clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


Não fazem uma revolução socialista porque quase mais nenhum governo acredita no socialismo marxista, o grande inimigo atual é a social-democracia e o corporativismo.

É muito mais fácil o mercado produzir as coisas eficientemente e o governo simplesmente roubá-los e parasitá-los.


Ainda que fosse possível criar uma poupança dessas, o governo roubará tudo o que o povo poupou, criando incertezas maiores, roubo como sempre, aniquilando possibilidades de boas aposentadorias, investimentos, conforto maior para os filhos e netos, tudo porque alguns idiotas defendem que se deve dar alegremente dinheiro aos políticos. Esse povo não entende que o estado não pode gastar infinitamente? que quanto mais ele retira impostos, menos ele tem pra retirar uma vez que o mercado tem menos dinheiro, os investimentos ficam menores, cortes, e desemprego aumenta? Qual a dificuldade em entender que o estado jamais será capaz de "cumprir com o seu papel" que isso é conversa furada de político e estadista iludido que precisa de uma fuga de realidade? Não dá pra retirar de uns e ofertar a todos.


A quantidade de comentários lixos que aparecem nos posts do mises no facebook é aterrador! Tem um idiota lá dizendo que tudo isto é nada mais do que o "estado cumprir com o seu papel" e que não há nenhum problema nisso!


Leandro passo aqui pela mises só para ler seus artigos.

Como avalia o cenário "hoje", estamos diante de uma desvalorização do dólar perante as principais moedas (EUR, GBO E JPY) e as commodities indicando o inicio de uma tendencia de alta.

Estamos na iminência de uma alta volta aos anos das vacas gordas considerando toda conjuntura mundial (Trump, d[olar em queda, commodities em alta)


Luiz Moran ,voce cita Marx,mas voce pode explicar em que parte do mundo o socialismo deu certo?
"É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade.
Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. O governo não pode dar para alguém aquilo que tira de outro alguém. Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."
Adrian Rogers


Aquela recomendação liberal de comprar armas para nos proteger do governo, nunca esteve tão atual e realista.

Os políticos, funcionários públicos e militares gastam dinheiro sem nenhuma satisfação ao povo.

A grande mídia está toda comprada pelo governo. Muitos empresários sustentam o sistema corrupto, em troca de beneces e isenções.

Empresários e trabalhadores são roubados pelo governo, sem nenhuma satisfação do ministério público.
Serviços públicos são pagos, sem nenhum retorno ou satisfação do governo.


Não se trata de briga ideológica. Se trata do povo pagando e não recebendo nada em troca. Com o mínimo de sanidade, já seria possível concluir que estamos sendo asssaltados.

A posse de armas só nos garantiria uma contra-revolução. Do jeito que está, eles só não fazem revolução socialista porque não querem. Não podemos fazer igual a venezuelanos que combatem a revolução socialista com pedras.

Se o governo e os militares já fazem tudo isso, só falta eles começarem uma revolução socialista.

O povo precisa aprender com os judeus. Cansamos de tomar surra do governo. Uma hora nós iremos revidar.


Oi?! O que eu tenho a dizer é que seu inglês é precário.

Esta notícia, de 2012, diz que o governo francês quer multar a Google porque considera que a empresa pagou impostos insuficientes para o governo daquele país.

Cadê o subsidio, por gentileza?

Desde quando burocratas exigirem que você deve pagar um arrego ainda maior do que aquele que você já paga é subsídio?

Subsidio é receber dinheiro do governo. Isso não aconteceu. Isenção fiscal é não pagar impostos ao governo. Isso também não aconteceu. Esse caso da Google não é nem uma coisa nem outra. É apenas um burocrata do governo francês dizendo que a empresa tem de pagar ainda mais do que já pagou ao país.

É cada coitado que despenca por aqui.


O que os senhores tem a dizer da Google recebendo subsídios, e ainda sim sendo uma das melhores empresas do mundo?

www.theregister.co.uk/2012/10/31/google_france_tax_office_billion_euros/


"Combater o déficit habitacional"

Meu amigo, o governo não tem que combater porcaria nenhuma, tem apenas que nos deixar em paz.


A mesma solução que permitiu que a oferta de coisas até então escassas e destinadas apenas aos ricos -- carros, celulares, televisores, viagens de avião e comida boa -- se tornasse abundante e direcionada aos mais pobres: o livre mercado.

Apenas a livre concorrência pode aumentar a oferta de um bem e, consequentemente, reduzir seus preços (em termos reais, isto é, em termos de horas de trabalho necessárias para adquiri-lo).

Abolir leis de zoneamento insensatas e dar mais liberdade para a construção civil já aumentariam bastante a oferta de imóveis, barateando os alugueis.

Finalmente, acabar com essa ideia de que a pessoa só pode ser feliz tendo casa própria. Eu sempre morei de aluguel e graças a isso (não ter me endividado para comprar imóvel) amealhei um patrimônio financeiro respeitável. Só o que ganho de juros em cima deste patrimônio financeira paga o aluguel e ainda sobra muito.


P.S.: a oferta de bens só aumenta e seus preços só caem (em termos reais), exceto imóveis. Por que será? Será que o fato de estes terem sua aquisição subsidiada pelo governo -- o que explode a demanda -- não tem efeito nenhum sobre isso?

P.S.2: se o governo passasse a subsidiar a compra de comida, você acha que os preços cairiam ou explodiriam? E o acesso à comida, você acha que ficaria mais universal ou mais restrito apenas aos mais ricos?


DEviam ter colocado uma nota, informando que o tal texto não condiz com a linha editorial do site e pedir desculpas.
Mas JAMAIS retirar do ar. Se era uma opinião pessoal do autor, que deixassem claro e não se colocassem como censor da opinião alheia.
Para quem se interessar, o boletiim da liberdade tem o texo na integra: www.boletimdaliberdade.com.br/2017/12/20/publicado-por-engano-artigo-do-imb-gera-polemica-confira-a-integra/



Belo constatamento. Concordo, também, que seja um problema. Eis minha nobre sugestão de como solucioná-lo:

1. Forçamos as pessoas a acessar sites que elas não queiram. Ao tentar entrar em um site, as pessoas serão automaticamente redirecionada para um outro site, com um menor acesso.

2. Melhor, como igualidade é um ideal a se seguir, todos os sites terão acesso idêntico. Haverá a ARTD (Agência Reguladora de Tráfego Digital) que será responsável por distribuir todos acessos igualmente. Caso hajam 5000 sites, e 3250 pessoas tentando acessar algum site, estes entraram em uma fila de espera, até o momento em que haverá 5000 pessoas tentando acessar para 5000 sites, dando o justo direito de igualdade de acesso para todos, um acesso para cada.

3. Quando um leitor for a uma livraria, este não escolherá um livro de sua escolha. Sua leitura será designada pela CDCI (Central de Desenvolvimento Cultural e Intelectual), cuja função será atribuir livros a diferentes leitores, mantendo o grandioso ideal de igualdade, no qual todos livros serão lidos pelo mesmo tanto de leitores.


Ok, então qual seria a solução para combater o déficit habitacional sem elevação dos preços dos imóveis e endividamento dos compradores?


"No Brasil, ética de trabalho é uma excentricidade tão grande quanto terremotos e nevascas." Perfeito!


"Frequentemente somos tentados a crer que a farmácia, o restaurante, a padaria, a franquia de fast-food e o posto de gasolina são apenas coisas comuns à estrutura do nosso mundo, uma inevitabilidade do nosso meio. Mas não são. "

Perfeito, Fabrício, este é o ponto principal!


"Poucos percebem que estamos caminhando para uma distribuição muito mais irregular de 99/1 em muitas coisas que costumavam ser 80/20: 99% do tráfego da internet é atribuível a menos de 1% dos sites, 99% das vendas de livros vêm de menos de 1% dos escritores... "

- Nassim Nicholas Taleb (Antifrágil)


bao tarde,

Uma dúvida que não compreendi. O Governo fez essas medidas de austeridades atraindo investidores para o país, então houve a expansão de crédito.

Mas minha dúvida é porque ela ocorreu ? o juros eram baixos? o governo estimulou isso? e se foi ele então essas medidas de austeridades serviram apenas para atrair os investidores?

muito obrigado.


Olha, sou contra uma política armamentista. Mas devo admitir que estou com medo. Nunca seria capaz de matar alguém,mas se tivesse que defender a minha própria vida ou a de algum inocente acho que o faria. Quando vejo Bolsonaro falar em política armamentista o critico , mas é preciso observar o que vem por trás disso .Estamos a beira de um conflito armado em caso de Lula ser preso e inelegível . Sabemos que eles ,os vermelhos, andaram armando o PCC e sabe-se Deus o que pode vir a ocorrer em caso de uma pseudo revolução socialista no Brasil. Acho que caímos numa grande cilada com o PT. Acho que o plano socialista deles ainda não acabou. Acredito que é possível que libertem LULA e o coloquem aqui em uma ditadura socialista. Viraremos uma Venezuela. O Brasil está dividido.


Prezado Thiago,

1. Você diz: "Ok, mas não acho que é o caso de demonizar o Estado ou o Governo". e "Mas invalidar o Estado por princípio me parece descabido".

O autor não está "demonizando" o estado. O estado é do demo mesmo. É moralmente injustificável. É um arranjo (não uma associação - que pressupõe a cooperação voluntária) que se mantém na base do esbulho (apropriação de propriedade alheia sob ameaça de violência conduzido por uma pessoa ou organização detentora de poder) e da violência. Então ele é, por princípio, inválido.

Mas há uma clara distinção entre a Lei, que são as regras de conduta em sociedade, e o estado. São duas coisas independentes uma da outra - você mesmo disse sem perceber - As pessoas criam regras, as famílias criam regras, associações criam regras e isso é legítimo.
Ora, se elas são entidades separadas, declarar o estado inválido não afeta a posição da Lei e de nenhum outro "centro de decisão" que você citou.

Honestamente, me surpreende que pessoas inteligentes que não se beneficiam dos privilégios concedidos pelo estado possam defendê-lo com tanto fervor. Só uma observação pessoal.

2. Sobre a arrogância dos burocratas, que pensam poder controlar a atividade humana, você diz: "Diria que o princípio não é o controle, mas alguma organização racional".

Mas a verdade é que a raison d'être do estado é o controle de alguns homens (no sentido de ser humano, e não indivíduo do sexo masculino) sobre todos os outros. Homens estes que em sua maioria se superiores aos outros, a ponto de pensar que sabem o que é melhor para cada um - desrespeitando totalmente as vontades e aspirações pessoais de indivíduos que são, por definição, diferentes entre si. Por isso o autor cita a "arrogância dos burocratas". E não é imaginação dele - tente dizer à um tabelião ou um fiscal que ele é totalmente dispensável, não cria riqueza nenhuma e só atrapalha a vida de milhares de pessoas - ou seja, é um parasitóide. Cuidado para não apanhar.

Não entendi o que você quis dizer por "organização racional". Parece que você está dizendo que políticos e burocratas põe a sociedade em ordem, e que sem a existência destes haveria caos e destruição. Esta é uma ideia perigosamente próxima àquela pregada pela seita de Auguste Comte - o Positivismo. Por favor, explique melhor esse ponto.

3. Você diz: "Esse trecho é exagerado. Acho que faltou precisão e maior ponderação para algo mais construtivo e interessante".

Penso que você foi muito vago nesse comentário. Diga claramente o que você achou exagerado, e por quê. Só assim as outras pessoas poderão dialogar com você. Não dá para concordar/discordar/argumentar se não sabermos exatamente o que você está dizendo.


Bom, chegamos num consenso que o PIB precisa aumentar muito.

Também concordo que isso deve ocorrer em etapas. Não vai ser com canetadas que o PIB vai ser multiplicado por 6 do dia para noite.

Porém, esses países entre 30K e 60K dólares são apenas desenvolvidos. Os países ricos possuem PIB per capita acima de 60K dólares.

Algumas mudanças burocráticas que iriam aumentar muito o PIB, mas com certeza a cultura do povo precisaria mudar.

Não tem como ficar rico sem trabalhar e sem tentar fazer as coisas com perfeição.

Também não podemos esquecer que na primeira nota que aparecer na carteira, a esquerda vai tentar socializar.

O PIB acima de 60K é o objetivo e meta, mas faltam as ações que irão nos permitir chegar nesse objetivo. As pessoas ficam discutindo muitas coisas, mas pouco dizem que o objetivo é ter um PIB per capita muito alto. Crescer 3% ao ano não resolve o problema.


Utopia, do grego "ou", "não" ou prefixo de negação e "topos", "lugar", tem, como significado secundário, um lugar que não é no agora, mas que pode ser construído no futuro. A palavra é atribuída a tentativas de construir modelos socioeconômicos que não existem no presente e nunca dariam certo.

Essa é minha forma de ver o mundo.


Rapaz, por isso ninguém entende o que é Liberdade:

"Liberdade no conceito do Aurélio é: Poder de agir, no seio de uma sociedade organizada, segundo a própria determinação dentro dos limites impostos por normas definidas."

Tal definição é de uma IMBECILIDADE ATROZ!

Liberdade como poder de agir é uma estupidez. Por exemplo:

- eu não sou livre para voar?
...Sou sim, eu não tenho é capacidade para voar.

- eu não sou livre para air por aí matando?
...Isso nada tem a ver com Liberdade, mas com DIREITO. Eu não tenho direito natural de sair matando. Afinal todos tem direito a SEU PRÓPRIO CORPO e MENTE (INDIVÍDUO) e por tal esse direito NATURAL NEGA a todos os demais qq direito sobre INDIVÍDUOS ALHEIOS.

Óbvio: não pode existir o mesmo direito de arbitrar sobre algo exercido por mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Questão de LÓGICA.

- Eu não sou livre para viajar pelo mundo?
...sou sim. Eu não tenho é capacidade financeira para remunerar o trabalho alheio que me permitirá fazê-lo. Ou seja, eu não produzi/tenho valor suficiente para remunerar o trabalho alheio. ISSO NADA TEM A VER COM LIBERDADE.

LIBERDADE NÃO É O MESMO QUE POTÊNCIA (capacidade)

- Eu não sou livre para ler livros escritos em 10 idiomas diferentes?
...sou sim, mas não não domino 10 idiomas diferentes.

PORTANTO, SÓ IMBECIL pode anuir com tal definição aberrantemente imbecil.

Ah! ...mas não é só:

A IMBECILIDADE é tamanha que ainda define como agir ..."segundo a própria determinação dentro dos limites impostos por normas definidas".

Pô, "segundo a própria determinação" NÃO COMBINA COM "dentro dos limites impostos" ...TRATA-SE de AMBIGUIDADE.

Afinal, ALGUÉM estabeleceu e IMPÕE LIMITES que PODEM SER ARBITRÁRIOS. Digo, nessas "normas definidas" NÃO HÁ MENÇÃO a DIREITO NATURAL e por tal são NORMAS IMPOSTAS por quem tem PODER de IMPÔ-LAS ARBITRÁRIAMENTE.

Ou seja, essa definição, significado, É DE UMA IMBECILIDADE ATROZ: é uma definição CHEIA de AMBIGUIDADES e por óbvio ARBITRARIEDADES.

Só imbecis para aceitarem tal definição.


Você vai a um banco, pede um empréstimo e então o banco simplesmente cria dígitos eletrônicos na sua conta-corrente. Ato contínuo, você poderá utilizar esses dígitos normalmente, tanto via cheque quanto via cartão de débito ou de crédito. Ou então via TED.

Funciona exatamente igual ao dinheiro eletrônico que você recebe via salário. Não há distinção nenhuma. A única diferença óbvia é que você terá de pagar juros sobre eles.

Muito obrigado pelas palavras e grande abraço!


"O Bolsonaro já está pensando em proibir a importação de bananas. "


Leandro, por acaso boa parte desse dinheiro injetado na economia entra na mão das pessoas na forma de cheque ? Como as pessoas utilizam o dinheiro digital ? Queria dizer também que este artigo está muito bom .



Assim disse o amante de ditaduras como Cuba e Coreia do Norte... que não se cansa de querer transformar as pessoas e o mundo na sua utopia (construída entre um baseado e outro), com a desculpa de criar o paraíso na Terra. Vai para Coréia do Norte ajudar a este país a lutar contra o capitalismo ianque e larga esta internet e celular. Deixa de ser um babaca e cuida da sua vida, assim você será uma pessoa mais competente para de colocar a culpa dos seus fracassos e sonhos não realizados no capitalismo e no mundo.



Certamente esse capital imoral é algum talendo liberal escondido para a comédia. eu recomendo seriamente que a pessoa pro traz desse perfil tente ser algum tipo de stardard comedy, é até uma forma interessante de implementar o liberaismo na cultura atravez do humor. mas observe seriamente se as consequêncas lógicas do discurso "sério" da esquerda não levam exatamente a tudo isso que ele argumenta e defende. A lógica é: 'impessa as pessoas de consumirem para compensar a escassez natural da cadeia de produção', ao invez de 'aumente a produtividade e os investimentos para que surjam mais produtos e haja mais abundância'.


O que foi feito na década de 90 pelo social-democrata FHC fez a alegria de gregos e troianos.

Quando o governo privatizou empresas estatais extremamente ineficientes, fez a alegria de empresários magnatas que poderia aumentar enormemente suas receitas.

Quando o governo criou agências reguladoras já que o governo brasileiro não confia no mercado, fez a alegria de funças parasitas recém demitidos das estatais privatizadas.

A simbiose das empresas privatizadas e das agências reguladoras gera uma reserva de mercado gigantesca para os poderosos e mega-salários para vagabundos parasitas. O casamento perfeito para um estado historicamente fascista como o brasileiro.

O único que se estrepou aí foi o consumidor médio.


Veja bem, não quero impor a verdade - sendo que tal coisa nem existe pra filosofia, que não é ciência, o que não é demérito, muita coisa foi conquistada sem esse tipo de entendimento e toda forma de conhecimento merece respeito. Espero não ter parecido arrogante.

Coloquei do modo mais científico que pude e tentei suprimir ao máximo meu modo de ver o mundo. Espero que consega hahaha, ainda somos humanos. As ciências humanas são idiográficas (trabalham com tendências e lógica) enquanto as ciências exatas são nomotéticas (trabalham com normas calculáveis e inquebrantáveis). Nesse sentido, não se pode esquecer o revisionismo dentro das humanas, trabalhar com conceitos de maneira epistemológica, não cometer anacronismos e sempre requerer aos fatos, quanto mais próximo o estudo for da realidade - sem cair no positivismo lógico - mais verdadeiro poderá ser.

Vamos a questão da divisão da liberdade em duas que já vi alguns de vocês libertários fazerem - Liberdade absoluta e liberdade do indivíduo. Não há a necessidade dessa analogia, que mais pareceu método afim de criar uma escola de pensamento - ocorre bastante isso. Liberdade com preposição e um regente ou só advérbio não faz diferença. Liberdade no conceito do Aurélio é: Poder de agir, no seio de uma sociedade organizada, segundo a própria determinação dentro dos limites impostos por normas definidas. E a vocês, eu digo, que no direito, na sociologia, na filosofia, na história, na antropologia existem diversos pesquisadores trabalhando esse ponto. Veja os estudos em ética, poder e moral para mais informações sobre tal tema.

Do ponto da propriedade privada. Esse é o pulo do gato, caso se "assinar um contrato com um tribunal que julga" então de modo algum pode existir propriedade privada sem estado-nação, pois é um estado que com seu aparato de coerção social, o chamado, Monopólio da Violência Legítima (MVL) realiza e mantem a propriedade privada. Vide John Locke e muitos outros pais do pensamento liberal, sobre a ideia do contrato social, em que o estado serve para proteger a propriedade privada e por isso ele protege as pessoas. Aliás, é sempre bom lembrar aos defensores do capitalismo que o proprio Adam Smith diz:

"É injusto que toda a sociedade contribua para custear uma despesa cujo benefício vai a apenas uma parte dessa sociedade". Ele NÃO estava falando sobre o Estado Democrático de Direito, mas da velha aristocracia feudal detentora dos meios de produção.

Ele era um FORTE defensor do uso de impostos progressivos para custear programas sociais como diz seu comentário: "Não é muito irracional que os ricos contribuam para a despesa pública, não só na proporção de suas receitas, mas também em algo mais do que na proporção".

Ele era um grande critico da formação de carteis e oligopólios inevitáveis em um sistema econômico sem regulamentação Estatal e Social: "As pessoas do mesmo comércio raramente se reúnem, mesmo por alegria e diversão, mas a conversa termina em uma conspiração contra o público, ou em alguma disposição para aumentar os preços".

Assim como o acumulo muito grande de poder pela propriedade privada: "Onde há uma grande propriedade, há uma grande desigualdade. Para um homem muito rico, deve haver pelo menos quinhentos pobres, e a afluência dos poucos supõe a indigência dos muitos. A afluência dos ricos excita a indignação dos pobres, que muitas vezes são conduzidos pela vontade e inciados a invadir suas posses. ".

Ele era CONTRA o acumulo de propriedade por saber que isso leva a uma desigualdade social e seus problemas: "Sempre que haja uma grande propriedade, há uma grande desigualdade"

Ele NÃO ACREDITAVA NA VIRTUDE DO COMPORTAMENTO EGOÍSTA: "Quão egoísta é a suposição do homem, há evidentemente alguns princípios em sua natureza, que o interessam na fortuna dos outros, e tornam sua felicidade necessária para ele, embora ele não tire nada disto, exceto o prazer de vê-lo".

E ele sabia que o empresario NÃO era capaz de servir ao bem publico EM NENHUMA SITUAÇÃO: "O interesse dos empresários é sempre em alguns aspectos diferentes e mesmo opostos ao do público ... A proposta de qualquer nova lei ou regulamentação do comércio que vem dessa ordem ... nunca deve ser adotada , até depois de ter sido longo e cuidadosamente examinado ... com a atenção mais suspeita. Ela vem de uma ordem de homens ... que geralmente têm interesse em enganar e até oprimir o público "

E ele era um critico ferrenho do materialismo: "O filho do pobre homem, que o céu tem em sua ira, visitado com ambição, vai admirar os palácios para invejar. Ele trabalha toda sua vida para superar seus concorrentes, apenas para encontrar o fim de que os ricos não são mais felizes do que os pobres nas coisas que realmente importam ".
O mercado e TODA ÉTICA ANCAP estão CONTRA A LIBERDADE EM QUALQUER ESFERA.

Caso fosse aplicado, do ponto de vista sociológico. É necessário compreender que Anarquismo e Marxismo estão muito próximos nas análises sociais e diferem muito nos pragmatismos e na atuação, tendo o mesmo berço (A Queda da Bastilha). Ainda que tenham se enfrentando no passado e os primeiros foram caçados por Stalin na URSS, bem como foram atacados pelos marxistas na guerra civil espanhola, e pelos fascistas da frente de Franco. O que mostra as muitas frentes ideológicas que existem e que esquerda e direita respectivamente atacaram os anarquistas. Mas onde se diferem? O Marxismo é muito metódico ao dizer que os povos passariam por estágios, sendo estes diferentes Modos de Produção (MPs); o Modo de Produção Comunista Primitivo (de sociedades coletoras, caçadoras, pescadoras), o Modo de Produção Asiático (de reis com súditos em que tudo era do rei, como na Babilônia, na China, no Egito, na Europa Meridional, podendo ocorrer em outros lugares), o Modo de Produção Feudal (da Europa setentrional no sistema de Suserano e Vassalagem), o Modo de Produção Capitalista (onde ocorre a separação entre proletários e capitalistas), o Modo de Produção Socialista (onde haveria no pós revolução operária ou entrega livre dos meios de produção uma crescente estatização destes, um governo único e a constante extinção do mercado, bem como da propriedade privada) e o Modo de Produção Comunista (aqui com tudo já estatizado e não havendo mais classes sociais não haveria por quê manter um governo e logo se extinguiria esta instituição também).

Os anarquistas discordam nessa passagem para o Comunismo. Eles argumentavam que Marx tinha uma visão errônea de que o Socialismo fosse um sistema que levaria os homens ao horizonte utópico e que a única maneira de conseguir tal fato é o método Anarquista.

Os anarquistas contradizem o marxismo quando apontam que o MP Socialista produziria um estado bem mais onipotente e opressivo que o estado capitalista, baseado no fato da propriedade estatal do conjunto da economia e que a sua burocracia sempre maior se negaria a desaparecer, levando o povo a um novo meio de supressão da liberdade mais agressivo ainda. Diziam que já no ato da revolução não poderiam permitir que se criasse um novo estado e que todas as coisas fossem socializadas com o fim de toda a riqueza ser igualmente distribuída entre todos os trabalhadores. O próprio Piotr Kropotkin tem muitos trabalhos sobre como seria o mundo anarquista. Com hospitais, escolas, empresas, fazendas etc. sendo todos de todos e enriquecendo igualmente à todos, num modo de vida em que as pessoas iriam se organizar pelo diálogo e receberiam tratamento igual visto que, teoricamente, não haveria desigualdade nesse mundo.

Os anarquistas que são críticos do pensamento marxista são: Proudhon, Bakunin (ele como o maior nome a prevenir os absurdos da burocracia da URSS e sua capacidade opressiva) e Stirner. Provavelmente existem muitos, mas não me lembro agora.

Até mais!?


Com o perdão dos erros grosseiros de gramática e pontuação, postei o texto anterior de um celular!


O artigo que o Leandro me indicou é magnífico! Acredito que finalmente consegui entender com clareza o quão irresponsáveis foram as atitudes da antiga administração. E agora com a sua resposta e mais estas indicações eu tenho certeza que conseguirei compreender alguns passos fundamentais para um crescimento sustentável.

Muito grato a você, Gabriel.


Esquerda é podre e mentalmente doente. O principal fundamento da alienação socialista está na negação da escassez do mundo material. Os produtos e serviços levam tempo e custo a serem alocados, não há produtos e serviços disponíveis a todos nos estoques das industrias e lojas simultaneamente em todos os lugares, por isso o acúmulo de capital e poupança que Marx condena é essência para compensar esta escassez e permitir que em um prazo menor de tempo, pessoas possam ter acesso aos produtos, quando o tempo de reposição desses estoques ocorrer e toda o ciclo de logistica se concluir recomeçando a cada inovação, a cada aumento de produção, etc...


A solução para reduzir a escassez qual é? Sim! Reduzir, pois não é possível a existência de uma sociedade de pós- escassez no mundo físico, logo a solução para a redução está no aumento da produção, que só pode ocorrer com acúmulo constante de capital da parte dos empreendedores, que podem ser qualquer um que busque conhecimento e soluções para um mercado, para que possa investir. No final das contas observando as leis básicas da física Newtoniana (SIM, NEM PRECISA APELAR PARA LEIS ECONÔMICAS)

Sr. Isaac Newton provou que o socialismo não pode funcionar, no momento em que observou que na natureza dois corpos de massa não podem ocupar o mesmo lugar no espaço, assim pois objetos e produtos não surgem do nada, levam tempo, precisam ser transportados no ESPAÇO-TEMPO (que como comprovado por Einstein é bem relativo), ao passo que como é fácil concluir, tais produtos corpos materiais ou serviços oferecidos por seres materiais e que contém massa e energia potencial, não podem se multiplicar como mágica e necessitam de tempo para realocação! Socialismo é negação da realidade, no século 21 a esquerda ignora outra lei matemática fundamental: a lei da soma/subtração e divisão.

São estes que pregam que é possivel uma sociedade ser progressivamente confiscada com impostos, tendo sua renda cada vez menor e conseguir magicamente ser próspera, dos que afirmam que o estado distribui renda quando grande parte do capital é perdido em corrupção e simples salários de políticos e funcionários públicos (negação da lógica de divisão básica), e dos que acham que liberdade para poupar e acumular capital é ruim (não entendem o sentido da soma). A desordem mental do pensamento de esquerta é tamanha, que só um tipo de pessoa crucialmente prejudicada nas suas faculdades mentais de aprendizado pelo ensino público mentecapto que temos, pode absorver tamanha inbecilidade.


"Pois na visão de alguém leigo como eu fica parecendo que ele é benéfico apenas no primeiro momento, pois conforme os bancos emprestam e endividam a população, mais complicada fica a situação a médio e longo prazo. Então como estabilizar a economia e gerar aumento de crédito ao mesmo tempo que se controla a quantidade de dinheiro real e/ou virtual e endividamento? Tudo isso a médio e longo prazo não acaba desvalorizando a moeda? Como se evita que isso ocorra para manter uma moeda forte?"

Um crescimento econômico sustentável - e em especial o crescimento do crédito - tem como base a poupança. Se o crédito se expande sem o correspondente em poupança, significa que a economia está entrando em um ciclo econômico (boom and boost). Inicialmente, e por um tempo, a renda e os empregos aumentam, depois empregos e renda caem.

Sugiro a leitura dos seguintes artigos:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=1222

www.mises.org.br/Article.aspx?id=487



Servo ? Ele vendeu o serviço e você o chama de servo ? mas é o Mises que não entende o que é socialismo ? Servo é aquele que não pode tomar decisões de sair do trabalho que executa, pela ameaça da violência, ele mantém-se executando as atividades ordenada pelo seu SENHOR.'Já pelos termos vemos(vc não) a diferença, empregador e empregado. Dois indivíduos livres para se associarem e desassociarem.


Que nostalgia sinto por mais uma vez ver esse artigo.

Agradeço muito ao Leandro pelo seu exímio trabalho (e também por or sua paciência de Sísifo com a economia brasileira).


Renda mensal de 5.000 dólares equivale a 60.000 anuais. Segundo a paridade de poder de compra, esse número corresponde ao PIB per capita dos EUA e supera o do Japão, Grã-Bretanha, França. A curto prazo, penso que podemos atingir Portugal (30.000) ou Italia (38.000).


Esse salafrário, Dilma e FHC destruíram as contas do governo portanto tem que ser punidos.



Simples. A dívida de R$ 3,5 trilhões mencionada leva em conta apenas os títulos que estão no mercado, isto é, em posse de bancos, corretoras, fundos de investimento e previdenciários, empresas e pessoas físicas.

Já a dívida de R$ 5 trilhões leva em conta os títulos que também estão em posse do Banco Central (o BC usa esses títulos para fazer política monetária, com operações compromissadas).

Esses títulos que estão em posse do BC continuam auferindo juros normalmente. Ou seja, o Tesouro usa dinheiro de impostos para pagar juros sobre esses títulos que estão com o BC. Por isso, deveriam ser considerados como parte da dívida total.

Veja no gráfico abaixo essas três rubricas. A linha vermelha é a dívida total (5 trilhões), a linha verde é a dívida em posse do mercado (os 3,5 trilhões da reportagem), e a linha azul é a dívida em posse do Banco Central (1,5 trilhão).

s18.postimg.org/hpz8mkr5l/dividas.png


A parte mais difícil é fazer a população produzir de 10 a 15 vezes mais. A política é difílcil, mas com apoio se faz em pouco tempo e não é muito trabalhoso.

Colocando os excluídos pelo salário mínimo no mercado de trabalho já ajuda muito. Aumentando a idade de aposentadoria também ajuda muito. Também podemos facilitar um pouco retirando a burocracia.

Mesmo fazendo algumas reformas, eu ainda acho que teremos produzir 10 vezes mais. Uma boa parte pode vir por melhoria de qualidade.

Para a população ser rica, a renda precisa ser acima de 5.000 dólares por mês. Menos que isso não paga nem as contas do mês.



QUER DIZER QUE QUEM NÃO PENSA COMO VOCÊ É IDIOTA? Os perigosos são aqueles que tem atitudes autoritárias e xenofobas. Hoje tem muitos que não acreditam em nada! Uma vida sem sentido e sem esperança. o que podemos esperar de uma sociedade com "estes ideais?". Eu prefiro confiar em pessoas que tem um sentido na vida, que não seja só o material. Hoje o mundo vai mal porque não tem mais "quem medite em seu coração!". Jesus Cristo bem falou: "PELOS FRUTOS OS CONHECEREIS!". Quem culpa a Religião o Jesus Cristo é porque não conhece nem um e nem outro. A ideologia cristã é de tolerância , bondade, diálogo, fazer bem ao próximo. Se alguém não a pratica , a culpa de quem é? Tem cristãos de fachada, mas é muita ingenuidade botar todo mundo no mesmo saco... Antes de falar é bom refletir: quem sou eu para falar mal dos outros? Certas criticas revelam profundas frustrações! O ódio que certos pronunciamentos revelam, nos fazem recordar Hitler, Stalin etc.


Olá a todos,

Alguém que entenda mais de contas públicas pode me ajudar ?

Hoje vi essa noticia g1.globo.com/economia/noticia/divida-publica-sobe-143-em-2017-para-r-355-trilhoes-e-bate-recorde.ghtml e lembrei imediatamente desse artigo que havia lido a poucos dias.

Na noticia do G1 é informado de que a divida é de 3,55 tri e a fonte é o Tesouro Nacional, já nesse artigo a mencionada dívida é 5 tri e a fonte é o Banco Central. Por que essa diferença tá grande de resultados ? Estou interpretando algum dado errado ?


Concordo contigo, Julio.

A aristocracia não é a fonte das virtudes, mas o lar das traições e da soberba.

O igualitário é apresentado como algo vulgar e degenerado. Felizmente, não construímos conhecimento, relações e governos de forma individual e iluminada.




Qual a chance de o governo resolver o déficit fiscal ? O que acontece se ficar tão alto por 1 ano ou mais? Abraços


Porque propagam posts como Mises, Bastiat e etc mas defendem um estado provedor em seus artigos. No mínimo, contraditório.


Não jovem, porque são contraditórios mesmo. Colocam foto de Mises, Bastiat e etc mas defendem que o estado forneça serviços "básicos" e produtos "de graça".


Era só o que faltava: um podcast sobre uma pessoa elogiando um político que causou estragos enormes na Europa tanto na Primeira quanto na Segunda Guerra. Realmente, nessa parte eu não vejo diferença de um neoconservador qualquer, que já foi desmascarado aqui neste artigo. Bela coisa tentar impedir avanço nazista, para depois o Politburo soviética tomar conta de quase toda a Europa por décadas.

Realmente, neoconservadores também distorcem a história como os esquerdistas. É impressionante como pessoas com tamanha fé em políticos.

Ameaça islâmica? Que foi criada e alimentada pelo governo americano e demais governos ao redor do mundo no século passado? Qual será a solução genial deles? Só ia faltar elogiarem o Ronald Reagan também...

Trump com essa ideia de taxar 30% painéis solares importados deixaria Lula e Dilma orgulhosos.


Exagerou na conta, um PIB nominal de 15 milhões de dólares para 200 milhões de habitantes dá uma PIB per capita de US$75.000 por ano, maior que o de EUA, Alemanha e Japão.
Os estágios mais modestos do desenvolvimento são por volta de US$20.000 por habitante por ano, como em Portugal e Rep. Checa, número totalmente factível que até países que saíram do comunismo conseguem, resulta em um PIB de uns 4 trilhões de dólares, pouco mais do dobro dos atuais 1,79 trilhões, dobrar o PIB em 15 anos não é nada de outro mundo, principalmente em bônus demográfico.
Numericamente o futuro do Brasil é brilhante, mas olhando mais atentamente nosso conjunto de leis, nosso povo bestial e a elite vivendo do aparato estatal enquanto governam e executam burocracia de maneira atroz revelam um futuro sombrio.


"Quanto a estatização ocorrida no Brasil na decada de 1970, foi feita para criar a infraestrutura de transporte/ energia/ telecom, que a iniciativa privada nunca foi capaz de fazer. "

Aí você omitiu um detalhe: por que a iniciativa privada não pôde fazer a infraestrutura? Por incompetência ou por extensas regulações estatais? Por que elas perderiam uma oportunidade assim de lucrar? E a infraestrutura brasileira continua vergonhosa, pior que a existente na China, principalmente comparando com cidades como Xangai.

"- O maior combustivel para a ascensão nazista foi a crash de 1929. "

Não exatamente, você pode ler mais detalhes sobre neste artigo.

"Resumindo, Hitler foi uma cartada da burguesia Europeia para conter o avanço socialista na europa ( o exercito vermelho era o maior do planeta)."

Que burguesia? Porque os judeus, que eram considerados "burgueses" pelo Hitler, foram perseguidos. Apesar do exército vermelho ser numeroso, os soldados mal tinham armas e ainda tinham péssimo preparo. E bela porcaria, depois da Segunda Guerra Mundial o leste europeu foi tomado por Stalin.


Não é difícil melhorar o país.

O problema é que os professores, jornalistas, políticos e muitos intelectuais são burros.

A mentalidade anti-capitalista condenou o povo à pobreza. Isso fechou milhares de empresas, ou impossibilibou a abertura de outras milhares de empresas.

Não há alternativa. Nada vai resolver o problema, a não ser o PIB do país chegando em 15 ou 20 trilhões de dólares.

Esses doentes inventam bolsas, auxílios, isenções, subsídios, aposentadorias, serviços grátis,beneces, vales, etc; que servem justamente para o povo párar de trabalhar, beber cachaça, usar droga, cometer crimes, fazer carnaval; e todas as macaquices que costumamos ver no Brasil.

A CLT é coisa de retardado. A CLT criou milhares de funcionários retardados, que só pensam em mamar nas empresas.

Quando você escutar um professor, um jornalista, um político ou muitos intelectuais, saiba que eles colocaram milhões de pessoas em estado de retardo mental.


Com 200 milhões de habilitantes, o Brasil precisa ter um PIB de 15 trilhões de dólares, para ser considerado um país
rico.

Ou seja, teríamos que crescer próximo à 10% por mais de 20 anos. Precisamos produzir 10 vezes mais com a mesma população.

Quem vai fazer o nosso povo trabalhar para produzir 10 vezes mais ? Será que tem infraestrutura para produzir 10 vezes mais ? Como é que iremos produzir 10 vezes mais sem poupança, sem educação, sem infraestrutura e sem livre mercado ?

A questão é mais simples do que parece. Temos que produzir 10 vezes mais com a mesma população, sem inflação e com uma população idosa crescendo a cada dia.







Nossa!!! Como pode uma pessoa querer ser contra, ou mostrar seu ponto de vista de forma täo vulgar? Acho que toda pessoa se deve auto avaliar independente do Sistema em que vive, violência verbal também é violência, deste modo você mesmo se contradiz quando fala que o Estado devende a violência, mas vc mesmo quer violência.


Ô, cidadão! Esse aí é o Banco Central da Suécia! Não é um banco comercial, mas sim o Banco Central! E funciona como qualquer outro BC do mundo (e não, ele não faz empréstimos para empresas ou pessoas físicas).


Mas nunca foi meio de pagamento mesmo não. Pra ser meio de pagamento, qualquer padaria tem de aceitá-lo em qualquer lugar do mundo.

Creio que a única moeda do mundo que usufrui essa característica é o dólar (e ainda assim com ressalvas).

Bitcoin por enquanto é só um ativo especulativo e extremamente volátil.



O bitcoin já está ficando inviável para a finalidade que foi criado.

Bitcoin falha como meio de pagamento e se tornou apenas um bem
olhardigital.com.br/noticia/bitcoin-falha-como-meio-de-pagamento-e-se-tornou-apenas-um-bem-alerta-empresa/73674

Se a complexidade, custos e taxas continuarem aumentando, não servirá para mais nada. Uma hora vão começar a perceber que estão investindo em algo sem utilidade real e inconversível, e o castelo de cartas cairá. Quem entrou há mais tempo e sair na hora certa vai ficar rico graças a estupidez alheia.


Sabendo que meu comentário não será publicado, mas fica obvio pelos comentários que o texto foi escrito por empresário miope, sensacionais os comentarios e testemunhos que mostram como o setor privado pensa apenas em si e ainda tem a cara de pau de cobrar virtudes empreendedoras de nós cidadãos, quando voces do setor privado só querem mexer nos salarios e beneficios trabalhistas. Então, voces liberais tem que se ferrar mesmo.


Bitcoin falha como meio de pagamento e se tornou apenas um bem

olhardigital.com.br/noticia/bitcoin-falha-como-meio-de-pagamento-e-se-tornou-apenas-um-bem-alerta-empresa/73674


Esse aqui:
pt.m.wikipedia.org/wiki/Sveriges_Riksbank

Ele também concede empréstimos.



Dorival, as suas colocações estão corretíssimas. Nada a acrescentar em termos teóricos.

Quanto à sua pergunta:

"Então como estabilizar a economia e gerar aumento de crédito ao mesmo tempo que se controla a quantidade de dinheiro real e/ou virtual e endividamento? Tudo isso a médio e longo prazo não acaba desvalorizando a moeda?"

Na verdade, esta estabilização já foi feita. E foi dolorosa. Leia todos os detalhes aqui:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2694

Acabamos de sair de um ciclo econômico completo e estamos prontos para entrar em outro. Já há um grande espaço para a expansão do crédito voltar, até porque o endividamento da população diminuiu (voltou ao nível de 2011) e os juros caminham para um prolongado período de baixa.





Pelo visto você se esqueceu do fator exportação. Com dólar barato (2004-2011), não é tão interessante exportar. Daí aumenta a oferta de soja no mercado interno, e seus preços ficam mais contidos.

Já com o dólar caro, torna-se atrativo exportar, o que reduz a oferta de soja no mercado interno, empurrando os preços para cima.

Veja aqui uma notícia de 2015, auge do dólar caro: exportação recorde para a China.

g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2015/09/importacao-de-soja-do-brasil-pela-china-sobe-275-em-agosto-20150921094006975551.html



Antes de mais nada, eu sou completamente leigo, mas sigo o site pois procuro conhecimento relacionado a economia. Então por favor, caso eu diga alguma besteira muito grande tentem não criar um ódio mortal por mim.

Como a matéria mostrou no início, ao que parece as escolhas que o Ex Presidente Lula e sua equipe fizeram foram acertadas no primeiro momento, o que surpreendeu o mercado de maneira positiva gerando uma certa estabilidade econômica. Com isso veio o aumento do crédito, mas aí que está. Até que ponto o aumento do crédito bancário é beneficiário? Pois na visão de alguém leigo como eu fica parecendo que ele é benéfico apenas no primeiro momento, pois conforme os bancos emprestam e endividam a população, mais complicada fica a situação a médio e longo prazo. Então como estabilizar a economia e gerar aumento de crédito ao mesmo tempo que se controla a quantidade de dinheiro real e/ou virtual e endividamento? Tudo isso a médio e longo prazo não acaba desvalorizando a moeda? Como se evita que isso ocorra para manter uma moeda forte?

Nas próximas eleições eu não enxergo nenhum candidato apto o suficiente nem sequer pra nomear uma equipe econômica que seja vista de forma positiva pelo mercado. E mesmo que o faça e consiga uma certa estabilidade inicial, assim como Lula conseguiu nos primeiros meses, eu, leigo que sou, não sei quais seriam os próximos passos que a equipe teria de tomar para que o Brasil saia desse looping que parece ocorrer desde sempre.

Por favor, não me enxerguem como um Petista, não sou, sou apenas alguém que vê o cenário atual e futuro de forma negativa buscando entender o que seria necessário acontecer para que eu consiga enxergar o futuro do nosso país de forma mais positiva.

Poderiam me indicar algum artigo no site que julguem serem úteis para responder a minha dúvida?

Muito obrigado.






Que os moderadores não se irritem se eu falar só mais uma vez.É que o cenário do artigo aí de cima está de volta mesmo:istoe.com.br/ouro-sobe-com-dolar-mais-fraco-e-possibilidade-de-guerra-comercial/.Vai lá Bolsonaro ganha a eleição e vira deus!


Não entendi sobre a soja. Ela é cotada a dólar, mas sua produção é interna, dessa maneira a cotação do dólar não seria irrelevante para o produto?


O Banco da Suécia não é estatal? Aproximadamente 10% dos empréstimos advém dele.


Se fizerem o que o Leandro Roque disse e fecharem o BNDES parece que nao vai fazer muita falta:www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos/bancos-privados-ocupam-espaco-de-bndes-conforme-liberais-previram/.Detalhe que o dólar tá enfraquecendo e o barril de petróleo já tá em $70 dólares.Quem vai surfar nessa nova onda que se avizinha?


economia.estadao.com.br/noticias/geral,bc-quer-definir-teto-para-taxas-em-compras-com-cartao-de-debito,70002163582

BC, mais uma vez, pretende controlar preços.


Para começar, libertários defendem uma radical redução do estado, o que por definição levaria a uma radical redução da carga tributária. Hoje, os pobres têm quase que metade da sua renda mensal confiscada por impostos (federais), estaduais e municipais. A outra metade é levada pela inflação, que também é causada pelo governo (Banco Central).

Neste cenário de destruição causada pelo estado, é claro que os pobres não têm chance nenhuma. Eles próprios bancam o SUS via impostos, e vão pra lá pra morrer. E os "humanistas" dizem que qualquer outro arranjo que não seja este é totalmente desumano.

Realmente, vivemos no mundo da moral invertida.

Como seria em um arranjo libertário? Para começar, os pobres teriam, de imediato, um brutal aumento de sua renda disponível. Sem impostos confiscando 50% de sua renda, haveria muito mais renda disponível para eles.

Adicionalmente, a total liberdade de entrada no mercado para seguradoras e para hospitais reduziria acentuadamente os preços e melhoria enormemente a qualidade dos serviços. Afinal, é isso o que a genuína livre concorrência sempre faz: reduz preços e melhora a qualidade dos serviços. Não há um exemplo prático em contrário; não há um exemplo de arranjo que tenha piorado ao sair de um monopólio e adotar a livre concorrência.

Adicionalmente, vale também lembrar que, há algumas décadas, antes de o estado se intrometer na saúde, a Igreja mantinha hospitais (e escolas) de excelente nível, fornecendo vários serviços gratuitos -- serviços estes que eram financiados por doações, inclusive de ateus caridosos.

No entanto, desde que o estado entrou em cena para mostrar todo o seu amor aos pobres, a Igreja perdeu doações, pois as pessoas pensaram: "Eu já pago muitos impostos e o estado já faz o serviço; não preciso mais contribuir para serviços caritativos".

O curioso é que absolutamente ninguém toca nesse assunto. Ninguém comenta como os serviços caritativos da Igreja auxiliavam as pessoas no passado e hoje perderam espaço para o SUS.

As igrejas ajudavam bastante e voltariam a ajudar ainda mais caso recebessem doações de pessoas como você, preocupadas com os desvalidos. O problema, infelizmente, é que a esmagadora maioria das pessoas querem apenas vociferar indignação e delegar tal tarefa exclusivamente ao estado (que deve tomar o dinheiro dos outros, e nunca delas próprias). Por exemplo, vá ver quantas dessas pessoas fazem doações a instituições de caridade ou mesmo para as igrejas. E ainda fazem pose superior de preocupação para com os destituídos.

Aliás, e você? O que tem feito de prático para ajudar os mais pobres?


Ué, e quem é que gerou a pobreza?

Quem é que adota políticas -- como déficits orçamentários e expansão do crédito via bancos estatais -- que destroem o poder de compra do dinheiro, perpetuando a pobreza dos mais pobres?

Quem é que, além de destruir o poder de compra do dinheiro -- gerando inflação de preços -- ainda impõe tarifas protecionistas para proteger o grande baronato industrial, com isso impedindo duplamente que os mais pobres possam adquirir produtos baratos do exterior?

Quem é que, ao estimular a expansão do crédito imobiliário via bancos estatais, encarece artificialmente os preços das moradias e joga os pobres para barracões, favelas e outras áreas com poucas expectativas de vida?

Quem é que impede que os moradores de favelas obtenham títulos de propriedade, os quais poderiam ser utilizados como garantia para a obtenção de crédito, com o qual poderiam abrir pequenas empresas, fornecer empregos e, de forma geral, se integrar ao sistema produtivo?

Quem é que tributa absolutamente tudo o que é vendido na economia, e com isso abocanha grande parte da renda dos pobres?

Quem é que, por meio de agências reguladoras, carteliza o mercado interno, protege grandes empresários contra a concorrência externa e, com isso, impede que haja preços baixos e produtos de qualidade no mercado, prejudicando principalmente os mais pobres?

Quem é que cria encargos sociais e trabalhistas que encarecem artificialmente e mão-de-obra e, com isso, gera desemprego, estimula a informalidade e impede que os salários sejam maiores?

Quem é que confisca uma fatia do salário do trabalhador apenas para que, no futuro, quando este trabalhador estiver em situação ruim, ele receba essa fatia que lhe foi roubada de volta (e totalmente desvalorizada pela inflação)?

De nada adianta querer resolver a pobreza sem atacar exatamente a instituição que a causa.

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2763


Errado. Na maioria dos países ricos não há bancos estatais. Suécia, Dinamarca e Finlândia não têm nenhum. Nos EUA, há um banco estadual na Dakota do Norte (boa sorte em provar que o país enriqueceu por causa dele).

Agora, países esculhambados como Brasil, Argentina, Portugal, Espanha, Itália e Rússia, ah, esses realmente têm bancos estatais.

Dito isso, eu até concordo que o problema maior é a ingerência política e os juros subsidiados. Mas, ora, é exatamente para isso que se criam bancos estatais. Se um banco estatal passasse a operar exatamente como opera um banco privado (captando dinheiro no mercado e emprestando a taxas de mercado), então ele não teria motivo nenhum para ser estatal.


P.S.: Nada irei comentar sobre a ingenuidade de acreditar ser possível haver bancos estatais livres de interferência política.


Há bancos estatais em quase qualquer país do mundo. O que não há nos países escandinavos são bancos de desenvolvimento, como o BNDES.

Bancos estatais não são um problema tão sério, é uma das formas do governo conseguir receitas oferecendo serviços junto a outros bancos. O verdadeiro problema são os juros subsidiados oferecidos por alguns bancos (quase sempre estatais). Isso distorce a economia e tira impostos dos pobres para dar para a empresas ricas já com muitos recursos.


E como ficaria as pessoas que não possuem renda alguma, desempregados em geral, assalariados que mal dá para comer. Eles e seus filhos iriam morrer sem contar com saúde pública e políticas de vacinação em massa? E na educação iriam ser eternos analfabetos ?



O "curioso" é que não há bancos estatais nos países mais desenvolvidos do mundo. Aliás, nem nos escandinavos. Suécia e Dinamarca, por exemplo, não têm bancos estatais. Pela lógica, devem ser países de quarto mundo.


O Molusco não pode voltar: "...E se não existir banco público, o Brasil vai ficar na mão de banco privado e se ficar só banco privado eles não vão ter nenhum interesse de fazer política de desenvolvimento que somente o Estado é que tem competência pra fazer".



Concordo que o capitalismo é mais importante do que a educação.

Também acho a carga tributária análoga à escravidão.

A educação pública é bizarra, porque não prioriza o essencial.

Porém, será que nós não corremos o risco de ter "homens primatas" cortando a educação básica ? Nós não corremos o risco de ter "homens selvagens" cortando a educação básica ?

Acho que oferecer o básico em português, inglês e matemática, não vai custar tão caro ou destruir a economia.


Você está coberto de razão. O problema é que as pessoas só se limitam a pensar em economia como o maior mal do mundo.


Na minha opinião, quem não pode pagar, não deve ser beneficiário de coisa alguma. Eu gostaria muito de ter uma Ferrari, mas não posso pagar, logo não a tenho e nem quero obrigar a terceiros, via estado, a pagar uma pra mim.


Olá, caro bloguista ...

O que está a ser proposto - como mérito e valor - na minha humilde opinião, é bastante ambíguo e controverso e pode não ter nada a ver com ética e moral; considero que se relaciona muito mais, com astúcia e eficácia.

Desde que surgiu o famigerado crime organizado, que se tem um evidente exemplo dessa delicada questão que é produzir valor: dinheiro em quantidades multimilionárias, que movimentam indústrias e fazem prosperar grupos financeiros !!!

Casinos, drogas, armas, vigarice e corrupção política, em larga escala internacional ...

Especulativamente - artur


Acho que não, mas o ILISP é um antro de socialistas por que não apoia o seu socialista bravateiro de estimação? Ok.


A educação pública na Finlândia é paga. Custa 330 euros. Quem não tem dinheiro, não precisa pagar.

A saúde pública americana é paga. Quem não tem dinheiro, não precisa pagar.

Quem tem dinheiro precisa pagar pelos serviços públicos.

Só aqui existe essa farra de serviços grátis.

A cobrança por serviços públicos para quem pode pagar, traria muito mais qualidade para escolas e hospitais públicos. Essa cobrança por impostos não traz concorrência e nem meritocracia. Por isso nunca vai funcionar.


Então posso supor que em sua opinião o estado de violência que o Brasil vive é decorrente unicamente da falta de investimentos em segurança? O código penal brasileiro atual por não fazer intervenções diretas econômicas e pessoais na vida do cidadão não indiciado ou em flagrante delito está em pleno acordo com preceitos minarquistas.


artigo interessante, valeu cada minuto de leitura


Ou seja, você abre exceção do cálculo econômico do socialismo para os serviços de justiça e segurança. Se o estado não administra bem um supermercado, por que seria diferente com justiça e segurança?


O instituto liberal no qual ele é diretor tem algo a ver com o Instituto liberal de São Paulo? Pergunto porque se houver, é difícil de acreditar que esse artigo saiu do mesmo lugar que aquele antro socialista.


Se é, de fato, um estado mínimo, não há leis que impeçam o cidadão comum de ter a posse de um fuzil.

Entretanto, o preço da liberdade, seria a eterna vigilância sobre essa "pequena gangue", para que a mesma não se tornasse um "governo federal" intrujão, desses por aí.


A continuação uma serie de notas relacionadas ao governo de Macri.
Algumas pessoas querem ele fora do governo.


www.infobae.com/politica/2018/01/23/mauricio-macri-zaffaroni-deberia-ser-el-primero-en-defender-los-valores-de-la-democracia/

www.infobae.com/politica/2018/01/19/eugenio-zaffaroni-sobre-el-gobierno-quisiera-que-se-fuera-lo-antes-posible/

www.infobae.com/politica/2017/12/01/las-32-razones-por-las-que-zaffaroni-piensa-que-el-gobierno-de-macri-es-el-peor-de-los-ultimos-34-anos/

Na última nota, quero ressaltar o ponto 31: "endeudar astronómicamente a la Nación".

Aqui
brasil.elpais.com/brasil/2018/01/01/internacional/1514832832_626904.html
encontramos:
- O Observatório Fiscal Federal estima que a relação dívida/PIB já é de 60%.
- O ministro das Finanças negou que a relação dívida/PIB atual seja perigosa para a economia argentina, situando-a em torno de 28,5% se não forem considerados os juros.

Porque tanta diferença entre ambos valores (60% contra 28.5%)?

A moeda argentina já está em movimento:

www.infobae.com/economia/2018/01/22/dolar-estable-a-la-espera-de-una-rebaja-marginal-de-tasas/

Gostaria de entender este aumento da dívida.
Estará Argentina frente a outra devaluação?



Não. Eu apenas suponho que, se o estado apenas se preocupar com justiça e segurança interna e externa, não haverá sucateamento já que toda "energia" será dedicada apenas a estres serviços.


Então é de se supor que a justiça, segurança interna e sucateamento da segurança externa na mão estatal não assuste você.


sou liberal e sou ateu,e nao fui influenciado por ninguem,e sim pela logica,liberais da ala conservadora tentam absolutizar que ser ate é ser marxista e não é bem assim,conservadorismo é tão cancer quanto marxismo,viva a liberdade,viva o capitalismo.


Texto excepcional ! Mostra de maneira clara que o sistema capitalista é benéfico para ambas as partes(comprador e ofertante), e além disso, a sua descomunal concorrência origina maior qualidade na oferta de bens e serviço. Por fim, relembra a todos a precariedade do serviço público.


"E o estado se torna visível

Já era noite quando saímos do shopping em busca de um bom lugar para jantar. Para nosso azar, no entanto, encontramos pela frente um enorme engarrafamento, causado por um semáforo apagado. Perdemos ali quase uma hora, graças à incompetência e ao descaso do serviço público, pois, além do problema elétrico — provavelmente causado por falha de manutenção —, não havia no local um único guarda de trânsito para colocar alguma ordem naquele tumulto."


Kogos já dizia que o congestionamento é um choque entre os carros que são fornecidos pelo mercado e as ruas que são fornecidas pelo estado. Qualquer burocrata fica de cabelo em pé com essa constatação.


Me desculpem os anarcocapitalistas, mas a ideia da justiça e da segurança interna e externa ficar na mão da iniciativa privada me assusta visto que, para estes casos, acho muito difícil uma isenção da lados.

"..ofertar com grande eficiência serviços policiais e "manter o império isonômico da lei e da ordem" — algo que, convenhamos, é um tantinho mais difícil do que gerenciar uma escola e um hospital."

Concordo, caro Daniel, visto que estes serviços sendo privado, vão defender que interesses?

Obs.: Antes que me chamem de "petista", "socialista", "comunista", não sou, mas sou minarquista.


Estaríamos sem governo, afinal iam parasitar o que?