clube   |   doar   |   idiomas
O capitalismo e a filantropia - e o intervencionismo estatal injustificável
Musk não é um filantropo apesar de ser um capitalista; ele é um filantropo por ser um capitalista

Filantropia é o amor pelo gênero humano. Filantropia é lutar pacificamente para transformar a sociedade em um lugar melhor para se viver.

São muitos aqueles que, incorretamente, acreditam que esse amor ao gênero humano é incompatível com o capitalismo: de acordo com essa visão de mundo, o interesse pessoal sempre estará em desacordo com o bem comum, de modo que é impossível uma pessoa levar em consideração o bem comum se ela estiver pensando apenas em seu benefício empresarial.

E há pessoas que vão mais além e dizem que, não apenas filantropia e capitalismo são âmbitos completamente separados, como também são inimigos irreconciliáveis. Economistas como Christian Felber [Nota do IMB: uma estrela internacional que quer criar uma economia voltada para o bem comum, e quer a abolição dos lucros] defendem a necessidade de "reprogramar" o capitalismo para que os empresários deixem de buscar a maximização dos benefícios monetários e passem a perseguir uma "concepção de bem comum verdadeiramente enriquecedora".

A esse respeito, é comum responder dizendo que muitos capitalistas são acima de tudo pessoas de carne e osso como nós, também preocupados com o bem-estar de seus semelhantes, o que pode ser percebido quando direcionam uma parte de seus lucros para a ajuda dos menos favorecidos: esse seria o caso de Bill Gates, que, por meio da Fundação Gates, já destinou 28 bilhões de dólares a atividades caritativas; ou de Warren Buffett, que se comprometeu a entregar 99% de sua fortuna (aproximadamente 73 bilhões de dólares) à filantropia (em grande parte à própria Fundação Gates).

Em minha terra natal, a Espanha, a Fundación Amancio Ortega também destina anualmente dezenas de milhões de euros a diversos projetos educativos e caritativos. 

Em todos esses casos, fala-se da "filantropia de capitalistas" (filantropia paga e protagonizada por grandes capitalistas).

No entanto, a filantropia dentro do capitalismo não se limita a como os capitalistas reinvestem socialmente a riqueza que acumularam por meios não-filantrópicos, mas também a como eles geraram suas riquezas por meio de seus empreendimentos.

Os capitalistas, quando tentam maximizar seus lucros, podem fazê-lo por meio de um projeto empreendedorial que atenderá ao bem comum de maneira muito mais efetiva do que qualquer iniciativa puramente filantrópica.

Por exemplo, é evidente que a principal contribuição de Thomas Edison para o gênero humano foram suas invenções, especialmente a lâmpada elétrica, e que nenhuma obra filantrópica que eventualmente realizasse em toda a sua vida poderia sobrepujar o impacto desta inovação empreendedorial. 

Igualmente, é um tanto óbvio que Henry Ford não teria legado à humanidade maiores benefícios caso houvesse se dedicado integralmente à assistência social em vez de inventar o automóvel para as massas.

Do âmbito empresarial, portanto, também é possível promover o bem comum por meio do desenvolvimento de produtos, tecnologias e inovações que melhorem de maneira definitiva o padrão de vida de bilhões de pessoas. Nesse caso, estaríamos falando não da filantropia de capitalistas, mas sim de um capitalismo de filantropos: ou seja, um capitalismo protagonizado por filantropos visionários, por grandes criadores de valor que não apenas se preocupam em enriquecer pessoalmente (objetivo de todos nós), mas também, e acima de tudo, em ampliar os horizontes da humanidade.

Um dos capitalistas filantropos mais notáveis destas duas décadas do século XXI é, sem dúvida nenhuma, Elon Musk. Seria difícil explicar os interesses empresariais de Musk sem antes levarmos em conta sua preocupação com o bem-estar da humanidade: o desenvolvimento de carros elétricos não-poluentes pela Tesla Motors, a criação da Neuralink, voltada ao tratamento de doenças cerebrais graves, a ambição aeroespacial da SpaceX de chegar a Marte, o desenvolvimento da Starlink, para oferecer internet por satélite a todo o planeta (e que foi crucial para manter a internet funcionando na Ucrânia após a invasão russa), e o barateamento e consequente popularização de painéis solares da SolarCity são projetos visionários que, como dito, dificilmente podem ser compreendidos se ignorarmos uma vocação profundamente filantrópica que complementa a legítima busca pelo lucro de Musk.

E quem fez tal reconhecimento foi ninguém menos que o co-fundador da Google, Larry Page, que, ainda em meados de 2014, afirmou que caso morresse repentinamente preferiria doar toda a sua fortuna para capitalistas com ânsia de melhorar a humanidade, como Elon Musk, do que para instituições de caridade. 

Segundo Page, Musk possui ideias empreendedoriais revolucionárias não para sua conta bancária, mas para o gênero humano: "Isso é uma empresa e também uma filantropia", disse Page.

Com efeito, Musk tenta transformar o mundo em um lugar melhor para ser habitado. Se é válido dizer que muitas pessoas amam a humanidade e demonstram esse amor por ela colaborando com ONGs ou prestando serviços voluntários à sua comunidade, então também é válido dizer que Musk ama a humanidade e direciona esse amor a ela utilizando suas empresas e seus investimentos. 

Musk não é um filantropo apesar de ser um capitalista; ele é um filantropo por ser um capitalista.

Durante muito tempo, o estado sempre quis monopolizar as ideias e as práticas de "bem comum" e de "interesse coletivo". Se somente os estados poderiam se preocupar com o bem-estar de todas as pessoas — não obstante suas recorrentes guerras, suas anti-humanitárias barreiras à migração, sua destruição do poder de compra da moeda, seu sistemático controle bovino da população, ou sua captura e aparelhamento por grupos de interesse e lobistas —, então a onipresente coerção que tais estados infligem sobre os cidadãos estaria justificada: qualquer oposição aos desmandos do estado seria motivada puramente por interesses egoístas, sectários e anti-sociais.  

No entanto, tão logo nos damos conta de que todos, inclusive os capitalistas, podem almejar o bem comum de uma sociedade atuando desde os mais variados e heterogêneos âmbitos de sua rotina diária, então o intervencionismo estatal deixa de ser justificável.

Não há motivos por que políticos e burocratas devem controlar a vida das pessoas e deter o monopólio do "bem comum". A maior ajuda que eles podem oferecer à humanidade é abolindo barreiras burocráticas e tributárias que impedem que cada indivíduo realize neste mundo sua particular concepção de bem comum.


autor

Juan Ramón Rallo
é diretor do Instituto Juan de Mariana e professor associado de economia aplicada na Universidad Rey Juan Carlos, em Madri.  É o autor do livro Los Errores de la Vieja Economía.


  • Igor  12/04/2022 17:54
    "Economistas como Christian Felber [uma estrela internacional que quer criar uma economia voltada para o bem comum, e quer a abolição dos lucros] defendem a necessidade de "reprogramar" o capitalismo para que os empresários deixem de buscar a maximização dos benefícios monetários e passem a perseguir uma "concepção de bem comum verdadeiramente enriquecedora".
    ----------------------------------
    São coisas como essa que me desanimam a continuar no curso de humanas, Publicidade e Propaganda. Volta e meia eles estão falando sobre o bem comum, como o egoísmo é mal, etc.

    Sinceramente, acho que vou fazer Engenharia.
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  12/04/2022 18:15
    "Bem comum", "formação do aluno enquanto cidadão", "políticas sociais", entre tantos outros refrões genéricos cantados por aí que só servem pra animar auditório. Logo estaremos nas eleições e esses termos serão continuamente propagados pelos demagogos e quase nenhum deles dará qualquer substância a esses termos. Como alcançar o "bem comum"? Quem pode definir isso precisamente? O que é formar um "aluno enquanto cidadão"? No máximo, darão respostas ainda mais genéricas e nada específicas pra essas perguntas vagas e sem sentido.
  • André  12/04/2022 17:56
    Lembram de quando a Espanha estatizou o sol, ou seja, proibiu as pessoas de usarem a energia solar caso não tivessem autorização do governo?

    www.portal-energia.com/espanha-privatiza-sol-proibe-gerar-energia-para-auto-consumo/

    E o pior é que teve gente maluca dizendo que isso era a "privatização do sol"!

    E depois querem dizer que é o estado que promove o bem comum. Ele impede o bem comum, isso sim.
  • Guilherme  12/04/2022 18:16
    Lá na Espanha, a vida imitou a arte.

    A petição dos fabricantes de velas
  • Juliano  12/04/2022 17:58
    Agora, a pergunta que realmente interessa: Musk vai liberar a liberdade de expressão no Twitter?

    Isso sim seria um gesto verdadeiramente humanitário.

    Todo o resto é secundário.
  • Carlos Brodowski   12/04/2022 19:13
    Just give him some time...
  • João  12/04/2022 19:23
    Pra mim, essa aquisição dele do Twitter é misteriosa. Musk possui um histórico de perseguir visões empreendedoriais tidas como impossíveis. Falando mais diretamente, ele gosta de nos levar para onde nunca estivemos e explorar coisas nunca antes tentadas.

    Sendo assim, por que o Twitter? Já é uma empresa estabelecida e já possui um valor de mercado alto. Não tem muito como crescer. Nem sequer pode-se dizer que ele é o futuro das mídias sociais — e isso supondo que as mídias sociais são o futuro da comunicação.

    Em vez de investir naquilo que já está estabelecido, seria de se esperar que Musk fosse inventar algo totalmente novo.

    Esta foi a minha surpresa.
  • rraphael  12/04/2022 19:50
    "Já é uma empresa estabelecida e já possui um valor de mercado alto."

    aquisiçoes podem ser feitas pra se ter desde a carteira de clientes ate controlar os processos industriais , licenciamentos , enfim

    uma empresa como o twitter tem dados coletados durante anos e anos de funcionamento, algoritmos e IAs de reconhecimento

    as pessoas subestiam bastante plataformas como redes sociais, porque nao veem o tanto de coisa que acontece por tras das cortinas, acham que é apenas um site qualquer pra passar o tempo quando na verdade aquilo la guarda todas as suas preferencias, atividades, contatos . tem todo tipo de informaçao sensivel que pode ser usada em projetos de engenharia social

    pra voce ter ideia o facebook sabe ate quando as meninas menstruam , deu um rolo enorme quando vazou pro publico

    www.indiatimes.com/technology/news/facebook-knows-menstrual-data-of-millions-of-women-thanks-to-period-tracking-apps-375546.html

    milhoes de usuarios nao tem consciencia do que colocam na internet e o quanto isso tudo pode ser valioso
  • João  12/04/2022 20:21
    Não discordo, mas mantenho meu ponto: este não é e nem nunca foi o perfil empreendedorial de Musk. Ele sempre esteve em busca do novo e do impossível, e não de coisas já estabelecidas. Tampouco o visualizado tendo como grande ambição coletar dados de adolescentes.
  • Ronald ''Ronnie'' McCrea  12/04/2022 21:42
    Eu não sabia dessa pois não tenho nada de redes sociais. Mas, é só perguntar. O que não guardaram nesse banco de dados aí usando as redes sociais como um mero sifão sugador de informações?
  • Humberto  12/04/2022 19:33
    Talvez este seja exatamente o ponto. É possível que, com o Twitter, Musk esteja imaginando algo que não tem nada a ver com o presente, e muito pouco a ver com como vemos o Twitter hoje ou como queríamos que ele fosse.

    Torçamos.

    Como você perfeitamente disse, Musk está voltado para grandes saltos que melhoram a vida imensamente, e não com melhorias daquilo que já existe e já está estabelecido.
  • Vladimir  12/04/2022 19:42
    Musk, na verdade, deu uma lição aos conservadores que ficavam chorando e de mimimi, implorando para que algum governo interviesse no Twitter e decretasse que a empresa tinha a obrigação de aceitar todos os tipos de publicação.

    Estava ridículo conservadores recorrendo a este vitimismo e coitadismo. "Ai, o Twitter me censurou!". Na prática, eles estavam praticamente pedindo uma "ação afirmativa". Queriam se intrometer no direito de propriedade da empresa.

    Aí o Musk foi lá e mostrou como se faz: utilizou o próprio dinheiro, adquiriu uma fatia da empresa e agora irá dar as cartas.

    É exatamente assim que se faz. Que lição.

    Se você quer algo, coloque a sua riqueza em jogo para fazer a mudança, em vez de sair implorando para políticos confiscarem a propriedade alheia.
  • Trader  12/04/2022 19:49
    Se tem uma coisa que aprendi de maneira dolorosa é: jamais aposte contra Musk.

    Fui inventar de ficar short em Tesla, achando que a empresa estava em bolha, e levei um fumo homérico.

    Se Musk resolve apostar em algo, sugiro fortemente não ir contra, por mais insensato que esse algo possa parecer.
  • Ronald ''Ronnie'' McCrea  12/04/2022 21:40
    Ah sim. O mesmo cara que mandou implantar chips em 23 chimpanzés, e morreram 15. Que maravilha. Ele já deveria ser denunciado pela sociedade protetora dos animais só por isso, maus tratos a animais. E por quê até agora ninguém processou aquele charlatão do atila iamarino e outros que enganaram tanta gente? hein? falta de culhão? Essa inércia assusta! Fala sério. Esse Musk é um enganador! Ele quer implantar chips querendo ''evoluir'' a humanidade, mas não quer arriscar os da sua própria pele. Assim como esses oligarcas que querem colocar essa agenda goela abaixo de todos, menos nos da sua própria carne. Que maravilha né?
  • Daniel  12/04/2022 22:07
    "Ele já deveria ser denunciado pela sociedade protetora dos animais só por isso, maus tratos a animais"

    Diz que é piada, vai? Por favor, restaure essa minha esperança no brasileiro médio…
  • Samor  12/04/2022 22:08
    Você está se referindo a isso aqui?

    abc7chicago.com/elon-musk-neuralink-monkeys-brain-chip-monkey-death/11581014/

    Sim, é totalmente normal, ao se fazer experimentos, utilizar cobaias. Você vai cair de costas, mas é exatamente por fazerem experimentos com animais, que vários medicamentos e vacinas foram desenvolvidos e aprovados.

    No caso do Musk, os chips foram implantados em chimpanzés exatamente para testar as reações e ver as possibilidades de se permitir atividades cerebrais em pessoas com paralisia cerebral.

    Por mim, se o objetivo é este, que se usem macacos à vontade. A natureza está aí para nos servir. Ela serve ao homem, e não o contrário.

    De resto, o ápice da ironia é um brasileirinho funcionário público dizer que Musk não é empreendedor. O nível do ridículo só não é maior do que o nível do escárnio.
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  13/04/2022 12:42
  • Trader  13/04/2022 13:24
    Mas isso é uma ótima notícia. Se ele estivesse no Conselho, ele não poderia fazer nada. Em não estando no Conselho, e sendo majoritário, ele pode iniciar uma hostile takeover e mudar a direção da empresa como ele quiser.

    Sua própria reportagem afirma isso:

    While Musk has been one of Twitter's loudest critics, the sudden withdrawal from the board, which became official Saturday, could signal that relations between Musk and Twitter will become more acrimonious.

    Spatt said that Musk, as the largest shareholder, could potentially "swing back hard" at Twitter executives and board members and force the company to move in a new direction.

    "At some point he could throw the directors out, he could replace the board," Spatt said. "He could probably launch that with his current 9% stake and potentially be very successful."


    In a letter to employees announcing Musk's departure, Agrawal wrote that, "There will be distractions ahead, but our goals and priorities remain unchanged."
  • Leandro  13/04/2022 13:35
    Correto. Se ele aceitasse fazer parte do conselho, ele não poderia deter mais do que 14,9% da empresa. Ao não fazer parte do Conselho, ele fica livre para seguir comprando o tanto de ações que quiser. Ele pode até se juntar a uma empresa de private equity para conseguir isso.

    E aí, sendo majoritário, ele direciona a empresa para o rumo que quiser.

    O Twitter ter oferecido a ele um assento no Conselho tinha exatamente o objetivo de impedi-lo de assumir o controle da empresa.
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  13/04/2022 19:00
    Bom ponto Trader. Mas será que vira ficar contra esse pessoal aqui?

    www.investopedia.com/articles/insights/060916/top-3-twitter-shareholders-twtr.asp
  • Artista Estatizado  13/04/2022 16:15
    Que diferença faz? Sabemos exatamente o que acontecerá se o Twitter deixar de censurar opiniões não alinhadas à esquerda: será destruído pelo partido democrata e seus aliados. O mesmo que vem acontecendo com o Telegram e similares.
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  13/04/2022 18:46
    "Sabemos exatamente o que acontecerá se o Twitter deixar de censurar opiniões não alinhadas à esquerda: será destruído pelo partido democrata e seus aliados. "

    Arrisco dizer que será esse o fim do Twitter caso o Musk aumente sua cota da empresa e tente virar sua direção. A ferramenta canceladora-mor sendo cancelada pelos seus próprios usuários.
  • Trader  14/04/2022 13:03
    Atualização: Musk ofereceu comprar todas as ações do Twitter (a um preço acima do de mercado) e fechar o capital da empresa. Será difícil os acionistas recusarem.

    Hostile takeover raiz.

    Agora Musk poderá fazer absolutamente o que quiser com a plataforma. A esquerda está em prantos.
  • Juliana  14/04/2022 13:43
    Então teremos um Twesla?

    Eu sei, eu sei... Mas foi o que deu.
  • Guilherme  14/04/2022 13:50
    The Battle of the Century: Here's What Happens if Elon Musk Buys Twitter

    www.revolver.news/2022/04/elon-musk-buy-twitter-free-speech-tech-censorship-american-regime-war/

    In short, transforming Twitter back into a real free speech platform would represent nothing less than a declaration of war against the Globalist American Empire.
  • Alisson Henrique Alves Souza  12/04/2022 18:21
    Mas sem o Estado, quem iria construir as estradas?
  • Minsk  12/04/2022 18:32
    Em 2016, na Bielorrússia, empreendedores que operam no mercado negro — chamados pelo governo de "contrabandistas" pelo simples fato de transportarem frutas (sim, frutas) sem pagar taxas e tributos e, assim, alimentarem consumidores desejosos — atribuíram a si mesmos a tarefa de aprimorar suas rotas de transporte.

    Como a estrada estatal que utilizavam — de Minsk a Moscou — era de cascalho e apresentava péssimas condições de rodagem, encarecendo o preço final de seus produtos, eles arregaçaram as mangas e foram às obras: pavimentaram a estrada, alargaram, e acrescentaram vários entroncamentos e pontos de retorno para aumentar e melhorar o acesso de seus caminhões pesados (frutas pesam muito).

    Esse projeto, inicialmente secreto, foi rapidamente recompensado com um acentuado aumento no volume de tráfego.

    Depois que tudo estava pronto, o governo não só encampou e retomou o controle da estrada até então abandonada, como ainda colocou uma barreira alfandegária no local.

    A questão é: se operadores do mercado negro podem exitosamente construir uma estrada clandestinamente, imagine então o que empreendedores "legítimos" seriam capazes de construir abertamente?

    www.mises.org.br/article/2735/o-basico-que-voce-precisa-saber-sobre-o-governo-em-duas-historias
  • Ex-microempresario  17/05/2022 19:47
    Notícia de hoje: a prefeitura de Curitiba fechou a única ponte que liga uma parte do bairro Alto Boqueirão ao centro da cidade. Quem quer ir para o centro precisa ir em sentido contrário até outro bairro e de lá "contornar" o Alto Boqueirão. O percurso aumenta uns 3~4 quilômetros.

    Cronograma do negócio:
    - um engenheiro da prefeitura foi lá e declarou que a ponte ameaça cair.
    - como a prefeitura não confia nos seus próprios engenheiros, foi aberta uma licitação para contratar uma empresa para elaborar um parecer sobre a ponte.
    - no momento, a empresa que venceu a licitação está concluindo os estudos sobre a ponte.
    - quando o estudo ficar pronto, a prefeitura o usará como base para fazer outra licitação para contratar outra empresa para executar as obras necessárias.
    - após os procedimentos burocráticos, esta outra empresa consertará a ponte, SE não houver alguma disputa judicial, SE a prefeitura pagar, SE não for constatado que o parecer da primeira empresa está errado, SE não acontecer algo que altere a situação da ponte e obrigue a recomeçar todo o processo.

    A prefeitura disse que a previsão é que a ponte fique fechada por seis meses. Se alguém topar, eu estou apostando um guaraná e uma paçoquinha que vai levar pelo menos um ano.
  • Lopez  12/04/2022 18:21
    O capitalismo é a mais nobre forma de filantropia, pois ele ensina à pessoa que, tendo pescado ou não, ela deve fazer por merecer o peixe que come.
  • Maísa  12/04/2022 18:58
    Sim, empreender concorre para a evolução da humanidade, sem dúvidas. Há exemplos na medicina, informática, energia etc... Como estas fundações distribuem voluntariamente a riqueza dentro da sociedade, e de forma a beneficiar terceiros muito mais do que simplesmente redistribuindo dinheiro (cujo efeito é de curto prazo), este é o tipo de filantropia que tem de ser defendido.
  • Guilherme  12/04/2022 19:15
    Os filantropos-capitalistas dão um imenso-mega-hiper tapa na cara dos "sonhadores e incorruptíveis esquerdistas" (incluindo aqui os ambientalistas, os engenheiros sociais, os Robin Hoods e demais progressistas e radicais-comunistas/socialistas), que, obviamente, "são os mais sábios e aptos" a tonar um mundo um lugar melhor, mesmo não sabendo como o mundo funciona...

    Caras como os empreendedores citados no texto são exemplos a serem seguidos. Não precisaram matar os que lhes olharam torto, ou os que não compartilham a mesma visão de mundo (ideologia ou princípios), não ficaram chorando e reclamando de injustiça, não ficaram outorgando os peitos da máquina estatal para poderem mamar. Enfim, foram, e são, pessoas que conhecem seus limites, sabendo que não precisa trocar o sistema econômico para que o mundo esteja condicionado a receber mudanças positivas.
  • Senhor T  12/04/2022 19:25
    Há um erro no seu comentário. Robin Hood não roubava exatamente dos ricos para dar aos pobres. Ele "roubava" o dinheiro proveniente dos impostos abusivos e os devolvia ao povo que fora roubado (aí sim sem aspas) pelas autoridades locais, em especial pelo xerife de Nottingham e sua turma. E, até onde sei, Robin Hood passou a fazer isso só porque o rei João MST despirocou e mandou os cobradores de impostos tacarem o pau nesse carrinho, gerando um clima de revolta geral.

    Enfim, Robin Hood seria muito mais um herói libertário como Ragnar Danneskjöld do que um Che Guevara da Idade Média.
  • Ulysses  12/04/2022 19:34
    Sim. Robin Hood roubava da nobreza (governo) para dar aos pobres.

    Hoje, erroneamente, falam apenas que ele roubava dos ricos", como se não houvesse diferença entre um burguês e um nobre.
  • Amigo do Ancapistão  13/04/2022 13:06
    Um nobre era um parasita sustentado pelos impostos (rram parceiros dos reis na cobrança de impostos em seus domínios, cada "feudo" tinha um cobrador de impostos, um nobre FDP).

    Já um burguês era um cidadão das cidades medievais que lutava no dia a dia para sustentar suas famílias e sonegar impostos (quem em sã consciência quer sustentar uma corte de parasitas?).

    E uma das inovações criadas por eles foi o capitalismo. Depois das cruzadas (inventada pelo clero e pelos nobres parasitas de olho nas riquezas do Oriente), muitos burgueses viraram comerciantes trazendo produtos do Oriente e levando produtos do Ocidente para o Oriente. Enriqueceram com o suor do seu rosto (como manda Deus no livro de Gênesis) e para 8 séculos depois vir um barbudo p...louca falar que eles eram exploradores. E aí hoje em dia ainda tem adeptos dessa doutrina equivocada (para dizer o mínimo).

    Capitalistas são tão produtivos quanto os trabalhadores contratados por eles. Se o trabalhador estiver descontente com as condições de trabalho e salário oferecido, que faça igual os capitalistas ao longo da história: junte dinheiro, faça poupança e monte sua própria empresa, sejam inovadores (Elon Musk é um exemplo de capitalista inovador, refutem isto se forem capazes) ou montem suas próprias cooperativa ou então virem autônomos (igual os artesãos medievais eram).

    Agora, ficar condenando os capitalistas chamando-os de parasitas é uma ofensa desnecessária, arregacem as mangas e corram atrás do lucro, garanto que não irão se arrepender. Socialismo é belo no papel, mas um desastre na prática (só enriquece a elite do partido que está no poder). Pensem nisto com carinho.
  • Uma pessoa  15/04/2022 11:57
    Tambem penso o mesmo de Elon Musk. Apesar de ele defender ideias esquerdistas,acredito que no fundo ele faz isso para o negocio dele sobreviver aos lixos estatista burocratico. Ate porque se ele nao tivesse contatos com os estatistas ele nao conseguiria fazer nada pois o estado nao deixa. Na real mesmo o funcionalismo publico é a pior parte do estado,pessoas que fazem confusao,lutam guerras para se manter as custas dos outros. Por isso sou a favor de desprezo continuo a funcionarios publicos e a desmoralizaçao em massa.
  • Lourival  12/04/2022 19:16
    EU faria o mesmo que Larry Page, doaria para uma empresa que tivesse ideias empreendedores para ajudar o mundo e não para uma instituição filantrópica.
  • Ametista  12/04/2022 19:17
    Precisa e bastante ousada a percepção do autor (ainda que não tenha sido ele quem começou com a "insinuação"). Eu até costumo afirmar que qualquer pessoa que seja egoísta, que queira trazer algo de novo, se destacar entre os outros e aumentar os seus lucros já está, por si só, fazendo um grande favor à humanidade. Isso não sendo o suficiente para muitas pessoas, elas ainda manifestam o desejo de uma vida e um mundo melhor para todos - ou seja, sua filantropia - destinando parte de seus próprios recursos para fins humanitários.

    Agora, enxergar essa filantropia em grande parte expressa na própria busca capitalista - tendo por exemplo a do Elon Musk, que está aparentemente distante das aflições mais urgentes da humanidade (quase literalmente, inclusive levando a utilidade do talento empreendedor para ser aplicado em missões que estão além da atmosfera) - é algo que eu ainda não tinha tido a petulância de pensar. O que em muitos casos é a mais pura verdade, pois trabalhar e se projetar somente visando obter o máximo de lucro possível não é o suficiente para se alcançar um sucesso sustentável. É necessário principalmente o genuíno interesse em solucionar problemas, inovar e fazer a diferença com o intuito de melhorar a vida das pessoas. E isso não isto não pode ser visto como sendo diferente de ser um amor à humanidade.

    Gostei imensamente do artigo. E ainda mais por causa do detalhe muito atrativo da imagem (com atenção especial para a frase que, pelo que eu entendi, expressa filantropia pura).

    Grande abraço!
  • Diogo  12/04/2022 19:27
    "É verdade que no livre mercado há mais oportunidade para aquele que pretende enriquecer, mas nele o filósofo também tem mais oportunidade de aprender e o artista tem mais oportunidade de se expressar. E é por meio do livre mercado que o filantropo, a pessoa que deseja ajudar o próximo, dispõe de mais recursos para fazer assistência social, e, através do sistema de preços livres, pode utilizar seus recursos de forma mais eficiente."

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1578
  • Madson  12/04/2022 19:46
    Uma pena que Nikola Tesla, inventor da energia alternada, não obteve tanto sucesso empresarial quanto Edison, e, muito menos, teve seu reconhecimento e a sua contribuição (filantrópica) para a sociedade com suas invenções, que estavam muito a frente do seu tempo.
  • Crazyson  12/04/2022 20:18
    "Let the future tell the truth, and evaluate each one according to his work and accomplishments. The present is theirs; the future, for which I have really worked, is mine"
  • Jovem estudante  12/04/2022 22:51
    Me expliquem uma coisa: Quando o governo da um vale-gás, vale absorvente, o minha casa minha vida ou qualquer outro tipo de coisa que o governo estimula uma demanda, faz com que os preços deste produto ou serviço subsidiado suba consideravelmente. Certo? Pois é, mas onde há demanda, há oferta. Se há mais demanda do que oferta, o preço sobe e depois consequentemente haveria mais oferta, como manda a lei do sistema de preços, maior preço, maior lucro > informação e incentivo para oferta produzir mais. Bom isso vocês já sabem.

    O que eu quero saber é se o preço cai no longo prazo, se não cai, porque não? Pela explicação acima, o aumento da demanda causa no futuro aumento de oferta e com isso os preços voltam a cair. EM UM LIVRE SISTEMA DE PREÇOS.

    E vocês não acham esse sistema de vales e ''da o dinheiro'' menos nocivo do que o estado criar estatal de gás, comida e etc?

  • Professor  12/04/2022 23:03
    Sim, é bem menos nocivo. Mas, em se tratando de setores regulados pelo governo, aumento da demanda não irá se traduzir em aumento da oferta, pois não há livre entrada de produtores e nem zeragem das tarifas de importação.
  • Felipe  13/04/2022 00:20
    Vendo isso do Elon Musk, compare com a Lamborghini que processou um cara só porque ele fez uma réplica de Lamborghini reformando carros simples das pessoas.

    Claro, o Musk teve subsídios do governo californiano (e os carros da Tesla não são confiáveis), mas de todo modo, veja a comparação.

    O Bill Gates inegavelmente contribuiu para a humanidade com a Microsoft, embora hoje em dia ele apoie abertamente políticas estatistas (quase todos os bilionários são assim). Não sei se é verdade, mas ele financiou vacinas que causaram paralisia nas crianças na Índia.
  • AMAURI JOSÉ JUNQUEIRA  14/04/2022 22:38
    Não acredito que Musk está interesado em fazer algo melhor para a humanidade, talvez q melhoraseja consequência de alguns projetos, desde que sejam acessiveis a todos, como acabou acontecendo com a intrenet (ou para quase todos), o celular, etc. mas não do objetivo principal.
  • luiz antonio borges  15/04/2022 14:57
    E o velho socialismo requentado. É destruir um dos fundamentos do capitalismo, a busca do lucro.
  • Intruso  20/04/2022 00:06
    Estado: seja filantropo, mas pague os impostos.
  • Generico  26/05/2022 21:59
    Essa conversa de "sem estado" é bem utópica. Se toda empresa precisa de hierarquia e organização, por que a sociedade em si deveria ser uma selva, sem regras, na base da liberdade de competição? Pra manter evidente a lei do mais forte? Até em um condomínio sabemos que o caos se instala bem rápido sem gerência e regras bem definidas em assembleia. O formato democrático é uma evolução da humanidade, não um entrave. Já deveríamos ter superado o conceito de "a lagoa é de quem pegar primeiro pra controla-la", não?
  • anônimo  27/05/2022 00:20
    Já começou bem, sério que você considera que uma sociedade sem um grupo dominante, espoliador e protecionista automaticamente a transformaria em uma "selva"? Isso é um pulo de lógica mal explicado, e eu gostaria de saber como essa mágica ocorreria diretamente de sua boca.

    Você parece estar confundido anarquismo de livre-mercado com o anarquismo de esquerda, que nada mais prega que os trabalhadores devem derrubar o Estado e espoliar os capitalistas. Nós não defendemos isso, defendemos isso sim, a retirada do Estado de dentro da econômia. Quanto menos intervenção, melhor, pois qualquer intervenção do Estado significa que alguma ação está sendo tomada para beneficiar alguns e roubar de outros. Não existe almoço grátis.

    Agora, eu gostaria isso sim, de ouvir como o Estado beneficia a sociedade, já vivemos em uma sociedade aonde o cidadão não pode se defender, e depende da polícia, que quase sempre está ausente, para protegê-la, e de um sistema judiciário ineficiente e que serve somente ao Estado, para julgar os "criminosos".

    Anarcocapitalismo prega a ética e a moral acima de tudo, e você pelo jeito aínda não conhecê muito sobre essa filosofia, e muito menos sobre a escola austríaca, logo recomendo ler os artigos desse site.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.