clube   |   doar   |   idiomas
É fácil entender por que os jovens dos países mais ricos tendem a defender mais socialismo
Essa é a consequência de se viver na abundância

Há um fenômeno ocorrendo em comum nos países mais ricos e prósperos do mundo: os jovens afirmam ter sentimentos positivos em relação ao socialismo.

Em uma pesquisa de 2017, 51% dos millennials se identificavam como socialistas, com adicionais 7% dizendo que o comunismo era seu sistema favorito. Apenas 42% preferiam o capitalismo.

Em alguns casos, a defesa do socialismo ocorre abertamente, como nos EUA, onde os jovens que apóiam o Partido Democrata — principalmente Bernie Sanders e Alexandria Ocasio-Cortez — abertamente se auto-rotulam como socialistas. Em outros, a defesa é menos explícita, como nos recentes protestos do Chile

Em comum, vemos jovens de países prósperos, que vivem em meio a uma abundância nunca antes alcançada na história do mundo, exigindo mais poder estatal, mais intervenções e estatizações, e menos liberdade de mercado — o mesmo mercado que lhes forneceu toda esta abundância.

O que explica essa contradição?

É tentador dizer que todo o problema se resume a uma completa ignorância tanto sobre economia básica quanto sobre história. De um lado, tais pessoas não entendem como funciona uma economia de mercado (embora vivam em uma); de outro, aparentam desconhecer por completo o histórico do socialismo.

De concreto, há uma total falta de apreço por quão rapidamente suas condições materiais melhoraram.

A armadilha nutricional

Em um passado não tão distante, as pessoas não "trabalhavam duro", no sentido de longas e cansativas horas de trabalho. De certa forma, elas trabalhavam menos do que nós atualmente. E era assim não pelos motivos que os socialistas de hoje imaginam.

Não havia aquele cenário cor-de-rosa de "camponeses felizes trabalhando poucas horas por dia nos campos, e então passando o resto do dia no ócio e no lazer". Todos eles eram raquíticos, muito mal alimentados e simplesmente não tinham energia para trabalhar duro. Longe de levarem uma vida idílica, ver seus filhos sofrerem de desnutrição e estar fraco demais para ajudá-los deve ter sido uma experiência tenebrosa.

Em seu livro A Grande Saída, o vencedor do Nobel Angus Deaton explica a "armadilha nutricional" que a população da Grã-Bretanha vivenciou:

A população da Grã-Bretanha, no século XVIII e início do século XIX, consumia menos calorias que o necessário para as crianças crescerem ao seu máximo potencial e para os adultos manterem seus organismos em níveis saudáveis de funcionamento, o que lhes impedia de efetuarem trabalho manual produtivo e remunerativo.

As pessoas eram muito magras e muito pequenas, talvez tão pequenas quanto nos períodos de tempo anteriores.

Deaton explica como a escassez de nutrição afetou o organismo da população. Os trabalhadores dos séculos anteriores não eram robustos; um físico atrofiado era o que oferecia a melhor esperança de sobrevivência:

Ao longo da história, as pessoas se adaptaram a uma escassez de calorias da seguinte maneira: elas não cresciam e não ficavam altas. A atrofia corporal não apenas é uma consequência de não ter muito o que comer, especialmente na infância, como também corpos menores requerem menos calorias para seu sustento básico, e eles possibilitam trabalhar com menos comida do que seria necessário para uma pessoa mais fisicamente avantajada.

Um trabalhador de 1,85m e com 90kg teria as mesmas chances de sobreviver no século XVIII quanto um homem na lua sem uma roupa espacial.

Na média, simplesmente não havia comida o bastante para alimentar uma população de indivíduos com as dimensões físicas de hoje.

O britânico médio do século XVIII ingeria menos calorias do que o indivíduo médio que vive hoje na África subsaariana. Como eles não tinham o que comer, estes pobres britânicos trabalhavam pouco. Deaton prossegue:

Os pequenos trabalhadores do século XVIII estavam efetivamente aprisionados em uma armadilha nutricional: eles não tinham como ser bem remunerados porque eram fisicamente fracos, e não tinham como comer porque, sem trabalhar e produzir, não tinham o dinheiro para comprar comida.

Johan Norberg, em seu livro Progresso, relata as descobertas do historiador econômico e vencedor do Nobel Robert Fogel:

Duzentos anos atrás, aproximadamente 20% dos habitantes da Inglaterra e da França simplesmente não conseguiam trabalhar. Na melhor das situações, eles tinham energia suficiente para apenas algumas horas de caminhada lenta por dia, o que condenava a maioria deles a uma vida de mendicância.

E então, tudo começou a mudar. Deaton explica:

Com o início da revolução agrícola, a armadilha começou a se desintegrar. A renda per capita começou a crescer e, talvez pela primeira vez na história, passou a existir a possibilidade de uma melhora contínua na nutrição.

Uma melhor nutrição permitiu às pessoas crescerem mais fortes e mais altas, o que, por sua vez, possibilitou aumentos na produtividade, criando uma sinergia positiva entre aumentos na renda e melhorias na saúde, com um se apoiando no outro.

A partir do momento em que o capitalismo realmente se consolidou, as condições de vida não apenas melhoraram sensivelmente, como todo o progresso ocorreu de maneira acelerada.

E isso, paradoxalmente, começou a gerar as sementes de sua própria destruição.

A ignorância da história

Ao fim de minha carreira de professor, estudantes universitários totalmente ignorantes sobre história já eram um fenômeno extremamente comum. Eles desconheciam totalmente a pobreza abjeta na qual viveu a vasta maioria da humanidade durante milênios. Eles simplesmente não acreditavam que o passado pudesse ter sido tão brutal, como foi vivamente descrito por Matt Ridley em seu livro O Otimista Racional.

Pior ainda, quando expostos a evidências concretas, alguns estudantes se recusam a questionar suas posições.

Sobre isso, quem melhor explicou o fenômeno foi a sempre interessante crítica cultural Camille Paglia. Em uma entrevista ao The Wall Street Journal, ela afirmou que a atual juventude dos países mais ricos enxerga suas atuais liberdades de escolha (inéditas na história da humanidade) e a atual riqueza de bens de consumo à disposição (algo também inédito na história da humanidade) como um fato consumado, como algo que sempre foi assim e que jamais irá mudar. Consequentemente, eles estão desesperadoramente necessitados de um contexto mais rico e profundo para a própria era que eles estão denunciando.

Diz ela:

Tudo é muito fácil hoje em dia. Todos os supermercados, lojas e shoppings estão sempre plenamente abastecidos. Você pode simplesmente ir a qualquer lugar e comprar frutas e vegetais oriundos de qualquer lugar do mundo.

Jovens e universitários, que nunca estudaram nem economia e nem história, acreditam que a vida sempre foi fácil assim. Como eles nunca foram expostos à realidade da história, eles não têm idéia de que essa atual realidade de fartura é uma conquista muito recente, a qual foi possibilitada por um sistema econômico muito específico.

Foi o capitalismo quem produziu esta abundância ao redor de nós. Porém, os jovens parecem acreditar que o ideal é ter o governo gerenciando e ofertando tudo, e que as empresas privadas que estão fornecendo essas coisas em busca de lucro, fornecendo produtos e serviços para eles, irão de alguma forma existir para sempre, não importam as políticas adotadas.

Em outras palavras, indivíduos ignorantes sobre história e economia acreditam que a abundância atual sempre existiu e sempre foi assim.

Daí é compreensível que eles se sintam atraídos pela idéia de um socialismo idílico: eles genuinamente acreditam que, sob o socialismo, toda esta abundância será mantida, mas agora simplesmente será gratuita para todos. Haverá MacBooks, smartphones, roupas de grife, comida farta e serviços de saúde amplamente disponíveis a todos, e gratuitamente. Como resistir?

Acreditando que poderão seguir usufruindo toda esta fartura, eles sonham que irão conseguir ainda mais coisas caso haja um governo redistribuindo para eles a riqueza confiscada de terceiros.

Paglia argumenta que a atual geração se esqueceu até mesmo do passado mais recente.

Nossos pais foram da geração da Segunda Guerra Mundial. Eles tinham uma noção da realidade da vida. Já a juventude de hoje foi criada em um período muito mais afluente. Mesmo as pessoas pobres de hoje têm telefones celulares, televisores, meios de transporte e amplo acesso a alimentos diversificados.

Similarmente, Schumpeter também se preocupava com a hipótese de que as pessoas vivendo sob a opulência passariam a ver sua situação como um fato consumado, e assim preparariam o terreno para sua própria destruição.

Em seu livro Capitalismo, socialismo e democracia, ele prognosticou que as sociedades capitalistas seriam destruídas pelo seu próprio sucesso. Para Schumpeter, o capitalismo "inevitavelmente" se transforma em socialismo.

Seu argumento, de maneira resumida, é o seguinte: uma economia de mercado, com indivíduos fortemente empreendedores, gera um grande crescimento econômico e aumenta acentuadamente o padrão de vida das pessoas. Ironicamente, no entanto, a sociedade se torna tão próspera e tão inovadora, que passa a ignorar a fonte de toda a sua riqueza, dando-a como natural, corriqueira e automática. Pior ainda: torna-se abertamente hostil a ela.

O empreendedorismo e o mercado enriquecem tanto a sociedade, que as pessoas se esquecem do quão necessária e do quão frágil a economia de mercado realmente é. Elas até mesmo começam a acreditar que os mercados — e a ordem social e cultural que mantém os mercados funcionando — são inferiores à burocracia estatal e ao planejamento centralizado. 

Com o tempo, a sociedade acaba abraçando idéias socialistas.

Nas palavras de Schumpeter:

Os padrões crescentes de vida e, sobretudo, o lazer que o capitalismo moderno põe à disposição das pessoas que têm emprego e renda. . . bem, não há necessidade de terminar esta sentença e nem de elaborar aquele que é um dos argumentos mais verdadeiros, antigos e enfadonhos. O progresso secular, o qual é visto como algo natural e automático, em conjunto com a insegurança individual, que alimenta a inveja, é naturalmente a melhor receita para alimentar a inquietação social.

Entretanto, todo esse processo de transformação requer mais do que apenas a acumulação de riqueza: alguém tem de ativamente insuflar hostilidade às instituições da economia de mercado. Esse papel é desempenhado pelas classes intelectuais, que frequentemente abrigam um profundo ressentimento em relação às instituições empreendedoriais.

Os intelectuais incitam descontentamento entre um crescente número de pessoas cuja riqueza, em última instância, depende da produtividade do empreendedorismo, mas que, na prática, vivem majoritariamente fora da concorrência do mercado. Pessoas mais jovens são particularmente mais vulneráveis a esse preconceito anti-mercado, o qual é normalmente instilado por meio de escolas e faculdades. 

Segundo Schumpeter, portanto, o capitalismo poderia se destruir a si próprio ao criar:

a) uma classe de intelectuais que vituperam o progresso material e o individualismo e exaltam um eventual arranjo que seria baseado no "bem comum" (o qual seria, obviamente, definido e organizado pelos intelectuais), e

b) pessoas que aceitam como fato consumado aquelas prateleiras de lojas e supermercados repletos da produtos de ampla variedade (como bem disse Paglia).

Falando mais coloquialmente, nós nos tornamos gordos e preguiçosos, e passamos a ficar obcecados com a distribuição de riqueza, e não com os pilares sobre os quais sua criação é possibilitada.

E é a partir daí que as tragédias começam a ocorrer. No caso do socialismo, elas tomam a forma de homicídios em massa.

Conclusão

No final, não importa se o tipo de socialismo defendido é idílico e bem-intencionado. Aquelas pessoas, normalmente adolescentes ricos, artistas e intelectuais acadêmicos, que professam idéias socialistas aparentemente não se lembram de como realmente era o mundo quando o socialismo era realmente aplicado. É fácil defender idéias socialistas quando se vive em um mundo opulento em que a comida é farta e barata. É fácil defender o regime venezuelano morando-se em um país rico.

O fato é que, onde quer que tenha sido tentado, desde a União Soviética em 1917 até a Venezuela atual, o socialismo foi um desastre, não importa quais eram as intenções originais. Socialistas sempre prometeram uma utopia marcada por igualdade e abundância. Em vez disso, sempre entregaram tirania e inanição. Seus propagandistas sempre devem ser sempre e incansavelmente cobrados por isso.

Como disse Thomas Sowell, "O histórico de desastres do socialismo é tão óbvio, que somente intelectuais poderiam ignorá-lo".



autor

Nicholas Crovitz
é analista de investimentos e leciona economia em uma faculdade privada.

  • Fabrício  05/11/2019 18:55
    "Daí é compreensível que eles se sintam atraídos pela idéia de um socialismo idílico: eles genuinamente acreditam que, sob o socialismo, toda esta abundância será mantida, mas agora simplesmente será gratuita para todos. Haverá MacBooks, smartphones, roupas de grife, comida farta e serviços de saúde amplamente disponíveis a todos, e gratuitamente. Como resistir?"

    Um tempo atrás, eu achava que isso era exagero. Até que vi essa frase postada no Twitter da Cynara Menezes, a tal "Socialista Morena":

    O que acham que é o socialismo: "ninguém pode ter iphone". o que é o socialismo: "TODOS podem ter iphone"

    twitter.com/cynaramenezes/status/304765030996529152

    E se vocês olharem os comentários de aprovação verão que essa gente realmente pensa exatamente assim. Para eles, socialismo é ter toda a abundância do capitalismo, só que agora com tudo de graça.

    Estejam preparados.
  • Humberto  05/11/2019 19:05
    Haha, na boa, se você tem medo desse tipo de gente totalmente imbecil e com QI 40, então você nem deveria sair da cama.

    Há muito tempo em venho dizendo para os mais próximos que essa atual esquerda é o sonho de qualquer direita: ela não tem intelecto, não sabe absolutamente nada sobre nada, é incapaz de fazer qualquer debate sem recair no coitadismo e no vitimismo, e, acima de tudo, tem pavor de armas.

    Como fazer uma revolta armada se você não sabe operar nem sequer um estilingue?

    Essa esquerda atual você aniquila com um espirro.


    A esquerda de antigamente, a chamada esquerda-raiz, realmente metia medo: os caras eram fisicamente robustos (barbudões), manuseavam armas, defendiam a tomada dos meios de produção com o subsequente assassinato dos burgueses, e eram abertamente racistas e machistas (gays e lésbicas não tinha vez).

    Já hoje, qual é a esquerda de hoje? Um bando de afeminados e de lésbicas que desmaiam se você acender um cigarro, e cuja arma mais letal que conhecem é alguma frase progressista e lacradora. Nunca nem sequer seguraram uma faca (Adélio Bispo é claramente um membro da esquerda mais antiga).

    Relaxe, meu caro. Com essa esquerda aí, o maior risco que você corre é ouvir um verso de Chico Buarque ou receber um texto de Gregório Duvivier.
  • Carlos Alberto  05/11/2019 19:15
    Melhor comentário. Até aquele tal Boulos, que até tenta manter uma aparência mais raiz, é só mais um progressistinha lacrador, que desmaia se você contar uma piada de gays. Veja o twitter dele: é só lacração.

    Um cara desse no movimento sindical da década de 50, que era formado por comunistas raiz, teria sido imediatamente fuzilado por apologia às virtudes burguesas (defender causas progressistas sempre foi visto como uma afetação burguesa pelos genuínos comunistas).

    E ainda tem nêgo com medo dele invadir imóveis. Meu filho, se ele entrar numa casa, basta você tocar Wagner que ele sai correndo em desabalada carreira. E ainda pede desculpas por tudo.
  • Revoltado  06/11/2019 20:47
    Um cara desse no movimento sindical da década de 50, que era formado por comunistas raiz, teria sido imediatamente fuzilado por apologia às virtudes burguesas (defender causas progressistas sempre foi visto como uma afetação burguesa pelos genuínos comunistas).

    ==== Carlos Alberto, até no máximo a década de 90, a mera conduta homossexual era tida como um "vício burguês" pelos mesmos esquerdistas, muito bem ao contrário dos dias atuais, em que declarar sua atração/amor por alguém do mesmo sexo tornou-se uma bem-aventurança, ao menos dentro da perspectiva utilitarista vermelha.
    Tive no passado um amigo gay que se dizia marxista e até mesmo via com bons olhos o ocorrido em 11/09/2001. Pena ele ignorar que, historicamente, aonde marxistas mandavam, gente com ele não tinha lá muita liberdade, tal como devia à época ele imaginar.
  • Kaio  07/11/2019 05:59
    É como diz o velho ditado "Homens fortes criam tempos fáceis, tempos fáceis geram homens fracos, más homens fracos criam tempos difíceis e tempos difíceis geram homens fortes".
  • Rogério Fraga  17/11/2019 05:43
    Boa, não conhecia essa frase!
  • Richard Hugh  05/11/2019 19:45
    "Já hoje, qual é a esquerda de hoje? Um bando de afeminados e de lésbicas que desmaiam se você acender um cigarro, e cuja arma mais letal que conhecem é alguma frase progressista e lacradora. "


    Hahahaha, muito bom!
  • HELLITON SOARES MESQUITA  05/11/2019 20:18
    Eu não confio não. Os Venezuelanos tinham as mesmas boiolagens e tenta se revoltar contra eles? Eles usam armas e não tem piedade nenhuma pra matar. Acredite é muito barato eles comprarem apoio da segurança publica.
  • Humberto  05/11/2019 20:24
    Errado. A esquerda venezuelana é totalmente raiz. Ali é socialismo puro e duro, sem concessão à modernidade. Vá lá ver se Maduro (ex-motorista de ônibus completamente bronco) tem alguma simpatia por gays, lésbicas e progressistas. Aliás, Maduro abertamente debochava de Henrique Caprilles, que tinha trejeitos homossexuais. Ali não há progressismo e nem lacração. Ali é porrete, armas, desapropriação e execuções.

    Nenhum outro regime de esquerda na América Latina se aproxima disso. E é exatamente por ser raiz que Maduro se mantém no poder.
  • HELLITON SOARES MESQUITA  05/11/2019 20:48
    Tem muita gente macha na esquerda atual. O Ciro Gomes é um exemplo disso.
  • Raimundo  05/11/2019 21:49
    Ciro Gomes, machão? Você tá ruim de macho, hein?

    O sujeito não só é uma máquina de repetir lacrações progressistas, como também já confessou que "morre de medo" de armas. Aliás, ele jurou que se a Dilma fosse impichada, ele próprio iria às ruas pra impedir o "golpe". Foi? Borrou-se de medo. As ruas estão esperando ele até hoje.

    Não confunda destempero verbal (tudo politicamente calculado) com genuína virilidade. O cangaceiro só tem a primeira. Se duvidar, Lula tem mais da segunda do que ele.
  • Régis  06/11/2019 02:05
    O Guilherme Fiúza, que é sempre excelente, chama essa turma de "revolucionários de playground que não conseguem fazer mal a ninguém".

    E é isso mesmo. Nem incomodar mais essa atual esquerda consegue. Concordo com o Humberto e não entendo como pode ter gente que se sente ameaçada por esses delicadinhos.
  • Revoltado  06/11/2019 20:41
    Não confunda destempero verbal (tudo politicamente calculado) com genuína virilidade. O cangaceiro só tem a primeira. Se duvidar, Lula tem mais da segunda do que ele.

    ==== Considerando as recentes denúncias sobre ter mandado assassinar o ex-prefeito de Santo André em 2002, cuja repercussão mídia chapa-alva-mais-que-a-neve quase não fornece, não podemos duvidar....
  • Revoltado  06/11/2019 18:10
    Exato. Fora que ao menos um líder desses movimentos LGBT's foi (ou ainda deve estar) encarcerado.
    Imaginemos quê ocorreria se um candidato usasse como argumentação a pretensa homossexualidade dum oponente durante uma campanha eleitoral por aqui.
    Obviamente que, se não empunhar um estandarte vermelho, será execrado e queimado na fogueira da inquisição midiática.
    Basta ver que Levi Fidelix, em 2014, precisou indenizar gente deste naipe em cerca de R$ 1 milhão por apenas ter dito o fato que "aparelho excretor não reproduz".
  • Victor Quintao  05/11/2019 22:17
    Imagino que na Rússia o gayzismo e afins seja coisa de capitalista e o socialismo seja coisa "da família tradicional"...
  • Doisberto  05/11/2019 20:39
    Ótimo comentário !!.
  • Rafael  06/11/2019 12:57
    O problema ao meu ver é que esse tipo de gente é crescente nas gerações mais novas, e o voto deles vale o mesmo que de um reacionário.
  • marcelo lanzara  06/11/2019 14:08
    Apesar de estar correto, essa "destruição" da frágil esquerda não tem como se dar num curto espaço de tempo. Eles não tem armas e são afeminados, mas tem as universidades, toda a mídia, toda a classe artística e, quase a totalidade da classe "intelectual"! Pior, ainda tem o poder do voto e não possuem qualquer pudor ou moral pra conseguir seus objetivos, ao contrário da direita.
    Portanto, apenas a luta incessante e diária e a gradual "limpeza" intelectual é que poderá, talvez daqui uma década, declarar a vitória da direita.
    Não é tão fácil como pareceu descrever em seu comentário.
  • Revoltado  06/11/2019 18:05
    Como fazer uma revolta armada se você não sabe operar nem sequer um estilingue?

    Essa esquerda atual você aniquila com um espirro.


    A esquerda de antigamente, a chamada esquerda-raiz, realmente metia medo: os caras eram fisicamente robustos (barbudões), manuseavam armas, defendiam a tomada dos meios de produção com o subsequente assassinato dos burgueses, e eram abertamente racistas e machistas (gays e lésbicas não tinha vez).

    Já hoje, qual é a esquerda de hoje? Um bando de afeminados e de lésbicas que desmaiam se você acender um cigarro, e cuja arma mais letal que conhecem é alguma frase progressista e lacradora. Nunca nem sequer seguraram uma faca (Adélio Bispo é claramente um membro da esquerda mais antiga).

    ==== Sensacional o comentário, Humberto! Ainda me pergunto como esses chimpanzés bípedes nunca perceberam que seus "ídolos" (os mais radicais, ao menos) antigamente integravam a esquerda raíz, com obsessão por armas nas próprias mãos e desejo de revolução violenta. No cérebro de ervilha destes ultra-delicadinhos, as revoluções eram feitas com cabos de vassoura, só pode.
    A propósito, "desmaiam" apenas quando o cigarro é de tabaco, pois acenda um equivalente à base de cannabis e vão exigir a socialização do "bagulho" (risos)
  • Tarantino  07/11/2019 02:55
    Mas o problema é que os idiotas são muitos.
  • Rafael Aguiar  07/11/2019 13:51
    Muito embora eu concorde que essa nossa esquerda é mais barulho que outra coisa, não devemos medir esforços para repudiar e rechaçar qualquer tentativa de avanço dessas maluquices. Excesso de confiança é a ruína de muitos.
  • Carlos Alberto  07/11/2019 17:40
    Aproveitando o tópico, e confirmando tudo o que disse o Humberto, hoje o Augusto Nunes deu um empurrãozinho no Glenn Greenwald (coisa que eu, quando criança, vivenciava diariamente no playground da minha escola) e toda a esquerda já está em polvorosa e escandalizada gritando que isso é FASCISMO.

    Sério, como pode ter gente que tem medo dessa esquerda atual? São as pessoas mais delicadinhas que eu já vi na vida. Não conseguem lidar nem com uma barata no banheiro. Relaxem.
  • vitor  07/11/2019 23:34
    Pergunta aos libertários: ao dar um tapa na cara do Glenn após ter sido insultado, teria Augusto Nunes violado o princípio da não agressão?
  • Humberto  08/11/2019 00:08
    Não.

    1) Pra começar, quem defende ditaduras comunistas (como Glenn em relação à Venezuela) automaticamente perde o direito de não ser agredido. Por definição.

    Afinal, se eu defendo que você deve ser expropriado (agredido) por políticos, então obviamente eu perco o direito de não ser agredido por você.

    2) Adicionalmente, quem atua como agente desestabilizador, agitando pela soltura de bandidos que roubaram a propriedade alheia, também por definição perde o direito de não ter sua propriedade (no caso, seu corpo) agredida.

    3) Por fim, se você é xingado (desrespeitado) em rede nacional, você não tem nenhuma obrigação de manter o respeito para com que está lhe agredindo. Questão de lógica básica. Se eu, voluntariamente, começo a xingar você em público, você não tem nenhuma obrigação de manter a compostura, e é assim pelo simples fato de que eu não tenho o direito de xingar você impunemente em público. Você não pode tirar a minha vida (pois isso seria desproporcional), mas você pode sim me devolver o mesmo tipo de humilhação que eu estou voluntariamente impondo a você.

    Um tapinha na cara, coisa de criança no recreio, é até um troço bem barato.
  • Lee Bertharian  08/11/2019 12:28
    Tá esquecendo da proporcionalidade... Palavras não machucam.
    Mas, num mundo perfeito, políticos e comentaristas políticos - parasitas em geral - matariam-se uns aos outros!
  • Liberdade  08/11/2019 13:04
    Seu ponto 1 e 2 pode até ser aberto a debate. Mas seu terceiro ponto peca na lógica básica. Não tem o menor sentido você achar que pode agredir alguém por ter sido xingado.
    Palavras não são agressão.
    Não tem como libertário defender isso, me surpreende muito você responder que libertários considerariam isso válido.
  • Humberto  09/11/2019 04:58
    "Seu ponto 1 e 2 pode até ser aberto a debate. Mas seu terceiro ponto peca na lógica básica. Não tem o menor sentido você achar que pode agredir alguém por ter sido xingado. Palavras não são agressão."

    Meu caro, eu não tenho o "direito de xingar você impunemente".

    Se eu, em rede nacional, xingo e humilho você, então você não tem o dever de reagir como um monge. Você está, sim, liberado para se defender, inclusive fisicamente.

    Vou ressaltar o ponto: eu não tenho o direito de humilhar você impunemente em rede nacional. Eu opto voluntariamente por fazer isso. Consequentemente, se eu opto voluntariamente por fazê-lo, então eu tenho de arcar com as possíveis consequências. Uma delas é você me dar um tapa. Não tem isso de você ser humilhado e ficar quieto. Isso sim é postura de covarde. Uma postura, aliás, que estimula ainda mais agressões, até o seu completo aniquilamento. O inimigo não respeita quem apanha e dá a outra face.


    P.S.: apenas para você não dizer que sou incoerente, defendo também o direito de Ciro Gomes esmurrar um repórter que faz uma ilação em público ligando-o a um caso não comprovado de corrupção.
  • Drink Coke  08/11/2019 17:57
    Você sabe que o Augusto Nunes usou os filhos do Green para ataca-lo, né? se acha aceitável isso só mostra como a direita é imbecilizada, até mais do que a esquerda. Eu como pai entendo totalmente a postura do Green, que apenas o chamou de covarde pelo ocorrido e Augusto nunes sem controle emocional partiu para agressão.

    Não concordo com nenhum visão política do Green, mas nesse caso ele é a vítima.


  • Guaraná  08/11/2019 18:46
    Besteira. Não foi isso o que aconteceu. Você caiu no papo furado da esquerda e tá repetindo lorota. O que realmente aconteceu é que, há muito tempo, o Nunes disse, em tom claramente sarcástico, que, se um deles (David Miranda) vive em Brasília (pois é deputado) e o outro (Greenwald) passa o tempo inteiro lidando com material roubado (o que é uma verdade factual), quem é que cuida das crianças?

    Você pode até não concordar com o tom do humor (o que é válido), mas o Greenwald distorceu completamente essa fala e, do nada, saiu afirmando que o Nunes estava defendendo que o conselho tutelar levasse as crianças, uma total calúnia e uma completa insanidade.


    P.S.: Greenwald não tem filhos. Essa novilingua progressista é detestável.
  • Drinks coke  08/11/2019 21:41
    Eu vi o vídeo do Nunes meu caro, achei a fala dele de baixo nível e injustificavel, principalmente para um jornalista, mas enfim só acho que dado a circunstância Green estava certo em revidar verbalmente.

    Green é um jornalista tendencioso e de esquerda, agora tudo que a direita não tem que fazer é usar esses tipos de artifícios para ataca-lo, apesar que a massa seguidora do Bolsonaro gosta desse baixo nível (como visto pelo guru mestre da direita brasileira)
  • Revoltado  08/11/2019 14:43
    Verdade, Carlos Alberto!

    Na infância/adolescência tive brigas infinitamente mais violentas que isto, mesmo dentro da sala de aula em intervalos e naquele tempo ninguém utilizava o insulto de "fascista" para absolutamente nada. Nem quando fazia-se pilhéria com os pretensos gays...
    A geração atual é mais frágil que cristal.
  • Edson  10/11/2019 04:27
    O poder da "pena" suplanta o poder da espada...
  • Ítalo  19/11/2019 11:40
    Teu erro é desconsiderar que eles não tomam o poder através de armas próprias, mas sim de armas das Forças Armadas.
    Eles usam o Estado para seus fins espúrios. E o Estado, vide a história, é ótimo em lidar com protestos em ovos desarmados e mesmo armados.
  • Dane-se o estao  06/11/2019 01:04
    É nesse nível de imbecilismo e alienação da realidade mesmo! eles acham que escassez não existe e que custos para se produzir algo não exigem preços.
  • Primo  07/11/2019 10:26
    O problema é que é possível todo mundo ter iphone de graça. Você tem três caminhos:
    1 - "juntar" uma grande quantidade de dinheiro, pagar para ele ser produzido e distribuir gratuitamente;
    2 - convencer as pessoas a trabalhar de graça para ele ser produzido e distribuir gratuitamente.
    3 - desenvolver uma tecnologia auto-sustentável para produção de iphone, desde a matéria prima até a distribuição do produto final, sem qualquer intervenção humana.

    Podemos até fazer uma votação democraticamente para escolher quais dos três caminhos seguir. Bora mobilizar toda a população! #freeIphone

  • Marcelo  13/11/2019 17:30
    Abundância não tem contraindicação alguma.
    Acontece que os jovens são vitimados por professores esquerdopatas, que concentram seus esforços na propaganda mentirosa comunista desde o primário à universidade.
    Essa ocupação cultural marxista acontece nas escolas, nas artes, nas mídias de todo o mundo.
  • Bruno Feliciano  05/11/2019 18:58
    Jovem é uma m**** e olha que eu tenho 23 anos. Se tem alguma coisa disposta apenas ter ideias ruins e ser irresponsável é JOVEM, eu tenho orgulho de ser exceção.

    Os caras vivem em outro mundo, amam liberdade sem responsabilidade e a falta de experiência de vida faz ser convencido com meia hora de demagogia e apelo emocional.


    JOVEM NÃO DEVERIA PODER VOTAR!!
  • Pobre Mineiro  05/11/2019 20:24
    Flávio Augusto, que já escreveu artigos aqui no Mises, discordaria de você.

    Ele já escreveu que jovens são muito mais capazes do que imaginamos...
  • Bruno Feliciano  05/11/2019 23:08
    Acho que o Jovem Brasileiro ta melhor que os gringo, concordam? No sentido do socialismo....
    Agora, Jovens capazes só se for de destruir um país. No Brasil por incrível que pareça o socialismo não tem prevalecido, talvez pela cultura de memes/zuera que tornou socialismo algo patético e ridículo!
    Mas ainda sim, ideias degeneradas de viés progressista consegue convence muito mais os jovens.

    Mas se for fazer a média global, a Terra seria um enorme globo miserável e estagnado.
  • thiago  06/11/2019 12:17
    quando vir #maisjovensnapolítica, pode ficar desconfiado
  • Pedro_N  06/11/2019 22:22
    Talvez ele se refira a (potencialmente) capazes...
  • Revoltado  07/11/2019 16:35
    Bruno Feliciano,

    Jovem é uma merda até como vizinho!

    Peço licença por escrever algo off-topic, mas gostaria de ganhar R$ 50 por cada vez que um jovem sai/entra do condomínio residencial aonde moro deixando a porta encostada (não completamente fechada) ou mesmo escancarada! Em 2018, um apartamento vizinho ao meu foi roubado à tarde e as vítimas eram jovens e incrivelmente não aprenderam a lição! Não à toa que prefiro como vizinhos de ap família conservadora. Estes ao menos são bem mais responsáveis.
  • Alexandre  14/11/2019 11:35
    boa garoto! continue assim
  • Batista  05/11/2019 19:36
    Observemos o trecho abaixo:

    "[...] Ironicamente, no entanto, a sociedade se torna tão próspera e tão inovadora, que passa a ignorar a fonte de toda a sua riqueza, dando-a como natural, corriqueira e automática. Pior ainda: torna-se abertamente hostil a ela.[...]"


    E comparemos a esse trecho do livro de Maquiavel, O Príncipe, capítulo VIII:

    "[...]As injúrias devem, pois, fazer-se todas de uma só vez, para que, durando menos, ofendam menos e os benefícios aos poucos, para durarem mais. (46) Cumpre, outrossim, a um príncipe manter com os seus súditos relações tais, que nenhum acontecimento bom ou mau faça variá-las. Se assim não for, quando os tempos adversos trouxerem a necessidade imprevista, ele não terá mais tempo para praticar o mal, e o bem que fizer de nada servirá, (49) porque será considerado como uma imposição das circunstâncias e ninguém lho agradecerá. (50)[...]"

    "(46) Engana-se. É mister fazer-se temer e amar. Toda a questão reside aí. (Cristina da Suécia)-- Quando os distribuímos a mãos cheias, recebe-os muita gente que é indigna deles, e os outros não os agradecem. (Napoleão em Elba)

    (49) E então, por mais que se dê e prometa, de nada valerá, porque o povo permanece naturalmente insensível diante de quem cai por motivo de falta de previsão e longanimidade. (Napoleão em Elba)

    (50) Os homens dificilmente esquecem as ofensas, mas facilmente esquecem os benefícios. (Cristina da Suécia)
    "
  • O PENETRA  05/11/2019 19:55
    Tem várias maneiras de refutar o artigos... vamos lá:

    Refutação tipo 1 - O Karl Marx e seu amigo Engels viviam na abundância também né rsrsrs SQN...

    Refutação tipo 2 - Se "Socialismo" significa "Bons serviços públicos" então é completamente aceitável que os jovens se mostrem a favor disso. Isso seria ótimo para os que não tem condições de pagar.(alguém duvida ?) Isso quebra a ideia de que só tem acesso a produtos/serviços quem tem dinheiro. Você leva qualidade para qualquer pessoa, independente se ela tem condições de pagar ou não.


    Refutação tipo 3 - Os jovens americanos perceberam a futilidade que os rodeia... Se o DRAKE pode gastar 2 milhões de reais em um simples anel de diamantes enquanto tem gente no mesmo país que não tem dinheiro pra COMER. É claro e evidente que tem algo de errado no reino do capitalismo.
    Alguém tem dúvidas que a quantidade de riqueza gerado hoje no mundo, se fosse distribuída igualmente, daria pra acabar com a fome no planeta ?
    Tem pessoas que tem MUITO e outros não tem NADA e o mercado simplesmente não corrige isso. É uma injustiça que já começa de berço... O filho do DRAKE vai ter uma vida mais luxuosa que qualquer "estagiário do Hélio Beltrão" que ganha uma mixaria aqui no site para aprovar os comentários e tentar refutá-los postando artigos enviesados do próprio imb. (Como farão com esse comentário aqui, caso ele seja aprovado rsrsrsrs)

  • Humberto  05/11/2019 20:07
    Aí, ó, é exatamente de tipos assim que eu estava falando no meu comentário acima. A esquerda atual é rigorosamente isso.

    Não sabe argumentar, só tem coitadismo e vitimismo, não tem intelecto nenhum e, é claro, nem sabe escrever. (É praticamente impossível entender alguma coisa que o elemento acima fala).

    A chance de derrotados assim prosperarem e convencerem pessoas a adotarem suas idéias é ínfima, para não dizer nula.

    Por isso, volto a repetir: relaxem! A esquerda nunca foi tão inofensiva como a atual.
  • Pobre Mineiro  05/11/2019 20:30
    Concordo, os esquerdistas raiz executavam ações terroristas, davam tiros e porrada. Eles metiam medo.
    Os esquerdistas Nutella fumam maconha e dão a bunda. kkkkkkkkk

    Os esquerdistas de hoje são uns comediantes cristal de neve, se tocar ele some. kkkkkkkk
  • Pobre Mineiro  05/11/2019 20:37
    ...o problema é que a direita de hoje está bem Nutella também.

    Não se fazem mais direitistas e conservadores como antigamente...

    Estão todos "Nutellizados"...

    Pode ser algo bom, indica que ninguém está mais afim de matar e morrer por ideologias. Quem sabe é isso ?.
  • Lord Cidus  24/11/2019 19:13
    O problema nem é esse, esse pessoal não tem sequer convicção moral de suas próprias ações (por falta tanto de intelecto como da própria moral e convicção)

    A questão é: intelecto, moral e convicção são essenciais para o desenvolvimento produtivo, e sem isso, o capital empobrece e se desgasta

    A geração socialista atual não pretende acabar com o capitalismo rivalizando com este, essa disputa acabou 30 anos atrás com o capitalismo sendo vencedor absoluto. A geração atual pretende se matar e levar o capitalismo junto
  • HELLITON SOARES MESQUITA  05/11/2019 20:27
    Realmente a tática para incutir o socialismo nas pessoas é justamente mexer com o Ego. Pegar pessoas bem sucedidas na vida porém compara-las com pessoas maiores e ricas e estupidas para condenar o socialismo. Alguém que realmente se ache superior irá acreditar nesse tipo de conversa de que se está fazendo justiça contra os estúpidos.
    Também é de se notar que artistas(maioria dos imbecis) não gostam de capitalismo, pois em um ambiente de crise, cortar gastos com "cultura" é a primeira coisa a ser feita. Então eles ficam viciados ou lutam para que o Estado garanta o "minimo" de cultura.
    Por fim o óbvio, políticos preferem o socialismo, assim como preferem a republica. Pra eles o regime que lhes der mais poder, melhor será.
  • HELLITON SOARES MESQUITA  05/11/2019 20:30
    Realmente a tática para incutir o socialismo nas pessoas é justamente mexer com o Ego. Pegar pessoas bem sucedidas na vida porém compara-las com pessoas maiores e ricas e estupidas para condenar o socialismo. Alguém que realmente se ache superior irá acreditar nesse tipo de conversa de que se está fazendo justiça contra os estúpidos.
    Também é de se notar que artistas(maioria dos imbecis) não gostam de capitalismo, pois em um ambiente de crise, cortar gastos com "cultura" é a primeira coisa a ser feita. Então eles ficam viciados ou lutam para que o Estado garanta o "minimo" de cultura.
    Por fim o óbvio, políticos preferem o socialismo, assim como preferem a republica. Pra eles o regime que lhes der mais poder, melhor será.
  • Estado o Defensor do Povo  05/11/2019 23:51
    Na sua refutação 2 vc diz que o capitalismo é péssimo pra quem não pode pagar, mas propõe como solução que essas mesmas pessoas paguem mais caro num socialismo com todos os impostos e riscos que tu cria em tal sistema, extremamente contraditório.
  • Rene  06/11/2019 14:04
    Dá até preguiça de responder a um comentário destes. Mas se uma pessoa quer ser zoada, deve ser atendida.

    Refutação tipo 1 - O Karl Marx e seu amigo Engels viviam na abundância também né rsrsrs SQN...
    Engels certamente se enquadrava nesta categoria, pois ele era filho de um industrial rico. Já Marx, não passava de um chupim, que vivia na miséria, sendo auxiliado pelo seu amigo Engels. Por mais que ele tenha escrito muito sobre o trabalho, era notório que o trabalho não era exatamente a praia dele. Mas não entendi o que isto tem a ver com a argumentação do texto. Se você quiser refutar um texto, tente se manter no que o texto efetivamente afirma, senão você vai ficar parecendo um analfabeto funcional que sequer se deu ao trabalho de ler o que está escrito.

    Refutação tipo 2 - Se "Socialismo" significa "Bons serviços públicos" então é completamente aceitável que os jovens se mostrem a favor disso. Isso seria ótimo para os que não tem condições de pagar.(alguém duvida ?) Isso quebra a ideia de que só tem acesso a produtos/serviços quem tem dinheiro. Você leva qualidade para qualquer pessoa, independente se ela tem condições de pagar ou não.
    Então, cara pálida. De onde você tirou que "Socialismo significa bons serviços públicos"? Conforme Marx, socialismo significa "o estado tomando os bens de produção". Na prática, o que acontece é a unificação total do poder econômico, político e policial. E isto sempre acaba fracassando por conta do problema do cálculo econômico, que torna todo o sistema inviável. Por isso que em qualquer país em que se tenta implantar isto, o resultado é miséria generalizada. Por acaso, haviam serviços públicos de qualidade na Polônia durante a década de 80? Ou existem serviços públicos de qualidade na Venezuela hoje? Aliás, esta desgraça não funcionou nem na Alemanha. Antes que você venha com o argumento de que "isto tudo não é o verdadeiro socialismo", mesmo que eu ignore o fato de que o socialismo real é impossível, você terá que concordar comigo que o socialismo é uma ideia com altíssima chance de dar errado.


    Refutação tipo 3 - Os jovens americanos perceberam a futilidade que os rodeia... Se o DRAKE pode gastar 2 milhões de reais em um simples anel de diamantes enquanto tem gente no mesmo país que não tem dinheiro pra COMER. É claro e evidente que tem algo de errado no reino do capitalismo.
    Alguém tem dúvidas que a quantidade de riqueza gerado hoje no mundo, se fosse distribuída igualmente, daria pra acabar com a fome no planeta ?

    Vamos fazer o seguinte: Primeiro, você responde a estas quatro perguntas. Depois discutimos isto. Aliás, não sei se vc sabe, mas o esforço para se produzir um anel de diamante que custa 2 milhões é completamente diferente do esforço para se produzir 2 milhões em comida (Isso que nem estou considerando o esforço logístico para fazer a comida chegar até os consumidores). Para haver consumo, primeiro deve haver produção. Então, não é sensato tentar atacar a pobreza destruindo riqueza.

    Tem pessoas que tem MUITO e outros não tem NADA e o mercado simplesmente não corrige isso. É uma injustiça que já começa de berço... O filho do DRAKE vai ter uma vida mais luxuosa que qualquer "estagiário do Hélio Beltrão"
    Em um mercado com liberdade, o ganho pessoal é determinado pelo valor que esta pessoa cria para terceiros. E são as pessoas que definem o que é valor pagando por isto. Se milhões de pessoas dão seu dinheiro voluntariamente ao Drake para ouvir Rap, o que exatamente você tem a ver com isto?

    que ganha uma mixaria aqui no site para aprovar os comentários e tentar refutá-los postando artigos enviesados do próprio imb. (Como farão com esse comentário aqui, caso ele seja aprovado rsrsrsrs)
    Você não postou um único link que desse suporte para qualquer uma das baboseiras que você escreveu aqui. No máximo, postou risinhos de superioridade, igual fazia o Chaves (Ai, de burro... dá zero para ele). Sei que você não vai ler os artigos enviesados, pois isto implicaria em ter que ler, pensar, raciocinar. E pelo nível raso de tuas "refutações", é óbvio que você não está muito acostumado a isto. Assim como Marx não era acostumado a trabalhar.
  • Guilhermo Guila  06/11/2019 18:04
    1- Sim! Porém, menos que muitos pobres hoje; Graças ao capitalismo!
    2- Bons serviços públicos? Onde? Tipo 80% dos casos de câncer no SUS são descobertos em estágio avançado?
    3- Drake comprar um anel de 2 milhões não impede ninguém de ganhar dinheiro e ser igual ou mais rico que ele. Tanto, que, ele, negro, humilde morador do subúrbio,e criado pela mãe desde o 5 anos, ao invés de ficar olhando a Forbes e lamentando/invejando...fez o nome dele(sem tirar riqueza de ninguém)"!

    Não delira magrão, ou melhor , Willian Spencer dos comentários do facebook.
    Você só passa vergonha...lá e cá!
  • Bert  08/11/2019 01:52
    Esse comentário mostra a típica inveja característica do socialista médio e fracassado. O passatempo dessa gente é ficar em site de fofoca vendo notícias sobre o novo anel de diamante da mais nova celebridade do momento, enquanto fica se estrebuchando de inveja por dentro. Ironicamente, fazem vista grossa pros milhões roubados pelos seus políticos de estimação, como o pilantra de 9 dedos.
  • Renan  05/11/2019 20:15
    Um intelectual (ou um jovem de classe média) falando contra o capitalismo é como um alpinista cortando a corda que o prende a um paredão de pedra, e faz isto justamente porque não foi ele quem teve que subir no paredão usando somente as mãos e perfurar a rocha para fixar um parafuso forte o suficiente para segurar a corda. Por isso que esta classe sempre foi a primeira a ser exterminada quando regimes totalitários como o Khmer Vermelho subiram ao poder.
  • Revoltado  05/11/2019 20:46
    Sempre que vejo/ouço respeito da versão brasileira dessas criaturas, digo o seguinte: nada que ganhar pouca coisa acima do salário mínimo e ao menos meia-dúzia de boletos na casa dos 100 em média para vacinar esses babaquaras do "socialismo nuvem rosa dos Ursinhos Carinhosos" existente em suas cabeças ocas (ou nem tanto, porém lotadas de entorpecentes ou álcool). Tal remédio, ou quiçá choque anafilático, se bem aplicado, pode converter alguns deles até mesmo em ancaps, quando perceberem o leitão ganancioso que o Estado costuma ser, sobretudo no Brasil.

    São meus profundos votos aos millenials entorpecidos pelo PC. O que arde cura!
  • Pobre Mineiro  05/11/2019 20:53
    ...uma economia de mercado, com indivíduos fortemente empreendedores, gera um grande crescimento econômico e aumenta acentuadamente o padrão de vida das pessoas. Ironicamente, no entanto, a sociedade se torna tão próspera e tão inovadora, que passa a ignorar a fonte de toda a sua riqueza, dando-a como natural, corriqueira e automática. Pior ainda: torna-se abertamente hostil a ela.

    Tempos difíceis criam homens fortes, homens fortes criam tempos fáceis, tempos fáceis criam homens fracos,
    homens fracos criam tempos difíceis... E o ciclo recomeça.
  • Milton Friedman Cover's  05/11/2019 21:26
    Boa tarde,

    Excelente artigo, muito oportuno e atual.

    A citação da sra. Camille Paglia, dentro do contexto, é muito apropriada ( Mas no geral, ela não serve como exemplo, pois nas eleições de 2016, ela afirmou que não votaria nem na Hillary, nem no Trump, mas votaria no socialista, Bernie Sanders, terrível), no mais, grande texto!

    Os jovens defendem o socialismo, e é triste vê-los defender os ideais do Partido Democrata, nos USA de hoje, por falta de experiência, mas também porque não querem estudar. Preferem comprar ideias prontas da esquerda como podem comprar lanches, roupas, computadores, etc., via aplicativos e sites da Internet, algo que não fariam em um regime de esquerda por dois motivos básicos, no mínimo: falta de poder aquisitivo, falta de acesso à Internet. Na verdade os motivos iriam tomar muito espaço aqui e digitação da minha parte.

    Essa juventude precisa de um choque de realidade para acordar do pesadelo comunista/socialista.

    O duro é ver pessoas maduras, vividas, defendendo o esquerdismo aqui, mesmo depois de FHC ( Fabiano), Lula e Dilma destruírem a economia brasileira.

    Essas pessoas seguem criticando o atual governo, mesmo este mostrando como é vantajoso viver em uma sociedade capitalista ( claro, muito falta ainda para implementar uma economia capitalista aqui).

    No mundo desenvolvido é como está no texto, as pessoas vivem bem e acham que sempre foi assim e que nada os levará de volta às cavernas.

    Não os culpo totalmente, sim eles tem culpa porque podem buscar informações reais sobre regimes políticos/econômicos na mesma Internet que comprar produtos constantemente; mas culpo principalmente os professores que colocam em suas jovens mentes a grande mentira socialista/comunista. Os pais muitas vezes tem parcelas de culpa dessa desinformação também.

    Tomara que a esquerda seja totalmente derrotada no mundo e esses jovens fiquem na ilusão de como o socialismo é bondoso. Caso contrário, todos nós sofreremos juntos e a atual civilização perecerá. Não pode sobreviver com longevidade uma sociedade comunista.

    Fora de tópico: as medidas econômicas liberalizantes foram anunciadas hoje pelo ministro Paulo Guedes. Excelente! Vamos aguardar o nosso "bondoso" Congresso aprovar as medidas econômicas. Oremos e Vigiemos.

    Abraços.


  • Wesley  05/11/2019 21:26
    É fácil apoiar socialismo quando vc nasce em um país rico. Pergunta pra eles se trocariam de lugar com alguém que nasceu em Cuba, Venezuela, Coréia do Norte e muitos países africanos, realmente, eu odeio esses riquinhos e "privilegiados" socialistas filhinhos de papai capitalista.
  • Revoltado  06/11/2019 18:20
    É fácil apoiar socialismo quando vc nasce em um país rico. Pergunta pra eles se trocariam de lugar com alguém que nasceu em Cuba, Venezuela, Coréia do Norte e muitos países africanos, realmente, eu odeio esses riquinhos e "privilegiados" socialistas filhinhos de papai capitalista.

    ==== 2, meu caro Wesley! Somos dois...

    Como já escreveu o Pondé, o socialismo, à essa gente, nada mais é que um fetiche social.
  • Wesley  05/11/2019 21:51
    Tenho uma prima que mora na Alemanha desde os 10 anos, e ela sempre fala como toda a mídia alemã é socialista e as próprias escolas doutrinam os alunos, e ao ingressar na escola ele não tem tantas opções de escolha/caminhos para seguir quando crescer, fora os impostos que ficam muito altos conforme sua renda cresce, quase pré definido pelo governo seu futuro, e outra, os alemães confiam totalmente em sua mídia, o namorado dela pensava que entramos em uma ditadura de extrema direita.
    Pior mesmo são grupos de brasileiros em redes sociais que moram na Europa, defendem o socialismo com unhas e dentes e dizem que a culpa da pobreza no Brasil e países africanos se deve ao capitalismo, e citam como exemplo a "era de ouro" brasileira durante o governo Lula.
  • Alguém  06/11/2019 00:30
    Amigo, eu namorei uma alemã e tive a oportunidade de visitar ela por 3 semanas. Tudo o que você disse eu assino em baixo.

    A mídia alemã é 100% socialista (exceto algumas mídias alternativas (Como o Instituto Mises da Alemanha por exemplo), mas estas tem pouco alcance), lá, se você não é de esquerda vai se sentir "ilhado" na sociedade, isso se não for taxado de louco ou de nazista (Na Alemanha, ou você é socialista, ou você é a reencarnação do próprio Adolf Hitler, não existe meio termo kkkk).

    Outra coisa que me espanta é o fato de eles não possuírem sequer um mísero partido que defenda ideias de liberdade, só o que existe são diferente "sabores" de socialismo. A CDU (Partido da Angela Merkel) se intitula conservador, mas defende assistencialismo, imigração irrestrita com direito a uma gorda gama de "ajudas" para os imigrantes, ou seja, conservador só no nome, na prática é no máximo um centrão. Aí temos o glorioso "partido liberal", que de liberal também fica só no nome, eles defendem tudo o que a esquerda defende em termos de welfare e intervenção no mercado, faltando só reivindicarem que o estado banque orgias gays em praça pública. E não podemos é claro deixar de falar do glorioso AfD, este partido que é de "extrema direita", só que não, são no máximo uma centro-direita, são taxados literalmente como partido nazista 2.0 pela mídia, sendo que defendem literalmente todo o sistema de welfare já estabelecido, com a única diferença de serem euro-céticos e anti-imigração, porém eles defendem essas duas pautas exatamente por acreditarem que a UE e a imigração descontrolada colocam o welfare state em cheque. Os nossos querido Verdes, negam que são socialistas, mas são socialistas pra ca$%lho! (Tudo em prol do meio ambiente é claro...), e o partido A Esquerda, não há muito pra dizer sobre eles, eu diria que seriam algo próximo do PSTU aqui do Brasil.
    Enfim, se você acredita em ideias liberais, você provavelmente será muito infeliz morando lá, pois além de não existir um partido que represente remotamente o liberalismo clássico, qualquer tentativa de espalhar tais ideais provavelmente não iria muito longe, pois como você disse, a doutrinação nas escolas é pesada, e quando a grande mídia fala, o alemão diz amém.

    Abraços!
  • Dane-se o estao  06/11/2019 01:12
    Imagino o que Hanns Hermann Hopp deve aturar!
  • Estado o Defensor do Povo  06/11/2019 08:57
    HHH mora nos EUA.
  • Carlos  06/11/2019 13:55
    Na verdade ele mora em Bodrum, na Turquia. É casado com uma muçulmana.
  • Revoltado  06/11/2019 20:39
    Tenho uma prima que mora na Alemanha desde os 10 anos, e ela sempre fala como toda a mídia alemã é socialista e as próprias escolas doutrinam os alunos, e ao ingressar na escola ele não tem tantas opções de escolha/caminhos para seguir quando crescer, fora os impostos que ficam muito altos conforme sua renda cresce, quase pré definido pelo governo seu futuro, e outra, os alemães confiam totalmente em sua mídia, o namorado dela pensava que entramos em uma ditadura de extrema direita.
    Pior mesmo são grupos de brasileiros em redes sociais que moram na Europa, defendem o socialismo com unhas e dentes e dizem que a culpa da pobreza no Brasil e países africanos se deve ao capitalismo, e citam como exemplo a "era de ouro" brasileira durante o governo Lula.

    ==== Quão triste é ler isto sobre a terra de Guthenberg, Lutero, Schoppenhauer e Dietrich Bonhoffen! Mas, fazendo um tosco exercícioimaginativo, supondo que houvesse ainda duas Alemanhas, esta seria a postura na porção ocidental, com capital em Bonn. Certamente a RDA seguiria o habitual caminho "linha-dura" ou "socialismo raíz", como já dito por aqui. Lembremos que a ex-Alemanha Oriental foi um dos países daquele bloco a resistir aos primeiros ventos de reformas em 1989...
    Quanto aos "br" que vivem na Europa, já não era de hoje que li/ouvi sobre suas tendências esquerdistas. Conheço inclusive dois que assim pensam e crêem piamente que o Brasil tornou-se uma "Coréia do Norte de direita". Uma socialista de i-Phone bicho grilo que está na Suíça e outro na também politicamente-correta Inglaterra.
    Quanto ao último país, sempre falo que este demorou demais a lançar o Brexit. Deveriam tê-lo feito na década anterior, ao menos...
  • Wesley  07/11/2019 02:31
    Sobre o Brexit eu vejo em fóruns estrangeiros como o reddit o povo(europeus) falando mal, zombando, muitos ingleses falando sobre fugir do país, que vai ficar ruim, a economia vai quebrar etc. Mesma coisa dos americanos, onde estão animados com o socialista que vai ganhar as eleições a presidencia (aposto 90% de chance), só penso nos estragos que ele vai fazer no país.
    Não vejo opção de país pra onde jr no futuro, sinto que o mundo esta condenado ao socialismo, depois a mais miséria, fome, governos autoritários, e o surgimento de novos heróis na economia, e pessoas com mente empreendedora anti estado, o que fará nos anos posteriores voltar a prosperidade, e surge outro socialista, espalha suas idéias, anos depois volta a miséria.
  • Douglas  07/11/2019 05:58
    Nazismo, Fascismo e Comunismo são diferentes vertentes de uma ideologia socialista de poder e controle pelo Estado, por políticos ou ditadores. Mas a Europa deveria se preocupar mesmo é com o avanço da cultura islâmica, que também prega pelo poder e controle, religioso e patriarcal. Deveriam é rezar para esse povo imigrante assimilar a cultura europeia a dele, senão daqui a alguns anos a Europa estará irreconhecível.
  • Revoltado  08/11/2019 15:36
    Deus nos livre dum mundo semelhante ao da história em quadrinhos "The Red Son", em que o Superman chega na Terra caindo na Ucrânia e a URSS abocanha quase todo o planeta, exceto os EUA e o Chile e os norte-americanos ainda lidam com a independência de alguns dos estados dentro de si...
    Precisaríamos de uma centena de Batmans para coordenar uma reação (risos).
  • Victor Quintao  05/11/2019 22:07
    Como acabar com a propriedade privada sem tirania? Nenhum dono entregará as suas oficinas, as suas fazendas e as suas fábricas por livre e espontânea vontade.

    Esta tirania será exercida por um grupo armado e este grupo armado terá um líder, ou seja, há uma concentração de poder.Se este líder garantiu, pela tirania, o fim da propriedade privada, quem me garante que ele irá "socializá-la", como preconiza a ideologia? Quem garante que o líder será VIRTUOSO o suficiente para "dividir" as propriedades confiscadas com os demais sem poder? Para quê fazer essa caridade?...O sistema todo está nas mãos da moralidade deste LÍDER...A história ensinou que não houve "o líder bondoso"...

    Quanto menos dependente da moralidade dos outros for um sistema, menos corrupto ele é...naquela história da 'banca sem caixa vigiando", que passou numa reportagem da Globo, onde o cliente compra e honestamente marca o que comprou sem precisar de um caixa vigiando, apesar de nunca ter tido problemas com desonestidade, é um sistema corrupto, por contar demasiadamente com a moralidade das pessoas, que é algo "que depende do acaso" e que mesmo numa sociedade 99% honesta, os 1% corruptos causam grandes prejuízos à todos...resumindo, este sistema das bancas é falho porque despreza a prudência...similarmente, o socialismo também depende da moralidade do LÍDER, portanto ele é falho na questão da prudência que está relacionada à ética (não só a prudência mas ela é importante)

  • Felipe   06/11/2019 00:40
    Falando de pobreza, meus avós tiveram quatro filhos e, apesar de todos terem sobrevivido, as condições de vida eram precárias: um almoço básico hoje era impensável, ter Fusca na garagem era status para vizinhança (nessa época Mococa ainda mal tinha asfalto; se em 1962 apenas 33% das casas francesas tinha carro, imagina no Brasil)... minha avó passou fome e já chegou a comer feijão com caruncho (insetos da família Bruchidae). Máquina de lavar roupas, coisa já disponível para um americano na década de 50, nem pensar. Hiperinflação... Naquela época, entrava em depressão, ficava sem trabalhar por falta de tratamento e ganhando uma migalha do INSS (migalha mesmo). Notem que, apesar do Brasil ter diminuído a pobreza nessas décadas, a criminalidade subiu. Veja qualquer casa brasileira das décadas anteriores... hoje as casas são horrorosas, se parecendo com feudos com botox. As casas americanas continuam bonitas (pelo menos na Flórida, onde morei)...

    Eu me pergunto se hoje os venezuelanos, que todos os dias passam os horrores do socialismo, são no fundo libertários.

    Agora, falando dos EUA, eu traduzi um ótimo artigo, falando do mito de que as mulheres tiveram que trabalhar fora para manter o mesmo padrão de vida. Leiam lá.
  • Wesley  06/11/2019 03:44
    "Eu me pergunto se hoje os venezuelanos, que todos os dias passam os horrores do socialismo, são no fundo libertários." Eu duvido muito, eles não vão aprender com os erros, mentalidade deles já está formada, eles não devem mudar, pode sair socialismo e aposto que uma década depois começa de novo.
  • Pobre Mineiro  06/11/2019 14:07
    Esse é o problema da imigração de miseráveis para o seu país.
    Eles fogem da miséria, guerra, etc... nos países deles, e desejam as mesmas políticas fracassadas das latrinas
    de onde eles fugiram.

    É simplesmente o início do fim. Triste do país que precisar de imigrantes, pois dificilmente alguém bem estabelecido
    imigrará, só um aventureiro ou outro, a grande massa é pura tranqueira.
    Some isso à democracia, seus filhos votando em políticos com viés esquerdista ou coisa pior...

    É triste, mas é a realidade. E podem me chamar do que quiserem...
  • Removedor Hoppeano  07/11/2019 23:27
    Exatamente, Pobre Mineiro. Por isso a imigração deve ser muito bem filtrada.
  • Andre  06/11/2019 14:48
    Felipe, que bela propriedade que compartilhou, quando passar por São Paulo deixarei uma carta neste local parabenizando o proprietário por tamanho zelo. Minha mulher e eu nos perguntamos a mesma coisa, como as pessoas que viviam em tempos tão difíceis e de escassos recursos deixaram legado tão bonito e os atuais construindo as moradias mais horrendas? Abraço e muito obrigado por compartilhar esses dados.
  • Felipe  07/11/2019 00:54
    É uma boa pergunta. Essa arquitetura sofreu influência europeia. Em Mococa há ainda alguns bonitos casarões (os meus avós moravam num casebre, mas era também aberto; foi ao longo das décadas que aí foi se parecendo com uma prisão), do pessoal que ficou rico exportando café (certamente o breve período de padrão-ouro no Brasil ajudou muito, pois uma moeda forte propicia materiais de melhor qualidade).

    Uma coisa que notei é que é comum as casas americanas "invadirem" as calçadas, então eu achava estranho quando caminhava pela rua, porque tinha pedaço onde eu não sabia se andava em cima da grama da casa do sujeito ou ficava na beira da rua.

    Obrigado por apreciar o meu humilde comentário.
  • Cris  06/11/2019 12:42
    O raciocínio sobre a juventude classe média é atual e sério. O que os jovens estão presenciando são guerras sociais ... Silenciosas, mas com um impacto profundo. Bem diferente das guerras declaradas, onde houve destruição, as guerras sociais estão destruindo a liberdade de ir e vir nas cidades. Se o jovem não pode andar a pé ou de ônibus porque é assaltado, a liberdade já está reduzida. O que os jovens querem ... E quem já foi jovem sabe disso ... É liberdade e experiências novas. Estar junto de uma família que diz ter amor, mas não está presente ... Porque está trabalhando para garantir um carro e uma casa ... Também vai gerar insatisfação. Os jovens estão buscando o tempo todo ... Estão atentos o tempo todo ... Querem viver! E o que está sendo oferecido hoje não é o ideal. Eles irão transformar uma sociedade morta em uma sociedade viva.
  • Pobre Mineiro  06/11/2019 14:51
    Você usou gerador de lero lero ?.
  • Estado o Defensor do Povo  06/11/2019 16:17
    kkkkk parece um poeta, que não escreve para ser entendido.
  • Aprendiz de EA  06/11/2019 16:42
    Falou, falou e falou, mas não disse absolutamente nada...

    "as guerras sociais estão destruindo a liberdade de ir e vir nas cidades"
    Estranho, para mim parece que as pessoas jamais tiveram tamanha mobilidade, jamais carros foram acessíveis para tantas pessoas como são hoje, acho que não preciso nem falar das bicicletas, que só aqui na minha cidade o aumento no número de ciclistas que se vê na rua nos últimos anos é algo inacreditável, e isso nesse pseudo-livre mercado que temos. Quanto ao ônibus, não sei os EUA, mas na Europa ou é estatal ou é altamente regulado e subsidiado, ou seja, nada de capitalismo malvadão tirando o direito de ir e vir das pessoas. Já quanto à violência, eu não sei se você sabe, mas segurança pública é responsabilidade do estado tanto aqui quanto lá, só pra avisar...

    "O que os jovens querem ... E quem já foi jovem sabe disso ... É liberdade e experiências novas"
    A liberdade dos jovens do primeiro mundo para ter "experiências novas" é muito grande, lá eles escolhem se vão pra faculdade ou não, a liberdade deles para escolher sua profissão é imensamente maior que a nossa, muitos deles inclusive ficam viajando por ai as custas dos pais, vários chegam nos 30 e nunca trabalharam, enfim... São luxos que nós em geral não temos, a maioria dos brasileiros estudou em escola pública, pouquíssimos tem ensino superior completo, viajem de avião é praticamente um artigo de luxo, e em geral temos que aceitar empregos bem mais modestos e pior remunerados. Enfim, aqui uma boa parte dos jovens desistem dos estudos e vão trabalhar pra ajudar a família, aí eu te pergunto, quais jovens tem mais chance de "ter experiências novas", os do 1º mundo ou os daqui?

    "Estar junto de uma família que diz ter amor, mas não está presente ... Porque está trabalhando para garantir um carro e uma casa ..."
    Bom mesmo é quando a família está ausente porque trabalham 12 horas por dia pra colocar comida na mesa né?... Santo Cristo!

    "Os jovens estão buscando o tempo todo ... Estão atentos o tempo todo"
    Buscando "direitos" as custas dos outros, só se for... Estão atentos ao discurso da esquerda e só, tanto que não tem ideias próprias, quando você vai debater com qualquer esquerdista não vem uma única frase/pergunta original, tudo é chavão de DCE, tudo é frase lacradora, terminando com ofensas baratas e adjetivos terminados em "ista" (apenas veja alguns comentários em artigos deste site). Atentos ao que realmente importa pouquíssimos de fato estão.

    "E o que está sendo oferecido hoje não é o ideal."
    Concordo. Assim também achavam os nosso pais, e os nosso avós, e assim por diante, mas em geral os meus avós assistiram meus pais tendo uma vida melhor do que eles tiveram, assim como os meus pais assistem eu ter uma vida melhor que eles tiveram, e no que depender de mim meus filhos viverão melhor que eu. Tal avanço contínuo só é possível sob o livre mercado, apenas veja o quão pobres e atrasados eram os países do bloco soviético nos anos 90, compare as duas Alemanhas da guerra fria e veja que o lado capitalista era estupidamente mais rico que o lado socialista (Essa diferença, embora superada em partes, existe até hoje), a mesma raça, a mesma língua, a mesma cultura, mas com sistemas político-econômicos diferentes, e ali nos foi deixado claro qual é melhor (Outra situação semelhante se observa com as Coréias). Querer sempre melhorar as suas condições faz parte da natureza humana, por tanto essa ideia de "o que temos hoje não é o ideal" sempre existiu e sempre existirá, a diferença é que no capitalismo os indivíduos são livres para agir de forma à melhorar suas próprias condições, no socialismo não.

    "Eles irão transformar uma sociedade morta em uma sociedade viva"
    Assim... não querendo ser chato e tals, mas o socialismo onde aplicado fez o oposto, transformou uma sociedade viva em uma sociedade morta (de fome, no caso).

    Abraços!
  • Sergio JR  06/11/2019 16:57
    Esquerda ataca as crianças no debate de ideias, — fácil de vencer — e as crianças não podem se defender, os liberais atacam os bandidos com ideias, — fácil de perder — e os bandidos os ignoram.
  • Rubens  06/11/2019 17:20
    Incoerência total sua.

    Se você diz que crianças são fáceis de serem moldadas via idéias, e se você próprio afirma que as ideais liberais são superiores às esquerdistas, então, por definição, as crianças serão mais fáceis de serem moldadas por idéias liberais do que por idéias esquerdistas.

    Cuide melhor da lógica na próxima.
  • anônimo  06/11/2019 19:31
    Ou pode ser que países ricos, os mais jovens tenham mais acesso ao ensino superior, e ali dentro ocorra o enviesamento;

    ''In this article I offer new evidence about something readers of Academic Questions already know: The political registration of full-time, Ph.D.-holding professors in top-tier liberal arts colleges is overwhelmingly Democratic. Indeed, faculty political affiliations at 39 percent of the colleges in my sample are Republican free—having zero Republicans. The political registration in most of the remaining 61 percent, with a few important exceptions, is slightly more than zero percent but nevertheless absurdly skewed against Republican affiliation and in favor of Democratic affiliation. Thus, 78.2 percent of the academic departments in my sample have either zero Republicans, or so few as to make no difference.
    link.springer.com
    Homogenous: The Political Affiliations of Elite Liberal Arts College Faculty
    link.springer.com link.springer.com


    Democrats dominate most fields. In religion, Langbert's survey found that the ratio of Democrats to Republicans is 70 to 1. In music, it is 33 to 1. In biology, it is 21 to 1. In philosophy, history and psychology, it is 17 to 1. In political science, it is 8 to 1.



    The gap is narrower in science and engineering. In physics, economics and mathematics, the ratio is about 6 to 1. In chemistry, it is 5 to 1, and in engineering, it is just 1.6 to 1. Still, Lambert found no field in which Republicans are more numerous than Democrats.



    True, these figures do not include the many professors who do not have a political affiliation, either because they are not registered at all or because they have not declared themselves as Democrats or Republicans. And, true, the ratios vary dramatically across colleges.

    The faculties of Wellesley, Williams and Swarthmore are overwhelmingly Democratic, with ratios at or above 120 to 1. At Harvey Mudd and Lafayette, the ratios are 6 to 1. At the U.S. Naval Academy at Annapolis, it is 2.3 to 1; it is just 1.3 to 1 at West Point.

    But despite the variability, none of the 51 colleges had more Republicans than Democrats. According to the survey, over a third of them had no Republicans at all.''

    link.springer.com/article/10.1007/s12129-018-9700-x

    Repare que mesmo em cursos universitários menos de humanas(Engenharia), a proporção ainda é maior para democratas;
    Ou seja, esse artigo é verdadeiro empiricamente, pelo menos nos EUA; (E principalmente entre a parte mais instruida);

  • Douglas  08/11/2019 02:42
    Em universidades particulares apesar de todos reclamarem da qualidade - o que muitas vezes acontece é que os alunos não conseguem absorver o que é ensinado - ela é menos politizada. Eu estudo Engenharia em uma universidade particular, e política nunca é discutida. Professores já entraram no assunto em momentos de conversas informais com os alunos, mas nunca deixaram eles falarem em apoio ao socialismo, muito menos comumismo rs.
  • anônimo  08/11/2019 16:02
    anônimo, de fato isso é uma verdade incontestável. Conservadores americanos frequentemente tocam nesse assunto, libertários menos.

    Perceba que a estratégia gramsciana foi meticulosamente seguida: dominaram universidades e a mídia de uma forma quase onipresente. Mas não constavam com a Internet. A internet fez com que essa estratégia, mesmo bem-sucedida, não conseguisse seu objetivo de criar um estado socialista aos moldes que Gramsci desejava. Não é atoa que burocratas desejam tanto o controle da Internet, pois perceberam tardiamente o gigantesco poder que ela possui.

    Não deixa de ser irônico o destino do Marxismo. Previa inicialmente que as revoluções proletárias ocorreriam nos países mais ricos e capitalistas, mas ocorreram nos países mais pobres e próximos do mercantilismo. Previa que sua teoria seria mais popular entre os mais trabalhadores pobres, mas é mais popular entre os jovens que não trabalham de países ricos.
  • Thiago  06/11/2019 19:33
    Exato, as idéias do liberalismo não prosperam na mente das crianças e juventude exatamente por não serem divulgadas, não por serem "piores".

    A unica coisa que elas vêem é o "capitalismo pró mercado" de um PSDB, por exemplo, que ta longe de ser pró mercado, aí não resolve o problema e o capitalismo fica como vilão, além de abrir espaço para as idéias socialistas.
  • anônimo  06/11/2019 23:14
    No Japão tem uma matéria chamada economia doméstica e finanças pessoais
  • Amorim  06/11/2019 20:32
    Parcialmente correto. Que as ideias liberais são superiores, não há dúvidas. Entretanto, se tais ideias não chegam as crianças (adolescentes/jovens), como podem elas se tornarem conscientes de tal superioridade? Tanto é que a maioria dos liberais foram socialistas quando jovens, só após a faculdade, com relativa maturidade intelectual e graças à internet, acabaram tendo contato com ideias e a teoria liberal.
  • Sergio JR  07/11/2019 11:56
    Rubens até entendo como você chegou a isso, mas, eu fui claro à ação dos esquerdistas, eles agem na base da sociedade enquanto os liberais agem no topo; os meninos abaixo explicaram bem o porquê disso.
  • Sergio JR  06/11/2019 17:05
    A esquerda ataca as crianças, preparando as militâncias e moldando os adversários; os liberas atacam os bandidos achando que estão vencendo nas ideias deixando suas crianças à livre ação comunista.
  • Conservatário  06/11/2019 18:15
    Alguém sabe quais são os motivos da prosperidade do Uruguai?
  • Felipe  06/11/2019 19:00
    Não havia imposto de renda até 2007, e o investimento estrangeiro direto era liberado e desonerado. Tão simples e ao mesmo tempo tão ignorado.
  • Humberto  06/11/2019 19:04
    Uruguai? Já foi bom. Hoje, já era.

    1) Desemprego em ascensão. Era de 5,40% e hoje já subiu pra 9,1%. E com tendência de alta.

    d3fy651gv2fhd3.cloudfront.net/charts/uruguay-unemployment-rate.png?s=uruguayunetrate&v=201910071855V20190821&d1=20090101&d2=20191231

    E olha que o desemprego ainda é o melhor índice.

    2) A inflação de preços está em 8,3%. Mas já bateu em 11%.

    d3fy651gv2fhd3.cloudfront.net/charts/uruguay-inflation-cpi.png?s=uruguayinfnrate&v=201910031917V20190821&d1=20090101&d2=20191231

    O país só está melhor que Argentina e Venezuela em termos de inflação.

    3) E a moeda se desvalorizou quase 100% em 5 anos. (Desvalorização ainda maior que a ocorrida no escabroso governo Dilma).

    d3fy651gv2fhd3.cloudfront.net/charts/uruguay-currency.png?s=usdury&v=201910240131V20190821&d1=20090101&d2=20191231
  • anônimo  06/11/2019 23:12
    O Uruguai prevalecia a produtividade, mesmo não sendo tão industrial, se vc trabalhasse, você poderia viver bem. O Uruguai sempre teve o setor primário forte e serviços. E com uma população baixa nunca teve problemas de abastecimento, a maioria procurava trabalhar , assim a maior parte da renda do uruguaio, da maioria dos trabalhadores era o setor produtivo.
    De uns tempos pra cá , começou o redistributismo. A dívida aumentou pra sair dando benesses e num primeiro momento esse governo de esquerda parecia que o uruegay ia crescer bem. Agora como a dívida tá alta, não se pode mais ir tirando dinheiro do nada, dae o redistributismo tá no máximo. A produtividade tá caindo, mas enquanto o gov podia alimentar a dívida, ninguém percebia que na verdade era o gov tirando dinheiro pra sair redistribuindo.
    Agora a economia segue uma tendência de queda, pois a fonte começa a secar , não tem mais dãonde tirar pra continue redistribuindo. O gov tira dos empresários, a produtividade cai e o desemprego aumenta.
    Agora é o momento de ouro: ele vai continuar aumentando a dívida pra redistribuir e ir destruindo o equilíbrio fiscal, ou vai aumentar ainda mais os impostos pra cobrir essa conta e ir aumentando o desemprego.
    Agora é o momento que a economia uruguaia pode virar como a da Argentina
    Já o Paraguai baixou os impostos , empresas brazucas foram pra lá e ele segue revertendo e deseconomia histórica. Tem muito a percorrer, mas tá avancando
  • Che  06/11/2019 19:41
    O autor se esquece da terceira via, a social-democracia, que se vale do mercado para gerar riqueza e do estado para distribuí-la aos menos aventurados.
  • NIII  07/11/2019 00:19
    O Olavo de Carvalho já tinha explicado isso em 2012!
  • Felipe  07/11/2019 00:42
    Aqui na região nordeste, ocorreu um caso de socialismo
    no final do século XIX. a comunidade do O Bom Jesus Antônio Conselheiro
    funcionava assim: qualquer produto produzido
    na comunidade era partilhado, e isso ajudou combater
    a fome que assolava o nordeste. Então, podemos
    dizer que nesse caso o socialismo deu certo?
  • Raimundo  07/11/2019 03:16
    A fome acabou? A região prosperou e virou potência?

    É cada um...


    Meu filho, se eu te coloco para plantar durante 24 horas por dia, é claro que não faltará comida para mim. Mas e daí? Vamos ficar só nisso? Apenas vivendo para comer e comendo para viver?

    Por mim, se você se contenta com apenas isso, tudo bem. Você tem todo o direito de ser livre e recriar esse arranjo (defenderei até a morte o seu direito de viver assim). Já eu quero muito mais. Quero conforto, amenidades, lazer, remédios, viagens e comida variada e de qualidade. Esse arranjo de Antônio Conselheiro pode me fornecer isso? Se você me jurar que sim, amanhã viro garoto propaganda. Caso contrário, quero distância. Gosto de progresso e tenho aversão ao atraso. E principalmente a pessoas que pensam pequeno e se contentam com pouco.
  • anônimo  07/11/2019 19:25
    O arraiau não era socialismo. Eles tavam trabalhando na comunidade. Não era redistributismo. No socialismo, o que vc produz é do estado, já no arraial, o que vc produzisse era seu. E Antoninho não deixava que ninguém ficasse sem trabalhar. Aquilo era uma cooperativa, de caráter religioso, Antônio conselheiro não tomava a produção de todos . Mas todos tinham que colaborar.
    O nome disso é cooperativa. E ela tava se tornando independente , auto suficiente.
  • Felipe  07/11/2019 01:23
    Pessoas da rede, uma coisa que notei é que em alguns países, a taxa de inflação de preços foi se estabilizando cada vez mais.

    Por exemplo, nos EUA: De fato a crise de 1920 causou uma grande deflação, logo depois veio a crise de 1929. Segunda Guerra Mundial e as crises do petróleo (e acabaram com o que restou do padrão-ouro). Depois do Paul Volcker, notem que ficou sem grandes turbulências, embora tenha ocorrido algo parecido nas décadas de 50 e 60.

    Canadá, algo parecido.

    Suíça, vide.

    Alemanha sofreu menos, o que certamente fez o país ter aquelas ruas impecáveis (acho que melhores até do que as americanas). O regime do Marco Alemão era câmbio atrelado? Como era? Brasileiro fica feliz com aqueles tapa-buracos sem-vergonha, lá existe isso.

    Bélgica teve um período de hiperinflação décadas atrás (que tirei para não distorcer o gráfico). Mesma coisa.

    Itália, mesma coisa.

    Grécia, mesmo caso. Esperemos que o novo primeiro-ministro arrume o país (ele não é de esquerda, o que é um milagre).

    França, padrão igual.

    É impressão minha ou foi o acordo de Bretton Woods que causou essa bagunça nos países ao redor do globo?
  • Historiador  07/11/2019 03:18
    Bretton Woods acabou em 1971. A estagflação aconteceu exatamente após a abolição de Bretton Woods.
    A década de 1970 foi de inflação no mundo inteiro. A década de 1980 foi de hiperinflação no terceiro mundo todo.

    Foi só a partir de meados da década de 1990 que coisa começou a se estabilizar.

    Atualmente, a inflação está baixa por causa da enorme produtividade mundial. Para comprovar isso, basta ver a evolução dos preços da commodities, em mínimas históricas.
  • Che  08/11/2019 18:46
    Teve um economista, certamente conhecem, o Julian Simon, que abordou a questão da escassez no mundo e demonstrou o aumento da disponibilidade de insumos e redução progressiva dos preços. Enterrou de vez as ideias de Malthus e de Paul Ehrlich. Certamente essa é uma das razoes do controle da inflação ora evidente em nivel mundial.
  • T. Saraiva  07/11/2019 02:59
    Discordo com a tese em quatro pontos fundamentais:
    A citada "armadilha" é meio que uma falácia de ovo-galinha. Mesmo com uma quantidade mínima de alimento, é possível obter uma ingesta calórica extremamente densa e nutricionalmente viável mesmo em tempos pré-revolução verde. Um grama de carboidrato ou proteína puros oferecem 4 kcal, um grama de gordura fornece entre 7-9kcal. Logo, a fome calórica(<1500 kcal/dia ou aproximadamente 400 gramas de carboidrato) é algo EXTREMAMENTE difícil de ocorrer em nível civilizacional salvo por colapso da própria estrutura agrícola, inda que rudimentar. Segundo ponto, uma pessoa menor consome sim uma menor quantidade de energia, mas isso não indica que a pessoa necessariamente é baixa por consumir pouco, mas, na maioria das vezes, consome pouco por ser baixa(os mongóis, que tiveram, historicamente, um acesso a fontes alimentares seguras e de alta densidade calórica, tipicamente o leite fermentado de égua, estão entre os povos mais baixos no registro). Terceiro, a baixa estatura e a baixa produtividade do medievo se correlacionam mais ao colapso do estado centralizado(O Império Romano no Ocidente) e de sua infraestrutura que a "ausência de livre iniciativa"(o Monopólio e a Guilda foram criação dos Burgueses Medievais). Não há produção agrícola sem que o campo seja seguro, não se há campo seguro sem César e suas legiões, não se há César sem Roma e não se há Roma sem Estado. O Estado Civil e o Império são a garantia da prosperidade. Não se há contratos, leis e tutti quanti sem a centralização e monopólio da força e não se há prosperidade sem o Corpo Civil de Justiniano. O feudalismo, verdade seja dita, é o mais ancap dos sistemas: metalismo, patrimonialismo e ausência de estado centralizado. O que possibilitou a ascensão da burguesia e a queda da Nobreza ungida pela Igreja e pelas Armas? O Estado Central. E o capital acumulado desdenha César. Eu faço como Dostoiévsky: só aceito o capital se ele beijar a bainha da túnica do Czar, caso contrário, é apenas suicídio e escravatura. Antes Servus et Colonus à Empreendedor e Financista.
  • Marcelo  07/11/2019 03:10
    Se você não gostou da parte nutricional, vá discutir com o Angus Deaton. A tese é toda dele. O artigo simplesmente reproduziu trechos do seu livro. Tenho certeza de que ele estará interessadíssimo em ouvir sua refutação. E aí você está a caminho do Nobel.
  • Yuri  07/11/2019 03:40
    Leandro,

    Pelo que li, os leilões do pré sal realizados hoje não foram bem sucedidos e não atraíram tantas empresas estrangeiras.

    O motivo principal seria a instabilidade do câmbio ?

    (Dias atrás li esse comentário no site: "A falta de proteção contra variações do câmbio ocupa o topo da lista gargalos para o desenvolvimento da infraestrutura. Em 2017, a Secretaria de Assuntos Estratégicos ouviu 50 especialistas de escritórios de advocacia, consultorias, operadores, instituições financeiras e gestores de recursos. O risco no câmbio foi o item de preocupação mais mencionado.")

    Vc enxerga outros motivos para o insucesso desse leilão?
  • Leandro  07/11/2019 13:49
    Nesse caso, não foi o câmbio, não. Dado que o petróleo é uma commodity comercializada internacionalmente, em dólar, a taxa de câmbio não é o fator preponderante. A taxa de câmbio é crucial quando o investidor estrangeiro decide investir, por exemplo, em uma estrada no Brasil. Aí ele terá de cobrar pedágio em reais, para então remeter lucros em dólares para o país de origem.

    O consenso atual é que o problema do leilão do pré-sal está no modelo adotado, que é o de partilha e cessão onerosa (inventado ainda durante o governo Lula e inexplicavelmente mantido até hoje). Os bônus estavam muito caros. Muito melhor seria o de concessão. Há várias matérias sobre isso na imprensa.

    Entretanto, eu ainda acrescentaria que, aos atuais valores do barril de petróleo, não vale a pena tamanho investimento. Certamente, não com os valores cobrados de bônus. Ainda em 2013, após uma rodada também fracassada de leilão, escrevi sobre isso. As previsões ali feitas continuam surpreendentemente se confirmando.

    www.mises.org.br/article/1717/a-maldicao-do-petroleo-continua-a-atormentar-o-brasil
  • Felipe  08/11/2019 14:39
    O modelo de concessão é também uma grande porcaria. O melhor seria, de fato, desestatizar. Doando essas geringonças, já estamos no lucro.

    Se o Bolsonaro conseguir desestatizar o setor de petróleo e derivados, já tem reeleição garantida.
  • trader  07/11/2019 12:56
    questiono se a abundancia em si tem todo esse poder. Pra mim parece ser mais uma consequencia da lavagem cerebral provocada pela educação estatal.

    Remova a educação estatal, e é bem possível ter abundancia material com pessoas conscientes da condição de extrema pobreza da maior parte da história
  • Psicólogo  07/11/2019 13:54
    A abundância e a facilidade de se obter coisas amolecem as pessoas.

    Quando você nasce e cresce em um ambiente precário, no qual você tem de trabalhar duro todos os dias apenas para conseguir comer, você dá valor para qualquer coisa adicional que consegue. Já quando você nasce em um ambiente de moleza, de mamata, em que tudo é muito fácil e farto, você fica mal acostumado, e passa a querer cada vez mais, tudo de mão beijada.

    É como uma criança: se ela nasce na penúria, ela demonstra gratidão por qualquer coisa. Já se ela nasce na fartura e é mimada pelos pais, ela vai ficando cada vez mais mal acostumada e mais ingrata, exigindo cada vez mais e jamais se contentando com pouco.
  • Felipe Lange  10/11/2019 20:27
    Então a Venezuela é exceção? Não sei de nenhum libertário lá.
  • Revoltado  07/11/2019 16:25
    Quando você nasce e cresce em um ambiente precário, no qual você tem de trabalhar duro todos os dias apenas para conseguir comer, você dá valor para qualquer coisa adicional que consegue. Já quando você nasce em um ambiente de moleza, de mamata, em que tudo é muito fácil e farto, você fica mal acostumado, e passa a querer cada vez mais, tudo de mão beijada.

    ==== A primeira situação conheci, ainda que parcialmente, dado que sou oriundo de família classe-média baixa. A última, descreve perfeitamente o histórico de vida do meu supervisor, além de todo pacote PC que ele abraça.
  • Pedro Santos Jr  07/11/2019 16:56
    Lembrando a Cynara Meneses que toda a tecnologia do I Phone é Made in USA.
  • cmr  07/11/2019 21:39
    Errado !!.

    Tem muitos componentes coreanos, japoneses e chineses.

    Estou falando de componentes, porque a mão de obra é quase toda chinesa.

    Atualmente não existe um único equipamento eletrônico totalmente fabricado num único país.
    Nem equipamentos militares americanos, da mais alta tecnologia, são totalmente americanos;
    estão cheios de componentes japoneses, coreanos e chineses, para o desespero dos burocratas pançudos do Pentágono, que descobriram isso recentemente... kkkkk

    Satélites militares, aviônica do F-22, sistemas de navegação de mísseis, etc... cheios de chips chineses "benzidos" (acusação deles), kkkkk
    Isso se os coreanos e japoneses não estiverem "benzidos" também, kkkkkkkkk

  • Ex-microempresario  07/11/2019 23:44
    Não confunda tecnologia com local de fabricação.

    A Intel fabrica microprocessadores na Costa Rica. Mas dizer que o computador tem um processador costariquenho é diferente de dizer que a tecnologia do computador é costariquenha.

    O iPhone é basicamente projetado nos EUA pela Apple, hardware e software. A fabricação é terceirizada para um monte de lugares. São coisas diferentes.
  • Remoção Física Hoppeana  07/11/2019 23:20
    Foi o que disseram no artigo dos protestos chilenos. O motivo pelos protestos chilenos nada mais é do que imediatismo e inveja. Se existe um povo latino que não havia motivos pra protestar daquela maneira na região era justamente o chileno. A riqueza mima as pessoas.
  • Yuri  08/11/2019 02:16
    Leandro, (demais também podem responder)

    IPCA do mês de outubro: 0,10% (menor resultado para o mês desde 1998)
    Setembro: IPCA -0,04%
    Últimos 12 meses: 2,54%.

    A mídia tradicional afirma que essa inflação baixa (para padrões brasileiros) é resultado da recessão e da fraqueza da demanda.

    Entretanto, a causa desse IPCA baixo seria um menor ritmo da expansão monetária nos últimos meses? (imagino que o câmbio não tenha tido contribuição para esse IPCA mais baixo).

    Houve uma redução na oferta monetária no mês de setembro para que IPCA ficasse negativo? A relação entre oferta monetária e inflação é bem nítida/rápida dessa forma?

    Um crescimento na carteira de crédito dos bancos significa aumento/inflação na oferta monetária que resultará numa alta dos índices de inflação ?

    (Desculpe tantas perguntas, sou relativamente novo no estudo da EA)

  • Leandro  08/11/2019 03:51
    "A mídia tradicional afirma que essa inflação baixa (para padrões brasileiros) é resultado da recessão e da fraqueza da demanda."

    Nunca espere nenhuma análise econômica correta da mídia tradicional.

    E isso não é implicância e nem lacração, mas apenas uma obviedade lógica: se o jornalista realmente entendesse de economia, ele não seria jornalista da mídia tradicional (uma profissão em extinção e que paga pouco), e sim estaria ganhando dinheiro exatamente no ramo da economia.

    Nos EUA, por exemplo, a economia está em pleno emprego e cresce ininterruptamente desde 2010, e a inflação de preços por lá está em níveis historicamente baixos. Já Argentina e Venezuela estão em recessão profunda, e apresentam as duas maiores inflações de preço da América Latina.

    Pela lógica da mídia tradicional, era para os EUA estarem com hiperinflação, e Venezuela e Argentina, em deflação.

    Entretanto, a causa desse IPCA baixo seria um menor ritmo da expansão monetária nos últimos meses? (imagino que o câmbio não tenha tido contribuição para esse IPCA mais baixo)."

    O IPCA está baixo porque o IGP-M está baixo. E ele está baixo porque os preços das matérias-primas (commodities) estão mundialmente baixos.

    Eis um gráfico que mostra a relação entre IGP-M e IPCA. (As duas variáveis estão em escalas diferentes, pois o que importa é a correlação entre ambas).

    ibb.co/hYw2Kzt

    E eis um gráfico que mostra a evolução dos preços das commodities em dólares (estáveis desde 2016 e em níveis historicamente baixos, o que, aliás, explica a baixa inflação de preços nos EUA)

    d3fy651gv2fhd3.cloudfront.net/charts/commodity-crb.png?s=crb&v=201911080237V20191105&d1=19191102&d2=20191108

    E eis um gráfico que mostra a evolução dos preços das commodities em reais (em queda desde o ano passado, e no mesmo nível de 2015).

    ibb.co/S6N7dVz

    A baixa expansão monetária também ajuda, é claro, mas essa baixa expansão monetária explica muito mais o dinamismo da economia (a expansão do crédito está baixa, principalmente porque os bancos estatais passaram a ser controlados e estão se desalavancando) do que do que os preços.

    "Houve uma redução na oferta monetária no mês de setembro para que IPCA ficasse negativo? A relação entre oferta monetária e inflação é bem nítida/rápida dessa forma?"

    Irrelevante. Não só pelos motivos acima explicados, como também pela questão temporal: alterações na oferta monetária levam muito tempo para gerar efeitos nos preços. Uma deflação de preços em setembro não é explicada pele evolução da oferta monetária daquele mês.

    "Um crescimento na carteira de crédito dos bancos significa aumento/inflação na oferta monetária que resultará numa alta dos índices de inflação ?"

    Um crescimento na carteira de crédito dos bancos significa que pessoas e empresas estão tomando empréstimos para consumir/investir. Isso é a única coisa que pode ser concluída.

    O efeito sobre os preços será de longo prazo e dependerá muito da própria demanda pela moeda. Se a demanda for alta, o poder de compra se manterá alto, e a inflação de preços será baixa.

  • Yuri  09/11/2019 00:55
    Obrigado pela resposta, Leandro

    Só fiquei com uma dúvida na última parte.

    Então, ao invés do que diz a economia mainstream, o crescimento econômico não gera pressão de alta na inflação, mas sim irá ajudar a diminuí-la na medida que estará havendo maior demanda por moeda e aumento da quantidade de bens/serviços ofertados ?

    Ainda que haja criação e entrada do novo dinheiro na economia por meio do crédito, o crescimento da carteira de crédito dos bancos (que significará aumento da quantidade de dinheiro na economia) não necessariamente irá resultar em índices de inflação mais altos, se o houver crescimento econômico/maior demanda por moeda?


  • Leandro  09/11/2019 04:59
    "Então, ao invés do que diz a economia mainstream, o crescimento econômico não gera pressão de alta na inflação, mas sim irá ajudar a diminuí-la na medida que estará havendo maior demanda por moeda e aumento da quantidade de bens/serviços ofertados?"

    Correto. Isso é lógica básica.

    Um genuíno crescimento econômico significa que mais bens e serviços estão sendo produzidos. Por definição. Logo, se há mais bens e serviços sendo produzidos, então há um aumento na oferta destes itens. Havendo maior oferta de bens e serviços, então tem de haver uma pressão baixista nos preços.

    Igualmente, para as pessoas demandarem (consumirem), eles têm antes de ter produzido algo. Não é possível você demandar (consumir) sem antes ter produzido. Por isso, mesmo uma explosão no consumo não pode, por definição, ser inflacionária, pois os consumidores tiveram antes de produzir algo. Ao produzirem, eles aumentaram a oferta.

    Não estou dizendo que o crescimento tem necessariamente de gerar deflação de preços (pois sempre haverá quem aumente preços por estar em uma área com pouca concorrência, por exemplo), mas sim que é errada a narrativa de que todo crescimento econômico é necessariamente inflacionário.

    Quem diz que crescimento econômico gera inflação são aqueles que vêm a economia apenas pelo lado da demanda (demand-side economics), que é necessariamente keynesiana. Quem entende a economia pelo lado da oferta (supply-side economics) sabe que essa idéia de que todo crescimento econômico gera aumento de preços é insensata.

    Há vários no site, mas eis os três artigos cruciais sobre isso:

    Mito: crescimento econômico causa inflação

    A recessão inflacionária, o gradualismo e a desindustrialização do Brasil

    Dizer que a solução para uma economia estagnada é "estimular a demanda" é um atentado à lógica

    "Ainda que haja criação e entrada do novo dinheiro na economia por meio do crédito, o crescimento da carteira de crédito dos bancos (que significará aumento da quantidade de dinheiro na economia) não necessariamente irá resultar em índices de inflação mais altos, se o houver crescimento econômico/maior demanda por moeda?"

    Exato. Mas sempre pode haver ou uma queda na demanda por essa moeda ou déficits orçamentários do governo que resultem em empréstimos via criação de moeda (reservas fracionárias do bancos em conjunto com o Banco Central), sendo que esta moeda criada não foi demanda para empreendimentos, mas sim para cobrir gastos governamentais. Isso resultará em inflação de preços.

    Igualmente, uma simples queda no poder de compra da moeda (por n motivos) também gerará inflação de preços.

    No final, a inflação de preços é causada por um destes fatores (ou por todos eles), e não pelo crescimento econômico (pois isso seria um atentado à lógica).
  • Yuri  12/11/2019 01:36
    Obrigado pela atenção, Leandro.

    Muito esclarecedora a resposta. Um baita aprendizado.

    Além desses, há mais artigos que abordam essa diferença entre demand-side economics) e supply-side economics ?
  • Leandro  12/11/2019 03:03
    Demand-side é economia keynesiana. Keynes é puro demand-side. Ele só se preocupa em criar maneiras de estimular demanda e consumo (como se isso fosse necessário). O segundo mandato do governo Lula e todo o governo Dilma foram totalmente demand-side. Tudo era incentivo ao consumo (de produtos nacionais). Em nenhum momento se tentou reduzir empecilhos à produção (reduzir burocracia, regulações, impostos e ter moeda estável).

    (Mesmo as políticas de criar campeãs nacionais eram anti-supply-side: tomava-se o dinheiro da população e repassava-o aos empresários favoritos do governo para que eles se tornassem monopolistas de áreas tidas pelo governo como "estratégicas" e "cruciais", desta maneira restringindo a concorrência e, logo, a produção).

    De certa maneira, a escola de Chicago e o monetarismo também têm características de demand-side. Manipular juros para conter/estimular consumo é puro demand-side. Restringir/aumentar artificialmente o crescimento da oferta monetária também é demand-side.

    Já a Escola Austríaca e todos os economistas clássicos (desde Adam Smith e Ricardo até Mills e Say) são supply-side. Todos eles sabem que o desafio sempre foi produzir, e não demandar (consumir). O crescimento econômico e o genuíno enriquecimento de uma população dependem de investimento e produção, e não de consumismo. Consumismo há em qualquer arranjo econômico, até em sociedades tribais.

    Há vários, mas eis os melhores artigos sobre isso:

    www.mises.org.br/article/3046/dizer-que-a-solucao-para-uma-economia-estagnada-e-estimular-a-demanda-e-um-atentado-a-logica

    www.mises.org.br/article/2906/a-obsessao-com-o-consumo-o-desprezo-pela-poupanca-e-a-indiferenca-ao-investimento--atraso

    www.mises.org.br/article/3002/eis-a-lei-economica-irrefutavel-que-e-o-antidoto-para-as-mais-populares-falacias-economicas

    www.mises.org.br/article/2665/por-que-uma-sociedade-poupadora-enriquece-e-uma-sociedade-consumista-empobrece

    www.mises.org.br/article/2721/a-lei-de-say-e-irrefutavel-e-sozinha-destroi-todo-o-arcabouco-keynesiano

    www.mises.org.br/article/2427/o-consumismo-nao-gera-crescimento-economico--e-sua-defesa-e-o-cerne-da-teoria-keynesiana

  • Cantillon  14/11/2019 00:12
    Leandro, eu tentei encontrar livros que respondam essa questão, vídeos e artigos, e nada. Então creio que você possa me ajudar nessa dúvida;
    A escola austríaca defende a ideia que deflação é algo benéfico para a economia (queda de preços e não na quantidade de dinheiro) e ela não acredita em algo como deflação alta ser algo ruim(embora não haja evidência empirica disso por longos periodos de tempo em condições bancárias normais) - quanto maior essa deflação, melhor;
    Mas, nesse meio termo, simplesmente entesourar dinheiro lhe da retorno; E uma demanda por empréstimo só irá surgir se a taxa de retorno estimada(lucro), for maior que os juros reais do emprestimo ;
    Então, supondo uma deflação de 30%, o retorno em lucro deve ser de 30% meramente para conseguir quitar os juros reais do empréstimo ;
    Entendo que a deflação sobre maquinas e insumos tende a ser maior que a que ocorre sobre o consumidor; Mas ainda assim a diferença entre os dois preços teriam que ser maior que os juros reais que você ganha ao simplesmente entesourar dinheiro;
    Se a diferença entre queda de custos e preços ao consumidor for menor que os juros reais, simplesmente não ocorre emprestimo e investimento;
    Se isso não ocorre, a produção tende a cair, a economia desaquece; A deflação diminuiria? Essa parte que eu não entendi, se o raciocinio anterior estiver certo
  • Leandro  14/11/2019 02:32
    "A escola austríaca defende a ideia que deflação é algo benéfico para a economia (queda de preços e não na quantidade de dinheiro) e ela não acredita em algo como deflação alta ser algo ruim"

    A frase está incompleta. A deflação de preços é benéfica quando ela ocorre naturalmente como consequência de aumentos de produtividade e progressos tecnológicos. Ou seja, quando ela já é esperada.

    Isso sempre ocorreu com todos os modelos de computador (em todas as décadas), de calculadoras (em todas as décadas), de televisores (em todas as décadas), de câmeras de vídeo (em todas as décadas), de máquinas fotográficas (em todas as décadas), de notebooks (em todas as décadas) etc.


    Lança-se um modelo novo hoje a um preço Y, e daqui a um ano este mesmo modelo continua em produção, mas sendo vendido a um preço X (sendo que X é menor que Y).

    As empresas de tecnologia continuam investindo maciçamente e produzindo modelos que a cada ano que passa são vendidos a preços menores. E fazem isso, obviamente, porque é lucrativo. O preço de venda importa menos do que o custo incorrido na produção. Se o preço de venda cai, mas o custo cai ainda mais, então o empreendimento continua sendo perfeitamente lucrativo.

    E, paralelamente, vale ressaltar que, graças ao aumento de produtividade, aos ganhos de escala e à maior eficiência, os salários aumentam continuamente nestes setores. Ou seja, preços finais em queda, e salários em alta.

    "(embora não haja evidência empirica disso por longos periodos de tempo em condições bancárias normais) - quanto maior essa deflação, melhor;"

    Há, sim, evidência empírica. Do início da Revolução Industrial, em meados do século XVIII, até o início da Segunda Guerra Mundial, os preços nos países desenvolvidos geralmente caíam, ano após ano. Um cenário de deflação de preços anual era a norma no mundo, especialmente nos EUA, entre 1865 e 1913 (ano da criação do Fed). Foi também nessa época que o país mais cresceu em termos anuais.

    Os preços caíam, em média, 1% ao ano. Uma queda de 1% ao ano durante quase 50 anos dá uma deflação de preços de quase 40% no total.

    "Mas, nesse meio termo, simplesmente entesourar dinheiro lhe da retorno;"

    Qualquer retorno que traga juros reais positivos já estimulará o não-entesouramento.

    Se há uma deflação de preços de 1% ao ano, mas há um investimento que traga 5% nominal ao ano, você terá um ganho real de 6% ao ano. Ou seja, seis vezes mais que o entesouramento.

    6% de ganho real ao ano durante 50 anos (vide exemplo dos EUA) dão 1.740% de ganho real ao todo. Taí um investimento que eu faria alegremente.

    "E uma demanda por empréstimo só irá surgir se a taxa de retorno estimada(lucro), for maior que os juros reais do emprestimo ;"

    Uma demanda por empréstimo surgirá sempre que a taxa de retorno real for maior que a taxa de juros cobrada. Isso, por si só, independe de se há deflação ou inflação.

    Juros reais de 10% em um cenário de inflação de preços estimulam investimentos tanto quanto em um cenário de deflação de preços.

    "Então, supondo uma deflação de 30%, o retorno em lucro deve ser de 30% meramente para conseguir quitar os juros reais do empréstimo ;"

    Não entendi. Se houver uma deflação de 30% (os preços caíram de 100 para 70) e você tiver obtido um lucro nominal de 30% (100 viraram 130), você teve um ganho real de 85%.

    Sendo assim, qualquer pessoa que lhe oferecer empréstimos cobrando juros reais abaixo desse valor já será negócio para você.

    E, de novo, lembre-se que durante um período de quase 50 anos nos EUA (de 1865 a 1913), a deflação total foi de 40%. E foi o período que os EUA mais cresceram economicamente. E tudo era feito à base de crédito, endividamento e emissão de ações.
    Isso nem é teoria mais. É empiria mesmo. Se há ganhos reais, então haverá investimentos (e empréstimos) a serem feitos.

    "Entendo que a deflação sobre maquinas e insumos tende a ser maior que a que ocorre sobre o consumidor; Mas ainda assim a diferença entre os dois preços teriam que ser maior que os juros reais que você ganha ao simplesmente entesourar dinheiro;"

    Se os preços ao consumidor caem 5% (de 100 para 95), mas os custos de produção caem 10% (de 90 para 81), então a rentabilidade subiu.

    Antes, o custo era 90 e a receita era 100. Margem de 11%

    Agora, o custo é de 81 e a receita é de 95. Margem de 17%.

    Ganhar 17% em um cenário de queda de preços de 5% implica um ganho real de 23%.

    Eis o ponto crucial que parece estar lhe escapando: em um cenário de queda de preços, qualquer lucro nominal de 1% já se torna amplamente maior, em termos reais, do que este mesmo lucro nominal de 1% em um cenário inflacionário.

    Ou seja, ao contrário do cenário tétrico que você está imaginando, um cenário de queda de preços estimula empreendimentos, pelo simples fato de que [b]qualquer retorno positivo, por menor que seja, já fará uma brutal diferença em termos de ganho total real[/u].

    Agora, o que realmente quebra investidor e empreendedor é uma deflação de preços totalmente inesperada. Você investe em um setor esperando que os preços dos seus produtos irão subir 10%, mas eles caem 50%. Isso, sim, é fatal. Mas aí é um erro básico de má previsão empreendedorial. Na prática, o sujeito investiu em uma fábrica de celulares analógicos no ano de 2005 esperando que, dali a 10 anos, um celular básico analógico estaria custando R$ 10.000. Aí não.

    Já quando você entra em uma área sabendo que a tendência é de queda de preços, e investe de acordo com isso (visando aumento na otimização e na eficiência, com redução contínua dos custos de produção), você não passará aperto nenhum com a deflação de preços (mesmo porque você está contando com ela).

    "Se a diferença entre queda de custos e preços ao consumidor for menor que os juros reais, simplesmente não ocorre emprestimo e investimento;"

    Na prática, você está dizendo que se os juros reais cobrados pelo empréstimo forem maiores que os ganhos reais do empreendimento, então não haverá empreendimento. Correto, mas, ora, isso vale para qualquer cenário, tanto de inflação quanto de deflação.

    Sob este seu critério, um cenário de inflação de preços de 2% ao ano não se torna mais viável que um cenário de deflação de 2% ao ano.

    Sugiro:

    www.mises.org.br/article/2717/as-bencaos-de-uma-deflacao-de-precos
  • Cantillon  14/11/2019 03:37
    De fato, muito obrigado
    Sobre a empíria , me referia a deflação de 2 dígitos- aparentemente ocorreu por 1 ou 2 anos nos eua ( não sei se em situações normais ou de quebra bancaria ) .
    Mas não é algo que afete sua resposta . Escapou-me a contabilidade
  • O povo gado de cada dia  08/11/2019 13:11
    Off-topic: vcs acham que o judiciário anula a condenação do molusco de nove tentáculos? Acho que a estratégia da esquerda é conseguir a anulação do caso do molusco e depois devem contar com alguma coisa na mão do Verdevaldo criminoso para fazer assassinato de reputação na época das eleições em 2022. Se isso acontecer, não duvido nada o gado correr louco atrás da heroína estatal de novo.
  • anônimo  08/11/2019 16:04
    Lula está mais seguro na cadeia do que fora dela.
  • Revoltado  08/11/2019 19:21
    Dou meu apoio incondicional, na condição que a soltura se proceda do modo descrito abaixo:

    sensoincomum.org/2019/11/07/soltem-lula-meio-avenida-paulista/
  • Alguém  08/11/2019 23:59
    Quais são as chances de o molusco vir a realmente se tornar um problema ou até mesmo se eleger?
  • cmr  26/11/2019 15:49
    Perto de zero, mas esse não é o problema...
    Lula pode nunca mais ganhar nem para vereador, mas para esquerda radical voltar com tudo, basta outro com o mesmo perfil.

    Eu me arrisco a dizer que o perigo é o Cirão da Massa, este tem muita chance de ganhar em 2022.
  • Elias  08/11/2019 22:03
    Acredito que a frase que o Jair Bolsonaro disse durante sua visita ao Museu do Holocausto em Israel DIZ TUDO sobre essa postagem: "Aquele que esquece o seu passado está condenado a não ter futuro".
  • Marcus  09/11/2019 02:52
    se socialismo fosse bom a Alemanha n tinha feito um muro pra dividir na epoca, a Venezuela seria pais de Primeiro mundo e n estaria nessa miséria, USA seria pais de terceiro mundo pobre e fracassado. acorda socialismo á um câncer no mundo, qr ter algo? vai trabalhar, quer crescer na vida?, acorde cedo e estude, seja produtivo e cresça na vida pq vagabundo só tem algo pq os pais ralam pra conseguir, é facil falar bem do socialismo quando vc mora com papai e mamãe, ou quando herdou dinheiro, acorda, sem luta não tem vitoria.
  • Revoltado  11/11/2019 20:18
    Marcus,

    Lembrei-me duma reportagem que li sobre os integrantes doi Movimento Passe Livre, que gerou aquelas manifestações em 2013. Um deles era um cabeludo estilo dreadlock, barbudo, que se definia como "roqueiro anti-trabalho".
    Certamente mommy and daddy o sustenta (ou sustentavam à época) mandando-lhe dinheiro, se acaso não residia com os mesmos, obtendo tudo de mão beijada.
    Adoraria ver esse energúmeno adotar inusitada postura caso tivesse de viver só, sustentando a si próprio sem o suor do labor. Teríamos ali um novo homem, creio.
  • Hoppe  09/11/2019 16:15
    Todos eles seriam rapidamente 'curados' se fossem deportados pro Zimbábue ou Venezuela.

    É incrível como socialista moderno é hipócrita. Fazem de tudo para destruir um país capitalista próspero, para logo depois ir apoiar a destruição de outro país. Não há palavras pra descrever a canalhice desse tipo de gente.

    O sacrossanto estado democrático de direito garante a integridade do seu próprio inimigo. Não há cornisse maior do que essa.
  • Revoltado  11/11/2019 20:21
    Hoppe,

    Acredito não necessitar tanto. Pouca coisa acima do salário mínimo e pelo menos seis contas que ultrapassem os R$ 100/200 os faria repensar e muito sobre a realidade.
    Dependendo do perrengue, se convertem ao libertarianismo e quem sabe tornam-se mais anarcocapitalistas que o Raphaël LIma, do canal Idéias Radicais (risos)
    Revolução nenhuma sobrevive na cabeça desses otários quando o bolso e o estômago gemem alto...
  • Rodolfo Andrello  12/11/2019 12:43
    Acho que uma vez vi aqui no IMB um texto bem parecido, argumentando que países pobres não fazem revolução. Havia salvo engano algum argumento sobre como a própria revolução francesa foi encabeçada por advogados e outras pessoas bem sucedidas, fora outros exemplos do século XX de Cuba e da URSS.
  • Rodolfo Andrello  12/11/2019 16:27
    Me enganei, na verdade era um comentário em um artigo que versava sobre as estatísticas de Cuba. O conteúdo que eu me referia era o seguinte:
    Apenas estude história e veja que todas as revoluções ocorridas na história do mundo -- todas!, sem exceção (e no sentido de tomada de poder) -- ocorreram em países que estavam enriquecendo, e não em países que estavam empobrecendo.

    Revolução Francesa, Revolução Russa, Revolução Chinesa, Revolução Coreana, Revolução Cubana, as revoluções no sudeste asiático, e até mesmo as recentes "revoluções" na Bolívia e na Venezuela ocorreram em sociedade que estavam enriquecendo.

    E o motivo é simples. Sociedades que estão empobrecendo não fazem revolução; pessoas que estão empobrecendo não têm dinheiro nem recursos para financiar uma revolução (que é algo caro e exige muita logística); uma sociedade que está empobrecendo apenas definha. Ela não tem forças pra fazer uma revolução e tomar o poder. Vá ver se há revoluções populares na África Subsaariana ou na Coréia do Norte.

    Quanto à revolução cubana, vale lembrar que não houve participação popular. A rebelião anti-Batista foi liderada e composta predominantemente por membros da classe média cubana, principalmente da classe média alta. Em agosto de 1957, o movimento rebelde liderado por Fidel organizou uma "Greve Nacional" contra a ditadura de Batista — e ameaçou matar os trabalhadores que aparecessem para trabalhar. A "Greve Nacional" foi completamente ignorada.

    Outra greve foi organizada para o dia 9 de abril de 1958. E novamente os trabalhadores cubanos ignoraram solenemente seus "libertadores", comparecendo em massa para trabalhar.

    A rebelião anti-Batista estava apinhada de universitários e profissionais liberais. Advogados desempregados abundavam (Fidel Castro, por exemplo). Observe a composição do primeiro gabinete da "revolução camponesa", composta pelos líderes do movimento anti-Batista: 7 advogados, 2 professores universitários, 3 estudantes universitários, 1 médico, 1 engenheiro, 1 arquiteto, 1 ex-prefeito e coronel que desertou do exército de Batista. Um grupo notoriamente "burguês", como poderia dizer Che.

    Já em 1961, entretanto, operários e campesinos formavam a grande maioria dos rebeldes anti-Castro, principalmente as guerrilhas das montanhas Escambray. Quem é que já ouviu falar de camponeses pobres lutando contra seus benfeitores Fidel e Che?
    Matéria original: www.mises.org.br/Article.aspx?id=2367
  • Historiador  12/11/2019 16:38
    É isso mesmo. Não se encontram exemplos de revoluções socialistas feitas pelos pobres. Sempre - sempre! – é algo feito pela classe média, guiada por intelectuais chiques.

    Sobre os exemplos citados acima, faltou falar da revolução no Camboja (veja o excelente filma da Netflix "Primeiro eles mataram meu pai"), que foi defendida pela classe média e conduzida por intelectuais (Pol Pot virou socialista estudando em uma universidade francesa).

    Também vale ressaltar que o Sendero Luminoso, no Peru, foi criado por um professor de filosofia e era formado quase que exclusivamente por estudantes universitários.


    De resto, veja o Chile atual: tudo ali é classe média mimada protestando. Os idiotas estão solapando as bases econômicas do país (o peso chileno derreteu nas últimas semanas) exigindo mais redistribuição de renda (dos ricos para eles, e não deles para os mais pobres).

    Será apenas mais um triste exemplo prático.
  • Revoltado  13/11/2019 17:21
    Jamais me canso de ler a historinha abaixo, tanto como assistir às reprises de Chaves:


    *O pai chega em casa vestido numa novíssima camisa do PT, entra no quarto do filho e beija o retrato de Che Guevara na parede.*

    *O rapaz espantado pergunta:*

    *_Que é isso pai???*
    *_Ficou maluco???*

    *_Logo você que é o maior "coxinha", "reaça" de primeira vestindo a camisa do PT?*

    *_Que nada filho! Agora sou petista!*

    *Conversamos tanto sobre o Partido que você me convenceu! PT! PT! VIVA O PT! - grita o velho.*

    *O rapaz, membro do DCE da universidade onde já faz um curso de quatro anos há oito anos e fiel colaborador da JPT (Juventude do PT) não se aguenta de tanta alegria!*

    *_Senta aí companheiro!*

    *Vamos conversar!*

    *O que foi que te levou a essa decisão?*

    *_O pai senta-se ao lado do filho e explica:*

    *_Pois é... cansei de discutir contigo e passei a achar que você tem razão.*

    *Por falar nisso, lembra do Luís, aquele que te pediu dois mil reais da tua poupança emprestado para dar entrada numa moto?*

    *_O que tem ele?*

    *(Pergunta o filho...)*

    *_Pois é... Liguei pra casa dele e perdoei a dívida. E fiz mais!*

    *Falei que ele não precisa se preocupar com as prestações, pois vou usar oitenta por cento da sua mesada para pagar o financiamento!*

    *_Pai!!!!! Você ficou louco? Pirou?*

    *_Filho, lembre-se que agora nós somos petistas" Perdoar Dívidas e Financiar o que não é nosso com o que não é nosso é a nossa especialidade!*

    *Temos que dar o exemplo! E tem mais!*

    *Agora 49% do seu carro eu passei para sua irmã.*

    *Vendi pra ela quase a metade do seu carro!*

    *Dessa forma você continua majoritário mas só podendo usá-lo em 51% do tempo!*

    *_Mas o carro é meu, papai!*

    *Não podia fazer isso! Não pode vender o que não é seu!*

    *_Podia sim!*

    *A Dilma fez isso com a Petrobrás e você foi o primeiro a apoiar!*

    *Só estamos seguindo o caminho dela!*

    *O garoto, incrédulo e desolado entra em desespero, mas o pai continua:*

    *_Outra coisa!*

    *Doei seu computador, seu notebook e seu tablet para os carentes lá do morro.*

    *Agora eles vão poder se conectar!*

    *_Pai! Que sacanagem é essa?*

    *_Não é sacanagem não, filho! Nós petistas defendemos a doação do que não é nosso, lembra?*

    *Doamos aviões, helicópteros, tanques...*

    *O que é um computador, um tablet e um note diante disso?*

    *Prestes a entrar em colapso, o garoto recebe a última notícia:*

    *_Filho, lembra daquele assaltante que te ameaçou de morte, te espancou e roubou teu celular?*

    *Vou agora mesmo retirar a queixa e depois para a porta da penitenciária exigir a soltura dele, dizendo que ele é inocente!*

    *_Pai... pelo amor de Deus...*

    *Você não pode fazer isso...*

    *O cara é perigoso!*

    *_Perigoso nada!*

    *É direitos Humanos que nós pregamos, filho! Somos petistas com muito orgulho!*

    *_Mas o cara me espancou! Me roubou, pai!*

    *_Alto lá!*

    *Não há provas disso!*

    *Isso é estado de exceção!*

    *O rapaz é inocente!*

    *Nós fizemos a mesma coisa com os companheiros acusados no mensalão!*

    *_Mas ele estava armado quando a polícia chegou!*

    *_E daí???*

    *Ele estava armado mas quem prova que a arma era dele? A revista Veja? Isso é coisa de reaça, filho!*

    *_Papai, você ficou doido! E o pai finaliza:*

    *_Fiquei doido?*

    *Na hora de defender bandido que roubou uma nação você é petista, mas se roubarem você, deixa de ser.*

    *Na hora de doar, perdoar dívidas e fazer financiamentos com o que é dos outros, você é petista. Mas se fizer o mesmo com você, deixa de ser.*

    *Na hora de dilapidar o patrimônio nacional, vendendo o que é mais precioso e não pertence ao PT e sim ao povo, você é petista, mas se vender metade do que é seu, você deixa de ser!*

    *_PEGA AS SUAS COISAS E SUMA DAQUI!!!*

    *_Vou pra onde, papai?*

    *Perguntou chorando...*

    *_Agora você é um dos sem-teto que você defende, seu moleque cagão!*

    *E vai se consultar com médico cubano, porque eu cancelei teu plano de saúde!*

    *Dois dias depois o moleque bateu na porta curado.*

    *Não era mais petista e não havia mais DCE ou JPT. E nem chamava o pai de "reaça".*

    *E o milagre da educação aconteceu.*

    *(Diogo Mainardi)*
    *Sensacional.*
  • Askeladden  16/11/2019 12:30
    Simples.
    Jovens de classe media e alta sempre viveram no socialismo dos pais. Papai paga tudo até se formar.

    Milhões saíram da pobreza para classe média. Abriu se uma faculdade em cada esquina.

    Resultado um grande número de formandos trabalhando em sub empregos, jovens endividados para pagar seus I phones, cartões de créditos etc.

    Com os impostos que pagamos deveríamos ter um socialismo de primeiro mundo, mas no mundo real se gasta 3 vezes mais com previdência do que com saúde, educação e segurança. Sem falar na dívida pública.

    Bom mesmo é ser professor universitário, propagar estas ideias, fazer greves (férias) e sempre ter aumentos por causa das greves e defender que isso é socialismo.
  • jeferson vasquez  18/11/2019 03:04
    Sei que isso é fora do contexto mas repasse isso para o máximo de pessoas pra impedir essa catástrofe de traição suprema.

    facebook.com/2243345725882841/posts/2390384027845676/
  • Raquel  23/11/2019 15:52
    A esquerda não quer acabar com os privilégios,eles querem ter os mesmos supostos privilégios que os outros possuem.É a pura inveja.Outro dia eu li num artigo,que não existe fila e banco preferencial na Alemanha.Se é verdade,eu não tenho como saber.Mas se for,isso me deixou feliz.Afinal não somos todos iguais perante a lei?Como pode uma constituição que define uma igualdade jurídica ,criar privilégios para certos grupos?E a coisa está tão feia,que os beneficiados pela fila preferencial,não querem apenas algumas filas para eles.Querem que todas sejam preferenciais.(como já existe no transporte público aqui no Rio).Outro dia eu estava no supermercado com minha mãe,e apesar de ela ter 70 anos,ela preferiu ficar comigo na fila normal.Chegou um senhor,que não era tão velho,exigindo passar a minha frente.Ai,eu mandei ele ir tomar naquele lugar.Depois que descobri a filosofia libertária,eu fiquei abusada.Leis que eu considero abusos demais,como o da fila preferencial,eu simplesmente ignoro.O estado vai fazer o que,me prender?
  • Emerson Luis  05/12/2019 15:59

    Muito antes de Camille Paglia, o ensaísta espanhol José Ortega y Gasset escreveu sobre o "homem-massa", o "senhorzinho satisfeito" que vê os resultados do progresso tecnológico e econômico desde a revolução industrial e acredita que tudo simplesmente surgiu e existe sozinho.

    * * *
  • João Gabriel  12/12/2019 15:58
    Mares calmos nunca fizeram bons marinheiros, tempos bons nunca fizerem homens fortes...


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.