clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


Cuidado, esse seu comentário pode ser considerado um "Coice" pelo pessoal mais sensível.


Fala ironicamente para ele, sobre um mundo sem capitalismo onde voltamos as condições de Homo sapiens. O quão maravilhoso seria viver a base de subsistência e vida de nômade.


Estou confuso, estão reclamando que o texto não deveria ter sido excluído, mas ele está bem aqui. Estão reclamando do quê exatamente?

E convenhamos que o artigo é uma porcaria. Deveria se excluído por ser RUIM, e não por seu autor ser um lixo.



Pois eu vejo arrogância e coice sempre, todos os dias por aqui. Nem por isso deixo de ler, pois como tu mesmo disseste, sempre há uma contribuição interessante ao assunto. Mas está claro que nossas definições de "agressão" são bem distintas.
No mais, óbvio que nada deve ser censurado. Fiquei desapontado ao saber que eles são adeptos da censura...


Tu e loco meu, não percebe que o Estado é uma fraude e que todas a politicas publicas
iram falhar sempre,

Não tem essa de de votar no cara certo. Ou aquela de criar uma Lei que pá, vai lá e resolve.

Cresce porra.


Apesar de certa arrogância em achar os libertários o máximo, não vejo pq o texto ser apagado. Muitos textos de esquerdistas dizem que os direitistas são burros e os textos de direitistas dizem que os esquerdistas são burros, achei bem humano da parte dele dizer que todos os outros diferentes dele é que são lixo. Eu até me sentia um libertário antes de ler esse texto, mas agora não quero ser mais tão libertário quanto esse cara. Prefiro ser apenas um respeitador das liberdades individuais, e ao invés de oferecer opiniões as pessoas vou procurar oferecer opções. Abs.


Gostaria de corrigir o link anterior. O link certo é este: Importações: a saúde em perigo.
www.abifina.org.br/revista_facto_materia.php?id=221




A ANVISA e os Genéricos vindos da China.

Esta séria advertência está no site da Associação Brasileira da Indústria de Química Fina, Biotecnologia e suas Especialidades (ABIFINA), desde 2007! Destaquei alguns pontos que achei importante, e deixo o link.

"Todo este esforço, porém, não é suficiente para garantir a qualidade dos produtos disponíveis nas prateleiras das farmácias porque, hoje, quase metade dos medicamentos, suas matérias-primas e insumos diversos são importados e entram no Brasil sem fiscalização adequada. Com o sistema atual de importação, a Anvisa não tem a menor possibilidade de garantir a qualidade dos produtos que estão entrando no país."

"Em 2007, segundo dados do sistema ALICE do Ministério do Desenvolvimento e Comércio Exterior - MDIC, estarão entrando no Brasil mais de US$ 2 bilhões em medicamentos a granel ou em doses, e bem mais de que US$ 500 milhões em matérias-primas. Toda esta imensa quantidade de produtos está alcançando o mercado brasileiro sob um precaríssimo sistema de controle sanitário."

"Somente na China há mais de 8 mil fabricantes de produtos químicos que, por não se identificarem como produtores de medicamentos ou insumos farmacêuticos, não sofrem qualquer tipo especial de qualificação e fiscalização. No entanto, boa parte de seus produtos entra na cadeia de produção de medicamentos como matéria-prima."

Se estava assim em 2007, imagina hoje! Não compro Genéricos de jeito nenhum!

O link aqui: www.abifina.org.br/historia.php


ECONOMIA,ORA CIÊNCIA,ORA NÃO CIÊNCIA

CIÊNCIA quando todas lógicas são aplicadas e ocorre a correta PERCEPÇÃO dos agentes economicos, é uma ciência,é verificável ,é logica, alteram-se parametros os algoritmos funcionam,e o comportamento é o esperado;meio raro de acontecer.
No mundo real as informações para que os agentes economicos ajam assim ou assado depende de INTERESSES E INTERPRETAÇÕES DE FATOS, para uns mais assim,importantes, e para outros mais assado ou menos importantes ,sem falar na condução de massas pouco "sapiens"para comprar e vender,resultando numa espécie de "samba do crioulo doido" economico.Comportamentos como de "manada"podem ser conseguidos manipulando noticiários,ou como vimos alguns potentados economicos criando fatos que antecipadamente só eles sabiam e levando enorme
vantagem
Então,como saber como vai agir que uma enorme massa "pouco sapiens", mais outra massa "um pouco mais sapiens", professores,medicos,engenheiros,advogados, votam em analfabetos e ignorantes, AGINDO IRRACIONALMENTE e mudando a lógica da coisa economica ?
Por isso, ECONOMIA UMA CIÊNCIA enquanto TEÓRICA, e no mundo real ORA CIÊNCIA,ORA NÃO CIÊNCIA,como a luz, ora onda ora particula e as vezes as duas.






Pessoal, meu professor comunista na FATEC de Mococa ataca novamente... ele falou coisas que somos todos escravos do salário, desde o rapaz que trabalha de garçom até o juiz e que o capitalista é escravo do mercado... como eu refuto isso? Qual a base lógica disso?


De acordo com o Diagrama de Nolan e o Espectro Político: Direita = mais liberdade econômica, Esquerda = mais planejamento econômico.
Por isso o conservadorismo e liberalismo sempre foram considerados como direita política e o comunismo e socialismo sempre como esquerda política.

Não há coerência em colocar o nazifascismo e o desenvolvimentismo dentro do mesmo saco que as democracias liberais estão. O nacionalismo até pode fazer algum sentido relativo, mas o problema é que geralmente também vem acompanhado do desenvolvimentismo, então não.

Na minha opinião, são termos ultrapassados. Mas se for ser coerente, nacionalismo não é de direita e nem de esquerda, é terceira via. Mesma coisa a social-democracia, que geralmente é colocada na esquerda política.


O q tem uma coisa a ver com a outra cidadão?

Que grande bobagem.

O texto foi apagado pq o cidadão (autor do artigo) participou de atos de agressão em nome do coletivismo, e o site não poderia manter artigo de alguém que participou de atos de agressão.

Não tem nenhuma analogia com "ignorantes acharem que secessão é movimento racista"





Na minha visão a partir do momento que em uma mesma manifestação apenas um grupo de defensores de ideologias coletivistas são criticados (com razão) pela midia isso mostra algo muito claro, que a midia não está preocupada em denunciar ideologias coletivistas autoritárias e intolerantes, mas sim fazer militância politica.

Agora se isso ocorre por causa do Deep State, da Nova Ordem Mundial, da Internacional Socialista, do controle quase que absoluto da esquerda progressista sobre o Establishment, ai já é uma outra história.

Mas se atendo exclusivamente aos fatos o que nós temos é isso, 2 grupos coletivistas brigando e a imprensa criticando apenas um deles (porque o outro lado é protegido por ela já há muito tempo).


Me desculpe Taxidermista, mas tu pegou as partes do meu texto dissociada das outras e, por causa disso, parece que eu falo coisas sem pé nem cabeça.

Citar o que eu falo do Mises dissociando do "modus operandi" dos novos marxistas e a relação disso com o auxilio que boa parte dos liberais prestam a mesma esquerda que visa destruir as liberdades individuais e econômicas.

E quanto ao IMB criticar todas as ideologias, não é o que o texto deixa transparecer, inclusive se não houvesse a menção da autoria do texto eu apostaria que ele tivesse vindo direto do Psolista Guga Chacra da Globo News.


Boa noite.

Existe algum artigo explicando por que a Venezuela sofreu mais que outros paises socialiatas latinos Americans?


A propósito do sistema de saúde britânico:


veja.abril.com.br/mundo/stephen-hawking-culpa-reino-unido-por-crise-do-sistema-de-saude/


Stephen Hawking, considerado gênio da física, diz que "sistema de saúde britânico está em crise pq passou a operar sob viés lucrativo, como o sistema americano".

Ou seja, segundo o físico, sistema de saúde "bom" é sistema de saúde que opera sob regime "não-lucrativo".


Concordo com texto. Mas aí tenho uma dúvida: considerando nosso hodierno modelo assistencialista, o que seria menos ruim: continuar prestando os inúmeros serviços sociais ou instituir uma renda básica universal e, por outro lado, acabar com os serviços sociais (ex.: como cada cidadão iria receber uma renda, não seria mais preciso prestar serviços como saúde, educação, moradia etc., uma vez que cada família teria como se auto subsidiar, o que acabaria com a necessidade de pagar servidores públicos, sustentar prédios, comprar materiais etc.). Registro que considero imoral as duas formas, contudo a dúvida é qual seria a menos ruim e danosa para a economia.


"liberais/libertários veem a politica de uma maneira idealista/romantizada, como se fosse algo puro"

Desculpe, Pedro, mas você está completamente enganado.

Libertários enxergam a política exatamente como ela é: a institucionalização da extorsão e da espoliação.


"Aliás, o próprio Mises já dizia que para mudar essa visão Estatista não adiantaria utilizar de métodos autoritários, era preciso que tal conquista se desse por meio das ideias, através de analises lógico-dedutivas"

Mas é exatamente isso o que defende o Tucker no artigo, meu caro, ao criticar certo método autoritário.


"a partir do momento que defendem a hipocrisia da mídia esquerdista CRITICANDO APENAS AS IDEOLOGIAS COLETIVISTAS QUE SÃO CONTRÁRIAS AS IDEOLOGIAS COLETIVISTAS DELES"

O IMB critica toda e qualquer ideologia coletivista, seja de esquerda, de direita, vermelha, azul ou de qualquer nome ou cor. Então isso que vc falou não aplica ao IMB.



Sou contra excluir qualquer texto, quanto mais por ter sido escrito por A ou B. Deixem o julgamento por conta do leitor.

História é para ser estudada, não para ser reescrita.


"nacionalista" não é uma categoria autônoma em espectro político.

Tanto não é que os economistas "desenvolvimentistas", por exemplo, são esquerdistas e nacionalistas.

E a direita também é conhecida por suas medidas nacionalistas, como, por exemplo, protecionismo econômico.

Isso só reforça o ponto: direitista não é sinônimo de querer "diminuição do estado".

Se você ainda duvida disso, sugiro a leitura de "The Enemy of the State", biografia de Murray Rothbard. Lá vc vai ver que quem acha que "direita" = "querer diminuição do estado" está completamente equivocado.

E esse foi o meu ponto.


Rapaz, então era isso mesmo... eu queria acreditar que não, mas o pessoal que veio aqui criticar o artigo não está realmente atacando o conteúdo em si, mas sim preocupado com uma eventual repercussão negativa sobre Trump! (que nada tem a ver com o tema do artigo, aliás).

"Nossa, fizeram o chefe de estado ter de dar explicações à imprensa! É gópi!"

Surreal essa paixão por político. Mas deve ser gente apenas de passagem por este site. Não podem ser leitores contumazes.


Peraí, aquela parte que você falou do Tea Party é sério?! Não posso acreditar.

O autor -- que participou de várias marchas do Tea Party -- simplesmente afastou e rechaçou qualquer semelhança entre nazismo e Tea Party, dizendo explicitamente que ambos são completamente opostos, e aí você vem e diz que o autor quis dizer que ambos são iguais?!

E isso é tudo o que você tem?!

Olha, vou confessar que até achei que o Rodrigo tinha pegado um pouco pesado com você, mas agora sou obrigado a rever meu conceito. Ou você é muito desonesto ou muito ignorante.

Ah, e as duas perguntas que ele fez para você passaram incólumes. De novo:

Qual trecho do artigo coloca em xeque "a honestidade deste site"? Qual trecho do artigo o torna "desinformação pura e potencialmente eficaz na validação da narrativa anti-Trump"?

De resto, pode xingar à vontade (chamar de "idiota", "malandrinho", "infantil" e "semi-alfabetizado"). Tô aqui só pra tentar entender a lógica de algumas pessoas fanáticas que viram no artigo algo muito além do que ele realmente fala. E também quero entender a tara por alguns políticos, que são vistos como cavaleiros solitários do bem ávidos para nos defender contra as forças sorosianas do mal.


Ah, sim, gostei demais desse seu trecho:

"Quero ver alguém EXPLICAR as origens da grande exposição desse tema a ponto de fazer o chefe de estado ter de dar explicações à imprensa. Entende isso ou precisa desenhar, seu idiota?"

Ui! O homem mais poderoso do mundo, coitado, foi convidado a fazer um pronunciamento sobre um evento violento ocorrido em seu país! Mas onde já se viu isso? Que crueldade com esse estadista! Que falta de respeito com a delicadeza dele! Que coisa mais desumana! Não podemos tolerar que nosso macho alfa passe por essa sessão de tortura! Fora, mídia golpista!

(Essa sua crítica à mídia americana é idêntica, sem tirar nem pôr, à critica petista à "mídia golpista" brasileira. Mas idêntica. Sem tirar nem pôr. Revelador.)



Uiuiuiui. Eu sou um caluniador!!! Não se preocupe cara, eu, o caluniador, não disse que você, "debatedor profissional pós-facebookiano", é idiota.

Vou responder suas perguntas, "debatedor profissional", apesar de saber que não levará a nada:

"E o que exatamente essa sua suposição tem a ver com a descrição do neonazismo?"

É óbvio que a descrição destes fatos (em Charlottesville), quando feita de maneira competente e honesta, deve considerar todo o contexto de acirramento político nos EUA. E alguém que entende o texto percebe que o autor não está apenas descrevendo o neonazismo como você faz supor. O autor deixa claro inclusive o caráter temporal excepcional dos fatos em frases do tipo (Observe comparação explícita com Tea Party):

"Era uma marcha completamente diferente de qualquer outra coisa já vista no país. Não tinha absolutamente nada de semelhante com nenhuma manifestação do Tea Party. Foi algo totalmente atípico e verdadeiramente aterrorizante para os residentes daquela idílica cidade."


Uma simples descrição do movimento neonazista se encontra em dicionários e enciclopédias. É fria, objetiva e atemporal. Longe das características deste texto. Você entende isso "debatedor profissional?" Se sim, você é bastante malandrinho hein? Mas pelo visto você não é capaz de entender. Ao treinar para passar de fase nas discussões de facebook, você se esqueceu de que precisa ser minimamente inteligente para interpretar textos.


"De novo: o que isso tem a ver com a crítica à ideologia neonazista? "

Eu estou querendo entender as razões por trás dos movimentos. Os resultados dos estudos em ciência política, quando utilizados na manipulação de massas, são extremamente eficazes e contemplam uma extremamente complexa e rica cadeia de fenômenos altamente não intuitivos. Toda exposição de argumentos (ou de factóides) em veículos de grande exposição midiática é a manifestação final de longuíssimos (com duração de várias décadas) estudos científicos envolvendo as pessoas mais geniais que pisaram na Terra. Não compro nada a valor de face, tendo em vista, por exemplo, o que Edward Bernays descreve em seu livro Propaganda, de 1927.

Cara, você é tão infantil, que até hoje você acha lindo textos que criticam a ideologia nazista. Você acha realmente necessário criticar a ideologia nazista? Bater em cachorro morto é fácil "debatedor profissional". Quero ver alguém EXPLICAR as origens da grande exposição desse tema a ponto de fazer o chefe de estado ter de dar explicações à imprensa. Entende isso ou precisa desenhar, seu idiota?

Sugiro que volte à fase do facebook. Lá, talvez, com algum esforço, você consiga passar pito em algum imbecil semi-alfabetizado politicamente como você.






O que achei interessante em seu depoimento é que você cita várias ineficiências estatais, reconhece (com exemplos práticos) que seria possível todas elas serem feitas privadamente, mas ainda assim não consegue visualizar como seria?

É como sempre dizem: à primeira vista, imaginar como o livre mercado faria funcionar um setor até então estatizado é difícil. Décadas de doutrinação estatista nas escolas (públicas e privadas) geraram essa incapacidade de raciocínio.

Se o governo, e somente o governo, tivesse o monopólio da fabricação de sapatos e fosse o dono de todas as revendedoras, como será que a maioria das pessoas iria reagir a quem advogasse que o governo saísse do setor de calçados e o abrisse para empresas privadas?

Sem dúvida nenhuma as pessoas iriam bradar:

"Como assim? Você não quer que as pessoas, e principalmente os pobres, usem sapatos! E quem iria fornecer sapatos ao povo se o governo saísse do setor? Quais pessoas? Quantas lojas de sapato haveria em cada cidade? Em cada município? Como isso seria definido? Como as empresas de sapato seriam financiadas? Quantas marcas existiriam? Qual material elas iriam usar? Quanto tempo os sapatos durariam? Qual seria o arranjo de preços? Não seria necessário haver regulamentação da indústria de calçados para garantir que o produto seja confiável? E quem iria fornecer sapatos aos pobres? E se a pessoa não tiver o dinheiro necessário para comprar um par?"

Agora, troque a expressão "fabricação de sapatos" por qualquer outra e o raciocínio continua idêntico. Sem uma educação socializada, como os pobres conseguiriam pagar por seus estudos? Se os Correios não fossem estatais, como as pessoas que moram naqueles rincões mais afastados receberiam suas cartas? Sem a Previdência Social estatal e compulsória, os idosos morreriam na miséria! Se o sistema elétrico não estivesse sob o controle do estado, milhares de famílias estariam hoje às escuras! Se a extração de Petróleo não fosse de competência do estado, não haveria gasolina e diesel nas bombas!

Pavorosamente, quando se aceita a "necessidade da socialização", a ideia do absolutismo estatal passa a ser vista com naturalidade. Afinal, se o estado é visto como essencial em várias áreas, por que ele deixaria de ser essencial em outras?

Para entender essa confusão mental não é necessário muito esforço.

Tão logo uma atividade foi socializada, torna-se impossível demonstrar, por meio de exemplos práticos, como os indivíduos agindo em um mercado livre e irrestrito poderiam efetuar esta mesma atividade de maneira mais eficiente, mais abundante e mais barata. Por exemplo, como seria possível comparar os Correios estatais a um Correio privado quando a existência deste último é proibida por decreto estatal? Como explicar que o mercado de telefonia seria melhor caso a entrada de concorrência estrangeira fosse liberada, quando sempre tivemos o estado regulando o setor e especificando quem pode e quem não pode entrar?

É como tentar explicar para um povo que sempre viveu na escuridão como as coisas seriam caso houvesse luz. A única coisa que você pode fazer é recorrer a construções imaginárias.

Para ilustrar esse dilema: durante as últimas décadas, homens e mulheres praticando trocas livres e voluntárias (isso se chama livre mercado) descobriram como fazer a entrega da voz humana ao redor do globo em bem menos de um segundo; descobriram como transmitir um evento, como uma partida de futebol ou uma corrida de automóveis, e exibi-lo ao vivo e a cores na casa de qualquer pessoa em qualquer ponto da terra; descobriram como transportar mais 300 passageiros de um continente a outro em questão de horas; descobriram como transportar gás de uma mina remota ao aconchegante lar de alguém em outra cidade a preços inacreditavelmente baixos e sem subsídio; descobriram como entregar vários barris de petróleo do Golfo Pérsico ao oeste americano — meia volta ao mundo — por menos do que o governo cobra para entregar uma carta de 50 gramas ao outro lado da rua!

No entanto, e ainda assim, esses e tantos outros fenômenos rotineiros que o livre mercado nos proporciona ainda não são capazes de convencer a maioria das pessoas de que "os Correios" poderiam ficar a cargo da livre concorrência sem que isso causasse sofrimento aos usuários.

Agora, imagine este outro cenário: suponha que o governo federal, desde seu surgimento, tenha decretado uma lei ordenando que todos os meninos e meninas, desde o nascimento até a maioridade, recebam sapatos e meias "gratuitamente" do governo federal. Imagine que essa prática de receber "sapatos e meias gratuitamente" estivesse em prática desde o descobrimento do país. Por fim, imagine que um de nossos contemporâneos — alguém que acredite nas maravilhas que podem ser alcançadas quando as pessoas são livres para empreender — dissesse: "Não creio que dar meias e sapatos para as crianças deveria ser uma responsabilidade do governo. Isso deveria ser uma responsabilidade das famílias. Tal atividade jamais deveria ter sido socializada. Ela seria muito mais adequadamente efetuada pelo livre mercado".

Quais seriam as reações a essa declaração? Baseando-se em tudo o que ouvimos tão logo uma atividade é estatizada — mesmo que apenas por um curto período de tempo —, a resposta-padrão a essa desestatização seria algo assim: "Ah, mas aí você traria sofrimento para as crianças pobres, que ficariam completamente descalças!"

No entanto, neste exemplo, como se trata de uma atividade que ainda não foi estatizada, somos capazes de mostrar que as crianças pobres estão mais bem calçadas naqueles países em que sapatos e meias são de responsabilidade da família do que naqueles países em que sapatos e meias são responsabilidade do governo. Somos capazes de demonstrar que as crianças pobres estão mais bem calçadas em países que são mais livres do que em países que são menos livres.


Ficou faltando citar o bloqueio do imperialismo ianque e o boicote das elites golpistas. Sem isso, o socialismo seria um sucesso.


Acessei essa página por imposição de uma trabalho acadêmico. Gosto do trabalho de Keynes e em minha humilde opinião, ele ainda é atual. Alguns argumentos do texto possuem lógica e verdade: "atividades que absorvem recursos e capital da sociedade"; "O governo simplesmente não possui os incentivos corretos para gastar de maneira eficaz". Entretanto, vejo nos comentários a construção de pacotes liberais que nem o maior de seus defensores que já andou por essas terras tupiniquins - Roberto Campos (o Bob Fields) - já prescreveu. Minha pergunta é: quantos de vocês que escreveram ou que escreverão nunca precisaram de um serviço público? Nunca andaram em uma rua asfaltada? Nunca pararam em um semáforo? Nunca foram a um posto de saúde para vacinação de si mesmo ou dos seus filhos? Nunca ligaram para 190 para relatar um roubo ou compareceram a uma delegacia? Nunca ajuizaram um processo? Sei que os argumentos serão: "a polícia nunca atendeu", o"o posto estava lotado e sem as vacinas", "a rua está esburacada", "o judiciário é lento", etc. Sim, todas essas afirmativas são verdadeiras e não há como refutar. Eu mesma já passei por experiências tristes quando necessitei da estrutura estatal. Porém, o que acontece é a ineficiência do gasto estatal. Os recursos não são usados para construção de um desenvolvimento econômico sustentável mas capturados (na acepção da palavra definida pela ciência política) por grupos de pressão. Nesses tempos de internet e rede sociais vemos revolucionários de direita e de esquerda que desconhecem qualquer pensamento de economia e fundamentos políticos. Não se reflete nem se analisa: apenas os interesses pessoais ou de grupos específicos movem os atores sociais. Lembro de uma conhecida alemã que me relatou como foi a transição daquele país após a Segunda Guerra Mundial. Humilhados e mais pobres do que quando iniciada a ascensão nazista, esse povo construiu um pacto silencioso de recuperação. Não houve leis nem decretos: apenas a convicção de era preciso fazer um novo começo. Abandonar paradigmas e transformar o país. Se a memória não me falha, um exemplo dessa atitude foi na cidade de Desdren. Após o armistício, as mulheres saíram dos esconderijos. A cidade estava ainda fumegante e completamente em escombros. Sem que houvesse uma ordem ou comando elas empunharam suas vassouras improvisadas e saíram a limpar a cidade. Não esperaram nenhum salvador da pátria, milagre, ministro, presidente: foram e fizeram o que era possível. E nós, brasileiros sejam cidadãos ou empresários? O que fazemos a cada crise econômica que atravessamos? Buscamos compor uma posição de equilíbrio ou estabelecemos pedaços do PIB maiores para um grupo/segmento? Economia, definitivamente, é uma ciência social....


Por isso não faz sentido colocar tudo em esquerda X direita. Nazifascismo e Social-democracia são sistemas de "terceira via".


Pra começar, essa possível correlação só foi descoberta em 2015 (e ainda não tem nenhuma comprovação). E o DDT foi proibido na década de 1970.

Segundo você, algo foi proibido em 1970 por causa de uma possível correlação descoberta em 2015.

Menos saques, por favor.


Eu até concordo que os coices não são bons. Porém, sendo eu um frequentador assíduo deste site já há alguns anos, sou obrigado a reconhecer: nunca vi ninguém que fez uma pergunta educada e humilde levar coice.

Só leva coice quem chega fazendo afirmações arrogantes, mentirosas e até mesmo caluniosas.

Quem apenas pergunta com sinceridade e tem humildade é muito bem tratado; já quem chega dando voadora recebe voadora de volta.

Fica desagradável? Fica. Mas é uma reciprocidade justa? Eu diria que sim.

Ah, sim, e vale ressaltar o ponto principal: mesmo as respostas brutas contêm argumentos e fontes. É raríssimo ver uma resposta vazia e sem argumentos a uma provocação. Eu mesmo nunca vi.

De resto, não entendi muito bem o que você defende. Qual destas opções?

a) quem chega aqui xingando deve ser tratado com flores e delicadeza;

b) a pessoa que respondeu ao xingamento do agressor deve ter sua resposta apagada, concedendo assim vitória ao agressor gratuito (e cometendo uma total falta de respeito ao cara que se dedicou a escrever a resposta);

c) Censurar e apagar todos os comentários.



Ei, Pedro, por gentileza, entre em consenso com o leitor Luiz Moran mais abaixo. Vocês dois defendem a mesmíssima coisa (tem que xingar todo mundo, e não só os nazistas), mas, segundo o Luiz, tudo aquilo que ocorreu foi uma grande encenação totalmente controlada pelo Deep State e pela Nova Ordem Mundial para manchar Trump. Segundo ele, tanto os neonazistas quanto os negros do BLM eram apenas atores contratados pelo Deep State para simular aquela baderna toda e com isso manchar a reputação do incorruptível Trump.

(Ou seja, na verdade não faria sentido xingar ninguém, pois foi tudo teatro).

Você discorda dele ou concorda com ele?


Beleza. Agora é a minha vez de desenhar para você:

Se há nazistas fazendo marchas, brandindo tochas, gritando slogans raciais e pedindo a morte de grupos étnicos, então os antifas e os BLMs estão mais do que corretos em reagir e gritar contra. Nunca pensei que fosse dizer isso, mas admiro a coragem deles ao fazerem isso.

Quem sai fazendo desfile em propriedade pública (ruas não são propriedade privada) pedindo a morte de determinados grupos não tem o direito de achar ruim caso encontre uma reação do grupo ameaçado. Seria covardia o grupo ameaçado ficar em silêncio apenas olhando.

Você, ao dizer que os Antifa e os BLMs estavam errados em reagir contra, está simplesmente dizendo que os nazistas tinham o direito de marchar em paz em propriedade pública, e de fazer ameaças sem sofrerem reação contrária. Em suma, está agindo exatamente como um progressista relativista moral.

Eu sou branco e católico. Se houvesse uma marcha de negros ubandistas pedindo minha aniquilação, pode estar certo de que eu também reagiria.

Pare com esse tesão compulsivo de querer defender qualquer coisa que seja anti-progressismo.


Não adianta, intelectuais gostam de idéias e discursos, a serem escritos e apreciados em confortáveis cadeiras. Medir e avaliar as consequências reais é algo chato e irritante para eles.


Na verdade o que tem me impressionado é a quantidade de pessoas com aquele mesmo discurso podre da esquerda de que "mimimi... quem não concorda comigo é nazista e fascista... mimimi".


Ah, você encrencou com o rótulo? Eu o retiro, sem problema nenhum. E até peço desculpas por ele.

Mas gostei de ver que, de resto, você nada opõe ao que eu disse.

Abraço!


Vejo nos comentários de quase todos os textos publicados muuuuuuito mais arrogância e agressões que o texto censurado pelo IMB. Nem por isso vocês os apagam.
Pela falta de critérios, erraram feio...


Tem gente que ou é muito inocente ou muito dissimulada, a pessoa vem criticar a parcialidade da midia que diante de duas ideologias coletivistas e autoritárias critica apenas uma delas, e ai acaba virando um defensor dos nazistas.

Realmente tem uns aqui que fica dificil, parece esquerdista falando "mimimi... todo mundo que é contra as minhas ideias é nazista... mimimi".


Existem alguns leitores aqui que ou são muito inocentes ou são completamente dissimulados e fanáticos.

Mas como costumam dizer, vamos aos fatos:

1º) Fanáticos nazistas defensores de visões de mundo coletivistas fizeram uma manifestação;

2º) Fanáticos esquerdistas defensores de visões de mundo coletivistas fizeram uma "contra-manifestação";

3º) Os dois grupos entraram em pé-de-guerra, lembrando em muito a guerra Alemanha x União Soviética;

4º) Pessoas que se dizem liberais começam a esbravejar sobre o absurdo de os nazistas terem feito uma manifestação, se esquecendo que o outro lado que estava na pancadaria é tão autoritário e intolerante quanto os nazistas.

Ou seja, o problema para alguns liberais e para toda a imprensa esquerdista não é defender ideologias coletivistas e autoritárias, mas sim criticar e ir contra o movimento de esquerda.

Porque é isso que se viu em Charlotesvile, pode ser autoritário e intolerante desde que seja para defender as pautas de esquerda ou, melhor dizendo, para defender o "bem comum" ou a "igualdade", coisa que qualquer liberal tem (ou deveria ter) pavor de ouvir, pois ambas as situações levam inexoravelmente a regimes autoritários como os defensores dessas ideias coletivistas.


É mesmo Eistein ?

Extrema-direita, eu ? Seus argumentos ad hominem não tem fim ?

Sugestão para você que é tão esperto: vá para uma ilha inabitada e ponha em prática o seu idel libertário, estou certo de que vc não teria dificuldade em juntar alguns milhares de voluntários. Ficarei torcendo para tudo dar certo conforme sua ideologia, e, claro, eu continuarei aqui mesmo na Terra, lendo e acreditando nas ditas "teorias da conspiração".


O grande problema que eu vejo é que muitos liberais/libertários são inocentes demais e veem a politica de uma maneira idealista/romantizada, como se fosse algo puro.

A grande questão é que a partir do momento que eles fazem coro a narrativa do Establishment eles fortalecem aquilo que eles próprios dizem combater (de maneira resumida, a visão estatista).

Isso porque os novos marxistas se diferenciam em um aspecto dos marxistas "ortodoxos". Isso porque, enquanto os marxistas "ortodoxos" acreditam que a cultura da sociedade vai ser modificada por meio da mudança no modelo econômico, os novos marxistas acreditam que é o inverso, a mudança cultural é que vai levar a uma mudança no modelo econômico.

Aliás, o próprio Mises já dizia que para mudar essa visão Estatista não adiantaria utilizar de métodos autoritários, era preciso que tal conquista se desse por meio das ideias, através de analises lógico-dedutivas.

E os liberais, a partir do momento que defendem a hipocrisia da mídia esquerdista CRITICANDO APENAS AS IDEOLOGIAS COLETIVISTAS QUE SÃO CONTRÁRIAS AS IDEOLOGIAS COLETIVISTAS DELES estão, em termos práticos, fortalecendo essa esquerda anti liberdades (lembrem que igualdade e liberdade são inconciliáveis).


"Rodrigo, me mostra onde eu disse que neonazismo não pode ser criticado. Copie o meu post aqui por favor e prove sua afirmativa."

Fácil. Segundo você próprio escreveu lá em cima, o artigo seria "Desinformação pura e potencialmente eficaz na validação da narrativa anti-Trump".

Caso você tenha se embananado, vou desenhar: dado que o artigo nada mais é do que uma crítica à ideologia neonazista, o fato de você dizer que essa crítica à ideologia nazista é "desinformação pura e potencialmente eficaz na validação da narrativa anti-Trump" significa, por definição, que, para você, uma crítica ao neonazismo é uma "validação da narrativa anti-Trump".

Pior: segundo você, criticar a ideologia neonazista, que é o que fez o artigo, é motivo para "desconfiar da honestidade deste site".

Ninguém entendeu nem como você associou uma crítica ao neonazismo a uma agenda anti-Trump e nem por que você diz que criticar o neonazismo implica "desconfiar da honestidade deste site".

Seria bom você aproveitar a oportunidade para esclarecer.

Provavelmente você está acostumado com debates de Facebook, dominados por semi-analfabetos incapazes de acompanhar um raciocínio lógico. Aqui não, meu caro. Aqui é alto nível. Quem fala algo é chamado a se explicar.

Mas há o livre arbítrio: você sempre pode fingir que não viu e não responder.

"Eu que eu vejo disso tudo é que é realmente muito estranho esses movimentos aparecerem com tanta frequência, agressividade e com intensa ênfase na mídia, imediatamente a posse de Trump."

E o que exatamente essa sua suposição tem a ver com a descrição do neonazismo? Por acaso descrever o que é o neonazismo e qual a sua fonte ideológica (um livro da década de 1970) significa "desinformação pura e potencialmente eficaz na validação da narrativa anti-Trump"? Significa "desconfiar da honestidade deste site"?

"E enxergo (surgimento de movimentos anti-Trump) apenas por ter lido algumas coisas que descrevem esse tipo de estratégia política. Casa como uma luva. Um livro que lembro sobre isso é o "Rules for radicals", de Saul Alinsky."

De novo: o que isso tem a ver com a crítica à ideologia neonazista?

Ou, indo ainda mais direto ao ponto: Qual trecho do artigo coloca em xeque "a honestidade deste site"? Qual trecho do artigo o torna "desinformação pura e potencialmente eficaz na validação da narrativa anti-Trump"?

Se você responder apenas a essas duas perguntas já me dou por satisfeito.

"É só por isso cara. Relaxa, estamos todos no mesmo barco ok?"

Lamento, mas eu não quero estar no mesmo barco de caluniadores. E muito menos de adoradores de políticos.


Off Topic. Tem algum artigo sobre como investir uma grana que você ganhou vendendo um imóvel?



Li. Achei hilário. Obrigado pela diversão. A estrovenga do Heitor de Paolo é um delírio só, mas devo confessar que é um delírio um pouquinho mais coerente que o seu.

O Heitor de Paola, um conhecido lunático, diz que tudo aquilo que aconteceu foi apenas uma rigorosa encenação completamente controlada pelo Deep State e pela Nova Ordem Mundial com o objetivo único de manchar a imagem de Trump (o qual, segundo de Paola, é um homem incorruptível e que não aceita se submeter ao establishment).

(Aos leitores que acham que estou fazendo um resumo exagerado e deturpado, por favor confiram o artigo linkado acima e comprovem).

Desta teoria paolina, podemos tirar algumas conclusões lógicas:

1) Tanto os neonazi quanto os antifa estão na folha de pagamento do Deep State e da NOM, e fizeram aquilo tudo apenas para macular a pureza de Trump (nem Arnaldo Jabor batia tanta punheta assim pra Obama).

2) A galera do Deep State, onisciente que só, já sabia desde o inicio que o otário do Trump morderia a isca e viria a público defender os supremacistas -- e com isso, coitado, se queimaria todo.

3) Os atores que fizeram o papal de neonazistas e de negros já voltaram pra casa, muito bem pagos (provavelmente por George Soros) após um trabalho bem feito.

4) Mas uma coisa não fecha: dado que os negros e os neonazistas eram meros atores encenando tudo a mando do Deep State, só podemos concluir que as 3 mortes ocorridas ou foram uma mera encenação ou os participantes negros entraram em um snuff movie sem saber. Acho que vale uma investigação.

5) No final, sempre segundo de Paola, quem realmente ganhou com tudo aquilo foi Stálin! (Sim, tá escrito isso no artigo).


E por que eu disse que esse delírio é mais coerente que o seu? Porque ele ao menos não defende nenhum dos lados e, imagino eu, não acharia ruim se alguém criticasse a ideologia neonazista (como faz o artigo acima). Já você subiu nas tamancas com a crítica ao neonazismo, dizendo que isso era "ingenuidade" e significava "se aliar aos globalistas"


Dica: se vocês da extrema-direita continuarem com esses delírios públicos irão afetar severamente a candidatura de Bolsonaro (por quem, estranhamente, eu tenho simpatias, mas majoritariamente por ele ser contra o desarmamento).



Como esses libertários são nervosinhos hein?


Rodrigo, me mostra onde eu disse que neonazismo não pode ser criticado. Copie o meu post aqui por favor e prove sua afirmativa.

Eu que eu vejo disso tudo é que é realmente muito estranho esses movimentos aparecerem com tanta frequência, agressividade e com intensa ênfase na mídia, imediatamente a posse de Trump. E enxergo assim apenas por ter lido algumas coisas que descrevem esse tipo de estratégia política. Casa como uma luva. Um livro que lembro sobre isso é o "Rules for radicals", de Saul Alinsky. É só por isso cara. Relaxa, estamos todos no mesmo barco ok?



Rodrigo, se vc tem dificuldade de interpretar um texto, no caso do meu post, não bote palavras na minha boca: Eu Não defendo ninguém, apenas digo que tudo isso não passa de DESINFORMAÇÃO.


Eu acho querer colocar ideologia política, econômicas e sociais em linhas, planos, ou retas não tem o menor sentido. A extrema-direita seria um modelo de estado autoritário, com poucas liberdades individuais, mas há grande liberdade econômica? Como que seria isso? Você tem plenas liberdades individuais e econômicas, mas não tem voto. Ou do outro lado, você teria grandes liberdade individuais, mas não teria liberdade econômica? Você usar drogas e abortar mas só as produzidas pelo partido-estado. It doesn't make any fucking sense.


Se vc é libertário, que é cego é vc: toda e qualquer ideologia está baseada na deturpação de fatos para moldar o mundo aos "encantos" e "promessas" de um mundo melhor, mais justo e mais "humano". Eu NUNCA segui ideologia alguma e muito menos acreditei em apenas uma opinião ou de supostos "especialistas".
Leia este artigo, que tem um outro ponto de vista sobre o assunto e tire suas conclusões:
midiasemmascara.org/artigos/charlottesville-stalin-ganha-mais-uma/


Nem assim. Sob o socialismo, o capim acabaria, pois não haveria propriedade privada sobre ele. Sem propriedade privada, todos sairiam comendo o máximo de capim que encontrassem pela frente, de modo que os últimos a chegar ficariam sem nada e morreriam.


Nada deveria ter sido apagado. Nós não saímos por aí queimando livros de Marx apesar de aquele vigarista ter sido, por força das idéias que criou, um verdadeiro genocida.

O texto de Cantwell foi um tanto prepotente no estilo, mas na essência a mensagem é correta. Até um mentiroso contumaz pode dizer a verdade em um dado momento. Que faríamos, então? Negar a verdade que ele diz?

Em vez de apagar o texto, bastaria acrescentar uma nota dizendo: "publicamos o texto tal porque a mensagem está correta, mas não endossamos a pessoa e a conduta do autor, que fez: isso, isso e aquilo em tal ocasião".

Apagando-se um texto perdem-se também os comentários, que em geral rendem boas discussões e referências.

O site não é responsável pela conduta pessoal dos autores cujos textos ele compila. Só um idiota pensaria o contrário. Deveríamos corroborar a idiotice?

Felizmente podemos conferir o texto aqui, pelo menos para formar a nossa própria opinião. Senão nem isso! Mas, e os comentários?

Por fim, ainda não sei o que o sujeito fez de errado, pois o site nem mesmo especifica. Vou ter procurar na internete. Será que ele foi mesmo culpado de alguma coisa? Ou ele só estava presente a um evento de consequências trágicas? Todo mundo é inocente até que se prove o contrário.

P.S.: se fôssemos suprimir liminarmente as opiniões de pessoas politicamente incorretas (e até mesmo - pasmem - de assassinos, genocidas, etc.) não teríamos história. Marx, Hitler, Stalin... Bertrand Russel, George Bernard Shaw (pois é, esses aí eram eugenistas!) ... e também, Cesar, Nero, Ivan o Terrível entre outros tantos seriam apagados das páginas de nossa história. O problema é que isso não impediria - ao contrário, favorecia - a repetição de seus erros.

Nós somos melhores do que isso. Temos a razão, a lógica, a argumentação, a verdade, para opor ao erro. Nada precisamos apagar. Precisamos, sim, aprender e superar.


Socialismo daria certo se os seres humanos fizessem fotossíntese ou pudessem se alimentar de capim?


Traduzindo: segundo Luiz Moran, essa galera supremacista é na verdade formada por uma gente muito boa que só quer combater o globalismo. E quem critica é na verdade um fantoche de George Soros.

Cabe agora a Luiz Moran explicar por que o líder deste movimento é egresso da extrema-esquerda e estava nas manifestações Occuppy Wall Street, fartamente financiadas por George Soros.

www.splcenter.org/fighting-hate/extremist-files/individual/jason-kessler

No aguardo.


P.S.: esse tipo de coisa acontece com quem é cegado pela ideologia, e só consegue enxergar o mundo de maneira puramente maniqueísta. O sujeito, ao enxergar só um inimigo, acaba se aliando a ele próprio.


Artigo exageradamente pretensioso. Somos mais inteligentes, moralmente superiores, vocês esquerdopatas são todos uns imbecis, vagabundos, lixos morais. Parece aquelas pessoas que descobriram Mises a semana passada e já se acham valorosos guerreiros lutando contra monstros comunistas. Eu já sei que às vezes é frustrante, décadas de lavagem cerebral socialista, anti-capitalista e anti-liberal tornam o indivíduo imune a auto-crítica. Na verdade todo o discurso socialista é baseado em princípios morais que nem eles mesmos tem. Eles acham que a propriedade privada é imoral e que a liberdade é relativa e é uma construção social. Mas eles não estão dispostos a abrir mão destas coisas. Tem que ter calma com os esquerdistas, explicando, e dar um tempo para a coisa assentar. Não adianta ficar vomitando conceitos econômicos liberais, sistema de preços e etc na marra.


Ué, mas eu não discordo de você, não. Estou apenas aproveitando esta notícia -- que é um fato -- para cutucar alguns "libertários" que estão aqui reclamando que o artigo criticou esse movimento extremamente coletivista e estatizante, que é o neonazismo.

O líder deste movimento supremacista -- o qual não pode ser criticado, segundo alguns "libertários" aqui -- é simplesmente egresso da extrema-esquerda. E tem gênio aqui dizendo que este movimento supremacista (comandado por um egresso da extrema-esquerda) é na verdade feito por gente muito boa que está apenas lutando contra o globalismo (vide Luiz Moran acima)

Mas pior do que essa postura é o sujeito dizer, como fez o Renato, que neonazismo não pode ser criticado porque isto afeta Trump. E o que é ainda pior é que pelo menos outras três pessoas ali em cima já disseram isso também. Com "libertários" assim, quem precisa de inimigos?


Outro ponto é o Petróleo. A Rússia é um dos principais fornecedores de petróleo e gás natural para a Europa.



Mais um passo na tentativa de destruição da raça branca. Perceba nas músicas, comidas, roupas, hábitos o que esta acontecendo.



Nunca passou pela sua cabeça que os termos pintados pela mídia estão incorretos?

Como diabos o conservadorismo e a democracia liberal sempre foram colocadas na direita, e uma ideologia quase tão estatista quanto o socialismo é colocada na extrema-direita?

https://pt.wikipedia.org/wiki/Espectro_político
https://pt.wikipedia.org/wiki/Diagrama_de_Nolan

Não é questão de estarem no site errado, isso não faz e nunca fez a menor coerência tanto pelo Espectro Político como pelo Diagrama de Nolan.


A União Soviética e sua economia socialista sobreviveram artificialmente até 1989 graças a três expedientes, em ordem:

a) A abertura do mercado feita por Lênin, que atraiu investimentos estrangeiros em quantidade;

b) a Segunda Guerra Mundial, que, além de ter destruído todas as potências da Europa Ocidental, deu à Rússia (com as bênçãos de Churchill e Roosevelt) o controle de todo o Leste Europeu, o que lhe permitiu espoliar todo o capital destes países, ajudando assim a manter o regime socialista.

Não fossem estes satélites europeus servindo de vaca leiteira para o comunismo, fornecendo "gratuitamente" (sob a mira de uma arma) bens de capital e mão-de-obra capacitada para a Rússia, não teria como o socialismo russo durar tanto tempo (daí a desesperada invasão do Afeganistão na década de 1980: o capital do Leste Europeu estava exaurido, e a Rússia precisava de novos recursos).

c) A existência de um mercado negro que vendia ilegalmente de tudo, desde comida e roupas até gasolina e carros (foi desse mercado que surgiram "magicamente" os vários milionários russos após o fim da URSS).

Mas mesmo com tudo isso, o cidadão soviético comum da década de 1980 consumia menos proteínas do que um súdito do Czar um século antes, e tinha menos acesso a automóveis, assistência médica e serviços públicos em geral do que os negros sul-africanos vivendo sob o regime humilhante do apartheid.



"Aliás, confesso que nunca entendi por que a direita de hoje tem tanta preocupação com os atuais grupos progressistas de esquerda. Em toda a história, nunca tivemos uma esquerda tão frouxa e delicada quanto esta.

A esquerda de antigamente era formada por brutamontes barbudos e armados, que prometiam confiscar propriedade e matar os "burgueses capitalistas". Eram majoritariamente sindicalistas musculosos, que fumavam, bebiam e não tinham medo de sair no braço com ninguém. Era realmente uma esquerda que amedrontava.

E como é a esquerda de hoje? Um bando de meninotes universitários gayzistas, frouxos e delicadíssimos, que não sabem usar nem um estilingue, e que morrem de enfisema se você simplesmente colocar um cigarro na boca. Uma gente que desmaia perante um simples convite para uma briga de rua.

Se você realmente tem medo desta esquerda, ah, meu caro, então eu tenho péssimas notícias para você."


Haha, melhor comentários de todos! E o pior é que eu também já venho pensando isso há um tempo. Rrealmente, essa esquerda de hoje é o adversário dos sonhos. É inteiramente formada por frouxos e incapazes. Antigamente, a meta era a tomada dos meios de produção e o assassinato dos burgueses. Hoje, o objetivo é mudar de sexo, colocar homem pra mijar no banheiro de mulher, e denunciar a perigosíssima "apropriação cultural".

Quem tem medo dessa esquerda consegue ser ainda mais frouxo do que ela.


Onde está aquele comentário explicando por que a URSS durou tanto tempo?


Isso apenas comprova aquilo que nós libertários sempre falamos: extrema-esquerda e extrema-direita concordam em tudo no que tange à economia. Apenas divergem em questões sociais. Cada uma tem uma fórmula própria sobre como controlar melhor a população.

Não é surpresa nenhuma, portanto, que o líder da extrema-esquerda tenha hoje virado o líder da extrema-direita. Em termos ideológicos, a mudança foi ínfima (mudou apenas a cor do autoritarismo, de vermelho para marrom). Em termos econômicos, a mudança foi quase nula.

Agora, o que é realmente estranho é ver leitor deste site chorando e reclamando porque essa extrema-direita foi impiedosamente criticada e atacada. Estão completamente no site errado.



Trump é considerado direitista pela mídia porque não gosta de imigrantes e é oponente dos democratas.

Se fosse colocá-lo no Espectro Político ou no Diagrama de Nolan, ele estaria na parte Nacionalista, no centro do "mapa".


Assunto muito complexo em um texto muito esclarecedor!
Parabéns...


Foi bom terem apagado. O texto era constrangedor. Não por causa do autor (nem sei quem é), mas por causa da mensagem e da forma como ela foi passada.

Lembro-me que este artigo foi campeão de reclamações por parte dos leitores, dizendo que a forma como a mensagem foi passada (de maneira arrogante e desdenhosa para com terceiros) foi um verdadeiro tiro no pé. Eu mesmo já havia pedido que ele fosse apagado várias vezes, pois o considerava um verdadeiro queima-filme para aqueles que ainda estavam descobrindo o libertarianismo, mas não fui atendido.

Felizmente, agora, ainda que por vias tortas, isso aconteceu. Era um texto completamente fora dos padrões (de alto nível) do IMB.

P.S.: ah, sim, os mais novos aqui não se lembrarão, mas este artigo gerou uma repercussão tão negativa, que o próprio presidente do IMB teve de fazer um blog para falar especificamente sobre ele.

www.mises.org.br/BlogPost.aspx?id=1880


Em suma, good riddance a este artigo


O socialismo funciona perfeitamente bem para os porcos. Só os outros animais que ficam de mimimi....


Lula e sua "caravana" para o nordeste - que na verdade é campanha eleitoral ILEGAL feita com grana de verba partidária ($$$ de impostos) - pode sim ser o prenúncio para o consolidar como o próximo caudilho bolivariano da AL, caso ele não seja condenado em Porto Alegre.

As falsas pesquisas eleitorais que colocam Lula na liderança podem servir de justificativa para "validar" uma possível vitória desse fantoche do Foro de SP em 2018 num ambiente eleitoral de total FRAUDE (urnas eletrônicas violáveis + apuração secreta no TSE).

A grande mídia, os artistas-rouanet, sindicalistas, esquerdistas, ong's e toda laia de "especialistas" que surgem para desinformar, juntam-se aos trabalhadores brasileiros de mentalidade marxista para fazer couro ao discurso socialista, que, poderá conduzir o Brasil para uma ditadura comunista tal qual ocorre na Venezuela.

Não duvidem disso, o Estado está aparelhado e a grana está com a esquerda comunista e o FSP.


O estranho é que o "líder" do United the Right participava daquelas manifestações de extrema-esquerda, Occupy Wall Street. Quem diz isso é o próprio SPLCenter:

https://www.splcenter.org/fighting-hate/extremist-files/individual/jason-kessler

Agora ele quer "Unite the Right"?

Muito estranho.

Recomendo assistirem os videos do Alex Jones do InfoWars...

É fato que há um plano dos globalistas para acabar com o patrimônio cultural dos Sulistas (começando pela demolição das estátuas dos herois confederates) e para isso fazem uma campanha nacional e internacional para colocar a opinião pública contra o Sul.

Vejam que o Sul é pintado "racista", "escravocrata"...enquanto o Lincoln é considerado o "heroi" que "libertou os negros da escravidão".

Então, eu recomendo ter muito cuidado para não cair no jogo dos globalistas.


Se o culpado pelo colapso da Venezuela é o Petróleo, por que países como Noruega, Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita não desapareceram do mapa?



Muito bom este artigo. Já compartilhei e espero que meus amigos socialistas leiam ele.


Engracado que durante os 8 anos do Obama, o primeiro presidente negro dos EUA, nao vimos sequer UM PROTESTO com violencia praticado pelos neo nazis, KKK, white supremacists... esse seria o momento para eles destilarem todo o odio mas nada aconteceu

Foi o Trump ser eleito, a esquerda entrar em panico, partido democrata comecar a desmoronar, que do nada, vemos o "CRESCIMENTO DO ODIO DA DIREITA"

incrivel... tem gente mto bobinha, acompanha noticia dos EUA atraves de CNN e Globo News da niso


Socialismo não passa de um blefe. Enfim, ainda teremos de aturar essa ideologia porca por ela servir de pretexto para os parasitas continuarem suas sugações para cima do povo ordeiro e submisso...


Prezado Emerson Luis:

"O BLM e o Antifa não foi lá apenas para se "manifestar", eles foram lá com o intuito de partir para a violência, como os Black Blocs. Já ouviu falar do Princípio da Não Agressão?"

Aí você já entrou para o terreno da adivinhação. Como você sabe que eles queriam isso?

E outra. Vamos supor que você esteja 100% correto (para o bem do debate): o que há de errado em reagir contra um grupo que marcha pedindo seu extermínio?

Esse é todo o ponto.

O Princípio da Não-Agressão fala exatamente sobre isso: você é livre para dar opiniões sem ser agredido. Mas a partir do momento que você explicitamente ameaça outra pessoa de morte, essa outra pessoa está totalmente correta em reagir. Você próprio feriu o PNA.

"Faz tempo que os antifas e os BLM fazem marchas gritando slogans raciais e pedindo a morte de grupos étnicos."

Menos, meu caro. Eu não tenho a mais mínima simpatia por essa gente (e, por mim, eles e os neonazi se pegariam e se matariam a todos). Mas daí a dizer que eles fazem marchas "pedindo a morte de grupos étnicos" é uma inverdade. O BLM faz protesto contra policiais. Mas eles não pregam o genocídio de uma raça. Pelo menos, não até hoje.

E, se começarem a pregar, que apanhem também. Mas não vou me aliar a neonazistas para isso. O inimigo do meu inimigo não é meu amigo. Tenho princípios inegociáveis.

"mas acredita que o racismo e a violência deles próprios são mais do que corretos."

De novo: no dia em que começarem a fazer marchas pedindo explicitamente a morte de terceiros, aí serei o primeiro a aplaudir quem descer o cacete neles. Idem para o dia em que começaram a agredir pessoas a esmo e gratuitamente.

"Parabéns por defender grupos que pregam o "racismo do bem" e praticam a "violência correta". É exatamente o que os políticos esquerdistas queriam que você fizesse!"

Ok, eu vou morder a isca.

Vamos supor, mais uma vez, que você esteja 100% correto nesta sua afirmação de que o BLM defende o extermínio de raças e sai pelas ruas praticando violência a esmo (isso é uma calúnia, mas, pelo bem do debate, vamos supor que você esteja correto).

Como -- por favor, me diga -- esse comportamento valida a existência de neonazistas? Como -- por favor, me diga -- esse comportamento isenta as práticas dos neonazistas (que saíram atropelando mulheres e mataram 3 pessoas e feriram 20)?

Por que, em suma, a existência do BLM torna proibida a crítica à ideologia neonazista?

Juro que me contento com qualquer argumento meia-boca.

Perceba que todas as críticas ao artigo acima se resumem exatamente isso: "ai, o autor não pode criticar a ideologia neonazista sem também criticar o Black Lives Matter, que é tão perigoso quanto!".

Só uma dica: o BLM é formado majoritariamente por estudantes progressistas e delicados, feministas e gayzistas, os quais não têm coragem de portar nem uma pistola. O máximo que eles podem fazer é dar um beliscão. Dê um espirro e todos eles saem correndo "em desabalada carreira".

Aliás, confesso que nunca entendi por que a direita de hoje tem tanta preocupação com os atuais grupos progressistas de esquerda. Em toda a história, nunca tivemos uma esquerda tão frouxa e delicada quanto esta.

A esquerda de antigamente era formada por brutamontes barbudos e armados, que prometiam confiscar propriedade e matar os "burgueses capitalistas". Eram majoritariamente sindicalistas musculosos, que fumavam, bebiam e não tinham medo de sair no braço com ninguém. Era realmente uma esquerda que amedrontava.

E como é a esquerda de hoje? Um bando de meninotes universitários gayzistas, frouxos e delicadíssimos, que não sabem usar nem um estilingue, e que morrem de enfisema se você simplesmente colocar um cigarro na boca. Uma gente que desmaia perante um simples convite para uma briga de rua.

Se você realmente tem medo desta esquerda, ah, meu caro, então eu tenho péssimas notícias para você.

"Os antifas e os BLM não estavam simplesmente 'reagindo contra", eles estavam ali para impor o seu próprio racismo e autoritarismo via violência."

Aí você tem de provar.

Você tem de provar que os antifas e BLM já haviam marcado uma marcha para ali antes dos neonazistas. E que então os neonazistas marcaram a sua marcha apenas depois que souberam que os BLM estariam lá, de modo que isso incitou BLMs a reagiram violentamente contra esses "penetras", impondo "o seu próprio racismo e autoritarismo via violência".

"Você condena apenas o racismo, autoritarismo e violência "do mal", mas defende o racismo, autoritarismo e violência "do bem". Então é você que está "agindo exatamente como um progressista relativista moral"."

Isso foi tão torpe, baixo e infantil, que é preferível apenas ignorar, para não ferir a decência.

"Pois, é: o BLM faz marchas pedindo a aniquilação de pessoas brancas"

De novo?!

"você está diz que reagiria se alguém fizesse o que o BLM faz, mas ao mesmo tempo defende o BLM e condena todos os que se opõem a ele por rotulá-los indiscriminadamente de "neonazistas e supremacistas brancos". Entrou em contradição de novo..."

Não via contradição nenhuma ali, sinceramente. Mas vi calúnia de sua parte. O Antonio em momento algum defendeu o BLM. Apenas disse -- e, a meu ver, corretamente -- que se um grupo X ameaça de morte o grupo Y, então o grupo Y está mais do que correto em contra-reagir. Seria covardia se não o fizesse.

(Vi os vídeos do Ruschel e não há absolutamente nada ali que comprove suas afirmações; esse, aliás, é o grande mal das ideologias. As pessoas ficam cegas e passam a querer enxergar apenas o que lhes convém).

Já você deixou escapar uma que foi hilária. Você disse que aqueles que estavam em Charlotesville e combateram os BLMs estão sendo "indiscriminadamente" chamados de supremacistas. Isso não pode ser sério. Os próprios caras se definem assim (ver entrevista com eles no vídeo linkado no artigo).


O link para "o atual preço do petróleo não está baixo" não está funcionando. Poderiam corrigir? Eu gostaria de visualizar a matéria.


Socialismo é como aquele avião que decolou 50 vezes, caiu em todas elas, e ainda há quem diga "pode embarcar, será uma viagem maravilhosa".


O socialismo é muito utópico. Pode parecer lindo e maravilhoso na teoria mas na prática é muito mais difícil e complexo que isso. Em primeiro lugar, o rendimento por merecimento é nulo, sendo assim os prestadores de serviço se sentem desmotivados. A queda da produção faz com que haja a queda de renda. Tudo vira um ciclo vicioso e sem fim. Precisamos trabalhar com mérito e remunerar aqueles que produzem mais. Claro que deve haver programas sociais, mas há um jeito melhor de fazê-los. Esses dias estava falando com um amigo Venezuelano, explicando como tomar vigra master. São coisas que eles não tem acesso lá, então enviei de presente daqui. Nem a própria população aprova o sistema, passam fome e não tem nada. Porque copiar um sistema onde todos que estão nele odeiam e sofrem? Não é esquerda X direita. É o governo x população.



[publicado em outro local na blogosfera]

Não é corrente no IMB confundirem as ideias com as pessoas. O texto do Cantwell é razoável… Não vi motivo algum para retirá-lo pq seu autor ficou violento.

É o mesmo que não citar George Bernard Shaw ou Upton Sinclair (ainda que eles tenham frases absurdamente excepcionais) pq eram comunistas… Posso apreciar a mensagem, ou mesmo parte dela, e desprezar o autor. Qual o problema?

Escorregada do IMB para o politicamente correto, IMHO.


Eu também poderia te rotular de "libertário sabichão", mas seria perda de tempo.



Esse e aquele do menino Charlie. O que teve de "libertário" naquele artigo dando chilique dizendo que o estado estava corretíssimo em sequestrar o menino dos pais e mandá-lo para a morte foi impressionante.

De tempos em tempos, sempre é bom fazer uma depuração para desentocar aqueles que não têm nenhuma consistência filosófica e que estão aqui apenas infiltrados.


Estou lendo Requiem for Marx. A simples idéia de socialismo, e mais ainda comunismo, é pura alucinação e alienação induzida por álcool. Ele entendeu tudo errado, e tem que compartilhe desses equívocos. Fim.

Adorei este artigo, estava demorando surgir algo assim!


Estou de acordo com você Renato, o Mises Brasil está engolindo a isca da desinformação e por tabela ajudando o discurso dos globalistas.


o texto faz alguma alusão ao nazismo, supremacia branca, etc?
Não, então não deveria ser apagado.
bola fora de vocês



Tem coisa errada nessa história toda, e o mundo está caindo como um patinho.


Quer ficar deprimido ao perceber a distância que pessoas, no geral, efetivamente estão dos princípios libertários?

Publique um artigo exatamente com o teor desse do Jeffrey Tucker e veja a reação.


Você deveria é desconfiar de sua integridade intelectual.

Em um artigo sobre neonazistas já lhe vem à cabeça o delírio de que "esse artigo valida a narrativa anti-Trump"?

Quem tem esse tipo de tara por determinado político não compartilha dos princípios desse site.


Isso é uma grande besteira.

Trump, por exemplo, não seria o típico direitista? E Trump não quer reduzir o estado. E os exemplos são inúmeros...

Então dizer que "direita" quer "reduzir o estado" é uma besteira, ou, quando menos, uma inverdade escancarada aos olhos de todos.


Charlottesville (a prefeitura que queria demolir a estátua) NUNCA quis a manifestação. Emerson tem um ponto.

Mas o Unite the Right que organizou o evento conseguiu apelar para a justiça federal e ela entendeu que os manifestantes não poderiam ter sua manifestação negada pelo conteúdo dela.

Então a prefeitura convocou os 10 mil policiais entre os manifestantes e contra manifestantes uma hora e meia depois da chegada deles (tanto que já havia gente apanhando, como o Richard Spencer, um dos organizadores do evento). Por umas duas horas, houve paz na manifestação.

Até que a polícia desapareceu e aí o caos quebrou solto. Os manifestantes saíram da área do parque e se dispersaram pela cidade. Aí um rapaz esquizofrênico que esqueceu de tomar seus medicamentos antes de dirigir e tinha histórico de violência doméstica atropelou uns manifestantes da esquerda espalhados pela rua. Não sabemos ainda se foi por motivos ideológicos. Mas a esquerda já tentou transformar violência em política, tipo a morte da MP Cox antes da votação do Brexit.

Com o caos, o prefeito apelou ao governador que por sua vez decretou estado de emergência. Finalmente a prefeitura conseguiu o que queria desde o início: desmantelar a manifestação e destruir a estátua.



"Dizer que os grupos de esquerda estavam errados ao reagir contra pessoas pregando a sua morte é o ápice da covardia e do relativismo moral. "

Simplesmente não foi isso que eu disse. Aprenda a interpretar textos antes de sair opinando, pequeno "alfabetizado pelo método Paulo Freire".

Você leu o texto e viu os vídeos do Leandro Ruschel que linkei? Parece que não.

Surpreendente. Não sabia que havia uma fatia de pessoas ainda tão doutrinadas pelo esquerdismo assim na direita. (Bom, na verdade sabia sim, mas estou lhe parodiando)

* * *


Sim, eu li sua "postagem abaixo". E ela foi completamente destruída pelo leitor Antonio Andrade.


A quantidade de maluco vomitando clichês (aliás, idênticos aos dos sites de extrema-esquerda do Brasil) aqui é uma grande queimação de filme para este site, que felizmente mantém o nível em suas publicações. Aliás, não há um só contra-argumento nas críticas feitas. Há só bateção de pezinho e mãozinha na cintura.