clube   |   doar   |   idiomas
A reforma tributária proposta é ruim e tem de ser alterada. Ironicamente, ela é um paradoxo guediano
Ela é péssima para empreendedores, mas boa para rentistas

No Brasil, a alíquota máxima do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica é de 15%. No entanto, há uma sobretaxa de 10% sobre o lucro que ultrapassa determinado valor. 

Mas não pára por aí. 

Há também a CSLL (Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido), cuja alíquota pode chegar a 32%; o PIS, cuja alíquota pode chegar a 1,65% e a COFINS, cuja alíquota chega a 7,6%.  PIS e COFINS incidem sobre a receita bruta. 

No final, a alíquota efetiva máxima sobre empresas chega a 34%. É simplesmente a 4ª maior do mundo, atrás apenas de Índia, Malta e Congo — sim, as empresas do Brasil pagam mais imposto que todos os ricos países europeus.

(Além de tudo isso, vale lembrar que há também o ICMS, que varia de estado para estado, mas cuja média é de 18%, e o ISS municipal. Embora estes sejam impostos indiretos — em tese arcados pelo consumidor —, eles afetam as receitas das empresas, pois estas seriam maiores sem eles. Não tente fazer a conta, pois você irá se apavorar.)

Certamente ciente deste descalabro, o Ministro da Economia Paulo Guedes apresentou um amplo projeto de reforma tributária. Há coisas boas e coisas péssimas.

O pior de tudo é que, no fim, se implantando do jeito que está, haverá aumento da carga tributária.

Nossa sina

Lamentavelmente, trata-se de apenas mais uma reforma com puro intuito arrecadatório, indistinguível das que o brasileiro amargou nos últimos 30 anos.

A reforma tributária de 2003, por exemplo, foi vendida como "mais justa", "neutra". A promessa era extinguir a incidência perversa em cascata do PIS e Cofins, compensando esta extinção com uma elevação da alíquota de 3,65% para 9,25%. A Receita Federal afirmou à época que suas contas demonstravam que não haveria aumento de carga tributária. Poucos se surpreenderam com o aumento brutal de arrecadação de PIS e Cofins já a partir do ano seguinte. A planilha da Receita aceita tudo, desde que beneficie a máquina estatal.

Os pretextos para se propagandear a atual reforma proposta por Guedes são os mesmos, com o populismo adicional de que taxará ainda mais "o rico", que é sempre o eterno vilão. 

Só que, ao contrário, a taxação aumentará dramaticamente sobre a atividade empresarial e atingirá em cheio o pequeno, com a criação de mais um imposto que se soma aos mais de 90 impostos e contribuições atuais: o imposto sobre dividendos.

Não tributar dividendos é questão de lógica

Ao contrário do que dizem os progressistas demagogos, o fato de o Brasil, até o momento, não tributar dividendos não configura nenhum "privilégio para rentistas". E por um motivo simples: se os dividendos fossem tributados, isso equivaleria a uma dupla tributação.

A empresa já pagou 34% sobre seus ganhos. O que sobrou ela irá ou reinvestir ou distribuir como dividendos para seus acionistas (que são os proprietários da empresa, algo que qualquer pessoa física com conta em corretora pode se tornar).

Se esses dividendos também fossem tributados, isso nada mais seria do que uma bitributação.

Eis um exemplo simplório, mas que ajuda a entender: a empresa lucrou R$ 100, pagou R$ 34 de imposto e ficou com R$ 66. Se esses R$ 66 forem novamente tributados ao serem distribuídos para os proprietários da empresa, então é óbvio ululante que está ocorrendo uma bitributação.

Na prática, seria como se o Manoel, o proprietário da padaria, após pagar o IRPJ, também tivesse de pagar imposto sobre o dinheiro que sobrou e que ele sacou para pagar a conta de luz da sua casa.

Logo, não faria sentido nenhum o Brasil, que é o quarto país que mais tributa empresas no mundo, tributar também dividendos. A soma de um IRPJ efetivo de 34% mais a tributação de dividendos tornaria insana a nossa já tresloucada carga tributária.

Uma bagunça

A proposta tributária de Guedes quer reduzir a alíquota máxima dos 34% atuais para 31,5% em 2022 e para 29% a partir de 2023. 

(O IRPJ regular cairia dos atuais 15% para 10%, mas tanto a CSLL quanto a sobretaxa permaneceriam as mesmas).

Até aí, ótimo. Isso aumentaria o lucro líquido das empresas.

Entretanto, para contrabalançar essa redução, ele pretende implantar a tributação de dividendos, que hoje são isentos, em 20%.

Isso aumentará a mordida tributária — a menos que a distribuição de dividendos seja reduzida ao mínimo permitido por lei.

O jornal Valor Econômico apresentou uma esclarecedora tabela ilustrando dois cenários. No primeiro cenário, 100% do lucro líquido da empresa é distribuído na forma de dividendos (exatamente como é hoje para todas as pessoas que trabalham como PJ). No segundo cenário, apenas 25% do lucro líquido é distribuído como dividendos, que é o mínimo determinado por lei. 

A tabela mostra como ocorre hoje, e como será em 2022 e em 2023 caso a reforma passe.

Captura de Tela 2021-06-29 a`s 16.13.01.png

Observe que, hoje, não interessa quanto seja distribuído de dividendos: a carga tributária total sobre o o lucro é de 34%.

Entretanto, caso a reforma passe, uma empresa que distribui 100% dos lucros como dividendos (que é o típico caso de uma pessoa física que trabalha como PJ), terá sua carga elevada de 34% para 43,2%. Aumento de 27%.

Por outro lado, uma empresa que distribua apenas 25% do seu lucro líquido como dividendos (que é o mínimo estabelecido por lei) terá sua carga reduzida de 34% para 32,6%. Redução (ínfima) de 4,12%.

Ou seja, para um extremo, a elevação é brutal. Para o outro extremo, a redução é ínfima. No geral, considerando-se que a distribuição de dividendos ficará na mediana, haverá aumento da carga.

É fácil constatar que o objetivo claro desta proposta é atacar a famosa "pejotização" da economia: aquele prestador de serviços que cria uma empresa ou o advogado que ganha sob a forma de dividendos. 

Isso passou a ser visto como um "crime", sendo que se tratava da única maneira de empreendedores, legalmente, poderem manter algum caixa em meio às crescentes e asfixiantes burocracia e carga tributária. Como Mises sempre ensinou, são essas brechas nas regulamentações que permitem à economia respirar. O estado, no entanto, odeia quem não lhe repassa toda a sua renda possível.

Vale também ressaltar que o escalonamento faz com que em 2022 haja um aumento da carga, em todos os cenários. A introdução imediata da alíquota de 20% sobre dividendos, retida na fonte, ao mesmo tempo em que a redução da alíquota de IRPJ ocorre de maneira gradativa e não proporcional faz com que ocorra aquele aumento em 2022, elevando a carga tributária de 34% para 45%, o que apenas gera ainda mais incertezas.

Há também um desencontro no que diz respeito ao setor imobiliário. Os fundos imobiliários, hoje isentos, passarão a ter seus rendimentos tributados. Só que as LCIs e LCAs continuarão isentas. Isso é esquisito, pois tanto as as LCIs quanto os fundos imobiliários representam investimentos diretos e são fonte de financiamento para a indústria. Manter um (corretamente) isento e passar a tributar o outro é uma medida que apenas introduz ainda mais distorção e insegurança.

Para completar, pessoas físicas com empresas offshore também passarão a ser tributadas pela tabela progressiva do Imposto de Renda (até 27,5%), o que representaria um ataque aos "evasores" — leia-se: qualquer pessoas que queira proteger um pouco do seu patrimônio no exterior, algo obrigatório para quem vive em países latino-americanos. 

Até então, nenhum governo de esquerda havia proposto isso.

Pequenas bondades — e um paradoxo guediano

Há, também, algumas carícias voltadas para a pessoa física. 

A tributação em Bolsa passa de mensal para trimestral, com alíquota geral de 15%. A faixa isenta do Imposto de Renda de Pessoa Física será elevada, o que traria um (pequeno) aumento da renda líquida de famílias de renda mais baixa. Mas, sejamos sinceros, é uma migalha. 

Hoje, quem ganha dois salários-mínimos está obrigado a declarar e recolher IR. A proposta de correção da tabela é de isentar rendimentos de até R$ 2.500 mensais. Aplicado o critério do ano 2000, a isenção deveria ir para R$ 6.500, considerando-se a inflação do período. É importante notar que este mesquinho aumento da isenção é do interesse da própria Receita Federal, que não consegue tributar o brasileiro que ganha menos de dois salários-mínimos.

Por fim, há também a redução (essa, sim, muito significativa) do IR de 22,50% para 15% nas aplicações de renda fixa logo no primeiro mês de aplicação. 

Hoje, para os primeiros seis meses, paga-se 22,50%, quando então começa a ocorrer uma redução gradual para 15%, a qual só é alcançada após 2 anos. Com a proposta, a alíquota seria de 15% já no dia seguinte. Para a esmagadora maioria dos brasileiros, tanto os que deixam sua reserva de emergência no CDI como aqueles que estão majoritariamente na renda fixa para investimentos de curto prazo, é uma redução significativa.

Caso seja implantada, é de se esperar um grande aumento na demanda por títulos públicos, o que poderia levar a uma redução dos juros.

De um lado, isso até está em linha com o pensamento de Guedes, que sempre criticou juros altos. Por outro, e ironicamente, essa maior procura por títulos públicos irá aumentar a classe dos "rentistas", que ele também sempre vituperou. 

Não deixa de ser curioso, portanto, que sua reforma privilegie a renda fixa e ataque pequenos, médios e grandes empreendedores.

No fim, é ruim e deve ser alterada

Como demonstrado, em vez de estimular a atividade produtiva, a proposta de Guedes acaba por punir ainda mais empreendedores e investidores. 

Aumentar a carga final sobre o lucro significa reduzir salários e o nível de emprego da empresa e de sua cadeia. Os lucros são o que possibilitam as empresas a fazerem novos investimentos, a contratar novos empregados e a conceder aumentos salariais. Impostos sobre a receita e sobre o lucro das empresas afetam diretamente todo esse processo, fazendo com que a capacidade futura de investimento das empresas seja seriamente afetada, o que significa menor produção, menor oferta de bens e serviços no futuro, e menos contratação de mão-de-obra.

O resultado, que Guedes bem conhece, é a diminuição global do investimento, do emprego e da renda. 

Não é propriamente uma surpresa: os recursos saem da sociedade para o buraco negro do governo. Quando o governo tributa receita e lucro, ele apenas faz com que o dinheiro que seria utilizado para ampliar e aprimorar os processos produtivos seja agora direcionado para o mero consumismo do governo, ficando sob os caprichos de seus burocratas, obstruindo a formação de capital. 

Uma reforma decente pressupõe melhorar o país. Ninguém reforma para piorar a situação. Se não for para gerar crescimento econômico, para que fazê-la? Ruim sem a reforma, pior ainda com ela, que nem o mérito de simplificação possui. Não podemos esquecer o risco de o Congresso deteriorá-la ainda mais, como foi no caso do exorbitante preço cobrado para aprovar a necessária privatização da Eletrobras.

Guedes – que aparentemente não consultou os liberais no governo e muito menos sua base na sociedade – prometeu ao assumir que jamais aumentaria ou criaria impostos. Também prometeu redução de alíquotas, induzindo crescimento sem comprometer a arrecadação global. Nesta surpreendente reviravolta, ele pode acabar virando herói de adeptos de Aloizio Mercadante, Marilena Chauí e Maria da Conceição Tavares.

Guedes pode ter lá suas racionalizações para justificar a tomada do dinheiro pelo estado — não privatizou o tanto que gostaria, os gastos aumentaram com a pandemia, e precisa lidar com o déficit —, mas certamente sabe que, com essa reforma, cai o investimento, cai o nível de emprego e de renda.

Um dos pilares de sustentação do governo tem sido o minguante apoio dos liberais – a saída de Salim Mattar e Paulo Uebel marcou o início do distanciamento. Agora, Guedes parece querer trair o apoio que lhe sobrava em prol de satisfazer a Receita Federal.

Caso essa reforma passe como está, atacando empreendedores, a casa dificilmente se sustenta. 


autor

Helio Beltrão e Anthony Geller

Helio Betrão é o presidente do Instituto Mises Brasil.

Anthony P. Geller é formado em economia pela Universidade de Illinois, possui mestrado pela Columbia University em Nova York e é Chartered Financial Analyst credenciado pelo CFA Institute.


  • Santiago  30/06/2021 17:17
    "aquele prestador de serviços que cria uma empresa ou o advogado que ganha sob a forma de dividendos."

    Notícia de hoje:

    OAB sugere isentar advogados da proposta de tributação de dividendos
  • Ulysses  30/06/2021 17:22
    Haha, temos de admitir que essa Guilda realmente não é nada boba.

    Além de ser a única entidade corporativista que conseguiu a façanha de ser citada três vezes na Constituição de 1988 (sendo talvez o único caso no mundo em que um clube de profissionais conseguiu sacralização no texto constitucional), e deter uma reserva de mercado protegida pelo estado, ela agora certamente conseguirá a isenção para os membros da guilda.

    No fim, no Brasil o que realmente vale é isso: criar um sindicato e uma guilda, pressionar o estado, usufruir benefícios, e deixar que o populacho pague a conta.
  • Rodolfo Dias de Alvarenga  01/07/2021 18:31
    Já começaram os grupos organizados buscando suas exceções a regra! Em vez de lutarem contra a porcaria geral, cada um corre atrás de salvar o seu! O Brasil só tem uma saída que é o aeroporto internacional mais próximo!
  • Geninho  30/06/2021 17:23
    Esta reforma cheira a aumento da carga tributária e sem ao menos qualquer simplificação. Como não se surpreender sem qualquer corte de gastos? Cheira mal...
    #GuedesNãoÉLiberal #FriedmanSeRemoendoNoTúmulo #ReformaDaEnganação
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  30/06/2021 19:11
    "Sem qualquer simplificação." Justamente isso. É um cipoal jurídico e tributário que eles mesmos criam para justificarem suas existências.
  • MATHEUS PEGGION  06/07/2021 03:55
    Belo texto.
    Ficou claro que não houve o equilíbrio de "não se criar/aumentar impostos"... É matemática.
    E já que sequer uma simplificação digna teremos, fico triste em ter que concordar com o autor.
    Triste mesmo... Do jeito que está é ruim e se mexer vai piorar!
    Onde é que esse Brasil vai dar???

  • Marcelo  06/07/2021 11:36
    Guedes se apresenta como liberal e se mostra, cada dia mais, um globalista peçonhento.
  • Bolsodilma cirolulaguedes  30/06/2021 17:27
    com essa reforma, o gov bolsonaldo acabou. destruiu a moeda, agora uma reforma pra destruir o setor produtivo.
    reeleição já era.
  • Laio  30/06/2021 21:08
    Dá impressão que é justamente isso que Paulo Jegues quer.

    Basta o parasita não fazer absolutamente nada, que estaria fazendo o "certo". Mas não, ele vai lá e consegue cagar até onde não tem mais como errar.
  • Laio  30/06/2021 21:10
    Tem algum email pra mandar esse artigo pra ele?
  • MARCELO GURGEL DA SILVA  01/07/2021 03:31
    gabinete.ministro@economia.gov.br

    Agora se vai chegar a ele ou não, eu não sei.
  • José Roberto  30/06/2021 17:28
    Eu tô torcendo para a parte da redução do IR sobre a renda fixa passar. Uma NTN-B que paga juros semestrais hoje não é muito atraente porque a reaplicação dos juros semestrais é tributada em 22,5% (os juros são pagos hoje, você reaplica, e aí daqui a seis meses há novo pagamento de juros, com alíquota é de 22,50%).

    Se passar, enfio tudo ali e me aposento. Quem tem tudo no DI também terá um grande ganho. Para quem deprecava contra os rentistas, será um plot twist e tanto.
  • Gustavo  30/06/2021 17:35
    Vai dá até pra fazer day trade com títulos do Tesouro Direto. ;)
  • Trader  30/06/2021 17:41
    Só se cortarem o IOF, o que eu duvido. Mas ainda assim, comprar hoje pra revender em 30 dias passará a ser uma boa oportunidade, dependendo do momento.
  • Bob Fields  30/06/2021 22:11
    Cara, só tenho a te dizer "boa sorte" se vai mesmo dar All-in nisso
  • Lionel von Prusse  30/06/2021 17:33
    Triste... se a reforma já está assim, fico imaginando o que o Congresso vai fazer com ela. Se quisermos um Brasil mais livre, vamos precisar de uma nova Constituição. A de 88 garante 1 milhão de direitos para mais de 200 milhões de pessoas.
  • Hugo  30/06/2021 17:43
    Sou otimista. Acho que a tributação de dividendos cai para 15% (mas sim, ela virá). E, com alguma sorte, o IRPJ será menor que os 29% propostos. Dá pra ir pra 25%.

    E como disseram acima, a redução do IR sobre renda fixa seria excelente, junto com o refresco da correção da tabela do IR.

    Se operarem bem, dá pra melhorar bastante.
  • Paulo R Guedes  02/07/2021 19:18
    Observo que a reforma mira especialmente aqueles possuem capacidade contributiva. Quantos brasileiros possuem patrimônio no exterior? Quantos recebem dividendos? E o indefeso assalariado? Uma parte muito pequena da população tem poder para se defender da voracidade do estado.
  • Emerson Luis  05/07/2021 14:08

    Uma nova Constituição com um congresso repleto de esquerdopatas, fisiológicos e alguns pseudodireitistas positivistas? O resultado será ainda pior do que a CF88.

    Para o resultado ser melhor seria necessário haver uma parcela significativa de deputados e senadores que sejam genuínos defensores do liberalismo e do conservadorismo.

    Mas a probabilidade de conseguirmos isso nas próximas eleições legislativas ou nas seguintes é mínima. Por enquanto a solução provisória é ir consertando a CF88 conforme possível e os atuais deuses do STF permitirem.

    * * *
  • Joao Paulo  30/06/2021 17:39
    Sinceramente, o que se passa na cabeça do Ciro Guedes?
  • Caio  30/06/2021 17:47
    Tentando ser justo e imparcial, chicaguistas têm tara com "ajuste fiscal" (não gostam de déficits), só que sempre o fazem via aumento de impostos. Joaquim Levy fez a mesmíssima coisa.
  • Joao Paulo  02/07/2021 00:46
    E dolar fraco? Qual a justificativa?
  • Joao Paulo  02/07/2021 15:23
    Obrigado, Leitor Solicito.

    Contudo, eu fiz confusao em minha pergunta. Eu queria saber na verdade qual a justificativa do Guedes para defender que o dolar nao caia tanto perante o real, ou que o real seja "fraco". Tem algo a ver com titulos publicos, juros da divida ou o proprio deficit? Eu nao vejo vantagem alguma em ter uma moeda fraca.

    Obrigado
  • Introvertido  02/07/2021 20:05
    O Guedes utiliza (ou utilizava) duas justificativas para defender moeda fraca:

    1°: Ele quer beneficiar o infimo setor exportador que realmente lucra com isso, ignorando totalmente o fato de que moeda fraca trás inflação, e inflação traz menor poder de compra para toda á população, e encarece o preço de todos os produtos estrangeiros, trazendo, assim, empobrecimento e desindustrialização para o país.

    2°: Ele queria atingir os chamados "rentistas", para assim diminuir os juros pagos. Como o BC compra títulos para manter á selic para baixo via mercado secundário, isso derruba os juros de cupom dos títulos públicos, já que os preços dos títulos encarecem com o aumento dá demanda do BC por títulos, principalmente às atreladas á selic, e á coisa só piora quando o governo deixa á selic abaixo do IPCA, fazendo os títulos atrelados á selic ficarem com juros reais negativos, mas por outro lado isso acelera á expansão monetária, já que os bancos arrecadam bastante vendendo seus títulos pro BC.

    Isso estimula á inflação de preços, já que á expansão monetária estará crescendo, e assim os empréstimos fracionários, e os investidores começam á ficar inseguros devido á essas medidas expansionistas que menosprezam á inflação, criando fugas de investimentos estrangeiros, e assim enfraquecendo o real.

    Logo, o Guedes realmente pediu para essa inflação ocorrer, e o pior de tudo é que os EUA ajudaram nesse processo.
  • Felipe M.  30/06/2021 18:21
    Essa reforma tributária não passa do jeito que está. A tributação dos fundos imobiliários será derrubada ao longo da tramitação da proposta. E há dois principais motivos para acreditar nisso:

    1) A disparidade de tratamento dos FIIs com as Letras de Crédito (LCI e LCA): como ambos representam investimentos diretos, a tributação deveria ser semelhante entre um e outro;

    2) Lobby da bancada ruralista e de construtoras: Como essa medida envolve riscos de mudança para os FIIs agro, a medida pode atrair a atenção da bancada ruralista, tradicionalmente bastante vocal e organizada.

    Ademais, a proposta vai contra o modelo global: nenhum outro lugar do mundo tributa dividendos de fundos imobiliários. Se uma das premissas da proposta era igualar a situação do Brasil ao padrão mundial, então isso irá cair.
  • Introvertido  30/06/2021 18:50
    Guedes não cansa de se provar uma farsa, vai entrar para á lista dos piores ministros bananenses.
  • Memoriado  30/06/2021 19:14
    Calma. A concorrência é forte. Ou então eu sou muito permissivo, mas, tirando Meirelles, não vejo Guedes sendo pior que os outros. Mantega dispensa comentários. Levy, o breve, foi uma draga. Palocci, que muitos elogiam, fez um aumento brutal de impostos. Malan também.

    E os que vieram antes destes nem precisa comentar.
  • Introvertido  30/06/2021 20:20
    Tens razão, mas o Guedes é um ministro horrível não por ser puramente ruim, mas sim por trair á espectativa dás pessoas que esperavam alguma coisa dele.

    Pensávamos que ele iria melhorar às condições dos empreendedores no mercado, fazer cortes de gastos para equilibrar o orçamento, diminuir às benesses e impostos em cima dá classe média e baixa, e eliminar burocracias e agências reguladoras, mas o sujeito não apenas ajudou á destruir á moeda, como também fez o restante pela metade, melhorando para alguns e piorando para outros.

    Se essa reforma tributária for aprovada do jeito que tá, Guedes perderá toda á credibilidade que lhe restava.
  • Introvertido  30/06/2021 19:00
    Off-topic.

    O instituto não irá falar nada sobre o projeto dá demarcação dás terras indígenas? Até onde eu vi tem diversos libertários com opiniões avessas sobre esse assunto.

    Também há o assunto dá crise da hidrelétrica.
  • Leitor Antigo  30/06/2021 19:15
    Crise hídrica ocorre a cada 5 anos, e não há nada de novo a ser dito que já não tenha sido antes:

    www.mises.org.br/article/1953/a-solucao-para-a-escassez-de-agua

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1708

    www.mises.org.br/article/2965/como-o-progresso-transforma-a-escassez-em-abundancia--a-agua-de-israel-e-os-elementos-quimicos

    Quanto a essa questão de terras indígenas, estou por fora. O que houve? Algum link minimamente imparcial sobre isso?
  • Introvertido  30/06/2021 20:10
    Que não haja nada de novo é evidente, caro Leitor antigo, pois todos nós libertários sabemos que isso sempre será algo corriqueiro enquanto tal crucial tarefa permanecer nas mãos do Estado, porém, sempre vejo eventos negativos relacionados ao estado assim como uma boa chance para atrair novas pessoas para á causa libertária, já discuti com dois sujeitos dizendo que não há nenhum artigo sobre essa crise por aqui, logo, é evidente que nem todos saberão que já existem artigos que explicam o motivo de tal problema ser tão pertinente, á mídia nunca explica nada, sempre diz que esses problemas se devem tão somente às tais secas por falta de chuvas.

    Claro que á solução para isso seria á existência de um Feed mais dinâmico e didático, igual á Wikipédia faz, ou um FAQ por aqui, mas já recomendam tais sugestões já faz anos, e os mods não parecem estar interessados.
  • Vladimir  30/06/2021 19:15
    Demarcação de terra indígena — supondo, evidentemente, que não houve nenhuma invasão por parte dos índios — vai na mesmíssima linha do que foi dito aqui, sem tirar nem pôr:

    www.mises.org.br/article/3353/o-misterio-do-capital-respeitar-a-propriedade-privada-dos-pobres-e-a-solucao-para-a-pobreza
  • Introvertido  30/06/2021 19:55
    Á questão, porém, não é de remover o direito de propriedade dos indígenas, mas sim remover às reservas que eles usufruem nas dadas áreas tidas como "reservas dos indígenas", enquanto mantém seus direitos de propriedade sob suas casas, terrenos ocupados e plantações.

    Claro que isso soa bem estranho, se formos considerar que quase todas às florestas brasileiras já são reservas do próprio estado, logo, é bem esquisito que o governo vá se meter com às reservas dos indígenas, penso que isso se deva principalmente ao clássico e velho lobbysmo bananense, algum burocrata ou empresário com fortes conexões políticas deve estar disputando alguma terra indígena, e recorreu ao congresso.
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  30/06/2021 20:28
    Simplificação do ICMS para diminuir montanhas de processos inúteis e contestações na justiça? Não.
    Abolição do IPI para realmente estimular a indústria nacional? Não.
    Ampliação da faixa de enquadramento do SIMPLES para ajudar a criar uma massa maior de empresas de médio porte para aumentar o número de produtos e serviços e gerar mais empregos? Não.
    CONTINUE ASSIM PAULO GUEDES!
  • Silmara  05/07/2021 12:50
    Exatamente.
    Muita coisa poderia ser feita em gargalos na economia empresarial e que ninguém se atreve a mexer.
    Claro que ICMS é problema dos estados, mas uma Reforma Tributária a nível nacional deveria estabelecer critérios práticos de redução da complexidade na tributação do ICMS, visando o aquecimento da economia em seus respectivos estados, na mesma direção do que prega o nosso presidente, em deixar o dinheiro na mão do brasileiro; e do brasileiro comum! Porque o brasileiro de muito capital trai o país na evasão de divisas, o que na minha opinião, é um dos fatores para a inflação.
    Na maioria dos que recebem dividendos, não são necessariamente ricos em patrimônio, estes já pagam os impostos, tributos, taxas, etc. e não são beneficiados de isenções e incentivos fiscais tal qual os grandes grupos que possuem lobbies junto aos políticos para se safarem de taxações.

    Quem paga o pato, no fim das contas, é quem mais produz e emprega.
  • agro  30/06/2021 20:29
    Oq acham do PLANO SAFRA? Bem sucedido? NOssa agricultura recebe enormes subsidios e fomentos estatais
  • Geraldo  30/06/2021 20:50
    É um dos menores subsídios do mundo (exatamente por isso nosso agronegócio é um dos melhores, mais pujantes e mais inovadores do mundo).

    Na União Europeia, os subsídios são de mastodônticos 37% do orçamento.

    en.wikipedia.org/wiki/Common_Agricultural_Policy

    No Brasil, o Plano Safra e seus Pronaf e Pronampe são voltados quase que exclusivamente para a agricultura familiar. Os subsídios mal chegam a R$ 20 bilhões.

    www.canalrural.com.br/noticias/agricultura/live-corte-subsidio-plano-safra/

    Considerando que o orçamento total do governo é de 2,58 trilhões, temos que os subsídios não chegam nem a 1% do orçamento.

    E, se não houvesse esses subsídios, o setor seria muito mais inovador. O mais problema hoje é o programa de compras governamentais para garantir preços mínimos.
  • Pedro  30/06/2021 20:56
    Faltou mencionar o fim do desconto simplificado na entrega da DIRF. Essa correção irrisória da tabela do IRPF só vai afetar quem a receita já não consegue tributar direito, já boa parte da classe média que opta pelo desconto simplificado vai pagar mais impostos.

    O lado bom de tudo isso é que minha preocupação com a eleição de um Ciro Gomes da vida já caiu bastante, afinal com Ciro Guedes no ministério quem precisa de Ciro Gomes?
  • Introvertido  30/06/2021 21:12
    O lado bom de tudo isso é que minha preocupação com a eleição de um Ciro Gomes da vida já caiu bastante, afinal com Ciro Guedes no ministério quem precisa de Ciro Gomes

    É verdade, Guedes está mais Ciro do que nunca, já se encarregou tanto de implementar todas às idéias do Ciro, que o próprio nem teria mais muito o que fazer caso se tornasse presidente ou ministro.

    Á preocupação atual é com o Lula, que estará encarregado de tornar o Brasil uma Argentina. De qualquer maneira, recomendo preparar adiantadamente o passaporte.
  • Felipe  30/06/2021 21:12
    Ciro Guedes apavorando novamente na questão tributária.

    Qual foi a última reforma tributária real que tivemos no mundo? Lembro-me da que foi feita no governo Trump. Até a França começou a reduzir os impostos corporativos (embora nesse caso o Macron tenha aumentado a alíquota máxima do imposto de renda de pessoa física). Como conheço pouco a economia francesa, alguém pode me esclarecer melhor sobre.

    Aqui no Brasil sempre tentaram por atalhos. Agora querem outro: ao invés de cortar os gastos, querem compensar a perda na coleta de impostos. Outro erro no regime militar é que após 1964 só houve aumento na carga tributária.

    "Hoje, quem ganha dois salários-mínimos está obrigado a declarar e recolher IR. A proposta de correção da tabela é de isentar rendimentos de até R$ 2.500 mensais. Aplicado o critério do ano 2000, a isenção deveria ir para R$ 6.500, considerando-se a inflação do período. É importante notar que este mesquinho aumento da isenção é do interesse da própria Receita Federal, que não consegue tributar o brasileiro que ganha menos de dois salários-mínimos."

    Por que esse aumento seria interesse da SRF? Por que ela não consegue tributar quem ganha menos de dois salários-mínimos?

    Normalmente quando há aumento na carga tributária e nos impostos, o governo gasta mais e acompanha essa subida (existe uma "lei" que fala sobre isso, de um artigo que esqueci agora). E quando ocorre o contrário, de o governo reduzir a carga tributária e os impostos: o governo gasta menos?
  • Dirceu Batista  30/06/2021 21:33
    Não vem CPMF? Ótimo!
  • Pedro  01/07/2021 00:31
    A CPMF provavelmente será encaminhada na quarta etapa da reforma tributária. Porém creio que a chance desse imposto passar é perto de 0. Agora o fumo em cima dos empreendedores é quase certo.
  • Sting  01/07/2021 00:11
    Ciro Guedes acabou com o Plano Real, um desastre completo esse governo !!!
  • Bowie  01/07/2021 02:23
    Exagero seu. Houve lambanças em 2020, principalmente na área monetária, mas que estão sendo corrigidas agora. Está longe de ser esse desastre. E essa reforma que está aí não passa. Certamente será usada como moeda de troca para algo maior.

    Não se emocione.
  • Cristian  01/07/2021 19:17
    "Exagero seu. Houve lambanças em 2020, principalmente na área monetária, mas que estão sendo corrigidas agora."

    Por favor e sem emoções...Pode citar as correções que estão sendo feitas?
  • Bowie  01/07/2021 20:42
    Juros estão voltando ao valor realista, o que já se reflete no câmbio. Expansão monetária foi interrompida, acabando o experimento com a lunática Teoria Monetária Moderna.

    E estou falando apenas da área monetária, que a única em que o atual governo realmente fez lambança.

    O resto, este leitor aqui já fez um ótimo apanhado:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=3363&comments=true#ac276578
  • Cristian  03/07/2021 15:05
    É muito saudosismo para com o Ciro Guedes.

    "Interrompeu o inchaço da máquina pública e está fazendo um verdadeiro desmame na imprensa ao cortar as verbas de publicidade. Por isso a gritaria insana da mídia (todo bezerro berra quando desmama)"

    O atual governo em momento algum diminuiu o tamanho do estado e nem se mostra tão interessado nisso. Podemos dizer que, diferente do lulo-petismo, esse governo está mais lento na sua expansão estatal.

    Quanto a imprensa, sim está dando menos dinheiro para a rede esgoto de televisão ao mesmo tempo em que está favorecendo um pouco mais a Record e outras mídias. No fim das contas, trata-se de uma troca, 6 por meia dúzia. E sim, pode ser que a verba de imprensa tenha sido diminuído algum tanto, mas a prática continua. Aliás, não fecharam a TV-Lula e nem outras estatais completamente inúteis.

    Privatizações? BR Distribuidora e Eletrobrás (que somente sendo camarada podemos dizer que foi privatizada).

    Obras do Tarcisio, se eu não estiver completamente enganado, ele só está dando sequência no que estava parado antes de ele assumir o ministério. Não deixa de ser boa coisa, mesmo sendo obra estatal e dinheiro que já foi roubado de todos nós mesmo.

    Quanto ao câmbio estar baixando, muito se deve ao Dólar e Joe Biden do que o brilhante Guedes. Que aliás, já botou a boca no trombone dizendo-se insatisfeito com o dólar abaixo de 5 reais.

    A taxa de juros retornando? Lógico, o BC estava encurralado dias atrás, por conta de suas próprias lambanças + Ciro Guedes.

    E agora com essa proposta tributária que já saiu toda cagada das mãos dele e no fim só vai aumentar a carga e não vai resolver porcaria nenhuma (como o próprio artigo deixou bem claro), vai ser mais um ótimo trabalho desse brilhante "liberal". A esquerda quando retornar ao poder, vai fazer uma estátua para esse herói.

    Eu como um pequeno empreendedor que sou (não sou amigo da corte), vou ser ainda mais roubado depois dessa reforma (se ela for aprovada como está ou ainda piorada pelo congresso)
  • Dedé  01/07/2021 00:23
    Existe um ranking internacional de competitividade tributária.
    Para fazer uma reforma tributária o Brasil deveria pensar: qual reforma, considerando as peculiaridades de nossa economia, nos colocaria entre os 20 primeiros no ranking de competitividade tributária.
    Aí sim se faria um projeto de reforma tributária de interesse da sociedade.
    A reforma apresentada pelo Guedes é para atender os interesses dos servidores de Secretarias Municipais e Estaduais da fazenda e dos auditores da receita.
    E pq a elite econômica não defende uma reforma tributária que realmente mudasse o sistema tributário?
    Pq diversos setores recebem: isenções, subvenções, refis, juros subsidiados, barreiras comerciais, etc.
    Quem paga a conta é o pequeno e médio e a população.

  • Introvertido  01/07/2021 00:39
    Se os políticos realmente estivessem interessados em ajudar às pessoas, eles iriam simplesmentes copiar os modelos dos países mais bem sucedidos, como Singapura, Hong Kong, Nova Zelândia, etc. Mas ai seria difícil para eles, imagina ter de abandonar seus megas salários, suas super aposentadorias, ter de abandonar á vida fofa de político e ir trabalhar para os empresários "malvadões".

    Por isso que todos os libertários deveriam saber que á reforma não virá de dentro do sistema, virá de fora, os políticos só alteram o sistema e permitem maior liberdade quando toda á sociedade começa á entrar em crise, e olha que nem é sempre, países como Venezuela, por exemplo, foram direto para o fundo do poço.
  • Bolsodilma cirolulaguedes  01/07/2021 12:14
    reforma tributária tem que ser feita em função do resultado que se quer colher.
  • o novo libertario  01/07/2021 01:59
    Gente...vou falar bem no coloquial.....comecei a ler os artigos seus aqui.....gostei muito dos assuntos.....nk vi isso em outro lugar....sempre fui conservador liberal...opero de maneira amadora o mercado de criptoativos....ja percebi que sou libertario na pratica tbm.....lendo os artigos ....mais certeza tive.....mises um grande pensador, um iluminista no seculo errado, as escolas só falam do lixo marxistas, ta ae a explicaçao ....pra querer um estado egoista pra governar sua vida...mas galera preciso aprender mais coisas...sou bem iniciante.....me dao uma dica de artigos e aulas para iniciantes...MISES é fora de serie.....ta explicado a bagunça....me ajudem ae pra eu começar entender melhor...seus comentarios ajudam de mais....ja faço propagandas contra o estado egoista....menos ele e mais a gente.....economia primeiro e politica depois....tipo isso....da uma dica pra eu começar.....muito top vcs...assuntos otimos...nk vi isso em outros lugares.
  • Bolsodilma cirolulaguedes  01/07/2021 13:09
  • Introvertido  01/07/2021 13:33
    Caso queria dominar á teoria austriaca, recomendo ler os livros disponibilizados por esse site, de autores libertários. Caso não possua nenhum conhecimento economez de antemão, recomendo começar lendo os artigos daqui primeiro.
  • anônimo  02/07/2021 02:47
    1- Leia um livro chamado "Economia numa única lição."
    2 - Leia "O caminho da servidão" mas pule o prefácio e introdução. Vá direto para os capítulos.
    3 - Leia os artigos mais antigos deste site. Guie-se pelo seu próprio interesse. O que aparecer de bibliografia indicada, pesquise.
  • anônimo  01/07/2021 02:04
    Não acho que o Guedes seja tão inocente.
    Ele enviou esse aumento mas o centrão já falou que não aprova
    jovempan.com.br/brasil-nao-pode-mais-esperar/noticias-o-brasil-nao-pode-mais-esperar/lira-promete-agilidade-na-tramitacao-da-reforma-tributaria-e-descarta-aumento-de-impostos.html

    É o famoso boi de piranha, envia algo para o congresso tirar
  • Régis  01/07/2021 03:42
    Concordo. Até porque aprovar essa do jeito que está é suicídio político.
  • Rafael  01/07/2021 13:53
    Isso se chama pôker. O cara envia uma proposta com 20% sobre dividendos porque ele já sabe com certeza que isso não vai passar. Aí negociam, alguns gemem, outros esperneiam, outros cedem, e aí no final cai pra 15% e todos saem satisfeitos.

    E 15% era exatamente o objetivo inicial.
  • Supply-sider  01/07/2021 14:01
    Já eu acho que é o contrário. Guedes esticou a corda exatamente para a reforma não passar e com isso tentar aprovar a volta da CPMF (a qual, do ponto de vista do governo, é muito mais eficaz, prática e barata).
  • Introvertido  01/07/2021 15:38
    CPMF? Não brinca, isso nunca irá passar pelo congresso, á possibilidade disso acontecer só existe na cabeça do Guedes.
  • Felipe  01/07/2021 02:41
    "Petrobras não é mais sócia da BR Distribuidora e recebe R$ 11,4 bilhões"

    Se as privatizações estão a passos bastante vagarosos, pelo menos algum avanço: agora a BR Distribuidora, em seu ano de 50 anos de aniversário, não terá mais nenhuma ação da Petrobras no meio. A questão é: uma privatização prática ou ainda há acionistas estatais?

    Nesse ano o BNDES também tirou todas as suas participações da Vale S.A. .
  • Realista  01/07/2021 03:52
    Sim. Este governo vem fazendo várias coisas boas que não estão sendo devidamente propagandeadas. E muito menos apreciadas.

    Interrompeu o inchaço da máquina pública e está fazendo um verdadeiro desmame na imprensa ao cortar as verbas de publicidade. Por isso a gritaria insana da mídia (todo bezerro berra quando desmama).

    Aprovou também a Lei de Liberdade Econômica, promulgou várias outras medidas de facilitação do empreendedorismo, manteve algumas desonerações, e, até agora, em nenhum momento elevou impostos e nem impôs regulações anti-trabalho. E aprovou também a revolucionária MP 1.040:

    twitter.com/at_Lorenzon/status/1407775268283035652

    Fez a privatização da Eletrobrás (tosquinha, mas tá valendo) e agora da BR Distribuidora. Fora as excelentes obras de infraestrutura comandadas pelo Tarcísio.

    Tendo feito tudo isso, se mantiver o teto de gastos e estabilizar a moeda, terá logrado um façanha impressionante.

    Por isso, farão absolutamente de tudo para tentar evitar uma reeleição. O golpe já está explícito na proibição do voto impresso. Por que o Barroso se borra todo à simples menção do assunto?
  • Introvertido  01/07/2021 04:06
    Se não tivesse havido aquela destruição dá moeda em meados de 2020, o Bolsonaro ainda seguiria com um apoio estável, uma pena que ambos o Guedes e o Neto não sem conteram em implementar suas paranóias keynesianas.
  • Sued  01/07/2021 10:08
  • Bolsodilma cirolulaguedes  01/07/2021 13:17
  • Introvertido  01/07/2021 17:54
    Me pergunto até quando essa baderna política irá durar.
  • Daniel Ribeiro  01/07/2021 20:17
    Há coisas que devem ser ditas.
    Embora a balança esteja, teoricamente, pendendo para o desestímulo ao investimento e criação de riqueza, caso a nova reforma seja aprovada, na prática será um ganho pois no Brasil existem distorções que premiam aqueles que burlam por motivos políticos, e que punem os honestos. Com a nova proposta, essas distorções diminuirão consideravelmente.
    Além disso, há aquele velho entrave no país, conhecido de todos: pra desonerar de um lado tem que compensar de outro. E fazer isso num contexto de disputas políticas, passando por cima de lobbies, sugadores de tetas e "amigos do rei" é uma tarefa hercúlea. Faz-se o que é possível, caminha-se por vias tortuosas. Ainda vai demorar para que o Brasil seja um exemplo de práticas tributárias saudáveis.
  • Sérgio Werneck de Figueiredo  01/07/2021 22:30
    Uma arapuca para os empreendedores ingênuos, aventureiros e oportunistas perderem o Capital Inicial e se juntarem aos pedintes de um governo a cada dia mais agigantado e controlador.
    Pior ainda vai ser para os verdadeiros empresários que também vão ter que viver da mendicância, depois de fecharem as suas empresas, por falta de lucros.
    Produzir riqueza para o governo não é e nunca foi intuito da livre iniciativa e nunca aumentou a produtividade de um país. Logo, nesse andar da carruagem, o governo só aumentará seu controle sobre empresas cambaleantes, à beira da falência.
    Assim só dá para investir em ativos financeiros e deixar o dinheiro trabalhar no lugar do trabalhador.
    Depois é só dar um calote nos investidores e a produtividade será substituída pelo aumento do ócio...
  • Introvertido  02/07/2021 00:54
    Acha mesmo que os verdadeiros empresários irão aguardar aqui para falirem? Quando perceberem que o negócio se tornou inviável, irão vender tudo o quanto antes para se mandarem daqui, isso inclusive já está acontecendo aos poucos, o Brasil está em um processo de desindustrialização gradual, nenhum grande empresário sem conexões políticas irá esperar á boa vontade de político.

    Se o Lula se eleger, com certeza o otimismo do mercado irá desabar, logo, mesmo que ele não faça nada durante o seu mandato, á tendência é que á desindustrialização aumente apenas por um comuna estar no cargo. Se acha que eu estou exagerando, olha só o que aconteceu no Chile quando aquela progressista se elegeu.
  • Bolsodilma cirolulaguedes  02/07/2021 13:49
    é . já estão armando asneiras como imposto sobre grandes fortunas, renda básica universal e outras basofias socialistas por aqui, sendo que esse país não tem produtividade de pais desenvolvido, pra pagar essa conta.
  • Analista de Risco  02/07/2021 12:04


    No vídeo acima, a repórter chega a mencionar que se não houvesse sonegação, os combustíveis poderiam ser mais baratos.

    Com jornalismo desse nível, dificilmente o brasileiro mudará sua visão sobre tributação.
  • Matheus F Lopes  02/07/2021 13:09
    Como sabemos, não há mágica.
    A redução da carga tributária passa obrigatoriamente pela redução dos gastos públicos de modo amplo, envolvendo melhoria na eficiência da gestão pública e dos serviços públicos, redução de contingente haja vista que as despesas com folha de pagamento de todos os entes são extremamente expressivas e muitas vezes injustas (para mais e para menos), além do excesso de burocracia que atrelado à corrupção integram o vergonhoso "custo Brasil".
    Também nossa Constituição excessivamente "social" e dirigente precisa ser substituída por uma Carta que incentive o trabalho e a geração de riqueza, atendendo socialmente aqueles que de fato não possuem condições de prover sua subsistência de modo digno, como idosos abandonados ou pessoas adoecidas ou com deficiência e sem capacidade laboral.
    Sem os ajustes necessários dos gastos qualquer reforma na arrecadação será simplesmente alternar a fonte de espoliação com o risco de se ferir gravemente a origem fundamental de toda riqueza.
  • Bolsodilma cirolulaguedes  02/07/2021 13:46
  • Introvertido  02/07/2021 15:05
    Caminhos para tornar o Brasil melhor existem, e vários, já que é qualquer um que envolva mais liberdade genuína, porém eu diria que 80% dos políticos atuais são parasitas que querem expandir mais e mais o Estado.

    Como eu já disse em outto comentário meu: á reforma não virá de dentro do sistema, virá de fora, os políticos só alteram o sistema e permitem maior liberdade quando toda á sociedade começa á entrar em alguma crise sem procedentes devido á estrutura do sistema, que é insustentável, e olha que nem é sempre, países como Venezuela, por exemplo, foram direto para o fundo do poço.
  • Ricardo  02/07/2021 17:11
    A verdade é que essa reforma vai atingir a parcela mais rica da população que pouco imposto paga, enquanto o povao viver sob uma pesada carga fiscal. É questão de justiça tributária e atacar privilégio. A chiadeira é porque nossa elite nao quer sabe de pagar imposto.
  • Amante da Verdade  02/07/2021 17:47
    Rico não paga imposto? Pobre paga mais? Vejamos, então. Esqueça a ideologia e concentre-se na matemática, que não permite ideologia.

    Vamos analisar o exemplo hipotético de um diretor de alguma grande empresa, que ganha R$ 30.000 mensais. Ele é considerado um rico no Brasil, apesar de muitos pensarem apenas em multimilionários quando escutam o termo.

    Como seria a carga tributária deste diretor, em termos aproximados?

    Logo de cara, o imposto de renda retido na fonte seria de R$ 7.200, além de R$ 643 de INSS. Arredondando, ele paga quase R$ 8.000 de imposto direto, sem falar no imposto que a empresa tem que pagar também, reduzindo seu salário líquido.

    Para pagar os R$ 30.000 de salário, a empresa desembolsa uns R$ 10.000 extras ao governo, o maior sócio de todos os brasileiros, ainda que de forma compulsória.

    Restaram líquidos até agora uns R$ 22.000 para o diretor, enquanto o governo já embolsou uns R$ 18.000 em cima dele. Mas a coisa está longe de terminar aqui.

    Outros dois impostos diretos abocanham importantes fatias de sua renda. Digamos que esse diretor viva num bairro de luxo, com um elevado IPTU. Lá se vão pelo menos R$ 7.000 anuais para o governo guloso. Mas esse diretor tem pelo menos dois carros na garagem, que custam R$ 2.500 cada um de IPVA anual. Mais R$ 5.000 para esse parceiro eterno.

    Apenas de impostos diretos esse diretor já foi forçado a entregar mais de R$ 100.000 anuais para o governo, ou 30% de seu salário bruto, sem levar em conta os impostos pagos pela empresa. Só que ele está longe de se ver livre do governo.

    O diretor terá um plano de saúde privado, naturalmente, pois o governo arrecada para oferecer saúde pública, mas oferece em troca hospitais decrépitos com excesso de ratos e ausência de remédios. Um plano de saúde bom custaria a esse diretor algo como R$ 1.000 por mês. Vamos somando isso ao total de carga.

    Outro item que o governo deveria fornecer pelos impostos é segurança, mas quem pode depender apenas da "segurança" pública nesse país? Logo, o diretor irá morar num local seguro, que conta com seguranças privados, e que eleva bastante o gasto com condomínio. Pelo menos outros R$ 1.000 mensais ele deve gastar apenas para ter câmeras, seguranças particulares e sistemas de proteção em seu prédio.

    O governo também cobra impostos para oferecer educação, mas todos conhecem a péssima qualidade do ensino público. Logo, esse diretor colocará seus dois filhos numa boa escola particular, gastando pelo menos R$ 2.000 por mês. Esses três serviços básicos - saúde, segurança e educação - custam pelo menos R$ 4.000 mensais ao diretor, além dos impostos que ele joga no lixo.

    Daqueles R$ 22.000 líquidos, o diretor já torrou R$ 5.000 apenas para pagar IPTU, IPVA, saúde, segurança e educação. Sobraram R$ 17.000 em sua conta, lembrando que seu salário bruto era de R$ 30.000 (já estamos falando de uma carga de 43%).

    Mas ainda não acabou. Cada conta de luz, gás e telefonia tem um imposto embutido de pelo menos 30%. Para cada compra no supermercado, o diretor terá que deixar uns 40% para o governo, imposto médio dos produtos ali vendidos. Enfim, digamos que o diretor gasta, dos R$ 17.000, R$ 12.000 por mês. Deste valor, pelo menos R$ 4.000 são impostos novamente.

    Sobraram na conta do diretor R$ 5.000, que ele finalmente poderá poupar, contribuindo para a oferta de capital que serve para investimentos produtivos no país. Mas o governo quer mais! Se ele investir esse dinheiro em um fundo tradicional de um banco, o mínimo que ele terá que recolher em impostos será 15% sobre os rendimentos, ou seja, outros R$ 1.000 por ano, em média.

    Se você já perdeu a conta, é porque são muitos impostos mesmo. Isso porque não considerei taxas e contribuições menores, ou o custo indireto de nossa asfixiante burocracia, que somados acabam lascando outra fatia importante da renda. No total, esse diretor, que ganha R$ 30.000 por mês, ou R$ 360.000 por ano, já pagou de impostos pouco mais de R$ 200.000, ou 55% de carga. Lembrando, novamente, que a empresa pagou outros R$ 120.000 ao governo para poder empregar este diretor.

    Em resumo, esse diretor custa para a empresa uns R$ 480.000 por ano, mas ele recebe líquidos apenas R$ 155.000, aproximadamente. Para onde foram os outros R$ 325.000? Para aquele que você diz que deve fazer a "justiça social".

    Logo, a carga efetiva deste diretor está próxima dos 70%! Essa é a realidade da maioria dos "ricos" desse país, que faz de tudo para incentivar a sonegação e desestimular o empreendedorismo.
         
    Agora diga aí quantos pobres são necessários para pagar o mesmo tanto de imposto que apenas esse "rico".
  • Gustavo Henrique  02/07/2021 19:12
    Ciro Guedes é uma aberração. É criticado por liberais, libertários, austríacos, chicaguistas, socialistas, sociais democratas, trabalhistas, enfim, todos. O cara é tão ruim, que malemá agrada dos bolsonaristas fanáticos. Uma piada.

    Além de tudo o cara é um baita arrogante e elitista. Um dos piores ministros da economia que tivemos.
  • Giovani_Bresolin  03/07/2021 02:32
    Realmente a primeira proposta de reforma já foi ruim com aumento de imposto também, pelo cálculo de várias entidades o CBS deveria ser de 9,25% para não ter aumento de imposto e o governo fala em 12%, agora mais essa dos impostos de renda. Custo Brasil está ficando alto. Mas neste caso seria simples resolver eu acho, o governo quer tributar dividendo então deveria seguir os mesmos 15% dos demais investimentos, e para evitar a dupla tributação, ele deveria funcionar igual o que é a JCP hoje, a empresa coloca os dividendos como custo e tira este valor do montante de lucro liquido., ai sim seria justo.
  • Herculano  04/07/2021 17:51
    Pois é, a taxa Selic vai a 4,25%. e vai aumentara a despesa . Então para alimentar a farra da Selic se taxa o lucro. Enquanto o predador imposto for considerado social e p lucro for considerado exploração ñ havera pudor em tributá-lo. E no fia empresa recolhe imposto. Queem paga e o povo para alimentar a farra estatal.
  • Ulysses  04/07/2021 19:47
    O gasto com a dívida é muito maior se o IPCA subir, pois a maior parte da dívida é de títulos atrelados ao IPCA.
  • Felipe  04/07/2021 20:17
    Não necessariamente. Apenas uma pequena parte dos títulos governamentais é atrelada à SELIC. As outras parcelas envolvem prefixados e IPCA. Com o IPCA despencando graças à correção na SELIC, as despesas com esses títulos caem.
  • Introvertido  05/07/2021 01:10
    Caso não possua conhecimento sobre mercado aberto, tentarei resumir esse processo que causa á queda da selic, apesar que eu ainda estou estudando tal processo, e minha explicação pode não ser das melhores no momento:

    Para fazer á selic descer, o banco central compra títulos públicos, e nesse processo ele utiliza crédito recém-criado para compra-los dos bancos, aumentando assim á reserva monetária nas contas desses bancos, e diminuindo os juros no interbancario (selic), devido á maior oferta monetária destes, que poderão fornecer empréstimos mais baratos. Nesse processo o custo de boa parte dos títulos sobe devido á maior base monetária na conta dos bancos, que irão negociar os preços dos títulos por valores acima do normal, diminuindo á rentabilidade tanto dos títulos atrelados á selic, como das demais.

    Note, porém, que os juros, excluindo às atreladas á selic, irão permanecer os mesmos depois desse processo, o que muda é os custo dos títulos, que alterarão á rentabilidade.

    O problema desse processo é que ele diminuí á confiança dos investidores no Bacen, e passam assim á desconfiar que ele pode estar propositalmente estimulando á inflação, e só piora quando o jumento do ministro começa á declarar que o real tem que desvalorizar. Ai começa á haver especulação, e á moeda desvaloriza.

    Com a moeda desvalorizando, o IPCA aumenta, fazendo crescer os gastos públicos no pagamento dos juros aos títulos atrelados ao IPCA, porém diminuindo os gastos com os juros dos titulos atrelados á selic, que estará baixa devido á maior oferta monetária. Isso tudo faz com que boa partes dos investidores migrem para os atrelados ao IPCA.

    Ou seja: Os gastos podem até aumentar, ou não se alterarem, mesmo se diminuirem, será uma redução infima, o fato é que no fim quem sairá prejudicado é a população, que terá seu poder de compra reduzido.
  • o novo libertario  05/07/2021 12:33
    Galera olha o que o bozo disse na exame: "São Paulo — Em mensagem ao Congresso Nacional, o presidente da República, Jair Bolsonaro, celebrou conquistas do governo em 2019 e reafirmou compromisso com a agenda econômica liberal do ministro da Economia, Paulo Guedes. "Necessitamos reduzir o Estado gigantesco, lento e oneroso", escreveu o presidente.
    Ou seja pelo menos nao ta parecendo PT e socialismo,o estado maximo....pelo menos esta com intençao de diminuir o monopolio da corrupçao.

    Outra fonte, o jornal de brasilia:" O presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para frisar a suspensão do imposto de importação de milho, soja, óleo de soja e farelo de soja até dezembro de 2021. A medida foi publicada na última segunda-feira (19).
    Aproveitando o ensejo, Bolsonaro citou que seu governo zerou ou reduziu tarifas de impostos de "mais de 600 itens de diversas categorias". Dentre os setores beneficiados, o presidente elencou "saúde, alimentos, games, instrumentos musicais de cordas e combustíveis."

    Setores de games tambem, fiquei sabendo.


    Agora olha a Dilma no gazeta do povo: "De 2015 para cá, foram 12 canetadas que pesaram no bolso do brasileiro – mas garantiram a arrecadação que o governo precisava. Em pouco mais de três anos, quem usou mais desse artifício: o governo de Dilma Rousseff (PT) ou de Temer? O presidente do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), João Eloi Olenike, compilou os dados, que revelam que Dilma subiu muito mais taxas entre 2015 e 2016 do que seu sucessor. Foram dez canetadas da petista contra duas do peemedebista. "Se não fecha a conta, eles não vão cortar nada. Eles vão no bolso do contribuinte e aumentam os tributos. Tem sido assim sempre", lamenta."


    Se vc gosta de estado na sua vida, PT de volta se nao temos a direita com bozo, tentando diminuir o estado, mas sempre uma força do demonio tenta impedir.


    Em 2019 o Brasil entrou pra historia, Brasil foi 4º país que mais atraiu investimentos em 2019, aponta Unctad. Algo de bom nhe, Dilma fechou 340000 empresas, nem tinha covid.


    Segundo a CNN, agora fiquei assustado, a midia geralmente doutrina contra bozo olha ae o que diz:
    "Investimento estrangeiro no Brasil sobe 40,3% no 1º tri, maior valor desde 2018"


    Bozo burro como fala, consegue ser melhor que a quadrilha do PT, saqueadores....economia anda melhor....estamos em crise.....dilma só aumentou imposto....bozo vem diminuindo....privatizaçoes ta lenta.....mas investimentos conseguiu atrair.......Os comunistas do STF e SENADO sempre atrapalhando......eu vejo gente detonando o bozo e ministros....PT ta muito a baixo do bozo....queria presidente melhor e ate ministros....mas voltar pra merda, da nao.....a merda diminuiu com bozo....nao resolveu tudo....mas antes isso aqui ja era venezuela....entao libertarios come o que tem pra janta...antes nem janta tinha....


  • Introvertido  05/07/2021 14:30
    Entre PT e Bozo, eu definitivamente prefiro Bozo, já que eu ainda preciso de tempo para arrumar as malas, e não quero ver o Brasil virando Argentina ou Venezuela antes disso, estagnado que tá já está melhor. 3° via é piada e só serve para ajudar á eleger governos esquerdistas, nem percam tenpo com Amoedo ou afins.
  • Revoltado  05/07/2021 18:26
    Somos dois, Introvertido!

    No atual cenário, praticamente temos só ele como não-canhoto. Nem mesmo o MBL serviria para contrapor-se ao progressismo vermelho.
  • Felipe  05/07/2021 14:20
    "Luciano Hang ataca reforma tributária: 'Se for para piorar, deixa como está'"

    A coisa está tão feia que até a FIESP está criticando o projeto. O Luciano Hang também está tecendo suas críticas. O Hang mencionou os sistemas tributário dos EUA e de outros países desenvolvidos.

    Alguém aqui sabe quando foi a última vez que o Brasil fez uma reforma tributária que não resultasse em um aumento na carga tributária?

    Essas abaixo são as duas melhores reformas tributárias:

    (1ª) Acabar com o estado (acaba os tributos);
    (2 ª) Demolir o sistema tributário atual e copiar o sistema menos ruim que há no mundo (ou simplesmente criar o sistema menos ruim de todos);
  • Sued  05/07/2021 16:55
    Até se copiar a Rússia fica melhor.
  • Introvertido  05/07/2021 17:54
    A primeira coisa que o governo brasileiro deveria fazer, caso fosse para tornar o Brasil um país de primeiro mundo, seria abandonal o real bananense e adotar uma moeda mais sólida como o Euro ou o Dólar - Dólar seria melhor, já que temos reservas suficientes -, isso tornaria os produtos estrangeiros bem mais acessíveis para os pobres. Para mim o ideal seria liberar todas as moedas para circularem por aqui, mas ai já estaria penetrando profundamente na "soberania nacional", como tanto pregam os naciobiloides.

    Currency board seria impossível também, seria adulterado em menos de 5 anos. Se bem que não adianta muita coisa falar sobre isso, do jeito que o Lula aparentemente está voltando, me faz pensar que os brasileiros na verdade não aprenderam nada de útil nesses últimos 10 anos, e são levados á creer em determinados políticos apenas por causa da emoção do momento... Espero que eu esteja errado.
  • Felipe  06/07/2021 00:44
    Seria certamente muito bom. O fato de adotá-lo como concorrente para a moeda doméstica (como é feito no Peru) já melhoraria muito, mas muito mesmo. O real iria se apreciar, por agora se tornar uma moeda conversível prontamente na moeda internacional de troca.
  • Emerson Luis  05/07/2021 14:37

    Por que não aumentam a carga tributária para 100% de vez? Ou melhor ainda: 110%?

    Dá até vontade de fazer uma trollagem: um "Projeto de Lei de Iniciativa Popular" propondo aumentar a carga tributária para 100% ou 110%, seria engraçado ver deputados esquerdistas e fisiológicos argumentando contra.

    O perigo é eles levarem a sério e aprovarem, esquecendo que é desaconselhável para o parasita matar o hospedeiro...

    * * *
  • Introvertido  05/07/2021 18:05
    Acho que seria o primeiro experimento assim no mundo, mas nem seria tão ruim caso fosse aprovado: Literalmente todos iriam se opor á esse projeto de lei, então de quebra já derrubariamos o Estado e estabeleceriamos uma nova constituição...
  • Jeferson Vasquez  06/07/2021 19:17
    Boa idéia essa! Se forem contra, foram manipulados e sairiam ridicularizados, se forem a favor, vão se matar por burrice e teimosia! Não teria saída pra eles!
  • Cada povo tem o rei que merece  05/07/2021 20:54
    Eu acho que o brasileiro merece tudo isso, e ainda é pouco. Ver metade do país querendo a volta do Lula e outra metade querendo mais 4 anos de Bolsonaro me faz perder as esperanças. Quem tem discernimento e entende a correlação entre causa e efeito é minoria, e aqui nesse shit hole está fadado a ser espoliado em decorrência da ignorância e leniência da maioria, que elege os políticos que temos.
  • Pobre Mineiro  06/07/2021 02:13
    O Brasil é o país do futuro, um futuro que nunca chega.

    Quem puder fugir, fuja enquanto ainda tem chance.
    Quem disser que ama esse país e por isso não vai fugir, eu espero que ame mesmo e não esteja esperando dias melhores.

    Declarações de saída definitiva do Brasil estão aumentando ano após ano, o que é um indicativo de que quem tem competência para fazer alguma diferença, vai fazer essa diferença lá fora.


    O Brasil virará uma terra de funcionários públicos, empresários fortemente ligados ao governo, aposentados, pensionistas, rentistas, gente sonhando com o seu líder messiânico no poder, etc...

    Duvida ?

    Onde estão as pessoas do seu círculo familiar e social consideradas inteligentes, estudadas, etc ... Onde elas estão agora? Ou são funcionários públicos ou estão em outro país ou estão se fudendo no Brasil, sendo que esses últimos otários estão diminuindo em número rapidamente.

    Não esperem muros serem erguidos, esse tempo felizmente já passou, os muros hoje serão os preços impágaveis das passagens, moeda fraquíssima, coronavírus, etc...

    Já era, as previsões são ruins mesmo, e não é pessimismo.
  • Introvertido  06/07/2021 15:54
    "O Brasil virará uma terra de funcionários públicos, empresários fortemente ligados ao governo, aposentados, pensionistas, rentistas, gente sonhando com o seu líder messiânico no poder, etc..."

    Mas já é, nosso próximo destino é virar a Argentina ou a Venezuela. Na melhor das hipóteses, irá ficar estagnado.
  • Felipe  07/07/2021 01:42
    Brasil tem 92 impostos diferentes. Eis a preocupação do governo federal: tributar cartinhas de Pokémon. Notícia:

    "STF proíbe Governo Bolsonaro de taxar cards Pokémon; entenda decisão"
  • Introvertido  07/07/2021 16:09
    Parece piada, mas é a dura realidade do Brasil...
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  07/07/2021 19:53
    Haha, estava precisando de um pouco de humor hoje... Até o Pikachu é alvo de achaque do estado bananense.
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  07/07/2021 21:22
    Pelo menos dessa vez o STF marcou uma. Poderia até render notícia no JN: "liga da justiça brasileira salva Pikachu de ser extorquido pela milícia bolsonarista".
  • Felipe  07/07/2021 14:39
    Diferença entre papel flutuante latino-americano e de país desenvolvido:

    Dólar americano/Euro: Ao longo de dez anos, oscilação de menos de 30 centavos.
    Dólar americano/Real brasileiro: Oscila 30 centavos em menos de um mês.

    Sorte a dos gregos...
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  08/07/2021 10:57
    Ultimamente, toda vez que vejo a cara do Paulo Guedes já imagino o antigo locutor da sessão da tarde anunciando um filme de comédia pastelão com ele como protagonista. "Na sessão da tarde de hoje um "chicaguista" atrapalhado e cheio de trambiques que vai acabar com seu dinheiro aprontando altas confusões!".
  • 4lex5andro  07/07/2021 20:02
    O país acabou, simples.
    No mais, boa sorte para o herói que conseguir um visto e um passaporte só de ida no aeroporto internacional mais próximo.
    Ou começar a estudar as melhores rotas para as fronteiras com Paraguai ou Peru, por ex.
  • Lucas  07/07/2021 20:45
    E ele não para...


    Guedes diz que dólar a R$ 5 favorece turismo no Brasil e beneficia famílias humildes

    (...)

    "Hoje, com dólar a R$ 5, as famílias humildes do Brasil inteiro estão se beneficiando", disse Guedes durante audiência pública na Câmara dos Deputados. "As famílias ricas, em vez de viajar para fora, estão viajando para dentro."

    (...)

    Guedes afirmou que, considerando o volume de exportações do Brasil nos últimos meses, o dólar "já era para ter afundado" no Brasil. Há pouco, a moeda americana à vista era negociada a R$ 5,2783 no mercado brasileiro.

    Guedes reconheceu, no entanto, que a cotação do dólar sofre influência da crise política. "Com esta confusão que estamos fazendo aqui…", disse o ministro. "Mas não critico. Democracia é barulhenta mesmo", acrescentou.
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  07/07/2021 21:29
    Turismo no Brasil? Turismo interno com o "fique em casa"? Acho que só Paris sozinha deve ganhar em uma semana o que o bananil não consegue ganhar em um ano com turismo... Esse cara virou comediante de vez...
  • Introvertido  07/07/2021 22:05
    Chicaguedes é muito teimoso, me pergunto se ele está ganhando algo com isso... Vai ver foi subornado pelo Lula para acelerar a queda do Bolsonaro.
  • Bolsodilma cirolulaguedes  07/07/2021 21:06
    dólar a 5.28 reecas

    geguedesajustado voltou a defender a taxacao. sobe doleta, afunda o pais

    m.br.investing.com/news/forex-news/dolar-atinge-r-528-em-reacao-a-reforma-tributaria-e-espera-da-ata-do-fed-890119
  • Introvertido  07/07/2021 21:54
    Caguedes provavelmente nem deve estar preocupado, já que obviamente deve possuir conta no exterior
  • Felipe  07/07/2021 23:22
    "Distribuidoras criticam proposta da ANP para mudar a revenda de combustível"

    O que pensam? Pelo que me parece, a ANP está propondo uma leve desregulamentação.

    Falando desse setor, o que poderia ser feito para reduzir os custos do gás de cozinha? Pelo câmbio eu sei que seria possível, mas não vamos esperar isso desse governo, cuja equipe econômica abertamente defende uma moeda fraca.
  • Rafael  08/07/2021 13:38
    Sim, a máfia dos atravessadores é das mais bem organizadas do país. A medida é boa, e por isso mesmo não passará.

    Preço do gás de cozinha é petróleo e câmbio, e os dois estão altos. Nada a se fazer.
  • Felipe  08/07/2021 22:22
    Gás de cozinha não seria gás natural?
  • Arthur  09/07/2021 00:58
    Não. O gás de cozinha tradicional é o GLP, gás liquefeito de petróleo. É o que você compra em botijão.

    Já o gás natural é fornecido a partir de encanamentos e costuma ter apenas em grandes cidades e em prédios mais modernos.



  • Bolsodilma cirolulaguedes  08/07/2021 15:00
    Sem aumento de produção, não tem como baratear gasolina, gás ou qualquer outra coisa. É a moeda que tá valendo menos.
  • Analista de Risco  08/07/2021 15:23
    Somente pelas desculpinhas esfarrapadas das representantes dos postos, entende-se que a proposta é boa para os consumidores.
  • Introvertido  08/07/2021 16:35
    Bem, ao que eu saiba existem 3 fatores que influênciam no preço do gás de cozinha:

    1: Câmbio;
    2: Valor do petróleo no nercado internacional;
    3: Regulamentações e concorrência no mercado de gás e petróleo.

    1°: Moeda está fraca;
    2°: Petróleo está caro em dólares;
    3°: Mercado de gás e petróleo extremamente regulado no Brasil.

    Então qualquer medida que vise desburocratizar é bem vinda, porém os efeitos das desregulações só virão no médio-longo prazo.
  • Felipe  08/07/2021 21:23
    "Câmara aprova projeto que cria debêntures de infraestrutura"

    O que vai mudar na prática, já que existe as chamadas debêntures incentivadas? Lendo o projeto, parece que eles tiraram isenções tributárias, se eu não tiver entendido errado.

    Será que assim teremos uma infraestrutura (um pouco) melhor?
  • David  09/07/2021 00:54
    Pelo que entendi, a empresa poderá deduzir do seu lucro um determinado porcentual dos juros pagos aos investidores. É um avanço.
  • Felipe  10/07/2021 01:09
    "Líderes de 9 partidos da 3ª via divulgam manifesto contra reforma tributária"

    Desse jeito, só o Guedes que vai apoiar o projeto maluco dele.

    Lendo o manifesto, chamou-me a atenção a crítica que eles fizeram de que isso na prática irá "aumentar os cofres públicos". Então eles seriam contra a postura chicaguista pró-arrecadação de impostos a todo custo?

    Há ainda várias entidades contrárias ao projeto.

    Só há duas possibilidades:

    - Ou o projeto de reforma tributária é tão bom que isso ameaçará grandes corporações, já que agora haverá menores barreiras institucionais à entrada de empresas;
    - Ou o projeto é realmente tão ruim que nem as grandes corporações concordam;

    Falando agora de caminhões, o que pensam desse projeto? Qual a diferença desse para aquele programa do Lula, o Procaminhoneiro?

    E outra: a Argentina vetou a proposta de redução da TEC (que era ínfima, apenas em 10 %). Brasil deveria sair disso.
  • Felipe  10/07/2021 02:12
    Já que hoje faz 89 anos que iniciaria a Revolução Constitucionalista de 1932, chamou-me a atenção este artigo da BBC falando sobre as cédulas emitidas. Isso que ocorreu seria uma espécie de protótipo da Teoria Monetária Moderna? Segundo este este artigo, o Banespa seria o emissor da moeda, através do governo paulista, que teria essa autonomia. Qual era o lastro dessa moeda?
  • Bolsodilma cirolulaguedes  13/07/2021 17:05
    Historicamente ocorreu o seguinte. São Paulo fez um esforço de guerra e pra não ficar dependente do governo do Getúlio Vargas, que São Paulo combatia, emitiu sua própria moeda, lastreada no ouro das doações em ouro que os paulistas favoráveis à causa deram ao governo paulista. Por isso, alguns historiadores dizem que São Paulo queria se separar do Brasil só porque emitiu sua própria moeda. Getúlio usou isso pra acusar os paulistas.

    Outra coisa que aconteceu e vocês podem chamar isso de guerra das moedas: São Paulo emitiu notas (cédulas) lastraedas em ouro dos paulistas, para que o comércio não ficasse dependente das moedas emitidas pelo governo central, e se tornar independente financeiramente. Normal.

    Getulinho, pra quebrar São Paulo, conhecendo a teoria da moeda, emitiu as mesmas notas paulistas (dinheiro falso) dentro do território paulista e em grande escala.

    O território paulista inundado por moeda emitida logo se tornou inflacionário. Na hora de trocar as cédulas pelo ouro, ele foi pro governo federal que emitiu essas cédulas falsas (demoraram pra perceber o golpe).

    Com isso, o ouro paulista, utilizado pra dar lastro à moeda paulista, foi transferido ao governo federal (o oponente) e a moeda paulista se tornou inflacionária pelo excesso de notas.

    Moral da história: os políticos conhecem a teoria da moeda de cor e salteado. Eles não aplicam porque não têm interesse em defender a população. O governo federal tinha interesse em destruir a moeda paulista. Foi uma das maneiras de enfraquecer o estado durante a guerra de 32. E deu certo.

    E você está certo: isso comprova que a TMM não funciona. Comprovadamente de acordo com a teoria da moeda, o excesso de emissão quebrou e economia de SP durante o período. Hoje em dia, essas moedas falsas de 32 são objeto de colecionador.
  • Apropriado  13/07/2021 17:57
    Sensacional! Não conhecia essa história, obrigado por compartilhar.

    Quem sabe como seria SP caso fosse livre dos tentáculos do governo central.
  • Bolsodilma cirolulaguedes  13/07/2021 19:03
    até hoje existe uma controvérsia sobre quem emitiu as moedas cédulas falsas, falsários normais e/ou getulistas.
    historiadores ligados a figura pública e defensores de Getúlio Vargas, defendem que o gov federal não emitiu dinheiro falso, sendo obra exclusiva dos falsários em território paulista.
  • o novo libertario   11/07/2021 18:14
    galera.....nao quero defender guedes.....mas vcs sabem se colocarem uma agenda liberal em Brasilia...Brasilia inteira mata esse suposto liberal....se guedes for realmente liberal....as massas...e os poderosos mafiosos como STF que recebe das rendas de trabalahadores e empreendedores++ os comerciantes .....eles nao gostaram..é menos dinheiro roubado pra sustentar eles e menos intervencionismo ...menos controle deles sobre o mercado....cara guedes tentou implementar a MP 1040 que facilita a vida do empreendedor ....agora se cria uma empresa em 1 dia..menos burocracia...e menos regulaçao...multava o empresario sem motivos as vezes....essa MP deixou o brasil entre os 100 melhores paises pra se investir....se os comunistas do STF e outros deixaram.....eu acho estranho tbm essa taxaçao pra cima de dividendos...mas se ele nao arrecadar...os mafiosos nao irao gostar....ele o GUEDES quis sair do cargo....é treta vc querer pagar de liberal....as vezes nem é liberal...mas sõ é um pouco liberal...isso é ruim pra as massas e pros mafiosos....eu sairia desse cargo facil facil....
  • anônimo  12/07/2021 18:35
    se voce deixa de propor algo porque em BSB vai haver chiadeira entao nunca ninguem vai apresentar qualquer coisa que seja
    apresente e se depois nao aprovarem voce fez a sua parte, no brasil pra dar o primeiro passo é tudo um grande parto, existem RIOS de desculpas pra justificar o marasmo que vivemos e nao fazer algo a respeito

    agora , o guedes ... esse cara so sabe encher a boca pra falar de imposto ... é imposto de dividendos, é imposto pra serviços digitais , é pra transaçoes ...

    tenho desgosto de ouvir a palavra liberal associada com esse
  • Felipe  12/07/2021 14:44
    Enquanto isso, no Equador...

    "Computadoras, cámaras digitales y equipo agrícola pagarán menos aranceles"

    O governo do Equador reduziu as tarifas de importação para computadores, câmeras digitais e equipamentos agrícolas.

    Mas não apenas isso: foram 667 itens contemplados, incluindo bicicletas, alimentos, peças automotivas e aparelhos respiratórios. Desses itens, 590 terão redução total nas tarifas, 27 com redução entre 15 e 25 %, 20 com redução em 10 % e 30 com redução em 5 %.
  • Felipe  13/07/2021 14:27
    Equador está em deflação de preços há 11 meses! (os EUA tiveram o índice de 5,4 % em junho)

    Vamos ver se nesse mês de julho o país fará aniversário de deflação...
  • Introvertido  13/07/2021 20:41
    Mas o que está causando essa deflação? Escassez de moeda?
  • Bolsodilma cirolulaguedes  14/07/2021 14:30
    Não, a economia equatoriana está dolarizada. Ela está estável há muito tempo. São os opositores, inclusive a imprensa, que ficam martelando que deflação é ruim. Eles querem o retorno da antiga moeda, expansão monetária e outros afins. Ficam martelando que a economia equatoriana está cambaleante.

    O único ponto ruim é que fiscalmente eles têm que se corrigir. Mas não chegam nem perto da situação horrível fiscalmente da banânia, que tem uma nota péssima no índice de liberdade econômica. Fiscalmente o Brasil tem uma nota de 2.2 em dez. Quanto mais perto de zero, mais perto do abate e falência do governo. O Equador ainda tá nos cinquinho. Países desenvolvidos estão acima de 7 e os dez primeiros do globo acima de 9.
  • o novo libertario  13/07/2021 11:37
    galera olha.....o que o bozo fez em relação aos gastos publicos:

    segundo G1 da globo,A fim de manter o acordo político que garante fartas emendas parlamentares, o governo optou por um Orçamento que faz a máquina pública rodar no fio da navalha.

    Sancionado com vetos no fim da noite desta quinta-feira (22), prazo limite para o presidente da República, o Orçamento deste ano levará a um corte de R$ 9 bilhões das despesas usadas para o funcionamento de programas e serviços prestados pelo governo.

    Na noite de quinta, ao falar sobre o tema, o presidente Jair Bolsonaro confirmou que corte "bastante grande", afetando todos os ministérios. "Todo mundo vai pagar a conta", disse. No entanto, foram preservados mais de R$ 17 bilhões em emendas.

    Os cortes foram necessários para o cumprimento da regra do teto de gastos, que limita o crescimento das despesas à inflação.

    Mesmo assim, o teto ainda corre riscos, e o governo terá que ser vigilante, segundo o diretor-executivo da Instituição Fiscal Independente, vinculada ao Senado, Felipe Salto.

    "O Executivo corre risco de shutdown", diz.

    As estimativas são as de que os valores livres para a máquina do governo funcionar fiquem entre R$ 80 e R$ 90 bilhões, patamar mais baixo dos anos recentes.


    Os gastos estao diminuindo em bilhoes.....cara.....to ate alegre com isso.....teto de gastos...otima ideia....ja começa a melhorar....
  • Introvertido  13/07/2021 16:06
    O teto de gastos realmente é bem útil, já que força os políticos á estagnarem o crescimento da gastança, mas se o Lula se eleger, provavelmente á primeira coisa que ele irá fazer será eliminar o teto, e se isso acontecer ocorrerá uma fuga de capital e investimentos em Banania, nenhum investidor será besta o suficiente para investir em um governo socialista que promete a volta da gastança em rápido crescimento.
  • Bolsodilma cirolulaguedes  13/07/2021 17:27
    feito impressionante, levando em consideração que ano passado o mundo parou e teve inflacao pra todo lado.
  • Felipe  13/07/2021 18:36
    "Relator propõe cortes em renúncias fiscais para reduzir IR das empresas"

    Renúncia fiscal é nada mais do que você deixar de pagar um imposto. Acabar com renúncia fiscal é a mesma coisa que aumentar imposto. Alguém realmente precisa explicar para eles que isenção e renúncia fiscal não têm absolutamente nada a ver com subsídio.
  • Introvertido  13/07/2021 20:55
    Guedes aparentemente irá modificar á reforma tributária, com possível redução do IR sobre empresas:

    Relator e governo negociam redução de IR sobre empresas

    Porém o governo não assinou também a alíquota mínima global? Não vejo como essa medida poderá durar no longo prazo, a não ser caso o Bolsonaro caia fora dessa proposta de alíquota mínima antes que ela entre em vigor.
  • Felipe  13/07/2021 23:35
    Embora o IRPJ seja de 15 %, há ainda outros impostos sobre a renda corporativa, que no total dão em 34 %. Na prática o imposto corporativo brasileiro é de 34 %.
  • Gustavo  14/07/2021 14:33
    A reforma tributária, graças às críticas, está despiorando bastante. Já se fala em IRPJ em 5%. A imprensa agora passou a falar, em tom acusatório, que a arrecadação do governo vai cair!

    Câmbio já melhorou bem.
  • Introvertido  14/07/2021 16:40
    Só sei que essa reforma, do jeito que tava, nunca iria passar, simplesmente porque não era interessante para o setor lobista, não é atoa que recebeu uma enxurrada de críticas.
  • Introvertido  14/07/2021 16:51
    Seria interessante ver o instituto fazendo um artigo que explique um pouco sobre o Equador atual, aqui sempre há artigos falando sobre países que estão se tornando socialistas, porquê não criar um artigo que trata inteiramente de falar sobre os países que estão entrando no caminho correto?
  • Felipe  14/07/2021 22:34
    No dia de hoje, 14, o Banco Central de Chile decidiu elevar a sua taxa básica de juros de 0,5 para 0,75 %, aumento de 25 pontos base, primeira elevação de juros desde o fim de 2018.

    O índice de preços chileno marcou 3,8 % no mês de junho (acumulado dos últimos doze meses), sob um cenário de preços internacionais do cobre em recorde histórico, principal pauta de exportação do país (quando o cobre encarece, normalmente o peso chileno se valoriza).
  • Felipe  17/07/2021 16:36
    [www.noticiasagricolas.com.br/noticias/hortifruti/292769-conab-verifica-queda-de-precos-das-hortalicas-nos-principais-mercados-atacadistas.amp.html]"Conab verifica queda de preços das hortaliças nos principais mercados atacadistas"[/link]

    Segundo os keynesianos, isso é um absurdo e então o banco central precisa imprimir dinheiro para não ter deflação de preços.
  • Felipe  22/07/2021 00:16
    Pessoal, o que na prática vai mudar com esse decreto do Biden, alegadamente pró-concorrência? Pelo que vi, mais parece aquelas leis anti-truste que, de pró-concorrência, não possuem nada.

    Apesar de vários pedaços ruins (como um que parece que quer restaurar a tal da "neutralidade da rede") alguns trechos interessantes, entre eles:

    - Um que permitirá a venda de aparelhos auditivos (para surdos) sem precisar de prescrição;
    - Alguns se referindo a limites ou banimentos em licenças de profissões, para aumentar a competição laboral e permitir maior mobilidade de mão de obra;


    Meu Inglês não é muito bom, então eu posso estar entendendo errado essa lei dele.
  • Bolsodilma cirolulaguedes  22/07/2021 14:10
    um corteZinho de burocracia bem inócuo.
    Se fosse um pacote de cortes bem generoso, já estaríam discutindo o valor da moeda, o dollinho, que estaria valorizando por causa disso.

    m.br.investing.com/analysis/e-o-dolar-reverteu-a-alta-200443467
  • Introvertido  22/07/2021 17:23
    Eis os principais pontos do artigo:

    1) Irão reforçar às leis antitruste, o que claramente denota uma política mais agressiva do Biden contra às multinacionais.

    2) Irão criar um "Conselho da competição" na casa Branca, o artigo não explica para que irá servir esse conselho, só um monte de blablablá, de que isso irá "elevar á concorrência" e outras abobrinhas, mas até onde eu vi tal conselho aparentemente irá comandar às agências reguladoras americanas, isso significa que o poder regulatório irá se centralizar mais nas mãos do governo federal.

    3) Estabeleceram diversas metas para às agências reguladoras, infelizmente o artigo não às explica detalhadamente, e são utilizados diversas explicações vagas que mais parecem propaganda barata do governo, mas aparentemente envolve alguma desburocratização - desburocratização essa que será em apenas em alguns setores, enquanto outros se tornarão mais burocráticos e regulados -, aumento de subsídios para agricultures e ajuda financeira do governo para importações de medicamentos do Canadá.

    4) O governo irá tentar reestabelecer a batata da neutralidade de rede.
  • Introvertido  22/07/2021 17:43
    Esqueci de citar algumas medidas interessantes:

    O governo irá tentar proibir às cláusulas contratuais que estabelecem que o empregado não possa se mudar para una empresa concorrente. Apesar de parecer ser uma medida positiva em uma análise á primeira vista, eu ainda estou bastante curioso sobre ela, afinal:

    Nenhuma empresa teoricamente seria capaz de restringir seu empregado de ser contratado pela empresa concorrente em um livre-mercado, logo, como será que atualmente elas são capazes disso? Será que existe uma lei no Estados Unidos que obriga tanto os empregados como os empregadores á obedecerem cláusulas contratuais?

    Outra medida interessante é a iniciativa de eliminar às licenças para ocupações profissionais, que na prática servem apenas para garantir reserva de mercado e salários altos para profissionais cujos setores do mecado de trabalho bnecessitam de licença para exerce-las.
  • Felipe  22/07/2021 01:52
    Uma coisa que me deixa impressionado é que o Taiwan pode ter sido um dos países que menos sofreram com o coronavírus no mundo (não sei se lá houve lockdowns). O país cresceu mais até do que a China. A moeda deles, o novo dólar taiwanês, até que é decente e a sua taxa cambial está em valores próximos aos de junho de 1997. Ela existe desde 1949 e flutua desde 1972. Os índices de preços não devem muito a países como Suíça. As taxas de crescimento do país são bastante altas. O país, que já tem uma alta renda, apesar disso, cresce mais do que o próprio Brasil.

    Se não houvesse o maoísmo, a República da China continuaria na atual China. Nesse ponto, seria então essa hipotética China os "Estados Unidos da Ásia"?
  • Introvertido  22/07/2021 22:39
    O povo Chinês é trabalhador, são poupadores por natureza, e possuem uma possuem um longo, porém próspero, passado, é mais que natural que um país desse se torne rico, se o comunismo não tivesse penetrado nesse país, á China provavelmente já seria uma superpotência á muito tempo. O fato de Taiwan e Hong Kong estarem prosperando demostra isto.
  • Felipe  26/07/2021 21:21
    "Subsídios somaram R$ 347 bilhões em 2020, e governo pretende cortar à metade"

    Pela manchete, dá a entender que são subsídios de fato, mas o jornal está considerando isenções e desonerações subsídios, o que definitivamente não são. Subsídio é dar dinheiro roubado para um setor determinado; deixar de ser roubado não é subsídio.

    Essa lista abaixo (da própria notícia) é que me chamou a atenção:

    "TOP 10
    Eis a lista dos maiores gastos tributários da União (em bilhões):

    1. Simples Nacional: R$ 73,408
    2. Rendimentos Isentos e Não Tributáveis – IRPF: R$ 33,052
    3. Desoneração Cesta Básica: R$ 32,636
    4. Zona Franca de Manaus e Áreas de Livre Comércio: R$ 31,085
    5. Entidades Sem Fins Lucrativos – Imunes / Isentas: R$ 28,010
    6. Deduções do Rendimento Tributável – IRPF: R$ 21,873
    7. Benefícios do Trabalhador: R$ 13,904
    8. Medicamentos, Produtos Farmacêuticos e Equipamentos Médicos: R$ 13,752
    9. Desenvolvimento Regional: R$ 11,518
    10. Desoneração da Folha de Salários: R$ 8,739"


    Dessa lista acima, quais são subsídios de fato? Paulo Guedes é chicaguista, portanto ele vai aumentar impostos, como já fez, acabando com deduções e tributando até questão da férias.
  • Introvertido  26/07/2021 23:44
    Não entendo, o governo gasta bilhões operacionalizando às medidas de isenções de impostos á determinados impostos, ou deixa de arrecadar bilhões devido á tais isenções de impostos?
  • Bolsodilma cirolulaguedes  27/07/2021 14:16
    "Cria-se dificuldade pra vender facilidade".

    Primeiro se cria uma rede de burocracia (pra pagar salário absurdos aos burocratas). Pra bancar tudo, uma rede de impostos impagáveis. Depois se dá "desconto" para os que ajudarem os políticos. Os que não entram na panela bancam os impostos ou fecham operando no vermelho.

    Existe esse esquema, mas também o subsídio real que é quando um setor paga um absurdo de imposto (como os games, que são pela hora da morte) e outro recebe grana diretamente repassada. Isto é, além de pagar menos imposto, ainda recebem dinheiro por algum canal do estado (o crédito rural, por exemplo, que muitas vezes estimula a tomar empréstimo, para mais a frente requerer perdão da dívida, isto é, nem pagam e tomam outros empréstimos ad infinitum).
  • Introvertido  27/07/2021 16:29
    Acho que eu não me expressei bem, eu estava me referindo á lista dos "maiores gastos tributários" colado aqui pelo Felipe, que incluiu isenções para determinados setores, e calculou supostos "gastos" com tais isenções, isso me deixou confuso, já que tais gastos são absurdos demais para ser verdade, e provavelmente é só uma mal-colocação do autor do artigo.
  • Bolsodilma cirolulaguedes  27/07/2021 18:12
    Liga não, é bagunça mesmo. Subsídio é receber dinheiro do governo; o governo repassa pra você o dinheiro dos outros. Desoneração é o governo dizer que vc deve 10 e cobrar nove em impostos.

    Você que paga menos impostos obviamente fica em melhor situação que o que paga mais. O gov pratica uma redistribuição de renda. Mas o governo conta o subsídio e o imposto que ele deixou de cobrar como perda.
  • Analista de Risco  27/07/2021 20:36
    Introvertido

    Seria a segunda opção.
    Não são desembolsos de recursos públicos de fato, somente renúncias fiscais, ou seja, é apenas uma estimativa de quanto o governo arrecadaria, ceteris paribus, caso a medida de isenção não estivesse em vigor.
  • Introvertido  27/07/2021 22:07
    Será que esses supostos "gastos" estão apenas como demostração nessa lista, para mostrar quanto o governo deixa de arrecadar devido tais desonerações, ou essa estimativa de fato é contabilizada como "gasto público" no orçamento da união? Se sim, só posso dizer que não faz qualquer sentido, já que o governo apenas deixou de arrecadar, ele nunca gastou batata alguma. Não faz qualquer sentido dizer que desonerações causam déficit para o governo, sendo que ele nunca gastou nada em primeiro lugar.
  • Bolsodilma cirolulaguedes  01/08/2021 20:54
    O governo, arrecadando ou não, acaba "gastando" mesmo assim. Atualmente ele gasta 11 por cento do PIB acima do que arrecadou. O nome disso é déficit.

    E claro, se o governo não desonerasse, esses 400 bilhões arredondados, ao entrar na arrecadação, diminuiriam o déficit, vistos que na conta é gastos menos impostos. E isso é o que defendem os gastadores do governo: que o déficit seria menor se o governo não fizesse desonerações. Nunca pensaram em gastar menos (gastar menos é o que não querem).

    A lógica deles é gastar os tubos e, se o governo se endividar cada vez mais pelos gastos extras, botam a culpa no povo que não quer pagar mais impostos
  • Ulysses  01/08/2021 20:57
    Se o governo arrecadasse os R$400 bilhões em desonerações, a economia estaria arrebentada. Apenas imagine: R$ 400 bilhões a menos nas mãos de produtores, investidores e consumidores, e R$ 400 bilhões a mais nas mãos de políticos, burocratas e toda a máquina estatal? Já estaríamos em níveis venezuelanos.

    www.mises.org.br/article/3006/ciclo-nefasto-a-economia-cresce-o-governo-gasta-e-os-gastos-do-governo-depredam-a-economia
  • Felipe  30/07/2021 23:03
    "Lula se manifesta contra taxar grandes fortunas"

    Mais interessante é esse trecho abaixo da notícia:

    "'O problema não é taxar as grandes fortunas, porque você pode taxar as grandes fortunas e ela voarem pra outro país. Eu lembro que a França taxou as grandes fortunas e muitos empresários foram embora. O problema é ter uma política de imposto de renda que seja justa, que as pessoas paguem de acordo com o que ganham', advertiu."

    Lembro de um comentário do Leandro em um dos artigos, de quando ele diz de que o Lula é menos perigoso que o Ciro, porque o Lula admite não saber de Economia e indica alguém que saiba algo, ao contrário do Ciro que se acha o sabichão de Economia. Acho que ele tinha razão nessa também.

    Parece que o Lula está lendo artigos e comentários do IMB...
  • Introvertido  31/07/2021 14:32
    Lula não é burro, mas sim um baita de um fi#@# da @#$&, são coisas diferentes. Esse trecho, aliás, que você trouxe á tona, mostra bem isso, o sujeito disse que não é bom taxar grandes fortunas porque os ricassos acabam fugindo do país, logo o ideal seria um imposto que não empobrece e nem enriquece, um imposto que faz á economia ficar estagnada, e onde o parasitismo e os programas sociais reinam.

    Mas o diferencial é este mesmo: Lula sabe cativar o coração dos iludidos, já Ciro diz que tem poderes mágicos que atraem abundância, algo que só engana os mais tolos e inocentes.

    Se o Lula está lendo IMB, só posso sentir tristeza em pensar em tal hipótese, já que ele estará descobrindo novas táticas para enganar às pessoas, psicopatas sempre serão psicopatas.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.