clube   |   doar   |   idiomas
A “Hora do Planeta” celebra o atraso e o retorno a um estilo de vida primitivo e selvagem
Condenar a eletricidade é atentar contra o progresso e o bem-estar da humanidade

No último sábado, dia 31 de março, ativistas ambientalistas ao redor do mundo celebraram a Hora do Planeta (veja como foi no Brasil).

Em um período de 60 minutos, governos, empresas e a população de todo o mundo foram convidados a apagar as luzes e a não utilizar nenhum aparelho elétrico para demonstrar "sua preocupação com as mudanças climáticas" e "seu comprometimento com o Planeta Terra"

Sendo uma pessoa racional, posso apenas abominar esse comportamento. E meus motivos passam longe de ser uma mera birra contra ambientalistas: o grande problema é que a Hora do Planeta é uma apologia ao atraso e ao primitivismo.

Contra o progresso

Eletricidade abundante e barata foi a maior fonte de libertação do ser humano no século XX. Todos os avanços materiais e sociais ocorridos no século XX dependeram da proliferação de eletricidade confiável e acessível. 

As mulheres só conquistaram a liberdade de poder trabalhar fora de casa porque a disponibilidade de eletricidade permitiu a massificação do uso de aparelhos domésticos eletroeletrônicos, os quais reduziram enormemente o tempo dedicado às tarefas da casa, bem como o fardo físico exigido por tais tarefas. (A simples invenção da máquina de lavar — que depende de eletricidade — gerou uma cascata de efeitos positivos impossíveis de serem corretamente mensurados).

As crianças só puderam parar de fazer trabalhos pesados, e passar a se dedicar aos estudos, porque a disponibilidade de eletricidade permitiu um aumento na produtividade da mão-de-obra dos adultos (uma serra elétrica é mais produtiva que um serrote) e, consequentemente, uma diminuição no número de pessoas necessárias para realizar uma mesma função (libertando as crianças). Adicionalmente, foi a eletricidade que permitiu que as crianças pudessem ler e estudar da maneira segura dentro de ambientes fechados.

O desenvolvimento e a oferta de serviços modernos de saúde são absolutamente impossíveis sem eletricidade. A expansão da oferta de alimentos e a promoção de hábitos de higiene e de nutrição só ocorreram porque nos tornamos capazes de irrigar campos, refrigerar e cozinhar alimentos, e ter um contínuo fluxo de água quente em nossas casas. 

As populações mais pobres do mundo ainda sofrem brutais condições ambientais dentro de suas casas por causa de necessidade de cozinhar alimentos e de iluminar suas casas fazendo fogo com galhos e estrume. Essa ausência de eletricidade, além de causar desmatamento local, ainda causa a proliferação de doenças pulmonares. 

Qualquer pessoa que realmente queira melhorar as condições de vida do terceiro mundo deveria deixar a ideologia de lado e se dar conta da importância de ter acesso à eletricidade barata gerada pela queima de combustíveis fosseis em estações geradoras.  Afinal, foi assim que o Ocidente se desenvolveu.

Toda a mentalidade em torno da Hora do Planeta é uma mentalidade que demoniza a eletricidade. Isso, sinceramente, é inaceitável. Eu celebro a eletricidade por tudo aquilo que ela propiciou à humanidade. A Hora do Planeta celebra a ignorância, a pobreza e o atraso. Ao repudiar o maior propulsor da libertação humana, a Hora do Planeta se transforma em uma hora dedicada ao anti-humanismo e ao obscurantismo. Os adeptos da Hora do Planeta fazem o gesto hipócrita de desligar aparelhos elétricos triviais, durante um período de tempo trivial, em deferência a uma abstração mal definida chamada "o Planeta", ao mesmo tempo em que têm a segurança de que continuarão se beneficiando de uma oferta de eletricidade contínua e segura. Apenas pessoas acostumados a todos os confortos fornecidos pela eletricidade podem se dar ao luxo desse gesto farisaico.

Pessoas que veem virtude em ficar sem eletricidade deveriam, por coerência, desligar suas geladeiras, fogões, fornos microondas, computadores, ar-condicionado, chuveiro elétrico, lâmpadas, televisões e todos os outros aparelhos elétricos (inclusive smartphones e tablets) por um mês, e não por apenas uma hora. E deveriam ir a todas as unidades cardíacas dos hospitais e desligar a eletricidade de lá também.

Já eu não quero voltar a um estado brutal da natureza. Vá a uma região atingida por terremotos, enchentes e furacões, e você verá o que é retroceder ao estado natural do ser humano. Para seres humanos, viver em condições "naturais" significaria uma vida extremamente curta marcada pela violência, pela doença e pela ignorância. 

Pessoas que genuinamente querem ver o fim da pobreza e uma redução drástica das doenças são exatamente aquelas que lutam contra essa condição "natural" da vida na terra. Espero que essas sempre deixem suas luzes acessas.

Aqui em Ontário, onde moro, por meio do uso de tecnologias de controle de poluição e de engenharia avançada, a qualidade do nosso ar melhorou dramaticamente desde a década de 1960, não obstante a grande expansão da indústria e da oferta de energias elétrica, mineral e derivada de combustíveis fósseis. 

Se, após tudo isso, formos aceitar a ideia de que as emissões remanescentes são maiores do que todos os benefícios da eletricidade, e que por isso temos de nos envergonhar e nos punirmos ficando uma hora no escuro, como crianças de castigo por terem feito estripulias, então estaremos dizendo que a natureza imaculada é um ideal absoluto e transcendental, que está muito acima de todas as outras obrigações éticas e humanas. 

Não, obrigado. Gosto de visitar a natureza e observá-la, mas não quero viver no meio dela. E me recuso a aceitar a ideia de que a civilização, não obstante todos os seus defeitos, é algo de que devemos nos envergonhar.

Conclusão

É impossível querer reduzir a produção de eletricidade (e de combustíveis fósseis) e acreditar que isso será positivo para a humanidade.

Além de todas as invenções humanitárias possibilitadas pela eletricidade, vale enfatizar o básico: para que haja progresso humano e redução da pobreza, é necessário haver um contínuo aumento na produtividade da mão-de-obra, o que aumentaria a oferta de bens e serviços para todos. Só que esse aumento da produtividade só é possível se houver um constante aumento na quantidade de energia disponível per capita. Caso contrário, para compensar este não aumento da energia disponível, cada trabalhador terá de aumentar sua carga de trabalho muscular caso queira continuar produzindo mais e melhores bens e serviços. E isso seria um ataque direto ao nosso padrão de vida. Afinal, nossa qualidade de vida depende primordialmente de um fato: nossa força muscular, que é bastante modesta, tem de ser continuamente auxiliada por quantidades cada vez maiores de energia elétrica e mecânica, na forma de máquinas e motores alimentados por combustíveis fósseis ou eletricidade. 

Por isso, esse obscurantismo anti-eletricidade é uma apologia do atraso e do retrocesso a um estilo de vida primitivo e selvagem.

Neste ano, assim como no ano passado e em todos os outros anos anteriores desde 2007 (ano em que o evento foi criado), o vencedor da Hora do Planeta foi a Coreia do Norte. Ironicamente, este é o modelo de civilização a que aspiram os ativistas.

N v S Korea.jpg

O que eu fiz durante a Hora do Planeta? Enquanto os obscurantistas exigiam escuridão, fiz questão de acender absolutamente todas as luzes da minha casa, dentro e fora, para celebrar a civilização humana.



autor

Ross McKitrick
é professor de economia  na Universidade de Guelph, Ontário, Canadá.
 

  • Breno  26/03/2018 14:39
    Semana passada, na quarta-feira, houve A Hora do Planeta em praticamente todo o nordeste brasileiro, que sofreu um apagão. Nenhum progressista teve a coragem de vir a público cantar em verso e prosa para os nordestinos os benefícios humanitários daquela falta de eletricidade. São uns hipócritas.
  • Victor Albuquerque Cavalcante  08/04/2018 22:32
    Se é tão bom assim, deveriam tentar esperar por um ônibus mais de duas horas no completo escuro -- como eu fiz -- só para presenciarem o quão "bom" é essa iniciativa tão retrógrada, que enseja o fracasso, afinal, ninguém quer, verdadeiramente, abnegar seus doces privilégios; e, dessa forma, torna-se em um gesto vazio, ignorado pela maioria da humanidade.
  • Desconhecido  26/03/2018 14:42
    E graças a deus esse tipo de gente não representa a maioria, a maioria está se lixando para essas campanhas ambientais. A mídia faz parecer que há muito gente engajada nessas coisas, mas não é verdade, a mídia faz parecer que está todo mundo boicotando o facebook, chorando pela Marielle, criticando fantasias de índio no carnaval ou olhando a sustentabilidade do produto antes de comprar, mas a verdade é que ninguém liga para essas coisas.
  • Felipe Lange  26/03/2018 18:47
    Verdade. Essas ideologias geralmente ganham simpatia das elites de esquerda.
  • Titus  28/03/2018 16:40
    A verdade é que dados cientificos indicam que estamos caminhando em direção a um planeta muito diferente, onde a população humana irá colapsar.

    Querer transformar isso em ideologia politica é lamentavel. Tipico do povão gado.
  • Tannhauser  26/03/2018 14:45
    Essa besteira ainda existe?
  • Wilson  26/03/2018 14:58
    A tal "Hora do Planeta" foi mais uma campanha publicitária, na verdade um farisaismo. "Olhem só eu economizei uma hora de energia elétrica!!!" Gritam os entusiasmados ecologistas. Conheço muitos assim, que falam o que os outros devem fazer, mas eles mesmo não o fazem. Os próprios ecologistas não deixam seus carros na garagem para andar nos ônibus lotados oferecidos por nossos "prefeitos". (E os mais ricos não saem de seus jatinhos, como Al Gore e Leonardo Di Caprio).

    Se é o certo viver da forma que os ecologistas querem então que deixem seus carros na garagem, não usem o aquecimento de suas residências e principalmente plantem o próprio alimento que consomem conforme técnicas "ecologicamente corretas". Lembrando que não vale comprar legumes e hortaliças orgânicas no mercado, pois, elas estão embaladas em plástico e isopor.
  • André   26/03/2018 14:54
    Se o CO2 de fato aumentasse bastante e o planeta ficasse mais quente, isso seria ótimo para agricultura. Mas infelizmente nós não podemos interfirir muito no CO2 global. O volume de CO2 que nós produzimos é insignificante em termos de circulação natural entre ar, água e solo…
  • Felipe Lange  26/03/2018 18:49
    Ah mas o Pirula e outros canais científicos falam que o homem tem poder de interferir no clima global... Gosto do canal dele mas tem coisas que... É complicado.
  • danir  26/03/2018 20:10
    Ola Felipe Lange. Canais Científicos? Você poderia enumerar aqueles que podem ser apontados como 100% sérios? Eu gostaria de acessá-l0s. e aprender um pouco mais sobre a questão. TKS.
  • Felipe Lange  27/03/2018 02:28
    Olá Danir, eu infelizmente pouco sei sobre.
  • Leigo  27/03/2018 12:49
    "Ah mas o Pirula e outros canais científicos falam que o homem tem poder de interferir no clima global... Gosto do canal dele mas tem coisas que... É complicado."

    Vai dizer que 7 bilhões de pessoas, usando isquerios, ventiladores, geladeiras, fogões, carros, aviões, máquinas gigantescas, os quais geram calor, não interferam no clima global?

    Não sou contra a prosperidade, mas dizer que não há interferência no clima, parece ilógico.
  • Humberto  27/03/2018 15:12
    "O planeta já passou por tantas coisas ruins: já passou por terremotos, vulcões, placas tectônicas, movimento de continentes, raios solares, manchas solares, tempestades magnéticas, inversão magnética dos pólos, centenas de milhares de anos bombardeado por cometas, asteróides e meteoros, enchentes globais, maremotos, incêndios globais, erosão, raios cósmicos, eras glaciais recorrentes... e alguns idiotas acham que algumas sacolinhas de plástico vão fazer diferença?!

    O planeta não vai pra lugar nenhum, nós vamos. Ele vai se curar, vai se limpar, porque é isso que ele faz. É um sistema que se autocorrige. E se é verdade que o plástico não é degradável, então o planeta vai simplesmente incorporá-lo em um novo paradigma: Terra + Plástico.

    A Terra não compartilha nosso preconceito em relação ao plástico; o plástico saiu da terra. É apenas um de seus filhinhos. Pode ser a única razão pela qual a terra nos gerou: ela queria o seu plástico, mas não sabia como fazer. Agora que já tem, o próximo passo será nos expelir como poeirinhas insignificantes. Dã."

    George Carlin - Save the Planet

  • Felipe Lange  27/03/2018 16:14
    Interferem menos que o Sol, os vulcões, as correntes marítimas e a Lua. Ainda bem que os burocratas da ONU não tem capacidade de interferir no Sol com legislações...
  • Thiago Ribeiro  01/04/2019 01:08
    O Fisico Turista, Pirulla, Nerdologia, Ciencia todo Dia, Kurzgesagt – In a Nutshell....

    Vale a pena da uma conferida
  • Mercado Verde  26/03/2018 14:58
    Vai se acostumando porque essa galera vai ganhar espaço cada vez mais. E vai só piorar, eu quero ver qual vai ser a próxima "moda".

    É o mercado anti eletricidade, mercado anti água, anti carne vermelha, mercado verde, sustentabilidade e todas essas baboseiras pra fazer o povo comprar essas ideias.


    E concordo com o autor, só gente mimada e acostumada ao conforte é que tem esse luxo de desligar a energia, a não comer carne, a não usar água e acha que ta salvado o "Planeta"com isso. Nossos ancestrais lutaram tanto, passaram fome, frio e escuridão e estariam envergonhados desse pessoal hoje em dia.


  • Nico  26/03/2018 15:59
    Algumas imagens foram assustadoras. Um bando de gente rodeada em torno de velas fazendo uma oração às deusa Gaia, prometendo exterminar a humanidade para proteger algumas árvores. Parece até ritual de magia negra.

    goo.gl/images/5XnQRa
  • Sérgio  31/03/2019 17:33
    Não deixa de ser uma agenda satânica. Se você observar e analisar, toda a agenda anti-humana defendidas pelos ativistas progressistas modernos, como: ambientalismo, defesa dos direitos dos animais, feminazismo, aborto, casamento gay... tudo isso é para promover o controle populacional e a extinção da espécie humana. Tudo isso é satânico. É uma agenda que vai contra os planos de Deus. Deus disse na Bíblia: crescei-vos e multiplicai-vos, ou seja, povoais a terra. Satanás apóia o contrário. Se a espécie humana não procriar o que acontece? É extinta.
  • Guilherme Amorim  03/04/2019 19:16
    Casamento gay não é algo anti-humano, são só outros humanos querendo utilizar sua liberdade individual.
  • Pobre Paulista  03/04/2019 19:56
    Lógico que é, basta levar o argumento ao extremo, se todos virarem gays a humanidade termina. O ponto levantado é justamente esse: a esquerda se vale dessas liberdades individuais para promover sua agenda totalitária.
  • André  05/04/2019 03:57
    Concordo! É simples e direto. Não tenho nada contra gays, tem alguns na minha família pra terem ideia... gente do meu sangue! Agora, É ABOMINAÇÃO e ponto final! Não existe acordo nesse ponto. Como o colega disse acima, se todos forem a humanidade deixa de existir. Mesmo entre os animais, onde há essa prática, coisa que muitos "gaylords" usam para defender essa decisão de vida; a sobrevivencia da especie depende de MACHO E FEMEA, nunca dois iguais, simples assim. Não tem acordo nessa aí, é abominável, é loucura, é moralmente errado, e NÃO TEM NADA DE "NORMAL" NISSO, é, foi e sempre será uma aberração. Isso quer dizer que devam ser escrachados? Claro que não, são seres humanos que optaram por um estilo de vida grotesco, mas é uma escolha delas. Agora, defender isso... jamais!
  • Emerson  05/04/2019 17:54
    Não se preocupe demasiadamente com a ameaça de extinção da espécie, está tudo sob controle.

    Se partir do pré suposto que ser gay não é uma escolha, que há uma predisposição, então podemos dizer que é uma condição biológica.

    Sendo uma condição biológica a seleção natural continua funcionando perfeitamente, gays não procriam, portanto não passam seus genes pra frente.

    Conclusão, podemos conviver e respeitar os gays tranquilamente pois não apresentam ameaça a continuação da espécie.
  • Matheus  26/03/2018 14:58
    Muito interessante o ponto de vista abordado no texto. Realmente, vemos mutas pessoas que estão agindo como crianças colocadas de castigo. Eu também vejo que o intuito das pessoas é por uma causa justa, mas realmente colocar a culpa pelas mudanças climáticas na eletricidade é algo absolutamente estúpido, na realidade não passa de uma mera transferência de responsabilidades. As mudanças não deveriam ser manifestadas em apenas 60 minutos de falta de energia, mas sim em uma vida inteira de um consumismo mais regrado e mais sustentável, as mudanças não devem ser realizadas por modismos, mas sim devido a um padrão cultural que incentive a reciclagem.

    Devemos reciclar, reutilizar, não nos punirmos por conta do grande avanço que foi a descoberta da eletricidade.
  • danir  26/03/2018 20:21
    Olá Matheus. Eu discordo que estas pessoas estejam com o intuito de defender uma causa justa. Acredito que são indivíduos despreparados para analisar um problema com profundidade e tirar conclusões que não sejam utópicas, infantis e inviáveis. É causa justa voltar à idade da pedra para evitar que a eletricidade não "consuma" o planeta? É causa justa considerar o planeta como um organismo vivo e por este motivo condenar o único organismo vivo que faz a diferença e que pode levar as coisas para um patamar mais alto, beneficiando no processo todos os organismos que vivem neste mesmo habitat? Alem das passeatas carregando velinhas, consumindo oxigênio a toa, o que mais elas fazem para realmente melhorar o mundo? Eu acredito na sabedoria das pessoas que mesmo sem um grau maior de estudo, conseguem trabalhar por um mundo melhor, e que fazem algo de prático. Caminhadas noturnas carregando velas em copinhos não estão dentro de minha concepção de trabalhar por uma causa justa, com alguma sabedoria.
  • Eduardo  26/03/2018 15:00
    Por que ainda não criaram o dia da tecnologia, um dia no ano onde todos no planeta Terra, nos cinco continentes, pudessem expor em feiras mundiais inventos úteis para a humanidade? Não podemos esquecer que a tecnologia é o fator principal para a mudança de rumos da história, por exemplo, quando o homem dominou a técnica de produzir fogo, ele virou a primeira chave da história, é inegável as consequências positivas que isso gerou. Se a evolução fosse um erro, o homem teria nascido acéfalo e não sobreviveria.
  • Carlos  26/03/2018 15:09
    1) Aquecimento Global Antropogênico é um delírio de uma meia dúzia de charlatães de New Anglia e com muito dinheiro por trás, para avançar essa hipótese inteiramente estapafúrdia, cujo objetivo é a Nova Ordem Mundial. Um único governo para o mundo todo, basicamente.

    2) CO2 é o gás da vida, quanto mais, melhor. Ele não causa aquecimento e sua concentração atmosférica (ppm) aumenta APÓS as temperaturas já terem elevado. Logo, a concentração desse gás é consequência, e não causa, de aquecimentos no nosso planetóide ridículo.

    3) Se CO2 fosse realmente péssimo, hediondo, maléfico, etc. e tal, não haveriam empresas que se ocupam de envasar esse gás em cilindros visando aqueles que possuem estufas. Sabe por quê? Porque CO2 deixa todos os vegetais muito mais vistosos, como mencionado no ponto anterior.

    4) 1%, 2%, 99% de "consenso" nas ciências exatas é irrelevante. Ou é, ou não é. Então todos aqueles que padecem de dissonância cognitiva, deficiência lógica, ou simplesmente burrice, aprendam que esses chavões jornalísticos (97% de consenso) são tão úteis à nossa existência quando o peido de uma drosófila.

    5) Parem de ler Nature, Scientific American e outras revistas que já foram capturadas pela corja do IPCC. Aliás, sabiam que o chefão do IPCC é um engenheiro... ferroviário?

    6) O Custo para reduzir a concentração de CO2 (o que não é um problema) vai custar quadrilhões de dólares ao longo dos anos e não vai adiantar de nada. Com certeza, essa é a janela quebrada mais cara da história.

    Ao invés de se achar "cool" porque apóia uma iniciativa "sustentável" ou "green" ou qualquer outra joça que vocês verdinhos por fora e vermelhos por dentro acham numa segunda-feira e deixam de achar na quarta, façam um favor a si mesmos e aos seus semelhantes: defendam o livre-mercado. Não há maior promotor de preservação do que o ele.
  • Felipe Lange  26/03/2018 18:52
    Que revistas eu poderia ler, que tenham credibilidade?
  • danir  26/03/2018 20:27
    Olá Carlos. Eu deixei de comprar a Scientific American, quando começei a ler os editoriais, que deveriam ser escritos em papel vermelho, com um fundo da efigie de Marx. Totalmente tendenciosa. Não é mais ciência.
  • gean  26/03/2018 15:09
    Deveria se chamar ( A HORA DOS IDIOTAS ). Comportamento de manada , esses idiotas não param para pensar nem um segundo sobre os avanços que a eletricidade trouxe para a ciência e melhoria na qualidade de vida da humanidade.

    Tem um programa chamado (LARGADOS E PELADOS) demonstra é muito o estilo de vida que os ambientalistas idiotas gostariam de ter.

    Imagine viver uma luta diária pela sobrevivência. ( caçar, se proteger de animais , evitar ficar doente, se abrigar das forças da natureza ) Isso tudo sem nada que a moderna economia de mercado pode nos proporcionar. Seria um verdadeiro inferno diário.

    Parabéns Globalista e Socialista por sua contribuição a mediocridade humana.
  • Sérgio  26/03/2018 15:22
    Parece até que fazem essas campanhas para ir condicionando o povo ao estilo de vida socialista.
  • TONINHO  26/03/2018 16:15
    nota 1000 para seu comentário
    as vezes percebo que uma ideia foi lançada a 40 50 anos e agora todos os imbecis acreditam nela. O estilo socialista de se viver na miséria agride o meio ambiente muito mais que o capitalismo, mas fazer o que, "os imbecis vão dominar o mundo; não pela força e sim porque eles são muitos".
  • Constatação  26/03/2018 15:28
    Salve os computadores (movidos a biomassa) com os quais esses ignorantes úteis acessaram a internet (movida a vento) para promover essa presepada !
  • Bolsonaro o unico honesto  26/03/2018 16:21
    Libertários americanos já estão a favor do desarmamento.
  • Tarabay  27/03/2018 17:07
    Então não são libertários, pois apoiam a restrição à liberdade ao porte de arma.
  • Matheus  26/03/2018 16:51
    Ai está um ponto negativo que o Capitalismo proporciona, devido aos avanços de produtividade tecnológicos, sobra demasiado tempo ocioso para gente idiota ficar disseminando bobagem. Como já dizia o velho jargão popular "mente parada é oficina do diabo".
  • Pobre Paulista  26/03/2018 18:21
    Mas o próprio Carlitos Marques usou esse argumento para prever que o Capitalismo iria se auto-destruir.
  • Matheus  26/03/2018 19:38
    Desta forma a auto destruição está na humanidade e não num sistema econômico....
  • Felipe Lange  26/03/2018 17:03
    Me orgulho em ser de biológicas e não ser ambientalista. Felizmente hoje estou curado disso. Eu nem fiquei sabendo dessa palhaçada que achei que tivesse acabado.
  • ohmega  26/03/2018 23:30
    Fora a turma que é contra os agrotóxicos querendo que todos plantem organicamente (o que é quase impossível, pois não se produziria em quantidade suficiente e teríamos um problema maior: Fome generalizada).
  • Felipe Lange  27/03/2018 16:15
    Já tentei plantar de maneira orgânica: achei uma bela canseira, pra produzir quase nada.
  • Felipe Lange  27/03/2018 16:16
    Na Unesp aqui de São Vicente percebi um pouco desse viés ambientalista em alguns professores. Já são um clássico para mim.
  • Bruno  28/03/2018 17:32
    Gosta do livre mercado? Tire todos os subsidios do agronegocio tradicional e veja onde irá parar a produtividade.

    É bem capaz que se mercado organico recebesse os mesmos beneficios, a produtividade ficaria parecida em algum tempo.
  • Aleixo  29/03/2018 12:27
    Como é que é? Você está dizendo que subsídios aumentam a produtividade?!

    Essa é nova. Quer dizer então que quanto mais o sujeito sabe que a renda dele está garantida sem que ele tenha de fazer esforço, maior será a produtividade dele? Deve ser por isso que funcionários públicos são extremamente produtivos...

    Entenda o básico, cidadão: subsídio nada mais é do que o estado tributar Pedro e repassar a Paulo. Dizer que Paulo será mais produtivo quanto mais dinheiro ele ganhar coercivamente de Pedro é um atentado à lógica.

    Se eu sou um produtor rural e sei que o governo irá me repassar dinheiro independentemente de meu esforço, minha produtividade será ínfima. Minha renda está garantida de todo jeito.

    Por outro lado, se eu não recebo subsídio nenhum e toda a minha renda vem de minha satisfação aos consumidores, aí sim é que terei de ser produtivo. Caso contrário, morrerei de fome.

    É cada ignaro que despenca por aqui... E o curioso: quanto mais ignorante, mais arrogante.
  • Bruno  04/04/2018 00:42
    Kct... o cara diz que nao existe desperdicio para o q tem preco... vamos adotar a novolingua e duplipensar e dizer que nao existe desperdicio de agua, comida, energia, etc. na sociedade.

    E sim, vc comprando comida e jogando fora pode afetar, pois impede alguem de consumir. Classico caso de rivalrous & excludable goods.

    E vc acha que o preco da energia no mercado esta considerando corretamente os precos das externalities? Pesquisadores ja' indicam que nao.

    No mais, e' muito fanatismo que encontro...
  • Entreguista  03/04/2019 23:11
    Agricultura tradicional tem subsidios kkkkkk esse no minimo deve ser um desses batedores de carimbo inutil de estatal.
  • Lee Bertharian  26/03/2018 17:21
    É o inferno coletivista, o "remorso incutido". A todo momento temos de nos sentir culpados pelos pobres, homossexuais, negros, camada de ozônio... e eletricidade.
    Obviamente a solução proposta passará pela criação de entidades hierarquizadas, prontinhas para promover o "sei-lá-o-quê" social.
    Só não consigo entender a última modinha saudável: por que raios, nós, mamíferos, passamos a demonizar o leite? É impressionante como passou a ser "cool" ser intolerante à lactose...
  • KARL MARX  26/03/2018 17:22
    Escolha a melhor alcunha para esses seres com velas nas mãos:
    a) Idiota contumaz
    b) Hipócrita abobalhado
    c) Imbecil incorrigível
    d) Papagaio de babaca
    e) Otário de vagabundo
    f) Analfabeto por natureza
    g) Burro com iniciativa
    h) Todas as anteriores
  • Bruno  03/04/2018 17:21
    Acho que so nao sao piores que o autor que se comporta como uma crianca birrenta e acende todas as luzes. Reclama de mimimi mas faz mimimi ao cubo.
  • Jorge  03/04/2018 17:59
    Ui, esse é seu único argumento? Impactante. Profundamente intelectual.

    Aliás, permita-me dar-lhe mais munição: neste exato momento (14:58h), estou com a luz do meu escritório acesa e com o ar condicionado no talo. Se isso é ser "criança birrenta" e "mimimi", então estou fazendo isso com orgulho.

    E você? Como escreveu este comentário sem usar eletricidade? Se estava no computador, gastou eletricidade. Se está no smartphone, está usando uma bateria que usou eletricidade para ser carregada.

    Acho que mimimi é melhor que ser um ignorante contraditório como você.
  • Bruno  03/04/2018 19:37
    E esse e' seu melhor? Eu falei para nao usar eletricidade? Ou achou melhor construir um espantalho para bater mais facil?

    Desperdicar energia e' ignorancia em mais de um nivel, caso nao saiba. Esperneia, crianca.
  • Jorge  03/04/2018 20:26
    Desperdiçar?! Desperdício é um conceito que só se aplica a bens gratuitos, ou bens não precificados. Bens escassos são precificados exatamente para que não haja desperdício.

    Sendo assim, se estou consumindo um bem escasso e pagando seu preço de mercado por ele, então, por definição, não está havendo desperdício nenhum. Haveria desperdício se esse bem fosse decretado gratuito pelo governo. Aí sim não haveria qualquer racionalidade no consumo. Aí sim haveria desperdício.

    Se eu deixo a luz da minha casa acesa 24/7, eu pago por isso. Não há desperdício nenhum, pois o recurso consumido está sendo devidamente pago. Meu ato de deixar a luz acesa já leva em conta o preço deste bem escasso, e minha valoração subjetiva incorporou esse preço.

    Igualmente, se eu loto meu prato de comida e pago o preço de mercado por isso, não estará havendo desperdício nenhum, pouco importa se eu irei comer tudo ou jogar tudo fora. Para você, não faz diferença nenhuma eu jogar tudo fora, pois, em tese eu poderia ter comido tudo, e você ficaria na mesma.
  • Mirian Otto Algarve  01/04/2019 18:08
    Perfeito
  • Emerson  03/04/2018 20:28
    Cristo Rei! O cara deixar a luz acesa por uma hora enquanto o resto mundo ficava apagado é desperdício?! Conservadores querem ser fiscais do cu alheio; progressistas querem ser fiscais do interruptor alheio (desde que o deles, obviamente, jamais se apague). No final, é tudo a mesma laia.
  • Oswaldo  26/03/2018 19:44
    Fundação Oswaldo Cruz é estatal e é o maior produtor de vacinas da febre amarela, inclusive vende mais barato que o laboratório francês privado

    O FIOCRUZ é essencial e extremamente relevante para a saúde pública. E a iniciativa privada de vocês, fizeram o que pela saúde?

    Saúde deve ser pública e privada, aniquilar a pública é um tremendo risco para a saúde dos mais pobres

    Tudo bem, o governo brasileiro não precisa e nem deve ter 150 empresas estatais.
    Bancos, empresas petroliferas, correios e afins devem ser totalmente privados

    Agora saúde 100% privado acho muito arriscado, basta ver o orgulho que é a FIOCRUZ aqui do Brasil.

    Nem toda estatal é uma petrobras e correio da vida...

    Abraços

  • Felipe Lange  27/03/2018 16:42
    "Fundação Oswaldo Cruz é estatal e é o maior produtor de vacinas da febre amarela, inclusive vende mais barato que o laboratório francês privado[...]"

    Tem fontes e referências sobre?

    "O FIOCRUZ é essencial e extremamente relevante para a saúde pública. E a iniciativa privada de vocês, fizeram o que pela saúde?"

    Com certeza muito mais do que na saúde estatal, tanto é que uso serviços de plano de saúde que só não são melhores e mais baratos graças à ANS. Essencial e extremamente relevante segundo o seu critério, e se eu disser que não? Não interessa, eu continuo sustentando com impostos coercitivamente.

    "Saúde deve ser pública e privada, aniquilar a pública é um tremendo risco para a saúde dos mais pobres[...]"

    A saúde deve ser desestatizada. Os mais pobres teriam pleno acesso a saúde de qualidade se o estado não atrapalhe com impostos e regulações. Hoje, no sistema estatal, os mais pobres é que mais sofrem, enquanto os ricos podem ou viajar para outro país ou se tratar em algo como um Hospital Sírio-Libanês (inclusive o Lula, defensor do SUS mas na hora de tratar o câncer tratou lá).

    "Tudo bem, o governo brasileiro não precisa e nem deve ter 150 empresas estatais.
    Bancos, empresas petroliferas, correios e afins devem ser totalmente privados[...]"


    O governo brasileiro deveria sumir. Todas as federações devem declarar secessão.

    "Agora saúde 100% privado acho muito arriscado, basta ver o orgulho que é a FIOCRUZ aqui do Brasil."

    Muito arriscado por quê? Você está afirmando que em um caso a lei econômica funciona, e em outro não. Por que a FIOCRUZ não pode ser uma instituição privada operando no livre mercado e os outros setores não? Saúde estatal é algo que sempre será podre, caro e cruel.

    "Nem toda estatal é uma petrobras e correio da vida... "

    Por que não? Em todas as estatais há desperdício de recursos escassos, serviços artificialmente caros (maquiados por impostos) e sem preocupações com lucros e prejuízos. Leia esse artigo.

    Abraços

    Outro.
  • Oswaldo  28/03/2018 11:08
    O FIOCRUZ é responsável por fazer a vacina contra a febre amarela, assim como fez contra a zika
    Graças a ele temos vacinas mais baratas que o laboratorio frances privado...

    portal.fiocruz.br/noticia/fiocruz-investe-na-qualificacao-de-trabalhadores-surdos

    portal.fiocruz.br/noticia/fiocruz-avanca-em-transferencia-de-tecnologia-contra-tuberculose

    Isso demonstra que nem toda estatal é uma petrobras da vida...
  • Ricardo Bahia  03/04/2019 20:42
    Governo se preocupa tanto com a saúde que o pobre compra uma caixa de remédio e tem que dar outra caixa de remédio para o governo
  • danir  26/03/2018 20:05
    Fico imaginando que beleza, que romantismo, que bucólico podermos viver em São Paulo, cidade pujante, humanizada cheia de moinhos, parafusos de arquimedes e monjolos movidos pela nossa melhor força animal. Minha dúvida é se os animais que seriam usados neste afan teriam a força vigor necessários ao esforço, já que necessariamente seria muito maior do que o trabalho que realizam ao participar de campanhas como estas. Fico me lembrando dos primeiros bondes tracionados por jumentos, os carros a vapor, os barcos a vela, ou as trirremes, onde os escravos - que seriam substituidos por estass pessoas - que de forma voluntária e absolutamente desprendida dariam o seu quinhão pela causa.. Porque não pensei nisto antes? Uma sugestão é que adotem uma forma vegana, comendo somente grama, e assim diminuam a produção de proteina animal, embora aumentem a produção de pum, que pode de repente acelerar o efeito estufa? Podemos formar um grupo de estudos para analizar o problema e chamá-lo de "A hora da grama". Fico me perguntando, quando o bom censo triunfará, e o que acontecera com estas "bestas vestidas"? Será que têm salvação, ou irão junto com o planeta e nossa paciência?
  • sergiowjr  27/03/2018 15:31
    O problema é que não se pode maltratar animais; e atualmente pra considerar mal trato não é preciso muito. Os animais utilizados nessa cidade, nesse caso, provavelmente seriam pessoas, mesmo (desde que branco, hétero, homem e maior de idade - visto que todo o restante precisa se protegido de algum modo).
  • Guilherme Menezes  27/03/2018 11:51
    "Vai planeta"
  • anônimo  27/03/2018 13:25
    esqueceu de mencionar um dos maiores benefícios: a geladeira. Ela reduziu drasticamente os índices de doenças no sistema digestivo, incluindo o câncer
  • Tiago  27/03/2018 15:09
    Tá escrito lá:

    "Pessoas que veem virtude em ficar sem eletricidade deveriam, por coerência, desligar suas geladeiras, fogões, fornos microondas, computadores, ar-condicionado, chuveiro elétrico, lâmpadas, televisões e todos os outros aparelhos elétricos (inclusive smartphones e tablets) por um mês, e não por apenas uma hora."
  • danir  27/03/2018 16:40
    Mas aí, seria seria radicalismo demais.
  • Lucila M.S. Adami  27/03/2018 16:07
    Esqueceu o Continente Africano? Qual sua opinião ?
  • Henrique Miranda  28/03/2018 11:59
    Seria bom que a ONU, onde a sua cúpula é constituída pelos grandes fabricantes de arma no mundo, parassem com a produção dessa, por uma hora. Que a justiça cessasse as brechas que a lei permite para que a injustiça não seja estabelecida. Que a população deixasse de ser corrupta, abdicasse do "JEITINHO BRASILEIRO". Por uma hora colocasse a mão na consciência e percebesse que as oligarquias no poder, não estão nem aí para o povo!
  • Andre  28/03/2018 18:24
    A multinacional Chevron admitiu perante a justiça americana que a ação do homem é a principal causa das mudanças climáticas recentes, apesar das inúmeras evidências científicas contrárias apresentadas aqui nesta seção de comentários.
  • João Girardi  31/03/2018 03:04
    Apenas mais uma empresa que quer que o governo regule o setor em que ela atue para que não tenha concorrência.
  • Salvador  31/03/2018 16:46
    Ainda bem que essa secao de comentarios é cheia de climatologistas renomados, apesar de serem ridicularizados pela conspiracao da onu, ipcca, iluminatis, reptilianos, socialistas fabianos e marxistas culturais. Dominam todos os centros de pesquisa do mundo. Que lastima! Vou colocar meu capacete de papel aluminio pra me proteger!
  • Paulo Henrique  31/03/2019 14:29
    Ainda bem que climatologistas são economistas e seres oniscientes que não saem de suas áreas de atuação.
    Afinal, concluir que o aquecimento global existe é o mesmo que propor políticas geniais - como imposto de carbono global - e concluir que isso será menos danoso para a humanidade que o imposto. Afinal, eles são capazes de prever os efeitos com precisão. Como por exemplo, AI GORE
    E com base nesse catastrofismo propor políticas publicas.
    Ou ainda, o green new deal, no qual até democratas ridicularizaram e votaram contra

    Como se pode ver, é uma conspiração que políticos querem nos tornar mais miseráveis
  • Emerson Luis  18/04/2018 15:33

    Com a palavra, Cardoso:

    contraditorium.com hora do planeta

    * * *
  • Luiz Novi  31/03/2019 15:18
    Se a preocupação é com o meio ambiente, não seria muito mais coerente ao invés de apagar as luzes, dar destaque à todas as luzes provenientes de energia limpa, como a solar e a eólica, vindas por meio da LIBERDADE de criação da mente humana???
  • Geraldo  31/03/2019 21:56
    Concordo plenamente. Bem mais honesto do que simplesmente "apagar as luzes".
  • Felipe Lange  31/03/2019 20:11
    Pessoal, gostaria de perguntar um assunto que está fora desse artigo, mas que talvez tenha alguma relação com o panorama político existente hoje no Brasil: O que seria exatamente a maçonaria? Teria ela alguma relação com as raízes políticas e econômicas no Brasil?

    Dom Pedro II era maçom? Os militares na República Velha eram maçons?
  • Rafael Góis Silva  31/03/2019 20:39
    Perfeito!
  • Oreste  31/03/2019 23:08
    Há um ponto, sim, de luminosidade na Coréia do Norte: da capital Pyongyang e do palácio do ditador anão de jardim. Hora do planeta para os outros, não para ele, que apoiam esta iniciativa patética. No caso desse país a hora do planeta é regra permanente. Só um bando de imbecis mesmo...
  • Felipe Lange  01/04/2019 13:05
    Leandro, o que você achou do leilão da ferrovia Norte-Sul? A notícia:

    "A Rumo (RAIL3) venceu nesta quinta-feira (28) o leilão do trecho de 1,5 mil quilômetros da Ferrovia Norte-Sul. O lance foi de R$ 2,719 bilhões - o que representa um ágio de 100,92% em relação ao mínimo de R$ 1,35 bilhão. O prazo de contrato é de 30 anos.

    O empreendimento já recebeu R$ 16 bilhões em investimentos públicos e o edital prevê o aporte de mais R$ 2,8 bilhões ao longo do período de concessão. Este foi o primeiro leilão do setor ferroviário nos últimos 12 anos.

    A estimativa do governo é que, ao final da concessão, o trecho ferroviário tenha demanda equivalente a 22,73 milhões de toneladas. O trecho leiloado tem 1.537 km e vai de Porto Nacional, no Tocantins, a Estrela d'Oeste, em São Paulo."


    Qual você acha que será o resultado? Por que o Bolsonaro simplesmente não vende esse troço para alguma empresa privada, sem essas gambiarras de concessões? Custo político?
  • Leandro  01/04/2019 13:21
    Na condição da acionista da Rumo, e em nome da honestidade intelectual, irei me isentar de comentar.

    Mas, sim, você está certo. E eu subscrevo tudo o que está neste artigo:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2958
  • Felipe Lange  02/04/2019 00:28
    Isentar de comentar sobre o quê?
  • Intruso  02/04/2019 13:31
    Acho que ficou claro, não? Sendo ele acionista da Rumo, não seria intelectualmente honesto ele comentar o resultado de um arranjo que irá beneficiá-lo.
  • Pobre Paulista  02/04/2019 13:59
    Aliás, gostei disso, vou aproveitar a deixa pra provocar os austro-xiitas do blog com uma pergunta:

    É imoral investir em empresas privadas que são beneficiadas por determinados arranjos estatais?

    PS: Exijo coerência com o discurso de que "é imoral investir em títulos públicos".

    Valendo!
  • Carlos Alberto  02/04/2019 14:43
  • Che  01/04/2019 15:32
    No livro "Sapiens, uma breve história da humanidade", Harari deixa bem claro que o advento da agricultura ha 10 mil anos, tornou o ser humano infeliz, escravo do trabalho. Deveríamos retornar gradualmente a uma convivência harmônica com a natureza, menos ganaciosa e mais feliz.
  • Gary Prado  01/04/2019 15:42
    Concordo. Aí nem daria tempo para ser infeliz, pois em três dias todos já estariam mortos de fome. É um bom plano.
  • Gustavo A.  01/04/2019 17:29
    Fique a vontade, é só comprar um sítio e praticar a agricultura de subsistência, não há nada que te proíba.
  • Bode  01/04/2019 23:14
    Na Bíblia Sagrada a queda do homem do Éden resultou na determinação divina: "ganharás o pão com o suor do teu rosto". Certamente Adão era um caçador-coletor.
  • Helliton  01/04/2019 16:01
    A hora do planeta mantém o padrão de vida dos países desenvolvidos. Esses países já tem suas hidrelétricas prontas porém é proibido fazer uma nova em países subdesenvolvidos. Eles forçam os subdesenvolvidos a consumir menos eletricidade e manter a deles barata.
  • Revoltado  01/04/2019 16:39
    Desligar toda a energia elétrica de casa por uma hora?

    Então os ecochatos poderiam parabenizar-me (ou ao menos premiar-me financeiramente), pois considerando que passo o dia todo fora de casa (sequer almoço em casa), contribuo, e bastante, para o bem do meio-ambiente, exceto pelo Co2 que libero volutariamente/involuntariamente, é claro (só rindo mesmo)
  • Direitista  02/04/2019 14:32
    Excelente artigo até salvei aqui para reler depois.

    O que eu vou falar aqui não tem a ver com o texto mas é algo que vem me incomodando e acredito que aqui têm pessoas inteligentes para ajudar.

    Existe uma rede social chamada Quora na qual as pessoas respondem perguntas feitas pelos usuarios, mas não sao perguntas bobas, são perguntas sobre temas importantes como politica e economia.

    E lá ta sendo um lugar de disseminação de absurdos economicos por parte de gente leiga, como por exemplo "que os EUA é um péssimo lugar para o trabalhador" e essas respostas possuem milhares de visualizações e voto positivos.

    As vezes eu tento responder mas tem assuntos la que eu ainda nao entendo o suficiente para explicar bem.

    Sendo assim considere criar um perfil la para combater a desinformação.
  • Revoltado  03/04/2019 14:07
    Uma consideração tenho a fazer:

    Se há algo que compõe o bojo deste raciocínio equestre, é a hipocrisia.

    Os que mais fervorosamente defendem a "preservação do meio-ambiente" querem na verdade os privilégios da vida moderna para eles exclusivamente. À escumalha, à plebe, apenas uma vida de vassalagem feudal, idêntica a dos infelizes norte-coreanos que não fazem parte do Partido. Energia elétrica, automóveis, iates, helicópteros/jatos para gente como Leonardo de Caprio e Al Gore. Ao restante, lomoção animal e bicicletas, se tanto.

    O ex de uma amiga, tempos atrás, me contou que a Dinamarca quer em até cinco anos banir os veículos movidos à gasolina. Inequívoca prova de quão nocivo o PC conseguiu alcançar, infiltrando-se na esfera governamental de nações, inchando o Estado mais.

    Em menor escala, esta hipocrisia entra mesmo no campo individual/relacional; lembro-me agora de duas pessoas (ambos homens e destacados sociais a seu modo). O primeiro, meu supervisor, investe e lê bastante a respeito de criptomoedas em geral, já investiu na Bolsa em anos anteriores, mas quase surta ao ouvir o nome de Bolsonaro e desde que o conheço, sempre declarou apoio ao PT., no bom estilo "capitalismo para mim, socialismo aos demais". O segundo, um primo que tenho, vai à festas todo final de semana, nas quais beija de duas a quatro garotas em média, já teve cinco namoradas sérias e quase sempre me condenava pelo meu estilo de vida, de contratar profissionais do sexo quando desejo, já falando que eu deveria aderir à abstinência. Este, influenciado pelo Budismo, sempre dizia a mim que meu comportamento traz "vibrações negativas", ignorando de que a filosofia de Sidarta Gautama também considera a conuta dele (incluindo relações sexuais frequentes) como obstáculo para "atingfir-se a iluminação". Ou seja, "toda liberdade sexual para mim, moralismo puritano despejado sobre mim"...

    De qualquer modo, escrevi o bastante por hora.
  • Ricardo Bahia  03/04/2019 20:37
    Ambientalismo é desculpa para tomar o seu dinheiro via impostos.
  • Askeladden  05/04/2019 23:15
    Também achava babaquice até visitar Pequim e a Índia, a tarde não se vê nada a mais de 200 metros de distância devido à poluição.
  • Andre  06/04/2019 16:39
    Já existe tecnologia disponível pra capturar essas partículas de poluentes na fonte emissora, basta investir, mas adivinhe, nesses países podres e sem liberdade investe-se apenas o mínimo necessário para se obter o retorno do investimento mais rápido possível sob ótica de curto prazo.
    Essa associação entre produção e poluição vem dos tempos em que não haviam tecnologias de controle ambiental industrial lá nos anos 70 e chegou a ditar o urbanismo de muitas cidades ocidentais. Na cidade de São Paulo durante muitas décadas a zona oeste foi muito mais desejável para viver do que a zona leste, pois os ventos predominantementes na região sopram de oeste pra leste carregando a poluição.
    Soma-se história mal escrita, conhecimento técnico pouco difundido, liberdade econômica em declínio e cidades ocidentais materializadas sob conjuntura ambiental dos anos 70 e antes temos essa ignorância sistematiza sobre o tema ambiental.
  • Askeladden  06/04/2019 23:57
    Pois é em países sub desenvolvidos o povo não entendem que desligar a luz por uma hora é só uma forma para chamar a atenção aos problemas ambientais e cobrarem que se use tecnologia disponível nas fontes emissoras.
  • Jairdeladomelhorqptras  01/05/2019 15:23
    Caro Lee Bertharian
    Quanto ao leite.
    O ser humano quando jovem produz lactase. Uma enzima que auxilia a digerir o "açucar" do leite: a lactose. Nos adultos (segundo as professores de fisiologia médica) a produção da enzima lactase cai ou cessa. Daí alguns adultos terem dificuldade de consumir leite.
    De qualquer maneira o ser humano é o único mamífero que depois de adulto continua a consumir leite. Isto pode indicar alguma coisa.
    Só para reforçar: estou de pleno acordo c om o autor do texto acima. Vivi muito tempo sem eletricidade em área tropical. O problema mais dramático (alem de todos os outros problemas citados) era a conservação dos alimentos.
    Abraços


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.