clube   |   doar   |   idiomas
Os céticos estão errados: o valor intrínseco do Bitcoin não é zero
Há uma forte razão para se demandar Bitcoins hoje

Um Bitcoin já está valendo quase US$ 17.000. Mas qual é o preço justo ou razoável do Bitcoin?

A pergunta, por si só, deveria ser fácil de ser respondida: o valor intrínseco (ou fundamental) de qualquer ativo financeiro é encontrado quando trazemos ao valor presente seus fluxos de caixa futuros.

Se, por exemplo, esperamos que um título nos pague $1.000 ao ano durante os próximos 10 anos, então seu preço justo será o valor equivalente, à data de hoje, destes fluxos anuais de $1.000 durante os próximos dez anos. Assim, se usarmos uma taxa de juros de 5% ao ano como fator de desconto, o preço justo desse título hoje seria de $7.721.

Entretanto, com o Bitcoin não podemos aplicar esta regra por uma razão muito simples: o Bitcoin não apresenta fluxos de caixa futuros. Assim como ocorre com o ouro, o Bitcoin não promete entregar nada a seu proprietário: a única razão para sua demanda é para revendê-lo mais adiante.

Em aparência, portanto, estamos diante da receita perfeita para a criação de uma bolha de expectativas autoalimentadas: compro hoje esperando que suba de preço amanhã; e os aumentos de preços atuais reafirmam minha expectativa de que amanhã continuará subindo de preço.

É por esta razão, com efeito, que alguns economistas afirmam que o preço sensato do Bitcoin é zero.

Mas o problema com esta explicação é que ela equipara duas proposições que parecem idênticas, mas que estão longe de realmente o serem: em específico, o fato de o "Bitcoin carecer de fluxos de caixa" não significa que "o Bitcoin carece de utilidade".

As utilidades do Bitcoin

Com efeito, o Bitcoin pode proporcionar utilidade a seu portador pela facilidade de revendê-lo no futuro a custos de transação muito mais baixos que os de outros ativos. Recorrendo ao próprio Keynes (em seu famoso capítulo 17 de A Teoria Geral), vale lembrar que todo ativo pode proporcionar dois tipos de vantagens a seus detentores: de um lado, um retorno explícito (por exemplo, fluxos de caixa); de outro, um retorno implícito na forma de serviços de liquidez (a utilidade vinculada à sua disponibilidade imediata).

Os ativos monetários tendem a proporcionar um retorno explícito de aproximadamente zero, mas um considerável retorno implícito na forma de liquidez imediata para efetuar trocas minimizando os custos de transação. Este é o motivo que leva os agentes econômicos a manterem parte de seu patrimônio na forma de ativos monetários: estão dispostos a abrir mão dos retornos explícitos que lhes proporcionariam os ativos financeiros em troca de usufruírem o retorno implícito — em forma de liquidez — que lhes proporcionam os ativos monetários.

O Bitcoin carece de retornos explícitos, mas de fato possui um forte retorno implícito na forma de liquidez. É fato que, em termos gerais, a liquidez do Bitcoin é, por ora, muito menor que as do dólar ou do euro, mas esse não é um motivo suficiente para que os agentes concentrem toda sua demanda por liquidez em dólares ou euros em detrimento do Bitcoin. E essencialmente por dois motivos:

1) de um lado, a liquidez do Bitcoin está crescendo conforme mais pessoas passam a aceitar a moeda como meio de pagamento e conforme a volatilidade de seu preço vai se reduzindo (em 2017, a volatilidade voltou a ser significativa, mas a tendência continua a ser de queda, e é hoje muito menor do que era em 2011 e 2012);

2) de outro, a liquidez do Bitcoin em determinados contextos já é maior que a do ouro ou do dólar devido às suas características e propriedades distintivas: por exemplo, é possível efetuar transações internacionais sem ter de passar pelo sistema bancário e, consequentemente, sem deixar um rastro facilmente seguido e fiscalizável pelos governos.

Consequentemente, em determinadas situações já faz sentido demandar Bitcoins como ativos monetários em detrimento até mesmo do dólar e do euro: seu rendimento implícito na forma de liquidez já é positivo. E se seu rendimento implícito é positivo, então seu valor intrínseco simplesmente não pode ser zero.

Dito isso, devo dizer que considero um tanto duvidoso que os preços atuais do Bitcoin possam ser justificados pelos serviços que a criptomoeda já seja capaz de oferecer (muito embora esteja aberto para que me convençam do contrário). O Bitcoin é útil, mas, ao menos hoje, não é tão útil ao ponto de justificar um valor mercado de 250 bilhões de dólares, valor este que supera os da Coca-Cola, Boeing, General Electric e Walmart.

O preço do Bitcoin ainda pode triplicar

Mas por acaso isso significa que o preço atual do Bitcoin está fadado a desmoronar? Não necessariamente (assim como não estava quando superou o preço de 10 dólares, de 100 dólares, ou de 1.000 dólares), pois é aqui que entra em jogo a especulação sobre o futuro do Bitcoin: muitos que estão investindo hoje na criptomoeda não o estão fazendo pelo serviço de liquidez que ela proporciona, mas sim pela expectativa de que os usuários finais do Bitcoin continuarão aumentando.

Ou seja, muitos dos investidores em Bitcoin estão simplesmente especulando quanto ao papel que desempenhará o Bitcoin na economia globalizada de amanhã. Talvez esses especuladores estejam equivocados e, conforme vão se dando conta de seus erros, desfaçam suas posições e, com isso, derrubem o preço do Bitcoin. Mas talvez esses especuladores estejam certos (nos últimos sete anos, eles não se deram nada mal) e a demanda final por Bitcoin — como provedor de serviços de liquidez — continuará aumentando.

Por exemplo, se, no futuro, a comunidade mundial de usuários de Bitcoin tiver um tamanho similar à comunidade de usuários do iene japonês (os japoneses representam menos de 2% da população mundial e o iene constitui aproximadamente 4% das reservas monetárias internacionais), então os preços atuais do Bitcoin podem mais do que triplicar.

Por acaso seria desarrazoado dizer que, em 10 ou 20 anos, mais de 2% da população mundial irá utilizar habitualmente o Bitcoin como um de seus ativos monetários de referência? Eu não diria que este cenário seja inevitável, mas de modo algum diria que ele é improvável. E, se não é improvável, então os especuladores com uma visão de mais longo prazo estão fazendo muito bem estimular o Bitcoin.

fuente-elaboracion-de-insiderpro-a-partir-del-banco-de-pagos-internacionales.jpg

Valor total de cédulas e moedas metálicas em circulação (em bilhões de dólares). Fonte: Elaboração feita pelo InsiderPro com dados do Banco de Compensações Internacionais

Otimistas e pessimistas concordam em um ponto

Obviamente, nem todos os especuladores compartilham essa visão de longo prazo. Muitos dos que entraram recentemente na onda do Bitcoin provavelmente estejam apenas em busca de ganhos de curtíssimo prazo e, consequentemente, irão desfazer suas posições quando o preço do Bitcoin se estabilizar ou mesmo cair (isso já ocorreu em várias ocasiões no passado e certamente vai ocorrer de novo). Entretanto, esse é um problema meramente secundário para a viabilidade de longo prazo desta criptomoeda.

Depois desta eventual correção, permanecerão aqueles que almejam o longo prazo. E é aí que temos de concentrar nossa atenção: somente se todos acreditarem que o projeto do Bitcoin está inevitavelmente condenado ao fracasso, que jamais virá a servir para articular nenhuma comunidade ampla de transações, e que, em consequência, ninguém mais irá demandar a criptomoeda como ativo monetário líquido, então seu valor intrínseco acabará sendo zero.

Esta é a tese, por exemplo, do ex-economista chefe do FMI Kenneth Rogoff, para quem os governos acabarão abatendo o Bitcoin e lhe subtraindo toda a utilidade monetária que possa chegar a ter. Entretanto, perceba que o argumento de Rogoff não é que o Bitcoin seja inútil hoje, mas sim exatamente o contrário: o Bitcoin, à medida que permite burlar a fiscalização dos governos, é tão extremamente útil como dinheiro, que os governos acabarão usando toda a sua artilharia coercitiva para tornar a criptomoeda inútil.

Com este prognóstico, Rogoff está especulando quanto ao futuro do Bitcoin exatamente como o fazem todos os demais especuladores altistas da criptomoda: o primeiro aposta em um futuro sombrio para o Bitcoin ao passo que os últimos, em um futuro brilhante. (A diferença, no entanto, é que os especuladores altistas investem seu capital no Bitcoin ao passo que Rogoff não tem nenhuma "pele em jogo").

Em todo caso, nenhum discorda que o Bitcoin tem potencial como ativo monetário, e que, exatamente por isso, seu valor intrínseco não pode ser zero atualmente.

Conclusão

Em definitivo, aqueles que seguem prognosticando a inexorável queda do valor do Bitcoin, o inevitável estouro de sua "bolha" de preços, continuam sem entender que o Bitcoin é um ativo monetário e que, portanto, seu valor não segue os mesmos critérios convencionais do resto dos ativos financeiros.

O que se busca nos ativos financeiros convencionais são fluxos de caixa futuros (os quais receberão valorações distintas no presente de acordo com o prazo de duração, a taxa de juros e os riscos envolvidos). Já nos ativos monetários, ao contrário, busca-se liquidez, e o Bitcoin possui propriedades consideradas muito boas para proporcionar essa liquidez a seus detentores.

Obviamente, caso o Bitcoin, como ativo monetário incipiente que ainda é, acabe fracassando quando chegar o momento de ser usado para estruturar uma estável e eficiente comunidade de pagamentos global, aí sim haverá uma desmonetização e seu valor despencará.

Entretanto, que o Bitcoin possa fracassar não é o mesmo que dizer que ele necessariamente irá fracassar. E exatamente porque, até o momento, ele não fracassou, e também porque tampouco há razões de peso para afirmar que seu inevitável destino é o fracasso, não é possível sentenciar arrogantemente que seu valor intrínseco é zero.

O Bitcoin é uma startup monetária e, como toda startup com um potencial gigantescamente disruptivo, seu triunfo proporcionará um elevadíssimo retorno a quem apostou nela. Caso contrário, se fracassar, seus investidores perderão seu capital investido. Em todo caso, dado o uso que já está ocorrendo e todo aquele que ainda pode vir a ocorrer como ativo monetário, o que todos deveríamos ter muito claro é que seu valor intrínseco não é zero.

 

22 votos

autor

Juan Ramón Rallo
é diretor do Instituto Juan de Mariana e professor associado de economia aplicada na Universidad Rey Juan Carlos, em Madri.  É o autor do livro Los Errores de la Vieja Economía.


  • Vilmar  13/12/2017 14:35
    Uma pergunta: se 2% da população mundial passar a utilizar o BTC de forma rotineira, qual seria o consumo elétrico necessário?
  • Oscar  13/12/2017 14:51
    Tudo depende do número de transações. Vou dar uma aproximação. Hoje, ocorrem umas 380.000 transações por dia a um gasto de 235 kWh. Em 1 de novembro, o número de transações era de 300.000 e o gasto era de 215 kWh.

    Ou seja, cada vez mais gasta mais energia para gerar os blocos que compõem a cadeia de verificação, a chamada Blockchain.

    Provavelmente com 2% da população mundial usando o bitcoin isso não seria possível com o algoritmo atual, que usa como cifrado SHA256. O Litecoin consome bem menos porque usa uma variante simplificada de script, mas ainda assim seria muito complicado usar a tecnologia Blockchain neste volume. Ou, no mínimo, seria extremamente lento gerar uma nova cadeia de blocos (blockchain).
  • SRV  13/12/2017 16:05
    Complementando o comentário do Oscar,


    O Bitcoin tem os seu código constantemente aprimorado. Eventualmente, se o consumo elétrico for um problema, o algoritmo será aprimorado para resolver essa questão.

    Inclusive, existe um projeto chamado "Lightning network" que visa resolver essa questão indiretamente, aumentando a quantidade de transações por segundo capazes de serem feitas pela rede Bitcoin (7 por segundo) para algo em torno de milhares por segundo. Isso reduziria o custo relativo com eletricidade, por exemplo.

    Existem muitos outros projetos para melhorias, não vou listá-los, mas são fáceis de se pesquisar na internet.
  • Demolidor  13/12/2017 16:57
    O gasto de energia não está diretamente relacionado ao número de transações ou de usuários. Apenas aumentou porque o crescimento exponencial da moeda tornou a atividade lucrativa, atraindo especuladores. E sua rentabilidade vem caindo ano a ano, exatamente por isso, não obstante o maior uso da moeda. Não faltam posts na internet relatando como a atividade se tornou pouco rentável devido à grande competição existente:

    www.buybitcoinworldwide.com/mining/profitability/

    Como eu disse em um post anterior: o bitcoin gera um bloco a cada aproximadamente 10 minutos (não é exato este número, mas aproxima-se disso porque a prova criptográfica exigida faz com que seja muito provável que um minerador, em algum lugar do mundo, descubra um bloco válido dentro da dificuldade exigida).

    E a dificuldade é o que determina tudo. Se o bitcoin parar de subir e a atividade de mineração não for tão lucrativa e, digamos, 80% dos mineradores desistirem do negócio, a dificuldade vai decrescer, o gasto de energia diminuir, e ainda teremos um bloco a cada aproximadamente 10 minutos.

    Do mesmo modo, se alguém investe trilhões de dólares em mineração, a dificuldade aumenta, o lucro dos outros mineradores diminui, e continuamos tendo um bloco gerado a cada aproximadamente 10 minutos.

    Além disso, uma outra questão bem interessante foi bem levantada por Andreas Antonopoulos. A atividade tem sido tão pouco rentável que os mineradores estão buscando, desesperadamente, por fontes de energia baratas, normalmente em áreas com capacidade subutilizada, o que está levando a um boom na área de fontes de energia renováveis. Hoje, as grandes fazendas de mineração se encontram em lugares bem servidos por hidrelétricas ou eólicas e prédios com placas para gerar energia solar. São lugares em que a energia não utilizada seria naturalmente desperdiçada, afinal o rio não para de correr, o sol não para de brilhar e sempre há vento.

    www.youtube.com/watch?v=2T0OUIW89II

    E ainda há a alternativa de moedas baseadas em Proof-of-stake, que não necessitam da mineração e usam muito menos energia. A tecnologia já existe.
  • Régis  13/12/2017 14:45
    Pois eu penso que o bitcoin tem utilidade, e muita. Qualquer um que diga que seu valor intrínseco é zero é alguém que nem merece ser levado a sério, pois a própria realidade o desmente de maneira explícita.

    A ideia de um token ou moeda digital descentralizada é coisa de gênio, e o único ponto negativo (para ela) é que se trata de uma ideia facilmente copiável. Mas o facebook também é copiável, e nem por isso perde valor. Neste caso, a vantagem do "primeiro entrante" é plena.

    O valor futuro do bitcoin não vai depender nem mesmo de haver um mercado de futuros ou qualquer coisa do tipo, vai depender do desenvolvimento das aplicações do bitcoin (isto é, o que posso fazer com meus bitcoins, sendo que cada vez mais posso fazer mais coisas) e da comunidade de usuários (que vai aumentar, já que o bitcoin tem muitas vantagens sobre o dinheiro tradicional na hora de realizar transações).
  • Fausto Nilo  13/12/2017 18:56
    Vou repetir o que já disse em outro artigo: tudo isso que você falou é imaterial. O que realmente deve ser celebrada é a tecnologia Blockchain. Tudo o mais é secundário. O Bitcoin é excelente e eu acho que veio para ficar. Mas mesmo ele empalidece perante a maravilha que é o Blockchain.
  • Murilo  13/12/2017 19:02
    Exato. O Blockchain foi a maior invenção depois da internet, na minha opinião, e tão importante quanto.
  • Ehnui  15/12/2017 16:54
    O importante não é só o blockchain, mas a descentralização desse blockchain e o registro distribuído (DLT - distributed ledger technology)
  • anônimo  13/12/2017 22:18
    Fausto Nilo, você acha que o Blockchain pode funcionar sem uma unidade de valor ? Se sim, explique.
  • Fausto  13/12/2017 22:39
    Ué, mas a tecnologia blockchain já está sendo usado em várias aplicações que nada têm a ver com bitcoin ou unidade de conta. Vai de históricos médicos a publicidade, passando por registros de terras e qualquer coisa que hoje é feita por cartórios.

    Há um ótimo debate exatamente sobre isso na seção de comentários deste artigo:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2815
  • anônimo  13/12/2017 23:48
    "Ué, mas a tecnologia blockchain já está sendo usado em várias aplicações que nada têm a ver com bitcoin ou unidade de conta."

    Quais ? Me cite um exemplo real no qual o Blockchain esta sendo usado sem uma unidade de valor (exemplo: criptomoeda e etc) ou sem um sistema de incentivos (exemplo: o Bitcoin recompensa o trabalho feito pelos mineradores com criptomoedas).

    "Vai de históricos médicos a publicidade, passando por registros de terras e qualquer coisa que hoje é feita por cartórios."

    Sim isso pode ser feito, mas necessariamente o Blockchain precisa de um sistema de incentivos ou uma unidade de valor para funcionar.

    "Há um ótimo debate exatamente sobre isso na seção de comentários deste artigo:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2815"

    Ambos exemplos citados no "debate" usam Ethereum:

    - medibloc.org/en
    - basicattentiontoken.org
  • Curioso Intruso  14/12/2017 00:57
    Não daria pra usar o próprio dólar? Lembro que certa vez o Ulrich escreveu que registrou sua filha recém-nascida no Blockchain (sobre o qual eu nada entendo).

    www.infomoney.com.br/blogs/cambio/moeda-na-era-digital/post/5288538/registrando-nascimento-blockchain
  • André  13/12/2017 15:17
    O bitcoin tem exatamente o valor que pode justificar o crescimento de sua base de usuários. Muita gente fala sem qualquer domínio de causa de como funciona uma criptomoeda e qual é sua função.

    Por trás de cada bitcoin há um código único que foi minerado, e essa mineração à medida que aumentam os bitcoins em circulação consome cada vez mais energia, o que aporta um custo de produção a cada bitcoin.

    Com códigos únicos e limitados, e um custo crescente de mineração, se aumenta a demanda por bitcoin para qualquer que seja o objetivo (especulação ou uso), o preço sobe.

    E isso vale para qualquer moeda digital (bitcoin, ether, monero, zdash, litecoin etc.). De todas as divisas reais ou digitais, apenas as criptomoedas permitem 100% de rastreabilidade.

    Sendo assim, imaginem se o orçamento do governo funcionasse de modo que cada real arrecadado via impostos fosse rastreável, sendo possível saber exatamente onde ele está sendo gasto em tempo real? Essa é uma realidade das criptomoedas.

    Entenderam agora por que os governos e seus lacaios fazem essa campanha de desinformação e criminalização?
  • Osmala  13/12/2017 16:09
    Parece que a Coréia do Norte tem uma boa quantia de Bitcoins


    Já pararam pra pensar que os governos podem se beneficiar das moedas também.
    Inclusive pela questão "energética", a mineração e tudo mais...

    Tem muita gente surfando na onda do Bitcoin, isso inevitavelmente vai dar merda.


  • Inácio  13/12/2017 19:01
    Não existe ativo 100% livre de risco.

    Todo ativo existe riscos de mercado, riscos da intervenção estatal, risco naturais etc...
    Pouco importa se é criptomoeda, imoveis, terrenos, ações na bolsa, títulos públicos, poupança, moeda estrangeira e inclusive metais.

    A melhor coisa para se proteger desses riscos é compor uma carteira de múltiplo ativos.

    Entretanto, as criptomoedas são uma tentativa de tirar as mãos cabeludas do estado e sair fora do sistema bancário. Agora, se você tem certeza de que "vai dar merda", então você já pode fazer short na bolsa de Chicago. Dá um trabalhinho, mas como você está certo de sua posição, será dinheiro fácil.
  • Vinícius Garcia  13/12/2017 18:45
    Muito bom o artigo. Agradeço o autor pelo esforço explicativo e pelas informações.
  • Diego  13/12/2017 18:47
    Para mim, cada vez mais se tem a certeza de que não será algum líder que trará a promessas de liberdade e bem estar para a sociedade como um todo. Nem mesmo grupos que se unem por algum objetivo social. Mas sim a tecnologia e a aceitação desta pelas pessoas sem nenhuma interferência governamental.
  • Ricardo Rocha  13/12/2017 18:53
    Hoje você já pode viajar o mundo inteiro pela Expedia pagando com Bitcoin:

    www.expedia.com/Checkout/BitcoinTermsAndConditions

    Como é que um negócio desse valeria zero?
  • anônimo  13/12/2017 20:30
    Dúvida:

    Por que o governo coloca mais de 50 campos para serem preenchidos na DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) ?

    Não parece burrice colocar todas essas informações ?

    Não teria mais arrecadação com menos detalhes que precisam ser justificados ?


  • Pobre Paulista  14/12/2017 00:38
    Não busque explicações racionais aonde elas não existem
  • Antônio Augusto Corrêa Lima  14/12/2017 00:49
    Ficaria muito grato se alguém pudesse me esclarecer algumas dúvidas sobre bitcoins:

    Adquiri, através da empresa Mercado Bitcoin uma certa quantia de bitcoins, não recebi nenhuma chave, apenas acessava meu extrato e via meu saldo. De repente, dia 05-12-17, após ter efetuado algumas compras de Bitcoins no período da tarde e atingido minha meta de possuir uma unidade de Bitcoin (1,00231 BTC), estava feliz. À noite tentei acessar minha conta e o acesso me era negado, após cinco tentativas tive a conta desativada, conforme e-mail enviado pelo suporte na ocasião. Aí começou minha via crucis, exigem selfies, declarações etc. , tudo enviado ao suporte através de e-mail que funciona enviando resposta automática avisando demora de até 48 hs.
    Enfim, quanto tive acesso à minha conta, que na verdade é, apenas um simples extrato vi que a conta estava zerada, isto é, meus bitcoins haviam sumido.
    Praticamente, à mesma hora que fiz as compras, apareciam ordens saques/retiradas que nunca fiz.
    Tudo isso no próprio dia 05/12/17 com diferença de poucos minutos. Mandei diversos e-mails ( única comunicação existente, não disponibilizam telefone) e recebia como resposta que estavam com alta demanda, excesso na plataforma etc. Pasmem senhores ! ultimamente estão alegando que meu computador estava com vírus e alguém capturou meus dados... quando eles exigem login com senha,PIN, Frase de segurança, token etc. Além de tudo tenho anti vírus no computador e tomo todas as precauções. O mais estranho é que tudo aconteceu no dia que o Bitcoin atingiu um valor extraordinário...pergunto nunca recebi nenhuma chave de segurança e noto que a empresa se eximi totalmente do problema. Não tenho experiência no assunto, sinto-me perdido, gostaria de receber alguma orientação sobre como deverei agir e quais os meus direitos.
    Antecipo meus agradecimentos !

    Antônio Augusto Corrêa Lima
    yaohusto@ig.com.br
  • Chiaki  14/12/2017 04:13
    Qual é esse email de suporte que você contatou? Pode mandá-lo por aqui? Checou se o email é oficial e não um clonado? Verificou se o extrato é realmente de sua conta? Se fez tudo isso infelizmente sua carteira pode ter sofrido um acesso, como o blokchain não permite um acesso indireto esse acesso foi feito diretamente com dados reais.
  • Ant%C3%83%C2%B4nio Augusto Corr%C3%83%C2%AAa Lima  14/12/2017 14:59
    Chiaki:

    Agradeço sua atenção!

    suporte@mercadobitcoin.com.br...eis o site.

    O único contato com o tal suporte é feito por e-mail, emitem ticket de atendimento automático com prazo de até 48 hs, para a resposta.

    Para acesso à conta, exigem:
    Senha, autenticação em dois passos, token, PIN, Palavra de segurança

    Constam no extrato : saques/retiradas que eu nunca fiz.
    Aliás qualquer movimentação na conta avisam por e-mails...dessa vez não recebi nenhum aviso.

    Abusando da sua atenção, pergunto:

    Já que eu adquiri os bitcoins através da empresa Mercado Bitcoin, não deveria ter recebido alguma chave de segurança ?

    Aliás, eles falam em CONTA, mas não existe nem número de conta.... apenas um extrato.

    Quando meu saldo era pequeno, nunca tive problemas, foi só aumentar o valor e o problema surgiu.

    Desculpe, ocupar o seu tempo, sei que esse espaço não é local apropriado para reclamações, mas sou assíduo leitor dos comentários aqui postados e resolvi colher informações com quem entende do assunto, já que sou leigo.
    Estou procurando entender um pouco do assunto, pois, pretendo requerer meus direitos judicialmente.
    Aliás, fiquei estarrecido ao acessar a página do Mercado Bitcoin, via Facebook... inúmeras reclamações... inclusive relatos de sumiço de moedas.
    Caso seja possível, gostaria de ouvir sua opinião.
    Antecipo meus agradecimentos.
    Antônio Augusto.

  • Chiaki  14/12/2017 23:43
    Lhe enviei uma resposta por email Antonio, boa sorte!
  • charles  15/12/2017 20:26
    cara, de inicio posso dizer que e estranho sua descricao. os saques pelo que pude verificar, ocorrem com o envio de ted apenas para uma conta corrente de posse do proprietario da conta no site (o mesmo ocorre quando vc faz o aporte) eles exigem que vc seja o proprietario da conta bancaria que enviou o recurso (isso evita lavagem de dinheiro). uma falha pode aparecer em um caso apenas, e possivel enviar recurso em bitcoin para uma carteira de bitcoin de terceiro, como se estivesse fazendo um pagamento. entáo verifique de que forma foi feito a transferencia se foi para uma carteira como expliquei, vc teve seu pc invadido (nao, um antivirus náo te protege disso, pobres inocentes os que acreditam nisso) agora se a transferencia foi feita para um banco, vc tem acesso a ag. e conta corrente com isso em maos da para saber para onde foi. cara no minimo mal contado este causo apresentado aqui. me cheira a bait.
  • SRV  14/12/2017 10:56
    Antônio Augusto Corrêa Lima ,

    Olha, eu não sou representante deste site (Instituto Mises), nem representante da empresa pela qual você adquiriu suas criptomoedas, mas entendo que você está reclamando no lugar errado.

    Você deveria procurar a empresa, a justiça e/ou sites de reclamação, juntar material que comprove seu argumento, coisas do tipo, e buscar reverter a situação.

    Lamento o ocorrido e desejo boa sorte.
  • Pedro  14/12/2017 01:32
    Grande parte da moeda emitida no mundo não tem lastro também. Em relação ao lastro que o bitcoin teoricamente não teria, penso o seguinte: Se são emitidas 1000 moedas, elas saem do zero e poderiam subir a qualquer valor. No estouro da bolha ela tenderia a zero outra vez. Só que na próxima emissão de mais 1000 moedas (considerando que a bolha não estourou na emissão inicial), sendo elas compradas pelo valor de mercado (digamos R$ 50,00), este dinheiro está teoricamente lastreado (porque foi feita uma equivalência a uma moeda emitida por um banco central), então mesmo que entre em colapso, teríamos um valor de R$ 25,00 para cada unidade e não zero. Fora que, assim como o ouro, o gasto com energia, o investimento em equipamentos, lastreia a moeda. É difícil de se calcular o valor real, mas zero não é.
  • Demolidor  14/12/2017 03:02
    O lastro, na verdade, é matemático. Criptografia. Não há como burlar o sistema sem gerar um hard fork e, em consequência, uma moeda que valha menos. É um limite impossível de ser transposto.

    A ideia do lastro em ouro era justamente para que as cédulas, fáceis e baratas de serem impressas, valessem um ativo real que tem uma taxa de expansão e uma oferta muito limitada, justamente para passar confiabilidade ao sistema. As criptomoedas tornam isso desnecessário.

    A meu ver, as criptomoedas vieram para ficar. A questão é se o bitcoin não se tornará obsoleto e menos valioso, e se regulamentações e leis não vão torná-las ilegais em grandes partes do globo, limitando, de certa forma, sua utilidade (embora eu as considere muito resilientes a isso). Na dúvida, coloco o dinheiro que posso perder e diversifico entre as principais.
  • BitCoin BigCetic  14/12/2017 13:19
    As duas características principais de uma moeda são servir como reserva de valor e como meio de troca. O bitcoin carece das duas. E não deve adquiri-las nem a longo prazo.

    A atual explosão do preço do bitcoin se deve ao aumento de pessoas demandando o ativo. A alta meteórica, e o risco de estouro de bolha impede que hoje ele seja usado em transações.
    Você compraria um bem usando bitcoins, se em um mês você provavelmente pode comprar o mesmo bem e ainda guardar um troco?
    Se alguém tentar comprar a sua casa com bitcoins, você venderia? E se houver um estouro de bolha amanhã? Você ficará sem sua casa? Os compradores também têm muito medo de trocar bens físicos por bitcoins...
    Ninguém colocaria a poupança da sua vida em bitocoins. E se houver um estouro de bolha?
    Ou seja: hoje o bitcoin não serve como meio de troca. Nem como reserva de valor.

    Mas mesmo se imaginarmos um fim no surto de demanda, o bitcoin sempre será um ativo instável.
    O Bitcoin é limitado a 21 milhões de unidades. A economia sempre cresce.
    Ou seja: o bitcoin sempre será deflacionário. Os preços das coisas vão sempre cair se medidos em bitcoin.
    Uma moeda deflacionária não funciona. As pessoas vão sempre preferir guardar o bitcoin. Vão tentar se entesourar. Ninguém vai querer comprar nada passando seus bitcoins para a frente...
    Ou seja: bitcoin não serve como meio de troca, e provavelmente nunca sirva...

    Um ativo que não é usado para transações no dia a dia, se torna um ativo menos estável. As transações com ele são apenas especulativas - ligadas totalmente à confiança no valor futuro. A confiança das pessoas varia muito no tempo. Esse tipo de ativo é inerentemente instável, sujeito a rushs, bolhas e estouro delas...

    Com tantos riscos de estouro de bolha, e de intervenção dos governos, será que haverá algum dia confiança suficiente no bitcoin para utilizá-lo como reserva de valor? Provavelmente não! Sem segurança de valor no longo prazo, o bitcoin muito provavelmente também não servirá como reserva de valor no futuro.

    Resumindo:
    O bitcoin não serve - e provavelmente nunca servirá - como meio de troca.
    O bitcoin não serve - e provavelmente nunca servirá - como reserva de valor.
    O bitcoin não é - e provavelmente nunca será - uma moeda.
  • Demolidor  14/12/2017 14:26
    Ou seja: o bitcoin sempre será deflacionário. Os preços das coisas vão sempre cair se medidos em bitcoin.

    Até os críticos reconhecem isso.

    Quanto a não ser um meio de troca, sugiro que você dê uma olhada no que está acontecendo com a indústria de frete marítimo e imobiliária.
  • BitCoin BigCetic  14/12/2017 17:24
    Oi Demolidor

    Vc pode, por favor, me passar links de transações realizadas com bitcoins nesses 2 mercados?

    Dei uma googlada e achei uma única transação imobiliária concluída em bitcoins. Detalhe: o vendedor imediatamente converteu os bitcoins em moeda corrente. Provavelmente por medo de estouro de bolha, e perder integralmente o valor da casa.
    Ou seja: vejo várias iniciativas de gente aceitando bitcoins - talvez objetivando convertê-los imediatamente em moeda corrente, para não ficar no risco de perder o bem físico a troco de nada.
    Entretanto, como há poucos transações, continua me parecendo que há poucas pessoas dispostas a pagarem com bitcoins... Quem tem bitcoins ainda aposta na alta, e os segura.
  • Demolidor  14/12/2017 19:00
    Seguem os links:


    www.baggioimoveis.com.br/bitcoin

    www.cnbc.com/2017/09/05/dubai-real-estate-project-first-to-be-priced-in-bitcoin-michelle-mone.html

    www.businessinsider.com/bitcoin-priced-apartment-in-miami-2017-12

    www.miamiherald.com/news/business/biz-monday/article173457236.html

    cointelegraph.com/news/real-estate-buyer-makes-13-million-buying-home-with-bitcoin

    themerkle.com/bitcoin-blockchains-first-property-ownership-transfer-settled-by-ubitquity/


    Sobre a indústria de fretes marítimos:

    maritime-executive.com/article/blockchain-currency-ready-for-container-shipping

    fortune.com/2017/03/05/maersk-tests-blockchain-based-freight-tracking/

    www.bloomberg.com/news/articles/2017-11-29/bitcoin-shows-up-in-shipping-as-ukrainian-firm-plans-first-deal

    www.shipw.com/ (We accept payments via PayPal, Western Union, Bank Transfer, Bitcoin and Litecoin. Credit card payments will be processed through PayPal system.)


    Sobre Benjamin Netanyahu:

    www.ibtimes.com/benjamin-netanyahu-says-bitcoin-rises-banks-die-2628104


    A coisa toda está bem no começo ainda. Muita empresa não entende a tecnologia nem tem capacidade técnica para implantá-la. Mas isso demonstra o quanto você está errado sobre o assunto. Não há como nunca ser aceito. Já está.

    Entretanto, como há poucos transações, continua me parecendo que há poucas pessoas dispostas a pagarem com bitcoins... Quem tem bitcoins ainda aposta na alta, e os segura.

    Sim. Eu inclusive. Lei de Gresham. Só pretendo usar criptomoedas se meus reais ou dólares acabarem. Mas isso não quer dizer que não tenha gente disposta a embolsar os lucros com bitcoin neste momento, adquirindo, diretamente, bens com eles.
  • Demolidor  14/12/2017 18:00
    Ninguém colocaria a poupança da sua vida em bitocoins. E se houver um estouro de bolha?

    Esqueci de comentar isso. Está aí um conselho de investimentos sábio. Ninguém deve colocar a poupança da sua vida em bitcoins. Aliás, ninguém deveria colocar a poupança de sua vida em nada, sejam imóveis, dólares, ouro, franco suíço, poupança, títulos do governo, etc. Deve-se alocar sempre uma parte do patrimônio para cada ativo. Diversificar. E olhar tendências para evitar alocação em ativos perto de sofrer um crash.

    Todo ativo tem risco e alguma forma pela qual pode ser tomado. E todos, absolutamente, estão expostos a crash, uns mais, outros menos.

    Bitcoin tem riscos? Claro que tem. Mais que outros ativos? Provavelmente, inclusive porque a custódia ainda é insegura e demanda conhecimentos técnicos. Mas também tem, mesmo no fim de 2017, um potencial de crescimento muito grande.
  • charles  15/12/2017 20:32
    Com relação ao fato de a moeda ser deflacionada, leiam este artigo. "não existe problema algum em uma moeda ser deflacionaria" pelo contrario existe beneficio quando o motivo da deflação não se da por influencia do governo. www.mises.org.br/Article.aspx?id=163
  • Luiz  14/12/2017 19:09
    2 destinos para o Bit
    Cai para cerca de 10 dólares ou menos (dolar com vantagens a mais)
    Ou some do mapa, e vira galeria do UOL: 'coisas que acreditamos um dia'
  • Demolidor  14/12/2017 19:43
    Manda para esse pessoal aqui:

    99bitcoins.com/bitcoinobituaries/
  • Anti-Estado  15/12/2017 12:42
    Deixa o cara se auto humilhar! Esse aí é mais um que perdeu o bonde e fica com raivinha de quem ganhou uma grana com BTC.
  • reinaldo  22/12/2017 15:12
    Estes vários posts sobre o bitcoin me deixaram com uma dúvida.
    O valor do bitcoin sobe e tende a subir sempre porque sua oferta está limitada a um número fixo de bitcoins, certo?
    Se o banco central brasileiro congelasse em definitivo a oferta monetária (repondo apenas cédulas e moedas avariadas), o valor real do Real também aumentaria de forma parecida?
    Quero dizer : a oferta de Reais também seria fixa, mas como há cada vez mais produtos e serviços a serem demandados, e cada vez mais pessoas querendo guardar dinheiro, a única saída seria o valor da moeda subir até que seja necessário dividi-la em milésimos e décimos de milésimo de Real.
    Hipoteticamente seria esse o raciocínio?
  • Demolidor  22/12/2017 15:22
    Sim.
  • Marcio  24/12/2017 14:32
    Como comprar ouro físico em pouca quantidade e sem birocracias?
  • Emerson Luis  01/01/2018 11:53

    De qualquer forma, nada é infalível e (principalmente) nada é à prova de estultícia.

    No mínimo, haverá oscilações no decorrer do tempo e quem compra e vende por impulso, sem conhecer e focando no curto prazo, poderá sofrer prejuízos.

    * * *
  • Adriano  25/01/2018 00:10
    Bitcoin falha como meio de pagamento e se tornou apenas um bem

    olhardigital.com.br/noticia/bitcoin-falha-como-meio-de-pagamento-e-se-tornou-apenas-um-bem-alerta-empresa/73674
  • Anselmo  25/01/2018 02:31
    Mas nunca foi meio de pagamento mesmo não. Pra ser meio de pagamento, qualquer padaria tem de aceitá-lo em qualquer lugar do mundo.

    Creio que a única moeda do mundo que usufrui essa característica é o dólar (e ainda assim com ressalvas).

    Bitcoin por enquanto é só um ativo especulativo e extremamente volátil.
  • Paulo Henrique  11/10/2018 21:20
    Hoje ocorreu uma queda global nos mercados de ações e o preço do bitcoin desceu junto, o Ouro subiu. Isso me parece um sinal que ele não é visto ainda como um porto seguro como o Ouro, usado como reserva de valor.
    Se ele é visto como ações, e não como um Ouro, e existe relação entre as subidas e quedas entre os mercados, não é exagero imaginar que ele pode ser mesmo uma bolha. A bolsa americana está, ao meu ver, inflada.. Esse excesso de liquidez global pode ter ajudado a inflar o mercado de criptomoedas também.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.