clube   |   doar   |   idiomas
O papa errou sobre a economia de mercado: a mão invisível transforma ganância em benevolência
E é isso o que realmente ajuda os pobres e oprimidos

Em um encontro com estudantes de economia do Instituto dos Chartreux, com sede na cidade de Lyon, França, o papa Francisco fez um alerta:

É essencial que desde já, e em sua vida profissional futura, vocês aprendam a permanecer isentos do fascínio do dinheiro e da escravidão que ele cria para quem faz dele um culto. É importante que possam ter a força e a coragem de não obedecer cegamente à mão invisível do mercado.

Francisco também os aconselhou a se tornarem "promotores e defensores de um crescimento na igualdade".

O papa tem um ponto

Embora seja um economista profissional, devo dizer que sou simpático às observações do papa Francisco. Com efeito, creio que muitos de meus colegas defensores da economia de mercado são afoitos demais ao ignorar e desprezar críticas ao livre mercado dizendo que são rudimentares, desta forma ignorando sentimentos arraigados que motivam a popular desconfiança em relação ao capitalismo.

Especificamente sobre os comentários do papa aos estudantes em Lion, creio que todos podemos concordar com Francisco que, de fato, o fascínio e o encanto do dinheiro são uma armadilha para aqueles o veneram e fazem dele um culto (nas palavras dele próprio).

A Bíblia ensina que o amor ao dinheiro é a "raiz de todo o mal", e as pessoas de todas as tradições religiosas — ou as que não têm religião nenhuma — certamente podem reconhecer que a busca obcecada e bitolada pela riqueza material não é um modo de vida.

Mas ele não está totalmente correto

Tendo concordado com o papa até aqui, devo dizer que discordo profundamente de seu repúdio à "mão invisível".

Não é que eu simplesmente acredite que o papa Francisco deveria apreciar melhor o funcionamento da economia de mercado. Sendo eu um cristão devoto, creio que essa famosa metáfora de Adam Smith ilustra um padrão na maneira como Deus lida com Seus filhos caídos: afinal, a "mão invisível" é exatamente o arranjo que faz com que o interesse próprio, o individualismo e a busca pelo dinheiro e pela riqueza se transformem, ainda que inadvertidamente, em cuidado e preocupação para com o bem-estar de terceiros.

Em uma genuína economia de mercado — isto é, em um ambiente no qual não há subsídios, não há protecionismos e privilégios garantidos pelo governo, e não há barreiras governamentais à entrada de concorrentes —, o interesse próprio e a busca pela riqueza fazem com que a cooperação social seja estimulada e, consequentemente, terceiros sejam beneficiados pelas interações voluntárias no mercado.

Para ilustrar isso, suponha que João seja um indivíduo completamente egoísta, individualista e obcecado em acumular riqueza. Ele só pensa em si próprio, venera o dinheiro e quer enriquecer rapidamente. Só que, em uma economia de mercado, na qual os direitos de propriedade de terceiros são respeitados, João só pode alcançar esse objetivo se ele induzir todos os outros indivíduos a voluntariamente cooperarem com ele. 

Ou seja, João terá de oferecer algo que seja do interesse desses outros indivíduos. 

Mais ainda: João só conseguirá isso se o que ele oferecer for melhor do que todas as alternativas existentes. João não pode coagir ninguém a consumir seus bens e serviços.

Sendo assim, embora seja egoísta e não se importa em nada com os outros, João tem de agir de maneira a atender os interesses daqueles que estão ao seu redor. Só assim João poderá alcançar seus próprios interesses.

Vale enfatizar: mesmo que João seja um "adorador do dinheiro" e esteja obcecado apenas em enriquecer, ele — para alcançar seus objetivos — terá inevitavelmente de beneficiar terceiros no mercado, fornecendo-lhes bens e serviços de qualidade, e esperando que essas pessoas, voluntariamente, consumam estes bens e serviços. E para que elas consumam estes bens e serviços fornecidos pelo egoísta João, estes têm de ser de qualidade.

Desta forma, o egoísmo de João é domado e direcionado para a cooperação com terceiros, fornecendo-lhes mais opções de consumo e beneficiando-lhes como resultado desta interação.   

Esse é o milagre descrito na metáfora da mão invisível de Adam Smith. 

Sim, empreendedores são motivados pelo desejo de auferir lucros monetários. No entanto, em uma economia de mercado, a única maneira de um empreendedor auferir lucros é servindo bem seus clientes. 

Foi por isso que, em meu livro Lições a um Jovem Economista, escrevi:

Um dos mais belos aspectos de uma economia de mercado é que ela é capaz de domar as pessoas mais egoístas, ambiciosas e talentosas da sociedade, fazendo com que seja do interesse financeiro delas se preocuparem dia e noite com novas maneiras de agradar terceiros. Empreendedores conduzem a economia de mercado, mas a concorrência entre empreendedores é o que os mantém honestos.

Ou, citando o próprio Adam Smith em seu livro A Teoria dos Sentimentos Morais:

Por mais que um indivíduo seja tido como egoísta, há evidentemente alguns princípios em sua natureza que o tornam interessado no bem-estar de terceiros, e que fazem com que a felicidade deles seja necessária a ele. [...] Restringir nossas emoções egoístas e satisfazer as emoções benevolentes é o que constitui a perfeição da natureza humana.

Em outras palavras, nosso interesse individual inclui o aprofundamento da nossa natureza benevolente.  

Empreendedores em busca do lucro têm necessariamente de se preocupar com a satisfação dos outros. E atender aos desejos e demandas de terceiros não só é o exato oposto da ganância e do individualismo, como também é profundamente benevolente.

A mão invisível é o que transforma ganância em benevolência

Por tudo isso, empreendedores que "obedecem cegamente à mão invisível do mercado" estão fazendo algo muito maior do que "cultuar o dinheiro". Em uma genuína economia de mercado, é somente por meio da melhoria contínua de seus bens e serviços que um empreendedor pode prosperar. E isso irá ocorrer somente se ele se dedicar o bastante para agradar a terceiros.

De novo, tal postura é o exato oposto de ganância e desconsideração por terceiros.

Se um empreendedor colocar seus interesses próprios acima de tudo, e deixar os interesses de seus consumidores em segundo lugar, seu empreendimento irá fracassar. E, com o tempo, um empreendedor mais altruísta, mais preocupado em agradar terceiros fornecendo-lhes bens e serviços de qualidade, irá tomar o seu lugar.

Tudo isso nos ajuda a ver que o papa Francisco criou uma falsa dicotomia: ele parece estar exortando aqueles que estão entrando no mercado a ignorar os sinais de mercado e os ganhos pessoais na crença de que isso irá ajudar os pobres e oprimidos. No entanto, o ponto de Adam Smith ao descrever o funcionamento da mão invisível era exatamente mostrar que as pessoas em busca de ganhos pessoais — desde que suas atividades se baseiem em trocas voluntárias e consensuais — acabam promovendo o bem-estar de terceiros.

Em uma economia de livre mercado, a única maneira de alguém se tornar bilionário é criando novos produtos ou serviços que milhões de pessoas queiram usufruir.

A mão invisível é uma mão benevolente

Os cristãos em especial deveriam apreciar este aspecto do capitalismo e da economia de mercado. Assim como no livro de Gênesis José diz a seus irmãos — que conspiraram contra ele — que Deus transformara suas más ações em boas ações, Adam Smith explicou que a mão invisível é um mecanismo benevolente que direciona a ganância e a ambição de alguns para o benefício das massas.

Para coordenar a atividade econômica e mais bem servir aos outros, os seres humanos têm de recorrer às informações emitidas pelos preços de mercado. Estudantes que estão entrando no mercado de trabalho precisam ser guiados pelo sistema de preços de mercado e seu inerente mecanismo de lucros e prejuízos. Apenas assim eles poderão criar valor para terceiros. Apenas assim eles saberão como oferecer bens e serviços a quem realmente está demandando.

De resto, para promover da melhor maneira possível o desenvolvimento material das regiões mais pobres do planeta — e assim reduzir a desigualdade —, empreendedores devem sim se esforçar para aumentar seus lucros praticando transações voluntárias. A busca pelo lucro, quando feita desta maneira, não só não prejudica os pobres, como os beneficia enormemente. No entanto, essa busca pelo lucro de fato irá ameaçar as almas daqueles que fazem desta busca o objetivo único e supremo de suas vidas. Neste quesito, o papa está absolutamente certo.

_____________________________________

Leia também:

O papa Francisco se esqueceu do grande legado libertário da própria Igreja

O papa Francisco e o populismo econômico

O papa Francisco, a desigualdade de renda, a pobreza e o capitalismo

28 votos

autor

Robert P. Murphy

é Ph.D em economia pela New York University, economista do Institute for Energy Research, um scholar adjunto do Mises Institute, membro docente da Mises University e autor do livro The Politically Incorrect Guide to Capitalism, além dos guias de estudo para as obras Ação Humana e Man, Economy, and State with Power and Market.  É também dono do blog Free Advice.



  • Evandro Ferreira  14/12/2017 14:37
    Gostei do tom respeitoso do artigo, que faz até elogios ao papa. O que mais tem hoje é direitista xingando enlouquecidamente o papa (do qual não sou fã) dizendo que ele é marxista e o anticristo (os evangélicos). Por isso apreciei o tom da narrativa. E também o conteúdo (este, como sempre).

    Cordiais saudações.
  • Douglas Santos Leal   14/12/2017 16:51
    Eis um duns grandes problemas da direita liberal e proliferação das suas ideias, tem muito liberal/anarco comparando qualquer modelo que não é o que ele considera ideal com socialismo.
  • Vanessa  14/12/2017 14:43
    O homem não merece censura por desejar o seu próprio bem-estar. É natural esse desejo.

    Ele não é condenável, desde que não seja conseguido com o prejuízo do outro e não prejudique as forças físicas ou morais.

    Todo ser humano tem direito ao bem-estar.
  • Leonardo  18/12/2017 19:34
    Não tem o DIREITO ao bem-estar...

    Todo ser humano tem o direito de BUSCAR seu bem-estar.

    Não é DIREITO o bem-estar o que é DIREITO e de BUSCAR o bem-estar
  • Rafael  14/12/2017 14:45
    "Não é da benevolência do padeiro, do açougueiro ou do cervejeiro que eu espero que saia o meu jantar, mas sim do empenho deles em promover seu 'auto-interesse'."


    Frase que resume muito bem um realidade cotidiana que Francisco parece desconhecer.
  • Carlos  27/03/2018 16:16
    Só que: Temos caso recente que o empenho do açougueiro em promover seu 'auto-interesse' não resultou em coisa boa. Sem valores e padrões éticos que sejam mais importantes do que o lucro, uma sociedade está fadada a barbárie.
  • Mayrink  27/03/2018 16:39
    Duh! Só que o açogueiro em questão recorreu ao governo para conseguir proteção e subsídios (com o dinheiro de impostos do povo). Tal arranjo é exatamente o oposto de um livre mercado. No livre mercado não há protecionismos e nem favorecimentos estatais. Há apenas empresas concorrendo entre si para conquistar o consumidor, sem intervenções e ajudas estatais.

    Você corretamante identificou uma falha grave do intervencionismo, mas erroneamente a atribuiu ao livre mercado. É a falta de leitura.

    Quem defende estado intervindo e regulando o mercado defende corrupção e favorecimentos. Por definição.

    Ah, e não há apego moral que evite isso. Afinal, se você não se corromper (e corromper políticos), seus concorrentes o farão e tomarão sua fatia de mercado. E você irá às falência.

    Quer moralidade? Retire o estado da economia. Não há alternativa.

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2690

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2696

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2737
  • Breno  14/12/2017 14:46
    Ótimo artigo. Bastante didático e explana sobre um tópico recorrente mas fácil de utilizar como argumento em quaisquer discussões, especialmente às situações que requerem maior velocidade do libertário e menos margem temporal para a elaboração de perguntas e respostas.
  • Breno  14/12/2017 14:47
    Todo mundo age instintivamente de forma egoísta. A Madre Teresa pode ter patrocinado a construção de hospitais, mas porque essa ação daria prazer a ela por causa dos paradigmas consolidados, do contrário não faria.
  • Capital Imoral  14/12/2017 14:48
    Minha carta para o Papai Noel.
    De: Capital Imoral.
    Para: Papai Noel.

    Querido Papai noel, eu sei que talvez eu não tenha sido um bom meninx neste ano, lutar contra o golpe que nossa mãe Dilma sofreu realmente me abalou bastante, mas mesmo assim, eu gostaria de fazer alguns pedidos para o senhor.

    Persiga os neoliberais.
    Caro papai noel, eu sei que o senhor é um bom velhinho e não gosta das desigualdades sociais que são geradas, exclusivamente, unicamente, pelo livre mercado. Pois eu gostaria de revelar um segredo para o senhor: Foram os neoliberais que deram o golpe de estado que derrubou nossa presidenta eleita democraticamente. Depois que isso aconteceu, o Brasil entrou em crise oficialmente, pois durante todo mandato de Lula e Dilma eu nunca tinha ouvido na falar na rádio CBN e na Globo News sobre crise no país. Com base na crise institucional criada pelos neoliberais, eu gostaria de pedir para que o senhor junte seus duendes e forme um exército secreto para exterminar os neoliberais no dia de natal. Comece pelo pessoal do MBL, depois instituto Mises, e algumas pessoas chave como Hélio beltrião e Leandrinho do Rock. Eu pessoalmente não gosto do Raphael ride a bike , se possível, faça ele sentir dor. Por favor papai noel, me ajude, eles não usam desodorante e ficam o dia inteiro na frente do computador se masturbando; eu sei que o senhor não gosta dessas porcarias que o capitalismo de livre mercado fornece. Eles também são egoístas e lucram igual porcos com as novas tecnologias. Isso me leva ao meu segundo pedido.

    Acabe com o Blockchain e Criptomoedas
    Eu sempre soube que o senhor não gosta de pessoas egoístas que só pensam no próprio lucro. Pois eu gostaria que o senhor soubesse que a tecnologia blockchain e as criptomoedas estão transformando as pessoas em um verdadeiro monstro do egoísmo e ganância. Todo mundo está pisando em todo mundo, e nunca antes na história da humanidade, houve tanta desigualdade social. Eu sei que o senhor se sente muito triste em saber que tem crianças morrendo de fome na áfrica enquanto os Richards da vida estão lucrando rios de dinheiro e gastando com prazeres desnecessários; tudo isso é muito triste não é mesmo papai noel? o senhor precisa entender que essas duas tecnologias, blockchain e criptomoedas, vão aumentar ainda mais essas discrepâncias sociais. Eu gostaria de pedir para o senhor que essas duas tecnológicas simplesmente sumisse da mente das pessoas e de todos computadores. O senhor poderia usar seu contato com a fada dos dentes e fazer ela visitar todas pessoas do mundo na noite do dia 24, ela poderia usar a varinha mágica e fazer com que todo mundo esqueça essas porcarias; todo mundo iria acordar no dia 25 de dezembro sem ter a mínima idéia do que seja blockchain ou criptomoedas. Este é o meu segundo pedido, Papai Noel.

    Implemente o socialismo no mundo.
    O senhor sabe que desde os meus doze anos de idade que venho pedindo para o senhor, através das minhas cartinhas, implementar o socialismo no mundo. Vejo que o senhor realmente tem feito algumas tentativas através de organizações internacionais, mas, permita-me dar algumas dicas: O senhor poderia entrar em contato com os Russos e Chineses, essas são as únicas forças militares que ainda conseguem defender o socialismo com uma certa resistência bélica; não entre em contato com o Kim Jong-un esse cara está muito louco por culpa do capital. Por falar em pessoas loucas, tente matar o presidente Donald Trump, ele é um dos maiores inimigos do socialismo e liberdade. O senhor poderia encher seu trenó de bombas e sobrevoar Washington jogando todas elas até mata-lo. - Não se preocupe papai noel, qualquer coisa, a gente põe a culpa nos cristãos extremistas que estavam querendo um natal com presépio. - Mas o meu principal pedido, novamente, está na tentativa de implementar um socialismo mundial. Eu sei que o senhor sempre teve a alma socialista, embora seja muito rico e tenha muitos empregados, deixo para o senhor o meu mais importante pedido para este natal: Implemente o socialismo no mundo, nem que seja na base da guerra! Com amor, Capital Imoral.

    Capital Imoral é filósofo, escritor e já refutou Mises.
  • PESCADOR  14/12/2017 15:12
    Olha só esse maluco!
  • JOSE F F OLIVEIRA  14/12/2017 21:24
    É o ÚNICO lugar onde acolhe o CONTRADITÓRIO e capta a sua ESTRATAGEMA do "Capital Imoral"
  • Constatação  14/12/2017 18:40
    Agora começo a acreditar em Papai Noel. O Capital Imoral vem pedido essa bobagem desde os 12 anos, e de lá pra cá o bom velhinho tem feito a porcaria do socialismo ruir pelo mundo (pelo menos o socialismo declarado)
  • Alexandre Dias  19/12/2017 15:46
    Eis um esquerdinha mostrando todo o seu arsenal de maldades de que são capazes para enfiar goela abaixo de quem quer que seja seu ideal socialista "nem que seja na base da guerra", formando "exército" para "exterminar" quem pensa diferente.

    E o cretino ainda quer ser levado a sério...
  • Aprendiz de Administrador  14/12/2017 14:50
    Venho aprendendo que no mundo do empreendedorismo quem não ajuda não é ajudado. Quem não é honesto no produto/serviço que vende tende à falência. E que flexibilidade é o ponto chave na hora de negociar com clientes.

    Enfim, acho que este é o ambiente onde as relações pessoais tendem a ser bem sinceras. O que é ótimo.

    Muito bom o artigo!
  • Matheus  14/12/2017 15:04
    Sou empreendedor. Quando iniciei um projeto, fui chamado de "burro" e "criador de ilusões". Quando fracassei, escutei um "não avisei?". E quando finalmente tive sucesso, fui acusado de ser "opressor".

    Buscando alcançar o status de "opressor", deixei de comprar coisas para mim e para minha família, para minha casa e para meus familiares. Abdiquei de várias e várias horas de lazer para empreender e empregar pessoas, e troquei momentos de sono por livros, artigos e mais livros (apenas para chegar no dia seguinte e ver que o governo criou uma nova lei, e aí tive que começar tudo novamente).

    Enfrentei tudo isso com frio na barriga e sensação de desmoronamento a todo momento, mas enfrentei. Em meu caminho, apesar dos pesares, gereis riqueza e valor para a sociedade, e emprego e renda para indivíduos.

    Mas eu sou o explorador. Já quem quer me expropriar e acabar com tudo isso são aos verdadeiros amantes da humanidade.
  • Cristão  14/12/2017 15:11
    Esse papa está de brincadeira.
  • eita poha  14/12/2017 15:39
    "as pessoas de todas as tradições religiosas — ou as que não têm religião nenhuma — certamente podem reconhecer que a busca obcecada e bitolada pela riqueza material não é um modo de vida."

    Como assim? Eu acho que o materialismo é ruim. Não sou a favor da busca desenfreada por riqueza também. Mas é muita arrogância do autor afirmar que as pessoas "certamente" podem reconhecer que isso "não é um modo de vida". Claro que é, claro que pode ser. Bom ou ruim, pode ser um modo de vida sim. Viver na promiscuidade, violência e drogas é um modo de vida também. Um péssimo e deplorável modo de vida, mas é sim um modo de vida.

    Agora, bonito ver o Papa, do mais reluzente ouro do Vaticano, falar uma frase dessa. Falou a pessoa que tem um cajado de ouro.
  • Reinaldo Filho  14/12/2017 16:46
    OFF (mas necessário):
    DEscobri o IMB e os pensamentos austríacos há pouco tempo. E foi como tirar uma venda dos meus olhos para a economia e liberdade.
    Mas lendo os artigos e a constante critica aos governos, fico sempre com uma dúvida: Existe um tamanho ou função genuina para o Governo na Escola Austriaca ou ele deve mesmo ser eliminado? Qual a diferença para o Anarquismo então?
    Obrigado desde já
  • reinaldo  14/12/2017 18:24
    Obrigado
    Vou conferir cada um deles
  • anônimo  15/12/2017 03:02
  • anônimo  15/12/2017 16:38
    Eu cometi dois erros de digitação na URL dos links:

    - O Estado NUNCA será economicamente mais eficiente a priori do que o Livre Mercado
    - O que significa ser um anarcocapitalista?

    Agora estão corretos.
  • Pacifista  14/12/2017 18:05
    Não é a primeira vez que esse papa, assim como quase todos os demais socialistas prega um conjunto de soluções violentas para reduzir a desigualdade. Segundo essas pessoas, a desigualdade é um problema, e a solução é sempre a violência. É só roubar a propriedade alheia, que tudo se resolve!

    É um fato gravíssimo que um líder religioso, seja qual for a sua religião, incite a população ao roubo!
    E isso vale mesmo que seja um roubo institucionalizado, usando a democracia e o estado como armas do crime.

    Nenhum papa deveria falar de igualdade e caridade, antes de vender todas as riquezas da igreja, começando por todas as obras de arte do Vaticano, e doar todo o dinheiro aos pobres. É o cúmulo da hipocrisia!

    Melhor faria, se seguisse os ensinamentos de seu mestre e pregasse que se "desse a César o que é de César".
  • Renegado  15/12/2017 11:18
    Vc está coberto de razão. sem mais..
  • Gustavo  14/12/2017 18:19
    Comparem os países de maioria católica com o de maioria protestante e vejam que está certo...
  • Constatação  14/12/2017 18:36
    O âmago dessa questão para os católicos é a Doutrina Social da Igreja. E a fala do papa está alinhada com ela.
  • Vladimir  14/12/2017 19:33
    Pior que não está alinhada, não:

    A doutrina social da Igreja Católica e o capitalismo
  • Dalton C. Rocha  14/12/2017 19:10
    Eu nasci aqui em Fortaleza-Ceará, em 1970. Quando criança, eu ainda peguei o Brasil estritamente católico, que estava morrendo, naquele exato momento. Era raro se ver uma igreja pentecostal, nos anos 1970. Uma irmã minha virou crente, tendo já trocado várias vezes de $eita. Algumas pessoas de minha imensa família foram, para $eita$. E sabes por que? Foi que a Igreja Católica, se fez numa mera filial da CUT. A Igreja Católica trocou Cristo, por Karl Marx. Foi desta Igreja Católica, que surgiram coisas como o PT e o MST. Eu vi com os meus olhos, padrecos petistas, marxistas, etc. que nunca falavam de Deus, de Santa Maria ou dos santos, em missa alguma. Eles só falavam de marxismo e gramscismo, para corromper os fiéis. O resultado? Dezenas de milhões de pessoas deixaram o catolicismo de vez, graças a estes padres de passeata e estas freiras de minissaia; royalties para Nelson Rodrigues(1912- 1980). Quatro décadas seguidas de crise econômica levam, como todas as crises que a história já mostrou, uma larga percentagem de pessoas a acreditar, em coisas absurdas. Nos últimos 36 anos, subiram tanto a taxa de criminalidade, quanto a percentagem de brasileiros que seguem as $eita$. A desesperança no mundo real, manda as pessoas a buscarem conforto no absurdo, que é o que as $eita$ de fato podem oferecer. SER, UMA MACUMBA COM FACHADA BÍBLICA.TINA, PELO FATO DE
    Sai o patuá e entra o óleo santo de Israel. Sai o feitiço e entra a teologia da prosperidade. Sai o umbandismo e entra o pentecostalismo. Em suma. Sai o seis e entra o meia-dúzia. Fundado pelo gay, racista, picareta, etc. Charles Fox Parham (1873-1929), o pentecostalismo é um sucesso na América Latina, pelo fato de ser uma macumba, com uma fachada bíblica. Templo é dinheiro. E mentiras. Sobre as "curas" dos pa$tores, veja o site: www.youtube.com/watch?v=fwoc6z6ymcY
    Se Jesus é o caminho, o Bi$po Macedo é dono do pedágio. Se o Bi$po Macedo é seu pa$tor, um dia, tudo te faltará.
    No Brasil, basta que um sujeito se intitule pastor protestante ou médium e pronto. Nenhuma lei, contra o curandeirismo valerá mais nada, contra ele. Basta lembrar do curandeiro Thomaz Green Morton, que há umas décadas atrás, tomou enorme quantidade de dinheiro dos finados senador Teotônio Vilela e de Dina Sfat (1939 – 1989). Ver site: gazetaweb.globo.com/gazetadealagoas/noticia.php?c=226080
    Hoje em dia, a Dilma e o Lula vivem financiando o curandeiro espírita "João de Deus". Ver site: vejasp.abril.com.br/materia/joao-de-deus-medium-perfil .
    Sobre um caso de uma mulher que foi "tratada" várias vezes por este "João de Deus" e que já está morta, ver a foto dela, Lisa Melman, neste site em inglês: lakishajj.wordpress.com/2015/07/09/faith-healer-john-of-god-another-tragic-death/
    Aqui está um site em espanhol, sobre este curandeiro chamado de João de Deus: www.diarioveloz.com/notas/136039-las-cirugias-mediumnicas-joao-deus-i

    E quanto aos mais numerosos curandeiros pentecostais, a bancada ou cambada evangélica lhes garante absoluta impunidade. Caso queira saber como se faz uma "cirurgia espiritual" sofisticada, então veja o site www.youtube.com/watch?v=n5zPG8ho-eg . Se quiseres ver como se faz, uma "cirurgia espiritual" mais simples, que vá ao site www.youtube.com/watch?v=LhP3XEY7IcM . Sobre o grau de patifaria a que chegam os pa$tore$ curandeiros, só para começar, vá ao site: www.youtube.com/watch?v=S6LTuNe7kew
    Sobre a causa real do sucesso dos curandeiros no Brasil, veja os primeiros dez minutos da entrevista deste site: www.youtube.com/watch?v=mK7PImC2Ckw
  • Marcos  14/12/2017 20:26
    Sim, mas o que toda essa carga opinativa tem a ver com o artigo?
  • Renegado  15/12/2017 11:25
    Eu só acredito em Deus. Mais nada do que pregue qualquer religião. Não acredito em Jesus Cristo, e nada que está escrito na bíblia pois esta foi escrita por homens, visando apenas o próprio interesse nas diferentes épocas da história.
  • Osmala  14/12/2017 19:56
    "Um dos mais belos aspectos de uma economia de mercado é que ela é capaz de domar as pessoas mais egoístas, ambiciosas e talentosas da sociedade, fazendo com que seja do interesse financeiro delas se preocuparem dia e noite com novas maneiras de agradar terceiros."

    Existe um erro nessa frase.

    Vou dar um exemplo prático disso. Conheço uma meretriz que adora passar a perna nos clientes.

    Ela é perfeita de corpo, muito chamativa e cobra caro. Mas o programa é horrível.
    Quem foi, nunca mais volta. Isso é fato.

    Moral da história: Ela ta rica.
    Não tem UM cliente que volta, mas ela continua tendo clientes.

    E o pior que a ordinária faz turnê no Brasil inteiro. Um mês ela ta num estado, outra hora ta em outro...
  • Pimp  14/12/2017 20:33
    Não foi escancarada no GpGuia? Falha na autorregulação do mercado? Estranho, em geral funciona bem.
  • Osmala  18/12/2017 16:23
    O mundo real é mais complicado, menino Mises

    E olha que no site que ela divulga, até tem espaço para comentários, e os clientes reclamam, mas ela em conjunto com o anunciante do site(dois mercenários) apagam os comentários ruins e só deixam os bons.

    E os bons geralmente são feitos pelos dois de forma fake, para iludir os novos clientes.

    lamentável esse mundo capetalista.
  • Pobre Paulista  15/12/2017 17:14
    Ela só deixou claro para todo mundo que existe um mercado imenso de gente que gosta de ser enganada.

    Merece cada centavo que ganhou.
  • marcela  14/12/2017 20:13
    De acordo com a bíblia a riqueza por si só não é boa nem ruim,tudo vai depender da forma como foi conquistada e como ela é usada.A única coisa que a bíblia alerta é que não devemos colocar a esperança nas riquezas mas em Deus que nos dá tudo para que nos alegremos.Além disso ensina que devemos agir como o bom samaritano e não amar apenas com palavras mas com atos.Quanto ao papa ele é infalivel apenas quando se pronuncia ex cathedra,o que é extremamente raro.É pouco provável que que ele saiba o que está dizendo quando trata de mão invisível.
  • Renegado  15/12/2017 11:28
    Acredito em Deus e não bíblia.
  • Pobre Paulista  15/12/2017 17:29
    Ninguém perguntou, vá encher o saco em outro lugar
  • AGB  14/12/2017 21:03
    Antes de mais nada é bom avisar que Jorge Bergoglio - dito papa Francisco - é peronista fanático. No tempo do Nestor e da Cristina Kirchner ele achava tudo ótimo e não se opunha ao enriquecimento daquela dupla. Veja o que aconteceu com a economia argentina. Mas Bergoglio ficou quietinho.
  • JOSE F F OLIVEIRA  14/12/2017 21:17
    Papa a estudantes de economia: não obedecer cegamente ao mercado.

    "Na verdade, é essencial que, a partir de agora e na vossa vida profissional futura, aprendais a permanecer livres do encanto do dinheiro, da escravidão em que o dinheiro encerra aqueles que lhe prestam culto. E é também importante que possais adquirir hoje a força e a coragem para não obedecer cegamente à mão invisível do mercado". {Francisco,Papa}

    [pt.radiovaticana.va/news/2017/10/19/papa_aos_estudantes_n%C3%A3o_obedecer_cegamente_ao_mercado/1344028]
  • Luiz Moran  15/12/2017 10:27
    Esse artigo não conta se aquela cruz com a foice e o martelo que esse Papa ganhou (e aceitou) do Evo cocaleiro Morales encontra-se guardada no Vaticano ou se está na residência de familiares do bom velhinho (sic).
  • Eduardo  15/12/2017 12:34
    Breves observações à preocupação de Francisco: Se a direção da igreja está preocupada com o verdadeiro fascínio ao dinheiro, ela deveria combater radicalmente a luxúria e a suntuosidade que permeia o catolicismo pois fico admirado o cuidado à luxúria dos seus templos, catedrais e a vida de seus dirigentes e ministros comparado com a prioridade em que a igreja em geral lida com suas obras sociais. O que vejo quase sempre é uma gritante diferença entre o empenho à essas obras e o empenho à vida boa de seus ministros em geral. Interessante é que tipo de comportamento era peculiar aos fariseus e saduceus do primeiro século que queriam tirar um leve cisco no olho alheio mas não enxergava a trave que estava no próprio olho, e foram fortemente censurados por Jesus.
  • Ana de Souza  15/12/2017 13:26
    Acho difícil encontrar alguém que não seja seduzido pelo fascínio pelo dinheiro. Tanto é que vemos vez ou outra histórias de quem ganhou milhões e perdeu tudo por bobeira. Infelizmente, ficamos cegos quando tem muito dinheiro envolvido. O papa tem boas intenções, mas isso por si só não é o bastante. A discussão nos leva a pensar e a sonhar "e se eu ganhasse 100 milhões"? Entre um devaneio e outro, eu fico aqui cumprindo as 44 horas semanais e juntando um dinheirinho no Tesouro Direto. Como diria minha mãe: "cada um tem o que merece" hahahaha.
  • Pobre Paulista  15/12/2017 17:32
    Não há nada de errado em acumular patrimônio para se proteger das incertezas do futuro. Isso não é ganância, é prudência.

    O Papa errou ao dizer que todos aqueles que tem esse comportamento são simplesmente gananciosos.
  • anônimo  15/12/2017 18:53
    Ana de Souza, pare de prejudicar a você mesmo e ao povo brasileiro financiando VOLUNTARIAMENTE O INIMIGO.

    - Os títulos do Tesouro
    - Os gastos do governo são o grande inimigo do crescimento econômico
  • AGB  15/12/2017 16:32
    Esse Jorge Bergoglio não tem boas intenções. Ele é favorável ao populismo desbragado que Peron e seus sequazes implantaram na Argentina desde 1945. Criaram um "bolsa família" antecipado que mantinha todos os pobres dependentes do governo ditatorial do coronel. Mas sua amante Eva comprava jóias e vestidos em Paris. Quando acabou o dinheiro acumulado desde o século XIX, o regime veio abaixo e o país deu para trás. A Argentina tinha o mesmo padrão da Austrália em 1945. Hoje seu PIB é um terço do australiano.
  • São Basílio  18/12/2017 14:21
    "Se cada um tirasse para si o que lhe é necessário e entregasse ao indigente o que sobra, ninguém seria rico, ninguém pobre. Não saíste nu do útero e não retornarás nu para a terra (Jó 1,21)? Os bens que possuis, de onde vêm? Se dizes que provêm do acaso, és ímpio, não reconhecendo o Criador e não dando graças ao doador. Se, ao invés, admites que são de Deus, dize-me por que os recebeste. É talvez injusto Deus, que nos distribui os meios de subsistência de modo desigual? Por que tu és rico e aquele é pobre? Certamente para que tu pudesses receber a recompensa da bondade da fiel administração e aquele pudesse conseguir o magnífico prêmio da paciência. E tu, enquanto procuras abarcar tudo nos insaciáveis ventres da avareza, julgas não fazer injustiça a ninguém, privando tanta gente do necessário? Quem é o avarento? Aquele que não se contenta com aquilo que lhe é suficiente. Quem é o ladrão? Quem tira aquilo que é de outro. Não és avaro? Não és ladrão, tu que fazes tua a propriedade que recebeste para administrar? Quem espolia alguém que está vestido é tido como ladrão; e quem, podendo fazê-lo, não reveste quem está nu merecerá outro nome? O pão que tu reténs pertence ao faminto, o manto que guardas no armário é de quem está nu; os sapatos que apodrecem em tua casa pertencem ao descalço; o dinheiro que tens enterrado é do necessitado. Porque tantos são aqueles aos quais fazes injustiças, quantos aqueles que poderias socorrer."

    São Basílio Magno
  • Cristian Rahmeier  19/12/2017 22:55
    Certamente, as palavras do Papa não são direcionadas aos que praticam o bem e o certo, mas aos que praticam a maldade. Exemplo, a Coca, para aumentar seus lucros, cortou um dos operadores de empilhadeira da fábrica, mas o trabalho era ainda maior para o que ficou. Devido ao excesso de trabalho o operador passou a correr demais com a empilhadeira. Meu amigo e mais dois colegas dele foram atropelados dentro da fábrica, o que acabou coma vida deles, ficaram mais de um ano afastados (pelo INSS), quando voltaram foram demitidos. Meu amigo ficou quase um ano na cama, engordou mais de cem quilos, ele era um atleta antes do acidente, agora fez cirurgia para reduzis o estômago. Seus amigos ficaram com sequelas. Outro colega morreu dentro da gráfica que eu trabalhava, uma máquina esmagou sua cabeça e seus olhos saltaram para fora. Os maus também querem livre mercado, mas para ter mais liberdade para fazer suas maldades. Eu sou contra a burocracia estatal desnecessária, sou contra os buscadores de lucro que compram políticos e os colocam no governo; contra reservas d mercado; proteção aos concursados, contra as estatais; sou a favor que o mundo seja mais livre, mas que tenha regras razoáveis.
  • Fabrício  19/12/2017 23:22
    Pura fanfic de esquerda. Começou até bem, com algo razoavelmente crível, mas aí lá pela metade se empolgou com a imaginação, e acabou se entregando. Mais alguns toques e você diria que o patrão tinha chifres vermelhos, rabo comprido e exalava enxofre.

    Em todo caso, vou assumir que o caso da Coca é verídico. Sendo assim, sabe quem você deve culpar? Exato, os consumidores.

    Por causa das mudanças de hábitos dos consumidores, que estão deixando de beber refrigerante, o lucro da Coca-Cola vem desabando trimestre após trimestre. Eis as notícias mais recentes, de 2017 e 2016.

    www.valor.com.br/empresas/5054380/lucro-da-coca-cola-cai-60-no-segundo-trimestre-para-us-137-bilhao

    epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2017/04/lucro-liquido-da-coca-cola-cai-20-no-1-trimestre.html

    economia.estadao.com.br/noticias/negocios,coca-cola-tem-queda-no-lucro-e-cita-fraqueza-em-brasil-e-russia--,10000027169

    jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/02/economia/546070-lucro-da-coca-cola-cai-a-us-550-milhoes-no-4-trimestre-de-2016.html

    Com lucro em queda, meu caro, não tem segredo. Tem de cortar custos. E cortar custos significa demitir excedente e aumentar a carga de quem ficou.

    Quer culpar alguém? Culpe os consumidores, que estão parando de beber Coca-Cola. São os consumidores que determinam o sucesso financeiro de qualquer empresa. Os gerentes dessas empresas apenas obedecem.

    Xingar os administradores mas dar passe livre aos consumidores (que determinam as receitas da Coca-Cola) é completa incoerência de sua parte.
  • Emerson Luis  31/12/2017 22:51

    Bom artigo.

    Observações:

    1- Buscar os próprios interesses não significa necessariamente ser egoísta (no sentido comum da palavra: arrogante, mentiroso, trapaceiro, iníquo, etc.).

    Smith disse que a "mão invisível" acontece quando cada um busca os próprios interesses fazendo um trabalho para os outros em troca voluntária pelo dinheiro deles e vice-versa: "interesse próprio" ("self-interest"), não "interesse egoísta" ("selfish interest").

    2- Os liberais NÃO acreditam que as pessoas em geral necessariamente são altruístas, generosas, caridosas, etc. e "por isso pode/deve haver liberdade econômica".

    Os liberais defendem que, SE houver liberdade econômica (e isonomia), ENTÃO, para os indivíduos capazes buscarem os próprios interesses, eles têm que realizar trabalhos pelos quais outros aceitem voluntariamente pagar.

    Ou seja, no liberalismo o interesse próprio (e até o interesse egoísta) é canalizado para produzir benefícios mútuos além do planejado e até imaginado pelos interativos.

    E os liberais também lembram que a liberdade é um direito natural. Mesmo que o livre mercado não produzisse resultados melhores em todos os sentidos, ainda assim a liberdade não é uma concessão estatal dada porque o Estado considerou bom e que ele pode tirar.

    Já o socialismo se alicerça no pressuposto de que os políticos e burocratas são seres superlativamente virtuosos e dotados de capacidade intelectual sobrenatural.

    (Na verdade os líderes socialistas apenas fingem que acreditam nisso)

    * * *


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.