clube   |   doar   |   idiomas
sexta-feira, 13 dez 2013
102º Podcast Mises Brasil - Domingos Crosseti Branda

logo_baixa.jpgPODCAST 102 – DOMINGOS CROSSETI BRANDA

 

O ano de 2013 tem sido memorável para os estudiosos da Escola Austríaca no Brasil. Além dos eventos, palestras, cursos, debates, publicação de livros, elaboração de trabalhos acadêmicos, criação e desenvolvimento de organizações ligadas direta ou indiretamente ao pensamento Austríaco, tivemos o lançamento da revista acadêmica MISES e a abertura da cadeira de Escola Austríaca na Universidade Federal do Ceará graças ao trabalho valioso realizado pelos componentes do Instituto Liberal do Nordeste e do Grupo de Estudos Dragão do Mar.

 

A outra excelente notícia é a abertura de uma disciplina de Escola Austríaca no Centro Universitário Franciscano por iniciativa do professor e investidor autônomo Domingos Crosseti Branda, já entrevistado neste podcast. Docente na instituição de ensino superior localizada na cidade de Santa Maria (RS), que sedia a Universidade Federal onde se formaram vários estudiosos do pensamento Austríaco, como ele próprio e a Mariana Piaia Abreu, Domingos conta neste podcast como ocorreu o processo de criação e apresentação da ideia da disciplina à coordenadora do curso de economia, que aceitou a proposta por considerar que os alunos devem conhecer as ideias de economistas de diferentes escolas de pensamento.

 

“Mas antes mesmo de apresentar o programa da disciplina à coordenação do curso de economia, eu o submeti à apreciação do professor Ubiratan Iorio, que me deu total apoio. O programa consiste basicamente nos princípios de Economia Austríaca nos mesmos moldes das aulas que assisti em Madri e foram lecionadas pelo professor Jesús Huerta de Soto”, disse Domingos, que é Mestre em Economia da Escola Austríaca pela Universidad Rey Juan Carlos e já abordava pontos específicos do pensamento Austríaco nas suas aulas para o curso de administração. Domingos também opinou sobre de que forma a revista acadêmica MISES colabora e potencializa o desenvolvimento acadêmico da Escola Austríaca no Brasil.





  • Leandro Rodrigues  23/12/2013 09:44
    Excelente entrevista.

    Estou de acordo com muitos pontos.

    Acredito que há muitas pessoas que ainda que acreditam que Bitcoin seja um forte candidato a ser uma moeda no futuro mas, pelo fato da instabilidade no preço temos dúvidas em entrar no mercado. Ainda nesse momento, por não ter suficiente opções na hora de comprar com bitcoin, pois não há um incentivo para ter-las. já que para a compra do dia a dia na internet é mais fácil comprar com cartão.

    Uma coisa que nao se ouve falar bastante é que para fazer uma transação BTC - BTC, o custo é mínimo, porém, quando se quer mudar de BTC à moeda local existe um custo de transação. por exemplo, se se tem uma conta no mt.gox. Para trocar BTC por moeda local e receber o dinheiro, dependendo do país, se tem que pagar uma taxa ao banco japones e depois outra taxa no banco local que recebe a moeda local. que possa ser de $20.00 - O que faz que pequenas transações inviáveis.

    Outra coisa é a volatilidade. Com uma variação de 20% ao día, fica muito dificil fechar contratos para o futuro.

    A tecnologia como um sistema de pago e incrivel e o fato de que o blockchain é público faz que em un futuro se possa reduzir gastos de contrato. Por exemplo, o registro no blockchain prova que no dia x A vendeu a B. e inclusive na hora da compra/venda se ponde inserir clausulas no código da transação.

    O que eu vejo e que muita gente compra bitcoins esperando a que o preço suba e para depois sair do mercado e ganhar algúm dinheiro e para mim, ainda sendo defensor de um sistema alternativo de pagamentos e de uma moeda eletrónica estabelecida, agora mesmo a única funçã que vejo na bitcoin e de ativo para especulação. mas esperemos que isso mude dentro de algúm tempo e bitcoin seja mais aceita nas lojas virtuais.






Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.