clube   |   doar   |   idiomas
A agenda climática da ONU é tão extremista, que até seus próprios analistas não conseguem defendê-la
Os cientistas reconhecem que não têm argumentos, apenas palpites

Aqueles que propõem agressivas intervenções governamentais em nome da luta contra "as mudanças climáticas" sempre gostam de posar de defensores do "consenso científico", e ainda rotulam de "negacionistas" qualquer um que discorde de sua agenda.

Obviamente, tal rótulo acarreta toda uma série de adjetivos pejorativos sobre o alvo, o que serve apenas para interditar totalmente qualquer debate.

Entretanto, a realidade é que a literatura econômica avaliada por especialistas e revisada por pares (peer-reviewed) jamais chancelou as mais populares metas das Nações Unidas, como a de limitar o aquecimento global em 2,0ºC, e muito menos o teto mais estrito, de 1,5ºC.

Em 2014, utilizei o mais recente relatório da própria ONU — o Painel Intergovernamental Sobre Mudanças Climáticas (IPCC) — para apresentar este argumento. Já o vencedor do Nobel de 2018, William Nordhaus, possui um carreira em modelagens climáticas (seu prêmio Nobel foi exatamente por "integrar as mudanças climáticas na análise macroeconômica de longo prazo") que não chega nem perto de defender as agressivas metas da ONU.

Recentemente, surgiu mais um exemplo. E este é poderoso. Como será demonstrado abaixo, uma das principais autoras do "Relatório Especial" da ONU em defesa da meta de 1,5ºC é também co-autora de uma monografia de 2018 que admite que tal meta é difícil de ser justificada.

Isso deve ser estarrecedor para os mais ingênuos que supõem que "a ciência e todos os cientistas" apóiam as metas de temperatura da ONU. O fato é que, como este exemplo demonstra, a nova meta da ONU é tão extrema, que é difícil até mesmo para seus simpatizantes criarem uma maneira de tentar justificá-la por meio de análises econômicas convencionais.  

As credenciais de Rachel Warren

Para contextualizar: no segundo semestre de 2018, o IPCC da ONU publicou um Relatório Especial que apresentava várias sugestões de como as autoridades políticas poderiam (tentar) alcançar a meta de limitar o aquecimento global a 1,5ºC. O terceiro capítulo do relatório resumiu as mais recentes pesquisas econômicas que já haviam sido publicadas desde o último relatório do IPCC (o Quinto Relatório de Avaliação do IPCC).

Rachel Warren, do Tyndall Centre for Climate Change Research (localizado na Universidade de East Anglia, no Reino Unido), é uma das principais autoras do capítulo. Adicionalmente, ela foi também co-autora de pelo menos quatro das publicações citadas no capítulo.

Eis um excerto de sua biografia:

Rachel Warren é Professora de Mudanças Globais e Biologia Ambiental do Tyndall Centre for Climate Change Research, Universidade de East Anglia, Reino Unido.

Sua pesquisa se concentra na produção de políticas científicas relacionadas às mudanças climáticas e à sustentabilidade. Um recente enfoque específico tem sido o de quantificar os impactos das mudanças climáticas que podem ser evitados por uma redução oportuna e antecipada das emissões de gás causadores do efeito estufa, em particular em relação aos riscos para a biodiversidade. Ela foi uma das principais autoras e coordenadoras do 5º (2014) Relatório de Avaliação do IPCC, e principal autora do 4º Relatório, o qual foi laureado com o Nobel da Paz em 2007. Atualmente, ela é a principal autora do Relatório Especial do IPCC sobre o aquecimento de 1,5ºC. Ela já produziu mais de 70 publicações revisada por pares e mais de 40 relatórios científicos a pedido de governos.

[...]

Sua formação e seu histórico acadêmico são em física e em ciências naturais pela Universidade de Cambridge. Após completar seu Ph.D., ela se interessou por ciências atmosféricas e rapidamente se tornou envolvida em relevantes pesquisas políticas na área, um propósito ao qual ela permanece comprometida até hoje. Ela já auxiliou na criação de políticas de desenvolvimento nacionais, européias e internacionais relacionadas a combater a exaustão do ozônio estratosférico, a deposição ácida ("chuva ácida"), a eutrofização e (desde 2002) as mudanças climáticas.

Em particular, seu trabalho anterior na NOAA Environmental Research Laboratories forneceu evidências sobre a aceitação ambiental de substitutos do CFC, levando à inclusão de fluorocarbonos no Protocolo de Kyoto, o que fez com que ela fosse a vencedora do prêmio NOAA Aeronomy Laboratories Outstanding Scientific Paper.

Como a descrição acima deixa bastante claro, não se trata de uma "negacionista", muito menos de uma "lacaia das grandes petrolíferas" — como os ambientalistas normalmente se referem a quem discorda deles. Muito pelo contrário: Warren é uma das principais lideranças entre aqueles cientistas que se ocupam de formular políticas e apresentá-las aos governos, para que estes então intervenham no mercado com o intuito de reduzir as emissões das indústrias.

A monografia co-escrita por Rachel Warren sobre a economia das metas climáticas da ONU

Dado o seu histórico, é extremamente revelador constatar que Warren (e co-autores) apresentou, em 2018, uma monografia intitulada "A Economia de uma Mudança Climática de 1,5ºC". Como eu sempre soube quão absurda (dado o padrão de suposições que são feitas em modelagens) era esta mais recente meta da ONU, eu estava curioso em ver como Warren e seus co-autores poderiam tentar justificar isso.

O leitor certamente apreciará meu espanto quando li as duas primeiras frases do Sumário da monografia:

O argumento econômico para se limitar o aquecimento a 1,5ºC é falho e duvidoso, devido a múltiplas incertezas. Entretanto, não se pode descartar que a meta de 1,5ºC passa no teste do custo-benefício.

Dizer o quê? Sensacional. Acredite ou não, os autores — inclusive aquela que é principal autora dos Relatórios Especiais da ONU que aconselham governos a como se manterem dentro do limite de 1,5ºC — estão argumentando que, dado que eles entendem muito pouco sobre esta área, a meta da ONU, até onde eles sabem, até possui algum sentido econômico.

Eu realmente recomendo ao leitor mais cético ir adiante e clicar na monografia para ler a frase acima no contexto original. Estou sendo totalmente justo e imparcial.

Seria este o tal "consenso científico" irrefutável que, segundo os ambientalistas, dá sustentação a toda a agenda de intervenções estatais sobre a economia produtiva em nome de se "combater as mudanças climáticas"? Se é assim, então, no mínimo, toda a aquela tese sobre tributar emissões de carbono, que já era insensata, se torna ainda mais frágil do que já parecia.

Quando a acusação vira a defesa

Para os ambientalistas, todo o necessário para fazer com que tudo fique bem é entregar o controle da economia mundial para os planejadores centrais dos governos. Bastaria o governo acionar suas engrenagens e elas automaticamente farão tudo com assombrosa precisão para preservar o status quo climatológico.

Os custos de tal empreendimento — sejam eles mensurados em dinheiro, vidas humanas ou conforto humano — seriam irrelevantes, pois, segundo eles próprios, a única alternativa é a total destruição do planeta Terra.

Só que essa postura do "faça o que eu digo ou você vai morrer" tem de ser muito bem sustentada por argumentos científicos. No mundo real, onde cabeças mais racionais tendem (ocasionalmente) a prevalecer, os custos de qualquer ação governamental devem ser comparados aos custos das alternativas. Mais ainda: o ônus da prova recai sobre aqueles que querem a intervenção estatal, já que seus planos dependem do uso da violência do estado para impingir o cumprimento das ordens propostas.

Por exemplo, estas três perguntas têm de ser irrevogavelmente respondidas:

1) Qual é o custo do seu plano para as várias populações do planeta, em termos de vidas humanas e de padrão de vida?

2) Os custos do seu plano são maiores ou menores do que os custos de outras soluções, como a realocação gradual de populações que vivem em áreas costeiras (as quais, dizem, ficarão submersas em decorrência do aquecimento global)?

3) Você seria capaz de demonstrar que o seu plano tem uma alta probabilidade de dar certo? Se a resposta for negativa, por que deveríamos implantar o seu plano em vez de usar os mesmos recursos em outras soluções mais práticas e em necessidades mais imediatas, como água potável, alimentos, e necessidades básicas?

Como nunca apresentaram respostas para tais perguntas, os ambientalistas passaram a recorrer a uma resposta-padrão: eles afirmam que a "máquina de ofuscação" criada pela direita inventa estas "incertezas" com o único intuito de protelar as necessárias ações a serem tomadas contra as mudanças climáticas.

Em outras palavras, os ambientalistas sempre disseram que a direita recorre ao argumento de que "há muitas incertezas no debate" para evitar aceitar, sem nenhuma crítica, a imposição de toda a agenda ambientalista — a qual exorta os governos mundiais a regularem absolutamente todos os aspectos da nossa vida (desde leis de zoneamento e eficiência energética dos automóveis até o que devemos comer e qual deve ser o tamanho máximo das famílias), tudo em nome de "reduzir as mudanças climáticas". Já houve até uma campanha para "reduzir" a população da África.

E, no entanto, como demonstra este último episódio, o jogo virou. Agora, a incerteza subitamente se tornou o principal argumento a favor dos ambientalistas.

Como a própria Rachel Warren — uma das principais autoras de vários importantes relatórios do IPCC — e seus co-autores argumentaram em uma monografia de 2018, é exatamente essa incerteza (que agora está do lado dos ambientalistas) o que mantém viva a possibilidade de que a mais recente meta climática da ONU talvez possa passar no teste do custo-benefício.



autor

Robert P. Murphy

é Ph.D em economia pela New York University, economista do Institute for Energy Research, um scholar adjunto do Mises Institute, membro docente da Mises University e autor do livro The Politically Incorrect Guide to Capitalism, além dos guias de estudo para as obras Ação Humana e Man, Economy, and State with Power and Market.  É também dono do blog Free Advice.



  • Juliano  24/09/2019 19:43
    A agenda climática da ONU nada mais é do que uma (muito mal disfarçada) desculpa para confiscar e redistribuir riqueza.
  • Humberto  24/09/2019 19:49
    Redistribuição e uma completa tomada de poder.
  • Guilherme  24/09/2019 19:52
    Sim, e sempre lembrando que quem financia aquela psicopata da Greta Thunberg é o George Soros.
  • Daniel  24/09/2019 19:57
    Só o olhar daquela criatura já mete medo. Que ela tenha uma legião de fãs é absolutamente estarrecedor.
  • Yuri  24/09/2019 19:58
    Você sabe que o mundo enlouqueceu quando uma criança de 14 anos financiada por Soros passa a ser vista como a encarnação de todas as virtudes e verdades científicas.
  • Alan G.  24/09/2019 19:58
    Resumo sobre Greta Thunberg:

    1. Ativistas da One Foundation (Soros) aliciaram a criança para seus projetos.

    2. O aliciamento se torna mais grave porque ela tem transtornos psiquiátricos (Asperger).

    3. "Coincidentemente", ela não ataca a China, a maior poluidora mundial.
  • Pobre Mineiro  24/09/2019 20:05
    Asperger eu também tenho, hoje eu sou meio lélé de tanto tomar Ritalina quando era criança.
  • Gustavo A.  25/09/2019 14:46
    O Paulo Kogos também tem Asperger
  • Túlio  24/09/2019 19:48
    Essa gente está completamente insana. Agora têm a audácia de acreditar que podem controlar a temperatura do planeta para daqui a cem anos. Não acertam nem a temperatura de amanhã na Praça da Sé, mas juram que sabem qual será o nível dos oceanos em 2119 e qual será o temperatura exata do planeta.
  • Lucas  24/09/2019 19:49
    Sim, e sempre lembrando que quem financia aquela psicopata da Greta Thunberg é o George Soros.
  • Historiador  24/09/2019 19:54
  • Carlos Alberto  24/09/2019 20:04
    Hahaha, e o gênio previu isso em 2009! Nem pra dar um espaçozinho maior...
  • Régis  24/09/2019 19:56
    Se eu tivesse a certeza de que o mundo acabaria daqui a duas décadas (como tem os ambientalistas), eu estaria vivendo a vida adoidado agora. Como sei que isso não vai acontecer, sou obrigado a manter minha disciplina monástica (acordar, trabalhar e sustentar a família).
  • Bernardo  24/09/2019 20:00
    Não só você, mas todo mundo. O que aliás mostra que essa própria gente não se leva a sério. Você realmente acha que se progressistas tivessem certeza do fim do mundo eles não estaria desde já vivendo la vida loca? Logo eles que não se preocupam com nada de longo prazo (um vício reacionário)?
  • David  24/09/2019 20:03
    Qual a surpresa? Essa tal "agenda climática" da ONU sempre se baseou em dados fraudulentos (lembram daquele cientista da East Anglia que admitiu fazer "truques" para alterar os dados?) e sempre teve o desejo explícito de colocar todos os setores produtivos do mundo sob controle centralizado. O próprio objetivo declarado da ONU sempre foi esse: centralizar e controlar.
  • Sinantropia  24/09/2019 20:14
    Por isso fecho com a China, está nem aí pra ONU.
  • Pobre Mineiro  24/09/2019 20:57
    Quem leva a ONU a sério são os países onde a esquerda progressista domina, como os países europeus ocidentais, e republiquetas que se espelham nos progressistas europeus, como o Brasil.

    De resto ninguém liga para a ONU, nem ditadorzinho de país de "quinto mundo".
    Como dizia Collin Powell durante o governo Bush quando os EUA iam invadir o Iraque sem o aval da ONU: "A ONU é irrelevante" - disse ele na época.
  • Wesley  24/09/2019 23:45
    Teve uma garota que virou marionete, senti pena dela. O que vocês acharam do discurso do presidente na ONU? Será que vai nos afetar?
  • Imperion  27/09/2019 15:45
    O que tem peso na afetacao do brasil nos priximos anos é a pessima nota da situação fiscal e a pessima nota da gerencia institucional brasileira, as duas piores notas do brasil em seus problemas economicos. :2.2 e 3 .3 de 10 respectivamente. O ideal é 10 mas a situação fiscal atual joga o pais na falencia final do pais e a nota 3.3 das instituições politicas mostran que nao estao nem ae. Aliás e essa falencia inatitucional que ta gerando a pior nota fiscal.
    Em suma , nossos problemas internos vao dar o golpe final na federação, e é dificil dizer o que vai sobrar desse pais depois.
    O brasileiro nao sabe, mas os paises estao de olho nesses indicadores ruins, ja estao antevendo as previsoes pro brasil em caso de falencia real, um separarismo, com quem ficara a amazonia, intervirem como no caso da.croacia, que numa situação ruim perdeu metade do território pra russia.
    Em suma os outros paises tao jogando contra o governo ja parasitando de acordo com seus interesses futuros, causando estabilidade que ja estava ruim sem eles. Se o Bolsonaro nao souber levar , vai ser no governo dele essa situação pior
  • Vladimir  25/09/2019 00:52
    Eu fui ler a monografia e a coisa fica ainda melhor.

    No terceiro parágrafo:

    "It is not easy to provide a clear answer to the question of whether the benefits of the 1.5°C target exceed the costs, for two basic reasons. The first is uncertainty about the costs and benefits of mitigating climate change (2–4). This uncertainty is particularly acute when it comes to evaluating the1.5°C target. Estimates of the cost of meeting the 1.5°C target are just beginning to emerge.

    And whether one tackles the question by estimating the net benefits of allowing a further 0.5°C warming beyond the 1°C that the planet has already warmed, or by estimating the net benefits of reducing warming by 0.5°C below 2°C, the signal is likely to be small in relation to the noise of the climate system (5)—and the economy for that matter.

    The second reason is that CBA [cost benefit analysis] of climate change is contentious. The opposing views of Stern (6) and Nordhaus (7) exemplify this well, although the literature has become large and the debating points more numerous (8). CBA of climate change requires a series of methodological choices to be made, some of which have an ethical or otherwise philosophical character (9, 10), where economics can provide limited guidance."


    Ou seja, estão dispostos a acabar com as economias e manter toda a confusão apenas em nome da "possibilidade"...
  • Carlos Brodowski   25/09/2019 00:56
    Ha alguma prova de que o objetivo de limitar o aquecimento a 1,5ºC sequer pode ser alcançado com as medidas propostas? Pelo que acompanho (não sou especialista, apenas um grande curioso do assunto), parece que todo mundo apenas dá como fato consumado a capacidade divina dessas pessoas de realmente regular as temperaturas do planeta....
  • Marco Flávio  25/09/2019 01:10
    É perfeitamente possível sim. Basta todo mundo abandonar a civilização industrial e voltar a viver como se vivia no século XV. Ou então, melhor ainda, devemos voltar para dentro das cavernas. Lá a vida era ótima.
    Aí é garantido que a mãe terra irá sobreviver.
  • Kevin  25/09/2019 01:13
    Já li opiniões dizendo que eliminar combustíveis à base de hidrocarbonetos não teria nenhum efeito mensurável sobre as temperaturas globais. Os dados crus são difíceis de serem corretamente interpretados, e os dados ajustados são pouco confiáveis.
  • Dane-se o estado  25/09/2019 04:48
    Meu caro colega, apenas faça um favor para si e assista esse vídeo e compartilhe:

  • Dane-se o estado  26/09/2019 22:14
  • Victor Quintao  25/09/2019 02:14
    Esses cientistas (Trofim Lysenko era o líder) chutaram que o plantio de trigo na União Soviética deveria ser feito sem espaçamento entre as plantas, para obter uma maior produção...1932, fome na União Soviética por causa das péssimas colheitas de trigo que foram agravadas por erros no plantio....Esses cientistas chutaram que a eugenia racial era necessária para o progresso da humanidade...Década de 40, holocausto....Esses cientistas acusaram os pardais de consumirem toda a produção de grãos chinesa e que estes deveriam ser abatidos a qualquer custo...Década de 50, fome na China ocasionada pela destruição das safras...o pardal consumia a produção mas também controlava a população de outras pragas igualmente ou mais danosas...
  • Dane-se o estado  25/09/2019 04:43
    O totalitarismo descarado e explícito, baseado em achismo "científico" e histeria de massa! O objetivo disso é controle total da economia, ditadura, centralização e corporativismo ainda mais ferrenho. Essa organização imunda chamada ONU precisa ser parada.
  • Renato  25/09/2019 06:03
    Nessas horas eu vejo que o libertarianismo caminha bem próximo do conservadorismo, um complementa o outro. Ao contrário do progressismo que distorce os valores e sistemas gerando brechas para a corrupção dos indivíduos e criando ideologias nefastas em prol de grupos em busca de poder e imposição de idéias. Mas que o planeta está poluído, principalmente com plásticos e produtos químicos, isso eu não tenho dúvida. E nenhuma lei irá resolver. É adoção de valores adequados desde criança e principalmente o livre mercado é que dará uma solução para problemática do lixo. Tem país importando lixo para incenerar e gerar energia. Não percebem que o custo de despoluir é muito maior. Talvez seja assim porque é o Estado quem controla o saneamento básico na maioria dos países. A Índia por exemplo, parece um lixão a céu aberto.
  • Rafael  25/09/2019 10:11
    Isso pra mim é religião. Os caras fazem uma reunião pra decidir quanto será a temperatura do planeta no futuro. É muita onipotência. Só em ambientes religiosos se vê isso. Cada religião tem o seu apocalipse. O mundo sem Deus e cheio de culpa do europeu contemporâneo só podia dar nessa versão pseudocientífica "nós somos maus e merecemos sofrer" de apocalipse.
  • Intruso  25/09/2019 11:00
    Espero de coração que os negacionistas do aquecimento global estejam totalmente certos, pois do contrário estaremos todos nós habitantes do planeta e suas futuras gerações terrivelmente encrencados. Na verdade desde quando começou essa retórica de aquecimento climático na década de 90, os mercados ignoraram completamente, pois a produção de petróleo passou de 80 bilhões de barris por dia para mais de 100 bilhões atualmente. A produção de gás natural aumentou exponencialmente, a produção de carne bovina idem. Enfim, o mercado e as pessoas estão dando uma enorme "banana" para os cientistas, e como disse, espero que eles estejam errados, pois do contrário...
  • Thiago  25/09/2019 14:58
    Eu já espero que realmente tenhamos o aquecimento global, pois pelo andar da carruagem, uma nova mini era glacial está chegando, o sol que é o maior controlador do clima no planeta, está em sua mínima de séculos... Calor é vida, CO² é vida!
  • Estado o Defensor do Povo  26/09/2019 00:54
    Muito complicado isso, os argumentos à favor do aquecimento global são bem fortes, muito debatidos e testados pelos cientistas exaustivamente.
    Mas se tu ver os argumentos contra o aquecimento global, dá pra acreditar também, então seilá em quem acreditar, eu já taquei o foda-se pra essa poha, se não tiver aquecimento ,legal; se tiver, tô de boa também, virei um sem opinião pra esse negócio.
  • Dane-se o estado  26/09/2019 22:20
    O argumento pró aquecimento global é tão merda, que se quer tem estatus de teoria científica, não passa de uma hipótese, que exatamente por não apresentar evidências para se tornar uma teoria científica é nada mais que uma hipótese.

    E a quantidade e qualidade de argumentos contra é imensamente maior e todos baseados em evidências reais.



  • Dane-se o estado  26/09/2019 22:26
    Nenhum argumento pró aquecimento global foi testado! Isso é impossível. Todas as previsões feitas sobre os efeitos climáticos foram erradas e não se concretizaram. Não existe teste de hipótese formal para climatologia, nada foi testado, é possível apenas criar argumentos baseado em conhecimentos das leis da física e derivar em escala o comportamento dos gases e dos fenômenos geofísicos gerais.



    O relatório oficial do próprio IPCC admite que não existe evidências suficientes para afirmar que CO2 influencia aquecimendo do clima.



  • Estado o Defensor do Povo  28/09/2019 13:48
    Bom, vou confessar que eu não sou um entusiasta da área, eu apenas vi aquela palestra gigantesca do Al Gore que ele fica falando sobre aquecimento, ser humano destruindo a natureza etc, provavelmente você conhece, e uns vídeos do nerdologia também.
    www.youtube.com/watch?v=8sovsUzYZFM
    Também já li só alguns textos na internet que são contra o aquecimento, então me sinto meio despreparado pra opinar sobre.

    Mas apesar de tudo, já vou dizer que sou contra qualquer intervenção estatal no meio disso, mesmo que o aquecimento seja real e que o CO2 é o grande vilão, ou seja lá qual for o gás, não deve haver agressão contra ninguém que emita CO2, se as empresas não estão ferindo ninguém e não estão quebrando nenhum contrato, então ninguém pode ir lá e bater nos caras, só pode haver campanhas e palestras que sejam contra a emissão de CO2, sempre deve ser na base da conscientização e convencimento pacífico.
  • Dane-se o estado  26/09/2019 22:27
    CO2 Não é gás de aquecimento:

  • Rene  26/09/2019 13:58
    Ok, vamos então fazer um exercício mental. Imagine que os defensores do aquecimento global estão 100% certos no diagnóstico. Realmente, a Terra está aquecendo, e este aquecimento está sendo causado unicamente pela ação humana. Vamos desconsiderar outros fatores que, talvez, possam influenciar o clima, (Que fizeram, por exemplo, a Terra aquecer durante a idade média).

    Se considerarmos este cenário, o simples fato dos ambientalistas terem acertado no diagnóstico faz com que, automaticamente, eles estejam certos na solução proposta para o problema? Um agricultor semianalfabeto pode dar o diagnóstico preciso a respeito de uma praga na lavoura. Por outro lado, é pouco provável que ele tenha o conhecimento necessário para desenvolver um tratamento que seja eficaz para livrar a lavoura da praga.

    Via de regra, aumentar impostos, inchar o tamanho do governo, exercer controle sobre a população, e assim por diante, são ações que sempre são tomadas para atacar algum problema específico na sociedade, mas o resultado que estas ações produzem raramente trazem resultados efetivos, e quando trazem, sempre é às custas de um imenso desperdício de recursos. Qual a razão para eu acreditar que, desta vez, o plano dos ambientalistas vai dar certo, quando eles pretendem utilizar a mesma fórmula que eu vejo dar errado repetidamente?

    Será que não seria muito mais efetivo se todas as pessoas pensassem em soluções para pequenas partes do problema , à medida em que as consequências do problema começassem a aparecer de verdade? E aliás, o aquecimento global pode ser um problema, mas qual a autoridade que um grupo de ambientalistas tem para dizer para as pessoas que este problema deve ter uma prioridade maior do que os outros problemas que as pessoas enfrentam?
  • Felipe Lange  25/09/2019 15:44
    Eu já acreditei nessa porcaria de "aquecimento global antropogênico" na infância e pré-adolescência. É pura manipulação psicológica travestida de ciência. E esses safados até mudaram o termo para "mudanças climáticas". E imagine você ficar com ansiedade e remorso, por acreditar nesse lixo ideológico. É o mesmo caso do marxismo. E tem criança que realmente está com problemas psicológicos.

    A Greta é mais uma que está sendo manipulada.

    E agora o jogo deles é esse: se você questiona, você já é desqualificado e chamado de "negacionista". E eles já colocam você como algo equiparável a um terraplanista. Acusam você de teórico da conspiração. É a mesma coisa que os comunistas faziam com quem discordava deles... chamar de fascista, homofóbico, inimigo dos pobres...

    Pirula é mais um que caiu nesse jogo político.
  • Mendes  25/09/2019 18:03
    Pois é. Antigamente era "aquecimento global". Mas como o "globo" não estava aquecendo o suficiente para sustentar a narrativa, mudaram para "mudanças climáticas". Aí pronto: fez frio acima da média em algum lugar? "São as mudanças climáticas". Choveu mais que o normal? "São as mudanças climáticas". Nevou em algum lugar onde não costuma nevar? "São as mudanças climáticas". Agora a narrativa se encaixa em quaisquer condições, esteja frio ou esteja quente!
  • anônimo  25/09/2019 19:33
    Pirula diz muita coisa boa, mas é demasiado estatista. É um perfeito retrato de idiota-útil.
  • Skeptic  25/09/2019 17:09
    O IMB está perdendo uma ótima oportunidade de falar sobre legalização das drogas.
  • Dalton C. Rocha  25/09/2019 18:00
    " Como seria o mundo da Greta?" > www.youtube.com/watch?v=iAD0tgcE1ps
  • Tiago  25/09/2019 20:29
    Eu não sei se tem mudanças climáticas ou não. Se o aquecimento global é verdadeiro ou não. Mas o que acham das imagens de incêndio florestal? O que acham da poluição do Rio Tietê? Algo tem que ser feito pra combater estas coisas.
  • Vladimir  26/09/2019 00:40
    Concordo plenamente. Algo tem de ser feito. É urgente retirar o governo desta área. Algo tão crucial tem de ser propriedade privada. Apenas sendo propriedade privada é que serão bem cuidadas. Sendo propriedade estatal, a única certeza é a devastação (como tudo que é estatal).

    Por que proibir o Brasil de explorar suas florestas? – E o exemplo sueco
  • Sérgio  25/09/2019 21:28
    Não adianta escrever artigos e mais artigos atacando a agenda da ONU, escrever artigos e mais artigos atacando uma adolescente que mau passou pela puberdade (me refiro à Greta Thunberg), mas apoiar uma agenda econômica que aumenta os lucros e o poder dos mesmos empresários globalistas que patrocinam a mesma agenda ambientalista da ONU.

    Outro dia questionei aqui as privatizações, sobre entregar as estatais nas mãos de empresários globalistas como os Rothschilds. Eis a resposta que me deram:

    "entre Rothschild e CUT-PT-PSOL, acho que a opção racional é lógica. "

    Pergunto, qual é a opção racional? Pois os empresários globalistas patrocinam desde ONGs e movimentos ambientalistas até grupos de vândalos como o MST, PT, CUT e PSOL. Como disse o Paulo Kogos, Prince Edward, Duke de Kent, membro da Família Real Britânica e Grão-Mestre da Grande Loja Unida da Inglaterra, está por trás do lulopetismo no Brasil.

    Então, como eu disse no início do comentários, não adianta escrever artigos e mais artigos atacando a agenda ambientalista da ONU e atacando as idéias imaturas de uma adolescente, mas defender uma agenda econômica que aumenta os lucros e o poder destes bandidos. E esta é a agenda do Paulo Guedes pra economia brasileira: aumentar os lucros dos grandes empresários globalistas no Brasil, e a forma de fazer isso: entregando, digo, vendendo estatais lucrativas para os globalistas metacapitalistas, como George Soros, Rockefellers, além de defender mais impostos, sim, Guedes quer restaurar a extinta CPMF (agora que eu ví, não é proposta do Marcos Cint5ra, é do Guedes).
  • Sérgio  26/09/2019 21:50
    Não adianta escrever textos e mais textos, fazer audios e videos refutando a agenda ambientalista da ONU e atacando uma menina de 16 anos, se na política econômica apóiam a agenda econômica que aumenta os lucros e o poder dos mesmos bilionários globalistas que patrocinam esta agenda ambientalista da ONU.

    Por exemplo, muitos aqui apóiam a privatização dos Correios. Um dos interessados em comprar os Correios é a Amazon que pertence ao bilionário Jeff Bezos. Quem é Jeff Bezos? O mesmo que apóia fronteiras abertas e o multiculturalismo. Vocês apóiam entregar os Correios para um bandido como este? Pois eu não. Se é pra entregar os Correios para estes bandidos, é menos pior manter estatal.
  • Dane-se o estado  27/09/2019 16:48
    Seu comentário é tão histérico que dá até pena. Mesmo que o comprador seja um ambientalista fanático, o que isso importa? Se não houver estado, o máximo que ele pode fazer é impor suas ideologias no seu ambiente privado de negócios. Deixar estatal? acha mesmo que isso vai melhorar algo? Que tal deixar a Petrobras estatal também? a mesma que mantém um monopólio por oferta de combustível e que propositalmente barra a entrada de tecnologias novas como carros elétricos? Até parece que deixar uma empresa estatal continuar estatal, iria impedir que o dinheiro dessas porcarias não seria da mesma forma e até com mais tranquilidade, desviado para financiar essas agendas. Considerando que o estado também protege empresas como Vale e que iria proteger muito mais caso estivesse plenamente estatal, seu comentário não faz sentido nenhum.
  • Sérgio  27/09/2019 21:10
    Tá serto, Dane-se o Estado:

    23:59 - contra a agenda ambientalista totalitária e anti-humana da ONU
    00:00 - Aumentar os lucros dos empresários e banqueiros ricaços que patrocinam a mesma agenda ambientalista.

    Sobre a Petrobrás, também acho que se é pra entregar pra Exxon Mobil, é melhor mantê-la estatal.

    Mas continuem aumentando os lucros dos que patrocinam a mesma agenda que vcs combatem e escrevendo artigos atacando uma menina de 16 anos. Vai dar muito certo. Enquanto isso, mais e mais Gretas aparecerão.
  • Mallandro  27/09/2019 21:23
    Peraí, você está dizendo que a Greta é bancada pela Exxon Mobil?! Devo confessar que essa ao menos foi original. Parabéns.
  • Sérgio  27/09/2019 22:39
    Se a Greta é financiada pela Exxon Mobil eu não sei. Pelo que eu sei, ela foi influenciada pela One Foundation que é patrocinada pelo George Soros e pelo Bill Gates. Mas você tem dúvidas de que quem vai comprar as estatais serão empresários ricaços globalistas como Bill Gates, George Soros, Jeff Bezos, Rockefellers (se não me engano, são os donos da Exxon Mobil), Rothschilds? Tudo empresários globalistas que financiam a agenda ambientalista da ONU... Você tem dúvida de que estes serão os compradores dos Correios, da CEF?
  • Túlio  28/09/2019 01:48
    Peraí, você está dizendo que entre os Correios serem geridos com a eficiência da Amazon ou com a "competência e honestidade" da CUT, você fica com a última opção?

    Se for isso, aí realmente nada pode ser feito por você.
  • Sérgio  29/09/2019 18:43
    Mas são estes empresários globalistas, como George Soros, Ford Foundation, que financiam movimentos como MST, CUT, etc.
  • Gabriel  27/09/2019 23:15
    Eu achei que o principal argumento a favor da comprovação do aquecimento global fosse o fato de que a temperatura média no planeta tem aumentado. Pelo menos, é isso que eu sempre leio quando alguém vem defender a teoria e não vejo vocês atacando esse argumento. Alguém poderia me responder isso?
  • Medeiros  28/09/2019 01:48
    Ué, se o argumento é esse, então ele é risível. Afinal, os próprios aquecimentistas reconhecem abertamente que a terra sempre vivenciou ciclos de aquecimento seguidos de ciclos de resfriamento.

    Ao longo dos últimos 800.000 anos, sempre houve ciclos naturais no clima da terra. Houve eras do gelo e períodos interglaciais quentes. Após a última era do gelo, 20.000 anos atrás, a temperatura média global subiu de 3°C a 8°C, durante um período de aproximadamente 10.000 anos.

    A única diferença é que agora os aquecimentistas dizem que os aumentos de temperatura, que sempre ocorreram em ciclos, passaram a ser causados pelo homem.

    E também não provaram. Apenas disseram que é assim e pronto.
  • Francisco  28/09/2019 01:52
    Quer argumento científico contra? Sem problema.

    30,000 scientists signed a petition saying that there is no correlation between what humans do on earth and the temperature of the earth.

    www.petitionproject.org/GW_Petition.pdf

    en.m.wikipedia.org/wiki/List_of_scientists_who_disagree_with_the_scientific_consensus_on_global_warming
  • Erick  03/10/2019 14:46
    George Soros por sua vez que eh um braco da elite. Os Rockefeller ja cantam sobre isso desde muito cedo. Por exemplo o AGENDA 21 apresentado nas conferencias da ONU em 1992. Interesses politicos de total controle. Nada de ambiente. Nada novo. Greta, a perfeita idiota util.
  • Entreguista.   04/10/2019 03:05
    Penso o mesmo Erick. Essa gente quer controlar tudo, por isso usam a política pró esquerda. É tudo controle. Ex: tem uma fundação na área de automóveis, uma organização esquerdista, patrocina esquerdismos para atrapalhar a concorrência, as leis anti tabagistas foram apoiadas por muitos fabricantes de cigarros, muitas industrias farmacêuticas tem fundação para proteger seus interesses, na área de alimentos tem fundação ecológicas de proteção a natureza para dificultar a concorrência É tudo exatamente como mostra aqui no mises. Os já estabelecidos arrumam coisa para conseguir monopólio. Tem ate rede social entrando nessa. O Jorge Soros e os Rockfeler são uma parte dessa engrenagem.
  • Thiago  07/11/2019 23:15
    Eh o fim, vao começar a colocar nas escolas publicas:

    www.revistaplaneta.com.br/italia-sera-o-primeiro-pais-a-tornar-obrigatorio-ensino-sobre-mudanca-do-clima/


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.