clube   |   doar   |   idiomas
Podcast especial do Instituto Mises Brasil - Lobão

Estar no centro do turbilhão de salitre e breu, para usar uma imagem do poeta inglês William Blake, não é novidade na vida do cantor, compositor e escritor Lobão. Mas a polêmica da vez é diferente das anteriores e tem origem na crítica político-cultural do seu novo livro "Manifesto do Nada na Terra do Nunca".

Nas entrevistas de divulgação, Lobão foi contundente nas críticas à dominação cultural da esquerda e no alerta para as consequências do aparelhamento ideológico. A polêmica, que começou na imprensa, transbordou para as redes sociais com a gritaria de sempre da minoria histérica, mas com uma reação vigorosa de pessoas que compartilham ou descobriram que compartilhavam a visão do artista.

Além do fato incomum de um representante do universo musical passar com um bulldozer por cima do hype esquerdista, a perspectiva também libertária que embasa a sua visão crítica soou completamente estranha aos suspeitos de sempre. Pois, para escrever o livro e fundamentar a sua crítica, Lobão afirmou ter lido dezenas de livros e artigos, alguns dos quais de autores libertários e da Escola Austríaca publicados no site do IMB.

"Sou leitor do site, que me ajudou muito a escrever o livro e a ampliar a minha visão de mundo. O site tem textos maravilhosos e indicações de livros fundamentais. Você tem acesso a livros que não estão disponíveis em outro lugar. Eu devo muito ao site do Instituto Mises", disse Lobão nesta entrevista ao Podcast.

A conversa abordou temas como o individualismo metodológico ("Frouxo unido jamais será um indivíduo"), libertarianismo, estatismo, esquerdismo, capitalismo de estado, doutrinação, cultura e política brasileira, e a necessidade de unir todos aqueles que acreditam no livre mercado, na livre iniciativa, na propriedade privada, na liberdade de expressão para combater o inimigo comum e alterar o panorama atual.

"Estamos num momento histórico em que naturalmente ou forçosamente, pela nossa boa vontade e bom senso, temos (conservadores, liberais e libertários) que sentar e tentar um alinhamento para reformular a situação atual. Estamos num momento muito rico e temos que ter uma visão de ponta de lança rompedor; saber o que fazer com a bola quicando na área".

Neste Podcast, um Lobão como certamente vocês nunca ouviram.  

Clique aqui.



autor

Bruno Garschagen
é autor do best seller "Pare de Acreditar no Governo - Por que os Brasileiros não Confiam nos Políticos e Amam o Estado" (Editora Record). É doutorando e Mestre em Ciência Política e Relações Internacionais pelo Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa e Universidade de Oxford (visiting student), formado em Direito, coordenador e professor de Ciência Política da Pós-Graduação em Escola Austríaca (IMB-UniÍtalo), podcaster do Instituto Mises Brasil e membro do conselho editorial da MISES: Revista Interdisciplinar de Filosofia, Direito e Economia.


  • Marcio  10/05/2013 08:58
    Achei que nunca veria alguém do meio artístico ir contra a maré.

    Todo esse alvoroço em cima do Lobão, acaba sendo positivo de certa forma, já que expõe ao público em geral, que em sua maioria é leigo, o que está ocorrendo no âmbito político-cultural brasileiro. Quanto mais pessoas forem alertadas disso, melhor.

  • R. Domini  10/05/2013 11:45
    Por que não consigo baixar o podcast quando clico no link azul? Há outros também que não consigo baixar em MP3.
  • anônimo  10/05/2013 16:14
    Copia o link e baixa pelo Orbit
  • Rhyan  10/05/2013 18:19
    Clica com o botão da direita e vai no "salvar como".
  • Anonimo  10/05/2013 14:08
    Liberem a entrevista do Rodrigo!!!!
  • mcmoraes  10/05/2013 15:38
    Eu também acho. Acho que uma das grandes qualidades do IMB é publicar todos os comentários que apresentem algum vestígio de inteligência e educação. Sendo assim, sugiro fazer o mesmo com os podcasts. Se, por acaso, o nível da entrevista for muito baixo (como provavelmente foi o caso da entrevista com o Constantino), que o Bruno Garschagen, então, em seu site pessoal, faça a publicação, sem vinheta do IMB, como uma entrevista pessoal independente.
  • Camarada Friedman  10/05/2013 21:56
    Pow, nem sabia dessa entrevista.

    O Bruno, upa no seu blog então, eu queria mto ouvir essa entrevista.
  • Célia Magalães  10/05/2013 14:10
    Obrigada Lobão! Seu temor em relação ao crescimento do socialismo impetrado à força pelo governo PT corresponde a algo que venho sentindo também e espero que com seu manifesto um movimento de oposição se inicie de fato. Excelente entrevista!
  • Daniel Marchi  10/05/2013 14:37
    Espetacular essa entrevista. Lobão está lendo, estudando, revendo suas posições, analisando o estado de coisas... Digam-me que outra figura pública faz isso? Nenhuma. É por isso que a nossa sociedade "fossilizou-se". A elite artística, política e intelectual parou no tempo há 50 anos. Os exemplos que existem para a sociedade são os piores possíveis.
  • PESCADOR  10/05/2013 14:49
    Bom saber que o Lobão lê os artigos do "Mises Brasil" e "Ordem Livre". Alguém me falou nessa semana que o Danilo Gentili também lê esses sites e é um simpatizante do Libertarianismo. Será?
  • Guilherme Marinho  10/05/2013 15:00
    Sim, pescador. É verdade.
  • Rafael  10/05/2013 18:52
  • Décio  10/05/2013 16:40
    Eu já desconfiava que o Lobão tivesse essa postura. Já assisti ele como apresentador, e percebi um certo teor libertário em suas colocações. Ainda bem, né?
  • Guilherme Traldi  10/05/2013 16:48
    Parabéns ao Instituto Mises Brasil pelo incrível feito. Aos poucos vemos um crescimento no número de leitores no portal, e principalmente, um crescimento de cabeças que estudam várias vertentes políticas e econômicas, buscando um melhor entendimento histórico e saídas para uma fuga dessa vala comum.
    Congratulações ao Bruno, Fernando, Cris e Roberto Chiocca e principalmente ao Lobão por defender uma união entre essas vertentes para que todos tenham direito à individualidade, liberdade de expressão e livre mercado.
    Quanto ao Danilo Gentili, estudei com ele em Sydney por um mês. Conversando sobre uma entrevista que ele forneceu ao Roberto Justus (Acho que no You Tube ainda dá pra encontrar), sugeri que ele juntasse o maior número de informações possíveis para se armar contra idiotas do quilate do Justus e defender seu direito à liberdade de expressão. Mostrei o site do Mises e um texto do Walter Williams se não me engano. Ele é totalmente anti-governo, pró mercado e defensor da liberdade e do individualismo racional. Provavelmente ele ele acessa o site do Mises sim. Ele me convidou para visitá-lo dia desses no Comedians. Certamente é mais um pro bando de loucos, rs!
  • Francisco  10/05/2013 17:09
    Pra quem nunca viu, segue a situação do Brasil retratada numa poesia pelo Lobão.

    youtu.be/M6lEu9wnmIc
  • Adão Alves dos Santos  10/05/2013 18:21
    Parabéns Lobão. É necessário levar mais gente do meio artístico para o lado do bem. A esquerda usou o meio artístico para disseminar o que há de pior na terra, agora é a hora de reverter tudo isso.
  • Tomaz  10/05/2013 18:58
    Merece transcrição.
  • Marcus Benites  10/05/2013 19:44
    Admiro quem tem coragem de mudar seus conceitos ao perceber que eles eram pura besteira... Acho que todos aqui já passaram um pouco por isso. Digo isso do Lobão pois me lembro de uma entrevista sua no final dos anos 90 em que ele defendia o MST... Que bom que, para alguns, chega o tempo da lucidez.
  • Douglas Becker  10/05/2013 20:56
    Subscrevo o que disse o sempre preciso e perspicaz Pedro Sette-Câmara no twitter: "Lobão está repetindo as posições *jornalísticas* de Olavo de Carvalho vinte anos depois. Se você acha que cultura popular é vanguarda..."

    O Lobão está fazendo muito barulho e isso é sensacional, mas quem não reconhece que ele está ecoando as palavras de vinte anos atrás do Olavão ou é desonesto ou não conhece o velho filósofo.
  • Douglas Becker  10/05/2013 21:05
    A propósito, por que é que o Mises Brasil não promove um debate amistoso entre o Olavo de Carvalho e o Hans-Hermann Hoppe, o Stephan Kinsella ou o Thomas Woods? Seria interessante para esclarecer alguns pontos. Posteriormente poderiam gravar uma entrevista no Podcast com ele e então fazer um levantamento de quais são os pontos de acordo e de desacordo.

    Já passou da hora. O Olavo de Carvalho tem seu valor, o seu poder na crítica cultural é inigualável no Brasil e ninguém oferece melhores explicações econômicas do que a equipe do Mises Brasil. Por que não se unir na atuação externa e deixar as rusgas para os bastidores? Olavo na frente cultural e Mises na frente econômica faria um bem enorme ao debate público brasileiro.

    Acho tolo ignorar o Olavão. Quem o julga com base no TO ignora que a proposta do programa é falar na linguagem do esculacho popular. Esqueçam essas besteiras propagadas pela internet sobre Pepsi e geocentrismo. São distorções tolas baseadas em interpretações equivocadas do que ele de fato disse nessa linguagem do esculacho popular.
  • Jéssica Sampaio  10/05/2013 21:25
    Não sou muito fã do Olavo, mas reconheço sua enorme cultura e inteligência. Acredito que um debate entre ele e um grande libertário só contribuiria para o crescimento do Libertarianismo e dos Conservadores, cada um a seu modo, no Brasil.

    Eu gostaria, inclusive, de ver um debate entre ele e um rothbardiano como o Hoppe e um debate entre ele e algum seguidor da Ayn Rand como o Yaron Brook, que tem uma retórica tão boa quanto a do Olavo senão superior.

    E a entrevista no podcast também seria legal. O Bruno Garschagen não foi aluno do Olavo? Poderia conseguir isso para a gente.
  • mcmoraes  12/05/2013 00:28
    Já tenho até o cartaz de chamada para o debate entre o HHH e o OdC: O duelo da década :)

    ps: aposto tudo no HHH ;)
  • Camarada Friedman  12/05/2013 01:39
    Olavo versus Rodrigo seria muito mais interessante.
  • Gabriel Giorg  14/05/2013 13:18
    Não importa com quem seja, deveriam fazer o debate. De preferência com alguém que não concordasse cada vez mais com o Olavo como é o caso do Constantino.

    Tenho minhas dúvidas em relação ao Olavo de Carvalho. Um debate como esse colocaria os pingos nos is.
  • Anônimo  14/05/2013 13:46
    Olavo é superestimado, perdoe-me confessar. Jamais compreendi sua grandeza tal profetizada por sua massa de seguidores estranhos que o identificam como salvador.

    Considero-o apenas um senhor de boca suja em decadência mental há 20 anos já incapaz de admitir um simples erro que tenha feito em um ou dois programas. Suas explicações sobre como o "casamento" gay destruirá a família, a civilização, o homem, o capitalismo e todo o resto são mirabolantes e jamais me convenceram. Ele parece não compreender que o único motivo pelos quais os homossexuais são grupos vitimológicos adotados pelos progressistas é porque eles foram uma casta formada por uma legislação governamental que INICIOU a violência ao impedi-los de realizar comunhão de bens e obter o aval estatal de que são um casal.

    A discussão do casamento gay é francamente ridícula. Libertários não deveriam debater tal tópico, mas sim o fato de o estado possuir o monopólio sobre a determinação do que é casamento e não é. A união estável aos seculares é meramente uma comunhão de bens e a troca voluntária de um direito de livre-associação entre dois indivíduos por amor. A disputa entre progressistas e conservadores quanto a isso está apenas alimentando o curral ideológico "revolucionário" da corja graças ao enxame de jovens politicamente corretos e dando força à esquerda. Impedir a livre-associação entre gays é iniciação de violência e ponto: Ninguém quer destruir a família. Libertários querem tanto atender ao direito natural como impedir que mais um grupo vitimológico seja adotado pela esquerda progressista coitadista.

    Agora, quanto ao aborto, o debate deve seguir SEMPRE secular e mantido à razão. Sou anti-aborto e não aprovo a argumentação do professor Carvalho, porém, sou extremamente favorável ao debate entre todos a respeito desde que o mesmo não seja movido pela emoção ou religião para justificar qualquer tipo de comportamento autoritário que seria ilegítimo segundo a razão.

    Não precisa ter debate com o Olavo.
  • anônimo  14/05/2013 14:46
    (...)Ninguém quer destruir a família.(...)
    Em que mundo você vive?
  • Anônimo  14/05/2013 15:04
    Em um onde os outros entendem a função de uma frase em uma redação.

    Quando eu disse "Ninguém quer destruir a família.", está mais que óbvio que fazia referência ao fato de ninguém dos liberais querer destruí-la através do casamento entre homossexuais. Francamente, tenho vizinhos gays que vivem juntos e pode-se dizer que são casados. Isso não atrapalhou em nada as famílias da vizinhança.

    A violência foi iniciada contra todos quando o governo assumiu o aval de decidir o que é casamento e o que não é. Tal compromisso pertence às instituições culturais ou meramente aos indivíduos que trocam seus direitos de associação com outros por motivos sentimentais. A permissão ao casamento gay não é nada mais que a revogação de uma violência já praticada.

    A rixa com o casamento gay e conservadores está apenas alimentando o curral vitimológico da esquerda, que comprou a briga dos homossexuais e obteve ainda mais popularidade progressista entre os jovens politicamente corretos. Isso é que é uma verdadeira preocupação.
  • gustavo sauer  14/05/2013 15:45
    Como um casamento gay destruirá uma família hetero? Explique melhor.
  • anônimo  14/05/2013 16:22
    Tirando do contexto e distorcendo tudo fica bem mais fácil não é mesmo?
    O problema nunca foi que o casamento gay vai destruir o hétero mas sim O PRINCÍPIO do qual o casamento gay emerge e que é apenas mais um item da agenda Gransciana.
    Sob a desculpa de conquistar direitos, combater a homofobia, promover a diversidade etc etc etc o que acontece na prática é que está sendo criada uma classe de pessoas protegidas pelas leis, pelo lixo desse governo atual e com poderes pra se meter em tudo, inclusive nas leis e na educação dos filhos dos outros.

    Um exemplo bem claro disso, basta ver a histeria que esse mesmo pessoal está criando sobre a tal da 'cura gay'.Detalhe, esse foi um rótulo inventado por eles, 'cura gay'.Se é de livre e espontânea vontade do terapeuta e do cliente tentarem esse tipo de tratamento, isso é problema deles e de mais ninguém. O mesmo pessoal GLS que se diz perseguido, que diz que só quer ficar em paz no seu canto são justamente os que vão lá infernizar a vida de quem quer essas coisas, transformando em crime uma coisa que é 100% voluntária.
  • Julio J.  14/05/2013 16:05
    Vou dar uma de Lobão. Quantos livros você leu dele?
  • anônimo  14/05/2013 16:30
    'eles foram uma casta formada por uma legislação governamental que INICIOU a violência ao impedi-los de realizar comunhão de bens e obter o aval estatal de que são um casal.'

    Mas você nem fez o dever de casa hein? Eles já podem ter isso tudo com contratos.O objetivo do casamento gay não é esse, é combater a homofobia, eles mesmos admitem abertamente: 'a gente quer os mesmos direitos com os mesmos nomes, o casamento tem um efeito celebratório'
    @ 8:41
  • Renato Souza  19/05/2013 05:19
    O problema do "casamneto gay" é que ele é base para obrigar, por lei, pessoas que não reconhecem isso como casamento a reconhece-lo.

    Vou dar um exemplo: A Igreja Católica não reconhece como casamento verdadeiro o casamento entre duas pessoas divorciadas. Perceba que está tudo em paz, a ICAR não obriga ninguém a "não-reconhecer" esse casamento, e ninguém obriga a ICAR a reconhece-lo. Agora imaginem que seja aprovado o tal de "casamento gay" e seja aprovada também a tal de "lei anti-homofobia". Um religioso que se recuse a "reconhecer" uma dupla gay como casal, certamente será perseguido pela "justiça". Um grupo religioso que tenha legitimamente crianças orfãs sob sua guarda, e que busque adota-las uma casal natural, e não um "casal homossexual", será tido como criminoso. Há um enorme número de casos de perseguição legal, ativismo judicial, e até agressões ocorrendo em vários países, em nome do "combate à homofobia". Casamento gay é reengenharia social, e só isso. Pesquise melhor, mas pesquise com vontade de encontrar a verdade.

    Quanto ao poder dos governos de reconhecer casamentos, vou muito mais atrás: Governos, na minha opinião deveriam ser divididos em naturais e não naturais. As tribos, as vilas, as cidades, são unidades políticas naturais e seus governos surgem das relações sociais e da vontade das pessoas de terem bens em comum, por segurança ou comodidade. Assim, para um selvagem, viver sozinho na selva apenas com sua família é excessivamente perigoso, solitário e anti-econômico. É melhor para ele viver em tribo, e a tribo tem um território comum (que é um bem comum). Em principio, a propriedade privada é sempre melhor, no sentido de que a adiministração por um único individuo é sempre pacífica e a administração por um grupo é sempre potencialmente conflituosa. Há maneiras de mitigar tais conflitos, mas o potencial conflituoso é inerente à existência de mais de um possuidor. Os bens comuns são fonte da lei comum e do governo comum. Note que o selvagem tem noção de propriedade privada. Suas armas, seus apetrechos, seu vestiário, sua cabana, não são de quem pegar primeiro, são dele. Mas por viabilidade econômica e segurança, ele prefere que o território seja bem comum. A vila é o tribo fixada, e normalmente a fixação produz a propriedade privada da terra. A propriedade privada da terra sempre foi menos conflituosa, mas para os nomades era menos viável. O sedentarismo e a melhoria da técnica a tornam viável, e por ser menos conflituosa, é freqüentemente adotada. Alguns povos guardam a memória do momento em que as terras foram divididas em lotes iguais e sorteadas entre os membros da tribo, em tempos primevos. Mas algum espaço comum é mantido, e a posse de espaço comum continua produzindo lei comum e governo comum. A cidade é a vila ampliada, e tudo o que se disse sobre a vila aplica-se à cidade. O governo da tribo, da vila e da cidade podem se tornar tirânicos, mas a sua origem não é a tirania, foram a conveniência, segurança, e busca de convivência que geraram os bens em comum.

    Nesse ambiente de lei comum, o que é o casamento? É aquilo que a tribo (e depois a vila e a cidade) consideram casamento. A família normalmente não ocorre isolada, mas no contexto da tribo (e vila e cidade).

    Bom, então governos dessas três entidades são ocorrências naturais do convívo social. Mas qual a natureza dos governos nacionais? Historicamente, é possivel provar que não nasceram das relações sociais pacíficas, da sabedoria e da conveniência. Nasceram da tolice, do engodo, da corrupção e da violência extrema. Nações, em muitos casos, podem até ser entidades culturais naturais, mas nunca são unidades político-administrativas naturais. Uma confederação (no sentido real) de unidades políticas naturais, seria por direito, perfeitamente legítima. Isto não quer dizer que seja conveniente desfazer um estado moderno em qualquer situação. Normalmente, seria mais justo e conveniente conduzi-lo a uma situação de liberdade cada vez maior dos entes naturais que o compoem, até transforma-lo num confederação legítima. Mas estou saindo do assunto.

    Agora notemos que o casamento, conforme entendido tradicionalmente, é um fenomeno social legítimo, porque foi historicamente de forma extremamente ampla, com alguma variação, mas mantendo o conceito geral, em todo tipo de sociedade natural, em um processo social pacífico. Não surgiu como imposição de um tirano, mas da forma de ser do ser humano. Em alguma sociedade natural surgiu o "casamento gay"? Não, ele só pôde surgir no estado moderno tirânico, por meio de dois processo ilegítimos:

    1. A engenharia social.
    2. A imposição de leis que a maioria reputa como injustas, que obriguem as pessoas a reconhece-lo como casamento.
  • João Oliveira  14/05/2013 20:20
    "Anônimo", acontece que ser favorável ou desfavorável ao matrimônio gay não é algo que implica neccessaariamente na aceitação ou não da associação entre pessoas do mesmo sexo. Muito mais autoritário que ser contra o casamento gay é ser a favor da legislação atual que obriga as partes a um compromisso legal perante o Estado. A tal da "união estável" é muito mais autoritária que a simples livre associação entre duas pessoas do mesmo sexo, que por acaso resolvam compartilhar seus bens. O Estado não precisa legislar em matéria de vida privada dos cidadãos, muito menos quando o argumento pra esse tipo de iniciativa apela a conceitos como "liberdade sexual", "igualdade". No fim das contas, casamento gay tal como é defendido é um engodo. Amplia a responsabilidade do Estado e diminui a liberdade individual.
  • Nigro  10/05/2013 21:31
    Quem já conversou pessoalmente com o Olavo sabe q ele não te interrompe para falar e explica com muita delicadeza. Até os poucos palavrões q solta é falado pausadamente e sorrindo como quem diz: olha meu personagem do TO me influenciando!

    Quem diz q "sobre o Olavo não se fala" são os esquerdistas q padecem de argumentos. Libertários e anarcocapitalistas são inteligentes e cultos e é possível um debate muito rico.
  • Mauricio  10/05/2013 22:08
    As opinioes divergem.Nao so esquerdistas criticam o Olavo de Carvalho.Eu concordo com com o Rodrigo que o Olavo representa a direita tacanha e retrograda e e' muito sem educacao." O que e' incrivel um senhor como o Olavo de Carvalho ainda ser levado a serio no Brasil isso demonstra o nosso atraso isso demonstra porque nao temos uma oposicao decente..."
    www.youtube.com/watch?v=fgasM4boDEY

    rodrigoconstantino.blogspot.com.br/2007/02/vaidade-de-olavo.html
  • Flávio Alberto  11/05/2013 04:20
    Rodrigo tá muito aquém de um Olavo de Carvalho lhe falta conteúdo filosófico porém o econômico ele acrescenta e muito.
  • anônimo  11/05/2013 09:33
    Se o Rodrigo realmente acha o Olavo mal educado, então ele Rodrigo é burro ou está de má fé, todo mundo sabe que o Olavo do TO é um personagem, ele disse isso várias vezes, aquilo lá não é ele, ele exagera de propósito pra falar a 'lingua' do brasil.
  • Mauricio  11/05/2013 14:55
    O Olavo pode ter conteudo filosofico,e so filosofia classica, o que faz com ele e' outra coisa.Eu como o Rodrigo Constantino e tantos outros achamos que ele e' um retrogrado ,um atraso de vida.
  • Darci  11/05/2013 19:16
    Concordar ou não com o Olavo é uma coisa, mas querer tapar a boca ou os ouvidos de outros é puro autoritarismo que não fica bem aqui no IMB nem em lugar algum.
  • Marcus Benites  11/05/2013 21:57
    E quem tentou fazer isso, tapar a boca e os ouvidos dos demais? Não vi nada disso em nenhuma das mensagens. Se você puder especificar onde isso ocorre, agradeço (e acho que os demais também).
  • Anônimo  11/05/2013 22:27
    Não sei se você sabe, mas o Rodrigo Constantino reconheceu publicamente os méritos do Olavo de Carvalho, recomendou a todos a leitura do próximo livro do filósofo que será lançado em junho e disse que cada vez mais se considera um conservador.

    Procure no facebook do Rodrigo e você poderá averiguar tudo isso. O Constantino amadureceu, parou de pensar com o coração e redescobriu o valor do Olavo. Espero que todos façam o mesmo.
  • anônimo  13/05/2013 10:15
    Procurei e não vi nada disso.
  • Mauricio  13/05/2013 14:58
    Tambem nao vi nada.O Rodrigo continua pensando o mesmo que ele escreveu nos artigos e apresentou nos videos.
  • Andrey Maloska  15/05/2013 13:47
    Como vocês são preguiçosos! Só uma demonstração do que o Anônimo disse: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=600656029954042&set=a.253205511365764.63916.100000289514686&type=1

    Mesmo com todo o histórico existente entre os dois, o Rodrigo já deu declarações dizendo que o Olavo é um dos indivíduos de maior valor no combate contra a esquerda e o autoritarismo.

    A propósito, quando sai a entrevista com o Olavo no podcast do Mises Brasil? Ele divulga o Mises desde o final da década de 80, acho que nós, leitores, merecemos uma entrevista com ele.
  • Matteo de Fillipo  15/05/2013 14:18
    Eis que surge tal pedido. Seria interessantíssimo, mas infelizmente não tenho esperança de ver tal entrevista se concretizar.
  • Marcos Roldão  15/05/2013 14:46
    A Equipe do Mises poderia ao menos responder se isso seria possível ou se está mesmo fora de cogitação. Afinal, acredito que depende muito mais deles do que do Olavo, que não se negaria a conceder a entrevista.

  • Equipe IMB  15/05/2013 16:11
    Ja estamos trabalhando nisso. Vai depender dele.
  • Bruno D  21/06/2013 14:24
    Direita tacanha e retrógrada...

    No que o Olavo está trabalahndo efetivamente para ser rotulado como tacanho e retrogrado?

    denunciar o Foro de São paulo é ser tacanho e retrógrado?

    denunciar o meanstream (isso há 20-30 anos atrás, figuras como o Betinho de sousa, enfil etc etc eram os deuses do imaginário popular, eram figuras intocáveis e "acima de qualquer critica, da razão do bem e do mal" como o Boechat disse ao Niemayer falecer recentemente) ele teve a coragem de escrever livros contra o pensamento desses caras, isso ninguém fazia ou fez até agora, esse movimento surgiu muito que timidamente agora, não é? Ele foi ostracisado gente! Quem tem a coragem de denunciar o que está errado para o chefe ou patrão e se arriscar a perder o emprego como aconteceu com ele, só por que o pensamento dele não agradaria o público leitor médio de um jornal?

    Será que isso é ser pobre de espírito (tacanho), se arriscar a perder o emprego por falar o que vc acredita ser a verdade(miserável?).. Mesmo que doa no seu chefe? E que brevemente irá doer no seu bolso pois vc ficará desempregado?

    O episiodio dos Filhos da Puc, alguém se lembra ou leu sobre o assunto, denunciar filhinhos de papai hávidos por um comnunismo e socialismo e movimentos racistas é ser retrógrado e tacanho? Os estudantes que foram aconselhados pelo segurança da PUC a darem no pé e depois por se retirarem da faculdade pelos reitores..

    Traços de mesquinahria, ou algém de uma pessoa muito miserável é capaz de fazer isso?

    Só por que ele é a favor da família tradicional (o tipo de família que tornou possível a sociedade como a conhecemos hoje) é ser retrógado e tacanho?

    Olha, eu aprendi uma coisa muito importante, antes era como achar que os pensamentos teriam que ser classificados por serem atuais ou antiquados, simplesmente em uma ordem cronológica e é claro isso se mostrou muito ilógico para mim.

    Não existem pensamentos antiquados e modernos, existem pensamentos corretos ou errôneos. Classificar dessa forma os pensamentos é do cerne do movimento modernista, um dos responsáveis pela merda de situação que passamos hj é claro!

    Por que esse pensamento em separar o que é velho como uma coisa ruim não aproveitável ou novo como algo que tennha que ser descartado?

    Afinal o pensamento deve vir com um rótulo de validade nele? Ou ser descartado logo ao ser produzido pelo valor dele?

    O s. Constantino já tinha caido no meu coneito quando eu vi ele apanhar daquele ser abominável chamado Ciro Gomes, não conseguiu refutar em nenhum argumento o que o Ciro falava (e falava só besteira mesmo). Ao invés de destruir os argumentos do ciro e consequntemente fazer com o ciro engolisse todo o vomito que ele tinha jogado em cima da mesa de debates, não, ficou apenas timidamente tentando concatenar algumas respostas, balbuciando um sim e um não de vez em quando.

    Depois desse depoimento que ele deu no youtube(uma critica ao Olavo criticar a decisão do STF) quando na época o aborto foi liberado pelo STF ele veio falar que não podia se confirmar com certeza quando um embrião torna-se feto e consequentemente um humano, como se houvesse diferença entre essas fases... Como um embrião pudesse se tornar um elefante...

    Os argumentos que tentam destriuir a refutação do Olavo estão naquele mesmo nível de um cara na internet que se diz historiador e escreve um monte de baboseira na internet sobre história, uma delas que os movimentos terroristas no brasil não tinham nada a ver com o comunismo e não queriam implantar uma ditadura do proletariado no brasil não, isso tudo é teoria da conspiração de um velho senil, louco, retrógrado e tacanho..

    At



  • Marco Aurélio  11/05/2013 01:59
    Foi uma grata supresa ver o Lobão dando uma guinada de pensamento, ( talvez ele já tivesse este pensamento ) se expondo e sabendo das consequências.
    Encontrou o caminho de Damasco!

    Muito boa entrevista, o entrevistador deixou o entrevistado falar
  • Angelo Noel  11/05/2013 02:51
    Boa!

    Vamos lá que um só Lobão não faz alcateia, mas já é um bom outdoor pros cérebros esforçados.

    Dá-lhe Mises!

  • Reinaldo Mendes  11/05/2013 04:26
    O Lobão está com a razão, é necessário uma coalisão entre libertários e conservadores.
    E não há como negar a influência do Olavo de Carvalho, principalmente quanto as denuncias quanto ao Foro de São Paulo e a estratégia de dominação cultural.

    Gosto muito dos textos do mises, acho que fazem um bom trabalho, apesar de ter minhas discordâncias também.

    Mas por favor parem de picuinhas irrelevantes com os conservadores, é momento de união, do contrário todos seremos atropelados pelo comunismo.



  • Tiago Gomes  11/05/2013 15:21
    Notícia fantástica! Ao contrário da esmagadora maioria dos artistas, que são esquerdistas, o Gentilli e o Lobão estão do lado direito da História. E que continuem influenciando a juventude.
  • Fabiano  11/05/2013 15:40
    Parabéns Lobão e IMB!

    Sou fã do Lobão há pelo menos uns 20 anos. Acompanhei boa parte de sua carreira sempre com muita admiração e respeito. É bacana saber que eu e um de meus ídolos somos, de certa forma, sócios da mesma "biblioteca" e compartilhamos interesses por estes grandes autores e assuntos que o IMB nos disponibiliza.

    Grande abraço, grande lobo!
    Fabiano
  • ANDRE LUIS  11/05/2013 16:53

    É uma pena que nem liberais nem conservadores queiram participar de um debate entre si. Dá para perceber isso pelo silêncio sepulcral diante das sugestões dos leitores. Um pouco menos talvez por parte do Mises, pois me lembro que, diante de uma intervenção do Olavo na seção de comentários a um artigo que eu não me recordo agora, o Fernando chamou-o para um debate, convite este gentilmente recusado por Olavo, alegando falta de tempo.

    O fato é que ambos estão ainda brincando de arrebanhar discípulos na internet, sem se preocupar em sair para colocar suas idéias em prática por conta própria, ou mesmo observar os fenômenos que estão acontecendo debaixo dos seus narizes, e emprestar suas idéias para legitimar ou dar sustentação teórica aos mesmos.

    Ninguém (principalmente os conservadores) está conversando, por exemplo, com os cristãos evangélicos, reconhecidos como a única força de oposição real e que oferece algum perigo aos poderosos de turno, por isso mesmo ferrenhamente combatida na mídia e na política.

    Ninguém (principalmente os liberais) enxerga na atuação de policiais e bombeiros tidos como milicianos em locais de baixa renda, os princípios da auto defesa presentes há milênios na humanidade. Preferiram deixar o senso comum julgar e condenar a atuação destas pessoas, sem oferecer nenhum contraponto teórico ao caso.

    Policiais e bombeiros merecem saber que há um embasamento teórico e praxeológico no que estão fazendo, merecem saber disso para fugir da criminalidade a qual muitos se encontram, muitas vezes por não ver uma forma legítima para continuar seu trabalho.

    Milhões de pessoas que vivem sob influência de policiais e bombeiros merecem saber que podem viver em um local seguro e próspero, e que não precisam esperar por esta segurança e prosperidade de braços cruzados, por meio da boa vontade de seus governantes. Elas merecem saber que podem financiar serviços de segurança, e que podem contar com os liberais para lhes mostrar que só assim se constrói verdadeira segurança e prosperidade.

    Ninguém conversa com a mídia, ninguém está na escola (com exceção da caravana da liberdade),ninguém está em lugar nenhum!

    Lobão, Salve-nos!!!


  • Bruno D  12/05/2013 14:57
    Pessoal,

    O Mises.orb.br já esta fazendo barulho mesmo, mesmo que sútil, o chargista oficial do Pravda brasileiro o Chico fez uma caricatura no lobão:

    Enquanto isso na MPB...

    oglobo.globo.com/ (no canto direito inferior da tela0

    A charge só esta na versão impressa do jornal.

    Comprei (o que fiz muito erradamente, como Olavo diz não comprem essas m..rdas!) por causa do aumento do número de licenças para comprar armas no brasil, a cada duas horas no brasil alguém está adquirindo de forma legal armas (enquanto provalvemente a cada dois minutos alguém compra uma ilegalmente).

    A reportagem é um desabafo dos movimentos desarmamentistas como não poderia deixar de ser.

    O resto do jornal nao presta é claro, propaganda da ONU estão entre as "notícias".

    Vamos seguir o conselho mais que profilático do Olavo: Não comprem essas m..rdas!

  • Dalton C. Rocha  13/05/2013 01:22
    Pois é. Na vizinha Argentina, as esquerdas fizeram os seguintes passos, nos últimos anos:
    1- Começaram a chamar para prestar contas, militares supostamente torturadores.
    2- Mandaram para a cadeia, militares que supostamente torturaram.
    3- Confiscaram empresas, inclusive a enorme YPF.
    ****************
    Eu tenho é nojo de supostos defensores do capitalismo, que exigem apurações dos "crimes da ditadura" e mantém um silêncio sepucral dos desmandos de políticos e de ditadores comunistas.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.