Sejamos francos: a política é assalto organizado
E não há meio termo

Eis o que se observa: as pessoas não se opõem à corrupção na política e no governo. Elas se opõem apenas àquela corrupção perpetrada por quem elas não aprovam.

Ou, falando mais claramente, elas se opõem apenas à corrupção que não direciona dinheiro, poder e domínio a elas próprias, e sim aos seus rivais ideológicos.

Todo o processo que envolve o assim chamado "governo democrático" nada mais é do que um amplo esquema de corrupção em larga escala, o qual é sustentado pela ameaça de violência: se você se recusar a dar seu dinheiro, via impostos, para essas pessoas, você é encarcerado. E se tentar resistir à prisão, você pode ser morto.

Partidários políticos, em particular, são completamente amorais em relação à corrupção do processo político. Se o partido vermelho é exposto como tendo recebido propinas ou tendo desviado dinheiro público para favorecer seus empresários favoritos, o partido azul e seus entusiastas imediatamente se travestem do manto da moralidade infinita. Mas tão logo se descobre que este também usufruía o butim, seus partidários se calam, e o partido vermelho e seus defensores imediatamente se excitam e passa a posar de moralista. (Já o partido do centro não tem apoiadores e nem sequer se dá ao trabalho de posar de moralista; já parte direto para o esbulho).

É claro que a corrupção não se limita apenas às altas esferas federais. Estas são apenas as mais reportadas. Tanto nos governos estaduais quanto nos municipais, a corrupção é uma prática que fornece uma igualdade de oportunidade a todos. Com efeito, é exatamente por isso que os governos federal, estaduais e municipais não param de crescer: para conceder igualdade de oportunidade (de esbulho) a todos os seus ocupantes.

Se o governo se limitasse apenas à função de proteger os direitos naturais das pessoas — cada cidadão não pode ter sua vida retirada, sua propriedade honestamente adquirida confiscada, e sua livre iniciativa tolhida —, como defendia John Locke, ele poderia operar com uma ínfima fração do dinheiro e do número de burocratas atuais.

Mas dado que o aparato estatal é uma máquina especializada em tomar dinheiro de uns para enriquecer outros — deixando um pedágio no meio do caminho para seus operadores (políticos) —, impossível esta máquina parar de crescer. E impossível parar de se corromper.

Sendo assim, por que realmente alguém deveria se surpreender quando um novo esquema de corrupção é revelado? Ou quando um novo político é flagrado? O sistema foi criado exatamente para facilitar e estimular esse comportamento. Por que ainda é surpreendente o fato de que políticos e funcionários públicos dentro deste sistema agem exatamente de acordo com as facilidades e estímulos criados por ele?

Se uma sociedade possui um sistema de governo no qual seus ocupantes não apenas possuem um grande poder sobre a vida, a liberdade e a propriedade de terceiros, como também usufruem a possibilidade de vender a execução desse poder para quem pagar mais, então é claro que esse leilão ocorrerá.  Políticos ficarão com a propina, e os beneficiados ficarão com o dinheiro extraído do povo.

Se o dinheiro, o poder e o sadismo fossem removidos da política e do governo, não sobraria nada além de promessas vazias e ilusões infantis.

Sob esse sistema desagregador, aquele que para alguns é um escroque, para outros é um servidor público dedicado. Aquele que para alguns é um patriota, para outros é um traidor. Pessoas que não pensariam em roubar $ 1 que o vizinho deixou cair no chão irão defender políticos que quebram todo um país enquanto enriquecem a si próprios e a seus amigos e apoiadores.

Conclusão

Eis um teste prático: para ver quão comprometida é uma pessoa com a política do esbulho alheio, descubra qual programa de governo ela jamais seria contra. Se for algum relacionado a dinheiro, poder e privilégios, ela é defensora da política do esbulho.

A democracia poderia funcionar se fosse puramente um sistema de vetos. Os eleitores poderiam anular qualquer programa governamental por meio de um voto majoritário. Assim, ao menos haveria uma chance de o estado ser mantido numa coleira apertada.

Mas tal sistema não seria do interesse daqueles que vivem do esbulho alheio.

E viver do esbulho alheio sempre foi a essência da política. Varia apenas a quantidade pilhada e a filosofia utilizada para justificar a pilhagem.

Todo o sistema de esbulho não pode ser reformado por qualquer outro programa senão um profundo corte de gastos. E é por isso que qualquer ideia de corte de gastos imediatamente encontra feroz oposição. Os eleitores que importam — aqueles que são politicamente organizados e, por isso, são premiados com os frutos da pilhagem — não querem isso.

 

22 votos

SOBRE O AUTOR

Robert Higgs
um scholar adjunto do Mises Institute, é o diretor de pesquisa do Independent Institute.



"Foram mal abordados, muito mal abordados.

"imprimir dinheiro não é prática legal em um mundo civilizado" Eua imprime dólar, UE imprime Euro, Japão imprime Iene."


Eis um trecho do artigo:

"Há três respostas: ou o governo aumenta impostos; ou ele toma dinheiro emprestado de bancos, pessoas e empresas; ou ele simplesmente imprime dinheiro.

Não é preciso ser um profundo conhecedor de economia para entender que nenhuma dessas três medidas cria riqueza."


Você fala como se estivesse rebatendo alguma afirmação, que o próprio artigo mostra como é falsa; mas essa afirmação quem criou foi você próprio, sabe-se lá de onde.

É surreal você dizer que isso advêm da perda de consumo da população, a inflação desses países é próxima de zero há muito tempo. (não quero dizer que isso funcionária em todos os países do mundo)

Você está falando de "inflação de preços", aumento no preço de diversos produtos na economia geral; o artigo está falando de
inflação monetária, aumento da oferta monetária, dinheiro em circulação na economia. É possível haver baixa "inflação de preços" ou mesmo "deflação de preços" onde há inflação monetária. Basta que o aumento em produtividade e outros fatores (que diminuem preços) seja maior que o aumento dos preços por conta da inflação monetária.

Agora, se você acha que não há relação alguma entre oferta monetária e aumento de preços, creio que você descobriu o Paraíso na Terra -- podemos simplesmente imprimir dinheiro à rodo e dar para todos, e não haverá efeito colateral algum nisso.

"EUA tirou o país de uma recessão enorme em 2008 com as práticas Keynesianas, existem vários e vários exemplos da prática aplicada e funcionando, em nenhum momento é perfeita e sem qualquer tipo de ônus, mas é o melhor que pode ser feito."

Sim, o Keynesianismo tirou os EUA da recessão -- causada por esta mesma ideologia e suas taras por expansões artificiais:

Como ocorreu a crise financeira americana
Explicando a recessão europeia
Herbert Hoover e George W. Bush: intervencionistas que amplificaram recessões (1ª Parte)
A geração e o estouro da bolha imobiliária nos EUA - e suas lições para o Brasil

Creditar a teoria Keynesiana por tirar os EUA da recessão se resume à isto: o que seria de nós, se após quebrar nossas pernas, o Estado não nos desse muletas?

"Aliás uma pergunta, você já prestou ANPEC alguma vez? acredito que seu conhecimento é bem maior do que as frases feitas que posta aqui no site."

E como sempre, o grande feito para um Brasileiro é passar em concurso.

"Apesar de ter grande admiração por Keynes eu não tenho asco por nenhum grande pensador econômico, seja ele Marx ou Hayek, não é o que acontece por aqui, infelizmente. Inclusive, ressaltei que não é impossível que Keynes esteja errado em alguns pontos, visto o tempo que já se passou."

Não posso falar por todos membros que acompanham este instituto, mas pouco me importo com Keynes, Hayek, Mises, Friedman, quem quer que seja. Apenas me importo com as ideias que estes defendem. Se Marx falar algo correto, defenderei isto. Se for Keynes, também. Mises, mesma coisa.

"Peço mais uma vez que seja exposto para que haja um debate honesto. Pela segunda vez eu estou usando exemplos reais, práticas já aplicadas e com ressalvas de que nada pode ser generalizado, você escreve de forma rasa, com várias teorias que sequer foram testadas e lotado de frases feitas para atingir quem está no topo (Keynes). "

"Nada pode ser generalizado" é algo tão estúpido que eu não acho que seria preciso comentários para mostrar a estupidez desta afirmação.

"Você escreve de forma rasa" -- disse quem credita a teoria Keynesiana como positiva por tirar os EUA da recessão, causada pela mesma.

"Com várias teorias que sequer foram testadas" -- Eis o comentário feito por quem você está criticando:

"1) "Podem vir de emissão de títulos públicos"

E quem paga os juros e o principal destes títulos públicos? De onde vem o dinheiro?

2) "Impostos pagos anteriormente que geraram caixa"

Ou seja, o dinheiro veio da população.

3) "Expansão monetária direta, da forma que é feito na UE, EUA e Japão"

Ou seja, o dinheiro veio da redução do poder de compra da população.

4)"Qualquer financiamento para qualquer tipo de obra" "


Todos estes pontos são lógicos, e não empíricos. Faça um favor a si mesmo, e corra urgentemente para uma livraria e compre qualquer livro iniciante sobre lógica ou argumentação. O seu caso é grave.



Deixe que eu me preocupe com isso. quero saber o seguinte: se um meliante invadir a minha casa, o que você sugere que eu faça?

Os contra armamento nunca respondem essa pergunta e sempre a evitam. Eu vou responder de acordo com a instrução que a policia passa para a população:

1. Se der tempo, ligue para a policia, se você der sorte, eles podem passar por ali antes do bandido conseguir entrar na sua casa.

2. Faça tudo que o bandido manda. Se ele quer seus bens, dê. Se ele quer estuprar você, deixe. NÃO RESISTA DE FORMA ALGUMA.

3. No dia seguinte, faça um boletim de ocorrência e reze para que seu caso seja um dos 8% que são resolvidos no Brasil.

Agora eu tenho algumas perguntas também:

1. Se bandidos querem bens, por que não assaltam o congresso nacional? Ali está reunido várias pessoas milionárias. Enriqueceriam facil! Será que é por que ali tem seguranças armados que não hesitariam em atirar?

2. Por que não assaltam juizes e deputados quando estão fora do congresso? Será que é por que os mesmos dispõem de seguranças armados?

3. Por que não atacam carros fortes que transportam valores toda vez que os mesmos saem da garagem? Será que é por que os guardas estão bem armados?

Quem prega o desarmamento da população não entende que o bandido, seja o de colarinho branco ou o comum, é um ser de mentalidade oportunista. Independente do historico de pobreza (ou não), ele não irá atacar lugares fortemente armados porque o risco/beneficio é muito alto, e eles são inteiramente capazes de fazer esse julgamento (caso não o fossem, os lugares que citei seriam atacados diariamente).

Sabe onde eles atacam? Onde o risco/beneficio é baixo. E adivinha quem apresenta isso? Sim, uma população desarmada e instruida a não reagir de forma alguma.
Esron, expandi o comentário acima em um artigo bem mais detalhado sobre o assunto. Ei-lo:

Como funciona o mercado de cartões de crédito e por que seus juros são os maiores de todos


Após a leitura do artigo acima, convido-o a ler esta notícia, que mostra que a recente medida adotada pelo Banco Central não afetou nada, exatamente como previa o artigo acima (ou seja, o final, nada mudará, e sua anuidade tende a continuar gratuita):

blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/juro-do-parcelamento-do-cartao-de-credito-e-recorde-e-chega-1635-ao-ano/
Além de tudo o que já foi respondido acima, é extremamente importante ressaltar que essa tese de "fazer dumping para quebrar indústrias para logo em seguida elevar preços e dominar o mercado" é completamente irreal.

Não apenas isso nunca aconteceu na prática, como também a própria teoria explica que isso seria completamente insustentável, para não dizer irracional do ponto de vista empreendedorial.

Apenas imagine: você é o gerente de uma grande empresa e quer destruir a empresa concorrente reduzindo seus preços para um valor menor do que os custos de produção. Ao fazer isso, você começa a operar no vermelho. Ao operar no vermelho, por definição, você está destruindo o capital da sua empresa; você está, na melhor das hipóteses, queimando reservas que poderiam ser utilizadas para investimentos futuros.

Pois bem. Após vários meses no vermelho, você finalmente consegue quebrar o concorrente. Qual a situação agora? Você de fato está sozinho no mercado, porém bastante descapitalizado, sem capacidade de fazer novos investimentos. A sua intenção é voltar a subir os preços para tentar recuperar os lucros de antes. Só que, ao subir os preços, você estará automaticamente convidando novos concorrentes para o mercado, que poderão vender a preços menores.

Pior ainda: estes novos concorrentes poderão perfeitamente estar mais bem capitalizados, de modo que é você quem agora estará correndo o risco de ser expulso do mercado. Seus concorrentes poderão vender a preços mais baixos e sem ter prejuízos, ao passo que você terá necessariamente de vender a preços altos apenas para recuperar seus lucros.

Ou seja, ao expulsar um concorrente do mercado, você debilitou sua empresa a tal ponto, que você inevitavelmente se tornou a próxima vítima da mesma prática que você aplicou sobre os outros.

E é exatamente por isso que tal prática não é observada no mundo real. Ela é totalmente ignara. Um empreendedor que incorrer em tal prática estará destruindo o capital de sua empresa, correndo o risco de quebrá-la completamente. Um sujeito com esta "sabedoria" não duraria um dia no livre mercado.

Se isso não vale para uma empresa dentro de um país, imagine então para uma empresa concorrendo em escala global (como é o caso do seu exemplo)?
Se enviar produtos importados baratos destrói a indústria de um país, então conclui-se que fazer o extremo -- mandar importados DE GRAÇA pra um país -- o destrói ainda mais rapidamente.

Mas o que tem de destrutivo em ganhar presentes? Se nos mandarem televisões, carros e geladeiras de graça, perderemos, sim, os empregos nessas áreas. No entanto, os trabalhadores dessas áreas poderão ir pra outras atividades produtivas e genuinamente demandadas pelos consumidores.

Em vez de termos essas pessoas produzindo televisões, carros e geladeiras, já teremos tudo isso e mão-de-obra sobrando pra produzirmos outras coisas. Em resumo, o país ficaria mais rico, às custas dos contribuintes de outros países que estão subsidiando importados gratuitos pra nós.

Outra coisa: se restringir e taxar a importação de produtos baratos é bom pra indústria nacional, bloquear as bordas do país contra todas as importações criaria uma economia fortíssima no país bloqueado.

E não pára por aí: se bloquear um país é bom pra economia interna, então bloquear os estados também. Imagine quantos empregos de paulistas os gaúchos estão tirando quando criam gado. Proibir a importação de gado e garantir empregos pra indústria interna de gado São Paulo seria uma boa idéia.

E isso continua pra cidades, pra ruas, até que se decida produzir tudo em sua casa e não trocar com ninguém.

Basta você parar de fazer compras no supermercado e estará bem ocupado o dia inteiro plantando, colhendo, costurando suas roupas, etc.

Todos terão pleno emprego, mas a produtividade será extremamente baixa dado o custo de oportunidade de produzir tudo por si mesmo, e será uma pobreza generalizada.

Um tomate que você compra com alguns segundos do seu trabalho demoraria meses pra nascer na sua terra.

Se nos casos extremos, com importados de graça, a sociedade fica mais rica e produtiva, e com importados proibidos, a sociedade fica mais pobre e improdutiva, são pra esses os caminhos que as políticas protecionistas apontam.

Não existe um ponto de equilíbrio ou um "protecionismo racional". Todo protecionismo beneficia produtores do setor protegido às custas de todo o resto.

Pode até ser que sem protecionismo nossas montadoras falissem; mas se elas não conseguem competir, é isso o que tem que acontecer.

Se custa 50.000 pra fazer um carro no Brasil que custa apenas 25.000 pra fazer o mesmo carro lá fora, ao comprar o carro de 25.000 a nossa economia tem um carro e 25.000 sobrando pra serem usados em outros setores. Ao comprar um carro de 50.000, a economia tem apenas um carro e deixa de ter 25.000 pra gastar ou investir em outros setores.

Imagine num caso extremo gastar uma fortuna com tecnologia e energia pra produzir bananas no Alasca. Se essas bananas forem produzidas num país tropical, podemos ter as mesmas bananas que teríamos do Alasca, mas sem usar todo aquele recurso: homens, máquinas e energia que poderiam ser mais bem alocados em outro lugar ao invés da produção de bananas.

A questão não são empregos, nem indústria nacional: a questão é produção. Empregos que não criam valor são inúteis, e há indústrias que não necessitam existir. O Brasil não "precisa" de uma indústria de carros assim como o Alasca não "precisa" de uma indústria de bananas, a menos que encontrem uma forma eficiente de produzir seus produtos. Não há por que preservar tais empregos.
Todas essas situações de "stress" que você citou podem perfeitamente acabar também em facadas, canivetadas, garrafadas na cabeça, pedradas, ou socos na cara (é bastante comum uma pessoa morrer em decorrência de um simples soco na cara; ver aqui e, principalmente, aqui).

Portanto, você criou uma falsa equivalência.

"Campanhas desse tipo me faz [sic] refletir que a nossa atenção e forças para cobrar do estado aparatos essenciais para que possamos viver bem, estão focalizados em assuntos que já deveriam estar superados!"

Ininteligível.

"Sobre os bandidos, opa! Se eles estão mandando no meu estado, tenho uma parcela de culpa aí!"

Você pode ter. Eu não tenho nenhuma. Por favor, me diga qual a minha culpa em haver "bandidos mandando no seu estado"?

"Não será somente com armas que inibiremos a propagação de criminosos"

Deixe que eu me preocupe com isso. quero saber o seguinte: se um meliante invadir a minha casa, o que você sugere que eu faça?

"afinal um dos motivos de se propagarem é o fato das armas estarem acessíveis!"

Errado. Um dos motivos de se propagarem é o fato de armas estarem acessíveis para eles no mercado negro e nenhuma arma estar acessível para o cidadão comum no mercado legal.

Bandidos proliferam quando sabem que suas potenciais vítimas estão completamente desarmadas pelo estado.

Beira o cômico você ignorar isso.

"Sobre quem fomenta esse tipo de campanha, cuidado! Aquele(a) deputado(a) ou senador(a) pode ter uma "amizade" muito próxima com alguém ligado a indústria que fabrica tais armas!"

Pois então cite nomes e prove que eles estão ligados a este site. Caso contrário, tenha a hombridade de se retratar.

"Ou até mesmo o cidadão de bem que compartilhou algo dessa campanha não tá nem ai para o bandido, simplesmente acha bonita armas ou quer de alguma forma usá-la!"

Que campanha?!

"E como a democracia é a chave para o entendimento! Respeito quem tem opinião contrária!"

Estamos vendo...

"Então lembram da corrupção? Ela leva desde a falta da merenda na nossa escola até a essa situação! Entregar uma arma pra tu quando estiver "grande", não vai garantir que terá um bandido a menos no mundo! É o processo educacional e o cuidado do estado que podem garantir a paz e o teu bem estar, as armas o caos! Pode parecer falácia, mas para um CIDADÃO DE BEM, faz sentido!"

Acho que sua erva venceu e você não percebeu. Sugiro trocar seu fornecedor.
Mais um que chegou rugindo, levou uma resposta (completa e educada), e agora saiu miando, praticamente de quatro.

Não só não retrucou nada que lhe foi respondido, como ainda chegou ao cúmulo de inventar uma resposta que nunca foi dada. Em nenhum momento o artigo ou algum comentarista falaram que "imprimir dinheiro não é prática legal em um mundo civilizado". Tal frase simplesmente não está escrito em lugar nenhum do artigo e nem desta seção de comentários.

Isso mostra bem o nível do desespero e da ética do cidadão. Mas, também, keynesianismo e falta de ética sempre andaram lado a lado.


P.S.: não resisti e terei de comentar esta:

"os grandes empresários começam fazendo empréstimos e assim aumentam seu patrimônio. Jorge Paulo Lemann convive com um passivo enorme e é o homem mais rico do brasil."

Com a pequena, ínfima, insignificante diferença que JPL é criador de riqueza e de valor. As pessoas voluntariamente compram os bens e serviços produzidos por JPL, e é isso o que o deixou rico. Quem cria riqueza continuamente, como faz JPL, pode se endividar muito e ainda assim se manter plenamente solvente.

Toda essa dívida será paga com capital próprio. JPL não terá de assaltar ninguém, roubar ninguém, confiscar dinheiro de ninguém para pagar suas dívidas. (E, em caso de insolvência, quem se estrepa são seus credores, e não a população inteira, que não terá de arcar com nada disso).

E o governo? Ele cria riqueza? Ele trabalha com capital próprio? Ele utiliza dinheiro próprio para pagar suas dívidas?

O fato de você dizer que o governo opera igualzinho a JPL mostra bem o seu nível de conhecimento econômico.

É cada coitado que é destroçado por aqui...
O que falo para os meus alunos sobre isso,

Primeiro, uma pergunta:

Será que todas aquelas pessoas que ainda não tenham nenhum crime registrado pela polícia, são cidadãos de bem?

Como eu posso garantir que, o estado dando o direito a posse de armas a todos(as) conseguirá evitar que,

O "brigão baladeiro" na hora da raiva cometa uma tragédia na saída da balada!

Na briga de trânsito o cidadão estressado não dispare contra o outro!

O colega de turma que, nunca imaginei que ele tivesse esquizofrenia iria disparar contra toda a turma com a arma do pai ou da mãe!

A mulher que, já sofria com as agressões do Marido, agora vive ainda mais a pressão psicológica por ter uma arma na sua cabeceira!

As crianças que sabem onde os pais guardam suas armas, e depois um tem que falar, foi uma brincadeira!

O vizinho que se estressou com som alto durante a madrugada!

Enfim são inúmeras as situações!

Sobre o uso da arma, "modestamente" posso afirmar: mesmo aquela pessoa que nunca frequentou a escola até aquela que teve o mais alto nível de educação acadêmica está suscetível ao stress, e nessa hora, para muitos, será o motivo de cometer um crime passional (o primeiro)!

Campanhas desse tipo me faz refletir que a nossa atenção e forças para cobrar do estado aparatos essenciais para que possamos viver bem, estão focalizados em assuntos que já deveriam estar superados!

Sobre os bandidos, opa! Se eles estão mandando no meu estado, tenho uma parcela de culpa aí! Não será somente com armas que inibiremos a propagação de criminosos, afinal um dos motivos de se propagarem é o fato das armas estarem acessíveis!

Sobre quem fomenta esse tipo de campanha, cuidado! Aquele(a) deputado(a) ou senador(a) pode ter uma "amizade" muito próxima com alguém ligado a indústria que fabrica tais armas! Ou até mesmo o cidadão de bem que compartilhou algo dessa campanha não tá nem ai para o bandido, simplesmente acha bonita armas ou quer de alguma forma usá-la!

E como a democracia é a chave para o entendimento! Respeito quem tem opinião contrária!

E se eu estiver numa turma com crianças ou adolescentes:
Sempre tem aquele que exclama,

- Mas só os bandidos tem o direito de possuir armas, o cidadão de bem, não!

- Então lembram da corrupção? Ela leva desde a falta da merenda na nossa escola até a essa situação! Entregar uma arma pra tu quando estiver "grande", não vai garantir que terá um bandido a menos no mundo! É o processo educacional e o cuidado do estado que podem garantir a paz e o teu bem estar, as armas o caos! Pode parecer falácia, mas para um CIDADÃO DE BEM, faz sentido!


ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • Pedro  11/11/2016 14:36
    Roubo sempre há, o que limita o roubo do governo é a vigilância do eleitor. Mas no Brasil esta vigilância não existe, porque a maioria dos eleitores é pobre demais para pagar impostos diretos, então não se sentem pessoalmente lesados pelo roubo dos políticos, e inclusive reelege-os mesmo sabendo que são corruptos, conforme há numerosos exemplos.

    O expediente mais comum é o político renunciar para evitar a cassação, sabendo que será reconduzido ao cargo na próxima eleição, até com maior número de votos. Apenas a classe média pagadora de impostos se importa com a corrupção, mas a classe média é minoritária e não decide eleição.

    Enquanto a classe média não se torna maioritária, a solução para diminuir a corrupção dos políticos é limitar a quantidade de dinheiro que passa pelas mãos deles. Estado mínimo.
  • Davi  11/11/2016 23:55
    Pedro,

    O problema não é se existe a vigilância do eleitor ou não. Os eleitores serem mais vigilantes,não garante em nada que não haverá roubo.

    O que limita o tamanho do roubo é o tamanho do bolo disponível para roubar, se o bolo for pequeno, haverá menos roubo.

    Combater a corrupção tem a mesma lógica de combater a dengue, vc não acaba com a doença matando o mosquito, mas sim acabando com a água parada. Para a politica, não é efetivo atacar a corrupção (político corrupto), mas sim o dinheiro público e o poder de interfirir na vida dos outros. É isso que permite que os políticos roubem.
  • anônimo  14/11/2016 02:51
    "... o que limita o roubo do governo é a vigilância do eleitor". como é que é???? tá falando sério ou é brincadeira? então quer dizer que o governo pode ser vigiado pelo eleitor? em qual planeta, se me permite perguntar? e o estado mínimo, como seria? dá pra definir o q é estado mínimo? tem uma fórmula, pra poder calcular se o estado já está mínimo, ou cada um pode imaginar um estado mínimo à sua maneira? pedro, numa boa, mas eu acho que vc está tirando um sarro com a galera, falando em vigiar o estado para q ele seja mínimo.
  • 4lex5andro  14/11/2016 13:03
    Talvez essa opinião da vigilância seja baseada em matérias recentes de cidades do interior do Pr e Sc que pressionaram suas câmaras de vereadores contra aumentos dos próprios soldos.

    Ex.: www.tribunapr.com.br/noticias/curitiba-regiao/grupo-faz-protesto-no-centro-pela-reducao-dos-salarios-de-vereadores-e-prefeito/

    Porém em larga escala e longo prazo, em um país do tamanho do Brasil (ou mesmo em estados de maiores extensões), isso seria um tanto impraticável.

    O melhor em curto prazo seria reformar o sistema de representação política no país, mas, como falado no artigo, os agentes que estão no poder não tem interesse em tal reforma e vão cerrar fileiras em contrário.
  • Hans  11/11/2016 14:39
    A grande arte da política está em conseguir, simultaneamente, aplausos dos favorecidos e apoio dos que estão sendo roubados.
  • Anderson d'Almeida  11/11/2016 17:35
    A política deveria ser uma arte da qual os praticantes dela a usariam para mostrar aos outros os melhores caminhos a serem seguidos, o convencimento pelo conhecimento. Mas, política, no mundo, não passa de negociatas para obter privilégios, sejam eles individuais ou para terceiros (lobby's de ongs, grandes empresas, militantes e outros interessados em controlar toda a sociedade).

    Infelizmente, política não é feita como arte para o bem, para ajudar o povo e o governo a crescerem, juntos, para o caminho da geração de riquezas e do combate aos sabotadores.
  • Bernardo  11/11/2016 14:40
    Evidente. Isso fica mais explícito aqui no Brasil, onde os governantes não possuem qualquer tipo ideologia. Alguns tentam dividir a população com conceitos como "direita" e "esquerda" quando, na verdade, a unica ideologia que existe é roubar o dinheiro alheio.
  • Gustav Christensson  11/11/2016 17:39
    Existe sim ideologia, só que é sempre de esquerda.
  • Fábio  11/11/2016 14:40
    Vivemos em uma sociedade com ratos políticos
  • FRANÇA  11/11/2016 15:12
    Eu não consigo entender, por que as pessoas aceitam e acreditam piamente nos políticos e no estado,
    e mais não se dão conta que impostos e roubo: IPI, PIS, Confins, ICMS, ISS, IPVA, Sistema S, entre outros.
    sabe o que me choca mais e ver que um camarada aprova irredutivelmente as ações da policia e dos fiscais da receita.
    ele não percebeu ainda que o ESTADO E O MAIOR INIMIGO, para o estada viver pessoas devem morre.
  • saoPaulo  11/11/2016 15:42
    O estado é a grande ficção através da qual todos tentam viver às custas de todos." (Frédéric Bastiat)
  • Mateus Nardi  11/11/2016 17:12
    O Estado se eterniza através da "educação" estatal (e também privada através do MEC), que na verdade serve para encucar dês do período de formação que a governança é algo bom e necessário. O inconsciente de todos que passam pela educação livre e obrigatória do estado, está entulhado de falácias que afirmam "legitimidade" do estado.
  • Roberto  04/12/2016 11:55
    FRANÇA 11/11/2016 15:12
    "Eu não consigo entender, por que as pessoas aceitam e acreditam piamente nos políticos e no estado,
    e mais não se dão conta que impostos e roubo: IPI, PIS, Confins, ICMS, ISS, IPVA, Sistema S, entre outros.

    Correto!

    "...sabe o que me choca maisé ver que um camarada aprova irredutivelmente as ações da policia e dos fiscais da receita.
    ele não percebeu ainda que o ESTADO E O MAIOR INIMIGO, para o estada viver pessoas devem morrer."

    E qual é alternativa ao Estado? Anarcocapitalismo, voltar ao primitivo sistema de trocas ou reviver a lei do mais forte?
  • Maurício  04/12/2016 12:54
    Esta é a solução:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2341

    E para chegar a ela, eis o que deve ser feito:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1692
  • Taxidermista  11/11/2016 16:06
  • Nelson  11/11/2016 17:46
    Texto absolutamente perfeito. Eu já tinha me dado conta disso. Por isso alguns grupos estão fazendo estardalhaço contra corte de gastos, pois perdem a sua parte da pilhagem.
  • Emerson  11/11/2016 18:06
    O que motiva a corrupção é a natureza humana.

    O que possibilita a corrupção é o sistema que concentra poder demais.
  • William  11/11/2016 18:08
    A praxeologia explica.

    Os homens agem para sair de um estado de menor satisfação e alcançar um estado de maior satisfação.

    Sabemos que os homens atribuem valores às coisas, dentre as quais as ideias.

    Isto é, o homem age sempre pelo caminho mais fácil/simples dentro dos valores que possui. Se o homem não possui valor algum, ou se para ele está tudo bem roubar e matar, então ele o fará.
  • Sérgio  11/11/2016 19:48
    "Os homens agem para sair de um estado de menor satisfação e alcançar um estado de maior satisfação. "

    Como explica os católicos que praticam a mortificação? Como a praxeologia explica São Francisco de Assis, que optou pelo estado de menor satisfação, renunciando a tudo o que tinha?

    Praxeologia é uma pseudo-ciencia...
  • Mallandro  11/11/2016 19:58
    Pelo visto, você nada entende de catolicismo.

    Católicos praticam a mortificação -- e São Francisco de Assis optou pela renúncia a bens materiais -- porque acreditam que, ao agirem assim, alcançarão a salvação no pós-vida. Para eles, a vida terrena é algo meramente efêmero; a verdadeira salvação, o verdadeiro paraíso, está no pós-vida.

    É almejando a esse paraíso que eles praticam a mortificação e a renúncia. Isso, do ponto de vista puramente praxeológico, faz todo o sentido -- desde que você, obviamente, acredite em dogmas religiosos.

    Estude mais o mundo e saia de sua pseudo-sabedoria....

  • O MESMO de SEMPRE  13/11/2016 11:47
    .
    Um indivíduo ou um grupo estão SEMPRE em busca do MAL MENOR ou BEM MAIOR.

    Essa são as escolhas disponíveis segundo a percepção de cada um. Claro que indivíduos podem se enganar em suas percepções. Podem enganar-se em seus sentidos ou enganar-se no julgamento do que é captado pelos 5 sendidos que possuem.

    - O SEXTO sentido é exatamente a inteligência que analisa o que é captado pelos 5 para tirar uma conclusão: o bramir de um elefante no banheiro de empregada no 25º andar de um prédio, não é prova de que lá ele esteja. É aí que entra o sexto sentido: ele OUVE o bramirlefante, mas ao analisar essa informação captada por seu sentido da audição, le nclui impossível e portanto deve ser uma reprodução gravada, já que ipossíveá haver um elefante.

    Evidente que todos prefeririam estar numa bela praia, jogando bola ou etc. do que estar trabalhando dias inteiros. Isso é um sacrifício em quase todas as profissões, mas ASSIM se ESCOLHE como meio de atingir um BEM MAIOR COMPENSADOR. O trabalho é o mal menor. Não diferente alguém pode vender seu carro ou renunciar a uma viagem maravilhosa pelo mundo em troca de comprar sua residência ou reforma-la. SEMPRE se OPTARÁ PELO MAL MENOR ou BEM MAIOR, SUBJETIVAMENTE ESCOLHIDO.

    Um guerreiro ou soldaodo arrisca ou mesmo DÁ a sua vida por um ideal que julga compensador. NINGUÉM AGE CONTRA A PRÓPRIA VONTADE, mas apenas OPTA pelo MAL MENOR ou BEM MAIOR.

    Um sujeito paga resgate a seu sequestrador, não porque quer MORTIFICAR-SE economicamente, mas para SALVAR a propria vida ou de um ente querido. Sempre se estará escolhendo o MAL MENOR COMPENSADOR ou o BEM MAIOR.

    SEMPRE!!!
  • Leonardo Silva  11/11/2016 19:34
    Quanto mais POLÍTICOS houver:

    1-Mais Impostos
    2-Mais Pobreza
    3-Mais Intromissão em nossas vidas
    4-Menos Liberdade
    5-Maior Dificuldade em empreender
    6-Mais infeliz e depressiva a nação

    Por isso sou contra o Voto Obrigatório, FRONTALMENTE contra a Apuração Secreta de Votos e penso que se deve impedir a criação de novos Municípios (já há um excesso descomunal de Municípios).

    E penso que a Privatização da MAIORIA das Estatais é um remédio eficaz para acabar com essa esbórnia com o Dinheiro dos nossos Impostos.

    Chega!
  • San Francisco  11/11/2016 19:45
    Alguém me ajude:

    O que explica o EUA, com as Taxas de Juros próximas a zero, o M0 crescendo a proporções nunca antes vistas, os títulos bancários sendo negociados a taxas negativas... E, apesar de tudo isso, a Inflação controlada o PIB crescendo a proporções teoricamente saudáveis e o Dólar recuperando seu valor.

    Aliás, não só os EUA, como grande parte dos países da Europa + Japão conseguem manter situação absurdas em normalidade!

    Entendo, por vários artigos já lidos aqui no Mises, que a grande bolha dos títulos soberanos pode estourar a qualquer momento. Mas não entendo como medidas tão insanas e essa liquidez absurda consegue se manter em evidência sem explodir por tanto tempo. Por quanto tempo isso aguentará? Enquanto o FED / BCE / BOJ conseguirem salvar seus bancos?

    Já que a maioria dos mercados está com a liquidez exacerbada, isso não seria o suficiente para tornar essa liquidez exacerbada a nova normalidade, já que as maiores potências fazem parte dela?

    Os títulos americanos / alemães / japoneses hoje são comprados com o objetivo de se vender assim que a taxa de juros caia. Entretanto, chegará uma hora que alguém não vai ninguém vai querer comprar esses títulos, principalmente próximos a sua liquidação, isso poderia estourar a bolha?


    Desculpem todas essas questões e que parecem um pouco sem nexo a princípio, mas é que, vejo que se não ocorrer a crise e os BCs mundiais conseguirem contornar a situação sem "grandes danos" o poder Keynesiano terá se multiplicado: Imprimir dinheiro se tornará uma prática cada vez mais comum e o Estado estará cada vez mais poderoso.
  • Fudeu, o Papa disse que é comunista.  12/11/2016 01:02
    Experimenta fazer essa redução de juros no Brasil.

    Provavelmente, o primeiro a quebrar é o governo federal, com a devolução de todos os títulos da dívida pública e a obrigação de quitar a dívida de 4 trilhões à vista.

    PS: Impeachement do Papa argentino comunista já !!!
  • Celso Silva  11/11/2016 20:06
    E a república foi montada exatamente em cima dessa estrutura totalmente corrompida, mesmo antes de nascer, pois seus fundamentos podres oriundos da revolução francesa acabaram desaguando da forma como podemos observar aqui no Brasil, como também em praticamente todas as republiquetas similares do continente sul-americano, isto para não estender o exemplo a outros continentes.

    A estrutura republicana é exatamente a causa mestra dos males apontados no artigo. São os eternos jacobinos contra os girondinos, assim batizados durante a estúpida revolução francesa de 1789, disputa que gerou e continuará produzindo uma luta pelo poder daquilo que é dos outros, isto é, de nós...nosso trabalho, propriedade e direitos que são inerentes a quaisquer pessoas livres.

    Tínhamos no Brasil, até 15 de novembro de 1889, uma monarquia parlamentarista que funcionava razoavelmente e era respeitada mundo afora, mas que desgraçadamente foi substituída num golpe militar por esse bando de corruptos republicanos, que nos exploram de todas as formas.

    Sem que o papel do Estado seja reescrito de maneira profunda, com uma vertente totalmente libertária, continuaremos mergulhados em crises sucessivas, cujos ferimentos são curados por "esparadrapos" legais, que apenas mais nos castigam. Que venha, urgentemente, uma vertente libertária!!!
  • Andre Cavalcante  11/11/2016 21:54
    Só sobre a Revolução Francesa:

    Ela de fato representou uma aumento nas liberdades individuais, ao menos no seu início, e inspirou a revolução americana e os pensadores iniciais dos EUA.

    Para uma visão geral dos princípios que levaram ao: Liberdade de pensar e agir, Igualdade perante a lei e os seus, e Fraternidade entre todos, ver mises.org.br/Article.aspx?id=1197

    Para uma visão geral dos valores que mantém a nossa frágil civilização: mises.org.br/Article.aspx?id=2509

    Para saber porque ainda discutimos essas coisas: mises.org.br/Article.aspx?id=678

    Abraços
  • saoPaulo  12/11/2016 00:23
    Ela [revolução francesa] de fato representou uma aumento nas liberdades individuais, ao menos no seu início, e inspirou a revolução americana e os pensadores iniciais dos EUA.
    Na verdade foi o contrário, a revolução americana que influenciou a revolução francesa, visto que esta ocorreu após aquela.
    Não?
    Acho que você quis dizer que o iluminismo inspirou os americanos.
  • 4lex5andro  12/11/2016 03:24
    Difícil precisar, pois a França auxiliou os Eua em seu combate pela independência do Reino Unido.

    Porém os Eua seguiram um modelo democrático e federado, e a França um modelo de Estado grande e centralizador que logo a seguir (início do séc. 19) se encontrou imerso em um regime totalitário até capitular em waterloo.
  • Andre  12/11/2016 14:16
    A França quebrou seu caixa com o auxílio dado à revolução americana, não se recuperou e o ano de 1788 foi de péssimas colheitas, arrastando a população para a fome e exaltando os ânimos. Depois de uns 8 anos de muita bagunça emergiu um estado gigante e agressor, esse papo de aumento de liberdades individuais é conversa de professor esquerdista maquiando a história, revolução francesa foi como qualquer golpe comunista do séc XX.
  • Justiceiro  12/11/2016 14:41
    Revolução francesa ou guilhotina francesa ? Quantas pessoas foram decapitadas nas guilhotinas francesas ?

    Sem igualdade perante as leis, o estado só pode ser considerado uma organização lotada de aproveitadores, privilegiados, bandidos e marginais.

    Não existe estado democrático de direito sem igualdade perante as leis. Isso significa leis iguais para todos, impostos iguais, beneficios iguais, etc. E não tem nada a ver com igualdade de renda.

    Essa montanha de privilégios do estado vai levar mais gente para as guilhotinas e decaptações.

  • anônimo  12/11/2016 15:07
    Sempre tive uma dúvida: o que causou a onda de fome que ocorreu antes da revolução? Quebra de safra ou foram as intervenções econômicas da monarquia francesa? Me lembro de ter lido aqui que boa parte das epidemias de fome registradas ao longo da história se deram paralelamente a crises econômicas.
  • Lel  12/11/2016 15:22
    Acho que foram umas 70 mil pessoas. Mas de várias formas, não apenas na Guilhotina.
  • a  11/11/2016 20:50
    Diminuam os impostos(em 99,99%) sobre eu e minha família, para sempre. Isso para começar...
  • Taxidermista  11/11/2016 21:14
    "Políticos podem melhorar nossas vidas?"

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=794
  • Breaking Bad  11/11/2016 21:55
    "Se o governo se limitasse apenas à função de proteger os DIREITOS NATURAIS das pessoas — cada cidadão não pode ter sua vida retirada, sua propriedade honestamente adquirida confiscada, e sua livre iniciativa tolhida —, como defendia John Locke, ele poderia operar com uma ínfima fração do dinheiro e do número de burocratas atuais."

    Brilhante!! Fico sem palavras. Para mim, só este parágrafo já liquida a questão, simplesmente perfeito. Uma lição para todos, em especial os advogados, aprenderem. Não se fala mais em DIREITO NATURAL nas universidades ou quando nele se fala, é reduzido à condição de obscurantismo.
  • Anon entristecido com o Direito  12/11/2016 00:47
    Aí os sociólogos e estudantes do Kelsen dizem que "direitos naturais são essenciais, porém, insuficientes para atender à complexidade da sociedade moderna. Portanto, precisarão ser criados direitos (positivos) para que algumas pessoas de classes mais baixas, ou em condições minoritárias, consigam ascender socialmente. Claro, para que esses direitos venham a existir, faz-se necessário, em contraparte, deveres. Mais uma vez, os deveres recairão em cima dos indivíduos produtivos. Ah, e se preciso for, alguns direitos naturais poderão ser relativizados para que os direitos positivados tenham chances".

    E assim caminha nossa sociedade à servidão voluntária.
  • Mr. Magoo   12/11/2016 15:54
    "...direitos naturais são essenciais, porém, insuficientes..."

    Eu também acho, como o Kelsen, que a gravidade è essencial, porém insuficiente porquê só explica porquê as maçãs caem na cabeça da gente...
  • Justiceiro  13/11/2016 00:43
    A democracia virou a ditadura da maioria, principalmente pelas intervenções da esquerda.

    A igualdade perante as leis foi violada com a cobrança de impostos diferentes, benefícios diferentes, cotas, privilégios para poucos, subsídios para poucos, etc.

    A ditadura da maioria também fornece benefícios sociais, expropriando o patrimônio de outras pessoas.

    Enfim, as univerisdades públicas de direito precisam ter uma aula de direito.

    Seria interessante fazer um debate com os juristas, advogados, juízes, etc; para ver se eles aprendem um pouco sobre direito.

    Mesmo em assuntos como saúde, educação e segurança, existem graves contradições. Por exemplo, cada paciente do Instituto do Coração em SP custa 36 mil reais, mas outros pacientes não conseguem fazer um raio-x. Ou seja, até na saúde há privilégios.
  • 4lex5andro  13/11/2016 20:00
    O modelo de democracia e federação do Brasil favorece um Estado centralizador e 'depositário fiel' da função de prover o bem estar no país.

    Mesmo com o aspecto benéfico de se levar a termo reformas necessárias no país, como o impeachment e a pec 55, muito ainda é preciso fazer para o Brasil entrar nos trilhos.
  • Pobre Paulista  12/11/2016 00:35
    Ah mas sempre tem um político "menos pior" para escolher, qual o problema?
  • FOUCAULT  12/11/2016 22:27
    Vocês não cansam de bater na mesma tecla ?

    A quem o MBL quer enganar ?
  • Justiceiro  13/11/2016 16:47
    Já tem aeroporto em Liberland ?



  • Pobre Paulista  14/11/2016 02:15
    Até onde sei, você mesmo pode ir lá construir um ;-)
  • Paulo Bat  15/11/2016 00:06
    Justiceiro

    As coisas não estão indo muito bem em Liberland. Veja a notícia que saiu hoje na BBC: www.bbc.com/news/magazine-37941931
  • Roberto  15/11/2016 00:23
    Essa notícia diz que o "fundador" do país está sendo ameaçado de seqüestro pelo governo do país vizinho, e por motivos nacionalistas.

    Não entendi muito bem como isso indica que "as coisas não estão indo bem"...
  • Paulo Bat  15/11/2016 02:29
    O site Está dizendo que a Croácia não vai mais permitir a entrada de ninguém de fora naquela área. Eles estão, inclusive, patrulhando a área e, segundo o site, eles não permitiram mais a entrada dele na Croácia e nem que ele acesse a área via o Rio Danubio, que é um rio internacional.

    A muito tempo leio, e me interesso por micro-nações no mundo afora e, quando elas são instaladas junto a paises, o resultado é sempre o mesmo. Não estou dizendo que concordo. Só estou sendo mensageiro do que ocorre. "Don't kill the messager".
  • Roberto  15/11/2016 04:04
    Beleza. Mas é que, do jeito que você falou, deu a entender que a coisa tinha dado errado por causa de uma falha inerente ao arranjo. E, como visto, o que há é um estado vizinho ameaçando prender todo mundo.

    Estado fazendo exatamente o que sabe fazer: coagindo e ameacando.

    E ainda há quem defenda estado.
  • Andre  15/11/2016 02:00
    Os balcãs são o triângulo das bermudas em versão terrestre, tudo desaparece ali, liberdade, racionalidade, esperança e pessoas.
    A Croácia até está melhorando, mas a Sérvia é uma terra bizarra, uma versão micro da Rússia, se quer fazer uma viagem desafiadora, incrível e totalmente fora dos padrões passe por países como Sérvia, Macedônia e Albânia, nesta ordem, senão vai tomar um tiro e será preso por invasão, são vizinhos péssimos para se ter numa terra da liberdade, o menos pior país da região é a falida Grécia. É sério mesmo, américa latina é mais próspera e segura que esses balcãs.
    Era mais fácil organizar de vários libertários combinarem de comprar cidadania de algum pequeno país no caribe ou pacífico, dominá-lo politicamente e desmontar o governo, talvez Haiti venda barato sua cidadania.
  • O MESMO e SEMPRE  13/11/2016 18:16
    Um artigo magnífico:
    mariosanchezs.blogspot.com.br/2016/11/repetindo-vamos-proclamar-nosso.html

    DESTACANDO conclusão magnífica:

    "E não é que não estejamos vendo quem nos escraviza! Estamos vendo uma borra concentrada da pior laia da própria espécie, uns 0,03% da raça humana, como autores e executantes dessa escravização MEDIANTE A MOTIVAÇAO A TODOS PARA ESCRAVIZARE"

    – Essa é a ESSÊNCIA dos JOGOS:
    Todos jogam na esperança de GANHAREM dos demais e, podendo, exigem que joguem. Assim a banca sempre ganha. Há um jogo da modalidade RONDA (aplicado por psicologosa grupos) que pode mostrar bem isso, pois a banca só perde se todos se contentarem com pequeno ganho, mas com a opção de ganhar muito de todos se TRAIREM os demais jogadores.

    Os jogadores viviados, se pudessem, obrigariam todos os demais a jogarem. Sob um santo apelo democratico. Afirmando que a obrigação de todos jogarem seria justa, pois que dando a todos o direito de ganharem muito no jogo. É exatamente assim que os SENHORES dos POVOS fazem para DOMINAR e EEXPLORAR polpulações: oferecem aos seus seguidores e demais canalhas uma oportunidade democrática de imporem suas meras MANIAS psicóticas e AMBIÇÕES materiais aos demais. Com isso AMARRAM no LOMBO dos JUMENTOS A CENOURA que ETERNAMENTE TENTARÃO MORDER, sendo assim explorados e viliopendiados pelos espertos DONOS do PODER.

    "DOGMAS DO BOLCHEVISMO FEUDAL
    1. Todo acúmulo de valores é criminoso e deve ser expropriado.
    2. A Vanguarda recebe o voto da maioria uma vez, torna-se dona dos que aprovaram (maioria) e dos que se opuseram (minorias). E nunca mais devem sair do poder revezando-se os chefões mais atrevidos. Quando eleitos, mesmo com fraude e propaganda enganosa, alegam direito de maiorias e quando perdem a maioria, metem-se a depredar alegando direito das minorias…
    3. Votação por maioria será feita em tudo que se referir a setores menores do Estado. Para tomar tempo e atenção dos escravizados.
    4. Todos os súditos são escravos desse Estado que pode fazer deles o que quiser – convocar pra guerra, nomear, desnomear, encarcerar, matar, etc.
    5. Mentira, fraude, violência, podem ser usadas sem constituir crime desde que tenham por fim manter e ampliar o domínio pela sua ideologia.
    6. Não se reconhece mérito nem conhecimento, nem se exige capacidade para exercer função nesse estado, bastando obedecer aos mandantes.
    É ASSIM QUE
    A espécie humana tem um paraíso de ordem exterior e interior sem limites. A beleza das pedrarias e dos metais, das possibilidades infinitas de saúde, odor e sabor da riqueza vegetal, do ar, do mar, das pradarias, dos mares, dos rios e das montanhas, e da ecologia dos animais, peixes, pássaros e microrganismos, tudo isso somado às infinitas formas de criatividade e aprofundamentos de conhecimentos, faz deste planeta uma vertigem de sonhos e atividades realizantes.

    Entretanto, uma palavra só, empesteia tudo – ESCRAVAGISMO.
    O ser humano está desde sua feitura como transgênico a serviço de invasores espúrios de nosso mundo, criado, dirigido, educado, chicoteado, massacrado e acorrentado, para a escravidão.
    E não é que não estejamos vendo quem nos escraviza! Estamos vendo uma borra concentrada da pior laia da própria espécie, uns 0,03% da raça humana, como autores e executantes dessa escravização mediante a motivação a todos para escravizarem."

    ISSO É A POLÍTICA ou a continuação da guerra por outros meios.

    Afinal a guerra é a forma de IMPOR nossa VONTADFE aos demais. Como bem definiu Clausewitz, que inverteu os significados entre guerra e política.

    QUANDO:

    – Os pobres querem explorar os ricos, os pobres permanecem pobres.
    – Os ricos ficam espertos.
    – Os espertos ficam ricos.
  • O MESMO e SEMPRE  13/11/2016 18:22
    Eis aqui algo escrito há mais de século atras e que ainda é verdadeiro. Afinal as verdades são eternas e NIETZSCHE prova isso:

    Nietzsche:

    "o indivíduo é nesse caso posto de lado como um inseto desagradável: está baixo demais para poder despertar por mais tempo sentimentos torturantes em um dominador do mundo. (...)

    Assim também se passa com o juiz injusto, COM o JORNALISTA que COM PEQUENAS DESLEALDADES INDUZ EM ERRO A OPINIÃO PÚBLICA"


    - As verdades são eternas.
    É de NIETZSCHE também, em Genealogia da moral se não me engano, a afirmação de que os ARTISTAS ESTÂO SEMPRE A SERVIÇO DOS PODEROSOS A FIM DE OBTER VANTAGENS.

    Ou seja, o que era verdade há mais de século, CONTINUA SENDO VERDADEIRO: As verdades são eternas:




    NIETZSCHE FOI O PRIMEIRO CRÍTICO MORAL DO SOCIALISMO:

    "O Socialismo é o fantasioso irmão mais jovem do quase decrépito despotismo, o qual quer herdar. Suas aspirações são, portanto, no pleno sentido mais profundo, reacionárias. Pois ele deseja uma plenitude de Poder estatal como só a teve alguma vez o despotismo, e até supera todo o passado por aspirar ao aniquilamento formal do indivíduo: o qual lhe parece como um injustificado luxo da natureza e deve ser melhorado e transformado por ele em um 'órgão da comunidade' adequado a seus fins.
    Devido a sua afinidade, o Socialismo sempre aparece na vizinhança de toda excessiva manifestação de poder, como o antigo socialista típico, Platão, na corte do tirano siciliano: ele deseja (e em algumas circunstâncias promove) o estado ditatorial Cesário deste século, porque, como foi dito, quer ser seu herdeiro. Mas mesmo essa herança não bastaria para seus objetivos; ele precisa da mais servil submissão de todos os cidadãos ao Estado absoluto, como nunca existiu nada igual; e como nem sequer pode contar mais com a antiga piedade religiosa ante o Estado, tendo, queira ou não, que trabalhar incessantemente por sua eliminação - pois trabalha para a eliminação de todos os Estados existentes -, não pode ter esperança de existir a não ser por curtos períodos, aqui e ali, mediante o terrorismo extremo. Por isso ele se prepara secretamente para governos de terror e empurra a palavra 'justiça' como um prego na cabeça das massas semicultas, para despojá-las totalmente de sua compreensão (depois que este entendimento já sofreu muito com a semi-educação) e criar nelas uma boa consciência para o jogo perverso que deverão jogar."

    Nietzsche estava perfeitamente certo, como a história o tem provado – acertou também sobre a comunidade européia que menciona em "Humano, Demasiado Humano", inclusive já detectando a semi-educação (desinformação?) para o embelezamento do funesto objetivo.

    Realmente não há constatação mais óbvia do que lamentar através da frase "enciclopédica", tal é a sabedoria que possui:

    HUMANOS, DEMASIADO HUMANOS!"
  • O MESMO de SEMPRE  13/11/2016 19:41

    Olha a canalhice dos bananeiro:

    Na Wikipedia em inglês, tem o Programa ou ESTATUTO do NSDAP mostrando que o nazismo é absolutamente SOCIALISTA e que os pontos que a ESQUERDA DEFENDE ATUALEMYE ESTÃO LÁ NO PROGRAMA do PARTIDO Nacional Sociaista do Trabalhador Alemão (apelidado de Partido nazista).

    Porém, como a CANALHICE BANANEIRA é absoluta, na Wikipedia, na pagina do NSDAP NÃO CONSTA O ESTATUTO do PARTIDO de Sociaista Hitler.

    Comparem:

    Em inglês:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Nazi_Party
    - Neste link você clica no item 3 (Political program) e ele leva você para o item onde, na primeira linha você pode clicar em:
    "Main article: National Socialist Program"
    ...e (https://en.wikipedia.org/wiki/National_Socialist_Program)

    ...voilá, estará diante do 25 pontos do programa dos maníacos que parece um programa PETISTA ou PSOLISTA ou qualquer partido de esquerda, mesmo o PSDB.

    Já em português:

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Partido_Nacional_Socialista_dos_Trabalhadores_Alem%C3%A3es#Programa_pol.C3.ADtico

    - Você clica no item 5 e...
    vai para: https://pt.wikipedia.org/wiki/Partido_Nacional_Socialista_dos_Trabalhadores_Alem%C3%A3es#Programa_pol.C3.ADtico

    ..e então clica na primeira linha onde se lê:

    Ver artigo principal: Programa Nacional Socialista

    ..e aí CLICA no link ...e, e, e, e ...TCHAM, NÃO DÁ EM TRADUÇÃO ALGUMA!!!!
    Claro, se deixada a tradução em português, o povão mané bananeiro poderia descobrir que PT e equerda em geral é em NADA DIFERENTE DO NAZISMO.
    Na verdade igualzinha o FASCISMO italiano, com direito à CARTA DEL LAVORO.

    - Será que se fizer a tradução na Wikipedia eles vão deixar lá a tradução????
    - Será que até hoje ninguém ainda traduziu ou as traduções foram apagadas??? ...hummmm veremos daqui um tempo se estará lá!!!
  • anônimo  14/11/2016 05:07
    Acordo do coma hoje? O Wikipédia é tomado por socialistas e progressistas faz vários anos. E geralmente o Wikipédia em inglês é pior ainda.
    https://en.wikipedia.org/wiki/Miracle_of_Chile
    https://en.wikipedia.org/wiki/Wirtschaftswunder
    https://en.wikipedia.org/wiki/1950s_in_Hong_Kong
  • San Francisco  14/11/2016 10:09
    Alguém me ajude:

    O que explica o EUA, com as Taxas de Juros próximas a zero, o M0 crescendo a proporções nunca antes vistas, os títulos bancários sendo negociados a taxas negativas... E, apesar de tudo isso, a Inflação controlada o PIB crescendo a proporções teoricamente saudáveis e o Dólar recuperando seu valor.

    Aliás, não só os EUA, como grande parte dos países da Europa + Japão conseguem manter situação absurdas em normalidade!

    Entendo, por vários artigos já lidos aqui no Mises, que a grande bolha dos títulos soberanos pode estourar a qualquer momento. Mas não entendo como medidas tão insanas e essa liquidez absurda consegue se manter em evidência sem explodir por tanto tempo. Por quanto tempo isso aguentará? Enquanto o FED / BCE / BOJ conseguirem salvar seus bancos?

    Já que a maioria dos mercados está com a liquidez exacerbada, isso não seria o suficiente para tornar essa liquidez exacerbada a nova normalidade, já que as maiores potências fazem parte dela?

    Os títulos americanos / alemães / japoneses hoje são comprados com o objetivo de se vender assim que a taxa de juros caia. Entretanto, chegará uma hora que alguém não vai ninguém vai querer comprar esses títulos, principalmente próximos a sua liquidação, isso poderia estourar a bolha?


    Desculpem todas essas questões e que parecem um pouco sem nexo a princípio, mas é que, vejo que se não ocorrer a crise e os BCs mundiais conseguirem contornar a situação sem "grandes danos" o poder Keynesiano terá se multiplicado: Imprimir dinheiro se tornará uma prática cada vez mais comum e o Estado estará cada vez mais poderoso.
  • Mário Gaspar  17/11/2016 01:46
    Convido-os a debater essas teorias com Ciro Gomes...têm peito de fazer uma transmissão ao vivo com qualquer especialistas de vcs..menos o Rodrigo Constantino....esse já foi desmoralizado por Ciro Gomes!
  • saoPaulo  17/11/2016 03:03
    Bem que gostaríamos de destroçar o coronelzinho.
    Mas o arregão fugiu do debate com o Rodrigo Saraiva Marinho.
    Bem que fez, seu ídolo seria desmoralizado.
  • Caldeira  17/11/2016 03:20
    Ué, mas Ciro já foi desafiado! De início, ele aceitou. Depois, ele arregou!

    www.youtube.com/watch?v=ZYKBRNHMyfQ

    P.S.: escolha melhor seus heróis...
  • Kleber Verraes  06/03/2017 17:17
    Todo regime clepto-tirânico sempre possui excelentes instrumentos de REPRESSÃO e EXTORSÃO ESTATAL, para saquear a nação e transformar os cidadãos em VASSALOS. No entanto, estes mecanismos só funcionam se o povo for SUBMISSO e COVARDE...

    Enough said!


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.