clube   |   doar   |   idiomas
O grande assalto

Vagabundos que não trabalham e nada produzem recorrem ao furto e/ou aos assaltos para sobreviver.

Na maioria dos casos, o assalto é praticado de forma violenta e explícita, abordando-se a pessoa na rua e ameaçando-a com um revólver, uma faca ou qualquer outro objeto cortante.

Há, porém, uma forma mais sofisticada e eficiente de assalto, na qual os vagabundos se agrupam e criam uma quadrilha cuja fachada é tida como respeitável (para os mais ignaros, obviamente).  Os vagabundos trajam terno e gravata, têm aparência normal (embora sejam mentalmente perturbados) e utilizam a tecnologia como arma.

Essa modalidade de assalto é duplamente mais vantajosa que a primeira: a receita auferida é muito maior e a prática é 100% segura, pois é tida como legítima pela maioria das vítimas - resultado de um longo processo de doutrinação realizado pelo braço intelectual dessa quadrilha. 

A quadrilha acostumada a praticar tal modalidade de assalto é sofisticada e goza de plenos e irrestritos poderes de atuação.  E, principalmente, é salvaguardada pela lei - que foi criada por ela própria.

Essa quadrilha sofisticada, muito bem armada e plenamente poderosa está à solta nas principais capitais do Brasil.  Com sede de dinheiro e com o aparato judiciário ao lado dela, você cidadão comum não pode fazer absolutamente nada a não ser acatar as ordens do assalto, obedecer bovinamente e entregar sua propriedade.

Com um meliante de rua você ainda pode negociar.  Caso consiga escapar dele, estará livre.  Já com essa quadrilha, não só você não pode negociar, como também, se tentar escapar, irá em cana - repetindo, o sistema judiciário está do lado dela.

Para informações adicionais sobre o mais novo ataque preparado por essa quadrilha, clique nos links a seguir:

Para quem mora em São Paulo capital

Para quem mora em Belo Horizonte, Salvador, Curitiba, Porto Alegre e no Rio de Janeiro




autor

Leandro Roque
é editor e tradutor do site do Instituto Ludwig von Mises Brasil.

CATEGORIA
  
POST POR DATA
comentários (7)

  • Amâncio  19/11/2009 17:13
    a realidade é cada vez mais sombria
  • Carlos Alexandre  19/11/2009 18:11
    O que mais me choca é que na hora de nos assaltar,todos se unem - aí não tem "direita" nem "esquerda", "liberais" ou conservadores", "progressistas" ou "reacionários"; ainda está prá nascer um dirigente verdadeiramente liberal, e com testosterona suficiente para abdicar do nosso dinheiro em favor de nós mesmos!
  • Filipe Celeti  19/11/2009 18:59
    imensa verdade
  • Helio  19/11/2009 20:48
    Sensacional.
  • Cesar Ramos  20/11/2009 09:48
    "Democracia significava o que a palavra designa literalmente: poder do démos, e não, como hoje, poder dos representantes do démos." (BOBBIO, N. O futuro da democracia: 110)
  • Leandro  20/11/2009 10:44
    Bom, pelo menos no Brasil o poder nunca esteve com o demos, e sim com os escolhidos pelo demos.
  • Pedrfo  21/01/2013 16:07

    Assaltantes comuns, não apenas assaltam abertamente. A máfia, ou mesmo quadrilhas que se apropriam de certos territórios, ATUAM EXATAMENTE COMO O ESTADO, não ameaçam pessoalmente a vitima, apenas COMUNICAM SUAS DECISÕES E ORDENS PARA OCUPANTES DE SEU TERRITÓRIO.
    É assim que a máfia cobra "imposto" ou, muito curiosamente, "taxa de proteção" de comerciantes.
    Traficantes, sobretudo no Rio de Janeiro, COMUNICAM AOS OCUPANTES DE SEU TERRITÓRIO AtÉ MESMO O LUTO EXIGIDO POR INTEGRANTE DE SUA QUADRILHA, EXIGINDO FECHAMENTO DAS LOJAS.
    As NOVAS QUADRILHAS ATUALMENTE CHAMADAS de MILICIAS (não mais milicias para o combate a bandidos, mas sim atualmente meros grupos mafiosos sem compromisso no combate a bandidos) TAMBÉM NÃO AMEAÇAM PESSOALMENTE SUAS VITIMAS. Todos sabem que desobedecer implica em castigo ou penalidade e RECONHECENDO A TOTAL INCAPACIDADE DE ENFRENTAR QUADRILHAS TÃO ORGANIZADAS E PODEROSAS, SIMPLESMENTE SE CURVAM E ACEITAM A EXTORSÃO E AS ORDENS (OU LEIS) DELIBERADAS PELO COMANDO DAS QUADRILHAS OU MÁFIA.

    OU SEJA, A DIFERNÇA ENTRE ESTADO E UMA QUADRILHA (bandidos = integrantes de um bando) É NENHUMA. O Estado difere do vagabundo autonomo, MAS É ABSOLUTAMENTE IDÊNTICO A QUALQUER QUADRILHA OU MÁFIA ORGANIZADA PARA EXPLORAR POPULAÇÕES.

    Se algumas quadrilhas em vez de se confrontarem pelo dominio de uma região (ou morro/comunidade - RJ) estabelecessem uma disputa pacífica através de uma eleição para que a população da favela escolhesse quem a dominaria e exploraria, EM NADA MUDARIA O BANDITISMO QUE AS CARACTERIZA. Apenas a comunidade poderia escolher, POR EXEMPLO, SE SERIA DOMINADA PELO COMANDO VERMELHO (cv), TERCEIRO COMANDO, AMIGO DOS AMIGOS (ADA) ou qualquer uma destas neo-milicias (que não combatem bandidos).

    Não há ABSOLUTAMENTE qualquer diferença entre o Estado e uma quadrilha de assaltantes.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.

Curso Online: Economia para não economistas

Por Equipe IMB - 05/09/2019

A organização do roubo

Por Helio Beltrão - 29/08/2019

/ palavra do presidente

Trump, o câmbio e a volta da guerra fria

Por Helio Beltrão - 24/08/2019

Cavalgaduras keynesianas

Por Helio Beltrão - 21/08/2019