clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários



Bolha imobiliaria no canada?

Artigo sobre? Noticias? Causas?

Gostaria de estudar mais essa atual bolha, se alguém tem conhecimento sobre isso, ficarei grato em me informar

Vocês acreditam que a TESLA é uma bolha?


Houve subsídios, recuperação de corporativistas com dinheiro público, subsídio no mercado imobiliário, ouve inflação e o dólar caiu consideravelmente. O que é hiperinflação para você? hoje a maioria dos governos inlfacionam mercado, forçando bancos a liberarem créditos a júros muito baixos ou negativos, criando um boom de demanda e retração com povo endividado, júros elevadíssimos para compensar a mentira propagada pelo governo, perda de valor da moeda, retração, desemprego e efeito cascata, afetando indiretamente fornecedores e outros mercados. Os Júros do FED estão aumentando, sinalizando o mesmo padrão de retração comum a esses subsídeos que geram inflação. Há duas semanas o mercado global sinalizou quedas expressivas, da onde o governo vai tirar dinheiro para pagar dívidas? impostos? imprimir mais dinheiro? você já viu o tamanho da dívida dos governos, especialmente dos EUA? da onde vão tirar dinheiro para pagar se a política agora é reduzir impostos? vão imprimir dinheiro evidentemente, inflacionando aos poucos, empurrando a dívida. Até onde vão maquear isso?




Brasil do estado mínimo!

Você tem duas vacas e elas estão estudando para concurso, porém não vai mais haver concurso porque as vagas ficaram para as empresas privadas dos companheiros.


Se as empresas não aumentarem salários, vão reduzir os preços dos produtos naturalmente diante da competição. Desse modo o poder de compra sobe, que é a mesma coisa que um aumento salarial causa.


Puxa, quem imaginaria isso?

Presidente da Oxfam é preso por corrupção

Além do presidente corrupto, funcionários da Oxfam exploraram sexualmente de mulheres no Haiti, no Chade e no Sudão do Sul. Isso se chama "sensibilidade social".


Os senhores poderiam me dizer a diferença (se existe) entre aumento de gastos e impulso fiscal? Em 2015, por exemplo, tivemos um impulso fiscal de 0,6% do PIB. Isso quer dizer que ouve um aumento dos gastos de 0,6% de nossa economia?


Oito anos depois, e o texto permanece atual...


Pela abolição da CLT junto com todos encargos trabalhistas e pela criação do CT (Contrato de Trabalho).


Enquanto existir estado só poderemos ser livres investindo em paraísos fiscais,pois os controladores do leviatã não tem interesse em destruir a industria financeira destas ilhas do inconfessável(Vide panamá-papers onde aparece até o nome do tzar oligarca,Putin).Viva o livre-mercado e o estado que se exploda junto com os parasitas de plantão.


Mais do que óbvio que isso empurra com a barriga. Infelizmente governos escondem e maqueiam informações precisas, tornando impossível saber quando, além de imprevisibilidades e externalidades naturais, mas não se trata aqui de querer saber o dia e hora exatos, e sim os anos e meses que tentem a iniciar colapsos maiores. Infelizmente como já disse governos empurram com a barriga e omitem informações detalhadas. Pela discrepância de suas políticas, só podemos deduzir o óbvio, as dívidas existem, são impagáveis a curto e médio prazo, só é possível postergar, e torcer para externalidades mercado dentro e mercado fora, não surpreender a todos antes do esperado.


Que recessão cara? não haverá recessão nenhuma, assim como não houve a hiperinflação que alguns liberais previam no governo Obama.


Descobri este site por acaso.. buscava em meu navegador algo como "pq o capitalismo é tão odiado".. Cada artigo que lia aqui, sentia como se estivesse me libertando, não conseguia parar de ler.. Sempre ouvia desde minha infancia coisas do tipo "o empresario se enriquece ás custas da exploração dos mais fracos", "somos quintal do EUA".. Resultado: me condenava por qualquer pensamento de ambição profissional, tinha um monte de conflitos internos, posso dizer que sofri uma lavagem cerebral marxista/esquerdista/socialista.. Quero poder aprender mais e mais.. Já me sinto gratificado pelo que aprendi ate aqui.. e o mais importante: me sinto hoje livre. Obrigado ao site e a todos que colaboram com suas opiniões.


Que eu saiba; o Trump está aumentando os gastos, principalmente os gastos militares.

Guerra a vista...


Se o colapso tão esperado tivesse que vir sob estas circunstâncias ele já deveria ter vindo quando a administração B.H.O II dobrou o déficit (há a discussão sobre as condições econômicas anteriores, mas o fato é este).

O vigor econômico que apenas a promessa da queda do IR e posteriormente a sua concretização está causando na economia americana certamente retardará o natural arrefecimento que acontece ciclicamente. A postergação do seu inicio pode-se esperar sobretudo quando a administração Trump tenta, ao menos, reduzir sim os gastos.money.cnn.com/2018/02/12/technology/future/nasa-budget-commercial-space/index.html


Pagaria. E por definição. Hoje, ela paga $200, sendo que, dos $ 200, pelo menos $ 100 vão para o governo (impostos e encargos sociais e trabalhistas).

Ou seja, o custo mínimo para a empresa é $ 200, mas o trabalhador só recebe $ 100.

Sem os encargos sociais e trabalhistas, ela continuaria pagando $ 200 (afinal, esse é o valor mínimo que ela já paga hoje), só que esses $ 200 agora iriam integralmente para o trabalhador (hoje, apenas $ 100 vão para o trabalhador).

Isso, por definição, é um aumento salarial. E observe que o gasto da empresa não aumentou absolutamente nada.

E, se por acaso essa empresa passasse a pagar apenas $100, eu mesmo pagaria $200 e ficaria com os melhores trabalhadores para mim. Lógica básica.


P.S.1: isso, como mostra o exemplo americano, não é nem sequer teoria, mas sim empiria pura.

P.S.2: a paixão do brasileiro pelo estado é patológica -- esta entidade imaculada e que só faz bem para os trabalhadores -- é patológica.



Aqui, nos Estados Unidos, não há nada disso. O trabalhador recebe o salário-hora contratado. Não há o equivalente a FGTS, fim de semana remunerado, aviso-prévio, décimo terceiro, férias remuneradas et al. O impacto tributário na folha de pagamento é de 10 a 12% (IR, Medicare e Social Security).

Quando se entra de férias, não se recebe salário, mas o salário que se recebe dá para custear as férias, que normalmente são curtas. E quem vive melhor? O trabalhador daqui ou o do Brasil?

A nossa faxineira chega de carro bom, tem apartamento próprio todo aparelhado e plano de saúde. Gostaria muito que alguns teóricos que advogam tantos impactos na folha de pagamento no Brasil passassem um período por aqui para ver como o "inferno capitalista" funciona. Aqui não se vai aos Shopping Centers (Malls) somente para passear, mas para comprar. O povo todo compra, e muito.


Creio que uma boa reforma trabalhista seria ter dois sistemas paralelos, um continuaria com a CLT, para aquelas pessoas que acham que são mentecaptas e precisam do estado babá para administrar as finanças e proteger o trabalhador, já que sempre vê o empresario como um explorador.

Outro seria um contrato livre, firmado por ambas as partes, ao qual o único papel do estado seria garantir o cumprimento do contrato mas não interferiria nele.

Assim, a pessoa teria a liberdade de escolher qual contrato julgue melhor CLT ou livre.

Outro ponto positivo disso seria que a empresa teria que pagar mais no contrato livre, pois se pagar de igual para menos as pessoas acabariam escolhendo a CLT, o que ferraria ainda mais o empregador (e o empregado).


Os ditos "benefícios" são aplaudidos pelo trabalhador porque ele tem a ilusão de que representam um acréscimo em seu rendimento ao final do mês. Ele não percebe que o valor de seu salário é determinado, em qualquer instância, pelo mercado de trabalho. O patrão concorda em desembolsar X pelo seu empregado, mas se esse X vai direto para o bolso do empregado ou se será descontado Y para o bolso do governo, para o patrão tudo dá no mesmo. Foi o que aconteceu quando o 13o salário foi tornado obrigatório no início dos anos 60: o valor do salário em carteira diminuiu para acomodar 13 salários por ano, ao invés de 12. O mesmo aconteceu agora com o FGTS das domésticas.

Enfim, é isso, sem tirar nem por: encargo trabalhista nada mais são do que dinheiro que sai do bolso do patrão e entra no bolso do governo sem fazer escala no bolso do trabalhador. Ou quando chega no bolso do trabalhador, é dali a muitos anos e devidamente depenado após longa escala em bancos estatais. Mas a ilusão é o que interessa: o empregado vê o governo como o paladino que vai defendê-lo da sanha do patrão ganancioso. Muitos dos países mais pobres do mundo têm amplos benefícios trabalhistas.


Redução? Qual redução? "De julho de 2017 até agora (janeiro de 2018), a alta acumulada nas refinarias da Petrobras foi de 24,80 % na gasolina e de 27,40% no diesel, sem contar aumentos de impostos." (Fonte).

Não só não houve nenhuma redução, como, na verdade, houve um brutal aumento dos preços na refinarias. Logo, seria absolutamente irreal esperar qualquer redução dos preços nas bombas.

Eis o fato incontornável:

1) Ou uma estatal é espoliada por políticos, e acaba tendo de subir os preços pra refazer seu caixa;

2) Ou ela é bem gerida (na medida do possível), o que significa que ela tem constantemente de subir seus preços para honrar sua folha de pagamento, dado que a empresa é loteada por apadrinhados políticos e aparelhada por apaniguados.

Não tem segredo. E nem solução.


Isso é algo tão básico que beira o inacreditável que pessoas ainda se impressionem com isso. Aliás, vou resumir isto em um exemplo: eu e minha esposa trabalhamos, mas não temos "empregada doméstica". Nós nos revezamos pra dar conta de tudo, afinal, os encargos e responsabilidades trabalhistas nos impedem de pagar essa pessoa. E aí, quem perde ? Nós todos. Eu e minha mulher que temos que trabalhar mais (fazendo dupla jornada) e a possível funcionária doméstica que não terá o emprego e, consequentemente, terá renda zero.


O Leandro poderia aproveitar o gancho e comparar com nossa situação atual, em que as "reduções" de preços da Petrobrás não são repassados ao consumidor. Minha teoria - em concordância com o artigo - é que nosso empreendedor é menos otimista (e mais escaldado) que o americano; sabe que o governo perdulário em breve aumentará outras alíquotas ou criará novas para, no final das contas, majorar a carga tributária. E se o coitado repassar algum benefício ao empregado será duplamente penalizado, pois a indústria das ações trabalhistas estará faminta para garantir o "direito adquirido".
Enquanto isso, assistimos horrorizados as matérias da grande mídia sugerir sub-repticiamente que precisamos de mais regulação para nos proteger dos donos de postos malvados...


Se eu fosse dono de uma grande empresa e o meu custo com funcionários caísse devido a um redução de impostos ou de "direitos trabalhistas", com a grana excedente eu imediatamente tentaria contratar os melhores funcionários dos concorrentes para aumentar minha produção e enfraquecer o concorrente.

Provavelmente alguns desses funcionários receberiam contra-propostas e recusariam minha oferta. Acabariam com aumento salarial dentro da mesma empresa. Outros viriam trabalhar comigo e também receberiam salários maiores.

Com a equipe aumentada e com boas habilidades, a empresa cresceria, abriria vagas para contratações e/ou promoções e geraria mais emprego e renda.


Sou dono de um pequeno negócio e posso garantir que o grande fator por trás de minhas decisões salariais são os impostos. Tendo de pagar INSGG, FGTS, impostos do sistema S, e mais todo o IRPJ, simplesmente não há nenhum espaço para dar aumentos salariais, e muito menos para contratar mais pessoas. Eu mesmo gostaria de contratar mais um auxiliar, mas o custo disso é proibitivo (equivalente a quase 100% do salário).


Eu já não me considero mais humano. Ou pelo menos que minha inteligência não pertença a espécie humana de alguma forma. Digo isto não como uma galhorfa de quem quer se achar o tal superior, tanto é, que minha inteligência tem falhado em um aspecto curioso do comportamento humano: Como diabos as pessoas são incapazes de entender que colapsos financeiros não são construídos com poucos meses de governo (exceto por intervenção direta) e como as pessoas são simplesmente desmemoriadas ao ponto de não entender que os colapsos que estão por vir serão consequência de uma dívida e intervenções inúmeras ao longo de vários governos? e pior, como são incapazes de entender que se são menos roubadas com impostos, isso evidentemente melhora a vida delas? O final provável já sabemos, ele não vai reduzir a dívida, haverá colapso, o governo vai imprimir dinheiro, vai gerar um outro ciclo de inflação, prejudicar novamente o mercado, vão culpar o Trump e pasmem, vão culpar com certeza a redução dos impostos!



Agora falta ele fazer mais cortes de impostos e um intenso corte de gastos (na verdade ele só quer aumentar), pelo menos os americanos irão sofrer menos com a recessão (ou depressão) que está por vir. Agora se realmente essa crise estourar na mão dele vai ocorrer o que o Leandro já disse tempos atrás:


"Leandro 11/11/2016 22:02
Por enquanto, fico com a análise do Rallo, que -- a meu ver, corretamente -- se pautou apenas por aquilo que ele efetivamente apresentou como plano de governo, e não naquilo que ele disse em comícios para agradar sua base.

Compreendo que alguns leitores queiram uma análise mais especulativa, levando em conta coisas que ele disse em comícios e debates. Mas isso não seria acurado.

De resto, tendo a concordar com o Gary North, que disse o seguinte: uma recessão profunda estourará sob o governo de Trump (conseqüência das políticas keynesianas atuais). Consequentemente, o partido que estiver no poder será responsabilizado, apeado do poder e dizimado nas eleições. Em 2020, um socialista ao estilo Bernie Sanders ou Elizabeth Warren chegará à presidência.

Por isso, e exclusivamente por isso, eu não sou entusiasta da presidência de Trump. Estou olhando para o longo prazo. Se a recessão estourasse sob Hillary, os democratas seriam varridos do mapa, e um genuíno libertário teria grandes chances em 2020. Sob Trump, a recessão levará socialistas ao poder.

É isso o que boa parte da direita não conseguiu entender. A vitória de Trump foi uma vitória de Pirro.

Mas espero -- e quero -- muito estar errado. Seria a primeira vez na vida em que terei prazer em estar errado."


Não li o livro The beautiful tree do Tooley, mas lendo resenhas descrevem um momento em que uma mãe africana, para justificar deixar seus filhos numa escola paga que não tinha professores, apenas voluntários, disse algo como: "sim, esses professores estudaram muito, mas são muito bons apenas nisso: em estudar", também se referindo a forma como esses professores tratavam (mal) srus filhos.
Contextualizando, muitos, depois de 2 décadas estudando, só saberão estudar. Há vários assim na área da educação, àqueles que ditam o conteúdo dos concursos nunca pisaram numa sala de aula e têm teoria de ensino que ignoram o que é uma criança/jovem q não quer estar na escola.


Além desse problema que é mais visível, me assusta que a adolescência, além de durar muito, começa muito precocemente aqui no Brasil. Tenho como hipótese, por lidar diariamente com crianças e jovens, que, na periferia, o fator cultural proporciona isso. O gosto musical de uma criança de 7 anos é o mesmo de um adolescente de 19. Ou "adolescente". O contato e consumo de conteúdos explícitos e de conotação sexual inicia assim q a criança se entenda por gente, além de ser aplaudido pelo politicamente correto das pedagogias. Veja, estou num contexto de escola pública em região periférica. Minha hipótese se limita a esse lugar, mas não observo no local q moro - um condomínio com 12 torres e dezenas de crianças - comportamento diferente.


Se tudo der certo, em 90 dias, será lançado o livro que representa a melhor alternativa para diminuir a miséria: EQUIBASISMO Cria Riqueza e Elimina Miséria.
Uma frase que bem expressa o que está no livro. "Limitar a pobreza de todos, sem limitar a fortuna de ninguém. Que seja permitido ser muito rico, mas que não seja permitido ser muito pobre".


Só uma coisa pra dizer para o Karnal...Cala-boca burro!!!


.
O delírio é feio e dogma e tosco

A lógica é elegante.

A matemática é elegante.

Vejamos como o velho Malthus exprimiu esse dilema.

população/recursos < 1

E tudo bem.

Qualquer elevação nessa razão e a desgraça está feita.

O resto é delírio de quem não sabe nem sequer aritmética básica.



Os comentários estão melhores que o artigo em si kkkk muito bom. Espero que o pessoal não fique comentando pautando-se pela fé, ai fica impossível de perceber erros nos argumentos.

ótimas exposições do Leandro, e mesmo dos defensores do Olavo, embora fiquem de miupismo.


Che matou tudo isso em nome de uma causa que ele pensou, qual diferenca dos USA qdo bombardeou uma zona neutra no japao.


Circulou por aí um post calculando que o governo Lula / Dilma rasgou mais dinheiro do que o ouro enviado para Portugal (não lembro a fonte nem chequei os dados).

De qualquer jeito, grande coisa levarem o ouro embora. Ia fazer o que com um monte de ouro aqui, sem nada sendo produzido para ser comprado?


"Seria interessante desmontar aquela falácia que esses países enriqueceram porque ''roubaram o nosso ouro''

Esse já foi refutado indiretamente com esses exemplos...

Nova Zelândia, que era um país dos mais ricos do mundo décadas antes da década de 80, quando ficou numa situação pior do que a brasileira nesses anos de Dilma e Lula. Veio um socialista e fez uma reforma brutal. Inclusive eu cobro isso desses candidatos hoje que ficam com esse papo de gradualismo... bom, até lá eu já vou morrer e eu só tenho essa vida. Por exemplo a "reforma previdenciária" do Bolsonaro é uma grande porcaria.

Hong Kong foi outro exemplo de uma favela a céu aberto que se enriqueceu quando o estado saiu do caminho.

Infelizmente as outras questões não posso te responder.


Chicaguistas sempre defenderam que o estado é o supremo controlador da estabilidade econômica, e seu foco sempre foi criar "modelos" para controle da taxa de juros "ótima" e de "políticas fiscais" eficientes.


Corre risco sim. O único austríaco que conheço que esteve em um cargo parecido foi esse. A grande maioria é mainstream.


Li e acato muito do que foi escrito.
Mas a pergunta que não deixa calar:
Alguém conhece algum partido ou político honesto ?


Pessoal preciso da ajuda de vocês...

Estou procurando um artigo aqui no Mises Brasil onde o autor escreve algo como "se eu a tratasse como minha propriedade eu trataria bem", acho que envolve relacionamentos e economia. Quem souber o link estarei grato.



Esse aí, coitado, não entendeu nem sequer o básico. Vou tentar desenhar:

1) Você pode falar o que quiser, mas terá de arcar com as consequências disso.

2) Não existe algo como "o direito de não ser ofendido". Se eu digo que você é feio e burro, não estou atentando contra sua honra e sua ética, e nem muito menos estou agredindo você fisicamente. De modo algum estou lhe violentando. Sua honra e integridade (física e moral) seguem intactas.

3) Dito isso, a partir do momento em que eu afirmo explicitamente que irei lhe agredir e até matar, você automaticamente adquire o direito à autodefesa. O direito à autodefesa é um direito natural. É o pilar básico do libertarianismo.

Pessoas que afirmam claramente que irão lhe agredir e matar estão em perfeito juízo de sua consciência. Logo, se elas estão falando que irão atentar contra sua integridade física (seu corpo é sua propriedade privada), você tem todo o direito à autodefesa.

4) Quem afirma que irá atentar contra a propriedade de terceiros (inclusive o corpo), imediatamente perde o direito de não ser agredido. Quem agride está abrindo mão do direito de não ser agredido.



P.S.: aliás, veja que gozado: você citou exemplos práticos de coisas que estão ocorrendo agora, neste arranjo estatizante sob o qual vivemos, e está cobrando resposta dos libertários?! Assim é gostoso. Ora, cadê a solução dos defensores do atual arranjo? Já que vivemos em um arranjo estatal, não são exatamente os defensores deste arranjo — como você — que devem uma explicação?

E aí, o que devem fazer o brancos da África do Sul sob o atual arranjo estatal que você defende?



Olá camarada Capital Imoral !

Aqui no inferno todos adoram os seus textos, são realmente o suprasumo da intelectualidade esquerdopata que tanto nos dá orgulho.

O uso da retórica sofista é formidável: essa infinidade de contradições sem o menor sentido recheadas de absurdidades animalescas faz com que Eu e o meu grande amigo Fred nos regogizemos como não fazíamos desde a época da China Maoísta.

Parabéns! Continue assim, o seu lugar já está reservado aqui embaixo.

Saudações vermelhas!
KARL MARX


Isso seria uma impossibilidade tanto prática quanto contábil.

1) Para começar, os compulsórios são um passivo do Banco Central. E um passivo de uma entidade não pode simplesmente ser aumentado a bel-prazer por terceiros.

Logo, se fizessem isso, os bancos estariam aumentando o passivo do Banco Central, algo impossível. (Reservas bancárias são um ativo dos bancos e um passivo do Banco Central). Um ente não pode aumentar o passivo de terceiros.

2) Ademais, neste caso, os bancos estariam criando um ativo para si próprios sem a correspondente criação de um passivo para si próprios (o passivo, como dito, seria do Banco Central).

É contabilmente impossível você simplesmente aumentar seus ativos. Você sempre tem de criar um ativo e um passivo.

(Mesmo quando você compra um apartamento, você está simplesmente trocando ativos: você reduz sua rubrica "dinheiro na sua conta bancária" [um ativo] e aumenta sua rubrica "imóveis" [também um ativo].)

3) Logo, é impossível bancos criarem reservas para si próprios, pois eles estariam aumentando seu ativo sem nenhuma contrapartida de passivo. Isso é contabilmente impossível. Sempre que você cria um ativo você tem de criar um passivo. Sempre.

Quando um banco cria moeda eletrônica para emprestar, ele cria tanto um ativo (empréstimo) quanto um passivo (dinheiro em conta-corrente). Esse dinheiro da conta-corrente, ao ser sacado, irá reduzir as reservas do banco (ativo).

Já se ele simplesmente criasse reservas, ele estaria aumentando seu ativo sem nenhuma contrapartida. Simplesmente não teria como ele fazer isso. Na prática, seria como você sair "criando" imóveis em sua posse sem nenhuma correspondente redução de dinheiro em suas contas bancárias.


Bom dia! Excelente conteúdo gratuito, continuem com o bom trabalho!

Sou usuário do Deezer e Spotify e não consegui encontrar o podcast do Mises Brasil para baixar nestas plataformas. Sugiro que vocês disponibilizem lá. Creio que não há custos para os produtores de conteúdo disponibilizarem seus podcasts. Abraço.


O projeto do Volkswagen é anterior à tomada do poder pelos nazistas. Aliás, várias empresas estavam trabalhando espontaneamente em desenhos similares. Mas Porsche precisava de financiamento e, devido suas conexões políticas, conseguiu interessar Hitler no empreendimento. As instalações industriais foram pagas pela população alemã através de um esquema similar a nossos consórcios. Mas nenhum dos contribuintes conseguiu receber um automóvel como era a promessa inicial.


Obviamente pois não é um milhão e nem cem ...É exatamente UM BILHÃO de seres humanos é sim realmenté é um mundo a parte .


Hmm, pela teoria da liberdade de expressão libertária uma pessoa pode exortar outras a matarem outras.

Como nesse vídeo:

Assim sendo qual a melhor forma de se defender desse ataque indireto feito via exortamento?

1) Exortar que matem os exortadores originais que exortam o assassinato de inocentes?
Afinal de contas, se exortar assassinato de inocentes não é crime qualquer um pode fazer isso!
Mas caso alguém atenda esse exortamento ele será considerado um assassino...
E de qualquer forma novos exortadores provavelmente vão surgir, com mais afinco ainda.

2) Tentar exortar outras pessoas a boicotarem os exortadores que exortam o assssinato de inocentes.
Me parece uma solução ok, porém não funcionará se a maioria da sociedade não participar do boicote.

Assim sendo, o que percebo, é que uma sociedade libertária só funcionaria se a esmagadora maioria das pessoas
seguissem os ideais libertários.

O que não vejo como sendo possível de acontecer tão cedo por causa dos seguintes motivos:

1) A maioria da pessoas é burra demais para sequer entender tais ideais.

2) A maioria das pessoas que é capaz de entender as ideias libertárias é tão imoral que mesmo tendo a capacidade
cognitiva de perceber que as ideias libertárias são corretas não vão seguir elas, e nem seque irão tentar propagar
tais ideias, mesmo sem seguí-las, porque o custo social é muito alto.
Um médico é capaz de defender que seus pacientes parem de fumar mesmo que ELE MESMO fume
porque isso é uma ideia bem aceita. Já um funcionário público, mesmo que concorde, com as ideias
libertárias, tende a não concordar com elas.

O que acho que deverá acontecer:
As pessoas burras e imorais continuarão a dar suporte ao estado.
Este se agigantará e novos massacres colossais como o ocorrido na época do comunismo ocorrerão.
Após uma massiva dizimação das pessoas burras (os burros tendem a morrer primeiro, porque não são inteligentes
o bastante para sobreviverem), talvez, sobrevivam apenas pessoas mais inteligentes e menos imorais a ponto
de formar uma sociendade anarcocapitalista.
Podem ocorrer vários megamassacres até que isso ocorra.

Enquanto isso os fazendeiros da áfrica do sul tem poucas opções:
1) Serem dizimados.
2) Emigrarem.
3) Torrarem dinheiro com defesa ETERNAMENTE.

Provavelmente vão conseguir matar tantos fazendeiros lá que logo logo a produção de alimentos
decairá e a África do Sul será tão miserável quanto o resto da África.

A propósito, ser inteligente e moral não é garantia se tornar um libertário só aumenta a probabilidade, mas ser
burro e/ou imoral é quase uma garantia de que a pessoa seja um estatista de primeira linha.

Não é a toa que o QI médio nos países desenvolvidos tende a sempre ser maior que o QI médio dos países pobres.
Salve exceções óbvias, como por exemplo, um país de pessoas de QI baixo que está flutuando em cima de petróleo.
Então como o máximo desenvolvimento ocorreria com o anarcocapitalismo, segue por codependência de variáveis
que o anarcocapitalismo só pode florescer onde haja máxima inteligência.

Acho que o comunismo foi apenas o primeiro round dos megamassacres que inevitavelmente ocorrerão graças à burrice e imoralidade das pessoas.
Espero estar errado :D

Resumindo as condições para o anarcocapitalismo aconteça as três são necessárias:
Alta inteligência.
Alta moralidade.
Adoção das ideias anarcocapitalistas.

Se eu fosse um fazendeiro branco na África já tinha saído de lá.
Afinal de contas liberdade de expressão ABSOLUTA só funciona no anarcocapitalismo.

Não dá pra adotar um ou outra ideia do anarcocapitalismo e esperar que a sociedade melhore com isso,
as ideias são codependentes e só funcionam em conjuntos específicos.

Liberdade de expressão absoluta funcionaria se boicote fosse permitido *E* se a maioria das
pessoas concordadassem em boicotar os exortadores de assassinatos até eles morrerem de fome,
ou fossem obrigados a irem viver na floresta por ninguém querer lhes vender comida e nem
qualquer outra coisa.


"No entanto, caso algum banco chegue ao final do dia tendo de arrecadar dinheiro para cobrir o rombo em seu compulsório, ele irá recorrer ao mercado interbancário, no qual aqueles bancos com reservas em excesso emprestam dinheiro para aqueles com reservas insuficientes."

O que impede que um banco com reservas insuficientes crie dinheiro eletrônico para para cobrir o rombo em seu compulsório?


Esse é o maior troll de todos. Leva muito a sério a trolagem.


Alto lá. Esses 29% de Irlanda são os gastos totais de todas as esferas de governo. No Brasil, os 20% que você citou são apenas do governo federal. Se incluirmos os gastos estaduais e municipais, a cifra chega a 40,5%.

www.heritage.org/index/country/brazil

Ou seja, a comparação certa é pegar esses 28% da Irlanda contra os 40,5% do Brasil.


Texto brilhante. É isso mesmo. O ressentimento é a porta de entrada para o socialismo. Confesso que quase segui por esse caminho na época da faculdade, quando fui apresentado ao Capital, que é uma espécie de "inside down" do capitalismo. Marx criou uma teoria elegante para justificar o fim do capitalismo. Nela, todo aquele que trabalha é vítima do capitalista, que se apropria de grande parte do valor do trabalho empregado pelo trabalhador. Como papel aceita qualquer coisa, no mundo dele, não existe mercado e nem riscos. Nesse capitalismo Stranger Things do Marx, o capitalista é sempre vencedor e o trabalhador sempre perdedor. Daí para frente, foi possível arregimentar uma horda de zumbis "ressentidos" com a suposta exploração capitalista.



Mas de 29% sobre o PIB ainda continuam bem elevados ne? No Brasil que são "apenas" 20% são imensos...ao meu ver, Irlanda ta bem longe de ser um exemplo se ainda mantém esses gastos de quase 30% sobre o PIB


É interessante como muitos atribuem a pobreza do Brasil ao Ouro que foi retirado daqui, confundindo claramente riqueza com moeda;
Existe algum artigo que mostre os malefícios da expansão monetária do Ouro provocou em portugal, espanha, e na Europa?

Seria interessante desmontar aquela falácia que esses países enriqueceram porque ''roubaram o nosso ouro''


Eu sabia que os neoliberais iriam estar bombando este instituto neste carnaval. Afinal, são uns nerds anti-sociais que ficam o dia inteiro no computador. Eu sabiaaaaaa! Mas não posso deixar de ficar feliz em perceber que meus artigos estão fazendo as pessoas refletirem. Portanto, este pequeno artigo é uma maneira de trazer uma resposta a tudo que foi indagado acima.

Um pequeno jovem virgem indagou qual seria mais fácil contratar: um professor para dar aula ou um grande jogador de futebol? Essa indagação somente revela que este jovem precisa largar o xvideos e contratar um professor. Pois volto a afirmar através da teoria da curva da moral do pensamento que a PREMISSA ESTÁ ERRADA. Nem sequer deveria existir jogador de futebol que ganha dinheiro, meu amigo. Não deveria existir jogador para ser contratado, pois não deveria existir um esporte que tenha influencia do dinheiro., Com quem irá se comparar quando não existe mercado? Neste momento que você poderá entender verdadeiramente a teoria da curva pensamento: trata-se de matar os vícios do capital diretamente na fonte.

Uma visão de mundo capitalista.
O grande erro de quase todos argumentos que tentaram me refutar está na visão de mundo que acha aceitava a "escolha de mercado". Nesta visão de mundo os neoliberais trabalham com a cadeia de consequências de um grande jogador de futebol, pois se o que vale é capitalismo, então o clube, o patrocinador, e o próprio jogador terão mais valor do que um professor. Obviamente, tendo uma visão de mundo capitalista, de livre escolha, é aceitável que um jogador irá receber mais. Mas aí que está a beleza do socialismo e liberdade: Nós não temos uma visão de mundo onde a escolha individual predomina - pois as pessoas estão doentes -, nós temos, isso sim, um plano de nação, onde o que é melhor para todo mundo deve sobrepor à mera escolhas individuais. Em outras palavras: é o que será melhor para você, mesmo que você não goste, pois você está doente pela visão de mundo do capital.

Outro neoliberal cometeu o mesmo erro que eu havia citado acima, ele afirmou que o importante mesmo é que não seja tão desigual os salários entre os profissionais e que o livre mercado diminuiria esta discrepância. O erro já começa partindo da premissa que o dinheiro deveria existir, e que portanto, iria regular o valor de cada profissional. Volto novamente a afirmar que esta visão de mundo está contaminada pelo capital.

Partir com as premissas do capital não é uma maneira aceitável de contra-argumentar a teoria da curva da moral do pensamento. Pois logo no início esta teoria já afirma que você está doente pela cultura do capital, e que o Estado deve intervir na sua mente. Todos que utilizam o argumento da escolha individual já estão doente pela cultura capitalista, não se deve partir dessa premissa. E sim! O valor moral deve sempre, SEMPRE, estar acima do valor comercial de uma sociedade, pois somos guiados não pelo mercado, mas pelos intelectuais que estão acima de você. E o neoliberal fez muito bem em utilizar o exemplo de algo com valor nutricional, pois acredito que isso deixa com maior clareza a teoria do curva da moral do pensamento.

Segundo a teoria da curva da moral do pensamento, seria moralmente correto, matar na forma de idéias, produtos que não teriam um alto valor nutricional. O que perdemos se matarmos o sorvete, a pizza, e uma lasanha? na verdade não perdemos nada; pelo contrário, ganhamos! isso sim, pessoas mais saudáveis e inteligentes. É muito importante entender que antes de proibir a pizza, já haviam profissionais capacitados que afirmavam que a pizza fazia mal para saúde, mas mesmo assim, as pessoa consumiam. Ou estou mentindo? Mas ainda sim é interessante notarmos, através das escolhas de alimentos, como as pessoas estão doentes pelo capital e pela defesa do valor subjetivo. Através desta maldita aceitação cultural de que as pessoa têm um valor subjetivo para coisas, estamos vendo as pessoas literalmente se matarem pela boca. Isso porque nem entrei na questão das bebidas alcoólicas e tabaco. Valores não devem ser subjetivos e o Estado - com especialistas em alimentação, cultura, etc. - deve intervir diretamente na mente das pessoas. Acho que deve ter ficado claro agora.

O espírito de uma sociedade
Eu realmente fico muito contente que meus artigos estejam sendo discutidos. Mas por que a teoria da curva da moral do pensamento deveria ser aplicada a sociedade? Diferente da visão materialista dos neoliberais. A grande questão não se encontra no dinheiro, mas na cultura. A teoria da curva da moral do pensamento é apenas uma maneira de moldar a cultura para verdade suprema que os especialistas de cada área revelam. Diante deste molde, devemos:

Devemos criar uma cultura em que as pessoas se unam no domingo para estudar Física, Matemática, Filosofia. Já imaginou? Ei, João, pega a cerveja vegan que a aula de Física vai começar.

Um mundo onde ninguém iria ter essa visão de mundo capitalista; onde as premissas seriam sempre focado no todo, uma visão de nação, sempre e constante.

Um lugar onde todos habitantes seriam vegetarianos. Onde não haveria a mínima desigualdade, pois está seria morta diretamente na mente do indivíduo. Entre outras coisas, porque estou com preguiça de escrever pois vocês interromperam minha série no Netflix. E estou puto com isso. Malditos nerds!

Capital imoral é filósofo, escritor, e já refutou Mises.



O preço é objetivo e o valor é subjetivo.

Liberais pensam em criar riquezas;

Esquerdistas pensam apenas em distribuir riquezas.

(Com eles distribuindo as riquezas dos outros e ficando com a maioria parte, naturalmente...)

* * *


Você se contradisse. Afirmou que desigualdade causa pobreza, mas em momento algum comprovou isso. Apenas recorreu a coitadismos.

O fato de a família rica colocar seus filhos nas melhores escolas não torna o pobre mais pobre. Esse é o discurso mais estúpido que já vi — o qual, aliás, só comprova o ponto do autor: ninguém está interessado em enriquecer o pobre, mas sim em empobrecer o rico.

Quanto à afirmação de que a desigualdade é consequência da prosperidade, e que é a desigualdade quem reduz a pobreza, eis um artigo inteiro sobre isso, o qual você está convidado a refutar:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2764


As regulações da ANATEL protegem as quatro empresas telefônicas já estabelecidas e criam barreiras artificiais ao surgimento de novas empresas do setor, bem como a vinda de empresas estrangeiras para cá. Sem a ANATEL, toda e qualquer empresa de telecomunicação, internet e TV a cabo do mundo estaria livre para vir para cá. Essa maior concorrência derrubaria as tarifas (no Brasil estão entre as mais caras do mundo) e fariam os serviços melhorar espetacularmente.

Empresas que reconhecidamente prestam serviços de qualidade nos mercados internacionais — como a AT&T, Vodafone, Verizon, T-Mobile, Orange — estariam livres para chegar aqui amanhã.

Mas, segundo a Mariana, que nem sequer consegue reconhecer os efeitos da regulação estatal mesmo vivendo sob eles, quem garante serviços de qualidade não é a livre concorrência, mas sim Sarney, Renan Calheiros, Lula, Dilma, Temer, Collor e, futuramente, Bolsonaro. De fato, merecemos nosso atraso.


Concordo com o autor que o foco deve ser em combate à pobreza. Mas a afirmação que desigualdade é uma consequência natural da prosperidade me parece exagerada.

Um artigo publicado pelo WEFORUM aborda o problema do aumento da desigualdade nos EUA. Entre os diversos argumentos, afirma que riqueza (ou pobreza) e desigualdade tem um vínculo estreito. Famílias mais ricas colocam seus filhos nas melhores escolas. Melhor educação se traduz em melhores oportunidades e, consequentemente, riqueza futura. Já com os mais pobres ocorre o efeito inverso. O processo se retroalimenta resultando em aumento crescente da desigualdade e redução da mobilidade social.

Eu me pergunto: qual é a relação entre pobreza e desigualdade? Estudo da LSE aponta para uma correlação positiva entre pobreza e desigualdade para a maiotia dos países europeus e os EUA. As causalidades serão objeto de artigo a ser publicado. Para os EUA o estudo confirma um aumento da desigualdade dos últimos anos, com aumento significativo da renda dos mais ricos e uma estagnação da classe média e dos mais pobres.

Enquanto isso, pela primeira vez na história moderna dos EUA a nova geração será mais pobre que a dos seus pais.


Para quem diz estar morando na Alemanha, você está assustadoramente desatualizada. Em julho de 2017, o governo alemão impôs novas e completamente restritivas regulações ao setor telefônico (sim, o governo, aquela entidade que você jura ser a solução), o que ferrou completamente o setor.

Eis as informações dadas por um site completamente técnico e apolítico (trata-se de um site voltado para os setor de telefonia celular).

A tightening of security laws in July 2017 has led to new registration requirements for prepaid SIM cards which are amongst the most confusing for tourists and locals alike. Major brands can't be registered if you don't meet certain requirements. That's why this article deals with it in detail and Germany is temporarily greylisted. [...]
There is much confusion about how to register and activate a German SIM card and the law has been changed again in July 2017. That's why this following updated section deals with the new situation in detail:

By law, all SIM cards in Germany need to be registered first on your name and an address verified by your ID document to be activated. There are different options available for this new double verification, where and how to register a SIM card. Some can be swift and easy, others need some knowledge of German language or the help on an interpreter, and not all options are open for all brands. [...]

Some months into the new regulations, there is still a mess and much chaos about prepaid registration in Germany, especially what foreigners are concerned. The government and the regulator stepped in and highlighted that foreigners will still be able to buy and register prepaid SIM cards, but in fact are still facing major obstacles. That's why Germany is temporarily greylisted.

One sticky point remains the "address". German nationals are registered at their residency with street address that is stated in their national ID cards. This system doesn't apply to foreigners of many nations and all passports (even Germans) doesn't state any address. Yet some providers seem to insist on this address. Vodafone and O2 mostly just take any German address that you might give to them like a hotel or B&B address, but Telekom often likes to see some official document stating this address.

The regulator has stressed the (missing) address must not be a reason not to be registered. But this news hasn't reached all providers yet. Furthermore, there are major problems with the videoID (also called webID or onlineID). Due to high demand (as some brands can only be registered this way now), you have to wait online for hours to get an agent. That's why first providers are starting to register at the point of purchase, which is the only way that makes sense. On top of that the videoID companies are only able to register citizens from the EU and major overseas nations like the US, China, Russia etc. with their passports (or ID cards, if applicable). Other citizens like from Brazil or Thailand can't register these brands for now.

prepaid-data-sim-card.wikia.com/wiki/germany


Eu realmente recomendo que você leia com atenção o artigo acima, pois ele conta em detalhes toda a merda que o governo fez no setor de telecomunicações alemão — o mesmo governo que você jura ser o salvador e a solução.

Pelo visto, esta é a sina do brasileiro: uma vez amante de político, sempre amante de político. Em qualquer lugar do mundo.

Dá próxima, sugiro que você se informe minimamente sobre o local em que você está. Caso contrário, será facilmente feita de trouxa. Só
que agora, por políticos alemães. ("Ei, ao menos já é uma melhoria", grita o vira-lata).



São dados da Eurostat, e confirmados aqui:

d3fy651gv2fhd3.cloudfront.net/charts/ireland-government-spending-to-gdp@2x.png?s=irelandgovspetogdp&v=201707031923v&d1=19180101&d2=20181231

Houve este salto porque o PIB de 2009 e 2010 afundou ao mesmo tempo em que os gastos do governo dispararam por causa da recessão (e também para socorrer bancos).

Os dados do Banco Mundial estão aparentemente desfasados.


Essas reservas fracionadas só "existem" com autorização e conivência dos governos?
Este garante sua liquidez?



Num anarco-capitalismo pleno você poderia comprar um Panzer direto pelo smartfone, e dirigi-lo tranquilamente por cima do bloco.



Não entendi esse dado que a Irlanda tinha 60% dos gastos sobre o PIB, nem os Nórdicos que gastam muito possuem esse gasto desse tamanho. Banco Mundial diz outra coisa pelo menos:

data.worldbank.org/indicator/NE.CON.GOVT.ZS


Quando os países e empresas fizerem suas criptomoedas oficiais que terão que prestar conta de todos os usuários e valores movimentados para os governos,as moedas descentralizadas e "sem dono" como o Bitcoin SERÃO TODAS CONSIDERADAS ILEGAIS E PERSEGUIDAS,podendo existir apenas na clandestinidade similarmente ao que acontece com a Deep Web.Vão acusa-las de facilitar o crime etc...Anota isso ai num papelzinho meu amigo e lê daqui a 20 anos. O governo sempre tenta controlar tudo e todos.


O Paulo Guedes corre o risco de virar um Joaquim Levy ?

Por que os Chicago Boys estão virando estatistas ?


"Mas a mensagem que joão envia, através do livre mercado é: O futebol é superior a educação. È uma mensagem falsa obviamente. "

Não. A mensagem é que ele prefere pagar $10 para ver o cara jogar do que pagar $500 para o filho estudar. E o jogador consegue atingir 89465926 pessoas que estão dispostas a pagar $10 pra vê-lo jogar.

Se um professor conseguisse ensinar 89465926 pessoas ao mesmo tempo, ele ficaria tão rico quanto o jogador de futebol.

Acho que usar exemplos de entretenimento é difícil porque o valor que eles criam é altamente multiplicado - uma pessoa entretem muito mais do que um professor consegue ensinar.

Algo a se pensar/procurar: quanto ganham TODOS os professores do mundo e quanto ganham TODOS os jogadores profissionais do mundo? Acho que vai mais $ pra educação, hein?


Capital Imoral, comparar coisas de categorias diferentes e julgá-las sob o mesmo parâmetro não passa de uma falácia!

1) Algo com maior valor moral não tem, necessariamente, maior valor comercial. Seguindo sua lógica, eu poderia dizer que um alimento com alto valor nutricional (aveia, por exemplo) deveria ter maior valor comercial que um sorvete, uma pizza ou uma lasanha, pois estes possuem menor valor nutricional que aquele.

2) Valores são sempre subjetivos, pois são sempre atribuídos por indivíduos. No seu exemplo (futebol/educação), você toma como regra que TODAS as pessoas atribuem maior valor moral à educação do que ao futebol.

3) A única coisa que o socialismo faz é ditar à sociedade o que os líderes consideram como sendo a "interpretação correta", distorcendo os valores que os indivíduos atribuem às coisas e impedindo que estes façam suas escolhas de acordo com suas respectivas preferências.


Independente de ser regulado ou não (afinal todos os setores são regulados em alguma intensidade e todos também recebem subsídios), o mercado de alimentos é o menos regulado do Brasil e também do mundo.
No Brasil, qualquer um pode plantar o que quiser, no lugar que quiser e vender pra quem quiser, pelo preço que bem entender.
Quem está sob alguma fiscalização são os grandes vendedores de gado, mas são estes também quem recebem subsídios, então fica elas por elas.


De fato, isso é apenas um sonho: nada garante que, se nao existisse a ANATEL, os precos seriam mais baixos e o servico seria melhor. Hoje, eu sinto falta da ANATEL. Estou morando na Alemanha, onde o direito do consumidor é praticamente inexistente... nao há uma ANATEL aqui e temos empresas como Vodafone, Telekom, todas essas que voce mencionou e outras. Os precos da telefonia movel aqui sao EXTREMAMENTE caros e o servico é simplesmente pessimo.
Para 1GB de internet e alguns poucos minutos de ligacao, voce paga 10 euros. Caríssimo!!! Inclusive, Telekom, Vodafone e O2 sao as companhias mais caras daqui. Nao ha como dizer que, autorizadas a operar no Brasil, elas iam cobrar algo diferente. No Brasil, com a TIM, pagava 40 reais por mes e tinha 3GB de internet e ligacao ilimitada para o Brasil todo.
Nao ha uma organizacao supervisionando essas redes telefonicas aqui na Alemanha. Comprei 1 chip pre-pago aqui que simplesmente nao funciona HA DOIS MESES. Nunca consegui ativar o chip, apesar de ja ter ligado e mandado email mais de 20 vezes às empresas, sem brincadeira. Toda hora é uma desculpa ou pedem pra esperar mais tempo. A verdade é que as empresas aqui, nao só telefonicas, nao estao nem aí para o consumidor. As pessoas até pararam de reclamar. Quando voce conta essas historias aqui, as pessoas já veem como normal. Pra remediar isso, as pessoas aqui contratam dezenas de seguros, para que possam se proteger do mal funcionamento de certos servicos prestados por empresas, simplesmente porque aqui ninguem tem direitos contra essas corporacoes.
Entao... nesse momento, eu queria MUITO uma ANATEL aqui. Quando tive problema com a TIM no Brasil, liguei pra ANATEL e na mesma semana o problema estava resolvido. Aqui já tenho dois meses e nada...


"Que lógica e justiça existe em um mundo em que o valor é SUBJETIVO ?
Existe algo de fato ético e moral quando o valor é SUBJETIVO ?
Novamente, IMB, faça um artigo para os "imprestáveis".
Conseguem falar com os imprestáveis sem a lógica capitalista ? " Lee Bermejo 10/02/2018 02:02


Imprestáveis? Defina imprestáveis? Do ponto de vista liberal macro não há imprestáveis, essa é a grade diferença entre um pensamento estadista e um pensamento liberal. O que quero dizer é que a imprestabilidade é subjetiva, isto é, para fulano o tal sujeito ciclano é imprestável, mas para beltrano, o tal sujeito ciclano pode ter serventia.
Ora, sendo fulano um sujeito averso as leis naturais e um ideólogo intervencionista logo passará a classificar, definir e julgar os imprestáveis sob seu ponto de vista. Tudo o que fulano quer agora é dar alguma serventia aos imprestáveis. Ciclano sempre gostou de samba, futebol e cerveja, fulano, um sujeito culto e sabedor das artimanhas politicas irá taxar a cerveja, destruir os campos de futebol e regulamentar as escolas de samba cobrando ingressos e definindo notas. Pensa ele, em pouco tempo a sociedade irá tomar vinho, jogar dama e escutar musica clássica, iremos solucionar a imprestabilidade.
Agora, sendo fulano um sujeito liberal, ele começará a produzir vinho, organizar torneiros de dama e patrocinar orquestras com musica clássica. Pensa ele que com seus serviços a sociedade será melhor.
A diferença é sutil mas faz uma enorme diferença para se ter uma sociedade prospera e saudável com uma convivência pacifica e em harmonia.


Eu sou a favor de fechar Guantánamo e de fuzilar os membros do regime de Castro, permitindo liberdade econômica e social à população cubana.

E você? Defende liberdade só para quem está em Guantánamo? Curiosa (e seletiva) humanidade...


Só haveria desfiles em ruas cujos proprietários (ou seja, os moradores e inquilinos) permitissem. Obviamente, sendo propriedade privada, eles cobrariam pelo uso das ruas.

Já hoje, em que a rua é do estado, o coitado do morador não tem direito a nada. Sua única obrigação é pagar o IPTU em dia para, em troca, ter sua propriedade invadida, depredada, mijada e cagada por foliões.

E ainda dizem que este arranjo é superior...


Fiquei chocada com essas informações...sinceramente, até o momento dessa leitura eu pensava em Mandela como herói! Estou estupefata...Precisarei reler com atenção esse texto já que entendo que a repetição é a mãe da sabedoria. Vivendo e
aprendendo... Obrigada, obrigada, obrigada...


Concordo com Kira em todos aspectos enunciados,e acrescento
que deveria haver oportunidade de" emergencia" para quem quisesse trabalhar,fazer alguma coisa para viver em momentos de necessidade sem ter de pedir favor.

A ótica minha é de que a idéia de terminar com a miséria é um aleijão mental,UMA ENORME IGNORÂNCIA! PORQUÊ:

A MISÉRIA E A POBREZA NÃO EXISTEM!

EXISTE A RIQUEZA

A MISERIA seria AUSÊNCIA DE RIQUEZA. A PROVIDÊNCIA É GERAR RIQUEZA

A POBREZA seria AUSENCIA DE RIQUEZA. A PROVIDÊNCIA É GERAR RIQUEZA

AUTOMATICAMENTE GERANDO RIQUEZA A MISÉRIA E A POBREZA DEIXAM DE EXISTIR

LUTAR CONTRA A POBREZA É UMA ASNEIRA, contra o inexistente

LUTAR CONTRA A MISÉRIA É UMA IDIOTICE, contra o inexistente

PORQUE NÃO SE LUTA CONTRA ALGO INEXISTENTE, É QUIXOTESCO E ÓBVIO

NÃO É JOGO DE PALAVRA, KIRA PENSOU CERTÍSSIMO, UMA CARROCINHA, UMA

SUGESTÃO, POIS VENDER CACHORRO QUENTE GERARIA LUCRO, GERARIA RIQUEZA,

O POBRE COMEÇARIA AUTOMATICAMENTE A FICAR MENOS POBRE, SEM LUTAR

CONTRA FANTASMA, MAS PRATICANDO AÇÕES QUE GERARIAM RIQUEZA, FAZENDO

ALGO PALPÁVEL, OBJETIVO.

ASSIM COMO NÃO EXISTE O FRIO (QUE É FALTA DE ENERGIA EM FORMA DE CALOR)
Lute contra o frio e morra congelado ou PRATIQUE UMA AÇão acenda um fogo gere energia em forma de calor, continue vivo.

O ESCURO NÂO EXISTE (escuro é ausencia de LUZ) ACENDA UMA VELA E GERE ENERGIA EM FORMA DE LUZ!

SE PENSAR ERRADO A PROVIDÊNCIA CORRETA NÃO EXISTIRÁ NÃO ACONTECERÁ.

LUTAR CONTRA A POBREZA E MISÉRIA É COISA DE DEMAGOGO POIS FICA NO VAZIO,É COISA PARA QUIXOTE.





Eu estava mais ou menos refletindo obre isto estes dias. Minha inquietação surgiu quando percebi que um serviço inútil acrescenta "valor' ao PIB. Mas como seria possível um serviço inútil gerar riqueza.... no limite esdrúxulo pensei na geração de valor de um serviço em que alguém conte estrelas no céu.... :)
A próxima pergunta imagino eu seria: como medir a riqueza....


Num anarco-capitalismo eu poderia pagar para não ter bloco de carnaval na porta da minha casa ?




Amigo, leste o Capital no Séc 21 do Piketty?


Pois é, melhor Cuba onde até os capazes vivem na miséria, não é? Ou sob o nacional-socialismo, vulgo nazismo, onde os deficientes eram simplesmente eliminados...

Entenda uma coisa: até hoje, o único sistema capaz de gerar excedentes suficientes para possibilitar aposentadoria com bom padrão de vida e grande especialização de trabalho que possibilite que deficientes possam executar um trabalho remunerado é o capitalismo liberal.

O sistema é tão inclusivo que permite que não só deficientes possam trabalhar e ganhar seu dinheiro dignamente, como também se tornarem líderes em suas respectivas áreas.

Casos como o da autista Temple Grandin, que revolucionou as fazendas de gado dos Estados Unidos ao focar em um ambiente psicologicamente confortável para o gado, ou de Stephen Hawking, um físico autor de best sellers de alcance global, só são possíveis em economias livres.

Sem contar no número se produtos para que as pessoas superem suas deficiências. Na pior das hipóteses, deficientes acabam com facilidades como as cadeiras de rodas motorizadas, muito mais populares num país livre como os Estados Unidos, do que essas que precisam ser empurradas, comuns no Brasil.


O fato dele plantar e vender ilegalmente nao faz o setor menos regulado. A agricultura familiar tem um marco regulatorio de 2006. Se vc tem terras pra plantio tem que seguir seguir leis, pagar taxas e impostos, tem todo um controle sobre platio, uso de agrotóxicos, controle de pragas e etc. Citar um fato anedótico não é evidência de regra. E estou falando do setor inteiro de alimentos, indústrias de carne e etc. Criação de gado para comércio eh fortemente regulado, pois existe regulaçao em toda a csdeia de produção, desde a criação no campo a vende no mercado, como ISOs e regras de corte, embakagem e refrigeraçao do alimento. Existe regulação sobre higiene do locar de processamento de alimentos, unifirme dos funcionários, numero de nutricionista ou engenheiro de alimentos, laudis sobre a precedência dos alimentos. A regulação eh tao absurda, que você nao pode mais deixar sal nas mesas dos restaurantes, condimentos fora do gelo, fazer maioneses com ovo, tem que ter sempre tabela nutricional em embalagens e nos cardápios( o que obrigatoriamente exige di r3etaurante a contratação de serviços de um nutricionista ou engenheiro de alimentos). O fsto do governo nao conseguir acompanhar tudo(indeoendete de ter pouca ou muita regulação) não interfere na qjantidade de intervenção do governo no setor. Caso você seja pego por um fiscal, nao tem choro, eh multa e as vezes confiscos de propriedade.


Alguém e Felipe Lange, consegui achar comentário escrito pelo leitor Steve.

Ele disse o seguinte:"Negar características raciais é uma ignorância, mas comum no Brasil, pois somos todos educados a crer que todos são iguais. Por que o Estado é forte no Brasil? Porque ibéricos e latinos racialmente ocupam profissões mais estatais, seja militar ou funcionário público. Já os libaneses, árabes e judeus, tem uma tendência muito maior para o comércio, para o capitalismo que vocês tanto defendem. O próprio Cristianismo, religião considerada pilar do capitalismo, vem dos cartagineses, da infiltração cartaginesa na aristocracia romana, por isso o próprio Santo Agostinho era de origem cartaginesa, nasceu no norte da Africa, e vários outros santos da época. Raças possuem características pisológicas, o ibérco prefere estabilidade do que excesso de trabalho, por isso o facismo foi tão forte nos países latinos - Argentina, Brasil, Portugal, Espanha e Itália, isso na época da Segunda Guerra Mundial. Romanos eram povos militaristas e construtores, diferente dos povos do comércio, que eram os cartagineses. Celtas eram aliados de Cartago contra Roma, isso explica muita coisa, pois a America do Norte horda dos celtas e gauleses, e é o lugar mais liberal do mundo."



"Primeiro em sugerir que Trump representa uma espécie de globalização econômica. Trump é um protecionista em termos econômicos e um intervencionista em termos de política externa. Está muito longe de ser um exemplo do pensamento liberal"

Desculpe a sinceridade, mas, ao dizer que o texto afirma isso, você mostra sérias evidências de analfabetismo funcional.

Eis o que está escrito no artigo, de todo o tamanho:

Por outro lado, os defensores da globalização econômica têm motivos para estar preocupados. O governo Trump vem ameaçando utilizar medidas protecionistas — majoritariamente na forma de tarifas de importação — para supostamente estimular o emprego e a produção nos EUA, mesmo com toda a teoria e realidade econômicasdemonstrando que o efeito será o oposto.

Tamanha interferência na globalização econômica, o que representaria um retrocesso no tempo, não apenas seria um ataque à prosperidade, como também pode se degenerar em conflitos políticos, reacendendo antigas rixas e contendas. Não precisaria ser assim.


O texto circulou em quase sua totalidade na questão da nomenclatura para no final se reduzir em uma conclusão puramente econômica- estrutural, como se essa fosse determinante dos rumos da sociedade.
Quem determina o consumo, políticas e regras sociais são os valores, que geram os costumes e não o contrário.
É como negar a existência da árvore por você só estar vendo o fruto.
Seja qual for o nome dado, existe um sólido e contundente movimento, baseado em pensadores marxistas, que claramente está desestruturando toda a ordem cultural e de valores da sociedade. O keynesianismo é uma mera faceta disso.
Como o próprio texto acertadamente afirmou, foram os valores cristãos que construíram a civilização moderna e são esses mesmos valores que estão sendo atacados e aí, voltamos a Marxs e seus textos publicados por Hengel :
"Sem a destruição da familia tradicional, baseada nos valores cristãos, não conquistaremos o ocidente".
Se essa destruição se chama Marxismo Cultural ou qualquer outro nome não muda o fato que tais consequências já estão entre nós e cada dia mais, desestabilizando todo o ocidente.


Gabriel Batista,

Talvez uma explicação simples sobre funcionamento básico de bancos ajude na questão da oferta monetária:

Suponha que nós dois vamos abrir um banco. A primeira coisa que faremos será colocar dinheiro no caixa do banco para que possamos emprestar aos clientes e receber juros. Porém, enquanto não temos clientes o suficiente, precisamos de um jeito de rentabilizar esse caixa. A forma mais simples é comprar títulos do governo. Assim, o caixa rende ao menos os juros pagos pelo governo (lembrando que é um modelo bem simples de funcionamento de bancos).

Mas de onde vieram os títulos do governo? Em alguma data no passado, o governo, para financiar suas atividades. emitiu títulos que pagam juros e com isso captou dinheiro. Esses títulos ficaram em posse dos bancos. E é o mesmo título que nosso banco fictício irá comprar.

Um belo dia, o Banco Central decidiu que quer reduzir os juros. O que ele faz? Ele recompra esses títulos do nosso banco. Desta forma, nosso banco terá mais dinheiro em mãos, mas ao mesmo tempo teremos que disputar mais clientes com os concorrentes pois a alternativa de comprar títulos do governo foi reduzida, e todos os bancos estão capitalizados. Como nosso caixa não pode ficar parado sem rentabilizar, seremos mais agressivos para captar clientes, o que em outras palavras significa que abaixaremos nossos juros.

A wikipedia fala um pouco mais sobre o tema pt.wikipedia.org/wiki/Cria%C3%A7%C3%A3o_de_moeda


Fabio Rangel,

O leitor "Capital Imoral" é apenas uma caricatura, alguém que gosta de escrever usando chavões para ironizar. Leia apenas como entretenimento, um chiste, uma brincadeira, embora algumas coisas incrivelmente encontrem respaldo na realidade.


Leandro, acho que só você pode me ajudar. Um outro dia estava lendo um artigo sobre a definição dos termos, liberal, libertário, anarcocapitalista... e no escopo de comentários estava um debate em que você argumentava que o monarca como dono da propriedade privada - no caso a nação - teria o incentivo absoluto em maximizar riqueza do país para perpetuar a sua dinastia através de seus descendentes, no caso você até cita o príncipe de Liechtenstein Alois que disse que era fã do HHH em uma entrevista - acho que para o NY Times - e que o príncipe também disse que um imposto acima de 6% já era tirania.

Eu gostaria de saber onde esse seu comentário e debate se encontra, porque quero dar uma relida e possivelmente copiá-lo para futuras leituras.

Agradeço desde já.


Excelente entrevista. Conteúdo inteligente e transmitido com a absoluta clareza. Bom trabalho!


O artigo é bom em termos conceituais, mas erra demais nos dois exemplos que cita para descrever os últimos acontecimentos no mundo. Primeiro em sugerir que Trump representa uma espécie de globalização econômica. Trump é um protecionista em termos econômicos e um intervencionista em termos de política externa. Está muito longe de ser um exemplo do pensamento liberal. Outro ponto é sobre o Brexit. O voto popular para a Inglaterra sair da EU não foi tão racional quanto o texto tenta sugerir. O povo contra o globalismo da União Europeia. Nada disso! A questão com os imigrantes teve um peso muito maior do que o desejo dos britânicos em aderir às ideias de autonomia econômica e do livre mercado. Aliás, a grande maioria dos britânicos conservadores é mais a favor do protecionismo estatal do que do livre mercado. E este pensamento que estava adormecido e não era vocalizado, acabou reaparecendo com o Brexit. Morando na Inglaterra por mais de 3 anos eu afirmo que as pessoas aqui têm mais medo da competição e das ideias liberais do que se imagina. Logo, os dois exemplos usados no texto não indicam uma reação adversa e racional ao globalismo. Longe disso!


Eu já fui (em minha tenra juventude) filiado ao PCB - não apenas filiado mas militante ferrenho, sendo tb parte da JCB aqui no RJ (onde moro) durante muitos anos.
A lástima do comunista é perder totalmente a autocrítica, jamais colocando sua ideologia a prova dos fatos abundantes que a realidade dita - pois quem faz isso (como eu fiz) chega inevitavelmente a conclusão : Comunismo é uma merda e você é um idiota-útil.