clube   |   doar   |   idiomas
sexta-feira, 21 dez 2012
51º Podcast Mises Brasil - Lino de Mello Gill

logo_baixa.jpgENTREVISTA 51 – LINO DE MELLO GILL

Um dos tantos equívocos que se difunde amplamente sobre o desenvolvimento econômico é aquele segundo o qual não é apenas função do governo promovê-lo, mas que este funcionaria mesmo como o motor da economia. Quando se une essa visão fraudulenta com um ambiente no qual a iniciativa privada é vista de forma negativa pela sociedade e é desestimulada e criminalizada pelo estado, temos aí todos os elementos para o sucesso de um modelo que fez do Brasil o país que é.

Mudar esse paradigma e arejar a cultura social são uma tarefa hercúlea, lenta e gradual, que depende da ação dos defensores das ideias da liberdade, individualmente ou de forma associada em organizações como este Instituto Mises Brasil e vários outros como, por exemplo, o Estudantes pela Liberdade (EPL). Nesse sentido, aliás, foi um ano de muito trabalho e conquistas importantes, incluindo reportagens um tanto desvairadas na imprensa esquerdista. 

No Podcast de hoje, o presidente do Conselho Executivo do EPL, Lino de Mello Gill, conta como foi desenvolvido o trabalho da entidade em 2012 e qual o principal problema enfrentado, opina sobre a forma mais adequada e eficaz para apresentar o libertarianismo e a Escola Austríaca aos jovens estudantes, e explicou como será a relação da organização brasileira com associação internacional Students for Liberty, a qual passaram a integrar, e sobre os planos para 2013. "Temos que focar mais na capacitação desses estudantes para que eles possam ser realmente eficazes na promoção da causa pela liberdade". 

Graduando em Ciências Econômicas pela Universidade de Brasília, investidor autônomo e estudioso da praxeologia, Lino também falou sobre o trabalho desenvolvido pelo Grupo de Estudos da Escola Austríaca do Distrito Federal, do qual é membro e cujo fundador, Daniel Marchi, já foi entrevistado neste podcast, e como descobriu as ideias libertárias e da Escola Austríaca.





  • Ewerton Alipio  21/12/2012 22:21
    Slayer! Mises no mercy!
  • Dâniel Fraga  22/12/2012 02:33
    Bom saber que a UnB está mudando. Mas infelizmente a esmagadora maioria dos cursos de economia ainda segue o famigerado keynesianismo.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.