Mises Brasil Instituto Ludwig von Mises Brasil
http://www.mises.org.br


De onde veio a Escola Austríaca de Economia?
por Equipe IMB, segunda-feira, 30 de maio de 2016

É sobre esta trajetória histórica que o Professor Ubiratan Iorio trata em sua aula "O Nascimento da Escola Austríaca", ministrada no Mises Summer School de 2016.

Considerando a Escola Austríaca um corpo heterogêneo, cujas contribuições decorrem do desenvolvimento das ideias de diversos pensadores, o professor Iorio refere-se às diferentes contribuições como ordens espontâneas, ou seja, frutos da contribuição humana individual, não-planejadas, mas que surgem a fim de compor e modernizar os pensamentos centrais da Escola Austríaca.

O professor Iorio afirma que as diferenças de pensamento são apenas meta-etiquetas que, na realidade, constroem o pensamento austríaco.  A Escola Austríaca é formada por três elementos básicos: ação humana, tempo (definido como fluxo permanente) e conhecimento. 

Além desses elementos básicos, há também os chamados "elementos de propagação" -- utilidade marginal, subjetivismo e ordens espontâneas.

Iorio discorre, ainda, sobre as consequências para a Filosofia Política, a Epistemologia e a Economia, e explica como, para os austríacos, o papel do economista é dizer aos governos como não intervir no mercado.

Pontuando as diferenças entre Ciências Sociais e Ciências Exatas, Iorio explica como e por que a Escola Austríaca se afasta de previsões quantitativas do ponto de vista econômico.

Iniciando a jornada do nascimento da Escola Austríaca com os pós-escolásticos, vemos como padres e monges foram os primeiros a falar em leis econômicas, impostos e regulamentações. Representam esta época Juan de Mariana, Tomás de Mercado, Leonardo Léssio, entre muitos outros. Este período é caracterizado pelo reconhecimento do subjetivismo, do individualismo, da propriedade privada, da ação humana, da percepção da interdisciplinaridade e da liberdade de preços, entre outros princípios.

Estudando nomes como Bandini, Turgot, Galiani, Cantillon, Delfico, Say, Bastiat e Balmes y Urpiá, a aula nos ensina a reconhecer os fundadores da ciência econômica, da teoria monetária e da  marginal.

Tratando ainda de autores como Gossen e Gustave de Molinari, estudamos as origens do minarquismo e do anarcocapitalismo, até chegar a Carl Menger, autor de fama subestimada que é considerado oficialmente como o fundador da Escola Austríaca de pensamento econômico.

Para assistir ao conteúdo completo da aula, acesse: