clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


Pelo visto vai mesmo...

www.government.se/press-releases/2022/03/government-proposes-a-ban-on-extraction-of-coal-oil-and-natural-gas-and-stricter-rules-on-extraction-of-alum-shale/


Ei, o ROIC para o Tesouro ao capitalizar o BNDES foi excelente.

Em 2006, antes da despirocada no BNDES, a dívida bruta era de R$ 1,25 trilhão.

Em 2015 já era de R$ 4 trilhões.

ibb.co/G5BWDJJ

Respeite o ROIC!


Essa é fácil, e eu desenho para você.

O BNDES concedia empréstimos subsidiados para as grandes empresas. O carro-chefe era o Programa de Sustentação do Investimento, que ficou conhecido como "Bolsa Empresário".

Cobrava taxas de juros de apenas 2,5% ao ano, quando a inflação estava acima de 6% ao ano. E com prazo de 30 anos para quitar.

Ou seja, empresário que recebia empréstimo do BNDES pagava juros reais negativos de 3,30% (ou -3,30%), e ainda tinha 30 anos para quitar o empréstimo (sabendo que, na prática, o empréstimo seria rolado eternamente).

Você sabe o impacto de centenas de bilhões emprestados a juros reais negativos ao  market cap e ao EBITDA de uma empresa?

Claro que não. Se soubesse, não estaria perguntando.

E piora.

A taxa básica de juros estipulada pelo Banco Central tinha efeito nulo sobre os empréstimos do BNDES. No entanto, ela afetava diretamente os custos do Tesouro para financiar o BNDES.  Na prática, o Tesouro (ou seja, o povo brasileiro) emitia dívida e pagava a taxa SELIC para financiar o BNDES, e o BNDES cobrava 2,5% para financiar as grandes empresas.

Ou seja, em termos líquidos, o povo brasileiro pagava para financiar as grandes empresas favoritas do governo. E o Tesouro se endividava crescentemente.

Aqui está uma lista completa de quanto cada empresa recebeu do BNDES. Calcule ali omarket cap, EBITDA e ROIC.

As empresas que mais recebem verba do BNDES, e seus maiores escândalos

Agora, abaixo, fique à vontade para dar aquele chilique gostoso e estridente defendendo político. Rebaixe-se a isso. Vamos lá. Não me decepcione.


Sobre isso, esqueci de colar a parte principal:

By 1996, fifty billion dollars' worth of Russian wealth, mainly in gold, diamonds, precious metals, oil, gas, and timber, was being stolen and illegally exported. The goods were bought with almost worthless rubles, and even then at knockdown prices from the bureaucrats running the state organs, and sold for dollars abroad. Some of the dollars would be reconverted to a blizzard of rubles and brought back to fund more bribes and more crime. The rest were stashed abroad.


Ou seja, os oligarcas e mafiosos mandavam para fora riqueza física em troca de dólares. Voltavam com um pouco dos dólares para o país e os reconvertiam em uma enxurrada de rublos, os quais eram usados para bancar mais propinas e crimes.


O artigo não explica como eike, jbs e outros cresceram com o governo.
Na verdade só cita o bndes como uma intervenção.
Mas agora me digam:
Qual o impacto no market cap de uma companhia ao receber financiamento de um banco estatal?
Qual o impacto na margem EBITDA de um financiamento estatal?
Qual o impacto no ROIC de uma empresa ao receber dinheiro estatal?

Sem responder essas perguntas apresentando de MANEIRA LÓGICA as relações de causa e consequência entre o financiamento estatal e a prosperidade de uma empresa não teremos nada além de argumentos vazios e facilmente refutáveis


"Under Communism the exchange rate stood at two U.S. dollars to the ruble, a ridiculous and artificial rate in terms of value and purchasing power, but enforced within the USSR, where not lack of money but lack of goods to buy with it was the problem. Inflation wiped out savings and reduced fixed-salary employees to poverty."

E qual era a taxa no mercado paralelo?

Na Venezuela imagino que haja um vasto mercado negro, que é a única coisa que ainda funciona lá. Com as criptomoedas, é ainda mais fácil.

Nem sempre corrupção é algo ruim. Imagine um soldado nazista. Um soldado nazista corrupto deixaria de mandar um judeu para um campo de concentração em troca de alguns dólares americanos, ou algum produto que não existia na amarrada economia nazista. Se ele fosse totalmente honesto, teria mandado o judeu para a morte.


Cerveró era peixe pequeno. Se ele entregou o esquema era porque não foi incluído no butim principal, e por isso ficou puto.

Oligarca raiz não entrega ninguém, pois fica com a maior parte da riqueza e do poder. Vide Lula, Zé Dirceu, Mantega e o alto escalão petista.


Na Itália há pretensões de se reabrir minas de carvão.

A China é de longe a campeã mundial no uso de carvão mineral como fonte de energia. Os motivos? Chuto que seja porque são amplamente disponíveis no país. Poluem muito, mas são baratas e uma fonte de energia imune a choques meteorológicos (como acontece com energia hidroelétrica).



Seria legal talvez um artigo sobre as oligarquias brasileiras na República Velha. Hoje de certa forma ainda temos isso, só que é de uma forma mais discreta.

Pelo menos naquela época o nível de debate no Congresso era melhor. Hoje se debate sobre "créptomoeda".


''A turma pêga na Lava-Jato enriqueceu não porque ofereceu serviços aos consumidores, mas sim porque tinha conexões com políticos e ganhava contratos superfaturados para fazer obras estatais (pagos com nossos impostos). ''

O que mais surpreende é que Nestor Cerveró não arrumou tempo pra consertar aquele olho torto dele. Ficou ocupado demais metendo a mão na grana da petrobrás e pagando advogados pra tentar se safar.



A Europa inteira vai voltar pro carvão. Isso já está decidido. A dependência deles do gás russo é inaceitável para os eleitores, os quais também não querem mais saber de ambientalismo após verem suas contas elétricas dispararem.

Como eu disse, Greta vai catar lenha em breve. Vai ser lindo...




Quem diria, a Alemanha dando uma de Bolívia e expropriando bens de estrangeiros...
Só que no caso da Bolivia, quem tem o controle da válvula é ela.

A Alemanha tomou o controle de distribuidora, mas se não tiver gás pra distribuir não vai adiantar muita coisa. ??


Alguém precisa avisar aos alemães que há válvulas lá na Russia que regulam essas moléculas...


Alemanha assume controle de subsidiária da estatal russa Gazprom

"O governo alemão informou ter assumido o controle da Gazprom Germania, subsidiária da estatal russa Gazprom, que opera algumas das maiores armazenadoras de gás do país.

Robert Habeck, ministro de Economia da Alemanha, diz que a agência reguladora de energia alemã vai exercer controle total sobre a subsidiária até 30 de setembro. A Gazprom Germania teria "violado obrigações de comunicação sob o Regulamento de Comércio Exterior do país".

Segundo Habeck, a medida preserva a segurança energética do país. "Não vamos expor a infraestrutura energética da Alemanha às decisões arbitrárias do Kremlin.""


É oligarca espoliando oligarca. ;)


Eis um trecho do livro sobre isso. De nada.

One of the phenomena that had amazed Western observers after the fall of Communism was the seemingly lightning rise of the Russian criminal underworld, called for want of a better phrase "the Russian mafia."

Some foreigners thought it was a new entity, born only after Communism ended. This was nonsense. A vast criminal underworld has existed in Russia for centuries. Unlike the Sicilian Mafia it had no unified hierarchy and never exported itself abroad.

But it existed, a great sprawling brotherhood with regional and gang chieftains and members loyal to their gangs unto death and with the appropriate tattoos to prove it. Stalin attempted to destroy it, sending thousands of its members to the slave camps. The only result was that the zoks ended up virtually running the camps with the connivance of the guards, who preferred a quiet life to having their families traced and punished.

In many cases the vori v zakone, the "thieves by statute" or equivalents of the mafia dons, actually ran their enterprises on the outside from their cabins in the camps.

One of the ironies of the Cold War is that Communism would probably have collapsed ten years earlier but for the underworld. Even the Party bosses finally had to make their covert pact with it. The reason was simple: It was the only thing in the USSR that ran with any degree of efficiency.

A factory manager, producing a vital product, might see his principal machine tool grind to a halt because of the breakdown of a single valve. If he went through the bureaucratic channels he would wait six to twelve months for his valve while his entire plant stood idle.

Or he could have a word with his brother-in-law who knew a man who had contacts. The valve would arrive within a week.

Later the factory manager would turn a blind eye to the disappearance of a consignment of his steel plate, which would find its way to another factory whose steel plate had not arrived. Then both factory managers would cook the books to show they had completed their "norms."

In any society where a combination of sclerotic bureaucracy and raw incompetence has caused all the cogs and wheels to seize up, the black market is the only lubricant.

The USSR ran on that lubricant throughout its life and depended utterly upon it for the last ten years. The mafia simply controlled the black market. All it did after 1991 was come out of the closet to prosper and expand.

Expand it certainly did, moving rapidly from the usual areas of racketeering—alcohol, drugs, protection, prostitution—into every single facet of life. What was impressive was the speed and ruthlessness with which the virtual takeover of the economy was achieved. […]

Under Communism the exchange rate stood at two U.S. dollars to the ruble, a ridiculous and artificial rate in terms of value and purchasing power, but enforced within the USSR, where not lack of money but lack of goods to buy with it was the problem. Inflation wiped out savings and reduced fixed-salary employees to poverty.

When a street cop's weekly wage is worth less than his socks it is hard to persuade him not to take a banknote enclosed in an evidently forged driving license. But that was small potatoes. The Russian mafia ran the system right up to the senior civil servants, recruiting almost the entire bureaucracy as their allies. And the bureaucracy runs everything in Russia.

Thus permits, licenses, civic real estate, concessions, franchises—all could quickly be bought from the issuing civil servant, enabling the mafia to create astronomical profits.

The other skill of the Russian mafia that impressed observers was the speed with which they moved from conventional racketeering (while keeping a firm hold on it) into legitimate business. It took the American Cosa Nostra a generation to realize that legitimate businesses, acquired from racket profits, served both to increase profits and launder crime money. The Russians did it in five years.


Excelente lembrança de um excelente livro de meu autor favorito (junto com Tom Clancy). O livro também mostra como foi que vários milionários russos surgiram "magicamente" após o fim da URSS: eram pessoas que acumularam moeda forte no mercado informal vendendo comida ou gasolina durante os anos do comunismo. Estes acabaram se transformando na máfia russa.


No livro "Ícone" de Frederick Forsyth há diversas descrições do funcionamento da economia paralela soviética. Tal economia era excelente para alocar os recursos escassos a que tinha acesso, porém fabricar os recursos escassos era outra coisa.

Não dava pra construir uma fábrica de eletrônicos, uma fazenda com recursos de ponta para a produção de alimentos, e produtos financeiros complexos para investidores arrojados em um ambiente de mercado negro, onde não há segurança jurídica, segurança da moeda, respeito aos contratos, acesso pleno à tecnologias estrangeiras, e todo aparato necessário para fazer investimentos em cima.

Em dado momento o capital espoliado dos tempos dos czares dos anos 20 e do leste europeu em fins dos 40s se esvaiu e não havia tal aparato confiável para colocar investimentos em cima. O sistema econômico caiu de podre.


O fato incontestável é que o "véio doido da Virgínia" cravou mais essa:



Exatamente como funcionava essa economia paralela? Era "mercado negro" típico?


A ascensão dos oligarcas russos certamente está ligada à "economia paralela" no regime soviético. Os agentes do mercado negro, segundo as estimativas mais confiáveis, controlavam mais de 50% do PIB.


Dois detalhes.

Primeiro, um valor ponderado para o Real em torno de uns 6,50 US-dollar.
Em função da diferença entre as inflações monetárias nos Eua e Brasil desde o início do BRL (1994-2018).

Segundo, que mesmo tomando como referência o período (1994-2021) esse valor não muda muito.


Sim. Na acepção russa, oligarcas são aqueles que adquiriram sua riqueza por meio da política, transformando propriedade pública em riqueza privada. 

São indivíduos que tinham cargos de destaque na burocracia estatal e na máquina partidária do Partido Comunista e que, com o colapso da URRS, aproveitaram sua posição de influência para se apropriar das estatais em liquidação.

Experientes no velho artifício das negociatas nas relações políticas, eles conseguiram desta maneira adquirir grandes empresas estatais, as quais, desde então, operam protegidas pelo estado e sem concorrência. 
Oligarcas, portanto, são uma pequena fração de indivíduos politicamente bem conectados que mantiveram o controle da economia russa.


É porque no Brasil os maiores oligarcas são os próprios políticos. E também o alto escalão do funcionalismo público.

Mas como estes são sacrossantos — criticá-los equivale a "atacar a democracia" — então a mídia se concentra apenas em pedir mais impostos sobre "os ricos", isto é, empresários que genuinamente produzem coisas que a população quer comprar.


Eu nunca entendi por que só os bilionários russos são pejorativamente chamados de "oligarcas". Eles são uma exclusividade mundial?

No Brasil mesmo tá cheio de magnata que enriqueceu exclusivamente porque tinha contratos com o estado. Todas as empreiteiras do país são assim. A turma pêga na Lava-Jato enriqueceu não porque ofereceu serviços aos consumidores, mas sim porque tinha conexões com políticos e ganhava contratos superfaturados para fazer obras estatais (pagos com nossos impostos).

Quase 100% do faturamento da empreiteira Delta, do Fernando Cavendish, vinha de contratos públicos, chegando a quase R$ 11 bilhões. A maioria dos recursos veio de contratos com o DNIT.

Mas a mídia nunca os chamou de oligarcas, muito embora sua riqueza viesse do esbulho do povo. Deve ser porque sempre foram queridinhos do PT.


Pois é.

Do jeito que a militância esquerdalha aterrisa no fórum as vezes, daqui a pouco vão dizer que foram os Eua que explodiam ''igrejas'' na Áfr. do Sul também...

Pobre CNA tão ''boazinha'', tanto ela quanto seus amigos do PC, e seu ''lança da nação'', inocência pura, confie...

''Só'' fizeram 10x mais vítimas em sua gestão ''democrática'' nesses quase trinta anos no governo (sem alternância de poder), do que no mesmo período, anterior, onde o Partido Nacional esteve a frente do país.

Com o diferencial ''plus'' de muito mais desemprego, ou seja, conseguem ser mais ineptos e corruptos do que o defenestrável e indefensável regime apartheidista anterior, mas agora tá ''tudo bem'', juram a Onu e demais governos e mídias ocidentais.

Um erro não é corrigido, incorrendo-se em outro.
O PN era um problema com seu regime segregacionista, mas isso não indica (e nunca implicou) que ANC e a extrema esquerda socialista fosse a solução, pelo contrário... o tempo mostrou que é um erro tão grave quanto.

Enquanto isso, partidos como o Inkhata party, de vertente mais conservadora e liberal, fazem figuração no congresso e nunca estiveram perto da cadeira do executivo...

Que sirva de lição ao Brasil, apesar de haver aprendizado em forma de votos nesse país, ser bem difícil.


Hahahahaha

Excelente observação, Pasquale!

O triste é que uma de minhas músicas preferidas do conjunto britânico The Simple Minds era Mandela Day, devido à sua melodia. Mas necessariamente não me parece que a banda seja progressista num todo... enfim.


Rodrigo detonou qualquer sonho dos anarcas.
Não sobreviveu a concorrência dos estados nações.
Pode chorar dizer que foi injusto, que se tivesse mais 5 minutos o anarquismo se superaria mas não adianta, fato é que o processo evolutivo se impôs.
Ou a alternativa é dizer que a concorrência não foi justa, mas aí entraria num looping de contradicao interna insanável.
E diria mais: até oncomunismo tem sobrevida ainda hoje Eno anarco morreu. Fim! Não há mais o que discutir!


"Felizmente, os EUA, durante o governo de Barack Obama concertou (sic) esse erro"

Ele fez isso com uma orquestra sinfônica ou filarmônica?


Leiam esse artigo:

"Por que a Arábia Saudita não trocará o dólar pelo yuan"

Interessante é que a dívida do governo saudita é bem baixa, embora tenha explodido no início dos anos 2000 (não sei a razão). As reservas internacionais são fartas e a taxa de câmbio do rial saudita consegue se manter estabilizada.

Talvez por ser uma monarquia absoluta, os reis tenham de ter algum cuidado com a economia do país. Todavia, continua sendo uma teocracia e assim persegue a oposição.



Chegou a 3.07 a 8 setembro de 2017. Na epoca o valor minimo pelo ipca era uns 3.34. Entao o reeca tava forte.


"Pode ser. Mas com Arabia Saudita e o Banco central do Brasil aumentando suas reservas em yuan, sei não viu"

Isso me parece algo que alguns poucos países (não raro ditaduras) estão fazendo por birra ideológica, o Yuan é emitido por um governo ditatorial, sem nenhuma transparência e que gosta de "punir"países que recebem seus dissidentes. Mesmo os EUA não estando em sua melhor forma o Dólar ainda é muito superior, veja o vídeo do Fernando Ulrich sobre o tema.

"E outra coisa, um pais com uma ditadura ferrenha que tira do ar até mulher comendo banana e o pessoal tendo que se virar com VPN(vide STF tentando censurar o Telegram) é pais promissor pra se viver bem? Isso é piada né? Não sabe que toda empresa lá tem que prestar ''lealdade'' ao Partido Comunista Chinês? Piada chamar a China de pais promissor!"

Com "promissor" aqui acredito que o colega estava se referindo a parte econômica apenas, em termos de liberdade civil realmente não tem um que se salva nos BRICS.


Imagina dois caras que nunca fizeram nada de bem para sociedade, Karl Marx e Antonio Gramsci, dois falidos que até hoje inspiram alguns malucos que socialismo e bom.


Excelente observação. Lombada é a maior desgraça deste país. Pior até que o PT.


Errado. Sociedades sem estado não foram voluntariamente substituídas por sociedades estatais. Tampouco uma sociedade estatal se comprovou superior.

O que ocorreu foi isto aqui.

Recomendo também este artigo.


E a lógica argumentativa que você utiliza para balizar este seu raciocínio (anarcocapitalismo é pior que comunismo) é …?


Isso ai já foi resolvido, foi um dos maiores erros dos EUA que considerou o CNA (Congresso nacional Africano) bem como seus integrantes como terroristas. O CNA foi um movimento e partido sul-africano, o maior partido da Africa do Sul, fundado em 1912 para advocar os direitos da população negra no país. Contudo a CNA tinha apoio do Congresso dos Sindicatos Sul-africanos e o Partido Comunista Sul-Africano. Aqui já vemos algo que os EUA odeia e persegue, comunistas. Durante anos eles pintaram a CNA e seus integrantes como comunistas, principalmente seu membro mais proeminente, Mandela. Os EUA, usou a NSA e a CIA para pintar um verdadeiro retrato terrorista dos membros do CNA. Mandela foi e é um dos homens mais amados do planeta, ganhou um Nobel da Paz por causa dos seus atos, a sua luta pelo bem de seu povo e o convívio pacífico entre brancos e negros. Felizmente, os EUA, durante o governo de Barack Obama concertou esse erro, essa perseguição descabida e fictícia ao CNA e ao Mandela que estava a causar problemas diplomáticos até pouco tempo.
Isso não é de se estranhar, os EUA, com a CIA e a NSA e toda sua influência, é capaz de transformar pessoas e/ou países em monstros para depois caçá-los e destruí-los.


É logicamente impossível manter a paridade com todas ao mesmo tempo.
Se um real vale um dólar entao vc ja perdeu completamente sua capacidade de se ancorar no euro, por exemplo


A sociedade anarco capitalista já existiu, é a sociedade pré existencia dos estados. Como a história mostra esse tipo de sociedade não é competitivo em relação a sociedade organizada em Estado.
Se fosse melhor teria sobrevivido.
As formas de organização social estão em constante mudança porém não é possível voltar ao que já foi superado.
Neste sentido discutr anarcocapitalismo é tão inútil quanto discultir comunismo.
Ambas são sociedade utópicas no sentido de que se fossem viáveis existiriam naturalmente no planeta.
Não sei como alguém perde tempo discutindo isso.


De aplicativos eu sei que os de carona surgiram até em cidades como Muzambinho, uma cidadezinha mineira de 20 mil habitantes. Como o transporte coletivo é (muito) precário e há muitos morros, então isso acaba ajudando muitas pessoas e acaba com o quase monopólio dos táxis.

Agora em Mococa eu sei que novas filiais e empreendimentos já vi, até postos de combustíveis novos foram abertos. Curiosamente, todavia, na cidade o número de empresas ativas em 2021 e em 2016 é o mesmo (e não altera, não importando o ano que coloque). Não sei se usei a plataforma do governo errada. Deve ser algum problema deles.

O painel está aqui.

Há dados até antigos: em 1960 foram abertas 172 empresas em âmbito nacional. Já em 1970 esse número saltou para 50.361. É claro que ainda temos de levar em conta que nesse ínterim a coleta de dados pode ter melhorado.

Vale lembrar que o MEI foi criado recentemente, então ele também se enquadra como empresa.




"Mexico suspends gasoline subsidy as U.S. drivers cross border for deals"

Governo mexicano subsidia a gasolina: os americanos vão nas cidades fronteiriças do país abastecer.

A demanda explodiu, faltou gasolina e o governo suspendeu os subsídios ao combustível nas regiões fronteiriças.


Já ouviu o ditado é doido mas não é maluco?
Putin é doido em atacar Ucrânia mas não é maluco em atacar os EUA.
Seria perfeitamente doido em atacar um ancap mas não seria maluco em atacar um país com governo constituído e organizado


Pode ser. Mas com Arabia Saudita e o Banco central do Brasil aumentando suas reservas em yuan, sei não viu.

E outra coisa, um pais com uma ditadura ferrenha que tira do ar até mulher comendo banana e o pessoal tendo que se virar com VPN(vide STF tentando censurar o Telegram) é pais promissor pra se viver bem? Isso é piada né? Não sabe que toda empresa lá tem que prestar ''lealdade'' ao Partido Comunista Chinês? Piada chamar a China de pais promissor!


Os caranguejos (os socialistas) que tentam puxar os demais escaladores (empreendedores) tentem montar uma empresa para sentir na prática como funciona o mercado e como se comportam tentando gerir seu negócio, seja lá qual for a sua área de atuação.



''Puxe pela memória, volte até o início de 2020 (pré-pandemia) e veja quantos pequenos empreendimentos surgiram ao seu redor desde 2016.''

Saudades desse tempo. Não essa loucura de agora.


Em 4 de junho de 1963, o Presidente John F Kennedy emitiu a ordem executiva número 11110 que instruiu o Tesouro a imprimir 4 mil milhões de dólares em notas de 2 e 5 dólares. Estas notas, apoiadas(lastreadas) por prata nos cofres do tesouro, foram emitidas livres de dívida e sem juros, sendo que o senhorio não era propriedade do banco de reserva federal dos EUA, mas sim do governo dos EUA. Esta emissão fazia parte do plano de longo prazo de Kennedy para reduzir o poder do banco federal dos EUA. Em 22 de Novembro de 1963, Kennedy foi abatido por assassino(s) em Dallas, Texas.


Outro pequeno erro que cometi essa frase:

"Basta ver no governo Temer, os juros estavam altos, e com a restauração das expectativas dos investidores o dólar despencou e ficou assim até os juros subirem."

No final eu queria dizer "e ficou assim até os juros descerem".


Opa, peço que ignore a parte onde eu falei sobre "currency board" ou "caixa de conversão" (não me alembro de qual eu escrevi), tive uma falha de memória, á qual eu já suspeitava, e depois de postar o comentário acidentalmente, eu fui checar para ver se havia escrito ladainha.

Do início da criação do real até 1999 estava em vigor uma indexação ao dólar, e nessa época os juros eram livres e flutuantes, o Bacen estabelecia limites e intervia para que os juros ficassem dentro do teto e piso, então se ele quisesse que os juros se elevassem, bastava elevar o teto e o piso.


Falando de caminhões, o governo editou uma MP que tem como finalidade renovar a frota de veículos de carga.

Segundo eles, 26 % da frota é de caminhões com mais de 30 anos de idade.

O inteiro teor da lei está aqui.

Sabem qual a maneira de aumentar a produtividade dos caminhoneiros? Basta simplesmente proibir lombadas em rodovias, algo que tem virado moda infelizmente. Isso deveria ser considerado como crime contra o transporte. Se é proibido colocar obstáculos em ferrovias, então por que colocam em rodovias? Os coitados já têm que aguentar uma longa jornada por rodovias estragadas e ainda o sujeito é obrigado a dar uma forte freada (que pode até causar acidentes e estresse nos motoristas de trás) e então, com isso, aumenta-se o consumo e a poluição do ar, além de desgaste de componentes como embreagem, além de aumentar o cansaço do motorista.

Eu cansei de ver lombadas que, além de estarem em rodovias, são mal sinalizadas e podem até causar acidentes. A resolução do Contran estabelece até as dimensões máximas delas, mas a grande maioria das prefeituras faz a lombada do jeito que quer e fica por isso mesmo, ninguém faz nada.

Reduzir impostos sobre pneus e demais componentes desses veículos, entre tantas outras coisas. A idade da frota é alta simplesmente porque o brasileiro, além de ser pobre, é pesadamente tributado, a sua moeda é doente e as regulações são norte-coreanas.

O financiamento de compra de veículos deveria ser totalmente feito pelo setor privado, por cooperativas, bancos ou até mesmo vaquinhas. Qualquer pessoa deveria ter o direito de emprestar dinheiro ou mesmo em criar o seu próprio banco ou instituição financeira.

Falando de veículos (agora incluindo carros), essa coluna mostra que mesmo nesse setor super protegido, houve uma deflação real de preços. Só que eu vi pessoas falando que na década de 1990, os salários médios normalmente contabilizavam mais de dois salários mínimos. Não vivi essa época e não sei onde encontrar dados de salários médios nessa época, então não posso falar muita coisa sobre.


"E No governo temer o dólar chegou a baixo de seu "valor real"?"

Sim, e digo mais: sempre esteve, desde que o Brasil abandonou o currency board. Os juros na época eram altíssimos (pois ninguém queria ver uma hiperinflação novamente) e continuou assim até 2012, quando os juros haviam chegados nas mínimas históricas dá época, com direito à planos econômicos keynesianos. O dólar disparou mesmo com a elevação dos juros, efeito da baixa expectativa dos investidores, o que foi revertido tão logi Temer e sua equipe econômica, contendo o respeitado Meirelles para a economia e Ilan Goldfajn para o banco central, assumiram o governo.

Ilan começou então á reduzir os juros, em valores ainda menores do que o governo Dilma, e badernas políticas começaram á brotar. Efeito: O dólar começou á valer ainda mais que no seu pico durante o governo Dilma.

Depois veio a pandemia, e junto à isso estavam os juros ridiculamente baixos... Deu no que deu, dólar valendo mais que 5, e por aí vai.


Anônimo,

Os auxílios nada mais do quê se mostraram como distribuições de renda escancaradas.

Você pode dizer que houve "ajuda humanitária", mas na prática muitos emp0breceram e irão empobrecer para financiar esses programas megalomaníacos do governo.

Ás pessoas pobres que estavam sem dinheiro ou ficaram sem dinheiro com a pandemia sobreviveriam de qualquer forma, humanos não são bobos que morrem facilmente. Se existe gente sem teto por aí que sobrevive mais preocupado com dinheiro para comprar pinga, por que gente com teto não conseguiria dar seus pulos?

Isso sem considerar que toda essa crise econômica foi arranjada pelos próprios governos com seus lockdowns autoritários. Qualquer manipulação do governo no mercado trás mais malefícios do que benefícios ao longo-prazo.

Além do mais, á utilidade dos juros altos seria para preservar o valor do real o máximo possível, de forma á diminuir á crise econômica que estaria por vir. Mas o Bacen prefiriu fazer foward guidance com juros baixos, e com ministro da economia fazendo declarações controversas todos os dias, o que na prática espantou os investidores.


É um excelente ponto. E faz todo o sentido.

Aliás, recentemente no Brasil tivemos um fenômeno semelhante (guardadas as devidas proporções, é claro). Puxe pela memória, volte até o início de 2020 (pré-pandemia) e veja quantos pequenos empreendimentos surgiram ao seu redor desde 2016. Veja também toda a expansão ocorrida no setor empreendedorial, principalmente no setor de aplicativos nacionais e de tecnologia.

Foi um período de moeda relativamente forte.


"
Ue, eu disse que chegaria facilmente por volta desse valor, se formos dizer que o "valor real" do real é por volta de 4,50, é mais que natural que os juros altos impulsionem o real para um valor maior até o Bacen controlar a meta de inflação e descer os juros novamente.

Basta ver no governo Temer, os juros estavam altos, e com a restauração das expectativas dos investidores o dólar despencou e ficou assim até os juros subirem. "

E No governo temer o dólar chegou a baixo de seu "valor real"?


Sociedade ancap não teria bomba atômica e qualquer defesa contra elas? Você diz isso baseando-se no que?

Além do mais, porquê Moscou iria sequer utilizar bomba atômica contra sociedade ancap? Não há qualquer sentido em atacar uma sociedade capitalista em todos os sentidos com uma bomba de destruição em massa, á não ser que o governante de Moscou seja um ditador lunático e completamente maluco, mas ai ele iria atacar Estados com governo também.

É impressionante ver gente tentando utilizar situações hipotéticas extremas para tentar provar algo.


"E, quanto maior for a demanda pelo real, mais forte ele ficará perante as outras moedas.

E, para que tudo isso acima aconteça, é necessário consolidar a MP da liberdade econômica, fazer a reforma tributária (estou aqui dando de barato que a reforma previdenciária já passou) e acelerar as privatizações (preferencialmente com investimento estrangeiro)."


Fazendo um retrospecto, só a reforma tributária e grandes privatizações que não foram feitas.

Mas vamos ser honestos, todas essas propostas de reforma tributária são entulhos. A reforma feita em 1964 só aumentou a carga tributária. Vi uma reforma em que o sujeito quer acabar com notas de R$ 50, R$ 100 e R$ 200 e com cheques. Já pensou no totalitarismo disso? Nem nos países onde há mais fiscalização sobre questão de dinheiro vivo, como os EUA, há isso. No Japão há cédulas de 10.000 ienes japoneses, que dão aproximadamente em US$ 80.

Todas elas querem aumentar a capacidade de arrecadação do governo. Todavia, há uma proposta de lei que permite reduzir tributos sem aquela porcaria de dispositivo de ter que "compensar perdas de arrecadação", uma aberração que só poderia existir em economias como a brasileira. É por isso que os políticos no Brasil quase nunca reduzem os tributos e sim preferem em aumentar o espólio e deixar os seus gastos crescentes.


Sim, pois a Ucrânia estatal se saiu muito bem, né?

Aliás, ao contrário da sua ironia, a Ucrânia estatal não tem bomba atômica. Quem está segurando as pontas ali é o Batalhão de Azov, um grupo paramilitar chamado de neonazista pela mídia pró-Rússia, que está compreensivelmente puta pelo fato de as forças russas estarem sendo humilhadas por ele.


Defina "precisa colocar pessoas que pensam no desenvolvimento econômico do país".

Já existiram inúmeros políticos elegidos prometendo cada um isso, cada um com seus planos mirabolantes. Geralmente envolve impressão de dinheiro, estatização, empreitadas supersaturadas que torram às contas públicas, protecionismo, créditos artificiais em abundância por meio de programas de subsidios governamentais, dentre outros.

Enquanto você continua tendo fé em burocratas, os mesmos estão reclamando que seus salários ainda não são altos o suficiente, mesmo já tendo uma casta imensurável de privilégios perante toda a sociedade.



Leandro, você certamente disse que algumas das grandes empresas americanas surgiram (ou prosperaram) justamente no período onde o dólar era forte, citando a década de 1980, falando da Microsoft e da Apple.

Poderíamos dizer isso também do Brasil? Negócios como Hering e Granado surgiram na década de 1870. A Brahma veio em 1888. Interessante o fato de que muitas empresas tiveram europeus imigrantes como fundadores ou pelo menos como co-fundadores. A Droga Raia surgiu em 1905. A Estrada de Ferro Madeira-Mamoré teve seu início de construção em 1905, por Percival Farquhar. Esse mesmo empreendedor americano fundou a Brazil Railway Company em 1906. Triste é ver que os republicanos enterraram a chance dos recém-libertos da escravidão de começarem a sua vida com os lotes de terras, estes prometidos em uma carta da Princesa Isabel. Muitos deles então acabaram tendo de ir à informalidade, atuando como vendedores de frutas e bugigangas pelas ruas.

Eu tinha até uma matéria guardada (e perdi nas abas do Chrome... não sei se era matéria da Veja, da Época ou da IstoÉ), onde na entrevista o entrevistado disse que durante a Caixa de Conversão, o número de empresas listadas nas bolsas de valores explodiu e esse feito nunca mais foi repetido.


Mano, sociedade ANCAP nem precisa de Russia pra virar pó.
Ela se autodestruíria sozinha em questão de dias, uma vez instituida. Pior que comunismo


Uso de drogas é responsabilidade individual, e deveria ser um setor da economia como qualquer outro. Enquanto houver demanda, haverá oferta, e criminalizar uma atividade econômica nada mais do que faz com que ela seja lucrativa no mercado negro.

Não é atoa que existem tantas gangues por aí que se financiam por meio das vendas às drogas. Antigamente às gangues e máfias americanas se financiavam pela venda do álcool no mercado negro (que eram ilegais)


Banco Central estabelecer o preço do crédito para empréstimos do curto prazo em nada se diferencia de o Ministério da Economia estipular o preço do pão diariamente.

Quem acredita que BC deve estimular taxa de juros de curto prazo também, por definição, acredita que o Ministério da Economia deve estipular o preço do pão diariamente.

Em 2020, os economistas do Banco Central seguiram seus modelos e jogaram a Selic para 2%. Tal medida não só foi severamente criticada aqui, como também previmos que isto descambaria em alta inflação de preços. À época, houve quem nos ridicularizasse, inclusive recorrendo ao apelo à autoridade. Debochavam: "Haha, acham que sabem mais que os economistas do Banco Central". Sim, sabemos. Seguimos a teoria sólida; eles seguem modelos econométricos.

O arranjo que um BC deveria seguir pragmaticamente é o de sound money: aquele que não tem grandes e abruptas flutuações na oferta monetária.

Neste arranjo, a base monetária deveria ser a mais estável possível, com o Banco Central proibido de comprar e vender títulos públicos, e servindo exclusivamente de emprestador de última instância, emprestando dinheiro para bancos insolventes via janela de redesconto a juros punitivos. Os juros de mercado, inclusive Selic, flutuariam livremente.

Os agregados monetários variariam livremente de acordo com a oferta de poupança e a demanda por crédito. No entanto, como não há expansão da base monetária, os Ms obviamente não teria como crescer para sempre. E, sempre que um banco expandisse muito o crédito e necessitasse de reservas, ele teria de recorrer à janela de redesconto, com juros punitivos.

Neste arranjo, obviamente, não teria como haver metas de inflação — que são uma forma branda de controle de preços —, mas seria o arranjo mais próximo possível de um sound money (excluindo-se padrão-ouro), com intervenção mínima do estado na moeda.

E seria também o arranjo mais condizente ao de preços genuinamente livres: não há imposição de juros e não há intervenção do Banco Central para "levar o nível de preços ao valor desejado".

O atual arranjo — metas de inflação e controle da taxa básica de juros — nada mais é do que uma forma branda de controle de preços.


P.S.: felizmente, o BC entendeu que estava errado e mudou radicalmente de postura, algo que foi compreendido e elogiado aqui.



Existem alguns países do mundo em que o "uso recreativo" de drogas é legal: Holanda, Canadá e Uruguai. E na Tailandia, a pena de morte é aplicada ao tráfico de drogas. Provavelmente o que funciona para uma sociedade ou país não funcionará, necessariamente, para outro.
A descriminação do uso de drogas nesses países trouxe mais benefícios ou malefícios? O que dizem os médicos, policiais, psicólogos e educadores? Como pai, me preocupo e muito com a questão das drogas. E tenho minhas dúvidas se o "liberou geral" seria uma boa idéia...


Se você colocar uma mula pra dirigir um país, você vai ter um péssimo resultado.
Você coloca um animal ignorante pra ter ingerência sobre uma empresa importante dessas, o resultado será péssimo. Precisa colocar pessoas que pensem no desenvolvimento econômico do país!
As pessoas precisam saber votar.

O mesmo vale para empresas privadas.
Se você vota em péssimos conselheiros pra empresa privada para a qual você acionista, sua empresa também será mal gerida e não se desenvolverá.


Toda a crítica no final é o argumento de que o Banco Central não deveria estipular a taxa de juros. Ok, mas o Banco Central não tem recursos e/ou conhecimentos para ter uma ideia realista dos efeitos de cada taxa aproximadamente? O Banco Central da Rússia escolheu recentemente 20% em um sorteio? Vocês falam como se eles fossem burros e não tivessem referência para nada.


"Não sei exatamente qual seriam "durante esses anos", nem qual métrica vc está usando pra determinar inflação. Mas usando o ipca/CPI, q apesar de Nao ser "confiável" a métrica é semelhante nos dois. Nos ultimos 10 anos, a média anual foi de 6% no real e 2% no dólar. Longe de ser levemente, 3 vezes maior."

Estou me referindo aos últimos dois anos, desde o início da pandemia

"E por qual motivo vc vê o o dólar facilmente chegando a 4? E porque ficaria nesse valor "por um bom tempo", porque 4 e nao 4,50 ou 4,20 ou 3,50? Quais os parâmetros para termos 4 exatamente?"

Ue, eu disse que chegaria facilmente por volta desse valor, se formos dizer que o "valor real" do real é por volta de 4,50, é mais que natural que os juros altos impulsionem o real para um valor maior até o Bacen controlar a meta de inflação e descer os juros novamente.

Basta ver no governo Temer, os juros estavam altos, e com a restauração das expectativas dos investidores o dólar despencou e ficou assim até os juros subirem.

Só não vejo isso não acontecendo caso os juros americanos empolguem os investidores mais.


[OFF]

Pessoas, vocês viram isso aqui?

www.cartacapital.com.br/mundo/brics-sao-o-pilar-de-uma-nova-ordem-mundial-diz-russia/

Mesmo ignorando que se trata da Carta capital eu ainda ri alto por aqui. BRICS liderando a "nova ordem mundial?

Brasil -> Acho que não preciso falar muito, país historicamente avacalhado, altamente avesso à liberdade econômica e com um cenário político desolador, além de contas públicas caóticas e economia frágil. não vai conseguir nada além de algum crescimento tímido nos próximos anos e décadas.

Rússia -> País que já vinha estagnado e patinando desde o tombo da URSS, agora afundada em merda, basicamente desligada do comércio global e cujo "colossal poderio militar" não consegue dar conta nem do país mais pobre da Europa (Aquela galera que pagava boquete pro Putin e dizia que a Rússia derrotaria os EUA em um mês numa guerra simplesmente sumiu do mapa). Há quem diga que sua economia não passa da metade deste ano, ainda mais se o plano da Europa de reduzir sua dependência da energia russa vingar.

Índia -> Talvez o único país que tenha uma chance um pouco melhor, pois ainda tem altas taxas de natalidade, e por estar em uma base baixa tem muito espaço pra crescer, porém nunca foi muito fã de livre mercado, embora tenha feitos muito bem-vindas reformas nesse sentido isso ainda não é suficiente pra fazer o país realmente decolar. Soma-se à isso um enorme grau de corrupção.

China -> País até bastante promissor, mas que está afundado em dívidas, muitas das quais foram feitas para bancar desenvolvimentismo e investimentos sem pé nem cabeça e que já estão causando dor de cabeça enorme (vide caso da Evergrande), fora isso tem se fechado e apertado o cerco contra a livre iniciativa. Inúmeros "especialistas" vivam corando que a China ultrapassaria os EUA até 2020, mas agora, 2 anos depois a mesma ainda está 6 trilhões de dólares atrás. Somem à isso a colossal crise demográfica à espreita e vemos que o futuro não anda tão brilhante assim para o dragão.

África do Sul -> País com um nível de desenvolvimento até bom para padrões africanos, mas só pra padrões africanos mesmo, pobreza come solta por lá, o governo é extremamente corrupto, liberdade econômica? "Nunca nem vi"! Fora as enormes divisões internas herdadas ainda da época do apartheid e um cenário político altamente instável.

Enfim, embora seja crível que tais países tenham uma considerável importância global, falar de uma "nova ordem mundial" liderada por esse bloco é quase de dar pena, o desespero de Putin e seus seguidores é bastante palpável.


Se a Ucrania fosse ANCAP, queria ver como iriam se defender de Moscou, sociedade ANCAP n teria bomba atomica...


Será que haverá alguma narrativa bolsonarista para justificar essa guinada, tipo "fizemos aquilo por causa da pandemia"?

Sim. Em um grupo que participo, a narrativa é de que a impressão de dinheiro foi uma medida necessária para amparar as pessoas que ficaram sem renda por causa dos lockdowns, que a inflação brasileira é reflexo da "inflação mundial causada pela pandemia" e que não há justificativa para o dólar ter subido tanto senão "bancos apostando contra o BC".

Fiz um pequeno apanhado dos comentários que os bolsonaristas têm feito lá nos últimos 6 meses, só para vocês terem uma noção:

----------
Rapaz, tem que ser muito incapaz intelectualmente para achar que o BC vai proteger exclusivamente a moeda mesmo num cenário de pandemia. O sujeito que pensa que qualquer órgão só atua pensando em preto e branco não é inocente, é simplesmente incapaz.

E pior ainda achar que seria possível combater a inflação via aumento de juros sendo que do lado fiscal o governo - ACERTADAMENTE - imprimiu bilhões de reais. O custo em termos de sofrimento e pobreza seria MUITO PIOR se o governo não tivesse feito isso do que o encarecimento dos produtos em virtude da inflação agora. Eu não espero que um sujeito analfabeto entenda essa lógica, inclusive acho que mesmo a maioria das pessoas não vai entender essa relação. Mas alguém que se propõe a debater sobre o que o BC fez ou deixou de fazer não pode ignorar isso, é um imbecil. Não tem outra palavra.

Não haveria aumento de juros que conseguisse manter a inflação na meta em 12 meses junho de 2020 e junho/julho de 2021.

Aliás, um dos "BCs" mais respeitado do mundo, o Fed, diz CLARAMENTE que leva em consideração outras coisas para estabelecer os juros, entre eles o desemprego.

Acho que a escala do auxílio durante a pandemia foi excessiva mas, do ponto de vista humanitário, eles eram absolutamente necessários. Milhões de pessoas ficaram sem renda do dia para a noita por causa dos lockdowns mal-ajambrados. Se tem um momento em que a impressão de dinheiro e aumento de gasto público se justifica são justamente em momentos de crises exógenas como uma pandemia. Parte desse custo estamos pagando agora em inflação e deterioração fiscal, mas é muito melhor do que jogar dezenas de milhões na indigência.

É debatível se o governo imprimiu dinheiro demais. É sempre muito fácil fazer essa análise de maneira retrospectiva, mas a verdade é que todos achamos que veríamos um colapso econômico que não veio. Muita gente disse que o Brasil fez um auxílio errado, mas os dados até aqui mostram que tivemos um desempenho acima da média no que se refere exclusivamente à desaceleração econômica causada pela pandemia. O Brasil tem outros problemas e por isso nosso crescimento é limitado, mas com relação ao impacto da pandemia em si, foi exemplar o nosso resultado. Inclusive com QUEDA de desemprego.

Na verdade, embora inflação alta seja ruim, péssimo, ela não é contraditória com a melhoria de outros indicadores econômicos. Inflação costuma acelerar a economia no curto prazo, é exatamente isso que estamos vendo. Para mim, o que realmente destoa completamente neste cenário todo é o dólar. Não existe no papel nenhum motivo para o dólar nem estar tão alto nem flutuar como flutua, tão bruscamente. O Brasil tá com as contas externas equilibradas, o lado fiscal sob controle e tem reservas sólidas. Não vejo vulnerabilidade externa que explique a preferência pela moeda americana.

Não existe nenhum motivo técnico para o Brasil ter o desempenho cambial que está tendo. Eu falo isso aqui desde meados do ano passado: é uma aposta que investidores institucionais estão fazendo contra o BC. Uma queda de braço mesmo.

A inflação maior do que o previsto é um fenômeno mundial, fato novo. EUA e Alemanha com inflação recorde. Acho curioso que alguém ainda culpar a política monetária pela inflação. Alguém avisa o Bacen que eles estão causando inflação no mundo inteiro. EUA e União Europeia, duas regiões que costumam ter inflação baixa, tiveram recorder históricos de inflação, em um patamar que não se via há décadas. Brasil teve 10% de inflação, menor do que a inflação de 2015.

E quando a inflação brasileira foi menor do que a média mundial? É claro que, numa situação normal aumentar, a massa monetária é um problema grave. Mas estávamos numa situação normal? Diga aí, você ouviu falar de pandemia e de fechamento de fábricas, comércios e isolamento social? E não foi o CN que inundou o Brasil com dinheiro, foi o governo e o congresso que determinaram juntos a ajuda. Sem isso a crise teria sido muito mais profunda, muito mais destruição de riqueza e deflação. Nossa, que resultado ótimo.




Não entendi qual é a relação com a discussão acima, mas o diesel na Bahia continua sendo o mais caro do Brasil. Apenas a diferença reduziu um pouco agora.

O liberalismo não precisa de mentiras para ser defendido. Esse tipo de desespero arranha a imagem daqueles que se expressam em defesa da liberdade econômica, tornando a luta mais difícil.

É a mesma coisa do Constantino defendendo reduções atabalhoadas da SELIC, sob o argumento de que "temos metas de inflação" quando o IPCA ainda estava baixo, para não criticar Paulo Guedes.

A teoria econômica em favor da liberdade é sólida. Basta falar a verdade que o defensor da liberdade estará certo. O leitor mais confuso perde a confiança ao identificar uma distorção/mentira.


Você tem fazer a sua consulta de forma honesta. Não precisa bisitar sites de terroristas para isto. Tudo mudou e muda constantemente nesse setor, a questão do tipo de petróleo extraído e refinado no Brasil e os volumes de importação e exportação, muda todo mês amigo.

2/3 do petróleo extraído aqui provém dos campos do pré-sal. Um óleo já considerado leve, apropriado para as nossas refinarias que foram projetadas originalmente para processar óleo leve importado, mas que depois foram adaptadas para processarem um blend com o petróleo do tipo mais pesado que passou a ser extraído da Bacia de Campos. A questão da continuação da importação de PETRÓLEO, mesmo com o desenvolvimento dos campos marítimos dessa Bacia, era essa, fazer o blend com esse petróleo nacional mais pesado possibilitando mínimas adaptações necessárias então para refinar esse blend e produzirmos os derivados de consumo nacional. Nada a ver ainda com a importação de gasolina e diesel, necessária devido nossa capacidade de refino de petróleo (para a produção própria de gasolina e diesel e outros derivados) já não atender a demanda nacional. Com a produção marítima crescente de PETRÓLEO, só fez diminuir a dependência do petróleo externo.

E atualmente, com o pré-sal, mesmo com produção superior a capacidade de refino, ainda importamos petróleo, mas muito pouco, por razões estratégicas.
Por que?
No PARQUE DE REFINO, um pouco mais da metade do petróleo processado provém do pré-sal. A outra metade continua sendo composta majoritariamente do óleo mais pesado já produzido aqui antes do desenvolvimento do pré-sal como dito, e uma agora pequena parcela de petróleo leve que ainda importamos, ao redor de 5%, ou seja um refino quase 100% nacional. Olha aí, não tem nada de grandes volumes de importação de petróleo. Mas como dito, os números variam sempre, tem estatísticas pré pandemia, agora pós pandemia. Todo mês e ano os números variam. Recentemente li que o pré-sal chegou a responder por mais de 70% do refino nacional e o volume de importação de derivados atingiu 50% do consumo!!
Mas se somos autossuficientes em petróleo então por que não todo o óleo do pré-sal é aproveitado para nosso refino, todo o óleo mais pesado dos outros campos passa a ser exportado como excedente, e continuamos ainda nessa história de blend?
Aí entra fatores econômicos, é vantajoso exportar o petróleo do pré-sal, pois além dos custos de extração terem diminuido bastante recentemente, este óleo possibilita melhor valor agregado após o refino e por isso é mais valorizado, e com o real depreciado no câmbio aí não tem jeito, vão querer exportar uma boa parte desse óleo utilizando a outra para o blend nacional, portanto estrategicamente é mais negócio desenvolver mais campos no pré-sal e vender ativos mais antigos à medida que alcançam alta maturidade e alto custo operacional para a estatal. Portanto não há nenhum problema com as nossas refinarias em processar todo o óleo nacional se fosse o caso, pois a realidade atual está bem diferente do passado, o pré-sal possibilitaria isso 100% para a capacidade atual de REFINO. E temos de sobra para isto. As ditas adaptações são apenas questões técnicas de acerto da operação das refinarias no processamento de um blend.

Mas fundamentalmente não é esse nosso problema, o problema de quem quer produzir e refinar tudo com eficiência e sem dependência externa.

Nosso parque de refino não atende nossa demanda atual pelos principais derivados de consumo do petróleo (gasolina e diesel). Então por conta disso precisamos importar esses derivados. Estima-se que essa importação até recentemente respondia por 20% do consumo. Ainda é muita coisa. E recentemente vi um vídeo da Petrobras dizendo ter importado 50% do consumo nacional de derivados como dito antes.
Hoje não sabemos ao certo, os dados oficiais demoram muito a aparecer. Os textos divulgados pela Internet dizem muita bobagem, misturam alhos com bugalhos, por exemplo o do UOL que tomou uma leve "chamada" da Petrobras (UOL é confiável ou oficial agora??) por isso fiz questão da caixa alta nos pontos em questão. É necessário muita cautela nas pesquisas, pode haver muitos interesses políticos em jogo que fazem a fonte oficial da PETROBRAS, o portal Fatos e Dados (agora tem o portal Informa Petrobras), demorar muito para atualizar seus dados. Tem ainda a ANP, a ABIC...

Então fica justificado porque o emprego do PPI, embora feito acompanhando todas as pancadas externas e aí como efeito colateral gerando instabilidade social com ameaças de greve. Poderia ser amortecido, melhorando a previsibilidade para o varejo. Mas oposição e militância só querem agitar nesse assunto, ignoram convenientemente ao sabor de seu lado político, que devido a falta de investimentos majoritariamente externos (pois estamos quebrados, o resto é discurso ideológico) há a necessidade de players importadores complementando o abastecimento nacional de DERIVADOS, e se os importadores pagam o preço do mercado externo para isto, a própria Petrobras se (conseguir ou forçada a) vender mais barato aqui vai injustificar essas importações. Uma realidade bem diferente de 10 anos atrás na quebradeira causada por uma política populista. A quebradeira será lenta, mas vai ocorrer nas distribuidoras concorrentes. Resultado final: desabastecimento em algumas regiões, das mais afastadas, do país, e eu vou um pouco mais além esmiuçando a seguir:
Até onde se sabe, o tal combustível "completão", na verdade só álcool mesmo, responde ao equivalente por cerca de meio milhão de barris por dia entre os tipos hidratado (combustível) e anidro (misturado à gasolina). O consumo nacional de combustíveis para o ciclo Otto (gasolina e álcool) ainda não bateu 1 milhão de barris por dia, está perto. Porém o consumo nacional dos derivados de petróleo (aí entram a gasolina, o diesel, aviação, lubrificantes) chega a 2,5 milhões de barris por dia! Ou seja, etanolzinho não "completa" a frota de automóveis. Parque de refino nacional não dá conta (refina só 2 milhões de barris por dia de derivados do petróleo). Produzimos hoje 3 milhões de barris por dia de petróleo. Agora ficou mais fácil entender por que exportamos petróleo e qual o tipo. E exportamos ao redor de 1 milhão de barris por dia! E porque importamos MUITA gasolina e diesel. O consumo cresce, nosso parque de refino não...


Parabenizo o autor da matéria, bem contextualizada, racional e bíblica. Paulo jamais estava dizendo isso, se for assim temos um problema com Atos 5:29. São autoridades eclesiásticas....constituías por DEUS! Só por Ele ...conforme a Bíblia.


Pois é. Com trilhões impressos não tem nem como preços baixarem, no máximo estabilizarem na alta e o rendimento médio aumentar, ou uma brutal desvalorização do dollar isso a gente tentando fazer tudo certinho por aqui. Não é impossível, só improvável rsrs...






"Trouxa é quem defende gratuitamente isso e só tem que conviver com gasolina a 8 reais"

Preço este decretado por uma estatal 100% brasileira, do jeitinho que você defende e diz que tem que ser.

Ah, e sobre este preço da estatal ainda incide uma caralhada de impostos estaduais, pois os governos estaduais, cuja existência você defende e diz serem imprescindíveis, precisam de cada vez mais dinheiro para bancar os salários do alto escalão do funcionalismo público — burocratas estes que você próprio quer que estejam no comando das empresas do país.

Parabéns pela coragem de, após tão profunda e detalhada explicação, se auto-declarar um trouxa. É para poucos.


Politico nao admite os erros. O proprio bozo ja reclamou da pandemia, mas os anti bozetes o acusaram de assassinato por nao ter gasto o suficiente na visao deles . Mas o gov imprimiu 2 trilhoes pra pagar essa conta toda.


"Eu não sei porque seria espantoso; o dólar inflacionou tão quanto o real durante esses anos"

O real desvalorizou 513 por cento . O dollinho desvalorizou 75 por centio desde 1994


"Economia recebe sindicatos, mas negociação salarial não avança"

Os caras querem um reajuste de 20 %.

O Brasil precisa domar o poder dos sindicatos.

Ou a gente terá que fazer como na Grécia, onde não há banco central e o governo tem que desesperadamente cortar salários e demitir funcionários para receber socorro externo.

Vale lembrar o seguinte: quem que gera essa defasagem salarial é o próprio governo, onde o seu banco central garante a expansão monetária, causando desvalorização na moeda. Inclusive parte dessa expansão monetária é para financiar o funcionalismo, o mesmo funcionalismo que reclama da defasagem salarial criada pelo próprio banco central. É um verdadeiro moto-perpétuo.


Blue pil

Não sei exatamente qual seriam "durante esses anos", nem qual métrica vc está usando pra determinar inflação. Mas usando o ipca/CPI, q apesar de Nao ser "confiável" a métrica é semelhante nos dois. Nos ultimos 10 anos, a média anual foi de 6% no real e 2% no dólar. Longe de ser levemente, 3 vezes maior.

E por qual motivo vc vê o o dólar facilmente chegando a 4? E porque ficaria nesse valor "por um bom tempo", porque 4 e nao 4,50 ou 4,20 ou 3,50? Quais os parâmetros para termos 4 exatamente?

Grato


Os trouxas privatizam tudo daqui pra estatais gringas.
A última é a estatal petroleira de Dubai vindo ao Brasil.
Já tem estatal chinesa, norueguesa, indonesia, espanhola, alema e até americana.
Mas os trouxas aqui acham isso bom. Os outros países crescendo e atuando de maneira estratégica para se desenvolver e proteger suas economias e a nosss abrindo às pernas, e vendendo tudo pra qualquer gringo por aí.

Quer saber? São uns trouxas mesmos!
Mas não é trouxa esses ministros e ex secretários do tesouro que usam carreira pública de trampolim ou pra ajudar seus parças dos bancos e financistas brasileiros.
Trouxa é quem defende gratuitamente isso e só tem que conviver com gasolina a 8 reais.


Quando os juros estavam baixinhos, lá nos 2 %, todos os bolsonaristas aplaudiram (mesmo porque eles seguem políticos, e não ideias). Um monte de gente dita liberal também aplaudiu, até o Geanluca Lorenzon apoiou isso.

Agora muitos, ora por desconhecimento ora por dissonância cognitiva, vão dissociar esse expansionismo monetário com a atual carestia na qual estamos vivendo.

Para você ver como o Brasil não é sério, o teto da meta de 4 % só será em 2026, teto este que existe no México há muito tempo. No Peru o teto é de 3 %.

No Uruguai é ainda pior, com uma faixa de tolerância entre 3 e 7 %.

Falando do país, o peso uruguaio teve uma forte valorização também nesse ano, o que já incomodou os mercantilistas. O presidente lá zerou o IVA de alguns produtos.


Falácia do Nirvana. Você ressalta as coisas ruins que há na realidade, compara com uma utopia que não existe, e então conclui que a realidade é péssima e que a utopia é ótima.

Só não aponta quem traria a utopia.

Falar dos defeitos dos candidatos existentes é facílimo e é uma tarefa de cuja faina eu lhe dispenso. Quero ver, isso sim, você apontar alternativas factíveis e viáveis. As que já se propuseram são ainda piores e muito mais incompetentes.

Aliás, se tudo o que você tem contra o Bozo é que ele fez uma visita de chefe de estado à Rússia antes da guerra (a qual, aliás, garantiu que o Brasil continuasse recebendo fertilizantes, ao contrário da Europa, que perdeu o gás natural), então você acabou de fazer mais uma propaganda pró-Bozo. Você queria o quê? Que o Brasil tomasse partido na guerra e consequentemente enviasse tropas?

Sigo no aguardo de quem seria melhor, por que seria melhor e, é claro, uma comprovação de que este seria melhor.

Lembrando que o único que restou é Tiro Gomes, que defende uma política econômica ainda pior que a da Dilma. Passo.


P.S.: por respeito ao local, vou ignorar sua parva acusação de que "recebo dinheiro de político" e considerá-la uma admissão de simples incapacidade argumentativa.


Não, até porque seria impossível. Num CB, a moeda nacional torna-se um clone de apenas uma moeda estrangeira (e não é a um valor de um para um, exceto se a moeda for trocada).

Sendo o clone de apenas uma moeda estrangeira, a taxa de câmbio em relação a todas as outras moedas do mundo seria flutuante (e, obviamente, flutuaria de acordo com a moeda-âncora).

Artigo inteiro e detalhado sobre isso:

www.mises.org.br/article/2196/os-tres-tipos-de-regimes-cambiais-existentes--e-qual-seria-o-mais-adequado-para-o-brasil


Cidadão, acorda cidadão!

Com um ou com outro vai ser a mesma coisa, ou você acha que algum deles manda alguma coisa.
O bozo da vez quase causou um incidente internacional ao ir visitar, sob pressão do "stablishment", o ditador russo às vésperas de uma invasão, tudo para acalmar os amigos da corte, quanto ao envio de insumos para o agro. Com direito a pronunciamento se colocando neutro na situação, foi salvo pelo Itamarati.
Já o outro bozo, foi parar na cadeia tão logo começou a achar que não era mais bozo e sim o próprio Silvio Santos.

E você acha que algum desses que concorrem a presidência é um gestor, que decide alguma coisa?

Quero estar errado, mas infelizmente essa mudança de 180 graus do RCN, só dura até as eleições. Tao logo seja reeleito o bozo da vez, a coisa volta ao que era antes, ou seja: Impressão de dinheiro (auxilio guerra, auxilio covid, auxilio combustível, auxilio moradia, nomeie um auxilio...), juros baixos, dólar alto e subsidio aos amigos da corte.

Se você é pago pra vir falar em nome de politico, infelizmente nada poder ser feito, caso contrário, está mais que na hora de você e todos os demais lambe bolas, de acordar.


"Baixar para 4 creio que não, como já explicado pelo Leandro e outros comentaristas aqui. Seria algo espantoso caso acontecesse"

Eu não sei porque seria espantoso; o dólar inflacionou tão quanto o real durante esses anos (com o real superando levemente o dólar em inflação), e além do mais, IPCA não é totalmente confiável, assim como o índice de preços americano.

Mais uma coisa: a base monetária do Dolar disparou bem mais por aqui, ao mesmo tempo que a demanda do mesmo está caindo (o governo dos EUA atirou contra o próprio pé impondo sanções contra a Rússia).

Eu consigo ver o real facilmente chegando em 4 dólares, mas ficará por volta daí mesmo por um bom tempo, e caso a base monetária continue em níveis sãos, eu consigo ver o real se valorizando gradualmente.

Além do mais, eu não vi o Leandro em momento algum falando sobre o "valor correto" atual do real, se isso existe, por favor me linke aonde ele comentou.

"STF pode e vai mexer em muita coisa... É esperar pra ver."

Á não ser que o STF intervenha e faça com que o Bonoro fique de fora por meio de negociações, é bem provável que a disputa principal seja Bolsonaro x PT (Se Lula não for irá outro, provavelmente Haddad), e se isso ocorrer, a democracia vai virar isso por um bom tempo: o único candidato liberal (e timidamente libertário) que preste e tenha relevância versus a frente esquerdista + furiosos com o Bonoro (estão gradualmente se convertendo, então não sei se contarão em grande número ate às eleições).


Será que haverá alguma narrativa bolsonarista para justificar essa guinada, tipo "fizemos aquilo por causa da pandemia" ? Fizeram aquilo por causa da pandemia, claro isso é fato, e ainda nem esquerda, nem acadêmicos, muito "liberal" por aí nem criticou. Digo não admitirem isso como um erro que foi. E assim ajudam a perpetuar uma farsa de que era a coisa certa a se fazer pelo lado social (???) e como custo político. "Jurisprudência" para populistas praticarem novamente sempre que acharem "cientificamente" conveniente.


Num currency board,1 real valeria 1 euro,uma libra e um franco suíço ao mesmo tempo,seria assim?


RCN deve ter lido várias biografias do Volcker e dezenas de monografias sobre o Bundesbank. Isso que ele fez é inédito: subir os juros aceleradamente e ainda comunicar qual será o aumento da próxima reunião.

Compare isso ao BC de 2020 — que jogava Selic para 2%, aumentava a base monetária em 50% e ainda fazia "forward guidance" mesmo com combustíveis e alimentos explodindo — e verá que são dois Bancos Centrais completamente distintos e totalmente opostos um ao outro. É como se toda a diretoria tivesse sido trocada.

Ele foi de pomba tombiniana para falcão volckeriano num intervalo de um ano.


Dois anos, no máximo três, de inflação fora do intervalo da meta já seria um critério irrefutável.

E vale lembrar que o intervalo da meta está ficando cada vez menor.

Para esse ano, a máxima tolerada é de 5%.

Para 2023, 4,75%.

Para 2024, 4,50%.

É por isso que RCN desesperou (e isso não é crítica, mas sim um elogio) e levou a Selic de 2% para 12,75% em apenas um ano. É simplesmente a carreira dele que está em jogo.