clube   |   doar   |   idiomas
Jim Rogers: ouro, commodities, África, investimentos e a possibilidade de uma corrida ao dólar

Jim Rogers é famoso não apenas por sua presciência em relação ao colapso econômico global e ao boom das commodities, mas também, principalmente, por seu histórico como investidor.  Fundador, ao lado de George Soros, do hedge fund Quantum Fund, Rogers obteve miraculosos 4.200% de retorno durante um período de 10 anos, ao passo que a S&P 500, nesse mesmo período, obteve apenas 47%.

Rogers atualmente possui uma interessante perspectiva.  Embora seja muito enfático quanto ao panorama inflacionário mundial, ele não vê as mesmas bolhas formadas pela liquidez excessiva que outros investidores estã vendo.  Com efeito, ele não vê nenhuma bolha em formação exceto a do mercado de títulos do Tesouro americano:

"A única bolha que vejo em formação no mundo ocidental está no mercado de títulos do governo americano.  Fora essa, não vejo nenhuma outra bolha ocorrendo."

Rogers, um adepto da Escola Austríaca de economia, odeia veementemente o fato de o Fed, o banco central americano, estar socorrendo os bancos e imprimindo dólares desbragadamente, pensando ser esse o caminho para a prosperidade.  Nesse cenário, ele acha que os vencedores serão as commodities, as quais ele crê estarem no meio de um boom secular.  Os ativos reais terão boa performance, ao passo que os ativos de papel e o dólar serão os perdedores.

A seguir, uma compilação das últimas entrevistas concedidas por Rogers (originais aqui e aqui).

O ouro, como o senhor bem sabe, atingiu altas históricas na semana passada, chegando a US$ 1.187 na quarta-feira, 25 de novembro, com os bancos centrais da Rússia, do Sri Lanka, da Índia e das Ilhas Maurício indo às compras.  Quanto mais o ouro pode subir?

Bom, eu comprei ouro, tenho ouro e venho mantendo-o em minhas carteiras.  Qual a cotação que ele pode atingir?  Eu o vejo perfeitamente atingindo os dois mil dólares a onça na próxima década - veja bem que eu não disse no próximo mês, nem no próximo ano; eu disse na próxima década - porque o dinheiro de papel existente ao redor do mundo é muito suspeito e inconfiável.  Porém, no momento atual, todos estão muito confiantes no ouro, o que está impulsionando sua alta.  E eu não gosto de comprar coisas quando elas estão em alta, principalmente quando estão atingindo altas históricas.  Mas eu também não vou vender meu ouro sob quaisquer circunstâncias.  O ouro vai atingir valores muito mais altos no futuro, mas isso não significa que ele não possa cair 20% no ano que vem.  Mas enquanto essa fase altista do mercado persistir, o ouro continuará atingindo máximas históricas - e certamente ainda não se trata de uma bolha.

O senhor é um investidor tipicamente divergente.  Se todo mundo está comprando, o senhor não deveria estar vendendo?

Sim, eu deveria estar vendendo se já tivéssemos atingido o topo da cotação.  Mas não creio que já estejamos lá.  O ouro, se você ajustá-lo para suas altas históricas, se pegar sua cotação de 1980, que foi a máxima, e corrigir pela inflação, verá que hoje ele já deveria estar acima dos 2.000 dólares.  Portanto, sob o meu ponto de vista, nessa atual fase altista do mercado de commodities o valor do ouro continuará batendo recordes. 

E quanto às ações de empresas de mineração?  Elas podem ser boas opções nesse cenário de alta para o ouro e a prata?

Não com o meu dinheiro.  Os estudos mostram que você ganharia mais investindo nas commodities propriamente ditas do que em ações de commodities - a menos, é claro, que você seja um excelente selecionador de ações.  Se você for bom assim - e a menos que você encontre uma empresa que irá descobrir prata em Berlim -, você compra tudo o que puder e depois me chama.  Aí eu irei comprar também.  Mas fora isso....  E também há centenas de ações de ouro e a maioria delas não têm sucesso.  Mas se você tiver ouro físico, o ouro irá atingir recordes históricos.

Além do ouro, quais outros metais preciosos você tem?

Eu também possuo prata.  Eu diria que se você estivesse pensando em comprar [ouro ou prata], atualmente a prata seria uma melhor aposta.  Quero dizer, o ouro está batendo recordes, mas a prata está em um valor 70% menor do que seu pico histórico.  Se estiver correta a minha tese sobre o fato de que as commodities irão bater recordes, então obviamente você irá ganhar muito mais dinheiro com a prata do que com o ouro.

E o paládio e a platina?

Também possuo ambos.  Creio que, no atual momento, as melhores apostas seriam o paládio e a prata.  Ambos estão com cotações bastante deprimidas.  Acho que você ganharia mais dinheiro com esses dois, embora eu possua todos esses quatro metais [ouro, prata, paládio e platina].

O que está por trás desse aumento repentino do ouro?  O fato de os bancos centrais estarem comprando ouro do FMI alterou a equação?  Ou trata-se do velho exemplo da oferta e demanda?

Certamente temos aí um caso de demanda, pois, como eu disse, todos os países estão imprimindo muito dinheiro e as pessoas ao redor do mundo estão preocupadas com isso.  Mas também temos os bancos centrais, que há cinco anos estavam vendendo ouro e agora estão comprando.  Portanto, houve uma grande alteração no mercado.  Bancos centrais são como todas as outras pessoas - eles apenas seguem a multidão.  Provavelmente existem commodities melhores do que o ouro para se comprar, mas você não pode dizer isso aos bancos centrais porque no momento eles só estão pensando em ouro.

Quanto desse aumento repentino está sendo causado pelos déficits americanos e pelo dólar enfraquecido?

Uma enorme fatia se deve não apenas aos déficits americanos, mas a todos os déficits que estão ocorrendo no mundo.  Os déficits estão frenéticos e fora de controle em praticamente todos os países.  Por toda a história, a impressão monetária sempre levou ao enfraquecimento das moedas e a uma alta dos preços dos ativos reais.  E existem muitos, mas muitos, pessimistas em relação ao dólar, inclusive eu.  Há tantos pessimistas que eu suspeito que uma corrida ao dólar esteja por vir.  Não tenho a menor ideia de por que isso pode ocorrer, mas sei que sempre há uma corrida ao dólar quando existem muitos pessimistas ao mesmo tempo.  Confesso que até andei comprando dólares, aumentando meu portfólio.  Não foi nada significante, mas eu hoje tenho mais dólares do que tinha há um mês.  E é provável também que haja futuramente uma correção na cotação do ouro, pois atualmente existem muitos otimistas eufóricos com o ouro.

O senhor também está de olho em outras commodities.  Há melhores oportunidades?

Eu continuo sendo mais otimista em relação a produtos agrícolas do que a algumas outras commodities.

A revista BusinessWeek fez uma reportagem na semana passada sobre o fato de investidores globais estarem comprando milhares de acres de terras cultiváveis no continente africano.  Dinheiro de todos os cantos do mundo - desde a Arábia Saudita até os fundos de Wall Street - está sendo despejado ali.  Por que esse foco repentino na África?

A enorme área cultivável da África tem sido subutilizada porque não há muita infraestrutura, não há muito maquinário e não há muita qualificação.  E, para agravar, também não há muito fertilizante.  Como já falei inúmeras vezes, creio que o mundo irá enfrentar graves problemas com a oferta de alimentos nos próximos anos.  Tudo indica que outras pessoas também estão prevendo a mesma coisa, e isso está fazendo com que elas saiam comprando áreas cultiváveis.  Você tanto pode comprar como também pode arrendar.  É muito barato, incrivelmente fértil e as áreas ainda não foram excessivamente exploradas.  E se você levar gente qualificada, algum maquinário e alguns fertilizantes, conseguirá ganhar muito dinheiro.  A mão-de-obra é barata, tudo é barato.  

Então o senhor acha que a África é uma boa oportunidade de investimento?

Acho que é uma oportunidade fantástica de investimento.  Sim, existem mais de 50 países na África, portanto não podemos fazer generalizações.  Mas, por exemplo, no Congo você nem precisa plantar nada.  Você pode apenas ficar sentado durante um tempo, e alguma coisa vai brotar do chão.  Sim, estou muito, muito otimista.

Qual a sua perspectiva para as commodities em 2010?

Não sou esperto o bastante para saber.  E digo que, se a economia mundial melhorar, as commodities serão um dos melhores investimentos por causa da escassez que vem se avolumando em todas as commodities.  E se a economia mundial não melhorar, prometo que você não vai querer estar no mercado de ações.  As commodities continuarão sendo o melhor investimento por causa de toda essa quantia insana de dinheiro que os governos estão imprimindo.  Além do mais, se a economia mundial não melhorar, eles vão imprimir ainda mais dinheiro.  Portanto, se você for comprar alguma coisa, você deveria comprar commodities ou moedas de países exportadores de commodities.  



autor

Jim Rogers
lecionou finanças na faculdade de negócios da Columbia University e é hoje um comentarista financeiro na mídia mundial.  Ele é o autor dos livros Adventure Capitalist, Investment Biker, A Bull in China: Investing Profitably in the World's Greatest Market e A Gift to My Children: A Father's Lessons for Life and Investing. Veja seu website.

Tradução de Leandro Augusto Gomes Roque

  • Francis Tadeu  30/11/2009 11:27
    Alguém poderia me explicar porque uma corrida ao dólar, se há cada vez mais dessa moeda emitida e se a produtividade por trás dessa moeda e cada vez menor?
    Grato!
  • Leandro  30/11/2009 11:41
    Francis, como o próprio Rogers disse, não é algo racionalmente explicável. Vale lembrar que no final de 2008 houve essa mesma corrida ao dólar, não obstante a debilidade desta moeda. A cotação do dólar aqui no Brasil, por exemplo, disparou de R$ 1,54 para quase R$ 2,40 em poucos meses. Depois ela voltou a arrefecer.

    Ou seja: comportamentos desse tipo - chamados de 'comportamento de manada' - ainda são possíveis no curto prazo, embora Rogers tenha deixado claro que, no longo prazo, a tendência é o dólar se esfacelar.
  • Tiago RC  30/11/2009 15:38
    Durante a grande depressão também houve corridas aos bancos, não? Mesmo com o governo inflacionando...\n\nPergunta: esse texto é uma tradução de algo em inglês? Se sim, poderiam me passar o link pro original? (aliás, fica a sugestão de fazer isso pra toda tradução... de vez em quando vejo aqui alguns textos que gostaria de enviar a amigos que não falam português)\n\nAbraços!
  • Leandro  30/11/2009 16:06
    Tiago, os links para as entrevistas foram acrescentados ao texto, imediatamente antes do início da entrevista.
  • Cristiano  01/12/2009 00:27
    Achei a cabeça do Rogers confusa.\nNão entendi bem ele se posicionar a essa corrida ao dolar uma vez que ele sempre se proclamou um investidor que olha a "big picture"e não oscilações de curto prazo como seria um "repique" do dolar.
  • Tiago RC  01/12/2009 07:51
    Obrigado Leandro!
  • Helio  01/12/2009 09:12
    Esse é o cara.
  • Helio  01/12/2009 09:20
    Cristiano, ele olha o longo prazo, mas você pode ser obrigado a zerar no curto prazo - ninguém pode desconsiderar o curto prazo, portanto, nem o guru Rogers.

    E ele sabe bem o que está falando, quando diz que o mercado está extremamente oversold no dollar agora. Eu temo um repique do dólar em dois cenários: a) com uma declaração de membro do Fed que pode estar chegando a hora de subir os juros, ou b) se alguma crise um pouco pior que Dubai estourar.

    Só discordo do Rogers quando ele diz que não há bolhas - estamos vivendo uma mega-bolha de emergentes, equities, e a maioria das commodities também.
  • Cristiano  01/12/2009 11:01
    Helio, na big picture eu tb vejo o dolar indo pro brejo .. mas vejo repiques de curto prazo e de movimentos descontrolados. Um repique do dolar é até normal (pode chamar margem pra muit gente mas não altera a rota descendente).\n\nA questão das bolhas nos emergentes e bolsas é delicada e me deixa em duvida. Elas estourariam caso houvesse um recolhimento de liquides, coisa que eu duvido que vá acontecer.\nEntão, pontualmente pode ocorrer quedas fortes nas bolsas mas o dinheiro extra vai continuar ai, os BCs não vão recolher um centavo. Ai vamos a experiência dos anos de inflação e o papel extra vai para ativos e comodities. Mantendo o preço das ações estáveis (ou corrigidos nominalmente)
  • Helio  01/12/2009 11:21
    O dólar deve perder poder aquisitivo, concordo. Porém não necessariamente irá se desvalorizar contra Euro, Yen, Pound, e outras. Esse fenômeno nós vimos na década de 70 (competitive devaluations). Como você disse todos os BCs estão imprimindo dinheiro. A taxa de câmbio no longo prazo é a relação entre a quantidade de moeda de parte a parte. Nesse cenário, a moeda-ouro é a mais segura pois seu estoque cresce apenas cerca de 1-2% ao ano.

    O fenômeno de "competitive devaluations" hoje se dá pois os dólares vão para os países, que ao invés de deixar sua moeda valorizar, fazem com que o BC compre os dólares e aumente as reservas - dessa forma, imprime-se dinheiro local para pagamento do sujeito que iria receber os dólares, inflacionando a moeda local, e a deixando grosso modo no mesmo nível do US$ (a eventual "esterilização" é mero exercício de empurrar com a barriga, e não faz efeito no médio/longo prazos).

    Meu cenário de taxa de câmbio também leva em consideração o diferencial de taxa de juros, mas o efeito de médio/longo prazo é apenas o estoque de moeda de parte a parte (ex: estoque de Reais versus estoque de US$).
  • Francis Tadeu Leite  01/12/2009 16:13
    Obrigado pelo apoio, Leandro... Creio que ficou mais claro a afirmação agora...
    E parabéns aos lúcidos diálogos desenvolvidos a parir do texto central.
  • Emerson Luis, um Psicologo  10/04/2014 20:19

    Tem um episódio dos Simpsons que se passa no futuro:

    A Liza é presidente americana e os EUA devem até para o Paraguai.

    * * *
  • Emerson Luis, um Psicologo  11/04/2014 16:16

    Tem um episódio dos Simpsons que se passa no futuro.

    A Liza é presidente americana e os EUA devem até mesmo para o Paraguai.

    * * *


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.