clube   |   doar   |   idiomas

Existe uma página específica para este artigo. Para acessá-la clique aqui.

Dobro ou nada?

No final de outubro do ano passado postei nesse blog um artigo em que eu apostava contra o Ministro Mantega que o dolar estaria abaixo de R$ 1,30.

Malandramente não disse quando (apesar da put pra janeiro de 2011), mas devo admitir que eu esparava que fosse logo. Dólares eram impressos numa velocidade espantosa e não eram acompanhados pela impressão de reais e menos ainda pela produção de commodities que, devido à crise, diminuiam até.

Dada a situação de pouco produto e muito papel moeda, a lógica era uma queda no valor do dólar em relação à moeda lastreada em minério de ferro, grãos, etc.

Não estava sozinho. Jim Rogers e Peter Schiff apostavam (e apostam contra o dólar) e me parecia irrelevante a média de aumento do IOF para brecar o fluxo de capitais para o Brasil.

O problema é que ainda continuo achando que meu erro foi só no timing mesmo. Com o euro condenado, o dólar ganhou uma sobrevida.  Pessoas veem o euro cair e realmente acham que o dolar é um porto seguro, mas, se de fato, como dizem, a Europa é os EUA amanhã, o que esta acontecendo com Grécia, Portugal, Espanha, Irlanda e mais tarde vai acontecer com Itália, Inglaterra, Fraça e Alemanha é o mesmo que vai acontecer com Missouri, Dakota, Nevada e mais tarde com California, Texas, New York.

A situação fiscal americana é uma bomba relógio como a que explode pela Europa agora. Nova rodada de impressão de dólares desenfreada virá pela frente.

Não acho porém que essa atual situação do dólar seja o "repique" que Schiff dizia que aconteceria antes da derrocada geral. Esse preço atual é mais fruto do derretimento do euro mesmo.

Aí, sim, o real entra nesse jogo e as commodities sobram como opção de proteção frente às inflações engatilhadas.

O simples não acompanhamento da impressão dos americanos e europeus fará o real se valorizar e ficar no teto que estipulei (R$ 1,30).

Apostas na mesa, dobro ou nada?


autor

Cristiano Fiori Chiocca
é economista e empresário.

  • Fernando Ulrich  08/06/2010 20:10
    Cristiano,\r
    O grande problema ou o que está segurando o dólar é a ainda equivocada percepção mundial de que essa moeda é segura e que todo o aumento da oferta monetária ainda não saiu dos balanços dos bancos americanos.\r
    \r
    A situação é tão precária que nem os bancos se permitem emprestar créditos que nunca serão devolvidos.\r
    \r
    Confesso que não sei ainda quando será a derrocada do dólar nem como será. Também não podemos dizer até quando o real será bem administrado pelo BC (em comparação com outras moedas).\r
    \r
    O dolar index, que o Peter Schiff tanto comentava, é na verdade uma medida muito ruim para o dólar, pois ele consiste basicamente de outras moedas. Só o que ele pode medir é quando menos ou mais o dólar está afundando mais que as outras moedas, mas no final das contas todas vão se afogar. Somente o ouro pode representar corretamente a desvalorização da moeda, que por sinal segue batendo recordes!\r
    \r
    No final das contas, se há fumaça e a casa está pegando fogo, é melhor não tentar adivinhar quando ela virá abaixo e sim fugir de uma vez!
  • Indivíduo Místico  08/06/2010 20:52
    Lembro que em 2005, a minha esposa me disse q havia visto um vídeo sobre a profecia dos Maias (seja lá o que isso signifique) informando que os referidos "iluminados" previram que em 2012 (pq cargas d'água logo em 2012??) aconteceria um monte merdas, incluindo o "desaparecimento da moeda" ou "o fim do dinheiro" (PQP! isso só pode ser sacanagem criada pelo pessoal q acredita em teoria da conspiração, não é mesmo?). Sem perder tempo, eu disparei pra ela: "Isso é bobagem mulhé!". :o)
  • Cristiano  09/06/2010 17:36
    Fernando, qual a implicação para um banco de não emprestar esse dinheiro impresso? O carregamento disso pode acarretar em problemas ou isso é o mais saudável a se fazer?
    Não tenho numeros exatos mas o dinheiro impresso é irrisório para desalavancar os passivos dos bancos.

    Mistico, de fato, Maias podem ficar bilionários no mercado Financeiro.. market timing não é uma ciência exata.
  • Helio  09/06/2010 19:24
    Eu dobro. Não há a menor possibilidade de o Fed aumentar M1 sem o BC brasileiro (ou o ECB, ou o BoC, ou o BoE) fazer o mesmo.
  • Maurício  10/06/2010 11:19
    Olá, Helio, pq diz isso?\r
    \r
    O volume de dinheiro que está retido nos bancos americanos e que ainda não está em circulação não seria suficiente para jogar o dólar no chão?\r
    \r
    Quanto aos outros BCs. Não seria uma tendência dos BCs do mundo de emitir moeda para proteger as exportações dos países (não quer dizer que eu concorde com isso, simplesmente estou reproduzindo a estratégia que se defende)?\r
    \r
    ******\r
    \r
    Aproveitando o ensejo. Onde vc viu que a China tem mais reservas em dólares do que yuan emitido? Pelo que eu li, as reservas seriam uma cesta de moedas que eles não divulgam pra ninguém...\r
    \r
    Abraços,\r
    \r
    Maurício\r
  • Cesar  10/06/2010 12:04
    Cristiano: Parabens pela seu artigo e acuidade analitica, porém nao consigo entender de que maneira a fuga para commodities pode ser uma boa opção contra inflacao...nao sao elas (commodities)que sofrem queda de preco quando o mundo entra em recessao?...
  • Cristiano  10/06/2010 20:03
    Helio, me junto ao mauricio nas perguntas.
    Não foi isso que aconteceu no primeiro baque?
    O BC brasileiro seguiu o FED? que eu saiba o M1 americano dobrou mas não vi o BC brasileiro dobrar nosso M1. Pq isso aconteceria agora?

    Cesar, as commodities (ou qualquer outro valor) caem na recessão, mas eu as vi apenas como proteção contra a inflação pela simples memória desses tempos no brasil onde se estocava de tudo.
  • Zen  27/06/2010 20:11
    Gente, tenho uma pequena poupança em Real(moeda falsa, mas que me compra o que comer). Essa poupança só é usada para, vamos dizer, questões corriqueiras. Não tenho intenção de investir em alguma commodity "estável", nem seria interessante, acredito, pela finalidade desta poupança. Portanto, tenho medo que o poder de compra que acumulei nela derreta da noite para o dia, já que não consigo deixar de imaginar, com base no período histórico de estabilidade política/economica deste país ser de em média uns 30 anos - período este que já está no final -, que a qualquer momento o que o Cristiano vem apostando, somado à aposta do Helio, ainda aconteçam. O que é que pode acontecer para quem usa o Real se tudo isso acontecer? O que fazer um pobre "Classe D" nessa situação? Aproveitar ao máximo as coisas mundanas? Ou o contrário? Ascetismo e muita reza? Suicídio é uma boa saída? Talvez fugir pras Malvinas?
  • Indivíduo Investidor  28/06/2010 14:28
    Zen, a partir de algumas entrevistas q assisti do Jim Rogers, entendo q a melhor forma de nos protegermos da inflação é nos tornarmos muitos bons em um determinado assunto, seja ele qual for. Claro q isso não é um conselho concreto e dificilmente contribuirá para resolver suas dúvidas, mas não tenho muito mais para oferecer a vc. De minha parte, coloquei em prática o conselho do Rogers da seguinte forma: após formar uma poupança razoável, pedi demissão de um trampo com um bom salário, que me sugava tempo e energia ao máximo em uma atividade sacal, e peguei um trampo com um salário bem menor, mas que me motiva e me deixa tempo p/ seguir minha vocação pessoal. Isso já faz + de 2 anos. Hoje penso q foi uma das melhores coisas q já fiz na minha vida adulta (coincidência ou não, foi logo após meu pedido de demissão que eu descobri o mises.org). Minha poupança é uma fração do q já foi um dia, mas minha vocação está se desenvolvendo bastante a ponto eu achar que é possível que um dia eu fique mais rico e mais feliz do que sou hoje :)
  • Filipe  10/04/2011 12:08
    Por enquanto Helio esta ganhando!! Mas acho que não por muito tempo! hehehehe
  • Felix  10/04/2011 15:13
    O BCE também expande a base monetária? porque a moeda é utilizada em vários países e quem assume primeiramente o dinheiro novo?
    achei que a base lá fosse estável...
  • Rhyan  19/09/2011 15:37
    Agora complicou...
  • Cristiano  19/09/2011 16:19
    Penso que não, oque vemos agora penso ser o repique do qual Peter Schiff falava. Algo como "o ultimo suspiro" do dolar.
  • Rhyan  19/09/2011 17:18
    Pode ser. Essa crença recente no dólar é movida pela irracionalidade?
  • Leandro  19/09/2011 17:28
    Movimentos especulativos causados por incertezas gregas (literalmente). Via de regra, o princípio dessa oscilação é o mesmo que foi explicado nesta postagem de blog, só que agora tendo a Grécia como personagem principal.

    Se o dólar vai continuar subindo ou não em relação ao real vai depender, como sempre, dos nossos Bancos Centrais. Dado que quase diariamente saem notícias de que a inflação de preços aqui no Brasil fechará o ano em um nível maior do que se esperava, e dado que é o poder de compra o determinante do câmbio no longo prazo, então de fato fica meio difícil o dólar voltar aos R$ 1,55 no curto prazo (até o final do ano) -- a menos, é claro, que os preços nos EUA também disparem.
  • Fernando Ulrich  19/09/2011 18:11
    O M1 dos EUA vem crescendo de forma acelerada desde Jan/11, acima de 10% a.a.\r
    Em Agosto bateu mais de 20% de crescimento anual, o que não acontece desde pelo menos 1959.\r
    O CPI em Julho foi de 3,6% e em Agosto de 3,8%. Os preços lá estão subindo e ao que tudo indica devem seguir esta tendência.\r
    Mas como bem disse o Leandro, tudo depende dos Bancos Centrais. \r
    Outro atenunte é que, infelizmente, no momento de crise aguda que o mundo se encontra o dólar ainda representa um porto seguro. Então essas oscilações no curto prazo são difíceis de prever.\r
    Mas esperem esta semana. Vamos ver se os EUA não anunciam um QE3 ou similar.\r
  • Cristiano  20/09/2011 11:00
    Fernando, é exatamente isso que Schiff considera o "ultimo suspiro", essa idéia que o dolar e titulos publicos americanos são um porto seguro.
    Os investidores buscam automaticamente esse porto seguro pois não sabem fazer outra coisa, mas, no momento em que perceberem que o dolar e os treasures americanos, são, na verdade, o pior dos investimentos, é que o dolar vai ruir de vez. Qualquer Bco Central que tentar acompanhar a debacle do dolar vai gerar hiper inflação insuportável.
    Então, tudo leva a crer que a alta do dolar provocada por quem procura um porto seguro será revertida de modo avassalador, por esses mesmos investidores.
  • Rhyan  19/09/2011 22:50
    Se o câmbio é dado pela paridade do poder de compra, o câmbio atual deveria ser mais desvalorizado para o real? Pois muita gente quer ou vai viajar para fazer compras nos EUA.
  • Leandro  19/09/2011 23:20
    Com a exceção do último trimestre de 2008, período de grande turbulência mundial, o câmbio vem variando entre R$ 1,60 e R$ 1,79 desde outubro de 2007. Apenas nos último 3 meses ficou abaixo de R$1,60. Nunca entendi a azáfama que fazem com isso. Por que querem viajar só agora e não antes? Isso é tudo ilusão monetária -- ambas as moedas estão sendo continuamente desvalorizadas, mas o pessoal acha que está ficando mais rico só porque o câmbio vem se mantendo relativamente constante.

    Ou, colocando em outras palavras, a quantidade de dinheiro na economia aumentou, bem como a renda nominal das pessoas, mas o câmbio permanece o mesmo. Logo, todo mundo acha que o real está valorizado (a isso eu chamo de ilusão monetária).

    A questão é que, antes, o nosso Banco Central imprimia e o câmbio ia pra cima de R$3. E a novidade agora é que o Fed também entrou no clima. Aí imprime aqui, imprime lá, imprime aqui, imprime lá, ambas as moedas vão se deteriorando, mas o câmbio permanece quase constante. Aí o pessoal acha que enriqueceu porque o câmbio ficou constante durante esse tempo. E os preços aqui dentro nas alturas. Mas se o dólar aparenta estar barato, então tá tudo jóia.
  • Rhyan  19/09/2011 23:36
    Haha valeu! Devia falar isso pro meu irmão!

    Abraço!
  • Alexandre  08/08/2013 12:39
    Chiocca, pelo jeito sua previsão foi por água a baixo! ... 07/08/2013 --> Dólar = R$ 2,31 e só subindo...
  • Leandro  08/08/2013 13:31
    O erro do Cristiano -- e meu também, como pode ser visto na última parte deste artigo -- foi o de confiar demais no nosso Banco Central.

    Na época em que o Cristiano fez aposta, no segundo semestre de 2009, a economia brasileira estava se recuperando bem e com uma expansão monetária bastante moderada. O dólar havia caído de R$2,50 para R$1,70, e continuaria caindo caso tudo se mantivesse daquele jeito. Mas em 2010 e 2011 a coisa no BACEN degringolou totalmente, fazendo com que esta previsão do Cristiano hoje seja descabida.

    O que ocorreu é que o nosso Banco Central conseguiu a façanha de ser (muito) pior que o Fed. Ou seja: da única vez em que os membros deste Instituto se arriscaram a dar alguma credibilidade para os burocratas do BACEN, nos estrepamos. Eles são muito piores do que havíamos imaginado. É bom para aprendermos a nunca, jamais, em hipótese alguma, dar nosso voto de confiança a esses ignaros destruidores de moeda.


    P.S.: Como prova de que a atual desvalorização do real nada tem a ver com qualquer robustez do dólar, as moedas da Austrália e da Nova Zelândia valem mais hoje (em relação ao dólar) do que valiam na mesma data em que o Cristiano fez essa previsão. Sem falar, é claro, no franco suíço, que desde o ano 2000 só se valoriza em relação ao dólar. Tudo isso comprova a ruindade do nosso BACEN.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.