silas sofrer algum incômodo com o barulho das atividades de construção de Gustavo é insuficiente para justificar a cobrança de um imposto sobre Gustavo por suas barulhentas atividades de construção.

O direito se recusa a impor obrigações em circunstâncias como estas porque reconhece uma característica da realidade que os economistas muitas vezes ignoram. 

Ao passo que a economia e o direito entendem que as pessoas, sendo criaturas gregárias, estão sempre causando impactos sobre estranhos, o direito – ao contrário do economista descuidado, um tipo muito comum – reconhece que as pessoas frequentemente interagem repetidamente umas com as outras ao longo do tempo, e o fazem de maneiras que os custos e os benefícios dos efeitos "externos" tendam a se equilibrar para cada pessoa.

O direito, com efeito, reconhece que os custos que Silas sofre hoje com a construção barulhenta de Gustavo na casa de Sara serão compensados por outros benefícios que Silas terá amanhã, como sua própria liberdade de fazer barulho que irritará Sara se e quando ele, Silas, optar por renovar sua casa.

Em outras palavras, naquele cenário em que economistas mais apressados veem "externalidades" – e, portanto, "falha de mercado" –, o direito frequentemente vê as partes compensando umas às outras na forma de atividades práticas.

Por ter suportado o barulho da reforma na casa de Sara, Silas é "indenizado" adquirindo ele próprio o direito de infligir o mesmo tipo de barulho a Sara se e quando ele fizer reformas  no seu imóvel.

O direito também reconhece outra característica desta compensação prática que ocorre ao longo do tempo: tal indenização está embutida nas expectativas sensatas dos membros da comunidade. Se Sara restringir as obras na sua casa a apenas durante a luz do dia, a lei não reconhece o direito de Silas de ficar livre desse barulho. Silas é tratado corretamente como alguém que deve esperar sofrer com tal barulho durante o dia. Da mesma forma, Sara e o reformador de casas Gustavo são tratados como indivíduos que sabem que podem infligir tal barulho à vizinhança apenas durante o dia.

As coisas são diferentes para o período da noite. Se o barulho das marteladas noturnas de Gustavo mantiver Silas acordado (o que afetará profundamente sua produtividade e seu bem-estar no dia seguinte), o direito apoiará a tentativa de Silas de impedir Gustavo de dar marteladas. As pessoas esperam que seus vizinhos tenham a sensatez de não fazer barulhos altos à noite.

Identifique os direitos de propriedade

As expectativas sensatas das pessoas dão origem a direitos de propriedade. Nenhum direito de propriedade de Silas é violado pelas marteladas barulhentas de Gustavo ao meio-dia; já um direito de propriedade muito real de Silas é violado pelas fortes marteladas de Gustavo à meia-noite.

Esta distinção deveria ser, mas frequentemente não é, reconhecida pelos economistas. O que esta distinção significa é que uma externalidade genuína existe apenas quando há uma violação dos direitos de propriedade de alguém. 

Se um homem chega perto de mim calçando sandálias, qualquer desconforto que eu possa sentir por não gostar de ver um homem de sandálias não é uma externalidade, mesmo que eu possa provar objetivamente que minha angústia e meu desconforto ao ver tal cena são intensos. Dado que este indivíduo o direito de usar sandálias em público, e considerando que devo esperar me deparar de vez em quando com homens calçado sandálias, este sujeito não me prejudicou de nenhuma forma jurídica, econômica ou ética.

Em outras palavras, apesar da minha aversão a homens trajando sandálias, o fato de um homem usar uma sandália em público não viola aquilo que os libertários chamam de "princípio da não-agressão". (O princípio de não-agressão diz que os indivíduos devem ser livres para fazer o que quiserem, desde que não agridam terceiros inocente e não-agressivos.) 

O fato de que a lei protege os direitos de propriedade contra efeitos externos criados por terceiros não permite saltos de lógica. Uma pessoa não pode simplesmente sair gritando que "As ações de Sara afetam negativamente um terceiro, que é Silas!" para então concluir "Silas tem o direito ético, e também deve ter o direito legal, de usar coerção, se necessário, para evitar que Sara o afete negativamente!"

A respiração sem máscara em público é uma agressão contra terceiros inocentes?

A relevância desta distinção entre os efeitos de terceiros que violam os direitos de propriedade de outra pessoa e os efeitos de terceiros que não violam é especialmente crucial hoje. 

Muitos economistas defendem lockdowns, decretos que impõem o uso de máscara e outras restrições voltadas para combater a Covid-19 como meios cientificamente "objetivos" de lidar com as externalidades. 

Da mesma forma, até mesmo alguns libertários justificam lockdowns e outras restrições como sendo não apenas consistentes com o princípio da não-agressão, como, mais ainda, uma consequência direta deste princípio.

No entanto, a pergunta relevante não é: "Se Sara respirar em público sem máscara, estará ela afetando física ou psicologicamente o terceiro e inocente Silas?". 

A pergunta relevante é: "Se Sara respirar em público sem máscara, estará ela violando algum dos direitos de propriedade de Silas?" 

A resposta à primeira pergunta é irrelevante; a resposta à segunda pergunta é o que realmente importa. 

Somente se a resposta a esta segunda pergunta for "sim", um economista deve concluir que uma externalidade está em andamento; apenas se a resposta a esta segunda pergunta for "sim", um libertário deve concluir que Sara está agredindo Silas.

Logo, o que podemos dizer sobre a Covid?

Até março de 2020, nenhum cidadão tinha como um "direito de propriedade" estar livre do risco de exposição a patógenos carregados por indivíduos assintomáticos que continuavam vivendo sua rotina diária. Dado que cada um de nós sempre, e inevitavelmente, expeliu para o ar que respiramos bactérias e vírus que potencialmente prejudicam – e às vezes matam – outras pessoas, a vida como a conhecemos nunca poderia existir se cada um de nós tivesse o "direito de estar livre dessas bactérias e vírus espalhados por outras pessoas".

Ninguém jamais esperou se tornar livre de tal exposição. Ninguém jamais teve o direito de se tornar livre dessa exposição.

Sendo assim, tem de haver pelo menos uma presunção de que esta mesma regra se aplica ao SARS-CoV-2. Deveria haver pelo menos a presunção de que cada um de nós continua a usufruir o direito legal e ético de continuar cuidando de nossas vidas, de continuar trabalhando, de continuar circulando e até mesmo de continuar mantendo nossos afazeres sem o uso obrigatório de máscaras, não obstante o fato físico de que, ao fazê-lo, corremos o risco de transmitir o vírus a outras pessoas.

Talvez essa presunção seja, como dizem os advogados, "refutável". Pode ser. Porém, da mesma maneira, posso também "refutar" crenças antigas e enraizadas. Se o jogo é esse, posso também "provar" que uma simples respiração em público configura violação de propriedade. 

Por exemplo, com algum esforço, eu consigo imaginar o surgimento de um patógeno extremamente contagioso e extremante letal para todas as faixas etárias. No entanto, se for comprovado que este patógeno pode ser evitado com relativo sucesso por algumas semanas de lockdown rigoroso, então acabou-se de ser criado um argumento plausível que refuta a arraigada presunção de que nenhum direito de propriedade é violado quando estranhos respiram ar em público. 

Ou seja, neste cenário, ou as pessoas ficam trancadas em casa, ou elas se tornam criminosas por estarem respirando em público. Logo, criou-se um cenário em que respirar em público atenta contra um direito de propriedade criado ad hoc.

E é isso o que estamos vivendo hoje.

Lockdowns ignoram conceitos básicos de externalidade

Não só a gravidade do SARS-CoV-2 dificilmente chega a um nível que justifique uma mudança tão grande na lei e na ética, como também ignoraram a antiga regra de que nenhum direito de propriedade é violado pela respiração de outras pessoas que estão levando suas vidas normais. 

Repentinamente, há um ano, o medo histérico de Covid – e o irresponsável incitamento desse medo por políticos e a mídia – fez com que as pessoas simplesmente esquecessem que ninguém tem "o direito" de ficar livre do ar respirado por outros.

Ademais, como já foi explicado na mais importante análise sobre externalidades já escrita — O Problema do Custo Social, de Ronald Coase —, externalidades são bilaterais. Você só irá conseguir me afetar se eu estiver na posição de ser afetado por você. Em termos práticos, isso significa que há mais de uma maneira de reduzir as chances de as pessoas serem contaminadas pelo coronavírus: você pode tomar medidas para reduzir o seu risco de me infectar, ou eu posso tomar medidas para reduzir o meu risco de ser infectado por você.

Esta realidade, no entanto, é totalmente ignorada por aqueles que clamam para que toda a população seja colocada em lockdown e drasticamente altere seu comportamento. 

Por que presumir que as medidas corretivas devem ser tomadas por aqueles rotulados de "espalhadores do vírus" (a esmagadora maioria dos quais em perfeita saúde) e não por aqueles que realmente estão no grupo de risco de sofrerem seriamente caso sejam contaminados? Nunca foi apresentada uma resposta satisfatória para isso. 

Exige-se que os saudáveis e aptos sejam trancados em casa e proibidos de trabalhar e circular (tendo suas vidas destruídas), e ignora-se que o real grupo de risco também pode tomar medidas para se proteger das externalidades negativas.

Não faz sentido nenhum — nem em termos legais, nem em termos econômicos — proibir toda a população de circular e de trabalhar (e, consequentemente, de ganhar seu próprio sustento) com o intuito de evitar que pessoas de uma determinada faixa etária sejam contaminadas por um vírus. 

Deve-se defender que estas pessoas adotem medidas para se proteger das externalidades de terceiros, e não que terceiros tenham suas vidas destruídas em troca de não respirarem sobre pessoas que podem e devem se proteger.

Qualquer pessoas temerosa de ser contaminada tem a liberdade de ficar em casa. Mas ela não tem o direito de proibir outras de manterem sua rotina diária. E tampouco de proibi-las de respirar em público.

Para concluir

Economistas cientificamente falhos e pró-lockdown exclamam "Reduzam as externalidades!". Libertários com um fraco comprometimento com a liberdade juram serem os verdadeiros defensores da liberdade ao repetir, ininterruptamente, que "devemos honrar o princípio da não-agressão!". 

Mas nem esses economistas nem esses libertários dedicaram algum tempo para considerar os detalhes complexos do mundo real a partir dos quais os direitos dos indivíduos emergem e nos quais esses direitos estão enraizados e definidos.

Em sociedades livres, o potencial impacto negativo de Sara no bem-estar da terceira parte Silas nunca foi considerado uma razão suficiente para impedir coercivamente que Sara aja de maneiras que se acredita darem origem a esse impacto negativo. Qualquer uma dessas regras teria paralisado completamente a sociedade no momento em que foi adotada.

Infelizmente, essa regra foi adotada – ou, na verdade, imposta com violência – em 2020. E é de se temer que essa regra destrutiva permanecerá conosco por muito tempo.

___________________________________

Leia também:

Lockdown: a nova ideologia totalitária



autor

Donald Boudreaux
foi presidente da Foudation for Economic Education, leciona economia na George Mason University e é o autor do livro Hypocrites and Half-Wits.


  • Revoltado  22/03/2021 20:17
    Gente, discutir o quê? O choro é livre!

    Assim dizem (e pensam) os confinalovers, em geral os abastados burgueses canhotos, que chamam o atual presidente da República de "genocida", esquecendo-se convenientemente dos prefeitos/governadores protoditadores que tolhem o quanto podem a liberdade do cidadão, inclusive encarcerando-o apenas pelo desejo de exercer seu ofício, como o nacionalmente repercutido caso de Ribeirão Preto. Ou seja, os verdadeiros tiranos (incluindo os 11 de Brasília) são ignorados ou mesmo poupados com loas pelos coronalovers que esbravejam a cada espirro dado pelo chefe do Executivo, mas que ignoravam ou mesmo babavam pela incitação à guerra de classes feitas pelos antecessores regidos pela estrela vermelha, em especial o Apedeuta.
    Munidos de Uber-eats, Merdaflix, Cágazon, Facebosta, Bostagram e demais plataformas, arrotam a virtude de manter-se em casa, como se todo brasileiro assim pudesse fazê-lo, pois a postura serena de Sidarta Gautama mudaria em segundos tão logo seus entregadores preferidos aderissem ao lockdown.
    Defendem com ardor a tal vacina, dizendo-se amantes da ciência, ignorando que a mesma entidade ídolo seus considera apenas uma vacina eficaz de fato após vários anos de experimento para evitar futuras sequelas em seus consumidores e tão pronto escutam tal heresia vinda de mortais proletários como quem vos escreve, são taxados prontamente de "negacionistas" ou quiçá "genocidas", no mesmo pacote do presidente Bolsonaro. E o fato de que vacinas sejam descartadas em vários países europeus parece não incomodar-lhes, exceto se fossem obrigados a serem as primeiras cobaias de tal experimento, evidentemente.

  • anônimo  22/03/2021 23:12
    Uber-shits.
  • Revoltado  25/03/2021 18:22
    C'est vrai, mon ami!

    São preguiçosos para consumir calorias adquirindo pelo alimento com o qual ganharam mais das mesmas, incluindo quilos ou gramas a mais...
  • Richard Stallman  24/03/2021 01:47
    www.romancatholicman.com/wp-content/uploads/2019/01/Screen-Shot-2019-01-22-at-6.01.32-AM-770x439_c.png
  • Gustavo A.  25/03/2021 12:04
    Gado detected.

    Bolsonaro foi perfeito na gestão da pandemia não é mesmo? Nunca desdenhou da pandemia, da doença, etc.
  • Fabrício  22/03/2021 20:31
    Este gráfico mostra a média móvel da evolução do número de contágios per capita em três estados americanos: Flórida, Texas e Califórnia.

    Climas semelhantes. Densidade populacional também.

    Flórida e Texas estão totalmente abertos. Califórnia está fechada. Tente descobrir qual é qual.

    twitter.com/jeffreyatucker/status/1374054717609873411/photo/1
  • anônimo  22/03/2021 20:37
    Nunca foi pela ciência. Sempre foi pelo controle social.
  • Carlos Brodowski   22/03/2021 20:45
    Não há ciência absolutamente nenhuma em lockdown (dica: vírus não respeita barreiras). Tanto é que não só nunca fizeram lockdown na história do mundo, como nunca sequer cogitaram isso.
  • Fabrício  22/03/2021 20:53
    A única maneira de tornar uma população imune é infectando-a, seja via vacinação ou via contágio dos imunes.

    Dado que vacinação demora, então o contágio dos jovens é a maneira mais rápida e efetiva.

    Uma vez contaminados, basta isolar os idosos (mais vulneráveis) deles.

    Não apenas não é necessário destruir a economia para fazer isso, como, ao contrário, lockdowns apenas pioram os contágios. Além de ferrar a economia (não há como ser saudável como economias destruídas), o fato de as pessoas estarem isoladas em casa, sem sol, sem vitamina D, apenas aumenta a debilidade do organismo.

    Quem defende lockdown é que é o verdadeiro genocida. Os próprios dados comprovam: quanto maior o lockdown, maiores os contágios e as mortes. Vide Reino Unido, Argentina, Espanha, França, Itália e os estados americanos governados por democratas (compare California e Nova York com Flórida, Geórgia e Dakota do Sul). No Brasil, o maior número de mortes per capita é em São Paulo, exatamente o estado mais fechado de todos.

    ourworldindata.org/explorers/coronavirus-data-explorer?zoomToSelection=true&time=40..418&pickerSort=desc&pickerMetric=new_deaths_per_million&Metric=Confirmed+cases&Interval=Cumulative&Relative+to+Population=true&Align+outbreaks=false&country=USA~GBR~CAN~DEU~SWE~FRA~ITA~ESP~NLD~PRT~BRA~COL~ARG~DNK~ISR~CHE

    Quanto maior e mais intenso o lockdown, maior o número de mortos (óbvio: não há imunidade de rebanho).

    ourworldindata.org/explorers/coronavirus-data-explorer?zoomToSelection=true&time=40..418&pickerSort=desc&pickerMetric=new_deaths_per_million&Metric=Confirmed+deaths&Interval=Cumulative&Relative+to+Population=true&Align+outbreaks=false&country=USA~GBR~CAN~DEU~SWE~FRA~ITA~ESP~NLD~PRT~BRA~COL~ARG~DNK~ISR~CHE

    O fato é que não há e nem nunca houve ciência nenhuma em lockdown. Ninguém nunca provou que essa merda funciona. Ninguém consegue apresentar um único estudo acadêmico, revisado por pares, multi-cêntrico, que tenha utilizado grupos de controle e que tenha feito estudos randomizados controlados (RCT) demonstrando irrefutavelmente que o lockdown é a maneira mais garantida de se combater uma epidemia.

    Ou seja, apenas imbecis completamente fanatizados continuam elogiando essa merda. E sem nenhum argumento.
  • Eduardo  23/03/2021 15:24
    "O fato é que não há e nem nunca houve ciência nenhuma em lockdown. "


    pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32495067/

    pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32181488/

    pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32562476/

    Não sou a favor do governo obrigar um lockdown mas dizer que não tem ciência é bem arrogante. Achei esses 3 artigos numa busca de 2 minutos.
  • Fabrício  23/03/2021 16:19
    Ué, já que é assim, então eu também vou brincar. Você citou meia dúzia de cientistas desconhecidos. Já eu vou citar centenas deles condenando o lockdown e que assinaram a Declaração de Great Barrington:

    gbdeclaration.org/

    Ganhei, hein?

    P.S.: resuma, com suas próprias palavras, como é que trancar todo mundo em casa e destruir economias (o que acaba com imunidades) irá matar um vírus. Estou muito curioso com esta descoberta científica. Seria a primeira vez na história que isso aconteceria.

    P.P.S.: gentileza explicar os números dos gráficos que estão nos links que postei acima.
  • Eduardo  24/03/2021 21:54
    Eu não citei cientistas, mostrei artigos científicos. O que você mostrou foi uma declaração e não um estudo. Opinião de especialistas tem nível de evidência C (mesma coisa que jogar cara ou coroa). Você é tão cego na sua convicção que nem aceita estar errado. Pode até ser que você esteja certo mas você não consegue provar isso.
    Ganhei hein!

    PS: Não preciso provar. Leia os artigos
  • Fabrício  24/03/2021 22:44
    Beleza. Que tal irmos então para as evidências científicas?

    Este gráfico mostra a média móvel da evolução do número de contágios per capita em três estados americanos: Flórida, Texas e Califórnia.

    Climas semelhantes. Densidade populacional também.

    Flórida e Texas estão totalmente abertos. Califórnia está fechada. Tente descobrir qual é qual.

    twitter.com/jeffreyatucker/status/1374054717609873411/photo/1

    Já este gráfico o mesmo para California, Arizona e Nevada:

    twitter.com/ianmSC/status/1374418647851036678/photo/1

    Já os gráficos abaixo mostram o número de contágios e de mortos per capita. Quanto mais o país fez lockdown, maior o número de contágios e mortos per capita:


    ourworldindata.org/explorers/coronavirus-data-explorer?zoomToSelection=true&time=40..418&pickerSort=desc&pickerMetric=new_deaths_per_million&Metric=Confirmed+cases&Interval=Cumulative&Relative+to+Population=true&Align+outbreaks=false&country=USA~GBR~CAN~DEU~SWE~FRA~ITA~ESP~NLD~PRT~BRA~COL~ARG~DNK~ISR~CHE


    ourworldindata.org/explorers/coronavirus-data-explorer?zoomToSelection=true&time=40..418&pickerSort=desc&pickerMetric=new_deaths_per_million&Metric=Confirmed+deaths&Interval=Cumulative&Relative+to+Population=true&Align+outbreaks=false&country=USA~GBR~CAN~DEU~SWE~FRA~ITA~ESP~NLD~PRT~BRA~COL~ARG~DNK~ISR~CHE

    Como você sai dessa?

    O fato é que não há e nem nunca houve ciência nenhuma em lockdown. Ninguém nunca provou que essa merda funciona. Ninguém consegue apresentar um único estudo acadêmico, revisado por pares, multi-cêntrico, que tenha utilizado grupos de controle e que tenha feito estudos randomizados controlados (RCT) demonstrando irrefutavelmente que o lockdown é a maneira mais garantida de se combater uma epidemia.
  • Eduardo  25/03/2021 01:11
    Ninguém nunca disse que lockdown é a maneira mais efetiva de se combater uma epidemia. Isso é mais uma cegueira sua. Lockdown, pelo que os estudos mostram, serve para que as pessoas não se contaminem ao mesmo tempo, impedindo que pessoas morram esperando uma vaga no cti. Você pode dizer que sempre faltaram vagas no SUS mas nunca faltaram nos hospitais privados do Rio de Janeiro, por exemplo. E o Rio tem uma das maiores vagas de Cti per capita do mundo graças à rede provada e está quase toda lotada. Isso é inédito. Ainda assim não acho que o governo deveria nos obrigar a adotar o lockdown.
    Desde que eu escrevi ano passado que não havia estudos multi-cêntricos, randomizados, placebo-controlado e prospectivos para mostrar a eficácia da cloroquina, que você passou a repetir isso. Mas vc é só um macaco que repete sem saber o que fala. O desenho de um estudo para lockdown é diferente. Mas não adianta explicar. Você não entenderá.
    Ganhei de novo. 2 x 0

  • Fabrício  25/03/2021 01:29
    "Ninguém nunca disse que lockdown é a maneira mais efetiva de se combater uma epidemia. Isso é mais uma cegueira sua. Lockdown, pelo que os estudos mostram, serve para que as pessoas não se contaminem ao mesmo tempo, impedindo que pessoas morram esperando uma vaga no cti."

    Então piorou tudo!

    Já se passou um ano desde que implantaram o primeiro lockdown com essa mesma desculpa. E, à época, pediram apenas 15 dias para aumentar o número de leitos.

    E aí? Cadê?

    Aliás, ano passado foram instalados pelos governadores vários hospitais de campanha, todos equipados para ajudar no combate à Covid-19. Mas logo foram desativados.

    Os equipamentos neles usados devem ter sido guardados. Agora que a pandemia se agravou, por que não os instalam de novo?

    Qual a sua resposta? Por que você dá esse passe livre para esses políticos? Os caras estão há um ano pedindo lockdown para aumentar o número de leitos. Nada. Por que você não protesta?


    Em tempo: vocês lockdowners poderiam ao menos entrar num consenso. Aqui mesmo nesta seção de comentários tá cheio de lockdowner jurando que o lockdwon é sim para combater a epidemia. Você é um dos poucos que ao menos teve a honestidade de dizer que lockdown é só desculpa de político incompetente. Vá, por gentileza, conversar com seus outros amigos lockdowners e explicar para eles que lockdown não é para combater epidemia. Vai me poupar um trabalhão.
  • Gustavo A.  25/03/2021 12:13
    Achei interessante a linha de raciocínio, mas é discussão de sexo dos anjos.

    O lockdown se presta unicamente para reduzir a demanda por leitos de UTI. Com o sistema em vias de colapsar, é a alternativa restante.

    Adoraria uma sociedade privada, porém não vivemos em uma e toda organização necessita de instituições e gestão. Infelizmente quem as toma são políticos, porém medidas tem de ser tomadas para evitar o colapso total.

    O colapso não faria a situação ser melhor, ou vocês acham que as pessoas voltariam normalmente ao comércio com pessoas morrendo aos montes em filas? Acham também que o mercado ficaria vendado, não reagiria a isso?

    Enfim, sobre as máscaras, isso é um delírio. É comprovado que o uso correto ajuda a impedir a propagação do vírus... E quanto a obrigatoriedade, voltamos à necessidade de gestão, não pode existir uma anomia/anarquia. Em uma sociedade privada medidas semelhantes seriam tomadas.
  • anônimo  25/03/2021 15:26
    "O lockdown se presta unicamente para reduzir a demanda por leitos de UTI. Com o sistema em vias de colapsar, é a alternativa restante."

    Ah, claro! Como o governo é incompetente, e não sabe suprir a demanda por leitos, á única opção aceitável é trancar as pessoas em casas e deixa-lás morrerem de fome! Genial!

    "Adoraria uma sociedade privada, porém não vivemos em uma e toda organização necessita de instituições e gestão. Infelizmente quem as toma são políticos, porém medidas tem de ser tomadas para evitar o colapso total."

    O quê vai causar o colapso total é exatamente trancar as pessoas em casa meu caro, você realmente tem uma tara por autoritarismo e controle social...

    "O colapso não faria a situação ser melhor, ou vocês acham que as pessoas voltariam normalmente ao comércio com pessoas morrendo aos montes em filas? Acham também que o mercado ficaria vendado, não reagiria a isso?"

    Isso já acontece desde sempre no SUS, não sei qual é a novidade, e ainda sim, um possível colapso do sistema de saúde não é justificativa para os governadores brincarem de ditadores.

    Eles deveriam focar em criar aquilo que a sociedade demanda: Leitos, mas como são incompetentes, obviamente preferem á opção na qual eles não precisam pensar muito: Lockdowns.

    "E quanto a obrigatoriedade de máscaras, voltamos à necessidade de gestão, não pode existir uma anomia/anarquia. Em uma sociedade privada medidas semelhantes seriam tomadas."

    Vejo que você não bate muito bem dá cabeça, e ama autoritárismo e controle social, então acho que nem vale á pena ficar repetindo o que já disse antes.
  • Felipe J.  24/03/2021 19:45
    Somente para exemplificar essa questão do ar: a soja, nossa principal commodity agrícola, tem como principal doença a ferrugem-asiática. Umas das principais medidas de controle é o chamado vazio sanitário, em que o cultivo é proibido no país e vai normalmente da segunda quinzena de junho à última quinzena de novembro, durando de 2,5 a 4 meses, a depender do estado (isso é adotado porque a Phakopsora pachyrhizi, fungo causador da doença, precisa de indivíduos vivos para infectar e manter o ciclo da ferrugem ativo, ou seja, diferentemente de outros patógenos, não consegue sobreviver em tecidos mortos). O que acontece é que, normalmente os esporos conseguem muitas vezes atravessar o país em massas de ar, indo, por exemplo do RS a RO, pelo ar, infectando lavouras que estão a 2 - 3 mil km de distância.

    Agora imaginem vocês que se um patógeno consegue ser transportado a milhares de km de distância através de correntes de ar, qual é a dificuldade de um micro-organismo de 50-100 nanômetros, de percorrer áreas residenciais mediante correntes de ar urbanas, através de frestas de janelas ou portas, ou, ainda, através de malhas de máscaras, que têm, sei lá, poros de 0,1 mm de diâmetro?

    E para chegar a um raciocínio desse, não se precisa de 3.000 horas de estudos universitários ou de pós-graduação. Um mínimo de raciocínio lógico é capaz de chegar ao mesmo resultado. Eu não sei se as pessoas estão com medo do vírus, da coerção estatal ou dos dois mesmo.
  • Vinícius  30/03/2021 03:31
    Partindo da premissa que o gráfico esteja certo, nota-se que a Califórnia teve um decréscimo acentuado no número de novos casos. Ressalta-se que a população de CA é quase o dobro da população da Florida. De qualquer modo considere olhar em sites mais confiáveis, tipo o do John Hopkins (coronavirus.jhu.edu/us-map), lá tem tudo bem detalhadinho.

    É fato que o lockdown funciona, pois tem-se menos gente circulando. A questão é outra, é a consequência de se isolar tanta gente. De qualquer maneira creio que a população tem que se cuidar, pois esperar pelos políticos é ingenuidade demais.
  • Carlos  22/03/2021 20:38
    Quantos lockdowns a França já fez? Eu parei de contar no terceiro. Quanto mais fazem, mais a coisa piora.
  • Luiz F.  22/03/2021 20:42
    Recentemente mandei para o grupo da família no WhatsApp, que está cheio de defensores do lockdown (e a maioria é funcionário público, universitário e aposentado), a seguinte pergunta:

    "Você defenderia lockdown se soubesse que perderia emprego e renda em decorrência dele?"

    A maioria (honesta) ficou em silêncio. Três (que são funças) protestaram que eu estava "tumultuando" o grupo e "procurando briga".

    Um pediu, educadamente, minha expulsão.

    Um total de zero respondeu.
  • Intruso  22/03/2021 21:51
    Diga-me então qual a sua proposta para diminuir o número de contagios e de internações hospitalares e assim evitar o colapso no sistema de saúde tanto público como privado? Deixar a lá vonte?
  • Fabrício  22/03/2021 22:15
    Todas as estatísticas oficiais já apontaram que o contágio se dá majoritariamente em casa (dica: vírus não respeita barreiras), o que invalida todo o argumento pró-lockdown. Eis o que disse a Universidade de Hong Kong.

    O caso mais simbólico é o do estado de Nova York, que é o território com a maior contaminação do mundo. Eis o que diz a notícia, com a própria participação do governador do estado de Nova York:

    "Most new Covid-19 hospitalizations in New York state are from people who were staying home and not venturing much outside, a "shocking" finding, Gov. Andrew Cuomo said Wednesday. […]

    It shows that 66% of new admissions were from people who had largely been sheltering at home. The next highest source of admissions was from nursing homes, 18%." 

    Ou seja: quem se contaminou era gente que estava fazendo quarentena em casa, de resguardo, e não pessoas que estavam saindo de casa para passear. 84% dos hospitalizados com covid-19 estavam cumprindo a quarentena horizontal (66% em casa e 18% em asilos), a mesma quarentena que os ignaros juram ser a salvação.

    "If you notice, 18% of the people came from nursing homes, less than 1% came from jail or prison, 2% came from the homeless population, 2% from other congregate facilities, but 66% of the people were at home, which is shocking to us," Cuomo said.

    "This is a surprise: Overwhelmingly, the people were at home," he added. "We thought maybe they were taking public transportation, and we've taken special precautions on public transportation, but actually no, because these people were literally at home."


    Ou seja, segundo o próprio governador, ele ficou estupefato ao descobrir que 66% dos contaminados estavam de quarentena em casa, 18% dos contaminados estavam em casas de repouso e mais 4% em asilos, e 2% eram mendigos.

    E ainda arremata: "Pensávamos que seriam pessoas que estavam usando o transporte público, e tomamos precauções especiais nos transportes públicos, mas na realidade não, essas pessoas estavam literalmente em casa".
  • anônimo  22/03/2021 22:18
    A própria OMS já admitiu quê lockdowns não surtem efeitos, ao contrário, pioram, diversos prefeitos dos EUA, como por exemplo, o do NY também já estão admitindo que lockdowns são inúteis (Uma pesquisa comprova que á maioria dos infectados são justamente aqueles que estão presos em casa), e só servem pra destruir economias (Pois os cientistas fizeram um relatório quê comprova isso e passaram pra eles).

    Antes só idiotas, ignorantes, desinformados ou pessoas amedrontadas pela pandemia defendiam lockdowns, agora, com tantas autoridades e médicos ao redor do mundo admitindo que fizeram cagada, o cara pra defender isso é tem quê ser também genocida.
  • Vastolorde  22/03/2021 23:25
    Detalhe: eles dizem que lockdown nem é pra conter vírus, mas sim pra "impedir a lotação de UTIs".

    Mas, ora, que eu saiba as filas sempre existiram em hospitais públicos. As UTIs sempre estão em capacidade máxima, pelo menos na maioria dos hospitais. Desde que eu era criança já ouvia essa frase: "faltam leitos nos hospitais". Qual a novidade?

    Aliás, é bem comum tirarem uma pessoa da UTI que está menos pior para colocar uma que está pior. Sempre foi assim; novidade nenhuma.
  • Miscelânea  22/03/2021 23:31
    "A rede de saúde pública do Rio vive uma situação crítica no atendimento de emergências. Dados enviados pela Secretaria Estadual de Saúde à DPU (Defensoria Pública da União) mostram que, em abril, 135 pessoas estavam na fila por uma vaga em UTI. A DPU estima que a falta de vagas cause seis mortes por dia."

    Isso saiu no UOL em 02/05/2019. Mas não tinha COVID, então tudo bem...
  • Neto  22/03/2021 23:31
    Sobre isso, vejam as notícias e as datas. Curioso...

    twitter.com/b1ancap/status/1367445740604301318/photo/1
  • Aguinaldo  23/03/2021 00:40
    Pergunta básica sobre essa questão da falta de UTIs: ano passado foram instalados pelos governadores vários hospitais de campanha, todos equipados para ajudar no combate à Covid-19. Mas logo foram desativados.

    Os equipamentos neles usados devem ter sido guardados. Agora que a pandemia se agravou, por que não os instalam de novo?
  • Túlio  23/03/2021 00:45
    Essa é fácil. Os hospitais de campanha foram apenas para as campanhas.

    Assim, que acabaram as eleições municipais, acabaram as campanhas e os hospitais de campanha.

    Nesse caso, não dá para criticar. O objetivo era tão explícito que até o nome foi escolhido de acordo, para não deixar dúvidas.
  • anônimo  23/03/2021 02:20
    "Nesse caso, não dá para criticar"

    Não dá para criticar?! Como assim? Esses hospitais são claramente desperdício de verba pública, qual é o sentido de criar hospitais apenas para campanhas? Á população deveria começar á pressionar os políticos á reabrirem esses hospitais, mas parece que são muito burros para isso, perceba: Os hospitais de campanhas só existem em cidades, justamente aonde as massas progressistas estão, não é atoa quê não sabem raciocinar nem isso, em SP mesmo nem se fala, não moro lá, mas todos sabem que SP contém á maior concentração de esquerdistas no país, e o fato de quê o principal jornal de lá claramente está submisso ao Dória também não facilita as coisas.
  • Revoltado  25/03/2021 18:24
    Vastolorde,

    Em minha adolescência já escutava em raps do pseudo-cantor Gabriel O Pensador que "a saúde pública está sem verba" e isto corresponde há quase um quarto de século!
  • Revoltado  23/03/2021 13:12
    É admirável que não tenhas sido chamado de "fascista, negacionista, obscurantista, racista, homofóbico, transfóbico, calvinista, batista, frentista e etc"...
  • William  25/03/2021 01:00
    Então me explica uma coisa que parece lógico: Digamos que você viva sozinho em uma residência. Você foi infectado e não teve contato com ninguém durante 15 dias. Isso significa que infectou um total de 0 pessoas e o vírus morreu ali. Caso estivesse se aglomerando nesse meio tempo, infectaria muitas pessoas, das quais uma parte teria grandes complicações gerando demanda nos sistemas de saúde público e privado.

    Não parece razoável do ponto de vista lógico manter-se em casa após a confirmação do resultado positivo?
  • Túlio  25/03/2021 01:26
    "Então me explica uma coisa que parece lógico:"

    Vejamos.

    "Digamos que você viva sozinho em uma residência."

    Certo.

    "Você foi infectado e não teve contato com ninguém durante 15 dias."

    Ou seja, aqui mesmo seu argumento já acabou. Se eu vivo sozinho, estou isolado e fui infectado, então lockdown não serve pra porra nenhuma. Parabéns. Está começando a entender.

    "Isso significa que infectou um total de 0 pessoas e o vírus morreu ali."

    Não, o vírus não morreu ali. E é isso que as pessoas têm enorme dificuldade de entender. Vírus não morrem e somem. Se vírus morressem e sumissem, ninguém nunca mais teria gripe e resfriado. No entanto, gripe e resfriado são ocorrências sazonais. Por quê?

    Porque os vírus não morrem. Eles, na melhor das hipóteses, ficam dormentes, e atacam quando a imunidade da pessoa cai.

    Ora, por que você acha que a pessoa que anda descalça com o corpo quente, ou que toma um vento frio com o corpo quente, fica gripada ou resfriada? O vírus não entrou nela naquele momento. Ela fica gripada porque o choque térmico reduz sua imunidade. E quando a imunidade cai, o vírus (que já estava no corpo da pessoa, porém dormente) se manifesta e ataca.

    Enquanto as pessoas não entenderem esse básico, é impossível ter qualquer diálogo.

    Neste exato momento, várias pessoas perfeitamente saudáveis estão com o Sars-Cov-2 sem saber. No entanto, se a imunidade cair, elas prontamente apresentarão os sintomas. E lockdown não mudará nada disso.

    "Caso estivesse se aglomerando nesse meio tempo, infectaria muitas pessoas, das quais uma parte teria grandes complicações gerando demanda nos sistemas de saúde público e privado."

    Pessoas em casa também se infectam. Há inúmeros relatos de pessoas que pegaram Covid sem nunca sair de casa. Eu mesmo conheço quatro pessoas assim. O vírus vem pelo ar. O vírus fica no corpo da pessoa. E ele se manifesta quando a imunidade cai.

    "Não parece razoável do ponto de vista lógico manter-se em casa após a confirmação do resultado positivo?"

    Após ler toda a explicação acima, eu é que faço a pergunta: não parece lógico que aqueles que não querem se contaminar devem se proteger, cuidar da sua saúde e manter sua imunidade alta?

    Se você não quer se contaminar, tudo o que você tem que fazer é não interagir com ninguém, se proteger, e manter a sua imunidade alta cuidando da sua saúde. Faça isso e você não será contaminado por ninguém.

    Agora, por que você quer proibir toda a humanidade de produzir? Você quer trancar todo mundo em casa, menos seu zelador, seu porteiro, o motoboy do iFood e todo o pessoal do agronegócio, que é quem produz sua comida. Não seja hipócrita.
  • rraphael  25/03/2021 07:14
    Não parece razoável do ponto de vista lógico manter-se em casa após a confirmação do resultado positivo?

    quando temos febre, tosse seca, coriza, conjutivite, caganeira, a recomendaçao é repouso , fluidos, canja de galinha , quando possivel medicaçao e antibioticos, atençao com higiene, nao espalhe fezes pelas paredes, nao espirre em cima da sua avó com esclerose, nao fique lambendo o corrimão do predio ou fale cuspindo no entregador do ifood quando for buscar a sua pizza

    nada disso é novidade e ninguem é contra, pelo contrario, é o minimo que se espera de gente civilizada

    agora me diga onde que esta o salto que voce da onde o poder publico passa a regular a calçada, o mercado e o onibus ?

    repare que eu posso estar andando sozinho com meus cachorros na esquina de casa, manter uma rotina de nao ter contato com uma alma viva enquanto faço minhas atividades, e mesmo assim uma "autoridade" pode me abordar e me acusar de ser uma ameaça por nao estar "seguindo regras"

    a ironia é que o indice de interaçoes sociais aumenta, se eu quisesse diminuir interaçoes sociais, permitir um maior distanciamento ou menor volume de pessoas num mesmo espaço ou tendo contato que é o que dizem estarem buscando, o que nao faria seria restringir o onibus, o mercado ou mandar o "puliça" abordar quem esta andando em paz na rua

    mas ate explicar que nariz de porco nao é tomada ...
  • Rumble  26/03/2021 17:55
    Você deve ser aquele tipo de pessoa que acredita no discurso do governo de que os surtos de dengue ocorrem porque pessoas deixam água parada em vazinhos de planta, enquanto o saneamento básico e o escoamento de degetos de forma adequada é quase inexistente, esgoto a céu aberto em quase todo o país, vivemos um sistema de saneamento próximo de séculos atrás, mas o vilão é uma pocinha de água do vazo deplantas.
  • Marcos  22/03/2021 22:19
    Se vocês estão certos... então todos os médicos estão errados
  • Caio  22/03/2021 22:21
    Sim, estamos juntos das centenas de médicos mundialmente renomados que assinaram a Declaração de Great Barrington:

    gbdeclaration.org/

    Dica: enquanto você ficar se informando exclusivamente por Globo e Folha de S. Paulo, você passará essa vergonha.
  • André Belverde  22/03/2021 23:24
    Senhores, enquanto toda essa discussão estiver baseada na falsa premissa de que realmente existe uma "Pandemia" pelo fictício COVID-19, não se irá muito longe!

    Considero surpreendente que pessoas inteligentes acreditem nessa Fraudemia, a despeito de tantas evidências em contrário! Contudo, a massiva propaganda da Mídia (comprometida) explica parte dessa "Histeria Coletiva".

    Os casos que estão sendo diagnosticados são casos "positivos" resultado de um teste (PCR -Polymerase Chain Reaction) que não é específico para vírus nenhum e que não diagnostica nada!

    É uma "Epidemia" de Casos Positivos, não uma Epidemia real!

    Sobre as "mortes por COVID", até mesmo pessoas esmagadas por trens, atropeladas, baleadas, etc., estão recebendo o diagnóstico de "COVID-19" em seus Atestados de Óbito!

    O próprio inventor do teste PCR, Kary Mullis, muito convenientemente falecido imediatamente após o início da Fraudemia, afirmou que seu teste era inútil para o diagnóstico de qualquer vírus RNA. Pesquisem!

    Profissionais de saúde estão se manifestando, em todo o mundo, sobre estes fatos, porém estão sendo sistematicamente censurados e banidos de todas as Redes Sociais.

    Não é à toa que protestos anti-lockdown estão se espalhando pelo mundo. Todos deles, com pessoas com cartazes com os dizeres: COVID is a Hoax!

    Dados incontestáveis e que comprovam que o COVID-19 é uma farsa!

    - Plandemic Series (com Legendas em Português, ao final da página)

    www.plandemicseries.com/

    - CoviLeaks (Em Inglês)

    www.covileaks.co.uk/

    - Bulgarian Pathology Association (Em Inglês)

    www.bpa-pathology.com/covid19-pcr-tests-are-scientifically-meaningless/

    - COVID19 PCR Tests are Scientifically Meaningless (Em Inglês)

    www.off-guardian.org/2020/06/27/covid19-pcr-tests-are-scientifically-meaningless

    Pesquisem!
  • robson santos  23/03/2021 01:11
    Bom, mais pessoas estão morrendo agora, então baseando-se em suposta fraude nos diagnósticos, mais pessoas estão morrendo de um surto de outras causas, e não por Covid, ou seja então os números sempre foram manipulados no sentido de se distribuir a causa mortis balanceando mais para Covid, porém com o aumento nos números então significa que a manipulação está sendo mais forte ainda, e isto está acontecendo em um país continental, ou seja todo o território está fraudando os números?
  • Roberto R  23/03/2021 12:22
    Tambem concordo que o teste eh insignificante e errado! Tambem acho MUITO exagerado o que estao fazendo (quarentena para pessoas saudaveis e nao as doentes), mascaras inuteis (pelo tamanho de qualquer corona virus). Os obitos sendo fraudados (amigo do meu barbeiro tinha problema do coracao, morreu de infarto e saiu covid. Minha tia vo lutava com demencia por anos - tinha mais de 80 anos, bem debiiitada- foi pro hospital e morreu de "covid") Maus exemplos nao faltam, ate no nosso dia a dia.

    Mas acredito que exista sim uma nova epidemia. Digo pelo numero de maiores internacoes em hospitais PRIVADOS e tambem pelos relatos de pessoas que eu confio pessoalmente. Agora para mim o grande misterio eh dizer o motivo disso acontecer. Dica: o medo de contaminacao eh um dos maiores fatores para pessoas ficarem doentes. Medo/Ansiedade/Stress sao grandes fatores para levar a diminuicao das defesas naturais (talvez a campanha de terrorismo da midia esteja funcionando muito bem?) . Tem boi na linha ai!
  • Rafael  22/03/2021 22:19
    Alguém sabe então explicar o real objetivo dos lockdowns?
  • Fabrício  22/03/2021 22:23
    Já explicado aqui várias vezes.

    As elites globalistas já têm esquematizado todo um plano que visa suprimir as moedas nacionais e impor uma moeda digital, a qual abolirá completamente toda privacidade do indivíduo, fará com que ele apenas consuma o que o estado autorizar e, ainda por cima, permitirá a imposição da Renda Básica Universal, o que manterá toda a população dócil e submissa.

    Isso representará a maior ruptura econômica da história recente. Será o Grande Reset, que já é falado abertamente por Davos, FMI e ONU.

    Toda essa agenda começou a ser colocada em prática com essa fraudemia da Covid-19, a qual foi instigada por toda a elite globalista já conhecia: ONU, OMS, Fórum de Davos e George Soros. Os lockdowns — que não têm nenhum respaldo científico e que nunca foram adotados na história do mundo — foram inventados exatamente para quebrar as economias, destruir as pequenas empresas, criar as bases para a nacionalização das indústrias e, finalmente, impor as moedas digitais. Não mais haverá soberania nacional. Todos passarão a seguir ordens de Davos.

    Os lockdowns sempre foram uma medida crucial para a implantação desta medida. O [u]Partido Democrata americano é amplamente favorável e está no bolso de Soros e de Klaus Schwab (o real mentor do Grande Reset).

    Grande Mídia e Redes Sociais apoiam tudo isso e suprimem qualquer dissidência (e agora está escancarado: o Twitter simplesmente proíbe e deleta qualquer crítica ao processo eleitoral americano) porque sabem que terão muito a ganhar no futuro arranjo.

    A Grande Mídia será essencial para convencer a população de que tudo está correto e tudo está sendo feito para o bem dela. Ela será crucial para manter o populacho desinformado e submisso. Em troca, terá a sua fatia no novo arranjo e receberá grandes agrado$ do establishment (o qual será feito de maneira direta com as moedas digitais, que estarão fora do escrutínio do público).

    As viagens internacionais serão (aliás, já estão sendo) deliberadamente restringidas com o objetivo de "reduzir a poluição", que é um dos objetivos explícitos da ONU, do Fórum de Davos e do New Green Deal, do Partido Democrata.

    (Li que já estão com planos de obrigar os países a só emitirem passaportes para cidadãos que provarem que já se vacinaram.)

    Estamos vivenciando a maior conspiração organizada da história humana, e toda a imprensa não só não está denunciando, como está adorando tudo.

    Por enquanto, Trump realmente era a única peça fora do quebra-cabeça. Uma eventual reeleição dele frustraria esses planos. Retirá-lo da jogada era absolutamente crucial. Para isso, valeria fazer absolutamente tudo (350 mil mortos votaram em Michigan e vários eleitores foram proibidos de votar no Arizona.)

    Brace yourself.
  • Anonimo  25/03/2021 03:06
    Trump é so uma consequencia da população nao aceitar isso, nao uma causa.
  • Felipe  23/03/2021 00:45
    Apenas controle. No caso brasileiro, para receber mais dinheiro do governo federal.
  • Bolsodilma ciroguedes  23/03/2021 11:56
    Se deixar, os burocratas tornam crime vc gastar o seu dinheiro com saúde.
    Ate proibiram privados importar vacina, com argumento de que furariam fila. Tem que ser tudo pelo SuSastica. Isso quer dizer que essa agencia ja te considera incapaz de decidir por si proprio e sao eles quem decidem com deve ser sua saúde.
  • Bolsodilma ciroguedes  23/03/2021 13:43
    Controle social. Querem comprar sua liberdade em troca da renda mínima Mas não contaram isso pra você. Também não contaram que renda mínima não funciona... Mas o que importa e que você entregue sua liberdade somente pela "promessa" de que o estado vai te sustentar.
  • Victor  22/03/2021 22:25
    Nunca, jamais e em hipótese alguma seja um homem muito pobre e com dependentes em uma livre democracia.
  • anônimo  22/03/2021 22:50
    Á histéria é grande mesmo, quase toda á minha família tá com medo e tem alguns quê ficam de mascara até em casa, e ainda por cima defendem arduosamente os lockdowns (Até mesmo os quê criticam bastante os políticos em geral.

    Curiosamente, os únicos quê não tem medo são meus avós quê vivem no campo, estão sempre chamando os políticos de parasitas, e criticam duramente os lockdowns, pois segundo eles, o povo precisa ir trabalhar e também precisa consumir, e não tem como ficar em casa, e dizem tudo isso enquanto utilizam mascara e passam álcool e gel sempre quê saem ou voltam para casa.

    Meu vô até gostou do álcool em gel, ele trabalha bastante cultivando plantações (que é um hobby dele, pois ele recebe 3k no emprego dele mais 2k de aposentadoria e já tem tudo quê precisa) e está sempre utilizando álcool em gel para evitar infecções no corpo quando volta do mato.

    Mas bem, os políticos e cientistas pró-lockdown até agora não entenderam algo simples: É necessário quê haja estímulos, não coersão, quêm tiver condições para ficar trancado em casa, e está disposto, que fique, não tem como simplesmente trancar toda a população em casa e concluir quê tudo vai estar bem, o Japão é um dos paises com menores número de infectados e mortes per-capita justamente por causa disso, á população é respeitosa e usam máscaras sem nenhuma necessidade de ameaças, e se lá esse sistema de estímulos funcionou, porquê todos os países não seguem este bom exemplo, em vez de ficarem sempre na tática mais tirana, insensata, e destrutiva?

    Eu aliás, crítico bastante o Bolsonaro, ele está certo em criticar lockdowns, e também não vejo problema nenhum em recomendar remédio caseiros, mas essa atitude dele de criticar até as máscaras é justamente o total oposto de estimular á população á fazer algo sensato. E mesmo se ele mudar essa postura, não vai adiantar nada, pois agora já é tarde demais, os apoiadores dele se tornaram cativos á esses estímulos anti-máscaras e anti-distanciamento, e irão crítica-lo caso mude o seu discurso.
  • Richard Stallman  24/03/2021 02:12
    Mascara não funciona.
  • anônimo  22/03/2021 23:24
    Filosofando de havaianas:

    Se A topa o risco de se expor a germes e bactérias no intuito de aumentar sua imunidade natural e consegue, B, que não se expõe de nenhuma forma (e ainda critica A) não estaria sendo um free-rider /carona durante uma pandemia?
  • Victor  22/03/2021 23:29
    Sim, mas não há nada de errado nisso. Aliás, o artigo abordou isso: trata-se de uma externalidade positiva.
  • Leitor Antigo  22/03/2021 23:36
  • anônimo  22/03/2021 23:57
    (totalmente OFF-TOPIC)

    Eu fico curioso enquanto fico olhando alguns textos de comentários meus e de outros postados aqui no site sendo repetidos, será existe alguma AI ou algum admin do Mises Brasil que copia os argumentos lógicos contidos em textos de comentários postados, e os repete para rebater os críticos de postagens quê aparecerem por aqui, ou será quê o povo tem preguiça de criar argumentos próprios e fica reutilizando os textos dos outros? Não quê eu despreze isso, mas acho bem curioso, e como alguém quê está sempre lendo os comentários, acabo toda hora vendo textos copiados de terceiros sendo reutilizados, podiam pelo menos fazer o favor de colocar as referências (Apesar de quê eu tenho certeza que assim como eu, á maioria nem liga de ter seus textos copiados e repostados).

    Obs: Estou me disfarçando de anônimo, mas isso não significa quê eu poste comentários sem utilizar um Nick.
  • anônimo  23/03/2021 01:18
    Eu tive a mesma dúvida que você uns meses atrás. A conclusão que cheguei é que faz parte do caráter educativo. A repetição é a mãe do aprendizado. Na verdade, é até um favor que é feito, pois evita longas discussões com os novatos e sobretudo com os haters. Não chega a ser AI mas é algum tipo de colaboração espontânea entre cavalheiros.

    Agora, sobre referenciar a autoria, acredito que comentar logado, com avatar, seria o mais indicado. Tal qual você observou, maioria aqui certamente leu Kinsella e não liga muito para quem disse, mas sim o que foi dito.
  • anônimo  23/03/2021 02:03
    Obrigado por compartilhar sua opinião lógica, já estava chegando á uma conclusão semelhante quando fiz o comentário, mas esperava escutar a opinião de outro leitor quanto á isso.

    Concordo com á parte das referências, diria que as copias de textos não devem ser levadas á serio quando o postador ou repostador é alguma pessoa não-logada, mas ainda assim andei observando que tem alguns usuários que aparentemente se importam com as fontes, mesmo quando partem de anônimos, foi justamente por causa deles que eu escrevi isso em primeiro lugar.
  • Emerson Luis  09/04/2021 11:11

    Comigo aconteceu várias vezes.

    O sujeito repetir os fatos e argumentos, tudo bem. Repetir os exemplos, linguagem figurada, fraseado, é tolerável.

    Mas o absurdo é o sujeito simplesmente copiar e colar tudo, até as experiências pessoais ("Certa vez na faculdade uma professora disse X e eu perguntei Y") como se tivesse sido ele e ainda colocar no nick dele o meu primeiro nome.

    * * *
  • rraphael  23/03/2021 00:10
    politicos e imprensa : "temos que restringir o horario dos mercados porque vai ter menos aglomeraçao"

    titulo daqui de onde eu moro : "Moradores da Baixada Santista enfrentam filas em mercados, após anúncio de lockdown"

    2021 foi o ano em que a humanidade deixou de ser sapiens
  • Cristiano  23/03/2021 00:24
    E o curioso é que nas eleições municipais de novembro de 2020, eles aumentaram o número de horas que as urnas ficavam abertas. Ampliaram em duas horas o horário de votação.

    Ou seja, essa escumalha sabe exatamente o que quer: destruir as pessoas.

    No Brasil, político faz o que quer e, dependendo de quem seja, ainda recebe apoio explícito e entusiasmado da imprensa.
  • Revoltado  25/03/2021 18:38
    Cristiano,

    O período eleitoral foi o tempo que o COVID-19 necessitou de um recesso. Sabe como é, né? O pobre vírus tem trabalhado em ritmo semelhante a de seus compatriotas. Aí é bom repousar de quando em vez...
    Por isto ele naõ contaminou ninguém nos comícios bem aglomerativos, nas urnas e lugar nenhum. Ele sabe respeitar espaços eleitorais.
  • Edson  23/03/2021 00:29
    Mas como políticos adoram controle absoluto, e dado que eles hoje gozam total apoio da imprensa, estão lavando a égua.
  • Yuri  23/03/2021 00:42
    Estava assistindo, novamente, o filme V de Vingança e não pude deixar de notar as semelhanças enormes com a situação atual em que vivemos. Não obstante, na história do filme, é a "direita" que toma o pode. Não poderiam estar mais errados na escolha da lateral quando fizeram a história. Fora isso, todo o enredo do filme corrobora com o comportamento canhoto.
  • Rubens  23/03/2021 00:54
    Mas Hollywood sempre é assim. Quando há um governo totalitário, ele é de direita. Sempre. Até mesmo em Jogos Vorazes, que é claramente uma distopia socialista, os políticos têm contornos direitistas.

    Por incrível que pareça, o único filme que é razoavelmente equilibrado neste quesito é Laranja Mecânica. Os jovens desajustados e estupradores são claramente de extrema-esquerda, e a própria Londres é retratada como uma cidade socialista com um governo socialista (há até críticas ao Partido Trabalhista). O próprio site do IMDB fala sobre isso:

    www.imdb.com/title/tt0066921/trivia?item=tr2891084

    Aí, ao final do filme, um governo de direita assume o controle, captura os meliantes e faz o processo de lavagem cerebral neles. No entanto, para ser "equilibrado", a partir daí o filme assume uma atmosfera mais autoritária em contraste com aquele ar mais anarquista do começo do filme.

    Mas isso, em termos de Hollywood, já é muito.
  • Cinéfilo  23/03/2021 01:18
    Alguns (poucos) filmes abertamente de direita:

    — Sindicato de Ladrões (1954), com Marlon Brando. O diretor Elia Kazan era refugiado do comunismo e o filme desce o cacete nos sindicatos.

    — Perseguidor Implacável (1971), com Clint Eastwood em seu primeiro papel como Dirty Harry.

    — Desejo de Matar (1974), com Charles Bronson. O remake com Bruce Willis, disponível na Netflix, é ok (acima da média para as produções atuais), mas nem se compara ao original.

    — Amanhecer Violento (1984), de John Millius. Ignore o remake de 2011.

    — Rambo 2 e 3

    — Stallone-Cobra (clássico)

    — Rocky 4

    — À Procura da Felicidade (2006), com Will Smith. Excelente, excelente, excelente.

    — Primeiro Eles Mataram meu Pai (2018), dirigido pela Angelina Jolie, mostra os horrores do Khmer Vermelho no Camboja.
  • anônimo  23/03/2021 02:10
    Forçando um pouco a barra, alguns com elementos libertários ou anti esquerda:

    The Outlaw Josey Wales (1976) - De e com Clint Eastwood. Fazendeiro sulista contra o exército da União.

    Equilibrium (1994) - Com Christian Bale. As cenas de luta são boas.

    Lendas da Paixão (1994) - Tirando o melodrama modinha da época, o Anthony Hopkins interpreta um velho abertamente contra o Estado.

    Balzac e a costureirinha chinesa (2001) - Esse você vai rir muito com o "4 olhos". A história se passa nos campos de reeducação de Mao Tse Tung.

    Adeus, Lênin! (2003) - ótima tragicomédia.
  • Yuri  23/03/2021 10:47
    Muito interessante a lista! Pena serem tão poucos... Esperemos que isso mude.
  • Revoltado  25/03/2021 18:30
    "Adeus, Lenin" é um filme bacana até sua parte final, que o estraga!

    Sigmund Jahn (peço licença pelo spoiler), ex-cosmonauta alemão-oriental fingindo ser o sucessor de Erich Honecker na Secretaria do Politburô de Berlim Oriental, discursando a reunificação da Alemanha sob o governo comunista e dizendo a groselha de que o "socialismo é dividir, ser solidário, ser generoso" (uma estultícia similar) enquanto a mãe do protagonista morre fingindo acreditar que a Alemanha reunificada seria uma versão maior da RDA, só me faz pensar nos germânicos que lá viviam e se arriscavam para levar uma nova vida na porção ocidental. E isto tratando-se do mais próspero dos países no então bloco do Comecon, com o tal "socialismo de consumo"!
  • Felipe J.  24/03/2021 19:59
    O criador de V de Vingança, Allan Moore, é um declarado "anarquista" de esquerda, ou seja, sempre bebeu das ideias revolucionárias da extrema esquerda. Isso pode ser visto em Watchmen, em Skizz, dentre outros.
  • Yuri  01/04/2021 16:15
    A aspas é perfeita. Como pode um indivíduo não ver a contradição de uma "anarquia" de esquerda?
  • Felipe  23/03/2021 01:01
    Essa postagem do Fernando Chiocca é ótima. Fazer uma versão brasileira desse mapa aqui seria muito bom.

    É medonho ver supostos libertários tentando justificar lockdowns. Isso mostra que o desconhecimento sobre a lei natural ainda é grande. Até começo de 2020, a humanidade foi assolada por pestes muito piores que o SARS-CoV-2 e até então eu nunca vi ninguém defendendo o uso obrigatório de máscaras por causa de doenças como gripe. O máximo que vi era ver gente defendendo invasão residencial por causa de água parada (potencial vetora da dengue por causa de larvas de Aedes aegypti).

    Pelo menos em uma coisa a pandemia foi boa: canais como o Ancap.SU dispararam em audiência. Para mim, um dos maiores defensores brasileiros da liberdade no momento. Ele mesmo pegou o coronavírus.

    No final das contas, o lockdown nada mais é que uma nova forma de socialismo.
  • Roberto Dantas  24/03/2021 09:49
    Grande Peter Turguniev!!! Não só o Ancap.su mas os canais Visão Libertária e o Ancap.su classic no YouTube também são muito bons.
  • Joao Paulo  25/03/2021 00:58
    Para lockdown, recomendo os videos do Rumble. No YouTube, é Peter Nutella. Lá no Rumble, é Peter raiz
  • Joao Paulo  25/03/2021 00:56
    Acho um barato quando ele diz que lockdown é ciência, muita ciência... é ciência pra c...
  • Denis Camurça  23/03/2021 01:01
    Enquanto isso, a hidroxicloroquina está empoeirada nos armários das secretarias de saúde. Por mera birra política com o Bolsonaro, os desgraçados dos prefeitos e governadores mandaram barrar ao povo o tratamento precoce que possui efeito positivo atestado por 172 estudos.
  • Vladimir  23/03/2021 01:22
    Este sim é o verdadeiro genocídio: proibir as pessoas de terem acesso ao protocolo do tratamento preventivo.

    Todas as pessoas que eu conheço que tiveram Covid-19, tão logo foram diagnosticadas, tomaram Azitromicina, Zinco, Ivermectina e, alguns, Hidroxicloroquina. Todos se curaram.

    Hoje, tem gente morrendo como moscas nas filas sem sequer poderem usar esses remédios, cuja distribuição na rede pública estadual e municipal foi proibida por motivos puramente politiqueiros. Assassinos.
  • Paulo  23/03/2021 04:09
    A que pese uma proibição de uso(ao meu ver, desnecessario fazer isso para algo que até ontem era vendido sem receita)
    Infelizmente, numeros de estudos não provam algo, a qualidade e metodologia deles sim (piramide de evidencias). Os randomizados, duplo cego, estão acima, em peso, dos simplesmente peer-reviewed.


    Ps: Sobre o artigo. Ele compara com som. Mas um som alto de uma casa não tem potencial de colapsar o sistema hospitalar e acabar matando até quem não pegou covid, por falta de atendimento. E isso sim é uma externalidade (que nao precisa violar propriedade, basta exaurir as capacidades de curto prazo dela, supondo ser hospital privado.

    Mas mesmo o som alto tambem tem defesas liberal/libertaria contra. Por exemplo. Uma zona habitacional, onde varias pessoas fizeram homestead para moradia.
    Seria bem estranho para uma ideia de homestad uma industria barulhenta e poluidora abrir bem no meio das casas e ficar por isso mesmo.



  • Revoltado  23/03/2021 13:10
    Vladimir e Denis,

    Reescrevo o que já disse em outros artigos correlativos no blog: todo este ódio contra a hidroxicloroquina e similares dá-se por birra ideológica. Se o presidente da república tivesse se posicionado contra esses medicamentos, eles seriam distribuídos até "de graça" em qualquer boteco.
    Se algum dia o "Bozo" se posicionasse em favor da aplicação de ozônio anal, como propunha o prefeito de Itajaí, creiam-me: amanhã mesmo a Rede Globo pregaria a abstinência do sexo anal de maneira mais rigorosa que o regulamento interno de uma igreja pentecostal de disciplina rígida, mesmo que isto causasse tela azul em grande parte de seus funcionários por razões óbvias (risos)
  • Revoltado  25/03/2021 20:02
    Perguntinha;

    Quê farão os filiados do PT e PSOL do Rio Grande do Sul quando se perceberem com os primeiros sintomas da peste chinesa?

    a) Aderirão ao ozônio anal de Itajaí?
    b) Procurarão curandeiros?
    c) Beberão o famoso chá do movimento Santo-Daime?
    d) Tomarão hidroxicloroquina, invermectina e azitromizina em doses cavalares?

    Minha opção de escolha é um tanto clara, imagino.
  • Kaio  23/03/2021 09:19
    E sabe qual o "protocolo padrão" do SUS? Dipirona, e ficar em casa até sentir falta de ar. Tudo isso graças ao Mandetta, o ortopedista que sabotou abertamente todas soluções pra resolver a pandemia.

    Se desde o começo tivesse pedido pra adotar esses protocolos, nada disso teria acontecido. Mas a vontade em desviar verbas e agradar a mídia é irresistível, né?
  • Revoltado  23/03/2021 14:19
    Sabes a profissional do sexo a quem desejamos agradar com mimos, além do próprio cachê dos serviços oferecidos, porque é bom demais estar a seu lado?
    Assim é a classe política quando se relaciona com os chapa-branca relativos ao Quarto Poder (como a mídia é conhecida).
    Para que esta última prostituta sinta-se satisfeita, é lícito mesmo sacrificar algum familiar.
  • Augusto  23/03/2021 01:38
    Em Araraquara, após um mês do mais radical lockdown do país, número de internados subiu 37%.

    Covid-19: depois de um mês de lockdown, aumenta o número de pacientes internados em leitos de UTI em Araraquara

    Mortes diárias crescem após a implantação da medida
  • Souza  23/03/2021 01:50
    E a mídia suja e desonesta falando que o lockdown tinha reduzido o número de casos por lá. É muita podridão pro meu gosto.
  • rraphael  23/03/2021 14:36
    araraquara nao vai longe, la tem desabastecimento forte, um numero cada vez maior de miseraveis na rua
    o numero de casos é relativo, ninguem pode dizer que voce esta doente se nao te examinar e reportar pelo canal oficial que contabiliza os casos

    exemplo paralelo é na minha regiao que houve duas mortes por dengue hemorragica, estamos em estado de atençao
    e so entra pra estatistica quem ficou muito ruim e buscou atendimento, obviamente que o numero de casos oficiais é sempre abaixo da realidade
    no caso da dengue a questao do contagio é interessante, nem todo mosquito esta infectado, mas se voce estiver e ele te picar , vai passar pro restante da familia que vive na mesma casa , vizinhos ...

    sobre o coronga eu diria que o numero de assintomaticos é muito maior , pela mesma razao, se vc nao tem sintomas, se voce nao é examinado, entao ninguem pode dizer que voce foi infectado

    durante o dia temos contato com diversos patogenos, praticamente toda semana voce pode ter contato com influenza e nunca ficar doente, começando pela questao da carga viral, uma carga muito baixa nao consegue nem começar o "serviço"

    ja quando a carga viral é alta a chance de sobrevivencia do coronga diminui, e a chance de sobreviver depois que foi pra UTI cai drasticamente (mesmo que tenha leito sobrando as pencas), dai a importancia do tratamento previo ao inves de ficar esperando piorar pra buscar ajuda profissional

    o brasil é simplismente o cumulo do ridiculo, tudo que deveria ser feito de util é proibido ... dizem que o hospital nao da conta é só mais um motivo pra tratar antes de ir pra ventilaçao mecanica quando a vaca ja foi pro brejo e o seu sistema esta todo comprometido...

    mas obviamente que os pandeminions é que sabem sobre medicina com post de twitter enquanto aqui todo mundo é negacionista ignorante gado de biroliro
    ainda vai levar decadas pra populaçao ver o tamanho da roubada que se enfiaram, se é que vao perceber
  • Revoltado  25/03/2021 18:35
    Rafael,
    Notícia meio-fresquinha, também relativo ao interior paulista, sobre um prefeito sensato sendo perseguido pelo Calça Apertada. Ei-la:


    sensoincomum.org/2021/03/24/prefeito-tem-bens-bloqueados-por-contrariar-doria/
  • Eduardo R., Rio  23/03/2021 04:14
    A realidade atual no Brasil inteiro não desmente o artigo? Aliás, é impressão ou as pessoas aqui fingem que não sabem do colapso sanitário no Brasil em decorrência da covid-19, pior do que qualquer coisa aqui já vista no que tange à saúde pública?

    «VOCÊ QUE É CONTRA LOCKDOWN. Que solução vc propõe? Pq se vc se opõe à uma medida comprovadamente eficaz p reduzir mortes, ou
    1. Vc coloca seu bem estar e interesses acima de vidas, ou
    2. Vc tem uma solução melhor.
    Diga aqui, q solução vc propõe p nos tirar desse mar de mortes?»
    Denise Garrett, MD twitter.com/dogarrett/status/1373651830647971845
  • Fabrício  23/03/2021 13:35
    "A realidade atual no Brasil inteiro não desmente o artigo?"

    O artigo refuta argumentos econômicos e legalistas em prol do lockdown. Qual realidade refuta isso?

    "Aliás, é impressão ou as pessoas aqui fingem que não sabem do colapso sanitário no Brasil em decorrência da covid-19, pior do que qualquer coisa aqui já vista no que tange à saúde pública?"

    É mesmo? Você vive em uma bolha? Quando foi que a saúde pública no Brasil não esteve em colapso?

    Veja uma notícia de maio de 2019:

    "A rede de saúde pública do Rio vive uma situação crítica no atendimento de emergências. Dados enviados pela Secretaria Estadual de Saúde à DPU (Defensoria Pública da União) mostram que, em abril, 135 pessoas estavam na fila por uma vaga em UTI. A DPU estima que a falta de vagas cause seis mortes por dia."

    Isso saiu no UOL em 02/05/2019. Mas não tinha COVID, então tudo bem…

    Aliás, veja aqui um compilado de notícias. Veja as datas de cada uma delas. Aguardo sua explicação:

    twitter.com/b1ancap/status/1367445740604301318/photo/1

    "«VOCÊ QUE É CONTRA LOCKDOWN. Que solução vc propõe? Pq se vc se opõe à uma medida comprovadamente eficaz p reduzir mortes"

    Comprovadamente eficaz?!

    É, realmente, você vive na bolha. Não é possível.

    Não há simplesmente comprovação nenhuma de que lockdown funciona.

    A única maneira de tornar uma população imune é infectando-a, seja via vacinação ou via contágio dos imunes.

    Dado que vacinação demora, então o contágio dos jovens é a maneira mais rápida e efetiva.

    Uma vez contaminados, basta isolar os idosos (mais vulneráveis) deles.

    Não apenas não é necessário destruir a economia para fazer isso, como, ao contrário, lockdowns apenas pioram os contágios. Além de ferrar a economia (não há como ser saudável como economias destruídas), o fato de as pessoas estarem isoladas em casa, sem sol, sem vitamina D, apenas aumenta a debilidade do organismo.

    Quem defende lockdown é que é o verdadeiro genocida. Os próprios dados comprovam: quanto maior o lockdown, maiores os contágios e as mortes. Vide Reino Unido, Argentina, Espanha, França, Itália e os estados americanos governados por democratas (compare California e Nova York com Flórida, Geórgia e Dakota do Sul). No Brasil, o maior número de mortes per capita é em São Paulo, exatamente o estado mais fechado de todos.

    ourworldindata.org/explorers/coronavirus-data-explorer?zoomToSelection=true&time=40..418&pickerSort=desc&pickerMetric=new_deaths_per_million&Metric=Confirmed+cases&Interval=Cumulative&Relative+to+Population=true&Align+outbreaks=false&country=USA~GBR~CAN~DEU~SWE~FRA~ITA~ESP~NLD~PRT~BRA~COL~ARG~DNK~ISR~CHE

    Quanto maior e mais intenso o lockdown, maior o número de mortos (óbvio: não há imunidade de rebanho).

    ourworldindata.org/explorers/coronavirus-data-explorer?zoomToSelection=true&time=40..418&pickerSort=desc&pickerMetric=new_deaths_per_million&Metric=Confirmed+deaths&Interval=Cumulative&Relative+to+Population=true&Align+outbreaks=false&country=USA~GBR~CAN~DEU~SWE~FRA~ITA~ESP~NLD~PRT~BRA~COL~ARG~DNK~ISR~CHE

    O fato é que não há e nem nunca houve ciência nenhuma em lockdown. Ninguém nunca provou que essa merda funciona. Ninguém consegue apresentar um único estudo acadêmico, revisado por pares, multi-cêntrico, que tenha utilizado grupos de controle e que tenha feito estudos randomizados controlados (RCT) demonstrando irrefutavelmente que o lockdown é a maneira mais garantida de se combater uma epidemia.

    Ou seja, apenas imbecis completamente fanatizados continuam elogiando essa merda. E sem nenhum argumento.
  • Felipe  23/03/2021 19:32
    Vocês viram o comentário de um sujeito falando (no tuíte da Bianca) de que isso é desonestidade, pelos hospitais privados estarem (supostamente) lotados também?
  • Fabrício  23/03/2021 13:36
    Este gráfico mostra a média móvel da evolução do número de contágios per capita em três estados americanos: Flórida, Texas e Califórnia.

    Climas semelhantes. Densidade populacional também.

    Flórida e Texas estão totalmente abertos. Califórnia está fechada. Tente descobrir qual é qual.

    twitter.com/jeffreyatucker/status/1374054717609873411/photo/1

    Boa sorte em explicar que lockdowns funcionam.
  • rraphael  23/03/2021 16:37
    VOCÊ QUE É CONTRA LOCKDOWN. Que solução vc propõe?

    eu proponho que voce se esconda de baixo da cama enquanto eu sigo minha vida, que tal ?
    desde quando eu preciso de autorizaçao sua ou de qualquer outra pessoa pra sair de casa ?

    se voce se sente mais seguro fugindo do inevitavel fique a vontade de se enterrar numa cova que vai estar fazendo um favor pra todo mundo, é assim que funciona , né ?
    se ninguem ficar doente , ninguem vai perceber que sempre faltou leito e atendimento medico

    eu nao tomei vacina de sarampo, fui exposto a doença ainda bem pequeno , o sarampo na infancia é o melhor momento pra criar imunidade
    ja quando adulto, com mais idade, o sarampo é bem mais agressivo, por isso costuma se expor quando criança

    fico imaginando a sua cara de horror saber que os pais infectam os filhos conscientemente pra adquirir imunidade

    pergunta se voce encontra a imprensa explorando o fato que crianças que nao se sujam, viajam, tem contato com plantas , animais , ambientes , viram adultos doentes pois nao desenvolvem resistencia suficiente, que so alimentaçao nao resolve

    ja o isolamento se sabe desde a roma antiga que causa problema psicologicos, nos dias atuais quem lida com a educaçao infantil ja sabe que as crianças em geral (estimativas vao a 50%) apresentam ansiedade ou disturbios depressivos, posteriormente se torna um adulto inseguro e com dificuldade de se relacionar com outras pessoas, vao ter uma vida toda prejudicada e precisar de acompanhamento profissional

    nada disso é relevante e sempre é a mesma conversa de obedeça e fique quieto - os direitos individuais foram suspensos nao importa o dano que isso cause, a justificativa é que o controle é um fim em si mesmo
  • Ex-microempresario  23/03/2021 16:44
    Sujeito que defende uma idéia e faz questão de dizer "comprovadamente eficaz", "indiscutivelmente correta" ou coisa parecida, pode saber que vem bobagem.
  • Daniel  23/03/2021 19:30
    Os dados mostram que os lockdowns aniquilaram mais vidas do que salvaram

    nypost.com/2021/03/22/the-data-shows-lockdowns-end-more-lives-than-they-save

    E olha que se trata de um jornal que é considerado "grande mídia", hein?
  • Kaio  23/03/2021 09:12
    www.youtube.com/watch?v=sEV5jJHPBSk
  • Claudio Chapeiro  23/03/2021 12:24
    Estou adorando o lockdown ... Nunca tive dinheiro pra abrir meu restaurante pq o aluguel em sp eh muito caro agora que a demanda por delivery explodiu abri minha lojinha no ifood e parei de fazer serviço em restaurante xique
    show de bola voto em doria de novo 2022
  • Victor  23/03/2021 14:30
    Prezado chapeiro, que bom que seu negócio está andando, mas cuide das finanças pois assim que resolvida a crise sanitária uma muito severa crise econômica vai se instalar e atingir também o pessoal do home office com poder de compra pra delivery.
  • Claudio Chapeiro  24/03/2021 18:44
    kkk Vitor pode deixar valeu pelo toque vamo que vamo
  • weberth mustapha  23/03/2021 17:17
    Por quê diabos, as pessoas querem ser as salvadoras ? messias?
    O que mais li foi ''qual então sua solução para resolver a pandemia?''

    Desde quando um complexo problema desse vai ser resolvido por alguém?

    Não entenderam nada sobre libertarianismo ou ordem espontânea, que problemas complexos são resolvidos via descentralização , e que são diversas pessoas com diversas ideias competindo pela solução, que PODEM resolver problemas...

    A resposta sincera é NÃO. EU NÃO SEI RESOLVER essa pandemia. Não sei.
    Por isso mesmo , deixe as pessoas em paz, deixe que cada um decida como agir com sua vida, deixe que cada um decida se deve ou não trabalhar, se deve ou não sair de casa para beber uma cerveja com o amigo, se deve ou não caminhar no parque da cidade.

    A não ser que seu argumento seja "eu sei o que é melhor para todos'', então, deixe as pessoas livres.

    Mas e o vírus?

    - As pessoas não são burras, elas sabem decidir. Nosso erro é se achar mais inteligente que os outros. Mas não. Uma epidemia grave, as pessoas vão tomar medidas elas mesmas, informação é o que mais há, cada um toma as medidas necessárias. Alcool em gel, mascara, luva, parar de sair. Deixe que as pessoas decidam.

    E não, você não pode proibir pessoas de saírem de casa baseado no argumetno que ela PODE estar contaminada. O artigo mesmo expõe isso, o ar não é sua propriedade. Uma vez que você está em algum local com outras pessoas, você se expos ao perigo de ser contaminado com COVID, influenza, leshimaniose, rubeola, carai a quatro.

    Esqueceram que existem outras doenças além do covid?? Você vai proibir todo mundo de sair de casa então para evitar todas as doenças?

    Entramos numa espiral de loucura onde cada ação gera uma reação pior, que é combatida com outra ação pior ainda. Perdemos todos nossos direitos (de ir e vir, de trabalhar, de criticar), o que mais falta? Que outrass medidas insanas vamos aceitar ano que vem?
    Eu chuto perder propriedade privadas e expurgos.. Por que do jeito que estamos, não duvido de mais nada
  • William  24/03/2021 02:57
    Não venham, a partir deste artigo, defender o presidente da república que sim, vem agindo de forma muito irresponsável desde o início da pandemia. Ele joga pra galera quando defende o mercado, os empregos, etc. Vou colocar alguns pontos para que possamos refletir:

    1 - Bolsonaro e seu governo fez estoques imensos (com nosso dinheiro, óbvio) de um remédio cuja comprovação científica inexiste no que tange o tratamento da covid.

    2 - O governo federal recusou vacinas até o último segundo basicamente por questões ideológicas. Vacinas essas que se levadas a sério lá no início e meados de 2020, poderiam garantir um retorno efetivo das atividades econômicas.

    3 - Um governo que "pensa" e "se preocupa" tanto com a economia, não privatizou NENHUMA empresa e não fez nenhuma reforma. A da previdência passou desidratada pelo próprio Bolsonaro e a reforma tributária... bom, deixa pra lá.

    4 - Países com viés muito mais liberal fizeram lockdown e mesmo com o baque financeiro, estão, nesse momento, vacinando e retomando as atividades. Austrália é um exemplo enorme considerando o tamanho da população e as diferenças territoriais em relação ao Brasil.

    5 - Isolamento e distanciamento social são necessários mas os governadores e prefeitos incompetentes nos modos de operar esse distanciamento não conseguiram nenhum resultado produtivo, diferente do que ocorreu em diversos países.

    6 - Não houve nenhum movimento dos governos federal, estadual e municipal de colaborar com a classe produtiva brasileira. Comércio fecha mas os impostos continuam.

    7 - Liberal não defende abertura e liberdade individual em meio a uma pandemia. Nossa liberdade vai até onde começa o do outro e, como a vida deve ser preservada, não podemos colocar em risco a nossa e a de terceiros. Queremos nossos comércios funcionando, pessoas produzindo mas não dá pra agir de modo irresponsável.

    8 - Não fiquem se matando: Estamos nessa situação pela falta de educação do brasileiro e por causa daqueles que estão no controle da máquina pública. Todos incompetentes.
  • Daniel  24/03/2021 15:00
    Esse aí, coitado, tá perdidaço. Principalmente no item 7.

    Dica: se você é um borra-botas, que se caga de medo de um resfriado, você é livre para ficar trancadinho em casa, embaixo da cama.

    Agora, obrigar toda a humanidade a fazer o mesmo, inclusive correndo o risco de morrer de inanição em decorrência disso, apenas mostra o seu caráter totalitário. Você certamente pertence a uma elite que vive em uma bolha, e que acha que toda a humanidade pode se dar ao luxo de ficar um ano em casa, vendo Netflix e pedindo iFood.
  • Analista de Risco  24/03/2021 22:04
    Vamos lá, William:


    1 - Bolsonaro e seu governo fez estoques imensos (com nosso dinheiro, óbvio) de um remédio cuja comprovação científica inexiste no que tange o tratamento da covid.

    Se se refere à hidroxicloroquina, pasme!, existem mais de 200 estudos mostrando eficácia do tratamento precoce.
    Fique a vontade para refutá-los.

    Se você está criticando o uso de dinheiro de público, é até justificável. Agora, reclamar de um remédio, que pode ou não ajudar, e que só toma quem quiser (como qualquer outra droga) é birra ideológica.


    2 - O governo federal recusou vacinas até o último segundo basicamente por questões ideológicas. Vacinas essas que se levadas a sério lá no início e meados de 2020, poderiam garantir um retorno efetivo das atividades econômicas.

    No início de 2020 sequer havia sido decretada a pandemia. Em meados, sequer haviam vacinas. Como elas "poderiam ser levadas a sério" se nem existiam à época??
    No mais, favor indicar quando o governo federal recusou vacinas.


    3 - Um governo que "pensa" e "se preocupa" tanto com a economia, não privatizou NENHUMA empresa e não fez nenhuma reforma. A da previdência passou desidratada pelo próprio Bolsonaro e a reforma tributária... bom, deixa pra lá.

    Agora você foi contraditório. No início você reclama que Bolsonaro defende mercado, atua de forma irresponsável (ou seja, não decreta lockdown) e agora reclama que as reformas liberais não foram satisfatórias.
    Bom, decida-se. Não dá pra ter os dois.
    Dito isso, nesse ponto você tem razão (e inclusive há diversas críticas sobre isso aqui no IMB).


    4 - Países com viés muito mais liberal fizeram lockdown e mesmo com o baque financeiro, estão, nesse momento, vacinando e retomando as atividades. Austrália é um exemplo enorme considerando o tamanho da população e as diferenças territoriais em relação ao Brasil.

    E há países mais intervencionistas que o Brasil não fizeram. Qual o seu ponto?


    5 - Isolamento e distanciamento social são necessários mas os governadores e prefeitos incompetentes nos modos de operar esse distanciamento não conseguiram nenhum resultado produtivo, diferente do que ocorreu em diversos países.

    Por que são necessários? E mesmo que fossem eficazes, o que te dá o direito de mandar nas outras pessoas??
    Mais uma bela contradição: [...] são necessários / [...] nenhum resultado produtivo


    6 - Não houve nenhum movimento dos governos federal, estadual e municipal de colaborar com a classe produtiva brasileira. Comércio fecha mas os impostos continuam.

    Perfeito. Nada a acrescentar.
    Governos só servem para atrapalhar a classe produtiva.
    Está começando a entender.


    7 - Liberal não defende abertura e liberdade individual em meio a uma pandemia. Nossa liberdade vai até onde começa o do outro e, como a vida deve ser preservada, não podemos colocar em risco a nossa e a de terceiros. Queremos nossos comércios funcionando, pessoas produzindo mas não dá pra agir de modo irresponsável.

    Favor explicar como sair de casa e trabalhar afeta a liberdade alheia.
    Não existe "direito de não ficar doente" ou "direito de não morrer naturalmente".
    Em todo caso, nada obriga você a sair e se arriscar.
    E sim, eu tenho todo o direito de colocar a minha vida em risco.


    8 - Não fiquem se matando: Estamos nessa situação pela falta de educação do brasileiro e por causa daqueles que estão no controle da máquina pública. Todos incompetentes.

    O que seria "falta de educação do brasileiro"??
    Para mim, é só uma expressão vazia.
  • Anonimo  25/03/2021 03:04
    Os estudos (incluindo *meta analise*) estao disponiveis em:

    c19study.com

    e

    hcqmeta.com

    Na meta mostra que os EUA tiveram o maior numero de estudos indicando fraude/bias devido à FDA/Trump..
  • Breno  24/03/2021 10:26
    Bom dia, pessoal. Alguém sabe me dizer como está a situação do Brasil em comparação com outros países?
  • anônimo  24/03/2021 15:30
    Á economia do Brasil está mais estável que á dos outros países, já que aqui os lockdowns não estão acontecendo em niveis nacionais, mas o BC e sua política cambial keynesiana está destruindo o poder de compra da população.
  • Felipe  24/03/2021 19:42
    É difícil saber os estragos... lembre-se que gastos governamentais aditivam o PIB, e no ano passado o governo federal torrou até não poder mais.

    Com relação aos lockdowns, lembre-se que o "jeitinho" está ainda vivo.
  • Fabrício  24/03/2021 15:31
    Em termos de mortes per capita, estamos bem melhores que praticamente todos os países da Europa, EUA, México, Peru e empatados tecnicamente com Colômbia.

    ourworldindata.org/explorers/coronavirus-data-explorer?zoomToSelection=true&time=40..418&pickerSort=desc&pickerMetric=new_deaths_per_million&Metric=Confirmed+deaths&Interval=Cumulative&Relative+to+Population=true&Align+outbreaks=false&country=USA~GBR~DEU~SWE~FRA~ITA~ESP~PRT~BRA~COL~CHE~BEL~SVN~SVK~PER~CZE~MEX

    Curiosamente, nenhum político destes países é chamado de "genocida".
  • anônimo  24/03/2021 17:14
    Se não fosse o Dória e seus lockdowns, com certeza as mortes per capita seriam ainda menores. Não é atoa que São paulo é o epicentro do país.

    Pelo jeito á tese que circula por aqui parece ser verdadeira, já que quanto mais uma pessoa fica em casa, menos exercícios ela irá fazer e menos vitaminas irá obter (Principalmente á vitamina D), eu mesmo, sou alguém que fica á maior parte do tempo em casa, e como minha imunidade é fraca, sou obrigado á tomar vitaminas, porque se não até mesmo os habituais resfriados não saem de mim.
  • Jeferson Vasquez  25/03/2021 06:36
    Traduzindo, vai pra rua tomar sol!
  • Lauro Müller Deluque Moraes  24/03/2021 16:04
    Pessoal se o lockdown não funciona, não deveria ser obrigação da OMS e de Thedros Adhanon fazer uma coletiva ao vivo transmitida pelo mundo, para se parar com essas medidas? O que eles ganham continuando com isso? Não entendo.
  • Fabrício  24/03/2021 19:54
    Ué, mas a OMS, que não é boba, já passou a condenar os lockdowns:

    Coronavirus: WHO backflips on virus stance by condemning lockdowns

    Como você só vê Globo e Folha de S. Paulo, tá perdido e ainda tá achando que "segue a ciência".
  • Analista de Risco  24/03/2021 21:25
    Pouco importa o que a OMS diz ou deixa de dizer.

    Já ficou bem claro que ela não passa de uma organização política, com sua própria agenda.
    Ela não está pensando no bem-estar da humanidade.
  • Revoltado  25/03/2021 18:40
    Os conhecidos que tenho que são defensores de lockdown e afins também estão atrasados demasiadamente. Nenhum deles tem percebido que a meretriz preferida da China largou mão de fazer apologia à tal insanidade há tempos e continuam com o discurso dela de meados de 2020...
  • rraphael  24/03/2021 20:10
    Servidores públicos não aderem ao lockdown voluntário em Criciúma

    revistaoeste.com/brasil/servidores-publicos-nao-aderem-ao-lockdown-voluntario-em-criciuma/

    Nenhum funcionário público de Criciúma, cidade no sul de Santa Catarina, aderiu ao decreto do prefeito Clésio Salvaro (PSDB) que propôs um [i]lockdown sem remuneração[i]. A medida foi anunciada na quarta-feira 17, conforme reportado em Oeste, mas não teve adesão do funcionalismo. "Estou assinando o decreto de lockdown na prefeitura de Criciúma — lembrando só um detalhe: lockdown sem remuneração", explicara, na ocasião. "Não quer vir trabalhar? Não tem problema. Quer se cuidar? Ótimo! Pode ficar em casa, mas não receberá salário", afirmara. Declaradamente contrário às medidas de isolamento radical em todo o município, Salvaro gravou vídeo em tom de desabafo e disse que "não há necessidade de parar a economia, nós precisamos continuar trabalhando".


    kk lockdown no dos outros é refresco
  • Joao Paulo  25/03/2021 01:24
    Achei interessante a medida. Contudo, estou contando os dias até o STF, sei lá, declarar a inconstitucionalidade da medida.
  • Revoltado  25/03/2021 18:33
    Como escrevi antes, defender confinamento e paralisia quase total da economia dentro de casa com geladeira cheia, conta bancária com seis/sete dígitos, comendo via delivery e matando o tempo ocioso permanente com streaming é fácil em demasia!

    Como não puderam ter "férias domésticas", deverão resignar-se a produzir alguma coisa dentro da prefeitura de Criciúma.

    Bem feito! Pois as contas e o estômago não tiram recesso.
  • Kaio  24/03/2021 22:45
    Viram que coisa linda? Tudo indica que só uns 25% dos mortos reportados são DE FATO devido ao vírus chinês.

  • Mateus  25/03/2021 01:31
    Foi só hoje que eu descobri (aliás, acho que todo o país) que mortos estão sendo contabilizados sem nem sequer divulgarem CPF.

    Tem muito caroço nesse angu. Sério, isso é um escândalo. Imagina o tanto que os números não foram inflacionados…
  • Cristiano  25/03/2021 01:37
    Se nem o CPF era obrigatório, imagina se os dados médicos eram? No Brasil precisa dar CPF até em padaria e estavam fazendo ficha de mortes sem CPF?

    Mas deve ser só coincidência que o estado mais afetado por mortes seja o que mais está usando isto de forma política…
  • Gabriel Santos  25/03/2021 02:01
    E o mais bizarro é que o megalomaníaco que governa o estado realmente se acha um grande estadista, quase um Winston Churchill tupiniquim. São Paulo é disparado o pior estado no país (se os números forem verdadeiros) e temos que aguentar a empáfia desse sujeito.

    Uma pena que ninguém irá investigar essa "coincidência". Mídia e justiça estão nas mãos da quadrilha que manda há 30 anos em São Paulo.
  • Revoltado  25/03/2021 18:43
    Se eu tivesse que arriscar um palpite quanto ao real número de mortos, chutaria que, se tanto, são 200 mil Brasil afora...

    Ninguém mais morre de nenhuma outra enfermidade, seja infarto ou porque um avião lhe caiu em cima da cabeça, ao longo do país.

    Já li sobre caso de gente morrer por queda de árvore e ser contabilizada na COVID-19, vejam vocês...
  • Felipe  25/03/2021 03:38
    Pelo jeito o Ministério da Saúde recuou com a exigência... bastante esquisito.

    Exigir CPF no Brasil é coisa tão rotineira que seria estranho se eles não tivessem fazendo isso para contabilizar as mortes.

    Isso sim merece uma auditoria cidadã.
  • Roberto R  25/03/2021 10:00
    Concordo com a medida do CPF, parece justo. So acho que realmente o numero de internados em hospitais PARECE estar realmente bem acima do normal (digo isso pelo relato direto de pessoas quem conheco, nao pela midia)
  • Souza  25/03/2021 02:55
    Pra mim, nenhuma surpresa. Qualquer pessoa esperta desconfia de números de mortes tão inflados como esses. Eu mesmo sempre desconfiei, e agora, aos poucos, a sujeira por trás de tudo isso vai sendo revelada. Só não vê quem não quer.
  • Estudante  24/03/2021 23:15
    O lockdown funcionou em Araquaquara, seria o único caso de sucesso de lockdown? Ficou 1 mes fechado e resolveu caiu bastante tudo
  • Augusto  25/03/2021 01:11
    Tá bem informado, hein, campeão?

    Em Araraquara, após um mês do mais radical lockdown do país, número de internados subiu 37%.

    Covid-19: depois de um mês de lockdown, aumenta o número de pacientes internados em leitos de UTI em Araraquara

    Mortes diárias crescem após a implantação da medida
  • Souza  25/03/2021 02:42
    Sucesso? Kkkkk. Vc assiste grande mídia e acha que tá bem informado. Fala sério.
  • anônimo  25/03/2021 18:01
    Os únicos locais que o lockdown funcionou foi Nova Zelândia, Austrália e algumas ilhas. Mas não foi o lockdown que funcionou, e sim a QUARENTENA.

    Por isso lockdown não funcionou em lugar nenhum do mundo, e defendê-lo é uma falácia da exceção.
  • Satierf  25/03/2021 03:22
    E o mais engraçado de tudo é que o vírus deu uma trégua justamente no período das eleições, depois que passou as eleições ele voltou com tudo de novo.
  • Pérsio   25/03/2021 13:43
    Entra lockdown, sai lockdown. Mesmo assim, o número de casos de coronavirus não para de subir. É preciso ser gênio para conseguir entender que NÃO É culpa do comércio? Lockdown só adiantaria bem no começo desta pandemia.
  • Lauro M%C3%83%C2%BCller Deluque Moraes  25/03/2021 15:50
    Engraçado, os governadores impõem o Lockdown para a população, tipo se vc for dono de restaurante eles dizem:" seguinte vamos fechar tudo e vocês se viram com as despesas", sem oferecer nenhum resguardo, mas querem que o governo federal pague os auxílios, ma eles mesmos não se propõe a pagar. Você não vê governador ou prefeito sendo obrigado a pagar auxílio.
  • Souza  25/03/2021 16:00
    Na reportagem o autor ainda fala que a onda de contágios aumentou por culpa do "afrouxamento" do isolamento social. Mais uma vez esse pessoal tenta subestimar nossa inteligência, tsc tsc.
  • anônimo  25/03/2021 16:44
    Eu acho engraçado á mídia brasileira, em vez dos jornalistas simplesmente confessarem de vez que são parciais, eles preferem ficarem se auto declarando "Imparciais", ao mesmo tempo que adoram ficar distorcendo notícias e dando pitaco.

    Eu penso que isso deve ser algum tipo de estratégia manipulativa, como eles não declararam estar do lado de alguém, eles acabam podendo assumir o bastião da verdade absoluta, logo, eles podem dizer que todas as críticas deles são verídicas e aceitáveis, já que segundo eles, são "Imparciais".

    Porém eles estão cada vez abusando mais, atualmente todas as notícias que leio sempre tem tons de parcialidade, se á notícia é sobre algo que agrada os progressistas, geralmente o foco acaba sendo mostra os lados bons daquilo. Já se o artigo não condiz com á opinião geral progressista, geralmente os textos tentam ao máximo possível zombar e críticar.

    Por exemplo, li um certo artigo que mostra a recepção de um determinado filme que aborda as questões sociais, o artigo em questão tratou de mostrar apenas as opiniões positivas em torno do filme, e não mostrou nenhuma crítica.

    Logo depois eu li um outro artigo, dessa vez era sobre o Bolsonaro, mal comecei e já li coisas como "Acuado pelas críticas de ter gerenciado erroneamente o combate á pandemia, e por ter recomendado remédios comprovadamente ineficaveis...", depois de ler isso, parei, e logo comecei á pensar: por que eles não dizem á mesma coisa sobre o lockdown? Eu nunca vi artigo algum da mídia falando que os lockdowns não possuem comprovação científica, mas mesmo assim, eles tratam de falar que tudo que o Bolsonaro diz e defende não tem comprovação, é realmente fascinante tamanha parcialidade...
  • Souza  25/03/2021 18:17
    É o velho jogo sujo do establishment, que agora tá mais em evidência do que nunca. Eles tentam, mas não conseguem esconder de qual lado estão. Uma canalhice sem tamanho.
  • Revoltado  25/03/2021 18:19
    Eu acho engraçado á mídia brasileira, em vez dos jornalistas simplesmente confessarem de vez que são parciais, eles preferem ficarem se auto declarando "Imparciais", ao mesmo tempo que adoram ficar distorcendo notícias e dando pitaco.

    Eu penso que isso deve ser algum tipo de estratégia manipulativa, como eles não declararam estar do lado de alguém, eles acabam podendo assumir o bastião da verdade absoluta, logo, eles podem dizer que todas as críticas deles são verídicas e aceitáveis, já que segundo eles, são "Imparciais".

    Porém eles estão cada vez abusando mais, atualmente todas as notícias que leio sempre tem tons de parcialidade, se á notícia é sobre algo que agrada os progressistas, geralmente o foco acaba sendo mostra os lados bons daquilo. Já se o artigo não condiz com á opinião geral progressista, geralmente os textos tentam ao máximo possível zombar e críticar.

    ====Anônimo, 90% dessa classe atua assim por tara ideológica simples. Considerando que o antídoto contra críticas absurdas não lhes tem sido ministrado desde 2019, em especial à maior emissora de TV, um mero espirro do presidente basta para que este seja enxovalhado de críticas.

    Logo depois eu li um outro artigo, dessa vez era sobre o Bolsonaro, mal comecei e já li coisas como "Acuado pelas críticas de ter gerenciado erroneamente o combate á pandemia, e por ter recomendado remédios comprovadamente ineficaveis...", depois de ler isso, parei, e logo comecei á pensar: por que eles não dizem á mesma coisa sobre o lockdown? Eu nunca vi artigo algum da mídia falando que os lockdowns não possuem comprovação científica, mas mesmo assim, eles tratam de falar que tudo que o Bolsonaro diz e defende não tem comprovação, é realmente fascinante tamanha parcialidade...

    ====Por que a graninha na conta bancária está garantida, meu caro! Uma vez que acessem ao vil metal via aplicativos de bancos pelo I-Phone, podendo forrar o buchinho por meio do I-fode e entreter-se com Merdaflix, evitando assim o tédio, não tendo de fato que sair de casa, por quê pensar nos outros nessa hora? Sem contar que em geral, políticos que defendem confinamento destruidor de economia e vidas são canhotos, iguais aos periodistas em questão. Se conseguires imaginar quão orgasmante foi à essa corja a última votação do STF, te sentirás como no set do filme pornô mais hardcore e depravado que tua mente possa conceber!
    Defender lockdown com a geladeira abarrotada, cartão de crédito gordo e entretenimento com as nádegas enfiadas no sofá é fácil.
  • Lauro M%C3%83%C2%BCller Deluque Moraes  27/03/2021 14:24
    Se hoje ou amanhã o STF depuser Bolsonaro/Mourão é fim de papo, a revolução socialista estará completa. Eles iriam criar um "comitê" gestor para "solucionar" o problema, imagine o poder total dado a esses governadores!. E a maioria da população aceitaria numa boa, isso é o que mais me impressiona... Passividade quase completa.
  • Souza  29/03/2021 13:20
    Atualmente o povo já aplaude essas medidas animalescas, e aceita passivamente tudo isso que esses políticos fazem. Imagina então nesse cenário hipotético que vc citou (e que pelo que vi, não tá longe de ser tão hipotético assim, parece que já tão querendo criar um comitê pra isso). Aí é que a gente tá perdido mesmo.
  • Satierf  02/04/2021 23:40
    Vejam o Diário Ofiial do Estado de São Paulo do dia 21/03/2020 pág. 5. Imagina se não estão fazendo a mesma coisa nos ourtros estados e no mundo.
  • Emerson Luis  09/04/2021 12:38

    O site do Diário Oficial tem uma busca confusa, não encontrei nada. O que exatamente estão fazendo?

    * * *
  • Emerson Luis  03/04/2021 17:03

    "Liberdade significa realmente a liberdade de cometer erros."

    Mises

    * * *


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.