clube   |   doar   |   idiomas
Pensar está se tornando algo obsoleto

Embora seja humanamente impossível responder a todos os e-mails e cartas que os leitores me enviam, muitos deles são bastante interessantes e intelectualmente instigantes, tanto no sentido positivo quanto no sentido negativo.

Por exemplo, um jovem me enviou um e-mail pedindo as fontes em que eu havia me baseado para citar alguns fatos negativos sobre o desarmamento em um artigo recente.  É sempre bom checar os fatos — especialmente se você checar os fatos de ambos os lados da questão. 

Em contraste, um outro sujeito simplesmente me criticou por tudo o que eu havia dito nesse artigo.  Ele não pediu as minhas fontes e nem quis saber se elas existiam; ele simplesmente saiu fazendo afirmações em contrário, como se essas suas assertivas fossem automaticamente corretas pelo simples fato de estarem sendo pronunciadas por ele, algo que, em sua mente, invalidaria automaticamente tudo o que eu havia escrito.

Ele se identificou como médico, e as alegações que ele fez sobre armas eram as mesmas que haviam sido feitas anos atrás em uma revista médica — alegações que já foram inteiramente desacreditadas desde sua publicação.  Ele poderia ter aprendido isso caso houvesse me dado a oportunidade de responder às suas provocações, de um modo que nos engajássemos em um debate.  Porém, ele próprio deixou claro desde o início que sua carta não tinha o objetivo de gerar um debate, mas sim apenas de me acusar e me denunciar. 

Esse tipo de comportamento se tornou um procedimento padrão no mundo atual.

É sempre surpreendente — e apavorante — constatar quantos assuntos extremamente sérios não são discutidos seriamente hoje em dia; as pessoas simplesmente saem emitindo afirmativas e contra-afirmativas, tudo de maneira generalizada.  Seja em debates de internet ou até mesmo em programas de televisão, as pessoas simplesmente tentam calar seu opositor falando mais alto do que ele ou simplesmente recorrendo a frases de efeito de cunho emotivo.

Há inúmeras maneiras de fazer parecer que se está argumentando sem que na realidade se esteja produzindo absolutamente nenhum argumento coerente.

Décadas de educação escolar e universitária simplificada — para não dizer idiotizante — certamente têm algo a ver com a atual situação, mas isso não explica tudo.  A educação não somente foi negligenciada no sistema educacional atual, como também já foi quase que completamente substituída pela doutrinação ideológica.  A doutrinação que hoje é feita por professores e instituições supostamente educacionais é amplamente baseada na simples vocalização das mesmas pressuposições básicas e não-comprovadas de sempre.

Se as instituições educacionais de hoje — desde escolas a universidades — estivessem tão interessadas em diversidade de ideias quanto estão obcecadas com diversidade racial e sexual, os estudantes ao menos adquiririam experiência ao ver as pressuposições que existem por trás de diferentes visões, e entenderiam a função da lógica e da evidência ao debaterem tais diferenças.  No entanto, a realidade é que um estudante pode passar por todo o seu ciclo educacional, desde o jardim de infância até seu doutoramento, sem entrar em contato com absolutamente nenhuma visão de mundo que seja fundamentalmente diferente daquela que prevalece dentro do espectro de opiniões autorizadas e politicamente corretas que domina o nosso sistema educacional.

No que mais, a perspectiva moral da visão ideológica predominante é completamente maniqueísta: as pessoas imbuídas dessas ideias realmente se veem como anjos combatendo todas as forças do mal — seja o assunto em questão o desarmamento, o ambientalismo, o racismo, o homossexualismo, o feminismo ou qualquer outro ismo.

Um monopólio moral é a antítese de um livre mercado de ideias.  Um indicativo desta noção de monopólio moral dentre a intelligentsia esquerdista é o fato de que as instituições que estão majoritariamente sob seu controle — escolas, faculdades e universidades — são justamente aqueles que usufruem muito menos liberdade de expressão do que o resto da sociedade.

Por exemplo, ao passo que a defesa e até mesmo a promoção da homossexualidade é comum nos campi universitários — e comparecer a palestras e aulas que fazem tal promoção é frequentemente algo obrigatório nos cursos introdutórios —, qualquer crítica ao comportamento homossexual é imediatamente rotulada de "reacionarismo", "preconceito" e "incitação ao ódio", sujeita a imediata punição.

Enquanto porta-vozes de vários grupos raciais e étnicos são livres para denunciar com veemência "os brancos" por seus pecados passados e presentes, verdadeiros ou imaginários, qualquer estudante branco que similarmente venha a denunciar as transgressões ou os desvarios de grupos não-brancos garantidamente será punido, se não expulso.

Até mesmo estudantes que não defendem ou não promovem absolutamente nada podem ter de pagar um preço caso não concordem com a lavagem cerebral que ocorre nas salas de aula.  Recentemente, nos EUA, um aluno da Florida Atlantic University que se recusou a pisotear um papel em que estava escrito a palavra "Jesus", a mando de seu professor, foi suspenso pela universidade.  Felizmente, a história veio a público e gerou uma onda de protestos fora do mundo acadêmico.

A atitude deste professor pode ser descartada e ignorada como sendo um caso isolado de extremismo, mas o fato é que o establishment universitário saiu solidamente em sua defesa e atacou implacavelmente o estudante.  Tal atitude mostra que a podridão moral que impera na academia vai muito mais além do que um simples professor adepto da doutrinação e da lavagem cerebral.

Estamos hoje vivenciando todo o esplendor do anti-intelectualismo que se espalhou por metástase ao longo de todo o mundo acadêmico.  As universidades se tornaram tão dominadas por uma insistência na inviolabilidade de um determinado pensamento grupal, que qualquer professor "forasteiro", que não compactue com a predominância deste pensamento gregário, não mais pode falar a respeito de um determinado assunto sem antes ter sido devidamente credenciado por seus pares.  Uma simples pesquisa sobre o tratamento dispensado a acadêmicos que ousam questionar a santidade do aquecimento global mostra bem esse ponto.

Já houve uma época em que um curso universitário era considerado um meio de introduzir as pessoas a uma ampla gama de assuntos que lhes permitiria pensar e falar inteligentemente sobre várias questões que estivessem afetando suas vidas.  O pensamento coletivista — que hoje é predominante no meio universitário — rejeita tal ideia, conferindo o monopólio de determinadas questões apenas àquelas pessoas que são reconhecidas como "especialistas" por seus pares.

Este método educacional que recorre à intimidação e à simples repetição de frases de efeito de cunho emocional evidencia a completa falência do sistema educacional.  Se professores universitários — teoricamente a nata intelectual da sociedade, pessoas que por vocação e profissão deveriam ser as mais rígidas seguidoras do rigor intelectual — agem assim, como podemos esperar que o restante da população apresente discernimentos mais profundos? 

Para sobreviver e progredir, seres humanos precisam saber pensar.  Porém, estamos cada vez mais terceirizando esta função para acadêmicos, que por sua vez pautam o conteúdo da mídia.  Tal terceirização de pensamento ajuda a explicar por que há hoje uma escassez de pensamentos originais e significativos. 

O fracasso do sistema educacional vai muito além da ausência de um aprendizado útil.  O real fracasso está naquilo que de fato é ensinado — ou melhor, doutrinado — nas salas de aula, algo evidenciado pelos formandos que as universidades cospem para o mundo, seres incapazes de apresentar qualquer resquício de pensamento original. 

Jamais se preocupe em se aprofundar em qualquer assunto: os "especialistas" cujos empregos se resumem a promover a agenda do establishment político e cultural já têm tudo explicado para você.


4 votos

autor

Thomas Sowell
, um dos mais influentes economistas americanos, é membro sênior da Hoover Institution da Universidade de Stanford.  Seu website: www.tsowell.com.



  • Gabriel Miranda  03/05/2013 15:50
    Aproveitando o tema, estou procurando os seguintes livros em PDF (ou em outra versão digital):

    - A Sociedade que não quer Crescer;
    - Nóis ...qui invetemo as coisas;
    - A cultura da reclamação;
    - A escola está morta;
    - A marcha da insensatez;
    - Fascismo de esquerda;
    - Ação afirmartiva ao redor do mundo;
    - Invasão Vertical dos Bárbaros;
    - Conflito de visões;
    - Brasileiros pocotó;
    - Nunca saí de casa.

    Também aceito sugestões.

    Abraços!
  • Arthur Gomes  12/08/2013 13:32
    Procure o livro "A invasão vertical dos bárbaros", no site 4shared, autor é o Mário Ferreira dos Santos.

    O livro é muito bom, todas as pessoas que fazem pedagogia e lidam com educaçao devem ler este livro, escrto pelo maior filosófo do Brasil.

    Infelizmente o Mario Ferreira dos Santos não é da turma da esquerda, então as universidades e faculdades não deixam os livros dele entrar na grade para estudo dos alunos.

  • Vive la liberte!  03/06/2014 11:08
    Que barato! Nunca tinha ouvido falar desse camarada. Li um pouquinho o livro dele e estou gostando muito. Pena que os livros impressos parecem ser difíceis de encontrar.
    Obrigado pela dica, Arthur.
  • sidiney cavalcante pereira  14/11/2013 12:02
    Quando o mundo se tornou reformista, onde o conceito utópico de transformar a sociedade e mundo enveredando um caminho totalmente novo ou mesmo que intelectualmente conhecido mas ainda não aplicado; nos tornamos cooptados pelo sistema e assim a dialética ficou prejudicada e relegada ao nada. Esta distensão aplicada de não discussão e de pensamento único foi introduzida quando o mundo discordante, embora com algumas experiências não muito boas, foram derrotados e cooptados ao grande capital, assim tudo mais ficou aceitável, apenas precisando de pequenos reparos, como a vida e a evolução chegasse ao seu final... como ja fui comunista, socialista democrático, e hoje sou radicalmente democrático luto pela vontade daqueles que querem fazer qualquer coisa pela transformação da sociedade, mesmo que eu não concorde com seus métodos ou seus pensamentos...saudações
  • Doutrinador  14/11/2013 12:17
    Pela "qualidade" da sua escrita, totalmente convoluta e dislálica, ninguém realmente duvida que você já foi "comunista, socialista democrático, e hoje [é] radicalmente democrático".

    Isso é típico.
  • arthur  03/06/2014 11:55
    "Se até os 20 anos você não é comunista, é porque não tem coração. Se chegar aos 30 ainda o sendo, é porque você não tem cérebro"
  • Silvio  03/06/2014 21:46
    Correção: "se até os 20 anos você não é comunista, é porque você tem cérebro. Se chegar aos 30 ainda o sendo, é porque você não tem cérebro e nem coração".
  • arthur  04/06/2014 13:21
    A frase original é do Winston, pode muda-la para você.
  • Paulo Anton  23/12/2014 14:50
    Permitam-me uma pequena Correção primordial: "se até os 20 anos você não é comunista, é porque você tem cérebro. Se chegar aos 30 ainda o sendo, é porque você TEM cérebro e TEM coração".
    Mais do que isso, mostra que você é sensato e inteligente!
  • ocarinha  01/01/2015 19:59
    Negativo. Há infinitos coxinhas na face da terra que vivem anos na sua ignorância, no seu mundo comunista. Tudo o mais é resto.
  • Silvio  08/01/2015 20:33
    Vendo agora, percebo que a minha correção ficou horrível. Por isso, lá vai a correção de minha correção:

    Se até os 20 anos você é comunista, é porque você não tem cérebro. Se chegar aos 30 ainda o sendo, é porque você não tem cérebro e nem coração.

    Agora sim.

  • Thomaz  23/12/2014 21:35
    Psicopatas no Poder de Andrew Lobaczewski
  • Fernando  03/05/2013 15:58
    Está doutrinação ocorre principalmente nos cursos de ciências humanas sou formado em geografia e na universidade(UESB)onde me formei era praticamente proibido fazer qualquer critica ao comunismo ,socialismo,MST e a esquerda. Doutrinação pura e monopólio de pensamento dominou as ciências humanas no Brasil onde fazer qualquer critica a Marx é guilhotina na certa.
  • wanderson  03/05/2013 17:24
    E isso á mais antigo do que se imagina a ponto de a geografia ser omitida em prol de um pseudo-socialismo-anarquista inútil.
  • Deilton  03/05/2013 17:58
    Eu estudei Administração e passei pela mesma situação. Ainda tive que pegar uma matéria chamada "Estado e Sociedade", só para ter idéia do nível do professor, ele foi candidato a Vice-Governador na chapa do PSTU. O cara idolatrava Marx. Nos obrigou a ler Lênin. Fora todo besteirol sobre as contradições do capitalismo.
  • eliane  04/06/2014 17:45
    Se parássemos para pensar não colocaríamos nossos filhos na escola. Para aprender o que mesmo? Um conteúdo que não ajuda em quase nada na formação pessoal e profissional da pessoa.

    Pode reparar a maioria dos professores de História idolatram o socialismo. Cresci ouvindo essa ladainha da escola a faculdade...criticas e mais críticas ao capitalismo. Acho um absurdo a sala de aula torna-se palco em defesa de certas ideologias. O professor deveria ser neutro para conduzir um debate inteligente com a turma, porém na prática não é isso o que acontece. Se fizéssemos uma pesquisa concluiríamos que a maioria dos professores são de esquerda.
  • Daniel Costa  24/12/2014 13:15
    Eliane, é aí que está o problema levantado pelo artigo, não se defende uma neutralidade. Isto já é defendido hipócritamente no meu esquerdista acadêmico. A ideia é liberar o pensamento livre, pois neutralidade e imparcialidade são mitos, até porque escolas governamentais não se prestam a imparcialidade. Tanto a mídia como as escolas deveriam promover o debate simplesmente. Só isso.
  • Rene  03/05/2013 16:05
    Fantástico. Apesar de ele não ser brasileiro, o artigo reflete perfeitamente a situação do ensino no Brasil. Ainda temos um longo caminho à frente, nesta jornada que é a defesa da liberdade.
  • Melanie Schwartz  03/05/2013 16:10
    A ideia é padronizar o ensino para deixar cada vez menos espaço para julgamentos subjetivos. Assim, todos os alunos podem ser avaliados de forma "mais justa". O desempenho acadêmico se resume à capacidade de decorrar o currículo escolar. Não há espaço para novas ideias ou soluções criativas. É uma pena.

    Gostei muito do artigo.
  • Bruno D  03/05/2013 17:20
    Não concordo em padronizar, padronizar o que? Como? Através de um amplo programa estatal de padronização? Isso já é feito a décadas, na verdade os órgãos responsáveis por isso notadamente o MEC (que ao meu ver já deveria estar fechado há muito), estão querendo padronizar coisas do tipo: livros com doutrina esquerdista, que inflação é bom, que cresimento economico´tem qye ser feito através de dívida, dívida é investimento, apostila e kit gay, e tudo quanto é o politicamente correto estabelecido em gabinetes da ONU.

    Padronizar não é só o pior caminho, é o caminho que está sendo realizado há muito. Claro que não serve.

    Hoje digamos que 100% dos estudantes são doutrinados com marxismo etc. Porque temos um programa padronizado pelo MEC, se não houvesse educação obrigatória digamos que esse número cairia para 60%.

    Teriámos menos 60% de pessoas doutrinadas, mais propensas a escutar e ou aprender algo diferente, mesmo que não fosse o mais sensato seria diferente dessa massa de idiotas úteis que andam por aí, desde em conversas de bar até em manifestações pró-PT.

  • Melanie Schwartz  06/05/2013 12:02
    Hehehe, não Bruno D. Eu me expressei mal. Eu queria corroborar com o texto e não sugerir uma solução para o problema, rs. Era para ser uma crítica à padronização.
    Enfim, concordo com sua colocação. =)
  • Filipe Celeti  03/05/2013 16:14
    Sowell descreveu exatamente o ambiente no qual convivo há alguns anos.

    A escola e a universidade não possibilitam o pensar, apenas obrigam a repetição.
  • Denes Dias  03/05/2013 16:33
    "fatos negativos sobre o desarmamento em um artigo recente"

    alguma bibliografia a indicar para que eu possa embasar melhor minha defesa do direito de poder me defender podendo portar uma arma?


  • Malthus  03/05/2013 16:52
  • Bobo  03/05/2013 16:35
    Pago R$1.450,00 de faculdade para "tomar um banho" de imbecilidade em algumas matérias. Faço Publicidade e propaganda, e não vejo menor sentido em ficar vendo documentário sobres cotas raciais/sociais da UNB, mas pode acreditar todos tivemos que ver isso.

    Não há debate. Há apenas alunos concordando com professor terrorista.

    Há vários cursos de graduação que não precisam mais do que 2 anos para ser concluído. 4 anos é para os trouxa que nem eu ficar pagando e aprendendo nada ou aprendendo coisa repetida. (Trouxa porque eu poderia ter parado pois trabalho para mim, e não preciso de diploma para me empregar)


  • Lucas  04/05/2013 02:14
    Quem faz faculdade particular sofre mais ainda nas mãos desses esquerdistas, já que ainda paga. Quem faz federal, igual eu, mesmo em cursos como administração, recebe a doutrinação esquerdista clássica. Me lembro que tive aula de teorias organizacionais com uma professora marxista que acredita que não era necessário a economia crescer para todos os cidadãos de uma nação de satisfazerem. Em outras palavras, ela acreditava que mercado era algo inútil, porém, dava ênfase em todos os projetos de políticas públicas de contenção econômica.
  • Paulo Dantas  04/05/2013 04:13
    E você por acaso é obrigado a estudar nessa universidade? Só um marciano não sabe que a comunidade acadêmica brasileira é toda de esquerda. Que vá estudar no Mackenzie ou no exterior, ora!
  • anônimo  04/05/2013 10:01
    Publicidade e propaganda é a maior enrolação de todas.Eu também estudava isso, largue essa porcaria já!
    Lá pelo meio do curso todo mundo botava os pés no chão entrava em depressão e começava a encher o **** de prozac.
    Sério você está perdendo tempo e dinheiro, 70% do curso é encheção de linguiça (filosofia, semiologia etc) e a parte 'prática' até um idiota como um técnico é capaz de aprender sozinho
    Nenhuma profissão que presta se auto premia. Já desconfiou disso? Pois devia.

    E existe outro problema pior ainda, se você tiver o tal do FIES você vai se endividar pro resto da vida, quem vai sair lucrando as suas custas é o governo e os vermes dos seus professores de matérias inúteis.
  • Anonimato  14/11/2013 00:05
    Que pensamento medíocre esse de querer se graduar em 2 anos e de dizer que filosofia é encheção de linguiça. Se querem criticar a esquerda, façam de maneira inteligente e não dizendo impropérios desse naipe.
  • Doutrinador  14/11/2013 13:48
    Por que seria um "pensamento medíocre" querer reduzir ao máximo sua estadia em um ambiente fecal como são as universidades brasileiras?

    Quanto a dizer que a filosofia que se ensina nas universidades brasileiras é encheção de lingüiça, também discordo. Se realmente fosse só encheção de lingüiça, seria inócuo. Mas não. Aqui no Brasil, a filosofia ensinada nas universidades é idiotismo puro. Veja o calibre de nossos filósofos: Emir Sader, Paulo Ghiraldelli, Demetrio Magnoli (que diz que o PT é conservador de direita), Leandro Konder e merdas afins.

    Fico no aguardo você, prezado anonimato, fazer uma crítica de maneira inteligente em vez de apenas xingar alguém de quem você discordou. Isso sim é ser medíocre.
  • BRUNO  06/05/2013 18:22
    "Há vários cursos de graduação que não precisam mais do que 2 anos para ser concluído. 4 anos é para os trouxa que nem eu ficar pagando e aprendendo nada ou aprendendo coisa repetida. (Trouxa porque eu poderia ter parado pois trabalho para mim, e não preciso de diploma para me empregar)"

    Parando para pensar, essa é a mais pura verdade....
  • anônimo  03/05/2013 16:39
    Ótimo texto e "caiu como uma luva", estou no ensiono médio (escola privada) e quase todo dia em certas matérias (Filosofia, história e sociologia) há uma doutrinação. Vejo várias pérolas, mas uma que não consegui me conformar foi:
    "O mercado é, para o libertista, a poderosa ferramenta que seleciona os bons. (...) A realidade, contudo, mostra-nos que o alicerce das ideias libertistas é um mito. No correr da história, o mercado não se portou como os libertistas julgavam que se portaria. Não encontramos indivíduos competindo livremente, mas corporações que exercem enorme poder para conseguir seus intentos, um liberalismo para os ricos. Uma pessoa que nasceu pobre terá, diante do desemprego, de uma doença ou de uma catástrofe, menos liberdade do que aquela que nasceu rica. Ser livre significa poder escolher, mas toda escolha depende de recursos que são frequentemente negados aos pobres. (...)
    Em resposta a questões como essas, a social democracia insiste em uma liberdade efetivamente igual para todos, mas com a eliminação das injustiças. neste caso, o Estado deve intervir amenizando as mais flagrantes injustiças do livre mercado e assegurando oportunidades iguais para todos."

    Simplesmente bota no livre mercado a culpa tudo que é causado pelo corporativismo e depois aponta como solução uma intervenção estatal. Pelo amor de deus! Eu passei mal quando li isso.
    "É melhor não ser educado do que ser educado pelos seus governantes".
  • SURFISTA  03/05/2013 17:42
    A brother, eu lamento muito. Olha, sei que muitos não gostam do assunto, mas parem para pensar.

    Vou explicar, só olhar as cartas.

    Veja a do 11 de Setembro images4.wikia.nocookie.net/__cb20110419142621/creepypasta/images/a/a1/Illuminati_card_1.jpg

    Agora olha a reescrevendo a história www.goddiscussion.com/wp-content/uploads/2010/06/RewritingHistory.jpg

    Teve umas que eles pularam. Eles não fazem quando tem muita gente comentando e realmente mostrando para todos. Eles não são bobos. Quanto mais gente entorpecida, melhor para eles.

    Assim, desta forma, acabam desmoralizando os que estavam divulgando. Técnica infalível de desmoralização. Ai a pessoa, que estava para acreditar, volta ao ceticismo, e nunca mais acredita nessas coisas. Estamos todos em um grande jogo. E que vença o melhor!!!??? Será que todos aqui são bons mesmos e tão inteligentes como se dizem???!!! Torço que este número tenha aumentado.

    Como fala o grande filósofo, escritor e jornalista Olavo de Carvalho, isso já deixou de ser teoria da conspiração a muito tempo.

    O termo Teoria da Conspiração é apenas para desmoralizar, ou seja, disfarçar o que realmente está acontecendo. Conspiração pura, não adianta dizer que não. Agora eu pergunto. Me provem o contrário.

    Na minha época a educação se descartava 70% o que era ensinado, mas pelo que você descreveu ai .... Não tenho mais dúvidas. Pode jogar 99,9% fora. Pegue bons livros. E seja autoditada. Olhe para o passado, pois de lá tiraremos o leite e o mel que precisamos! É o que estão tentando apagar. Porque será??

    Pelo menos seus olhos foram abertos. Parabéns.
  • SURFISTA  03/05/2013 17:08
    Concordo plenamente em genero, número e grau.

    Creio que o ensino fosse levado à sério, acho que o ensino fundamental e graduação durariam apenas metade de seus tempos, se fosse focado apenas o que o ser humano precisa realmente aprender (ler, escrever e contas, são os ensinamentos mais básicos do primordiais do ser humano, além de étical e moral)

    Uma coisa é certa, o povo anda intertido demais (BBB, facebook, youtube, e cada notícia na mídia tão interessante (como esta o filho do ator X), que mudam o meu dia).

    Além do que, tudo que foi projetado a anos para dar resultado em longo prazo, esta dando certo. As pessoas hoje estão completamente adormecidas. Tão adormecidas, que não se perguntam mais o que é certo ou errado, além de não se perguntarem se aquilo que está passando na TV é verdade ou mentira.

    Simplesmente a TV é outra, a maior arma de todos os tempos. Uma formadora de opinião em massa. Para praticamente todos, o que ela fala, é, e pronto, e ai daquele que se perguntar se é verdade ou mentira. Estão vendo, as pessoas não se perguntam mais o que é verdade ou mentira. Não sei se isto é alienação absoluta, ou se realmente estamos vendo ... os zumbis ... não existem apenas em filmes, realmente, eles existem.

    Me lembrei do filme Matrix, quando o Morfeu diz que, existem pessoas tão conectadas neste sistema (no filme do caso, a Matrix), e estão tão satisfeitas, céticas, que farão de tudo para protegê-lo.

    Incrível como a ficção predisse o que viria. Então, não duvido mais dos filmes de zumbis e demais. Incrível como a verdade se esfrega na nossa cara, de todas as formas, como se tivesse chorando ... e agente ... completamente desligados.


    Acho que tudo em que é lugar tem a verdade. Ela sempre se manifesta. Basta agente procurar, se perguntar, questionar. É melhor tirar a dúvida, do que conviver com ela.

    Abraço para todos. Eu disse TODOS. Sem distinção.
  • Valmir  03/05/2013 17:21
    Essa conexão com sistema que comentou é bem evidente. As pessoas vêem o mundo como ele é e não como ele poderia ser.


  • wanderson  03/05/2013 17:30
    O brasileiro, geralmente, não tem admitido, sequer, escutar a opinião contrária. Venho há anos batendo na tecla de que estamos perdendo nossa identidade ao assassinar o latim no português em prol da preguiça de se adotar palavras inglesas, sem tradução ou com tradução mal feita como a tal da década (que são 10 dias e não 10 anos). Eu venho sempre escutando "rapaz, se conforme, são os tempos da globalização". Eu tenho pena desse povo conformista, pois é por causa dele que ano após anos só temos políticos horríveis e nenhuma reação popular ao exemplo francês. Tudo lá é motivo de revolta e quebra-quebra e acho que a educação serve para isso, para a subversão ou para o comportamento subversivo. E as universidades, cada vez mais, formam [muito mal] carneirinhos.
  • Francisco  03/05/2013 17:34
    Acho que deveríamos ter mais Sowell por aqui!
  • SURFISTA  03/05/2013 21:42
    Concordo Francisco.

    Quando leio textos inteligentes, e verdadeiros que nem este. Parece que, não só me sinto alimentanto minha mente, mas também a minha alma. Chega sinto ela se fartando de sabedoria.

    Parece que estava falecidade de tanta ignorância que nos tentam impor.

    Teve lá em casa só serve pra assistir filme e jogar video game hoje. Não da mais para alimentar o meu ser com porcaria. Eu disse pra mim mesmo basta.

    Sites de internet somente como estes, que encontro gente esperançosa, e crente. Gente que vai fazer a diferença no final.

    Belo texto mesmo guilherme
  • Osmar Neves  02/06/2014 18:10
    Creio que seria muito bem vinda a publicação pelo Mises do livro "Economia Básica" do Thomas Sowell. Eu mesmo compraria uns 5 exemplares (num período de 2 anos, é claro, hehehe) para compartilhar com alguns amigos (já fiz isso com o "Seis Lições" e espero fazer com o "Economia numa única Lição).
  • guilherme  03/05/2013 17:38
    Perfeito o texto..
  • Um Advogado dos "Intelectuais"  03/05/2013 20:38
    Não existem verdades no meio intelectual, por tal motivo, é de nenhuma utilidade o debate ideológico nas escolas e universidades. É simplesmente impossível conceber uma doutrina imparcial quanto às normas políticas como já é tomado como verdade de mesa nos cursos de história, sendo assim, jamais surgirão verdades no processo investigativo intelectual.

    Diferentemente do pregado pelo autor, pensar não está fora de moda no meio intelectual, muito pelo contrário; dado que os interesses da burguesia já foram atendidos, cabe à vanguarda universitária do proletariado reservar-se a dissecar sua retórica e suas intenções por trás dos atos dos cientistas reacionários no passado. São aceitas as conquistas já feitas, porém é imprescindível que o processo histórico continue.

    Em um caso de assassinato, por exemplo, jamais haverão culpados; a verdade, a arma do crime e a vítima mudarão de acordo com a classe de cada testemunha e a quem a câmera de vigilância pertence.
    _____________________________________________________________________________________
    Exemplos da ausência da verdade na investigação intelectual:

    a) O Movimento dos Sem Terra.

    Segundo os cientistas reacionários: Criminosos responsáveis pela iniciação da violência contra fazendeiros e sanguessugas do INCRA. Devem ser criminalizados os movimentos sociais.

    Segundo os cientistas revolucionários: Manifestação de resistência do proletariado já conscientizado com o intelecto de sua classe, dispostos a lutar por seu legítimo direito aos meios de produção após serem expulsos pela burguesia de suas terras(O Brasil inteiro). São criminalizados por parte da classe reacionária como já previsto pela dialética hegeliana. Quando a mídia burguesa os culpa de queimar as casas e eliminar as vacas, omite que ao movimento iniciar o protesto na propriedade, o gado de forma instantânea decidirá cometer um suicídio coletivo a alimentar a agitação revolucionária devido à estratégia neo-anti-napoleônica imposta pela Monsanto ao fabricar o alimento dos animais. As telhas das casas, por exemplo, pegaram fogo por conta própria devido à uma anomalia climática iniciada pelo HAARP americano planejada desde o Plano Condor.
    ----------------------------------------
    b) A Coluna Prestes.

    Segundo os cientistas reacionários: Há evidência de estupros, roubos e assassinatos a pequenos fazendeiros nordestinos iniciados por uma coluna de vagabundos e
    viúvas do positivismo.

    Segundo os cientistas revolucionários: Tais evidências ou foram criadas pela CIA ou são má interpretação dos fatos para denegrir Prestes. Se as "pistas" forem reais, deve-se compreender que a coluna na realidade lutava contra os grandes latifundiários repletos de jagunços e que para enfrentá-los, era preciso a apropriação compulsória das propriedades dos pequenos fazendeiros, que alienados pela mais-valia, rejeitavam que mais de 100 homens invadissem suas propriedades, se apossassem de seu trabalho, utilizassem seus aposentos e comessem sua comida na promessa de que os libertariam.
    ----------------------------------------
    c) O Holodomor.

    Segundo os cientistas reacionários: Os soviéticos cercaram 10 milhões de ucranianos e os deixaram para morrer de fome à sangue frio.

    Segundo os cientistas revolucionários: O Holodomor foi causado por uma mudança climática que apesar de não estar presente em nenhuma leitura estatística mundial(Feitas pela burguesia), de fato ocorreu e fora a mais trágica da história, levando 7 milhões de pessoas à morte apesar de grande esforço estatal para evitar que ocorresse(As cercas contra as plantações de trigo visavam, na realidade, indicar aos trabalhadores aonde estavam localizados os centros de ajuda humanitária).
  • Camarada Friedman  04/05/2013 03:27
    Advogado... gostaria de obter informações sobre os roubous/estupros cometidos pela Coluna Prestes.... poderia dar uma ajuda ? Livros, links, etc...
  • Anarcofóbico  03/05/2013 20:49
    Governos estaduais e municípios gastam boa parte dos recursos destinados ao ensino de jovens e crianças em parcerias com empresas privadas de ensino – compra de livros e apostilas, contratação de instituições particulares para "formação" de professores, compra de vagas em escolas e repasse de verbas à ONGs etc..

    Com isso, reduzem ano a ano as verbas para educação. Destroem as carreiras docentes e condenam os professores a conviverem com salários próximos da miséria. Sem falar do abandono das escolas onde alunos, professores e demais funcionários vivem um cotidiano de horrores de violência e péssimas condições de trabalho e de aprendizagem.

    Este processo de privatização da educação básica contou (e conta) com a ajuda de duas políticas federais: o Fundef, que estimulou a municipalização do ensino fundamental nos dois mandatos de FHC, e o Fundeb, criado por Lula, que permite a municipalização de todo o ensino básico, deixando prefeitos e empresários de mãos livres para fazerem a farra com o dinheiro destinado ao ensino. Com a educação superior não é muito diferente (leia na página 16).

    Essa mercantilização e consequente privatização do ensino tem provocado um duplo apartheid educacional. Filhos de trabalhadores e burgueses não estudam no mesmo lugar. Na educação básica, os primeiros frequentam as escolas públicas, cada vez mais sucateadas e, no caso dos setores médios, algumas escolas privadas de segunda linha na busca ilusória de um ensino melhor. Os segundos frequentam as escolas de elite, geralmente privadas e com mensalidades altíssimas.

    A grande "descoberta" do neoliberalismo é que classes sociais diferentes devem ter uma educação distinta de acordo com seu lugar social no processo de produção e circulação de mercadorias. Assim, cada escola deve ensinar seus alunos de acordo com suas expectativas na vida. Nem todos aprenderão a mesma coisa, nem todas as escolas ensinarão o mesmo. O direito ao ensino e à aprendizagem é transformado numa questão individual. Se a pessoa não aprende é um problema dela, de seu professor ou da família, mas nunca do Estado.

    Não haverá de fato educação pública de qualidade para todos numa sociedade baseada na exploração, na desigualdade e na opressão; numa ordem social a serviço de uma minoria privilegiada, num mundo onde o sucesso individual só é possível com o fracasso de milhões.

    É necessário unificar as lutas sindical, educacional e política! Para isso é necessária a unidade de jovens - do ensino básico e da universidade –, professores e funcionários da educação com os demais trabalhadores e suas organizações. Assim se poderia criar um movimento social poderosíssimo em defesa do direito universal à educação pública e de qualidade para todos.
    --------------------------------------------------

    Por isso, conclui-se que é a iniciativa privada que tem deturpado a educação brasileira!
  • Eduardo  04/05/2013 00:00
    Leandro, não vai fazer valer a noção de propriedade privada e expulsar esse cara? Esse anarcofóbio só tá de gozação aqui...
  • saoPaulo  04/05/2013 00:04
    Página 16? Sugiro colocar a fonte de onde copiou isso...

    Esse figura é mais um "Filósofo" por aqui? Estes personages estão ficando cada vez mais difíceis de se detectar.
  • saoPaulo  04/05/2013 00:22
    "Governos estaduais e municípios gastam boa parte dos recursos destinados ao ensino de jovens e crianças em parcerias com empresas privadas de ensino – compra de livros e apostilas, contratação de instituições particulares para "formação" de professores, compra de vagas em escolas e repasse de verbas à ONGs etc..

    Destroem as carreiras docentes e condenam os professores a conviverem com salários próximos da miséria."

    Se, em um mercado livre, o salário destes "professores" é próximo à miséria, tal salário tem que ser o mais justo, mostrando que ou estes "professores" não estão agregando praticamente valor nenhum aos seus alunos, ou devem descer do seu pedestal pois qualquer idiota pode fazer o que estão fazendo. Se, na presença de um monopólio estatal, tais "professores" apresentam salários maiores, isto apenas demonstra que estão recebendo, injustamente, mais do que deveriam. Portanto, são LADRÕES!

    "É necessário unificar as lutas sindical, educacional e política! Para isso é necessária a unidade de jovens - do ensino básico e da universidade –, professores e funcionários da educação com os demais trabalhadores e suas organizações. Assim se poderia criar um movimento social poderosíssimo em defesa do direito universal à educação pública e de qualidade para todos."

    E como sempre, a máfia tem que obrigar as pessoas a comprarem seu produto: proteção em alguns casos, educação neste.
  • Estudante Renegado  04/05/2013 01:26
    Pergunte a esses sindicalistas se eles acabariam com a garantia dos professores da rede pública pois essa acomoda o magistério por motivos óbvios. Simplesmente virarão o jogo e o chamarão de neoliberal, reacionário, etc.

    O artigo acima felizmente trazido pelo Anarcofóbico apenas demonstra como essa gente pensa. Eles realmente acham que conseguirão doutrinar os jovens ainda mais com a união dos movimentos de políticos, alunos e sindicalistas(Nossa, é a Liga da Justiça Comunista!).

    Não é preciso ser um gênio para saber que o seguinte modelo tem TUDO para dar certo:

    - Diretor que manterá seu domínio independente de oferecer bons atendimentos aos consumidores dele. Não está sujeito à mecânica do lucro e do prejuízo, logo, não possui nenhum incentivo para se esforçar e para não sucatear a concessão dada a ele. Para quê ter a dor de cabeça de enfrentar o sindicato para demitir um professor quase que catedrático se você nem mesmo ganhará um centavo com isso?

    - Profissionais quase impossíveis de demitir e protegidos por lei e pela opinião pública para fazerem a merda que bem entenderem. São os coitadinhos da massa intelectual e fazem um excelente trabalho convencendo a sociedade que são as pessoas mais importantes do mundo, quando na verdade qualquer um pode ensinar se tiver talento com o assunto e com gente. (Professores)

    - Salários pagos não por oferta, demanda ou mérito, mas por tempo de serviço no local. Preciso ao menos dizer o que há de errado nisso? Depois não culpem o neoliberalismo por ninguém querer ser professor de física.

    - Um estado que não possui nenhum estímulo para manter o patrimônio escolar limpo contra vândalos.

    - Uma faculdade que ensina algo completamente desnecessário e que para piorar fora roubado pela inteligência marxista. É basicamente uma escola de sindicalistas.

    - Para fechar com chave de ouro, o modelo é salvaguardado pelo sindicato mais poderoso dos EUA e do Chile e o segundo maior do Brasil(Está entre os 5). Pode entrar em greve por 5 meses como ocorreu com os alunos do Pedro II e das federais ano passado e esses nem mesmo gastaram um segundo de protesto para fazer a pergunta de um milhão de reais: - Será que o sindicato dos professores está ao lado dos alunos ou dos professores?
    A criançada precisa entender que esses safados vão roubar tarifas sindicais dos bons professores e são um dos principais culpados pela terrível educação brasileira(Já somando à ausência da mecânica do lucro, a ausência da mecânica da demissão também!). Os piores professores que tive na vida foram sindicalistas ativos e eu não sou alguém que guarda ódio, porém confesso entre amigos: Sinto um rancor muito grande pelo que fizeram à juventude tanto da escola como dos poucos anos meus de faculdade(Até que eu decidi abandonar o curso de marxismo mais caro do mundo).
    _____________________________________________________________________________________
    Hoje estou de fato dispensando o romantismo, a formalidade e a análise técnica de fatores políticos. Limitar-me-ei a meramente explorar minhas memórias e expressar a tristeza que compartilho junto ao Thomas Sowell quanto aos cidadãos que se afirmam nossa "elite intelectual".

  • J. Rodrigues  24/12/2014 00:28
    Na Rússia soviética circulava (camufladamente) uma piada que dizia que quando um russo ia fazer a barba ao olhar no espelho ele falava: "Um de nós dois é um traidor!" Ajustando para o Brasil atual penso que ficaria assim. No caso de um político: "Um de nós dois é um corrupto!" No caso de um intelectual: "Um de nós dois é um idiota!" e no caso de uma pessoa comum do povo: "Um de nós dois é um desinformado!"
    Brincadeiras à parte, a minha pergunta é: A quem interessa essa alienação em massa?
  • Jean Cherem  03/05/2013 21:51
    Sou formado em direito. Neste artigo, eu vi boa parte do que penso sobre o sistema educacional e de antigos colegas de faculdade. Hoje, as pessoas usam as faculdades para se formarem e conseguirem trabalho. Ela apenas molda as pessoas para repetir. Eu vejo muita vaidade e arrogância envolvendo o modo como se ridiculariza todo mundo que pensa diferente. A sociedade vive no mundo da decoreba.
  • SW  03/05/2013 22:07
    Estou no primeiro período de Direito na UNESC (particular, União das Escolas Superiores de Cacoal) e o meu professor de Direito Civil já me tachou de reacionário. Evito discutir com ele porque o pago para dar aula para mim e nossos debates só atrapalhariam. O pessoal da sala então pagam pau porque ele é mestre e por isso ele sempre estaria certo e eu errado (uns me chamam de "estacionário"...)
  • Arthur Gomes  03/05/2013 23:33
    Boa SW,
    Mas não desista das suas idéias, também faço faculdade e também quebro o pau com professores marxistas, socialistas e a turma de doutrinadores a maioria não conhece nada. Já foram doutrinada a tempo atrás, pensam que são intelectuais não aceitam a uma idéia contrária.

    A educação no Brasil é uma piada, ainda temos que assistir a dona Dilma falar na televisão que quer aumentar a educação, esse lixo da doutrinação estatal.
    Fora PT
    Fora Paulo Freire
    Fora Karl Marx
  • Estudante Renegado  03/05/2013 23:45
    Fui perseguido pelos meus professores desde a 7º série quando discordei com a professora de história pela primeira vez. Desde cedo, fui reacionário orgulhoso: Dizia abertamente que Vargas fora um vagabundo oportunista, que Stálin foi um assassino e nada demais, que todos os serviços estatais eram um lixo porque não precisavam ser diferente(Não é que eu sabia disso desde a 8º série e muito intelectual idoso não entende?) já que a competência não é necessária para a existência do serviço e que Carlos Prestes foi um malandro, oportunista e imbecil.

    (Perdoem-me o tom informal na mensagem, é que eu realmente gostaria de desabafar em anonimato)

    Resultado:

    - Nenhum dos professores da faculdade gostou de mim com exceção do estagiário de latim(O único que realmente queria fazer seu trabalho, achando que seria demitido se não o fizesse. Não levou um ano e aprendeu como as federais funcionam e hoje é vagabundo e sindicalista fanático, que é basicamente a mesma coisa). Eu terminei saindo da faculdade pela hostilidade com que era tratado pelos colegas e mestres e tentando outro curso, na área de exatas, onde veria menos da doutrinação gratuita.

    - Ainda acho que meu professor de geografia do secundário foi o maior mentecapto e idiota útil que já conheci na vida. Ele era um mestre em Milton Santos e desde cedo vi que tal estudioso(Que é referência máxima na esquerda) não se tratava de ninguém fenomenal, muito pelo contrário, era extremamente superestimado.

    - Tive um acesso de risos enquanto meu professor de cultura e sociedade tinha uma caganeira mental chegando ao absurdo de culpar o fato de os filhos saberem mais informática que os pais como algo que está "destruindo a família" pelo capitalismo.

    - Fui odiado pela comunidade universitária depois que violei a norma sacra e disse abertamente em discussão que eu não devia um centavo a qualquer mulher, negro ou minoria que meu ancestral distante talvez tenha escravizado. Fui taxado de sem coração e virei pária, olhe que sou pardo.

    - Perguntei a um professor sindicalista depois que ele anunciou o comício pela "melhora da educação" se ele ao menos consideraria revogar a licença permanente que professores da rede pública têm e que torna quase impossível demiti-los. Não apenas o mestre não respondeu como ainda me insultou de intolerante e afirmou que eu precisava estudar, tendo sido vaiado pela turma.

    - Um maconheiro bem intencionado para com a causa do povo decidiu riscar o carro do meu pai com a foice e o martelo na porta do motorista pois achou que assim representaria o povo. Eu fui direto ao diretório dos estudantes e quase "cometi o maior erro da minha vida" com o camarada que havia sido delatado por três testemunhas de ter feito aquilo. Felizmente, mudei de ideia e vi que matar um socialista só me faria sujo como os ídolos deles.

    Vivi muitas outras situações. O resultado é que deixei o curso de geografia. Nunca fui tão feliz na minha vida e não faltou disposição para fazer um curso profissionalizante privado e seguir com a minha vida depois que não consegui passar para engenharia(Felizmente! Descobri que engenharia de produção é o básico de engenharia com marxismo extracurricular!).

    Não morri por não ter curso superior e não vivo mal. Não me arrependo de ter sido tão combatente e realmente nunca tentei ser amado pela universidade. Eu entrei achando que o objetivo era trocar ideias ao invés de ouvir um adolescente de 50 anos falando como todos os outros indivíduos fora daquele instituição são mentecaptos e incapazes de cuidar da própria vida sem o governo.

    Nunca pedi para ser amado pelos pequeno-burgueses comunistas de lá e nunca o fui. Coloquei meu rosto para que batessem e eles o fizerem. Lavo minhas mãos e vejo minha terrível experiência na faculdade como lembrança de que eu sou forte o suficiente para defender o certo ao invés do que é fácil.

    Nunca desistam do combate, amigos.
  • Arthur Gomes  06/05/2013 01:14
    Cara parabéns pelo seu quebra com os professores;
    No meu ginásio tive uma professora excelente de geografia ela disse com todas as letras os comunistas mataram milhões de pessoas, nunca votei em partido comunista. Infelizmente criaram o PT; fui enganado por anos, por incrível que pareça não foi tanto a escola que fez a minha cabeça, infelizmente foi na Igreja com a maldita Teologia da Libertação; graças ao bom Deus e a Virgem Maria escapei dessa matrix, hoje tenho ódio dessa teologia da libertação e vivo brigando com professores doutrinadores, meus amigos de classe já sabem, na Igreja combato e falo para todos saberem que detesto o PT, socialistas, marxistas e tudo mais.
    Sempre chega noticias aos meus ouvidos que o meu nome é lembrado como pessoa reacionária, nervosa, até mesmo louca e para ser internado, como eles não tem argumentos contra a minha pessoa eles preferem denegrir a minha pessoa, são uma raça de cretinos.
    Mas eu não desisto, falo nas aulas, no curso de Crisma, chego até mesmo a alterar as orações da comunidade para não falar de igualitarismo, justiça social, ecologismo e essa merda toda.
    Não desista, vamos formar uma grande rede de pessoas que no futuro irão mudar esse país. Esse país ainda há de se levantar sobre os verdadeiros valores cristãos, valores cristãos que construíram a Europa e os EUA.
    Somos uma maioria silenciosa, mas somos a maioria.
  • Pedro  04/05/2013 00:41
    Como se ser "mestre" fosse grande coisa hoje em dia...
  • Nigro  04/05/2013 02:56
    Cara,
    Não abaixe a cabeça de jeito nenhum.
    Estude e argumente claramente q este professor vai morrer de medo de vc.
    Não queira ser legal e fazer amigos.
    Força
  • SURFISTA  04/05/2013 14:28
    Nigro está certo, professor não vai ti reprovar por causa disso, só estude e pegue boas notas.

    Eu tive uma dessas com um professor na sala de aula, argumentei com ele umas coisas que ele falou de tão infantis. Foi um tempo dele todo, mal havia começado o primeiro período se me lembro.

    Então, se eu não soubesse argumentar com mansidão, eu sairia perdendo, pois ali na classe hierárquica, na definição escolar, ele estava acima de mim, ele era meu professor.

    Mas valeu à pena, nesse dia ele não deu aula, provei para mais de 40 alunos que, o que ele estava falando era algo abstrato, não concreto. Fruto da imaginação que deve ter sido inventado por sei lá quem.

    Depois disso ele nunca mais tentou vender abobrinha na sala. Só dava aula. E eu sabia que ele ia fazer de tudo pra me reprovar. Tive minha postura como aluno (como se diz, "seja profissional"), e fiz o que tinha que fazer, estudar, ser educado com ele, pois assim como todo ser humano errante, ele era, e meu professor. E pegar boas notas. Fiz minha parte e passei com 9.5. Acho que depois de muito tempo encontrei com ele, com uma cara serena, acho que até mostrei pra ele a verdade, graças a sabedoria que Deus me deu, creio que ele também parou pra pensar no caminho dele.

    Como se diz: "Conheceis a verdade, e ela vos libertará"

    Agente não precisa ser grosso, estamos no século XXI já, creio que não exista aquele que não se renda à verdade. Mas tenha argumentos, saiba que aquele ser, foi doutrinado de uma forma, que ele não tem culpa, ele conhece o teu lado. Então se for argumentar, vá prepado. Saiba o que você vai dizer. Não jogue palavras ao vento. Exorte, corrija, com toda a paciência do mundo. Pois todo ser humano é auto-defensivo por natureza.

    Fácil é você dialogar com alguém que você já conhece. Quero ver se você conquista o coração de um desconhecido ou inimigo.

    Adoro isso, conquistar quem me odeia ou algo do tipo. E conquisto essas pessoas com amor, mostrando pra eles que não sou o inimigo delas. Acabam até sendo mais amigos do quem eu achava que era meu amigo. É divertido, você iam gostar. Se maginem ultrapassando seus limites. É como se vivesse eternamente jogando um bom jogo de video game.

    Cara é muito gostoso isso. Como se diz: Conheça a ti mesmo. Aprenda sobre você primeiro, saiba realmente quem você é, e do que você é capaz. Não há limites para quem crê e tem fé (para os ateu = acredite em você, para os cristãos = Deus para toooodo o sempre, Messias que morreu por nós tambem, e, acredite em si também)

    Pois do que vale à pena viver a vida se não for assim?!!!

    Como diz no jogo Final Fantasy X: "Ouça a minha história ... Talvez ... Esta seja nossa última chance" E quem sabe única !?

    Trate os outros como você gostaria de ser tratado. Lhe garanto que você vai ter um prazer que nada material neste mundo poderia dar.

    Que assim seja.


  • anônimo  05/05/2013 18:46
    Não desista de sua carreira acadêmica por causa de um professor. Professores estupidos existem em todo canto
  • Leonardo Couto  05/05/2013 20:21

    Apoiado Surfista. Não se deve ser hostil a uma pessoa equivocada de boa índole, isso é um ato de ignorância e estupidez, e também é simplesmente contra-producente à defesa da liberdade.
  • Gredson  02/06/2014 18:27
    "carreira acadêmica", da a impressão que só tem sucesso quem faz faculdade. e isso não é verdade.
  • Vito Fontenelle  04/06/2014 00:14
    SURFISTA, disse tudo. Não adianta usar a raiva contra o ódio, a falta de argumento contra a estupidez. Tenha paciência e estude muito para poder debater de forma eficiente.
  • Joao  04/05/2013 00:06
    Aproveitando o "gancho" sobre Educação, outro questionamento a que sou constantemente submetido é o seguinte:

    "Se você é tão contra o Estado e sua presença, por que estuda numa universidade pública?"

    Eu respondo como se a pessoa tivesse me perguntado algo como: "por que não sai do país? Por que vc chama a polícia ou utiliza as estradas?" Eu digo que por causa da intervenção do estado no setor educacional, os preços encarecem e a qualidade cai, restando como alternativa o ensino subsidiando e (ainda) decente da universidade pública.

    O que vcs responderiam?
  • Vinicius Costa  04/05/2013 02:20
    Eu sempre respondo que estudo na Federal porque pago com o dinheiro dela
  • Neto  04/05/2013 09:54
    Primeiro que eu pago sim, depois que a única coisa que eu quero 'de graça' do governo é o que já seria de graça se o governo não existisse, e se não houvesse a obrigatoriedade do diploma
  • Roberval  04/05/2013 14:39
    Responda o seguinte. Eu estudo nessa merda de faculdade estatal porque a mesma ja esta paga atraves de meus impostos e de outras pessoas honestas,mesmo que eu não estude em faculdade publica,eu estarei pagando pela mesma indiretamente e por isso tenho esse direito de estudar nela.

    Isso vai matar o cara.
  • Gustavo Sauer  02/06/2014 17:31
    Eu só não chamaria de "decente" o ensino das universidades brasileiras. Acho todas elas horríveis em qualidade. Mas isso é uma análise subjetiva e fica a critério de cada um o que chamar de bom.
  • Roger de castro  02/06/2014 20:16
    Eu me formei em uma universidade privada, unip precisamente. mas com meu próprio esforço, eu consegui pagar a faculdade e consegui um emprego na área. e hoje dou ordem em muito aluno de usp.

    é verdade que tive que estudar muito mais do que o curso fornecia, mas isso não me impediu de ter pleno conhecimento da minha profissão, de correr atrás, de buscar livros pro conta própria. aprendi que quem faz o curso é você. Estudar na usp não te transformar em um excelente profissional, eu vejo isso diariamente, vejo inclusive alunos medíocres de universidade públicas.

    Diferente de uma rua publica, você tem a ESCOLHA de escolher o privado. pra mim aluno de universidade pública é igual servidor publico, sempre terá a justificativa na ponta da linguá, mas nunca irá admitir que é um parasita, assim como o servidor público.
  • anônimo  02/06/2014 22:25
    Se quem faz o curso é vc, então pra quê pagar universidade?
  • Gustavo Sauer  04/06/2014 11:48
    Eu discordo do seu ponto que escolher universidade pública é opção de "parasita". O estado proíbe que algumas profissões sejam exercidas sem diploma. Sabendo disso, o libertário terá que pagar uma faculdade pra conseguir o privilégio de exercer a profissão. Ele já paga imposto contra sua vontade e também tem que comprar diploma pra poder trabalhar? Parasita são os socialistas que apoiam tudo isso. Deixem eles pagar universidade já que gostam de serem explorados pelo estado.
  • anônimo  04/06/2014 12:05
    Também acho, estudar numa univ pública não é a mesma coisa que ser funcionário público. Num caso vc está tendo de volta um 'produto' que vc precisa, e que foi obrigado a pagar de qualquer jeito, no outro, está tendo seu salário tomado dos pagadores de impostos
  • anônimo  04/06/2014 12:23
    'pra mim aluno de universidade pública é igual servidor publico, sempre terá a justificativa na ponta da linguá, mas nunca irá admitir que é um parasita, assim como o servidor público.'

    Não vai admitir porque não é mesmo. Você com sua educação porca não sabe nem o que é parasita; parasita é o organismo que se beneficia dos outros sem oferecer nada em troca. Se eu sou obrigado a pagar por um produto, independentemente de usá-lo depois ou não, isso não é parasitismo da minha parte, pelo contrário, sou eu que estou sustentando a tralha toda.
    Já o funça é totalmente diferente, o salário dele é 100% proveniente do pagador de impostos e o serviço que ele faz não justifica um décimo do que ele ganha.
    Agora ferrou mesmo, além de ser obrigado a pagar pela univ pública, eu não posso usar, tenho que ficar burro só pra não ferir a auto estima de um uniesquina da vida. Ora, vá catar coquinho.
  • Gredson  10/06/2014 00:50
    uma estimativa diz que um aluno da usp custa em torno de 49.582,41 reais por ano, sendo que geralmente um aluno fica em torno de 5 anos. ou seja 5 anos sendo sustentado pelo imposto, que é roubo.

    é engraçado que um aluno de universidade publica usa o mesmo argumento que o servidor publico, "eu estou apenas recuperando o que é meu" só que ai eu me lembro que...É impossível e imoral "acertar as contas" com o estado www.mises.org.br/Article.aspx?id=1095

    o próprio artigo diz: Não importa como o estado e seu sistema de transferência tenha me vitimado, não buscarei e nem aceitarei nenhum tipo de pagamento advindo deste sistema.
  • Odiosvaldo da Silva  04/05/2013 03:40
    O quadro é irreversível. O marxismo cultural tem hegemonia sobre o meio cultural, a imprensa e a educação. Os jovens são os idiotas úteis usados como cavalos de batalha para manter e expandir esta dominação e eu não vejo uma saída. Alguém consegue imaginar uma? Sou todo ouvidos.
    Acho louvável a iniciativa do Instituto Mises e de outras instituições e pessoas engajadas na luta contra-revolucionária mas, sejamos sinceros, estamos perdendo feio.
    Os que outrora impediram (mesmo que temporariamente) a metástase desta pestilência esquerdista estão subjugados ou infectados por dentro, tais como a Igreja Católica, os militares e as organizações de cunho conservador.
  • Marcio  04/05/2013 04:03
    E o Joaquim Barbosa nos "solta" isso: [/i]Avaliando a ausência de diversidade político-ideológica, Barbosa lembrou que há apenas três jornais de circulação nacional, "todos eles com tendência ao pensamento de direita".[/i]

    revistaforum.com.br/blog/2013/05/joaquim-barbosa-admite-que-midia-brasileira-e-de-direita-e-que-a-justica-e-racista/
  • anônimo  04/05/2013 13:39
    Já imaginaram se esse cara se candidata a presidência? Seria quase um Chavez brasileiro, governando por decretos e referendos...
  • Occam's Razor  02/06/2014 20:44
    Por isso achei foi pouco quando os militantes petistas produziram dezenas de blogs cheios de insultos racistas contra Joaquim Barbosa. Nada melhor do que ver um comuna sendo ferrado por outros comunas. Quem sabe assim ele aprender a não ser socialista.
  • Camarada Friedman  04/05/2013 05:19
    Eu era esquerdista, se eu mudei qualquer um muda. Eu era um completo retardado mental... pelo menos eu lia e lia e lia os autores esquerdistas e conheci muita coisa.

    A internet vai mudar a mente dessa galera: mudei lendo autores liberais e quando conheci o Mises Brasil dae meu mundo mudou. A maioria que visita esse site(se eu fizer uma estimativa comparada com o grupo de pessoas que eu conheço) é ex-esquerdista.

    Hoje temos a internet... :)
  • Trevor Reznik  04/05/2013 09:17
    Eu não era exatamente esquerdista, mas era daqueles que tinha certeza de que o capitalismo era uma merda completa e que nunca daria certo. Demonizava o lucro e os grandes empresários, etc...

    Depois fui perceber que o que eu achava que era capitalismo na verdade era outra coisa, e que todas as críticas que eu tinha ao sistema eram compartilhadas pela Escola Austríaca, bem como várias outras críticas que eu nunca tinha parado pra pensar, e todas baseadas em sólidos argumentos da ciência econômica. Além disso, a EA fornecia uma crítica ferrenha a um dos aspectos que eu julgava mais nocivos no arranjo atual: Os Bancos Centrais.

    Eu também mudei, e o IMB foi muito importante para isso.
  • Alexandre  04/05/2013 10:11
    Uma sugestão:

    O Instituto Mises Brasil deveria criar uma faculdade no Brasil (ex. de cursos: Economia, Filosofia e Administração), nos moldes do EAD (Ensino a Distância). Para tanto, não é necessário tanto capital quanto é para uma faculdade tradicional (presencial), além de atingir estudantes em todos os estados do país, através de pólos. Sei que existem muitos libertários/empresários ricos que podem se associar para esse empreendimento que, além do lucro, traria uma "luz no final do túnel" para a formação intelectual brasileira. Após as primeiras turmas de formados, o reconhecimento nacional desta faculdade viria nos exames do MEC (ENAD), superando as ditas intocáveis universidades federais marxistas e keynesianas.

  • Bruno Faria  04/05/2013 19:31
    Concordo.

    Entretanto, vale o mesmo para uma faculdade marxista. Pelo menos, desconheço sobre uma. O fato de algumas faculdades/universidades trabalharem com certa parte do pensamento marxista não excluem que trabalham, também, com várias outras correntes e isso inclui os liberais. Cada síntese tem por meio inevitável a configuração ideológica, mas antes que isso aconteça, inevitavelmente, desconstruiu um argumento contrário o criticando de forma convincente.

    No entanto, isso não forma supostos marxistas ou liberais completos, existe muitos recortes pelo âmbito acadêmico; do qual, se os alunos não buscarem sozinhos, pois não dispõe muitas pesquisas nesse campo, não conseguem desenvolver ou entender certo pensamento extensamente.

    Nesse mesmo sentido, alguns dias estavam procurando uma especialização no pensamento de Hayek e Mises em algumas universidades aqui do Estado do Paraná. Resultado: não achei nenhuma.

    Portanto, fica a sugestão em concordância com o membro acima.
  • Pedro  03/06/2014 15:48
    Creio que não daria muito certo, olha só essa questão do enade


    Quando o presidente Luiz Inácio da Silva afirmou que a crise financeira mundial era um tsunami no exterior, mas, no Brasil, seria uma marolinha, vários veículos da mídia criticaram a fala presidencial. Agora é a imprensa internacional que lembra e confirma a previsão de Lula. Considerando a realidade atual da economia, no exterior e no Brasil, é correto afirmar que houve por parte dos críticos:
    a. atitude preconceituosa
    b. irresponsabilidade
    c. livre exercício da critica
    d. manipulação política da mídia
    e. prejulgamento


    A resposta "correta" é a letra "A"
  • Nelson do Vale  03/06/2014 18:02
    Pedro,

    Estou procurando esta questão no Enade e não estou encontrando.
    Você tem a informação sobre em que ano e para que curso essa questão foi apresentada?

    Eu já encontrei várias questões tendenciosas no Enade e estava pensando em escrever um artigo sobre o assunto. Gostaria de incluir essa referência.

    Abs,
  • anônimo  03/06/2014 18:35
    Seria interessante saber em q materia se relaciona essa questao, seria a materia de disciplina ideologica? De verdade nao consigo imaginar em q caderno estaria essa questao
  • José Cláudio  04/05/2013 11:18
    Concordo com tudo que foi escrito, mas acho que este desgastado termo "intelectual" já está merecendo um outro menos estereotipado. Mais antipático e elitista ainda é utilizar "nata da elite" (eleitista, derivada do leite?). Conheço pessoas capazes de citar milhares de autores e utilizar outros milhares de argumentos de outras cabeças, mas incapazes de desafiá-las e desenvolverem suas próprias opiniões. Este termo já está merecendo uma "semana de arte moderna". É o mesmo que confundir cultura com erudição. A palavra intelectual não define aquilo que estamos precisando para mudar - ou melhorar, sei lá - a sociedade em que vivemos.
  • Ali Baba  04/05/2013 11:56
    @Camarada Friedman,

    A maioria é ex-esquerdista pq não tem outra forma de ser liberal e ter nascido no Brasil. Ter nascido no Brasil nos últimos 60 anos significa ter tido enfiado goela abaixo todo o lixo comunista, marxista, esquerdista, coletivista por toda e qualquer instituição pública ou privada (desde uma certa rede de televisão até diversas igrejas e cultos).

    É muito difícil acordar disso. O SURFISTA mencionou o roteiro de Matrix (ele próprio uma releitura cinematográfica do mito da Caverna e de algumas ideias de Baudrilard) e tem razão. Gostaria de lembrar outra cena do mesmo filme que talvez seja ainda mais reveladora em um paralelo com a sociedade coletivista e idiotizada. Quando Cipher trai o grupo de Morfeu ele diz algo mais ou menos assim para o Agente Smith: "Eu sei que esse filé não existe. Eu sei a verdade. No entanto não me importo. Coloque-me de volta na Matrix, sem nenhuma memória de que estive fora, e me faça rico."

    Para mim, essa é a verdadeira questão. Quantos brasileiros foram "acordados" da Matrix coletivista em que vivemos por sites como o IMB e por diversos libertários em palestras e vídeos (ou apenas em trocas de emails) e simplesmente não se importam. Quantos sabem que (parafraseando novamente Matrix) "existe alguma coisa errada", mas seguem a sua vida mesmo tendo aquele pequeno alarme disparando na sua cabeça? Quantos preferem o conforto de um estado-pai ao desafio de fazer-por-si-mesmo. Quantos preferem não ter de pensar e simplesmente repetir o mantra que receberam goela abaixo de seus professores, pais, padres e pastores?

    Ou, como sugeriu Baudrilard, é provável que estejamos sejamos todos uma cópia de uma cópia de uma cópia de uma cópia, etc, e que não tenhamos mais o original?
  • Anarcofóbico  04/05/2013 13:14
    Está certo qto a matrix, meu caro, mas errado qto ao lado! Quem vive na matrix são os reacionários alienados, capitalistas movidos como massa de manobra pela imprensa golpista de direita!
  • Camarada Friedman  04/05/2013 15:33
    Vc falou do Cipher, eu concordo com alegoria pq vivo isso diariamente com amigos que me dizem: Maldito dia em que eu fui visitar aquele site, cara... a culpa é sua!

    Depois que vc conhece a Escola Austríaca sua vida intelectual vira um inferno, o mundo fica muito mais tenebroso e vc perde todas as expectativas de um MUNDO MELHOR. E quando digo MUNDO MELHOR, me refiro aos sonhos de igualdade e subsidio promovidos por quase todas as instituições civis no Brasil: Igreja, Sindicatos(tanto classistas como corporativistas), Escola e a mídia.

    Amigo, todo dia tenho que ouvir a palavra mágica na TV: Igualdade.
    É igual aquele samba... rir pra não chorar.

    É fácil ser esquerdista, ser esquerdista é ser do bem. Nós ? AH! Nós somos do Mal... não é assim que esses retardados pensam ?
    No campo das ideias somos imbatíveis, e é isso que importa.
  • Ali Baba  04/05/2013 18:35
    @Camarada Friedman,

    Cara... isso é algo de que tenho medo: "No campo das ideias somos imbatíveis, e é isso que importa.".

    Se nos contentarmos com isso, teremos sempre que argumentar contra o teste empírico óbvio que não existe uma sociedade anarcocapitalista; ou que não existe um estado minarquista. Temos de nos esforçar para criar essas coisas, para demonstrar a sua viabilidade no mundo real, e não somente no território das ideias.

    Enquanto nos contentamos somente com a vitória no debate intelectual os coletivistas e os parasitas da sociedade produtiva vão continuar mamando nas tetas do estado-pai às nossas custas. Dá para imaginar o que passa na cabeça desses vermes: "deixem eles ganharem o debate intelectual... enquanto isso, compre mais caviar e mande a conta para os vitoriosos".
  • Camarada Friedman  05/05/2013 06:13
    Entendo a sua empolgação mas temos que ser realistas. Quantos somos ? Só pq deram 50.000 likes no face do Mises não quer dizer que temos 50.000 libertários no Brasil.

    Sou muito pessimista em relação a qualquer chance de vitória(ainda mais em vida). Eu acredito que esse país vai piorar, piorar e piorar. E se tiver algum "default" não vai ser por causa da gente, vai ser pq o "default" tinha que acontecer mesmo(pq a realidade bateu).

    A ideia mais realista, camarada. É a secessão. Eu não tiro isso da minha mente... Se essa é a mais realista imagine a menos calcada na realidade ?
    Tem alguém aqui que acredita(sinceramente) que algum dia um "político" libertário vai ser eleito no Brasil ? E mesmo que seja, vcs ja leram a constituição do Brasil ? pqp aquilo la é um PEIDO! O que o cara vai fazer ?
    "Zerar" o estado nos EUA é viver em um paraíso libertário. "Zerar" o estado no Brasil é continuar vivendo no Brasil. Até a gramática da nossa constituição tem um ranço positivista, até a maldita gramática!

    Como eu disse, no campo intelectual já era...Vencemos!
    Mas não temos o estado bancando a gente, não temos centenas de professores paparicando Mises na universidade(todos financiados pelo estado). Não temos, cara.
    É igual o Hélio falou , o movimento austro-libertário é acéfalo, sem líder e descentralizado. Cada um faz a sua parte e quem sabe as gerações futuras vão colher os frutos da nossa luta.

    Desculpem se fui grosso. É só ler o texto do Sowell, o pensamento esquerdista é unânime. Se lá é assim, imagine aqui ? Espero estar errado!

  • Ali Baba  06/05/2013 13:05
    @Camarada Friedman,

    Acho que tocaste em um ponto importante, que deveria estar no pensamento de todo libertário brasileiro: o direito a secessão.

    Concordo vom você que a probabilidade de mudarmos alguma coisa é ínfima e louvo a luta de todos os libertários para, pelo menos, reduzir os impostos que pesam sobre a sociedade brasileira. Mas penso que uma bandeira que deveríamos levantar e que, provavelmente, é a única que nos aproxima de uma sociedade ancap ou de um estado minarquista ainda em vida é a bandeira da secessão.

    "Agora o Ali Baba enlouqueceu" estarão pensando. Talvez tenha enlouquecido, mas se pudéssemos pressionar por um legítimo pacto federativo em que os estados têm a autonomia que se espera deles, teremos dado um passo nessa direção. O próximo passo é fazer o mesmo com as regiões de cada estado. E assim sucessivamente, minando as bases do centralismo e transferindo o poder do centro para as pontas.

    Claro que não podemos falar em secessão nesse momento... mas bandeiras substitutas que nos aproximem desse ideal são bons objetivos de curto prazo. Além de representarem algo pelo qual lutar além da simples (porém importantíssima) disseminação das ideias.
  • Fred  02/06/2014 17:23
    "Sou muito pessimista em relação a qualquer chance de vitória(ainda mais em vida). Eu acredito que esse país vai piorar, piorar e piorar. E se tiver algum "default" não vai ser por causa da gente, vai ser pq o "default" tinha que acontecer mesmo(pq a realidade bateu)."
    A única forma de diminuir o estado sem fazer uso da violência é diminuindo o fluxo financeiro que o mantém "gordo". Isso só será possível acabando com o monopólio do estado sobre a moeda e com a constante manipulação da base monetária, fazendo a realidade "bater" mais rapidamente a porta. A utilização de cripto moedas decentralizadas é a única alternativa viável para para tal, tudo mais é apenas vento.
  • Daniel  04/05/2013 13:20
    Argumentos emotivos? Falar sem parar e mais alto pra tentar calar o outro? Desconsideração da lógica? Parece uma feminilização do mundo. Mas essa não é uma posição definida minha, apenas uma idéia a ser analisada. Que parece ser exatamente o problema, ninguém analisa mais nada.
  • Roberval  04/05/2013 15:01
    Eu sempre tive mais tendencia para a direita,isto é,um misto de estado com a iniciativa privada,com o estado atuando o minimo possivel em serviços basicos,e com o governo FHC,a minha tendencia ao estado minimo aumentou,pois eu ja vi telefone custar R$15 mil reais,a estrada ter um monte de buracos impossibilitando as pessoas de correm,era tanto buraco que era notavel os carros no acostamento com a suspenção detonada e pneu estourado,os bancos eram bem piores que hoje,você era humilhado pelos atendentes,a vale e a CMG dava altissimos prejuizos. Resumindo.apesar da pessima educação esquerdista que tive,sempre odiei o esquerdimo,mais não entendia nada de inteligente sobre politica.
    Graças ao IMB,hoje sei mais o que é o esquerdismo e sei que não precisamos de um estado.
    O IMB esta apenas começando,vamos ter esperança pessoal,um dia quem sabe,nosso pais se torne um pais mais libertario que muitos paises hoje em dia,pois o Brasil tem uma particularidade muito interessante,o povo no fundo não gosta do estado e não respeita tanto as leis como o esquerdismo prega,e sem a força do povo,o esquerdismo não é nada.
  • Bruno Faria  04/05/2013 17:46
    Pude entender de forma demasiada o suposto 'recado' intrínseco que compõe ás afirmações no artigo. Entretanto, para manter a posição direcionada (leia-se, tomar partido), acabou deixando lacunas estereotipas, como: 'Estamos hoje vivenciando todo o esplendor do anti-intelectualismo que se espalhou por metástase ao longo de todo o mundo acadêmico.'

    Quando, em suma, como bem evidenciou o 'Um Advogado dos "Intelectuais"', não existe uma verdade preponderante no meio acadêmico, uma vez que, constantemente, ás opiniões e pesquisas se formam sobre sínteses com o objetivo de buscar e constatar adequações sobre cada campo problemático. Nesse sentido, não esperem uma medida econômica sendo passível de solução no campo biológico, psicológico, etc. Afinal, cada campo tem suas limitações e o fato de efetuar uma correlação interdisciplinar para compreender certa posição não exclui a produção intelectual que só discute determinado tema assimilando teoria e prática sobre determinada problemática.

    E, portanto, o conceito principal do artigo ao ponto de evitar monopolizações argumentativas é um fator relevante na contemporaneidade; no entanto, cabe ressaltar que isso não quer dizer que a pré-compreensão desses doutrinadores possa ser inferiorizada; uma vez que muitas academias formam tais intelectuais evitando sempre que o mesmo se forme sobre dogmas.
  • Felipe Esquimó  04/05/2013 20:57
    "Se não acreditamos em liberdade de expressão para as pessoas que desprezamos, não acreditamos em liberdade de expressão"

    - Noam Chomsky
  • Alexandre [SEP]  05/05/2013 16:46

    Luciano Ayan

    Segundo Thomas Sowell, pensar está se tornando algo obsoleto. De acordo com minha tese do duelo cético, eis o motivo.

    lucianoayan.com/2013/05/04/segundo-thomas-sowell-pensar-esta-se-tornando-algo-obsoleto-de-acordo-com-minha-tese-do-duelo-cetico-eis-o-motivo/
  • Me  05/05/2013 18:27
    Passo diariamente por isso.

    Sou analista de sistemas há 10 anos. Estudei em uma universidade federal bem posicionada em avaliações, porém não conclui o curso. Desde o primeiro período, e até antes mesmo de começar o curso(notem como o termo denuncia a cristalização de metodologias de ensino), minha preocupação era aprender aquilo que o mercado(diretamente ou não) procurava.

    Desta forma, abandonei o curso após 3 anos, porque acreditava que as disciplinas faltantes não me tornariam melhor no que faço.

    Diariamente em meu trabalho tenho conflitos com colegas em todos os níveis hierárquicos formais. Posso resumir dizendo que há os que mergulham em livros de autoridades e até proferem deboches sobre minha "formação". Porém por ter perfil auto-didata e preferir arriscar novidades do que manter-me em posição estável, mudo de trabalho com frequência, quase todos os anos. E nesses momentos, subitamente, meus conhecimentos subitamente parecem ter um valor difícil de ser substituido.

    Vou falar algo que pode ser mal interpretado: pelas questões levantadas no artigo, amo artes marciais. Em uma luta certamente existem princípios, melhores formas e mais inteligentes de se fazer determinadas coisas do que outras. Porém neste contexto, não existem espaço para argumentos, réplicas, explicações. Apenas resultados que precisam ser apresentados.
  • Dw  06/05/2013 14:19
    Me, vc é o mesmo do site bolha imobiliária?
    Curiosidade...
  • Me  06/05/2013 15:18
    Sim.

    Se a referência for o comentário que estou pensando: já saí do Rio de Janeiro. Estou em São Paulo e satisfeitíssimo com a mudança sem nenhum porém.
  • Dw  06/05/2013 19:14
    Me, bom saber que as coisas estão dando certo pra vc em Sp.
    Sempre acompanho aquele site, assim como este, embora não comente muito, lembro dos seus comentários mais antigos por lá..
    Abraço e sucesso nesta nova fase...
  • Rony Pablo  06/05/2013 05:31
    Na universidade que estudo tudo está reduzido ao ativismo quilombola e gay. Se vc pensar diferente vc é reduzido a retardado.
  • Renato Souza  06/05/2013 12:18
    Uma questão importante é: como isso foi acontecer nos EUA. No Brasil não existe tradição de pensamento que não ponha o estado como pilar central. Mas os EUA nasceram como uma miniarquia. Eles tem uma base melhor que a nossa.

    Creio que Mises tem uma resposta interessante. Quando o proprietário de uma grande empresa morre, normalmente um dos herdeiros assume a presidência. Pelo fato da empresa não ser dividida, os outros herdeiros passam a ganhar sem trabalhar (o atual presidente quer apenas que não atrapalhem, porque são seus concorrentes naturais ao cargo, e potenciais sabotadores). Alguns desses capitalistas de sofá tem como único objetivo na vida, prejudicar a vida do diretor presidente. Dão dinheiro para sindicatos, para universidades esquerdistas, odeiam o capitalismo, porque apesar de ricos, não podem num nunca poderão ser poderosos. Penso que esse pecado original das empresas modernas, de obrigar os herdeiros que se odeiam e se sabotam a conviverem na sua administração, explica muitos dos nosso males atuais.

    Sábio foi Abraháo, que deu muito dinheiro a cada filho (e ele teve vários), e mandou cada um para um lado. Herdeiro que é obrigado a viver pela própria capacidade, ou fica pobre (porque quem faz muita bobagem acaba destruindo sua herança) ou aprende que administrar dinheiro de forma honesta não é nada fácil.
  • Wagner  06/05/2013 13:21
    A minarquia acaba gerando riquezas o suficiente pra sustentar um estado monstruoso, foi justamente isso que aconteceu nos EUA. No início o país era tão eficiente e livre que o crescimento foi impressionante, com tantos recursos é fácil o estado crescer.
    Veja o Brasil por exemplo, nós nunca fomos livres, somos um país pobre... o único jeito do estado crescer é através de dívidas ou inflação, ambos destroem a economia em pouco tempo e o estado é obrigado a se retrair ou a sociedade se rebela. Quanto menor o estado mais rico vai ser o país e maior é o potencial de crescimento desse estado.

    De forma simples:
    Estado pequeno = riqueza = maior potencial pro agigantamento do estado.
    Estado grande = pobreza = menor potencial pro agigantamento do estado.

    Esse é um dos motivos da minarquia não funcionar, não importa o quão mínimo seja o governo, ele vai crescer e virar um monstro.
  • anônimo  06/05/2013 13:42
    'A minarquia acaba gerando riquezas o suficiente pra sustentar um estado monstruoso, foi justamente isso que aconteceu nos EUA'

    E porque não aconteceu na Suíça? Mais antiga que os EUA e não tem hoje o leviatã que eles tem?
  • Thiago  06/05/2013 13:51
    Brincou, né? O PIB dos EUA é de 15 trilhões de dólares ao passo que o PIB da Suíça é de 636 bilhões. Diferença módica...
  • anônimo  06/05/2013 13:58
    E é pelo PIB que se mede o nível de liberdade de uma sociedade?
  • Thiago  06/05/2013 14:18
    Não, criatura. Estamos falando de riqueza e de como o estado confisca essa riqueza para se agigantar. Um estado americano tem muito mais riqueza da qual se alimentar do que o estado suíço.

    Você próprio introduziu o assunto e pelo visto não tem a mínima noção de seus pressupostos básicos.
  • Nigro  06/05/2013 14:26
    Não sou economista, mas ainda não existe o fato que a Suiça, sem muitos atrativos naturais e populacionais, precisa ter um Estado mais enxuto para atrair capital externo?
  • Leonardo Couto  06/05/2013 15:55

    Quanto mais forte e efetiva é a ideia de filiação forçada a um estado, mais propenso a crescer ele está.

    Uma investida estatal sobre um indivíduo suíço tenderia poderia repercutir em sua migração, já que é um país pequeno ( menor que o estado do Rio de Janeiro ) e seus vizinhos têm grande similaridade.

    Nos EUA há uma maior prevalência da ideia de que a decisão por um maior ou menor estatismo será tomada a nível coletivo, tendo seus efeitos estendidos inclusive sobre discordantes; além disso, é um país bem maior que a Suíça e um de seus vizinhos, México, é brutalmente diferente.
  • anônimo  06/05/2013 15:53
    'o estado americano tem muito mais riqueza da qual se alimentar do que o estado suíço.'

    E daí criatura? Isso é irrelevante, se essa riqueza existe por conta de uma economia que começou pobre mas tinha um estado mínimo,que foi crescendo gradualmente e hoje é bem maior que o da Suíça, de um jeito ou de outro existe alguma coisa a mais que fez o estado Suíço ficar mais ou menos naquele ponto.
    O fato da Suíça não ter 'tantas riquezas assim' pra incitar a ganância do governo não é desculpa, um dia a economia americana também não tinha 'tanta riqueza assim', foi só depois do estado mínimo que eles enriqueceram.



  • Dom Comerciante  02/06/2014 15:47
    Mas eu que sou um minarquista tenho uma teoria sobre como governos pequenos não cresçam: Eles devem ser seccionados e municipalizados, os EUA por exemplo, teria se dividido em dois durante a guerra civil, mas infelizmente se manteve unificado, isso contribuiu para uma idéia de unidade nacional ainda mais forte e abriu caminho para o leviatã que conhecemos hoje. Quando os países são reduzidos a municípios, constituindo cidades-estado, o livre-mercado tende a ser maximizado ao máximo(desde que o governo seja realmente minarquista). Por isso me considero minarquista da EA e um separatista radical de territórios.
  • Fred  02/06/2014 18:07
    Se eles continuarem tendo monopólio sobre a moeda em seus limites territoriais, é só um questão de tempo para o governo crescer. Apenas cripto moedas decentralizadas podem devolver as pessoas o controle sobre suas reservas de valor sem que o estado possa confiscá-la.
  • Gustavo Ramos  02/06/2014 14:36
    Você descreveu o enredo de "A Revolta de Atlas", de Ayn Rand.
  • Ezekyel  06/05/2013 14:54
    Eu faço faculdade de economia e vejo que somos obrigados a idolatrar Marx, Keynes, Celso Furtado, MST, os petistas e por aí vai. Quando faço críticas a respeito disso, eles logo dizem que estou no curso errado e que eu procure outro curso, como se a economia só se resumisse a essas pessoas. O engraçado que os economistas que se dizem marxistas só vivem queremos ganhar sempre mais e mal frequentam a universidade e quando vão ficam enrolando os alunos, é por isso que eles ficam defendendo esses ideais.
  • Arthur Dias  06/05/2013 17:00
    Mantega como candidato a governo de São Paulo.
    Dá vontade de desistir depois de ler uma dessas.
  • anônimo  06/05/2013 18:03
    E o que seria melhor pra Sp, Serra?!! kkkkkkkk
  • Nigro  06/05/2013 18:56
    sim.
  • Cleiton Luiz  05/07/2013 11:19
    Serra? Tá falando sério? O cara é o mais fanático socialista de todos os políticos. Não que os outros fiquem muito atrás.

    Mas estamos é ruim de candidatos, as eleições no Brasil se transformaram em um campeonato de esquerdismo.
  • Um Filósofo  06/05/2013 18:37
    Tendo em vista as medidas autoritárias de Alckimin em permitir que lembrancinhas sejam entregues nas redes de fast-food e que a propaganda infantil siga existindo, será um apreço ter um defensor da luta popular no governo estadual.
  • Geraldo  10/05/2013 21:49
    Apenas tentando estimular o debate.

    No momento que você diz "Esse tipo de comportamento se tornou um procedimento padrão no mundo atual", você reduz muito a profundidade do artigo. E essa linha de pensamento se repete várias vezes durante o texto. Pensar que se está vivendo num momento especial, que as coisas "hoje em dia" são muito diferentes do passado, que estamos no meio de uma grande mudança, é um vício típico, e recorrente no tempo.

    A maioria dos seres humanos sempre foram chegados a frases prontas e pensamentos rasos, em qualquer época, em qualquer lugar. Uma análise da história e da literatura do passado dá muitas pistas disso. A intelectualidade é exercida por uma minoria e isso não é novidade.

    Talvez, no passado, houvesse mais intelectuais na universidade, porque universidades eram mais raras e atraíam tipicamente intelectuais. Com a massificação do ensino universitário, me parece muito natural que o comportamento médio dentro das faculdades se torne mais massificado.
  • Thames  10/05/2013 22:01
    O seu último parágrafo contradiz totalmente o segundo, e você nem se dá conta disso.

    De fato, a mediocridade se universalizou.
  • Pedro Passos  05/07/2013 10:43
    Concordo plenamente com o texto de Thomas. A sociedade emburreceu e largou mão da educação, ou melhor, à largou nas mãos do estado. Aliás, vou me contradizer novamente, largou na mão dos governantes, porque o estado como nação é formado pelo povo, e esse NUNCA - desde que me conheço por gente - influenciou nas decisões pedagógicas do ensino público, ou até mesmo privado. O máximo que é feito é colocar a culpa na falta de investimento (que é o fator mais gritante, não discordo) ou colocar o filho em uma escola mais cara.

    Sou professor universitário à 6 anos e não entendia o porquê de cada vez mais o nível dos alunos piorar, ano após ano. Em 2011 comecei a trabalhar na educação pública, e pesquisar sobre pedagogia, finalmente entendendo a mecânica de controle social que funciona perfeitamente no nosso país através da educação. O construtivismo ou esses novos modelos pedagógicos que combinados formam essa maneira empírica de aprendizado via tentativa e erro, fazendo com que desde a base, no ensino infantil, o pensamento não seja estruturado e sim baseado pura e simplesmente no questionamento, na desconstrução, sem plano de melhoria, sem proposta, sem IDÉIAS.

    Esse modelo foi ótimo para destruir o que antes havia, mas agora não temos mais nada, uma sociedade movida pelo oba-oba, como ficou claro nas manifestações ocorridas a pouco. Não acredito no modelo político vigente, porém não será desse modo que iremos mudar algo.

    Bom, voltando ao assunto da educação é que como disse no início, cada vez mais temos os pais de nossas crianças preocupados com o capital, não com a qualidade de vida, ou com o que eles consideram como qualidade de vida: uma Tv LED, Um carro 1.0 parcelado, um casebre financiado até a morte. E continuemos com a Saúde e Educação Pública como lixo. Dessa maneira, os pais não tem tempo para criar seus filhos de maneira INTEGRAL, e os deixam em escolas de tempo INTEGRAL, a maior arma política da atualidade. Você deixa a criança na escola o dia inteiro e ela é doutrinada de acordo com esses interesses de nossos atuais políticos, sem a menor interferência construtiva da sociedade em conselhos e fóruns.
  • Mario Treglia  06/08/2013 07:13
    Artigo muito interessante, me deu vontade apenas de dizer, seja bem vindo à humanidade.
  • anônimo  14/11/2013 20:55
    Uma coisa que não me ficou muito clara neste assunto porem é o processo de como isso ocorreu. Se analisado o ponto de vista do ensino público isso fica bem óbvio, mas a degradação também ocorre no particular. Como?

    Outra aspecto que ainda não me ficou muito claro também é como fica o caso da educação num sistema de livre mercado. Enquanto que o livre mercado beneficia o produto e serviço com melhor qualidade pelo melhor preço, como poderia o indivíduo poder auferir a qualidade do preço do ensino de forma satisfatória como benefício ao emprego do serviço de ensino?

    Em outras palavras, como que um indivíduo sabe que escola ou faculdade X tem melhor qualidade que Y?
    Cursos de terceiro grau demoram vários anos para serem concluídos, logo o "feedback" poderia ser o sucesso dele no mercado de trabalho. Mas não seria demorado ou custoso (em tempo) demais? E se fosse ensino fundamental? Vai ter de esperar mais de 10 anos?
  • anônimo  15/11/2013 18:50
    Ótimo! Obrigado.
  • anônimo  16/11/2013 17:17
    Uma coisa que me chamou a atenção foi o homeschooling. Ele independe de ser oficializado ou não, embora o interesse é que o homeschooling possa ser mensurado de alguma forma. Eu digo isso porque eu parte eu fui "homeschooled". Isso é algo que pode ser feito por qualquer um interessado. Seria interessante se o IMB tivesse ao menos indicações pra isso, já que mesmo com MEC ainda temos liberdade de fazer isso de forma "informal".

    Outra coisa que me chama atenção é o vestibular. Embora ele seja meritocrático, ele é mal implementado. Mesmo que seja interessante exijir um mínimo de conhecimento para admissão a uma faculdade, o vestibular engloba tudo, tipo alguém precisar também ter boa nota em biologia pra estudar ciência da computação.
    Acho que o interesse em aprender deveria sobrepujar a ausência de conhecimentos prévios ao curso superior, contanto que essa ausência não seja demasiada.

    O que me incomoda, e parece ser o caso no libertarianismo em geral, é que parece haver uma necessidade de "período de testes" em qualquer caso de mercado que se torne mais livre do que antes. Não digo que é errado existir, mas acho ruim.
  • Marcos  02/06/2014 17:56
    No meu caso tive a SORTE de fazer ENGENHARIA em faculdade estadual, tanto que acabei descobrindo esse site justamente por causa de professores que discutiam ideias liberais na sala e até recomendavam livros.

    Talvez seja por isso que é até comum contratarem engenheiros ao invés de administradores.
  • Emerson Luis, um Psicologo  02/06/2014 18:24

    Algumas falácias ou sofismas que demonstram inabilidade de pensar ou tentativa de manipulação mesmo.

    1- Apelo à autoridade ("Isso é assim porque Fulano disse");

    2- Apelo à maioria ("Todo mundo faz/pensa isso");

    3- Apelo à antiguidade ou novidade ("Sempre foi assim/Hoje em dia é assim");

    4- Ataque à pessoa ("Quem discorda disso é desinformado ou mal intencionado");

    5- Supersimplificação ("A causa de X é Y");

    * * *
  • Rennan Alves  02/06/2014 20:15
    Eu sempre recomendo este site para demonstrar esta inabilidade.

    https://yourlogicalfallacyis.com/
  • Roger  02/06/2014 23:08
    Ótimo artigo.

    Me lembrou 'A Revolta de Atlas' de Ayn Rand: o 'sequestro dos cérebros'.

    Mas aviso que NÃO é 'pensar está se tornando obsoleto'. A realidade é outra: a 'imbecilização' da sociedade é algo da cartilha socialista. Sempre empregaram essa tática no início da tragédia. Depois que não restava mais nada no cérebro das criaturas, vinha a paulada final na cabeça: a ditadura.

    Se encontrarem, leiam esse pequeno tesouro: "Psicopolítica - Tecnica del Lavado de Cerebro" [Psicopolítica - Técnica da Lavagem Cerebral], de Kenneth Goff e Charles Stickley, Editorial Nuevo Orden, de Buenos Aires. Explica muita coisa a respeito da 'imbecilização'. Quem ler esse livrinho ficará horrorizado com as coincidências que estão acontecendo hoje e com o que está escrito ali.

    Repito: a 'imbecilização' da sociedade é algo muito bem tramado e arquitetado. Não é simplesmente uma cadeia de eventos aleatórios.
  • Ali Baba  03/06/2014 11:04
    @Roger 02/06/2014 23:08:27,

    Sobre o livro atribuído a Goff, li recentemente a respeito em uma apresentação do CESNUR e o Sr. Google foi gentil o suficiente para me fornecer o link para essa apresentação: www.cesnur.org/2014/Hubbard%20and%20the%20Brain-Washing%20Manual.pdf

    Resumindo, tenha mais cuidado ao citá-lo. Não é uma fonte confiável e há muita controvérsia tanto sobre sua autoria quanto sobre sua intenção. Uma das fortes possibilidades acerca desse livro é que seja um livro de ficção, utilizado na fundação da Igreja da Cientologia, em parte como instrumento de arregimentação contra a ameaça comunista... Embora um nobre propósito, pode ser um fake fabricado pela CIA. E não precisamos de fakes para desmascarar o comunismo.

  • Roger  03/06/2014 20:12
    @Ali Baba

    Concordo contigo. Não precisamos de fakes para desmoralizar o comunismo.

    Entretanto o comunismo, se utilizando única e exclusivamente de fakes, desmoralizou completamente o capitalismo.

    E não encontrei evidências, durante meus anos de estudo, que Goff seria um falsificador. Para mim, as maiores críticas (e fakes) atribuídos à Goff são oriundas de mentes socialistas, no intuito de desmoraliza-lo, tipo os falsos 'dossiês' do partidão que controla o Brasil.
  • Ernane  02/06/2014 23:36
    Um questão chama-me muito atenção essa terceirização do pensamento, como ela vem ao longo dos anos acontecendo no país e por consequência como estará a via educacional daqui uns 20 a 30 anos. Já não bastava o plágio do Paulo Freire agora vivemos essa fase que certamente ficará marcada " pensar se tornando algo obsoleto". A independência intelectual será coisa rara escrever um livro então....!!
  • Guilherme  03/06/2014 00:30
    Não sei se o pessoal já se deparou com tão valiosa 'aula' financiada e promovida pelo Estado da Bahia, mas achei pertinente divulga-la neste artigo porque traduz bem o que tem acontecido no nosso ensino. Percebam o proselitismo ideológico declarado dos professores e o processo de desinformação correndo solto:

    Liberalismo e Neoliberalismo - Prof. Robson Souza…: youtu.be/BJzSq6utoLA
  • anonimo  03/06/2014 13:16
    O pior são os comentários...
  • Filosofo comum  03/06/2014 12:42
    Livro: Sem Lugar Para Se Esconder - Edward Snowden, A Nsa e A Espionagem do Governo Americano autor:Glenn Greenwald
    Alguém tem em pdf portugues?... me enviem por email se preferir: joaoandrerocha@hotmail.com
  • Funça Federal  03/06/2014 13:19
    "Camarada Friedman 05/05/2013 06:13:43

    Entendo a sua empolgação mas temos que ser realistas. Quantos somos ? Só pq deram 50.000 likes no face do Mises não quer dizer que temos 50.000 libertários no Brasil.

    Sou muito pessimista em relação a qualquer chance de vitória(ainda mais em vida). Eu acredito que esse país vai piorar, piorar e piorar. E se tiver algum "default" não vai ser por causa da gente, vai ser pq o "default" tinha que acontecer mesmo(pq a realidade bateu).

    A ideia mais realista, camarada. É a secessão. Eu não tiro isso da minha mente... Se essa é a mais realista imagine a menos calcada na realidade ?
    Tem alguém aqui que acredita(sinceramente) que algum dia um "político" libertário vai ser eleito no Brasil ? E mesmo que seja, vcs ja leram a constituição do Brasil ? pqp aquilo la é um PEIDO! O que o cara vai fazer ?
    "Zerar" o estado nos EUA é viver em um paraíso libertário. "Zerar" o estado no Brasil é continuar vivendo no Brasil. Até a gramática da nossa constituição tem um ranço positivista, até a maldita gramática!

    Como eu disse, no campo intelectual já era...Vencemos!
    Mas não temos o estado bancando a gente, não temos centenas de professores paparicando Mises na universidade(todos financiados pelo estado). Não temos, cara.
    É igual o Hélio falou , o movimento austro-libertário é acéfalo, sem líder e descentralizado. Cada um faz a sua parte e quem sabe as gerações futuras vão colher os frutos da nossa luta.

    Desculpem se fui grosso. É só ler o texto do Sowell, o pensamento esquerdista é unânime. Se lá é assim, imagine aqui ? Espero estar errado!"

    Prezado, seu pensamento está correto, se um dia algo mudar por aqui, não será por conta desse idealismo de vocês; e sim, você não estará vivo para ver. Sorry
  • Leandro Levlavi  03/06/2014 13:40
    A única forma de lutarmos e vencermos batalha após batalha é trabalhar em favor do livre mercado.

    Quer trabalhar com finanças e economia? Para quê cursar economia? Curso totalmente marxista no Brasil. Curse finanças, 2 anos, faça mba, mestrado profissional e trabalhe onde o marxistas tem medo de estar.

  • Ricardo  03/06/2014 14:05
    Um único adjetivo resume o texto: FODÁSTICO!

    Temos a obrigação de contra-atacar, pelo menos em nossas famílias, as ditas doutrinas, dizendo a verdade por detrás de toda este rótulo perverso.
  • Fernando Marques  04/06/2014 18:18
    Como bem diz Rothbard, os intelectuais são um braço do Estado. Vivem a criticar o militarismo, que se mostra como a força estatal, só que eles também fazem parte dessa "dominação" do Estado sobre a sociedade. O Estado, ao financiar pesquisas e professores com interesses em comum com ele, buscam uma espécie de "afirmação moral" por parte desses intelectuais. Os intelectuais são os maiores formadores de opiniões que a sociedade tem. A sociedade acaba pegando essas opiniões pra si. Então, com isso, os intelectuais patrocinados por verbas estatais acabam, de certa forma, validando esse monopólio moral, validando o pensamento vigente no governo do Estado.
  • Arthur Virmond de Lacerda Neto  01/10/2014 10:48
    O artigo foi traduzido do inglês, em que se empregou a palavra "establishment". Por que não traduzir por estabelecimento? Por que manter um estrangeirismo, em detrimento do Português, tão belo e tão rico? Será rotina mental, preguiça, ignorância, pedantismo? Usemos o Português, que nos oferece soluções para todas as necessidades de comunicação: pode-se aportuguesar, traduzir, criar. Não faz sentido usar americanismos ou qualquer outro estrangeirismo.
  • Leandro  01/10/2014 11:53
    "Estabelecimento"? Essa sua tradução literal nem de longe transmite a real ideia por trás do termo establishment. A tradução correta mais próxima seria "as autoridades (públicas e privadas) estabelecidas" ou "classes, instituições e elites governantes".

    O real sentido político de establishment não pode ser traduzido para o português em uma única palavra. No que mais, "establishment" já é um termo aceito e entendido por pessoas minimamente cultas.

    De resto, se você realmente defende a tradução literal de palavras, então você tem de falar "rato" em vez de "mouse", "ordenador" em vez de "computador", "bola ao pé" em vez de "futebol", "canto metralhado" em vez de "rap" ou "hip-hop", "rede internacional" em vez de "internet", "disco compacto" em vez de "CD", "disco de vídeo digital" em vez de "DVD", "disco de raio azul" em vez de "Blu-Ray Disc".
  • Silvio  01/10/2014 13:51
    "Canto metralhado" seria porque quem "canta" rap está justamente metralhando a arte de cantar?
  • Arthur Virmond de Lacerda Neto  01/10/2014 21:50
    De "establishement" ser termo aceito não se segue que a sua tradução, mesmo literal, não possa assumir a acepção que se lhe atribui. Ainda que "estabelecimento" não corresponda ao conteúdo do termo em inglês, não se segue que ela não possa vir a tê-lo, se as pessoas passarem a usá-lo como equivalente a ele.
    Sim, uso rato; sim, uso rede; sim, uso disco; sim, faço questão do meu idioma. Não considero que os estrangeirismos quaisquer sejam inevitáveis. Eles são evitáveis se soubermos usar com engenho e arte o vernáculo, como, aliás, procedem quase todos os países latinos, à exceção do Brasil, em que o complexo de inferioridade do brasileiro levou ao feiticismo do estrangeirismo, mesmo entre as "pessoas minimamente cultas", que, amiúde, embora o sejam, não valorizam o vernáculo em face dos estrangeirismos. Aliás, é cacoete cultural das classes minimamente cultas no Brasil. Na Argentina, no Uruguai, em Portugal, na Espanha, na Itália,na França, no Canadá e alhures, as pessoas fazem questão do seu idioma e recebem mal os americanismos. O idioma é-me valor cultural; a vernaculidade é-me valor de civilização. Não é o caso dos dóceis aos estrangeirismos, que os recebem de bom grado, incônscios do seu valor de poluição lingüística.
  • Dom Comerciante  23/12/2014 15:27
    Não acho que os estrangeirismos sejam tão perniciosos assim. Não estou dizendo que na língua culta eles devam ser usados, mas em um mundo globalizado e em um país com um povo com legítimo afinco para o empreendedorismo eles certamente sempre serão muito bem vindos - A língua da plebe sempre será distinta das dos cultos.
  • Henrique  23/12/2014 13:42
    Ora, falta de pensar seria a propagação de ideologias estadunidenses pró-mercado, que nos tiram a soberania em prol do Capital Internacional...

    Fica a dica.
  • Meirelles  23/12/2014 15:28
    Por falar em pessoas incapazes de apresentar um único pensamento original e que sabem apenas se entregar à "simples repetição de frases de efeito de cunho emocional", eis o Henrique, o saco de pancadas favorito de todos deste site.

    Não há um só comentário deste cidadão -- um dos mais freqüentes leitores deste site -- que não seja um slogan diretamente saído de um DA de faculdade.
  • Dom Comerciante  23/12/2014 15:37
    Não, definitivamente não vemos um cidadão ignorante em economia que cultue "ideologias pró-mercado estadunidenses" seja lá o que isso signifique... O que vemos é uma idiotização das massas pelos apelos de uma educação e de uma mídia progressista, que as ensina a idolatrarem o Estado Provedor, a louvarem dizeres marxistas e a cultuarem a social-democracia. Quem dera o povo estivesse alienado pelas "ideologias pró-mercado estadunidenses" pois assim seríamos ricos.
  • Vander  23/12/2014 15:47
    "Ora, falta de pensar seria a propagação de ideologias estadunidenses pró-mercado, que nos tiram a soberania em prol do Capital Internacional..."

    Papagaio de pirata detected!
  • Márcio  23/12/2014 17:13
    Curioso que a maioria dos comentaristas comete o mesmo erro denunciado no texto: se acham os donos da verdade e demonizam o "outro lado" como representantes do mal, usando de pseudo-argumentos mais rasteiros e idiotas possíveis. Insistem nessa bobajada de "doutrinação" nas escolas que é a maior mentira já repetida no Brasil: fosse assim, os comunistas seriam campeões de votos em todas as eleições, mas o PCB e o PC do B são partidos nanicos. Que porra de geração toddynho é essa? Ora, um homem de 20 anos já deve saber muito bem o que quer da vida e ter suas crenças solidamente formadas ao ingressar em uma universidade. Se ele acha que está sendo doutrinado (ironicamente eles mesmo criticam a educação que nem doutrinar sabe) com esse bando de professores que só querem receber seu salário no fim do mês o problema é com você mesmo, não com a escola ou universidade.
  • Gomes  24/12/2014 13:55
    A "doutrinação nas escolas é a maior mentira já repetida no Brasil" e a prova disso é que PCB e PC do B são "partidos nanicos"? Em que país você vive?

    Em primeiro lugar, já estamos indo para 16 anos de domínio total do PT, qualquer tipo de ideia politicamente incorreta já se tornou anátema (e algumas, inclusive, dão cadeia), e seus opositores são silenciados e criminalizados. E este militante deste Márcio vem dizer que não há nada acontecendo?

    No que mais, o artigo não diz que a doutrinação nas escolas se concentra exclusivamente na abolição total da propriedade privada (o que, aí sim, daria alguma sustentação ao seu "argumento" de que PCB não ganha eleições; o PC do B, por outro lado, está na base do governo federal desde 2002), mas sim na imposição de ideias politicamente corretas, e na supressão e silenciação de qualquer expressão contrária a essas ideias, e na idiotização geral da academia. Prova disso é que os universitários brasileiros estão sempre nas últimas posições dos rankings internacionais, não há nenhuma universidade brasileira entre as 50 melhores do mundo, e não há trabalhos acadêmicos brasileiros sendo citados por publicações internacionais.

    Quanto a "um homem de 20 anos já deve saber muito bem o que quer da vida e ter suas crenças solidamente formadas ao ingressar em uma universidade", isso não o impede de protestar, que é justamente o que você totalitariamente quer impedir. No que mais, dado que, por lei federal, as pessoas são obrigadas a ter um diploma para executar determinadas funções, a universidade no Brasil não é algo muito opcional.

    Vá fazer militância em sites financiados por estatais, e que estão implorando por leitores.
  • Guilherme  24/12/2014 13:57
    O PC do B não tem nada de "partido nanico". Está na base do governo federal desde 2003, tem um ministério e, em 2015, terá um governo do estado.

    Em termos práticos, tem muito mais influência que o DEM, por exemplo.


    Esse Márcio é claramente um militante petista versado na desinformação.
  • Forever  24/12/2014 18:32
    Insistem nessa bobajada de "doutrinação" nas escolas que é a maior mentira já repetida no Brasil: fosse assim, os comunistas seriam campeões de votos em todas as eleições, mas o PCB e o PC do B são partidos nanicos.

    Será que é bobagem mesmo? Vamos ver: Uma candidata de um partido de extrema-esquerda foi a ''musa'' dos universitários brasileiros nessas eleições, Luciana Genro conquistou ''só'' 1,6 milhões de votos se consolidando como a quarta força na disputa presidencial. O PCdoB elegeu o seu primeiro governador, Flávio Dino (Maranhão).

    E não para por aí, Luciana já está sinalizando que disputará as eleições de 2018, o Brasil vai passar por uma ''turbulência'' econômica nos próximos anos, eu já vejo o PSOL sendo a ''terceira via'' em 2016.

    E tem mais, está surgindo o Avante, o novo partido de extrema-esquerda brasileira. Adivinhe quem está formando esse novo partido? Universitários, ex-militantes do PSOL, PT, PCdoB e ativistas ligados aos movimentos de defesa dos indígenas, da luta dos garis do Rio de Janeiro, de movimentos culturais, de direitos humanos, entre outros. Esse ''novo'' partido se inspira no ''PODEMOS'' da Espanha que apoia abertamente o bolivarianismo venezuelano.

    Resumindo, esquerdistas brasileiros estão criando outro partido--deixando o barco furado do PT--, pois acham que esses que estão aí hoje são ''moderados demais'', ''fracos'' e que precisam de mais radicalismo. A esquerda radical tende a crescer mais ainda no Brasil, por aqui o terreno é bem fértil exatamente pela doutrinação sistemática na qual os estudantes passam, e que você jura que não existe.
  • anônimo  24/12/2014 19:44
    'Que porra de geração toddynho é essa?'
    Eu também gostaria de saber, parece que esquerdistas e parasitas em geral inventaram essa besteira de toddynho pra supostamente ofender quem não é da turma deles, sendo que eles são os primeiros a falar que hoje pobre também toma toddynho, graças ao deus pai dos pobres lula molusco.

    'Ora, um homem de 20 anos já deve saber muito bem o que quer da vida e ter suas crenças solidamente formadas'
    Talvez seja assim pra vcs, seres com QI de ameba, mas entre a parte pensante do mundo é muito difícil alguém envelhecer, acumular conhecimento, reflexão, e não mudar de opinião quanto a nada.Tanto que se alguém perguntar pra um senhor de sessenta se ele tem a mesma cabeça e visão de mundo que ele tinha aos vinte, no mínimo ele vai se ofender.
  • Lucas alves  23/12/2014 20:17
    AONDE ESTAMOS CHEGANDO ! www.valor.com.br/politica/3833616/vou-abrir-o-capital-da-caixa-mas-processo-demora-adianta-dilma
  • Thiago Pace  23/12/2014 22:46
    Infelizmente, é bem mais fácil acreditar numa pessoa que só usa termos como "Fascista!", "Reacionário!", "Anarcomiguxo!","Coxinha", do que numa pessoa que usa argumentos, sempre mais complicados que termos generalizantes. Não acredito, contudo, que seja somente em nossos tempos em que esse fenômeno esteja presente, mas sempre.
  • Nilton Santos  24/12/2014 00:50
    No meu caso.

    Ter encontrado o "Mises" foi o maior recebimento de certeza sobre muitas coisas, e todas elas sobre o mundo atual. O item que gostaria de ressaltar é a existência tendenciosa e o interesse no raciocínio comum e este texto consegue verbalizar tudo o que minha percepção sempre conseguiu enxergar, verbalizar este sentimento, como havia dito, no meu caso é libertador.


    Muito obrigado!
  • Italiano  24/12/2014 03:58
    Solução da Educação

    Reflexões do futuro ex-secretário de Educação do Estado do Rio de Janeiro, economista Wilson Risolia, sobre uma solução imediata para a educação brasileira, em entrevista a Antonio Gois, de O Globo:

    "A coisa que me angustia como secretário é que eu não conheço o projeto de nação para a educação. Há metas, como as do Plano Nacional de Educação, mas, se você não apontar o caminho, cada um traça o seu. Em nome de uma falsa autonomia, cada um continua fazendo o que quer. Já passamos do momento, por exemplo, de fazer assembleia para discutir se tem que ter currículo minimo ou não. Tem que ter e ponto. A matemática do Rio é a mesma do Acre, de Pernambuco, do Piauí. O português, a física, a química... Já se falava disso há pelo menos quatro anos. O diagnóstico não é novo".

    "Assim como já falávamos que o ensino médio não estava funcionando. Não dá para ter na matriz curricular 12 matérias para serem ensinadas em quatro horas diárias. Mas o que fizeram nesse período? Ainda discutem o que fazer do ensino médio. Tudo é muito lento. Gente que se diz do ramo diz que o currículo mínimo tira liberdade pedagógica, mas eu estou falando do mínimo. Outros dizem que prova externa não serve para nada, pois "já faço a minha prova com meus alunos". Mas quem é o responsável pela política pública? Você, ou o estado? Em nome dessa autonomia, as universidades também formam professores da maneira como acham que deve. E daí os professores chegam despreparados".

    "Não existe nenhum motivo no Brasil para a educação pública ser ruim. Se você tiver vontade política, patrocínio político, coragem, é possível mudar. Não falta dinheiro. Mas, se sou pessimista por um lado, por outro sou otimista. Acho que a situação vai se resolver porque educação virou um problema econômico. Ou o país resolve, ou então não sei o que vai acontecer com as próximas gerações. O país não tem mais tempo para perder discutindo o óbvio".

    www.alertatotal.net/
  • Mariana  24/12/2014 11:37
    O seu artigo é a expressão do que tenho visto e sentido nestes últimos anos.
  • Ernane Oliveira  24/12/2014 11:48
    Parabéns pelo artigo, excelente.
    Eu diria que seria um pequeno ensaio sobre a falência do ensino. Outra situação que gostaria de compartilhar, para evidenciar tal assertiva do artigo, é sobre uma situação. Tenho um pequeno estabelecimento cujo nome fantasia é Drogaria 24 Horas. Então algumas pessoas criticam tal nome pois ele remete ao erro (rsrsrsrsr) Mas como erro, pergunto.......? Porque ele induz a pessoa a vir qualquer hora que será atendido. Então ressalto que: o horário de funcionamento é outra situação e que deve ser verificado ao lado do nome fantasia. Ou seja, pensar/refletir/observar hoje, para alguns milhares, só por obrigação
  • anonimo  25/12/2014 14:29
    De acordo com o filósofo Olavo de Carvalho, o ensino brasileiro segue determinação da ONU: islã, comunismo e os Illuminatis (Nova Ordem Mundial).

    Este tipo de ensino tira a formulação do pensamento e serve para o ensino comportamental.

    Este tipo de educação ensinada no Brasil não serve nem para Cachorro.

    Imbecialização da Educação
  • alcoolico  26/12/2014 01:19
    Até o onde me lembro, nunca vi o Olavo de Carvalho endossando a existência dessa palhaçada de Illuminatis.

    Posto isso, mesmo quem não aprecia o OdC é forçado a reconhecer que a interferência da ONU no ensino brasileiro não tem nada de teoria da conspiração.
  • anônimo  26/12/2014 10:00
    A ONU ter tendência ao 'esquerdismo'(o que quer que isso signifique) não é prova de que a educação brasileira é consequência dela. Esse é mais um exemplo de lógica olavética por essas bandas...
  • carlos alberto  27/12/2014 15:21
    ok; as táticas gramscianas estão no ar há 50 anos;
    E A SOC BRAS. CONTINUA ESMAGADORAMENTE CONSERVADORA!
    resumo das pesquisas ideológicas:
    mais de 2/3 centro-dta;
    menos de 1/3 esqda.

    O q precisa ser explicado:
    - P Q ñ temos um partido q ecoe esta realidade?

    p.s.
    quem presta atenção ou leva a sério "aulas" de geografia e história?
    mais especificamente: quem leva a sério profs de geografia e história?

    abs e sds
    anarcoliberais.

    outro p.s.
    Leandro; o q v lembra ao Virmond (abrasileiramento de palavras como foot-ball) é exatamente o q ele pediu a v...
  • anônimo  29/12/2014 09:57
    Como é que a sociedade é conservadora e as duas posições que praticamente polarizam a política nacional, PT e PSDB, são ambos de esquerda?
  • anônimo  29/12/2014 12:12
    Eu duvido muito dessas pesquisas, a sociedade brasileira que vejo só é uma coisa, autoritária. Quer saber de solução magica rápida e usar a força pra isso.
  • Vander  29/12/2014 14:43
    Esse teu comentário é a prova viva de que pensar está realmente tornando-se algo obsoleto.

    Para começar, que 'pesquisas ideológicas' são essas? Seriam aquelas encomendadas por ONG´s de origem duvidosa, financiadas com dinheiro de governos corruptos e sem moral nenhuma? Seria interessante você citar uma fonte dessas pesquisas, ao menos.

    Segundo: o que tem a ver conservadorismo e esquerdismo em um país como o Brasil? Ambas essas ideologias, aqui no Brasil, sempre se apoiaram no mesmo cajado: o populismo, uma das maiores tragédias que pode-se abater sobre uma nação, corroendo pelas beiradas e no final chupando até os ossos do cadáver que sobra.

    Terceiro: existem muitos que levam 'à sério' professores de geografia e história, mesmo que, ultimamente, estes estejam sempre misturando (e distorcendo) seus ideais políticos com a matéria lecionada, infelizmente. Mas isto não é nenhuma novidade, afinal, mesmo professores deixam de pensar quando encontram uma ideologia para preencher seus egos (e seus bolsos). Idem alguns dos seus alunos, que acabam por encontrar nessas ideologias populistas um ótimo motivo para não fazerem a barba e tomarem banho, assim como enganar (e fazer sexo com...) as garotas gostosas do colégio ou faculdade com historinhas de bravos rebeldes que lutam contra o 'imperialismo', seja lá o que isso signifique.
  • danilo assad  29/12/2014 02:09
    Doutrinação marxista no ensino brasileiro (público e privado) decorre também das ideias de Gramsci.
  • maycon rogers ribeiro alves  30/12/2014 12:32
    Excelente texto, passei por muita coisa dita no texto. Engoli muito sapo,desde a adolescência , para defender minhas ideias, principalmente as que são em relação ao PT. Professores são mal formados também, é um ciclo fechado. Uma coisa engraçada é dizer que você gosta da cultura europeia ou americana, já fui muto criticado ou mesmo atacado por afirmar isso, pelo menos onde vivo, é assim.Concordo também em dizem que sofremos uma doutrinação desde a mais tenra idade.
  • Silvio  30/12/2014 15:07
    Pelo que li dos seus comentários no outro artigo, lamento dizer que, se já não sofre mais a doutrinação esquerdista, certamente você ainda sofre os seus efeitos. Mas não se preocupe, continue por aqui e quem sabe algum dia você se verá livre de todo o lixo que te empurraram goela abaixo a vida inteira.
  • Henri Stella  30/12/2014 19:08
    Perfeito seu texto.
    Um ponto crucial para a melhoria de vida de todos ! Parabéns.
  • Gabriel  31/12/2014 04:32
    Hoje no Brasil parece que as universidades (principalmente as públicas) estão tomadas por esquerdistas lunáticos que não produzem nada e querem apenas usar o dinheiro arrecadado por todos para botarem em prática as suas ideias lunáticas.

    E ai de quem ir contra os seus ideais, pois será considerado opressor, rascista, fascista e deverá ser imediatamente punido.
  • Nilton Santos  01/01/2015 19:26
    Keynes

    Caros, as vezes eu me sinto fora do mundo, vcs extinguem a existência de Keynes. O RAP é Keynes, parte da cultura é Keynes, o governo é keynes, a violência apoia Keynes e a falta de informação sustenta Keynes...

    Espera, é contra isso que o liberalismo luta, busca a interferência minima do governo na economia e principalmente no desenvolvimento.

    Smith será?


    ...
  • Tostão  02/01/2015 02:24
    Como é que é? Você está dizendo que este site ignora Keynes e não fala nada sobre ele? Chegou aqui há quantos minutos?

    Tudo sobre Keynes:

    www.mises.org.br/Subject.aspx?id=33
  • Maninho  07/01/2015 01:32
    Poucos cânceres afligem a humanidade com efeitos devastadores quanto o socialismo, o comunismo e o politicamente correto, o mundo está em avançado estado de putrefação intelectual, e o Brasil aqui, esperando a estréia do BBB... Grande Sowell...
  • Davidson Souza  12/10/2015 20:44
    Só um adendo: a busca por provas contrárias ao Aquecimento Global é aceita sim no mundo acadêmico. O que não é aceito, é o que tentam fazer, conforme você escreveu brilhantemente em seu texto. srsrsr. Pense no que você escreveu e transporte esta ideia para os 'malucos' que são contra o aquecimento global >P


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.