"Seasteading"









16 comentários
16 comentários
Paulo Sergio 03/04/2012 02:47:35

Pra mim esse é o melhor 'artigo' desse site, acho incrível que ninguém tenha comentado ainda
Só acho que é mais realista começar com barcos, depois casas flutuantes, antes de passar pra cidades inteiras
E também queria saber mais sobre as dificuldades técnicas de se fazer isso porque sei lá, mas se vai ser uma ilha móvel então querer imitar o formato de um oil rig será que faz sentido? Se vai ser uma coisa móvel então eu acho que devia parecer com um barco, nem que seja um catamaran com esteroides

Responder
anônimo 03/04/2012 03:59:09

Já que interessou, como interessa pra mim, dê uma olhada no site do instituto para ver os projetos: www.seasteading.org/

Responder
Paulo Sergio 03/04/2012 04:35:45

Eu já conheço o site deles, tb acompanho o blog do Patri Friedman
No forum do site tem muitas idéias mas pouca gente executando elas

Responder
Paulo Sergio 03/04/2012 04:51:13

Mas mesmo assim é um ambiente vibrante! Tem gente lá planejando um submarino de concreto!
Esse é o tipo de maluco que faz o mundo evoluir :)

Responder
Paulo Sergio 03/04/2012 03:35:31

Ou seja eu ACHO que faz mais sentido que seja mais assim:
www.youtube.com/watch?v=0IuFGPiG4RE&feature=endscreen&NR=1

do que assim:
www.youtube.com/watch?feature=fvwp&NR=1&v=TjXvHM6M9l8

Responder
Alan Oliveira Denadary 03/04/2012 04:25:44

Também acho sensacional esse projeto.

Responder
Paulo Sergio 06/04/2012 15:45:42

casas barco:
realestate.yahoo.com/promo/floating-dream-homes.html

Responder
anônimo 06/04/2012 17:51:53

Boa!

Penso que a forma como será feito o seasteading é o de menor importância, se ignorarmos o ponto de vista técnico da ocupação de áreas oceânicas, o que deve importar mesmo é o próprio seasteading e a criação de comunidades livres.

Responder
augusto 06/04/2012 18:08:38

Do ponto de vista técnico, não há grandes dificuldades. Qualquer transatlântico abriga confortavelmente dezenas de centenas de pessoas. Energia elétrica pode ser obtida a partir de painéis solares ou com um gerador a óleo vegetal extraído de algas produzidas em alto mar (algumas espécies de algas produzem tanto óleo quanto soja ou mamona).

O grande desafio é lidar com os Estados estabelecidos. Nenhum Estado gosta de concorrência.

Responder
Paulo Sergio 07/04/2012 08:15:24

'Peace is to have a bigger stick than the other guy'
Howard Stark

Responder
Paulo Sergio 07/04/2012 08:28:47

Sei não, barco nenhum dura pra sempre, sempre tem que ter uma manutenção, agora imagine isso numa escala muuito maior...acho que ainda vão aparecer muitas idéias sobre como automatizar isso
Fora que no mar tem tempestades e ondas de uns dez metros, o barco,ou ilha, ou sei lá,tinha que ter uma estrutura planejada pra aguentar isso, talvez algo como os prédios do japão que literalmente se curvam pra aguentar terremotos
Eu não tenho dinheiro pra comprar um transatlântico, acho bem mais realista se for algo que qualquer um possa fazer construindo pequenos módulos e juntando eles com o tempo

Responder
Paulo Sergio 10/04/2012 12:29:31

'O grande desafio é lidar com os Estados estabelecidos. Nenhum Estado gosta de concorrência.'

O que eu tenho medo é da ONU um dia resolver declarar todas as águas internacionais do mundo a propriedade de 'toda a humanidade', traduzindo, dela mesma.
Se n fizeram isso é talvez pq n precisaram, os primeiros seasteads ainda n apareceram...ainda

Responder
Bruno 11/05/2012 10:11:32

Paulo Sergio, pior que a coisa está indo pra esse lado.

FAO adota diretrizes sobre posse da terra no mundo

Responder
Paulo Sergio 19/04/2012 05:56:13

Alguém mais gosta de metal? Olhem a letra haha
www.youtube.com/watch?v=swAG0E5KThI

Responder
anônimo 16/11/2013 17:24:20

É bastante interessante, promissor... Mas tem um errinho que o Friedman cometeu, que foi desconsiderar que modos de produção variam em eficiência e eficácia conforme o número de pessoas nele.

Não tem como você dizer que tal modelo vai funcionar num homesteading de 50 pessoas e dizer que o mesmo vai ser pra 50000 pessoas. Os princípios podem ser os mesmos, mas a execução acaba variando. Em especial se analisado do ponto de vista de administração.

Responder
anônimo 12/07/2014 17:05:37

Responder

Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
  Nome
  Email   (também utilizado para o Avatar, crie o seu em www.gravatar.com)
  Website
Digite o código:

Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.







Blog  rss Assine o RSS de Blog da Mises.org.br
  Comedimento e sobriedade
        por Helio Beltrão - 10/06/2014
  Comunicado
        por Equipe IMB - 10/06/2014
  O que fazer com a Petrobras?
        por Leandro Roque - 07/04/2014

Multimídia   
  Podcast Mises Brasil
        por Bruno Garschagen - 06/01/2015
  Conferência de Escola Austríaca 2014
        por Diversos - 23/10/2014
  Fraude - Explicando a grande recessão
        por Equipe IMB - 31/10/2012
veja mais...



Instituto Ludwig von Mises Brasil



contato@mises.org.br      formulário de contato           Google+
Desenvolvido por Ativata Software