Últimos comentários


Leandro, você pode fazer um artigo explicando como o Minha Casa Minha Vida elevou o preço dos imóveis no Brasil?

Abraço.


Pô, esse "doutor" praticamente xerocou seu artigo hein?! Nem pra mudar umas palavrinhas o gajo se deu ao trabalho. Não custava NADA uma citação no final dos parágrafos. Ou uma nota de rodapé que fosse no fim das páginas. O cara não citou nem o site nas referências. E ainda copiou até partes como "no prédio em que moro"! (Pelo menos teve a atenção de trocar o nome da cidade...)

Esse é o nosso verdadeiro ambiente acadêmico. E tudo com o nosso dinheiro.


"Como fica o direito de imagem? Você acharia legal alguém tirar uma foto sua e divulgar por ai sem permissão?"

Você vai cair de costas com essa revelação que vou fazer, mas você recorrentemente aparece em fotos e selfies tiradas por outras pessoas. E essas fotos giram por aí.

E então, o que você pretende fazer?

Aliás, artistas e famosos frequentemente são fotografados andando em praias ou em encontro amorosos. O que fazer?

Eu tenho uma resposta. Você está falando de um ambiente ancap, certo? Então, o "problema" está resolvido: propriedade privada. É o proprietário do ambiente quem decide se pode ou não haver fotografias naquele estabelecimento, seja ele um restaurante ou uma praia.

Situações como essa -- fotos indesejadas -- só existem devido à ausência de direitos de propriedade. Estradas, parques e outras áreas são disponibilizados a todos pelo estado e, ao fazer isso, ele tem que tentar acomodar o maior número possível de grupos, mesmo quando um determinado grupo quer que um outro simplesmente desapareça. Um grupo vai choramingar proteção contra o enxame de lentes fotográficas que o persegue, enquanto o outro grupo vai alegar que tem a liberdade de ir e vir e o direito de fotografar qualquer um que esteja em propriedade pública.

É de se perguntar: por que não existem paparazzi dentro das casas das pessoas? Ora, porque eles não foram convidados. Onde existe propriedade privada, existe ordem. E essa ordem é determinada da maneira desejada pelo proprietário.

Quando a terra e outros espaços são socializados de tal forma que qualquer um tenha acesso ilimitado e sem custo (ou a um custo muito baixo), então podemos esperar o caos — as pessoas vão querer usar os espaços o máximo possível, e conflitos envolvendo regras de uso serão praticamente inevitáveis.



"queria ver se alguém copiasse esses artigos e não desse nenhum crédito."

Podem fazer isso à vontade.

Aliás, isso já aconteceu comigo. Um doutor da Universidade do Paraná, chamado Luciano Luiz Manarin D'Agostin (que, inclusive, era presença bastante assídua na imprena), copiou trechos inteiros deste meu artigo neste seu trabalho. Veja a partir da página 41; a cópia descarada começa na página 47.

O que eu fiz? Poderia tê-lo processado, desmoralizado sua carreira e ainda ter ganhado um belo dinheiro. Mas não fiz nada disso. Ainda sou daqueles que prefere ver o plágio como a mais alta forma de elogio.


Pergunta sobre ANCAP:


Como fica o direito de imagem? Você acharia legal alguém tirar uma foto sua e divulgar por ai sem permissão?
Se tirarem uma foto minha no banheiro do aeroporto, quem vai punir o cara que tirou a foto?

Vocês não acreditam em direito e imagem ou PI, queria ver se alguém copiasse esses artigos e não desse nenhum crédito.
Queria ver se alguém usa sua imagem se vocês iam gostar...


PARA OS ANCAPS!

Respondam na boa




Realmente. É muito bom ser parasita do Estado, principalmente no Bostil.

economia.estadao.com.br/noticias/geral,temer-exclui-servidores-estaduais-e-municipais-da-reforma-da-previdencia,70001708755


Resposta continua adequada

"mas creio que não se deveria dar mais crédito a um órgão público do que a outro" que você considera é bem mais que zero, matemática básica também não faz mal a ninguém, abraço e tenha um bom dia na repartição.




O artigo esqueceu de falar o que mais cativou Ray Krock, e não foi o lanche barato e rápido, mas sim o nome Mcdonald ( O próprio Ray é quem diz isso). Aliás, gostaria de ver um dia o Mises tratando sobre como o nome de um produto pode ser o segredo para o seu sucesso, exemplos não faltam: Whatsapp, Google, Facebook..


Paloma, já ouviu falar de youtube?

Algumas pessoas no youtube se dispõem a testar certos tipos de produtos para alertar ao consumidor sobre a compra. Além do youtube, há também laboratórios independentes que fazem esses testes e divulgam resultados, sem interferência do estado. Me desculpe, mas sua opinião mostra que, ou você não leu o texto, ou leu sem absorver o que estava escrito.

Destaco também a seguinte frase:

O mercado também forçaria os consumidores a agir de acordo com suas próprias avaliações de risco — em vez de confiar essa tarefa ao governo.

Agora me responda: se a pessoa que vai tomar o medicamento, que é a mais interessada, não se interessa em pesquisar sobre ele, por que essa pessoa acha sensato confiar nos órgãos reguladores do governo, que vira e mexe, estão metidos em esquemas de corrupção?



Andre, leitura e interpretação de texto não fazem mal a ninguém, não faça juízo de valor a priori do que você não entende ou meramente supõe ter entendido. Não projete nos outros seus próprios pré conceitos nem sua visão distorcida de mundo, portanto se alguém aqui é estatólatra, não sou eu. Estou a afirmar peremptoriamente que nenhum membro do estado, seja PF, Juízes, MP, políticos, etc, merecem receber qualquer credito diferenciado (de zero, por obvio, mas preciso desenhar), pois são todos membros do mesmo estado e portanto não me parece correto dar um viés de elogio ao MP e PF por tocarem suas próprias agendas, mesmo que em algum momento façam a coisa certa pelos motivos errados. O que não é o caso dessa investigação ridícula da "carne é fraca". Agora, é duro ter que fazer três postagens para explicar a um semi analfabeto o que está cristalino no texto inicial e ainda assim, muito provavelmente não vai conseguir entender.


Peço licença novamente ao editor do IMB para divulgar dois excelentes artigos que traduzi.

Eles abordam as falácias e os equívocos sobre a probreza.

tradutorliberal.wordpress.com/2017/03/21/desigualdade-nao-e-o-mesmo-que-pobreza/

tradutorliberal.wordpress.com/2017/03/21/cinco-graficos-que-mudarao-sua-opiniao-sobre-a-pobreza/

Espero ter contribuído mais uma vez para a divulgação da verdade e dos princípios da liberdade.

Saudações.


Caro Thomas, agradeco pelos seus comentarios!
Muito pertinentes suas observacoes.
Acrescento, porem, que ainda nao vejo um horizonte viavel de como podemos resolver, ou pelo menos, pulverizar estas gigantescas empresas. Principalmente, depois da crise de 2008, que o governo dos EUA teve que salvar com toneladas de dinheiro o setor financeiro (Bank of America e JP Morgan), e agora ficou refem deles proprios.

Abs


Deixa ver se eu entendi.

Na primeira frase vc diz que deve haver controle para que as pessoas não sejam enganadas.

Na segunda frase vc diz que não deve haver controle por que as pessoas não se importam em ser enganadas, elas só querem uma última esperança.

É isso mesmo?


O mCdonalds é o primeiro lugar no mercado de fast foods, mas diria que está longe de ter um dominio completo.

McDonalds 19%;
Subway: 10%;
A Yum! brands: 9% (tacobell, KFC e pizzahut);



Eu acho curioso como o quanto as pessoas sempre citam o mc donalds como fonte de obesidade, estou a 1 ano jantando e almoçando no mc donalds (5 dias por semana) e mal engordo 2 kg.

E eu achando que essa era a melhor dieta para engordar.


Isso que o McDonalds aqui é caro. Nos EUA, McDonalds, KFC, Johnny Rockets e etc é trash food.


Não seu energúmeno,o Mc Donald´s não precisa eliminar concorrentes e nem ser engolido pela concorrência,basta tão somente ela continuar agradando o consumidor e assim ela continuará seu reinado em paz,ou seja ela só será desbancada do pedestal das lanchonetes e restaurantes fast-food no dia em que aparecer outra rede que agrade tão ou mais o consumidor,pois esta é a diferença entre monopólio bom e monopólio ruim...Enfim é a soberania do consumidor e\ou soberania do indivíduo em ação...


Vicente, a pergunta apressada que fiz (para variar), na verdade eu já tinha a resposta, mas tenho o péssimo costume de indagar escrevendo. Parece intencional, mas não é.

Desculpe, mas você foi mais apressado que minha pergunta rs, mas antes de responder a mim mesmo, vou "colocar na mesa" duas colocações bem interessantes.

1- Empresas que obtém sucesso a longo prazo são a prova de seu modelo de negócio, do McDonald's a Alphabet.

2- Empresas não "se dão ao luxo" de nada, empresas vivem para dar lucro. Quem gosta de "se dar ao luxo" são pessoas, e no caso de grandes empresas podemos responsabilizar qualquer movimento de gastos sem fundamento aos nobres executivos, muitas vezes pouco comprometidos com resultados.

Agora pare por 10 segundos e raciocine os dois postulados que acabei de citar. Pronto? Vamos em frente.

Ao passo que o McDonald's cresceu totalmente baseado em produtos populares e custos baixos, qualquer estratégia de infiltração em áreas nobres COM A MESMA LINHA DE PRODUTOS é contraproducente, por vários motivos. Vou citar apenas três.

- O mais importante: marca segmentada na base tem uma curva de ascensão muito longa, e na maioria das vezes não compensa o investimento da loja piloto, pois a cada período de 24 meses o prazo de retorno se alonga mais, devido ao fato bem citado no artigo, que é o aumento dos aluguéis.

- A demanda estimada (essa infame) que esta marca popular almeja em extrato superior é normalmente superestimada, pois os brilhantes analistas de market share compilam os dados baseados primeiramente na renda per capita daquele quadrante, e não os gostos implícitos daquele tipo de consumidor.

- Há um risco implícito em mover importantes recursos para atrair consumidores premium no futuro: a demanda presente pode considerar esse movimento como se aquela marca tivesse fornecido a base apenas para chegar ao topo, o que é uma bobagem para muitos mercados.

Minha conclusão é sempre conservadora sobre o assunto: modelo de negócios que dá lucro não muda até esgotar, tem de se espremer a última gota. Este não é o caso do McDonald's, que embora encontre um concorrente novo por dia, tem em seu benefício a tradição e a confiança em seus produtos, logo vai levar boas décadas para perder o glamour popular conquistado a duras penas. É sempre mais prudente lançar uma marca paralela, já nascida dentro do novo segmento, com uma proposta alinhada ao consumidor premium. Aí sim há muitos motivos para dar certo.

Exemplos de empresas que quebraram ao tentar mudar seu plano de negócios posso citar aos milhares. Já o contrário eu tenho que pensar bastante, pois não me vem nenhum case de sucesso de pronto.

Abraços,


"A quase secular Boeing detém muito o mercado aeronáutico por muito tempo"

Sim, pois é subsidiada pelo Eximbank, um banco estatal cuja função é conceder empréstimos para quem for importar produtos americanos (na prática, o banco serve para garantir as exportações da Boeing).

O governo americano, com o dinheiro de impostos, garante a reserva de mercado da Boeing.

"a General Motors"

Socorrida pelo governo americano em 2008-2009. Não fosse isso, já estaria quebrada, pois o consumidor americano deixou claro que não mais queria comprar seus produtos.

"a antiga Chrysler que agora é Fiat-Chrysler. Esta última demonstra de fato que a ideia de livre mercado onde grandes empresas morrem não funciona."

Oi?! Você próprio acabou de dar um exemplo de uma empresa falida (Chrysler) que só segue existindo porque foi comprada por outra (Fiat) que recebe grandes subsídios do governo italiano.

Isso é livre mercado onde?

"Sem falar na Volkswagem que comprou a BMW. As grandes fusões que tornam cada vez maiores as empresas."

Fusão de empresas é perfeitamente normal. Empresas em dificuldades são compradas por empresas melhores e mais bem capitalizadas. Não há nada de errado nem de anti-mercado nisso. O problema, aí sim, é quando a fusão é bancada com dinheiro de impostos, como faz o BNDES.

"Até mesmo as norte-americanas, onde a ideal de livre mercado impera vemos isso."

Isso foi zoeira, né?


O site poderia trazer mais histórias assim de empreendedorismo, também gosto de Michael Dell e do Sam Walton, grandes visionários.



Eu admito: Estava com saudade de ler os comentários do Capital Imoral. Muito obrigado por mais essa "proeza" Capital Imoral.


Dificilmente no Brasil quem paga todos os impostos e encargos trabalhistas consegue vender comida por menos de R$ 12,00 sem tirar a diferença em outro. Um trivial arroz, feijão, bife, salada deve estar hoje em torno de R$ 6,00 de material e energia. Soma ai os impostos, encargos, local, móveis, energia passiva e desperdício.
Eu admiro especialmente o Girafas que entrou sozinho no mercado de pratos feitos nos shoppings (quem poderia acreditar?) a preços baixos e hoje tem diversos concorrentes iguais.
O Habbib's também inovou começando com aquela esfiha de carne (soja) barata com produção centralizada a preços convidativos, mas hoje depois da crise percebo que o recheio baixou seu peso por esfiha.
As pizzarias sofrem com o preço da mussarela e o aluguel do local.
O MCDonald's inovou na área e ensinou muita gente, porém nós temos uma ótima praça de alimentação nos shoppings com uma variedade gastronômica enorme (e como eu me arrependi de comprar aquele shushi vagabundo!)

O vendedor de cachorro-quente não vale. Ele não paga impostos nem encargos trabalhistas. Só o material e a energia.


www.mises.org.br/Article.aspx?id=2089

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2216

Há outros, se dê ao exercício mental de pesquisar.


Muito bom artigo, com argumentações muito boas e sólidas.

Aproveitando o assunto: gostaria de saber, como desfaz as grandes corporações que continuam há muito tempo no mercado e acabam por por em cheque a idéia de que grandes empresas não se sustentam. Até mesmo as norte-americanas, onde a ideal de livre mercado impera vemos isso. A quase secular Boeing detém muito o mercado aeronáutico por muito tempo, a General Motors, a antiga Chrysler que agora é Fiat-Chrysler. Esta última demonstra de fato que a ideia de livre mercado onde grandes empresas morrem não funciona. Sem falar na Volkswagem que comprou a BMW. As grandes fusões que tornam cada vez maiores as empresas. A Basf que comprou a Monsanto.

A pergunta é: como desfazer? E porque elas prosperam?



"Há outros países na região que se organizaram na década de 90 e estão crescendo hoje a despeito de todas as perspectivas ruins da economia global e dos grandes players da América do Sul viverem recessões cavalares."

Que países seriam esses?


Eis o ranking dos 10 países com a melhor saúde (segundo sei lá quais critérios):

https://www.numbeo.com/health-care/rankings_by_country.jsp

Nenhum deles tem saúde estatal nos moldes do SUS. Em todos eles a população é obrigada a comprar seguro de saúde.

Veja como é, por exemplo, na Coréia do Sul:

https://www.angloinfo.com/how-to/south-korea/healthcare

Desnecessário dizer também que todos estes países possuem também sistemas de saúde privado em paralelo ao sistema "público", de modo que é difícil separar se estão bem no ranking por causa do sistema "público" (que de estatal não tem muito) ou apesar dele.

Veja, por exemplo, a diferença entre o sistema Alemão (10º lugar, e sistema misto) e o canadense (31º lugar, e puramente estatal).

As diferenças entre os serviços de saúde da Alemanha e do Canadá


Mas se eu quiser vender merda, e alguém estiver disposto a comprar?

Ninguém é obrigado, ao contrário do governo que me obriga poupar, pagar previdência, pagar seguro, pagar convênio, comprar determinados produtos....




Mas a que vocês atribuem o fato de as melhores posições no rankings de sistema de saúde serem dr saúde pública?



Super Size Me?! Aquele é, sem dúvidas, o "documentário" mais imbecil é desonesto que eu já vi (e eu olhe que eu não como McDonald's).

O sujeito come, de uma só vez, cinco Big Macs, vomita e diz: "Viu só? McDonald's faz mal!".

Duh! Faça o mesmo com picanha, pizza ou comida japonesa e o resultado será idêntico. Aliás, carai, beba 3 litros de água de uma só vez e você vai morrer (uma vez eu bebi 1,5 litro de uma vez só e passei um mal que nunca havia passado antes na vida).

Aliás, o sujeito é tão desonesto que todas as refeições dele são acompanhadas de refrigerante. Este, sim, é o grande destruidor da saúde. E a prova disso foi feita por um famoso nutricionista chamado Tom Naughton: ele seguiu a mesma dieta de Morgan Spurlock (o bobão do documentário), mas bebia água e chá em vez de 4 litros de refrigerante por dia.

Perdeu peso.

Leia tudo aqui:

en.wikipedia.org/wiki/Fat_Head

Comparado a Morgan Spurlock, Michael Moore é um poço de honestidade.


Mc Donalds pode não servir a comida mais saudável e balanceada do mundo, mas sem dúvidas o que é notoriamente prejudicial à saúde é o cardápio servido pelo socialismo do séc. XXI:
Pombos, gatos, cachorros, flamingos, cavalos, sobras de lixo e burros (deixando claro que se trata do burro animal e não aqueles que defendem socialismo).

Pelo menos eu posso escolher não ir comer no Mc Donalds (e não vou mesmo), já os venezuelanos não têm muita escolha.


Show de bola! Mais uma vez os redatores, trazendo histórias excelentes que ilustram bem aquilo que o mito Mises falava.


Não havia conferido antes. Erro meu. Ainda assim, não há artigo algum dele sobre a previdência, especialmente o mais recente, que já comentei os pontos positivos no meu comentário anterior.


Interessante esse artigo em um momento que a prefeitura de SP em colaboração com essa rede, opções de empregabilidade em vez de distribuir bolsa-esmola ou bolsa-votos.


Não conta mto pq foi bem selecionado e ele ainda praticou exercícios. Oq pra mim conta mais e considero atual até hj é o documentário Super Size Me.



Concordo com tudo que você falou, mas vale ressaltar que a grande crítica ao McDonald's sempre foi a de que ele "criava uma nação de gordos".

Isso é completamente calunioso (para não dizer ignorante), dado que, se você comer apenas sanduíches e tirar o pão, não tem absolutamente nada ali que lhe engorde.

Agora, é claro que se você ficar tomando milkshake todo dia você vai ficar obeso. Mas milkshake não é exclusividade do McDonald's. Qualquer lanchonete tem. Assim como batata frita. E assim como o pão dos sanduíches (qualquer padaria tem).


Adicionalmente, vale lembrar que, ao menos no Brasil, o McDonald's surgiu como restaurante de elite (ao contrário dos EUA). Por isso, aqui sempre foi comum ver restaurantes da rede em pontos mais nobres.

Verdade, um Sanduíche por aqui custa no mínimo 18 reais por ai, caro para os padrões brasileiros. Nos Eua em alguns Estados, o valor é de 1,5 á 5 dólares, considerando que o poder de comprar dos americanos é maior, aumentando nossa desvantagem. Mas porque são caros aqui? por conta dos impostos sobre consumo é claro, e dos demais tributos que o corajoso cego da rede paga. Tem que ser antes demais nd, muito corajoso pra empreender aqui.


Exatamente o contrário. Não há e nem nunca houve monopólios no livre mercado. E isso não é teoria, é empiria pura. Pode conferir os principais exemplos práticos nos dois artigos abaixo -- inclusive Rockefeller e Vanderbilt, que, sozinhos, derrubaram incrivelmente os preços de seus próprios produtos e aumentaram a qualidade (também quero ser vítima de um "monopólio assim")

Monopólio e livre mercado - uma antítese

O mito do monopólio natural



emagrecer e engordar está relacionado a gasto calórico, se você gasta 2 mil calorias por dia e só come 1,5 mil calorias você vai emagrecer, não importa se as 1,5 calorias são hamburguers ou verduras. E se você comer 2,5 mil calorias você vai engordar, não importam os alimentos.

emagrecer e engordar não é exatamente um argumento sobre o fato do alimento ser saudável ou não.

Mas o fato das pessoas se preocuparem com o fato da comida ser saudável ou não já é uma conquista da nossa civilização, porque um século atras (ou hoje, nos lugares socialistas como África/Venezuela) as pessoas estavam preocupadas em não morrer de desnutrição.


Eu que não sou da área de informática, fico estupefato do quão dinâmico e concorrencial que é o mercado de tecnologia da informação. Todo ano tem novidade. É claro que um ladrão sanguessuga de algum cargo estatal deve estar pensando nesse momento em como meter a mão.


Casos isolados não provam que engorda nem que emagrece, seria necessário um experimento mais rigoroso, com vários voluntários e um grupo de controle.

Ou então apresentar a quantidade de vitaminas, carboidratos, gorduras em um lanche padrão do McDonalds e comparar com as doses diárias recomendadas.


O Chile de 1973 estava no chão, desabastecido e a beira da guerra civil, não havia outra saída que não fosse pelo livre mercado, até um chimpanzé faria algo semelhante. O único presidente não esquerdista do Chile desde 1990 foi Sebastián Piñera em 2010, a constituição "liberal" chilena de 1980 está tão solapada que mal se reconhece o texto original.
Há outros países na região que se organizaram na década de 90 e estão crescendo hoje a despeito de todas as perspectivas ruins da economia global e dos grandes players da América do Sul viverem recessões cavalares.


E daí? As pessoas não são obrigadas a comerem. Quando eu vou ao McDonald's, eu não quero comer comida saudável. Que ideia maluca. Se quiser ser saudável, não vá lá. Qual o problema numa empresa vender algo que não siga essa cartilha? Nós somos responsáveis por nós mesmos.


Boa Tarde.

A pouco tempo comecei a ter contato com a Escola Austriaca de Economia, pois comecei a operar em bolsa e resolvi expandir meus conhecimentos. Tenho uma dúvida: não foram mercados pouco regulados que permitirão o surgimento de grandes monopólios como os de Rockefeller, Carnegie e Vanderbilts nos EUA? Um mercado totalmente livre não resultaria em empresas deste nível? Ainda mais no Brasil com sua acentuada desigualdade.


E você, como gênio que é em se tratando de preço de ações, irá comprar o que puder dessas ações, certo? Esse papo não cola aqui. "Jênios" como você houve vários dizendo que a vale foi vendida a preço de banana. É muito fácil achar que o passado era previsível. Porém, hoje não há como garantir que as ações dessas empresas irão subir ao ponto de valer o investimento. As consequências que consigo ver disso são típicas do estatismo/protecionismo: primeiro as exportações vão baixar. Os brasileiros que puderem vão importar carne. O governo vai aumentar as taxas de importação de carne e ainda irá subsidiar as empresas envolvidas com o velho argumento de proteger os trabalhadores do setor.


Sim, li, a resposta está adequada.

"mas creio que não se deveria dar mais crédito a um órgão público do que a outro"

O exato crédito a ser dado é zero, seu estatista enrustido.


Você pode pedir um bom arroz feijão no mc se preferir:

g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2014/05/sem-divulgar-mcdonalds-vende-arroz-e-feijao-no-brasil.html


Os preços dos sanduíches poderiam ser ainda menores, se não fosse a legislação trabalhista, e os impostos.


Pelo artigo vê-se quanto é difícil ser um empreendedor. É uma mistura de coragem, determinação, inteligência, inovação, visão futura, coordenação de etapas (logística) além disso capacidade de assumir riscos. Os socialistas pregam uma sociedade estática sem risco sem inovação são os maiores promotores da miséruia . O capitalismo será o fim da história , se soubermos lutar contra a nova ordem esquerdista internacional. O capitalismo retirou a espécie humana da miséria, devemos lutar pela sua implantação. Viva o capitalismo.


Em adição à isso, pode-se especular que o próprio fato de se ter aberto uma lanchonete naquele local fez a vizinhança se valorizar.


Embora eu não mais seja entusiasta da comida, a honestidade me força a contar este caso: na época em que eu ainda era estudante de engenharia mecânica, morei 9 meses em Detroit. Com o dinheiro curto, minha alimentação era formada majoritariamente por McDonald's, comendo em média duas vezes por dia nas lanchonetes da rede.

Emagreci 6 quilos.


Tem certeza?

Homem perde 17 quilos comendo só McDonald's por 3 meses

"No final dos 90 dias de experiência, Cisna não apenas emagreceu quase 17 quilos como também conseguiu baixar seus níveis de colesterol de 249 para 170 mg/dl. Já o nível de LDL, o colesterol considerado mau, baixou de 173 para 113 mg/dl, com a dieta."


2) Qual exatamente é o espanto? Primeiro a empresa começou do nada (e, para isso, tinha de começar em locais baratos). Depois que ela cresceu, acumulou capital e se tornou uma marca bilionária, aí ela pôde se dar ao luxo de se estabelecer em locais mais chiques.

Nada de estranho aí. Estranho seria se o caminho fosse inverso.

Adicionalmente, vale lembrar que, ao menos no Brasil, o McDonald's surgiu como restaurante de elite (ao contrário dos EUA). Por isso, aqui sempre foi comum ver restaurantes da rede em pontos mais nobres.


A verdade é que na América Latrina o único Ditador que fez a coisa certa foi o Pinochet. Tão certa que nenhum governo posterior - a maioria de esquerda - ousou mudar a obra de Pinochet, que aliás levou o Chile a ser considerado a melhor economia do Continente. Todavia, na última eleição Michele Bachelet, tendo se aliado aos comunistas para se eleger, alterou por exemplo a legislação que assegurava aos estudantes chilenos estudar em qualquer Escola particular, paga pelo Estado. A aliança com os comunistas levou Bachelet a suprimir tal condição.


Maravilhoso artigo, só um ponto a acrescentar, e depois uma dúvida.

1- O crescimento exponencial da rede em áreas de baixo custo e demanda crescente se deu por uma peculiaridade americana que são suas quase incontáveis rodovias estaduais e federais, onde trafegam milhões de veículos todos os dias. Esse modelo foi replicado a exaustão por muitas redes de sucesso, inclusive pela brasileira Havan.

2- Agora a dúvida: por quê a rede não manteve sua filosofia e está implantada em shoppings caros e pagando aluguéis altíssimos? Só por presença de marca?


Pelo menos no Brasil, as lanchonetes McDonald's não ficam em pontos e esquinas valiosos?

Gostaria que fossem feitas críticas ao tipo de comida servida nessas redes de fast food, notoriamente prejudiciais à saúde. É por demanda do mercado? Custa menos?


Abraços.


Leandro, como você é o editor do IMB, eu tenho uma pergunta.

Você pretende algum dia traduzir os textos do Dan Mitchell, do Cato Institute?

Eu entendo como o IMB não endorsaria todas as suas posições, pois ele pende mais para o utilitarismo, e é um grande defensor de menores impostos (não sua abolição) e de um sistema previdenciário de "Defined contributions" (não sei o equivalente em português), e não a sua privatização completa. Mas, ainda assim, as suas críticas ao modelo atual são bastante relevantes, especialmente agora que está muito em voga o debate da reforma da previdência brasileira.

Seu último artigo, por exemplo, ao analisar algumas sugestões do FMI de reformas para previdências estatais, expõe de uma forma bem simples e clara como transições demográficas tornam a necessidade de reformas inerentes a este modelo, e como estas reformas se baseiam apenas em mais tempo trabalhando, e menos tempo recebendo benefícios. Exatamente o sentimento que o povo brasileiro vem sentido neste momento, e ele a descreve sendo que conhece a situação brasileira apenas superficialmente.

Enfim, há alguma esperança de tradução de algum de seus artigos sobre seguridade social por parte do IMB?

Abraço.


O Mac está tão popularizado aqui no Brasil que minha doméstica confidenciou que adora comer lá e vai pelo menos uma vez por semana.

Foi-se o tempo em que comer lá era programa da classe média alta. Isso ficou no passado. Hoje o sanduíche do Mac tem um preço semelhante aos que são servidos naquelas pastelarias de chineses do centro da cidade. Mais uma prova da enorme competência dessa empresa.


A rede McDonald's quando se instalou no Brasil permitiu que muitas pessoas ascendessem socialmente por seu trabalho. Um funcionário contratado começava lavando o banheiro e posteriormente assumia outros postos; era uma grande escola e uma prova de que são os investimentos que geram o crescimento.


Vejam essa reportagem do Esporte Espetacular: A Fonte Secou

98% do dinheiro que abasteceu o esporte olímpico veio da mesma fonte: Governo Federal, e um ralo chamado MÁ GESTÃO.




Andre, você realmente leu e entendeu o que postei? Me parece que não.

"Lamento quebrar seus sonhos, mas, ao contrário do que os defensores do estado estão desesperadamente tentando ressaltar (a eles só restou isso), não foi nem a PF e nem o Ministério Público (estes dois órgãos sacrossantos) que descobriram o esquema. "

De onde você tirou isso? Estou dizendo o exato oposto. Estou dizendo que a PF, MP etc., por serem parte do estado, estão sujeitos aos mesmos incentivos, logo são tão pouco confiáveis quanto qualquer outro ente estatal.


Vale também um adendo: como um concorrente de excelência, a McDonald's não só não destruiu as redes locais de lanchonete, como ainda as ensinou a se tornarem melhores. E o governo não teve nada a ver com isso.


Não existe Santo nem herói na polícia e no funcionalismo público. Deveriam investigar por que a PF demorou tanto para ter atitude de polícia.


Na verdade, a 'inflação' seria o aumento da oferta monetária (que é o dinheiro que está efetivamente na economia) e não o aumento da base monetária (cuja grande fatia é composta pelas "reservas bancárias", que é um dinheiro que não está na economia).

Dito isso, não: nenhuma outra escola de pensamento econômico utiliza essa definição.. Todas as outras escolas de pensamento econômico consideram que inflação é o "aumento dos preços" -- o que significa que, se inflação é aumento de preços, então a cura para a inflação seria congelar preços.

Por outro lado, quando se entende que inflação é aumento da oferta monetária, e que aumentos de preços decorrem do aumento da oferta monetária (inflação), então você tem toda uma nova perspectiva: aumento de preços não é inflação, mas sim uma consequência da inflação (aumento da oferta monetária).

Logo, para reduzir o ritmo do aumento de preços você tem de reduzir o ritmo do aumento da oferta monetária. Esta, sim, é a política correta.


somos criados pelo estado ("a criança é primeiro do estado depois de seus pais", acho que foi tio Mussolini) então é natural que nossa crença de que o estado seja o mantenedor da ordem seja absoluta.
naturalmente a lei é força, pois sem o uso da força não há como a lei ser imposta. porem o que não nos é ensinado é que a lei (força) só deve ser utilizada para defesa (pois a lei é força) e não para coerção ou meio de se alcançar um ideal (politico, econômico ou filosófico).
Todos nossos direitos são originários dos direitos naturais. o que são direitos naturais? são direitos que nascerem juntos com a consciência humana, como: auto propriedade, propriedade privada, vida, busca de felicidade. eis ai todos os direitos que você possui, exista estado ou não.
Todo e qualquer libertário de raiz defende esses direitos a todos os seres humanos, sem nenhuma exceção. A unica regra (sim, na anarquia ha regras kk) que organiza o jogo é o principio da não agressão. você pode tudo desde que não agrida ninguém e nem viole suas propriedades.
espero ter ajudado de alguma forma a compreender que o estado é eticamente inaceitável pois para que ele existe ele precisa, necessariamente, agredir e roubar os indivíduos, assim violando o pacto de não agressão.
se me permite uma sugestão, leia o livro "A Lei" Frédéric Bastiat. o livro é curto e de fácil compreensão, ajudando assim a esclarecer muito sobre o estado.


E nós precisamos de exemplos práticos onde a teoria do Welfare State funciona de fato...


As outras escolas de economia utilizam a mesma definição de inflação (aumento da base monetária)?


Errado. Quem denunciou todo o esquema foi um insider do Ministério da Agricultura, um lobo solitário. O sujeito estava incomodado com aquilo tudo que estava acontecendo e resolveu avisar sua chefe (sem saber que ela própria era a líder do esquema). A chefe o rebaixou, ele ficou puto, e aí resolveu acionar a PF e o MP.

Aí a PF e o MP começaram toda a burocracia -- instalando escutas telefônicas e tudo -- e só depois de 4 anos (!!!) é que descobriram algo.

Lamento quebrar seus sonhos, mas, ao contrário do que os defensores do estado estão desesperadamente tentando ressaltar (a eles só restou isso), não foi nem a PF e nem o Ministério Público (estes dois órgãos sacrossantos) que descobriram o esquema.

Quem denunciou tudo foi um "lobo solitário", um sujeito que foi rebaixado da hierarquia estatal por não concordar com o que se passava.

Foi então, só então, que ele resolveu denunciar.

Aliás, é sempre assim. É sempre alguém que está dentro do esquema que resolve delatar. Todos os grandes casos de corrupção são descobertos apenas porque um insider resolveu contar tudo.

Sorry, mas PF e MP não são tão brilhantes e oniscientes assim. Reagiram com 4 anos de atraso.



Suíça, Nova Zelândia, Liechtenstein, Hong Kong, sem contar mini-estados como Mônaco, Andorra, San Marino etc.


Ué, da mesmíssima maneira como funciona depósitos a prazo. Você já comprou CDBs, LCIs e LCAs de bancos pequenos e médios? Já comprou LCs de financeiras?

É exatamente deste mesmo jeito que funciona. Sem tirar nem pôr.


Sendo a policia federal um órgão público, portanto com os mesmos incentivos que os demais funcionários públicos, isto é, mantem seus empregos mesmo que falhem vergonhosamente numa investigação. Pergunto, porque devemos aceitar como premissa que estão fazendo um trabalho acima de qualquer suspeita? Será mesmo que o que foi apresentado é a realidade dos fatos? Claro que isso não invalida de forma alguma o que foi exposto no artigo, pelo contrario, mas creio que não se deveria dar mais crédito a um órgão público do que a outro, pois no final todos eles compões o mesmo estado.


Muito boa matéria, sou muito simpático a teoria do livre mercado sem agencias reguladoras e com estado mínimo. Mas, preciso de exemplos práticos onde essas teorias funcionam de fato


não se trata de Ácido Ascórbico (vitamina C)... a polêmica é pelo exagero do Acido Sórbico! que sejam punidos SIM.


Acho isso um absurdo qualquer lugar hoje tem uma câmera te vigiando, muito pior que época dá ditadura é capaz de ter até em banheiro, quarto de motel e etc.





Off Topic:
Alguém já chegou a ler a critica que Nicolai Bukharin fez a Bohm Bawerk? Eu só consegui achar respostas austriacas bem curtas ou indiretas a ela. Essa critica é usada por comunistas até hoje pra supostamente refutar o valor subjetivo. Gostaria de alguma opinião sobre ela.


Ah, atentem para a imagem do título do artigo: nem tem foto do amado Trump.

De novo: parem de passar vergonha.


Impressinante que só do artigo ter citado, mesmo que brevemente o nome de Trump, inclusive até ressaltando que um governo não pode ser avaliado só pela gestão fiscal, a tropa de trumpenetes já ficou toda ofendida.

Continuam bobocas cegos defendendo politicos como se eles fossem salvadores da pátria.

Trump será um bom ou péssimo presidente? Ninguém tem a resposta. Temos apenas suas atitudes e promessas por enquanto. Portanto, parem de ficar chateadinhos.

E outra coisa: procurem ler ao menos duas vezes o texto antes de sairem falando besteiras que so fazem vocês passarem vergonha.


Meu caro Paulo, informe-se melhor sobre como funciona o orçamento do governo federal americano (ou então apenas leia o artigo com mais atenção).

Quem sanciona o orçamento do primeiro ano de um presidente eleito é o presidente anterior. O presidente eleito só adquire o controle total do orçamento a partir de seu segundo ano.

Trump só comandará o orçamento de fato a partir de outubro deste ano. Por enquanto, todo o orçamento com o qual ele trabalha foi feito ainda integralmente sob Obama. Trump, por enquanto, não tem controle nenhum sobre o orçamento.

Ao elogiar essa redução na dívida em US$ 100 bilhões (e, de fato, é elogiável) a "direita" está fazendo, sem saber, um baita elogio a Obama e à sua austeridade fiscal. (Não é à toa que, nos EUA, os americanos republicanos são chamados de "stupid").

Vários ideólogos (como este site que você linkou; vide o nome dele) seguem sem saber desse detalhe básico. Consequentemente, além de ignorarem esse básico, cometem erros ainda mais toscos, como atribuir a alta dívida de 2009 a Obama, quando na verdade ela é de Bush.

Cuidado para não fazer papel de bobo.



"Se em vez de aplicar o gasto público em investimentos que trazem retornos a economia se constroem campos de futebol ou criam contas gordas em paraísos fiscais a culpa não é da teoria keynesiana"

Não é o que dizem os keynesianos: para o ilustre keynesiano Krugman, até invasão alienígena (segundo ele próprio) "traria retorno à economia".


"existem duas grandes utopias, a primeira é uma economia sem o Estado"

E existe uma grande (e triste) realidade: ignorantes econômicos que fazem uma afirmação esdrúxula dessas.


A economia do Brasil é como um filho com uma doença degenerativa.

As pessoas sabem que ela vai morrer, mas elas não podem abandoná-la.

Isso não tem cura !

O governo é professor de corrupção. A cultura do crime já foi instaurada. A cultura da expropriação e do confisco já foi implantada.

Esse país parece um monte de escravos que se entregaram à escravidão do governo. O país parece uma senzala com escravos tomando chibatadas dos políticos, e não fazem nada para enfrentar os marginais.

O povo se entregou à escravidão do governo, dos políticos e dos alunos criminosos do governo.


Parece que o artigo errou sobre o trump em?

www.chicksontheright.com/president-trump-has-reduced-the-debt-by-over-100-billion-in-two-months/


Eu penso da seguinte forma: Ao invés de você pagar advogados para processar pessoas, você paga designers e marqueteiros para se manter a frente da concorrência e estabelecer uma marca.


Poderia existir uma google ou apple sim no livre mercado, mas veja bem, existe uma diferença entre você ter um monopólio protegido que um concorrente tem barreiras para entrar, e uma empresa com uma dominância temporária de mercado.

Empresas com monopólio protegido tem liberdade para praticar serviços ruins e cobrar preços maiores, pois o consumidor não tem alternativa. Exemplo: imagine que em um país chamado Bananil só tem quatro operadoras de celular chamadas de A, B, C e D. Todas as quatro praticam preços bem parecidos e tem serviços mediocres. E ai? Qual você prefere? Quer serviço bom por preço baixo? Ah, que pena, só tem essas 4 opções para você. Pode escolher.

Já em outro país chamado Desenvolvidolândia, sem protecionismo do setor telefônico, você pode escolher entre 15 operadoras de diferentes países, cada uma com preços e níveis de qualidade diferenciados, ah, tem um porém, a operadora A tem 70% do mercado. Opa, mas isso dai não é ruim?! Não, porque veja bem, se a operadora A tem a maior fatia de um mercado livre, é porque a população reconhece que seus produtos são de qualidade em comparação a todas as outras. Logo A só poderia se manter a frente caso continuasse a oferecer os melhores serviços para a população, se ela para de investir em pesquisa ou infraestrutura para manter os serviços, a qualidade percebida cai e os concorrentes simplesmente vão para B, C, etc....

Percebe a diferença? Pode existir uma google num livre mercado, mas e dai que exista? Se existe, é porque as pessoas reconhecem que os serviços dela batem de longe todas as outras em termos de qualidade e isso é bom para o consumidor. Mas ela deve sempre estar melhorando, pois seus concorrentes podem, um dia, se tornar melhores que ela.


Esse seu cenário já ocorre: veja a indústria da moda.

Lá as cópias correm soltas e a indústria está cada vez mais forte. A cada ano surgem novas grifes e consumo de roupas de uma marca específica só aumenta (exceto em épocas de crise econômica, obviamente).

Não podemos também nos esquecer da indústria de cosméticos e de perfumes. Estas também só se expandem. Embora as cópias existam em profusão, os investimentos em linhas caras de perfumes só aumentam.

Vale repetir: no ramo da moda, as cópias ocorrem da noite pro dia, e no entanto trata-se de uma das indústrias mais lucrativas do mundo. Não há absolutamente nenhum tipo de direito autoral ou de patente. Mais ainda: você pode comprar cópias de roupas e bolsas de enorme qualidade, e ainda assim as marcas originais continuam ganhando fábulas de dinheiro.

E os grandes nomes da sua indústria são podres de rico. E todas as suas obras são copiadas livremente. Não há absolutamente nenhum tipo de propriedade intelectual, os produtos piratas e baratos abundam, e mesmo assim os lucros das grandes seguem intactos.



...porque existem pessoas capazes de criar, empreender...
Todas as pessoas são capazes de criar e empreender. Nem todas o fazem.

O capitalista é o cara que melhora vidas, salva vidas, deixa o mundo mais divertido e confortável entre uma infinidade de outras maravilhas.
Vc quis ironizar, né? Mas essa é uma verdade.

... mas se perguntarem para qualquer indivíduo de qualquer outra espécie não sinantrópica, acho que vão discordar. E se perguntarem para o Rio Doce, também. Mas isso é assunto para artigos sobre a relação do capitalismo com o meio ambiente.
Se não existisse o capitalismo, não existiriam mineradoras ou as mineradoras seriam magicamente à prova de acidentes? Ah, já sei, não foi um acidente, foi culpa da "ganância" inerente ao capitalismo. A propósito, quais são os sistemas alternativos ao capitalismo atualmente implementados e qual a relação deles com o meio ambiente?

Quero que perguntem sim, para o trabalhador, esse do Marx...
...Será que ELE se sente EXPLORADO...
...Será que ELE, o objeto em discussão tem alguma voz nessa ideologia?

ELE tem nome e endereço ou é um ente imaginário que subsititui a SUA visão a respeito do tema ?

Mas na verdade existem duas formas de se tornar um bilionário hoje: herança, e exploração do trabalhador ou das regras do Estado.
Bill Gates, Mark Zuckerberg, Messi, Neymar, Madonna, Lady Gaga.
Em comum entre eles: não receberam heranças, não exploram trabalhadores (seja lá o que vc entende por explorar), não exploram regras do estado, e fornecem produtos que as pessoas querem consumir.

Mas o fato é que não está funcionando, nem pelos números dos próprios capitalistas
Que números seriam esses?

Não está funcionando para a grande maioria das pessoas no planeta.
De novo, a "grande maioria das pessoas no planeta" disse isso pessoalmente para vc ou é apenas wishful thinking?

Então, tontos e ávidos por uma solução, começamos a jogar pedras para todo lado buscando culpados.
Fale por você.