clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


Um país com renda per capita de 10 mil dólares não pode ser considerado rico...mas foi bom falar da China, pois ela serve de exemplo para um fato: uma nação até pode alcançar um padrão de renda médio com políticas estatizantes; é o caso da China, e é o caso do Brasil. Mas, se continuar nesse caminho, vai se estagnar. Para subir de patamar, e se tornar rica, não tem jeito: são necessárias altas doses de liberalismo econômico.


O único jeito é, como diz no nosso hino nacional, "Em teu seio, ó liberdade, Desafia o nosso peito a própria morte!"


Leia a constituição brasileira, a lei que se sobrepõe a todas as outras, e conte quantos direitos nós enfiamos lá para cada um dos participantes do governo sustentar o sistema do jeito que está.

Já dar um "direito" mínimo para o máximo possível de gente foi a idéia mais genial que tivemos. Assim todo mundo quer sustentar as coisas do jeito que estão. Trouxemos o povo brasileiro inteiro para dentro do governo!
Uma teta para cada um, assim não tem briga. A maior é minha.

Assim você vai ter uma noção do tamanho do problema. É melhor você desistir.


E o pior é que, se duvidar, essa vai ser a única resposta mesmo. Ou seja, o único exemplo prático encontrável ocorreu há 5.100 anos. Boa.


Sim, vira e mexe um desesperado posta essa matéria (não tem outra? É sempre a mesma?) criticando os índices de liberdade da Heritage. Como tais índices não colocam os escandinavos como países abertamente socialistas, a esquerda menstrua e faz biquinho e grita: "tá errado!"

Típico. E esperado.

Mas não tem problema, não. Pelo bem do debate, vamos partir do princípio que os índices sejam ruins mesmo.

E então, qual o ponto? O item 1 nem sequer os mencionou. O item 1 cita o site DoingBusiness, o qual, ao contrário de Heritage e Fraser, é totalmente objetivo, e não subjetivo. O DoingBusiness lida apenas com coisas palpáveis, como "tempo para se abrir empresas", "facilidade de contratar e demitir", "facilidade de conseguir permissões para a construção civil", "tempo gasto para pagar impostos", "burocracia para conseguir alvarás", "facilidade de crédito", etc.

Qual a crítica? Você tem alguma ao DoingBusiness?

Já o item 2 de fato cita Heritage e Fraser, mas só de passagem. (Aliás, ao recorrer ao Heritage para citar Bélgica e Maurício, o próprio autor deixa claro que este poderia ser um argumento contra ele próprio; curiosamente, ao criticar esses índices, você acaba dando ainda mais munição para o próprio autor....)

Mas vou dar de barato essa e facilitar para você. Vamos lá. Você diz que a metodologia de tais índices é ruim. Beleza. Qual a importância disso? Nenhuma. Sabe por quê? Porque desde que a metodologia seja a mesma para todos os países mensurados, e se mantenha a mesma ao longo do tempo, a serie histórica formada será perfeitamente comparável. E é isso o que importa.

Exemplo: eu mesmo sou crítico da metodologia do IBGE para mensurar taxa de inflação e taxa de desemprego. Mas isso é imaterial. Desde que a metodologia seja a mesma ao longo do tempo, a tendência histórica que os números mostram para inflação e desemprego é o que interessa. Pouco importa se a inflação ou o desemprego mensurados estão 100% corretos ou estão muito errados; o que interessa é que, se a metodologia for constante ao longo do tempo, a série histórica trará números perfeitamente comparáveis e permitirá saber qual a tendência tanto do desemprego quanto da inflação.

Sacou?

No aguardo de mais biquinhos e menstruações. Ah, sim, e de uma resposta concreta pras duas perguntas.



Quem rouba não são os imigrantes, é o governo Hobin Hood (o malvado) administrado pelo nosso bando de políticos alegres (os bondosos).

Afinal, nós precisamos comer, o Frei Tuck aqui aprecia muito uma bebida. Ele merece ao menos isso.

Estamos fazendo um trabalho brilhante de promoção de justiça social (seja lá o que for isso, justiça já é um conceito meio abstrato, social é um conceito coringa que muda de acordo com a necessidade do orador, junta o abstrato com o maleável e voce tem um termo que dá para usar em qualquer discurso).

Os imigrantes apenas estão recebendo com uma mão o que o governo esta expropriando com a outra (para uma boa causa, sempre), e os políticos alegres estão dando uma mordidinha inocente, recolhendo seu pedágio merecido por tanto trabalho criando leis e normas para humanizar essa sociedade bárbara de pessoas livres. Se deixar vocês decidirem por si só vira um caos!

Os imigrantes apenas estão fazendo com que o governo tenha que tirar mais de quem produz e nós tenhamos que recolher um pedágio maior. Não é culpa deles!

Humm quanto mais o governo precisa tirar maior o nosso pedágio. Que delícia!

Não existe nada mais justo que o trabalho do Hobin Hood. Qualquer um que leu a fábula entendeu que roubar do rico para sustentar o probre é justificável. E a gente precisa comer também!

Um país deve ser um sistema tal que quanto mais recursos, mais eficiente o sistema fica para produzir.
Pessoas são o recurso mais poderoso, capaz de se organizar e agir sozinho, além disto essas novas pessoas precisam consumir para viver. É um ciclo virtuoso.

Esse sistema descrito parece ser o contrário. Mas não importa, vai dar tudo certo, sabemos como ser altruístas e sempre colocar o interesse de pessoas que nem conhecemos pessoalmente acima do interesse do nosso bando.


"Qual país era pobre e, apos adotar um governo inchado e intervencionista, se tornou rico?"

O Egito de Narmer.


Tá certo que muito do que é ensinado nas nossas escolas é coisa que nunca vamos usar na vida e que o sistema escolar deveria ser reformulado para dar mais liberdade de escolha (ex.: só ensinar história, geografia, física, química e biologia para quem pretende seguir carreira nesses ramos), mas a prioridade para uma criança devem ser os estudos. Afinal, numa sociedade como a nossa, sem estudos você não é ninguém, a menos que seja filho de rico. E, com a tendência de a automação destruir empregos que requerem pouco estudo, isso só vai piorar nos próximos anos.



Historiador,

o Roberto Campos já disse que as convicções dele foram mudando de acordo com o tempo, até mesmo o Delfim Neto já falou que Campos disse uma vez para ele:"Delfim, eu perdi muito tempo, só deveria ter lido Hayek". Isto nos anos 80 e 90 que houve a conversão.

Aqui uma matéria sobre isso:O pregador incansável do liberalismo

Abraço


Eu postarei a matéria sobre a falácia dos índices de liberdade econômica dos países que vocês citaram como se fosse a única ferramente que possibilitou todos a enriquecerem, mas sim com a ajuda do Estado.

Os chistes sobre índices de liberdade econômica

Inclusive sobre a falácia da África de Leandro Narloch.

Abraços.


O nazismo foi um regime socialista, totalitário, e genocida, IGUAL aos seus compadres bolcheviques. Hitler admirou-se com a maquina de matar sovietica, que desenvolveu formas de "produçao" eficazes para matar. Copiou o máximo que pode, existem acordos entre a KGB e a gestapo, acordos firmados para transferir conhecimento e tecnologia da "industria da morte" stalinista. Quem diz q Hitler e Stalin eram inimigos e que o nazismo não era uma forma de socialista está muito enganado. Assinaram muitos acordos de cooperação, e transferências de informação. Dividiram a ucrania em 2.
A diferença reside no fato que Hitler praticava genocidio baseado nas diferenças de raça, e os bolcheviques praticavam genocidio contra os que eles consideravam ineficientes e sem serventia para o trabalho.


O que acham dessa atitude do CONAR?

https://www.flatout.com.br/interlagos-podera-ter-condominios-fiat-argo-se-envolve-em-acidente-durante-testes-futura-ferrari-488-gto-em-testes-e-mais/

Tudo bem, é uma instituição privada, mas essa regulação parece estatal.



Muito bom este podcast! O Felipe é um jornalista correto e inteligente, vai na contra mão dos velhos jornalistas de esquerda.



mas eles sempre pensam que a direita é representada pelos tucanoides. Não passam de ignorantes q mal entendem a realidade q os cerca


Essa sua pergunta me lembra dessa notícia aqui.

https://noticias.bol.uol.com.br/internacional/2010/08/19/ausencia-de-lei-de-direitos-autorais-era-o-motivo-da-expansao-industrial-na-alemanha.jhtm



Aproveitando essa carcada, faço um adendo.

Essa ideia de que a Suécia é um "paraíso social-democrata" pode ser completamente refutada ao se olhar aquela variável que explicita totalmente a preferência das pessoas: a migração.

Se a vida na Suécia é essa doçura toda, então o país teria de estar repleto de imigrantes, especialmente oriundos de países ocidentais "capitalistas selvagens", que não dão "proteção social" às pessoas.

E, no entanto, quando se confere a lista de pessoas que imigram para a Suécia, só tem país do Oriente Médio ou da própria Escandinávia!

en.wikipedia.org/wiki/Demographics_of_Sweden#Demographics

Ué, por que o resto da Europa não corre pra lá? Por que americanos e asiáticos não correm pra lá? Estranho...


Ao meu ver o problema (e a solução) está sempre na Ação Humana.

O Estado em si não existe. O que se interpõe de fato na vida das pessoas são outras pessoas, munidas de legitimidade consagrada por massas, voltadas a um princípio ou a um fim.

Compliquei? Descomplico dando exemplos básicos.

1- Suíça: Por que raios em uma nação com um regime democrático direto, as massas são quase sempre propensas ao liberalismo? Cultura. A maioria daquele povo não gosta de burocracia, tão pouco sente inveja do seu semelhante, e apóia o crescimento individual e a riqueza de suas empresas. Existe burocracia? Claro. Porém mais pela questão da escolha pública.

2- Venezuela: Por que as massas só começaram a peitar Maduro nos últimos tempos? Fome. Exatamente. Por que o estômago gritou. Até poucos meses, a maioria ainda tendo o que comer achava os desmandos do ditador uma beleza, pois tem em sua natureza a inveja e a preguiça.

Logo, a Ação Humana sempre será um obstáculo ou uma ponte. Depende do povo.


"Hong Kong é um saco"

Tranquilo. É só você não ir pra lá.

"...densamente povoada ,morando em cubículos empoleirados em espigões de 200 andares....sub habitações verticalizadas."

E qual seria a alternativa para alojar 7,3 milhões de pessoas em ínfimas porções de terra? Se você souber de uma solução que revogue a física, anuncie ao mundo.

"Pra mim não é exemplo de nada."

É porque você ou não tem inteligência ou tem problemas com a lógica.

Se 7,3 milhões de pessoas migraram para lá para viver aglomeradamente, então é porque a cidade-estado oferece oportunidades. E dado que lá não há rede assistencialista (ao menos, não como nos países europeus), então essa gente foi pra lá para realmente trabalhar e produzir.

Alguma surpresa com o fato de tal localidade ter deixado de ser uma favela a céu aberto e se transformado numa das 5 maiores rendas per capita do mundo (maior, inclusive, que a de sua ex-metrópole, o Reino Unido)?

Se isso, para você, "não é exemplo de nada", então você acabou de deixar claro que é um mero ideólogo que venera parasitismo e despreza produtividade.

"Suécia, Dinamarca , Noruega ....aí sim ....o bem estar social é a solução para os nossos problemas."

Não entendi muito bem. O pronome "nossos" está na verdade se referindo a "deles", né?

Sim, porque se você acha que a única coisa que o Brasil precisa fazer para se tornar uma Suécia é aumentar impostos, então de fato você deu tchau para qualquer bom senso.

Mas vamos aos números. Você sabia que o gasto do governo federal brasileiro (sem o serviço da dívida é de é de 20,2% do PIB, e que este valor é maior que o de países como Áustria (20,1%), Reino Unido e Alemanha (ambos com 19,4%), Itália (19%), Portugal (18,1%), Austrália (18%), e Suíça (11,3%)?

Confira nolink do Banco Mundial, selecione cada um destes países, espanta-se.

Ou seja, se o Brasil quiser ser uma Alemanha, o governo teria de reduzir seus gastos em quase um ponto percentual. E se quisermos ser uma Suíça (por que não?), o governo federal teria de reduzir seus gastos à metade! Explique essa.

Ah, sim. Quer ser igual aos nórdicos? Eu também. Eis o que temos de fazer para ser iguais aos nórdicos.

Para começar, os países escandinavos tributam pouco as pessoas produtivas da sociedade. O imposto de renda de pessoa jurídica é dos menores do mundo. A alta carga se concentra nos impostos indiretos e também nas pessoas físicas de renda mais alta (o que de pouco adianta, pois tais pessoas sempre conseguem driblar as regulamentações e evadir esses impostos).

Aos dados:

Segundo o site Doing Business, nas economias escandinavas,

1) você demora no máximo 6 dias para abrir um negócio (contra mais de 130 no Brasil);

2) as tarifas de importação estão na casa de 1,3%, na média (no Brasil, se você quiser importar pela internet, pagará no mínimo 60%);

3) o imposto de renda de pessoa jurídica é de 15% (no Brasil, chega a 34%);

4) o investimento estrangeiro é liberado (no Brasil, é cheio de restrições);

5) os direitos de propriedade são absolutos (no Brasil, grupos terroristas invadem fazendas e a justiça os convida para um cafezinho);

6) o mercado de trabalho é extremamente desregulamentado. Não apenas pode-se contratar sem burocracias, como também é possível demitir sem qualquer justificativa e sem qualquer custo. E tudo com o apoio dos sindicatos, pois eles sabem que tal política reduz o desemprego. Não há uma CLT (inventada por Mussolini e rapidamente copiada por Getulio Vargas) nos países nórdicos.

O único quesito em que os nórdicos superam o Brasil em ruindade é no IRPF, cuja alíquota máxima lá é maior que a daqui.

Aliás, na classificação do Instituto Fraser, a Suécia e a Dinamarca possuem mais liberdade econômica que os EUA no que diz respeito à estrutura legal e aos direitos de propriedade; a moeda é mais sólida (temos menos inflação), o comércio internacional é mais livre e menos protecionista, e as regulamentações sobre as empresas e sobre o mercado de crédito são mais baixas. Não há uma aquela infinidade de leis que regulamentam profissões e licenças ocupacionais, as quais bloqueiam a concorrência em vários outros países.

Sim, deveríamos ser mais parecidos com a Suécia - quer tentar?

Cinco fatos sobre a Suécia que os social-democratas não gostam de comentar

Todos os socialistas querem ser a Dinamarca - será mesmo?

Mitos escandinavos: "impostos e gastos públicos altos são populares"


Mas, infelizmente, não temos como copiar os nórdicos, por esses motivos:
A social-democracia no Brasil entrou em colapso - abandonemos os delírios e sejamos mais realistas

"Impostos sim ,mas que não sejam roubados e sim retornem para o bem estar da população."

Frase inócua. Nunca ouvi uma única pessoa dizendo "impostos sim, e que eles sejam desviados e usados por políticos como eles quiserem".

Aliás, esta sua frase é tão desprovida de originalidade, que ela pode ser aplicada a qualquer país, da Bolívia à Suíça, do Senegal a Hong Kong, da Rússia ao Canadá.


Para reduzir o tamanho do estado apenas com revolta e desobediência civil, coisa que brasileiro foi doutrinado a não fazer no período de educação marxista, mude uma geração e cria uma nação de BANANAS.
Aqui a luz no fim do túnel é um trem quebrado.


Para deixar bem claro te aconselharia procurar um psiquiatra . Já que você ''defende'' uma escola de psicopatas que se dizem filósofos ! . Acorda meu caro .


"É claro que imigrantes sempre são bem-vindos do ponto de vista libertário"

Não, nem sempre. Quem decide quem entra no território é o dono do território.


Hong Kong é um saco....densamente povoada ,morando em cubículos empoleirados em espigões de 200 andares....sub habitações verticalizadas. Pra mim não é exemplo de nada.

Suécia, Dinamarca , Noruega ....aí sim ....o bem estar social é a solução para os nossos problemas. Impostos sim ,mas que não sejam roubados e sim retornem para o bem estar da população.



Apesar de ter sido uma clara (e espirituosa) ironia de sua parte (pois, realmente, toda a esquerda responderia isso), vale a pena aproveitar o gancho.

1) Para começar, a China só começou a crescer exatamente quando ela reduziu seu estado, a partir de meados da década de 1970. Ele não começou a crescer após ter aumentado o estado (mesmo porque, nem tinha como aumentar). Isso não é nem economia, mas sim história.

Agricultores heróicos e propriedade privada - como começou a revolução capitalista chinesa

A China comunista e os seus campos de morte

E qual o tamanho real do estado chinês em relação ao PIB? Vou apenas colocar os dados do Banco Mundial:

data.worldbank.org/indicator/NE.CON.GOVT.ZS?end=2015&locations=CN&start=1978&year_high_desc=true

2) Quanto ao item 2, a China tem um padrão de vida superior a qual outro país similar e de livre mercado? Vale ressaltar que a renda per capita chinesa é inferior inclusive à brasileira.

Tenta de novo. E aprenda a ler melhor da próxima (embora tenha sido uma clara ironia de sua parte, pois sei que está apenas zoando a esquerda)


Não tenho dúvidas em afirmar que o Brasil é o principal exemplo de "modelo estatista destruidor de riquezas abundantes" que existe no planeta.
Algumas de nossas características que já teriam sido suficientes para nos tornar uma Nação rica: temos uma farta riqueza de recursos da natureza, temos a 5.ª maior população e um dos maiores territórios do mundo, temos ainda uma vocação mais do que natural para o comèrcio exterior com a maior diversidade cultural do planeta.
É óbvio que o fracasso do Brasil como Nação é o tamanho do seu governo, uma tragédia sem fim e sem luz no fim do túnel, pelo simples fato de ser praticamente impossível desmontar toda essa estrutura montada ao longo da nossa história onde o Estado e seus parasitas do dinheiro alheio são onipresentes.


Mas falando sério agora. O ponto crítico do estado de bem-estar social é a imigração predatória: Aqueles imigrantes que vão a um determinado país apenas para aproveitar as benesses "gratuitas" do estado - em outras palavras, aqueles que irão consumir os impostos dos outros. É exatamente o que a Europa está passando por hoje. É claro que imigrantes sempre são bem-vindos do ponto de vista libertário, mas são bem-vindos apenas para trabalharem e serem produtivos, não para roubarem dos outros.

Por conta disso, o estado de bem-estar social atinge um ponto onde os gastos totais não servem apenas para trazer os supostos benefícios aos pagadores de impostos, mas servem também para manter pessoas que não irão contribuir em nada no crescimento (ou manutenção) do sistema produtivo vigente. E com isso o sistema tende a entrar numa espiral descendente: Os gastos irão explodir e as receitas despencar.

Aqui na América Latina isso aconteceu muito rápido pois nunca fomos produtivos mesmo. Mas agora a Europa irá mostrar isso tudo em sua plenitude.


1. Você consegue citar uma nação que tenha se tornado rica enquanto praticava políticas estatizantes?

China

2. Você consegue citar uma nação com um governo grande e intervencionista que esteja superando economicamente uma nação similar que tenha um governo pequeno e um livre mercado?

China


A China refuta a todas as certezas que o site vem propagando...é um caso a ser estudado.


"Infelizmente, este é um desafio que ainda não foi solucionado: como conter o crescimento do estado em uma economia livre."

Sorrisinho maroto dos Ancaps ao ler isso


Continua exatamente ali no canto direito. Há a aba "mais acessados" (das últimas 12 horas) e há a aba "comentários".

Clique na aba "comentários".


Questão 1 - Analise as proposições abaixo e assinale a alternativa correta.

A Suécia não precisa de leis trabalhistas nem de leis antitruste.

PORQUE

A Suécia é rica.

a) As duas assertivas estão corretas e a primeira é a justificativa da segunda.
b) As duas assertivas estão corretas e a segunda é a justificativa da primeira.
c) As duas assertivas estão erradas.

Se você precisasse passar no vestibular, qual alternativa assinalaria?


Off topic

Por que não consigo visualizar os comentários recentes na página inicial?


"Teria que ser um candidato que não tenha medo de críticas, aliás deste ponto de vista confesso ser um fã declarado de Roberto Campos, era ele praticamente sozinho contra toda a esturpe keynesiana, ainda mais no fim do cenário da Guerra Fria."

Eu também era fã, mas mesmo ele cedeu e se acoelhou.

Ao tentar se eleger senador em 1998, ele utilizou como mote em sua propaganda eleitoral o fato de ele ter sido o criador do FGTS*. De nada adiantou o apelo populista. Perdeu para o brizolista Saturnino Braga.


* Por uma questão de justiça, vale ressaltar o ambiente que levou à criação do FGTS por Campos, em 1966. À época, as centrais sindicais estavam fazendo barulho exigindo que o governo aprovasse uma lei que simplesmente instituísse a estabilidade no emprego no setor privado. Imagine se essa estrovenga fosse aprovada? Todos os trabalhadores do setor privado passar a ser como funcionários públicos, com estabilidade no emprego e sem poder ser demitidos.

Campos então criou o FGTS, o qual teria exclusivamente função de acobertar o trabalhador em caso de demissão. Seu uso para financiamento habitacional só viria a ser instituído depois, por outros políticos.

Eis o que Campos escreveu sobre o FGTS em seu livro Lanterna na Popa:

"A finalidade do FGTS era criar um pecúlio financeiro permanente, em substituição ao instituto da estabilidade no emprego, que previa uma indenização somente no caso do desastre da despedida. [...]

A criação do FGTS foi uma das reformas sociais mais importantes, e mais controvertidas, do Governo Castello Branco. Havia o "mito da estabilidade", tido como a grande "conquista social" do governo Vargas. Mito, porque a estabilidade, após dez anos de serviço na empresa, se havia tornado em grande parte uma ficção.

Os empregados eram demitidos antes de completado o período de carência, pelo receio dos empresários de indisciplina e desídia funcional dos trabalhadores, quando alcançavam a estabilidade. Os trabalhadores, de seu lado, ficavam escravizados à empresa, sacrificando a oportunidade de emigrar para ocupações mais dinâmicas e melhor remuneradas.

Os empresários perdiam o investimento no treinamento; as empresas mais antigas, que tinham grupos maiores de empregados estáveis, eram literalmente incompráveis ou invendáveis por causa do "passivo trabalhista". Muitas empresas não mantinham líquidos os fundos de indenização de despedida, ou sequer os formavam, criando-se intermináveis conflitos na despedidade de empregados.

Foi precisamente um desses casos típicos de rigidez estrutural nas relações de trabalho que deflagrou a busca de uma solução mais flexível, tipo FGTS. Era o caso da Fábrica Nacional de Motores (FNM) em Xerém, Rio de Janeiro.(…) Havia 4000 funcionários, na grande maioria estáveis. Quem a comprasse, compraria um imenso passivo trabalhista.(…)

"Daí se originou a fórmula do FGTS, de substituição da estabilidade por um pecúlio financeiro, em conta nominal do empregado, que ele poderia transportar de empresa para empresa. Não haveria encargo adicional para as empresas e nenhum empuxe inflacionário, pois a contribuição de 8% do empregador, para a formação do FGTS, era compensada pela eliminação de vários encargos sociais que representavam 5,2% da folha e pelo Fundo de Indenização Trabalhista, quer representava 3%(…)"



"Trump, como praticamente todos os políticos hoje, SEMPRE esteve no bolso desses globalistas."

Ora, mas este sempre foi exatamente o ponto. Os anti-globalistas votaram no Trump exatamente com o argumento de que, pelo fato de ele já ser bilionário e poderoso, ele seria incomprável, incorrompível e incorruptível. Ele não cederia aos interesses dos globalistas e não seria controlado por essa gente.

(Argumento semelhante, embora em nível municipal, foi usado por vários pobres que votaram em João Dória: "Como ele já é rico, não vai querer roubar da gente").


É falta de opção mesmo. Convenhamos, melhor um Dória do que um Ciro Gomes, Marina, os caciques etc.

Vamos ser sinceros: dificilmente o Brasil vai se tornar um país liberal até a próxima década.


Eu não entendo porque toda a discussão conservadora sobre a remoção do feto vem acompanhada da foto de uma criança.


Nem animais e nem seres humanos possuem espírito. No feto humano, o sistema nervoso central começa a se desenvolver a partir dos 2 meses de gestação.


O texto é quase perfeito ao tratar do estelionato eleitoral do Trump(talvez o maior da história) mas peca por não falar sobre o pq disso: Trump, como praticamente todos os políticos hoje, SEMPRE esteve no bolso desses globalistas.
A coisa já chegou num patamar que, sinceramente, eu acho impossível bater de frente contra essa máfia.
A quantidade de poder, dinheiro e de manipulação que essa cambada de Soros e cia possuem é avassaladora. Achar que por meio da internet seja possível quebrar isso beira a ingenuidade. Agora na França está acontecendo a mesma coisa, todos já correram pra apoiar o "centrista" Macron e mesmo a Le Pen, salvo as críticas à invasão daquela corja na França, tem um programa de governo totalmente intervencionista.


KKKKKK

Verdade..
Socialistas são ótimos em socializar os bens alheios.
Quer achar um socialista num churrasco?
Fácil, é aquele que chega com kaiser (quente, ainda por cima) e linguiça sebosa, mas só toma Heineken e come picanha...


Sou novo, mas não gostei. Vocês não falaram nada sobre liberalismo =/
Lula que se foda e seja preso. Assim como a Dilma, Lula, FHC, Sarney e etc.


Mas o site evolui nisso a muitos anos pelo que acompanhei (provavelmente 2 dias após sua criação), de liberal clássico para anarcocapitalista.

Uma baita evolução, diga-se de passagem.


Não necessariamente, o ponto é o excessivo centralismo em Bsb.

Um passo á frente seria o estabelecimento de distritos e subdistritos para o nível de entes federados, com arrecadação e gestão próprias e câmaras comunais.

Um segundo e terceiro passos, seriam o fim dos regimes compulsórios de contribuição, trabalhistas (extinção da CLT e do regime estatutário), reforma eleitoral com inexigibilidade de filiação partidária para postular cargo eletivo e extinção de fundos partidários.


Nem sempre as causas das escolhas eleitorais são só econômicas (é um fator muito importante porém não o único); é bom frisar que o viés político do eleitorado estadunidense é alternar o poder em Washington.

Tanto que nem democratas (tendem ao welfare state) e nem republicanos (tendem a maior liberalismo e menos estado) costumam passar de 3 mandatos seguidos.



Quem manda nos EUA é a imprensa. Mesmo Trump não tem poder para enfrentar todo o Stabelishment. Quem tem poder não é o presidente e sim a imprensa!
Por este motivo ele precisou fazer escolhas dentro de seus meios de ação e priorizar ações mais importantes! Vamos aguardar para ver.


Difícil entender é como vocês ainda acreditam em Liberalismo .....nunca será implementado em sua forma Full (100%) em nenhum lugar do mundo....será sempre uma UTOPIA, pois nunca haverá Estado zero , sempre haverá protecionismo.....sempre haverá um ESTADO e suas intervenções, sempre haverá políticos.

Mas como a Escola de Samba de Padre Miguel já cantarolava na avenida : "Sonhar não custa nada...."


Olá caros amigos, vcs vem passando por uma reformulação no site, isso é bom. Porem sugiro q n deixem a fonte nesse estilo similar ao negrito e talvez mudar até a fonte. Bom, nao sei q fonte encaixaria melhor, mas deixo minha sugestão


Concordo parcialmente com o artigo.

O Trump não vai fazer tudo que disse, mas não existe essa igualdade entre os políticos.

Isso é a mesma coisa que comparar um estuprador japonês de 1,60 com um negão de 2 metros. Se o estupro é inevitável, que seja feito pelo japonês de 1,60.

Por pior que seja esse partido republicano, eu prefiro eles do que os esquerdistas.

Os partidos de esquerda enganam os pobres e os de direita fazem de conta que existe liberdade. Os políticos transformaram os governos em especialistas em enganação e mentiras.



Mises Brasil, eu acho que vocês não tão sendo um pouco equivocados em escrever essa materia a respeito do Milton Friedman, acho que nos liberais deveriamos se unir mais do que se separar porque de fato ele contribuiou muito na sua forma bem didatica de transmitir os pensamentos de livre mercado e livre iniciativa, e ainda por cima ele tem muitos vídeos no youtube, isso ajuda a divulgar mais o Liberalismo no Brasil que de fato é pouco conhecido, é mais difamado, porque nosso país existe pouca polittização.


Dória é social-democrata. Ele próprio falou isso.

E vários liberais estão apoiando o cara por falta de opção.


A Argentina já fez algo parecido, mas usou aviões. Resolveu?

Já no leste europeu, que viveu o socialismo de verdade, talvez o povo tenha imunizado dessa doença mental depois de contrair ela e desenvolver anticorpos.


Cuba não é a Venezuela, mas tem um documentário recente que aparece o Chávez, se chama Documento Verdade vai até Cuba.

É interessante ver tudo, em especial os minutos 7, 23, 50, e 62.
Veja a situação de moradia e trabalho, e as declarações de "nenhum direito a menos". Lembre ainda que eles ainda precisam medir bem as palavras para não se enrolar.

Já ouvimos suíços reclamando que os franceses iam trabalhar no país deles!
Lá foi rejeitado por referendo a implantação do salário mínimo.

Coloque isso em perspectiva com os depoimentos dos cubanos e pense, será que com o porto que o Brasil construiu via empreiteira enrolada com cláusulas protegidas por acordo diplomático
mais a aproximação com os estados unidos vai resolver transformar a ilha em um paraíso caribenho? Vai ter gente nadando pra chegar lá?

Talvez o problema seja esta expectativa de um direito. Se você tem direito, quem vai atender?
O políticos não servem, eles são servidos.


Você também esta correto no segundo ponto.

Se acontecer outro movimento sério separatista em SP, RS ou qualquer outro lugar de novo, provavelmente vai ter o mesmo resultado dos outros. Guerra civil de novo. O mapa não muda. Morre uma galera.

Desconhecemos um pedaço do Brasil que tenha conseguido se separar. Tem movimento separatista em toda parte do Brasil.
A Província Cisplatina foi ocupada pelo Brasil, conseguiu se separar e teve sua independência respeitada (teve mediação diplomática também).

Mas às vezes a razão e a diplomacia funciona de primeira, e a opinião do povo é respeitado. Veja o caso do Acre, muito interessante.
Resolvido na diplomacia, apesar de aprendermos na escola que foi trocado por um cavalo.
Também aprendemos que a bandeira brasileira é verde e amarela por causa das matas e do ouro, mas olha como tem verde, amarelo, azul e branco no símbolo da família imperial.
Às vezes a história vira uma peça de ficção para qualquer ideologia, e onde tem ensino público com professor pago pelo governo, é um excelente lugar para defender a ideologia socialista.
Pense bem, para um professor estatal o socialismo funciona, para ele!

Tem até país sem exército tirando de letra na diplomacia (Vaticano). Além dos dois conflitos do Brasil com a Inglaterra. Diplomacia funciona na palavra e quando o assunto é resolvido assim, fica muito melhor resolvido.

A América do Sul não é o jardim do éden não.
Veja o caso do Chile, que é um país excelente, um exemplo, mas tem questões diplomáticas a resolver.
Tem uma praça em San Pablo de Tiquina, com um soldado boliviano enfiando uma faca no pescoço de um soldado chileno.
Até alguns anos atrás, tinha campo minado no Chile, na Patagônia.
Tem fronteira que está sob disputa embaixo de geleira. Ninguém sabe onde fica os cumes das montanhas!
Por curiosidade, o lema do Chile é Pela razão ou pela força. Funciona também. Não pode faltar a força. Mas resolver na diplomacia resolve melhor.

Já o Brasil resolveu as fronteiras pela diplomacia. E não tem nenhuma questão de fronteira pendente com nenhuma nação que tenha um exército (me corrija se estivermos errados, por favor. Informação e crítica é o que faz valer a pena ler essa seção de comentários).


Lembre que o Chávez veio das forças armadas.

Para quem trabalha para o governo, ou seja, recebe o salário do governo, o socialismo funciona (para ele como indivíduo) enquanto o resto da sociedade esta trabalhando para produzir o que ele consome.

Por exemplo, no Brasil, alguns setores foram socializados parcialmente, como saúde e educação.
Sorte que a alimentação não é um direito tão importante para o estado cuidar senão estariam passando fome.

Que restaurante vamos almoçar hoje? O do governo, claro, refeições cientificamente calculadas com nossos melhores especialistas em nutrição. Não tem cardápio, óbvio. Isto já aconteceu no leste europeu.

Para quem recebe do governo o socialismo funciona, e isto explica porque tem tanto professor pós graduado que defende o socialismo. Pra ele funciona! Não cuspa no prato em que você come! Quer ganhar mais? Faz mestrado! Doutorado! Não importa a pesquisa, o salário aumenta automaticamente com o título. Papel aceita qualquer coisa, veja o papel que falta hoje na Venezuela! Não podemos condenar o estudo e a pesquisa, mas a busca de um título pelo título ou para ganhar mais é condenável. Incentivo à improdutividade.

Avalie o título pela importância do que foi escrito e você vai ter uma medida do valor dele. Tem muito mestre e doutor de tirar o chapéu sim.

Isto pode ajudar explicar porque aqui não teve golpe (ainda). Se o quebra cabeças não monta, ou falta peça ou algumas peças são erradas (uma mentira, uma propaganda enganosa, testemunho comprado).
Aqui no Brasil, foi feito um expurgo nas forças armadas. Foram afastados até juízes do supremo. Caças às bruxas comunistas. Resolveu? Não, mas é mais uma peça para explicar porque o Brasil não virou isso.

Cuide com a história escrita por "especialistas". Hoje está muito fácil enganar em massa, mas é difícil enganar alguém preparado, que lê uma coisa e vai atrás das fontes.
Muita gente tem câmera de vídeo no bolso que publica na internet. Tem muito material sendo digitalizado, documentos originais. É só pesquisar um pouco e a mentira acaba, e percebe-se que aquilo que parece sério é uma peça de propaganda.

A história está sendo registrada em vídeo hoje, os empresários se prostituíram sim. E vídeo gravado em processo judicial é algo que pode ser considerado fonte primária para avaliações de história.

Já no outro país, os militares que fizeram esse papel.


Não.

Com Dória são vouchers e parceria público-privada(PPP). O pior que este tipo de gestão está atraindo muitas pessoas a votarem em Dória em 2018, caso ele venha a ser candidato.
Sinceramente, não votaria nele nem a pau. Eu agora estou fazendo tudo diferente, entre aquele candidato ruim e péssimo, eu fico com o nulo mesmo.
Enquanto não vier um candidato liberal convicto que fale abertamente na TV que irá abolir as taxas de importação, privatizar TODAS as estatais do Brasil, pelo menos cortar uns 30 ministérios, diminuir TODOS os gastos governamentais, abolir os impostos inúteis como CSLL, COFINS e todas essas patifarias, introduzir o imposto único de no mínimo 5% a 15%, eu votarei NULO.
Sabe qual a probabilidade disto acontecer? Uns 5%.
1º Teria que ser um candidato que não tenha medo de críticas, aliás deste ponto de vista confesso ser um fã declarado de Roberto Campos, era ele praticamente sozinho contra toda a esturpe keynesiana, ainda mais no fim do cenário da Guerra Fria.
2º Se preparar e muito para o debate televisivo, teria que ser um cara que tenha expressão, que não recue e saiba argumentar sem parecer complexo demais, mas ser demasiadamente simples para todos entenderem seu ponto de vista. Acontece que isto é difícil até mesmo para debatedores profissionais.
3º Mesmo que esse candidato venha a ganhar, ele ainda estaria refém da quadrilha ali no congresso, o que deixaria pouco espaço para as reformas liberais necessárias. Por isso que ele ganhar, proporcionalmente o congresso teria que ter o mesmo raciocínio do futuro presidente liberal, o que eu acho difícil, muito difícil.


Contra tudo isso aí, acho difícil alguém aguentar tamanha pressão. Veja por exemplo a PEC241, ou a reforma trabalhista e da previdência, dia 28 agora irá ter paralisação geral, pelo menos é o que estão afirmando e adivinhem contra o quê? Contra a reforma da previdência e trabalhista.

Por enquanto vou continuar no meu sonho liberal mesmo, imaginando o Brasil sendo uma potência econômica, onde todos tenham o bem-estar gerado pelo livre mercado, todos poupando, investindo e consumindo. É o que me resta.
Obs: Não se enganem, eu divulgo no face e no instagram o site para ajudar a causa liberal, mas são poucos os avanços, mas um dia chegaremos lá.



Perfeito. Autodeterminação dos povos deveria ser traduzido para respeito ao poder militar dos povos. A Venezuela merece esse respeito.


Se os "donos do mundo" queriam roubar das riquezas do Brasil eles chegaram tarde, o governo brasileiro já vem realizando essa função há centenas de anos. (destaque especial para a facção removida do poder recentemente).

Ainda bem que com a sua ajuda e de outros com "pensamento crítico" a espoliação dos brasileiros continuará sendo monopólio exclusivo dos membros do estado brasileiro.

Você é um verdadeiro patriota, parabéns.



É o que inevitavelmente acontecerá. Mas, no caso de Trump, o discurso dele -- ao menos pra mim -- nunca foi empolgante. Há uma diferença entre falar coisas sensatas e apenas recorrer ao populismo rasteiro.


A Alemanha não abandonou as reformas de Erhard. O que aconteceu foi simplesmente o que sempre acontece quando se parte de um estado mínimo: a economia cresce tanto, que o próprio estado se alimenta dela, e passa a crescer também. Tal fenômeno é inevitável.

Artigo sobre isso:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=291


Pergunta aos editores do site, ou aos que escrevem aqui, se puderem dar uma opinião como se fosse ''a visão'' do IMB...

Acham que caso o Dória viesse a ser o presidente, vocês esperam uma posição parecido com o Trump? De adotar um discurso empolgante, mas na prática ser mais do mesmo?


Complementando, o que o colega Reserva de Mercado expôs, com alguns artigos teóricos e empíricos.

Por que o capitalismo de livre mercado é o único arranjo moral possível

O conceito de neoliberalismo

Cinco medidas do governo que aumentam a concentração de renda

Classificar o "Relatório da Desigualdade" da Oxfam de farsa seria pouco

Sobre o 'Crony Capitalism'

Recomendo que você leia 'O Capital' de Marx (sim, os 3 livros) e 'Ação Humana' do Mises se quiser ter um pouco mais de noção de micro e macroeconomia para cessar com essa propagação de abobrinhas em discurso típico de aluno do ensino médio. E também para ter um arcabouço mais amplo e conhecimento de ambos os lados (com o intuito de concordar ou refutar)


Muito obrigado pela explicação e pela recomendação de leitura, vou ler.

mas é verdade que após a reforma de Erhard a Alemanha estava mais livre que na era imperial?

Outra curiosidade, quanto tempo levou pra Alemanha abandonar as reformas de Erhard e ir pro Welfare State?


Ai ai...

Esse tipo de comentário já foi refutado tantas vezes aqui no site, tantas vezes, que eu já perdi a conta. Cada semana aparece um coitado com essa mesma argumentação. Vamos lá, mais uma vez:

O que você está descrevendo se chama crony capitalism. É o capitalismo dos poderosos, dos corporativistas, dos monopolistas ligados e protegidos pelo governo. Esse capitalismo se desenvolve onde o Estado é grande e inchado, onde o mesmo impede a livre concorrência de operar e cria dificuldades para os pequenos empreendedores adquirirem bens de capital e comercializarem seus produtos e crescer na vida, de modo a proteger o grande baronato industrial daquele país, que é ligado ao mesmo governo.

Um governo socialista é um ambiente perfeito para o surgimento desse tipo de capitalismo porque o estado é intrusivo, grande e inchado. Simples assim. A empiria está ai para provar isso (veja Venezuela, Ex-URSS, Cuba, Vietnã e Coreia do Norte). Onde o poder é grande e o planejamento é central, há tendência de se formar corrupção.

Na boa amigo, você não está mandando a real para ninguém. Este site segue a escola austriaca, que busca explicar os efeitos da atuação governamental na economia, enquanto as pessoas que aqui frequentam são, em sua maioria, libertárias (minarquistas ou ancaps), que são pessoas contrárias ao governo, ao planejamento central e a proteção aos poderosos. As pessoas aqui são a favor que qualquer pessoa tenha liberdade e facilidade de conseguir bens de capital para empreender por conta própria e defendem que a geração de riqueza é feita através de trocas VOLUNTÁRIAS entre as pessoas. Este site é pro mercado e não pro empresa. As pessoas aqui são totalmente contra o crony capitalism e a favor do livre mercado, onde qualquer pessoa pode empreender sem interferência de um planejador central.

Exemplo: Se você quer ser fotográfo, por que o governo deveria impor que você tenha uma licença carissima para exercer a profissão? Por que o governo tem que taxar e encaracer a compra de máquinas profissionais via impostos de importação? Não seria melhor se seu acesso a elas fosse mais barato de modo que você possa comprar e enriquecer com seu próprio trabalho? Ao invés de trabalhar pro baronato industrial protegido pelo governo?

Esse sistema escravagista que você descreve é defendido pelos seus amigos esquerdistas progressistas. Você deveria ir mandar a real para eles.



A única coisa sensata que você disse em seu lamentável comentário foi a respeito do Deep Government e dos globalistas. De resto, apenas reflete o nível massivo de doutrinação vinda do deus estado infeccioso que contaminou as mentes de milhões de pessoas, com concepções falaciosas do tipo "o estado retornar benefícios", "o petróleo é nosso", "nossas empresas", etc. Não, nada disso é de ninguém, a não ser da quadrilha estatal que se expropria da riqueza gerada pelos indivíduos para seu projeto de poder criminoso. É o que Rockfeller, Soros e os globalistas desejam: estados fortes e controladores.


O pior é que as tarifas tem apoio dos republicamos neoconservadores e dos democratas, corre o risco de ele não mudar nada, e ainda aprovar as coisas ruins

Mas não vou ser pessimista.


Então o site evoluiu e adquiriu novas funcionalidades? Seria bom que o conteúdo evoluísse também, mais liberal clássico e menos anarcocapitalista.


Certíssimo. Seu único engano é que os Rockefeller, Soros e Rotschild não mandam nada, eles são só os testa-de-ferro dos illuminati, que junto com os templários, os zoroastristas e os incas venusianos, são quem realmente dominam o planeta.



Concordo com ambos.

Os republicanos foram eleitos várias vezes seguidas nos anos 80 e 90 por causa das cagadas contínuas que os democratas fizeram nos anos 60 e 70.

Mas deixarem os democratas ficarem no poder por muito tempo seguido, pode ser que os EUA se torne uma grande Detroit (não chegue a esse ponto, é apenas uma analogia), ou seja, não importa quantas vezes as políticas deles fracassem, sempre eles serão eleitos por causa das novas promessas.


O que é isso? O conteúdo do seu comentário foi retirado de uma Infowars socialista?


Karnal é um palhaço ignorante. Não possui a mínima ideia de absolutamente nada do que fala.


Estava lendo o artigo e os comentários. Comecei a estudar Liberalismo recentemente e só tenho a agradecer as pessoas que postam aqui. Realmente é uma aula.
É fácil enxergar que o modo como as coisas são feitas no Brasil estão totalmente erradas, é difícil progredir quando não temos praticamente nada a nosso favor.



Ai ai...

Sei que não é o assunto mais só quero mandar uma real pra vocês, mim refutem se puderem. No capitalismo todos trabalham na maioria das vezes num sistema escravagista. Esse sistema enriquece cerca de 1% da população mundial. Com essa riqueza, um grupo menor como os Rockfeller, Soros, Rothschild e outros, resolvem formar um governo único mundial. Com a riqueza eles ficam proprietários do Banco Mundial, controlam a mídia mundial, farmacêutica, desenvolvimento científico conforme suas regras e derrubam governos democráticos em todo o mundo através dos EUA, que é seu pau mandado. Com a imensa fortuna colocam a principal mídia do pais de joelhos e no bolso para que enganem o povo igual a Rede Globo faz aqui. O Banco Mundial faz a economia do pais de refém através de acordos com políticos aliados tipo PSDB aqui no Brasil. Daí com o neoliberalismo os donos do mundo se apropriam das principais reservas do pais tipo PETROBRAS e VALE DO RIO DOCE. Finalizando, com a mídia educando a população e dizendo que o socialismo é do diabo, as pessoas gritam capitalismo (mesmo sem saber o que é na essência). Sem empresas no pais, o Estado não pita mais nada, não retorna benefícios, a corrupção come o resto do dinheiro e daí temos que trabalhar na empresa dos gringos ganhando o salário que eles acham que merecemos e que é bem pouco. Dái viramos escravos da era moderna, agradecemos por ainda termos um emprego e os Rockfeller da vida ficam mais trilionários ainda para fazer girar essa roda aí.?


Trump age como qualquer outro político, mas de qualquer forma é trilhões de vezes menos maléfico do que foi o pior presidente da história dos EUA - Hussein Obama, o office-boy dos sauditas - e do que estaria sendo Hillary, ambos democratas, diga-se de passagem, admiradores de Saul Alinsky.


Não será necessário. É uma vez só. É porque o site antigo estava armazenado na memória do seu computador, e ele estava interferindo com o site novo. Agora que você limpou o cache, essa "lembrança" não estará mais ali.




Quero muito acreditar que seu comentário foi uma 'zoação', mas por via das dúvidas: patético é o seu comentário, atribuindo alguma coisa ao mula, um sujeito que não fez absolutamente nada a não ser ficar muito rico à custa dos trouxas.




Uso chrome no windows 10. Os títulos das matérias na home estão cortados. Só aparece a primeira linha do título... Não está fazendo o "word-wrap".


O salário médio chinês já passou o brasileiro e milhões de chineses saíram da pobreza e foram elevados a classe média.
www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/02/1862186-trabalhador-brasileiro-ja-ganha-menos-do-que-um-chines-aponta-estudo.shtml


https://www.youtube.com/watch?v=wll-QVGgHlY

Lá pelos 7 min e 50 segundos o Karnal fala que o capitalismo tirou 400 milhões de pessoas da miséria...
Um socialista nunca entende pq o capitalismo enriquece pessoas
segundo ele próprio o capitalismo tirou 1/3 dos chineses da miséria e elevou até a classe média.


Quer ajudar a humanidade? Comece a produzir algo e dê emprego as pessoas! Só quem produz fera riquezas.

O estado natural da humanidade é a pobreza agradeça ao capitalismo por hoje nó vivermos melhor do que a meio século atrás.


Ótimo artigo:
www.mises.org.br/Article.aspx?id=2672&ac=196226



Sim, estou com problemas de visualização.

Os títulos dos artigos aparecem cortados. E diversas coisas escritas, na página principal, sequer aparecem; no Google Chrome


Tanto os regimes monárquico quanto republicano podem ser agressores da propriedade privada e da economia liberal.

Então somente mudar o regime não é o cerne da questão.


A esquerda sobreviveu ao discurso secreto de Krushev, a queda do muro de Berlin e a todos os fracassos em implementar o comunismo, não é cortando margem para discursos contrários que essa gente se dará por vencida.
Quanto ao PS não descreveu nada desvantajoso, o único caminho para o Brasil é o colapso econômico e independe do blá blá blá político, o impeachment só adiou o inevitável.


Obrigado pela resposta, gosto bastante dos seus textos.

Quando vi Krugman falando isso imaginei que havia alguma inversão dos fatos nessa afirmação. E realmente havia.

Então um sistema bancário realmente livre nunca existiu na história?


Perfeito... Primeiro passo para o Brasil andar é acabar com Brasília e transforma-la num museu - Museu da Corrupção


Não sei se isso é vantagem. Uma presidente Hillary não conseguiria fazer absolutamente nada. Ela seria odiada inclusive por democratas e jamais conseguiria aprovar nada. No máximo, sairia fazendo cagadas que seriam prontamente atribuídas à esquerda e ao intervencionismo. Inclusive, a vindoura recessão econômica cairia no colo dos democratas, e estes seriam dizimados. Após algum período de dor, a liberdade sairia vitoriosa.

Já com Trump, todas as suas besteiras (e inclusive uma vindoura recessão econômica) serão atribuídas à "direita" e ao "liberalismo" econômico, do qual Trump não é e nem nunca quis ser seu representante.

Ao final do governo Trump, radicais socialistas da estirpe de Bernie Sanders ou Elizabeth Warren ficarão ainda mais fortalecidos.

Pior para a liberdade.


P.S.: imagine se Dilma tivesse perdido as eleições de 2014? Com toda a inevitável derrocada econômica que viria a acontecer de qualquer jeito, o PT seria hoje um partido absolutamente dominante. Teria levado todas as prefeituras em 2016 e não teria rivais para 2018. Um pesadelo.


Não. A afirmação é tipicamente krugmaniana: ele pega um fato ocorrido, mente sobre sua realidade, e o distorce totalmente com o intuito de fazer propaganda ideológica.

Houve uma prática bancária que vigorou por um período nos EUA antes da Guerra Civil. Tornou-se conhecida como "wildcat banking". Cada banco era livre para emitir dinheiro próprio. Só que havia, como sempre, uma peculiaridade que fez com que tudo desse errado: privilégios garantidos pelo estado.

a) Os governos estaduais não só permitiam como estimulavam que os bancos locais operassem -- criando dinheiro de papel, emprestando e cobrando juros -- sem jamais serem obrigados a restituir em espécie (ouro) quando fossem cobrados por isso. Ou seja, o governo garantia aos bancos o privilégio de operar sem ter de pagar suas obrigações. Eles podiam criar dinheiro e crédito à vontade, sem se preocuparem em restituir as cédulas em ouro quando fossem instados a isso. É claro que a coisa degringolou.

b) Além desse protecionismo estatal, havia uma lei federal que proibia filiais bancárias interestaduais (essa lei durou até 1995). Isso, adicionado a um sistema de transporte ruim (estamos falando da primeira metade do século XIX), impedia que os bancos de um estado prontamente exigissem que outros bancos mais distantes restituíssem em ouro as cédulas que criaram e puseram para circular no mercado. Ou seja, o governo incentivava e protegia a fraude.

Obviamente, o sistema entrou em colapso.

Krugman, como é do seu feitio, ignora (ou esconde) essa realidade, e se dedica apenas a contar uma parte da história, e de maneira totalmente enviesada.


Como já foi dito antes: A única virtude do Trump é não ser a Hillary

de resto, típico político.


Leandro, no documentario da BBC sobre o Hayek, aparece o Paul Krugman falando que no Séc. XIX os EUA tinham um sistema de livre concorrencia de moedas desregulamentado e ele era instável e tendia a crises.

Isso é verdade?


Sobre a história da Alemanha, recomendo este texto:

mises.org/library/authentic-german-liberalism-19th-century

Sobre Erhard e suas reformas, vale enfatizar que todas elas (junho de 1948) foram adotadas antes da restituição da democracia, a qual só voltaria em agosto de 1949. Erhard fez tudo durante um governo provisório. (Curiosamente, Itamar Franco -- um governo reformista -- operou em situação semelhante. O atual governo Temer também.

Sobre a Arábia Saudita, o país opera estritamente de acordo com as leis islâmicas, da propriedade privada ao judiciário. Leis islâmicas não são muito propicias ao desenvolvimento econômico. Ademais, 87% das receitas do governo advêm do petróleo, o que significa que o governo não precisa estar nada preocupado em criar um ambiente de eficiência econômica e de facilidade aos investimentos estrangeiros. O dinheiro vem fácil e garantido.


O que apenas mostra a ignorância econômica do sujeito. Ele critica exatamente aquilo (moeda forte) que permitiu aos EUA ter uma economia forte e pede sua desvalorização.

Na prática, ele quer menos poder de compra para os consumidores e mais incerteza para investidores. Um desvario só.

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2055