clube   |   doar   |   idiomas
segunda-feira, 27 fev 2017
Podcast 256 – Escola Austríaca, empreendedorismo e tecnologia (Diogo Costa)
oficial.jpg


A tecnologia está modificando a atividade empreendedora. Isto é um fato. Mas será que a Escola Austríaca de Economia está conseguindo acompanhar esse desenvolvimento a ponto de explicá-lo adequadamente?

 

Este é um dos temas tratados no Podcast do Instituto Mises Brasil de hoje cujo entrevistado é Diogo Costa, mestre em Teoria Política (Universidade de Columbia) e doutorando em Economia Política no King’s College de Londres. Ele está estudando justamente a relação entre empreendedorismo e tecnologia.

 

Nesta conversa, Diogo, que é Diretor do Instituto de Inovação e Governança, explicou a divisão da ação empreendedora diante das inovações tecnológicas, o tipo de participação dos consumidores na economia, o conflito entre o antigo e o novo ambiente econômico e de que maneira esse novo empreendedorismo produz um impacto político a partir da mobilização dos perdedores econômicos.

 

***

 

A música da vinheta de abertura é a “Abertura Solene 1812”, do compositor russo Piotr Ilitch Tchaikovsky, executada pelo guitarrista Eric Calderone.

 

***

 

Todos os Podcasts podem ser baixados e ouvidos pelo site, pela iTunes Store e pelo YouTube.

 

E se você gostou deste e/ou dos podcasts anteriores, visite o nosso espaço na  iTunes Store, faça a avaliação e deixe um comentário.




  • Alexandre Rosa  23/05/2017 01:37
    O Diogo aborda a questão da contribuição do usuário como parte importante dessa dinâmica de mercado de modo claro e interessante.

    Eu acrescentaria, apenas, na tentativa de dar "nomes aos bois" e, quem sabe, contribuindo com a tese (se é que já não tem esse tópico), no que se refere ao Business Intelligence - BI como um grande motor dessa economia. Talvez, o empreendedorismo ganhe justamente corpo com o entendimento e disseminação do BI de forma mais orgânica no que se refere ao acesso. Hoje, as escolas de matemática e engenharia de comunicação exportam mais profissionais do que outras áreas práticas (como Marketing, por exemplo) capazes de dinamizar a leitura de dados, dando outro enfoque.

    O mercado, hoje, tem carência desse profissional programador, mas que também possui a sensibilidade na leitura dos dados e sua transformação em negócio. E, certamente, esse é um gargalo no desenvolvimento dessa relação do avanço tecnológico e o empreendedorismo.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.