clube   |   doar   |   idiomas
A liberdade econômica no mundo em 2018
Números reveladores, mas nada surpreendentes (para quem domina a teoria)

Todo o estudo da economia se iniciou de uma tentativa de entender o que faz com que algumas regiões do mundo sejam mais prósperas do que outras.

Em 1776, Adam Smith escreveu sua magistral obra Uma investigação sobre a natureza e as causas da riqueza das nações.

Pensadores anteriores a ele já haviam tratado de assuntos que hoje colocamos sob o escopo desta ciência, mas o trabalho de Smith desencadeou uma discussão acadêmica que perdura até hoje, tanto para responder a essa questão inicial quanto para responder a tantas outras que foram sendo descobertas ao longo do processo. E é a essa discussão, e a toda a pesquisa que a acompanha, que chamamos de ciência econômica.

Infelizmente, as causas da riqueza das nações ainda são largamente ignoradas por políticos e pela população em geral. As pessoas estão sempre à procura, entre seus semelhantes, de alguns que irão desempenhar o papel de condutores da economia rumo à prosperidade. Um grupo que saiba quais são os setores estratégicos, quais serão os produtos do futuro, quem são os empresários competentes e honestos — para então oferecer-lhes benefícios que os mantenham produzindo para o bem da população.

Mas a economia é uma orquestra que dispensa maestro. Os produtores querem obter lucros altos, e para isso precisam produzir aquilo que a população quer comprar. Aqueles que adivinham corretamente o que a população quer, vendem bastante, crescem, e produzem mais. Aqueles que não adivinham tão bem fecham as portas e, com isso, liberam mão-de-obra e capital para produtores que entendem melhor as necessidades da população.

Querer que haja um maestro para dar ordens é algo que só prejudica esse formidável processo de constante aperfeiçoamento da produção econômica visando àquilo que a população procura.

Todas as regiões do mundo que hoje são consideradas ricas — aquelas para onde todos os trabalhadores pobres buscam migrar — assim se tornaram depois de um prolongado período de liberalismo na economia. E, de forma geral, continuam sendo regiões onde as decisões econômicas menos sofrem interferência do processo político.

A Academia Liberalismo Econômico, por mim presidida, traduziu e publicou a edição 2018 do índice Liberdade Econômica no Mundo, elaborada pelo Instituto Fraser. O índice levanta 42 variáveis — todas elas fornecidas por instituições externas — que medem o grau de liberdade econômica de 162 países e regiões pelo mundo. Variáveis como impostos, burocracia, regulamentações, restrições ao empreendedorismo, tarifas de importação, flexibilidade do mercado de trabalho, facilidade de abrir uma empresa, moeda forte, liberdade de investimentos, instituições confiáveis, respeito à propriedade privada etc.: tudo isso ajuda a definir o grau de liberdade econômica de um país.  

Agregando todas essas variáveis, é possível precisar quais são as economias mais ou menos livres do mundo.

Todos estes dados também estão disponíveis em português.

O que podemos aprender com este índice

relatório que acompanha sua publicação é riquíssimo em dados e análises. No entanto, quero trazer aqui alguns destaques para servir de aperitivo ao leitor.

O Quadro 1.5 do relatório traz a renda média per capita por cada grupo de países.

1.png

Quadro 1.5: Liberdade Econômica (quanto mais à esquerda, menos livre) e Renda per Capita

Para compor os grupos, o Instituto Fraser calculou a pontuação média de cada país no índice desde 1995, e depois separou-os em quatro grupos iguais em tamanho. Para este quadro, ele também calculou a renda média per capita dos países de cada grupo.

O resultado é que, nos países mais livres, o indivíduo médio conta com uma renda quase oito vezes maior — para adquirir alimentos, vestuário, moradia, tratamentos médicos e o que mais precisar — que os países menos livres.

Interferências dos governantes na economia custam caro a seus cidadãos, particularmente aos cidadãos pobres. Para o quadro seguinte, o Instituto Fraser compara a renda média dos 10% mais pobres de cada país. A diferença se mantém ao redor de oito vezes entre o primeiro e o último grupo — em favor da população pobre dos países mais livres.

2.png

Quadro 1.7: Liberdade Econômica e Renda Recebida pelos 10% Mais Pobres

Ou seja: se você está entre os 10% mais pobres do seu país e vive em um dos países menos livres do mundo, você terá de se virar com US$ 1.345 por ano. Já se você está entre os 10% mais pobres do seu país, mas vive em um país economicamente livre, você terá uma renda anual de US$10.660.  Este detalhe não é nada insignificante.

A diferença de renda entre os grupos é tão gritante que nem mesmo um cidadão de renda média em um país menos livre (como o Brasil) vive melhor do que um cidadão pobre em um país mais livre (como Portugal).

Logo, a conclusão é que políticas econômicas entre países são muito mais importantes para se determinar o padrão de vida de um indivíduo do que as classes sociais dentro de seu país.

Outro gráfico que chama a atenção é o da mortalidade infantil:

3.png

Quadro 1.9: Liberdade Econômica e Taxa de Mortalidade Infantil

Em 1800, a taxa de mortalidade infantil em qualquer região do mundo estava acima de 300 crianças mortas até os 5 anos de idade para cada mil nascidas vivas. Para os padrões atuais, não havia país rico — todos os países eram pobres.

Agora, observe o progresso alcançado pelos países economicamente livres em apenas duzentos anos. Esse número foi reduzido de 300 para 6,28. Felizmente, os países menos livres também progrediram, mas, infelizmente ainda estão no meio do caminho. Em alguns países esse número ainda permanece acima de 100. Mas a tendência é de melhora.

Não há truques

Todos os resultados acima se mantêm se olharmos as diferenças entre os países mais e menos livres, porém restringindo a amostra somente para países pequenos. Ou seja, os dados acima não decorrem de uma deturpação estatística gerada por "países grandes", os quais, simplesmente por serem grandes, afetam os resultados gerais.

Ademais, os mesmos resultados também são observados se pegarmos apenas o grupo dos países menos livres e analisarmos os países mais livres e os menos livres que pertencem a este grupo. Dentro do grupo dos países menos livres, as economias que possuem mais liberdade apresentam indicadores sociais e econômicos melhores do que os das economias menos livres.

Ou seja, no mínimo, a teoria da "exploração internacional" não se sustenta.

O caminho a ser trilhado

A liberdade econômica traz prosperidade, que por sua vez traz avanços na medicina, na produção de alimentos, e na produção de todas as outras coisas de que necessitamos ou desejamos.

Por motivos óbvios, não vou trazer o relatório inteiro para este curto artigo (aqui está o relatório completo traduzido em português, e aqui estão todos os dados); o objetivo é ressaltar a importância de esses números serem analisados, compreendidos e divulgados. Trata-se da boa teoria econômica sendo constatada na prática.

Todos queremos viver em um mundo com maior abundância de recursos e mais qualidade de vida. Mas não basta saber aonde queremos chegar; é preciso descobrir como chegar.

40 votos

autor

Felipe Lungov
é formado em economia pela FEA-USP com especialização em estatística pela FIA-USP. É editor do blog Palavras de Liberdade e presidente da Academia Liberalismo Econômico.

  • Caacupé  27/02/2019 17:48
    Mi querido Paraguay va a seguir adelante hacia la prosperidad mientras Brasil se hunde en represión económica.
  • Eduardo  27/02/2019 17:56
    Há apenas seis anos, o Paraguai tinha um presidente de esquerda do Foro de São Paulo e expulsava os brasiguaios. De lá pra cá, o que não faltaram foram empresas e profissionais brasileiros emigrando para lá.
  • anônimo  27/02/2019 17:58
    Afinal o que está acontecendo no Paraguai? Está todo mundo falando bem de lá. Aqui na rodoviária de Salvador sai um ônibus para Assunção toda semana, pensei que estaria cheio de sacoleiras mas para minha surpresa estava cheio de peões e mestres de obra e falaram que tem muitas obras de prédios e infraestrutura e que acabam uma obra que já têm outra começando.
  • Herbert  27/02/2019 18:01
    A verdade é que o Brasil dos últimos anos se tornou um país inviável para empreender. É muito caro investir aqui. Tudo é caro demais. Só investe quem tem muito incentivo fiscal e empréstimo do BNDES.

    Só um milagre muda essa situação. Por força humana normal, natural, não muda.

    Hoje é melhor investir no Paraguai porque lá tem menor custo fiscal, trabalhista e especialmente custo de energia elétrica.
  • Ulysses  27/02/2019 18:06
    E a mudança veio rápida: apenas 5 anos. Se não me engano, começou em 2013. Hoje estão colhendo o resultado.

    Eis uma notícia do início de 2018:

    www.em.com.br/app/noticia/economia/2018/03/16/internas_economia,944512/empresarios-trocam-o-brasil-pelo-paraguai.shtml
  • Ypacaraí  27/02/2019 18:14
    O Paraguai já levou um monte de empresas brasileiras pra lá. Leis muito melhores (todas, QUASE SEM EXCEÇÃO!) e com índice de crescimento e prosperidade de fazer inveja aos estados que mais crescem no Brasil - MS e MT!
  • Imperion  27/02/2019 20:33
    Amem hermano e que usteds sigam esse caminho e no retrocedan.
  • keila lopez  27/02/2019 17:54
    alcance vc a sua liberdade economica. Aprenda a investir em renda variável e ajude a economia do mundo a crescer, além da sua própria. Aqui tem um site bem legal que ensina o passo-a-passo do investimento em renda variável: renda-variavel.webnode.com/
  • Pedro  27/02/2019 17:57
    Hoje, no mundo, qual é o melhor país pra migrar? Tenho vontade de deixar o Bananil, mas minha impressão é que todos os outros países livres tem caminhado ao welfare state ou tem uma onda islâmica muito forte
  • Guilherme  27/02/2019 18:18
    Pedro, se a Alemanha, Espanha ou Canadá não estão boas pra você fique no Bananil. Emigração não é para todo mundo.
  • cmr  27/02/2019 19:18
    Alemanha, Espanha, Canadá, Suécia, França, etc... não vão durar muito.
    São países que estão carcomidos pelo politicamente correto, e com o islamismo avançando rapidamente.
    Na Alemanha já tem até propaganda de mulheres usando aquele pedaço de pano de chão ridículo na cabeça, e falando que é bonito...

    O destino desses países daqui uns 50 anos, ou é uma guerra civil para acabar com o islamismo, a social democracia e o politicamente correto, ou se prepare para viver sob a Sharia caso os poucos conservadores que restam percam a guerra civil.
  • Roger Lima  03/03/2019 04:24
    A situação da Alemanha está em um ponto tão crítico, que até imposto sobre animais o estado cobra, inclusive eu vi uma reportagem que uma família não pagou imposto sobre o seu cachorro de estimação, e o estado roubou o cachorro para leiloar para pagar a "dívida" !!!
  • Adam Smith  04/03/2019 02:03
    A Alemanha teve crescimento econômico ZERO em 2018. Mas não vai demorar muito pra aparecerem esquerdistas dizendo que a Merkel deturpou a social-democracia, não fizeram ainda porque a questão não foi levantada na grande mídia.

    Muito em breve a Alemanha terá que fazer uma nova reforma econômica pra voltar crescer e terá que começar pela sua carga tributária.
  • Felipe Lange  27/02/2019 19:02
    Olhe a posição de liberdade econômica de cada país e veja outras questões como clima, valores culturais, idioma e afins. Eu escolhi os EUA por oportunidade, mas há vários outros países para escolher. Perto do Brasil tem Chile, Paraguai, Uruguai, Colômbia...

  • Felipe Lange  27/02/2019 19:02
    Pessoal, estou com dois artigos traduzidos prontos (tenho no meu blog também) e gostaria de saber como faz para mandar para o Mises Brasil.
  • Guilherme  27/02/2019 19:40
    Por favor, compartilhe o link de seu blog.
  • Felipe Lange  27/02/2019 23:11
    Ok, quando eu chegar em casa passo o link. Meu comentário apareceu no local errado...
  • Felipe Lange  28/02/2019 03:25
    Aqui, Guilherme:
    langefelipe.wixsite.com/ocal/blog/ber%C3%A7os-do-capitalismo-as-cidades-estados-da-gr%C3%A9cia-e-da-it%C3%A1lia
  • Pobre Mineiro  27/02/2019 19:08
    Nova Zelândia, tenho uma prima que mora lá e parece ter se dado bem.
  • Imperion  27/02/2019 20:36
    Austrália, nova zelandia, e Canadá. Mas portugal , por proximidade linguistica é bem cotado.
  • ADILIO JORGE SOUZA  27/02/2019 21:54
    Tem Polônia, Áustria, Hungria, Suiça, Estônia, Japão, Coréia do Sul, Hong Kong, Paraguai, Colômbia, Singapura, Hong Kong e mais alguns outros que não aderiram ainda a essa onda globalista.
  • Rafael  28/02/2019 04:03
    Deixei o "Bananil" há seis meses e estou no Canadá, mais precisamente em Toronto. Aqui é um turbilhão de culturas reunidas: orientais, ocidentais, judeus, muçulmanos, indianos, árabes, italianos, brasileiros, portugueses. E o legal disso é que existe respeito às liberdades individuais. Ninguém está nem aí se vc é amarelo ou branco, se acredita em Jesus Cristo, Maomé, D'us ou reza para Satã.

    Aqui, certos assuntos já foram superados. Aborto é amplamente liberado e o Partido Conservador era governo quando a Suprema Corte do país ampliou o aborto. É claro que existem grupos contrários ao aborto, mas você não verá ninguém querendo tirar o direito de liberdade de decisão da outra pessoa.

    Pagamos altos impostos e o custo de vida de Toronto é o mais elevado do país. Em compensação, um casal trabalhando por salário mínimo durante 40h/semana tira limpo 4 mil dólares canadenses/mês e consegue ter uma vida digna. Canadá não é um país para quem quer ficar rico, mas é quem busca qualidade de vida. Aqui, um pedreiro consegue ganhar mais que um advogado. E não importa se você é rico ou pobre, você será atendido pelo mesmo sistema de saúde.

    O Canadá é o segundo maior país do mundo em questão territorial, mas possui uma população menor que o estado de São Paulo. Segundo levantamento, o país precisa elevar sua taxa de imigração. Hoje, são mais de 60 tipos de programas de imigração, mas a maior parte deles é voltada para alta capacitação e exigem um aporte financeiro considerável. Contudo, não espere conquistar uma vaga de gerência contando suas experiências fora do Canadá. Você está chegando aqui como qualquer outro imigrante e terá que construir experiência canadense para depois atingir um nível gerencial.

    Meu esposo era funcionário público no Brasil, concursado, ele foi o primeiro a vir com a ideia de imigrar para o Canadá, onde não existe concurso e estabilidade, mesmo no serviço público.
  • L Fernando  28/02/2019 18:04
    O que me surpreende sempre nestes comentários é enfatizar com orgulho o tal do ABORTO livre, e ao mesmo tempo a constatação que precisam de imigrantes.
    Uma total contradição
    Por isso que Europa e este paises ditos evoluidos irão para o buraco num futuro próximo ou nem tanto
  • Régis  28/02/2019 18:15
    Ainda mais legal foi ele dizer que tira 4 mil dólares por mês e, ainda assim, não dá pra ficar rico. Caralho! Quatro mil dólares por mês são mais de 15 mil reais. Se o cara ganha o equivalente a 15 mil reais por mês e ainda assim não consegue ficar rico, então eu quero distância de um lugar desses. As coisas devem ser os olhos da cara.

    No Brasil, morando no interior e ganhando menos que isso, levo vida de rei. E ainda viajo pelo mundo. E consigo prosperar e ter padrão de vida. Inveja zero de ser um cidadão de segunda classe no Canadá que tem dinheiro apenas para comer e dar uma saidinha.
  • Henrique  28/02/2019 18:06
    Esse Rafael contradisse muitos argumentos deste site. Como ele disse: impostos altos, saúde e lugar ótimo para se viver! Boa sorte no novo país.

    Abraços
  • Meirelles  28/02/2019 18:21
    Impostos altos aqui já tem. Saúde estatal também (vá a um hospital do SUS e não pague absolutamente nada). Educação estatal também (do maternal até o pós-doutorado). Ótimos lugares para se viver também (cidades do interior de estados do sul e até mesmo de São Paulo).

    Logo, qual a diferença? Não vejo sentido.
  • Henrique  28/02/2019 20:11
    Lugar bom para vocês não seria impostos baixos e saúde privada?
  • Daniel  28/02/2019 20:33
    Sim. Qual você recomenda?
  • Marcelo  28/02/2019 19:54
    É atendido num sistema de saúde onde o médico é indiano e não entende você e ele não te entende. Filas enormes, atendimento péssimo tipo do SUS. Quarenta porcento de impostos, impostos por ter um carro, impostos para bancar aborto ao mesmo tempo que desejam aumento populacional.
  • Arnaldo  04/03/2019 20:00
    Exato! Moro em Montreal e sinto muita saudade do meu plano de saúde brasileiro.
    Canadá é o exemplo que tudo que é socialista não funciona.
  • Joao  08/03/2019 20:28
    Pois é, mas o governo canadense te proibe de usar drone, ou skate elétrico. Te prende se vc não chamar uma mulher de senhor, caso ela se "identifique" como homem (e vice versa). Não sei se é uma boa opção.
  • anônimo  09/03/2019 02:38
    Anda vendo o canal da Comunilce e do Leon Trotsky?
  • Perpetual Traveller  28/02/2019 10:55
    Caro Pedro. Recomendo demais a leitura deste website:
    Www.nomadcapitalist.com

    De fato a maioria dos países ocidentais estão com governos quebrados, é só questão de tempo.

    Mas existem muitas opções e saídas. Tudo depende do estilo de vida e seu objetivo.
    É possível legalmente você proteger seu patrimônio, sua renda (ou seja, pagar pouco ou nenhum imposto) e ainda ser livre.
  • Áncash  27/02/2019 18:27
    Mi Peru esta verdito en el mapa de libertad económica? Estou tan orgullosa de ser peruana, cuando niña nuestra nación era la más pobre del continente y ahora nos sobran trabajos.
  • Historiador Honesto  27/02/2019 18:40
    Graças ao Fujishock, que foi o que originou tudo e sem o qual nada seria possível.
  • Guilherme  27/02/2019 18:44
    Trabalhei em uma obra no Peru anos atrás e a moeda local é sólida como as montanhas do país e os peruanos são livres para empreender como pássaros para voar. Se o Peru com toda a liberdade econômica que tem está apenas verde claro no mapa, o Brasil não tem chances.
  • Imperion  27/02/2019 20:39
    Qui la prosperidad de usteds continue!
  • Progressista  27/02/2019 19:02
    Leandro e Liberais de Plantão, a reforma da previdência do Bolsonaro é indefensável!
    Temer com a DRU - Desvinculação das Receitas da União -, tirou muita receita que ia pra previdência, AGRAVANDO O DÉFICIT.
    Vocês defendem essa reforma?

    Fora perdoando e não cobrando quem deve pro INSS, ai querem jogar tudo isso na conta do trabalhador mais pobres.

    Esse vídeo explica tudo:

    www.youtube.com/watch?v=uJOCn80mmHc


    Porque liberais não contam essa parte? Temos que fazer reforma, mas a reforma cobrando de quem deve, sem DRU e ai sim o resto do déficit a gente cobre com uma reforma mais amena pro povo.

  • Felipe  27/02/2019 19:28
    E o pior é que eu assisti a esse vídeo todo. A criatura dá chilique, faz um show de coitadismo e, no final, não só não fala o que tem de ser feito, como ainda defende a manutenção dos privilégios do funcionalismo público!

    Perceba que em momento algum ele ataque os altos salários dos funcionários públicos. Em momento algum ele defende acabar com a farra do "direito adquirido", em que nababos que se aposentaram pelo regime antigo ganham mais de 60 mil por mês de dinheiro extraído dos desdentados.

    O máximo que o valente admite é "acabar com mordomias de políticos" (como se fosse necessária muita coragem para criticar político).

    Qual a solução prática que ele apresentou em mais de 30 minutos de vídeo? Nenhuma (desafio você a apontar).

    Aliás, debate no Brasil é isso: chiliques, afetação de coitadismos, e argumento zero.
  • Bernardo  27/02/2019 19:29
    Vi esse vídeo ontem. A única "solução" proposta pelo gênio é ... tributar dividendos! Sim, segundo o lunático, todo o problema da previdência acaba se o governo passar a tributar os 2 reais que eu recebo a cada seis meses de minhas ações.

    A ignorância no Brasil é sem limites.
  • ed  27/02/2019 19:41
    A previdência social é um esquema de pirâmide. Qual a solução dos gênios? Colocar mais dinheiro nesse esquema de pirâmide.

    Milhões de desempregados e os lunáticos falam que o governo deve tomar dinheiro das empresas "devedoras" (como você pode ser considerado devedor de um esquema no qual você é forçado a entrar?).

    Mas o mais legal é que a situação está tão ruim que mesmo que todo o "devido" fosse pago isso não iria resolver. A previdência é um buraco sem fundo.
  • Pobre Paulista  27/02/2019 19:53
    twitter.com/pfnery/status/1097658158372265986
  • Pobre Paulista  27/02/2019 19:53
  • Leigo  27/02/2019 20:18
    Se esse "Progressista" soubesse como é a reforma ideal para o Leandro e os liberais...
  • Imperion  27/02/2019 20:44
    Tais dividas foram perdoadas, isso quer dizer que nunca serao cobradas. Agradeça ao lula, que foi um dos que perdou receitas. Ja conte esse dinheiro como perdido, pois na lei atual eles podem perdoar como " politica economica".
  • Juliano  27/02/2019 19:13
    Fazendo um pouco do papel de advogado do diabo, é sempre complicado porque existem muitas formas diferentes de liberdade e o peso de uma restrição varia muito.

    Por exemplo, Cingapura, que está sempre no topo do ranking de liberdade, possui o mercado imobiliário praticamente totalmente estatal. Praticamente todo mundo usa programas de subsídios governamentais para "financiar" imóveis por longos períodos. O Estado usa desses programas para impor uma série de medidas como critérios de quem pode ou não receber financiamentos. Restringem financiamentos para quem não é casado oficialmente, forçam cotas de diversidade nos empreendimentos comerciais e usam esses financiamentos como forma de controle migratório. Se é o estado que está pagando, é ele quem toma essas decisões. O mercado imobiliário privado é bem caro e normalmente reservado a quem é bem rico.

    Cingapura também exerce uma série de restrições para a propriedade de veículos. Os carros são baratos, mas o licenciamento é super caro. É super difícil licenciar um carro com mais de cinco anos, reduzindo muito o mercado de carros usados.

    As liberdades políticas lá são bem questionáveis, com muito pouca alternância de poder, e tudo é muito controlado na cidade. Você não pode comprar álcool a partir de um determinado horário e a cidade é cheia de placas com multas bem altas para vários tipos de comportamento.

    Indo para outro país que também sempre está no topo da liberdade, a capital da Suécia tem um mercado imobiliário super estatizado, com filas de espera para aluguel que demoram décadas. O mercado de saúde é super regulado e os impostos são altíssimos (o litro da gasolina passa fácil dos R$ 6,00).

    Meu ponto é que é complicado fazer esses índices de liberdade entre países e usá-los para provar nosso ponto (de que os mais livres são mais ricos), por que você acaba encontrando exemplos de regras absurdas e controle estatal rígido em muitos dos lugares rotulados como mais livres. Um esquerdista olharia os mesmos dados e teria uma visão completamente oposta, de que o sistema deles funciona justamente por ser regulado (e vai encontrar muitos exemplos disso nesses mesmos países). Tudo depende do peso que se quer dar a um critério e o quanto queremos fechar os olhos para o que não gostamos.

    Abraços,
    Juliano
  • William  27/02/2019 19:30
    Sorry, Juliano, mas aí você forçou. Sim, o mercado imobiliário é fortemente controlado em quase todos os países do mundo (inclusive e principalmente EUA), e exatamente por isso os preços são astronômicos.

    Dito isso, não entendi como você fez o seguinte salto lógico: como é que o fato de imóveis serem regulados pelo governo em praticamente todos os países do mundo refuta um índice que mensura mais de 70 variáveis de liberdade econômica?
  • Observador  27/02/2019 19:35
    Também não entendi o ponto do Juliano. Sim, há intervenções no mercado imobiliário. Mas isso acontece em todos os países do mundo. Há leis de zoneamento, há intervenção no mercado de crédito, há subsídios, há todo o escambau. E exatamente por isso os preços são abusivos (se há o governo estimulando a demanda por imóveis e restringindo a oferta deles, é óbvio que os preços só podem ir para cima).

    Isso posto, há dois defeitos com os índices de liberdade econômica:

    1) na questão da política monetária, eles não mensuram a verdadeira expansão monetária que está ocorrendo, mas sim apenas a inflação de preços. Isso é um erro.

    2) na questão da propriedade intelectual, eles consideram que isso é positivo, sendo que para os libertários ela é negativa (pois nada mais é do que um monopólio concedido pelo governo sobre idéias).

    De resto, para itens como carga tributária, gastos do governo, burocracia, tarifas de importação, facilidade de fazer negócios, flexibilidade do mercado de trabalho, liberdade de investimento, direitos de propriedade etc., o índice é bastante acurado.
  • anônimo  27/02/2019 20:17
    Considerar apenas a inflação monetária e desconsiderar a expansão monetária não é um erro. O dólar pode ser imprimido muitas vezes mais que o real porque a demanda é muitas vezes maior. Em um cenário ideal de inflação zero no mundo inteiro, o dólar ainda teria a expansão monetária maior que de todas as moedas.

    Um erro é desconsiderar Subsídios, pois subsídio é anti-liberalismo, distorce todo o Mercado e é o tesão de todo intervencionista.

    Outro erro é levar em conta "corrupção". Mas é aceitável porque conta como segurança jurídica.
  • Marcelo  28/02/2019 20:05
    Ideias não podem ser protegidas por qual motivo? Ah, é que elas são inesgotáveis certo? Só esqueceu de dizer que boas ideias são mais raras que o metal mais precioso. Ideias estúpidas existem aos bilhões.
  • Juliano  28/02/2019 20:48
    Não é o fato de que existem regulações no mercado imobiliário. Isso tem em qualquer lugar. EmCingapura o mercado imobiliário é praticamente todo controlado pelo governo. O governo decide quem pode comprar, aonde vai morar, quem constrói, qual é a configuração de família que deve habitar cada região.... A guia turística diz que o principal ritual para marcar um casamento é dar entrada com o pedido de um apartamento para o governo: 80% da população mora em conjuntos habitacionais estatais. (en.wikipedia.org/wiki/Public_housing_in_Singapore)

    Praticamente todo lugar tem controle governamental sobre o mercado imobiliário. Mas é bem curioso que países que sejam considerados tão livres tenham uma área tão importante bem mais estatizada que países que são considerados super fechados. E o governo, abertamente, usa isso para fazer engenharia social.

    O sistema político deles também é bem complicado, sendo frequentemente comparados a quase uma ditadura. É só procurar por Human Rights in Singapore e vc acha muita coisa.

    Pode ser que esses países tenham moedas estáveis e sejam bem receptivos para o mercado de capitais. Mas, pelo menos do ponto de vista do cidadão comum, o Estado se mete bastante na vida e é bem repressivo. Em várias áreas, bem mais que aqui.
  • William  28/02/2019 22:02
    Concordo com sua crítica ao mercado habitacional, mas, de novo, você ficou apenas nela.

    Criticar o sistema político de Cingapura é inócuo: aquilo é uma cidade, e, quando se trata de cidades, é natural que um único partido se sobressaia sempre. Isso é normal em várias cidades americanas. Detroit, São Francisco, Chicago, Los Angeles sempre tiveram prefeituras democratas. Já no Texas e no meio-oeste, sempre são republicanos. Isso é normal. (Aliás, qual é o revezamento de partidos no governo do Estado de São Paulo? Você trocaria pelo PT? Na cidade até tem revezamento, e é cada um pior que o outro).

    Ou seja, o fato de haver um só grupo político no comando da cidade está longe de ser uma anomalia.

    Aliás, o fato de Cingapura ser uma cidade relativamente pequena com terreno escasso também explica (embora não justifique) o fato de burocratas serem ávidos para intervir no sistema habitacional. No mínimo, eles têm que fingir que estão fazendo algo.

    De resto:

    Lee Kuan Yew, o homem responsável pelo que Cingapura tem de melhor e de pior
  • Richard Stallman  06/03/2019 15:42
    O ponto é: qual o sentido de ter liberdade de empreender se eu não posso gastar da forma que eu quiser?
    Se você reparar a mair parte dos países verdes são pussys.
  • Getulio  06/03/2019 16:00
    EUA, Austrália, Nova Zelândia, Suíça, Áustria, Estonia, Lituania, Chile, Emirados Árabes são "pussies"? Interessante...

    Então, pela sua lógica, Argentina, Bolívia e Equador são ápice da masculinidade...

    É cada um...
  • anônimo  27/02/2019 20:31
    Hong Kong proibe cigarro eletrônico e é o 1º? Tem algo errado.
  • Observador  27/02/2019 21:52
    Para começar, tal proibição não foi implantada (ainda). Em segundo lugar, se o for, sim, será lamentável, mas tal ato isolado não refuta as amplas liberdades econômicas do local. Proibir cigarro eletrônico (o que não ocorreu) é um retrocesso nas liberdades civis, mas de modo algum configura um país como economicamente repressivo.

    Nos EUA, é proibida a ingestão de bebidas alcoólicas por menores de 21 anos. Mas isso não torna o país comunista.
  • anônimo  27/02/2019 20:33
    Na Suécia tem localidade que proibe até os cara de mijar de pé. Mas está está entre os "mais livres"...
  • Observador  27/02/2019 21:52
    Fonte? Coloque aqui a informação, de uma fonte crível, de que o país Suécia proíbe homem de urinar em pé.

    O fato de haver um bairro progressista, isolado no meio do país, que entreteve tal ideia não torna o país economicamente comunista. Por essa "lógica", Cuba é ultra-capitalista, pois permite investimentos estrangeiros no setor de hotéis.

    É cada lunático...
  • Victor  28/02/2019 19:30
    Esses links têm notícias de 2012. E era uma proposta. Alguém sabe dizer se, SE, a proposta de lei virou lei?
  • Hans  28/02/2019 19:36
    É claro que não. Não apenas não virou lei (óbvio), como isso foi apenas numa única cidadezinha obscura da Suécia (um delírio de uma feminista). Já o histérico acima disse que isso era uma lei nacional já em pleno vigor.

    É o equivalente a um vereador de São Tomé das Letras querer decretar velocidade máxima para jumentos e alguém dizer que isso é uma lei nacional.

    Esse é o nível do cidadão.
  • A realidade sobre a Suécia  28/02/2019 21:54
    Não, não é só uma feminazi histérica.

    A Suécia não é só proibir o homem de mijar em pé.

    Na Suécia:
    1) estupro coletivo é encarado como cultura
    2) terroristas recebem moradia do governo
    3) crianças aprendem a odiar os pais na escola
    4) proselitismo ateu
    5) passeata de 50 gêneros promovendo aborto.

    Não é fake. Na Suécia tudo isso acontece. Se tem dúvidas, pesquisem um carinha chamado PeterSweden, um cidadão sueco. No twitter dele, ele informa tudo sobre o que ocorre na Suécia em inglês.

    Ou vocês acham que conhecem mais sobre a realidade da Suécia do que um sujeito que MORA NA SUÉCIA?
  • Jader Lúcio Pinheiro Sant'Ana  27/02/2019 20:36
    Pessoal, ando tentando entender mais tecnicamente assuntos relacionados à economia. Além de estarlendo Mises, comprarei livros do Friedmann e do Bastiat. Qual versão dos livros do Adam Smith a Riqueza das Nações me recomendam? Mas também gosto de conhecer o lado oposto, por isso queria a difícil missão de ler Marx. Devo comprar O Capital?
  • Vinicius  27/02/2019 23:42
    Gasta dinheiro com essa merda não. Baixa da internet
  • Bibliotecário  28/02/2019 01:16
    O capital de Karl Marx deve ser o livro mais disponível em qualquer biblioteca do Brasil. Faça uma carteirinha qualquer e o aluguel gratuitamente.
  • Imperion  28/02/2019 01:26
    Baixa ele. Gastar pra que. Comprar é capitalismo. Socialista nao deve cobrar por um livro. Mas nao perda seu tempo. Slivro de socialismo não e sobre economia. É sobre vender fantasias, fazer apologia. É mais politico que economia.
  • Bueno  28/02/2019 13:16
    Adam Smith descobriu a engrenagem que funciona ate hoje onde os cidadaos desejam conduzir seus paises de maneira inteligente e honesta. No meio do caminho surgiram os que nao tem apego ao trabalho e a familia para querer viver do trabalho do outro .
  • Jader Lúcio Pinheiro Sant'Ana  28/02/2019 13:35
    Obrigado, pessoal. Vou tentar baixar. Mas e quanto aos livros do Adam Smith, qual versão da Riqueza das Nações seria melhor pra começar?
  • Gustavo A.  01/03/2019 18:34
    Se vc quer ler o lado contrário, leia Keynes. Marx é conto de fadas.

    Keynesianismo é o câncer na economia mundial e o real inimigo dos liberais.
  • Antonio Oliveira  28/02/2019 09:50
    O debate sobre economia entre a população geral tem melhorado muito, com o nível de informação e conhecimento cada vez maior.
    Mas ainda existem muitas pessoas que trazem dados superficiais ou opiniões pessoais no intuito de confundir.
    Para toda comparação primeiramente se estabelece a medida padrão e nesse caso são os países como um todo. Confundiram com a diversidade que existe dentro de cada um desses países.
  • IBGE  28/02/2019 12:49
    Saiu o PIB 4º tri 2018 do Brasil, mas peguem um microscópio para conseguirem ver.

    g1.globo.com/economia/noticia/2019/02/28/pib-do-brasil-cresce-11-em-2018.ghtml
  • Intruso  28/02/2019 14:09
    Esse mapa aí é simplesmente ridículo, colocar o Brasil na mesma posição dos pobres países da África subsaariana é achinchalar demais essa nossa nação. A coisa está feia, mas nem tanto.
  • Ulysses  28/02/2019 16:29
    * Se você nega a dificuldade que é empreender neste país;

    * Se você nega o suplício que é ter de lidar com a burocracia, com papeis, taxas, cobranças, cartórios, filas, carimbos, licenças e propinas (você sempre tem de "molhar" a mão de vários fiscais para conseguir alguma "agilidade");

    * Se você nega o martírio que é ter de lidar com o mais complexo código tributário do mundo: você trabalhar até o dia 2 de junho de cada ano apenas para pagar os 93 tributos (impostos, taxas e contribuições) que existem no Brasil. E pagar esses impostos requer 2.600 horas apenas para preencher os formulários (mais do que o dobro do segundo colocado, a Bolívia). Quem não pagar é punido com cadeia e confisco de bens.

    * Se você não reconhece que não há sequer infraestrutura para transportar e vender seus bens produzidos.

    * Se você desconhece que, ao contratar um empregado com um salário de mil reais por mês, esse empregado pode chegar a lhe custar, aproximadamente, dois mil e oitocentos e trinta reais por mês — ou seja, mais do que o dobro do salário. (O corriqueiro é que ele custe, no mínimo, dois mil reais).

    Então, meu filho, ou você é funcionário público ou algum megaempresário cheio de contratos com o governo. Vá tentar ser um pequeno empreendedor no interior do Nordeste e veja quanto tempo você sobrevive. E aí volte para dizer novamente o que pensa deste ranking.
  • Ederson  28/02/2019 16:19
    Minha esperança é de que o sr Paulo Guedes consiga por em prática suas idéias liberais - algumas pelo menos - para poder tirar nosso pais dos últimos lugares desse ranking de liberdade econômica.
  • Constatação  28/02/2019 16:54
    Suprema ironia: a maioria dos países que já foram comunistas com mais liberdade econômica do que Banânia.
  • anônimo  28/02/2019 18:39
    O Brasil somente começou a entrar no "neoliberalismo" em 1989. A URSS implementou a Perestroika em 1985. China liberou o mercado em 1978.

    America Latina é um local amaldiçoado. Até comunistas conseguem ser mais sensatos do que os jênios daqui.
  • Rodolfo Andrello  01/03/2019 17:01
    Conquanto o texto já seja extremamente rico, creio que a exposição de algumas variáveis para comparação poderiam oferecer uma melhor perspectiva. A comparação feita entre Portugal e Brasil, por exemplo, poderia incluir algumas informações sobre custos de vida. Particularmente considero ser uma variável da maior importância. A título de exemplo, recentemente eu pude escolher entre continuar em meu cargo atual numa cidade do interior ou ir ocupar um outro cargo na capital ganhando cerca de 20% a mais, e precisei ser bem minucioso sobre essas variáveis. Já se eu saísse daqui para Portugal eu não saberia dizer quão maiores deveriam ser os meus rendimentos para atingir o mesmo grau de qualidade de vida que eu desfruto atualmente.
  • Leitor Cavalo  01/03/2019 17:46
    É só clicar no relatório e lê-lo. E também no banco de dados. Tá tudo ali.

    Agora, convenhamos, né? Exigir que um artigo traga, do nada, detalhes minuciosos sobre a diferença de renda entre duas cidades do interior do Brasil e duas cidades do interior de Portugal (por que não outro país) é querer um tantinho demais...

    O mal da humanidade é querer tudo na mão, sem esforço e de graça!
  • Felipe Lange  01/03/2019 19:36
    Mandei ontem dois artigos traduzidos prontos para o Mises Brasil (artigos os quais já estão disponíveis em meu blog em gestação). Vamos ver se aceitam.

    Mudando de assunto, quais os melhores gráficos (e indicadores) e métodos para saber se determinado governo cortou despesas e a economia cresceu ou não? Eu conheço até alguns sites bons, mas são muitos dados diversos. Por exemplo de países como EUA e Brasil.
  • Desesperado  02/03/2019 02:25
    Os países pobres e livres do continente são Peru e Paraguai, é isso mesmo? Para qual deles eu devo mover meu pequeno buffet e loja de aluguel de roupas? Porque Brasil não dá mais. Quem pode me passar mais informações sobre esses países?
  • Augusto  02/03/2019 02:35
    Chile e Colômbia.
  • Desesperado  06/03/2019 16:50
    Chile é caro demais para mim e Colômbia já estive lá, é mais perigosa que o Brasil. Fico entre Peru e Paraguay mesmo, alguém pode me ajudar com informações sobre esses países?
  • Andre  06/03/2019 18:44
    Ambos países em termos macroeconômicos são invejáveis e a prosperidade é evidente ao caminhar pelas ruas, com placas de precisa-se por todos os lados, lojas cheias e pessoas motivadas, Peru é mais livre para empreender, tem um mercado interno considerável e robusto, porém o clima é severo e desastres naturais são comuns, já o Paraguay precisa de muitos serviços ainda, em algumas cidades da Gran Asunción carecem até de uma pizzaria decente, o mercado interno é pequeno e os paraguayos se comunicam no idioma guarani. Se está na dúvida pode ir visitar esses países, não se decepcionará e valem cada centavo da viagem.
  • Caacupé  02/03/2019 02:36
    Quién es el país verde oscuro cerca de Turquia y Russia?
  • Trader  02/03/2019 02:42
    Geórgia.

    Que também está bem no ranking da Heritage.

    www.heritage.org/index/ranking
  • Ninguem Apenas  02/03/2019 17:14
    Leandro,


    Alguma perspectiva de escrever um artigo sobre a Geórgia(o país do Cáucaso)? kk

    O país é frequentemente usado pela esquerda como prova que o livre mercado não tira um país da pobreza. É claro que as leis da economia são irrefutáveis e nenhum esquerdista vai conseguir provar o contrário usando um empirismo falsificado.

    No entanto, adoraria ver um artigo sobre a mesma e as perspectivas quanto ao futuro.


    Desde já, agradeço!
  • Leandro  02/03/2019 22:36
    Fico bastante lisonjeado com a lembrança, mas não faço a mais mínima ideia sobre o que se passa na Geórgia (forcei a memória e só consegui lembrar o nome da capital após três minutos; só sabia que começava com T).

    Exceto Brasil, só me sinto relativamente à vontade para escrever sobre EUA e determinados países da Europa. E só. Nem da América Latina eu me arrisco.

    Especificamente sobre a Geórgia, absolutamente nada sei. E creia-me: ninguém sabe. Não no Brasil. Mal sabemos sobre a Rússia, quiçá a Geórgia.

    Abraços!
  • Ninguém Apenas  04/03/2019 01:20
    Obrigado pela honestidade Leandro. Eu costumo fazer pedidos bem incomuns nesse site também, espero não incomodar kk

    Mas fico no aguardo de um próximo artigo teu, tenho certeza que será excelente como todos os outros.

    Obs: Viu as eleições na Estônia hoje? A vitória do partido reformista é algo realmente bom de se comemorar em kk
  • Adam Smith  04/03/2019 01:55
    Há algum ranking que meça a quantidade de subsídios que o governo dá para a iniciativa privada?

    Nem precisamos de um ranking para saber que o Brasil seria o primeiro disparado, mas existe algo assim?
  • anônimo  06/03/2019 17:36
    Lógica da esquerda brasileira: diz que o Brasil não é socialista, mas possui a cara de pau em dizer que os países europeus são.
  • Jose Flavio  06/03/2019 18:52
    Tenho que discordar sobre a tabela . Estou em Portugal , e não vejo razão de incluir esta nação como livre. Há um cipoal regulatorio neste país que uma reforma de pintura em sua casa, deve ser aprovada na camara ( prefeitura ) e isto pode levar anos . Um alvará de construção pode levar 10 anos . Livre ? Terrenos agrícolas devem seguir diretrizes impostas pelo estado para seu uso . Voce não pode plantar batatas onde o estado diz que tem que ser milho. Ha cidades em que a maior força laboral está concentrada no serviço publico, criando regras que transformam o empreender em Portugal em r uma tarefa impossível . Quando Padre Antonio Vieria disse , que "para nascer Portugal, para morrer o mundo ", fico com a certeza que o espirito desbravador do portugues se foi , deixando um povo nada ambicioso devido ao PESO a carregar desta nação nada livre.
  • eugenio  06/03/2019 23:40
    CRIAR DIFICULDADES PARA VENDER FACILIDADES

    Não é por nada que nós Brasileiros somos o que somos,refletimos usos e costumes culturais;criar dificuldades para vender facilidades |(licenças,vistos,alvarás com vencimentos curtos etc)

    Há pouco tempo fiz pequenas compras pelo correio em sites de Portugal, Cintra, e o detalhismo,burocratismo DE LÁ, E CÁ TAMBÈM, é CÔMICO. Não estão valorizando o tempo, dificultando e complicando procedimentos simples de negócios, RITUALIZANDO DEMAIS.

    Lembram o tempo da brilhantina, dente de ouro,suspensório,abotoadura,prendedor de gravatas,galochas...

    Cidades com casario e predios de vários séculos,parecem remendões e reformados,modestíssimos, não se observa renovação em arquitetura e engenharia.

    Na minha percepção, se entrasse em um container e o abrissem em Portugal, ao sair do container daria a impressão de ser este, uma máquina do tempo.

    Mas ainda passa a idéia de que ganha de CUBA o "paraíso comunista" do esquerdismo de trouxas.
  • YURI OLEGARIO VIANNA  07/03/2019 10:49
    Galera, sou novo no estudo/conhecimento da escola austríaca e do pensamento libertário.

    Fiquei incomodado com a notícia abaixo, ainda mais que alguns conhecidos meus (esquerdistas) a usaram como argumento para defender estatização de vários setores da economia.

    economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/03/07/tni-884-reestatizacoes-mundo.htm

    Eu ainda não tenho conhecimento suficiente para contrapor o conteúdo dessa matéria.

    Se alguém puder dar uma olhada e contra argumentar, fico muito grato.
  • Régis  07/03/2019 14:36
    Boa tentativa. Mas fraca.

    Todos os exemplos citados, todos, são de parcerias público-privadas e concessões monopolísticas, as quais são a antítese da livre concorrência.

    Na prática, políticos concedem o monopólio da exploração de um serviço para seus empresários favoritos. O político entrega um setor ao empresário amigo, o qual está completamente protegido da concorrência, e em troca esse empresário amigo paga propinas para o político.

    Ora, se o mercado é fechado pelo governo, o qual proíbe a concorrência e garante uma reserva de mercado para a empresa vencedora da licitação, temos um perfeito exemplo de mercantilismo, que é o oposto de um livre mercado. Obviamente, não tem como isso dar certo.

    Há vários artigos neste site explicando por que PPPs e reservas de mercado não têm como funcionar. PPP é reserva de mercado; é monopólio privado garantido e protegido pelo governo.

    A chave para tudo está na propriedade privada. Apenas aquilo que pertence genuinamente a alguém será tratado com a máxima eficiência e de modo a trazer o máximo retorno. Um encanamento ou uma estrada cuja gestão foi concessionada é como um carro alugado pelo período um mês. No início, você tem muito cuidado e carinho por ele, pois sabe que vai precisar dele em boas condições por um bom tempo. Ou seja: você precisa que ele lhe traga um bom retorno. Porém, à medida que a data de devolução vai se aproximando, você inevitavelmente passa a ser mais relapso, não se importando em verificar seus fluidos e sua calibragem de pneus. No extremo, você até se diverte fazendo um pequeno rali na lama ou jogando-o em vários buracos numa estrada.

    Por que se preocupar? A ideia é apenas extrair o máximo do recurso, exaurindo-o sem preocupações. O carro não é seu e você logo o estará devolvendo ao dono. Para que cuidar bem dele? O mesmo é válido para qualquer serviço concessionado.

    Apenas quando a estrada ou serviço de água tem um dono legítimo, que poupou, investiu e construiu com capital próprio, é que ela será gerida da melhor forma possível. Porém, apenas isso não garante a qualidade do serviço. Este serviço precisa estar submetido à livre concorrência (de outras empresas de água ou de outras estradas que fazem a mesma rota).

    Somente em um ambiente de propriedade privada e livre concorrência é que a busca pelo lucro se traduz em benefícios ao consumidor. Qualquer outro arranjo que se afaste desse será inevitavelmente pior. Entregar um serviço monopolístico a alguém e ficar regulando o preço e o modo de gestão desse serviço é algo que simplesmente não tem como dar certo.

    Artigos sobre como fazer essa livre concorrência no setor de água, saneamento básico e infraestruturas:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=646

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1614
  • YURI OLEGARIO VIANNA  07/03/2019 23:54
    Valeu Régis. Obrigado pela resposta

    Vou ler os artigos que vc indicou.

    Abraço !!
  • Andre  07/03/2019 19:11
    O mais interessante é ver que países no qual o comunismo realmente deu as caras, hoje são mais livres que a gene, como China e Rússia.

    Agora, será que o EUA vai continuar tão verde assim, com essas novas políticas externas do Trump?
  • Felipe Lange  07/03/2019 19:53
    Pessoal, alguém sabe quais os melhores gráficos (e indicadores) e métodos para saber se determinado governo cortou despesas e a economia cresceu ou não? Eu conheço até alguns sites bons, mas são muitos dados diversos. Por exemplo de países como EUA e Brasil.

    Queria ver onde poderia obter informações acerca da regulação imobiliária aqui nos EUA, até também para fazer comparativos com relação ao Brasil.
  • eugenio  08/03/2019 01:06
    Se alguém puder informar , quais critérios e quais em que niveis, podemos considerá-los, para enquadrar países em vermelho,verde,amarelo,;não tenho estudos especializados nesta área e então aprendo muito por aqui. Deve existir padrões etc para se saber, em função de dados estatísticos.
    Não necessáriamente porque algum país que tem grande mortalidade infantil é muito menos livre do que outros, é assim de modo geral, mas não necesssáriamente.Um conjunto de procedimentos,quais e em que níveis.
    Se alguem souber, agradeço .
  • Emerson Luis  16/03/2019 12:34

    No Brasil nós temos menos liberdade econômica do que em diversos países oficialmente comunistas, estamos posicionados mais perto da Coreia do Norte do que da Coreia do Sul, mas ainda assim há pessoas que "acusam" o Brasil de ser capitalista.

    * * *


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.