clube   |   doar   |   idiomas

Existe uma página específica para este artigo. Para acessá-la clique aqui.

Aquecimento global mata de frio centenas de pessoas em três continentes

Se pensarmos que há menos de um mês uma trupe de burocratas, políticos e parasitas de todos os tipos estava se reunindo em Copenhague para discutir maneiras de conter uma suposta onda de calor desenfreado que iria afetar irreversivelmente o globo terrestre, as notícias a seguir adquirem um inevitável tom tragicômico:

Cientistas detectam resfriamento na Península Antártica

Temperaturas mais baixas complicam debate sobre aquecimento global, diz pesquisador brasileiro.

O norte da Península Antártica vem se resfriando em tempos recentes. Dados meteorológicos da Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF), a base brasileira no continente gelado, indicam uma tendência de resfriamento de 0,6º C por década, nas temperaturas registradas nos últimos 14 anos. A Península Antártica, como um todo, é uma das regiões do planeta que mais se aqueceu no século 20, acumulando uma elevação de temperatura de 3º C.

China sofre com temperaturas mais baixas e piores nevascas em décadas

Pequim teve quase 30 cm de neve no fim de semana; na Manchúria, temperatura pode chegar a -36 graus.

Onda de frio mata 'dezenas' na Índia

A temperatura na Índia chegou a cair para zero graus centígrados em várias cidades no norte da Índia.

Frio mata 41 na Índia e provoca transtornos na China e Coréia

Pelo menos 41 pessoas morreram neste final de semana pela onda de frio que nos últimos dias tem afetado às regiões do norte da Índia.

A maior nevasca registrada em Pequim e em outras áreas do norte da China desde 1951 paralisou boa parte do tráfego aéreo e rodoviário na região, provocou a suspensão de aulas na capital e na vizinha cidade de Tianjin, entre outras medidas de prevenção.

A situação pode piorar nesta segunda-feira, 4, já que as temperaturas na capital chinesa continuam caindo e podem chegar ao patamar mais baixo em 50 anos (-16°C).

Na Coreia do Sul, moradores enfrentam a pior nevasca da história recente do país. A neve chegou a 26 centímetros em Seul e forçou aeroportos a cancelar 224 voos. A neve também prejudicou o trânsito nas estradas que dão acesso à capital.

Nevasca fecha escolas e aeroportos no Reino Unido

É o inverno mais rigoroso em 30 anos; na França, onda de frio deixa as temperaturas em -13ºC

Com temperaturas de até -33ºC, onda de frio mata 5 nos EUA

Uma onda de frio provocou a morte de cinco pessoas nos EUA, nesta quarta-feira, 6. Ao menos quatro pessoas morreram no Tennessee e uma no Missouri. As temperaturas caíram até -33ºC, em Iowa, a menor desde 1958. A neve atinge principalmente o centro e o leste do país.

Há previsões de novas nevascas no Missouri, Tennessee, Idaho, Wyoming, Montana e até em estados mais ao sul, como a Geórgia.

De acordo com os meteorologistas, ondas de frio no leste dos EUA não costumam durar mais de dois dias, mas esta é mais prolongada. 

Países europeus enfrentam o pior inverno em décadas

Um clima de inverno rigoroso paralisou hoje várias regiões da Europa. As ruas de algumas cidades chegaram a acumular 47 centímetros de neve. Houve cancelamento de voos, transtornos no tráfego rodoviário e milhares de pessoas tiveram problemas para chegar ao trabalho e às escolas.

Na Inglaterra, que sofre o pior inverno desde 1981, foram cancelados 150 voos no Aeroporto de Heathrow. O trem Eurostar, que liga o país à França, suspendeu o serviço hoje.

Na Noruega, as temperaturas caíram para 41 graus negativos. Foi a medição de temperatura mais baixa no país escandinavo desde 1987. A chefe do controle de tráfego aéreo do Aeroporto de Roros, Lise Dukan, disse que o gelo precisou ser removido manualmente das asas dos aviões.

As nevascas no norte da Dinamarca também atingiram rodovias, ferrovias e o tráfego aéreo. Na Alemanha, grandes partes do país ficaram cobertas pela neve, com temperaturas de até 22 graus negativos no estado da Saxônia-Anhalt, no leste do país.

Neve atrapalha aeroportos e fecha escolas no Reino Unido

As temperaturas chegaram a descer até -13°C em Manchester (norte da Inglaterra), -6°C em Glasgow (Escócia) e -3°C em Londres, segundo informou o Serviço Meteorológico.

Frio e nevascas paralisam o hemisfério Norte

A Europa ocidental está enfrentando o pior inverno dos últimos anos com recordes de baixas temperaturas e muita neve. Na Polônia, o rio Vístula, mais longo do país, congelou e a temperatura no país chegou a 25ºC negativos. A Alemanha também sofreu com muita neve no primeiro dia útil do ano e as temperaturas chegaram a 20ºC negativos.

O frio também continua atingindo boa parte dos Estados Unidos e, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia do país, as temperaturas devem cair no país todo nos próximos dias. O serviço afirma que durante a noite, os Estados do norte do país enfrentarão temperaturas mínimas abaixo de zero "em até dois dígitos".

De acordo com a agência de notícias Reuters, o serviço de previsão do tempo privado, o Planalytics, afirmou que este é o inverno mais frio registrado nos EUA desde o ano 2000. O preço do petróleo subiu para US$ 82 (mais de R$ 140) o barril devido ao frio nos Estados Unidos e outras regiões com alto consumo do produto durante o inverno.

O frio também atingiu a Ásia com nevascas pesadas no nordeste da região. Este é considerado o pior inverno na Ásia nos últimos 60 anos. As nevascas causaram problemas nos transportes no norte da China, onde as temperaturas chegaram a -32ºC em Pequim.  Em Shangdu, na região da Mongólia Interior, na China, um trem se chocou contra uma camada de neve de mais de 2 metros, no domingo, 3, e os primeiros passageiros foram retirados somente na segunda-feira, 4.  Os 15 vagões do trem foram cobertos pela neve.  Os mais de 1.400 passageiros ficaram presos sem luz e aquecimento.

Neve e gelo paralisam vários países da Europa

O número de mortos na Polônia, onde o frio chegou a 22º C negativos, aumentou para 122, a maioria deles seria de sem-teto.


A intenção desses catastrofistas nunca foi proteger o ser humano: a ala radical sempre quis o extermínio da espécie; a ala mais moderada contentava-se em retroceder a humanidade à era das diligências; já a ala política, a mais esperta, utilizava-se de uma virtuosa linguagem humanista para camuflar a sua real intenção de impor novas tributações e fazer uma maciça redistribuição de renda em escala global, tudo sob os auspícios de um governo global.

Prova de que esse pessoal nunca esteve interessado no bem da humanidade é o seu silêncio perante essas mortes ocorridas pelo frio intenso.  Quando a imprensa divulgava a foto de um urso polar fofinho navegando errantemente sobre placas de gelo que haviam se descolado de um iceberg qualquer, esses "humanistas" não continham suas lágrimas, seus gritos de horror e suas reprimendas à ganância capitalista da humanidade, que era a responsável pelo comovente passeio solitário daquele simpático mamífero.

Porém, quando seres humanos de países pobres como Índia, China e Polônia morrem em decorrência de fenômenos flagrantemente opostos àqueles que esses iluminados haviam previsto, a orquestra mundial das lacrimejações gerais faz uma pausa pro cafezinho.


autor

Leandro Roque
é editor e tradutor do site do Instituto Ludwig von Mises Brasil.

  • Rhyan Fortuna  07/01/2010 21:27
    Por que as pessoas com algum conhecimento científico não duvidam do Aquecimento Global? Por que a comunidade científica não duvida do Aqueciemento Global? Estou muito indeciso sobre esse tema, é difícil pra mim ficar contra a ciência...
  • Caio Augusto  07/01/2010 22:05
    Rhyan, existem muitos cientistas sérios e conceituados que discordam que o Homem é quem esteja provocando o Aquecimento Global e tem outros que nem ao menos acreditam que exista um Aquecimento Global de fato. O problema é que por mais que se encontrem fatos que mostrem que a atual teoria sobre o Aquecimento Global esteja errada, não adianta, nunca é o "suficiente".
  • Rhyan Fortuna  07/01/2010 22:46
    Há também "cientistas" que negam a Teoria da Evolução. Claro que eles nunca produziram nada de científico para refutar Darwin.
  • Fernando Chiocca  08/01/2010 01:14
    ?????????????? Vc acha que as pessoas que "duvidam do Aquecimento Global" não possuem NENHUM conhecimento científico??\nRhyan, vc por acaso está se informando através da mídia tradicional e nem ficou sabendo do escandalo climategate? Que mostrou o que está por trás da "comunidade científica" que apoia a ideia do aquecimento global? E por que vc considera que "esta comunidade científica" deve ser levada a sério e compara a "outra" com os refutadores da teoria da evolução? Conhece a fundo os cientistas de ambos os lados? Alias, a teoria da evolução, como apropriadamente é chamada, é apenas uma teoria, e não uma verdade científica irrefutável, como, por exemplo, as proposições da ciência economica são.\n
  • Rhyan Fortuna  08/01/2010 06:32
    Fernando, tirando meia dúzia de cientistas, a maioria duvida do AG por motivos ideológicos. No climagate parece que houve uma confusão de palavras e sentidos, como não entendo inglês fica difícil opinar. Pelo que imagino, todos os argumentos defendidos pelos negacionistas foram refutados. TE é fato indiscutível.
  • Tiago RC  08/01/2010 06:54
    Tem um site que apresenta contra-argumentações a todos os argumentos dos céticos no AGA: http://www.skepticalscience.com/
    \n
    \nEu particularmente acho um debate muito complicado. Há motivações políticas de ambos os lados. Quem não é especialista no assunto fica realmente meio perdido. É realmente questionável a quantidade de verba pública que financia as pesquisas favoráveis ao AGA, ao mesmo tempo que cientistas que se colocam contra só vão encontrar verbas privadas de instituições realmente contrárias à tese. Não sei até que ponto o resultado final disso é confiável.
    \n
    De qualquer forma, acho que liberais poderiam se resumir a argumentar que, mesmo que seja verdade a história do AGA, o uso de coerção para tentar parar uma externalidade tão dispersa e imprevisível é simplesmente perigoso demais, dá uma margem a injustiças muito grande. Talvez seja muito melhor tentar se adaptar as mudanças, até porque as gerações futuras terão muito mais meios de se adaptar do que as gerações presentes têm meios para mudar completamente a base energética.
  • Alberto  25/03/2016 11:48
    E há outros sites refutando os argumentos do establishment: www.plantsneedco2.org | www.climatechangedispatch.com/
  • Rhyan Fortuna  08/01/2010 10:31
    Pois é Thiago, creio que o caminho mais simples é a desestatização da água e eletricidade, e privatizar as matas e animais.
  • ALL  08/01/2010 11:31
    A teoria de Darwin é para inglês ver. Não são poucos os grandes cientistas que assinalam inúmeras falhas, desde o próprio caráter do autor, mas especialmente quanto ao método científico que utiliza, e com as obsoletas bases teóricas da física que lhe serviram de padrão.
  • Núbia  12/01/2010 11:02
    Talvez os cariocas acreditem no aquecimento global :)
  • mateus   15/02/2016 21:58
    talvez os sulistas nao acreditem


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.