clube   |   doar   |   idiomas
Dunga e Felipe Melo, heróis nacionais

dunga.jpg

A mídia obviamente não perdoa a dupla Dunga—Felipe Melo, culpando-os pela saída prematura do Brasil na Copa do Mundo.  Sempre que a mídia unanimemente resolve bater em alguém, pode estar certo de que esse alguém é portador de virtudes raras.

Este é o caso da dupla em questão.  O primeiro escalou e o segundo jogou.  No primeiro tempo, Felipe Melo fez tudo o que não deveria: marcou forte e ainda deu uma bela assistência que originou o gol de Robinho.  Já no segundo tempo, como que para corrigir as bobagens feitas no primeiro, o homem resolveu finalmente fazer tudo certinho: fez gol contra, não marcou o holandês responsável pelo segundo gol e ainda cavou brilhantemente uma expulsão (quem viu a cena notou que foi coisa de profissional).

Tudo isso, claro, não teria ocorrido sem Dunga, o maestro responsável pela escalação do mestre.

Estou sendo irônico?  Nem um pouco.  Não sou de torcer contra o Brasil em copas.  Aliás, nem haveria motivos para isso.  É verdade que tenho aversão a esse ufanismo que toma as ruas em períodos de mundial, mas isso felizmente acaba em uma semana.

Porém, em todas as copas daqui pra frente, se você preza seu esforço próprio e tem amor aos frutos do seu trabalho, você deve torcer contra o Brasil.  O motivo?  Uma lei criada por Lula, que prevê que "todos os jogadores da seleção da CBF que foram campeões nos campeonatos mundiais da FIFA receberão de "indenização" e "reparação" R$ 465 mil e uma aposentadoria de R$ 4.650 por mês." 

Multiplique esse valor pelas duas dezenas de jogadores convocados, e você terá uma ligeira dimensão do estrago.  Dá quase R$ 10 milhões por copa só de premiação, sem contar a mesada vitalícia de R$ 4.650.

Estrago esse que será integralmente pago por você, é claro.  Mais detalhes sobre esse esbulho aqui

Dunga e Felipe Melo simplesmente pouparam ao povo brasileiro vários milhões de reais que seriam confiscados a força para sustentar atletas que já ganham milhões de euros por mês.  Ambos merecem estátuas, no mínimo.  Principalmente Felipe Melo, que aceitou ser execrado pela mídia nacional em troca de uma causa maior — e tudo em detrimento dele próprio e em benefício de toda a nação.  Um verdadeiro mártir altruísta.

De agora em diante, meu lema copeiro será em ritmo de samba ao estilo Pra Frente Brasil:

"São mais de R$ 10 milhões em ação,

sou contra o Brasil,

poupem-me do mesadão! 

Todos juntos vamos,

pro bem da nação,

perde, Seleção!"




autor

Leandro Roque
é editor e tradutor do site do Instituto Ludwig von Mises Brasil.

CATEGORIA
  
POST POR DATA
comentários (35)

  • Caio  05/07/2010 10:49
    Huashuas... Muito bom o texto!!
  • Rhyan Fortuna  05/07/2010 11:14
    Anda lendo o blog do Janer Cristaldo?
  • Leandro  05/07/2010 11:24
    Rhyan, acabei de ler os dois textos do Janer sobre o assunto. Muito bons! Quisera eu ter sido o autor daquelas pérolas de finíssima ironia.

    "Um brinde a este brasileiro extraordinário, Felipe Melo. É com homens desta fibra que se constrói uma nação."
  • Fernando Chiocca  05/07/2010 11:25
    Justiça seja feita com o Julio César. Ele tb merece nosso aplauso pelo que fez no primeiro gol da Holanda. Ele na verdade fingiu que saiu pra socar a bola e socou a cabeça do Felipe Melo, tirando ela da frente da bola, que entrou em um gol vazio.
  • Luis   05/07/2010 12:45
    E o Juan! Que simplesmente resolveu dar um escanteio pra Holanda marcar o primeiro gol!
    Aquele lance foi deliberadamente proposital para ajudar os brasileiros a não pagarem por mais este embuste do governo!
  • André  05/07/2010 17:25
    Leandro, ótimo texto e concordo em gênero, número e grau. Mas vc tem a fonte oficial da publicação dessa Lei?

    Abraços!
  • Bruno  06/07/2010 07:50
    Vai ser o primeiro post fora da àrea de economia que recebe meu apoio, tá evoluindo.

    E eu sou o segundo a pedir a fonte oficial da publicação dessa lei.
  • Leandro  06/07/2010 12:32
    Prezados, estou com acesso remoto à internet. Hoje à noite respondo a todas as perguntas.

    Sobre o texto específico, basta darem uma rápida googlada com os termos "Lula" e "Associação dos Campeões Mundiais do Brasil". Surgirão inúmeros links.

    De cara, peguei esse:

    terceirotempo.ig.com.br/noticia/Governo_deve_pagar_aposentadoria_para_os_campeoes_de_58-10703
  • Leandro  06/07/2010 12:34
  • André  06/07/2010 12:55
    Sim, Leandro, esse tipo de notícia eu vi. Mas são propostas. Não achei nada que ela foi promulgada.
    Abraço,
  • leandro  06/07/2010 13:36
    Hahaha, quaria trocar uma idéia pessoalente com o prezado Leandro Roque. O cara parece ser hilariante.
  • Daniel  06/07/2010 13:43
    Pouparam nem um centavo. O governo vai devolver esse dinheiro ao contribuinte? Só vai mudar o favorecido politico que vai receber a grana.
  • Thiago  08/07/2010 02:39
    O Lula não criou essa lei, era apenas proposta.

    Quanto a torcer contra o Brasil, falar que Carnaval é uma palhaçada e afins... acho uma grande babaquice! O Quênia não pára pra assistir os jogos do seu país, a Bolívia não tem carnaval e nem por isso o país anda enquanto na Holanda por exemplo percentualmente mais gente parou pra ver o jogo do que no Brasil e o país vai muito melhor das pernas que o nosso.
    Não é porque o Brasil é um país com injustiças que temos que viver de cara amarrada, sem brincar, fazendo bico pro mundo. O futebol é nossa tradição e nunca vi algum país melhorar só porque deixou as tradições de lado. Dizer que o futebol é "o ópio do povo" é bobagem. Torcer pra seleção perder? Isso pra mim é de quem quer ser o mais rebeldes entre os mais rebeldes, chamar a atenção pelos motivos errados.
    Acabar com a corrupção, tirar o governo do caminho dos bons negócios, isso é que melhora o país.
  • Leandro  08/07/2010 04:24
    Prezado Thiago, você está atacando um espantalho. Deixei bem claro qual o único motivo que doravante me faz torcer contra a seleção em Copas do Mundo. Todo o resto que você atacou é pura tergiversação de sua parte. Direito seu de desabafar, é claro. Apenas não impute a mim essas acusações.

    Aqui vai um texto curto de Tostão atacando essa proposta de Lula -- a qual ainda não foi aprovada, é verdade, mas há forte motivação política e nenhuma oposição popular. Para prevenir ao invés de remediar, posiciono-me desde já na torcida do contra, para desespero dos nacionalistas.


    blogs.abril.com.br/williambaiano/2010/01/tostao-ex-jogador-futebol-marcando-um-golaco.html
  • Bruno  08/07/2010 07:28
    Faz total sentido o reclame do Tiago pois no texto tu não consegue separar o futebol dentro do campo do "negócio" futebol, ou seria negociata.
  • Indivíduo Leitor  08/07/2010 09:55
    Thiago e Bruno,

    Acho que vocês e o mundo se beneficiarão bastante da leitura e compreensão do seguinte livro.
  • Thiago   08/07/2010 16:55
    Leandro,
    se a carapuça servir, vista. Não falei nada diretamente a você e deixei bem claro com quais pessoas falei: acho ridícula a posição de torcer contra como se o Brasil fosse melhorar por causa disso.
    Não preciso de nenhum livro pra entender isso, ninguém precisa. Isso é uma seperstição infundada: achar que o país vai ficar mais sério ou sei lá que se passa. Sem suas tradições o Brasil seria só mais um país pobre e desinteressante, conhecido por nada, como muitos outros países pobres por aí.
    Sem mais.
  • Leandro  08/07/2010 20:51
    Caro Thiago, carapuças nunca me serviram. Sou claro e direto demais para que elas me vistam. Nunca fico em cima do muro para opiniões pessoais.

    Até concordo com o que você disse sobre torcer contra, mas -- e isso é uma opinião puramente pessoal, claro -- essa ânsia em querer ver o futebol como manifestação de cultura tradicional tem um nome: atraso. Pra que se preocupar com isso? Por que não ter uma tradição em áreas realmente importantes? Futebol é um mero passatempo, em nada diferente de golfe, tênis e vôlei. E, ao contrário do automobilismo (cuja tecnologia desenvolvida vai parar no seu carro), ele não lhe produz nenhum benefício prático concreto.

    Dizer que o Brasil, sem suas tradições, "seria só mais um país pobre e desinteressante, conhecido por nada", não implica o raciocínio oposto que você está subentendendo.

    Qual a manifestação cultural tradicional dos canadenses? Dos suíços? Dos escandinavos? Dos australianos e neozelandeses? Estes últimos estão tão preocupados em ter uma tradição cultural mundialmente reconhecida, que alegremente entregam aos cangurus e ao bungee jumping essa função. A Nova Zelândia era um país pobre até meados da década de 1980. Não foi com manifestações culturais que eles enriqueceram, mas sim com muito trabalho. Segredo esse que foi o mesmo da Suíça, país reconhecido por sua eficiência e labor metódico. Tão preocupados estão os suíços em difundir mundialmente sua cultura, que o país tem três idiomas (quatro, com o romanche) e as pessoas que falam um idioma não têm o menor interesse em interagir com as de outro.

    Não me entenda mal: gosto de futebol e o considero um esporte extremamente inteligente. Desprezo apenas o comportamento irracional das pessoas em relação a ele. É óbvio que torcer contra não fará o país melhorar. Mas, e torcer a favor? Vai? Como? Aliás, até onde sei, a esmagadora maioria do país sempre torceu a favor mesmo, o que de imediato já tira a razão dessa sua reclamação. Você está esperneando contra algo que sequer chega a existir estatisticamente. Daqui a pouco vai dizer que a culpa de todos os males do país está nessas pessoas chatas que simplesmente reclamam da barulhada selvagem em épocas de Copa. Nem isso elas podem fazer, pelo visto.

    Apenas deixe de ser passional em relação a um assunto que em nada se diferencia de outros passatempos. Voltemos ao trabalho.

    Abraços!
  • Indivíduo Leitor  09/07/2010 07:31
    @Thiago: "...acho ridícula a posição de torcer contra como se o Brasil fosse melhorar por causa disso. Não preciso de nenhum livro pra entender isso, ninguém precisa..."

    Parece que temos um caso perdido aqui, mas fazer o quê? Sugiro paciência e, já que, segundo alguns, estamos no país do futebol, bola p/ frente.
  • Erick Skrabe  09/07/2010 14:12
    @Thiago: Óbvio q ñ precisa de livro. Vc já nasceu sabendo.

    Ñ perca tempo com idiotas como nós q por terem nascido burros têm que estudar, ler livros e discutir idéias.

    Por falar em livros.... essa discussão me lembra o 'Imbecil Coletivo'. Mas ñ se preocupe, vc ñ precisa ler o que sabe fazer tão bem.
  • Thiago  09/07/2010 14:43
    O passatempo nacional dos canadenses é o hoquei no gelo. Dos australianos e neozelandeses é o rugbi. Os escandinavos são fascinados por esportes de inverno. Todo país tem seu passatempo favorito, achar que deixa-lo de lado vai melhorar alguma coisa no país é de uma superstição indescritível.
    Não estou "esperneando", estou comentando algo que realmente acontece, vira e mexe você vê um boçal falando coisas desse tipo. Não estou dirigindo isso a você, entendo que seu artigo era a respeito do projeto de lei.
    Veja se em Cingapura ou na Coréia, quando eles deram uma meia volta na economia do país, estava incluído no plano um item "Acabar com o esporte nacional"? Acho que não. Porque futebol não tem NADA a ver com o nível de liberdade econômica do país. Qualquer inter-relação é falácia.
    Agora voltemos ao trabalho e Viva a Wikipedia ;)
  • Leandro  09/07/2010 14:50
    Thiago, ninguém em momento algum, sequer aventou essa hipótese de "deixar de lado" determinado esporte!

    Tampouco foi dito sobre "acabar com o esporte nacional"! O que está acontecendo?

    O texto é apenas uma crítica a um projeto de lei que quer transformar o futebol em uma negociata; que quer utilizar dinheiro dos pagadores de imposto para sustentar jogadores. Se você viu mais do que isso, então é uma questão de paranóia.

    Abraços!

    P.S.: esses esportes populares por você citados não são utilizados para projetar seus respectivos países mundialmente. Pelo menos, não que eu saiba.
  • Thiago  09/07/2010 16:06
    Leandro,
    já falei que não estava falando sobre você cara, pare com essa defensiva. Existe sim um bando por aí que tem esse pensamento. Como é uma matéria que tem a ver com o "torcer pra perder", achei justo fazer essa distinção pois tem gente que faz essa confusão, com aquelas frases sem sentido do tipo "Tomara que perca, esse país é uma zona!". Futebol e crescimento econômico não têm NADA a ver. FIM
    Mais uma vez caso ainda não tenha entendido. Não te critiquei NENHUMA vez, não me dirigi a você, não te acusei das posições que critiquei (até porque você não a adotou), não estou interessado em debater algo que nem merece debate em um site de Economia.
  • Maurício  09/07/2010 16:18
    Gosto muito dos seus comentários e principalmente da sua postura com os seus leitores e críticos. O IMB fez um golaço (ooops! não resisti) em colocá-lo como editor. \r
    \r
    Mas devo confessar que também tive uma impressão errada sobre o seu artigo, pareceu de primeiro momento que você estava usando a proposta de lei como pretexto para destilar intolerância contra o futebol como esporte de massa, numa demonstração de se diferenciar das massas ignóbeis como fazem muitas pessoas pedantes. \r
    \r
    Da maneira como escreveu o texto, pareceu que estava torcendo contra o time numa tentativa de proteger as contas públicas. Se o governo, hipotetica e absurdamente, propusesse, antes da copa, dar um prêmio de consolação caso os atletas perdessem como uma forma de recompensar o compromentimento com a pátria, tenho certeza que você não sairia com a camisa amarela nas ruas torcendo pelo hexa.\r
    \r
    Na minha humilde opinião, ficaria melhor se escrevesse um artigo criticando estritamente a lei, que além de ser demagógica, oportunista é desnecessária. Os jogadores, caso ganhassem, já teriam a devida recompensa financeira nos contratos, publicidades etc, não precisando de dinheiro do bolso do contribuite.\r
    \r
    Concordo com você quando diz que o futebol é um mero passatempo (que, alías, gosto muito) e que é o trabalho que faz uma nação prosperar, mas acho que faria muito mais sentido escrever, se você quisesse falar futebol, escrever sobre o sentimento de afirmação do povo em momentos de copa, dos aspectos coletivistas das torcidas, das relações de governos e esporte etc.; ou, como disse acima, falar sobre o absurdo que está por detrás da lei. Acredito que desta forma, de novo, na minha humilde opinião, os tiros estariam sendo dados nos alvos certos.\r
    \r
    Por fim, você tem toda a razão, voltemos ao trabalho!\r
    \r
    Abraços
  • ALL  09/07/2010 17:18
    A observação de F.Chiocca é oportuna, correta, e intrigante. Nosso goleiro extrapolou a pequena área mirando seu cotovelo no pescoço daquele que viria a fazer o gol contra. Esta cena raramente foi repetida. A Tv preferia a segunda laranja, no papel de bobo protagonizado pelo centro-avante do Brasil encarregado da marcação no escanteio.
    Não tinha lido nenhum comentário que solidificasse minha imediata conjectura.
    Como em 98, misteriosamente o Brasil entregou o jogo. Naquela ocasião, faturamos o portaviões frances, há minutos do jogo. Desta feita, o que teris sido acertado no intervalo?
  • Thiago  09/07/2010 18:29
    Peraí, então o Felipe Melo, Júlio César, Dunga.. tá todo mundo envolvido num mega esquema de corrupção envolvendo combinação de resultados na Copa do Mundo?
    Igual em 98 quando o Ronaldo teve uma convulsão pro Brasil faturar um porta-aviões? Tenho certeza que essa suspeita vai se confirmar no proximo acordo comercial antre Brasil e Holanda, coisa que nunca acontece nao eh verdade?

    Peraí.. tem uns helicópteros pretos passando aqui perto da minha casa, acho que também estão envenenando nossos reservatórios de água para deixar a população apática e conformista. Onde esse mundo vai parar?
  • André  09/07/2010 21:26
    Eu gosto muito de futebol, mas sou muito mais basquete e beisebol. Como torci demais pro meu Boston Celtics na NBA, nem tive muito entusiasmo em torcer pelo Brasil. Tanto que só vi os jogos contra o Chile e Portugal. \r
    \r
    Acho legal torcer pelo país, mas sem aquela coisa de que se o Brasil o Mundo acaba e sem aquele sentimento nacionalista que brota durante as Copas. \r
    Por exemplo: no Mundial de Basquete em Agosto, vou torcer pelo Brasil, mas não porque sou nacionalista e tal. E sim porque quero que haja mais um centro de basquete no Mundo e não só nos EUA e na Europa. \r
    \r
    Agora é claro que só o esporte não traz riqueza, mas é algo legal para um país. Gostaria que a INICIATIVA PRIVADA (perdão pelo caps lock) incentivasse mais o esporte e não que o governo ficasse gastando milhões com essas leis ridículas.
  • Daniel Marchi  11/07/2010 20:44
    H-H Hope deve ter adorado essa final da Copa (HOL x ESP), rsrs. Parece-me que é a 1a. vez que duas monarquias se enfrentam numa final. Detalhe que até o árbitro era súdito da Rainha. Abçs
  • Wesley Snipes  17/07/2010 23:54
    E se um título mundial de futebol aumentar a produtividade marginal do trabalho média de um país ? Nesse caso a política do Lula teria um retorno altissimo.....
  • Bruno  18/07/2010 10:59
    "...Gostaria que a INICIATIVA PRIVADA (perdão pelo caps lock) incentivasse mais o esporte e não que o governo ficasse gastando milhões com essas leis ridículas..."

    Tu colocou um ponto muito importante mesmo. A melhor imagem que faço é o caso da Red Bull que investe maciçamente no esporte.
  • Erick Skrabe  18/07/2010 19:40
    "Iniciativa Privada" no Brasil é sinónimo de "os outros"

    A "Iniciativa Privada" (=os outros) deveriam investir mais no esporte, salvar o tal do cinema Belas Artes, investir na cultura, nisso e naquilo.

    Sempre os outros.
  • Andre (outro)  19/07/2010 09:54
    A copa tem o meu total desprezo. É ridícula essa conversa de gastar dinheiro com metro, novas vias, aeroportos e o diabo a quatro tendo como justificativa um monte de macho atras de uma bola daqui a quatro anos. Enquanto isso falta dinheiro para a saúde pubica, escolas precárias e etc.\r
    \r
    Vão roubar a torto e direito. Que a copa seja um fracasso.
  • Pareto  24/08/2010 12:53
    Nao tenho muita certeza do que estou falando, mas vamos supor q essa politica aumente as chances de sermos campeoes do mundo. e por sermos campeos isso gere um bem estar de 10 reais na media para cada individuo. essa politica nao seria viavel? Sei q a escola austriaca nao considera "bem-estar", mas nunca li a respeito!
  • Vive la liberté!  15/06/2014 22:19
    Essa lei saiu afinal de contas?
    Podemos torcer pelo Brasil tranquilos? rsrs.
  • Gafanhoto  16/06/2014 16:41
    Esse assunto é tratado no capítulo IX da Lei Geral da Copa (Lei número 12.663).

    Porém, baseado no que foi definido na lei, o motivo que o Leandro apontou para não torcer para a seleção não é mais válido (talvez tenho ocorrido alguma mudança no texto da lei entre a publicação desse artigo e a data em que a lei foi sancionada).

    O fato é que têm direito ao prêmio em dinheiro e o auxílio mensal apenas os jogadores campeões em 58, 62 e 70.

    Ou seja, se o Brasil for campeão em 2014, os jogadores não terão direito a esses benefícios.

    A lei pode ser consultada no link abaixo:
    www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/Lei/L12663.htm


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.

Robin Hood às avessas

Por Helio Beltrão - 14/08/2019

Lições da história para os mercados

Por Helio Beltrão - 14/08/2019

IMB contrata assistente acadêmico

Por Equipe IMB - 05/08/2019

/ palavra do presidente

Mais Direito, menos rajadas

Por Helio Beltrão - 21/05/2019