clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


Prezado FL,
Muito obrigado pela indicação!!!
Já salvei em meus favoritos.
Abraços!


Bom dia.

Eu passei num concurso em 2004 e desisti de ingressar a tempo.

Argumento derrubado, próximo por favor.



Não é surpreendente que Lula e outros da elite esquerdopata prefiram se tratar em hospitais privados do Brasil (como o Sírio-Libanês e o Albert Einstein) ou de países desenvolvidos/capitalistas?


* * *



A Escola Austríaca é uma escola de verdade! Digo isto, porque seus pensadores ao longo do tempo tem a capacidade de apurar, perceber e reconhecer as falhas de seus antigos mestres, aproveitar o que for coerente e correto e rejeitar o que é dispensável. Muito diferente de socialistas e keynesianos que são seitas políticas com ideologias econômicas fora da realidade, e que tem como pior aspecto possível, a incapacidade de reconhecer os erros dos seus idolatrados ideólogos, incapazes de se atualizarem.


É só questionar quem vive de parasitismo do dinheiro alheio, e qual empreendedor/trabalhador/profissional/empresário depende de conselhos administrativos de qualquer burocrata/político para manter empresas e inovar no mercado, aí se vê quem realmente depende da existência do outro.


Professor Iorio, está crítica do Salerno está correta?
Obrigado!

"Contudo, a tradição mengeriana foi desenvolvida em direções muito diferentes por seus brilhantes seguidores Eugen von Böhm-Bawerk e Friedrich von Wieser e por seus próprios alunos e seguidores. Sem entrar em grandes detalhes sobre o desenvolvimento desses ensinamentos , é suficiente dizer que hoje o termo "economia austríaca" é usado para designar dois paradigmas muito diferentes. Um deriva de Wieser e pode ser chamado de paradigma "hayekiano", pois representa uma elaboração e sistematização das posições defendidas por F. A. Hayek, um aluno de Wieser na Universidade de Viena. Apesar de ainda ser reconhecida de forma geral pelos austríacos, a influência de Wieser sobre Hayek foi considerável e é especialmente revelada nos trabalhos iniciais deste na teoria de imputação, que buscava justificar a posição wieseriana (contrária à böhm-bawerkiana-misesiana) que o problema da imputação deve ser resolvido dentro do contexto de uma economia de troca sujeita ao controle de uma única vontade, mas ainda sendo capaz de calcular, de alguma forma, usando o valor (subjetivo) como "forma aritmética de utilidade". O paradigma hayekiano enfatiza a fragmentação do conhecimento e sua dispersão entre a multitude de indivíduos consumidores e produtores como o problema primário da cooperação social e econômica e vê o sistema de preços do mercado como um meio pelo qual tal conhecimento disperso é externado e comunicado aos tomadores de decisão relevantes no processo de produção."

Joseph Salerno


Hayek sempre foi um liberal. Não é correto taxá-lo de
social-democrata, nem nos seus últimos livros. É preciso
levar em conta que foram escritos em plena Guerra Fria, em
que a opção era entre capitalismo e comunismo e o ambiente
era tenso. Seu propósito era mostrar ao seu público que a opção
era ou um ou outro. O propósito de Mises era outro, assim como
o ambiente e o público.
Mises e Rothbard podem parecer mais liberais, porém eram apenas
(grandes) teóricos. Hayek também era teórico, mas sua obra
era mais pé no chão. Foi, digamos, um liberal realista.


"Defendo o estado mínimo, com prioridades, o estado cuidando de saúde e educação."
Ah, se foder...

O que tem de "minarquistas" e conservadores defendendo essas bobagens, governo na educação e na saúde, não é brincadeira.


[OFF]

Alguém poderia me indicar artigos que tratam sobre a economia da época do regime militar brasileiro?
Agradeço desde já.



O Canadá é rico e tem APENAS 37 milhões de habitantes para uma extensão maior que o Brasil.

Eles NECESSITAM mais população.



Se a esquerda continuar no poder no ano que vem, teremos que soilicitar um processo de impeachement contra o Hélio Beltrão, para eleger o Paulo Kogos presidente do IMB.

Paulo Kogos 2019 !


Essa ideia é tão absurda que se for levada mesmo a sério, China, Rússia, Índia, Síria, Venezuela, Zimbábue e a Coreia do Norte são mais liberais que os Estados Unidos.

Outro erro comum é achar que olhar a carga tribuária, é o mesmo que olhar quais países cobram mais impostos.
Querer que a Índia (que já cobra +40% de impostos das empresas, há os dados no Doing Business) pague todos os impostos exigidos é estar com a cabeça em uma outra dimensão.
Não é simplesmente aumentando impostos como bem quiser que a carga tributária irá aumentar, AINDA MAIS em países pobres.


E não é só na economia não, em questão do aborto há visões opostas (sou da visão rothbardiana), assim como imigração (sou da visão do Walter Block)... há visões se o libertário deva ou não ser conservador, há libertários conservadores e libertários não-conservadores... bom eu não li ainda nenhum livro e artigo do Hayek, então de princípio eu concordo com o artigo do Hoppe. Pode até ser interpretado como "cherry picking" o fato de eu concordar e/ou discordar de certas ideias de certos autores do meio, mas acho o melhor que pode ser feito.


A concorrência é tão aberta no Brasil que só possui a Petrobras aqui. Qual outra empresa que extrai e refina petróleo no Brasil? Alguma empresa estrangeira possui algum poço de petróleo em solo brasileiro que pode extrair, refinar e vender pelo preço de deseja?

Sobre a questão do preço, você está falando asneira. Compare o preço dos combustíveis entre diferentes países do mundo e perceba que esse seu argumento só faz algum sentido no mercado internacional. No mercado interno os preços ao redor do mundo são muito diferentes. Enquanto os EUA e a Venezuela vendem uma gasolina baratíssima, Brasil e Noruega vendem uma gasolina caríssima.

Ache petróleo no seu terreno (como já aconteceu) e tente abrir uma empresa como a Petrobras aqui, a ANP irá fazer de tudo para você não conseguir e comprará sua terra por um preço módico.
Se a ANP faz de tudo para que a abertura de postos de combustíveis seja dificílima e engessada, imagine uma extratora e refinadora de combustíveis.

Setor de transportes coletivos, setor de combustíveis, setor televisivo, setor aéreo, setor de telecomunicações, todos eles em tese é possível qualquer um entrar, agora tente fazer isso virar realidade. A burocracia do Brasil é uma das piores do mundo.


Os libertarios nao estao dispostos a virarem parasitas e viverem a custa dos pobres


Apenas uma dúvida:Se Hayek disse que" nenhuma entidade central pode planejar uma sociedade, visto que o conhecimento está disperso",quem é esse cara que foi dissecado nesse artigo:www.mises.org.br/Article.aspx?id=1124.Afinal quantos Hayeks existiram?


Mises é motivo de chacota porque desafia com competência e contundência a visão de mundo dos neoliberais e social-democratas que estão aí representados na academia.

Mas antes não era motivo de chacota. Subimos na "escala Gandhi". Agora estão brigando contra Mises. E aí venceremos.


Sobre a superioridade das canções folclóricas sobre qualquer outra forma de música.

Vivemos em um tempo tão materialista que poucas pessoas tiveram uma percepção importante diante do momento mais nacional em que vivemos: O tipo de música que ouvimos no carnaval é quase que exclusivamente comercial. O que quero dizer com isso? ora, estou apenas dizendo que o mais forte através do livre mercado se apropriou, indevidamente, de toda cultura de um povo.

Música comercial vs Música Folclórica.
Eu fiz uma pequena busca no Google com o objetivo de saber quais serão as principais músicas para o carnaval de 2018, ou seja, será, provavelmente, a música que vai "bombar" neste carnaval. O resultado me apresentou a seguinte música em primeiro lugar: "Joga Bunda". Na letra podemos encontrar o seguinte refrão: Ela joga a bunda, ela joga a bunda Ela joga-joga-jo-joga-jo-joga a bunda \Ela joga a bunda, ela joga a bunda\Ela joga-joga-jo-joga-jo-joga a bunda\ Sim! é exatamente isso que você está lendo, a música se resume nesta repetição sem fim. Isso sem contar o excesso de auto tune com o objetivo de mascarar a qualidade vocal destas senhoras.

Diante de tamanho poder intelectual, as três cantorx desta obra de arte - Pabllo Vittar, Aretuza Lovi, Gloria Groove - receberam milhões em shows e propagandas, também não param de aparecer em programas de televisão e rádio. Ora, se o mercado é tão justo, quem foi que produziu e deu fama a este refrão? fui eu? Vemos claramente que o sistema capitalista através de suas tecnologias preferiu escolher a dedo um lixo cultural, pois sabiam que somente destruindo a cultura real do povo, eles poderiam implementar o neoliberalismo malucão.

Eu gostaria que você soubesse, neoliberal, que antes de haver todo esse lixo musical, as músicas do Brasil nasciam do seio do povo. Havia um tipo de música, humana, social, que fazia pensar na comunidade em que vivíamos. A música Folclórica era um tipo de música que era transmitida ao longo das gerações de pai para filho, de comunidade para comunidade. Era o tipo de música que necessariamente precisava ser cantada vocalmente por pessoas comuns da comunidade com objetivo de transmitir uma mensagem. Que mensagem? que não ligamos para o mundo lá fora, pois existe "nós", comunidade social, de vivencia comunitária.



Conclusão
Vivemos em uma época profundamente materialista, onde absolutamente tudo - até mesmo o conteúdo que atinge diretamente a alma, como é o caso da música - está sendo plastificado, como algo postiço, como algo de mentirinha. Cria-se falsas culturas e interesses para pessoas que não sabem nada, e infelizmente, são induzida por músicas que trabalham com o sentido humano.Três ou quatro grandes produtores músicais determinam a cultura de um país inteiro através desta técnica, não somente no Brasil, mas no Mundo[1]; eles praticamente acabaram com a verdadeira música popular. Tudo muito triste. Tudo muito desumano. Maldito seja o Capital!

[1]The Truth About Popular Music
www.youtube.com/watch?v=IP0wuwJBdMI

[1]The Truth About Popular Culture
www.youtube.com/watch?v=lyLUIXWnrC0

Capital Imoral é filósofo, escritor e já refutou Mises.


Olá camaradas !

Isso mesmo, temos que lutar sempre pela igualdade.

Fica aqui o meu protesto: eu e o Engels deveríamos ter tido a mesma fama.

De qualquer forma estamos muito felizes com os resultados que as nossas idéias produziram: Rússia Bolchevique, China Maoísta, Cuba Castrista, Venezuela e boa parte da AL Bolivarianas, países Africanos comunistas, e, o nosso grande orgulho que é a Coréia do Norte. Em todos esses lugares a igualdade é uma benção do nosso líder e ditador Satanás (Satã para os íntimos).

Para finalizar gostaria de dizer que Eu e o Fred não gostamos do Hayek e muito menos do Mises, são dois zé-ninguéns que não entendem nada de economia. Como podem defenderem o capitalismo, uma coisa absurda que provoca a desigualdade num ambiente de total opressão? Assim não dá, assim não pode !

Bom, me despeço por aqui.

P.S. Caso alguém queira nos visitar, residimos 13.º e último andar do inferno. É também onde fica toda diretoria, incluindo nosso grande e chifrudo líder.

Saudações Vermelhas !
KARL MARX


quanta dor de cotovelo, só porque vcs nao tem capacidade intelectual para passar em um concurso


Marcela, tenho dúvidas se o problema seja o "povo alienado"e não uma questão de"cultura", pois não creio que um escandinavo "dos dias de hoje", resolva de imediato ir contra as políticas de "bem estar social" e "cair dendro" do libertarismo.

Quanto a questão dos youtubers sitados terem mais seguidores do que aqui, creio que seja pelo fato deles se comunicarem na mesma "linguagem" e no mesmo padrão de "inteligência" das massas. Se a intenção é chegar às massas, que não tiveram acesso a uma educação minimamente decente, talvez devesse haver a humildade de se procurar mudar a abordagem. Se um youtuber besteirol consegue vender "o seu peixe", se tiver humildade, com muito mais competência e eficiência, um libertário também conseguirá.
Abraços.


Não concordo com o resultado da pesquisa, acho o Brasil muito corrupto.
A corrupção não é exclusiva da administração pública, ela se dá em todos os estamentos da sociedade, é admirada e incentivada pela maioria dos adeptos da Lei de Gérson ("Gosto de levar vantagem em tudo.").



Obrigado por compartilhar esta análise Professor Ubiratan. Certamente temos que absorver o que tem de melhor em cada autor e nunca esquecer o contexto em que a obra foi escrita. Mas ao final, criticar é mais fácil do que fazer.



"Em seu livro A Arrogância Fatal, Hayek diz que, na realidade, o socialismo é a manifestação social, política e econômica do pecado original do ser humano, que é a arrogância. O ser humano sempre teve o devaneio de querer ser Deus — isto é, onisciente.

Por isso, sempre, geração após geração, temos de estar em guarda contra o socialismo, continuamente vigilantes, e entender o fato de que nossa natureza é criativa, do tipo empresarial"

Jesús Huerta de Soto, em O que é realmente o socialismo e qual o seu maior problema.


"Um princípio é a expressão da perfeição, mas como a perfeição não pode ser praticada por seres imperfeitos como nós, criamos a cada instante limites às nossas concessões na prática." ~ Mahatma Gandhi

Ou seja, um princípio é por definição "utópico", e serve apenas como guia-mestre, bem como o meio mais apropriado para se alcançar os benefícios que todos nós desejamos. A prática, por outro lado, é um âmbito no qual é essencial fazermos concessões para que haja avanços. Tão logo o princípio que se julgar mais eficiente esteja claro, a questão de como agir na prática se torna simples - toda vez que uma ação ou proposição fluir da direção do princípio, por menor que sejam os efeitos de tal ação, esta deve ser celebrada. Por outro lado, caso seja indiferente, ou ainda caso se distancie do princípio, deve ser rejeitada.


Um austríaco minarquista, como eu, considera Hayek um social-democrata moderado. Simples. As funções do estado devem ser rigidamente limitadas, e não o cheque em branco que os estatistas fazem. Se existe algum tipo de serviço que não é lucrativo oferecer, então simplesmente não se deve tributar a população para oferecê-lo.

Por fim, o Mises deixou claro que se o estado não está cumprindo bem sua função, limitadíssima, o indivíduo tem todo direito de romper, por exemplo através da desobediência civil. Isso não é uma revolução anarquista.


Por isso não se deve confundir o economista Hayek com o cientista político Hayek. Ambos eram distintos em seu brilhantismo. Não se pode julgar um lado baseando-se no outro lado.


Hayek não é um social democrata, isso é fato. Ele pode, como fez no início, ter defendido a ideia de que o estado deveria ter algumas funções que não são "liberais", mas não dá para dizer que o homem que propôs a total desestatização da moeda (algo muito além de Mises) seja um social-democrata.


Apesar do Hayek ter dado uma aloprada em sua idade avançada, confesso que sem "Caminho da Servidão" e "Free to Choose" do Friedman minha curiosidade não teria se estendido até "A Ética da Liberdade".

Acho provável que o Hayek seja um chamariz instigante pra EA.


Você se refere a esse trecho aqui? Nada demais nele.



Apenas um neokeynesiano que defende ajuste fiscal via aumento de impostos (Lisboa) falando que há outros "liberais" a serem seguidos. E há mesmo. O que mais tem por aí é "liberal" defendendo aumento de impostos pra bancar a mamata do funcionalismo público.

Quanto a ser "motivo de chacota" desconheço uma única sequer (que tenha o mais mínimo fundamento). Digo apenas que é extremamente comum "intelectuais" insignificantes e sem qualquer trabalho reconhecido terem raiva daquele cujas previsões econômicas se revelaram acertadas (impossibilidade prática do socialismo, crise de 1929) e cujo legado segue se fortalecendo décadas após a sua morte (ao contrário de todos os outros economistas).



O problema do Brasil está na carga tributaria, o produto é taxado de forma absurda, essa tributação financia a corrupção.


O infame "erro" de achar que é a carga tributária quem determina se um país é socialista ou não. Essa ideia estúpida é muito comum entre os esquerdistas americanos que ainda "não aprenderam" a distinguir entre socialismo e social-democracia.

Os estados de países socialistas, por definição, possuem uma participação baixa ou média no PIB de um país. Se o governo controla todas as empresas, todos os preços dos produtos, todas as transações comerciais, todos os salários recebidos, como diabos a carga tributária pode ser alta?

O estado soviético controlava absolutamente tudo dentro do território da URSS, no entanto a participação no PIB não chegava nem próximo dos 50%, inclusive foi por muito tempo menor que dos Estados Unidos.

www.quora.com/What-was-the-percentage-of-government-spending-in-the-Soviet-Unions-GDP

Portugal, França e Espanha possuem uma carga tributária maior que Cuba. Será que esse idiota acha que esses países são socialistas e Cuba não?

Um idiota que se diz socialista, possui um canal sobre marxismo e não saber disso é prova que possui probleminhas mentais e não merece nunca ser levado a sério.


Eu tava assistindo o debate entre o economista Marcos Lisboa e o ex prefeito Haddad... teve um momento que os caras fizeram piada do Mises...(como se não desse pra levar a sério esse sujeito)

O economista chegou até a afirmar que não existe MERCADO sem ESTADO.


Por que Mises é tão motivo de chacota ?





"Mercado está aberto desde 1997. Até a importação é liberada."

Assim é gostoso. O mercado ficou completamente fechado de 1953 a 1997. O que isso significa? Que após mais de 40 anos de monopólio (quebrado apenas em 1997), a Petrobras já havia se apossado das melhores jazidas do país. Sendo assim, nem tem como alguém concorrer.

É como você chegar atrasado ao cinema: os melhores assentos já foram tomados, e você terá de se contentar com os piores. O monopólio de jure de fato não existe mais. Só que, na prática, continua intacto.

"os principais vilões do preço da gasolina são os impostos e o seu estado é que fica com um bom percentual, através do ICMS."

Concordo muito com a questão tributária. Mas, nos últimos seis meses, os impostos não explicam os reajustes dos preços nas refinarias. "De julho até agora (janeiro de 2018), a alta acumulada nas refinarias da Petrobras foi de 24,80 % na gasolina e de 27,40% no diesel, sem contar aumentos de impostos." (Fonte).

Eis o fato incontornável:

1) Ou uma estatal é espoliada por políticos, e acaba tendo de subir os preços pra refazer seu caixa;

2) Ou ela é bem gerida (na medida do possível), o que significa que ela tem constantemente de subir seus preços para honrar sua folha de pagamento, dado que a empresa é loteada por apadrinhados políticos e aparelhada por apaniguados.

Não tem segredo. E nem solução.

"Privatização não reduz impostos".

Concordo.

"A Petrobras NÃO fica com dinheiro de impostos".

Errado. Sendo estatal, a empresa sabe que, em última instância, receberá um aporte de capital do governo, com o dinheiro de nossos impostos. Isso, por si só, já aniquila qualquer incentivo à eficiência.

"A adição de álcool na gasolina é Lei Federal que beneficia usineiros e não a Petrobras."

E, se não fosse tal adição, o preço da gasolina seria ainda mais alto, pois um volume maior de gasolina (que hoje é preenchido pelo etanol) estaria sendo consumido.

"Vários paises fazem o mesmo. Reduz poluição e diversifica a matriz energética."

Lá, a mistura não passa de 10% (aqui chega a 27%). Ou seja, se reduzíssemos para 10%, o volume de gasolina consumido seria muito maior, e a estatal (ineficiente) teria de cobrar preços ainda maiores.

Logo, a adição de etanol é também uma espécie de "política de controle de preços".

"Petróleo é commodity, logo o preço é definido internacionalmente pela curva oferta vs demanda. Além disso, preço é em dólar. Nenhuma petroleira vende abaixo do preço internacional, exceto estatais de países com altíssima produção e população pequena."

Com a única diferença de que, quando um país possui livre concorrência no setor, várias petroleiras importam petróleo, e brigam por clientes via preços nas bombas de combustível (é assim nos EUA). No Brasil, dado que o mercado (monopolizado por 40 anos) é efetivamente controlado pela Petrobras, não há qualquer vestígio de livre concorrência. Nem teria como, dado que 40 anos de monopólio causam uma irreversível destruição do mercado.

"Não existe tributação (impostos) nas exportações, isso é pratica padrão no MUNDO TODO e não só no Brasil. O preço para Petrobras é o mesmo para mercado interno e externo."

Isso passa longe do tópico da discussão.


Sinceramente eu não entendi esse texto de Bryan Caplan. Ele faz suas argumentações contra a EA, mas ao mesmo tempo se considera um ancap. Teria alguma réplica a este texto?

econfaculty.gmu.edu/bcaplan/whyaust.htm


.
Faz sentido, aliás mais sentido.

Show! ...considero esta uma afirmação mais correta ou com maior incidência na realidade.


.
Libertários NÃO SÃO COLETIVISTAS.

O coletivismo é um apelo a um "algo maior" que o indivíduo e por tal com direito sobre estes.

Assim, dentre coletivistas, o que os une é o que chamo de MITO AGREGANTE, que nada é senão o "OBJETIVO SUPREMO" ou "FIM REDENTOR".

Ou seja, IDEOLOGIAS, todas, SÃO COLETIVISTAS porque fundamentam-se em PROMESSAS PARA a COLETIVIDADE. Sempre pretendem justificar os MEIOS, que PRECONIZAM SALVADORES, exatamente na ALEGADA SALVAÇÃO FINAL. Só que tal "salvação" não tem data e tão pouco é uma certeza previsível.

Exatamente por isso todas as IDEOLOGIAS prescindem de NEXO, coerência ou realidade. Afinal é o "objetivo sonhado" lá para um futuro prometido que FAZ VERDADE TUDO QUE EM SEU NOME SEJA AFIRMADO.

Eis aí a diferença entre IDEOLOGIA, TEORIA ou FILOSOFIA.

- Ideologias partem de FINS mirabolantes prometidos para futuro sem data e incerto.

- Teorias e FILOSOFIAS se BASEIAM em PRINCÍPIOS AXIOMÁTICOS e daí prosperam para conhecimentos adquiridos que fundamentarão novos conhecimentos teóricos ou filosóficos.

Os denominados LIBERTÁRIOS possuem PRINCÍPIO que norteia a filosofia que advogam COMO MEIO de AÇÃO e NÃO como objetivo redentor a ser alcançado. ...sem previsão de data, lógico.

...SENDO SEMPRE UMA CENOURA na PONTA de UMA VARA AMARRADA ao LOMBO do JUMENTO. ...isso são as ideologias, promessas fraudulentas para os "profetas" e seus lunáticos seguidores conquistarem o PODER e, como MANÍACOS, CONTROLAREM a VIDA ALHEIA e explorarem-na do jeito que lhes aprouver. Escravizar é o objetivo, pois que pretendem impor sua vontade aos divergentes.


A Petrobras não é do jeito que vocês falam, a verdade é:

1) Mercado está aberto desde 1997. Até a importação é liberada.

2) os principais vilões do preço da gasolina são os impostos e o seu estado é que fica com um bom percentual, através do ICMS.

3) Privatização não reduz impostos. A Petrobras NÃO fica com dinheiro de impostos.

4) A adição de álcool na gasolina é Lei Federal que beneficia usineiros e não a Petrobras. Vários paises fazem o mesmo. Reduz poluição e diversifica a matriz energética.

5) Petróleo é commodity, logo o preço é definido internacionalmente pela curva oferta vs demanda. Além disso, preço é em dólar. Nenhuma petroleira vende abaixo do preço internacional, exceto estatais de países com altíssima produção e população pequena.

6) Não existe tributação (impostos) nas exportações, isso é pratica padrão no MUNDO TODO e não só no Brasil. O preço para Petrobras é o mesmo para mercado interno e externo.



Caro Bonanza, um bom site conservador é o Daily Wire, especialmente por causa do Ben Shapiro.

Desconheço algum site gringo seguidor da escola austríaca.


Essa imprevisibilidade não se resume apenas à questões de saúde e sim sobre todo e qualquer aspecto de sua vida.

A solução? Simples, poupe o máximo que conseguir do seu trabalho. Assim você possui alguma segurança contra as incertezas futuras da vida, sejam elas de qualquer natureza.

PS: Só de curiosidade, porquê as questões de "saúde" são mais importantes que as demais?

PS2: Unha encravada é uma questão de "saúde"?



Outro q não leu Marx e fica fazendo malabarismos linguísticos p amenizar a crueldade das ideias marxistas.


Pessoal do IMB, bom dia!
Por favor ajudem-me com a seguinte dúvida, porque sou um novato em Escola Austríaca.
Além da Fox News, quais outros jornais e sites norte-americanos e europeus são alinhados às opiniões conservadoras e desta Escola?
Abraços!!!


Olá à todos,

Olha não quero defender as atrocidades cometidas pelo Mandela e seus seguidores, mas como um povo deve se livrar de um regime opressor, quer seja pelo governo local ou por uma nação estrangeira? É fato de que muitos povos conquistaram sua independência e liberdade pacificamente, porém a história está muito mais recheada de povos que tiveram que derramar sangue para ter sua liberdade, já que nenhum regime opressor passa a mão na cabeça de revoltosos. Vocês acham mesmo que o regime ditatorial da Venezuela cairia por que o povo estava entregando flores e soltando pombas brancas como protesto contra o governo?




Que nada Álisson, vamos seguir seguir as belas carreiras do funcionarismo público, parar com nossa inveja, acho que seria melhor que todos os cargos fossem públicos, pois são belos, também seria ótimo que todo nosso salário fosse público, pagássemos 100% de imposto para que o Estado retornasse bons serviços a nós.


Sempre saltou-me a vista a criação arbitrária ou fantasiosa de "modelos de valor consensual" mesmo que nestes nenhum valor de fato exista. Um surrealismo moral. Este fato se desenvolve da seguinte forma: um grupo de indivíduos passa a valorizar determinado comportamento, exibindo tal procedimento como característica consagradora dos que o adotam como item de sua escala moral. Na periferia de tal grupo todos observam a anuência eloquente dos integrantes do grupo em triunfante exibicionismo sobre o valor do item moral, alardeado com ostensivo apoio grupal.

Todos percebem a louvação mútua no grupo, como se os integrantes sinceramente se reconhecessem superiores aos demais não irmanados. Logo, os inseguros sedentos de valor postiço tendem a imitar o tal comportamento e adotam a escala moral de tal espalhafatoso grupo corporativo, seja tentando repetir em si as sensações que lhe exibem os integrantes, seja para obter seu apoio ou apenas para exibir a outros a aparência triunfante como integrante de tal grupo,. Tentando convencer a platéia sobre o valor que "se atribui" para, pelo menos, "sentir" através desta platéia que pretende iludir.

- A moda é modalidade desta insânia, pura estupidez, plenamente irracional, onde o indivíduo toma por referência a aparência do meio externo ostentado, induzindo sua mente a valorizar o que pressupõe que lhe atribuirá valor no meio social.
.
Muitos indivíduos que não trocam galanteios entre si, sentem-se atraídos pelo clima corporativo do grupo e querem irmanarem-se para obter as honrarias morais que o grupo reivindica dos demais. Adotam tais itens morais em seus discursos e sentem-se implicitamente reconhecidos em seu mérito, ou "valor social", segundo a opinião propagandeada pelo grupo.
Algo como na GENIAL estória, onde o rei se "veste" com roupas "só percebidas pelas melhores pessoas". Assim, todos que querem se exibir integrantes do grupo "dos melhores", ostentam anuência para com a beleza das "roupas" do rei.
Na estória todos parecem acreditar que os outros realmente as vejam. Então cada um tenta esconder dos demais, e até de si, que não pertencem a "elevada classe" por não verem roupa alguma. Despertos de seu transe quando alguém grita "o rei está nu!".

Na realidade as coisas não são tão simples, até porque nem todos conseguem acreditar que as "belas roupas" existam (ou os bons sentimentos existam), exibindo sua anuência apenas por OPORTUNISMO, pouco importando-se com a realidade do fato e tão pouco com a própria opinião. Assim, no mundo real, tão logo alguém grite que "o rei está nu!", outro grita que uma "má pessoa" se revelou. Todos então encontram o referencial de "inferioridade" que tanto almejavam para sentirem-se superiores; encontraram um dos "piores" que confirma a superioridade dos "melhores" na apoteose BINÁRIA (maniqueísta). Assim os interessados mais reforçam a idéia de que só os melhores percebem as tais "belas roupas" e que eles as percebem.
A coisa só se complica se o número dos "piores que gritam" (visibilidade) aumenta, pois isto aterroriza os que se querem consensualmente reconhecidos como "melhores", respaldados no maior ou mais ostensivo consenso. Como se tal definisse a "verdade" que os consagra, ante o silêncio em contrário. Daí o DESEJO dos ideológicos por CALAR os CÉTICOS e sobretudo os CRÍTICOS.

Quando indivíduos se encontram na companhia anuente de seus pares, tendem a alhearem-se da própria razão, ou consciência, substituindo-a pela "consciência coletiva" do grupo no qual se apoiam. Como se este fosse uma entidade superior ao indivíduo. Preferem então a anuência grupal em detrimento da própria consciência. Perdendo até a noção do ridículo.


.
Esquerdistas, digo socialistas, SÃO MANÍACOS!

São frustrados consigo mesmos, sentem-se inferiores e por isso tornam-se OBSCURANTISTAS:

- Fazem apologia da pobreza como vingança contra as pessoas de sucesso econômico.

- Solidarizam-se somente com BANDIDOS e nunca com as vítimas, porque somente se identificam com os bandidos. São os bandidos que os representam e a derrota do bandido é sentida como mais uma derrota para si.
(Ninguém odeia o árbitro que rouba a favor do seu time, mas odeia os que roubam contra (é da natureza humana: emoção denuncia). Da mesma forma esquerdista não odeia bandido, mas apenas policiais honestos.
Um torcedor pode até admitir que o juiz roubou a favor do seu time, mas JAMAIS conseguirá odiar o juiz. Da mesma forma solidarizam-se com bandidos, mesmo tendo que admitir que são bandidos e ENTÃO começam a INVENTAR DESCULPASe FAZER APELOS EMOCIONADOS. É o único meio de DEFENDEREM os BANDIDOS com que SE IDENTIFICAM e POR TAL SENTEM-SE por eles REPRESENTADOS.

- Defendem tarados e terroristas ISLÂMICOS como vingança contra o mundo que odeiam.

- Defendem TUDO que for NOCIVO ao BEM VIVER e apoiam a degradação das DROGAS, do ROUBO, do BANDITISMO, a MISÉRIA, a BAIXA PRODUTIVIDADE (agricultura familiar e contra trangênicos e defensivos agricolas)...

Enfim, ODEIAM o PROGRESSO, a ALEGRIA GENUINA, o ORGULHO e a DIGNIDADE INDIVIDUAL e TUDO MAIS que for do BEM VIVER.

Sonham com a disseminação da miséria, da dor, da depressão, da frustração sexual
...SÃO OBSCURANTISTAS porque SÃO FRUSTRADOS com a própria individualidade ...daí o apreço por coletivismos onde LIVRAM-SE de SI e da reponsabilidade sobre si.


Muito interessante e pertinente esse texto. Mas eu me atrevo a sugerir algo. Deixar a grade do jeito que está, e aí sim nas disciplinas inserir do jeito que vc indicou, como por exemplo:
- Biologia: inserir primeiros socorros, e por exemplo, para explicar, como o sangue coagula, aí sim, se iria estudar as células, suas compontes, etc. Por exemplo, inseriria nutrição nesta fase, e aí se iriam explicar os componestes da alimentação, como proteínas, gorduras,etc.
-Matemática: Juros compostos, economia, e aí para saber isso, estudariam álgebra, funções, gráficos, depois, para se somar algo, integrais, etc.

E por aí vai, acho que não se deveria mexer na grade e sim torná-las interessantes, sem sala de aula no modelo atual, apenas distribuindo tarefas, onde os alunos a fariam em casa e só iriam a escola para tirar dúvidas.



Nos final da década de 1990 era considerado ridículo falar no celular em um coletivo:

"Tem dinheiro para comprar um carro, mas prefere ter um celular e andar de ônibus!"

* * *


O Brasil é um lugar completamente bizarro.

No início do século, enquanto os países de primeiro mundo já eram prósperos e tinham entre 10 e 20% de carga tributária, o Brasil era de terceiro mundo e tinha a mesma carga tributária.

Nunca um país com governo de mentalidade assim irá ser alguma coisa boa.


Quando o IMB irá falar do Zimbábue? Lá também é um país socialista, assim como a Venezuela.


Estatal o melhor sistema? Kkkkkkkkkkkkk, só se.for em pagar 20 mil para médicos trabalharem 4 horas semanais e ainda atenderem mal... Basta procurar concursos que você acha a rodo. O sistema estatal gera desperdício, as pessoas não se cuidam porque tem a a ilusao de que a saude esta garantida. Faca um estudo a respeito. A saúde estatal não é gratuito e não da acesso a todos. Só um idiota ou muito mal caráter falaria isso... Quer saúde universal? Isensao de impostos para esse setor desde o imposto sobre o território ate o ISS.





"não há verdades absolutas."

E esta sua frase? Ela é uma verdade absoluta? Se sim, então você se contradisse. Se não, então você também se contradisse.

"A unica coisa de que se pode ter certeza é da incerteza sobre toda a existência desde um átomo a galaxias inteiras".

Essa sua afirmação parece ser uma verdade absoluta, certo? No entanto, você próprio afirmou que isso não existe. Logo, você se contradisse de novo.

"Seres humanos parecem nunca aprender, vivem forjando "verdades"."

Essa sua "constatação" é uma verdade absoluta?


Pois é, basta entender que riqueza não é dinheiro, e sim, os bens e serviços ofertados, e que o aumento da capacidade de adiquirir riqueza se dá atravéz do acúmulo do dinheiro como ferramenta, acúmulo este que em uma economia livre sem artificialidade e distorções governamentais é permitido a todos. como a quantidade de bens sempre aumenta na sociedade, a distribuição de riqueza de forma geral também aumenta e se multiplica ao longo das gerações, pois, riqueza são exatamente esses bens produzidos e multiplicados pelo aumento de produção.




Querem ver um show de ignorância econômica? Vejam esse vídeo sobre a Venezuela.



Oi, é muito oportuno o profícuo debate de ideias e argumentos aqui expostos. Nesse site exibem pontos de vistas e lados da história que não conhecia, o que me encanta muito. Mas estive procurando o texto sobre a crítica à Independência dos EUA e não encontrei, por um acaso, os editores do site retiraram? Obrigado pela qualidade do conteúdo exposto.


Morrendo de inveja mesmo... Assim como você morrendo de medo de que um dia a estabilidade estatutária dos servidores públicos se torne coisa do passado e, assim, todos terão que produzir, sendo produtivos num mercado que não dá chance para pessoas que só estão seguras em suas funções, não por eficiência (se fosse por eficiência, os libertários estariam se explodindo de inveja, e tbm já não seria necessário o regime atual), mas por lei. Assim como os salários só se mantém "invejáveis" por que o Estado não cria riqueza, só consome a que trabalhadores (empregados e empregadores) do setor privado criam e sem os quais os "invejáveis" salários não seriam possíveis.
Chega a ser uma falta de respeito sua para com todos os trabalhadores do setor privado, não somente com os libertários, vir falar essas asneiras aqui, Sra. Keila Lopes.
Passe bem!


Li essa baboseira do Sr. Vasconcelos ontem à noite. Fiquei pasmo com palavras tão imbuídas de estatismo. É arrepiante ler tais coisas em plena era de clara intrusão e agigantamento do Estado em nossas vidas. Tal modo de pensar está naturalizado na maior parte da nossa sociedade, e com maior vigor entre os ditos intelectuais.
Quanto ao artigo acima, fazendo uma avaliação dele a partir da minha experiência pessoal, digo que, após tomar contato de forma menos preconceituosa com os textos do Instituto Mises, tive um giro de 360 graus no meu modo de pensar vários aspectos da realidade. Friso bem: quando deixei de lado meus preconceitos. Os preconceitos que todo discípulo do socialismo tem e que seria redundante dizê-los aqui e que o artigo os pontua bem, especialmente nas palavras do caríssimo von Mises.
Era infeliz e não sabia! Rsrs.
Hoje, estou numa "Cruzada" pela difusão das idéias da Escola Austríaca de Economia, procurando ajudar as pessoas de boa vontade a se iniciarem no mesmo processo de verdadeiro crescimento intelectual pelo qual passei e ainda passo, e assim serem livres e felizes!
Obrigado Mises e ao Instituto que leve esse honroso nome!


Excelente artigo!
No entanto os serviços de saúde tem uma característica que torna mais complicada a equação: a imprevisibilidade dos custos com saúde que uma pessoa terá ao longo da sua vida.
Uma pessoa pode viver perfeitamente saudável até os 50 ou 60 anos de idade.
Nestas condições, a imensa maioria das pessoas achará que não vale à pena pagar um seguro-saúde de qualidade, com ampla cobertura em caso de doença; no máximo terá algumas economias para o caso de adoecer.
Mas, de repente, esta pessoa pode ficar gravemente enferma, e o custo do tratamento pode facilmente superar as economias que ela fez e, em alguns casos, pode até superar tudo o que ela acumulou ao longo da sua vida.
É claro que ela então vai se arrepender, e desejar ter feito um seguro-saúde melhor, mas então já será demasiado tarde.
Neste caso a sociedade terá que assumir o custo do tratamento (invalidando todo o modelo) ou terá que aceitar que esta pessoa deve morrer devido a ter tomado más decisões quanto ao financiamento de sua saúde.
Será que estamos preparados para assumir este ônus? Ou os parentes das pessoas enfermas se encarregarão de derrubar o governo que implantou estas medidas?


Quando me deparo com esta discussão sempre penso que no Brasil nossos capitalistas são tão falsos quanto os nossos socialistas: ambos tem o mesmo objetivo, que é se escorar no estado para proveito pessoal. Ressalvadas exceções no lado do enpreendedor.

O cara que se arrisca, compra 100 camisetas de futebol e vai pra frente do estádio defender uns trocados é o meu herói nacional... já o empresário que consegue aprovar uma lei que o favoreça é o inimigo oculto.


Texto: O" artista"

Hoje me encontrei com o "artista". Um sujeito de 30 e poucos anos, formado em Belas-Artes de uma universidade carioca.

Era alguém revoltado com a vida. Reclamava que a sociedade não apreciava o seu trabalho. Ninguém entendia a sua expressão de crítica ao sistema capitalista. Ele era uma força da desordem, contra a ordem. Estava além de seu tempo e muito acima de seus pares.

Ora, por uma questão de lógica, perguntei a ele porque ele gostaria de ser reconhecido pela sociedade, já que ele estava além do tempo e de seus pares? E porque um artista assim precisaria de reconhecimento externo, já não bastaria a satisfação com a obra em si? Em resposta, ele bravejou algo contra o sistema capitalista – fascista – norte-americano.

Eu disse a ele que "arte", no conceito grego da época de Aristóteles, vem de "artificial". Que os gregos consideravam todo o trabalho uma arte, por ser feito com o trabalho humano. Um sapateiro é um artista: tranforma couro e linha em algo que vai proteger o pé de alguém. Um varredor de rua é um artista: luta contra a entropia da natureza para manter as ruas limpas. O trabalho enobrece.

A resposta dele foi algo relacionado à dialética marxista. Acho que ele não entendeu a pergunta, e eu certamente não entendi a resposta.

A irmã do "artista" declarou que ele morava com a mãe. Nunca tinha trabalhado na vida, exceto em alguns "bicos". A sua fonte de renda era uma mesada (da magra aposentadoria da mãe). Ele não ajudava em tarefa doméstica alguma e vivia reclamando de tudo.

Para concluir, não sei como dialogar com alguém assim, com visões básicas do mundo completamente distintas. Talvez ele esteja mesmo muito à frente do nosso tempo…

Ao me despedir do sujeito, suas últimas palavras foram "Fora Temer"!


ideiasesquecidas.com/2017/03/14/o-artista/


O Estatal é o melhor sistema, aliás, vocês não apontaram nenhuma deficiência intrínseca do sistema. O PT chegou ao poder e nele permaneceu por longos anos, e sem por isso, alguém aqui questiona o sistema democrático, suponho.


Uma saída para o atendimento de baixa complexidade no Brasil são as clínicas de baixo custo. É impressionante o tamanho potenial destee mercado, dada a dificuldade em ser atendido no sistema público. Na minha cidade, as poucas clínicas de baixo custo existente chegam a ter fila do lado de fora no início da manhã, tamanha a demanda. E aí, o que aconteceu agora em Janeiro?

m.agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-01/cfm-regulamenta-funcionamento-de-clinicas-populares-e-limita-publicidade

O CFM Começou a impor restrições ao seu funcionamento, algumas conpletamente absurdas.


Quanta estupidez, não há verdades absolutas. A unica coisa de que se pode ter certeza é da incerteza sobre toda a existência desde um átomo a galaxias inteiras. Seres humanos parecem nunca aprender, vivem forjando "verdades".



"Bom, chegamos num consenso que o PIB precisa aumentar muito."

Não necessariamente.

O PIB é calculado a partir de pressupostos keynesianos: se o governo gasta mais, o PIB sobe; se o governo gasta menos, o PIB cai. Acontece que o governo/Estado não cria nenhuma riqueza, ele apenas toma da sociedade/iniciativa privada.

Veja os vídeos do Raphael Lima (Ideias Radicais) sobre o PIB.

* * *


Lenner o estado vive de espoliação dos indivíduos, essa que é a grande verdade.



Correção: Enquanto houver gente insana sedenta pelo poder absoluto, sempre haverá dor, miséria e morte.


Algum artigo explica a bolha da internet(empresas .com). O motivo a causa e a recuperação...

Qual foi a intervenção que causou isso?


Haverá também abundância de mendigos como você falando essas besteiras.


Odiar e ter motivos pra reclamar são necessidades humanas tanto quanto comer e passar um tempo relaxando. Ideias socialistas suprem muito bem estas necessidades.


Tipo... quando o ser humano surgiu, no estado de pobreza extrema, na sua condição natural?


Pessoal, fiz dois semestres de jornalismo em uma Universidade Federal, e esse texto se encaixa perfeitamente nos alunos da turna na época. Muitos até gente boa, mas com essa mentalidade de excluído, de minoria...queria tanto ter ficado mais e ter ajudado alguns a se livrar disso, ao invés, comecei Ciências Contábeis :)


Ué, mas dado que exploração e miséria ocorrem exatamente no socialismo (vide a Venezuela, que já foi o quarto país mais rico do mundo, e hoje a população está na mendicância), então por que as pessoas que são exploradas e estão na miséria por causa do socialismo pedem exatamente mais socialismo?

Não entendi sua lógica.


Em geral as pessoas que dizem que a economia é um jogo de soma zero sabem que estão mentindo.
Mas ela continuarão mentindo pois essa afirmação é apenas uma desculpa para roubar através do estado.


E pessoas infelizes tendem a acreditar no socialismo. Pois requer menos coragem para a pessoa reconhecer que ela é infeliz por culpa dela do que botar a culpa nos outros.

Socialismo é a ideologia dos invejosos e fracassados, além dos psicopatas que usam os fracassados para alcançar o poder e depois usar o poder para matar os fracassados.



Enquanto houver miséria e exploração, haverá a ideologia socialista de um mundo melhor.


Com relação ao tópico n°2: Nada foi pior que o holocausto eu discordo, pois Stálin usou táticas de extermínio muito piores: Veja o caso da fome de 32/33 da Ucrânia como um dos exemplos, o ditador confiscou todos os alimentos da população agrícola da Ucrania, deixando-os à míngua, as crianças morriam agonizadas por falta de alimentos, quem entrasse nos campos de grãos para pegar algum eram fuzilados, eles eram proibidos de ir para as cidade para comprar comida, caso tentassem eram fuzilados, nesse período morreram 7 milhoes de Ucranianos.


Será que ninguém percebeu que esse Levante Popular e a UJS estão sendo pagos pelo PCdoB, PSOL e PDT ?

Eles são socialistas que não socializam. O próprio Caetano vai em acampamento do MTST com 30 milhões em imóveis.

O principal motivo do fracasso do socialismo é a inexistência de lucro e preços. O segundo motivo é que os líderes são canalhas, mentirosos, enganadores, corruptos, bandidos, etc.

Os caras estão soltando assassinos e estupradores das prisões. Eu não conheço um socialista que não seja canalha.


"imposto é a parte menos relevante para liberdade econômica como vetor de prosperidade"

Embora longe de ser a "menos relevante", pode-se dizer que a frase acima está parcialmente correta. Carga tributária, por si só, não é a principal definidora da liberdade econômica. É crucial, sem dúvida nenhuma. Mas não é a mais importante.

Para começar, os gastos do governo são ainda piores, pois englobam, além da própria carga tributária, os déficits do governo (que, além de secarem o crédito para o setor privado, serão quitados com mais impostos no futuro).

Regulamentações e facilidade de empreender também são tão ou mais importantes que impostos. A Dinamarca tem uma carga tributária alta, mas a facilidade de empreender é plena. O México tem uma carga tributária baixa, mas sua economia é muito mais regulada e burocratizada que a dinamarquesa.

"solidez fiscal é um indicador melhor de governo liberal em relação à carga tributária, pois a carga tributária é consequência de escolhas sociais que estão em geral não são controladas pelo governante"?

Seria mais correto dizer que os gastos do governo é que são "consequência de escolhas sociais", e não exatamente a carga tributária. É possível um governo sair aumentando seus gastos sem elevar a carga tributária. Vide os EUA. Há décadas a carga tributária federal não passa de 20% do PIB, embora os gastos só façam subir. Como essa mágica é possível? Simples: o resto do mundo está disposto a emprestar continuamente para o governo americano, e este consegue rolar continuamente esta dívida sem elevar impostos (até quando ele conseguirá isso não se sabe).

Ademais, solidez fiscal conseguida à base de aumentos de impostos não é indicador nenhum de "governo liberal".

Assim, voltamos ao ponto: o real indicador são os gastos do governo, e não exatamente um "equilíbrio fiscal". Um orçamento governamental total de $4 trilhões e um déficit de zero representam uma depredação muito maior e muito mais danosa sobre a economia privada do que um orçamento de $2 trilhões parcialmente financiado por um déficit de $1 trilhão.

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2013


A solução é distribuir a saúde da mesma forma que se distribui alimentos: com livre entrada no mercado e, consequentemente, livre concorrência.

Isso gera preços baixos e serviços acessíveis a absolutamente todas as pessoas, como ocorre no setor alimentício. Não há escassez, não há racionamento e não há ninguém totalmente privado disso.

Você tem alguma ideia melhor e que funcione tão bem quanto? Se sim, sou todo ouvidos.

www.mises.org.br/Article.aspx?id=105


Os liberais é que tem inveja dos funcionários publicos que tem uma bela carreira, vcs vivem criticando, isso nao faz bem pra vcs pessoal, menos inveja por favor.


Também passei por isso. A descompressão foi lenta e trabalhosa, mas consegui me livrar dessa forma neurótica de pensar.


a inveja é um sentimento forte, todos tem, eu já tive e posso ter, qualquer um aqui já teve, só que vc tem duas opções: usar ela como sentimento motivador para se aprimorar e superar o objeto da sua inveja(vc tem um vizinho rico, vc busca enriquecer) ou vc ataca o objeto da inveja e tenta igualá-lo a sua condição (políticas de redistribuição de renda), entendo que o capitalismo é o que dá melhor direção para inveja ao incentivar o trabalho(tanto como empregado como empreendedor) para obter bens que possui o desejo de ter


quando tive sociologia jurídica na faculdade, faço direito, a profª era a caricatura de socialista, passou por Durkheim e Weber com uma aula fria e algumas críticas e quando chegou em Marx o olhar dela mudava completamente, como era só uma matéria introdutória e já estávamos próximo a época de provas ela não conseguiria se aprofundar em Marx e explicar outros autores socialistas como Gramsci e também como é universidade privada a maioria mal lembra o que viu na aula quanto mais adotar esses discursos revolucionários com dinheiro alheio


Fato, geralmente é essa porcalhada de neoconservadores que ainda se intitulam como conservadores.


Por falar em estado socialista, veja o que o professor Vasconcelos, da Uerj falou sobre ensinar os filhos em casa no site da BBC.

"Não dá para trabalhar caso a caso, dependendo de cada comarca ou cada juiz. Há uma lacuna: o homeschooling, como está hoje, é um risco para as famílias e sociedade como um todo. Tem que ter uma relação instituída com o Estado. Não pode se limitar a tirar as crianças da escola. No momento, não conseguimos nem sequer ter um censo dessas crianças. O Estado não permite que uma mãe faça com seu filho o que ela quer. É preciso normatizar o processo".

"Não posso concordar que as crianças sejam retiradas da escola na infância ou na adolescência e fiquem em homeschooling sem nenhuma satisfação ao Estado do que está sendo trabalhado"

É cada coisa que aparece.

link
www.bbc.com/portuguese/brasil-42897647


Socialismo é claramente o mecanismo defensivo de egos desorientados e neurotizados com uma crença de ameaça irreal. O ideal utópico trata-se da sublimação das pulsões imaturas e irracionais de satisfação plena, que buscam rejeitar a escassez do mundo real e a inevitável realidade de que o mundo não se ajustará a logica do princípio do prazer absoluto interno de cada um. A absorção contínua do ego em tais ideáis obcessivos atingem níveis psicóticos que obstruem a capacidade racional do mundo fora e até mesmo de autocrítica, criando uma autoimagem distorcida e uma racionaização de vítima impotente para justificar seu próprio desejo de destruição do mundo, mundo este que se nega a atender seu princípio absoluto de prazer ao mesmo tempo que desloca seu incosnciente desejo destrutivo projetando-o nas intenções alheias, colocando todos como vilões persecutórios de seu ideal.