clube   |   doar   |   idiomas
A bandeira é diferente, a letra é diferente, mas a melodia é a mesma

Amor à humanidade
A bandeira agora é verde, em vez de vermelha.  A letra da música também é outra.  Mas a melodia continua exatamente a mesma.

Quando os vermelhos cantavam, a letra dizia que o indivíduo não podia ter liberdade porque o resultado seria "exploração", "monopólio" e depressões.  Agora, quando são os verdes cantando, a letra diz que o indivíduo não pode ter liberdade porque o resultado será a destruição da camada de ozônio, chuva ácida, aquecimento global e, finalmente, para não dar margem para erros, mudanças climáticas. (Acrescente um coro extra para 'mudanças climáticas').

A melodia continua dizendo que o indivíduo não pode ser deixado livre, e complementa dizendo que ele não pode ser deixado livre porque sua busca pacífica pelo interesse próprio e por prosperidade irá, de alguma maneira, infligir danos a terceiros, e que apenas o governo, apontando armas para a cabeça destes ganaciosos, irá salvar o resto da humanidade de alguma apavorante calamidade.

Os criminosos vermelhos queriam controlar o sistema econômico para refrear os ímpetos individuais e, com isso, deixar as coisas da maneira que eles consideravam corretas.  Os criminosos verdes querem controlar o ambiente, especialmente o clima, para refrear os ímpetos individuais e, com isso, deixar as coisas da maneira que eles consideram corretas.

Seguindo uma prática semelhante à dos feiticeiros que exortavam povos primitivos a sacrificar suas ovelhas e bodes com o intuito de aplacar a ira dos deuses, os ambientalistas de hoje e seus protetores na mídia e no meio acadêmico exortam os povos do mundo a sacrificar seu uso de energia e seu padrão de vida com o intuito de evitar a ira da deusa Terra e sua atmosfera.  Esta ira supostamente virá em uma destas duas formas: uma nova era glacial (quem viveu a década de 1970 sabe o quão original é esta previsão) ou, caso esta não se concretize, um aquecimento global e um subsequente aumento no nível dos oceanos.  E se aquecimento global e uma elevação de 30 a 90 centímetros no nível dos oceanos durante os próximos 100 ou 150 anos não se mostrar uma previsão suficientemente aterradora, então uma elevação de 4 a 6 metros no nível dos oceanos durante os vários séculos vindouros se torna a nova projeção, a qual, espera-se, irá finalmente apavorar os mais céticos.  Ambas estas elevações nos níveis dos oceanos supostamente advirão de um aumento estimado de 4 graus na temperatura média global, e especificamente de 5 a 8 graus na temperatura média no Ártico.

Assim como os criminosos vermelhos não tinham a mínima ideia do que estavam fazendo, o mesmo se aplica aos criminosos verdes.  Veja uma mensagem que recebi de um cavalheiro que defende a total proibição da emissão de dióxido de carbono com o objetivo de evitar o aquecimento global:

Uma das ironias do derretimento do Ártico é que tal fenômeno pode inverter a circulação termoalina oceânica e, com isso, interromper a corrente do Atlântico — o que pode levar a um acentuado resfriamento na Europa (que está mais ao norte do que os EUA), algo que parece já ter ocorrido no passado.

Eis aí um sujeito que nem sequer sabe se o aquecimento global que ele quer evitar a todo custo irá na realidade se revelar um resfriamento continental.  Mas tal contradição, pelo visto, não faz com que ele tenha nenhuma dúvida em sua crença.  Ele ainda jura saber o suficiente para mandar a polícia impedir as pessoas de agirem de acordo com o conhecimento que elas possuem acerca das melhorias que podem obter para si próprias ao produzirem e comprarem bens que por acaso emitam algum dióxido de carbono no ar.  O conhecimento destas pessoas não vale de absolutamente nada.  O supostamente superior conhecimento dos "cientistas" deve prevalecer — sempre apontando uma arma para os dissidentes.[1]

Nenhuma das previsões dos ambientalistas se baseia em qualquer tipo de experimento científico.  E nem poderia.  Um experimento científico iria requerer um laboratório contendo dois planetas idênticos, Terra 1 e Terra 2.  Haveria apenas uma diferença entre eles: a população humana da Terra 1 efetua uma Revolução Industrial e ascende para o nível de padrão de vida e uso de energia do nosso mundo atual e seu provável nível de uso de energia para o próximo século.  Em contraste, a população humana da Terra 2 não consegue avançar para além do uso de energia da Idade Média ou da era pré-industrial.  Após serem criadas estas duas condições, os cientistas no laboratório observam que a temperatura média da Terra 1 excede a temperatura média da Terra 2 em 4 graus, e sua região Ártica, em 5 a 8 graus; e que o nível de seus oceanos sobe o número de metros acima especificado, ao passo que o nível dos oceanos na Terra 2 permanece inalterado.

Obviamente, não é assim que as projeções para a temperatura global e para o futuro nível dos oceanos são feitas hoje.  As projeções atuais são obtidas combinando-se vários fragmentos de conhecimento científico com várias suposições arbitrárias, de modo que estas combinações são então jogadas em computadores que irão gerar resultados que nada mais são do que "modelagens computacionais".  Suposições diferentes produzem resultados diferentes.  A escolha de quais fragmentos de conhecimento científico serão incluídos nos modelos gera resultados diferentes. [Lembra-se do climatologista britânico Phil Jones admitindo fazer "truques" para obter os resultados desejados?]  O processo é muito similar ao de um indivíduo com uma planilha eletrônica combinando várias fórmulas financeiras com várias suposições sobre taxas de lucro, períodos de tempo, alíquotas de impostos etc., e então gerando várias e diferentes projeções a sua renda quando estiver aposentado.

Imagine você sendo membro de um júri, com a responsabilidade de decidir a culpa ou a inocência de um réu, e recorrendo a modelos computacionais para chegar a um veredito.  Você realmente crê que seria minimamente possível apresentar um veredito que cumpra o critério de "culpado sem qualquer sombra de dúvida"?

No entanto, este é justamente o calibre das evidências utilizadas pelos promotores ambientalistas para julgar a Civilização Industrial, declará-la culpada e condená-la à morte.  Sim, a morte da Revolução Industrial e da Civilização Industrial.  É exatamente esta a intenção de pessoas que dizem coisas como "temos de nos comprometer a um grande esforço para interromper boa parte das emissões de carbono para a atmosfera" — isto é, interromper o consumo de boa parte do, ou de todo o, petróleo, carvão e gás natural, desta forma jogando o mundo de volta à era pré-industrial. 

'Civilização Industrial' não é um conceito solto e desincorporado.  Trata-se do alicerce não apenas do bem-estar material, como também da própria vida da grande maioria das mais de 6 bilhões de pessoas que vive hoje no planeta.  Sua destruição significaria o colapso da produção de alimentos e de remédios, e resultaria em fome e epidemias em escala literalmente global.  Tal resultado geraria grande satisfação para aqueles ambientalistas que acreditam que reduzir a população atual para o mesmo número de indivíduos que viviam no mundo pré-industrial seria um arranjo mais desejável do que tolerar o atual número de habitantes do planeta.[2]  Mas isso não traria nenhum conforto ou alegria para todos aqueles que terão de sofrer e morrer durante este processo, e que também terão de ver seus entes queridos igualmente sofrendo e morrendo.  Tampouco traria conforto e alegria para os sobreviventes, que terão de viver suas vidas na mais abjeta pobreza e miséria.

Há júris que chegam a vereditos que desafiam toda e qualquer razão.  A questão é: seria o júri formado pela opinião pública contemporânea mundial tão ignorante, tacanho e irracional a ponto de pedir uma totalmente injustificável pena de morte não apenas para a moderna Civilização Industrial, mas também, e inevitavelmente, para a esmagadora fatia da raça humana?

Esta é, afinal, a maneira como esta gente e seus defensores operam: apontando armas para pessoas em nome de algum bem coletivo mais elevado, proibindo o resto da humanidade de alcançar seus próprios desejos e aprimorar seu padrão de vida.  Os rebeldes não poderão passar.  Isto é socialismo.  Isto é ambientalismo. 



[1] Um ótimo e extremamente recente exemplo desta confusão mental foi-nos fornecido ainda ontem pelo indefectível Arnaldo Jabor, que opina sobre absolutamente tudo, sempre com elegância e desenvoltura.  Veja este seu "editorial" e observe que, além de pedir explicitamente uma super-ONU para controlar a economia, ele ainda consegue o feito de apresentar uma conclusão que está em total disparidade com todo o seu raciocínio até então apresentado.  E ele não parece se dar a mais mínima conta disso.

[2] Alusão esta explicitamente feita por Jabor no vídeo acima.



autor

George Reisman
é Ph.D e autor de Capitalism: A Treatise on Economics. (Uma réplica em PDF do livro completo pode ser baixada para o disco rígido do leitor se ele simplesmente clicar no título do livro e salvar o arquivo). Ele é professor emérito da economia da Pepperdine University. Seu website: www.capitalism.net. Seu blog georgereismansblog.blogspot.com.

  • Alexandre  14/06/2012 06:33

    AOS AMBIENTALISTAS DE PLANTÃO

    O programa CANAL LIVRE (BAND) discutiu a veracidade das tais "mudanças climáticas" /
    "efeito estufa" / "aquecimento global" / "energia renovável" / "desmatamento" em debate
    realizado com Luiz Carlos Molion no domingo, 27/05/2012:


    Parte 1 - www.youtube.com/watch?v=p50ON_ZgqcA

    Parte 2 - www.youtube.com/watch?NR=1&feature=endscreen&v=D9U-8KX2rTo

    Parte 3 - www.youtube.com/watch?v=bG-9GpPdKkE&feature=endscreen&NR=1

    Parte 4 - www.youtube.com/watch?v=1CpEf6YudfQ&feature=relmfu

    Parte 5 - www.youtube.com/watch?v=1zpRONwKYd8&feature=relmfu


    Outro debate do CANAL LIVRE realizado em 2010 com Luiz Carlos Molion:

    www.youtube.com/watch?v=M2d5JnRwAN4


  • Leandro  14/06/2012 06:43
    E aqui uma entrevista do próprio Molion:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=547
  • Gustavo Sauer  14/06/2012 13:57
    Muito obrigado pelos links, Alexandre.
  • anônimo  14/06/2012 21:01
    também teve um debate Molion x Fearnside no XXI Fórum da Liberdade, segue os links do youtube do debate

    www.youtube.com/watch?v=eKZK2DpvzE4&feature=plcp apresentação
    www.youtube.com/watch?v=EC7WmQrqUIQ&feature=plcp Fearnside
    www.youtube.com/watch?v=HVgvnI9G5G4&feature=plcp Fearnside
    www.youtube.com/watch?v=Dlo2A2TwRjw&feature=plcp Fearnside
    www.youtube.com/watch?v=HPqvo6ceuzI&feature=plcp Fearnside
    www.youtube.com/watch?v=3Vidma5HF7k&feature=plcp Molion
    www.youtube.com/watch?v=-32gy-1uHcs&feature=plcp Molion
    www.youtube.com/watch?v=PdClPoZFWs0&feature=plcp Molion
    www.youtube.com/watch?v=906ym_EhD2Y&feature=plcp Molion
    www.youtube.com/watch?v=E8_6VCaho_I&feature=plcp debate Fearnside
    www.youtube.com/watch?v=YyeEJV5SOPE&feature=plcp debate Molion

    esse debate é um pouco chato mas é bom para ouvir os dois lados.
  • Eduardo Maal  14/06/2012 06:43
    Essa frase "A Natureza estara sempre bem, nós é que vamos sumir" é uma frase famosa do George Carlin, que incidentalmente deve estar se debatendo em seu caixão pelo uso tão ignorante da sua frase. O Arnaldo Jabor é um imbecil.
  • Leandro  14/06/2012 06:57
    Para quem porventura achar que o artigo exagera, a notícia a seguir mostra que ele foi, na realidade, bem brando:

    Cientistas pedem ações contra consumo exagerado e explosão demográfica

    Mais de cem instituições acadêmicas fizeram um apelo aos chefes de Estado que participarão da Rio+20 para que tomem atitudes contra o consumo excessivo e a explosão demográfica, informa a agência de notícias AFP.

    O pedido, lançado na quarta-feira, 13, é assinado pelas principais instituições científicas da América do Norte, da Europa e da Ásia. "O crescimento demográfico e o consumo exagerado são dois dos maiores desafios que o mundo deve enfrentar", indica o comunicado.

    "A população global é de cerca de 7 bilhões, e a maioria das projeções indica que seremos entre 8 bilhões e 11 bilhões em 2050. Os níveis de consumo nunca estiveram tão altos, majoritariamente por causa do alto consumo per capita nos países desenvolvidos", indica a declaração.

    À agência BBC, o professor Charles Godray, da Universidade de Oxford, disse que a mensagem é de que o mundo precisa de uma nova abordagem sobre esses dois problemas e que é preciso cuidar deles simultaneamente. "Juntas, essas questões definem as pegadas do planeta", afirmou.
  • Sol Moras Segabianze  14/06/2012 07:51
    É isso aí.
  • Camarada Friedman  14/06/2012 07:57
    Esses caras sonham com "planejamento familiar" e campos de concentração.
  • Julio dos Santos  14/06/2012 08:33
    Barbaridade, eu assisti ontem essa bosta de comentário do Arnaldo Jabor, é confusão demais pra uma cabeça só! Pior, ele argumenta: "hoje no mundo são 7 bi de pessoas,como alimentar essa gente toda?". Ele usa um dos mais básicos argumentos marxistas, é triste demais ter que ouvir isso de alguém considerado um intelectual pela maioria.
  • Diego  14/06/2012 11:27
    Pra você ver o nível do brasileiro, se um cara desses é um intelectual, imagina o nível do resto... Realmente cada país tem os políticos que merecem.
  • Hamilton Júnior  14/06/2012 09:11
    Hehehe, o Jabor é socialista até a alma, para ele o desejo é algo sensato e o interesse é brutal (entenda-se insensato), ele minimiza o progresso do capitalismo com a palavra "melhora", mas maximiza o efeito da poluição com a palavra "destrói", para ele qualquer mudança na natureza é provocada pelo homem, pelos dinossauros e pelos mamutes, por isso temos que ter cuidado para não acabar como os outros dois, embora a realidade prove o contrário afinal passamos como ele diz de 3 para 7bi.
  • Paulo Sergio  14/06/2012 09:42
    'Imagine você sendo membro de um júri, com a responsabilidade de decidir a culpa ou a inocência de um réu, e recorrendo a modelos computacionais para chegar a um veredito. Você realmente crê que seria minimamente possível apresentar um veredito que cumpra o critério de "culpado sem qualquer sombra de dúvida"?'

    Dependendo do modelo seria sim.Mas o caso do pessoal do aquecimento global a questão não é essa mas sim SE o modelo deles foi confirmado pelas evidências do mundo real
  • José Ricardo das Chagas Monteiro  14/06/2012 09:59
    Saudações, fico imaginando quantos povos,extremamente pobres,africanos ficam sem energia elétrica devido não poder queimar seus carvões, energia alternativa impedida por um bando de socialistas, são os piores tiranos.Aposto que deixam estragar uma montanha de alimentos e vacinas por não ter refrigeração, ciência manipulada, aliás, a ciência não diz: faça isso ou aquilo ,senão informa qual será o resultado da técnica utilizada.A placa empunhada pelo ativista é muito clara.
    É isso!
  • Rafael Gomes  14/06/2012 10:50
    Essa fala do Jabor é pra entrar numa antologia da cretinice midiática nacional.
  • Thyago  14/06/2012 11:09
    Até o fundador do Green Peace já admitiu que a ONG que ele fundou atualmente trabalha não em prol do meio ambiente, mas sim como meio para se barrar o capitalismo (por isso ele saiu da sua própria ONG, tem uma reportagem dele na superinteressante).

    Esse ambientalismo é um terrorismo. É a nova face do comunismo, sem dúvidas.
  • Carlos Eduardo  14/06/2012 11:33
    Inacreditável toda essa onda neomalthusiana causada por essa Rio+20, até aquele maldito quadro novo do Fantástico... Cara, nada contra defender o meio-ambiente, principalmente se conseguirmos aliar idéias econômicas produtivas a isso, mas por favor né, chega de extremismo. Pessoal do Greenpeace e outras entidades querendo nos convencer que somos todos "culpados" por essas mudanças climáticas, querendo medidas radicais de controle ambiental por parte do governo e idéias de controle populacional que deixariam Malthus morrendo de inveja. Esses ecochatos já foram longe demais.
  • montana  14/06/2012 12:07
    Pergunto para os que aqui expõem suas opiniões: O que fazer quando a situação vira um "se ficar o bicho pega e se correr o bicho come"?. Abandono meu desejo de consumir para garantir qualidade de vida para as próximas gerações?.

  • Luis Almeida  14/06/2012 13:38
    Bom, se você está genuinamente interessado no bem-estar das gerações futuras -- algo que explicitamente não é o objetivo dos ambientalistas atuais, os quais, além de desejarem abertamente a aniquilação da humanidade, só querem saber de proteger mato e minhoca --, então você, por definição, tem de começar a pesquisar uma maneira de impedir que, daqui a bilhões de anos, o sol suma e a humanidade entre em extinção.

    Fora isso, qualquer outra medida é meramente paliativa.
  • Silva  14/06/2012 17:45
    Concordo.
    Se existem teses de que este planeta esta com os dias contados, seja o sol ou nova era do gelo ou um asteroide, é melhor incentivar a inovacao tecnologia para que daqui a algumas geracoes possamos, a humanidade nao eu (nao sou tao otimista), sair deste planeta.
  • anônimo  15/06/2012 04:04
    Montana

    Se você abandonar seu desejo de consumir e for seguido pela maioria da população, a próxima geração será 1/10 da atual, você vai na verdade matar a chance de grande parte das gerações futuras aparecerem, pois simplesmente não haverá alimento suficiente para todos, já que a indústria irá parar, colapsando toda a economia.
    Seu plano inclui a morte de milhões de pessoas da sua própria geração e compromete o nascimento de milhões de outras no futuro.
  • Paulo Sergio  15/06/2012 06:07
    Se preocupar com o fim do sol é como um cara da idade média tentando resolver um problema de física quântica.Um ambientalista pode muito bem falar que é uma questão de prioridades, sem criar um mundo sustentável pras futuras gerações mais recentes terem como continuar avançando a ciência e a tecnologia, pra quem sabe um dia o conhecimento acumulado possibilitar ao homem sair da terra,tudo vai ser inútil.
  • Luis Almeida  15/06/2012 06:14
    [i]"Um ambientalista pode muito bem falar que é uma questão de prioridades, sem criar um mundo sustentável pras futuras gerações mais recentes terem como continuar avançando a ciência e a tecnologia, pra quem sabe um dia o conhecimento acumulado possibilitar ao homem sair da terra,tudo vai ser inútil."[/]

    Contradição. Como alguém pode querer criar um mundo sustentável para as gerações futuras ao mesmo tempo em que pede às gerações atuais que parem de se reproduzir, que reduzam seu padrão de vida e, no extremo, que se matem?

    Enquanto vocês inocentemente imputarem aos ambientalistas intenções nobres -- sendo que a intenção desta gente é a despovoação da terra (o que varia é apenas a ferocidade da retórica) --, a luta já está perdida. É apenas uma questão de tempo até que eles dominem tudo.
  • Paulo Sergio  15/06/2012 06:25
    O que eles vão falar é que não estão pedindo pra todo mundo deixar de ter filhos, o que eles pedem é que as pessoas parem de se reproduzir descontroladamente, pq um crescimento populacional exagerado, o planeta não aguenta.Mas se for moderado, aí tudo bem, e as gerações futuras estão garantidas
  • EUDES  15/06/2012 07:29
    Se formos seguir a cartilha dos ambientalistas, grande parte da população morrerá de fome e de doenças provocadas pela subnutrição. Eles demonizam a agricultura moderna; o uso de fertilizantes é severamente condenado, inclusive e principalmente a adubação nitrogenada.

    Ora, sem adubação nitrogenada, a oferta de alimentos será muitíssimo reduzida. Curiosamente, eles condenam o uso de fertilizantes nitrogenados, apesar de termos uma fonte de nitrogênio praticamente inesgotável sobre nossas cabeças; cerca de 80% da atmosfera é composta de nitrogênio.

    Para os ambientalistas, não há agricultura sustentável quando se usa fertilizante nitrogenado!

    Agricultura sustentável + desenvolvimento sustentável = fome sustentável. Pensem nisso quando ouvirem falar de agricultura sustentável ou coisas desse tipo.
  • Pedro Valadares  14/06/2012 12:14
    Ouvi o comentário do Arnaldo Jabor no rádio e quando estava lendo o texto ele me veio imediatamente. Se tem gente que acha que é o ser humano e progresso que causam aquecimento global, então, eles que abram mão de seus hábitos de consumo.

    O que não pode é tentar privar aqueles que não concordam com essa idiotice. Os paulistas por exemplo não podem mais utilizar sacolas plásticas para carregar as compras. Já viu coisa mais autoritária?
  • Jorge Matos  14/06/2012 14:34

    Jabor é um b*stejador.

    Um exemplo de sua lógica irrepreensível :

    Quando um desequilibrado matou a tiros o guitarrista Dimebag da banda Pantera, ele chegou ao cúmulo de culpar o estilo de música Heavy-Metal por incitar a agressividade !!! Ou seja, a vítima virou culpado.

    Esse é o arnaldo Jabor.

    Seguindo a lógica dele, o futebol deve ser banido por provocar mortes entre torcidas organizadas. Da mesma forma, vamos proibir os automóveis, por serem veículos usados por bêbados que atropelam inocentes.

    Francamente, Jabor só serve como propaganda envernizada contra o PT, tirando isso, é de uma confusão mental atroz, com seu duplipensar.
  • Lucas Amaro  14/06/2012 16:03
    Acho que uma dica que o Jabor daria para acabar com adultério seria jogar fora as camas.
  • AC  14/06/2012 17:49
    O Arnoldo Jabolha especializou-se em anunciar um apocalipse por semana, Ele vai da impotência à ejaculação precoce em questão de segundos. É impressionante. Sem som, ele parece saído das páginas do Relatório Kinsey. Dá pena, mas tb dá Ibope - e isso, sim, é preocupante.
  • Artur  14/06/2012 22:28
    Achei um artigo contestando as ideias do George Reisman em uma publicação do Instituto Mises Americano.\r
    \r
    www.mises.org/journals/qjae/pdf/qjae15_1_5.pdf\r
    \r
    Concordo com este outro artigo e não gostei de cara da argumentação do Reisman. O artigo não vai contra ou a favor o ponto de vista ambientalista mas critica a forma como Reisman vai contra estas ideias sem uma argumentação factual e científica.\r
    \r
    Segue uma parte do texto.\r
    \r
    "In any case, we are left with the uneasy feeling that Reisman has little acquaintance either with the literature of the environmental movement or of resource economics in general. Ultimately, we cannot avoid the conclusion that, disturbing as it may be, this is not a sober analysis of the environmental movement, but a caricature and a straw man. The unfortunate truth appears to be that Reisman, in attempting to defend the capitalist system economically and ethically from environmentalist criticisms, has fallen prey to the very "hysteria" which he attributes to the environmental movement."
  • Luis Almeida  15/06/2012 07:10
    Desculpe, Artur, mas o artigo não apenas explicita, como também ridiculariza o "cientificismo" por trás das premonições ambientalistas. Jogam-se dados subjetivos e suposições arbitrárias em um computador e os resultados são tomados como verdades absolutas e irrefutáveis.

    Você, ao afirmar que "não gostou de cara do artigo" (pois "Reisman vai contra estas ideias sem uma argumentação factual e científica"), está na verdade apenas confessando que não o leu. Pois, se tivesse lido, simplesmente não teria como ter ignorado esse trecho dos modelos computacionais.

    Afinal, criticar o método científico utilizado em um experimento (que é o que faz o Reisman) não seria uma argumentação científica?
  • Artur  15/06/2012 10:32
    Leandro, \r
    \r
    Apenas deixando claro meu ponto de vista, não sou a favor dos ambientalistas extremistas e nem das soluções bizarras que esses grupos propõe, mas também sou contra simplesmente refutar o problema sem uma análise válida.\r
    \r
    "como também ridiculariza o "cientificismo" por trás das premonições ambientalistas. Jogam-se dados subjetivos e suposições arbitrárias em um computador e os resultados são tomados como verdades absolutas e irrefutáveis."\r
    \r
    "Afinal, criticar o método científico utilizado em um experimento (que é o que faz o Reisman) não seria uma argumentação científica?"\r
    \r
    Quanto a critica do autor, não acho ela válida e muito menos científica, \r
    Teria o autor lido todos os artigos científicos sobre o assunto pra poder fazer essa generalização caricata?\r
    Eu acho que não, pra mim parece apenas uma falácia com o objetivo de desqualificar os resultados que ele não gosta.\r
    \r
    E qual seria então o método sugerido por ele pra fazer essa análise da temperatura do planeta, ficar no seu escritório e usando apenas retórica?
  • Leandro  15/06/2012 11:17
    Prezado Artur, você segue se esquivando da pergunta. Convenhamos que você apenas se limitar a dizer que "não acha" a crítica do autor "válida e muito menos científica", e em seguida dizer que ele recorre a "falácias", mas não apontar absolutamente nenhuma, é uma postura não lhe permite de modo algum ficar na posição de demandante

    Não é minha intenção utilizar este espaço para debater a veracidade de "artigos científicos sobre aquecimento global", simplesmente porque, por confissão própria, você já partiu do princípio de que a temperatura do planeta caminha para cima e que isso é algo irrefutável. A sua frase "qual o método sugerido por ele pra fazer essa análise da temperatura do planeta?" demonstra que fazer mensurações do planeta é uma atividade de extrema urgência, pois implica que nós, humanos insignificantes, temos o poder de alterar irreversivelmente os fenômenos naturais do universo. Quanto arrogância.

    Curiosamente, você parece também desconhecer que existem cientistas que, igualmente, juram que a temperatura, na verdade, está indo para baixo (haverá mais um resfriamento global) e que nada podemos fazer quanto a isso. Duas amostras:

    Prepare-se para o resfriamento global
    O que aconteceu com o 'aquecimento global'?

    Parto também do princípio de que você já está ciente de que as temperaturas do planeta já foram muito maiores na antiguidade, quando, por exemplo, a Islândia era uma área totalmente verde (daí o nome em inglês de "Greenland").

    Logo, dado que você já assumiu que apenas um lado está certo e que o outro nada pode fazer senão aquiescer às ordens aquecimentistas (afinal, é muito fácil dizer, "Não concordo com o autor nem com sua retórica", mas nem sequer apontar onde ele está errado), não vejo muito mérito em me esforçar para tentar ao menos lhe abrir a cabeça. Parece que a mídia já fez o serviço completo em você.

    Grande abraço!
  • robson  15/06/2012 06:58
    Tem um ecofascista finlandês que prega o genocídio como forma de salvar o planeta:

    azizonomics.com/2012/05/18/the-face-of-genocidal-eco-fascism/
  • EUDES  15/06/2012 07:45

    Rio+20: cientistas brasileiros pedem, em carta a Dilma, recobrar o bom senso e pôr de lado alarmismo e desserviço à ciência.

    ecologia-clima-aquecimento.blogspot.com.br/2012/06/rio20-cientistas-brasileiros-pedem-em.html
  • Patrick de Lima Lopes  15/06/2012 13:39
    Segundo Friedman e a escola de Chicago, atos que levam ao prejuízo de terceiros(vide a poluição) podem receber algum tipo de regulação estatal.\r
    Não gostaria de debater se o aquecimento global promovido pela industrialização é um fato ou mentira, o que busco aqui é uma resposta sóbria para o seguinte questionamento:\r
    - Supondo que a fabricação de sapatos da Alemanha está promovendo um aquecimento generalizado em todo planeta e que isto está impedindo as plantações de alface da Venezuela, os sapateiros alemães não teriam de compensar os agricultures venezuelanos pelos danos JÁ OCORRIDOS ou QUE PODEM OCORRER em suas propriedades?\r
    E, se caso a negociação direta entre os sapateiros e fazendeiros não for possível, não teria de ocorrer um contato direto ao governo venezuelano?
  • Leandro  15/06/2012 13:44
    Há um artigo que se dedica a responder minuciosamente esta questão:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1177
  • Patrick de Lima Lopes  15/06/2012 15:57
    Obrigado.
  • elka negreiros  16/06/2012 00:50
    olá! Acabei de ler o artigo e posso afirmar que ele é no mínimo leviano, baseado em especulações e analogias idiotas, não sou nenhuma ambientalista, e também acredito que não é possível reduzir a zero a dependência humana das fontes de energia derivadas do petróleo, o que esta em jogo não é os verdes dizendo ao mundo o q fazer é que as mudanças climáticas já estão acontecendo, ou será que esquecemos dos tornados e ciclones que ocorreram no sul do país? vc acha que conseguiremos produzir alimentos, se o clima continuar a modificar-se ? isso nao iria interferir na agricultura ou vc acha q a industria automobilística vai começar a produzir, arroz, feijão ou melhor vai com suas maquinas fabricar carne, a verdadeira questão é a raça humana a vai conseguir sobreviver num planeta que em qualquer perspectiva industrial, sem água e comida?.Resumindo as mudanças climáticas já estão ocorrendo e vão piorar, se não sacrificar-mos hj nosso padrão destrutivo e nocivo ao ecosistema, nem os vermelhos, nem os verdes, amarelos, azuis, vão sobrar daqui a sei la 100, 200 , 300 anos pra contar história e se conseguirem sobreviver vão contar o q???????? E aí poderemos montar um juri pra decidir quais cores vamos levar pro planeta terra 2 né ? mas advinha no sistema solar esse é o unico planeta onde a vida é possivel, mas está sendo destruida por pessoas que acreditam, que as mudanças climáticas são bobagens!!! entao antes de escrever pense antes de escrever essas bobagens malthusianas.
  • José Ricardo das Chagas Monteiro  16/06/2012 04:47
    Saudações, respeitável Elka, difícil é escrever um artigo com todas as fases requeridas para assuntos polêmicos que exigem espaço,portanto, o autor concentra-se no essencial da questão, ou do sítio (IMB), o excesso,a arbitrariedade,a tutela que advém da cantilena, deve ser pela falta de espaço necessário que a colega rotula-o (artigo) como leviano, aliás, impropriamente.Perceba que a tradução não é senão lógica também psicológica, ambas difíceis de atingir.Fazendo uma releitura perceba que o experimento mental está subjazido pelo autor, a sobrevivência da espécie humana está clara.
  • Paulo Sergio  16/06/2012 04:49
    Bobagem malthusianas? Vc mudou de idéia no fim?
  • Andre Cavalcante  16/06/2012 05:29
    Olá elka negreiros.

    Você diz que o texto é "no mínimo leviano e baseado em especulações e analogias idiotas".

    Sugiro você reler o texto e verificar corretamente o que você considera especulações. Aponte no texto quais são essas especulações e mostre porque elas são especulações.

    Também verifique que o sentido do texto não é meramente ser contra o ambientalismo, mas contra o que ele representa hoje, um coletivismo disfarçado de bem estar no ambiente. Aliás, em vários artigos este site já se mostrou preocupado com as verdadeiras questões ambientais, mas sempre se mostrou inflexível com os melancias.

    Sobre a nossa dependência do petróleo e outros recursos naturais, sugiro você iniciar por aqui.

    Outro texto, que este faz coro, é: www.mises.org.br/Article.aspx?id=1293 e mostra melhor o que é ser sustentável.

    Boa leitura!
  • Atylla  16/06/2012 07:06
    Elka, quem esta escrevendo as bobagens Malthusianas é vc que preve a fome, a sede e o fim do mundo, Já existe máguinas que transformam água salgada em doce, Fabricadas pela GE, os carros do futuros serao movidos a energias renováveis , Israel transformou desertos em plantações!
  • anônimo  16/06/2012 07:31
    Falar de um ciclone que ocorreu há quase dez anos (um único) e afirmar que isso prova uma mudança climática é dar prova de que não entende nada do assunto. Aliás, é este conhecimento profundo que ostentam os verdes em geral.
    Vá estudar Érica, pare de tentar falar sobre algo que você não conhece, tenha vergonha na cara.
    A hipótese de aquecimento global causado pela ação humana é falsa, não há qualquer evidência científica disso, ou você está sabendo algo que os cientistas não saibam?
  • william  22/06/2012 11:39
    O irônico é que nenhum outro sistema contribuiu e contribui tanto para a degradação ambiental como o Socialismo, bandeira de muitos desses ambientalistas.

    Quem está destruindo o meio ambiente não é o livre-mercado, é o estado que interfere nos preços, dá subsídios, e não permite que os preços sejam calculados pelos próprios empreendedores, considerando o quanto sua produção afeta a condição de sua propriedade.

  • Edimar Pacheco Estevam  22/06/2012 12:11
    Na década de 80, a moda era o buraco na camada de ozônio pelos humanos. Na década de 90, era El Niño, também causado e ampliado pelos humanos e suas indústrias demoníacas. Neste milênio, temos o aquecimento global causando por estes malditos humanos e seus carros à gasolina. Os ecochatos pelo menos seguem a moda.
  • Amarilio Adolfo da Silva de Souza  21/03/2015 15:47
    Ambientalismo é outra grande besteira da Humanidade no século XX. Deve ser denunciada para todos: amigos e inimigos.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.