FORMULÁRIO DE CONTATO

Envie-nos sua mensagem e entraremos
em contato o mais breve possível.


Nome 


Email 


Mensagem 





Instituto Ludwig von Mises Brasil
Fone: +(5511) 3704-3782
E-mail: contato@mises.org.br
Excelente vídeo! Merece ampla circulação. Além de ser médico, ele estava na linha de frente contra o H1N1 (que é muito pior).

Aliás, ontem, o G-20 recomendou "minimizar interrupções no comércio", além de outras medidas para evitar o colapso social. Até outro dia, quem dissesse isso era imbecil, irresponsável, criminoso, egoísta e assassino. Agora, porém, já virou recomendação política. Vão anotando as mutações.
Outra coisa: por que os governadores não pararam o Brasil no ano passado para evitar as quase 800 mortes por H1N1? Bando de capitalista assassino?

Quem não quer aterrorizar a população tem a obrigação de separar as estatísticas dos mortos COM coronavírus (idosos vitimados por outras doenças) e dos mortos POR coronavírus. Isso não só não está sendo feito, como ainda tem governador intencionalmente inflacionando as mortes por coronavírus, para assim justificar suas medidas draconianas. Ao fazerem isso, aumentam a corrida geral aos hospitais, prejudicando os que de fato precisam.
Assista entre 3:40 e 7:30. E depois entre 13:50 e 18:20 (Recomendo ver tudo, mas, se não quiser, veja ao menos esse trecho que sugeri)


O governador do Pará, filho do lendário Jader Barbalho, proibiu hoje toda e qualquer circulação de CARROS que possa ser caracterizada como carreata - exorbitando assim qualquer diretriz de saúde.

Prezados talibãs, vocês estão entregando a liberdade de bandeja a tiranetes. Estão gestando o ovo da serpente.
Outro dia eu perguntei e pergunto de novo: como podem os epidemiologistas terem se transformado nas únicas pessoas do planeta com o direito de terem uma opinião sem o ônus de serem responsabilizados pelas consequências dela? Por que eles podem especificar medidas que afetarão negativamente toda a sociedade, e essas medidas não podem sequer ser questionadas?

Será que epidemiologistas também são especialistas na divisão internacional do trabalho, e nas consequências de sua implacável destruição?

Ao que tudo indica, entramos na era da superstição.
Só agora?! Esse Instituto vem falando tudo isso desde 2011.

Eis o último, que sintetiza tudo:

www.mises.org.br/article/2585/afinal-o-fed-ira-elevar-os-juros-sua-decisao-refletira-sua-posicao-em-relacao-a-trump

Menção honrosa para este:

www.mises.org.br/article/1707/na-politica-monetaria-dos-eua-as-relacoes-de-causa-e-efeito-deixaram-de-ser-previsiveis


P.S.: importante ressaltar que não houve inflação de preços para bens de consumo (que é a única coisa com que todo BC se preocupa). No entanto, a inflação de preços de ativos simplesmente explodiu. Ações e imóveis, por exemplo, até imediatamente antes do coronavírus, estavam em all time highs. O ouro também está quase lá.

P.P.S.: não houve nenhuma "excessiva oferta monetária". A base monetária, sim, explodiu. Mas o dinheiro ficou parado nos bancos (como corretamente apontou seu link). Já a oferta monetária (que é o dinheiro que realmente enttrou na economia) não teve explosão nenhuma. Continuou crescendo no mesmo ritmo de antes da crise (aliás, até um pouco menos). Eis a evolução do M2.

d3fy651gv2fhd3.cloudfront.net/charts/united-states-money-supply-m2.png?s=unitedstamonsupm2&v=202003141004V20191105&d1=19950404
É impossível parar tudo assim como é impossível resolver esse problema com redistribuição de renda. Todo mundo querendo receber por estar parado. É mais fácil tomarem de você do que vc receber.

As favelas ja estão no zero. São os bolsões de pobreza. Já são os primeiros que sabem que não vai dar pra ficar parado.

Quando começar o toma-toma, ocorre o afundamento social de vez. Um vai acusando o outro. Um começa a matar o outro por viveres. 
blogdoibre.fgv.br/posts/liquidez-excessiva-sem-inflacao-o-caso-americano

Achei esse artigo muito interessante sobre os EUA não terem tido inflação mesmo com a excessiva oferta monetária.

Alguém com mais gabarito técnico que eu poderia dar uma analisada e comentar se faz sentido?
A solução é tripla:

1) copiar a Coreia de Sul, que simplesmente fez o básico e sensato. Testou e isolou os positivos, e deixou livre os não-infectados.

Aliás, explica por que o Japão, que tá perto de Coreia e China, não teve nada? Possui uma população bastante idosa e, até agora, teve 1.128 infectados e 42 mortos — taxa baixíssima para um país idoso.

E não teve nada de confinamento.

2) Sair às ruas de luvas, máscaras, manga comprida e calça comprida. Agindo assim, pode acreditar, a chance de contágio é quase nula. Você só será contaminado se algum outro contaminado cuspir dentro do seu olho. O problema é que ninguém quer esse desconforto.

3) Aos já contaminados, usar hidroxicloroquina com azitromicina. 100% de sucesso em todos os pacientes submetidos a isso.

Ou seja, a solução já está aí. Já se sabe o que fazer com os contaminados e o que fazer para não se contaminar. E fim.

No final, o risco de se contrair Covid-19 é o mesmo de você pegar uma gripe no inverno. Se usar luvas e máscaras, e evitar contato com terceiros, estará praticamente protegido.

E o risco é menor do que pegar dengue (muito mais fatal que a Covid-19), pois você dificilmente vê o mosquito e ele pode lhe picar enquanto você estiver dormindo.

Eu já fui um dos que pensavam que isso era grave. Mas realmente não passa de uma gripe forte. Quem morreu é quem já tinha mais de 70 anos e tinha outros problemas de saude: diabetes, problemas cardíacos, problemas renais, respiratórios etc.

Quem tem menos de 60 anos, que tinha saúde boa e foi contaminado, já melhorou depois de 11 dias. Agora, com a descoberta de que hidroxicloquina com azitromicina (dois remédios antigos) cura 100% dos doentes, não há mais motivo nenhum pra histeria.

É bizarro que seja declarada 'pandemia' algo que é várias vezes menos letal que tuberculose, e que por causa disso tenhamos que fechar todas as economias. Realmente, vivemos em uma era de delicadeza e frescura extremas.

Mas como políticos adoram controle absoluto, e dado que eles hoje gozam total apoio da imprensa, estão lavando a égua.

E a verdade é que os epidemiologistas se transformaram nas novas sumidades mundiais. O que eles determinam está decidido, e ai de quem discordar. Se eles mandarem fechar as economias por 2 anos, é pra obedecer. Quaisquer considerações econômicas sobre os efeitos disso é mero obscurantismo materialista e anti-vida humana.
Parafraseando Ryan McMaken: Estudar um vírus de RNA com fita simples e sentido positivo não faz de você um especialista em Economia e Ciência Política.
TLDR;
Vou esperar sair o filme.
Trump signs $2 trillion coronavirus relief bill as the US tries to prevent economic devastation

www.cnbc.com/2020/03/27/house-passes-2-trillion-coronavirus-stimulus-bill-sends-it-to-trump.html

De onde vão sair esses 2 trilhões? Do endividamento público e das reservas bancárias em excesso?

Talvez seja hora de alguma análise sobre este assunto.
Nada a ver.
Alarmismo.
Do mesmo jeito que dizem que aqui terão meio milhão de mortos por causa dessa forte gripe.
Tem muita gente dizendo que com toda essa treta com a peste a China vai ser a grande beneficiada, pois o resto do mundo vai tirar dívida pra segurar a economia e o credor será a China, que além de lucrar vai ganhar controle político sobre vários países. Aí eu vos pergunto: Isso faz sentido? O mundo vai realmente sair pegando crédito da China? A China não foi a mais fortemente atingida em meio a tudo isso e não teria ela mesma que se endividar pra manter a economia?
Obrigado.
O Avazz, ao meu ver, é um território neutro.
Você pode fazer qualquer tipo de abaixo-assinado.
Tanto de esquerda, quanto de direita.
O problema é que o engajamento da esquerda é infinitamente superior.
Por isso que parece que lá só tem esquerdista.
Excelente artigo, como sempre leio aqui.

Ah, sr, João Doria! Nada como aproveitar um momento sinistro, para dizer o mínimo, e atacar o presidente Bolsonaro, por este criticar a paralisação da Economia no Brasil!

Excelente o ponto do artigo: o que é essencial ou não para os "ilustres" políticos, principalmente, prefeitos e governadores? Os caminhoneiros estão errados?! Se eles não podem se alimentar, consertar os veículos, tomar banho ( ah, sim, higiene não mata vírus, bactérias...esqueci desse "pormenor"..), como entregarão alimentos, remédios aos hospitais, farmácias que atendem, por exemplo, transplantados, diabéticos, que se não tomarem os imunossupressores, remédios para controlar o diabetes, etc., morrerão, além de TODAS AS OUTRAS MERCADORIAS IMPORTANTES PARA O BOM FUNCIONAMENTO DA SOCIEDADE?!

Se não houver funcionamento normal de todo o processo produtivo, do comércio, como as empresas pagarão os impostos, tributos que mantêm postos de saúde, hospitais, farmácias públicas que atendem pessoas com doenças crônicas, além de tudo que envolve o Estado, sem poder vender uma lanterna de carro, por exemplo?

Como foi dito, tudo funciona em cadeia, nada é menos importante na cadeia produtiva e comercial, ou matam-se pessoas por outras doenças, fome e quebra o país totalmente.

Sr. João Doria: acalme o seu ego, reze, beba o seu uísque 12 anos e esqueça por ora a sua pretensão de ser presidente em 2022 ( sim, o sr. interrompeu o mandado de prefeito para ser governador e pretende fazer o mesmo para se candidatar à presidência da República em 2022, nós sabemos disso!....), libera já tudo, eu escrevi, TUDO! Apenas mantenha as orientações sobre manter distância, uso de máscaras nos idosos e pessoas com doenças crônicas, além de quarentena para os doentes de gripe, seja ela qual for ( lembrando que idosos saudáveis podem e devem sair, com máscaras, para compras, pois muitos vivem só e manter pessoas presas em casa sem sintomas, saudáveis, provocará depressão e ansiedade, que podem ser fatais em muitos casos...), seja coerente com o seu discurso liberal de campanha e deixe o estado mais rico da Federação ( se continuar fechado, será a futura Etiópia, Somália....), trabalhar, criar, investir, progredir, crescer, vender. Essa sugestão serve também para os demais estados preocupados em fazer oposição ao presidente Bolsonaro, que embora não entenda de economia ( não tem essa obrigação...), segue as orientações do ministro Paulo Guedes, que tem seus defeitos, claro, mas afirma que se continuar assim por mais uma semana, quebrará todo o país. Por isso Bolsonaro tem se exposto às críticas da imprensa de esquerda, defendendo o fim total dessa quarentena geral totalmente idiota, comunista! Perdão, fui redundante. Idiota e comunista é pleonasmo!

O povo consciente, os empresários, trabalhadores das mais diversas áreas já começaram a gritar, buzinar, pressionar para que tudo, eu disse TUDO, volte ao normal, aliás, ao normal, não, a mais liberdade econômica, pois chega de viver em um país que ama tributos e governos impedindo as pessoas de buscar a liberdade real, a felicidade em criar, produzir, vender livremente.

Nas Sagradas Escrituras, tanto antes como depois de Cristo, a liberdade é defendida à exaustão, inclusive, a liberdade de amar ou não a Deus.

Todo político não se diz cristão? Pois bem, sejam cristãos!

Sr. governador João Doria: leia com atenção esse site, o artigo acima, as opiniões dos leitores, incluindo a minha e lembre-se: conserte a sua biografia agora, enquanto ainda há tempo e libere a sociedade dessa prisão, da falência total. Ou o sr. não conseguirá se eleger nem síndico do prédio, condomínio em que o sr. mora. Isso se ainda houver pessoas para habitar residências, caso o fechamento produtivo total continue por mais um, dois, três dias apenas.

Precisamos de pessoas com visão liberal econômica no comando do País. Governantes que imitam Lula, Dilma, Haddad, Ciro, etc., com discursos intervencionistas na economia, na sociedade, tendem a ficar no rodapé da História. Apenas como uma nota curta das suas péssimas gestões públicas.

Abraços a todos desse site.
Tudo bem, e qual a solução?
Deixar tudo aberto, sem controle?
Eu mesmo estou achando que tudo isso é exagerado.
Mas virar as costas e deixar o "vírus" fazer o papel evolucionário, podendo fazer alguma coisa, está fora do meu limite moral.
Pqp. Depois dessa já sabemos quem é o "pobre coitado acéfalo". E pelo visto ele trabalha na embaixada da China...
Sobre a gasolina aqui no Brasil:

1) Os repasses da Petrobras foram muito menores do que a queda total no preço do barril do petróleo.

2) O preço do etanol anidro, que representa quase 30% da gasolina, estava em disparada e chegou às máximas históricas (pode pesquisar).

3) Nos EUA, há livre mercado no setor de refino, de distribuição e, principalmente, de postos de combustíveis. Qualquer bodega de beira de estrada pode ter uma bomba de gasolina. Aqui no Brasil, o refino é monopólio da Petrobras, há apenas três distribuidoras (ninguém consegue entrar no mercado por causa das regulações estatais), e, também por causa das regulações estatais, os postos são sempre os mesmos. Nenhum quebra, nenhum surge, e ninguém novato pode entrar no ramo. É o setor mais fechado e cartelizado da economia. Há muito mais concorrência e liberdade de mercado no setor bancário do que no setor de combustíveis.

4) Vários governadores elevaram a base de cálculo do ICMS da gasolina. (Atenção: eles não elevaram a alíquota, mas sim o valor da base de cálculo. Pesquise)

5) Entretanto, ainda assim, a gasolina tem caído. Aqui em Belo Horizonte, já cheguei a pegar gasolina a R$ 4,999. Hoje, pelo site que acompanho, já tem gasolina a R$ 4,20. E a tendência é de cair mais.
Os EUA sob o Bush gostaram 4 trilhões de dólares nas guerras do Afeganistão e Iraque. Esse dinheiro saiu de algum lugar. Fazer dinheiro pra gastar. É semelhante. O resultado foi a mega desvalorização do dólar no mundo todo. Isso que provocou a valorização do real nos anos 2003 a 2008.

Colocar dois trilhões lá vai ter o mesmo efeito no longo prazo, caso os EUA ficassem parados e o Brasil não. Mas como o Brasil também parou, o real tb vai se desvalorizar.