clube   |   doar   |   idiomas
Porte de armas nos EUA cresce 178% em sete anos; criminalidade despenca
De 2007 até o presente momento, o número de americanos com licença para portar armas cresceu 178% (fonte, página 9).

Só no ano passado, foram emitidas mais de 1,7 milhão de novas licenças, um crescimento de 15,4% num único ano — o maior já registrado —, totalizando 12,8 milhões de autorizações de porte de armas (fonte, página 6).

Essa estatística despertou a preocupação de diversas organizações desarmamentistas, que temiam que as armas elevassem as taxas de homicídio no país.

Mas o que os dados recentes revelaram foi justamente o contrário: ao mesmo tempo em que o número de cidadãos armados cresceu, a taxa de crimes violentos despencou no país inteiro.

Segundo estatísticas oficiais do governo, citadas neste estudo do Centro de Pesquisa para a Prevenção de Crimes, a taxa de crimes violentos caiu 25% no período e a taxa de homicídios por 100 mil habitantes saiu dos 5,6 para os 4,2, apesar do crescimento massivo do porte de armas. Os números são os mais baixos desde 1957, quando a taxa de homicídios atingiu 4,0 por 100 mil habitantes.

Um dado interessante encontrado pelos pesquisadores foi o de que as mulheres estão se armando mais do que os homens: entre 2007 e 2014, o número de mulheres com porte de arma cresceu 270%, enquanto entre os homens o número foi elevado em 156% (fonte, página 10).

Além das mulheres, a população negra também está se armando mais. Uma análise, citada no estudo, revelou que entre 2012 e 2014, o grupo que mais mudou de opinião em relação aos benefícios do armamento foram os negros (fonte, página 14).

De acordo com a pesquisa, conduzida pelo Pew Research Center, a proporção de afro-americanos que responderam que armas contribuem mais para a autodefesa do que para crimes saltou dos 29% para 54% — um crescimento de 86% —, no sentido contrário do estereótipo de que armamentistas são, em geral, brancos. Além de terem se tornado mais favoráveis, a população negra também tirou mais licenças para porte de armas (fonte, página 10).

"Mais permissões [para porte de armas] significa que está ficando mais difícil para os criminosos atacarem as vítimas", afirma John Lott, autor do estudo. "A composição de pessoas que estão ganhando as novas permissões também está mudando. Estamos vendo um grande aumento entre minorias e mulheres tirando essa autorização. Ter esses grupos mais armados contribui muito para reduzir a criminalidade."

Para Lott, além da visão da população sobre o armamento ter mudado, outro fator que contribuiu para o crescimento do número de licenças para porte de armas foi a redução do custo dessas licenças, que varia de estado para estado.

Como destaca o economista, os estados que reduziram o custo dessa autorização — que varia de US$ 10 a US$ 450 (fonte, páginas 5 e 6) — ou ainda os que já praticavam preços mais baixos, tiveram maiores crescimentos no número de cidadãos negros registrando o porte.

Atualmente, 5,2% da população adulta possui licença para portar armas nos Estados Unidos (fonte, página 4). Apesar disso, em 5 estados (Alabama, Dakota do Sul, Indiana, Pensilvânia e Tennessee), a taxa de porte de armas por adulto está acima dos 10% (fonte, página 5).

O gráfico abaixo (fonte, página 5) mostra a evolução do porte de armas nos EUA em porcentagem da população adulta (eixo Y, linha contínua) e a evolução da taxa de homicídios por 100 mil habitantes (também eixo Y, pontos azuis):

violencia.jpg

Em contraste, no Brasil, apenas 0,00185% da população possui autorização para portar armas, segundo o Instituto Defesa — aqui, a UF com a maior taxa de porte de armas é a do Distrito Federal, que tem 7,2 vezes mais autorizações para porte que a média nacional.

O estudo ainda destaca que o policiamento não pode ser tomado como responsável pela queda na criminalidade: mesmo após isolar dados de policiamento per capita e de prisões, o crescimento do número de licenças para porte de armas continuou associado com a redução no número de crimes violentos e homicídios. (fonte, páginas 4 e 19)

Apesar do alto crescimento nos últimos anos, o número de licenças para porte de armas emitidas nos Estados Unidos pode diminuir nas próximas décadas, mas por uma outra razão: atualmente, em 6 estados, o ato de portar armas visíveis em público não requer nenhuma autorização. Apesar do número ainda pequeno, a cada ano mais estados se juntam a esse grupo — em 2010, 3 estados permitiam o porte sem autorização.

Maine, que no início deste mês anunciou a nova lei, foi o último estado a entrar para a lista. Com a mudança na legislação, que entra em vigor em outubro, o estado se junta ao grupo de estados mais liberais em relação ao porte de armas, ao lado de Alasca, Arizona, Wyoming, Kansas e Vermont. Além destes, outros cinco estados também possuem uma legislação similar em relação ao porte sem necessidade de autorização, embora apenas para casos especiais.

O mapa abaixo mostra a distribuição de assassinatos em massa praticados com armas de fogo (mass shootings) em cada estado americano:

Captura-de-tela-de-2015-08-27-014006.png

Tiroteios em massa desde 2012. Fonte: Vox.com

Já este mapa mostra o número de armas de fogo por habitante.

gun-ownership-study-state-map.png

Uma imagem vale mais que mil palavras. Os estados costeiros, por exemplo, possuem uma taxa de armas de fogo bem baixa e leis bem restritas com o porte e a posse desses artefatos. Nada disso impediu que 486 inocentes perdessem a vida entre 2000 e 2013 em assassinatos em massa praticados com armas de fogo (mass shootings) exatamente nestes estados.

Por fim, e ironicamente, o controle de armas tem um histórico racista. Nos Estados Unidos, foi usada por diversos estados como forma de evitar que os escravos revidassem os abusos de seus senhores. O medo era tão grande que até cães chegaram a ser considerados uma "arma" e sua posse por negros, proibida.


6 votos

autor

Leônidas Villeneuve
é colunista do site Spotniks.


  • Geraldo  30/08/2015 19:17
    Com esses mapas aí, o mito de que a posse de armas pelos cidadãos aumenta a criminalidade cai por terra. Bom trabalho, IMB!
  • Pedro Ivo  31/08/2015 12:22
    Nos EUA, se além de liberalizar as armas descriminalizassem a prostituição e a venda de tóxicos, imagina o tamanho da queda na criminalidade!
  • Opinador  31/08/2015 13:40
    Muitos estados já fizeram isso e estão vendo as melhorias.

    Referente a prostituição e liberação das drogas só não é um unanimidade por causa da forte pressão religiosa.

    Nada contra religião de ninguém que fique bem claro, mas se essa separação entre religião e governo fosse mais clara, os EUA iam evoluir bem mais.
  • Sempre Mais do MESMO  04/10/2017 13:21
    Basta comparar os indices de criminalidade antes e depois do desarmamento da população no brasil:

    - Quando havia mais crimes, antes ou depois do desarmamento???

    Em 1970, quando a população podia ter armas, a criminalidade era muitissimo inferior.

    O mesmo se pode dizer da instrução escolar, chamada de "educação" para confundir julgamentos.
    Em 195, 60 e 70, por exemplo, o nível escolar da população era bem menor e SOBRETUDO o padrão de vida dos mais pobres era muitissimo inferior

    ...CONTUDO o INDICE de CRIMINALIDADE era INCOMPARÀVEL ao indice ATUAL.

    ...e a esquerda e sobretudo PT dizem ter tirado milhões da miséria e melhorado o país, EMBORA nesse período de "gloriosas" melhoras os indices de criminalidade tenham subido assustadoramente.

    Ou seja, o DISCUSRSO É CONTRADITÓRIO!!!!
  • Marcus Aurelius   30/08/2015 19:40
    Sou comerciante e preciso ter uma arma em casa. Sou obrigado a viver ilegalmente, no entanto, não posso esperar os vagabundos invadirem minha casa. Se entrar aqui toma.
  • Diego Sousa  30/08/2015 21:34
    Todo cidadão deve ter uma arma Não registrada em casa.
    Apenas cuida de não falar pra ninguém que você não terá problemas.
  • Igor Rizzo Contarini  30/08/2015 20:21
    4h de vídeo falando sobre como o desarmamento foi e é usado para submeter populações à tirania e porque os 70 mil homicídios/ano não são uma obra do acaso. Assisstam:

    www.youtube.com/watch?v=9OOqFxEuYog
  • Douglas  31/08/2015 03:58
    Vídeo muito bom.
  • Edson Salviano da Silva  31/08/2015 20:28
    Excelente! Informação e formação imprescindível!
  • Cmte. Coxinha  07/09/2015 12:31
    Vídeo OBRIGATÓRIO para qualquer homem e mulher de bem que se sente ameaçado pelo PT, PSDB e outros partidinhos de bosta que irão gerar um genocídio na América Latina.
  • SAMUEL GREGORY  05/10/2015 21:50
    Esse documentário é FANTÁSTICO. Recomendo também este: A HISTÓRIA DO CONTROLE DE ARMAS. https://www.youtube.com/watch?v=SlFQwr4x6yU
  • anônimo  06/06/2016 15:35
    Muto bom.
  • Kessler juns  30/08/2015 20:55
    A matemática sempre ira provar nossas teorias e valores libertários ,o direito a vida a defesa o empreendedorismo nunca será destruído pelos comunistas ou pseudo socialistas os números de uma pesquisa sempre ira derrubar todas argumentações e expressões semânticas que esse tipo de gente usa para fragilizar os direitos dos cidadãos.
  • Pauloh  30/08/2015 21:44
    Esse artigo diz que um dos principais motivos para queda da criminalidade foi a legalização do aborto

    pricetheory.uchicago.edu/levitt/Papers/DonohueLevittTheImpactOfLegalized2001.pdf

    Convenhamos que a estatística está nem ai pro politicamente correto, seja você a favor do aborto ou não


  • Jalaska  30/08/2015 22:26
    Esta "teoria" sobre a legalização do aborto -- tema do livro Freakonomics -- supostamente explicaria a redução da criminalidade ocorrida na década de 1990 (segundo os próprios autores, trata-se de uma correlação forçada, pois os supostos criminosos que nasceriam na década de 19970 foram abortados).

    Mas ela não explica a redução ocorrida no período 2007-2014, justamente anos de intensa recessão nos EUA, um cenário propício para o aumento da criminalidade.
  • Douglas  31/08/2015 04:21
    O artigo acima "Porte de armas nos EUA cresce 178% em sete anos; criminalidade despenca" está falando claramente sobre 2007 -- 2015, enquanto o seu artigo está falando sobre a década de 1990.

    Leia com mais atenção e interprete corretamente os assuntos e os dados dos artigos.


    Outra coisa, essa teoria do Freakonomics também é extremamente contestada.

    A criminalidade de Nova York começou a despencar, exatamente no período que o prefeito conservador Rudy Giuliani começou a política de Tolerância Zero contra criminosos nos anos 90. Que, como esperado, foi bastante criticado pela Esquerda.
    https://en.wikipedia.org/wiki/Rudy_Giuliani#Law_enforcement
    https://en.wikipedia.org/wiki/Mayoralty_of_Rudy_Giuliani

    Se tal teoria estivesse realmente correta e fosse sem "contestamento", a criminalidade de Nova York continuaria caindo ainda hoje, mas de 2000 à 2010 a criminalidade se manteve estável e desde 2012 a criminalidade, principalmente de armas de fogo, vem crescendo em NY.
    Lembrando que NY é atualmente desarmamentista e o Estado controla absurdamente o porte de armas para o cidadão comum.
    www.nydailynews.com/new-york/nyc-crime/cops-seek-sweatsuit-clad-man-shot-bystander-brooklyn-article-1.2242439
  • Douglas  31/08/2015 07:10
    Corrigindo: Desde 2014 a violência em NY vêm aumentando.

    www.nydailynews.com/new-york/nyc-crime/murders-20-2015-year-to-year-comparison-nypd-article-1.2134509
  • José Pires De Souza Neto  30/08/2015 22:25
    População com mais poder de defesa, ladrões pensarão 2 vezes antes de atingir seu alvo.
  • anônimo  31/08/2015 12:40
    "Mais permissões [para porte de armas] significa que está ficando mais difícil para os criminosos atacarem as vítimas", afirma John Lott, autor do estudo. "A composição de pessoas que estão ganhando as novas permissões também está mudando. Estamos vendo um grande aumento entre minorias e mulheres tirando essa autorização. Ter esses grupos mais armados contribui muito para reduzir a criminalidade."

    Ou seja, se invertermos a primeira frase, chegaremos à realidade brasileira:

    "MENOS PERMISSÕES [para porte de armas] significa que está ficando mais FÁCIL para os criminosos atacarem as vítimas".
  • Carioca  05/10/2015 13:09
    Então se a população não está armada a criminalidade aumenta?
    Então por que no Japão a criminalidade é baixa? Lá é mil vezes mais difícil de se comprar uma arma. Por essa lógica, a criminalidade japonesa deveria ser uma das maiores do mundo.
  • Inteligente  05/10/2015 13:29
    "Então se a população não está armada a criminalidade aumenta?"

    Se a população não está armada, mas os bandidos estão, então sim, a criminalidade. E sigo no aguardo de um só -- só um! -- exemplo empírico que contradiga isso. Só um.

    "Então por que no Japão a criminalidade é baixa? Lá é mil vezes mais difícil de se comprar uma arma. Por essa lógica, a criminalidade japonesa deveria ser uma das maiores do mundo."

    Em primeiro lugar, a lei do Japão é esquisita: você não pode ter um .38, mas a compra de rifles e espingardas é liberada, desde que você se declare caçador ou esportista. Ou seja, quem tem uma propriedade no Japão está muito mais bem protegido do que no Brasil.

    Ademais, essa lei fez a alegria da Yakuza e das quadrilhas de jovens delinqüentes, que barbarizaram o país na década de 1990 (ver link abaixo).

    en.wikipedia.org/wiki/Overview_of_gun_laws_by_nation

    Mas há um outro detalhe igualmente importante: sempre comece analisando a composição de uma sociedade e sua evolução.

    Pra começar, o Japão é uma das sociedades mais homogêneas do mundo. Aliás, é uma das poucas que ainda é assim. E sempre foi assim. Os japoneses possuem uma identidade cultural extremamente rígida.

    Mais: o Japão foi uma sociedade de castas por milhares de anos. O povo -- os camponeses, que formavam nada menos que 98% da população -- nuca teve armas. Nunca houve a mais mínima idéia de democracia no Japão feudal e o povo japonês -- que era dominado por uma aristocracia, por guerreiros e por mercadores; todos eles representando apenas 2% da população -- nunca considerou a hipótese de se insurgirá contra seus senhores.

    Ou seja, é uma sociedade historicamente formada por pessoas complacentes, ordeiras e submissas à autoridade. Se uma sociedade é formada por indivíduos ordeiros, totalmente homogêneos, e cumpridores devotos de qualquer lei (inclusive das ruins) e com tendências à submissão, dificilmente essa sociedade será violenta. (Você já viu sequer alguma greve no Japão? Houve violência?)

    Gun control in Japan
  • Andre  05/10/2015 15:28
    "Então por que no Japão a criminalidade é baixa? Lá é mil vezes mais difícil de se comprar uma arma. Por essa lógica, a criminalidade japonesa deveria ser uma das maiores do mundo.".

    Pela SUA lógica a criminalidade Suíça deveria ser uma das maiores do mundo.

    Então porque você não nos explica o porquê da criminalidade na Suíça ser incrivelmente
    baixa considerando que todos os homens de lá em idade adulta possuem um fuzil em casa?
  • anônimo  07/10/2015 09:47
    O povo japonês hoje é um dos mais fracos e passivos do mundo, resultado de décadas sob uma cultura massacrante e da desmoralização de não poder mais ter um exército desde a segunda guerra.As novas gerações são uma coisa deprimente que não se interessa por sexo, por dinheiro e viram vegetarianos
    Não dá pra concluir nada sobre o uso de armas se vc pega um caso que muda um milhão de outras variáveis.
  • Roy Mustang  06/10/2015 22:49
    Ainda sobre o Japão, além de todos os fatores antropológicos já citados pelo comentarista "inteligente". A proibição das armas de fogo se deu no século 16 e foi adotado como medida de controle social. Elas entraram no pais lá pelo século 15, trazidas pelos portugueses e ganharam popularidade foram muito usadas nas guerras do Shugunato, que tomaram o poder do Imperador. Agora, além de elas serem vistas como um meio desonrado de lutar, elas permitiam à um agricultor com uma semana de treino, matar um samurai com 5 anos de treino e foi esse o motivo deles terem sido recolhidas e proibidas.

    Se tu analisar ao longo da história, tu encontrará este padrão, desarmar a população não é uma medida de segurança pública. É uma política de segurança do governo, principalmente em governos de esquerda.
  • 4lex5andro  08/02/2017 16:35
    O caso do Japão é singular; nunca foi invadido por outras nações depois de formado o império, ou seja se manteve culturalmente íntegro.

    É um dado totalmente oposto á realidade que foi enfrentada pelas colônias das américas, seja do sul ou do norte.

    E o fato de ser uma ilha ajuda um bocado no controle de quaisquer mercadorias que chegam ou saem do país.

    Diferente do Brasil, por exemplo, que faz fronteira com uma dezena de países atrasados e alguns dos quais, dos maiores produtores/exportadores de drogas e armas do ocidente.
  • Andre  08/02/2017 17:18
    Curioso, defina um país atrasado.
  • Fernando  30/08/2015 23:18
    Fala sério ! Essas 486 vítimas de mass shooting nós perdemos em 4 dias no Brasil. Isso é uma tragédia, mas em relação aos números não tem nenhum valor considerável e preocupante. São apenas 4 dias de mortes no Brasil.

    Como disse um deputado da bancada da bala, as mortes por armas de fogo e acidentes de trânsito, causam a mesma quantidade de mortes que as bombas atômicas lançadas no Japão. Se analisarmos apenas as mortes por armas de fogo, é como uma bomba atômica a cada 2 anos.

    Essa questão do desarmamento é bizarra ! Ninguém vai assaltar sabendo que está todo mundo armado. A questão maior é o medo dos bandidos. Só o medo dos bandidos já reduz o número de mortes.

    Nós já estamos vivendo no socialismo. não temos o dereito de ter autodefesa. Não temos o direito de escolher como recebemos nosso salário. Não temos o direito de cuidar da nossa vida.

    Além da liberação das armas, os assassinos precisam ficar presos perpetuamente. O governo quer ressocializar assassinos. Isso é o maior desrespeito que se pode ter. Não existe tolerância com assassinos. Quem respeita assassino é socialista psicopata.
  • Carlos Souza   30/08/2015 23:35
    Acho interessante é que eles tem permissão para comprar e portar armas, e os maiores índices de morte por arma de fogo, está justamente no Brasil, lugar onde o cidadão, apesar de ter votado a favor do uso de armas de fogo, foi traído pelo Lula, que na calada e contra a vontade do povo criou a Lei do desarmamento.

    Pois bem, no Brasil nenhum cidadão pode ter arma de fogo em suas casas, mas mesmo assim, 50 mil pessoas morrem por ano, vítimas de armas de fogo. Dá para explicar isso?!
  • antonio  08/02/2017 14:18
    "no Brasil nenhum cidadão pode ter arma de fogo em suas casas"

    MUITO ENGANADO TODOS PODEM TER DESDE QUE PAGUEM AS TAXAS E PASSA NO TESTE

    MAS É IMPOSSÍVEL PORTAR OK! você sai na rua e leva chumbo
  • antonio  08/02/2017 14:39
    Esse anonimo não se cansa de passar vergonha.
    Aqui tem gente informada e não tem medo de mostrar o nome, sr anonimo.
    A cada estudo ou falacia apresentada, há sempre um argumento baseado em estudos comprovados.
    Pare com suas paixões e seja feliz.
    Se você não quer uma arma? Não a tenha.
    Mas você NÃO tem o DIREITO de dizer que eu não posso ter uma.
    Ou aqui é ditadura?
  • antonio  08/02/2017 14:53
    Esse anonimo não se cansa de passar vergonha.
    Aqui tem gente informada e não tem medo de mostrar o nome, sr anonimo.
    A cada estudo ou falacia apresentada, há sempre um argumento baseado em estudos comprovados.
    Pare com suas paixões e seja feliz.
    Se você não quer uma arma? Não a tenha.
    Mas você NÃO tem o DIREITO de dizer que eu não posso ter uma.
    Ou aqui é ditadura?
  • Ismael  31/08/2015 00:09
    Aqui, o máximo que conseguimos até agora é o uso da simplérrima lanterna tática.
  • Rodrigo Pereira Herrmann  31/08/2015 00:19
    Essa é a luta número 1. É a porta da transformação liberal que irá se instalar no país paulatinamente.
  • Thiago Teixeira  31/08/2015 05:07
    Excelente artigo.
    Só me preocupo com dois pontos: e os doentes mentais? Sua facilidade em adquirir armas não deveria ser limitada?
    E os individuos com ficha criminal?

    Sou favorável ao porte de armas, eu mesmo tenho vontade de ter uma, só pergunto a opiniao dos demais sobre esses dois casos especificos.
  • walter azevedo  31/08/2015 12:44
    Sou totalmente a favor do porte de armas, mas também a favor da proibição do porte de armas às pessoas mentalmente inaptas, com histórico de crime violento ou sendo investigada por algum crime violento.
  • Anarquista  31/08/2015 13:53
    Concordo, pessoas com problemas mentais não devem ter a compra facilitada, mas por quem? Se um orgão estatal tenho mais medo do que se 'livre'.
    Quanto a criminosos, restringir é um tanto inútil, já que eles irão conseguir de outras formas, ou hoje os criminosos não tem armas?
  • Thiago Teixeira   31/08/2015 17:07
    Imaginei uma solução libertária: toda arma produzida ser registrada, e a cada vez que alguem cometer um crime com uma arma, o vendedor da arma teria que ser co-responsabilizado.

    Isso geraria um conflito entre o desejo de vender a arma e o desejo de não vender. O próprio vendedor procuraria atrelar a venda a uma consulta do cliente com um psiquiatra de sua confiança.
  • Roy Mustang  01/09/2015 02:49
    Os alemães agradeceram aos franceses os detalhados registros de armas que encontraram quando eles dominaram a França.
  • Thiago Teixeira  01/09/2015 12:38
    Isso é um problemão.

    Alguma outra sugestão em relação aos doentes mentais?
    Esse é o principal ponto de ataque dos anti-armamentistas.
  • Eu, hein  01/09/2015 11:56
    Como responsabilizar alguém por um crime que não cometeu pode ser considerado uma solução libertária?
  • Thiago Teixeira  07/10/2015 11:39
    Que não seja libertário.
    Mas é válida a crítica de que não é seguro que todo mundo possua arma.
    Qual a forma menos danosa possível de ser promovia alguma limitação da posse de armas por loucos e criminosos?
  • Ali Baba  07/10/2015 12:21
    @Thiago Teixeira 07/10/2015 11:39:53

    Que não seja libertário.
    Mas é válida a crítica de que não é seguro que todo mundo possua arma.
    Qual a forma menos danosa possível de ser promovia alguma limitação da posse de armas por loucos e criminosos?


    Fácil. Livre mercado.

    O vendedor de armas tem total liberdade para não vender uma arma para alguém. Muito poucos vendedores o fariam para um doente mental de qualquer forma e os que o fizessem correm o risco de cair fora do mercado pelos concorrentes.
  • anônimo  07/10/2015 13:06
    Com todo respeito Ali Baba, essa sua resposta não convence ninguém.

    Um doente mental não é tão fácil de se identificar, um esquizofrênico, um bipolar ou um psicopata não estampam isso na sua testa.

    E mesmo que estampasse, é muita inocência acreditar que algum vendedor deixaria de vender algo por conta de um suposto risco que o cliente irá oferecer a sociedade.
  • anônimo  14/11/2015 16:53
    E vc acha que um governo consegue identificar bem esses caras problemáticos?
  • Fernando  07/10/2015 12:24
    Thiago, permita-me discordar:

    Não há como restringir que um maluco ou um bandido tenha armas.

    Isso dito, é exatamente como é hoje, onde (em teoria) todas as armas são proibidas, mas eles têm armas do mesmo jeito. O maluco/bandido que quer ter arma, vai ter arma, de um jeito ou de outro.

    O que muda - e essa é a aparente vantagem - é que pessoas normais podem "se igualar" a eles. Melhor ainda, uma pessoa normal não precisa se igualar a eles, pois já se beneficia da dúvida do maluco/bandido: Qualquer pessoa normal pode estar armada - vale o risco de atentar contra uma pessoa possivelmente (melhor ainda: provavelmente) armada?

    O cara pode ser maluco e/ou bandido, mas provavelmente não é burro a ponto de assaltar alguém possivelmente (provavelmente) armado.

    Isso também explica o pq da maioria dos assassinatos em massa nos EUA terem ocorrido nas "gun-free zones"

    E isso também é a resposta para a pergunta típica dos desarmentistas: "Mas se todo mundo tiver arma, como fica numa briga de trânsito? Os caras se matam?"

    A resposta é simples: "Não se matam, pois na mesma proporção que o machão tem arma e pode partir pra cima do outro, o outro pode também estar armado." Voltamos pro caso acima, o cara pode ser maluco, bandido, alterado a ponto de querer atirar em outra pessoa, mas vai pesar o quanto ele está disposto em ser possivelmente (provavelmente) baleado também.
  • Thiago Teixeira  07/10/2015 13:38
    Bom ponto.
    Valeu!

    Ademais, os riscos de restringir o mercado, registrar, co-responsabilizar o vendedor, etc, superam os supostos benefícios.

    Só para me ajudar a rebater uma galera... Qual sua opinião sobre a exigência de atestado psiquiátrico de sanidade mental?
  • Fernando  07/10/2015 16:15
    Exigência de atestado psiquiátrico?

    Acho que caímos no mesmo problema anterior: um cara maluco que quer ter uma arma, vai ter, de um jeito ou de outro. Digamos que uma loja peça o atestado, ele não apresente e não consiga comprar. Se ele estiver resoluto nesse objetivo, vai 1) arrumar um atestado, mesmo que falso (o vendedor de arma tem competência para avaliar um atestado?) ou 2) comprar uma arma "ilegalmente".

    Um possível approach para esta discussão é comparar com carros e carteiras de motorista. Um veículo pode ser tão ou mais perigoso que uma arma, se estiver nas mãos erradas. Me arrisco a dizer que em 99% dos acidentes com culpa humana, o condutor estava perfeitamente "legalizado" nas suas obrigações (carteira em dia, doc do carro em ordem, exames ok e tudo mais)... qual é a solução? Proibir os carros? Obrigar todo mundo a andar devagar? O cara que quer fazer coisa errada não se preocupa com isso.

    Esse é, na verdade, o grande ponto dessa discussão. A lei não permite ter armas, ok. O cara que quer assaltar, ou seja, descumprir a lei, liga pra isso?
  • anônimo  07/10/2015 14:27
    'Que não seja libertário.'

    Pois é, que não seja, e aí o gênio deixa criado o precedente pra que o governo e seus iluminados progressistas decidam o que é saúde mental e quem deve ser punido antecipadamente.
  • anônimo  07/10/2015 14:34
    A verdadeira solução libertária pra isso são espaços privados onde o dono se quiser proíbe a entrada de gente maluca (e aí o foco são AS PESSOAS não as armas)
    Como ele vai decidir quem é e quem não é, não importa.O espaço é privado e ele proíbe quem ele quiser.
  • anônimo  07/10/2015 14:24
    'Imaginei uma solução libertária: toda arma produzida ser registrada, e a cada vez que alguem cometer um crime com uma arma, o vendedor da arma teria que ser co-responsabilizado.'

    Não tem nada de libertário nisso.Se eu quiser fazer uma arma pra mim e não registrar nada, problema meu.Se quiser vender também.Alias nem sei o que vc faz aqui, já que só é 'libertário' na parte que te interessa, na hora do governo protegendo o cartel dos médicos seu libertarianismo some.
  • Andre Henrique  24/06/2016 16:23
    Thiago, genial sua proposta!
    Com essa ideia vai chover gente querendo comercializar armas... imagina que delícia vender diversas armas por dia sabendo que poderei ser preso a qualquer momento?
    Coloca outro "tempero" nesse seu mundo de Walt Disney: o fato de ser impossível raspar o nro de série de uma arma tornando-a irrastreável.
    Abç,
    AHR
  • Marco  31/08/2015 11:10
    VETO A ARMAS É GOLPISMO DE PARTIDOS COMUNISTAS PARA ACUAR O CIDADÃO E INSTIGAR A BANDIDAGEM DE QUE SÃO ALIADOS!
    No caso do Brasil, o governo comunista e golpista do PT pretenderia, não será fácil, é detestado par mãos de 90% do povo, pois já foi muito alertado para o 10º mandamento dos comunistas, o DECÁLOGO DE LÊNIN, que é:
    "PROCURE CATALOGAR TODOS OS POSSUIDOTES DE ARMAS PARA SEREM CONFISCADAS NO MOMENTO OPORTUNO, TORNANDO IMPOSSÍVEL QUALQUER REAÇÃO AO GOLPE COMUNISTA".
    Chantagens, estelionatos e velhacaria, além de satanismo, estão no DNA de qualquer anárquico partido comunista!
  • Ali Baba  31/08/2015 12:29
    @Thiago Teixeira 31/08/2015 05:07:17

    Excelente artigo.
    Só me preocupo com dois pontos: e os doentes mentais? Sua facilidade em adquirir armas não deveria ser limitada?


    Se o comerciante tivesse a liberdade de discriminar, não venderiam armas para essas pessoas. Mas discriminar é pecado mortal...

    E os individuos com ficha criminal?

    Esses não precisam comprar armas em estabelecimentos comerciais...
  • anônimo  31/08/2015 13:39
    "Se o comerciante tivesse a liberdade de discriminar, não venderiam armas para essas pessoas."

    E desde quando comerciantes recusam dinheiro?

    Esse é um dos problemas dos ancaps, sua infantilização com problemas reais. Uma sociedade libertária não poderia impedir ninguém de adquirir a arma que deseja. Um esquizofrênico com transtornos bipolar grave poderia comprar metralhadoras e granadas a vontade. Um megalomaníaco bilionário poderia construir uma bomba nuclear. E assim vai...

    Felizmente o IMB tem sido menos ancap nos últimos artigo
  • Edujatahy  03/09/2015 17:13
    Novamente não é questão de acreditar em "bondade" de ninguém. É questão de economia.

    Todo comerciante se preocupa com sua reputação e credibilidade. Todos nós estamos conectados economicamente e precisamos um dos outros para atender necessidades. Seguradoras e outros agentes econômicos teriam resistência muito grande a financiar comerciantes de credibilidade duvidosa (como é hoje)

    Se um comerciante quer estar bem posicionado no mercado ele irá evidentemente discriminar aqueles que julga perigosos.

    Quanto à questão da bomba atômica chega a ser tão absurdo quanto à pergunta do que ocorreria em uma sociedade ancap em caso de invasão alienígena.
  • Vinicius Zucareli  31/08/2015 18:55
    Esses NÃO QUEREM comprar armas em estabelecimentos comerciais.

    Será que existe alguma estatística de quantos crimes são cometidos pelos donos registrados de uma arma? (em contraponto com armas roubadas, contrabandeadas e de numeração raspada, por exemplo)
  • Thiago Teixeira  31/08/2015 23:16
    E os doentes mentais?
  • David  31/08/2015 14:00
    Não deve ser Hipócrita.
    A liberação de armas no Brasil serve a quem?
    - indústria bélica.
    Qual a intenção de armar um povo pacifico?
    - varias possibilidades todas destrutivas.
    O Brasil não está preparado para que a população possua arma livremente?
    O As relações sociais do brasileiro ainda não são propicia, em termo civilizatório para que exista esta opção. O Brasil é o 7 do mundo na economia, mas em qualidade de vida e civilidade é muito ruim ainda. Quando forem feitas a mudanças necessárias começara a incrementar o desenvolvimento civilizatório e a partir deste momento a possibilidade do povo possuir arma poderá ser cogitado. Em uma nação muito desigual a existência a utilização de armas deve ser restrita.
  • Gustavo  31/08/2015 14:46
    Artigo excelente!
  • André  31/08/2015 15:59
    Agora os armamentistas deve esfregar essa estatística na cara dos desarmamentistas em todas as oportunidades possíveis!

    Não podemos perder essa oportunidade!
  • pedro protci junior  31/08/2015 20:05
    uma coisa está passando batido , o que ajudou a aumentar a quantidade de registro de armas foi a campanha criminosa do Obama , e da esquerda a nra, como por exemplo quando o ben shapiro foi no programa de piers morgam e chutou seu traseiro lindamente.

    as pessoas ao sentirem uma real ameaça de não poderem comprar mais uma arma , decidiram comprar antes de proibirem e ai está resultado.

    governo e consequências não esperadas. hauhauhuahuahuahuiahuahuahuha
  • Luiz  31/08/2015 23:02
    Primeiro, o porte de arma em casa ou guardado em um clube de tiro já é legalizado. Vc faz o curso paga a licença, compra a arma e boas. Demora aproximadamente 1 ano mas vc consegue.

    Eu era contra as armas mas isso é fato, se toda a sociedade pode estar armada, qualquer um que tentar qualquer coisa contra uma outra pessoa irá pensar várias vezes antes, pois ela pode estar armada. Isso pode reduzir a criminalidade ? Acredito que sim, o medo é uma coisa poderosa.

    Porém sei também que o judiciário no Brasil é pessimo, já ouvi que a taxa de crimes com armas de fogo que são realmente resolvidas pela polícia é beeeem baixa.

    Pode reduzir a criminalidade ? Pode, mas também a impunidade também poderá aumentar.

    Crimes que demoram anos para ser resolvidos e no final do processo se perde as provas e não dão em nada.

    Se não fosse a ineficiencia do judiciário, eu até concordaria em liberar as armas, mas acredito que impunidade pode tornar muito grave e como todos poderam ter armas, alguma coisa sem controle.

    Quer fazer o papel da policia ? Pode fazer, mas aceite as consequencias se por ventura em uma defesa vc atirar e matar uma outra pessoa por bala perdida ou qualquer outro acidente. Arma legal ou não, homicido ou tentativa de homicidio é a mesma coisa...
  • Silvio (desta vez é o meu nome mesmo e a piada não foi intencional)  01/09/2015 01:00
    As armas devem ser limitadas pelo estado porque o estado tem uma falha em seus sistemas policial e judiciário? Não entendi essa sua lógica. Se o estado cumprisse com o que promete, nem seria necessário portar armas. Aliás, se o estado cumprisse o que prometesse, viveríamos numa Utopia bem melhor do que aquela de São Thomas Moore.

    Justamente porque o estado não entrega aquilo que promete é que precisamos nos proteger. Agora imagine só o seu raciocínio maluco aplicado para a educação. Só poderíamos ser autodidatas no dia em que as escolas públicas fossem um primor de qualidade. Todavia, como as escolas públicas só formam cavalgaduras diplomadas, ninguém deve se atrever a buscar conhecimento por conta própria, pois há o risco de algumas pessoas aprenderem tudo errado e, pasmem, ficarem mais burras ainda. Pior, essas mesmas pessoas poderiam ainda ensinar a outras pessoas e teríamos mais pessoas extremamente burras. Seria um caos!
  • luizhenriquecardoso  31/08/2015 23:58
    UF com a maior taxa de porte de armas é a do Distrito Federal, que tem 7,2 vezes mais autorizações para porte que a média nacional.

    Por que eu não estou surpreso com isso? Maior denda per capta e maior quantidade de políticos por metro quadrado.
  • Luiz  01/09/2015 03:07
    "As armas devem ser limitadas pelo estado porque o estado tem uma falha em seus sistemas policial e judiciário?"
    Infelizmente, isso mesmo.

    Uma coisa é portar armas por questão do "direito de se defender". Outra coisa é portar arma, como justamente vc falou, pq o estado falha e já que ele falha, que usemos nossas próprias mãos.

    Na minha opinião, acho que deveríamos cobrar que nossos direitos fossem garantidos e cumpridos. Como vc mesmo disse, se a lei fosse cumprida, todos teriam educação, saúde, segurança, etc e não dividir a sociedade em uma discussão como o porte de arma.

    Como já falei o porte de arma já existe. O que estão querendo é a flexibilização do porte de arma. Talvez ajude em algumas coisas ? Talvez sim, mas talvez não também. (Provavelmente a flexibilização não deixará as armas mais barato ou o processo mais barato -- Não haverá redução de custos)

    Acredito que o porte de arma, mesmo em uma sociedade sem violência, deveria ser de direito. Mas não o porte de arma para "resolver" um problema. Afinal quem mata não é a arma e sim a pessoa que aperta o gatilho.

    No final, é um "tiro no escuro" :P . Quanto vai diminuir mesmo a violência VS mortes de inocentes ?

    Sim, eu sei que o porte não é direito de matar. Mas quem garante que esse direito, será justamente cumprida ?

    Se todos que forem atirar matassem a pessoa certa (se existir tal coisa), show !
    Mas quantos serão os casos ao contrario, em que uma pessoa nada a ver, estava andando na rua e levou uma bala perdida pq uma pessoa com licença e porte de arma resolveu reagir e esvaziou seu cartucho ?

    E se não houve uma justiça nisso(por isso citei o caso do judiciário e pericia/policia ruim), o que dizer para as vítimas que não tem nada a ver com o porte ? A impunidade somente migraria de lugar... Uma hora é vc atirando, outra hora é algum conhecido ou vc mesmo levando uma bala perdida ou acidental. E como talvez seria impune, o direito de se defender se tornaria o direito de matar.

    Existem no fundo dos presídios, mais de 1 bilhão congelado por falta de projeto. Se cobrássemos que usassem para fazer mais presídios, mais instituições para manter os menores por mais tempo, etc, talvez também resolveria. Pq o Juiz libera um menor antes, pq a estrutura não comporta mais menores.

    Enfim, formas diferentes de resolver o mesmo problemas...

    Bem clichê, mas acredito que não estamos prontos para a flexibilização do porte. Existem outras formas de resolver a questão da segurança... Inocência ? Utopia ? Talvez... talvez...
  • Melodia  03/09/2015 14:54
    Uma coisa é portar armas por questão do "direito de se defender". Outra coisa é portar arma, como justamente vc falou, pq o estado falha e já que ele falha, que usemos nossas próprias mãos.

    Vejamos: o ente que diz ter o dever de me defender falha (na verdade não falha porque ele tá pouco se lixando pra mim, mas isso é outra história), logo eu não posso me defender por mim mesmo. Devo ficar inerte e inerme, rezando pra que nada me aconteça.

    Sensacional essa lógica: se o estado falhasse na distribuição de alimentos, presume-se que eu deveria morrer de fome.

    É cada uma...

    Na minha opinião, acho que deveríamos cobrar que nossos direitos fossem garantidos e cumpridos. Como vc mesmo disse, se a lei fosse cumprida, todos teriam educação, saúde, segurança, etc e não dividir a sociedade em uma discussão como o porte de arma.

    Sim! Vamos seguir cobrando, sempre dá certo. Vamos exigir 100% do PIB para educação, mais 100% pra saúde e mais 100% pra segurança! Tudo estará magicamente resolvido! Nós sabemos que o estado é um excelente gestor de recursos, que corrupção é lenda e que não reside aqui qualquer problema de cálculo econômico...

    Como já falei o porte de arma já existe. O que estão querendo é a flexibilização do porte de arma. Talvez ajude em algumas coisas ? Talvez sim, mas talvez não também. (Provavelmente a flexibilização não deixará as armas mais barato ou o processo mais barato -- Não haverá redução de custos)

    Em ética (que deveria ser o primeiro guia das ações e dos pensamentos das pessoas) não tem "se", não tem "talvez". Só existe certo e errado. Ou tu acha o direito à autodefesa certo ou tu acha errado. Se tu acha errado, como demonstrou até aqui, tu acha que as pessoas não devem se defender - que não devem proteger seus direitos naturais quando se sentirem ameaçadas.

    Poucas coisas são mais antiéticas que querer que as pessoas não possam se defender de serem mortas, escravizadas ou roubadas.

    Acredito que o porte de arma, mesmo em uma sociedade sem violência, deveria ser de direito. Mas não o porte de arma para "resolver" um problema. Afinal quem mata não é a arma e sim a pessoa que aperta o gatilho.

    Ou seja: comprar armas tudo bem, desde que seja só pra enfeite. Genial.

    O resto do teu comentário é um monte de consequencialismo estúpido que diz basicamente que, se não houver segurança completa e perfeição absoluta, as pessoas não podem ser livres.

    O engraçado é que policial pode se corromper à vontade, plantar drogas durante revistas, quebrar lanterna de carro, ficar dormindo no meio do serviço, e ninguém dá a mínima. Parece que tá tudo perfeito.
  • Luiz  03/09/2015 15:59
    "Sensacional essa lógica: se o estado falhasse na distribuição de alimentos, presume-se que eu deveria morrer de fome."

    O mercado de distribuição de alimentos não é regulado ou tão restrito como o porte de armas, que comparemos maças com maças...

    "Sim! Vamos seguir cobrando, sempre dá certo. Vamos exigir 100% do PIB para educação, mais 100% pra saúde e mais 100% pra segurança! Tudo estará magicamente resolvido! Nós sabemos que o estado é um excelente gestor de recursos, que corrupção é lenda e que não reside aqui qualquer problema de cálculo econômico..."

    Extremismo nao vai levar em nada nessa discussão aqui... Corrupção haverá até em um estado minimo, apenas mudara de lugar. Ma gestão também... Na minha humilde opinião, o governo e a sociedade no modelo atual erra ao não questionar aonde vai os 1.3Tri ja pagos em impostos, e ficamos nessa discussao de armas. Ou discutimos um novo modelo ou q discutimos as raizes dos problemas do modelo atual.

    "Em ética (que deveria ser o primeiro guia das ações e dos pensamentos das pessoas) não tem "se", não tem "talvez". Só existe certo e errado."

    Existia ética no nazismo ?

    "Ou seja: comprar armas tudo bem, desde que seja só pra enfeite. Genial."

    Armas, na minha opinião deveria ser a exceção, portanto se ele servissa somente como enfeite seria genial mesmo. Estariamos em uma sociedade de primeiro mundo.

    "O resto do teu comentário é um monte de consequencialismo estúpido que diz basicamente que, se não houver segurança completa e perfeição absoluta, as pessoas não podem ser livres."

    Consequencialismo estupido que pode ir na contra mao da autodefesa.

    Quando vc pensa em si mesmo, se defendendo blz. Talvez vc possa usar a arma corretamente, tenha controle das suas acoes, etc. E os outros ? Isso pq o Brasil é enorme, em uma cidade grande o porte de arma pode ser ruim, mas em cidades menores pode ser a solução.

    Só acho bem complexo e não tão simples e trivial.
  • Andre  03/09/2015 16:44
    "Armas, na minha opinião deveria ser a exceção, portanto se ele servissa somente como enfeite seria genial mesmo. Estariamos em uma sociedade de primeiro mundo.".

    EUA e Suíça são países de primeiro mundo e possuem muito mais pessoas armadas que no Brasil.
    Na Suíça cada cidadão homem possui um fuzil automático em casa.

    Você está falando de alguma sociedade de primeiro mundo de outro planeta ou da sua imaginação?
  • Melodia  03/09/2015 17:37
    O mercado de distribuição de alimentos não é regulado ou tão restrito como o porte de armas, que comparemos maças com maças...

    Não, não, não. Nem vem com essa. Não estamos discutindo peculiaridades de mercados, mas sim a tua lógica de que se o estado falha em fazer algo por nós, não podemos fazer por nós mesmos. A comparação é totalmente válida.

    Extremismo nao vai levar em nada nessa discussão aqui... Corrupção haverá até em um estado minimo, apenas mudara de lugar. Ma gestão também... Na minha humilde opinião, o governo e a sociedade no modelo atual erra ao não questionar aonde vai os 1.3Tri ja pagos em impostos, e ficamos nessa discussao de armas. Ou discutimos um novo modelo ou q discutimos as raizes dos problemas do modelo atual.

    Toda santa semana sai um artigo aqui neste mesmo site explicando questões ligadas à má gestão dos recursos, inclusive demonstrando teoricamente porque um ente que não se sujeita ao mecanismo de lucros e prejuízos não tem como ser eficiente na gestão dos recursos que recebe, sendo portanto inócuo "cobrar" por "direitos".

    Não faz da tua ignorância o atestado da inexistência de algo.

    Existia ética no nazismo ?

    Quem diabos falou em nazismo aqui? Acorda, manolo! Planeta Terra chamando!

    A propósito, vou colar aqui o trecho que tu suprimiu da minha primeira resposta, talvez achando que eu não ia perceber, e daí tu pode tirar tuas próprias conclusões sobre o nazismo ser ético ou não:

    Ou tu acha o direito à autodefesa certo ou tu acha errado. Se tu acha errado, como demonstrou até aqui, tu acha que as pessoas não devem se defender - que não devem proteger seus direitos naturais quando se sentirem ameaçadas.

    Poucas coisas são mais antiéticas que querer que as pessoas não possam se defender de serem mortas, escravizadas ou roubadas.


    Aliás, acho que você vai gostar disso: os nazistas também se engajaram em campanhas de desarmamento.

    Portanto, quem é pró-desarmamento é que pode ser equiparado a esses lixos.

    Armas, na minha opinião deveria ser a exceção, portanto se ele servissa somente como enfeite seria genial mesmo. Estariamos em uma sociedade de primeiro mundo.

    O cidadão de bem que compra arma o faz com o intuito de usá-la em uma eventualidade em que se faça necessário usá-la. Se não precisar, ótimo, mas me diz: numa configuração onde morrem 50 mil pessoas por ano e a criminalidade grassa, o que tu propõe?

    Ah, já sei: cobrar por mais segurança do estado. Sempre dá certo.

    Consequencialismo estupido que pode ir na contra mao da autodefesa.

    Quando vc pensa em si mesmo, se defendendo blz. Talvez vc possa usar a arma corretamente, tenha controle das suas acoes, etc. E os outros ? Isso pq o Brasil é enorme, em uma cidade grande o porte de arma pode ser ruim, mas em cidades menores pode ser a solução.


    Aí tu acaba de confessar que não liga a mínima para a ética. Pra ti, o que importa são as possíveis consequências de algo, consequências essas que tão apenas na tua cabecinha de vento e que tu não tem nem certeza de que vão acontecer.

    Só acho bem complexo e não tão simples e trivial.

    Realmente, considerar as outras pessoas como gente igual a nós, e não como meros brinquedos do estado que lhes dá direitos a seu bel-prazer, deve ser bem complexo mesmo.
  • Danilo  01/09/2015 21:23
    O porte de armas não ser permitido no Brasil é ultrajante, esse artigo mostra de maneira clara o que ouço de vozes mais experientes aqui no pará, que são garimpeiros que trabalharam no garimpo Maria bonita, santilio e serra pelada e o que eles dizem, que quando era permitido o uso de armas nessas localidades o índice de morte era quase nula depois que foi proibido, os homicídios começaram a acontecer de maneira assustadora e porque disso, enquanto havia armas havia respeito e que cada um sabia que outro podia se defender a altura. no artigo antes desse que falava sobre porte de armas o autor falava desse respeito que pessoas com porte de físico mais fraco só podem se defender a altura com armas.
  • Senhorita  02/09/2015 22:29
    O Obama ainda tenta justificar o controle das armas com aquela velha falácia de que pessoas loucas poderiam entrar no cinema e matar todo mundo...blá,blá,blá,só que isso não se sustenta, uma vez que um criminoso conseguiria uma arma até no inferno para realizar seu plano diabólico, ou seja, bandidos não seguem leis de desarmamento. Eles querem matar e pronto. Beccaria já dizia isso séculos atrás.
  • Victor  03/09/2015 00:12
    Pesquisa complementar sobre a situação brasileira com relação ao número de homicídios.

    www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/12/1560654-brasil-tem-a-11-maior-taxa-de-homicidios-do-mundo-diz-oms.shtml

    Estamos indo "bem".
  • anônimo  03/09/2015 14:34
    Ajudem a divulgar, site massa em defesa da auto-defesa do lar, família, propriedade e comunidade.

    www.defesa.org/
  • Luiz  03/09/2015 16:10
    "O engraçado é que policial pode se corromper à vontade, plantar drogas durante revistas, quebrar lanterna de carro, ficar dormindo no meio do serviço, e ninguém dá a mínima. Parece que tá tudo perfeito."
    OPA, talvez esse seja o mais importante. Realmente, tudo gira em torno da impunidade, que talvez com as armas e autodefesa resolveriam.

    Se um ladrão fosse punido, não precisaria de autodefesa ou pelo menos diminuiria a recorrência. Se alguem que corrompe fosse punido, tudo seria uma maravilha. Se fosse investido mais em educação e não resolvesse cairia o discurso de oportunidades desiguais.

    Se existe impunidade nestes casos absurdos totalmente contra a liberdade, o q acontecerá com mortes por porte de armas ? Provavelmente seguiria o mesmo padrão, não ?

    São muitos se e talvez, pq justamente não temos como prever o futuro. Se fosse fácil, a economia e comportamentos sociais estariam muito bem mapeadas e resolvidas.
  • Milico  07/09/2015 16:33
    Um bom exemplo do porte de arma é a defesa dos postos de gasolina.

    Tem posto de gasolina sendo assaltado 3 vezes por mês e muitos já fecharam de tantos assaltos.

    Eu dúvido que alguém vai tentar assaltar um posto com 2 guaritas blindadas e com um carro blindado. A única chance de um assaltante ter sucesso é fazer um refém e mesmo assim ele não conseguiria fugir. Eu acho difícil alguém assaltar sabendo que não vai conseguir fugir.

    Um assalto no trânsito ou em casa até pode ser mais difícil ter uma reação mesmo portando uma arma. Mas, dentro de uma loja ou em uma empresa com várias pessoas armadas, a situação do assaltante fica muito complicada. Se o assaltante tiver a certeza de que vai ter tiro no assalto, ele vai pensar 20 vezes antes de tomar alguma atitude.
  • tolerância zero  08/11/2015 13:54
    Há também uma outra explicação para a criminalidade ter despencado nos EUA: as políticas de tolerância zero adotada por Nova York, Los Angeles e outros lugares. Aliás, o mesmo chefe de polícia que aplicou o tolerância zero em Nova York, aplicou também em Los Angeles... E nestes lugares, a criminalidade tem diminuido pela metade....
  • Bill Bratton  08/11/2015 14:18
    Sim, e essas políticas de fato funcionam. Mas quem as criou teve a sorte de tê-las implantado em uma época em que a internet era escassa e as redes sociais, inexistentes.

    Se tais políticas tivessem sido criadas hoje, não haveria a menor chance de terem sido implantadas. A gritaria da esquerda progressista, por meio das redes sociais e dos portais de internet, seria insana.

    No que se baseavam as políticas de "tolerância zero"? Basicamente, a polícia tinha carta branca para "parar e revistar" qualquer pessoa na rua, majoritariamente negros e latinos. Como esses são os que mais cometem crimes em NY, a "revista preventiva" dessas pessoas fez despencar a criminalidade.

    Isso é básico. Se você prende suspeitos antes de eles cometerem crimes, a criminalidade cai.
  • anônimo  08/11/2015 14:33
    Até hj os esquerdopatas atacam o tolerância zero (pegue qualquer página lixo de esquerda que fala sobre o Tolerância Zero e eles criticam), ignorando os efeitos nos números de violência.
  • Slaine  14/11/2015 18:50
    'Se tais políticas tivessem sido criadas hoje, não haveria a menor chance de terem sido implantadas. A gritaria da esquerda progressista, por meio das redes sociais e dos portais de internet, seria insana.
    No que se baseavam as políticas de "tolerância zero"? Basicamente, a polícia tinha carta branca para "parar e revistar" qualquer pessoa na rua'


    Esquerda uma ova, qualquer pessoa de bom senso que entende o mínimo sobre a liberdade e sobre como o estado funciona notaria que isso é um abuso, que mesmo diminuíndo o crime gera um aumento de poder muito grande pro estado e enfraquece as liberdades individuais.
    E de fato é o que aconteceu, hoje a polícia americana é famosa na internet pelos seus atos brutais contra gente que não fez nada.E não é só negros e latinos não, o Tucker, que tem vários artigos por aqui, também tem coisas interessantes a relatar sobre isso.
  • Sérgio  16/11/2015 14:14
    Muito pelo contrário, não existe liberdade individual em um ambiente de violência urbana. Veja o exemplo do Brasil, vc não pode sair na rua à noite por medo de ser assaltado. Então, se uma política diminui a violência urbana (seja essa política adotada pela Secretaria da Segurança do Governo, seja aplicada por agências de defesa privada), isso torna a cidade mais tranquila, e por consequencia, mais livre, pois então as pessoas podem andar nas ruas tranquilamente sem medo da bandidagem, você pode abrir um comercio sem medo de ser assaltado. Isso aumenta as liberdades individuais.

    Então:
    mais violência = menos liberdade individual
    menos violência = mais liberdades individuais
  • Sérgio  14/11/2015 15:54
    "Apesar do alto crescimento nos últimos anos, o número de licenças para porte de armas emitidas nos Estados Unidos pode diminuir nas próximas décadas, mas por uma outra razão: atualmente, em 6 estados, o ato de portar armas visíveis em público não requer nenhuma autorização. Apesar do número ainda pequeno, a cada ano mais estados se juntam a esse grupo — em 2010, 3 estados permitiam o porte sem autorização.

    Maine, que no início deste mês anunciou a nova lei, foi o último estado a entrar para a lista. Com a mudança na legislação, que entra em vigor em outubro, o estado se junta ao grupo de estados mais liberais em relação ao porte de armas, ao lado de Alasca, Arizona, Wyoming, Kansas e Vermont. Além destes, outros cinco estados também possuem uma legislação similar em relação ao porte sem necessidade de autorização, embora apenas para casos especiais."


    Mais um estado para esta lista:

    Texas (EUA) aprova livre porte de armas de fogo em público

    Texas já era um dos estados mais liberais com relação às armas (pelo menos comparado a Nova York e Califórnia). Com a nova lei, se tornará ainda mais liberal.
  • Thiago Teixeira  15/11/2015 13:32
    O grande Texas é quase um país à parte.
    Lembrei da cena do Sniper Americano em que mostra ele com a bandeira do estado, não dos EUA, explicando o que ela significa.
  • Yemen  15/11/2015 00:32
    Pq no Yemen, tem muita atividade terrorista — com grupos jihadistas como a chamada "Al Qaeda da Península Arábica" (AQAP em inglês)?

    O Yemen é o 3º país com mais armas per capta (apenas os EUA e a Sérvia tem mais armas i]per capta[/i] que o Yemen), com 54,8 armas para cada 100 habitantes. Os relatos dizem que não é difícil ver pessoas com exemplares mais pesados, como metralhadoras.

    Então por que os terroristas não temem os cidadãos armados no Yemen? Por que o Yemen tem muita atividade terrorista?
  • Omã  15/11/2015 14:11
    O Iêmen exporta terroristas e está vivenciando uma briga de facções para ver quem comanda o governo.

    No entanto, apesar de todo esse cenário, sua taxa de homicídios é surpreendentemente baixa, melhor que a de todos os países da América Latina e, obviamente, da África.

    Para um país comunista e que abriga terroristas, isso é um feito e tanto.

    en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_by_intentional_homicide_rate
  • anônimo  15/11/2015 17:50
    Mas pq os terroristas não temem a população armada? Pq a população armada não expulsa os terroristas do Yemen?
  • Emerson Luis  15/12/2015 10:59

    "...a UF com a maior taxa de porte de armas é a do Distrito Federal, que tem 7,2 vezes mais autorizações para porte que a média nacional"

    Seus insensíveis! Os políticos necessitam de seguranças armados, não compreendem isso?

    * * *
  • anônimo  25/03/2016 13:49
    Ativista pró-armas é atingida por tiro disparado acidentalmente pelo filho de 4 anos

    "Inclusive meu filho de quatro anos se emociona por praticar tiro com sua (pistola calibre) .22", escreveu na última segunda-feira nas redes sociais a ativista Jamie Gilt, que defende o direito ao porte de armas nos Estados Unidos.

    Menos de 24 horas depois, a mulher foi ferida pelo filho, que a baleou acidentalmente nas costas com uma arma semiautomática calibre .45 que ela havia deixado carregada na parte de trás de sua camionete.

    O acidente ocorreu enquanto Gilt ia, com o filho, buscar um cavalo no condado de Putnam, na Flórida.

    Aparentemente, a criança pegou a arma enquanto estava sentada no banco traseiro e fez um disparo que atravessou o assento da mãe e a atingiu pelas costas.


    www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/03/160310_defensora_armas_tg
  • Douglas  25/03/2016 15:17
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Aparecido, vamos também proibir os carros, afinal carros matam mais do que armas.

    www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/carros-matam-mais-que-armas-3d15yhx2rscbr0p73i5utasem
  • anônimo  25/03/2016 19:55
    Em alguns lugares isso já não é mais piada, já é realidade:

    Pezão sanciona lei que proíbe porte de arma branca no RJ
  • anônimo  05/06/2016 16:17
    Mas a criminalidade voltou a subir nos EUA.
  • Tulio Lopes  05/06/2016 17:36
    Subiu?!

    Nunca caiu tanto e nunca esteve tão baixa.

    What's Behind The Decline In Crime?

    Violent U.S. crime drops again, reaches 1970s level: FBI

    What Caused the Great Crime Decline in the U.S.?

    Fontes de esquerda e de direita.

    Tenta de novo ou vá sacar em outro lugar.
  • Andre  05/06/2016 17:47
    Mas que picareta esse anônimo, aqui não é o site do G1
  • Lopes  05/06/2016 20:37
    O Anônimo se refere ao Efeito Ferguson, acho:

    https://www.fbi.gov/about-us/cjis/ucr/crime-in-the-u.s/2015/preliminary-semiannual-uniform-crime-report-januaryjune-2015/tables/table-1

    nypost.com/2016/05/24/the-ferguson-effect-is-fueling-a-growing-crime-wave/

    Efeito Ferguson foi um fenômeno interessante que surgiu caso de um policial que atirou em defesa própria nos EUA e a subsequente explosão de críticas contra brutalidade policial e até mesmo assassinatos de policiais nas grandes cidades de lá - apesar de o policial que começou tudo isso tenha sido julgado inocente.

    A tese é que ao mesmo tempo em que a violência cresceu, a polícia se tornou mais hesitante em agir justamente nas regiões mais perigosas por medo de acusações de racismo, perseguição da imprensa, etc.

    Mas de modo geral a violência nos EUA está de fato em uma baixa histórica.
  • Andre  05/06/2016 20:09
    Quantos mais armas menos violência.
    Por isso desde que inventaram as bombas atômicas não tem mais guerras mundiais.
  • Joao  07/06/2016 03:10
    Aqueles mapas tem um erro fatal: Os lugares com mais mass shootings são aqueles com maior densidade populacional.
  • anônimo  07/06/2016 23:28
    Desarmamentistas não desistem. É impressionante.

    Ou recebem muito dinheiro para falar abobrinha ou são muito burros.
  • Andre Henrique  24/06/2016 15:47
    Em minha opinião o "tema" Armas de Fogo deveria ser uma disciplina escolar (teórica e prática) para alunos desde tenra idade... quanto melhor as entendermos e soubermos manuseá-las, mais livre a sociedade e menor a criminalidade.
    Abç,
    AHR
  • Evelyn Rodrigues Natel  25/06/2016 16:31
    Talvez para muitos o porte de armas seja algo bom já para outras pessoas o porte de armas é ilegal cada um com o seu pensamento o meu é que dependendo da ocasião o porte de armas seja legal pois tem momentos que o ser humano precisaria se defender por exemplo se tiver um assalto em sua casa muitas vezes vc estaria correndo risco de vida e nesse caso a arma poderia te salvar já em outros casos se fosse para fazer o assalto não seria bom o porte de armas
    se descordar deixe seu comentário
    Sou de menor ainda tenho 14 anos de idade e penso assim
    Por Favor Obrigada
  • Andre  01/07/2016 19:19
    É só os americanos virem morar no Brasil.
    Aqui é muito difícil conseguir uma licença para ter uma arma.

    Mas eles devem estar preparados para o fato de que aqui a taxa de homicídios é MUITO MAIOR.

    Portanto eu recomendo mesmo é que as pessoas emigrem para a Suíça.
    Lá todo home tem um FUZIL DE ASSALTO em casa.
    E a taxa de homicídios é das menores do mundo.

    Quanto mais pessoas armadas mais paz. Salvo raras exceções como o Japão.

    --

    De qualquer forma eu estou disposto a trocar de país com um americano.
    Ele vem pra cá correr grande risco de morte aleatória e eu vou pra lá, evitando as gun free zones.
  • Douglas  03/07/2016 07:27
    Então, Zé Mané. E pensar que a violência antes era maior e vêm diminuindo, enquanto a porcentagem de cidadãos americanos armados vêm aumentando.

    Imagina se os americanos fossem desarmamentistas como os brasileiros?
  • anônimo  07/07/2016 22:32
    Nenhum porte é absoluto. O que ficou romantizado por aí, é que alguns passaram e acreditar que nos EUA, o cidadão vai em um supermercado, passa o cartão ou paga em dinheiro, e já sai com a arma em riste andando pela cidade de boa com ela. É feita uma prévia análise de antecedentes criminais do indivíduo, exames psicológicos, recolhimento de taxas (tributos), que pode resultar em uma autorização estatal ou não, aí o cara vai até a loja e compra a arma-de-fogo. Se porventura o cu do cara ficar piscando demais, o vendedor pode se recusar a vender para o indivíduo e ele vai ter que procurar outra freguesia. Além disso, o Estado pode restringir o calibre, autorizando, por exemplo, o cidadão a comprar apenas pistola/revólver, e não um rifle.

    "Apesar do alto crescimento nos últimos anos, o número de licenças para porte de armas emitidas nos Estados Unidos pode diminuir nas próximas décadas, mas por uma outra razão: atualmente, em 6 estados, o ato de portar armas visíveis em público não requer nenhuma autorização. Apesar do número ainda pequeno, a cada ano mais estados se juntam a esse grupo — em 2010, 3 estados permitiam o porte sem autorização.

    Maine, que no início deste mês anunciou a nova lei, foi o último estado a entrar para a lista. Com a mudança na legislação, que entra em vigor em outubro, o estado se junta ao grupo de estados mais liberais em relação ao porte de armas, ao lado de Alasca, Arizona, Wyoming, Kansas e Vermont. Além destes, outros cinco estados também possuem uma legislação similar em relação ao porte sem necessidade de autorização, embora apenas para casos especiais."


    No Maine, existem limitações e controles. O cidadão pode portar apenas revólveres e pistolas ao ar livre; tem que certificar o estado da compra da arma de fogo em até 15 dias da compra, senão ele está na ilegalidade (existe um órgão público que registra as armas de fogo no estado, como especificações e a numeração, caso ela seja roubada, furtada, extraviada ou apareça em algum crime) e o portador não pode estar alcoolizado (sim, eles fazem bafômetro).

    Em Vermont, o estado deu liberalidade para os municípios seguirem a sua lei ou não, a exemplo disso, Burlington baniu à comercialização de rifles de assaulto e munições com grande poder de destruição dentro de seu território em 2013, e Montpelier também já havia tentado regulamentar a compra de armas de fogo dentro dos seus limites, mas as leis foram cassadas, atualmente, dentro do Legislativo daquela cidade, existem novos projetos seguindo essa ideia. A flexibilização do porte e da posse no estado de Vermont só se sustenta porque esses direitos estão na Constituição do estado, do século XVIII e anterior a dos EUA. Bem como a Corte Constitucional do estado dá eficácia para esses direitos, inclusive em portar as armas nos limites do estado sem licença.


    O Estado de Arizona aplica as leis federais dos EUA que obrigam os vendedores locais a fazer checagem dos antecendentes do postulante a comprar armas de fogo. Essa checagem é dispensada nas vendas privadas entre pessoas físicas. Portanto, não, o indivíduo não compra uma Glock no Wall Mart de boa. Ele precisa ter um cadastro com esses dados para comprar e que é atualizado, sob pena de não conseguir mais:

    Federal law requires federally licensed firearms dealers (but not private sellers) to initiate a background check on the purchaser prior to sale of a firearm. Federal law provides states with the option of serving as a state "point of contact" and conducting their own background checks using state, as well as federal, records and databases, or having the checks performed by the FBI using only the federal National Instant Criminal Background Check System ("NICS") database. (Note that state files are not always included in the federal database.)

    Arizona is not a point of contact state for the NICS. Arizona has no law requiring firearms dealers to initiate background checks prior to transferring a firearm. As a result, in Arizona firearms dealers must initiate the background check required by federal law by contacting the FBI directly.1

    Federal law does not require dealers to conduct a background check if a firearm purchaser presents a state permit to purchase or possess firearms that meets certain conditions.2 As a result, concealed weapon permit holders in Arizona are exempt from the federal background check requirement when purchasing a handgun.3 (Note, however, that people who have become prohibited from possessing firearms may continue to hold state permits to purchase or permit firearms if the state fails to remove these permits in a timely fashion.)

    Arizona does not require private sellers (sellers who are not licensed dealers) to initiate a background check when transferring a firearm.


    Também é exigido requisitos psicológicos que o postulante deve atender para ser declarado apto à portar e possuir armas-de-fogo no estado de Arizona. Portanto, é necessário, além da checagem dos requisitos, possuir um laudo psicológico autorizando de algum profissional vinculado ao estado do Arizona, e não, sem ele não compra Glock no Wall Mart:

    Federal law prohibits possession of a firearm or ammunition by any person who has been "adjudicated as a mental defective" or involuntarily "committed to any mental institution."1 No federal law, however, requires states to report the identities of these individuals to the National Instant Criminal Background Check System ("NICS") database, which the FBI uses to perform background checks prior to firearm transfers.

    In 2014, Arizona enacted a law requiring courts to transmit information to the Supreme Court of Arizona, which must transmit it to the Department of Public Safety (DPS), which must transmit it to NICS, whenever the court:

    Finds a person incompetent, or subsequently competent, or guilty except insane;
    Appoints a guardian for an adult, except when the appointment of a guardian is due solely to the person's physical incapacity;
    Terminates a guardianship; or
    Finds a person to constitute a danger to self or others or to be persistently or acutely disabled or gravely disabled as a result of a mental disorder, and the court enters an order for inpatient or outpatient treatment.2

    A 2011 Arizona law requires reporting to NICS when a formerly mentally ill person's eligibility to possess firearms is restored. If a court grants a petition restoring a person's eligibility to possess firearms, the court must promptly notify the Supreme Court of Arizona and DPS. As soon thereafter as practicable, DPS must update, correct, modify or remove the person's record in any database that DPS "maintains and makes available to [NICS] consistent with the rules pertaining to the database." Moreover, within ten business days after receiving the notification from the court, DPS must notify the United States Attorney General that the person no longer falls within the provisions of Arizona and federal law prohibiting possession of firearms.





  • Anêmona  09/07/2016 19:41
    "Nenhum porte é absoluto."

    E qual a novidade?

    O que difere o capitalismo dos países é a sua liberdade econômica e o que difere as leis sobre armas entre os países é a sua burocracia.
    Em nenhum país as armas são 100% proibidas e 100% liberadas. O que difere um do outro são as burocracias e os procedimentos para consegui-las.
  • Pedro  03/08/2016 00:38
    Comparar os EUA com o Brasil é covardia.

    Por outro lado, Reino Unido, Espanha e Japão tem controle de armas e apresentam taxas de homicídios inferior aos EUA.... Aliás, os EUA apresentam são o país mais violentos entre os países desenvolvidos....
  • Respondedor  12/12/2016 02:39
    Mas cada vez mais pessoas tem armas nos EUA e cada vês mais tem menos homicídios
  • Gabriel  11/06/2017 13:40
    Covardia por quê? Lá há tanta ou mais tensões sociais que aqui. Há muita desigualdade também.
    Mas se assim for, vamos comparar então com os nossos vizinhos da AL. Chile, Uruguai, Argentina e Paraguai, todos eles são, proporcionalmente, mais armados e todos são menos violentos.
  • Covarde  11/06/2017 17:31
    Ai ai, se eu ganhasse um real pra cada vez que alguém recorre ao Japão, ao Reino Unido...

    Sobre o Japão, há três coisas interessantes ali:

    1) Pra começar, o Japão é uma das sociedades mais homogêneas do mundo. Aliás, é uma das poucas que ainda é assim. E sempre foi assim. Os japoneses possuem uma identidade cultural extremamente rígida.

    Mais: o Japão foi uma sociedade de castas por milhares de anos. O povo -- os camponeses, que formavam nada menos que 98% da população -- nuca teve armas. Nunca houve a mais mínima idéia de democracia no Japão feudal e o povo japonês -- que era dominado por uma aristocracia, por guerreiros e por mercadores; todos eles representando apenas 2% da população -- nunca considerou a hipótese de se insurgirá contra seus senhores.

    Ou seja, é uma sociedade historicamente formada por pessoas complacentes, ordeiras e submissas à autoridade. Se uma sociedade é formada por indivíduos ordeiros, totalmente homogêneos, e cumpridores devotos de qualquer lei (inclusive das ruins) e com tendências à submissão, dificilmente essa sociedade será violenta. (Você já viu sequer alguma greve no Japão? Houve violência?)

    Dica: comece analisando a composição de uma sociedade e sua evolução.

    2) A lei do Japão é esquisita: você não pode ter um .38, mas a compra de rifles e espingardas é liberada, desde que você se declare caçador ou esportista.

    3) A polícia japonesa, assim como a cingapuriana, têm total liberdade para prender pessoas sem motivo aparente e torturá-las a rodo (até arrancar uma confissão incriminadora). Isso é algo bastante desconhecido por aqui, mas muito debatido por lá.

    Se o argumento contra o desarmamento é ter uma polícia violente e completamente irrefreável, será legal ver um esquerdista falando sobre isso.

    Japan crime: Why do innocent people confess?

    Criminal justice in Japan: Forced to confess

    [www.alternativa.co.jp/Noticia/View/62139/Psicologo-diz-que-policia-japonesa-pratica-tortura-mental-para-suspeitos-confessarem-crimes]Psicólogo diz que polícia japonesa pratica tortura mental para suspeitos confessarem crimes[/link]

    Eu aceito a tese de que um estado policial violento, totalitário e irrestrito coíbe bastante a criminalidade (dizem que na Iugoslávia do ditador Tito não havia um único assalto de rua). A esquerda aceita a tese de ter uma PM ultraviolenta, atuando sem restrições e com liberdade para obrigar inocentes a confessar crimes que não cometeram? É assim no Japão.
    ---------------------------------------------------------
    E mais:

    A população dos países europeus é muito bem armada, como comprovam os números de Áustria, Alemanha, Suíça, Suécia e Noruega, todos com uma média superior a 30 armas por cada 100 pessoas. (O que significa que essas populações são 4 vezes mais bem armadas que os brasileiros). A Finlândia é a mais bem armada de todas, com mais de 45 armas para cada 100 pessoas. Já Portugal, Espanha, Itália e Inglaterra ficam bem para trás (mas, ainda assim, sua população é mais armada que a brasileira).

    Tá tudo compilado aqui (e observe que se trata de uma fonte de esquerda):

    www.theguardian.com/news/datablog/2012/jul/22/gun-homicides-ownership-world-list

    ---------------------------------------------------------------

    "Aliás, os EUA apresentam são o país mais violentos entre os países desenvolvidos...."

    O quê?! Está entre os menores índices de violência do mundo.

    Segundo o FBI, em 2014, houve 4,5 homicídios para cada 100.000 pessoas nos EUA. A taxa é mesma de 1963. Após chegar ao ápice em 1980 (10 homicídios por 100 mil) começou a cair anualmente até chegar aos atuais 4,5 por cem mil.

    Ah, sim, sabe em quais estados americanos há maiores taxas de homicídio? Exatamente nos mais desarmamentistas. Só as taxas de homicídios em Chicago, Detroit e Washington -- as três cidades mais desarmamentista dos EUA -- mandam toda a taxa de homicídios dos EUA lá pra cima

    Ou seja, aquele valor de 4,5 homicídios por 100 mil pessoas está inflado pelos numerosos homicídios que ocorrem nas regiões metropolitanas desarmamentistas, como Chicago, Detroit e Washington. Tire essas da lista e o número desaba ainda mais.

    A taxa de crimes violentos no Reino Unido é aproximadamente 4 vezes superior à dos EUA. Em 2009, houve 2.034 crimes violentos para cada 100.000 habitantes do Reino Unido. Naquele mesmo ano, houve apenas 466 crimes violentos para cada 100.000 habitantes nos EUA.


    O Reino Unido apresenta aproximadamente 125% mais vítimas de estupro por 100.000 pessoas a cada ano do que os EUA.

    Anualmente, o Reino Unido tem 133% mais vítimas de assaltos e de outras agressões físicas por 100.000 habitantes do que os EUA.

    O Reino Unido apresenta a quarta maior taxa de arrombamentos e invasões de residências de toda a União Europeia.

    O Reino Unido apresenta a segunda maior taxa de criminalidade de toda a União Europeia.


    Viva com isso.

    Abraços
  • estatístico  01/10/2016 15:01
    O números de homicídios voltou a aumentar nos EUA em 2015. Depois de atingir o seu menor nível em 2014, em 2015 o número número de homicídios aumentou para o maior numero desde 2009:

    www.disastercenter.com/crime/uscrime.htm

    Quase todos os estados apresentaram aumentos nos números de homicídios. Nova York e Massachusetts (estados que possuem rígidos controles de armas) apresentaram redução.

    Para ver todos os estados:

    www.disastercenter.com/crime/index.html



  • Verdadeiro  01/10/2016 15:33
    Ué, dê a notícia completa: o números gerais subiram simplesmente por causa de algumas poucas cidades, que vivenciaram um pico nos homicídios.

    Quais cidades? Baltimore, Chicago, Cleveland, Houston, Milwaukee, Nashville, e Washington.

    "Half of the entire increase in big-city homicides was concentrated in just seven municipalities — Baltimore, Chicago, Cleveland, Houston, Milwaukee, Nashville, and Washington.

    And only in Baltimore was the spike in homicides sharp enough to return the city to a historically high murder rate. While Charm City suffered a historic high of 55 homicides per 100,000 residents in 2015, for the seven cities collectively that figure was 21. Which is significantly lower than it was throughout the 1990s.

    Meanwhile, 70 large cities saw their murder rates hold steady in 2015, while 5 saw them fall."

    Enquanto isso, segundo suas mesmas estatísticas, New Hampshire, Idaho, e Vermont, estados com as leis mais liberais sobre armas, possuem as mais baixas taxas de criminalidade. O mesmo, aliás, vale para os estados do meio-oeste.

    Todos os gráficos foram compilados aqui:

    https://mises.org/blog/handful-cities-are-driving-increase-murder-rates

    Por fim, aquela estatística que um sedizente estatístico como você não tem o direito de ignorar: a taxa de homicídios nos EUA desabou 50% nos últimos 20 anos, "coincidentemente" ao mesmo tempo em que a posse de armas disparou.

    www.pewresearch.org/fact-tank/2015/10/21/gun-homicides-steady-after-decline-in-90s-suicide-rate-edges-up/
  • anônimo  02/10/2016 14:46
    Faltou dizer que Houston (Texas) e Nashville (Tennessee), o porte de armas é liberado. O Texas tenha liberou o porte de armas aberto em público e a criminalidade explodiu...

    Sobre os casos que eu citei, a redução da violência em Nova York se deve ao grande trabalho do Bill Bratton, que aplicou o tolerância zero — que se baseia na teoria das janelas quebradas de James Q. Wilson e George L. Kelling (nos EUA, os libertarians se opõe e essa, inclusive John R. Lott tenta dizer que a aplicação dessa política não funciona)...

    Precisamos de um Bill Bratton no Brasil...
  • Kersey  02/10/2016 18:25
    Bela tentativa de saque, mas vai ficar pra próxima. A taxa de crimes gerais caiu até mesmo em Houston (sempre lembrando que o Texas só liberou o porte de armas no final da década de 1990).

    A "overall crime rate" em Houston caiu 5% nos últimos dois anos.

    A taxa de homicídios, por sua vez, após chegar ao menor valor em 2011, de fato voltou a subir (sem explicações aparentes). Mas ainda está a galáxias de distância dos números epidêmicos vivenciados na década de 1980, quando o porte de armas era rígido e o número de habitantes era bem menor que hoje. Uma façanha.

    Murder rates also vary widely from year to year, the report said, because the rates are generally so low that a small increase can lead to a large percentage change.

    In Houston, there was less overall crime and the violent crime rate decreased, but the murder rate jumped 23 percent, from 10.8 murders per 100,000 residents in 2014 to 13.3 in 2015, according to the report.

    "The number, even though it's going up, is still within the range of normal, so it's not a concern in that regard," said Capt. Dwayne Ready of the Houston Police Department's Homicide Division. "Those increases come on the heels of a very low [rate] overall."

    In 2011, Houston had 198 murders, the least since the FBI began reporting citywide crime data in 1985. Since then, the murder rate in Houston has increased each year, with 303 in 2015.

    "The numbers do go up and down," Ready said. "We're a long way from the '80s."

    In Texas and in the nation, crime spiked in the late '80s and early '90s. The national crime rate is now half of what it was in 1990, and almost a quarter less than it was at the turn of the century, according to the report. In 1991 in Houston, there were 608 murders, the highest since recording began, according to FBI statistics.

    https://www.texastribune.org/2016/04/22/crime-rates-fall-texas-cities/

    Ou seja, em 1991, quando o porte de armas era rígido, Houston teve 608 homicídios. Em 2011, com armas liberadas, 198.

    Viva com essa.
  • nivaldo rogerio portela canejo sampaio  03/10/2017 12:54
    Todo cidadão tem direito a se defender sim o estados unidos está agindo corretamente as mídias e que querem de granito a imagem do país e não caiam nessa
  • nivaldo rogerio portela canejo sampaio  03/10/2017 12:57
    O cara que cometeu aquela atrocidade lá em Las vagas ele tinha se convertido ao islamismo e o islamismo e que tem que ser proibido no país isso sim tem que ser feito "globo"bosta não queime a imagem do país


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.