clube   |   doar   |   idiomas
Cinco coisas que Marx queria abolir (além da propriedade privada)
Ele foi extraordinariamente franco quanto a seus propósitos

Uma das características mais extraordinárias de O Manifesto Comunista é sua honestidade.

Mesmo quem conhece bem a biografia de Marx — repleta de apologias a extermínios em massa de "raças inferiores" e a ditaduras — se surpreende com sua notável franqueza em relação aos objetivos do comunismo.

Com efeito, é possível argumentar que esta audácia passou a permear toda a psique comunista.

No último parágrafo do manifesto, Marx resume toda sua posição: "Os comunistas rejeitam suavizar suas idéias e objetivos. Declaram abertamente que os seus fins só podem ser alcançados pela violenta subversão de toda a ordem social vigente. Que as classes dominantes tremam de medo perante uma revolução comunista!".

Assim como em Mein Kampf, de Hitler, os leitores são apresentados a uma visão pura e nada diluída da ideologia do autor (por mais sombria que seja).

Começa com a propriedade

O manifesto de Marx tornou-se famoso por resumir toda a teoria do comunismo em uma única frase: "Abolição da propriedade privada". Ao final do segundo capítulo, ele inclusive fornece as 10 medidas necessárias para tornar um país comunista. Diz ele:

O proletariado usará sua supremacia política para expropriar, de maneira gradual, todo o capital da burguesia, para centralizar todos os instrumentos de produção nas mãos do Estado — isto é, do proletariado organizado como classe dominante. [...]

Naturalmente, isto só poderá ocorrer por meio de intervenções despóticas no direito de propriedade e nas relações de produção burguesas. Por meio de medidas, portanto, que economicamente parecerão insuficientes e insustentáveis, mas que, no decurso do movimento, levam para além de si mesmas, requerendo novas agressões à velha ordem social.[...]

Estas medidas serão, obviamente, naturalmente distintas para os diferentes países.

Não obstante, nos países mais avançados, poderão ser aplicadas de um modo generalizado.

1. Expropriação da propriedade sobre a terra e aplicação de toda a renda obtida com a terra nas despesas do Estado.

2. Imposto de renda fortemente progressivo.

3. Abolição de todos os direitos de herança.

4. Confisco da propriedade de todos os emigrantes e rebeldes.

5. Centralização do crédito nas mãos do Estado, por meio de um banco nacional com capital do Estado usufruindo monopólio exclusivo.

6. Centralização, nas mãos do Estado, de todos os meios de comunicação e transporte.

7. Ampliação das fábricas e dos instrumentos de produção pertencentes ao Estado; arroteamento das terras incultas e melhoramento das terras cultivadas, tudo de acordo com um plano geral.

8. Trabalho obrigatório para todos. Criação de exércitos industriais, em especial para a agricultura.

9. Unificação do trabalho agrícola e industrial. Abolição gradual de toda e qualquer distinção entre cidade e campo por meio de uma distribuição equilibrada da população ao longo do território do país.

10. Educação gratuita para todas as crianças nas escolas públicas. Eliminação do trabalho infantil nas fábricas em sua forma atual. Unificação da educação com a produção industrial etc.

Mas estes famosos 10 pontos do manifesto comunista — que vão desde a abolição da propriedade até a instituição do trabalho compulsório e da reorganização da distribuição demográfica — ainda não englobam todo o pensamento de Marx.

Com efeito, a abolição da propriedade privada está longe de ser a única coisa que o filósofo acreditava que tinha de ser abolida da sociedade burguesa para permitir a marcha do proletariado rumo à utopia.

Em seu manifesto, Marx enfatizou cinco outras idéias e instituições que também tinham de ser erradicadas.

1. A Família

No segundo capítulo, Marx admite que a abolição da família — uma instituição burguesa — é um tópico espinhoso, mesmo para os revolucionários. "Abolição da família! Até os mais radicais se assustam com este propósito infame dos comunistas", escreve ele.

Em seguida, ele explica que os oponentes desta ideia são incapazes de entender um fato crucial sobre a família.

"Sobre quais fundamentos se assenta a família atual, a família burguesa? Sobre o capital, sobre o proveito privado. Em sua forma completamente desenvolvida, a família tradicional é uma instituição burguesa e existe somente na burguesia", afirma Marx.

Para melhorar a situação, abolir a família seria relativamente fácil tão logo a propriedade da burguesia fosse abolida. "A família burguesa será naturalmente eliminada com o eliminar deste seu complemento, e ambos desaparecerão com o desaparecimento do capital."

2. Individualidade

Marx acreditava, corretamente, que o indivíduo e a individualidade eram uma força de resistência ao igualitarismo que ele queria impor.

Consequentemente, também no segundo capítulo, Marx afirma que o "indivíduo" — que para ela era "o burguês, o cidadão de classe média detentor de propriedades" — terá de ser "retirado do caminho, suprimido, e ter sua existência impossibilitada".

Segundo Marx, a individualidade é uma construção social da sociedade capitalista e está profundamente arraigada na própria noção de capital.

"Na sociedade burguesa, o capital é independente e possui individualidade, ao passo que a pessoa é dependente e não possui individualidade", escreveu ele. "E a abolição deste estado de coisas é rotulada pela burguesia de abolição da individualidade e da liberdade! E com razão. A abolição da individualidade burguesa, da independência burguesa e da liberdade burguesa sem dúvida são os nossos objetivos."

3. Verdades eternas

Marx aparentava não acreditar que existisse qualquer outra verdade além da luta de classes. Tudo aquilo que as pessoas comuns consideravam ser verdades era, segundo Marx, apenas imposições da burguesia.

Para Marx, a luta de classes era a única verdade inquestionável. E era ela o que determinava todas as outras "verdades".

"As ideias dominantes de cada época sempre foram apenas as ideias da classe dominante", disse ele. "Quando o mundo antigo estava em declínio, as religiões antigas foram sobrepujadas pelo cristianismo. Quando as ideias cristãs sucumbiram, no século XVIII, às ideias racionalistas, a sociedade feudal travou sua luta de morte com a burguesia, que então era revolucionária."

Ele reconheceu que esta ideia soaria radical demais para seus leitores, principalmente quando se considera que o comunismo não buscava modificar a verdade, mas sim suprimi-la. Porém, argumentou Marx, essas pessoas simplesmente não estavam tendo a visão global das coisas.

Dirão os céticos: "As ideias religiosas, morais, filosóficas, políticas, jurídicas, etc., sofreram várias modificações no decorrer da história. Entretanto, a religião, a moralidade, a filosofia, a ciência política, e o direito sempre sobreviveram a estas mudanças. Além disso, existem verdades eternas, como Liberdade, Justiça etc., que são comuns a todas as camadas sociais. Já o comunismo que abolir as verdades eternas, abolir todas as religiões e toda a moralidade, em vez de apenas tentar configurá-las de novo. Consequentemente, o comunismo age em contradição a toda a experiência histórica passada."

Ora, mas a que se reduz esta acusação? Ela simplesmente afirma e confessa que toda a história da sociedade se baseou na evolução dos antagonismos de classes, antagonismos que assumiram diferentes formas em diferentes épocas.

Porém, qualquer que fosse a forma assumida, um fato é comum a todas as épocas: a exploração de uma parte da sociedade pela outra. Não é de se admirar, portanto, que a consciência social das épocas passadas, a despeito de toda a multiplicidade e variedade de acontecimentos, se manifeste sempre dentro de padrões similares e de acordo com idéias gerais. E isso só irá desaparecer por completo com o desaparecimento total dos antagonismos de classe.

4. Nações

"Os comunistas", disse Marx, "são repreendidos por seu desejo de abolir países e nacionalidades". Mas esses críticos são incapazes de entender a natureza do proletariado, disse ele.

Os operários não têm pátria. Logo, não é possível tirar deles aquilo que eles não têm. Ademais, dado que o proletariado tem primeiro de conquistar a dominação política, de ascender à classe dominante da nação, e finalmente se tornar ele próprio a representação da nação, então podemos dizer que, até o momento, ele ainda é nacional, mas não no sentido burguês da palavra."

Adicionalmente, o próprio Marx admitiu que, por causa do capitalismo, as hostilidades entre as pessoas de diferentes culturas e criações estavam diminuindo. Assim, quando o proletariado chegasse ao poder, não mais haveria necessidade de existir nações, disse ele.

As diferenças nacionais e o antagonismo entre as pessoas de diferentes culturas estão, diariamente, desaparecendo cada vez mais por causa do desenvolvimento da burguesia, da liberdade de comércio, do mercado mundial, e da uniformidade do modo de produção industrial, que gera condições uniformes de vida entre as pessoas.

A supremacia do proletariado fará com que tudo isso desapareça ainda mais rápido.

5. O passado

Marx via a tradição e os costumes como uma ferramenta de dominação da burguesia. Aderência aos costumes e respeito ao passado serviam meramente para distrair o proletariado, atrasando sua busca por emancipação e supremacia. Os tradicionalistas — "reacionários" — apegados ao passado e aos costumes agiam assim unicamente para manter os instintos revolucionários do proletariado sob controle.

"Na sociedade burguesa", escreveu Marx, "o passado domina o presente; na sociedade comunista, o presente domina o passado".

Talvez as sementes da nossa atual era da pós-verdade estejam aí.

41 votos

autor

Jon Miltimore
é o editor-chefe do website Intellectual Takeout.


  • ???????  01/11/2017 14:44
    Marx é estudado até hoje nas universidades... e Mises, não.


    Você não vê nenhum site do Marx criticando Mises, mas você vê site do Mises criticando todo mês o Marx rsrs



    Por que esse barbudinho ,que não gostava de trabalhar, é tão popular assim, hein ?
  • Rodrigo  01/11/2017 15:06
    Porque ele justifica a preguiça, o roubo e a incompetência assim todos se apegam a ele.
  • Celso Corsino  01/11/2017 23:43
    mitou kkkk
  • Sandro Moreira Mattar  18/04/2018 21:16
    Boa, garoto!
  • edelcio junior  01/11/2017 15:46
    Adolf Hitler também é muito estudado nas universidades de História. Madre Tereza... olha só... não.
  • Me too  01/11/2017 17:07
    auhauhuahua, mitou!
  • Graziani  02/11/2017 02:26
    Melhor resposta. Hahahaha
  • Sempre Mais do MESMO  02/11/2017 11:37
    .
    Marx, tal e qual Keynes, sempre será "estudado" e suas IDEOLOGIAS sempre serão propagandeadas por um fato:

    - Tanto Marx quanto Keynes DEFENDEM o PODER ABSOLUTO para a HIERARQUIA ESTATAL.

    Todos aqueles que se beneficiam ou pretendem se beneficiar do PODER estatal defenderão estes pulhas.

    O Estado, reino ou governo são organizações criminosas que vivem do ROUBO, do assalto contínuo à sociedade. Estes que vivem do PODER vivem da EXPROPRIAÇÃO daqueles que trabalham.

    Claro que precisam de uma IDEOLOGIA que os redima, ou teriam que assumir abertamente que não passam de bandidos. Isso levaria a um PODER sempre instável. Já que todos na sociedade conspirariam para derrubar o Estado/governo/reino.

    Ou seja, as IDEOLOGIAS que prometem maravilhas num futuro sem data e incerto tanto quanto tentam justificar instituições no presente, se fazem a redenção destas quadrilhas denominadas governos.

    Claro que tendo os governos uma quantidade astronomica de CONCENTRAÇÃO RECURSOS ECONOMICOS (CAPITAL DISPONÍVEL), podem CORROMPER PROPAGANDISTAS e tendo o PODER de IMPOR, certamente que IMPÕEM o estudo destes embusteiros como se cientificos fossem.

    EStudar Marx ou keynes é exatamente o mesmo que estudar feitiçaria.

    A diferença é que feitiçaria não advoga PODER para a hierarquia estatal. Caso advogasse seria matéria em colégios e sobretudo faculdades.
  • Luis Alberto  06/11/2017 14:10
    Madre Tereza é uma fraude. Ela não gostava dos pobres, gostava da pobreza.
  • Nelsi  21/04/2018 01:21
    Acho que você pensou em lula e enganosamente errou escrevendo Madre Teresa.
  • Adão José Sabará  01/11/2017 18:58
    O comunismo/socialismo/igualitarismo e tudo isso e muita mais.
    Essas coisas ainda fazem tanto sucesso e ainda consegue arrebanhar multidões de pessoas devido que o ser humano não consegue suportar a sua inveja, o seu egoísmo, não consegue conceber que este mundo é cheio de imperfeições, de dores, de tristezas de sofrimento. E a todo custo ele quer mudar isso, tornar um paraíso na Terra. Com este pensamento ele cria esses infernos na Terra.
    URSS
    China
    Coréia do Norte
    Vietnã
    Cuba
    Venezuela.
    DORES + DORES + MORTES + SOFRIMENTO + CHORO
  • eugenio  03/11/2017 04:24
    correto, inveja em primeiro lugar, depois preguiça..."igualar para baixo, nivelar por baixo,todos na M,ninguém inveja ninguem..." como no paraiso cubano kkkk
    Marx se informem, um péssimo cidadão,maus costumes,os piores, inclusive os óbvios e elementares como higiene, vivia "infeccionado" cheio de furunculos, e queria ensinar os outros, ditar modelos. Como pode o povo se enganar tanto se não pela ignorancia? rsrsrs e o povo ignaro,incapaz de analisar, deve votar?
  • Luis Alberto  06/11/2017 14:12
    O único lugar em que o comunismo deu certo foi onde não foi implantado.
  • Elandir Antonio Desidério  18/04/2018 13:10
    Concordo, o ser humano em sua maioria não suporta o sucesso alheio, é incapaz de aceitar sua condição individual ou buscar modifica-la, não admite correr o risco de não alcançar o sucesso pessoal ou individual. Não se aceita como é, e não aceita os outros.
  • Ramalho Coelho  02/11/2017 05:23
    Ainda hoje tem muita gente que acredita que o comunismo não falhou, mas as pessoas que tentaram implantá-lo é que falharam. Tolas que bebem o veneno da ilusão.
    Estudar Marx, faz parte do domínio cultural no qual se joga no lixo a inteligência de muitos jovens nas universidades e nas escolas. A meta é ser comunista sem saber.
  • Renato  02/11/2017 20:45
    É popular por causa de antas como você!
  • William  02/11/2017 20:48
    Não concordo
  • Desgraduado  02/11/2017 21:40
    Essas universidades públicas são bizarras.

    Os estudantes de universidades públicas estão defendendo quem mata proletários.

    Assassinos que matam proletários são defendidos pelos zumbis de universidades.

    O país vive um genocídio, enquanto a esquerda defende assassinos.

    Essas universidades públicas viraram um crime contra a inteligência.
  • Fernandes  03/11/2017 12:58
    Marx defende o fácil, o "roube dos ricos", "não construa nada, se aposse do que os outros construíram", isso soa como música nos ouvidos de muitos que não querem trabalhar, se esforçar, querem viver do esforço alheio. É fácil ser popular assim.
  • Desgraduado  03/11/2017 18:17
    Os caras dizem que os presídios viraram "universidades do crime", mas as próprias universidades públicas estão ensinando atos marxistas criminosos.

    O crime foi institucionalizado.

  • Antoniel  14/12/2017 02:02
    Ele é "tão estudado "pelas suas heranças deletérias. Um dos maiores dementes que a humanidade produziu. E faz coro até hoje.
  • Gerard du Pardiero  16/12/2017 03:09
    Marx Foi prolífico em duas coisas: Sofismas e furúnculos!
  • Ed  12/04/2018 13:13
    Se ele queria extinguir o direito de herança, ele aceitaria ir pro olho da rua, com uma mão na frente e outra atrás, no mesmo instante em que os pais morressem? Iria mesmo?
  • Mauro Direita  19/04/2018 13:07
    Marx nunca trabalhou na vida e depois fez uma "teoria" econômica para que todos vivessem sem trabalhar (ou pelo menos às custas de quem trabalha).
    Hoje, inúmeros vagabundos amam essa "teoria" e sonham em viver como carrapatos.
    Bando de fracassados na vida!
  • Guimarães  01/11/2017 14:47
    Nenhuma surpresa. Os progressistas de hoje fazem exatamente o mesmo. Abolir a família tradicional (fazendo apologia de meios de vida "alternativos"), criminalizar a individualidade e apagar o passado, a cultura e as tradições tem sido a norma comportamental da intelligentsia nos últimos anos.
  • Antonio Marcos  03/11/2017 23:27
    [[[...Os fabianos não se diferem em nada conceitualmente dos primatas comunistas pois apenas sob o casco de suas carapaças lentamente vão amassando a palha que será preparada durante os processos socialistas característicos de seus governos liberais para o apogeu do real governo comunista onde o fogo queimara todos os direitos individuais e patrimoniais. Deixando apos disso apenas o grande estado como uma particular"Casa grande" de onde sua elite governamental jogará farelos nos telhados da senzala. Seus discípulos ali presos aos grilhões se sentirão ofendidos por estarem nas mesmas masmorras onde também se encontram conservadores e monarquistas depostos. Sonharam o grande sonho e lamentaram a grande mentira, pois agora presos aonde estão e pequenos como são, jamais do grande estado se libertarão...]]]
  • Humberto  01/11/2017 14:50
    Esses são exatamente os objetivos do sistema educacional moderno e da mídia mainstream. Mudaram apenas o método: hoje não é mais a revolução violenta mas sim a revolução cultural. A metodologia foi ligeiramente alterada do marxismo puro para o gramscismo, mas os objetivos continuam sendo exatamente os mesmos.
  • Escolástico  01/11/2017 15:08
    Para os progressistas, não existem "indivíduos", mas sim membros de grupos coletivos (os quais Rothbard rotulou de "membros credenciados" de grupos vitimológicos) que se resumem apenas a reclamar e a demonstrar rancor, especialmente contra os membros pertencentes à classe do "homem branco, heterossexual, cristão e chefe de família".

    Para progressistas, você vale exatamente aquilo que é determinado exclusivamente por seus atributos físicos (que definem a que grupo coletivo você pertence).
  • Vanessa  01/11/2017 14:52
    O objetivo claro era simplesmente abolir a liberdade da humanidade. Abolir a propriedade privada era o meio mais rápido para alcançar este fim.
  • brunoalex4  01/11/2017 14:53
    Resumindo:

    Esse sujeito era um MONSTRO DIABÓLICO!!! Mas como Deus é infinitamente misericordioso, nos mandou Mises para dissipar as trevas das ideias comunistas.
  • Adão José Sabará  01/11/2017 17:48
    Para saber a respeito do pensamento diabólico de Karl Marx, deve-se ler o livro, "ERA KARL MAX UM SATANISTA", autor é um pastor seu nome é Richard Wumbrand. Neste livro percebe-se claramente que o desejo primeiro de Marx é de destronar o próprio Deus. Sabendo dessa impossibilidade ele se volta contra a criação de Deus, o homem, a grande obra de Deus. Aquele homem feito de barro, que é a imagem e semelhança de Deus, conforme o livro do Gênesis. Isso é o Karl Marx, pode-se notar que em todos os países socialistas/comunistas a vida se transforma em um inferno, que é máxima condenação do homem.
  • Roney  17/12/2017 16:44
    O Max era judeu de família, escolheu ser contra Deus, decidiu ser satanista, para atacar a Deus, entrou com uma estratégia, atacar a instituição de Deus a "família" /" burguesa" como um problema a ser exterminado. Max viveu na M, com dívidas, todo ferrado, vendendo os bens da esposa pra comer, cheio de furúnculos. Problemas graves com maus cuidados dos filhos. Poucas pessoas carregaram seu caixão. Foi um dejeto humano e quer me dizer que devo estudá-lo e segui-lo? Devo ser um" idiota útil" propagando o Marxismo cultural?
  • Adão José Sabará  01/11/2017 18:03
    Para saber mais sobre o pensamento socialista, existe um outro livro maravilhoso chamado de "A PSICOLOGIA DO SOCIALISMO", de Gustave Le Bon. Ele escreveu o livro no final do século XIX, ou seja, ante da revolução russa(1917), mas neste livro ele aborta o que é o socialismo na parte psicológica dos seres. Dá para ter um excelente pensamento da cabeça do socialista.
    www.pliniotomaz.com.br/downloads/gustavepsicologiadosocialismo.pdf
    midiasemmascara.org/arquivos/livre-mercado-moralidade-e-cesarismo/
  • Vinícius Garcia  01/11/2017 15:01
    Qual exatamente é a diferença entre essas ideias de Marx e as de Adolf?
  • Beto  01/11/2017 16:54
    A diferença é que as ideias do Adolf resultaram em menos cadáveres.
  • Adão José Sabará  01/11/2017 18:54
    Perto da capacidade dos comunistas de matar pessoas, os nazistas são aprendizes.
  • Rodrigo  01/11/2017 15:14
    Vindo de um cara que era satanista (Karl Marx adorava o Diabo), não é de se espantar esses cinco pensamentos.
  • Eduardo  01/11/2017 15:17
    Sim, a ligação entre Marx e o satanismo foi documentada em um extenso livro:

    https://www.amazon.co.uk/Marx-Satan-Richard-Wurmbrand/dp/0891073795
  • Sideshow Bob  01/11/2017 15:19
    Abolir a família também abre caminho pras práticas pedófilas, que todo esquerdista ama.
  • DIOGO ALMEIDA SANTOS  01/11/2017 15:45
    O Objetivo de Marx era deixar todos burros e preguiçosos.
    Para refutar Marx basta usar a matemática. Basta ser alfabetizado para ver que o comunismo não dá certo.
    é impossível uma sociedade existir sem o sistema de preços, oferta e demanda , lucros e prejuízos.
  • anônimo  01/11/2017 17:22
    Exatamente. Comunismo é diretamente contra as leis básicas da economia.
  • Scheunemann  01/11/2017 15:48
    O comunismo é um atentado a raça humana!
    E o pior é ver tanta gente idolatrando esses pensamentos, ou são muito, mas muito inocentes (desprovidos de lógica) ou mal intencionados mesmo.
  • anônimo  01/11/2017 17:07
    O único lugar que comunismo funciona é no twitter e tumblr.
  • ???  27/11/2017 17:28
    Garanto que se vc tentar convencer aquele bando de esquerdistas a implantarem o comunismo no Tumblr eles não vão gostar, acredite, eles ficam pistolas se alguém "rouba"(reposta fanarts sem autorização)deles.
  • Me too  01/11/2017 17:08
    Inacreditável é saber que tem "gente" que apoia esse tipo de pensamento absurdo.
  • Keynes o terror dos austriacos  01/11/2017 18:00
    www.bbc.com/portuguese/internacional-41753995

    Como a Bolívia se tornou o país que mais cresce na América do Sul. A Bolívia está há mais de uma década crescendo a uma média anual de 5% – muito superior à dos Estados Unidos e à dos países sul-americanos.

    E agora, miseanos?
  • Lógica, o terror dos keynesianos  01/11/2017 18:31
    Rapaz, você merece palmas pela coragem. É a primeira vez na história que vejo alguém dizendo que o modelo que o mundo deve imitar é o da ... Bolívia!!!

    Mas você está falando sério ou está de zoação? Se sério (e parece que é), ao menos devo conceder que você foi original. Normalmente, as pessoas defendem o modelo escandinavo. Alguém defender o modelo boliviano de fato merece palmas nem que seja pela coragem.

    "A Bolívia está há mais de uma década crescendo a uma média anual de 5%"

    Ah, mas isso não é nada. Se, para você, o que determina o sucesso de um modelo é o quanto as estatísticas do governo dizem que a economia está crescendo, então o real modelo a ser imitado é o da Venezuela. Afinal, na última década, 5% foi o piso do crescimento deles. O normal era 10% ao ano. E havia picos de 15% ao ano. O que é a Bolívia perto disso?

    Aliás, já que o negócio é PIB, então por que não imitarmos o modelo australiano? Lá não há um mísera recessão desde 1991! E o PIB gira entre 3 e 5% ao ano. E isso durante três décadas!

    Ou, então, por que não o modelo neozelandês? Ao contrário da Austrália, até houve uma recessãozinha lá em 2009 (como no resto do mundo), mas a economia cresce entre 4 e 6% ao já há três décadas!

    Convenhamos, um tiquinho melhor que o invejável modelo boliviano, não?

    Logo, se sua preocupação são os números do PIB, então, pô, Austrália e Nova Zelândia seriam opções bem mais racionais, não?

    Mas repito que admiro a sua bravura. Aliás, gostaria até de ver o seu chamamento: "Vamos ser todos como a Bolívia!"
  • Solange  17/04/2018 22:53
    Amei sua aula, matou a pau kkkkkk, nada como não ter sido educado pelo método Paulo Freire
  • Leandro  01/11/2017 18:54
    O Peru também está crescendo exatamente a uma média de 5% ao ano nesta década. Mas, como ele não segue a cartilha bolivariana (é bem o oposto, aliás), é mais conveniente ignorá-lo.

    No mais, sobre a Bolívia, há um detalhe interessante: o Banco Central boliviano estabeleceu uma taxa de câmbio semi-fixa desde o final de 2008. Como consequência, a inflação de preços caiu de 18% para 3,25%, sendo sistematicamente mais baixa que a nossa.

    E, segundo o site Trading Economics, "Banco Central de Bolivia doesn't use interest rates as a policy tool. Bolivia's monetary policy has been based on an exchange rate mechanism."

    Não é à toa que Evo Morales chegou a ter altos índices de aprovação. Ele apenas fala contra imperialismo; na hora que realmente interessa, ele (que não é bobo) atrela sua moeda ao dólar. Se não fizesse isso, sua moeda iria despencar.

    O índio -- que de bobo não tem nada -- faturou em cima disso.

    Igualmente importante ressaltar é que Morales, ao contrário dos outros bolivarianos, sempre se mostrou muito à vontade em deixar as pequenas e médias empresas bolivianas em paz. Mais ainda: ele nunca teve problemas em permitir que uma grande fatia da economia operasse na informalidade (ou seja, operasse sem nenhuma regulamentação).

    Na prática, quando Morales ignora a economia informal, ele está essencialmente criando "brechas" nas regulamentações estatais. E, como Ludwig Von Mises sempre dizia, "as brechas nas regulamentações são o que permitem a economia respirar".

    Artigo sobre a Bolívia:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2439
  • Ninguem Apenas  01/11/2017 23:24
    Leandro,

    o Peru ainda hoje mantem a concorrência de moedas entre o sol e o Dólar né? Este modelo seria melhor para o Brasil que o currency board não? já que a gente evitaria as enormes trapalhadas americanas com o dólar tendo 2 escolhas em vez de uma.

    Mas eu fico em dúvida quanto aos índices de inflação no Peru, será que ele engloba as duas moedas ou somente a inflação em sóis?
  • Costureiro boliviano  01/11/2017 18:56
    Crescendo o PIB exportando gás natural e commodities. Onde será eu já vi isso antes?
  • anônimo  04/11/2017 00:22
    É impressionante a mediocridade da BBC, Folha, UOL, NYT, etc.

    Defendem sistemas de regimes que vendem commodities, centralizam o poder e dão migalhas pra população.

    Todas essas mídias são CÚMPLICES das atrocidades que acontecem na Venezuela por terem puxado o saco do Hugo Chávez por 10 anos.
  • Luiz Moran  01/11/2017 19:33
    Começo afirmando que toda ideologia é uma utopia, dado que, isto já está exaustivamente comprovado ao longo da história, crendo eu portanto que poucos discordarão desta afirmativa.
    Há nos ANCAP um ponto, e esse é um ponto central, que também é defendido por Karl Marx e Engels; vejam a que ponto eu me refiro e que está contido num trecho do livro "O Manifesto Comunista":
    "[...] o proletariado toma o poder do Estado e transforma os meios de produção em propriedade estatal, mas ao fazê-lo dá cabo de si mesmo enquanto proletariado, põe fim a todas as diferenças de classe, aos antagonismos de classe, e põe fim inclusive ao Estado enquanto Estado [...]. O Estado não é "abolido", ele "murcha até sumir".
    Ainda segundo Marx e Engels, essa sociedade sem Estado "[...] pode muito bem escrever em sua bandeira: feita por cada um, conforme suas habilidades, para cada um, conforme suas necessidades".
    P.S.: abstenham-se do ad hominem por favor.
  • Flavio  01/11/2017 19:41
    Já comentado aqui:

    "O socialismo é a propriedade estatal dos meios de produção. Mas Marx profetizou que o estado desapareceria sob o comunismo. Pior: ele nunca explicou como ou por que isso iria acontecer.

    Sua teoria era bizarra. Ele dizia que, para abolir o estado, era necessário antes maximizá-lo. A ideia era que, quando tudo fosse do estado, não haveria mais um estado como entidade distinta da sociedade; se tudo se tornasse propriedade do estado, então não haveria mais um estado propriamente dito, pois sociedade e estado teriam virado a mesma coisa, uma só entidade — e, assim, todos estariam livres do estado.

    O raciocínio é totalmente sem sentido. Por essa lógica, se o estado dominar completamente tudo o que pertence aos indivíduos, dominando inclusive seu corpo e seus pensamentos, então os indivíduos estarão completamente livres, pois não mais terão qualquer noção de liberdade — afinal, é exatamente a ausência de qualquer noção de liberdade que o fará se sentir livre."
  • Pobre Paulista  01/11/2017 23:40
    Marx só queria abolir uma coisa: a humanidade
  • Silvio Aur%C3%83%C2%A9lio  02/11/2017 12:34
    Max era um lunático. Sua idéias e teorias eram temporais. Ou seja, se aplicadas à sua época acreditava dá certo.
    Quem o ler, percebe-se uma falta de lógica e coerência em suas idéias. Vê-se ali, uma sociedade classista que teria que existir e deixar existir quando um suposto objetivo fosse alcançado.
  • anônimo  02/11/2017 13:57
    O comunismo deveria ser criminalizado, justamente porque prega a luta e a revolução, desrespeitando a lei e a ordem.

    A direita são soube debater a diferença entre desigualdade e ajuda humanitária.

    A esquerda uniu a desigualdade com ajuda humanitária, que são coisas completamente diferentes. Eles colocaram o sentimentalismo da ajuda humaniária na luta pela igualdade de classe, que é mais uma fraude intelectual.

    Marx esqueveu isso: "Que as classes dominantes tremam de medo perante uma revolução comunista!". Porém, os comunistas tremem de medo das forças armadas até hoje.

    Os pobres são mal atendidos pelo próprio estado. Essa é a grande pedra no sapato do socialismo. Os pobres sabem que o estado está se lixando para eles.

    O único caso que tem um pouco de sucesso são os vouchers. O capitalismo disputa esses vouchers e traz benefícios muito maiores do que funças ganhando muito sem nenhum compromisso com resultado.

  • Daniel  03/11/2017 10:28
    Se fôssemos proibir o comunismo, deveríamos proibir tudo que o estado faz (expropriação, execução, proibição de atividades econômicas etc), pois isso é tudo comunismo.

    Mas uma ressalva: não se deve proibir a apologia ao comunismo. Primeiro, porque ao oprimir a liberdade de expressão alheia, estamos dando brecha para que a contrapartida também seja praticada. Segundo, pelo mais trivial: a melhor defesa contra um ignorante é deixá-lo falar.
  • Anemona  02/11/2017 13:57
    https://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2017/11/01/a-questao-principal-nao-e-uber-vs-taxis-mas-uber-vs-trabalhadores/
  • Skeptic  02/11/2017 15:00
    Leandro Roque, não sabia que vc era colunista do site Brasil 171:
    https://www.brasil247.com/pt/colunistas/leandroroque/197877/O-que-realmente-permitiu-o-grande-crescimento-econ%C3%B4mico-brasileiro-da-%C3%BAltima-d%C3%A9cada.htm

    Acho que nem você mesmo sabia, hahahaahahha... só pode ter sido zoeira isso.
  • Leandro  02/11/2017 17:13
    Isso queima minha imagem. Queima ainda mais do que a foto minha que escolheram.
  • Skeptic  03/11/2017 11:32
    Leandro, alguma opinião formada sobre o Jerome Powell?
  • Leandro  03/11/2017 11:46
    Exatamente mais do mesmo. Nunca discordou de absolutamente nenhuma decisão de Bernanke e Yellen. Tudo continua exatamente igual. (Aliás, por que mudaria? Wall Street gosta exatamente como está, e toda a mídia também).

    Caso o indicado fosse John Taylor, aí sim haveria alguma mudança.
  • Ultra-conservador  02/11/2017 15:14
    Alguns ancaps estão dando um tiro no próprio pé, quando pregam a ilegalidade.

    Isso parece a guerrilha armada dos comunistas, mas sem violência. Isso também é ilegal, quando prega coisas que não respeitam as leis.

    Até os comunistas zumbis já perceberam que a guerra cultural e política são mais importantes.

    O melhor é conquistar o estado e defender a liberdade. Ficar nessa panacéia, não vai resolver o problema.

    Por mais que algumas informalidades estão salvando a economia e muitas vidas, ficar pregando revolução do fim do estado não resolve o problema. Parece coisa de torcida.
  • Pobre Paulista  02/11/2017 21:18
    Isso. O melhor é lutar por algo que você não acredita, só por ser mais prático. Legalzão.
  • Skeptic  03/11/2017 11:31
    Você tá falando sobre leis estatais, não é?

    A ilegalidade, o mercado negro é o grande responsável por menos pessoas terem morrido de fome em países como Cuba, Coreia do Norte e cia.

    Acredite no estado, todas as leis são ótimas, não existe certo e errado fora do estado. Você está escondendo judeus na Alemanha Nazista? Que marginal que você é!

    O raciocínio legalista é estúpido demais.
  • Bode  03/11/2017 01:21
    Os liberais fazem leitura superficial de Marx. O proletário é todo e qualquer cidadão comum oprimido. A luta de classes vai existir em qualquer sociedade não igualitária, e tende a tomada do poder pelo proletariado. Marx apenas identificou o fenômeno e propos solução que foi mal interpretada nos regimes comunistas.
  • Che  03/11/2017 21:54
    Enfim um comentário sensato.
  • Heinrich  05/11/2017 00:18
    toda sociedade é necessariamente igualitária, é a origem do homem

    o que as pessoas não veem é que marx publicou O Manifesto Comunista ANTES da teoria da evolução de Darwin, recomendo que veja as datas de publicação do primeiro livro de marx e do primeiro livro de Darwin

    isso faz toda diferença, porque marx não sabia que mesmo que seu mundo comunista utópico fantasioso acontecesse, ainda sim haveria competição sexual e competição pelos recursos (alimentos e agua). Se alguem nao quisesse se encaixar na competição, não passaria seus genes pouco competitivos para frente, se alguem quisesse competir, passaria os genes que influenciam competitividade para frente. Comida também seria outro fator, quem conseguisse ter mais alimento garantido, mesmo que fosse subtraindo de outras pessoas (ou seja, roubando, mesmo que não exista propriedade privada, quem se apossasse de mais comida teria mais vantagem para sobreviver e se reproduzir). Quem fosse mais violento e matasse mais pessoas teria mais vantagem pra se reproduzir.

    Então vou além, o problema do comunismo não é apenas economicamente insustentável, é BIOLOGICAMENTE IMPOSSÍVEL

    E digo mais, o capitalismo é o único sistema moral em que o humano pode viver em paz com sua natureza biológica. Sem propriedade privada, a lei é necessariamente na base da força mais bruta possível

    Capitalismo é uma expressão e nossa adequação racional aos mecanismos da natureza

    Socialismo não, continuará tendo disputas dentro de uma sociedade socialista, porque haverá homens que terão vantagens se burlarem as regras ou conquistarem o poder e usar as regras a seu favor
  • Igor  05/11/2017 18:37
    "Os liberais fazem leitura superficial de Marx. O proletário é todo e qualquer cidadão comum oprimido."

    Eu adoro quando surge um ungido; aquele que sabe mais que os outros, inclusive contrariando décadas de estudos aprofundados sobre determinados temas. Uma pena que sempre erram...

    Não, proletário não é "qualquer cidadão comum oprimido". O próprio Engels lhe refuta:

    "Por proletariado, a classe dos operários assalariados modernos que, não possuindo meios próprios de produção, reduzem-se a vender a força de trabalho para poderem viver."

    Como se pode observar, proletário é o operário assalariado que "vende" (na verdade, troca) sua força de trabalho. Não é qualquer oprimido! Um mendigo que se recusa a trabalhar não é um proletário. Uma mulher burguesa oprimida pelo marido nunca seria considerada uma proletária.

    O que acontece, Bode, é que você ouviu alguém lhe falar que o marxismo é sobre defender oprimidos e acabar com opressores. E quem lhe disse isto está repetindo a narrativa que foi contada por outra pessoa, que por sua vez ouviu de outra e por aí vai. Nenhum de vocês leu Marx (ou leu o início d'O Manifesto do Partido Comunista), somente servindo de massa-de-manobra para alguns líderes marxistas que leram Marx, viram que não condiz com a realidade, e, então, partiram para a narrativa dos revisionistas.

    E mais: não existe sociedades igualitárias! Nunca existiu e nunca existirá. Por um simples motivo: a natureza nos faz diferentes. As condições de um homem na floresta amazônica são diferentes das condições de uma mulher no deserto do Saara. Os marxistas não sabem lidar com isto, repetindo a mesma atrocidade filosófica que Marx cometeu (e olha que adoram uma faculdade de filosofia...).

    Sobre a "luta de classes", quem cria e prega isto são os marxistas. É Marx que divide a sociedade entre burgueses e proletários e prega uma ditadura (no sentido exato da palavra) destes sobre aqueles. Em uma sociedade capitalista, não faz sentido existir uma luta de classes, visto que é necessário uma coesão entre todos os setores para que a livre iniciativa e o comércio entre pessoas possa prosperar. Dentro de uma sociedade capitalista, quem faz de tudo para que haja uma luta odiosa de classes são os marxistas.

    Sobre a "solução" "mal interpretada" de Marx, a famosa falácia do derturparam Marx, me desculpe, mas isto é risível. Stalin e Mao Tse-Tung foram os mais fidedignos à doutrina marxista. Os marxistas modernos, ou pessoas como você, é que se distanciaram da doutrina, para fantasiar um mundo utópico diante de tantas provas de que a teoria é falha — e produziu mortes e miséria onde foi colocada em prática. Quando for pensar em socialismo, pense na URSS stalinista e tenha um exemplo ótimo do que seria a sua vida. O que vocês não entendem sobre o marxismo é que ele é uma fórmula perfeita de domínio de algumas poucas pessoas, via estado, do restante da população, ou seja, ele é tudo aquilo que Marx acusa nos burgueses capitalistas.

    Por fim, aceita uma dica: não embarque nesta de que liberais não leram direito Marx, e que este teria sido deturpado por quem o leu. Além de soar arrogante e ser feio, só limita seu conhecimento sobre o assunto. Os liberais, ao contrário do que você imagina, não só leram profundamente Marx, tal como o refutaram a teoria da Critica da Economia Política e demonstraram o quanto é ruim o marxismo. E você só saberá disto lendo os liberais!
  • Leandro Cristóvão  07/11/2017 12:52
    Porra, que chinelada!
  • Piha  07/11/2017 13:21
    Detuparam Marx! Sempre a mesma história... Igor. hiahoahoah
  • Luis  03/11/2017 01:22
    marx aboliu a familia dele primeiro
  • Sérgio  03/11/2017 03:04
    Tudo ok até a última frase.

    As sementes da nossa atual era da pós-verdade estão no Renascimento (com o humanismo). Depois a reforma protestante, e séculos depois o liberalismo, o racionalismo, o Iluminismo e o ateismo. O marxismo levou até as últimas consequencias.
    Mas as sementes estão no humanismo.
  • Luis Eduardo  03/11/2017 04:05
    Com relação a família, nada haver o q foi dito aí, pois ele ñ queria o fim da familia e sim o fim da família nos moldes tradicionais q esta s fundamentava, pois a família burguesa so existia com o capital, pois a falta desse traria o fim da familia. Além d quê a instituição familia nos moldes tradicionais burgueses seria tb d certa forma em sua forma plena, impossível para o operário, alem d q a propria ideia da mulher ser submissa ao homem e d certa forma dependente d formal total deste, ou seja ele ñ queria o fim da familia, mas sim o fim daquilo sobre o qual ela estava fundamentada q era a relação com o capital.
  • Geraldo Jorge  28/12/2017 12:23
    Ou você NÃO leu TODO o Manifesto Comunista ou você é desonesto pra caralho.

    Segundo o próprio Manifesto Comunista:

    "Do you charge us with wanting to stop the exploitation of children by their parents? To this crime we plead guilty."

    Vocês querem nos acusar de por fim a exploração (SIC) das crianças por seus pais? Para esse crime nós (comunistas) nos confessamos CULPADOS.

    O que você pensa que isso significa???
  • Master of Chaos  03/11/2017 15:37
    A sério...
    Senti nojo quando li cada linha desta brilhante explanação. Senti nojo por saber que os jovens leem isso com brilhos nos olhos, como se tudo isso realmente fosse algo bom. Como alguns questionaram acima, não entendo por que cargas d'água a teoria marxista é ensinada nas escolas e universidades como verdade absoluta, como algo correto e não como algo repudiável como o fascismo.

    São tempos muito estranhos...
  • Emerson Luis  28/12/2017 11:19

    "Marx resume toda sua posição: "Os comunistas rejeitam suavizar suas idéias e objetivos. Declaram abertamente que os seus fins só podem ser alcançados pela violenta subversão de toda a ordem social vigente."

    Gramsci, a Escola do Crime de Frankfurt e os neomarxistas de modo geral pensam diferente: a comunicação dos comunistas com suas futuras vítimas tem que ser suavizada, embora os objetivos basicamente continuem os mesmos.

    As Dez Medidas do comunismo estão bem avançadas no Brasil, embora nem tanto quanto na Venezuela, Cuba, Coreia do Norte e outras abominações presentes e passadas.

    Marx defendia a "comunhão das mulheres". Significa as mulheres se reunirem para comungar? Não, significa cada mulher ser comungada (compartilhada) por todos os homens. Essa história de cada mulher ser de um homem só seria apenas "construção social", ideologia burguesa para preservar a propriedade privada.

    Na Coreia do Norte as prisioneiras nos campos de trabalho forçado são escravas sexuais e quando ficam grávidas nem sabem qual estuprador é o pai. E as feministas defendem o comunismo, assim como defendem o islamismo!

    É surpreendente como seres humanos podem acreditar tão profunda e dogmaticamente na veracidade de quem afirma não existir verdade, o que é uma admissão não intencional destes doutrinadores de que eles são mentirosos: é verdade que não existe verdade?

    * * *
  • Ex-Marx  19/04/2018 00:44
    Marxismo funciona tão bem que os próprios esquerdistas atuais defendem o FASCISMO (com outro nome, obviamente), mas se recusam a defender publicamente o Comunismo para não serem vistos como idiotas.

    www.conversaafiada.com.br/economia/2012/02/27/o-capitalismo-de-estado-venceu-e-melhorou-a-vida-do-pobre


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.