clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


Errados em quê? Armas não devem ser manuseadas por comprovados imbecis. E nem por desarmamentistas (como é o caso do Baldwin).

Desarmamentistas imbecis (com o perdão da redundância) realmente devem ficar longe de armas, deixando-as apenas para quem entenda.


Decidi fazer uma pesquisa sobre o Afonso Beviláqua e achei essa entrevista de 2017. Chama a atenção o fato de que ele diz de que essa tal "dominância fiscal" não existe e que a política monetária sempre funcionou como o pretendido.

Ele foi diretor do BC até início de 2007, quando ele acabou saindo. O que é absurdo foram as críticas à época sobre a política dura de juros mais altos. Basta ver que o Brasil conseguiu um IPCA de 2,96 % em março de 2007. E então, nunca mais tivemos um IPCA civilizado, exceto nos anos Temer e em alguns meses de 2019.

Por aqui sempre houve críticas sobre uma política falconista do BCB. Isso não é de hoje. No governo militar eles também não deixaram o banco central fazer a devida contração monetária. Havia a intenção de autonomia (copiando elementos do Bundesbank e do Fed) mas os desenvolvimentistas não deixaram, especialmente no governo Costa e Silva (página 176; vejam essa entrevista). Imagina se o cruzeiro brasileiro fosse se inspirar no Deutsche Mark?


Pessoal tem algum pais no mundo tomando decisões sensatas de como organizar sua economia pós pandemia? Gostaria dessa informação se possível.


Depois do acidente com Alec Baldwin, vocês vão admitir que estavam errados quanto à questão das armas?


Em ordem de jogar o jogo politico, qualquer narrativa temporaria vale.


Essa é óbvia em demasia!

É assistencialismo barato por tratar-se de uma medida da situação, pois enquanto faziam exatamente o mesmo, o coitado que usasse argumentos similares terminaria crucificado como odiador dos pobres, burguês, filhote da Ditadura e outros epítetos de jaez semelhante.


"André Esteves, do BTG, diz ser consultado por Campos Neto sobre piso de juros"

O curioso é essa fala:

"'Eu achei que a gente meio que… caiu demais os juros na pandemia, para esses 2%. Eu me lembro que… tem um conceito que chama lower bound, alguns aqui já devem ter ouvido falar, que é qual a taxa de juros mínima. E eu me lembro que o juros tava assim em uns 3,5% e o Roberto me ligou para perguntar: 'pô, André, o que você está achando disso, onde você acha que está o lower bound?'. Eu falei assim: 'olha, Roberto, eu não sei onde que está, mas eu estou vendo pelo retrovisor, porque a gente já passou por ele. A gente… acho que em algum momento a gente se achou inglês demais e levamos esse juros para 2%, o que eu acho que é um pouquinho fora de apreço. Acho que a gente não comporta ainda esse juros', declarou o banqueiro."

Até ele sabia que isso era fora da realidade.


Ué, petista dizendo que Bolsa Família é coisa de vagabundo? Não entendi essa…


twitter.com/thehill/status/1452640087498493953

Secretária do Tesouro Americano sugere imposto em ganhos de capital não realizados.
Isso mesmo, se você comprou ações de uma empresa e você ganhou 100k nessa operação mas NÃO VENDEU as ações ,você deverá pagar imposto.

Vai começar com bilionários,depois milionários,classe média alta,classe média e eventualmente pobres.
Tenho certeza que esse lei vai passar,asssim como o IMPOSTO CORPORATIVO GLOBAL


A ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Tereza Campello disse hoje no UOL Entrevista que o Auxílio Brasil foi desenvolvido sob a ideia de que "pobre é pobre porque é preguiçoso". Para ela, o programa social do governo Bolsonaro criado para substituir o Bolsa Família é "cheio de penduricalhos". "Essa é a essência do Auxílio Brasil. O pobre tem que se esforçar para arranjar emprego, como se a gente tivesse um país lotado de emprego e as pessoas estivessem deitadas na rede querendo ficar em casa, encostadas no Estado", disse Campello.... - Veja mais em economia.uol.com.br/noticias/redacao/2021/10/25/auxilio-brasil-pobre-tereza-campello-bolsa-familia-auxilio-emergencial.htm?cmpid=copiaecola


O que virá a seguir? Inflação de dois dígitos, que há uma caralhada de tempo não acontece e que, só para o governo, é de "apenas" 10%


Por mim vendia a companhia inteira, sem fatiar a empresa em pequenas partes. A empresa tem tudo pra ser uma das empresas mais valiosas do planeta como a Saudi Aramco que vale 2 trilhões de dólares.

Com uma reforma tributária bem feita, teríamos uma das empresas mais lucrativas do globo.Imaginando só a quantidade de empregos gerados compra de materiais e dividendos para os acionistas...

Mas aqui bem provável de acharem que a solução está em dar auxílio-diesel e vale-gás.


O momento é exatamente agora. O valor de mercado da estatal está nas máximas, assim como o petróleo em reais. Ninguém poderá dizer que foi a "preço de banana".

Se vender direitinho, vai sobrar dinheiro para Auxílio Brasil e vai até dar superávit nominal no orçamento, com um belo abatimento da dívida.


Outra notícia:

Governo zera Imposto de Importação de medicamentos para diversos tipos de câncer e outras doenças, como leucemia, linfoma, câncer de mama ou de pulmão, além de doenças como anemia, esclerose múltipla e dermatite atópica.

E aí, é subsídio? Gera distorção? "Liberais" do Novo, por coerência, terão de dizer que sim.


Vamos ver se você acertou a previsão no ano que vem. Só resta esperar.

Muitos que fizeram previsões erraram.


Petrobras reajusta mais uma vez preços da gasolina e do diesel
Litro da gasolina terá alta de 7,04% nas refinarias; diesel sobe 9,15%.

g1.globo.com/economia/noticia/2021/10/25/petrobras-reajusta-mais-uma-vez-precos-da-gasolina-e-do-diesel.ghtml

Surgem rumores de privatização da Petrobrás.

www.infomoney.com.br/mercados/privatizacao-da-petrobras-entrou-no-radar-diz-bolsonaro/

Se privatizassem a Petrobras acredito que o governo ia conseguir uns 100 bilhões de reais com a venda por baixo.


É o que acontece quando se tem um ministro chiCagão Boy.


Interessante é notar que tanto na recessão, quanto na expansão dos mercados, a inflação vem.
Com a inflação ocorre o "imposto inflacionário" sempre canalizado para os bancos.
Sempre o sistema bancário sai ganhando.
Não à toa, é que o Heitor de Paola vem lecionando, que a Nova Ordem Mundial totalitária, a controlar coisas e mentes, será uma tecnocracia a monopolizar o poder econômico e político mundial.


Nem Lula nem Bolsonaro serão candidatos. O STF vai garantir isso, até mesmo para que seus ministros voltem a ter sossego. Barrar a candidatura dos dois é a única maneira de os ministros voltarem a poder andar pelas ruas.

Lula será indiciado em um de seus dezenas de crimes e ficará de fora pela lei da Ficha Limpa. Bozo fará um acordo com o STF para proteger seus filhos e, em troca, abrirá mão da reeleição, que é uma exigência do STF (aquela trégua costurada por Temer é só o início disso). Concorrerá ao Senado, manterá imunidade parlamentar e indicará Tarcísio.

A eleição, portanto, será entre Tarcísio, Leite, Moro, Haddad e Ciro.

Ciro não passa dos 12%, ainda mais agora que brigou feio com o PT.

Leite será idolatrado pela imprensa e será também o candidato de todo o Beautiful People, mas não tem nenhuma penetração popular, principalmente no Nordeste, que não vota nem em sulista nem em homossexual (quem é nordestino sabe disso).

Moro terá seguidores fieis entre os lava-batistas, mas estes são uma espécie em extinção.

Haddad tem o recall e o apoio de Lula. Está no segundo turno.

Tarcísio tem inúmeras vantagens: tem um currículo incriticável, possui várias realizações efetivas no Nordeste, e não é almofadinha nem mauricinho. Ainda mais importante: tem uma feição (no sentido de aparência mesmo) bem popular. Está longe de passar a imagem de um bacana rico. Isso dialoga com o povo. Também é bom de debate e é carismático. Nem mesmo a imprensa anti-bolsonarista delirante consegue criticá-lo.

Se fizer tudo direitinho, dá pra levar. Mas vai depender inteiramente de como estará a economia até lá.

Quanto aos outros três itens, concordo com o que foi colocado aqui no geral.


Hoje o Romeu Zema anunciou que irá congelar o ICMS sobre o Diesel. Isso na prática seria a alíquota não aumentar, quando o Diesel aumentar o preço de novo?

Não seria mais fácil ele reduzir o ICMS?


1- Lula x Bolsonaro; acho que o Bolsonaro vence, torço para isso, afinal democracia é isso mesmo, é torcer pelo menos ruim.

Mas se o Bolsonaro perder, estou quase certo de que ele usará a mesma retórica do Trump, a de que a eleição foi fraudada e não duvido do Lula fazendo o mesmo caso perca.

2- Violentos protestos envolvendo democratas vs republicanos, mais violentos ainda do que os da eleição passada, nenhum perdedor aceitando os resultados das eleições.

3- Venezuela 2.0

4- Politicamente correto, ideologia de gênero, feminismo, globalismo, agenda verde, etc... Todas essas agendas avançando ainda mais rápido, por isso vários países do leste europeu saindo do bloco, oooppps !!! eles morrem de medo da Rússia, logo é melhor ficar no bloco mesmo, dentro da Otan, e só fazer barulho inútil contra essa agenda...

Digo barulho inútil, pois já prevejo ameaças à aqueles que se opuserem à agenda progressista européia; podem sofrer ameaças de expulsão da UE e da otan e com isso ficar a mercê da Rússia, o que eles morrem de medo.

Logo vão aceitar tudo, gritando mas vão.
Tem também a mamata de ficar encostado nos países ricos do ocidente.

Vamos ver até onde o povo do leste europeu defende seus valores cristãos e conservadores, o futuro dirá.


Uma coisa é a teoria. Outra é a prática.

Houve uma pandemia e com isso os inimigos do governo - dentro e fora do meio político - viram na manipulação da população uma forma de criar problemas que desgastariam o governo. O fique em casa. O tome 600 reais para não termos uma guerra civil. O desemprego; a recessão subsequente. O real se desmanchando.

Ai vem o presidente do senado que quer ser presidente; os mesmos q tiraram Lula do pleito de 2017 o trazem (trarão) de volta em 2022; o presidente q disse q seria um presidente de um mandato se desespera pra ser reeleito qdo qq outro no lugar dele teria renunciado, prefeitos, governadores, todo mundo inflacionado os números da pandemia pra receberem mais dinheiro. O povo, cada vez mais adorando receber Sinédrio sem trabalhar...

Este cenário não é controlado nem no melhor compêndio de economia.

Estamos diante de um cenário novo. Impensado por qq referencial teórico.

Sempre levei muita fé no Paulo Guedes e entendo q uma coisa é ser um comentarista fora do governo, outro, é estar dentro do processo, q, por essência, demanda saber contemplar interesses.





1 - Crescimento econômico baixo e IPCA em 4% ou mais, acima do centro da meta de inflação. Lula perde pra todos, menos pro Bolsonaro. Nesse caso ele venceria e já daria pra esperar o dólar em R$ 6,00 ou mais.

2 - Na mesma².

3 - Algum "peronista de direita" vence e continua quase a mesma coisa. Improvável sair algo sério dali.

4 - Acho o mesmo o colega "Estado máximo, cidadão mínimo".


Boa noite, gostaria de saber se a escola tem algum artigo ou pode indicar um site sobre Gottfried Fedder e seu livro :Luta contra as altas finanças


Li essa coluna sobre o preço da gasolina, e esse trecho constata aquilo que os austríacos não cansam de falar:

"Como brasileiro não ganha em dólar e o câmbio distorce valores, pode-se também tomar como base o salário mínimo. Neste caso, houve grande variação do poder de compra da gasolina nos últimos 20 anos.

O pior deles foi 2004, pois o salário-mínimo (SM) de R$ 206,00 permitia comprar apenas 103 litros. Em 2017 o brasileiro teve a gasolina mais barata do período: 254 litros com 1 SM.

Hoje? Com preços subindo sem parar, R$ 1.100,00 (SM) adquirem apenas 169 litros."


Moeda forte é isso.


não, o peru não estropiou na fraudemia, é natural que agora que ela tá passando os preços recuem. e isso não é recessão. é ajuste natural de mercado.


Guedes já era conhecido pelo mercado como defensor de moeda fraca, além de aumentar impostos. Agora com esse furo no teto e essa PEC dos precatórios, ele dá um tiro de misericórdia e não se mostra tão preocupado assim com a responsabilidade fiscal.

E o Brasil deve continuar como um dos poucos países emergentes onde o estado, mesmo tributando 33 % do PIB, ainda consegue déficit de R$ 1 trilhão.


Só agora que algumas reformas correram. Em 2019 era o melhor ano para correr atrás de reformas e todo mundo sabe que o Bolsonaro quis criar brigas em redes sociais e só muito depois que eles foram atrás da reforma previdenciária. Essa reforma teve aumento de impostos, mas pelo menos ela trouxe uma valorização do real e com um saudoso IPCA de julho até outubro. Mas como aqui nada pode dar certo, começaram com aquelas reduções malucas de juros e as falas do Guedes... aí o estrago estava feito. Na verdade os lockdowns só adiaram a data da inflação de preços. Na melhor das hipóteses o real ficará menos ruim, mas continuará inferior ao renminbi.


Mais de um ano depois...

Chuveirou dinheiro na economia que foi uma maravilha, agora falam como se a inflação fosse culpa só dos outros e não deles... de fato tem fatores externos, mas não adianta tirar o corpo fora. Apenas comparem a inflação brasileira com a do Paraguai, do Peru, do Uruguai, da Bolívia, da Colômbia e do Chile. Ou mesmo com a do México, sob um governo de esquerda. Vamos abandonar a porcaria do real e usar dólar americano e nuevo sol peruano.

Se os juros fossem pelo menos atrativos aqui, essas commodities mais caras em dólar trariam algum benefício para o País, como foi em 2003-2011.


Lula vence (53% x 47%)

2023 vai aprovar a Reforma Tributária com CPMF e aumento geral de impostos (pequeno e médio empresário e população em geral)

Por baixo uns 200 bilhões de reais(ao ano) em aumento de arrecadação
Nos três anos seguintes Superávit Primário e queda do dólar(juros não vão diminuir)
Queda do dólar l, aumento do consumo, aumento da arrecadação e correção do salário pros servidores públicos
2026 revisão do teto de gastos e fim da queda do dólar.


Preço da gasolina está em alta histórica no Paraguai.

O interessante é que, historicamente, o preço da gasolina lá pode cair tanto quando o guarani se desvaloriza ante dólar, quanto quando o guarani se valoriza ante a moeda americana.


Depois de ver a participação do Romeu Zema no Flow Podcast, ele parece ser o único, no momento, a ter condições de disputar com o Bolsonaro nas eleições, embora pouco provável. A oposição é péssima e gente almofadinha e com frescura não tem apelo eleitoral. O candidato precisa mostrar força (mesmo que ele não tenha).


Muito interessante não conhecia, mas vamos nos ater aos fatos históricos. O apartheid só aceitou Mandela depois que viram que não tinham chance, após uma coluna de blindados ser aniquilada por soldados cubanos c lança mísseis soviéticos.


Concordo, Paulo Guedes decepcionou muita gente.


acho que quem não entendeu algo aqui foi vc hein. podía ter pelo menos tentando responder a pergunta do cara como esse pessoal todo fez nos outros comments. vacilo man.


Bastante estranho. Será que ele proibiu o uso de dólar como moeda corrente e eu não fiquei sabendo?

Eu vi que o M2 está igual no Trading Economics, a mesma queda.

Agora, vendo esse documento do próprio banco central, o M2 até caiu, mas não nessa intensidade que o Trading Economics mostra (como se houvesse quebras bancárias generalizadas "à la 1929").

Curiosamente, o banco central do Peru tem estatísticas até do período colonial!


Ou o gráfico do TradingEconomics está errado, ou o Peru está vivenciando uma puta deflação monetária após a eleição do Castillo.

d3fy651gv2fhd3.cloudfront.net/charts/peru-money-supply-m1.png?s=perumonsupm1&v=202110231004V20200908&d1=20111026


Se o Guedes pudesse voltar no tempo e corrigir uma besteira feita, com certeza absoluta seria seu comentário completamente estapafúrdio sobre o câmbio.

Foi ali que tudo começou a desandar. Foi ali que ele deixou claro aos especuladores que haveria carta branca para especular contra o real (governos sempre conseguem o câmbio que querem). E foi ali que toda a atual carestia (que irá custar a reeleição ao governo) foi parida.

Tanto é que agora, sempre que dá, ele faz comentários dizendo que "era para o dólar estar mais barato". Mas agora já era.


É certo pensar que os estudos sejam necessários para o desenvolvimento da maturidade, da compreensão sobre a realidade e para nos adaptamos para os meios básicos de comunicação. Por outro lado, a escola não desempenha qualquer função senão em prol destas finalidades, o que é um erro crítico, se levamos em conta que isso nada contribui para o currículo no mercado de trabalho e muito menos para as aspirações profissionais e intelectuais.
Sendo assim, não é supressa que haja problemas em relação aos métodos educacionais de uma escola, que por meio de suas diretrizes, prega a mesma obsoleta ideia de fazer as pessoas aprenderem sem que o aprendizado seja significativo para os seus objetivos pessoais. Resumindo, nós nos forçamos a aprender sobre o que não vamos usar no cotidiano de fato, já que o máximo que a maioria de nós irá fazer é ler, escrever, e fazer cálculos aritméticos.

No final das contas, o modelo escolar atual insiste em seguir o estilo defasado dos séculos anteriores, incentivado pelo lema-propaganda bonito do tipo "ser escolarizado é ser civilizado" e outras sandices assim. O problema é que quando apenas focamos em ensinar e aprender qualquer coisa sem avaliamos a sua relevância, passamos a ignorar o bom senso e esquecer de preparamos as gerações para as adversidades.
Nos dias de hoje, é comum falamos das situações de evasão escolar, déficit de atenção, baixa escolaridade. A questão é que, esses aborrecimentos são frutos da falta de dedicação e de seriedade da escola de inovar na hora de educar os cidadãos. Gostando o estado e as escolas ou não, já é tempo de mudar esse jeito arcaico e falível de fazer educação e inspirar a população a valorizar as escolas (se as escolas decidirem mudar seu jeito de ensinar, é claro !).


Acredito que ao ensinar a pescar, você logicamente torna-se um pescador, o que ao meu ver independe de ter ou não ter peixe, fazendo com que seja agora sua função pescar, ou seja, você tem conhecimento teórico do assunto como base inicial, caberá a você uma vez pescador manter-se atento ao ato em si.


Paulo Guedes, o pior ministro da economia que o Brasil já conheceu. Desbancou Guido Mantega.

Essa do furo do Teto de Gastos é pra arrebentar com o que resta do país. Tudo isso para atender os anseios do capitão cloroquina que está desesperado por VOTOS em meio ao recorde de desaprovação do seu desgoverno. Sabe que vai perder feio a eleição, afinal nunca se mostrou capaz de fazer alguma coisa que preste.

Vou ver nos noticiários se o Sérgio Moro decidiu se candidatar. O único caminho agora é a Terceira Via. Chega de extremismo de direita e esquerda.


1- Lula x bolsonaro, eu acho q vence bolsonaro, nao pelas suas qualidades mas por falta de opção mesmo, alem disso ele liberou o pacote de "bondades" para garantir sua vítoria, nada a se comemorar.

2- sera ano de eleições para o congresso, se os republicanos conseguirem um landslide, acho q biden vai ser cancelado antes da próxima eleição presidencial.

3- a mediocridade de sempre, com o javier milei como deputado quem sabe a bosta fique menos fedorenta.

4- europa já era, vítima das suas proprias escolhas, putin deve estar gargalhando com tudo isso.


1. Se for Bonoro x Molusco: Bonoro fica com 40% a 50? e Molusco com 20% a 30% dos votos. Se nem um dos dois se candidatar e tivermos uma batalha de postes: vai depender muito de quem será o poste do Bubasauro, mas ainda creio que ele vença. Economia segue a mesma, e Guedes provavelmente sairá do governo.

2. Na mesma.

3. O que mais pode-se esperar de um país que já fez tudo de errado e continua fazendo? Lamento muito por eles.

4. Aqui é mais complexo. Creio que a crise se intensifique, vários protestos e outros "brexit's" pipoquem pelo continente.

P.S.: a zona de conflitos do mundo moderno anda meio quieta ultimamente. Por certo um novo confronto mais contundente surja por lá ano que vêm.


Deixei suas apostas sobre esses temas:

1- Brasil 2022 no geral e qual vai ser das eleições

2- EUA 2022

3- Argentina 2022

4- Europa e o desabastecimento



"BC tem que correr um pouco mais rápido na subida dos juros, diz Guedes"

Agora ele parou de falar mal de juros altos. Será que agora o real valoriza?

Para a Secretaria Especial de Tesouro e Orçamento, quem entrou agora foi Colnago, que foi ministro do extinto Ministério do Planejamento do governo Temer.


pergunta: Afinal, o que houve com Paulo Guedes?
resposta: encontrou a realidade política brasileira!...

como diria o sábio Capitão Nascimento, Paulo Guedes "caiu pra cima..."




"Há títulos públicos pagando o IPCA + 4,2%, porém os prazos já são muito maiores (O que pouco importa no final pois ainda estou nos meus 20s). Vale à pena investir nisso?"

A pergunta que vc tem que fazer é se vc não precisa do dinheiro em nenhuma hipótese, porque quanto maior o juros, menor o valor do título, o que significa que se vc vender antes do prazo perde capital. Em poucos meses se vc investiu nesse tesouro perdeu uma boa grana. Um investimento melhor seria CDBs ou tesouro selic. Quanto maior o juros, menor o valor do título o que significa que se vc vender antes do prazo perde capital.

"Para poupança estou por enquanto comprando Pax Gold e eventualmente outras criptos. Porém não pretendo dar muito enfoque a isso para o longo prazo. Eu deveria?

E o que vocês acham de comprar ações de grandes empresas para receber dividendos?

Qual combinação destas (ou outras) opções vocês me recomendariam? Quem sabe um pouco de ouro físico também?"



Sim,mas tome cuidado com Ouro, o minério tem ciclos e vc pode ficar décadas no prejuízo. Para uma boa popança futura procure estudar o mercado de ações e derivativos que podem te dar mais establidade. Evite escolher empresas ,procure ETFS ou Indices como: Dow Jones, S&P 500,Nasdaq,Nikkei.


Dica:
divida seu patrimônio conforme sua idade.
100-IDADE
Ex:
Se vc tem 30 anos,
70% deve ficar na renda variável e 30% em capital(Dolár,Ouro,Bitcoin,Real,Franco Suíço)

O mesmo deve ser feito se quiser fazer uma popança para um filho.

Evite empresas que pagam muitos dividendos. Procure empresas que irão pagar dividendos no futuro.
As empresas mais valiosas do mundo dificilmente irão pagar dividendos em um futuro próximo. Se quer dividendos compre imóveis e/ou fundos imobiliários aqui no Brasil ou no exterior.


Ouro físico é uma boa ideia, assim como relógios exclusivos,canetas de colecionador, cavalos de raça, Bitcoin,NFTs, obras de arte.
Leia livros do mercado financeiro e estude investidores como: Peter Lynch,Warren Buffet,Benjamin Graham, George Soros, Max Gunther,Robert Kiyosaki.

Sempre vão surgir oportunidades. Se os brasileiros além de ir pra Disney, comprar iPhones, assistir Netflix, pesquisar no Google tivessem comprado ações dessas empresas, talvez os Brasileiros teriam uma situação economica melhor.
10% dos Brasileiros investem na Bolsa. Nos EUA são 60%.



O escárnio não foi desnacessário, pois ele só está expondo a ignorância matemática do indivíduo. Quando álguem fala uma estupidez, a estupidez deve ser exposta...pois senão estaremos sendo coniventes com a burrice. Se foi por não saber, então ele deveria perguntar, ao invés de afirmar sobre o que ele não sabe. White knight cobrando leniência com o comportamento da massa vulgar só ajuda a incentivar esse tipo de comportamento.


Falando em inflação...

Após uma constante desvalorização do nuevo sol peruano desde a eleição do Pedro Castillo, a moeda valorizou-se ante dólar nas últimas semanas.

Pedro trocou o primeiro-ministro Guido Bellido (que falou em estatizar um campo de gás) pela Mirtha Vásquez, que disse que reescrever a constituição não era uma das prioridades do governo. Isso foi o suficiente para acalmar os investidores. O Banco Central de Reserva del Perú elevou os juros de 1 para 1,5 % nesse dia 7 de outubro. Vamos ver como será nos próximos meses.

O Banco Central del Paraguay decidiu, nesse dia 21/10, em elevar a sua taxa básica de juros em 125 pontos base, de 1,5 para 2,75 %. A intenção é normalizar a política monetária e continuar isso nas reuniões de novembro e dezembro.

A inflação de preços no país fechou o mês de setembro em 6,4 % (acumulado dos últimos doze meses), estourando a meta de inflação, que é de até 4 % (2 pontos percentuais para mais e para menos).

No acumulado do ano, o guarani paraguaio acumula 0 % de valorização.

Enquanto isso, o real volta a ficar bastante volátil, mais volátil do que moedas como o peso mexicano, que está sob um governo socialista.


dólar vai a 5.73
mais desvalorização da moeda, mais inflacao. o polpulismo e pra ganhar votos. vai aumentar o assistencilismo pra quem não trabalha, mas o Brasil não é produtivo pra pagar essa conta.

vai tirar dinheiro atraves do "imposto da inflacao".
e como o bc demora muito pra subir os juros, que estão negativos... a inflacao vai decolar.
já a hiperinflação é o acúmulo de burradas ao longo dos anos.

e uma inflacao de 10 por cento ao ano já é alta, pra quem não consegue rever as perdas salariais.
basta ver que os alimentos subiram 50 por cento em alguns casos.. o gov que tira uma mediana do que sobe e desce e declara que a inflacao tá baixa.

www.google.com.br/amp/s/www.terra.com.br/amp/economia/dolar-encosta-em-r-572-com-piora-de-visao-fiscal-e-espera-de-nova-equipe,8a1ae63f03e699062abdd2e93fe3936a4rxdzj7z.html?espv=1



Tá mais do que na hora de implementar currency board e esculachar esse moneratistas de vez.
Como convencer Bolsonaro disso? :-)


Não. O que podemos esperar no curto prazo é uma recuperação mais lenta da economia e uma possível recessão técnica nos próximos meses. Os juros já estão atingindo patamares altos, níveis do governo Dilma.

O Auxílio Brasil em tese vai ajudar Bancos e o varejo de massas, contudo com a demanda já é elevada isso deve acentuar ainda mais a inflação brasileira, com um impacto a ser visto nos próximos meses. Ai vão surgir pressões para controle de preços ou rejustes para funcinários públicos com categorias pedindo greve. Então o que seriam 30 bilhões de reais vão virar 150 bilhões. Depois de todos os reajustes, se o Bacen realmente for independente e continuar elevando os juros de forma sistemática teremos uma recessão na economia com mais despesas e um pais mais velho.



Olhando o mercado de ações brasileiro nunca houve uma recuperação em doláres americanos desde o pico em 2008. Olhando o Ibov esse ano vemos o setor de varejo em quedas e setor fia
nanceiro(bancos e instiuições financeiras em queda)

Warren Buffet diz que em ambientes inflacionários precisamos encontrar empresas que podem repassar os preços sem medo de diminuir receita ou pressão governamental.

Agora o ambiente só será hiperinflacionário se o Bacen não aumentar os juros e comprar diretamente títulos do tesouro.


A capacidade de controle do Bacen via monepol vai pras cucuias se Guedes continuar Guidando no fiscal.

E vai continuar.

Ele tá vendido em Brasil.
Gastando os tubos, tem chance de reeleger o chefe.
Se não reeleger, arma a bomba pro próximo governo, o chefe volta pra oposição e continua parasitando o país, como sempre fez (e muito bem).

É o maior win-win da história dessa pseudo-direita.


O artigo de Hélio Beltrão foi PROFÉTICO. Ontem, quatro secretários deixaram o Ministério da Economia. Da equipe ORIGINAL de Paulo Guedes, só resta UM nome. A barreira do teto de gastos foi furada. O que virá, a seguir?


Tudo vai depender de quão realmente independente é o Banco Central.


Ação é título de propriedade da empresa. Se você comprou na baixa, você ganhou. Se comprou na alta, perdeu. Então depende tanto da sua capacidade de análise nessas compras e vendas, como também notar que algumas ações subiram na pandemia, outras recuaram.


Onde foi que eu proferi vaticínios ?.

Acho que você deveria ler as coisas com mais atenção, e não sair logo deduzindo um monte de coisas na superficialidade.

Alías, esse é um problema frequente aqui, alguém escreve alguma coisa que à primeira vista desagrade e logo vem alguém insinuar que o autor é um estatista, comunista, socialista, keynesiano, terraplanista, proferidor de vaticínios, etc...


Bem, com o estouro do teto, vim no site para ver os comentarios sobre riscos. Com esse artigo na primeira pagina, ja respondeu metade.

Embora não creia em hiperinflação ainda. Podemos esperar mais inflação agora com o populismo eleitoral ?


Não sofreram. Ações são lucros de empresas, e empresas têm altos lucros com aumento da oferta monetária, desde que suas receitas superem seus custos -- algo fácil em uma economia burocratizada e de oligopólios protegidos pelo estado, como era a brasileira naquela época.


a materia do BI em certo momento identifica fatores relevantes (o nicho onde ocorre so para citar um) apenas para no final ignorar tudo e concluir com o tal holtz dizendo que os empregadores tem saudade dos antigos escravos - a conclusao do leitor seria algo como "WTF?"

o que eu penso a respeito é que hoje em dia tem sido dificil ler algo que preste , tudo que seria importante discutir fica jogado as minguas - no lugar, tem so aquela lacrada .. parabens a grande midia , o velorio nao poderia ser mais melancolico que isso


Pessoal, aqui diz que a inflação comeu o patrimônio das pessoas.
E aquelas que tinham ações em bolsa, também foram prejudicadas?
Porque olhando a inflação nos últimos doze meses, muitas ações negociam depreciadas.
Alguém sabe me dizer se numa inflação pesada ativos como ações são prejudicados?
Grata.


Sim, você dá educação, mas não tem atividade econômica e nem emprego.


Olá Alexandre

"Nesta atual disparada dos preços de combustíveis, tanto derivados de petróleo quanto de fontes renováveis, SE o Estado no intuito de desestimular o uso de transportes à base de combustíveis, baixasse uma lei que deliberasse a cerca de todas as vias urbanas do país restringissem um espaço exclusivo para bicicletas de deslocarem; e no caso de vias com mais de uma faixa no mesmo sentido que um faixa inteira fosse reservado para este fim. Se isto fosse possível, eu pergunto, segundo a visão do IMB, haveria aí alguma incorreção aí do ponto de vista intervenção e da gestão?"

Penso que não. O governo existe, enquanto proposta, justamente para permitir que as pessoas vivam com mais qualidade. Tudo o que o governo fizer neste sentido, é legítimo. Tudo que fizer em sentido oposto, está errado. Simples assim.

O grande questionamento que se faz mundo afora a cerca do Estado, aliás, dos governos, é que os eles não estão a atuar pelo bem estar das pessoas mas apenas pelo seu próprio bem-estar e de seus parceiros.

Obviamente um governo sério, cada vez mais raro, preocupado em fazer coisas que melhorem a vida das pessoas, tem legitimidade e autenticidade, e suas ações de governança não podem ser confundidas com intervenções que gerem recessões.

Acompanhei sua discussão com os demais colegas e o que posso dizer a cerca de um estímulo à ciclovias impactarem na redução do preço dos combustíveis?

Fiz uma pesquisa rápida no internet e não encontrei nenhum estudo ou artigo que avaliasse esta questão. Então eu não saberia dizer se, por exemplo, numa avenida expressa que passassem 100 mil carros por dia, se eventualmente fosse ali construída uma ciclovia, se este tráfego passasse a ser de 90 mil ou 80 mil carros por dia com esta diferença migrando para as bicicletas, se, mediante tal mudança, e isto fosse um fenômeno nacional, se isto reduziria o preço da gasolina e do álcool.

Eu realmente não saberia responder isto. E realmente também não sei se alguém saberá te responder.

Agora, eu observei que em análise na Europa se constatou que os cidadãos que tem carro e bicicleta consomem mais no comércio quando eles saem de bicicleta que quando eles saem de carro. E realmente é algo fácil de entender. Ciclistas são clientes potenciais que passam em baixa velocidade podendo observar o seu entorno, e não exigem grandes áreas de estacionamento, podendo facilmente parar em frente a uma vitrine, entrar numa loja, conhecer um serviço e adquiri-lo. Uma pesquisa do "Sebrai" australiano chegou à conclusão que pequenos comércios próximos a ciclovias vendiam mais se fizessem vagas de estacionamento para bicicletas ao invés de carros.

Observei também que nas grandes cidades do Brasil hoje, já se utiliza mais bicicleta que taxis para pequenos e moderados trajetos. Ou seja, é uma modalidade de transporte que não se pode negligenciar. Como você falou, tem também a questão da eletrificação que pode e certamente abrirá um novo campo de desenvolvimento de produtos nesta área que demandarão por espaços próprios. Investir em ciclovias, em ultima análise é criar condições para um mercado de desenvolvimento que está por vir.

Neste cenário temos ainda a Política Nacional de Mobilidade Urbana, que tem força de Lei Federal, e tem como uma de suas diretrizes a "prioridade dos modos de transportes não motorizados sobre os motorizados", determinando que o uso de bicicletas deve ter prioridade sobre o uso do automóvel. A construção de ciclovias cumpre, também, uma das diretrizes dessa Lei, que determina ainda a "dedicação de espaço exclusivo nas vias públicas para os serviços de transporte público coletivo e modos de transporte não motorizados"

Como ciclista de final de semana (apenas por questão de saúde), que divide espaço com carros nas ruas da minha cidade, devo dizer que algumas questões relacionadas a isso deveriam ser de domínio do senso comum:

1. A maior parte das cidade do Brasil ainda está estacionada no século passado em relação à mobilidade.
2. Negar o desenvolvimento sustentável - onde o uso da bicicleta como alternativa de transporte se inclui - é manter um conceito ultrapassado e já abandonado nas cidades mais desenvolvidas do mundo.
3. É fato que mais pessoas não usam bicicleta no dia a dia pela falta de segurança, que passa necessariamente pela ausência de infraestrutura.
4. Existe lobby de grupos de transporte (ônibus e metrô) junto aos governos, para levar as pessoas pobres para as periferias de modo que elas dependam de seus serviços. Este pessol definitivamente não simpatiza com a ideia de ciclovias. Porque será?
5. No que tange ao transporte, as pessoas tem direito de escolha. O individuo pode ter carro, moto e bicicleta. E ele escolhe qual usar de acordo com as suas premissas individuais. Choveu, vai de carro. Ta sol, é perto, vai de bicicleta. Vai a pé.
6. Deslocamento de bicicleta é mais seguro que deslocamento de carro uma vez que a energia cinética envolvida é significamente menor.
7. Ciclovia aumenta a integração e convivência entre a comunidade. Espaços impossíveis de serem ocupados por condutores de automóveis quando ocupados por ciclistas deixam de ser espaços ociosos. Espaços ociosos, pouco frequentados e abandonados pelo poder público e pelos cidadãos têm maior índice de serem ocupados pela criminalidade.
8. Onde no mundo se faz ciclovia ela é utilizada seja para o trabalho ou diversão. Nunca fica ociosa. [Pesquisas indicam que existe um contingente elevado de pessoas que alegam que so usariam a bicicleta a partir da proteção oferecida por áreas segregadas. Este número chegou a 47% dos jovens entrevistados.]
9. No mundo hoje a principal causa de morte é a cardiovascular. E a principal arma é contra é a atividade física. Qual impacto uma política de construção de ciclovias teria? Não sei. Mas não seria pouco.
10. Ganha-se tempo. Em sao paulo algumas avenidas não passam de 7km/hora no horário de pico. Uma bicicleta anda-se facilmente aos 30 km/hora.
11. Economiza-se dinheiro.
12. Melhora a qualidade do ar, pois simplesmente não polui.

Resumindo

O Brasil e a economia de fato não podem andar sobre uma bicicleta como algum debatedor disse. Contudo este fato não anula que pessoas possam andar de bicicleta para laser e trabalho mediantes duas possibilidades. Não se trata de impor, mas de ofertar novas perspectivas.

Abraços a todos.


Sim, o domínio do Trivium é crucial. Mas, hoje em dia, praticamente ninguém faz a mais mínima ideia do que seja isso.



O que vocês pensam desse artigo do Business Insider?

"A worker in Florida applied to 60 entry-level jobs in September and got one interview"

Acho que tem um certo teor esquerdista dentro da matéria, inclusive com um tópico no Reddit mencionado (um dos maiores antros de esquerdistas da Internet).

Mas o que dizer então do artigo que a Brett Cooper postou, o qual já mostrei a vocês aqui?


Bitcoin em reais (a escala tem de ser logarítmica; mas contrário, a coisa fica exponencial demais):

ibb.co/TkR9rdC

Boa sorte a quem mantém todo o seu patrimônio em uma shitcoin estatal livremente manipulada por governos. Vai precisar.


O uso do Trivium poderia ajudar a recuperar o nosso ensino, tão degradado? Estou lendo o livro "O Trivium: as artes liberais da lógica, da gramática e da retórica", da Irmã Miriam Joseph (publicado pela editora É Realizações). Isto me dá esperanças!


"para se produzir, basta um empreendedor com boas ideias, vontade e algumas maquinas? - Descaracterizando completamente o valor da mão de obra…"

Cada vez mais a mão de obra fica estagnada e os bens de capital aumentam a produtividade. Não é a mão de obra que descaracteriza. É ela própria que tem seu limite. Empreendedor esperto aceita isso e investe em bens de capital.


Pqp, depois de tudo que aconteceu envolvendo o governo chinês e o Elon Musk vocês ainda não largaram desse dinheirinho de jogo online (chamar isso de moeda é deboche, sem mais)? A coisa já tá beirando o terraplanismo por aqui...


"Distribua-se toda a riqueza do mundo em partes iguais para cada ser humano hoje. Daqui a 10 anos, boa parte dos ricos de hoje terão voltado a serem ricos. E boa parte dos pobres de hoje terão voltado a serem pobres. Porque lhes faltam educação que os permitam compreender o que a acontece e agir diante do cenário."

Você tocou exatamente naquilo que é o grande furo da ideia redistributivista, de nada adianta o pobre subitamente ter mais dinheiro se ele não sabe usá-lo, o próprio autor de "pai rico, pai pobre" repete isso múltiplas vezes no livro, o pobre simplesmente não sabe investir, não sabe usar o dinheiro pra ganhar mais dinheiro, só o que ele entende é consumo gratificação imediata e não tem visão de longo prazo. Pra mudar isso só mesmo com educação (de preferência não estatal, pois esta só ajuda a piorar o problema).


Se todos produzissem o q consomem, as coisas não teriam valor algum... O capitalismo, é uma máquina de criar valor, ou seja, de criar raridades, e a mais nefasta é concentrando meios e saberes de produção em meia dúzia de pessoas enquanto transformam todo o resto em bestas sedentas por consumo q nada sabem o q produzir...


Sim. Quem argumenta a favor desdobra a questão de algo que têm alguma possibilidade de ocorrer para algo que certamente vai ocorrer. E muita gente cai no conto. É do mesmo tipo de que se aplicar dez porcento do PIB em educação, seremos uma Coreia do Sul. Sem falar no termo "gratuito" embutido quase sempre nesses adágios. Como se os funças trabalhassem sem receber remuneração (só pelo amor ao povo) pelos serviços que prestam...


" para se produzir, basta um empreendedor com boas ideias, vontade e algumas maquinas? - Descaracterizando completamente o valor da mão de obra..."

enquanto uma parcela da sociedade decidiu ficar encostada em casa apenas recebendo e consumindo , o agronegocio brasileiro segue batendo recordes , se nao faltou comida na sua geladeira é hora de agradecer a engenharia mecanica e ao capital bem alocado , pois vai tentar alimentar tanto encostado sem ter uma tremenda produtividade


A hipocrisia continua a mesma no mundo político, um absurdo esse tipo de proposição por parte dos nossos pseudos representantes.


33 por cento de arrecadação mais 13 por cento de déficit. O governo tá gastando só 46 por cento do PIB. Trabalha-se metade do ano só pra pagar o governo.


Ué, e exatamente todos os empreendimentos que automatizaram estão indo bem. Já aqueles que continuaram confinando na mão-de-obra humana estão sofrendo. Deveriam ter automatizado. Não o fizeram, agora pagam o preço.

Veja o que ocorre neste exato momento nos EUA: os portos estão lotados de navios repletos de produtos industriais (feitos com pesada automatização). Mas estes não chegam às prateleiras porque não há pessoas para fazer isso (estas estão em casa ganhando US$ 1.200 do governo).

brownstone.org/articles/the-rationing-is-already-here/

Ou seja: a parte da economia que foi automatizada segue funcionando perfeitamente. Já a parte que ainda não foi (preferiu continuar confiando na mão de obra humana) sofre escassez. Nunca uma teoria foi tão comprovada na prática. E nunca o processo de automatização ganhou um impulso tão grande.


O interessante é que lá nos EUA até os governos estaduais dão seguro-desemprego, coisa que aqui no Brasil inexiste. Evidente que a situação fiscal desses estados americanos está bem melhor que os daqui. Se os daqui fizessem isso, seria uma quebradeira pior do que a que houve na década de 1990.



Desregular todo o setor energético e elétrico.

Se copiasse o que é feito nos Estados Unidos, já seria uma vitória. E o álcool nos postos ficaria bem menos caro, mesmo com a nossa moeda ruim.


"estimularem a volta à produção e acabarem com o auxílio de 300 dólares por semana, para que ao menos a atual escassez de produtos fosse mitigada."

Ora, mas não é neste site que exaltam-se os empreendedores dizendo que para se produzir, basta "um empreendedor com boas ideias, vontade e algumas maquinas"? - Descaracterizando completamente o valor da mão de obra...

Nada melhor que o tempo para expor as meias verdades.


Graças a Deus que por meio de um concurso público pude fazer minha vida e me afastar da pobreza. Ter um pensamento de sempre estudar, trabalhar, poupar e empreender. Está tudo ruindo hoje em dia. A única forma de você se garantir futuramente é empreendendo. Com muito suor e trabalho consegui algo. Pois se dependesse desses governos passados e atuais estaria que nem a maioria da população. Na miséria e indigência. Sei que daqui a mais dias ou menos dias a estatal que trabalho vai privatizar. E com isso poderei ser substituído por alguém que irá ganhar um terço do meu salário. Mais o que não temos controle não adianta se preocupar. Sempre se preocupe em estudar, se valorizar e poupar. Pois só a poupança que assegura o investimento para empreendedorismo.


Bom post.
Quer dizer que a tal 'Teoria Crítica' que a tudo contesta e intenta desconstruir, não se submete a seu próprio pressuposto... que 'conveniente'...
É incrível que em pleno 2021, pós-moderno, tenha sido só agora ''detectado'', o mundo anda muito estranho realmente.
Que o Brasil se endireite mais.



A única forma de acabar com a pobreza é dando EDUCAÇÃO para o pobre. E isso pode ser proporcionado pelo Estado e/ou por pessoas físicas benevolentes e minimamente abastadas. Tudo o mais, NA MINHA PERSPECTIVA, é balela.

Distribua-se toda a riqueza do mundo em partes iguais para cada ser humano hoje. Daqui a 10 anos, boa parte dos ricos de hoje terão voltado a serem ricos. E boa parte dos pobres de hoje terão voltado a serem pobres. Porque lhes faltam educação que os permitam compreender o que a acontece e agir diante do cenário.

Enquanto o rico tende a ser proativo, o pobre - INGORANTE SEM EDUCAÇÃO - não consegue ser sequer reativo. É um coitado, dependente de restos. Pegue um pobre que pelos motivos mais diversos teve uma mínima oportunidade de estudar e teve vontade. Leu, interpretou, fez contas, debateu, correu atras de informações de seu interesse, tirava boas notas na escola (mesmo estas provas não provado nada)... É um pobre com alta probabilidade de não continuar a ser pobre a partir de sua fase de vida produtiva.

A EDUCAÇÃO - adequada - é libertadora em todos os níveis que se pode levar em conta esta palavra. A educação tira o pobre da miséria para um emprego de baixo salário mas que permite a sua subsistência, até no outro extremo a ter uma formação altamente valorizada em salários ou ganhos empreendedoriais.

E acesso a boa EDUCAÇÃO é tudo o que o pobre do Brasil não tem. E lamentavelmente isto parece ser DELIBERADO. Por quem e porquê, é que devermos ao menos tentar entender.


Leandro, acho que vai precisar atualizar este artigo...

Apesar de o Brasil ter praticamente a maior carga tributária da América Latina (33,1 %, só perdendo para Cuba e Barbados), o governo é extremamente gastador e não tem um superávit primário desde 2014. Por consequência, o governo se endividou em R$ 1,01 trilhão (não obstante os R$ 2,44 trilhões de impostos coletados), no ano passado.

O governo brasileiro gastou o equivalente a 20,49 % do PIB em 2020¹. Isso é maior que no México (12,75 %), Paraguai (12,87 %), Colômbia (17,72 %), Chile (15,86 %) e Equador (14,6 %). E detalhe que todos esses países possuem uma carga tributária menor do que aqui. E recentemente passamos o Japão, já que eles estão com 20 % do PIB em gastos governamentais.

Entre os BRICS, por enquanto o governo brasileiro perde para o russo e o sul-africano: o governo Putin torrou o equivalente 20,7 % do PIB, e o governo sul-africano gastou 22,56 %. O governo indiano, por outro lado, gastou o equivalente a 12,6 %. Não saíram ainda os dados da China.

De fato, o governo brasileiro gasta menos (proporcionalmente) do que os governos norueguês, germânico, finlandês e dinamarquês. Mas tem uma diferença: esses quatro governos controlam o orçamento (e com grau de investimento), sendo países com estabilidade institucional, moedas sólidas e com população extremamente produtiva. Por outro lado, os governos de Singapura (12,4 %), Irlanda (12,85 %), Coreia do Sul e Luxemburgo (18,2 %), Portugal (18,7 %) e Hong Kong (12,7 %) gastam menos.

Realmente não dá para entender por que o Brasil tem um estado titânico em relação até aos vizinhos do continente.

¹ Gastos excluindo todos os encargos da dívida. Dados aqui.


Com a saída do BNDES da Vale S.A. nesse ano, eu vi por esse site de que o Previ ainda tem uma pequena parcela no total das ações da empresa.

O "Governo Federal" consta com 100 em %PN. O que seria o "%PN"?

O interessante é que, apesar dessa discreta saída do governo da Vale, a empresa se tornou extremamente produtiva e lucrativa. Foi bom até para os políticos, afinal há cidades de Minas Gerais cujas receitas das prefeituras dependem das atividades mineradoras. Qual a lógica de o governo vender uma estatal para um fundo de pensão de uma estatal? Parece-me tão lógico quanto a fusão da Nossa Caixa com o Banco do Brasil.

Eu tenho certeza que se as instituições educacionais brasileiras estatais tivessem capital misto (se é que isso seja possível), os serviços melhorariam, ainda que longe de uma empresa 100 % privada. Pelo menos os funcionários teriam menos privilégios.


Notícia de hoje:

Governo zera imposto de importação para lista de bens de capital

Itens isentos vão desde equipamentos médico-hospitalares a maquinários industriais

E aí, é subsídio?

Tem "liberau" aqui, principalmente ligado ao Novo, que vai dizer que é.


"Se o governo taxa um só, há distorção e privilégio."

Errado. Se o governo taxa um só, há injustiça. O tributado tem de ser isentado. Ponto. Ninguém tem privilégio neste seu cenário.

Estamos você e eu na economia. Nenhum de nós é tributado. Aí o governo vem e passa a tributar você. Não há privilégio nenhum aí. Há apenas uma injustiça. Você tem de voltar a ser isentado. Não sou eu que tem de passar a ser tributado.

"Não importa se não cobrava de ninguém ou cobrava dos 2."

Ora, mas é óbvio que importa. Isso altera tudo, como demonstrado acima.

"A existência do imposto gera distorção"

Correção: a criação do imposto gera distorção.

"mas a existência de impostos para uma parte gera distorção e injustiça."

Outra correção: a imposição de impostos gera injustiça e distorção.


Ué, mas "falir" nenhum governo irá. Nem mesmo o da Venezuela faliu. Isso já foi explicado inúmeras vezes aqui.

Estados ferram a economia, mas eles próprios não quebram.

Defina melhor os seus conceitos antes de proferir vaticínios.


Essa é fácil: há uma escassez de mão-de-obra. Todo mundo prefere ficar em casa recebendo US$ 1.200 do governo para não fazer nada do que ter de trabalhar.

Isso já foi explicado aqui e a própria mídia de esquerda reconhece isso.

Adicionalmente, a maciça expansão monetária fez explodir a demanda.

Ou seja, todo mundo comprando em decorrência da inflação monetária, e menos gente trabalhando em decorrência do "auxílio" de US$ 1.200 distribuído pelo governo.

É o estado de todos os lados phodendo a economia.


Se o governo taxa um só, há distorção e privilégio. Não importa se não cobrava de ninguém ou cobrava dos 2. A existência do imposto gera distorção, mas a existência de impostos para uma parte gera distorção e injustiça.


Esse artigo deveria ser lido por aqueles "jornalistas" militantes que criticaram o armazém da Amazon no meio da favela na cidade de Tijuana (no México).


E qual a alternativa? Tá prejudicando quem?
Etanol (açúcar caro no mercado internacional)
Veículos elétricos (bandeira vermelha na tarifa)



...mas Japão e Europa são potências imperturbáveis...

Onde foi que eu disse isso ?.
Eu apenas disse que Japão e Europa ainda não faliram.


Porque esta havendo desabastecimento nos EUA se não tem controle de preços lá?


Todo imposto, taxa ou regulamentação atenta contra a livre decisão do produtor em produzir e ofertar seu produto no mercado. Elas restringem a produção ao aumentar os custos desta. As três fazem com que o produtor produza menos combustíveis. Com isso a oferta de combustível é baixa no Brasil. Por isso a gasolina nunca foi barata. Os impostos federais, estaduais ou municipais, não importa a origem, restringem a oferta e colaboram com aumento de preços.


Aproveitando sobre as eleições de 2022:

O Instituto Mises irá apoiar Bolsonaro ou algum candidato do Partido Novo ou Livres ?


Tenho cinquenta anos de magistério superior . UniCuritiba. Estou aposentado . Fui expositor de D . Financeiro e Tributário mais Ciências das Finanças . Cumprimentos aos autores do artigo sobre a Reforma Tributária via Min Guedes. Resumo da Ópera : uma reforma sempre foi pior que dois incêndios . Sugestão : sepultar este anacrônico sistema atual . Com inteligente comissão para estudos de qualidade vamos criar um Novo Sistema Tributário Nacional . E vamos parar de tributar panelas com apito e sem apito . Abraço