clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


Este artigo é recado iminente para a terra de Pindorama e sua dívida pública de 80% do PIB e subindo?



Ah, na política apanhamos mesmo. Nunca soubemos como ser demagogos o suficiente para ter alguma chance. Na democracia, apenas os piores, maus caráter, demagogos e mentirosos chegam ao poder (tanto é que a família Gomes está no comando do Ceará desde 1990).

Ah, e obrigado pela honestidade de reconhecer que os liberais nunca tiveram qualquer chance na política, e consequentemente nunca estiveram no comando do país.

Assim, parabéns por assumir que todas as merdas e cagadas econômicas neste país foram feitas pelos anti-liberais.

Tem meu respeito.


Por que precisa? Você acha que ele defende o contrário por engano? Coitadinho dele, sem instrução. Como vocês, liberais, são ingênuos. É por isso que apanham na política.



De certa forma, sim, pois é ela quem chancela (e até mesmo exige) todos os gastos sociais, todos os empreendimentos estatais, todos os tipos de programas governamentais, toda a expansão dos empregos públicos, todo o inchaço do funcionalismo público etc.

Acima de tudo, é ela quem elege e reelege governos perdulários.


Essa matéria tinha tudo pra ser boa, mas acabou caindo no vazio ideológico, graças ao ódio gratuito às teorias socialistas. Acho que quem escreve um texto desses apontando o dedo para os programas habitacionais da união soviética deveria olhar pro umbigo sujo do Brasil favela, onde os problemas vão muito além do morar longe do centro produtivo ou da monotonia de um paredão modernista como sugere a foto. Talvez fosse conveniente ou intelectualmente honesto adicionar umas fotos de condomínios de torres (desses que são feitos a exaustão aqui em São Paulo por exemplo) e aí todos terão a exata noção de que tanto o socialismo quanto o capitalismo se apropriam da lógica racionalista para alcançarem seus resultados. Por que motivo os teóricos liberais desse instituto não escrevem também uma matéria séria sobre o abuso de poder econômico de quem corrompe o poder público para legalizar suas propriedades em sítios de preservação ambiental e/ou locais de usufruto coletivo ? Esse é um país injusto onde uma minoria tem o poder de destruir a oferta para aumentar a demanda.


A população de um determinado PAÍS são cúmplices pelas ANOMALIAS e DESASTRES existentes, na ordem das Finanças Públicas interna ?





Gostaria de ler algo do site sobre a reforma tributária proposta por Trump.
O que quer dizer o fato de Soros e Rockfeller seren contra.


Tarantino obrigado pela resposta, os 9 mil reais são como disse "na mais impossível das utopias " onde o estado devolve 100% dos recursos dos impostos e taxas em serviços. Colocando o peso da realidade na análise: Segundo o impostômetro 2016 foram roubados da população 2 trilhões de reais e 80% do orçamento dos governos são para pagar aposentados, funças e juros da dívida pública, o restante deste dinheiro é que de fato vai ser aplicado para prover serviços públicos e investimentos para os 200 milhões de habitantes do país:

(2trilhões x (1-0,8) / 200 milhões= R$2.000 por habitante por ano para, infraestrutura, recursos para segurança, educação, saúde, manutenção de vias e iluminação pública, forças armadas, programas sociais, juros subsidiados para programas habitacionais, entre outros, sem contar a corrupção.

A conta correta é: Você trabalhador produtivo e na ativa está pagando R$9000 e recebendo R$2000 faz sentido pra você continuar neste arranjo?


O seguro desemprego é uma vantagem dado pelo o Governo que visa permitir estabilidade e garantia de renda temporária a todo empregado que foram desligados das suas atividades funcionais trabalhista sem justa causa.

https://empregadorweb.com/2017/08/quem-tem-direito-ao-seguro-desemprego/

O valor disponibilizado para esta vantagem varia de acordo com a faixa salarial do funcionário, que pode atingir em até cinco parcela dependendo da situação, no entanto nem sequer todos os trabalhadores estão habilitados para conseguir essa vantagem. Para entender quem possui direito ao Seguro Desemprego, confira abaixo nosso passo a passo com todas as informações sobre essa vantagem.

Saiba mais em https://empregadorweb.com



A NASA torra dinheiro do contribuinte para ficar mandando robozinho pra Marte. Até agora, nada disso se converteu em benefício para a humanidade.

No entanto, vou fazer um elogio. Os políticos americanos são mais sagazes que seus congêneres brasileiros. Eles ao menos sabem que burocratas decidindo não são uma boa para a ciência. Boa parte do desenvolvimento atual da NASA é feito a partir de empresas privadas e centros de pesquisa descentralizados.

De resto, se as pessoas estivessem dispostas a consumir voluntariamente as criações da NASA, elas fariam doações em uma quantidade ainda maior que do que a agência recebe hoje em impostos. Até hoje, as poucas tecnologia da NASA para nosso mundo são muito caras, como aqueles travesseiros ortopédicos.

A NASA passará a ser extremamente útil quando ela voltar a enviar burocratas para a lua, como fazia no final da década de 1960, em uma viagem só de ida.

A NASA é tão motivo de orgulho quanto a Petrobras.



Não, campeão. Você consegue ser melhor do que isso.

O que sempre é dito, e que é algo irrefutável, é que a pobreza é a condição natural do ser humano.

A pobreza sempre foi a norma; a pobreza sempre foi a condição natural e permanente do homem ao longo da história do mundo.

Em qualquer lugar em que não haja empreendedorismo, respeito à propriedade privada, segurança jurídica, acumulação de capital e investimento, a pobreza será a condição predominante. Isole um grupo de pessoas em uma ilha, peça para que elas não tenham nenhuma livre iniciativa, proíba a propriedade de bens escassos, e você verá que a pobreza será a condição geral e permanente dessas pessoas.

Em termos gerais, indivíduos em particular ou nações inteiras em geral são pobres por uma ou mais das seguintes razões: (1) eles não podem ou não sabem produzir muitos bens ou serviços que sejam muito apreciados por outros; (2) eles podem e sabem produzir bens ou serviços apreciados por outros, mas são impedidos de fazer isso; ou (3) eles voluntariamente optam por ser pobres.

Por isso, o que é realmente desafiador é discutir as causas da riqueza; discutir o que realmente eleva as pessoas de sua condição natural (a pobreza) para a opulência e a fartura.

Artigo sugerido:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=1956


No Brasil é a Petrobrás https://oglobo.globo.com/economia/bb-petrobras-lideram-ranking-de-eficiencia-das-empresas-estatais-22055000


Pois isso me parece um grande dispêndio de dinheiro que poderia ajudar em doenças demandadas pela população. Vamos supor que grande parte da população tem a doença "A", logo, como você disse, ao mercado interessa produzir medicamentos, ela é demandada e dará lucro. Porém uma parte muito pequena da população tem a doença "B", que não gera lucro. Pelo que entendi, você quis dizer que toda população, incluindo os doentes da doença "A" e "B" devem pagar impostos para salvar a muito pequena parte dos doentes de "B", fazendo com que os preços da doença "A" se elevem e nem todos possam ser curados. Além disso, os investimentos feitos pelo governo nem sempre são eficientes, gerando maior gasto. Quando você diz: "Não me importa do bolso de quem o estado vai sacar a grana para produzir antibióticos; pouco me importa quem será extorquido, desde que as pessoas que de outra forma iriam morrer de infecção por falta de antibiótico eficaz consigam ter acesso. Esse desejo é eticamente superior ao "direito natural" de não ser expoliado.", isso gerá uma anomalia tamanha que atrapalha a vida de muitos para privilegiar poucos. É assim com o SUS, o salário mínimo e a maioria dos direitos positivos.



Seja lá quem postou, espero que volte e leia os seguintes artigos, ou continue sem saber o que o IMB defende, abraços.

Capitalismo é a exploração
Desde os primórdios à globalização
Esse é o rap da desigualdade
Mc Leandrinho, essa é a hora da verdade!

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2723

Na política, só tem corrupção
Tudo privatizado, até os meios de produção
As multinacionais só fazem explorar
Mão de obra barata já sabem onde encontrar:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2457
www.mises.org.br/Article.aspx?id=1927
www.mises.org.br/Article.aspx?id=973
www.mises.org.br/Article.aspx?id=204
www.mises.org.br/Article.aspx?id=1376

Brasil, África, China, Índia
Nações atrasadas, subdesenvolvidas
Resultado de colônias exploradas e fodidas
Monopólio de comunicação
Pessoas escravas de uma opinião
Alienação! Se liga no meu rap então

www.mises.org.br/Article.aspx?id=971
www.mises.org.br/Article.aspx?id=1957
www.mises.org.br/Article.aspx?id=739
www.mises.org.br/Article.aspx?id=1647

Proletariado do mundo inteiro, uni-vos
Essa é a mensagem que deixo pros meus amigos
Tenha fé, acredite de novo
Mas não se esqueça: religião é o ópio do povo
Eu sei que o homem é seu próprio lobo
Nada é tão bonito quanto se vê na Globo

www.mises.org.br/Article.aspx?id=1856
www.mises.org.br/Article.aspx?id=834
www.mises.org.br/Article.aspx?id=1026

É foda, foda é olhar pro outdoor e ver:
Não dá pra ter aquilo pra você

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2427
www.mises.org.br/Article.aspx?id=2665
www.mises.org.br/Article.aspx?id=761
www.mises.org.br/Article.aspx?id=1741

Coca, Nike, Puma, Adidas:
Exploradoras! Todas elas são bandidas!
Concentração de renda, hipocrisia
Fazem a sociedade mais injusta cada dia
Condições subhumanas, baixos salários
É a situação dos atuais proletários
Não se perca, fique sempre ligado
Pra não se tornar mais um alienado!

www.mises.org.br/Article.aspx?id=1057
www.mises.org.br/Article.aspx?id=2619
www.mises.org.br/Article.aspx?id=1946
www.mises.org.br/Article.aspx?id=204
www.mises.org.br/Article.aspx?id=1654
www.mises.org.br/Article.aspx?id=2332
www.mises.org.br/Article.aspx?id=339

Olha só, cara, o efeito que o sistema fez
Essa aqui é pra você, burguês!

www.mises.org.br/Article.aspx?id=1176


respondeu um pouco da minha duvida. O que questionei é a situação de "vantagem" do filho do CR7 em relaçao a outras pessoas . Visto que segundo o proprio site (IMB) os seres humanos nascem inerentemente pobres e devem construir alguma riqueza. Neste caso essa teoria esta refutada, certo ?


Será que o dinheiro estatal irá acabar ? Porque existem impressoras de dinheiro ? Está aí um algo que desconfio que aconteça sem sabermos : montanhas de dinheiro são impressas para cobrir rombos. Ou, basta alterar dígitos de contas governamentais. Sei lá. ACho que tudo isso é uma grande farsa.


Quando leio que muitos lugares do Brasil possuem empregos análogos à escravidão, percebo como os formadores de opinião brasileira são completamente ignorantes sobre as realidades econômicas.

Nos EUA, atendentes de fast food que ganhavam $7.5 dólares eram considerados "escravos" pelos democratas. Quando aumentaram o salário mínimo de atendentes para $15, o resultado foi a demissão em massa logo nas primeiras semanas.

Já um salário de $7.5 por hora aqui no Brasil seria considerado um ótimo salário.

O Brasil é mais próximo da Índia, mas esquerdistas querem ter um salário mínimo australiano e viver como um americano.

Enquanto continuarem ignorando a realidade econômica, esse país nunca vai ser sério.


Se você estudou biologia evolutiva e economia sabe que o homem criou sua riqueza meio que do nada, na verdade, criou da propria relação com a natureza e propriedade.

Então sim, o ser humano nasceu pobre, mas fomos aumentando nossa riqueza através da herança.


Mermão, se você acha que isso é tão importante, e acredita que há tantas pessoas que se preocupam com isso como você (pelo menos a ponto de eleger um representante que acredite nisso), por que você não faz uma vaquinha e financia essa droga voluntariamente? Divulga sei lá onde, convença as pessoas que é importante doar pra essa causa, assim como as pessoas já doam para várias outras causas. Não falta instituição de caridade no mundo APESAR do governo.

Por que você TEM que OBRIGAR OS OUTROS a pagarem essa sua aparente preocupação moral no bem estar dos mais fracos? Muito fácil gozar com o pau dos outros não é mesmo? E o crédito ainda fica todo pra você "Che, o nobre homem que luta pelos doentes, de raras patologias, usando dinheiro compulsoriamente retirado dos outros". Parabéns, agora os outros que teriam remédio populares não vão ter mais grana pra comprar, vão morrer do mesmo jeito que as pessoas de doenças raras, aliás, vão morrer mais, porque além do dinheiro ter sido desviado da função original, a maior parte foi perdido pra manter a máquina pública "afinal o deputado Che precisa de sua verba de gabinete e salario e gastos de mais de 100 mil reais por mês para fazer todas essas """"boas ações em nome dos mais fracos"""" "

Parece aquele Zé Celso conversando com o Silvio Santos


Pra vocês, qual empresa estatal é a menor pior?

A menos ineficiente, a menos inútil e a menos improdutiva.
Seria a BBC?


Estatal boa e eficiente em relação as privadas.

A BBC ou a Nasa seria um exemplo?



Os EUA, Canadá, Austrália foram colônias, e hoje são os países mais desenvolvidos.
Por outro lado, o Nepal, Tibete e Etiópia jamais foram colônias, e a situação é péssima.
Então, esse papo de colocar a culpa no colonialismo pelas desgraças não funciona.


Mas o fato é que realmente temos, por 9.000,00 por ano, ruas, hospitais, forças armadas, etc...tudo de baixa qualidade, mas temos. Se formos pensar assim, está até barato. É um lixo, mas coisas boas custam caro. Fazer o quê, aumentar os impostos? Sou completamente a favor das privatizações, mas aqui no Brasil, quanto custaria para ter essas mesmas coisas feitas pela iniciativa privada? Sei que as empresas privadas são mais eficientes e a concorrência é algo saudável e favorece os consumidores, mas em números reais, quanto custaria tudo isso feito privadamente?


Na verdade, é algo que beira o surreal, pessoas exigindo direitos à custa do dinheiro alheio...só que estas mesmas pessoas que exigem seus direitos também são exploradas por outros, que por sua vez também exigem seus direitos, e assim por diante. No final, é um enrabando o outro numa suruba que não tem fim.
Mas convenhamos, se eu sou obrigado a pagar por serviços que não contratei voluntariamente, sob pena de retaliação por parte do estado, não acho injusto clamar por aquilo que eu já paguei, mesmo contra minha vontade. O difícil é realmente definir o que realmente eu teria direito a usar, de acordo com o montante que paguei, já que o dinheiro dos impostos se desvanece misteriosamente e eu sequer sei onde ele foi parar...



Tenho o desejo de que o estado promova a produção de medicamentos para atender a doenças negligenciadas. O mercado não interessa produzir bens que dão pouco lucro. Vejam o exemplo dos antibióticos, como a penicilina benzatina, que esta se tornando escassa em todo o mundo. Como não da lucro, poucos laboratório a produzem. O desenvolvimento de antibióticos não esta na ordem do dia da indústria farmacêutica, pois resulta em menos retorno que drogas para o diabetes e outras doenças crônico- degenerativas. Assim, os poucos antibióticos disponíveis enfrentam a resistência bacteriana e a eclosão de superbactérias. Não me importa do bolso de quem o estado vai sacar a grana para produzir antibióticos; pouco me importa quem será extorquido, desde que as pessoas que de outra forma iriam morrer de infecção por falta de antibiótico eficaz consigam ter acesso. Esse desejo é eticamente superior ao "direito natural" de não ser expoliado.


Obrigado, mas não era esse artigo... Era um que citava os camponeses alemães.


"Este é o fenômeno do "poder doutrinal" " [Capital Imoral, 13/11/2017 16:42 refutado filosofo e escritor]
É logico que existe um poder doutrinador pela ideologia predominante, isso irá acontecer com qualquer que seja a ideologia. Se o "poder doutrinal" é um atributo natural da sociedade humana, ora, porque não apoiar uma ideologia de maximização dos recursos escassos? O nada nos já temos, não faz sentido lutar por uma ideologia para se atingir o nada. Como em ambos os casos temos que lutar, lutemos para ter alguma coisa. Agora, como deve ser balizada a questão moral, é um problema que a própria sociedade deve decidir no seu tempo da forma mais transparente possível.
Os porcos sempre serão porcos, não é porque colocaram vestes, que deixarão de ser porcos.


No dia em que isso ocorrer é porque já estaremos todos vivendo na extrema opulência e abundância. Afinal, apenas isso explicaria uma atitude que, ao menos hoje, seria considerada economicamente irracional e insensata.



Será que um dia o capitalismo vai virar um caos, onde alguém constrói uma casa nova, no dia seguinte alguém compra e derruba para fazer um prédio ?


Todo e qualquer indivíduo possui apenas três direitos:

1) O direito de que não retirem a sua vida;

2) O direito de que não retirem sua propriedade honestamente adquirida (o que inclui sua renda);

3) E o direito de que não restrinjam a sua liberdade quando esta não interfere com a de ninguém.

Esses são os direitos naturais, os quais cada ser humano possui pelo simples fato de serem humanos.

E são direitos inquestionáveis (lógicos, éticos e morais) exatamente porque podem ser exercidos sem impor deveres a ninguém.

Qualquer outro "direito" é simplesmente uma desculpa para privilégios.


Alguém poderia me explicar a seguinte situação ? Sei que não tem nada a ver com o post.
Então, lá vai: li uma certa vez que os seres humanos nascem pobres e na miséria. Mas e é filho do Cristiano Ronaldo, por exemplo, ele nao nasce pobre. Alguém poderia me explicar isso ?


"Gostaria de saber quem são essas pessoas que não desempenham nada a ninguém e que escravizam as outras."

Qualquer uma cujos proventos não ocorram no mercado livre, mas sim via corporativismos e privilégios. Isso inclui funcionários públicos, grandes empresários que vivem de subsídios, e parasitas (ricos e pobres) que não trabalham.

"Por acaso são aquelas que não têm dinheiro para pagar um hospital e recorrem ao SUS? Aquelas que não podem pagar uma escola particular e entram em uma pública?"

Também, muito embora a maioria dessas pessoas paga impostos indiretos, e, assim estão pagando por esses serviços porcos. Se elas estão satisfeitas com isso e querem manter esses arranjo, não é por mim.

E, justiça seja feita, nunca vi passeata de pobre exigindo mais saúde e educação gratuitas. Isso sempre foi movimento de gente bacana e endinheirada, normalmente estudantes de classe média e sindicatos de funcionários públicos.

"Ou simplesmente aquelas que usam o asfalto em frente à própria casa, a eletricidade e a água encanada?"

Idem acima.

"E quem é escravizado?"

Qualquer um que trabalhe e produza no setor privado e tenha a sua renda confiscada pelo governo, que então irá distribuí-la para todos os parasitas (pobres e ricos) supracitados.

"Por que a manada do "pensamento" libertário não luta primeiro contra os impostos?"

Tá de zoeira, né? Ora, mas isso é tudo o que este Instituto fazer. Seja bem-vindo. Vou lhe dar apenas dois aperitivos. Aí você procura mais por conta própria.

Impostos nada mais são do que roubo legalizado

Impostos, moralidade e ética

"Tirar direito é muito fácil, só precisa de meia dúzia de evangélicos e ruralista, quero ver conseguir diminuir a carga tributária..."

Direito? Você nem sabe o que é direito. Só é direito aquilo que não é dever para terceiros. Você confunde direito com privilégio.

Para algo ser um direito, seu usufruto não pode levar a nenhum conflito ou a nenhuma contradição lógica.

Se uma pessoa tem um determinado direito, então todos os outros seres humanos devem logicamente ter esse mesmo direito e poder usufruí-lo simultaneamente. Se, quando eu exerço um direito que alego possuir, estou fazendo com que seja impossível outra pessoa exercer esse mesmo direito ao mesmo tempo, então minha ação implica que este suposto direito é apenas meu, e não de outra pessoa. Ou seja, é um privilégio.

Suponha que eu alegue ter o direito de receber serviços de saúde ou de educação gratuitos.

Se tal alegação significa que eu terei acesso a estes serviços sempre que eu quiser ou necessitar (e o que mais ela significaria?), então tem de haver outra pessoa com o dever de me fornecer estes serviços. Ou então, ainda mais realisticamente, tem de haver outra pessoa com o dever de pagar para que eu receba estes serviços.

Médicos e professores não trabalham de graça. E nem deveriam. Logo, se eu quero que eles me forneçam serviços gratuitos, então uma terceira pessoa tem de ter sua renda (propriedade) confiscada para bancar os serviços destes médicos e professores.

E aí começa a contradição: essa outra pessoa não mais tem o mesmo direito que eu tenho. Meu direito é receber serviços gratuitos; o "direito" dela é me fornecer — ou financiar — estes serviços. Meu direito criou um dever para essa pessoa: ela agora é obrigada a efetuar uma ação que ela não necessariamente queria efetuar. Embora nós dois sejamos humanos, a liberdade de escolha dessa pessoa foi subordinada à minha liberdade de escolha. Aquele direito que concedi a mim (saúde e educação gratuitos) está sendo negado a esta outra pessoa, pois ela, ao ficar com o fardo de pagar pela minha saúde e educação, perdeu seu "direito" à educação e saúde gratuitos.

Para que eu adquirisse um direito, essa pessoa teve de arcar com uma obrigação.

Pior ainda: ela teve sua propriedade espoliada, o que seria uma flagrante agressão ao seu direito de propriedade.

Aplique esse mesmo raciocínio a coisas como moradia, transporte, alimentação, lazer, seguro-desemprego etc. Ao dizer que você tem o direito de usufruir estes bens e serviços gratuitamente, você está necessariamente dizendo que terceiros têm a obrigação de fornecer (ou financiar) tais coisas a você.

Você pode acreditar que tem o direito à moradia, mas você não tem o direito de obrigar terceiros a pagar por sua moradia.

Você pode acreditar que tem o direito ao transporte gratuito, mas você não tem o direito de obrigar terceiros a pagar pela sua locomoção.

Você pode acreditar que tem o direito ao lazer, mas você não tem o direito de obrigar terceiros a bancar — ou subsidiar — o seu lazer.

Você pode acreditar que tem o direito à saúde, mas você não tem o direito de obrigar terceiros a pagar pelos seus serviços de saúde.

Você pode acreditar que tem o direito à educação, mas você não tem o direito de obrigar terceiros a pagar pela sua escola ou faculdade.

Todos esses "direitos" exigem que haja uma transferência forçada de recursos (propriedade) de alguns pagadores de impostos para outros cidadãos.

Nenhum desses "direitos" configura um direito humano. Dado que eles significam que indivíduos irão receber saúde, educação, moradia, comida e lazer independentemente do desejo das outras pessoas, então eles não representam direitos humanos fundamentais.

Todos nós temos o direito fundamental de nos oferecermos para comprar ou vender serviços de saúde, educação, moradia, comida e lazer nos termos que quisermos; porém, se não encontrarmos terceiros dispostos a aceitar nossas ofertas, então não temos o direito de forçá-los a aceitá-las.

Sempre que um suposto direito reivindicado por alguém impõe uma obrigação sobre outra pessoa, a qual agora será obrigada a efetuar uma ação, este suposto direito é uma fraude. Na realidade, ele é um privilégio. Ele não pode ser efetuado simultaneamente por ambas as partes sem que haja uma contradição lógica.

Da próxima vez que você gritar "Eu tenho esse direito!", faça a si mesmo a seguinte pergunta: "E de quem é a obrigação?"

Se houver um fardo recaindo sobre um terceiro, o qual agora terá a obrigação de fazer qualquer outra coisa que não seja não coagir você, pergunte-se: "Por que teria eu o direito de subordinar aquela pessoa aos meus caprichos?"


"Querer ter acesso a bens e serviços sem ter desempenhado nada a ninguém significa simplesmente querer escravizar terceiros".

Gostaria de saber quem são essas pessoas que não desempenham nada a ninguém e que escravizam as outras.
Por acaso são aquelas que não têm dinheiro para pagar um hospital e recorrem ao SUS? Aquelas que não podem pagar uma escola particular e entram em uma pública? Ou simplesmente aquelas que usam o asfalto em frente à própria casa, a eletricidade e a água encanada?

E quem é escravizado? A comunidade von Mises e todos esses trabalhadores que aqui comentam?

Por que a manada do "pensamento" libertário não luta primeiro contra os impostos? Tirar direito é muito fácil, só precisa de meia dúzia de evangélicos e ruralista, quero ver conseguir diminuir a carga tributária...





Mais um ótimo artigo.
Bom seria levar essa informação cada vez mais adiante para os incautos não engajados no socialismo pq para essa massa ignara não adianta mais pois foram "lobotomizados".


Todo direito tem um custo que retorna a toda coletividade. Excelente artigo. Lamentavelmente nossa jurisprudência não compreende as reais funções do Estado. Garantir oportunidade de todos buscarem seu próprio sustento é diferente de garantir que ninguém passe fome ou todos tenham o mesmo nível.


Pessoal tem que ser mais pragmático. É MIL vezes mais fácil influenciar uma universidade ou repartição por dentro que por fora.


Concordo plenamente.

Muito melhor se infiltrar nas universidades públicas federais e sabotar os movimentos esquerdistas por dentro (é o que venho fazendo) do que simplesmente deixá-los a vontade. O resultado de deixá-los a vontade lá fazendo o caos dentro da universidade pública é justamente que eles aumentarão o custo da universidade e reduzirão a qualidade. Depois vão pedir mais dinheiro porque a qualidade tá baixa, e assim seguem.

Sim, existe um dilema ético: mas na prática você está estudando a custa do Estado, portanto de terceiros. Mas eu não vejo outra saída que não envolva pessoas de dentro do Estado sabotando o mesmo.

"O governo quebra suas pernas para depois te dar as muletas". Isso que são as faculdades públicas. As muletas de um sistema de governo intervencionista. Com certeza se eu tivesse pago, numa perspectiva realista, apenas 10% de impostos, e não mais de 50% de impostos sobre tudo que já gastei na vida, hoje teria dinheiro sobrando para pagar uma faculdade particular muito melhor que as públicas "e de qualidade". Adendo: não tem qualidade nenhuma, a USP que é considerada a melhor universidade da américa latina é uma bosta, em vários aspectos, principalmente considerando a verba que ela recebe. Sei porque já estudei lá, porém ela sobrevive porque alunos de escolas particulares, de qualidade muito superior à pública, disputam amplamente as vagas e acabam conseguindo os melhores alunos, que acabam se virando naquele lixo pq nao tem nada melhor mesmo, nem tem grana pra pagar particular, dependendo do curso.

Então SIM, eu considero aceitável entrar num sistema público para expô-lo, "pregar" o libertarianismo e sabotar os movimentos esquerdistas lá de dentro, pois esses movimentos acabam ganhando muito mais força e unanimidade quando não são contestados. Eu fiz meu trabalho por onde passei, e salvei algumas almas rs. Não sou um grande influenciador carismático, mas alguma das almas que salvei eventualmente continuarão espalhando as ideias de liberdade.

Se você consegue pagar sua faculdade, mesmo um curso integral pesado como medicina e engenharia, tenho o maior respeito por você, você é o Atlas que sustenta o mundo, mas se ninguém destruir o marxismo cultural dentro das universidades, repartições públicas, você continuará sendo um burro de carga da esquerda, reclamando mas nunca sendo ouvido.

Então é isso, para se redimir, cada liberal que usa um poder público deve ao mesmo tempo ajudar a desmantelar a estrutura que está usando


A melhor definição de propriedade foi feita pelo Papa Leão XIII: " Trabalho Acumulado".

Quer moradia ?
- Vai trabalhar, e, ajude a tirar o governo das nossas vidas.



O maior erro das pessoas aqui desse site é o individualismo exacerbado.

Com individualismo nem capitalismo se faz.

Você precisa que as pessoas sigam as regras. A regra é coletiva, não é individual.

Como alguém havia comentado...Somos mimados ? Talvez... um país que nunca sofreu uma guerra de nível mundial talvez seja um país mimado mesmo. Pessoas egoístas, sem nenhum senso de cidadania. Não sabem o que é ter que se unir, se organizar para se reconstruir.

Eu vou dar um simples exemplo para os libertários refletirem. Um edifício... cada morador pode fazer a reforma nos seus próprios apartamentos, cada um pode ser egoísta. Mas o prédio uma hora vai se desgastar. Os elevadores, as escadas, a estrutura do prédio vai cair SE os moradores não agirem coletivamente, não fizeram as reformas pensando na COLETIVIDADE. É assim que a ideia de impostos e serviços públicos funciona.



Capitalismo é a exploração
Desde os primórdios à globalização
Esse é o rap da desigualdade
Mc Leandrinho, essa é a hora da verdade!

Na política, só tem corrupção
Tudo privatizado, até os meios de produção
As multinacionais só fazem explorar
Mão de obra barata já sabem onde encontrar:

Brasil, África, China, Índia
Nações atrasadas, subdesenvolvidas
Resultado de colônias exploradas e fodidas
Monopólio de comunicação
Pessoas escravas de uma opinião
Alienação! Se liga no meu rap então

Proletariado do mundo inteiro, uni-vos
Essa é a mensagem que deixo pros meus amigos
Tenha fé, acredite de novo
Mas não se esqueça: religião é o ópio do povo
Eu sei que o homem é seu próprio lobo
Nada é tão bonito quanto se vê na Globo

É foda, foda é olhar pro outdoor e ver:
Não dá pra ter aquilo pra você

Coca, Nike, Puma, Adidas:
Exploradoras! Todas elas são bandidas!
Concentração de renda, hipocrisia
Fazem a sociedade mais injusta cada dia
Condições subhumanas, baixos salários
É a situação dos atuais proletários
Não se perca, fique sempre ligado
Pra não se tornar mais um alienado!

Olha só, cara, o efeito que o sistema fez
Essa aqui é pra você, burguês!


Na verdade eles recebiam 10 mil reais, dos quais 9 mil reais eram mandados pra Cuba. Tinham familiares lá como reféns para não desertarem.
Foi um dos maiores projetos de financiamento de ditadura que o PT fez, até hoje existe, Temer já devia ter acabado com isso. É uma coisa fora do normal usar riqueza que nos produzimos pra financiar Cuba. Se elegerem governo de esquerda de novo ano que vem eu simplesmente vou pros EUA, Chile, onde ainda tiver liberdade. Cansei de trabalhar pra financiar absurdos desses



Eles partidos/corporações investem na ignorância, e talvez por isto; este mundo nunca mude.

Os pobre/classe media defendem que o governo puna os ricos com impostos para oferecer melhores condições e mais direitos aos coitadinhos. Mas o que os coitadinhos não sabem e que estão punindo a si mesmos.

Os verdadeiramente ricos/corporações/pessoas com inteligencia financeira montam Sociedades anônimas (S/A) para obter incentivos e isenções fiscais, e tem investimentos cuja liquidez cobrem seus gastos e impostos.

Os governos não vão punir as corporações que são responsáveis por 40% dos empregos e pagam (ao menos pagavam) suas campanhas. A alternativa é oferecer direitos para ganhar idiotas uteis votantes e depois punir eles com os mesmos impostos dos direitos que eles pediram. (OS FAMOSOS IMPOSTOS INDIRETOS que ninguém conhece)

Se ensinassem na escola como é difícil abrir uma empresa, a burocracia, ter que passar fome e dar 80% do lucro para pagar empregados nos primeiros 3 anos devido aos altos impostos. Ensinassem sobre finanças, inflação e poder de compra. E principalmente sobre investimentos. O MUNDO SE CONSERTARIA SOZINHO.



...Karnal só tem exito, porque o seu público não é empreendedor, não vê, não percebe e não descobre. Como bem disse Luiz Pilipe de Orleans " um desserviço".


Se existe uma lição de economia que todo indivíduo precisa saber é esta:

Tudo o que o estado tem, saiu do seu bolso. Tudo o que estado gasta, é você quem paga.

Agora pense: se você quiser comprar algo, qual seria o melhor arranjo: você usar o seu dinheiro e comprar para si mesmo, ou dar o seu dinheiro para um burocrata do estado comprar para você?

Quando você quer "transporte grátis", o que você realmente está querendo (sem saber) é dar o seu dinheiro para um burocrata do estado, que então irá repassá-lo para uma empresa escolhida por políticos, a qual irá prover o serviço de acordo com critérios especificados por burocratas e políticos, e não por você, consumidor.

Você realmente acha que isso vai dar certo?

Não faz sentido dizer que aquilo que é caro para ser comprado diretamente ficará mais barato se você repassar seu dinheiro para burocratas e políticos, os quais irão intermediar o serviço para você.

Aliás, na prática, o arranjo é ainda pior, pois você paga ao estado na forma de impostos, os quais, no fim, formam uma espécie de saco sem fundo do qual o governo se utiliza para sacar todo o dinheiro coletado e "alocá-lo" de acordo com as demandas populares. Isso significa que você não paga exatamente pelo que quer e, por consequência, o governo não gasta exatamente naquilo que você está demandando.

Os dois lados estão cegos. Um não sabe pelo quê está pagando; o outro não tem como saber onde e quanto gastar. Não existe pior forma de se fornecer um serviço.

Resultado? Serviços péssimos e que custam muito caro (embora você ache que sai de graça).

Essa lição é igualmente válida para a educação, para a saúde — é por isso que se diz que o SUS é o serviço de saúde gratuito mais caro do mundo —, e para qualquer serviço ofertado pelo estado, mesmo que por meio de empresas terceirizadas.

Da próxima vez que quiser qualquer coisa do estado, lembre desta lição: o estado custa caro e é ineficiente por definição. E continuaria sendo assim mesmo que fosse gerido por anjos e santos.


Partindo do princípio de que a afirmação "Pago impostos, quero meus direitos" seja correta, pelo menos matemática financeira básica você deve conhecer:

Dado que a renda per capita BR está em US$8.600,00 por ano, carga tributária no BR de 33%, considerando 100% de eficiência na conversão de impostos em serviços públicos e câmbio de R$3,30:

(8600x0,33x1x3,3)= R$9.365,40, na mais impossível das utopias é este o valor máximo que você pode receber hoje do estado brasileiro, 9 mil reais para dar conta de educação, saúde, reparo de vias públicas, segurança, programas sociais, forças armadas, investimentos em infraestrutura, aposentadoria entre outros.

Se você acha que 9 mil reais chegam para tudo isso, não entende o mínimo de dinheiro e merece ter roubado cada tostão via impostos e recebendo os mesmíssimos serviços públicos estatais que está recebendo.


Eis como vejo:

1) Logo após nascermos queremos sobreviver;

2) Para sobrevivermos, temos de nos alimentar. Para isso, recorremos às nossas mães.

3) Só que após nossas mães terem cuidado de nós, vem o susto: descobrimos que se quisermos comer temos de trabalhar e produzir.

4) E, além de comida, também precisamos de roupas e abrigo, o que requer mais trabalho e produção.

5) Uma vez satisfeitas essas necessidades básicas, é possível finalmente começar uma civilização.

Essa foi a história da nossa evolução. Consequentemente, ninguém tem nenhum direito de coagir terceiros desconhecidos para receber de mão beijada comida, emprego, abrigo e roupas. Essas são as necessidades básicas da vida e devem ser adquiridas em troca de sua produção. Você só pode demandar algo se antes tiver produzido. Nada mais moral do que isso.

E, se é imoral escravizar terceiros para conseguir coisas básicas e essenciais como comida, roupas e abrigos, que dirá para lazer, transporte, educação e mudança de sexo.


Grande artigo! No fundo, tudo tem como base aquela velha confusão entre "deveria ser assim" e "tem de ser assim".

O fato de que A deveria ajudar B -- pois isso é a coisa certa e moral a ser feita -- não significa que A deve ser obrigado a sustentar B.

A ideia de que é muito mais humano utilizar a riqueza excedente para criar ainda mais riqueza futura do que consumi-la para imediatamente satisfazer algum desejo de outrem é algo totalmente desconhecido e inimaginável para várias pessoas hoje.



Como os Nazistas e o Islã colocam em xeque a doutrina neoliberal

Segundo diversos intelectuais do movimento liberal e alguns do âmbito conservador; a liberdade de expressão seria irrestrita, portanto, qualquer pessoa teria liberdade para criar qualquer doutrina; seja religiosa, politica, ou de gênero. Segundo eles: "Tudo seria como um livre mercado de ideias, onde a melhor doutrina iria se impor no mundo inteiro". No artigo de hoje vamos entender um pouco mais sobre está questão.

Talvez a nação que detinha maior poder militar na Primeira e Segunda Guerra Mundial fosse a Alemanha Nazista de Hitler. Mas o real poder não estava no poder bélico; mas na unidade de pensamento que havia naquela nação. Não há dúvidas que havia pessoas defendendo que era um absurdo matar Judeus, que era um absurdo fazer guerras, que era um absurdo defender o livre mercado enquanto os pobres morriam de fome. Mas quem disse que a unidade intelectual e social permitia que essas pessoas pudessem ter voz? Sim, elas falavam, mas ninguém ouvia. Era como se a palavra entrasse por um ouvido e saísse por outro.

Por que ocorre este fenômeno?
Este é o fenômeno do "poder doutrinal". Podemos encontrar este fenômeno, nitidamente, na religião chamada Islã; o próprio conteúdo do alcorão vai induzindo a pessoa a ter uma visão de mundo onde não é permitido que outras ideias possam concorrer. Portanto, no próprio âmbito do livre mercado de ideias, haveriam ideias que acabam com o poder de buscar novas ideias. Mas alguém poderia afirmar: "ora, se a ideia fechar a concorrência para outras ideias, logo está ideia, irá cair em descredito." Está afirmação é parcialmente verdadeira, pois ignora o que vimos no exemplo nazista; existe um poder social e cultural, de âmbito territorial, que da mais crédito a uma doutrina do que a outra, independente desta doutrina ser melhor em termos de mercado.

Mas para não ficarmos apenas na cultura dos países do oriente; vamos pensar por exemplo, nas ideias presentes da Islândia. A Islândia é um pais que melhor adotou as ideias do novo mundo ocidental, ali está presente: A ideologia de Gênero; aborto; liberação das drogas; etc. Este é o pais que está abertamente perseguindo à Igreja Católica; a coisa está ficando tão doida, que eles estão praticamente criminalizando o uso de um Crucifixo dentro da própria casa. De fato existe uma Igreja, mas é uma igreja de mentirinha que serve somente ao momento cultural daquele pais. É importante lembrar também que a Islândia erradicou a síndrome de Down na base do aborto [1]. Vemos aqui novamente o poder territorial tendo influencia nas troca de ideias. Mesmo que este pais pregue abertamente a "liberdade de expressão".

Conclusão
O problema do pensamento neoliberal está no fato de que ideias sofrem influencias de território; portanto após sofrerem influencias, essas ideias, podem nos prender de tal modo à determinada ideologia, que acaba matando à própria possibilidade de livre concorrência.

{1} O modo perturbador como a Islândia está "erradicando" a síndrome de Down: https://padrepauloricardo.org/blog/descubra-o-modo-perturbador-como-a-islandia-erradicou-a-sindrome-de-down

Capital Imoral é filosofo, escritor e já refutou Mises.


Os direitos que o governo cria sempre são privilégios para algumas pessoas e obrigações ou ônus para outras. Em nome da igualdade, monta-se uma hierarquia de seres humanos. Uma pessoa deveria ser respeitada por seu valor intrínseco como indivíduo humano, não por fazer parte do grupo A ou B.


Sempre vale repetir.

Para algo ser um direito, seu usufruto não pode levar a nenhum conflito ou a nenhuma contradição lógica.

Se uma pessoa tem um determinado direito, então todos os outros seres humanos devem logicamente ter esse mesmo direito. Não pode haver conflito. Um indivíduo não pode, sem cair em contradição, alegar que possui um direito humano e, ao mesmo tempo, negar esse direito para terceiros. Fazer isso seria o equivalente a admitir que esse direito não é realmente um direito "humano", mas, aí sim, um privilégio.

Adicionalmente, tem de ser possível que todos os indivíduos possam usufruir esse suposto direito simultaneamente. Se, quando eu exerço um direito que alego possuir, estou fazendo com que seja impossível outra pessoa exercer esse mesmo direito ao mesmo tempo, então minha ação implica que este suposto direito não é inerente à natureza humana. Minha ação implica que tal direito é apenas meu, e não de outra pessoa.

Suponha que eu alegue ter o direito de receber serviços de saúde ou de educação gratuitos.

Se tal alegação significa que eu terei acesso a estes serviços sempre que eu quiser ou necessitar (e o que mais ela significaria?), então tem de haver outra pessoa com o dever de me fornecer estes serviços. Ou então, ainda mais realisticamente, tem de haver outra pessoa com o dever de pagar para que eu receba estes serviços.

Médicos e professores não trabalham de graça. E nem deveriam. Logo, se eu quero que eles me forneçam serviços gratuitos, então uma terceira pessoa tem de ter sua renda (propriedade) confiscada para bancar os serviços destes médicos e professores.

E aí começa a contradição: essa outra pessoa não mais tem o mesmo direito que eu tenho. Meu direito é receber serviços gratuitos; o "direito" dela é me fornecer — ou financiar — estes serviços. Meu direito criou um dever para essa pessoa: ela agora é obrigada a efetuar uma ação que ela não necessariamente queria efetuar. Embora nós dois sejamos humanos, a liberdade de escolha dessa pessoa foi subordinada à minha liberdade de escolha. Aquele direito que concedi a mim (saúde e educação gratuitos) está sendo negado a esta outra pessoa, pois ela, ao ficar com o fardo de pagar pela minha saúde e educação, perdeu seu "direito" à educação e saúde gratuitos.

Para que eu adquirisse um direito, essa pessoa teve de arcar com uma obrigação.

Pior ainda: ela teve sua propriedade espoliada, o que seria uma flagrante agressão ao seu direito de propriedade.

Aplique esse mesmo raciocínio a coisas como moradia, transporte, alimentação, lazer, seguro-desemprego etc. Ao dizer que você tem o direito de usufruir estes bens e serviços gratuitamente, você está necessariamente dizendo que terceiros têm a obrigação de fornecer (ou financiar) tais coisas a você.

Você pode acreditar que tem o direito à moradia, mas você não tem o direito de obrigar terceiros a pagar por sua moradia.

Você pode acreditar que tem o direito ao transporte gratuito, mas você não tem o direito de obrigar terceiros a pagar pela sua locomoção.

Você pode acreditar que tem o direito ao lazer, mas você não tem o direito de obrigar terceiros a bancar — ou subsidiar — o seu lazer.

Você pode acreditar que tem o direito à saúde, mas você não tem o direito de obrigar terceiros a pagar pelos seus serviços de saúde.

Você pode acreditar que tem o direito à educação, mas você não tem o direito de obrigar terceiros a pagar pela sua escola ou faculdade.

Todos esses "direitos" exigem que haja uma transferência forçada de recursos (propriedade) de alguns pagadores de impostos para outros cidadãos.

Nenhum desses "direitos" configura um direito humano. Dado que eles significam que indivíduos irão receber saúde, educação, moradia, comida e lazer independentemente do desejo das outras pessoas, então eles não representam direitos humanos fundamentais.

Todos nós temos o direito fundamental de nos oferecermos para comprar ou vender serviços de saúde, educação, moradia, comida e lazer nos termos que quisermos; porém, se não encontrarmos terceiros dispostos a aceitar nossas ofertas, então não temos o direito de forçá-los a aceitá-las.

Sempre que um suposto direito reivindicado por alguém impõe uma obrigação sobre outra pessoa, a qual agora será obrigada a efetuar uma ação, este suposto direito é uma fraude. Na realidade, ele é um privilégio. Ele não pode ser efetuado simultaneamente por ambas as partes sem que haja uma contradição lógica.

Da próxima vez que você gritar "Eu tenho esse direito!", faça a si mesmo a seguinte pergunta: "E de quem é a obrigação?"

Se houver um fardo recaindo sobre um terceiro, o qual agora terá a obrigação de fazer qualquer outra coisa que não seja não coagir você, pergunte-se: "Por que teria eu o direito de subordinar aquela pessoa aos meus caprichos?"


Foi o Thomas Sowell quem melhor resumiu:

"O argumento utilizado pelos defensores da saúde pública é o de que os custos da saúde são altos demais. Sendo assim, a população não tem condições de arcar com médicos, hospitais e remédios. Consequentemente, os serviços de saúde têm de ser fornecidos pelo estado.

Mas se a população não pode bancar médicos, hospitais e remédios, então como é que ela poderá bancar médicos, hospitais, remédios e mais toda uma burocracia federal para administrar todo este sistema de saúde estatal?"

E completou:

"Quando você quer um "serviço grátis", o que você realmente está querendo é dar o seu dinheiro para um burocrata do estado, que então irá repassá-lo terceiros escolhidos por políticos, os quais irão prover o serviço de acordo com critérios especificados por burocratas e políticos, e não por você, consumidor."


"até porque o próprio Judiciário já incorporou tal aspecto e ele também será um grande entrave para essa mudança."

O judiciário e seus membros são o principais propagadores e usufrutuários desta ideia.


Concordo com sua observação. Acredito que daqui mais ou menos 80 pra 100 anos pras coisas começarem a se ajeitar.



"Eu pago imposto, tenho direito".

Então o fato de você ser pilhado deve lhe dar o direito de pilhar os outros para que você seja subsidiado?.

Infelizmente, esses anos e anos de doutrinação esquerdista nas escolas criou um bando de pessoas mimadas que acreditam terem o direito de serem sustentadas pelos outros. E isso independe de classe social. Vale para pobres, classe média, empresários, atores e artistas, cientistas, intelectuais e etc...

Todos acreditando que têm o direito de serem sustentados pelos outros. E o resultado qual foi? Uma legião de bebês chorões cuja única coisa que sabem fazer é "berrar" para conseguir um pouco da "mamadeira".

E infelizmente pelo andar da carruagem será muito difícil reverter esse ideal socialista, até porque o próprio Judiciário já incorporou tal aspecto e ele também será um grande entrave para essa mudança.


É triste viver em uma sociedade imbecilizada,mas precisamos resistir com firmeza pois reformas precisam ser feitas,apesar de sermos libertários anti-estado,mas se tivermos de conviver com o leviatã que ele seja desinflado para alegria dos nossos bolsos.



Sua ironia foi boa. De fato, essa mentalidade é a melhor de todas. "Ei, já que eu pago impostos, então tenho o direito de receber absolutamente tudo o que eu quiser de graça!" E aí simplesmente não há fim para as demandas, que são infinitas por definição.

E o interessante é que ninguém leva essa lógica à sua conclusão suprema e inevitável: se eu tenho direito a tudo pelo simples fato de pagar imposto, então a escassez foi abolida. E o governo de fato é capaz de fazer cair maná dos céus.

O governo é capaz de transformar a escassez em abundância ao simplesmente coletar impostos ou imprimir dinheiro. Vide a Venezuela.

P.S.1: normalmente, as pessoas que mais exigem direitos são as que menos pagam impostos. Funça, por exemplo, paga zero de impostos (entenda por que aqui) e é o que mais exige mordomias.

P.S.2: mesmo pagando imposto, é impossível exigir algo do estado -- mesmo pagando impostos -- sem que isso afete terceiros inocentes. Entenda por que aqui.


Até o imigrante ilegal sente pretensão ao dinheiro dos outros sem ter contribuído um centavo ao sistema. Imagina dizer ao cidadão idoso quem foi espoliado a vida inteira que ele não tem direito à "saúde pública", à "previdência" ou a quaisquer direitos previstos pela seguridade social. Ou dizer isso ao veterano de guerra, por exemplo.

Não acho que educação sobre a falácia dos direitos positivos faça diferença.

Há libertários mais conhecedores de filosofia e economia que nós dois juntos e eles aceitam salários do governo. Nenhum vai rejeitar seu pagamento e ficar desempregado porque o dinheiro vem da coerção estatal. Se gente verdadeiramente educada está aceitando algo do estado, imagina o cidadão que escutou a mitologia estatal por 60+ anos?

A única forma que eu vejo de reverter a situação é simplesmente esperando o estado ficar sem dinheiro e ter de cortar os "direitos" por falta de fundos. Mas mesmo assim, a ideia de que tais "direitos" eram morais e corretos agitará a população para eleger algum "campeão do povo" para trazê-los seus direitos de volta assim que possível. Somente aí entra a importância da educação e o ativismo intelectual libertário em impedir a repetição da tragédia.

O sistema estatal desabará organicamente, queira o povo ou não.


— Se o brasileiro soubesse tudo o que sei, tendo visitado 15 penitenciárias masculinas e femininas, seria muito difícil dormir — completou.


Cármen Lúcia ainda rebateu os críticos e os desafiou a assumir o seu lugar e fazer o que faz. Para ilustrar o momento atual do Brasil, a ministra citou um trecho do poema "Nosso Tempo", do mineiro Carlos Drummond de Andrade: "Os homens pedem carne. Fogo. Sapatos/ As leis não bastam/ Os lírios não nascem da lei/ Meu nome é tumulto, e escreve-se na pedra."


"Querer ter acesso a bens e serviços sem ter desempenhado nada a ninguém significa simplesmente querer escravizar terceiros."

Como assim sem ter desempenhado nada ?

As pessoas pagam IMPOSTOS

Já ouviu falar em Consórcio ? Vaquinha ? Pois é...

Reza a lenda que se tiver mais gente envolvida, o fornecedor ainda dá um desconto maior.


Aqui em banânia e num palpite otimista, talvez umas três gerações (considerando 20 anos para cada). Isso se uma mudança drástica na mentalidade das pessoas, no sistema educacional e no papel do poder público começasse a acontecer HOJE. E havendo boa vontade para tal. Senão, creio que 80 ou 100 anos seria uma expectativa mais adequada.


O problema é que ninguém mais tem autossuficiência e autoconfiança. Todo mundo quer apenas o caminho mais fácil e que garante a vida boa o mais rapidamente possível, não importa quão imoral e antiético seja isso. A clássica confusão entre 'desejos', 'necessidades', 'direitos' e 'deveres' segue ferrando com a cabeça de muitas pessoas.

Além do aumento da quantidade de megafones e da penetração das redes sociais -- que servem para exigir direitos recém-criados --, a sociedade é hoje formada por uma geração que nunca realmente passou por uma crise econômica grave (essa última é peanuts perto do que o país vivenciou na década de 1980). Vários obstáculos reais já foram removidos pelo capitalismo e pelo trabalho das gerações anteiores, de modo que a geração atual quer gratificação instantânea para tudo, e sem ter de passar pelo fardo do trabalho pesado de seus antecessores.

Até que as pessoas mais velhas aprendam a dizer não -- inclusive para essa casta de funcionários públicos sultões que se acham no direito de viver nababescamente à custa dos desdentados -- não haverá progresso. A autossuficiência e a autoconfiança já viraram coisas obsoletas.


Ah, sim, desculpe-me. O gasto real por habitante de fato cai. Muito embora isso não signifique grandes coisas porque:

1) o gasto real per capita também cai quando a inflação de preços dispara e sobe mais do que o próprio aumento de gastos; e

2) o que interessa é o gasto nominal per capita em conjunto com o poder de compra desse dinheiro. Se os gasto nominal por pessoa segue aumentando e este gasto sempre é corrigido pela inflação, isso é o que interessa para fins práticos.

Mas, sim, a sua matemática está certa.



Dúvida:

O Gramsci e o Herbert Marcuse refutaram Marx ?


Essa teoria marxista é coisa de maluco.

Eles não querem estado, mas precisam inchar o estado ao máximo para conseguir isso.

A luta ideológica vai ser mais difícil, quando os comunistas resolverem acabar com o estado.

Como a teoria Marxista dominou a esquerda, isso nunca vai acontecer.

Eu nunca vi um comunista querendo comunismo aqui e agora. Eles travaram na teoria do Marx.

Os proletários nunca conseguiram comandar os meios de produção. Uma prova são as cooperativas de trabalhadores e produtores, que nunca conseguem um marketshare considerável. As cooperativas não funcionam nem com ajuda do capitalismo.


O ressentimento faz parte de nossa existencia, não tem como mudar. Eu particularmente, me ressinto em relação a pessoas superiores, que me humilham. Claro que seria irracional partir pra violencia, então qual é a forma de eu colocar toda essa energia ruim pra fora? Talvez num tipo de ideologia, religião, o que for. A esquerda faz isso, colocam a extrema energia do ressentimento nos ideais deles.


Trazendo para os dias atuais: quando me falam que não posso comentar política/economia porque sou branco, hétero e não sou pobre (miserável), é uma demonstração de polilogia da esquerda?


Creio que você esteja confundindo gasto nominal com gasto real.

Veja, no ano x1 o gasto público nominal per capita é de R$ 20,58. Porém, descontada a inflação (20,58/1,05), o gasto real é de R$ 19,60. Já em dez anos, o gasto real seria de R$ 16,39 (26,71/1,6289).



Maior. Faça a conta.

Por exemplo, após dez anos, os gastos do governo estarão em $ 1.629 e a população será de 61.

O gasto per capita, portanto, estará em $26,71.


Parabéns pelo nível do texto e dos debates.
Vejo como extrema importância a bola levantada da questão ligada a "info wars" que vivemos. A própria questão de colocar o nazismo como direita é efeito disso.
Com o fim da URSS, sobrou para os comunistas a mais sórdida e medonha estratégia de luta para dobrar o ocidente : a guerra de narrativas. Para isso, como fartamente citado aqui, Gramsci foi o estrategista que desenhou o plano de desestruturação do ocidente.
Ao perceber que as nações são construídas pelas tradições e costumes, transmitidas para o indivíduo pela célula mater da sociedade que é a família, Gramsci propôs a tomada dos núcleos de formação intelectual da sociedade, como as universidades, e a doutrinação intelectual desses núcleos para formarem multiplicadores de corrente marxista (jornalistas, sociólogos, juristas, economistas, etc), interferindo diretamente na estruturação desses costumes e tradições. É o chamado Marxismo Cultural.
Após décadas de doutrinação nesses núcleos, sem serem importunados, países mundo afora estão vendo seu tecido social, cultural e moral em frangalhos. Nações estão sendo conduzidas pelo viés marxista, criando forte divisão social, alimentando gritante e falsa luta entre negros e brancos, héteros e homossexuais, pais e filhos, empresário e trabalhadores, desconstruindo e como objetivo final, a própria estrutura psicossocial humana e familiar.
Sem ser dada a devida importância e combate sistemático ao que estamos enfrentando, sem um levante de todos os liberais, libertários, conservadores, cristãos e ateus, para enfrentar decisivamente essa guerra, não vamos conseguir sobreviver como a sociedade que conhecemos e quiçá, como indivíduo.


"Ponto. No entanto, eles podem perfeitamente aumentar mais do que o crescimento populacional. "

Sim, isso é claramente visto, mas não foi essa a minha dúvida.

Vou reformular a minha pergunta pra vê se fica claro.

Imagine um gasto público de R$ 1000,00 e uma população de 50 pessoas no ano X0. Sendo esse gasto corrigido pelo IPCA de cada ano (digamos 5%). O gasto público per capita, nesse exemplo, é de R$ 20,00. Já a população cresce 2% ao ano.

Aqui nesse exemplo o IPCA também está aumentando mais que o crescimento da população.

Qual o gasto público real por habitante no ano X1? Maior ou menor que 20 reais?




Explicado detalhadamente no próprio comentário do leitor.

Vou tentar de desenhar melhor.

No ano de 2017, o governo gasta $100, a inflação é de 3% e a população cresceu 0,5% ao ano.

No ano de 2018, o governo gasta $103 ($100 mais 3% de inflação) e a população cresceu mais 0,5%.

Qual foi o aumento dos gastos? 3%. Qual foi o aumento da população? 0,5%.

Ou seja, os gastos, mesmo em termos reais, cresceram mais que o aumento da população.

Não dá pra desenhar melhor do que isso.

Acho que o que ocorreu é que você se embananou com os conceitos. "Gasto real congelado" significa simplesmente que os gastos nominais não aumentam mais do que a inflação de preços. Ponto. No entanto, eles podem perfeitamente aumentar mais do que o crescimento populacional.

Na prática, se a taxa de inflação de preço for maior que a taxa de crescimento populacional, então o gasto real estará crescendo mais do que o aumento populacional.



Muito bom o comentário do Ari. Explicitou um ponto importante, devemos nos vigiar sempre para não cair no polilogismo. Abraços.


"Eles trocam por "O valor do produto é medido por sua relevância". Relevância que eles colocaram no produto partindo da própria ideologia que afirmam ser absoluta.

E convém, qualquer pessoa que trabalha, independente se é de esquerda, direita ou libertário, não perderia tempo com arte, e duvido que ate mesmo os que fazem assistiriam se tivessem que pagar para entrar."

Existem muitos museus, teatros, etc, nos quais várias pessoas pagam para entrar. Muitos consideram relevante. O resto, concordo.


"o que significa que os gastos reais por habitante também crescerão."

Não entendi. Como que o gasto real por habitante está aumentando se ele o gasto real está congelado e a população aumentando?


O Iluminismo que desencadeou a sangrenta Revolução francesa, transformou o mundo numa latrina socialista que possibilitou o surgimento de figuras nefastas como Karl Marx e seus discípulos assassinos: Lênin, Stalin, Mao, Pot, Fidel, Maduro, gordinho coreano, FHC-Lula, e similares.

Hoje, na China temos um lider maoísta e na Russia um lider stalinista, ou seja, a tirania socialista está mais viva do que nunca.

A nossa sorte é que a abortista Hillary perdeu as eleições.


ad hominem nao deixa de ser falacia mas eh figurinha carimbada nas discussoes brasil a fora
pelo menos quem sabe o que eh nao tem problema nenhum em expor o interlocutor pelo uso do recurso


/Off Topic
Bom dia, pessoal
Há um tempo, lembro-me que li um artigo sobre direitos autorais de livros na Alemanha, mas já não encontro mais. Alguém poderia mandar o link?



É mesmo? Quem inventou essa tese de que não existe déficit foi uma pesquisadora chamada Denise Gentil. Segundo ela, o déficit da previdência é forjado.

www.adunicentro.org.br/noticias/ler/1676/em-tese-de-doutorado-pesquisadora-denuncia-a-farsa-da-crise-da-previdencia-social-no-brasil-forjada-pelo-governo-com-apoio-da-imprensa

Só que essa mulher nem sabe separar rubricas. Ela mistura a receita da Previdência com a receita da Seguridade Social (que abrange Saúde, Assistência Social e Previdência) e então conclui que está tudo certo.

Nesta entrevista dela, ela diz isso:

"O cálculo do resultado previdenciário leva em consideração apenas a receita de contribuição ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) que incide sobre a folha de pagamento, diminuindo dessa receita o valor dos benefícios pagos aos trabalhadores. O resultado dá em déficit."

Certo. Esse é o cálculo da previdência. Receitas da Previdência menos gastos com a Previdência dão déficit, como ela própria admite. Ponto final.

Mas aí ela complementa:

"Essa, no entanto, é uma equação simplificadora da questão. Há outras fontes de receita da Previdência que não são computadas nesse cálculo, como a Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), a CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) e a receita de concursos de prognósticos. Isso está expressamente garantido no artigo 195 da Constituição e acintosamente não é levado em consideração."

Ou seja, o argumento dela é o de que as receitas para saúde e assistência social devem ser destinadas para a Previdência, pois aí haverá superávit.

Ora, isso é um estratagema e tanto. Por esse recurso, absolutamente nenhuma rubrica do governo apresenta déficit, pois basta retirar o dinheiro de outras áreas para cobri-la. Sensacional.

A quantidade de gênios que o Brasil produz é assustadora.

Não deixa de ser curioso que nem o próprio governo petista quando estava no poder -- em tese, o mais interessado no assunto -- encampou a tese dessa desmiolada.

De resto, o que realmente importa não é a qualidade da gestão do INSS. Mesmo que a Previdência fosse gerida por anjos probos, sagazes e imaculados, ainda assim ela seria insustentável no longo prazo. Por quê? Por causa da demografia.

O problema da previdência é totalmente demográfico. E contra a demografia e a matemática ninguém pode fazer nada. Quando a Previdência foi criada, havia 15 trabalhadores trabalhando e pagando INSS para sustentar um aposentado. Daqui a duas décadas será 1,5 trabalhador trabalhando e pagando INSS para sustentar um aposentado.

Ou seja, a conta não fecha e não tem solução. O problema é demográfico e matemático. Não é econômico. E não há ideologia ou manobra econômica que corrija isso.

Uma proposta para uma reforma definitiva da Previdência


Ora..se ja provaram que não existe déficit da previdencia vcs ainda insistem nisso ?


Existe alguma estatal boa? Qual estatal é a mais eficiente do mundo? Ou melhor, qual das estatais é a menos pior rs rs?

Nasa? BBC?



E falando em Xicinismo...


Bao Tong, o mais alto funcionário do Partido Comunista a ser encarcerado por simpatizar com os protestos da Praça Tiananmen de 1989, até hoje rigorosamente vigiado pelo despótico PCC tece duras críticas ao presidente Xi, que ele descreve como um "hard-liner" e um retorno para Mao Zedong.

No mês passado, o Partido Comunista consagrou o nome de Xi em sua constituição, uma vez que lhe concedeu mais cinco anos de poder: o pensamento de Xi Jinping agora está ao lado do Pensamento Mao Zedong e da Teoria Deng Xiaoping no cânone ideológico do partido.

"É chamado de Pensamento Xi Jinping, o novo pensamento, mas são apenas ideias antigas, não idéias novas", disse Bao. "Ideias como 'o partido leva tudo' - são citações exatas de Mao Zedong. Por que chamá-los de novas idéias? "

Bao conhece muito bem a loucura que pode ser desencadeada quando um homem se eleva ao poder absoluto sobre o povo chinês, e quando as autoridades estão com muito medo de lhe dizer quando ele está errado.


https://www.washingtonpost.com/world/asia_pacific/chinas-all-powerful-leader-should-heed-the-lessons-from-history-former-official-says/2017/11/09/22e7987a-c39a-11e7-a441-3a768c8586f1_story.html?utm_term=.5cb5ad63b763


O nacional socialismo é um sistema ultrapassado, e não funcionaria mais nos dias atuais, embora muitos insistem com essa ideologia. Muitos usam argumentos de Nietzche para justificar o nacional socialismo, mas Nietzsche vai muito além do nacional socialismo. Eu demorei pra entender Nietzsche, hoje em dia cada vez mais gosto da filosofia de Nietzsche. Vai muito além da visão superficial do ser superior oprimindo o mais fraco, que os reacionários em geral pensam. Nietzsche é a morte como suicídio, em oposição a morte como acidente, algo extremamente dificil de ser alcançado, e é o tipo de pensamento que mais vai contra o sistema materialista vigente no mundo, pois é um pensamento que tira o homem da realidade, podendo se tornar ate loucura.