clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


"Se essa prova existir, será suficiente para tornar a questão passível de escrutínio da maioria"


Uso e comercialização de drogas NÃO TEM NADA A VER com questão de "prova" disso ou daquilo; tem a ver com DIREITOS NATURAIS. Proibir uso e comercialização de drogas viola direitos naturais; logo, é imoral. Ponto.


"Prove que os usuários de drogas vão roubar e matar terceiros inocentes para conseguirem a próxima dose dessa droga X...
Se essa prova existir, será suficiente para tornar a questão passível de escrutínio da maioria
"


Raciocínio errado e anti-libertário.

A parte errada: não há falar em "prova" de que "usuários de drogas vão roubar e matar": essa prova é impossível de ser feita e obtida; ora, como se poderia provar isso? E ainda que isso fosse possível, essa prova só poderia ser obtida caso a caso, e uma eventual prova que somente pode ser obtida caso a caso não tem o condão de servir de base para uma questão de princípio. Logo, você incorre em category mistake aí.

A parte anti-libertária: a eventual "prova" de que usuários vão agredir terceiros já é usada como argumento subjacente ao atual arranjo de proibição de drogas; logo, já está subjacente ao "escrutínio da maioria" que ensejou a legislação anti-drogas do atual arranjo. Logo, na prática, o seu raciocínio leva a defender o atual arranjo (proibição de drogas).

Outrossim, eventual "prova" disso não seria suficiente para o "escrutínio da maioria", por um motivo muito simples: o que se deve punir é o roubo e/ou o assassinato, e não o uso de drogas que pode ter ocorrido antes de o usuário ter roubado e/ou matado. O que se pune é a (iniciação de) agressão; e não eventuais atos prévios a ela (incluindo consumo e comercialização de drogas). Isso é básico.

E também não é suficiente ao "escrutínio da maioria" pq o uso e comercialização de drogas diz respeito à voluntariedade das trocas entre pessoas; logo, diz respeito a direitos individuais/naturais. E submeter direitos individuais/naturais ao "escrutínio da maioria" é um ato de tirania.


Vim parar aqui devido a citação de Hayek e Friedman por Suplicy no debate com Olavo no ultimo sábado 8/4/17.


Samba do Funcionário Público:

Na segunda-feira eu não vou trabalhar
É, é, é a
Na terça-feira não vou pra poder descansar
É, é, é a
Na quarta preciso me recuperar
É, é, é a
Na quinta eu acordo meio-dia, não dá
É, é, é a
Na sexta viajo pra veranear
É, é, é a
No sábado vou pra mangueira sambar
É, é, é a
Domingo é descanso e eu não vou mesmo lá
É, é, é a
Mas todo fim de mês chego devagar
É, é, é a
Porque é pagamento eu não posso faltar
É, é, é a

E quando chega o fim do ano
Vou minhas férias buscar
E quero o décimo-terceiro
Pro natal incrementar
Na segunda-feira não vou trabalhar
É, é, é a
É, é, é a

Eu não sei por quê tenho que trabalhar
Se tem gente ganhando de papo pro ar
Eu não vou, eu não vou
Eu não vou trabalhar
Eu só vou, eu só vou
Se o salário aumentar
É, é, é a
É, é, é a



"E quem foi que inventou que Libertário tem que ser a favor da liberalização de drogas?"

E você ainda não aprendeu o básico.

Proibição estatal de comércio de drogas viola o princípio da não-agressão; viola a voluntariedade das trocas pacíficas; logo, viola os princípios básicos do libertarianismo.

Logo, quem defende proibição de comércio de drogas pode ser qualquer coisa, menos libertário.



Caro Jango:

Obrigado pela resposta.

Então a maioria pode decidir se eu posso ou não vender a minha casa para um estrangeiro? Caro: a casa é minha e posso, em princípio, vendê-la para quem eu quiser... E quem a comprar deve poder usá-la, morar nela...
É preciso um motivo muito forte para a maioria das pessoas de uma região impedir alguém de morar onde queira...
Isso seria legítimo em casos muito excepcionais, como se tratando de um criminoso, etc...

Quanto ao segundo artigo, concordo plenamente: a melhor organização é a de cidades estado. Assim, as pessoas serão livres para escolherem se mudar para o estado que quiserem.

Isso é o exato oposto de a maioria ter o direito de proibir os estrangeiros de se mudarem para lá. Se todas as cidades estado impedirem a entrada de estrangeiros, a liberdade das pessoas ficará muitíssimo limitada. Imagine você poder circular livremente somente no município onde nasceu...

Com certeza o melhor modelo são cidades estado, desde que a circulação de pessoas, mercadorias e capitais seja totalmente livre.

Os empecilhos ao livre trânsito de pessoas, mercadorias e capitais são imorais, e reduzem a liberdade dos indivíduos.

Quanto à ideologia nazi-fascista, por favor, veja minha provocação no comentário anterior...

[]s




Uma correção necessária: a população do Brasil em 1822 não atingia 14 milhões mas sim algo como 4,5 milhões. Contudo a proporção entre diferentes origens era a mesma: 7% de brancos e 93% de negros e índios.



O meu corpo é meu, e faço com ele o que eu quiser, a menos que meus atos causem danos a terceiros.

Então, as pessoas podem usar drogas livremente, a menos que alguém prove que, ao liberar a droga X, teremos como conseqüência violência contra terceiros inocentes. Prove que os usuários de drogas vão roubar e matar terceiros inocentes para conseguirem a próxima dose dessa droga X...

Se essa prova existir, será suficiente para tornar a questão passível de escrutínio da maioria.

[]s


Então por coerência vc deve defender a proibição total e imediata do cigarro e de todas as bebidas alcoólicas.


Caro Taxidermista, você sabe se esse livro do Peter Schiff é em formato de "quadrinhos"?

Eu li essa versão em inglês, acho bem interessante para jovens, e tem também em formato de vídeo no youtube.

https://youtu.be/bFxvy9XyUtg



Nunca viu ninguém abordando? Você chegou hoje a este site, né?

Automação versus empregos - como ter uma carreira para a vida inteira

Os robôs tomarão o seu emprego?

A automação e a robótica, ao contrário do imaginado, serão os grandes geradores dos empregos futuros

A automação irá nos empobrecer? Muito pelo contrário

A social-democracia está em entrando em seu último suspiro - e será abolida pela automação

As máquinas continuarão substituindo o trabalho humano? Sim. Quem deseja isso? Os consumidores

Outra coisa: esse fenômeno que você descreveu é antiqüíssimo. Começou lá na agricultura. Quando a mecanização se intensificou no campo e a mão-de-obra migrou para a cidade, todos diziam que o mundo iria acabar e que todas essas pessoas teriam de ir para a fila do pão.

No entanto, aconteceu exatamente o oposto: essas pessoas encontraram novos empregos em áreas que até então não existiam e as quais ninguém jamais imaginara poder existir. Quem, há 20 anos, imaginaria ser possível ganhar dinheiro como YouTuber ou blogueiro?

Isso vem acontecendo há séculos. Qual o seu argumento para prometer que "dessa vez será tudo muito diferente"?


Ia comentar a mesma coisa. A capacidade que alguns indivíduos possuem de misturar tudo é impressionante.

A maioria até pode ser xenofóbica (não sei e ninguém deve saber), mas graças à maioria dos governos, as pessoas estão sendo forçadas faz tempo de conviverem num mesmo território com que não querem. www.mises.org.br/Article.aspx?id=2456 - www.mises.org.br/Article.aspx?id=2468

E misturar protecionismo com xenofobia é outro absurdo. Quase nenhuma pessoa comum vê problemas em consumir produtos feitos em outro lugar. Quem adora Protecionismo são políticos, mas não por uma questão de Xenofobia e sim porque estão pensando no seu próprio bolso.

Nazi-fascismo com "democracia ilimitada" foi a mais.


Ah: só para apimentar um pouco mais o debate:

Hitler foi eleito pelo Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães.
A maioria das pessoas que conheço tem ideias nacionalistas, socialistas e trabalhistas...

A CLT foi inspirada fortemente na Carta di Lavoro, a lei trabalhista do Mussolini...
A maioria das pessoas que conheço é "contra" a abolição dos "direitos" nela estabelecidos...

Será que, realmente, as ideias nazistas e fascistas não estão na cabeça da maioria das pessoas à nossa volta?

[]s


A MAQUINA VENCENDO EM TODAS AS ÁREAS PODE TIRAR CONSUMIDOR DO CONSUMO?
Descrição perfeita do momento,os consumidores decidem comprar ou não, o produtor fica rico ou não, tudo belezinha só que a massificação da produção e produção de serviços está terminando,como um tsunami com empregos, de forma também massiva,sem dar tempo de reciclar grandes massas de trabalhadores para outras funções.
Como NUNCADANTEZVISTO exercitos,agricultores,motoristas,médicos,cobradores de onibus,MILHARES DE FUNÇÕES HUMANAS estão sendo substituidas por MÁQUINAS INTELIGENTES, E MUITO.
No "TEMPO DA GALOCHA" dava tempo de reciclar um operário,um motorista,um torneiro mecanico para outras funções, (até para presidente de país), mas o que fazer com milhões e milhões de desempregados,por um tempo enorme NÃO MAIS FUNCIONAIS, e que são CONSUMIDORES? Sem renda como vão eleger o mais rico e competente comprando seus produtos e serviços robotizados?
Tem estudioso muito esforçado,que mostra gráficos da mecanização/robotização no fabrico e prestação de serviços, DO PASSADO,sendo que o momento, no aqui e no agora,o NIVEL DE AUTOMAÇÂO DA PRODUÇÂO DE BENS E SERVIÇOS não tem precedente, INVALIDANDO DADOS e graficos DO PASSADO, MESMO RECENTE.
SOU TOTALMENTE A FAVOR DA ROBOTIZAÇÃO E AUTOMATIZAÇÃO,TORNA CUSTO DE PRODUTOS ACESSÍVEIS ,MELHORA A VIDA DE TOSDOS, INDUBITAVELMENTE, EM TODAS AS ÁREAS!
OS MILHÕES DE TRABALHADORES DESLOCADOS FARÃO O QUÊ?DE ONDE VIRÁ A SUA RENDA,SÃO CONSUMIDORES ? É A MINHA PREOCUPAÇÃO.
Venho trazendo este assunto pois não vejo ninguém dos grandes iluminados abordarem este assunto.Enfatizo que EM TODAS AS ÁREAS e EM NIVEL NUNCA VISTO A MÀQUINA SUBSTITUI A FUNÇÃO DE HUMANOS,irreversivelmente,e estes deixam de ter renda, consequentemente de consumir.
Está fora de questão pensar em quebrar máquinas, ou não usá-las, mas é um problema e sério, tanto que poucos ousam tocar ,opinar sobre êle.
Também trabalho há 50 anos na área de telecomunicações , mais recentemente informatica,acompanho o assunto desde os tempos da "valvula eletronica",transistor,circuito integrado(microeletronica),NANOELETRONICA, e hoje já temos computadores quânticos,o que me dá uma visão do problema em questão um pouco diferenciada da de quem é de outras áreas, e isso me faz tentar trazer o assunto a discussão, pois parece que ninguém se deu conta.
Grandes pensadores e empresas, SPACE X,por exemplo,está sèriamente preocupada com o avanço da inteligência artificial, dos complexos destas já existentes, e de como readequar o HUMANO,interface biomáquina etc.
Se mexeu com o consumidor,trabalhador,o motor, mexeu com a economia e é sim um assunto para este espaço, fórum.
MILHÕES DE TRABALHADORES EM NOSSO PAIS, E MUNDO AFORA NÃO VOLTARÃO A SEUS EMPREGOS , POIS ESTES JÁ NÃO MAIS EXISTEM! ESTÃO OCUPADOS POR MÁQUINAS!



Olá Gustavo:

Você está confundindo tudo. A suas igualdades são totalmente inválidas. Por favor, se atenha às minhas.

1) Xenofobia:
Em nenhum momento mencionei o Brasil. A xenofobia hoje existe na cabeça da maioria das pessoas, independente de onde elas moram. Ela se manifesta no controle de mercadorias, pessoas e capitais nas fronteiras.
Que direito a maioria tem de me impedir de comprar um produto estrangeiro? Só porque é produzido por uma pessoa que fica atrás de uma linha imaginária? Isso é discriminar a pessoa que mora além dessa linha. E fere a minha liberdade de comprar o que eu quiser com o fruto do meu trabalho.
Que direito a maioria tem de me impedir (ou dificultar) de investir o meu dinheiro onde eu quiser? O meu dinheiro me pertence e o invisto onde eu quiser.
Que direito tem a maioria de uma certa região (chamem de país se quiserem) de me impedir de morar e trabalhar onde eu quiser? Posso comprar uma casa onde eu quiser. E se eu comprar a casa, devo poder morar nela.

2) Democracia
A democracia é limitada pelos direitos naturais.
A democracia ilimitada significa a violação dos direitos naturais (violência). Por isso democracia ilimitada = direito ilimitado da maioria sobre minha vida (ou corpo), liberdade e propriedade. Portanto a democracia ilimitada permite e estimula a violência sem limites da maioria contra a minoria. Podem ser brancos contra negros, alemães contra judeus, pobres contra ricos, etc. O caso mais típico atualmente é a maioria mais pobre querer viver às custas do fruto do trabalho da minoria mais rica. Pode ser 60% contra 40%; 90% contra 10% ou 99% contra 1%. Tanto faz. É roubo do mesmo jeito.
A maioria, em princípio, não tem o direito de violar minha vida, liberdade e propriedade.

3) Nazismo
Dizer que Brasil = Nazismo é uma prosopopéia. Seres inanimados não têm opinião. Somente indivíduos podem ter opiniões.
Agora, se você quis dizer que a ideologia dominante no Brasil se assemelha ao nazismo, eu diria que há vários pontos em comum entre a ideologia dos alemães dos anos 30, com a ideologia das pessoas no Brasil hoje.
Os pontos em comum mais evidentes são:
1) crença na democracia ilimitada: toda e qualquer ação do estado seria legítima, desde que apoiada pela maioria.
Isso justificaria o roubo da propriedade alheia na forma de impostos para qualquer finalidade que a maioria deseje. Isso viola claramente os direitos naturais e, portanto, é absolutamente falso.
2) acreditar que as pessoas que nasceram dentro da fronteira têm mais direitos do que as que nasceram fora. Isso justifica impostos, quotas e demais barreiras à importação; controles de imigração; subsídios à indústria "nacional"; etc.
Todos os serem humanos nascem com direitos civis iguais. Então todos - inclusive os "estrangeiros" - têm os mesmos direitos. Inclusive de morar onde queiram, de comprar e vender o que quiserem para quem quiser comprar.
3) achar que o problema são os líderes e não o sistema. Assim, a solução é simples: eleger os líderes certos. É só parar de votar nas pessoas do PT, e eleger um líder melhor (mais competente e honesto), que tudo magicamente se resolve... Um líder forte, com poderes grandes o suficiente para, como o apoio da maioria, resolver todos os problemas.
Infelizmente, o buraco é mais embaixo. É preciso mudar o sistema. É preciso limitar a ação do estado (e da maioria) sobre as pessoas. Num governo mínimo, os governantes terão tão pouco poder, que sua ação dificilmente fará grande diferença...
A solução é justamente o oposto do senso comum: líderes quase sem poderes; poder do estado o mais limitado possível.

[]s


sabia que já tinha lido isso em algum lugar hahaha

"A lot of the envy is silly considering the vast majority of Bezos' wealth is hypothetical. His wealth is mainly tied up in Amazon stock, roughly 82 million shares or 17% of the company. If he tried to liquidate that he would lose a tremendous amount of that wealth since such a move would drastically drive down AMZN share prices. Daily trade volumes for the stock haven't breached 4 million.

Despite all the various stock pricing theories, pricing is still driven by supply and demand. There are only so many people with so much in assets willing to buy the stock at the $890 per share price point. If he tried to sell all that Monday, he would quickly dip into purchase orders well below the current valuation.

Bezos is worth those billions ONLY in the hypothetical scenario that he can get today's prices for all of that.

This drives a stake in the heart of the argument he got rich off other people's misery. He only got rich because other traders on the market last made a trade at $890. He didn't "take" those shares from anyone and that wealth can just as easily vanish should share prices fall.

Bezos didn't reach into any pockets and take cash. 90% of the money that flows into Amazon flies right back out to employees or workers at all the companies that sell products through Amazon."


Denis, sem ofensa, mas vejo que você nunca empreendeu na vida. Vamos lá:

Primeiro de tudo, existe uma concepção incorreta que valor nasce do trabalho, ora, eu posso passar o dia todo cavando e tapando o mesmo buraco, o que é um trabalho enorme, logo as pessoas deveriam me pagar muito dinheiro, correto? Errado. O valor nasce da troca VOLUNTÁRIA (importante lembrar disso) entre um ofertante e um comprador. Se uma pessoa compra uma roupa, então para ela, aquela roupa vale mais que o dinheiro que ela utilizou para adquirir aquele bem, considerando todas as outras roupas e vendedores que existem no mercado.

Essa definição, por si só, é suficiente para refutar a mais-valia do velho Marx.

Agora vamos mais adiante: o trabalho para criar a roupa não é suficiente para gerar o valor, é preciso fazer que o cliente conheça a roupa e que o bem chegue até ele. Para isso, é necessário uma estrutura de propaganda, uma estrutura de logistica e uma estrutura de vendas funcionando em sinergia, na qual em geral, o empresário que tem uma visão do todo da empresa, que direciona.

Agora o empresário tem um risco para empreender seu capital. Ele pode ter prejuizo ou lucro, as máquinas podem quebrar, um incêndio pode devastar a fábrica... nada disso sai do bolso do trabalhador e sim do lucro do empresário e tudo isso tem de ser levado em consideração para a atividade empreededorial valer a pena, ou seja, o risco precisa ser remunerado, caso contrário, como disse o Alberto, ninguém faria empreedimentos e ainda viveriamos nas cavernas, pois não tem sentido pagar para trabalhar.

Agora, acredito que você deve ver as coisas pelo lado do trabalhador. Ok, tudo bem, vamos a um trabalhador autônomo, Sr, João, um artesão faz camisas para vender na feira. Considerando as horas trabalhadas dele com base no salário minimo e o material que usa, consideramos que a camisa custou ao trabalhador $ 15,00.

Certo, mas opa, perai, o trabalhador ainda precisa colocar a camisa no seu carro e levar até a feira para ser vendida. Considere que ele gaste $ 10,00 de gasolina e absorvendo o custo do valor do tempo dele ficar vendendo as camisas, estime mais uns $ 10. Logo o valor que ele deveria cobrar pela camisa será $ 35.

Pela lógica da mais-valia, ele não deve cobrar nem mais nem menos que $ 35, pois esse é o valor intriseco da camisa, só que acontece uma coisa, ninguém está comprando a camisa. As pessoas estariam dispostas a pagar, no máximo $ 20 pela camisa, só que Sr. João não está disposto a vender por menos que $ 35. Perceba que a camisa, nesse momento, não vale nada, pois ninguém está disposto a VOLUNTARIAMENTE pagar mais que $ 20 por ela.

Derrotado, Sr. João resolve pegar seu estande e ir para outra feira ali perto, o que acrescenta mais $ 5 de gasolina no seu custo, logo ele deveria vender sua camisa a $ 40 agora. Na nova feira, ele percebe que os clientes são mais abastados, então ele, espertamente declara que sua camisa vale $ 60. Uma senhora que passava ali perto achou o preço bom e VOLUNTARIAMENTE resolveu comprar.

Pela lógica da mais valia, Sr João deveria vender sua camisa por $ 40, pois este é o valor da força de trabalho empregada na camisa, mas veja que ele conseguiu $20 a mais porque alguém VOLUNTARIAMENTE aceitou o preço de $ 60. É assim que nasce o valor, das trocas voluntárias e não do trabalho em si.


Quem acredita na lógica da mais valia e não empreende:

A) Não gosta de dinheiro, já que ele acredita que a mais-valia nasce do valor da força de trabalho que não é remunerada pelo empresário, então ganhar dinheiro seria fácil, alias por que você ainda está sendo explorado como funcionário de alguém? Vá empreender agora mesmo!

ou

B) É incoerente, pois acredita numa coisa que seria uma saida mais fácil para ganhar a vida e não o faz.

Meu intake:

As pessoas sabem que empreender é uma atividade dificil, de alto risco e que no pior dos casos, você pode perder seus bens (um empregado perde no máximo o emprego), por isso não o fazem. E não, a falta de capital não é uma desculpa, pois a pesssoa pode trabalhar como autonomo ou entrar em uma cooperativa, como sugeriu o Alberto.



Totalmente OFF:
Gostaria que indicassem alguma literatura para jovens e crianças que trata de economia do "jeito austríaco".
Tenho duas filhas jovens que acredito ser necessário ensinar como as coisas funcionam na vida real e não nos delírios de nossos governantes e academicos mainstream.
Comento muita coisa do site com elas, mas vejo que não elas não têm paciencia para ler os artigos.
Ou um canal do youtube sobre "economia austriaca" que possa ser indicado.

Agradeço desde já.


É por isso que quanto mais "direitos" são conferidos aos consumidores (que implica imposição de obrigações aos fornecedores/produtores) menos soberanos ficam os consumidores.

O establishment jurídico, econômico, político e midiático não compreende isso (ou se nega ou não quer compreender): quanto mais "direitos" aos consumidores, mais se pune os fornecedores/produtores; quanto mais se pune os fornecedores/consumidores, mais se pune os consumidores.

O mesmo se dá quanto à relação entre empregado e empregador: quanto mais "direitos" são conferidos aos empregados, mais se pune empregadores (impondo obrigações); quanto mais se pune os empregadores, mais se pune empregados.

Isso é o que dá se negar a compreender que quando a relação de troca é voluntária não há soma zero (ambos saem ganhando); quando há coerção (institucionalizada) na relação, aí sim é que há soma zero (um ganha e outro perde: quem ganha é o burocrata estatal).


Porque não há liberdade para uma empresa aérea estrangeira fazer vôos domésticos dentro dos EUA (o chamado voo de cabotagem), um país de dimensões continentais.


Como eu disse em outro artigo: todos somos consumidores, inclusive o dono da Amazon.

Enquanto isso, tenho de ouvir de professor de geografia de cursinho que o capitalismo deixa os ricos mais ricos e pobres mais pobres (isso até hoje não entendi). Realmente, o MEC odeia o mercado, apesar de depender exclusivamente dele.


Completando: "o Youtube acabou com a televisão brasileira". Desde que adquiri minha smartv nunca mais assisti nenhum canal de televisão.


Brasil = Xenofobia ?
Nazismo = Democracia (democracia ilimitada!) ?
Brasil = Nazista ?

O LSD que estão distribuindo por aí realmente está muito pesado.


Tem um link errado no artigo, talvez tenha sido alterado pelo banco. O link correto para as "Dezesseis Resoluções" é esse daqui: www.grameen.com/16-decisions/


Bem lembrado.

Mas também cabe destacar que a bolsa americana foi inflada pelos QEs americanos. Ou seja, sem a intervenção do Governo estes caras não estariam tão ricos assim. Basta um estouro da bolha que eles perderão bilhões...


Oh, meu deus, um empresário tendo lucro. Que crime! Deveriamos enforca-lo.

Como o camarada acima disse, nada garante que haveria esse aumento, mas existiria espaço para haver esse aumento, enquanto no arranjo atual, é impossivel.

E outra, o empregado receberá o quanto o mercado precificar que seu tipo de serviço vale. Ora, Se o cara não faz um serviço que valha 2.400, então ele não receberá 2400, agora por outro, lado, se o mercado acreditar que seu serviço vale 10.000, ele receberá 10.000.

Por que isso, você deve se perguntar? Simples, concorrência. Se um empresário tem um funcionário muito bom, mas que exige um salário de 4.000 reais para ficar na empresa, esse empresário preferirá pagar o salário que correr o risco de contratar outra pessoa não tão eficiente por um salário menor, caso ele faça isso, a qualidade do seu serviço cai, a clientela percebe e vai embora e o camarada perde seus lucros.

Sabe quem tem liberdade de pagar menos em um empregado? Setores protegidos pelo governo, sim, o mesmo arranjo que você defende, pois a reserva de mercado deles e a baixa concorrência permite que eles ofereçam serviços inferiores e mais caros, já que o consumidor não poderá fugir para outro provedor de serviços.

O que você ignora, meu caro, é que funcionário não é só um custo mas também um investimento. A qualidade dos funcionários influencia a qualidade dos serviços que a empresa oferece e quanto mais qualidade o cliente percebe, mais ele é atraido para aquela empresa, um empresário inteligente sabe disso e é esse tipo de inteligência que sobrevive num livre mercado, ou você vai me dizer que você prefere ir a um restaurante que te trate mal a um que te trate muito bem?


"Acredito que tenha entendido que o burguês assume um "risco" com seu investimento e que venha a receber esse investimento no futuro."

Correto.

"Mas, mesmo que o burguês tenha passado por isso, mesmo que ele tenha também trabalhado duro dentro dos meios de produção, provavelmente ele ainda recebeu muito mais do que o trabalhador"

O "burguês" tem um único objetivo: ter receitas maiores que custos. Apenas isso.

Se as receitas forem menores que seus custos, então ele estará pagando para trabalhar e produzir, algo que nenhum imbecil aceitaria fazer.

Você paga para trabalhar ou você cobra para trabalhar? Pois é, o burguês pensa igualzinho a você. O malvadão burguês assim como você, também se recusa a pagar para trabalhar. Ele quer é ganhar por trabalhar.

Se o "burguês" pagar para o trabalhador mais do que ele recebe em termos de receitas, então, por definição, o burguês está levando prejuízo com o seu próprio trabalho. Ao contrário do trabalhador, cujo lucro é de 100% (o trabalhador só tem receitas), o burguês pode ter ou lucro ou prejuízo. Ele terá lucro quando a receita for maior que o custo. E terá prejuízo quando o custo for menor que a receita.

Você, estranhamente, está dizendo que é imoral um empreendedor ter receitas maiores que custos. Provavelmente você não parou para pensar nas consequências práticas do que disse. Se todos os empreendedores operassem exclusivamente com prejuízo, não haveria sentido existir nenhum empreendimento no mundo. Consequentemente, a humanidade já teria sido extinta, dado que absolutamente nada teria sido produzido. Na melhor das hipóteses, ainda estaríamos vivendo dentro de cavernas.

"e, no final, os meios de produção serão sua propriedade, não dos trabalhadores que vendendo sua força de trabalho pagaram, os investimentos, por essa propriedade."

Frase completamente sem sentido e ininteligível.

"O burguês tem o poder das decisões, das ordens e de quem deve permanecer ou não."

Errado. Quem realmente tem esse poder é o consumidor. Se o burguês e sua mão-de-obra não produzirem aquilo que o consumidor quer, todos estarão sem trabalho. (Ver aqui e aqui)

"A força de trabalho do trabalhador foi assim alienada, porque é uma força vital e um tempo que não voltará para suas mãos na medida certa em que ele produziu."

Alienada?! O sujeito trabalhou voluntariamente em troca de um salário, o qual lhe permite agora comprar vários bens e serviços, os quais aumentarão seu padrão de vida. Onde está a "alienação"?

Aliás, o que

Isso é apenas um dos muitos aspectos que Marx nos chama atenção. A maneira como essa classe de grandes proprietários conduz, de várias formas, nossas vidas é um outro aspecto, mas isso já seria outro assunto.

Outra coisa: se tudo o que basta para ser rico é ser o "proprietário dos meios de produção" (afinal, investi-los corretamente e de maneira lucrativa é mamão com açúcar), então por que os trabalhadores do mundo todo não se juntam em cooperativas e se tornam autônomos? Nada os impede de fazer isso.

Se uma enorme quantidade de trabalhadores se juntasse, eles sequer precisariam de financiamento. Poderiam utilizar a própria poupança. O que houve com o "trabalhadores do mundo, uni-vos!"? Por que eles não se juntam e criam suas próprias cooperativas? Qualquer grupo de 100 operários do ABC poderia fazer isso tranquilamente. Eles não são pobres. O que os impede?

O bom senso, é claro. Eles sabem que não é fácil empreender, e que é muito mais tranquilo trabalhar de carteira assinada. Neste arranjo, você só tem bônus e nenhum ônus. Eventuais prejuízos recaem inteiramente sobre o proprietário dos meios de produção. Aliás, a própria falência da empresa pode levar a um arresto dos ativos do proprietário. Já os empregados não perdem ativo nenhum. Na pior das hipóteses, perdem o emprego, algo que eles podem encontrar em outra empresa.

Por que a mentalidade de marxista é tão desconectada da realidade assim?

Artigos para você:

A teoria do valor-trabalho ainda assombra a humanidade e segue causando estragos

Nós não humanizamos o capitalismo; foi o capitalismo quem nos humanizou


Se esse wall que praticamente descreveu o Brasil for partes de um livro (ou vários livros) favor indicar a fonte.

Excelente texto.


E com um detalhe importante: a inveja que é dirigida a Bezos é sem sentido quando você entende que a esmagadora maioria da riqueza dele é hipotética. Sim, sua riqueza está majoritariamente ligada às ações da Amazon. Ele detém 82 milhões de ações, o que equivale a 17% da empresa. Se ele tentasse vender suas ações e convertê-las em dinheiro, os preços desabariam e toda a sua riqueza seria enormemente reduzida. O volume de transações diárias de ações da Amazon nem sequer chegam a 4 milhões.

Não importa o que dizem as teorias sobre mercado de ações, o fato é que os preços ainda são determinados por oferta e demanda. E simplesmente não há muitas pessoas endinheiradas o bastante para comprar ações a US$ 890 (que é o preço de uma ação da Amazon nos EUA). Se Bezos tentasse vender suas ações hoje, ele só conseguiria fazer isso a preços muito menores.
Ou seja, seu patrimônio líquido só é de US$ 72 bilhões em um cenário hipotético no qual ele consegue vender TODAS as suas ações aos preços de hoje.

Essa constatação destrói por completo qualquer argumento da esquerda de que ele enriqueceu à custa de miséria alheia. Ele enriqueceu porque traders no mercado valorizaram suas ações até US$ 890, baseando-se em todo o valor criado pela empresa (a qual foi voluntariamente agraciada pelos consumidores, que deram à empresa alta rentabilidade). Bezos não confiscou essas ações de ninguém, e sua riqueza pode prontamente desaparecer tão logo os preços das ações desabem.

Igualmente, não enfiou a mão no bolso de ninguém para tomar dinheiro. Aproximadamente 90% do dinheiro que entra na Amazon sai imediatamente na forma de salários para seus empregados e para os empregados de todas as outras empresas que vendem produtos pela Amazon.


Boa tarde.
Estou em dúvidas, porque estou pensando que está faltando algumas coisas essências para uma crítica ao marxismo. Mas é possível que algo tenha passado despercebido em minha leitura, estou aberto a explicações que possam mudar meu ponto de vista. Marx é, sobretudo, um filósofo, o conceito de mais-valia não funcionaria sem o conceito de alienação. Acredito que tenha entendido que o burguês assume um "risco" com seu investimento e que venha a receber esse investimento no futuro. Mas, mesmo que o burguês tenha passado por isso, mesmo que ele tenha também trabalhado duro dentro dos meios de produção, provavelmente ele ainda recebeu muito mais do que o trabalhador e, no final, os meios de produção serão sua propriedade, não dos trabalhadores que vendendo sua força de trabalho pagaram, os investimentos, por essa propriedade. O burguês tem o poder das decisões, das ordens e de quem deve permanecer ou não. A força de trabalho do trabalhador foi assim alienada, porque é uma força vital e um tempo que não voltará para suas mãos na medida certa em que ele produziu. Isso é apenas um dos muitos aspectos que Marx nos chama atenção. A maneira como essa classe de grandes proprietários conduz, de várias formas, nossas vidas é um outro aspecto, mas isso já seria outro assunto.

Um forte abraço.



1) Democracia = violência (uns mandarem em outros, seja por qual critério for, é uma forma de violência)
2) Democracia ilimitada = violência ilimitada
3) Democracia ilimitada + líder forte = fascismo (o fascismo pressupõe que o líder forte apoiado pelo povo tudo pode)
4) Democracia ilimitada + líder forte + xenofobia = nazismo (ou algo muito semelhante ao nazismo)

Infelizmente, a maioria das pessoas hoje defende:
a) a democracia ilimitada (não reconhecem direitos naturais)
b) um líder forte (vamos eleger o presidente certo, que vai resolver todos os nossos problemas)
c) a xenofobia: discriminação dos estrangeiros, através de:
- ideologia mercantilista: os produtos produzidos por estrangeiros devem ser preteridos em favor dos produzidos por nacionais
- controle de pessoas: como maioria podemos impedir estrangeiros de passearem, morarem e trabalharem no país
- controle de capitais: a maioria tem o direito de criar um monte de empecilhos a investimentos em projetos estrangeiros (fora do país)

Assim, infelizmente, a ideologia dominante hoje é o nazismo - ou algum lixo muito parecido com isso.

[]s



"pais não controlamos todas as decisões dos nossos filhos, e por melhor educação que possamos dá, todos estão sujeitos aos erro, principalmente os mais jovens"

Ah, sim, e daí vc acha imprescindível o "papai estado" controlar a vida alheia, emitindo proibições que causam corrupção, fortalecimento de gangues violentas e consequente matança generalizada de pessoas inocentes? Nossa, que pai sensível e humano que vc é.


"o sionismo teve papel fundamental na escalada da social democracia no mundo, sendo que o próprio movimento bolchevique além de ser liderado em quase sua integridade por judeus, teve amparo financeiro e cultural de judeus alemães. E americanos.[...]

Tais judeus americanos tiveram também muita influência na entrada dos EUA na primeira guerra [...]. Por isto, a queda do Czarismo na Rússia PRECEDE a entrada dos EUA."


Ou seja, segundo você, os judeus queriam o fim do czarismo, defendiam a ascensão do bolchevismo, e ainda os EUA para entrar na guerra.

Não sei se você percebeu, mas essa sua tese simplesmente confirma a ideia de que a entrada dos EUA na guerra -- pressionada por judeus, os quais também queriam o fim do czarismo e a ascensão do bolchevismo -- foi o fator decisivo em precipitar o fim do czarismo.


Hoppe deu uma vacilada temporal sobre a Rússia. Falo com propriedade de quem ainda é fascinado pelo movimento revolucionário que culminou no outubro vermelho de 17. O czarismo já vinha em queda há muito tempo, principalmente devido a miopia de Nicolau, que preferiu enfrentar na pedrada os discípulos judeus de Marx que vinham arregimentando fileiras anos antes da tomada de poder.

Do lado cultural, Lenin conspirava junto a artistas, jornalistas, professores e toda sorte de intelectuais e burgueses anti monarquistas, respaldada por seus irmãos alemães.

Do lado prático, Sverdlov reuniu os camponeses e os trabalhadores das fábricas, organizando greves e motins contra a burguesia aristocrática. Abrindo um parênteses, muito dentro do meio comunista atual dão mais aso aos feitos de Sverdlov que ao próprio Lenin, pois este chegou a acumular mais de 30 funções dentro do partido, sendo de fato o primeiro (e único) presidente da Rússia Socialista, antes da virada de mesa de Stalin.

Em que pese a tese de que o movimento bolchevique não recebeu de fato ajuda oficial do Kaiser alemão, por outro lado os líderes socialistas tinham livre trânsito em todo país, além de uma espécie de exílio ante as ordens de prisão emitidas pelo Czar, ou até mesmo para os fugitivos, como foi o caso de Sverdlov.

Paralelamente, há muitas teses que afirmam que o sionismo teve papel fundamental na escalada da social democracia no mundo, sendo que o próprio movimento bolchevique além de ser liderado em quase sua integridade por judeus, teve amparo financeiro e cultural de judeus alemães (a Alemanha Pré Hitler possuía uma das maiores colônias judaicas do mundo) E americanos.

E permeando esta linha de pensamento, tais judeus americanos tiveram também muita influência na entrada dos EUA na primeira guerra, ao contrário da campanha de Wilson. E corroborando esta tese, uma opinião ácida de Henry Ford em "O Judeu internacional" influenciaria Hitler a retaliar o sionismo após a acensão do nacionalismo alemão.

Por isto, a queda do Czarismo na Rússia PRECEDE a entrada dos EUA, fazendo pouca diferença no desenrolar dos fatos para aquele contexto.



"Se o empresário tem um funcionário que recebe 1200,00, mas custa 2400,00, agora ele poderá pagar 2400,00 a esse mesmo funcionário. Você acredita mesmo nisso?"

Isso é argumento ou é achismo? É mera especulação ou é generalização?

Como é que você sabe que é exatamente isso o que irá acontecer?

Vou lhe falar a minha perspectiva: nada garante que haveria aumentos salariais, é fato. Mas, ao menos, haveria espaço para aumentos. Seria possível -- veja bem: seria possível -- haver aumentos. Já no atual arranjo, é impossível haver aumentos. Não há espaço para aumentos.

Pior ainda: não só não há como haver aumentos, com ainda o trabalhador fica sem parte do seu salário.

A diferença entre uma hipótese benéfica e uma certeza maléfica é brutal.

"Esse mesmo empresário irá pagar os mesmos 1200,00 e ficará com os outros 1200,00 pra si."

E daí? Qual o crime de o empreendedor ter lucros maiores? Ele utilizará esse lucro ou para expandir seus negócios (se não o fizer, será devorado pela concorrência) ou para contratar mais gente (reduzindo o desemprego).

Quem afirma que empreendedor embolsa lucro e gasta com lazer (algo que, aliás, também geraria emprego e renda em outros setores) não sabe absolutamente nada de empreendedorismo.

Outra coisa: já que seria essa mamata toda para o empreendedor, então aja coerentemente: tire a bunda do sofá e vá você também empreender. Segundo você próprio, ganhar dinheiro será mamão com açúcar. Sua vida financeira estará resolvida em 5 anos.


É mesmo? Já foi confirmado que foi false flag? Procurei artigos sobre isso no MI americano e nada encontrei (ainda bem, pois seria uma enorme irresponsabilidade do Instituto fazer especulações apenas para ganhar audiência). Coloca aqui, por favor, um link comprovando de maneira indubitável que foi false flag. Caso contrário, assuma sua mentira.

O IMB está de parabéns por sua temperança, equilíbrio e por não ceder a artigos puramente especulativos à procura de cliques e audiência rápida. Além de ser uma questão de profissionalismo, mostra também respeito aos leitores.


"Que liberem as drogas...a seleção natural se encarrega do resto"

Você com certeza não deve ter filhos para comentar com tamanha insensibilidade.

Ainda que você diga que isso é responsabilidade dos pais, nós pais não controlamos todas as decisões dos nossos filhos, e por melhor educação que possamos dá, todos estão sujeitos aos erro, principalmente os mais jovens.


Bom dia pessoal.

De uns meses para cá fico cada vez mais feliz ao ler os comentários, pois o "berço libertário" já é representado por algum comentarista antes de mim. Eu leio e penso: Não preciso dizer mais nada, está tudo aqui.

Isto causa um misto de surpresa, alívio e esperança de que estamos finalmente conseguindo formar um verdadeiro braço cultural armado de princípios, que levarão este país a algum lugar além dos eternos vôos de galinha seguidos de crises estruturais. É lindo.

Abraço a todos e a equipe do IMB.


Na hora que o governo americano inventa mais uma false flag,o IMB,ao contrario do instituto mises americano e do Lew Rockwell,solenemente ignora e finge que não está acontecendo nada.Comparado com o que era há pouco tempo virou uma ferramenta do stablishment.


Funcionários públicos não deviam nem existir.Se vc acha que faz algo de bom pros outros, os outros vão querer te contratar voluntariamente,obrigar os outros a pagar teu salário é coisa de gente sem moral.


Mises falava que isso ia prejudicar a democracia como se a democracia fosse uma coisa boa.Mises estava errado.


Sou enfermeiro em 1 hospital federal. Hipoteticamente digamos que vc se acidente numa dessas ruas que vc pagou com impostos e vai parar no PS do meu hospital; atendido primeiramente pelo SAMU. Recebe um atendimento de pronto socorro, usa gazes e outros materiais médicos.. tudo de acordo com a gravidade do teu caso. Então agora q vc recebeu atendimento medico e de enfermagem, vc usou os serviços da mesma forma q pagoupela rua q vc nem usa muito q fica do outro lado da cidade


Se o empresário tem um funcionário que recebe 1200,00, mas custa 2400,00, agora ele poderá pagar 2400,00 a esse mesmo funcionário. Correto.
Você acredita mesmo nisso?
Esse mesmo empresário irá pagar os mesmos 1200,00 e ficará com os outros 1200,00 pra si.


Eu tive que te responder, parabéns!! Tenho 14 anos e meu pai fez a mesmo coisa. Acredito que a busca pela liberdade finalmente está crescendo no Brasil.


O texto é excelente, como todos do instituto. Pus minha filha pra ler todos que julgava interessantes ano passado, ulitmo ano dela no ensino médio e debatíamos entre nós pra ela poder ter subsídios para pentelhar o jumento que atendia pela alcunha de professor de história...segundo ela era divertido demais ver o elemento vermelho igual um peru sem poder dar a réplica...a menina virou uma libertária nata e fica pegando no meu pé porque me reconheço como um liberal clássico...rs, mas o importante é que ela está livre da praga do esquerdismo na juventude.


Excelente apanhado da situação histórica do Brasil no século XIX . Mas , com todas as mazelas das classes dirigentes do Império, foram elas que permitiram a coesão do território nacional. Sem aquele regime, hoje o Sul seria paraguaio, Bahia e Nordeste um Haiti, o Norte uma Bolívia. Se é que não teríamos algumas Guianas por aí. Acho que sobraria Rio, São Paulo e Minas. Veja o que aconteceu na América espanhola e lembre das repetidas tentativas de secessão. Outro aspecto importante é a demografia de 1822: 14 milhões de habitantes, sendo 1 milhão de brancos e 13 milhões de negros e índios.



Pelo seu discurso, vejo que chegou aqui agora:

Além de ser responsabilizado pelo roubo do erário público, taxado caluniosamente como COMPARSA desse crime

Cidadão, você está falando de desvios por causa de corrupção. Para os libertários, o buraco é mais embaixo. O dinheiro "público" em si já é fruto de roubo porque é extraido SOB COEÇÃO via impostos. Experimente fazer um arranjo com o governo em que você não paga impostos e se compromete a não usar nenhum bem público. Irão tomar seus bens e se você resistir, vai ser preso ou morto.

Mais "Mauthusiano" impossível!

Onde Malthus entra na estória? Esse não era o cara que falava sobre a teoria populacional?

"Amar a planilha de oferta/demanda e custo/despesa acima de tudo ;e ao próximo como a ti mesmo, aplicá-la!"

Não é uma questão de amor nem de religião, é uma questão de como as coisas funcionam. Se você acha que isso é uma religião incondicional, então não entende o mais básico de economia.

O computador que você compra para postar aqui, a internet que você assina, as roupas que você veste, a comida que você come, os oculos escuros que você usa, o transporte que você utiliza, a energia que você usa, a água que você bebe. Tudo isso que você tem é fruto do seu consumo, de coisas que você abriria mão do seu dinheiro para adquirir porque para você, essas coisas valem mais que o dinheiro que você tinha em mãos.

Por outro lado, alguém teve que ofertar esses produtos para que eles chegassem até você. A criação de valor que nasceu de trocas VOLUNTÁRIAS entre você e um comerciante é que permite que você usufrua dos seus bens e que o comerciante ganhe dinheiro para, em troca, usufruir de outros bens. É uma lógica extremamente simples, extremamente básica, que várias pessoas falham em entender.

E vocês querem fazer pose de democratas, "camaradas"?
As pessoas nesse site defendem o livre mercado e não democracia, você caiu mesmo de paraquedas aqui, hein?

Teu deus não gostaria de ver isso, não...Mises....ele mesmo foi um funcionário público.
Mises não é meu deus e o que ele fez ou deixou de fazer em vida não me interessa, o que me interessa (e a maioria dos leitores desse site) é se os argumentos dele são lógicos. E outra, a escola austriaca apenas explicava os efeitos da intervenção governamental na economia. Quem afirma que imposto é roubo é a filosofia libertária.

O artigo afirma que é irracional que alguém que tenha interesse direto e financeiro pelo governo possa votar, ora, se um político prometesse acabar com a estabilidade e diminuir os salários dos servidores públicos, os mesmos não iriam automaticamente descarta-lo, independente das outras propostas? É essa amarra direta ao salário e estabilidade que faz o arranjo irracional.

Agora você chega aqui, fala vários Ad Hominems e refuta o artigo sem dizer porque. Já que você invocou que é contrário ao artigo, o onus da prova está com você.


Esses 12 milhões de funças têm cônjuge, pais e filhos diretamente interessados na permanência desse sistema, pode colocar 36 milhões de votos, o maior colégio eleitoral do país.


Liberar um sujeito pra cruzar a fronteira dentro de um trem agora é "prova conclusiva" de que o Kaiser alemão queria derrubar o czarismo na Rússia e instalar o comunismo no país?! Carai... até mesmo petista que diz que o impeachment foi "golpe" usa uma lógica melhor que essa.

Aliás, cadê aquela sua certeza inabalável de que a Alemanha conspirou abertamente para colocar Lênin no poder?


"Amar a planilha de oferta/demanda e custo/despesa acima de tudo ;e ao próximo como a ti mesmo, aplicá-la!"

A frase está perfeitamente ao mesmo nível de seu intelecto: ininteligível.

Falando coisas desconexas e trapalhadas assim, você conspurca a imagem dos "servidores" públicos (cujo significado é "aqueles que se servem do povo").

Aliás, por que o termo "servidor" só se aplica a funça? Todos nós somos servidores públicos. O rapaz que vende coco na praia está servindo ao público, os pedreiros que construíram os prédios da sua cidade estavam servindo ao público, os engenheiros que conceberam a tela em que você está lendo este artigo estavam servindo ao público.

Aliás, o engenheiro que passa da iniciativa privada para o cargo público não se transmuta num ser altruísta. Ele continua priorizando sua carreira, seu "polpudo salário" e sua estabilidade. Só porque o sujeito extrai sua renda do imposto que você paga, e não do produto que você compra, isso não significa que ele serve mais ao público do que seu semelhante da iniciativa privada.

Na verdade, são exatamente os funcionários públicos, os burocratas, que menos servem ao público. Como não produzem, mas sobrevivem dos tributos, eles precisam extrair a sua renda do setor produtivo da sociedade. Ao passar do setor produtivo para o estatal, o profissional competente está passando do numerador para o denominador da economia: extraindo mais recursos do que criando.

"E vocês querem fazer pose de democratas, "camaradas"?"

Chegou aqui agora, né, meu filho? Eis alguns artigos para você ver o quanto este site "ama" a democracia (cuidado pra não menstruar):

Como a democracia destrói riqueza e liberdade

A tragédia social gerada pela democracia

Sociopatia e ausência de caráter - características fundamentais para se ter sucesso na democracia

A democracia, os políticos e o retrocesso da civilização

Democracia - o deus que falhou

A democracia estimula o pior tipo de competição

E se eu lhe disser que a democracia é uma fraude?


Definitivamente estou aprendendo mais com os comentários do que com o texto propriamente dito.


Faltava mais essa na "conta" do servidor público:
Além de ser responsabilizado pelo roubo do erário público, taxado caluniosamente como COMPARSA desse crime, por conta de receber um salário que advém de impostos e não da iniciativa privada, devem ser impedidos de votar. Mais "Mauthusiano" impossível!

É obvio que , em se tratando de economia, a maioria das ideias são válidas, não se questiona isso. O problema de vocês, em análise, é quando TUDO é para ser explicado pelo primeiro e último mandamento da seita "miseana":

"Amar a planilha de oferta/demanda e custo/despesa acima de tudo ;e ao próximo como a ti mesmo, aplicá-la!"

E vocês querem fazer pose de democratas, "camaradas"?
Teu deus não gostaria de ver isso, não...Mises....ele mesmo foi um funcionário público.




Não podemos falar em democracia com voto anonimo e obrigatório. Simples assim. Até nos EUA há fraudes nas eleições. Aqui no Bananistão então.. Em um lugar aonde até a carne é corrupta, como confiar em eleições?


"Para começar, o único fato histórico realmente comprovado é que, em 16 de abril de 1917, Lênin chegou de trem à Rússia depois de obter licença para atravessar o território alemão"

Ok, supondo que essa seja a única forma de ajuda que lênin recebeu, ainda assim é considerável dada as circunstâncias da guerra. E mais: Por que a Alemanha deu essa licença para lênin? Ora, porque sabia q ele poderia causar problemas na Rússia e a guerra era de longe a maior preocupação da alemanha.


Uma pergunta. Quanto de dinheiro é gasto com o funcionalismo federal,estadual e municipal ?

Este site afirma que o Governo Federal gasta 39,2% de suas receitas com o pagamento de funcionários.
economia.estadao.com.br/noticias/geral,governo-gasta-39-2-de-suas-receitas-no-pagamento-de-servidores-publicos,10000023309

Não especificou quanto em valor significa isto em dinheiro. Outro site afirmou.Os gastos dos governos federal, estaduais e municipais com o funcionalismo público somam 12% do Produto Interno Bruto (PIB).

Em valores correntes, o Produto Interno Bruto Brasileiro chegou a R$ 6,266 trilhões em 2016, e o PIB per capita ficou em R$ 30.407 – uma redução de 4,4% diante de 2015.

Logo ! O gasto com funcionalismo todo (federais,municipais,estaduais) passou de 600 bilhões de reais . Um total gigantesco.


O Caminho da Servidão de Friedrick Hayek, https://pt.wikipedia.org/wiki/O_Caminho_da_Servid%C3%A3o


Quantos aposentados existem no Brasil ? Site da Globo afirma que já 17% da população é idosa. Este site afirma haver em torno de 20 milhões de aposentados e que cresceram em mais 5 milhões até 2020. www.infomoney.com.br/minhas-financas/aposentadoria/noticia/2356630/brasil-deve-ganhar-quase-milhoes-aposentados-ate-2020-diz-fecomercio

Portanto os aposentados representam 20 milhões de votos ou 25 milhões com os novos aposentados . Ou ainda mais.
Uma força eleitoral extraordinária.

Quantos beneficiários do bolsa família existem ? O site do Planalto afirma ser quase 50 milhões os beneficiados. www2.planalto.gov.br/noticias/2015/05/bolsa-familia-repassa-R-2-3-bilhoes-para-quase-50-milhoes-de-brasileiros.
São portanto 50 milhões de votos. Uma força eleitoral descomunal.
Existem outros grupos que recebem dinheiro do Governo,mas como não estou esclarecido sobre eles, vou destacar somente estes. Portanto 12 milhões de funcionários públicos, 20 milhões de aposentados, 50 milhões de beneficiados do bolsa família. Representam mais de 80 milhões de votos. Qualquer politico faria tudo para agradar a estes grupos.

Já que politicamente é super vantajoso aliciar este grupos. Eu disse politicamente ! Pois economicamente é uma desgraça para o politico cortejar estes grupos. Aí ! è que está o dilema e o contraste. O politico vai ter uma mar de votos ,mas em compensação vai ter um oceano de despesas. Capaz de deixar qualquer tesoureiro desesperado. È uma beleza politicamente,mas uma tremenda feiura economicamente. E na briga entre a POLITICA e a ECONOMIA, a última leva á melhor. Pois a ECONOMIA começa a jogar contra o politico populista ,já que gastos tão elevados levam á crises economicas serias. Prejudicando seriamente todas as pessoas do país. A ecomia só não jogaria contra a politica se não houvesse ; a escassez de recursos. Com recursos economicos infinitos,somente assim não haveria um antagonismo em a parte politica e a econômica.


Um exemplo besta. Suponha que um governo esquerdista resolvesse acabar com os homofóbicos oferecendo a eles vantagens economicas,esquerdistas são muito pró-homossexualismo. E dai ! Este grupo pouco beneficiária aos esquerdistas ou aos populistas politicamente. Mas ! economicamente seriam muito bom,visto tudo indicar ser os tais "homofóbicos" um grupo muito pequeno. Com uma micharia,isto para o Governo , se conseguiria alicia-los.
CONCLUSÃO. Economicamente só é vantajoso para o populista aliciar grupos muito pouco numerosos ( e que demande pouco dinheiro,lógico isto exclui bilionários e celebridades) embora não sejam eleitoralmente muito vantajoso.


Continuo sem entender como há gente que aceita pagar taxa em banco. E entendo menos ainda quem utiliza bancão que oferece aplicações a rendimentos ridículos. E muito menos ainda quem deixa pouco dinheiro em bancão e ainda paga por isso.

Abram conta em bancos pequenos. (Apenas confiram a situação financeira deles no site Banco Data). Dá pra fazer tudo, absolutamente tudo, pelo seu smartphone. Você não tem de sair de casa.

Eu mesmo tenho parte do meu dinheiro em um banco pequeno, o qual não apenas fornece ótimas aplicações em LCI (isenta de IR, e chegando a pagar 100% do CDI), como ainda me fornece CDB de liquidez diária pagando 105% do CDI.

E, obviamente, sem taxa nenhuma.

Aproveitem esse resquício de livre mercado no setor bancário. Os bancos pequenos estão implorando para vocês levarem seu dinheiro para eles; mas você preferem os grandes e ainda reclamam que eles -- perante essa aparentemente infindável demanda -- cobram taxas.


"A alemanha do kaiser ajudou lenin a chegar na Rússia para se livrar da guerra de front duplo."

Isso é uma falácia sem nenhum sentido lógico.

Para começar, o único fato histórico realmente comprovado é que, em 16 de abril de 1917, Lênin chegou de trem à Rússia depois de obter licença para atravessar o território alemão. Isso é o máximo da "ajuda" dos alemães a Lenin que se tem documentado.

A Alemanha, ademais, tinha vários investimentos estrangeiros na Rússia, majoritariamente no setor ferroviário. Por que ela iria apoiar um autodeclarado comunista, que prometia nacionalizar os investimentos estrangeiros e estatizar tudo? Não faz sentido.


Uma pergunta. Quantos funcionários públicos tem no Brasil ? Fiz uma pesquisa e encontre parte da resposta . De acordo com este site,www.adesg.net.br/noticias/brasil-tem-mais-de-2-milhoes-de-servidores-publicos. O Brasil tem 2.039.499 servidores públicos federais. Não sei se estão incluídos ai, os militares das Forças Armadas.

Agora ! De funcionários públicos municipais este site afirma existir 6,5 milhões no ano de 2016 depois de um forte aumento nos últimos 10 anos.

Funcionários públicos estaduais . È difícil saber o número exato,na internet não dizem muita coisa. Mas ! vi dizendo que o número é em torno de 3,5 milhões.

Portanto existem em torno de 12 milhões de funcionários públicos no Brasil (podem contestar este número, e ajude a trazer o número exato, visto que parece que ninguém até agora avaliou quantos funcionários públicos existem no Brasil,um NUMERO OFICIAL). Mas ! Me parece o número de 12 milhões ser mais ou menos correto.

Logo 12 milhões de funcionários públicos significam 12 milhões de votos. Um colégio eleitoral muito respeitável.



Amigão. Escolha uma conta digital. Quase todo banco tem.
Livre de taxas, DOC e TED gratuitos. O único porém é ter que operar pela internet, mas se tratando da competência dos bancários (principalmente estatais) é muito melhor operar pela internet e ficar livre de enrolações.
Eu uso o Bradesco há anos. Não tenho uma conta digital pois só é permitido uma conta corrente por cliente. Minha conta, no caso, é universitária. A tarifa não chega a R$6,00 então não me faz falta.
Mesma coisa cartões de crédito. Nubank e Digio estão aí. Se a pessoa não gasta R$2000,00 por mês, não há motivo para pagar anuidade. Eu estava perdendo mais de 100 reais no meu cartão da caixa só com anuidade, com um atendimento ridículo, o boleto nunca chegava e o call center totalmente despreparado. Depois que conheci o Nubank, cancelei em dois tempos. Melhor coisa que fiz!


Wesley, a resposta para a sua pergunta, sobre os esquerdistas, é a Ética. O estatismo só pode ser defendido através de uma ética consequencialista ou utilitarista. A ética utilitarista admite qualquer ação que cause o maior bem ao maior número de pessoas. Então esses estatistas de alguma forma aceitam que os direitos individuais podem ser violados a fim de alcançar este bem maior. No entanto, ainda que aceitando uma ética utilitarista, recai sobre os defensores do Estado o fardo de provarem que o Estado em alguma das suas variedades, é a melhor forma de organizar a sociedade. Ou seja, ainda precisam demonstrar que a sociedade organizada sob um Estado, é o arranjo que causa o maior bem ao maior número de pessoas.

Já nós libertários adotamos uma ética deontológica, como a ética do imperativo categórico de Kant. A ética do dever.
É nosso dever respeitar os direitos naturais e a autopropriedade de todos os indivíduos.


Só não entende quem não quer. Esta dispensa é a mesma do transporte escolar, que tem sua demanda de 100% crianças e também dispensada de cadeirriha. Oferece seguro reconhecido pela Susep e cursos de especialização.
Simples assim!


É impossível existir qqer forma de governo sem esbulho da propriedade privada, seja ela democracia ou monarquia. Hoppe idealiza as monarquias da Europa ocidental mas esquece que há ou houve inúmeros exemplos de monarquia na África e Ásia onde a agressão à propriedade privada é ou foi regra.


Estamos em 2017 e acho que a realidade responde sua pergunta sem mais margens para dúvidas!


Se o país está falido, se mais de 80% dos venezuelanos estão na pobreza, se a mortalidade infantil disparou, se as pessoas precisam revirar os lixos em busca de alimentos, se a inflação bateu incríveis 900%, se as prateleiras dos mercados estão vazias, e por algum mistério o IDH aumentou, então podemos concluir que esse ranking não serve pra nada.


Inflação oficial tem menor resultado do 1º trimestre desde o início do Plano Real

g1.globo.com/economia/noticia/inflacao-oficial-fica-em-046-em-marco-diz-ibge.ghtml

Não fosse esse artigo do Leandro eu jamais teria entendido as razões pra essa forte redução da inflação. Obrigado!


Brasil. Na Argentina o Keynesianismo foi tão extremo que não parecia mais Keynesianismo, estava mais para Socialismo.


Mais uma vez esclareço: os conflitos atuais podem ter sido começados por democracias mas se você prestar atenção no que eu escrevi ao invés de se afobar, vai ler no meu comentário que eu não conheço um conflito ENTRE duas democracias. Sei que alguns conflitos foram iniciados por elas mas foram contra ditaduras ou monarquias. E após séculos de conflitos entre europeus, o período democrático na Europa foi o mais estabilizador que se tem notícia. Antes havia uma disputa pelo trono quase toda vez q um rei morria. Não sei da onde vc tirou q considero a Rússia uma ditadura pq não gosto do Putin mas pela sua lógica, vc deve considerar a Venezuela tb uma democracia. Se vc só considera uma ditadura qd há golpe e não quando o tirano entra pelo voto do eleitor, fica à vontade. Gosto qd sou convencido por bons argumentos pois me faz estudar mais, mas aqui não foi o caso. Me considero um anarquista há mais tempo do que conheço os ensinamentos dos autores que li nesse site, mas monarquia melhor que democracia? Eu não concordo.


Mas é claro que há democracia na Venezuela. E em excesso.

Ora, se por democracia entendemos 'o governo do povo', então o que constatamos é que realmente há diferentes intensidades de democracia ao redor do mundo. E um dos países em que a democracia é exercida no seu sentido mais pleno é a Venezuela. Aloizio Mercadante estava corretíssimo quando disse que "Na Venezuela, há democracia até em excesso". Claro! Lá, basta a pequena maioria demandar, e o governo faz. Confiscos de renda, expropriação de terra, congelamento de preços e censura. Tudo democraticamente exigido pela pequena maioria da população e prontamente acatado pelo governo. Elas mandam, o governo obedece. E a minoria se estrepa. Democracia em sua plenitude.

Quanto mais democracia, mais arbitrário o estado -- o que não quer dizer que na ditadura ocorra o oposto. Onde há estado, há arbitrariedade -- varia apenas o grau de explicitude com que a espoliação é feita.

Agora, respeito à integridade do indivíduo e a tudo aquilo que assegura a sua existência é algo que só acontece em um regime de respeito absoluto à propriedade privada.

E respeito à propriedade privada é algo absolutamente impossível de ocorrer onde quer que haja democracia, pois a democracia depende exclusivamente do assalto à propriedade privada para existir. É impossível existir democracia sem esbulho da propriedade privada.


taxa de manutenção de conta não existe, pelo menos não para pf
Quando trabalhei num banco é que descobri isso. Na verdade o que existe é pacotes de serviços para que o cliente possa fazer mais saques/extratos/transferências/DOC/TED/etc sem pagar por isso. (O mínimo que o bacen obriga os bancos a oferecerem é 4 saques, 2 extratos e duas transferências por mês sem tarifa).

Como a maioria das pessoas não sabem que o que estão adquirindo é um pacote de serviços, é muito fácil para o funcionário do banco falar para o cliente que existe essa "taxa". Como todo mundo ta acostumado, as pessoas aceitam.


estou pensando seriamente em comprar, parece excelente, mas a frase: "Com um czar russo, um kaiser alemão e um kaiser austríaco, teria sido quase impossível para os bolcheviques conquistar o poder na Rússia." me soa estranha. A alemanha do kaiser ajudou lenin a chegar na Rússia para se livrar da guerra de front duplo.



Com o acesso a informação mais disponível hoje em dia, literalmente na palma da mão, mesmo as classes menos abastadas conseguem entender que o Estado não consegue suprir a todos o tempo todo. Eles sabem que são seus impostos que bancam todos esses programas sociais e que se a demanda continuar crescendo é impossível sobreviver às custas do Estado. A guerra há tempos deixou de ser por hegemonia econômica (Economia planificada X Livre mercado), e passou a ser cultural. A única maneira da Esquerda se propagar no poder por mais tempo é se ela conseguir destruir nossa cultura fundada em bases judaico-cristãs. É o que está acontecendo na Europa hoje e tentou-se implantar na América do Norte com Obama e os Clintons. Como alguém disse por aqui, o brasileiro humilde, do interior ou da periferia, ainda é muito conservador nos seus costumes e tradições, dificilmente abriria mão disso. O problema está na Escola, no que andam propagando para nossos jovens. Aí se trava a maior guerra cultural de todos os tempos. Ou prestemos atenção naquilo que andam incutindo na cabeça de nossas crianças ou perderemos mais uma geração. Por isso louvo a iniciativa do Instituto Mises Brasil em querer doar cerca de 3.000 livros às escolas paulistas sobre noções de economia para crianças. Se os libertários não atacarem o mal pela raiz (na escola) a luta será longa e com possibilidade de confronto armado.


Mais uma vez esclareço: os conflitos atuais podem ter sido começados por democracias mas se você prestar atenção no que eu escrevi ao invés de se afobar, vai ler no meu comentário que eu não conheço um conflito ENTRE duas democracias. Sei que alguns conflitos foram iniciados por elas mas foram contra ditaduras ou monarquias. E após séculos de conflitos entre europeus, o período democrático na Europa foi o mais estabilizador que se tem notícia. Antes havia uma disputa pelo trono quase toda vez q um rei morria. Não sei da onde vc tirou q considero a Rússia uma ditadura pq não gosto do Putin mas pela sua lógica, vc deve considerar a Venezuela tb uma democracia. Se vc só considera uma ditadura qd há golpe e não quando o tirano entra pelo voto do eleitor, fica à vontade. Gosto qd sou convencido por bons argumentos pois me faz estudar mais, mas aqui não foi o caso. Me considero um anarquista há mais tempo do que conheço os ensinamentos dos autores que li nesse site, mas monarquia melhor que democracia? Eu não concordo.




"Se formos partir para as semelhança, teremos de chamar os governos militares que se instalaram na América latina de socialistas também."

Nossa, e o "doutor" aí só descobriu isso agora?

Sim, as políticas econômicas dos militares foram péssimas.

Eles foram os maiores estatizadores que este país já teve a infelicidade de conhecer. À exceção de um breve período no governo Castelo Branco -- quando de fato foram feitas algumas reformas --, nada se salva no regime militar.

Resumidamente, todo o período se resumiu a endividamento do governo em dólares para fazer obras faraônicas (ótimo negócio para as empreiteiras nacionais), inflacionismo da oferta monetária, e câmbio controlado para tentar mitigar os efeitos da inflação monetária sobre a carestia.

Como a inflação monetária era excessiva, o câmbio controlado passava por várias e sucessivas "desvalorizações controladas", as quais faziam a carestia explodir.

Porém, como havia o mecanismo da indexação (principalmente salarial) -- algo que o resto do mundo desconhecia --, a coisa foi sendo levada.

Geisel foi o pior de todos. Pior até do que Dilma. Ninguém expandiu mais o estado do que ele; ninguém criou mais estatais do que ele. Ninguém fechou a economia mais do que ele. Ninguém foi economicamente mais socialista do que ele.

Já no início da década de 1980, a economia brasileira estava sovieticamente fechada. Importar algo era praticamente proibido. Carestia nas nuvens, moeda sem nenhum poder de compra, e população proibida de comprar produtos estrangeiros. O exemplo mais explícito de reservas de mercado e de povo sendo tratado como gado.

Vale, adicionalmente, dizer que todas essas empreiteiras atuais cresceram justamente no período militar -- daí a afinidade com o governo petista, igualmente estatizante.

De resto, qualquer estudioso não-comprometido com ideologias sabe que há o socialismo de estilo soviético (bolchevista) e o socialismo de estilo alemão (nazista). Fixar preços é uma forma de ataque à propriedade privada, pois retira dos produtores as opções que eles teriam no livre mercado para aplicar seus recursos. Fixação de preços é um decreto estatal que, na prática, proíbe os proprietários de investirem seus recursos onde bem quiserem.

Os nazistas praticaram controle de preços, controle de salários e arregimentaram toda a produção. A propriedade dos meios de produção continuou em mãos privadas, mas era o governo quem decidia o que deveria ser produzido, em qual quantidade, por quais métodos, e a quem tais produtos seriam distribuídos, bem como quais preços seriam cobrados, quais salários seriam pagos, e quais dividendos ou outras rendas seria permitido ao proprietário privado nominal receber.

Isso é socialismo.

Abraços, e nunca se esqueça de continuar estudando. Sempre.


Infelizmente, se ele fizer isso e a máfia estatal o capturar, ele vai preso. E se ele resistir à prisão, pode ser assassinado pela máfia. No Brasil, nada é realmente seu; tudo pertence ao estado. Porém, mediante o pagamento de um arrego, a máfia estatal permite que você continue em posse daquele bem que você comprou com o suor do próprio rosto.

E você defende a (i)moralidade deste arranjo.


Ah, entendi. Taxista é tão especial, tão protegido e tão privilegiado, que eles recebem até mesmo isenção de lei! Todos os seres humanos normais são obrigados a transportar crianças em cadeirinha. Já taxista não. Eles são tão superdotados de habilidades (ou seria de privilégios?) que uma criança se torna repentinamente segura sob os auspícios deles!

Aliás, e se o carro da Uber estiver sendo dirigido por um taxista? Como se resolve esse paradoxo? Mais ainda: dado que os carros da Uber são muito mais modernos e seguros que os táxis convencionais, qual a lógica para a isenção dos taxistas senão um privilegismo?


Assim fica fácil, né? Só é democracia enquanto funciona e tudo vai bem; quando deixa de funcionar e tudo começa a desandar, aí deixa de ser democracia. Bem gostoso.

Aliás, por que a Rússia atual não é democracia? Qual a diferença de lá para o Brasil? Há eleições regulares, há oposição e tudo. Você diz que não é democracia simplesmente porque não gosta do Putin. E também porque a Rússia refuta seu argumento de que democracias não fazem guerras.

E enfatizo o que disse corretamente o Tiago acima: todos os grandes conflitos bélicos atuais foram iniciados por democracias. São os EUA quem invadem e saem mandando bomba em todo mundo (países, aliás, que nunca lhes agrediram; o que o Iraque e a Síria fizeram contra os EUA?). É a França quem sai mandando bomba. É a Rússia. É o Reino Unido. A Alemanha só não o faz porque foi desarmada pós-Segunda Guerra.


eu não quero mudar a opinião de ninguém, nem muito menos fazer qualquer contribuição. quero apenas ofende-lo, exercendo meu legítimo direito de defesa. vamos combinar uma coisa? eu não digo o que vc deve escrever, e vc retribui fazendo o mesmo. não fica legal assim?


Caro Mises.
Então circule com seu carro de preferência em Rodovias Federal sem pagamento do IPVA, quando for abordado, justifique que você ficou com aquilo que é seu. Não pague IPTU. Faça o eu digo, não faça o que eu faço.


Caro Mises.
Os Táxis tem autorização Federal para fazer transporte de crianças sem cadeirinha, tal como o escolar.
Em contra partida o mesmo é OBRIGADO, a oferecer seguro e ter curso de CAPACITAÇÃO.
Este é um dos ítens que compõe a tarifa.
Pode viajar tranquilo!


eu já avaliei bem de perto o tal do partido NOVO. não são sérios. fingem que são. o projeto deles é pra 30 anos. não sabem sequer definir o que é estado mínimo, mas defendem o estado mínimo. não têm nenhum plano pra reduzir o estado - como se isso fosse possível - mas dizem que vão reduzir o estado. ou seja, é mais um grupo de espertos que vai se locupletar usando as mesmas regras que fingem combater. considero uma total perda de tempo procurar soluções dentro da política. política é coisa pra gente desonesta, logo, quem é honesto costuma ficar bem longe dela.


Já não basta os funças levarem o dinheiro da sociedade agora podem nos presentear com uma ditadura.


Não custa destacar que o Brasil foi governado por um autêntico Habsburgo, o Imperador Pedro II, filho de Maria Leopoldina da Áustria (Carolina Leopoldina de Habsburgo-Lorena). Pedro II governou o Brasil por mais de 47 anos, na única monarquia das Américas, consolidando nosso território continental. Durante todo seu reinado, funcionou um ativo Parlamento, com ampla liberdade de imprensa. Pedro II possuía profunda erudição, falava vários idiomas, e foi benemérito e membro de várias sociedades científicas na Europa e Estados Unidos.
Com a proclamação da República, o Brasil mergulhou em crises políticas sucessivas, com períodos democráticos entremeadas pela ditadura do Estado Novo e o Regime Militar de 1964.


Concordo totalmente com o articulista. Sugiro de tal esclarecimento seja levado, de forma a mais compreensivel possivel, para que as pessoas possam fazer as devidas comparações e não sejam mais enganadas pelo bla-blá-blá do petralhas e outros esquerdistas privilegiados.Falei!!!


Amigo, é o Seguinte, sim a prostituta é tão digna como o padeiro, pois o padeiro peca também... A questão não é apedrejar a prostituta, é só como cristão, o individuo não ir lá e usar o serviço dela! E no ponto das drogas. Já vende legalmente álcool e cigarro. Se vender maconha, plantada da fazenda de alguém, sem imposto. Eu não compro, mas não vejo mal algum (Aaaaa mais o maconheiro vai roubar a mãe e comprar maconha no mercado formal, sim o alcolatra também vai fazer/já faz o mesmo com a bebida.)

Sou Cristão, descobri a escola austríaca e desejo graça e paz pra todos aqui.


Como o que falei não foi compreendido, vou ter que deixar mais claro.1) O livro original do Hoppe fala que a guerra teria acabado em fim de 1916/início de 1917. 2) A história do apoio alemão a Lenin pode não fazer sentido a você mas infelizmente foi o que aconteceu. Acho que até saiu na Veja recentemente mas não me baseei por aí. 3) Hitler e Mussolini chegaram ao poder democraticamente porém não eram democracias quando começaram a guerra. Assim como a Rússia de hoje, que anexa territórios, não é.



Sou doutor em História Econômica pela USP, mestre em teoria econômica pela PUC/SP e EDD em Economia Internacional pela Columbia University (NY). Não posso concordar com o argumento de que o nazismo e o socialismo tenham as mesmas raízes simplesmente porque tem socialista no nome. O nazismo tinha por base a superioridade da raça ariana e isso se devia ao ocultismo muito em voga no início dos anos 1920. O nazismo veio como rejeição ao comunismo que, por causa da I Guerra, era real ameaça à propriedade privada e via dois grupos como culpados de todos os males que assolavam a Alemanha, os comunistas e os judeus. Os primeiros porque eram contra a propriedade privada, os segundos porque dominavam as finanças. O nazismo baseava-se em que a raça ariana, para atingir a plenitude de sua superioridade precisava do espaço vital que, segundo Mein Kampf, equivalia a aproximadamente 5.000.000 km² com terras de clima frio e fértil. Sim, houve controle de preços mas isso também existiu nos governos militares no Brasil, alcançando até cigarros, cerveja e outros itens de grande consumo, e, nem por isso, poderia ser chamado de socialista. Da mesma forma, tivemos o 1º PND (Plano Nacional de Desenvolvimento) implantado por Roberto campos e Octávio Golvea de Bulhões, ditando as diretrizes para a produção, investimento e distribuição de renda e nenhum dos dois era socialista. O 2º PND, de 1974, instituído no fim da gestão de Delfim Neto, foi ainda mais restritivo nos investimento e também não se pode chamar de socialista. O nazismo dependia fortemente do apoio de empresas como Daimler-Benz, BMW, Krup, Telefunken Siemens entre muitas outras que ganharam verdadeiras fortunas com a corrida armamentista. Hitler e seus ministros, assim como os economistas brasileiros citados, eram grandes admiradores de Keynes e foi seu modelo que reativou a economia alemã. O nazismo cria que o consumo privado era o grande gerador de empregos e foram desenvolvidos bens duráveis acessíveis ao povo como o Mercedes 170V e o Volkswagen, numa pura aplicação do modelo keynesiano. Da mesma forma, nosso governo militar apostou no consumo popular com VW Pé-de-Boi, Sinca alvorada, Gordine teimoso e DKW Pracinha para ampliar o mercado sem grande investimento. Se pensarmos bem, até Roosivelt aplicou o mesmo modelo no New Dial. Era a ideia de "abrir buracos de manhã para tapá-los à tarde" para dar empregos e fazer a economia girar. Aí, Roosivelt foi até mais parecido com Stalin do que Hitler porque o ditador soviético apostou nos investimentos em infraestrutura a ponto de ter construído o maior anel ferroviário do mundo e ter coberto o maior território do mundo com estradas de ferro. Se formos partir para as semelhança, teremos de chamar os governos militares que se instalaram na América latina de socialistas também. O socialismo é um estágio antes do comunismo porque é a ditadura do proletariado. O comunismo é anárquico por definição. O socialismo prima pelo repúdio à propriedade privada dos meios de produção. Não se aceita a propriedade privada e o primeiro passo para sua implantação é a expropriação em regra. Assim, os dois, exceto a palavra socialista no nome, são verdadeiramente antagônicos.


Então, pedi Uber e não tinha cadeirinha. Minha esposa, claro, não levou meu filho. Daí ela ligou pra uma central de taxi e pediu um taxi com cadeirinha. Nem um mísero táxi também tinha. E aí, sr. preocupado?