clube   |   doar   |   idiomas

Existe uma página específica para este artigo. Para acessá-la clique aqui.

Qual a sua nota para o governo Lula?

Ideólogos e militantes políticos à parte — seres com os quais qualquer tentativa séria de diálogo nada mais é do que uma masoquista perda de tempo e, principalmente, de inteligência —, sempre é interessante ouvir a opinião do cidadão comum em relação a determinado governo.

Via de regra, há duas formas de se avaliar um governo:

1) Da forma mais imediatista, na qual a pessoa se limita apenas a ver se sua vida melhorou durante esse período, sem se preocupar com os fundamentos econômicos que tal governo está deixando para o futuro.  Os integrantes desse grupo tendem a olhar apenas para o comportamento da sua renda na vigência do governo em questão, sem qualquer análise mais profunda sobre se tais efeitos foram artificiais e passageiros ou reais e duradouros; e

2) Da forma mais arguta e discernente, na qual a pessoa dá mais ênfase aos fundamentos econômicos que tal governo está deixando para o futuro, bem como quais eram os fundamentos que ele herdou do governo antecessor.  Os integrantes desse grupo tendem a possuir um conhecimento um pouco mais profundo de economia.

No Brasil, exemplos clássicos do primeiro grupo são os admiradores de Juscelino Kubitschek e dos generais Médici e Geisel, homens cujos governos trouxeram alguma melhora ao padrão de vida das pessoas, mas ao custo de anos seguintes de inflação e severo descontrole econômico.

JK, que por um lado fomentou a industrialização, principalmente do setor automotivo, por outro, resolveu construir Brasília por meio da pura e simples impressão de dinheiro, legando uma economia desarrumada e com inflação ascendente (25% em 1960, 43% em 1961, 55% em 1962 e 81% em 1963), que levou à ascensão de um populista demagogo e o consequente golpe militar.

Já os generais supracitados também não fizeram diferente com suas obras faraônicas, seus endividamentos externos, suas criações de dezenas de estatais (méritos de Geisel) e, obviamente, suas emissões de dinheiro, uma combinação que gerou a década perdida de 1980.

Já no segundo grupo, os principais exemplos são os admiradores do Marechal Castelo Branco (cujas reformas econômicas permitiram que a folia dos anos 1970 pudesse durar mais do que o normal), do sociólogo Fernando Henrique Cardoso e até mesmo do malucão Fernando Collor, cuja abertura às importações inegavelmente trouxe sensíveis melhoras à economia brasileira, principalmente no setor automotivo.

Em termos mundiais, o exemplo ainda insuperável é o do general chileno Augusto Pinochet, exemplo único de ditador militar não estatizante, cujas reformas econômicas foram inteiramente mantidas pelos governos democráticos que o sucederam, para o grande benefício do Chile.  Margaret Thatcher também legou uma grande herança para a economia britânica, dado que suas reformas estruturais foram indiscutivelmente modernizadoras.

Feitos esses prolegômenos, chego à pergunta-título desse tópico: o que dizer do governo Lula?  Seus defensores pertencem ao primeiro grupo ou ao segundo?  Seu governo deixa algo de novo ou moderno?

Fazendo uma análise desideologizada e considerando os fundamentos econômicos que ele recebeu, os que ele soube manter e os que ele alterou, e considerando principalmente os fundamentos que ele deixa para o governo seguinte, o que dizer do seu governo?

Em termos puramente econômicos, é válido dizer que seu governo teve bons acertos na área macroeconômica, o que foi algo esquisito, pois foi um sucesso paradoxal: quanto mais o governo fazia o contrário daquilo que seus integrantes passaram a vida inteira prometendo, melhor era.  Ou seja, foi um governo que era tanto mais elogiável quanto mais fazia o contrário do que havia prometido.

No fundo, o governo atual copiou o software econômico do governo anterior e apenas deixou o HD funcionando, ao mesmo tempo em que fazia bravatas de efeito puramente retórico.

Porém, todos estes acertos macroeconômicos se limitaram ao primeiro mandato, o que já foi suficiente para fazer com que a folia do crédito do segundo mandato só venha estourar mais à frente, já em outro governo.  Do segundo mandato propriamente dito, nada se salva.  Os fundamentos que estão sendo deixados, além de não serem nada auspiciosos, são piores do que aqueles que foram herdados em 2003, embora eles só venham a se manifestar no longo prazo (não é algo já para o ano que vem). 

Comparando o cenário herdado com o cenário legado, a performance só se torna elogiável se considerarmos que tudo poderia ter sido muito pior — afinal, essa turma poderia ter aplicado aquele programa de governo que ela sempre havia defendido até meados de 2002. 

Porém, se considerarmos o cenário róseo por que passou a economia mundial de 2003 a 2008, e constatarmos a total ausência de reformas estruturais (reforma tributária, trabalhista e previdenciária, além das várias desburocratizações e desregulamentações que nunca ocorreram), e se considerarmos também os péssimos fundamentos econômicos que estão sendo deixados (inchaço do funcionalismo, criação de estatais para mero cabide de emprego para a companheirada, aumento ininterrupto dos gastos, superávit primário perto de zero, dívida bruta em relação ao PIB na casa dos 70%, melhor apenas que Índia e Hungria no grupo dos países em desenvolvimento, uso do BNDES para fomentar empresas com boas conexões políticas, dinheiro público para grupos terroristas, inflação da oferta monetária e do crédito artificial etc.), o desempenho foi sim desanimador.

Isso para não falar do culto à personalidade do presidente, algo que o próprio soube estimular como nunca antes na história deste país, tomando exclusivamente para si méritos que são dos outros, um comportamento típico de ditadores populistas.

Mas tudo isso é uma opinião totalmente pessoal.  Para evitar complicações desnecessárias — e também para não entrarmos em áreas mais espinhosas, porquanto subjetivas — considerei aqui apenas as questões de cunho econômico.  As questões de cunho moral estão muito além do escopo pretendido nessa postagem, mesmo porque moralidade e governo caminham em mãos opostas.

A minha nota final, de 0 a 10, para os oito anos de governo é: zero para as oportunidades perdidas (cujo resultado é um legado muito aquém do que poderia ter sido) e dez para tudo o que podia ter sido feito de ruim, mas que não foi.  

Nota final: 5

Se os leitores — bem como os outros integrantes do IMB — tiverem a bondade, convido-os a fazerem a enorme gentileza de compartilharem suas opiniões nos comentários.


autor

Leandro Roque
é editor e tradutor do site do Instituto Ludwig von Mises Brasil.

  • Marco Aurélio  14/12/2010 14:00
    Minha renda aumentou, sem dúvida. Mas a degradação moral, que é mais importante a meu ver, piorou e muito. Como foi dito, os maiores méritos vem justamente daquilo que se prometia mas não foi feito. A economia foi apenas continuidade.

    Nota 5,5.
  • Carlos Santos  14/12/2010 14:56
    Leandro,

    Você repete o erro de muitos analistas e pseudo-analistas que cobrem de elogios o governo Lula simplesmente por não ter sido um desastre.
    Quando Lula iniciou o seu governo, o que se esperava? Que o ex-torneiro-mecânico e ex-sindicalista iniciasse a revolução socialista ou que, quando menos, destruísse os fundamentos da economia e imprimisse dinheiro sem nenhuma responsabilidade, fazendo o país voltar aos tempos da mega-inflação.

    O tempo passou e não aconteceu nada disso. Lula caiu nas graças da "Dona Zelite" (como diria o Reinaldo Azevedo) e soube passar mel na boca dos pobres. Lula tem como maior modelo de estadista o ex-ditador do Estado Novo. Getúlio Vargas foi chamado de pai dos pobres... e também de mãe dos ricos. Era amado por todos e não tinha inimigos, a não ser certa direita raivosa, comandada por um jornalistazinho ordinário chamado Carlos Lacerda, que insistia em ir contra o povo e contra seu próprio país. Merecia tomar um tiro!

    Mas reavendo o fio da meada, acho que você deveria subtrair cinco da nota que deu ao atual governo, pois nenhum governo deve ser premiado por ter feito nada mais que sua obrigação. O governo Lula fez a obrigação, sim, mas cobrando um alto preço por isso (mas não cabe falar aqui da nada fora da economia, como você disse). É um absurdo que tudo se tolere de um governo simplesmente porque ele "garante a estabilidade econômica", ou seja, não age de forma irresponsável como outros antes de FHC faziam.

    Se tirássemos de Lula a estabilidade econômica herdada de FHC e a incrível calmaria no cenário externo durante seu governo (coisa que FHC não teve), o que sobraria dele?

    NOTA ZERO
  • augusto  15/12/2010 10:45
    Carlos,\r
    \r
    Acho que discordo de voce. Partindo da sua premissa de que "tirando manter a estabilidade, nao sobra nada do governo Lula", acho que o governo foi otimo - afinal, quanto menos o governo fizer, melho, nao eh?\r
    \r
    (deixo para dar minha nota mais adiante)
  • Octavio  01/05/2013 22:59
    Muito boa a análise do Carlos Santos. Mas para sermos mais lúcidos, deveríamos ver o que há por de traz de tanta bondade deste (des)governo. O que me incomoda realmente é a enorme brecha que estamos permitindo! Sinceramente não acredito que é só a ânsia de se perpetuar no poder. Há algo de mais vil nas intenções....
  • Angelo T.  14/12/2010 14:57
    Aumento desenfreado de gastos, mensalão, leis passando por cima das mais básicas liberdades individuais, tentativas de "controlar socialmente" a mídia, criação ou ressurreição de estatais (pré-sal, telebrás, etc.), impressão de dinheiro nos últimos anos de governo numa quantidade astronômica, criação de vários ministérios, parceria com ditadores e terroristas, subsídio de "movimentos sociais" como o MST, criação de bolsa-esmola para tudo (agora até esportista de ponta terá bolsa!), casos de corrupção em todos os níveis de governo, tomada da máquina pública por um partido político como nunca visto antes nesse país, e por aí vai.

    De acordo com meus princípios não teria como dar nota maior que zero. Mas vai levar nota 1 pela incompetência, o que é muito bom para o país, já que todo país cresce apesar do governo. Se elegermos políticos competentes, estamos lascados.
  • Daniel  14/12/2010 15:10
    Faço minhas as palavras do Angelo.

    Nota 1 por não ter esfregado o 3° mandato na nossa cara.

    abç
  • Erick Skrabe  14/12/2010 15:25
    Parabéns pelo artigo !
  • Maurício  14/12/2010 15:53
    Você deve ter acordado de bom humor, só poder ser isso. Nota 5!?\r
    \r
    Estranhei esta sua opinião, Leandro. Você foi extremamente economicista. Nada do que está sendo levantado em represália ao seu artigo é novidade para você. Tenho certeza!\r
    \r
    Ou você quer "causar" ou quer fazer uma pesquisa de opinião para ver o perfil de seus leitores...\r
    \r
    Mas enfim, como pediu uma opinião. Vou dar um voto de chiste e dar nota 1. E quero adicionar uma nota 8, só que esta se refere à escala de deterioração das idéias e dos valores da sociedade brasileira.\r
    \r
    Abraços
  • Bruno Gimenes Di Lascio  14/12/2010 15:58
    Que nota posso dar para um governo que ignora os seguintes fatos (dados com a ajuda de Olavo de Carvalho):

    - Quase 50 mil brasileiros são assassinados por ano.
    - Nossos alunos continuam com as piores notas de todos os exames educacionais internacionais.
    - A universidade que a mídia unânime proclama ser a melhor do Brasil, a USP, ficou em 210º. lugar no ranking das instituições universitárias calculado pelo London Times.
    - O Brasil está em 73º. lugar no Índice de Desenvolvimento Humano da ONU, abaixo do Peru, do Panamá, do México, da Costa Rica e de Trinidad e Tobago.
    - O Brasil é o único país da América Latina onde o consumo de tóxicos está aumentando em vez de diminuir.
    - Os índices de corrupção cresceram mais durante o governo Lula (inclusive no ministério de Dona Dilma) do que ao longo de toda a nossa História anterior, tornando, por exemplo, o uso eleitoral da máquina administrativa do Estado um direito consuetudinário contra o qual é inútil protestar.
    - A alta cultura simplesmente desapareceu deste país, ao ponto de já ninguém ser culto o bastante para dar pela sua falta, quanto mais para enxergar algo de grave nesse fenômeno, inédito mesmo em nações paupérrimas.

    Isso sem contar com os apoios expressos às ditaduras socialistas/fascistas da África, Oriente Médio e Ásia. Sem se esquecer da tentativa de aprovação do PNDH-3, o AI-5 comunista.

    Agora, se o governo Lula merece nota 5 só porque manteve um mínimo de dinheirismo na economia, fazendo o país crescer em média incríveis 4,5% ao ano, enquanto Médici crescia mais que o dobro disso, então passaremos dos três dígitos na nota dos presidentes entre 1930 e 1974. A avaliação econômica feita pelo texto é muito boa, mas as finanças e mercado de um governo talvez não passem de 50% da avaliação total.

    Mas não poderia deixar de criticar o que disseram aos quatro cantos por aqui. "O governo Lula foi menos mal porque deixou de fazer aquilo que sempre prometeu". Alguém aí consegue enxergar que o governo Lula não passa de uma transição? É provável que ela continue no primeiro mandato Dilma até, finalmente, atingir a radicalidade velada que o PT tanto sonha. Com as classes altas subjugadas ao poder do Estado (hoje é impossível acumular 1 bilhão sem a ajuda governamental), as classes médias encantadas com o consumo e as classes baixas ludibriadas pelo assistencialismo, o governo Lula conquista, a cada dia que passa, a legitimação para aprovar projeto tal como o PNDH-3, instalando o fim de nossa democracia e até do nosso intervencionismo econômico, tão criticado por todos nós, mas saudado será em face das futuras condições que o radical-reformismo pretende impor.
  • Erik Frederico Alves Cenaqui  14/12/2010 22:47
    Prezado Leandro\r
    \r
    Confesso que fiquei surpreso ao ler este texto do blog vez que esta em desarmonia com o espírito do site.\r
    \r
    É díficil dar nota para qualquer governo, mas considero o Lula um dos piores governantes da história do Brasil, principalmente no campo econômico.\r
    \r
    As reformas feitas pelo FHC foram boas somente se consideradas em relação a sempre caótica economia brasileira, com inflação galopante, troca de moeda a cada troca de governo, estatais mostruosamente grandes e inefIcientes, grandes empresas mamando nas tetas do estado, corrupção que impressiona, dentre outros.\r
    \r
    O Brasil continua sendo um pais que não incentiva o empreendedorismo, que repudia a iniciativa privada, em que você consegue as coisas somente no conchavo e trambique (o famoso "jeitinho") e onde a mentalidade estatista esta profundamente arraigada no imaginário popular.\r
    \r
    Lula fortaleceu todas as características negativas do Brasil e não fomentou nenhum atributo bom.\r
    \r
    É muito provável que o governo Dilma seja pior pois ela herdara todo esta passivo fortalecido de Lula, bem como enfrentara um cenário internacional bem mais hostil.\r
    \r
    A frase final do comentário do Carlos Santos é uma pergunta que facilmente nos respondemos.\r
    \r
    "Se tirássemos de Lula a estabilidade econômica herdada de FHC e a incrível calmaria no cenário externo durante seu governo (coisa que FHC não teve), o que sobraria dele?" \r
    \r
    Resposta: Nada.\r
    \r
    O Brasil esta muito, mas muito longe, de ser uma sociedade livre e aberta, pois temos uma mentalidade corrupta e orgulhosa da própria ignorância.\r
    \r
    Não obstante todo o acima exposto, não foi abordado no texto outros aspectos como a política externa, direitos humanos, educação, cultura, liberdade de expressão, dentre outros...., o que deixa mais evidente que o governo Lula é impróprio para consumo.\r
    \r
    Desta forma, considero o Lula um péssimo líder e o seu governo é um dos piores que nós já tivemos.\r
    \r
    Prefiro fazer do mesmo jeito que fala a professora do Fudêncio (desenho da MTV): É PONTO NEGATIVO.\r
    \r
    Abraços\r
    \r
    \r
    \r
    \r
    \r
    \r
  • Zéh!  15/12/2010 08:44
    Acho estranha essa divisão entre "governo FHC" e "governo Lula". Estamos praticamente terminando o 4º governo FHC, já que o governo Lula não mudou praticamente nada do governo FHC.
  • augusto  15/12/2010 10:40
    Leandro,\r
    \r
    Tenho uma curiosidade. Voce fala das obras faraonicas dos governos militares, da criacao de estatais e de programas sociais... Curiosamente, temos durante esse periodo a participacao tanto do Roberto Campos quanto do proprio Helio Beltrao no governo, exercendo cargos no ministerio do planejamento, entre outras funcoes. Como explicar isso? Bom, eh certo que nenhum dos dois citados estavam alinhados com as teorias da escola austriaca. Poderiam ser mais bem classificados como liberais classicos. Mas eu fico me perguntando, os governos FHC e Lula fizeram algo assim tao diferente?
  • Leandro  15/12/2010 10:54
    Prezado augusto, não entendi. O que eu tenho a ver com o que outras pessoas que eu nem conheço fizeram?
  • Marcelo Boz  15/12/2010 14:40
    Em relação ao governo FHC devemos levar em conta que seus oito anos foram especulação contante ao real.
    Passamos pela crise do México (94/95), crise asiática (97/98), crise da Rússia (1998), nossa crise (1999), crise argentina (2001/2002). Todo o tempo tendo que explicar que nós não éramos eles e que nossa base economica era muito mais sólida. Falando a verdade, o governo FHC passou todo o seu período pisando em ovos e, a todo custo lutando pela sua cria: Plano Real. Veja bem, não estou defendendo o seu governo, mas nisso temos que reconhecer, FHC entregou o governo a Lula muito melhor do que recebeu.
    O governo Lula, do ponto de vista político, foi na verdade, o governo mais malandro que já tivemos; passou "cheque" para todo mundo, inclusive aos pobres, com suas "bolsas disso e daquilo". Agradou a gregos e troianos, desde MST, ONGs, ambientalistas, indigenistas, minorias, "artistas e intelectuais", meios de formação de opinião, como também toda a classe de elite/empresários mama-tetas, com crédito fácil do BNDES, BB e Caixa.
    Por isso sua popularidade tão grande e, ninguem ia querer um outro presidente que pudesse ameaçar o seu status-quo, seu religioso "cheque" vindo do governo. O PT, descaradamente, chantageava nas eleições dizendo que o candidato da oposição queria acabar com o bolsa-família. Motivo mais que válido para votar na senhora Dilma e na continuação do PT no poder.
  • BRUNO  15/12/2010 21:28
    Caro Leandro,\r
    \r
    Concordo plenamente com voce.\r
    \r
    Creio que dois pontos valem salientar:\r
    \r
    1) Nestes anos de governo do PT confundiu-se crédito com poder de compra. As pessas não tem dinheiro para comprar as coisas, mas o credito facil causa a impressão de melhora. Isto, como se debate aqui no IMB seguidamente, sabe-se que não é duradouro.\r
    \r
    2) Este estimulo forçado do credito com certeza vai deixar mortos e feridos pelo caminho. Talvez não em 2011, mas para frente sem duvida.\r
    \r
    Abraços
  • Jefferson Abreu  17/12/2010 19:46
    Lulla, ZERO A ESQUERDA. Não fez nada, deixou a oposição roubar junto com ele, afinal o presidente do Banco Central nomeado por Lulla é Meirelles deputado do PSDB/DEM, presidente do Bank Bostom, membro do FED. Em 3 anos os bancos tiveram mais lucro que nos 8 anos de FHC. Se FHC foi o pais dos banqueiros, Lulla foi a mãe...\r
    \r
    A unica coisa competente no desgoverno do Lulla foi a MENTIRA, o marketing da propaganda enganosa. Tem gente que é tão idiota que acredita que Lulla tem essa aprovação toda, mas o Maracanã lotado, desmente as pesquisas encomendadas pelo PT. \r
    \r
    Eu votei no Lulla em 2002, meu medo é que elle fizesse demais e virasse a esquerda, mas Lulla entregou-se para os velhos corruptos e para o G7, é mais um igual aos outros. E agora elegeram a Anta, o que será deste Pais?\r
    \r
    Lulla sai deixando um Brasil endividade, em pleno processo de DESINDUSTRIALIZAÇÃO, FHC deixou um Brasil desnacionalizado, são todos ENTREGUISTAS.\r
    \r
    Temos que passar o BRASIL a LIMPO... \r
    \r
    Pena que o povo é crédulo e o mais otário do Mundo...\r
    \r
    ZERO PRO LULLA E ZERO PRA TODOS OS POLITICOS E PARA O ESTADO BRASILEIRO.\r
    \r
    ...
  • Bruno  18/12/2010 08:19
    Nota 8,0.

    Poderia ter diminuído a ineficiente de parte do setor público.
  • Paulo S.  18/12/2010 19:32
    Sinceramente, minha renda não aumentou nada. Nesses últimos 8 anos não consegui sair do lugar. Como sou empresário, vi pratiamente todas as minhas oportunidades indo embora nos altos impostos e cada vez mais dificuldades em trabalhar honestamente.
    Para a maioria da população, que graças ao seu "lifestyle", afundou nos subterrâneos da miséria, realmente a situação deve ter melhorado muito, já que hoje tudo cai do céu para eles. Essas pessoas sim, se contentam com migalhas jogadas para seus prazeres momentâneos, possuem como única ambição ter sua "casinha", viverem nessa muda indolente de terceiro mundo. Mas eu, eu tenho ímpetos maiores que estas mediocridades.
    E pelo jeito a coisa vai continuar.

    Na questão moral, nunca vi o país tão baixo nível como agora. Creio que nem mais 500 anos vão resolver para se consertar o estrago causado por este governo, que prefere alienar com mentiras consoladoras, do que jogar a verdade nua e crua na cara, fazendo com que um ser inferior evolua em algo mais superior.

    Estoui pensando seriamente em seguir os conselhos da minha mulher. Vender tudo que eu tenho, e irmos embora desse país. Não será um bom lugar para meus filhos no futuro.
  • amauri  23/12/2010 18:32
    Boa noite Leandro!
    Poderia ter acontecido algo pior, como voce mesmo disse.
    O pior que poderia ter acontecido no passado, pode estar acontecendo agora.
    abs e boas festas.
  • José de Araújo Madeiro  27/12/2010 16:09

    Leandro.

    È complicado atribuir uma nota para o Lula. Para seu governo, que dependeu de vários fatores, podemos até ser menos severos, atrabuindo-lhe nota 5. A Macroeconomia, foi a continuidade do Governo FHC, e o Brasil soube até superar à ¨Marolinha¨ do Lula. A Ecomina esteve estável, embora de crescimento mínimo, para uma conjuntura internacional positiva.

    Para Lula, como líder e pessoa, com sua personalidade psicótica e irresponsável, a nossa nota é de Zero. A política social do Lula foi um desatre assustador e a temeridade do seu modelo, conforme os ditames do Antonio Gramsci e do Foro de São Paulo, quando Lula procurou envolver a Nação Brasileira com o seu Projeto Pessoal de Governo, afinado com os piores ditadores do mundo, incluindo Ahmadinejad, Hugo Chaves, Fidel Castro, o Evo Cocaleiro da Bolívia e Tentou um Golpe de Estado em Honduras, apoiando e deixando o Bolivariano Zelaya na Embaixada do Brasil, naquele país.

    Lula, como um trabalhador brasileiro alçado à Presidência da República,foi o alge de uma Democracia, particularmente no Brasil. Porém o Lula demagogo, do sindicalista populista, do corrupto afinado com Sarney, que se julga acima das instituições e dos cidadãos brasileiros, não faz jus a nota nenhuma, é de Zero mesmo. E ele deve ser uma liderança apagada da nossa história. Infelizmente, tem gente que gosta, em especial os fanáticos utopistas e dependentes do pão-e-circo dos tempos dos romanos cujos jornais servem para outras coisas, nunca para serem lidos.

    Att. Madeiro
  • Carlos Santos  27/12/2010 22:32
    EU NÃO ACREDITO NOS 86%\r
    Eu acho muito difícil acreditar nos 86% de "ótimo e bom" do presidente Lula. Afinal de contas, nas eleições recentes Dilma (Lula) recebeu apenas 30 e poucos por cento dos votos do eleitorado, e esse fato derrubou totalmente a credibilidade dos institutos quanto a medição da popularidade do governo e do presidente, ou especificamente desse governo e desse presidente.\r
    \r
    Eu tenho uma hipótese para explicar o que considero um grave erro desses institutos de pesquisa. Não sei qual é a pergunta feita pelos institutos nem a forma como o entrevistado deve responder, tentei pesquisar no Google em busca do formulário de pesquisa do Datafolha, mas tudo que achei foram manchetes do tipo "Lula quebra mais um recorde de popularidade".\r
    \r
    Pois bem, se o instituto fizer uma pergunta subjetiva solicitando que o entrevistado dê uma nota de 1 a 5 para o governo lula e para o presidente onde UM significa 'péssimo' e CINCO significa 'ótimo', então queira ignorar isso e me desculpe pela mixórdia. Mas se a pergunta for subjetiva ou objetiva com as opções "ótimo/bom/regular/ruim/péssimo", então creio que minha hipótese seja ao menos algo a se pensar.\r
    \r
    No nordeste do Brasil, também em outras regiões mas principalmente no nordeste, as pessoas não tem o costume de usar a palavra 'regular', preferindo a expressão 'mais ou menos' para designar algo que não vai nem bem nem mal, ou seja, dar nota 5 de 10, como muitos fazem aqui. Além disso, as pessoas são otimistas e evitam 'falar mal' do governo, seja por mero pudor ou por medo de que o entrevistador os dedure e eles percam os benefícios que por ventura recebam do governo. Então creio que muitos que dizem 'bom', na verdade acham o governo apenas regular.\r
    \r
    EU ACHO QUE CADA GOVERNO DEVE TER O CRÉDITO PELO QUE EFETIVAMENTE FEZ\r
    Como eu disse no comentário acima, muito da glória do governo Lula vem simplesmente dele não ter sido um desastre. Isso é um erro, no meu entender, pois já que se um governante pode dizer que a culpa de algum coisa que não vai bem em seu governo vem na verdade de um governo anterior, de uma 'herança maldita', então ele não pode também receber crédito por alguma coisa que vai bem mas que foi construída em governos anteriores, simplesmente porque a manteve. Parte-se do princípio de que cada governo tende naturalmente a destruir o que o anterior construiu e se não o fizer isso é uma grande benção. Lula seria um grande idiota se tivesse destruído a estabilidade econômica, a lei de responsabilidade fiscal, o plano real, o bolsa-família e tudo o mais que é considerado bom em seu governo. Tudo vem do governo anterior, tudo o partido do presidente lutou contra, tudo o presidente criticou enquanto estava na oposição. Eu só não dou nota menor que ZERO porque é matematicamente impossível.\r
  • augusto  28/12/2010 00:01
    "Eu acho muito difícil acreditar nos 86% de "ótimo e bom" do presidente Lula. Afinal de contas, nas eleições recentes Dilma (Lula) recebeu apenas 30 e poucos por cento dos votos do eleitorado"\r
    \r
    Dilma recebeu 56% does votos validos, e nao "apenas 30 e poucos", como voce afirma.\r
    \r
    Alem disso, foi o Lula que recebeu a avaliacao de otimo e bom de 86% da populacao, nao a Dilma. Ora, na verdade deveriamos estar, talvez, satisfeitos com o resultado, pois mostra que as pessoas ainda tem alguma capacidade de raciocinio e massa critica, que lhes permitiu pensar (se correta ou incorretamente, eh outra discussao): "Ora, o Lula fez um otimo governo, mas eu acho que o Serra eh o melhor candidato, mesmo nao sendo apoiado pelo Lula".\r
    \r
    \r
    "Esse fato derrubou totalmente a credibilidade dos institutos quanto a medição da popularidade do governo e do presidente, ou especificamente desse governo e desse presidente."\r
    \r
    Eh o famoso choro de perdedor. Nao vale a pena discutir. De resto, o resultado final ficou muito, muito proximo do que os institutos de pesquisa previram. Apenas nao se deve confiar demais na margem de erro quando a pesquisa nao eh feita por amostragem aleatorea - infelizmente, esse pequeno detalhe nunca eh bem explicado, e mesmo as pessoas mais instruidas parecem nao atentar para essa questao.\r
    \r
    "Eu tenho uma hipótese para explicar o que considero um grave erro desses institutos de pesquisa. Não sei qual é a pergunta feita pelos institutos nem a forma como o entrevistado deve responder"\r
    \r
    Sua hipotese pode ou nao estar correta. A interpretacao das perguntas eh sempre um problema na aplicacao de questionarios. No entanto, essas sondagens normalmente sao feitas por encomenda, e nao ha regras especificas quanto a divulgacao da metodologia. A unica solucao eh voce realizar uma pesquisa por conta propria, ou encomendar uma.
  • Carlos Santos  28/12/2010 00:39
    @augusto\r
    \r
    "Dilma recebeu 56% does votos validos, e nao "apenas 30 e poucos", como voce afirma."\r
    \r
    Eu não falei em VOTOS VÁLIDOS, falei em votos do eleitorado. Nos votos totais do eleitorado, só 30 e poucos foram com Dilma, os restantes preferiram José Serra, BRANCO, Nulo ou nem sequer compareceram na sua zona eleitoral, mesmo estando aptos a votar. Já a pesquisa de opinião engloba todos os brasileiros.\r
    \r
    "Alem disso, foi o Lula que recebeu a avaliacao de otimo e bom de 86% da populacao, nao a Dilma."\r
    \r
    Você tem alguma dúvida de que não fora Lula que estava concorrendo? Só para se ter uma ideia, Lula foi a mais comícios para eleger Dilma este ano do que para eleger a si próprio em 2006.\r
    \r
    "Ora, na verdade deveriamos estar, talvez, satisfeitos com o resultado, pois mostra que as pessoas ainda tem alguma capacidade de raciocinio e massa critica"\r
    \r
    Acho que uma pequena parte da população, entre 5 e 20%, tem "capacidade de raciocínio e massa crítica", o resto só tem capacidade de pastar e seguir a boiada.\r
    \r
    "Eh o famoso choro de perdedor. Nao vale a pena discutir."\r
    \r
    Então porque você respondeu o meu comentário? Se não vale a pena discutir, seria o caso de ficar quieto e quiça apenas resmungar "Aff... perdedor!".\r
    \r
    "De resto, o resultado final ficou muito, muito proximo do que os institutos de pesquisa previram. "\r
    \r
    Não questiono os institutos sobre pesquisas eleitorais como um todo, apenas sobre como é feita a pergunta ao entrevistado sobre sua avaliação do governo.\r
    \r
    "Sua hipotese pode ou nao estar correta."\r
    \r
    Claro! É por isso que eu declarei ser apenas uma hipótese e não uma verdade divina.\r
    \r
    \r
    Grato pela resposta!
  • Ken  28/12/2010 07:47
    Só uma "curiosidade": valterlucio.blogspot.com/2010/11/mapas-fundamentalis-para-compreender-o.html e 2.bp.blogspot.com/_2SwRTFSN9WA/TE8hdDT0s5I/AAAAAAAAAB4/Au03ko6pcBA/s1600/Eleitores+Analfabetos.JPG
  • augusto  28/12/2010 10:07
    Carlos, \r
    \r
    "Eu não falei em VOTOS VÁLIDOS, falei em votos do eleitorado."\r
    \r
    Verdade. Retiro o comentario.\r
    \r
    "Você tem alguma dúvida de que não fora Lula que estava concorrendo?"\r
    \r
    Se fosse o Lula, teria sido eleito com mais votos.\r
    \r
    "Acho que uma pequena parte da população, entre 5 e 20%, tem "capacidade de raciocínio e massa crítica", o resto só tem capacidade de pastar e seguir a boiada."\r
    \r
    Provavelmente. \r
    \r
    "Então porque você respondeu o meu comentário? Se não vale a pena discutir, seria o caso de ficar quieto e quiça apenas resmungar "Aff... perdedor!"."\r
    \r
    Apenas expliquei porque discutir era inutil: porque as margens de erro e confianca d amostras por cotas ou estratificadas nao podem ser definidas.\r
    \r
    "Não questiono os institutos sobre pesquisas eleitorais como um todo, apenas sobre como é feita a pergunta ao entrevistado sobre sua avaliação do governo."\r
    \r
    Seria uma boa pauta para materia de jornal, mas o jornalista seria chamado de golpista ou reacionario! :-)\r
    \r
    "Claro! É por isso que eu declarei ser apenas uma hipótese e não uma verdade divina."\r
    \r
    Apenas concordei com voce.
  • Heber  27/12/2010 23:26
    Para as instituições, para a economia, para a política, valores morais e outros aspectos necessários a nota e zero mesmo. Em compensação, este governo deu aula em outros quesitos: agigantamento estatal, manutenção do poder, propaganda oficial, manutenção de organizações paramilitares, manipulação de dados econômicos e políticos, corrupção, conquista de espaços em todas as áreas da sociedade a nota e 10!! nunca antes nesse pais houve desempenho como este nestas áreas!!
  • Lúcio Jr  31/12/2010 18:41

    Leandro, tudo ok sua análise, mas ela é ideológica, sim.

    Vc tinha é que analisar tb uma prefeitura como a de BH, gerenciada pelo PT e pelo PSDB.

    Att
    Lúcio Jr.
  • Leandro  31/12/2010 20:28
    Juro que não é arrogância, caro Lúcio, mas estou muito acima dessas picuinhas puramente partidárias. Um verdadeiro atraso. Convença-me de que há diferença entre esses dois partidos siameses - ao menos em termos econômicos -- e aí podemos dialogar.

    E não, não houve ideologia em minha análise. Basta ver os comentários furiosos de leitores antipetistas, que queriam eu desse nota zero pra tudo.

    Grande abraço.
  • Carlos Alberto  01/01/2011 14:14
    Leandro,

    Avaliar o governo Lulla é na melhor das hipóteses tê-lo considerado presidente. Isto é uma ignomínia. Talvez seja uma boa pessoa, mas mostrou-se um péssimo Comandante, omitíu e esquivou-se até o ultimo minuto (caso Cesare Batisti), lhe falta hombridade em assumir as consequências de suas decisões. Particularmente odeio política e políticos, principalmente os Latinos Americanos, aqueles por serem não mais que reflexos destes. Fica no ar aquele velha dúvida, é possível mudar, se for, há interesse em fazê-la?

    Feliz 2011, que não desviemos do caminho da retidão.
  • Dáiron Graffitti  03/01/2011 14:36
    NOTA: 10

    "RELAXA E GOZA"!
  • João Victor Membrive  04/01/2011 09:36
    Sem me alongar, deixo aqui meu comentário:\r
    - Nota 0. O Governo Lula foi o marco inicial de um projeto de esquerda no Brasil que ainda nos trará MUITA dor de cabeça. A herança política destes 8 anos ainda vai parasitar o sociedade brasileira por algumas décadas.\r
    Aos bons homens de direita, heterodoxos por natureza, resta rezar.
  • Eduardo Rodrgues  07/01/2011 01:30
    Opinião do economista Ubiratan Iorio a respeito do governo Lula, entre outras coisas.

    www.ubirataniorio.org/AM_11_Jan.pdf

  • Jorge Mendes  29/01/2011 15:51
    A elite não admite que um operário governe melhor que eles,por isso essas críticas.
    Não entrarei em detalhes,mas peço a tucanos de Plantão que vejam esses vídeos e comente quem fez mais pelo Brasil com um regime democrático.

    www.youtube.com/watch?v=A7BRXp8KUPw
    Não adianta chorar,o Pobre vai continuar comprando carro,indo às universidades,consumindo mais que as classes A e B,saindo da pobreza e se a elite não tiver feliz em conviver com isso que Procure outro país para morar.
  • augusto  29/01/2011 17:07
    "A elite não admite que um operário governe melhor que eles,por isso essas críticas.\r
    Não entrarei em detalhes,mas peço a tucanos de Plantão que vejam esses vídeos e comente quem fez mais pelo Brasil com um regime democrático."\r
    \r
    Que elite? A elite dona dos bancos, das grandes empresas de engenharia civil, os grandes acionistas das telefonicas...?\r
    \r
    Favor definir quem eh a "elite" a quem voce se refere.\r
    \r
    Quanto aos "tucanos de plantao" - voce nao vai encontrar muitos neste site. Voce saberia isso se se desse ao trabalho de ler alguns artigos do mises.org.br, mas talvez seja pedir demais. Entao eu digo: nao tem muitos tucanos aqui nao...
  • Renê  29/01/2011 17:49
    O Jorge caiu de para-quedas aqui. Não tem a mínima idéia do que se passa aqui.
  • Rene  29/01/2011 17:57
    ""Não adianta chorar,o Pobre vai continuar comprando carro,indo às universidades,consumindo mais que as classes A e B,saindo da pobreza e se a elite não tiver feliz em conviver com isso que Procure outro país para morar." (Jorge Mendes)

    Caro Jorge

    Se como você diz, o pobre comprará carro, consumirá mais que a elite e irá para universidades, ele será então elite também.
    Vocês ainda acabarão correndo atrás do voto dos médios que vocês tanto odeiam hehehe.
  • Fernando Chiocca  29/01/2011 18:00
    E deixa só "o pobre"descobrir que carros ele poderia estar comprando se não fosse o governo:Carro popular nacional vale o mesmo que esportivo nos EUA
  • Renê  29/01/2011 19:07
    Agora fiquei triste. Acabei de comprar um Clio pelo preço de um Jeep Patriot.
  • Augusto  29/01/2011 19:47
    Para que a comparação seja completa, seria preciso saber também quanto de subsídios as industrias americana e brasileira recebem.\r
    \r
    Parece-me evidente que os preços dos carros americanos sejam mantidos artificialmente baixos por conta de empréstimos e outros beneficios que talvez o governo brasileiro não ofereça às empresas em território nacional. Assim, o valor do produto nacional talvez esteja mais alinhado com o custo de produção. Lembro-me de ter lido que uma das "três grandes" americanas tinha um prejuízo grande em cada carro vendido. Infelizmente não consegui localizar o artigo original, apenas uma referência ao assunto: forums.vwvortex.com/showthread.php?2864286-According-to-CNN-Money-GM-LOST-1700-on-each-car-sold-while-Nissan-MADE-2200! \r
    \r
    Por outro lado, se a importação fosse liberada, teríamos carros melhores e baratos, cortesia do pagador de impostos americano.
  • Leandro  29/01/2011 20:32
    Prezado Augusto,

    Antes do advento do governo Obama, o governo americano nunca concedeu empréstimos às montadoras americanas. Muito pelo contrário: submetia-as à intensa concorrência estrangeira, principalmente dos asiáticos.

    Os automóveis brasileiros são caros por vários motivos, sendo os principais:

    1) Protecionismo (as tarifas de importação sobre carros estrangeiros praticamente duplicam o preço final do automóvel);

    2) Carga tributária (aqui tem aquela palhaçada de tributar as cilindradas dos automóveis).

    Sobre a GM americana ter prejuízo com cada carro vendido, isso se deve justamente aos benefícios que os sindicatos obrigam a empresa a pagar a seus funcionários aposentados. E como a GM opera sob ambiente concorrencial nos EUA, ela não pode simplesmente sair aumentando os preços para cobrir seus prejuízos. Logo, ou ela corta custos ou segue tendo prejuízos indefinidamente. Como o primeiro é impossível (por causa dos sindicatos), resta à empresa apenas a segunda opção, até o dia em que deixará de existir nos EUA (só não deixou ainda porque o governo Obama, marionete dos sindicatos, resolveu utilizar o dinheiro dos pagadores de impostos para sustentar a mamata dos sindicalistas.

    Os sindicatos quebraram a GM.

    Abraços.
  • Augusto  29/01/2011 20:47
    Leandro,\r
    \r
    Você diz,\r
    \r
    "Antes do advento do governo Obama, o governo americano nunca concedeu empréstimos às montadoras americanas."\r
    \r
    Ao falar de empréstimos, eu tinha em mente o exemplo da Chrysler em 79 - que não foi um empréstimo direto, mas uma garantia. Mas note que eu falei de empréstimo e outros benefícios - e falei de "indústrias", não apenas das montadoras. Há de se considerar toda a cadeia de produção.\r
    \r
    Quanto aos motivos que você elenca para o preço elevado dos automóveis no Brasil, concordo com todos. No entanto o tópico não era "por que carros custam caro no Brasil?" e sim "por que carros custam mais caro no Brasil que nos EUA?" e eu apenas levantei a hipótese de que parte da diferença possa ser justificada por subsídios governamentais. É uma hipótese relativamente simples de se testar: basta somar todos os subsídios de cada governo à cadeia produtiva de automóveis.
  • Leandro  29/01/2011 21:00
    Via de regra, subsídios encarecem a cadeia de produção do setor subsididado.

    Exemplo: se você fornece peças e equipamentos para uma indústria que recebe dinheiro do governo, a tendência é que você passe a cobrar mais caro pelo produto que você fornece. Afinal, você sabe que o governo está dando dinheiro para aquela empresa. Logo, para ela, custo deixa de ser um problema, e a demanda por seus produtos será constante, independente do preço que você cobre (afinal, o dinheiro do governo é "abundante").

    Essa é uma das distorções criadas pelos subsídios e que pouca gente discute. Logo, se houver subsídios para toda a cadeia de produção de automóveis, a tendência seria que os preços de todas as peças fossem mais altos. O produto final poderia ser vendido barato somente à custa de um enorme prejuízo para montadora, prejuízo esse que teria de ser constantemente coberto pelo governo.

    Pelo menos até 2009, não foi isso que se observou em relação às montadoras americanas.
  • Augusto  29/01/2011 21:11
    Leandro,\r
    \r
    Obrigado pelos esclarecimentos.
  • Mauro Gonçalves  29/01/2011 20:41
    Qual operário???

    Lula tem um patrimônio de mais de 2 milhões de reais e não pega no batente desde 1975. Passou os últimos 35 anos sendo sustentado pelo povo, com sua vergonhosa bolsa-ditadura e as mesadas pagas pelo PT (as quais, em última instância, são financiadas por nós, via fundo partidário e salários dos petistas).

    Se isso é ser operário, então esse passou a ser meu objetivo de vida.

    A quantidade de desinformados no mundo é espantosa. Essas pessoas que apoiam isso tudo são muito piores do que aqueles que de fato se beneficiam disso tudo. Pior do que ser criminoso é apoiar e defender o crime.
  • Jorge Mendes  29/01/2011 19:55
    Comentei do carro por causa do comentário preconceituoso do Ex- Colonista da RBS Carlos Prates que com muito ódio declarou que os miseráveis eram responsáveis ppor acidentes e com isso atacou a honra das pessoas mais humildes,além de preconceitos contra os beneficiarios dos programas do Governo,o Golpe da Elite tentando derrubar o Ministro da Educação Haddad por conta do PROUNI.
    Eis uns exemplos da raiva contra as Classes C e D e por isso o PIG(Partido da Imprensa Golpista)e "analistas" menosprezam o governo Lula tentando jogar a população contra ele.
    Mas quem tem o mínimo de memória lembra o que foi o governo FHC e sabe que elegendo qualquer Tucano(Aecio,Serra ou Alckmin) voltará aos anos de terror para as pessoas mais humildes.
    Quem não comparou compare(principalmente area econômica,Empregos e Privatizações)
    www.youtube.com/watch?v=A7BRXp8KUPw
  • Leandro  29/01/2011 20:23

    Como dito nesse mesmo artigo, com ideólogos e militantes políticos, qualquer tentativa séria de diálogo nada mais é do que uma masoquista perda de tempo e, principalmente, de inteligência.

    Prezado Jorge Mendes, esse seu discurso cheira a naftalina. E o pior é você vir utilizá-lo aqui -- em um site que abomina partidos políticos -- achando que, com isso, está sendo original e arrebatador. (Utilizar como fonte a "TV Vermelho" foi um show a parte).

    Aqui não temos ideologia partidária; temos racionalismo e lógica econômica. Se o senhor os tivesse, chegaria à inevitável conclusão que partidarismo e ideologia são um câncer, simplesmente porque impedem as pessoas de analisarem fria e racionalmente toda e qualquer realidade econômica.

    Pegue seu desprezo a um determinado partido político e transfira-o a outro também. Você não apenas verá as coisas com mais clareza como também será mais feliz.

    Por fim, eis abaixo dois artigos racionais sobre privatizações. Leia-os se quiser debater princípios racionais. Agora, caso queira continuar perdido em seus devaneios ideológico-partidários, algo que só faz reduzir o QI de qualquer pessoa, fique à vontade também. Afinal, a vida é sua, assim como o é a sua busca pelo conhecimento.

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=637
    www.mises.org.br/Article.aspx?id=646
  • Augusto  29/01/2011 21:20
    "Prezado Jorge Mendes, esse seu discurso cheira a naftalina. E o pior é você vir utilizá-lo aqui -- em um site que abomina partidos políticos -- achando que, com isso, está sendo original e arrebatador. (Utilizar como fonte a "TV Vermelho" foi um show a parte)."\r
    \r
    Confesso que foi o comentário do Leandro que me despertou curiosidade de assistir o vídeo... é engraçado demais.
  • André Ramos  30/01/2011 01:22
    Caro Leandro, eu sei que vc tentou fazer uma analise sob o aspecto do legado econômico deixado pelo governo Lula, mas, na minha modesta opinião, um verdadeiro libertario tem o dever de repudiar o lulo-petismo, pq "nunca antes na história desse pais" um governo fez o Estado avançar tanto sobre o indivíduo e sobre as liberdades individuais.
    De qq forma, parabéns pelo texto.
    Abs.
  • Augusto  30/01/2011 01:45
    André,\r
    \r
    Não sei se concordo. Eu tenderia a dizer que Getúlio e os militares foram bem piores. Lula, por tudo que disse em sua vida política, provavelmente teria avançado mais que GV e os militares. Felizmente, ele foi detido por uma imprensa razoavelmente livre, pela internet, e por uma população que embora ainda amarrada à crença no estatismo, está contente com o progresso trazido pelo mercado - embora acredite que o progresso seja resultado das ações do governo.
  • Maurício  30/01/2011 14:40
    Não podemos esquecer o FHC, que aumentou o aparato estatal enormemente. O Lula quando chegou ao poder já pegou um estado gigantesco, com agências reguladoras, orçamento grande, carga tributária alta etc. Pra só falar de economia.

    O Lula deteriorou ainda mais as instituições, fazendo da cara de pau, do cinismo, do fisiologismo, da demagogia e da roubalheira o modus operandi do governo. Um governo no qual os escrúpulos foram jogados às favas, para não falar outra coisa...

    O Lulismo é o "rouba mas faz" com nova roupagem. Fico até com receio de escrever esta frase, por deixar a entender que ainda vejo mérito nesse governo.

    Não imputo como mérito a essa corja de bandidos o mérito de não terem puxado a descarga e não terem levado o país para o esgoto.

    Respeito a opinião do autor, cujos artigos leio regularmente e aprendo constantemente. Mas nunca na história deste país um presidente e um partido mexeu tanto com os meus nervos como agora.

    Pode ser pq eu tô ficando velho hehehe
  • Renê  30/01/2011 15:17
    Maurício

    Melhor seria " Rouba e faz de conta que faz"
  • Maurício  30/01/2011 16:20
    Excelente, Renê!!

    Faço minhas suas palavras!!

    Abraço!
  • Andre Ramos  30/01/2011 17:35
    Augusto e demais,
    Com certeza GV e os militares conduziram governos em que o Estado partiu mais pra cima dos indivíduos e de suas liberdades, ate pq foram governos ditatoriais. Mas os oito anos de lulo-petismo não ficam muito atras, sobretudo se considerarmos o que quiseram e tentaram fazer, e não apenas o que efetivamente fizeram. A ideologia do lulo-petismo eh a da morte do indivíduo, meus caros! Tudo supostamente em nome do Estado, do social (o que já seria um crime de lesa liberdade), mas na verdade em nome do partido.
    Uma pena eu não ter conhecido o site do Instituto antes.
    Os textos são sempre muito bons, e as discussões no fórum são de altíssimo nível.
    Abs.
    P.S.: ainda não sei mexer nesse teclado do IPad. Desculpem-me.
  • Marco Antonio Martins Caldeira  31/01/2011 22:30
    Lula é como Hitler. Apesar de ter feito um governo horrível, algumas coisas o ditador fez de bom como o lançamento do VW (no Brasil chamado de "fusca"), as auto-estradas e o emprego para muita gente, além da estabilidade da economia no período pré-guerra. Não dá para negar isto! Mas quem é que gostaria hoje de ter Hitler como governante? Da mesma forma foi Lula. Ele encontrou o país com uma economia estável, o que foi um prato feito para lançar o Brasil como futura potência mundial. Apesar disso, não há obras como as de JK, para Lula dizer, sem mentir: "eu é que fiz isto!" Não há! Foi um governo de muitas palavras e pouca ação. E quem fala muito dá bom dia ao cavalo. É o caso da péssima atuação com a relações com o exterior.
    Nota 3
  • Fotus  01/03/2011 17:30
    Cara...vc é a primeira pessoa que fala exatamente tudo oq eu penso...parabéns pelo texto
  • vanderlei  06/03/2011 11:02
    Porém, o mais estranho, é que a genialidade nos negócios só se iniciou com o Pai na Presidência.\r
    \r
    www.pampalivre.info/filho_do_presidente_brasileiro_virou_milionário.htm \r
    \r
    De sindicalista a Barão ? Seu filho está agarrado no saco do poderoso chefão e pôde em um ano aumentar seu patrimônio de 600 reais por mês, para 5,2 milhões de reais. Está na revista Veja, onde, seu filho como funcionário, um ano atrás do Zoológico, ganhando seiscentos (600) reais por mês, e hoje tem um merozinho patrimônio de mais de 5,2 milhões de reais. \r
    \r
    Qué qué isso Presidente? CORRUPÇÃO EM FAMÍLIA FILHO DO PRESIDENTE DOS BRASILEIROS VIROU MILIONÁRIO 27 de abril de 2009 Isso mesmo, o brasileiro Lulinha (Fábio Luís Lula da Silva), filho do Presidente dos brasileiros, que há 05 anos era subempregado do Zoológico em São Paulo, agora acabou de comprar a fazenda Fortaleza (de porteira fechada) pela simples quantia de R$ 47.000.000,00 (quarenta e sete milhões de reais). \r
    \r
    O impressionante nesta trajetória de sucesso e rara inteligência é que de um salário de R$ 1.500,00 passou a proprietário, de uma vez só, de um patrimônio de 47 Milhões... o novo campeão do mundo, todas as notícias serão confirmadas no google, pois já virou assunto mundial.\r
    \r
    O novo mega campeão do Brasil de enriquecimento súbito é proprietários de varias fazendas.\r
    \r
    Fazenda Fortaleza certificada no registro de imóveis: Proprietário: Fábio Luiz Lula da Silva; Fazenda da região de Valparaiso - SP; Valor: 47 milhões de reais.\r
    \r
    O impressionante nesta trajetória de sucesso e rara inteligência é que de um salário de R$ 1500 passou a proprietário, de uma vez só, de um patrimônio de 47 milhões, o que levaria 2612 anos. \r
    \r
    Veja só que competência, logo de depois de comprar, levou a sua fazenda a ser a primeira a receber o certificado de exportação de carne para Europa.\r
    \r
    Mas não fica só nisso a competência deste empreendedor de sucesso.\r
    \r
    No Pará nas regiões de Redenção, Marabá e Carajás, ele comprou de Benedito Mutran Filho, Herdeiro de um Homem Forte da castanha, varias fazendas totalizando R$ 100 000 000,00, cem milhões de reais. Sócios do Negócio: Duda Mendonça e Daniel Dantas. \r
    \r
    Agora existe um projeto para dividir o Estado do Pará e criar o estado de Carajás. \r
    \r
    Vocês podem pensar o que quiserem , eu acredito na capacidade, criatividade, coragem e inteligência deste grande empreendedor.\r
    \r
    \r
    \r
    \r
    \r
    \r
    \r
    \r
  • anônimo  29/07/2016 16:01
    Seria interessante o IMB publicar uma sequência de artigos similares onde se faça a análise econômica dos vários governos que tivemos (Gétulio, JK, governo militar, Sarney e etc).
  • Marco Oliveira  11/03/2017 17:31
    Nota 7 pela primeira equipe econômica.
    Nota 1 pelo resto.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.