Últimos comentários


Você deve estar se referindo à "propriedade intelectual".

Pois saiba: a tal "propriedade intelectual" vai de encontro à propriedade privada:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=17


www.mises.org.br/Product.aspx?id=29


Economia sem estado é utopia. Realmente, o que seria da economia sem burocratas distorcendo o valor da moeda, financiando seus déficits gigantescos com políticas inflacionárias, manipulando juros e elegendo seus apaniguados para se lambuzar em crédito farto e subsidiado com dinheiro roubado de quem produz?



Em um mercado totalmente livre e desregulamentado, como as inovações tecnológicas se seriam protegidas?




É? E aí o que acontece com a empresa que der seu certificado para um produto porcaria?

Se for uma certificadora estatal, não apenas não acontece nada, como o governo ainda aumenta os repasses orçamentários para esse órgão, e ainda abre mais concursos públicos.

E se for uma certificadora privada? Sua reputação aumenta? Suas receitas aumentam? Seus futuros contratos disparam?

Pela sua lógica, a UL e a Lloyd são mais facilmente corruptíveis que o Ministério da Agricultura e o Inmetro (que, recentemente, deu seu selo de qualidade para bombas de gasolina que vendiam ar ...)

É cada gênio da lógica que despenca por aqui.


Em teoria econômica existem duas grandes utopias, a primeira é uma economia sem o Estado e a outra é uma economia sem a inciativa privada. Keynes soube muito bem dar a dose certa. Se em vez de aplicar o gasto público em investimentos que trazem retornos a economia se constroem campos de futebol ou criam contas gordas em paraísos fiscais a culpa não é da teoria keynesiana.


Comentário a parte: para fazer jus a imagem do post que foi publicada sem referência: Design by Sean Mort https://www.threadless.com/product/1779/The_Gaming_Revolution/tab,guys


Meio OFF mas já que a CSA foi citada no texto vai uma historinha.
Quando trabalhava para uma grande empresa de equipamentos elétricos, o pesadelo dos engenheiros era conseguir justamente a certificação da CSA, tida como uma das mais rigorosas do mundo.
O dio que corria pela empresa era de que se você conseguisse vender material elétrico para o Canadá, podia vender em qualquer outro lugar do mundo, que seu material ia passar em qualquer teste que inventassem.


Denison, seu comentário foi o mais sensato dessa discussão. Antes de tudo, os membros da PF são INDIVÍDUOS, PESSOAS, SERES HUMANOS CONCRETOS. Entre eles há pessoas boas e ruins, mais valorosas e menos valorosas, e daí por diante.



"Mas lógico que significa mais ou menos isso"

Não existe isso de monarquia significar "mais ou menos" isso ou aquilo; monarquia é um conceito que tem elementos definitórios; se um dos elementos definitórios não está presente, monarquia não há.

O seu comentário, em verdade, reforça o que eu disse, in verbis:

"Monarquia é estado; por mais estado mínimo que possa ser (ou que se possa desejar que seja), continuará sendo estado (é estado monárquico); (...); Monarquia é estado; logo, todas as características que definem um estado se aplicam à monarquia.
Isso está no próprio texto do Hoppe (cuja tese é a de que o estado monárquico é menos pior do que o estado democrático), ali linkado; (...);
Logo, monarquia implica cobrança de impostos; logo, monarquia implica chefe de estado como sendo chefe de um exército; logo, monarquia implica monopólio dos serviços de segurança.
Nunca existiu na História monarquia sem monopólio do exército e sem exigência coercitiva de tributos.
"


Em suma, monarquia é estado (repito: até o Hoppe enfatiza bastante esse ponto); logo, não existe (nem nunca existiu) monarquia sem cobrança coercitiva de impostos e sem monopólio dos serviços de segurança (com poder de definir conflitos em última instância), todos elementos definitórios de estado:

global.oup.com/academic/product/medieval-law-and-the-foundations-of-the-state-9780198219583?q=medieval%20state&lang=en&cc=br#




A própria Perestroika é prova de que socialistas já perceberam que o Socialismo não funciona.


Ou ainda: odeiam políticos, mas pedem tudo para o estado (controlado primariamente por políticos): auxílio-doença, seguro-desemprego, aposentadoria, saúde, educação, habitação, empréstimo para fazer faculdade, subsídios, proteção contra produtos estrangeiros, bolsa-família, bolsa-travesti, cotas, habitação, etc. etc.

Reclamam que "político é tudo corrupto" mas imploram de joelhos para que esses mesmos políticos sejam os controladores do dinheiro de todo mundo que produz na sociedade.


Mais uma vez, a leitura errada:

"Maggi está errado, e a corrupção é a prova
Brasil 18.03.17 08:01
Ao Estadão, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou que "o nosso sistema de controle da sanidade é robusto. Mas, quando há pessoas corruptas no meio, foge das nossas possibilidades."
Maggi confundiu tudo. Pessoas corruptas são a prova de que o controle sanitário não é robusto
". (www.oantagonista.com/posts/a-corrupcao-prova-que-blairo-maggi-esta-errado)


Tá tudo errado aí.

A fala do tal ministro, achando que "o problema são as pessoas corruptas", e não o próprio controle estatal.

E a "correção" feita ao ministro pelo jornalista (sedizente "anti-esquerdista", registre-se), achando este que o problema é a falta de "robustez" do controle estatal, sendo "prova" disso a existência de pessoas corruptas. Ou seja, a "solução", para o jornalista (e para a maioria da mídia), está em aumentar e fortificar o controle estatal.

Essa é a mentalidade responsável pela manutenção do estado de coisas: estatolatria e roubo do dinheiro de quem produz valor na sociedade.



"...passou a integrar definitivamente..." até quando não integrar mais...

A Gália e a Hispânia integraram "definitivamente" o Império Romano.
A América Central e o Caribe integraram "definitivamente" o Império Espanhol.
A Romênia e a Bulgária integraram "definitivamente" o Império Austriaco

Resumo: nada na história é definitivo.


Impossível. A esquerda, a maior defensora dos metacapitalistas e das proteções ao grande empresariado, não deixa. Enquanto houver esquerda não haverá livre mercado.


Da mesma maneira que qualquer pessoa que ganha mais que o mínimo negocia. Como você determina o salário de um engenheiro de produção? Ou de um ator de televisão?

Livre negociação e livre estimativa.

A mão-de-obra é um serviço. E, assim como qualquer serviço, ela tem um preço. É esse preço que será descoberto pela livre interação entre oferta e demanda.

A "necessidade do trabalhador" e a "ganância do empregador" são irrelevantes em determinar salários

Questão de lógica: aumento salarial imposto por governo e sindicatos não pode estimular a economia


Está mais do que na hora para fazermos a experiência com (ou dos) metacapitalistas, ou seja, dar um fim às regulamentações estatais, e deixar que os metacapitalistas exerçam seus sonhados monopólios, lá se vão mais uns dois séculos de novas para um acerto. Bem, como diz, Theodore Darymple: essa é a vida, dois passos à frente, um passo a trás - ou é ao contrário?


Quando trabalhei na Sadia pré-BRF os produtos eram de excelente qualidade. Mas aí veio o Lula, enfiou dinheiro roubado na Friboi, e quebrou a Sadia de vez (que já vinha mal depois das aplicações financeiras burras de seu diretor financeiro). Nivelou tudo por baixo e agora temos essa corrupção descontrolada. Quem consegue competir contra uma JBS que tem dinheiro grátis do governo?

Mais um exemplo da intervenção estatal destruindo um segmento da economia.


Li o artigo. Gostei muito. Só ficou uma dúvida:
Sem um salário mínimo (piso salarial), em que empregador e empregado vão se pautar na hora de negociar o salário?


A esmagadora maioria das grandes empresas no Brasil está tão acostumada a privilégios e protecionismos que, se encararem de frente uma verdadeira concorrência, quebram em um ano.

Como se dizia "antigamente": Quem não tem competência não se estabelece.


Para começar, monopólio significa, por definição, restrição à liberdade de entrada. E a única entidade com poderes para restringir a liberdade de entrada é o governo.

Logo, a pergunta é: o governo impede a entrada de concorrentes em alguma dessas áreas?

Sobre a Apple, posso falar que ela se beneficia fortemente das leis de patente e propriedade intelectual, que nada mais são do que monopólios intelectuais impingidos pelo governo. Isso funciona como uma pequena reserva de mercado. Não sei como é para a Google.


a própria civilização atual, os países vivem em estado de anarquia entre si.



Quando o Brasil esta se tornando um dos maiores produtores de petróleo vem a tona a operação lava jato. Quando Brasil esta prestes a liderar o mercado mundial de produção de carne bovina se tornando um dos maiores exportadores vem esta bomba da operação carne fraca. A policia federal e a mídia conseguem manipular a massa dizendo que acido ascórbico é veneno, papelão é misturado nas carnes e que eles vendiam carnes "podres" o que na verdade eram carnes de menor qualidade ou a mais tempo armazenadas, para se saber realmente quando vence um alimento não depende apenas da chamada data de validade e sim das condições de conservações. Se um alimento venceu ontem, você terá algum problema se ingerir hoje? Acredito que os concorrentes em exportação de carnes devem estar dando gargalhadas da nossa desgraça, isso se eles não tiverem influencia em tudo isso, malditos "Assassinos Econômicos". Outra coisa é a manipulação do mercado de financeiro, com a noticia muitos acionistas venderam suas ações, consequentemente derrubando o preço, acredito que quando elas alcançarem o valor minimo X, grandes investidores do exterior compraram estas ações a preço de banana e tomaram controle das empresas. Exemplo Petrobras que chegou no fundo de 4 reais cada ação neste momento gira em torno 14 reais.


Eu sei que um "monopólio" onde a empresa fornece produtos de qualidade para o consumidor final não é um problema, mas me refiro à afirmação: "sem um governo para fornecer proteções e privilégios às grandes empresas, estas simplesmente não existiriam. Existindo, seriam poucas.".

Num livre mercado REALMENTE não existiria uma Google ou uma Apple? O Valor de mercado delas é maior que muito PIB por aí, e ainda assim elas não se "afogaram" em burocracia.


Você está correto. E a grande prova disso é a dissonância cognitiva da população em relação à FIESP e ao livre comércio: ao mesmo tempo em que a população diz odiar a FIESP, ela defende as próprias tarifas de importações que servem para proteger a FIESP e para proibir a liberdade de escolha do povo.

Outro exemplo: reclamam dos altíssimos preços dos carros nacionais, mas são contra a abolição das tarifas de importação para carros estrangeiros, pois isso "acabaria com empregos nas montadoras".

Condenam os grandes empresários, mas defendem exatamente aquela política que faz deles os maiores beneficiados.

Há também aquele exemplo clássico: odeiam políticos, mas querem que as principais empresas do país fiquem sob o comando deles.


Bem, presume-se que a humanidade evolui. Há duzentos anos atrás, seria impossível mostrar uma sociedade em que o governo fosse laico, isto é, não ligado a uma religião "oficial". Hoje existem vários países com completa liberdade religiosa, inclusive para os ateus.


Errado, meu caro.

Para começar, ninguém defende a ausência de regulação. Nunca haverá uma escolha entre regulação e ausência de regulação. O real debate é: quem fará a regulação? Você prefere uma regulação feita por políticos e burocratas, ou uma regulação feita pelas forças do mercado?

Caso houvesse uma regulação genuinamente concorrencial, na qual certificadoras privadas — concorrendo entre si e batalhando por sua reputação — fossem as responsáveis por inspecionar a qualidade das carnes, alguém consegue imaginar o que ocorreria com uma certificadora que fosse flagrada em suborno? Quais as chances de ela estar operando hoje no mercado? Qual empresa séria iria querer ostentar seu selo?

E, caso você pense que isso é utopia, saiba que tal arranjo já existe. Ele está ao seu lado agora, neste momento. Pegue algum produto elétrico ou algum eletrodoméstico em sua casa e você encontrará um selo ou da UL (Underwriters Laboratories) ou da CSA, ou da ETL.

A UL, a mais famosa delas, é uma certificadora privada e independente fundada em 1894, e que certifica cerca de 20.000 produtos diferentes — eles emitem 20 bilhões de selos por ano.

Além destas, temos também o IVC brasileiro, o Conar, a Lloyd Register, o ABS (American Bureau of Shipping), o Bureau Veritas, o Det Norske Veritas, a S.A.E. (Society of Automotive Enginners) e várias outras.

Essas são apenas as que eu lembrei de cabeça.

Ou seja, o modelo para o qual você pede explicações (pois acha que ele é impossível) já existe no mundo real.

Assim como o de suas concorrentes, estes selos privados têm credibilidade, pois competem no mercado e dependem de sua reputação para sobreviver. Uma vida perdida por conta de um produto mal-testado pode significar sua falência.

Já o "selo do rei" não tem credibilidade, pois não compete no mercado. Mas tem monopólio e, por isso, sua baixa reputação não o faz perder clientes.

No caso do Ministério da Agricultura, como se trata de um órgão estatal e monopolista, não apenas ele continuará firme no mercado, distribuindo atestados de qualidade por aí a fora, como também tornará mais difícil a vida de empreendedores honestos. Afinal, por que continuar confiando em um órgão estatal monopolista que distribui selos igualmente para honestos e para escroques, sem seguir nenhum critério de mercado e, exatamente por isto, sem se preocupar com as consequências de suas atitudes?

Um órgão estatal monopolista não opera seguindo o mecanismo de lucros e prejuízos que apenas o mercado impõe, o que significa que ele não possui nenhum incentivo para ser criterioso. Errando ou acertando, sua reserva de mercado continuará intacta, assim como o polpudo salário de seus burocratas. Quem ostenta o selo do Ministério da Agricultura não traz consigo garantia alguma de ser idôneo. E um selo concedido a vigaristas não gera nenhuma punição para o órgão estatal.

O objetivo do Ministério da Agricultura, bem como o de qualquer agência reguladora, sempre foi um só: proteger os poderosos e já estabelecidos, dificultando o empreendedorismo dos menos financeiramente capacitados. Esta notícia da carne foi apenas mais um exemplo prático do inexaurível conluio entre a burocracia estatal e os grandes interesses econômicos com o intuito de garantir fatias de mercado para alguns poucos privilegiados.

Para quem discorda e sinceramente crê na benevolência estatal, fica a pergunta: se o estado está realmente interessado no bem-estar da população, então por que ele não permite a proliferação de certificadoras privadas concorrendo livremente no mercado? A oferta de serviços seria abundante, mais barata e mais rápida. Uma quantidade muito maior de produtos seria certificada.

Por que monopolizar e restringir este mercado essencial? Pior ainda: por que restringi-lo apenas à supervisão de burocratas estatais, justamente as pessoas menos sensíveis às consequências de maus resultados?

Apenas imagine se fosse uma certificadora privada que houvesse feito essa lambança. O que aconteceria com ela? Haveria conserto para a sua reputação? Haveria apenas falência e cadeia. Uma certificadora privada que participasse deste conluio seria imediatamente denunciada por suas concorrentes, que estariam ávidas por sua quebra para então assumir sua fatia de mercado.

Artigo inteiro sobre isso, publicado ainda ontem:

A "Carne Fraca" pergunta: quem regula os reguladores?


Como hoppe sempre fala: ''o rico é rico por um motivo... ''. É uma grande ilusão achar que um sistema feito para beneficiar as massas as custas aristocracia (democracia) não seria pervertido pela própria elite intelectual.
Esses empresários são as pessoas mais inteligentes da sociedade, são as pessoas com maior QI, eles se utilizam da ignorância e ''ganância burra''(como diria bastiat) da população que pede para o Estado apontar armas para essas empresas para garantir o ''bem comum'', eles simplesmente viram essa arma para seus concorrentes o que cria seus privilégios.


Vejamos só por alto e de cabeça:

Apple: Samsumg, Dell, HP

Facebook: Pinterest, Orkut, Myspace

Google: Yahoo, sua pesquisa, e tem um chines famoso.

Mas essa não é a questão. Num mercado livre essas empresas até podem manter o monopólio, mas o farão oferecendo serviços de qualidade com preços baixos. O que no fim beneficia o consumidor. Se a entrada no mercado é livre, não há o que se falar em monopólio, apenas em dominância, temporária do mercado.


Caro Andre,

Eu felizmente tenho condições de viajar e protejo minha família do esbulho criminoso.
Mas não posso achar que meus conterrâneos em pior situação sejam culpados pela situação que a gangue impõe a eles.


O texto deixou de mencionar um aspecto fundamental do caso. O governo federal, através de fundos de pensão , da Caixa Econômica Federal e do BNDES participações, tem participação no controle acionário da JBS Friboi (26% do capital controlador) e da BRF Foods (23% do capital controlador). Logo, o governo federal, além do caráter regulador, também pode influir sobre decisões operacionais e corporativas das duas empresas.


A pergunta é séria? Não pode ser. Há mais de uma dúzia de concorrentes do Google, por exemplo. Por que você não os usa? Bing, DuckDuckGo, Blippex, Wolfram Alpha, Blekko, Naver, Yandex, Pipl, Baidu, Yacy e StartPage estão aí, [link=g1.globo.com/mundo/noticia/2013/07/google-conheca-as-alternativas-ao-gigante-das-buscas.html]implorando para você utilizá-los.

Por que você não os utiliza? Simples: porque você reconhece que os serviços fornecidos pelo Google são os melhores. Consequentemente, você voluntariamente privilegia o Google em detrimento dos outros. Você não quer abrir mão da qualidade e da praticidade do Google, né? E ainda o critica justamente por lhe fornecer todas essas comodidades.

Eis os concorrentes da Apple: Google, Samsung, Sony, Motorola, Lenovo, Nokia, Microsoft, IBM, Dell e Adobe.

Facebook? Snapchat, Instagram, Google, Twitter, Kik, Yahoo, Microsoft e AOL.


Todos estão aí, implorando para você usá-los. Mas você não abre mão de nenhum dos três que você citou. Compreensivelmente, aliás. Você gosta de qualidade.


Muita regulamentação com corrupção mostrou que é muito ruim. Mas sem regulamentação as empresas continuariam fazendo este mesmo problema com a carne e como poderia vender mais barato forçaria todas a fazerem o mesmo esquema para competir. A Regulamentação tem que ser justa e igual para todas. Ninguem venderia carne estragada se não desse mais lucro. A carne estragada nada mais é que a carne que seria jogada fora(Prejuízo). Mas que disfarçada continua a dar lucro.


Do mesmo jeito que o Facebook concorreu com o Orkut, o Google concorreu com o Yahoo e a Apple concorreu com a IBM.


Entendo seu ponto de vista. Mas, antes de tudo, governos são formados por indivíduos. Não é porque o governo como um todo não funciona que os indivíduos seguirão a mesma lógica. O comportamento individual é desregulado e é ele que controla tudo isso. Então é fácil driblar esses sistemas quando se está no poder.

Artigo exatamente sobre isso:

O estado agigantado gerou o estado oculto, que é quem realmente governa o país


Há um piso -- ou uma barreira -- financeiro-burocrático pra se empreender no Brasil. Só os pequenos que operam em um mercado livre, sem privilégios e proteções, que o sentem.


Pare de chorar homem de pouca fé, se o povo brasileiro não pode ou não deseja melhorar sua situação não é desculpa para condenar você e sua família ao mesmo destino, mude-se para uma cidade em área de fronteira próxima a áreas rurais, depois que se acostumar a comer comida de verdade vai sentir de longe cheiro de porcaria fraudada.


Excelente, só faltou citar o oligopólio do transporte terrestre. O primeiro que a social-democracia ataca, infernizando a vida do trânsito para forçar o uso dos ônibus. Ficam indiferentes ao uso de motos por exemplo, pois quanto mais perigoso esse veículo melhor. Nunca fazem nenhum tipo de engenharia de trânsito pra transformar em seguro o uso de motos pois isso é ameaça ao oligopólio que gera impostos a cada locomoção das pessoas !


Concordo com a linha de raciocínio do artigo, porém creio que o governo é tão incompetente não teria capacidade para planejar tudo isso. O que quero dizer é que se hoje as coisas estão orquestradas desta forma, é digamos um mero acaso, ou seja, isso simplesmente aconteceu e não foi planejado. Lógico que aconteceu porque pouco a pouco foram implementadas ações que visavam um pouco deste "todo".

De qualquer forma isso não faz diferença, mas só queria expor minha opinião de que este "arranjo" não foi um dia, lá atras planejado, mas sim ocorreu de forma natural.


Num livre mercado genuíno, como uma empresa iria concorrer com a Google, Apple ou Facebook?




Me diga, como o pobre coitado do brasileiro pode boicotar um monopólio?
Ele deixa de comer carne?

Vivemos em um Curral, fechado por todos os lados, e nosso senhor escravocrata ainda nos serve carne ruim. A única opção é abrir as portas do curral e derrubar este senhor maquiavelico.

Comprar carne importada e/ou de qualidade é uma realidade apenas para uma minoria dos brasileiros. O resto se vê obrigado a comer lixo.


É, já tivemos varias reformas politicas mas nenhuma agrária. Pelos meus cálculos em torno de 20% a questão de conluio entre empresários e agentes estatais é derivado da falta de uma reforma agrária, os outros 80% do conluio é derivado exatamente da luta pela reforma agrária. Como podemos ver, a luta pela reforma agrária já se tornou um problema maior que a própria falta da reforma agrária. A luta pela reforma agrária pelo vies politico, com a queda do império e instauração da republica, vem causando uma insegurança jurídica da propriedade privada, com pagamento de indenizações e transferência de posse de maneira completamente aleatória. Essa aleatoriedade causa uma falsa sensação de avanço, mas na verdade estamos estagnados. Deixemos de lutar pela reforma agrária, reduzi-ermos a relevância do estado na definição de posse e teremos em três gerações a distribuição das terras de maneira mais homogenia.


Quero compartilhar com os colegas deste site a seguinte nota:

otambosi.blogspot.com.br/2017/03/a-face-oculta-e-hedionda-da-elite.html

e o comentário que escrevi lá:

Terá isto repercussões internacionais? Como será visto o brasileiro no exterior? Como mafioso, falso, inconfiável? E a respeito das relações comerciais? Os produtos industrializados terão saída, ou Brasil seguira sendo exportador de matérias primas? Que herança estaremos entregando as próximas gerações?

Será melhor nos dividir em pequenas republicas?
Eu apoio www.sullivre.org/
e www.saopaulolivre.org/



Cuidado, ler isso dá câncer.

www.infomoney.com.br/conteudo-patrocinado/noticia/6248978/profissional-relacoes-com-governo-ganha-espaco-nas-empresas-espera-regulamentacao


Cara filosofo não serve pra nada na sociedade. Não produz nada, faz uma faculdade cheia de gente que não quer saber de nada e ainda por cima fica com esses comentários enchendo o saco. Vai fazer algo útil dai quem sabe você terá moral de pelo menos vir aqui.


Por outro lado: www.soq.com.br/curiosidades/c51.php
Linus pauling defendia o uso de altas dosagens de vitamina C (ácido ascórbico) diariamente. Ele defendia inclusive que o uso desta substância combate ou ao menos retarda o surgimento de câncer. "Desde 1966, Pauling tomava todos os dias 18g de vitamina C e em 1991 quando descobriu um câncer, ele sustentou a tese de que a vitamina C foi quem retardou o aparecimento da doença pelo menos 20 anos. Enquanto isso, todos achavam que ele estava com câncer, justamente porque tomava altas doses de vitamina C. "
Este realmente é um assunto polêmico, sendo assim, nós que somos meros alquimistas, não temos certeza de absolutamente nada. Assim como bioquímicos, médicos e etc. Simplesmente nós nos baseamos em fatos que não são nem de longe compreendidos.



Left libs, como o pessoal do spotniks, são o viagra do poder do estado.


Não vai ter boicote nenhum.O povo é estúpido e vai continuar comprando tudo quanto é porcaria.Aliás, esse é um ponto fraco da filosofia desse pessoal liberal, acreditar em boicote como forma de punição pra quem merece ir pra cadeia.


Leandro, sinto falta de um artigo seu sobre o estado da economia brasileira. A queda da inflação, a suposta recuperação da indústria, o impacto da lista de Janot + Carne Fraca na economia, e o que rola no BC hoje. Também sinto falta dos artigos atuais sobre o Fed.


Só sei que os fiscais do Ministério da Agricultura seguem tranquilos, mesmo os que estão presos. Continuam recebendo normalmente os salários. Agora, vão responder a processos administrativos, que se arrastarão por anos. Quando o caso cair no esquecimento, serão todos absolvidos. Serão remanejados para outras superintendências e seguirão a vida, certamente, prontos para continuarem convivendo com a corrupção que lhes garante vida boa.

E continuarão sendo defendidos pelos otários pró-estado.


Deve ser difícil ser um esquerdista atualmente. Você precisa acordar já pensando em que desculpas e mentiras terá que dar para tentar explicar as políticas que você apoiou durante anos fracassarem diante dos seus olhos e diante dos olhos de todos. Seja uma economia totalmente direcionada ou seja o desenvolvimentismo.

A propósito, o autor "esqueceu" que na década de 30, mais especificamente 1932~1934, teve uma fome na Ucrânia (feita de propósito, mas entra na conta dos comunas também) que matou de 5 a 10 milhões de soviéticos.
Além dessa, Khrushchev e Brejnev tiveram que "privatizar" (fazer concessões) mais de 50% das terras agrícolas porque a produção agrícola estava despencando no final da década de 60 e já se via surtos de fome no país. Além da crise dos mísseis, a crise agrícola na URSS forçou Khrushchev deixar o cargo de secretário geral. Ou seja, até os comunistas perceberam faz tempo que um "socialismo pleno" não funciona e destrói a economia muito rapidamente.
E isso são apenas as grandes fomes e os surtos de fome. Cuba nunca chegou a esse ponto, mas a população cubana se alimenta de forma completamente precária (não morre de fome, mas passa fome).


Vou tentar matar esta charada…….a propina já vinha sendo distribuída há um bom tempo e proporcionalmente segundo a proximidade do agente com a carne…..de maneira que os fiscais do Ministério da agricultura ficavam com a bolada maior….e policiais federais com uma sub-propina de maneira a ninguém delatar o esquema.
Com a acentuada perda do poder de compra do brasileiro nos últimos anos e meses, começou a faltar 'verdinhas' pra distribuir à toda cadeia de corruptos….assim aqueles na extremidade (no caso a PF) bateram o pé e exigiram o contínuo fluxo da grana ou então entregavam tudo e ainda saiam bem como os guardiões protetores do indefeso consumidor brasileiro.
É só uma teoria que me diverti pensando….gostaria de dizer que está de parabéns a equipe IMB não apenas pelo artigo, mas pela escolha da foto do artigo….não poderia ser mais abrangente, não apenas pelo tema 'carne'….mas pelo fato de que a turba de brasileiros irá procurar acompanhar o desenrolar da investigação policial pela rede televisiva, justamente de onde vem a propaganda das agências estatais.
As vezes fico desapontado com comentários de alguns colegas aqui que se dizem desacreditados da possibilidade do povo brasileiro vir à conseguir se livrar da estatolatria….mas se esquecem de observar a acertividade do fracasso do socialismo.
Basta um passeio pelo YouTube sobre os temas "Amazing food processing machine" ou "Harvest machine" para ver a incrível revolução tecnológica que vem despontando para transformar nossa organização do trabalho e consequentemente demais vertentes da vida!



As empresas envolvidas deveriam ser punidas com multa e serem leiloadas.


Percebi isso também, onde estavam todos os outros funças que não denunciaram nada? Ficaram com medinho de denunciar e perder sua teta estatal bem paga.


4 anos pra PF "descobrir" essa aberração e o cara possui a audácia de vir elogiá-la aqui. PQP.


A melhor solução seria uma guerra de matemática contra o governo.

Quem sabe, entupindo a mídia com planilhas, cálculos e estatísticas, podemos convercer que o governo empobrece as pessoas.

O BNDES deve 450 bilhões ao tesouro. Os juros bancários custam 400 bilhões ao ano para o tesouro. O desperdício custa alguns bilhões a cada ano. A educação desperdiça 200 bilhões por ano com a ineficiência. A coletivização das coisas retira 1 trilhão de reais de patrimônio das mãos das pessoas. As concessões ao invés de privatizações retiram bilhões de investimento na economia.

Com isso, podemos provar que mais de 1 trilhão de reais por ano são perdidos com o governo.

A guerra de matemática vai massacrar os políticos.


Agora entendo a "tecnologia" que existe na fabricação da famosa 'CARNE MATURADA".


Aí Rodrigo vc merece um beijo, porra!! Falou tudo e mais um pouco!!



SOH DIGO UMA COISA: BOICOTE GERAL A ESSAS EMPRESAS!! E SE EU VER UM IDIOTA COMPRANDO FRIBOI QUERO DÁ-LHE UM SAFANAO NA ORELHA!!



Sobreviver, até os soviéticos sobreviviam. Sendo comendo os filhos ou comendo bem menos do que o necessário.

A grande questão é melhorar a qualidade e o padrão de vida. O Brasil está completamente defasado dos países da Europa e da América do Norte nesse quesito.


Acho legal o site "Reclame Aqui", não é uma agencia reguladora, mas faz um demonstrativo da reputação de produtos e serviços. Creio que uma alternativa válida seria a criação de mais sites semelhantes. Isto é, desde que tais sites não se rendam à formação de cartel e propinas.


Eike (na cadeia), Odebrecht (na cadeia), Oi (falida), BRF e JBS (carne estragada), LBR (quebrada), Marfrig (no vermelho) e Fibria (a única que se mantém, até porque mexe com celulose). Tudo isso produto do BNDES com o nosso dinheiro de impostos.

Por isso o IMB é veemente em sua defesa da abolição do BNDES. Curiosamente, a esquerda defende o banco, que nada mais faz do que retirar dinheiro dos pobres e repassar a megaempresários poderosos ligados ao governo.


Errado. Quem denunciou todo o esquema foi um insider do Ministério da Agricultura, um lobo solitário. O sujeito estava incomodado com aquilo tudo que estava acontecendo e resolveu avisar sua chefe (sem saber que ela própria era a líder do esquema). A chefe o rebaixou, ele ficou puto, e aí resolveu acionar a PF e o MP.

Aí a PF e o MP começaram toda a burocracia -- instalando escutas telefônicas e tudo -- e só depois de 4 anos (!!!) é que descobriram algo.

Lamento quebrar seus sonhos, mas, ao contrário do que os defensores do estado estão desesperadamente tentando ressaltar (a eles só restou isso), não foi nem a PF e nem o Ministério Público (estes dois órgãos sacrossantos) que descobriram o esquema.

Quem denunciou tudo foi um "lobo solitário", um sujeito que foi rebaixado da hierarquia estatal por não concordar com o que se passava.

Foi então, só então, que ele resolveu denunciar.

Aliás, é sempre assim. É sempre alguém que está dentro do esquema que resolve delatar. Todos os grandes casos de corrupção são descobertos apenas porque um insider resolveu contar tudo.

Sorry, mas PF e MP não são tão brilhantes e oniscientes assim. Reagiram com 4 anos de atraso.


Excelente artigo. Aborda o fascismo de um ponto de vista bastante prático e real, especialmente para brasileiros.


O propinoduto foi feito no tesouro nacional para o BNDES, depois do BNDES para empresas, depois voltava para os políticos em doações de campanha.

Esse papo de que só houve roubo nas estatais é mentira. Como o tesouro subsidiou as obras via BNDES, muito dinheiro do povo foi roubado. É uma dívida de 450 bilhões, onde ninguém sabe quando o BNDES vai pagar. Os 100 bilhões do ano passado já viraram churrasco, porque não foi pago de volta ao tesouro.

A Friboi já era mal administrada antes de ganhar na loteira do BNDES. Hoje, eles já estão devendo 400 milhões à previdência.


Bom ponto Thomas.
Lembremos também do caso da Andersen que era a maior empresa de auditoria do mundo (a maior das antigas Big Five) é simplesmente QUEBROU depois do fiasco com a Enron.
Isto é apenas uma demonstração o quão rigoroso é o mercado com empresas que dependem de reputação.

Ironicamente o fiasco da crise de 2008 não levou a nenhum tipo de punição ao FED.

Fica claro, por este ponto de vista, qual arranjo se mostra mais eficiente não?


O mais triste é que seguiremos como estamos, ou seja, com a grande maioria da população brasileira ainda acreditando que o Estado tem o "dever" de lhe prover tudo: desde roupas íntimas até uma moradia.

Nunca serão suficientes casos como este, aqui no Brasil as pessoas preferem acreditar nas estórias/versões em vez de acreditar naquilo que estão vendo com os próprios olhos, e isto tem nome: Dissonância Cognitiva !!



Tomara que os sites pró-mercado e anti-estado explorem até a última gota esse caso.

Esse caso é uma verdadeira mina de ouro contra a mentira de que o Estado "quer o nosso bem".


Sim, era durante o expediente, mas a empresa alongou a jornada de trabalho em 20 minutos por conta das paradas, dessa forma, para ser considerado de fato um benefício, a empresa deveria ter mantido o horário original. Aliás essa era a solução adequada para o CEO e não as que foram colocadas como alternativas pelo autor do texto. É preciso saber olhar sob todas as perspectivas. Extinguir a justiça do trabalho é que seria algo retrógrado.


"...liberalismo brasileiro..."

Parei de ler aí. Típico esquerdista com a cabeça toda ferrada por professores pedagogos.

Até a Rússia e a China possuem mais liberalismo que o Brasil atualmente.


Leandro, este artigo é do ano passado mas estamos vendo agora no que foi que o governo Lula enfiou nosso dinheiro. Todos os "campeões nacionais" do Lula estão fazendo água: Oi, Eike, Odebrecht e JBS. Alem de quebrar o país, ainda apostaram nos cavalos errados.


Se não fosse as investigações da polícia federal, não haveria Operação Carne Fraca, e não saberíamos do esquema de adulteração de carne...


Resposta absolutamente estúpida.

Quem aqui disse que os policiais federais são "heróis", cidadão?

O que eu disse é que é um erro falar do "crime" pelo qual o "japonês da Federal" foi condenado, pq o tal "crime" foi de contrabando, e o contrabandista - enquanto contrabandista - é que é um herói, pq permite a troca voluntária de produtos sem fazer o beija-mão de burocratas.

Não consegue entender um comentário tão simples?

A conduta pela qual o "japonês" foi condenado É JUSTAMENTE OPOSTA A ESSA AÍ DESSES POLICIAIS, que destruíram produtos por falta do beija-mão; o "crime" do japonês foi permitir a entrada de produtos sem o beijão-mão de burocratas. Mais uma vez: o "crime" do Japonês foi praticar conduta exatamente oposta a essa aí desse vídeo.

E foi por isso que eu disse que é um erro dizer que contrabando seria indicativo de conduta "não-proba" do citado policial, que foi o que fez o Magno.

De novo: PELO TERRÍVEL "CRIME" DE CONTRABANDO - por essa conduta especificamente considerada - É UM ERRO DIZER QUE O JAPONÊS, ESPECIFICAMENTE CONSIDERADO, NÃO SERIA PROBO. REPITO: por essa conduta específica.

Ter que fazer esse tipo de explicação para um comentário tão simples é mais uma prova do analfabetismo funcional reinante nesse país.



Não. Revendo o vídeo, agora com mais calma (por distração, essa parte final me passou despercebida), ele incorreu numa incoerência. Curiosamente, ele até acertou na consequência, mas errou no diagnóstico.

Se houver maior carestia nos EUA, então o dólar vai se desvalorizar perante as outras moedas. O dólar ficará mais barato. E leves aumentos dos juros não afetarão essa desvalorização. Prova disso é que, de 2003 a 2007, o Fed elevou os juros de 1% para 5,25%, e o dólar seguiu em queda livre perante o resto do mundo, consequência das desastrosas políticas daquele governo.

E é exatamente essa carestia (e a subsequente desvalorização do dólar) o que afetará as exportações americanas, como já repetidas vezes explicado por este Instituto.

A empiria comprova a boa teoria: desvalorizar o câmbio piora a economia e reduz as exportações

O legado humanitário de Dilma - seu governo foi um destruidor de mitos que atormentam a humanidade

Portanto, ele acertou nas consequências, mas errou na explicação da causa.
Estranhamente, essa parte ao final me passou despercebida. Peço desculpas. E obrigado por me chamar a atenção para isso.


A JBS que adquiriu dinheiro do Bolsa Empresa BNDES para comprar empresas concorrentes e criar um monopólio, deveria ser punida com multa e vender as empresas adquiriu com ajuda pai Estado.


A pérola socialista do dia:

"E pensar que a propaganda anti-comunista meteu o pau por décadas na União Soviética por ela ter feito, graças ao isolamento e às contradições dentro dela mesma, o povo comer peixe prensado e comida em lata (que eram fichinha perto dos venenos e da exploração que a indústria alimentícia e agropecuária sempre fizeram e continuam fazendo, agora donas do mundo, no capitalismo hoje).
Inclusive, a Rússia só sofreu crises de abastecimento na Grande Fome dos Anos 20 e na Recessão dos Anos 80. Dos Anos 30 aos 70 foi uma das Economias mais estáveis, fartas e produtivas do planeta. Ao contrário do Mundo Capitalista, nela as coisas muitas vezes acabavam porque as pessoas tenham um poder de compra enorme, e havia desigualdade (social, mas principalmente política) também; para não citar o costume eslavo de guardar comida e lidar com ela estar em um dos climas mais agrestes da Europa, estando geográfica e comercialmente isolada de 60% dos outros países."


Tudo é movido por dinheiro, as pessoas,as relações...tudo vira mercadoria.
Você só se esquece de um pequeno detalhe: bebês.
Se tudo realmente fosse movido por dinheiro, sociedades capitalistas já teriam se estinguido há muito tempo, já que ninguém teria filhos. Eu tenho, e posso te garantir que, em termos financeiros, não é nada lucrativo.
Aposto que você, além de não ter filhos, deve sofrer de alguma sociopatia para escrever uma idiotice destas...


Entao nos últimos minuto e meio em q ele fala q o preço do dólar aumentar vai tornar os produtos americanos menos competitivos tbm está correto?


É interessante notar que, no fim, tudo isso apenas comprova aquilo que o IMB sempre fala: quanto mais alguns setores da economia são protegidos e privilegiados, piores ficam seus produtos e seu comportamento. Isso vale tanto para carnes quanto para carros e indústria em geral.

Acabem com esses protetorados, abram geral a economia para as importações (de carros, carnes, aço, máquinas e produtos tecnológicos) e aí quero ver se vai ter mais dessa palhaçada.

A pior maldição que um país pode ter é uma indústria grande em um determinado setor. Quando isso acontece, o governo fecha a economia para proteger exatamente aquele setor, despeja subsídios nele e proíbe a população de comprar de fora.

Nova Zelândia, Suíça, Chile, Islândia e Irlanda não têm montadoras. Como consequência, não há tarifas de importação para carros. Logo, os carros a que a população tem acesso são extremamente baratos.

Nos EUA, as tarifas de importação para café são zero. Claro, não há plantações de café nos EUA (há uma pequena no Havaí, mas seus agricultores não têm poder político para ir a Washington pedir tarifas de importação sobre o café estrangeiro). Consequentemente, a variedade de café disponível para o americano é absurda, e os preços são irrisórios.

Chegou a hora de fazer o mesmo com o Brasil. Comecemos importando carne da Argentina e do Uruguai.


A coisa fica cada vez melhor. As mesmas substâncias que a PF disse serem cancerígenas são ... aprovadas pela ANVISA!

Tudo o que a PF falou a ANVISA desmentiu. E o tudo o que a ANVISA está defendendo a PF está contra-atacando.

Estado é isso aí.

Produtos usados pelos frigoríficos na carne fazem mal à saúde?


Sempre lembrando que, ao contrário do que os defensores do estado estão desesperadamente tentando ressaltar (a eles só restou isso), não foi nem a PF e nem o Ministério Público (estes dois órgãos sacrossantos) que descobriram o esquema.

Quem denunciou tudo foi um "lobo solitário", um sujeito que foi rebaixado da hierarquia estatal por não concordar com o que se passava.

Foi então, só então, que ele resolveu denunciar.

Aliás, é sempre assim. É sempre alguém que está dentro do esquema que resolve delatar. Todos os grandes casos de corrupção são descobertos apenas porque um insider resolveu contar tudo.

Sorry, mas PF e MP não são tão brilhantes e oniscientes assim. Reagiram com 4 anos de atraso.


Como fica a questão de empréstimos neste sistema? É inegável que ao permitirmos que pessoas com boas ideias e interesse em trabalhar tenham acesso ao capital detido por outrem, ampliamos enormemento o desenvolvimento de uma sociedade. Como este sistema permitiria que as pessoas tomassem crédito no mercado? Não visualizo a possibilidade, a não ser, que as operações de crédito se deem unicamente entre particulares, o que é insuficiente. As instituições não poderiam ser enprestadoras, pois não poderiam emitir mais de um ticket para uma mesma porção de ouro.


E o cara que anda de terninho na rua é quem paga o salário dela. Se ele não tiver dinheiro para isso, não tem salário para ela


O Estado brasileiro proíbe ou dificulta a criação de uma agência reguladora da qualidade das carnes?

Sim, dificulta.

Se não, a regulação estatal não é preferível à regulação nenhuma?

Se você sugere que este site defende regulação nenhuma é porque não conhece as idéias que são debatidas aqui. os frequentadores desse site são, em sua maioria, libertários ou minarquistas. Defendem o livre mercado e odeiam o crony capitalism (capitalismo dos grandes empresários que são protegidos pelo governo). A idéia é que empresas podem fazer inspeção de carnes e o mercado naturalmente escolheria aquelas que dão confiança ao consumidor, enquanto as ruins quebrariam devido a concorrência.

Se sim, o quanto desse poder estatal é proveniente de fatores históricos e sociais como a péssima distribuição de terras que criam agentes privados com poder político?

Irrelevante para a discussão, e mesmo que resolvessemos seguir sua lógica, ela não dá crédito à ideia de regulação estatal, já que a própria péssima distribuição de terras foi formada por conluios entre a coroa portuguesa e familias poderosas, ou seja, interferência estatal. Coloque na cabeça que nunca houve um genuino livre mercado (que esse site defende) no Brasil.

São questões que, por ideologia, o texto não aborda mas que servem para uma compreensão mair desse fenômeno.

Porque é irrelevante.

O liberalismo brasileiro

Gostaria de saber o que você chama de liberalismo brasileiro, já que aqui nunca existiu um genuino livre mercado. O governo interfere desde 1500.

tem se caracterizado por essa abordagem superficial que pressupõe coisas como: "o Estado tem esse poder porque as pessoas confiam nele".

Até onde entendo, nunca existiu esse raciocinio. O poder do Estado não é derivado da confiança das pessoas, e sim do monopólio da violência sobre o individuo que ele possui e do doutrinamento existente nas escolas sobre o assunto.

É mais que isso. O poder estatal no Brasil não pode ser desassociado do poder dos grandes empresários e colocar tal discussão no nível de "o que veio primeiro? O ovo ou a galinha?" para defender que o Estado é a origem disso é, além de um exemplo daquela superficialidade no trato de questões complexas, uma prova de desconhecimento de nossa história e de conceitos como o patrimonialismo.

Sim, concordo, o poder estatal ATUAL não pode ser desassociado porque o estado é agigantado e desenvolvimentista. Ele alcança muito fundo na sociedade e é suscetivel aos grandes empresários corruptores (o qual esse site é contra), que em troca de dinheiro, são protegidos pelo próprio estado. Ou seja, o arranjo atual sustenta a corrupção por si só.

Entenda: Esse site não é a favor dos crony capitalists, ele é a favor de um livre mercado, onde as pessoas tem LIBERDADE de escolher quem vai prestar seus serviços, e aqueles que oferecem serviços ruins, caros ou corruptos são eliminados do mercado pela concorrência que oferecem serviços melhores e mais confiávei.

No arranjo atual e histórico do Brasil, esse livre mercado NUNCA existiu. O estado sempre regulou (de forma ineficiente) as atividades econômicas e dificultou (através de burocrácias e taxas) a abertura de novas empresas e novos tipos de serviço.

Sendo sincero: não consegui entender o que exatamente você quis argumentar. Não sei se sou um péssimo leitor ou se você tenta defender um ponto de vista com argumentos que contraproducentes. Favor, peço que leia os artigos que lhe foram sugeridos e reescreva seu ponto de vista. Quem sabe conseguirei entender melhor na próxima.


Depois desta descoberta de que fiscais ajudavam a aprovar produtos estragados mediante suborno, tenho certeza de que esta agência de fiscalização vai sofrer um grande abalo na sua credibilidade e perderá boa parte dos seus clientes, correndo risco de falir!

Ôpa, péra!

Ela é estatal. Não só não perderá 1 centavo de verba como você continuará obrigado a pagar pra ela e a confiar nela.

Provavelmente alguns políticos irão propor ainda mais verba e ainda mais poder a esta agência para impedir que isso ocorra de novo.

Segue o jogo.


Obrigado pelas respostas e opiniões, meus caros.
Os comentários deste site são um show à parte.


A ANATEL comprovadamente faz conluio com as operadoras de telefonia para barrar a concorrência. Quanto disso se deve "ao fato de o Brasil não ter tido uma reforma agrária"?

A ANAC comprovadamente protege as empresas aéreas. Quanto disso se deve "ao fato de o Brasil não ter tido uma reforma agrária"?

A ANVISA protege as farmacêuticas. Quanto disso se deve "ao fato de o Brasil não ter tido uma reforma agrária"?

A ANS protege os planos de saúde. Quanto disso se deve "ao fato de o Brasil não ter tido uma reforma agrária"?

Eike Batista pagava propina pra Sérgio Cabral ao mesmo tempo em que chupinhava dinheiro de impostos do BNDES. Quanto disso se deve "ao fato de o Brasil não ter tido uma reforma agrária"?

Estou começando a achar que você está zoando.

Aliás, leu os 5 artigos sugeridos? O que achou? A resposta está neles.


E quem está defendendo a ausência de regulação? Está escrito lá no artigo, de todo o tamanho:

"O fato é que nunca haverá uma escolha entre regulação e ausência de regulação. Sempre haverá uma escolha entre dois tipos de regulação: regulação feita por políticos e burocratas, ou regulação feita pelas forças do mercado".

De fato, a falta de costume com a leitura é um dos mais graves problemas do brasileiro.


"querendo dizer que o país séria melhor se existisse o livre mercado TOTAL, ou seja, nenhum órgão regular"

O artigo inteiro defende a existência de regulação. Está escrito lá, de todo o tamanho:
"O fato é que nunca haverá uma escolha entre regulação e ausência de regulação. Sempre haverá uma escolha entre dois tipos de regulação: regulação feita por políticos e burocratas, ou regulação feita pelas forças do mercado".

O artigo apenas defende uma regulação sujeita à livre concorrência, em que haja punições severas para quem comete erros. E não há punição maior do que a falência e a perda da renda. Nada disso, no entanto, acontece para órgãos estatais que cometem erros. O órgão continua intacto, continua sugando impostos dos cidadãos, e seus funcionários continuam levando vidas de marajás, não importam as cagadas que tenham feito.

E você diz que a única solução é manter esse arranjo imbecil. É realmente o cúmulo da utopia acreditar que um órgão estatal operando com todos esses privilégios terá qualquer incentivo para fazer o que é certo. Isso sim é o mais completo delírio.

Tal arranjo esdrúxulo só existe exatamente porque o estado o impôs. Se tal arranjo não existisse e alguém o propusesse, esse alguém seria imediatamente ridicularizado e escarnecido.

"O simples fato dos órgãos reguladores serem corrompidos pelos empresários (capitalistas, a essência básica do tal livre mercado) do setor agropecuário já joga por terra a ideia libertina do Estado Mínimo ou zero, se existindo órgãos regulamentadores eles (os capitalistas) os corrompem, imaginem se não existisse nada."

Você tem problemas sérios de lógica. Vou tentar desenhar para você:

1) Com o estado, há agências reguladoras, burocratas, políticos e ministérios para serem comprados por empresários que gostam de proteção e privilégios.

2) Sem o estado, não há agências reguladoras, burocratas, políticos e ministérios para serem comprados. Logo, empresários que gostam de proteção e privilégios não terão a quem recorrer, e rapidamente irão à falência.

Portanto, e por definição, "se existindo órgãos regulamentadores eles (os capitalistas) os corrompem", se eles não existissem, então nada haveria a ser corrompido. E aí eles, finalmente, só se manteriam no mercado fornecendo produtos bons e agradando os consumidores.

Infelizmente, você é contra esse segundo arranjo, preferindo o primeiro. Algo completamente ilógico e irracional.

Da próxima vez, pense um pouco mais antes de escrever coisas. A sua própria inteligência pode ficar em xeque.


...porque existem pessoas capazes de criar, empreender...
Todas as pessoas são capazes de criar e empreender. Nem todas o fazem.

O capitalista é o cara que melhora vidas, salva vidas, deixa o mundo mais divertido e confortável entre uma infinidade de outras maravilhas.
Vc quis ironizar, né? Mas essa é uma verdade.

... mas se perguntarem para qualquer indivíduo de qualquer outra espécie não sinantrópica, acho que vão discordar. E se perguntarem para o Rio Doce, também. Mas isso é assunto para artigos sobre a relação do capitalismo com o meio ambiente.
Se não existisse o capitalismo, não existiriam mineradoras ou as mineradoras seriam magicamente à prova de acidentes? Ah, já sei, não foi um acidente, foi culpa da "ganância" inerente ao capitalismo. A propósito, quais são os sistemas alternativos ao capitalismo atualmente implementados e qual a relação deles com o meio ambiente?

Quero que perguntem sim, para o trabalhador, esse do Marx...
...Será que ELE se sente EXPLORADO...
...Será que ELE, o objeto em discussão tem alguma voz nessa ideologia?

ELE tem nome e endereço ou é um ente imaginário que subsititui a SUA visão a respeito do tema ?

Mas na verdade existem duas formas de se tornar um bilionário hoje: herança, e exploração do trabalhador ou das regras do Estado.
Bill Gates, Mark Zuckerberg, Messi, Neymar, Madonna, Lady Gaga.
Em comum entre eles: não receberam heranças, não exploram trabalhadores (seja lá o que vc entende por explorar), não exploram regras do estado, e fornecem produtos que as pessoas querem consumir.

Mas o fato é que não está funcionando, nem pelos números dos próprios capitalistas
Que números seriam esses?

Não está funcionando para a grande maioria das pessoas no planeta.
De novo, a "grande maioria das pessoas no planeta" disse isso pessoalmente para vc ou é apenas wishful thinking?

Então, tontos e ávidos por uma solução, começamos a jogar pedras para todo lado buscando culpados.
Fale por você.