clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


''Sou contra a privatização da agua no RJ!

Basta ver, na america do sul, todas as privatizações da agua deram errado.

Menos a Chilena, porque esta foi feita sob uma forte regulação e controle.''


Procede esse fato? Ou não?

Eu tenho uma explicação pra isso, mas eu gostaria de ver a de vocês.




Abraços.




Adeilson, você nasceu no seu país o ''ladrão'' já existia ali oras.

Você não construiu sua casa com o ladrão la dentro...


Respondendo pela quinta vez a este mesmo comentário (vou simplesmente copiar e colar):

Você diz que o governo de Portugal aumentou os gastos? É nisso que dá acreditar em tudo o que diz determinados veículos de mídia, que não passam panfletos ideológicos.

Vou lhe explicar o que houve em Portugal.

1) O governo cortou os gastos em 11%. Atenção: não foi uma mera "redução na taxa de crescimento", como fazem no Brasil. Foi corte de gastos, mesmo. Se um corte de 11% nos gastos do governo não é mais considerado 'austeridade' para a esquerda, então eu é que estou ficando frouxo.

cdn.tradingeconomics.com/charts/portugal-government-spending.png?s=portugalgovspe&v=201704031434t&d1=19170101&d2=20171231

2) Como consequência desse brutal corte de gastos, o déficit do governo, que estava em astronômicos 11,1%, caiu para míseros 2,1%.

cdn.tradingeconomics.com/charts/portugal-government-budget.png?s=wcsdprt&v=201704031434t&d1=20070101&d2=20171231

Se reduzir os déficits orçamentários de 11,2% do PIB para 2,1% do PIB (no Brasil estão em 9% do PIB) não é mais considerado austeridade, então eu realmente afrouxei.

3) Em decorrência da redução dos gastos do governo e do acentuado encolhimento dos déficits, as taxas de juros de longo prazo (determinadas pelo mercado e essenciais para que haja investimentos produtivos em vez de especulativos) desabaram:

cdn.tradingeconomics.com/charts/portugal-government-bond-yield.png?s=gspt10yr&v=201704051605t&d1=20110405&d2=20170405


O que houve em Portugal, portanto, nada mais foi do que a comprovação empírica de tudo o que sugere este Instituto.

Aviso a Meirelles: os déficits do governo nos empobrecem; mas os gastos são ainda piores


O exemplo irlandês - como a redução dos gastos do governo impulsionou o crescimento da economia


Dica: se você exaltar Portugal, você estará, na verdade, batendo continência para políticas de austeridade e de cortes de gastos (11% na redução dos gastos). Por mim, continue nessa.



E essa noticia que Portugal está superando a crise com um presidente socialista e usando o estado para fomentar a economia?
www.bbc.com/portuguese/internacional-39501022

Isso faz sentido? Vai durar ou vai acontecer igual no Brasil?

Gostaria de esclarecer isso, pois já tem gente de esquerda usando isso de argumento...



"abraçou o que há de pior no capitalismo"
"o capitalismo chinês deve ser quase tão ruim quanto o capitalismo do século XIX "
"Desumano"
"americanos...se matam de trabalhar....medo do fim de sua própria prosperidade"
"são um dos povos mais depressivos"
"gostariam de passar mais tempo com a família "
"O modelo de vida do americano médio.... não é vantajoso "
"Brasil é factualmente rico e potente "
"já deu uma andadinha por São Paulo, por exemplo?!. "
"precisamos encontrar caminho próprio "
"Estudo mais um pouco e volte depois. Abraços ? "


Viu? Não há fatos, dados, nem argumentos racionais. Seu comentário não passa de um emaranhado de suas próprias opiniões pessoais, vazias e rasas.

Lembre-se, sua capacidade de argumentar apenas reflete o seu intelecto.


Comentário preconceituoso. Conheci muito americano simpático.

Americanos se matam de trabalhar? Não vejo isso na média. Basta ver que horário do rush lá é entre 9 da manhã e 5 da tarde, porque o turno de trabalho costuma ir das 10am às 4pm.

O país é cheio de parques temáticos, bares, bons restaurantes. É o maior consumidor de tudo que é relacionado a entretenimento no mundo. Em Miami, o que mais se vê são casas com barcos em cima de carretinhas... isso tudo é fruto da alta produtividade.


Não há esperança num país onde exista:
- Ministério do Trabalho / CLT / Justiça do trabalho
- Imposto sindical
- 15.300 sindicatos (e outros 2.000 aguardando registro)
- MTST / MST
- Cotas raciais
- 70 mil homicídios
- Professores marxistas
- Jornalistas marxistas
- Estátua do J. Lennon em Universidade pública



Se o governo americano não tivesse salvado a United Airlines, isso não teria acontecido...

* * *



O mais risível é que os esquerdistas apontam as condições mais difíceis de décadas e séculos anteriores (que o capitalismo melhorou) como se fossem causadas pelo capitalismo, ao mesmo tempo em que assumem o crédito por essas melhorias (sendo que na verdade eles sempre as obstruíram e atrasaram).

É difícil imaginar o quanto a situação seria melhor se não fosse o esquerdismo.

* * *


eles tem um desafio grande tambem: como evitar que os sindicatos impeçam o avanço das tecnologias?
Veja bem, mesmo em um estado com bem-estar social quase absoluto, eles não estão isolados do mundo; pelo contrário, a riqueza vem justamente pela abertura e liberdade comercial, como bem demonstra o MIses.

Porém , como também bem relata este site, não há almoço grátis. Logo, quando a tecnologia avança e um serviço de transporte ou médico, que antes era estatal, deixa de ser necessário ou fica muito caro em sua atual estrutura, deixa de ser substituido para evitar um "desarranjo" na estrutura existente, necessariamente a sociedade perderá eficiência e competitividade perante os pares globais. Normalmente essa resistencia vem de sindicatos ou corporações enraizadas no estado.
E há um preço a pagar para ficar no passado. NMHO, ele ainda é muito caro.


obrigado por compartilhar o relato.
Algo parecido passou na televisão em um passado recente.

Agora, vamos aos fatos: o MP não sabe disso tudo? Por que ele se omite?


Caro Tufik

Você pensa que vou ler isso e cair na sua?! Hahaha! Me divirto! Ainda bem! A China tem uma exploração econômica brutal, abraçou o que há de pior no capitalismo. É criminoso comparar: o capitalismo chinês deve ser quase tão ruim quanto o capitalismo do século XIX do tempo de Marx. Desumano. Conta outra, my friend! Quer ser chinês?! Vai pra China! E os americanos - que conheço muito bem - não apontam qualquer bom caminho, se matam de trabalhar basicamente por medo do fim de sua própria prosperidade e bem estar - oriundas sobretudo por causa das guerras -, são um dos povos mais depressivos, chateados e apáticos que conheci de perto: gostariam de passar mais tempo com a família e investem em profissionais absurdos que tentam a manutenção (para mim, tremenda camuflagem das questões e problemas) de suas vidas dentro e fora do trabalho. O modelo de vida do americano médio - casa-trabalho - não é vantajoso sob nenhum ponto de vista, muito menos em termos qualidade de vida - e mesmo assim nós os copiamos... Na verdade, isso não muda em nada o que eu disse: o Brasil é factualmente rico e potente - por concentração de riqueza, por recursos naturais, por acumulação de taxas e impostos e também por sua produtividade - já deu uma andadinha por São Paulo, por exemplo?!. Com certeza não. Esse negócio de produtividade quem trouxe foi você, não me ligo nisso, muito menos em comparações toscas entre biodiversidades, precisamos encontrar caminho próprio e, como se vê, não é critério para uma política de Renda Básica Incondicional, da qual sou entusiasta. Estudo mais um pouco e volte depois. Abraços ?


Impressionante como o estatismo consegue colocar de joelhos até mesmo economias outrora pujantes.

Tive o prazer de viajar pela Europa recentemente. Passei por várias cidades italianas e viajei de TGV pela França. Dois países que, hoje, considero que regrediram para o subdesenvolvimento.

Minhas impressões: hoje em dia a Itália é um país com qualidade de vida até inferior ao Brasil. Roma ainda se salva, linda, bem conservada. Mas cidades como Nápoles e Livorno estão claramente paradas no tempo. Ninguém mais reforma prédio algum nem troca de carro. Tudo muito velho e em ruínas.

Sul da França ainda conserva um certo charme, mas certas cidades, como Nimes, estão claramente decaindo, precisando de uma reforma geral. Marselha é bonita, mas tem uma periferia medonha e o desmonte de sua zona portuária confirma o regresso para o subdesenvolvimento. Paris ainda tem muita coisa bonita no centro e, a julgar pelos carros, tem uma população claramente com maior padrão de renda que no sul da França. Mas já dá para ver alguma favelização após o segundo anel rodoviário, principalmente a norte.

Na viagem pelo TGV, observando a favelização de várias cidades francesas, me senti como num romance de Ayn Rand, numa ferrovia muito bem construída, um trem maravilhoso, cruzando uma sociedade que tem dificuldades para manter o padrão de vida conquistado.

Rothbard estava correto com seu Produto Privado Remanescente. De que adianta um PIB alto, com mais de 60% dele composto pelo governo, quando a população é pobre?


Adorei o artigo e confesso que me trouxe grande alivio e conforto nos meus pensamentos. Para quem vem se identificando muito com a Escola Austríaca (apesar de ainda ter pouco conhecimento sobre ela), porém sonha com profissões que atualmente praticamente só são possíveis trabalhando para o estado é reconfortante ler esse tipo de artigo e poder continuar seguindo o caminho que tanto sonhou, apesar dos problemas decorrentes.


Por essa sua lógica, se um ladrão comum tenta entrar na sua casa e você não gosta, você deveria sair de casa, ir morar no mar e deixar a sua antiga casa para o ladrão.


O que fazer agora com esses apoiadores de greves que só "param" instituições, organizações públicas e privadas direta ou indiretamente na sexta feira, na qual você é obrigado a aderir a paralisação e contribuir com essa vergonha?



quem manda nos eua, na banania e em tudo que é lugar é o $$$. Só isso.

A diferença é que o povo está um pouco menos alienado agora. Até as guerras ficaram previsiveis.




voce ainda acredita que alguem com mais de 21 anos ali é inocente?


de acordo! um dos pressupostos básicos para a existência dos sindicatos é a "luta de classes". E só em um estado parasitário, que tem empresários laranjas e não verdadeiros empreeendedores, precisa de uma corporação daninha para manter o trabalhador para sempre na condição de trabalhador, e nunca competidor. Ademais, os tempos das grandes industrias ACABOU. Hoje há gestores, muitas máquinas e alguns trabalhadores. E isso é irreversível. A curva das industrias em todos paises decentes é decrescente, e isso não é coincidencia.

Agora, qual a opinião do MIses acerca da OAB?


Como? Cite de cabeça.

Simples, se uma crise econômica está em vigência e eu, empresário com capital mais abundante, pretendo contratar (demandar) 1.000 funcionários, porém concorrem entre si 2.000 possíveis empregados oriundos de um exército de reserva. Irei, logicamente, contratar aqueles que por vontade própria estiverem dispostos a receberem menos e terem uma boa produtividade. Além disso, é factual que o meu poder de barganha e de exigências seja muito superior, haja vista que o dobro de pessoas se dispuseram a trabalhar para mim, logo eu posso utilizar dessa preferência de reserva para induzir os atuais empregados a acatarem minhas exigências, caso o contrário, terei a minha disposição outro trabalhador se sujeitando a receber menos e produzir o mesmo. Fenômeno esse facilitado pela provável flexibilização da CLT.

Você acha que, reduzindo salários, você terá mão-de-obra de qualidade? Qual você acha que seria a qualidade de seus bens e serviços produzidos? Mais: como você acha que os consumidores reagiriam às suas porcarias

Seu erro consite em achar que ainda operamos em um contexto onde o que determina a qualidade de um produto é a qualificação e o empenho da mão de obra utilizada, não, não é manofatura. O que define a qualidade do seu produto é a técnica ou tecnologia empregada para obtê-lo, ora, uma maquina não fica doente, não tem que chegar no trabalho de onibus todo o dia, não tem que levar os filhos à escola,etc. Nesse sentido, o maquinário representa um capital altamente rentável, na medida que a durabilidade de uma maquina é mensurável, quando seu empregado ficará doente, não; o tempo de surgimento até uma nova máquina mais eficaz é previsível, a condição e capacitação do seu empregado daqui a dois anos, nem sempre, etc. Portanto, na economia de escala que se vivencia em muitos setores da economia, o que prepodera para delinear a qualidade de um produto é o maquinário e a técnica adotada.


Funcionário bom escolhe onde quer trabalhar e quanto quer ganhar, e empresário inteligente paga com gosto, pois sabe que este empregado lhe traz receitas

Não creio que em uma economia estagnada ou em recessão, caminhando para uma depressão, tal situação se concretize


Muito obrigado, Instituto Mises Brasil. Estou aprendendo muito com esses artigos. O site é incrível, estão de parabéns!


Quando sai um artigo sobre o Qatar?

Ele vivenciou deflação monetária em 2009 e 2010, além de ser considerado o país mais rico do mundo segundo a Forbes e ser uma Monarquia absolutista, seria interessante um "da pobreza à prosperidade", ainda que tenha seus enormes problemas de liberdade individual.


Afrânio, eu não conheço nenhum assaltante que fala: Me passa a grana ou foge que não farei nada.
Por gentileza, repense e releia.

O estado ti cobra impostos, você pode optar em não paga-los se você não morar aqui uai.

Você construiu seu patrimonio aqui porque quis, ai tem que pagar o devido imposto(pequeno diga-se de passagem).

Você poderia ter ido embora e construido esse patromonio em outro lugar oras.


E você tem que ir embora porque o estado é desejo de varias pessoas, uai, os incomodados que se retirem.

Se eu moro em um bairro em que os vizinhos votam em assaltantes, eu pego e mudo de bairro.


PS: NÃO VIVO DO ESTADO.



"Mas as atuais reformas que estão prestes a serem aprovadas não beneficiam o empresariado?"

Como? Cite de cabeça.

"Em um contexto de crise, onde ocrre uma flexibilização das normativas da CLT"

Aí quem não tem emprego agora ao menos terá a chance de encontrar algum, dado que sua contratação será menos onerosa.

"e onde a reserva de mercado de trabalhadores é maior, o empregador não veria nisso uma oportunidade de reduzir o salário da mão de obra?"

Por que ele faria isso? Seu comentário é típico de quem nunca empreendeu.

Você acha que, reduzindo salários, você terá mão-de-obra de qualidade? Qual você acha que seria a qualidade de seus bens e serviços produzidos? Mais: como você acha que os consumidores reagiriam às suas porcarias?

Funcionário bom escolhe onde quer trabalhar e quanto quer ganhar, e empresário inteligente paga com gosto, pois sabe que este empregado lhe traz receitas.

O problema é que você aparentemente está ignorando o essencial: se um empregado ganha R$ 1.000 de salário bruto, o custo desse empregado para o patrão não é de R$ 1.000, mas sim de R$ 2.830. Por quê? Por causa dos estúpidos encargos sociais e trabalhistas criados pelo governo.

O empregado irá receber aproximadamente apenas R$ 900 (pois há desconto do INSS), mas seu patrão irá desembolsar R$ 2.830. Toda a diferença vai para o governo.

Um empregado, para valer a pena ser contratado, terá de produzir pelo menos R$ 3.000 para seu empregador (se ele produzir menos que isso, não valerá a pena contratá-lo, pois o custo será maior que a receita gerada). Mas este mesmo empregado só levará para casa R$ 900, pois o governo abiscoita todo o resto.

Você defende isso?

Mais ainda: por que você acha que empreendedores estão obrigados a pagar quantias totais vultosas (o fato de o trabalhador levar menos dinheiro para casa é culpa do governo) para empregados que não produzem tanto? Empreendedor não é instituição de caridade. Ele não irá contratar ninguém cujo custo total (imposto pelo governo) seja maior que a receita produzida.

Se os encargos sociais e trabalhistas fossem abolidos (nunca serão), o empregado não apenas poderia continuar ganhando os mesmos R$ 900 líquidos, como poderia até ganhar mais, dado que agora o empregador (contratante) não mais terá de arcar com todos os encargos sociais e trabalhistas.


De resto, já que você acha que será esse mamão com açúcar todo, seja coerente: tire o bumbum pesado da cadeira e vá "ser empresário" você também. Pela sua lógica, ganhar dinheiro vai ser um pique-nique.

Se você não fizer isso, de duas uma: ou você odeia dinheiro ou você próprio não acredita no que fala.



"Você conhece algum ladrão que te oferece a chance de fugir dele e que te devolve em serviços o que ele "roubou"?"

Opa, conheço vários assaltantes dos quais você pode fugir totalmente incólume, sem nada lhe acontecer.

Já do estado você não apenas pode fugir, como também, se tentar, será preso e terá todos os seus bens confiscados e leiloados. E se resistir à prisão será morto.

Outra coisa: pago 40% da minha renda em impostos. Por acaso eu recebo tudo isso de volta em serviços?! Não sei onde estão. Não tenho segurança, não tenho estradas, tenho de pagar saúde e educação particulares, e não terei aposentadoria.

Diga-me, por favor, como meus 40% de renda retornam para mim?

"Se você não quer viver nesse estado, pegue um barco e more em uma ilha, ou na antartida, ou em uma terra perdida, ou no mar. Você tem total liberdade de sair daqui e viver em um lugar sem imposto, tipo somália também."

Ui, que originalíssimo!

Pergunta básica: por que sou eu quem tem de ir embora? Não estou agredindo ninguém, não estou roubando ninguém, não estou defendendo que ninguém seja roubado, e não estou matando ninguém. Por que sou eu quem tem de ir? Que imoralidade é essa, que protege os agressores e culpa as vítimas? Asco.

Nasci aqui e aqui vou ficar. Na minha ótica, quem tem de ir embora são aqueles elementos que defendem o roubo e vivem do parasitismo, como você.


Eu não acho que imposto é roubo porque:

Você conhece algum ladrão que te oferece a chance de fugir dele e que te devolve em serviços o que ele "roubou"?

Se você não quer viver nesse estado, pegue um barco e more em uma ilha, ou na antartida, ou em uma terra perdida, ou no mar.

Você tem total liberdade de sair daqui e viver em um lugar sem imposto, tipo somália também.


Mercado tem que ser livre? Tem, mas o imposto é inevitavel.

Abraços livre-mercadistas






Mas as atuais reformas que estão prestes a serem aprovadas não beneficiam o empresariado? Em um contexto de crise, onde ocrre uma flexibilização das normativas da CLT e onde a reserva de mercado de trabalhadores é maior, o empregador não veria nisso uma oportunidade de reduzir o salário da mão de obra?


Expansão monetária necessariamente gera inflação?

https://www.youtube.com/watch?v=vVa4GvigQbA foi dito nesse debate ai pelo cara do CPL.

Faz algum sentido?

O que acharam do debate


Abraços



O certo é acabar com essa lei trabalhista e o trabalhador ganhar como nos EUA por hora. Exemplo função serviços gerais/ ajudante R$ 15,00 por hora, pedreiro R$ 20,00 por hora, auxiliar administrativo R$ 25,00 por hora, engenheiro R$ 70,00 por hora, deputado/juízes/servidores alto escalão R$ 50,00 por hora, outros servidores R$ 40,00 por hora etc.




É injusto dizer que o governo quer proibir o Uber.

O governo quer apenas regulamentá-lo tanto que ele se torne praticamente inviável ou se transforme em um novo taxi, uma concessão estatal. Só isso!

"A grade ironia é que estes aplicativos estão entregando o controle do capital aos próprios trabalhadores, exatamente como os socialistas dizem que deveria ser."

Pois, é: o que os socialistas realmente querem é bem diferente do que eles dizem querer...

* * *


O autor desse texte, por algum acaso, insinua que o Brasil tem pouca produtividade?! Bruta desinformação. Não teria nem como, visto seu tamanho continental. Além disso, o Brasil é riquíssimo e potente, e não só em recursos naturais, não, é rico de dinheiro mesmo, basta ver a absurda arrecadação anual de impostos e a dimensão abismal de concentração de riqueza. Os bilhões roubados, desviados, há décadas e séculos também entram na conta. É possivel haver Renda Básica Incondicional para todos. A social democracia daria certo no Brasil.



O caso venezuelano é mais um exemplo de sucesso socialista.

Todos os tipos de socialismo sempre trouxeram maus resultados para a população em geral. Mas é um erro dizer que "o socialismo falhou", pois pressupõe que os líderes socialistas realmente buscam um "mundo melhor". É o que eles dizem, mas o que eles realmente querem é poder total e permanente. E Maduro está conseguindo isso.


Parabéns pelo post...

Estamos passando por momentos de reflexão, gostei de pesquisar sobre a reforma da previdência, achar esse post e parar pra ler, pensar e refletir sobre tudo o que foi escrito aqui.

Espero que o povo ANTES de sair pra rua em manifestação (greve), fizesse essa reflexão.

Obrigado.


1) "Coréia do Sul"

Abordada e refutada no artigo. (O qual você não leu).

2) "Em particular a Alemanha, cuja economia é fortemente regulada tanto pelo governo alemão quanto pela União Européia."

A Alemanha em relação a qual outro país, cidadão? Você ao menos entendeu a pergunta?! Pede-se para comparar dois países similares. A quem você está comparando a Alemanha (26ª no ranking da Heritage)? É cada semi-analfa que despenca por aqui...


By the way, você sabia que o gasto do governo federal brasileiro (sem o serviço da dívida) é de é de 20,2% do PIB, e que este valor é maior que o de países como Áustria (20,1%), Reino Unido e Alemanha (ambos com 19,4%), Itália (19%), Portugal (18,1%), Austrália (18%), e Suíça (11,3%)?

Confira no link do Banco Mundial, selecione cada um destes países, espanta-se.

Ou seja, se o Brasil quiser ser uma Alemanha, o governo teria de reduzir seus gastos em quase um ponto percentual. E se quisermos ser uma Suíça (por que não?), o governo federal teria de reduzir seus gastos à metade! Explique essa.



Clique em "Artigos". Abrirá um submenu. Clique então em "arquivo".

Mesmíssimo procedimento para o Blog.


Meu pai trabalhou anos em sindicatos e centrais sindicais, como funcionário. Acompanhei muita coisa e vou citar algumas, das quais presenciei ou ele mesmo me contou, deixando de lado a digressão sociológica.São fatos:

Diretoria de sindicato costuma ter uma mamata sem igual. Conta de celular sem limite, gasolina, jetom por participação em reunião (coisa hoje de R$ 300 paus)...presidente, vice-presidente, de 15 a 20 diretores na chapa principal (os que tem mamata boa) e uns 100 diretores de base.Pois bem:

Presidente de sindicato que apresenta nota de gasolina usada no fim de semana com gasto equivalente ao de duas viagens ida e volta de São Paulo a Araçatuba, por volta de 2240 km num fim de semana...quem roda isso ?

Conta de celulares da diretoria: por volta de R$ 2000 por mês.

Presidente de sindicato ganhando carro zero do sindicato patronal pra entubar a categoria em 2% da proposta salarial. Eu e meu pai fizemos umas contas e ele vendeu um ganho de R$ 700 milhões pra categoria por um carro de R$ 60 mil. Além de mamador, mesquinho.

No Rio, a família Mata Roma fez disso um negócio de pai pra filho. No tempo em que mandaram no sindicato dos comerciários do Rio (por volta de 50 anos) acumularam fazendas, casas de veraneio, jóias e até avião.

Contador de sindicato andando de Mercedes e viajando pro exterior a cada 6 meses, além de morar no melhor bairro da cidade.

Confraternização de fim de ano com whisky 12 anos raro e cerveja belga.

Central Sindical mandando "Sinceros parabéns para o Grande Lider" Kim il-Sung, afundador da Coreia do Norte,avô do atual Napoleão de hospício Kim Jong-Un.

Pelegada montando Congresso em destino turístico no Nordeste pra ficar de boa e se servir dos serviços da nobres moças que vendem prazer...eu estive nesse. O que teve de financeiro de sindicato pagando presentinho de prostituta na rubrica "Diversos" é escandaloso.

E por fim a pior, Sindicato tentando comprar sentença de causa coletiva de um juiz do trabalho com uma picape O km...o portador recebeu voz de prisão e deu um trabalho danado pra história não vazar.






1. Você consegue citar uma nação que tenha se tornado rica enquanto praticava políticas estatizantes?

Coréia do Sul.

2. Você consegue citar uma nação com um governo grande e intervencionista que esteja superando economicamente uma nação similar que tenha um governo pequeno e um livre mercado?

Basicamente toda a Europa. Em particular a Alemanha, cuja economia é fortemente regulada tanto pelo governo alemão quanto pela União Européia.


Escandinávia é rica pra C@%&**, o primo "pobre" deles é a Finlândia, com Pib per capita de US$ 42.000 pelo critério mais rigoroso, podem fazer gastança social pra agradar esquerdista como bem quiserem, são como deuses nórdicos olhando e rindo dos mortais lá embaixo.

O grosso dos países desenvolvidos se situa na média lá pelos US$ 27.000 per capita, esses US$15.000 fazem uma baita diferença se quiser fazer gastança social sem condenar as finanças do país.
Os países em desenvolvimento sérios fazem planejamento de 20 anos pra atingirem o mítico valor de US$20.000 per capita.

E mesmo o Pib per capita poderoso da Finlândia parece não ser suficiente pra sustentar esses gastos sociais, passou 4 anos seguidos em recessão e só está saindo após ajustar suas contas, diminuindo gastos sociais, mesmo que isso bizarramente signifique abolir órgãos sociais e dar 560 euros pra todos.

Dizer que Escandinávia é o ponto de equilíbrio da economia / social é o equivalente a dizer que estudar 1 mês pra FUVEST é o ponto de equilíbrio para aprovação, só porque o cara estranho de QI 180 que dorme o dia todo no fundo da sala estudou só isso pra ser aprovado.


Olá pessoal,
confesso-lhes que fiquei surpreso com o texto acima publicado justamente aqui no Mises: O sítio liberal da forte direita!
Mas, o texto trata do tema de forma, digamos, técnica-profissional e menos ideológica, embora às vésperas da greve geral. rsrsr ( e não tem jeito, a greve vai ocorrer de acordo com as regras sindicais atuais!)

Eu, por exemplo, que sigo com um pensamento mais "progressista", que apoia a existência do Estado( com "E" maiúsculo, um Estado Social atualizado xiii! , agora provoquei a galera do mises e suas "agências" de outrora, fiquei surpreso.
Parabéns pessoal do Mises. ( sem ironias) Parece-me que vocês evoluíram um pouco. Digo isso porque num passado recente a retórica seria outra. Mais ou menos assim: Fim dos sindicatos! Deixe que o "empregado" trate direto com o "patrão" como vai ocorrer a "compra e venda" da "força de trabalho". Mas, não. Aqui, ao menos, V.Sas reconheceram que o sindicato deve existir.
E eu estou concordando que no Brasil há um sério problema na representatividade sindical. De fato, a unicidade sindical, ao limite de um município, misturando profissionais diferentes numa mesma "categoria" acaba não representando de fato e de direito, os interesses dos Empregados ( e não trabalhadores).

De qualquer forma, os sindicatos, seres coletivos assim como os "patrões", são importantes.

E mesmo estes, que já são coletivos, têm seus sindicatos econômicos. Logo, também pagam a sua contribuição compulsória.

Tirante algum equívoco do texto acima, estou tendente a concorda com V.Sas ( mesmo sendo "progressista")

Sem dúvidas, as regras sindicais brasileiras necessitam de atualização.

E , nesse sentido, é um equívoco tentar atualizar as regras trabalhistas ANTES das regras sindicais.

Por isso mesmo, convido a todos os empregados que, eventualmente, tecem alguns comentários aqui,( certamente a minoria) para participarem da greve do dia 28/04/2017. Será um bom momento de reflexão e de reivindicação dos direitos e deveres para o tão almejado progresso nacional, preservando nossas particularidades bem como nossas instituições tais como o direito a greve.

Saudações



E acabou de implantar uma tarifa de 24% sobre toda a madeira importada do Canadá. Vai reduzir impostos sobre grandes corporações (ótima medida, mas absolutamente nada contrária aos interesses globalistas) e encarecer o preço da madeira, que é a matéria-prima para a moradia, especialmente dos mais pobres.

Se você quisesse criar um estereótipo de um "direitista anti-pobre" não faria melhor do que o próprio Trump.

money.cnn.com/2017/04/24/investing/canada-lumber-tariff-trump/


Exato. Todas as terras pertencem ao estado, tanto é que você tem de pagar impostos sobre ela. Adicionalmente, toda a sua renda pertence ao estado, que permite que você fique com um pouco desde que pague 40% ao estado (impostos diretos e indiretos).

Simplesmente não tem como você viver sem sofrer a violência do estado. Não dá para fazer um ancapistão dentro do Brasil, por menor que fosse o pedaço de terra: o estado não permitiria.


Caro Sheyk:

Você aparece em um site de ideologia libertária, vem dizendo que está mandando a real na galera, descreve crony capitalism como se as pessoas aqui defendessem um arranjo que este site é TOTALMENTE contra?

Depois ainda vem me chamar de despreparado sem apontar um único motivo e nem tentar ao menos refutar nenhum dos pontos apresentados, que alias, sãos os mesmos defendidos aqui no site em dezenas de artigos por dezenas de autores diferentes?

Aham, certo tudo bem. Parece que eu sou burro mesmo. Favor, descrever onde está meu despreparo para que eu possa aprender com sua infinita sabedoria.

Meu comentário era uma resposta do seu "mandando a real", eu posso CONCORDAR INFINIDAMENTE com você que vivemos nesse sistema crony capitalista e escravagista que você escreveu (o capitalismo dos grandes), pois é assim que o Brasil funciona, talvez desde sua fundação, mas não concordo quando você diz que a essência básica do capitalismo e do livre mercado é essa.

E mantenho minha posição: por definição, esse sistema escravagista somente é possivel através do estado grande e por barreiras de protecionismo que impendem que pessoas comuns acumulem bens de capital para produzir suas próprias riquezas.

Faça o seguinte: va lá no sebrae, pergunte quanto custa abrir uma micro empresa que não seja MEI. Depois de cair da cadeira, raciocine um pouquinho: "ou a pessoa vai para o mercado informal ou trabalha no sistema escravagista que o sheyk mencionou".


Deveria ser organizado no Brasil um boicote geral ao Imposto de Renda.
FODA-SE, não vou declarar/pagar porra nenhuma para este Estado que não me representa
Muito melhor que estes feriados prolongados disfarçados de "greve geral".


O que me impede de hoje juntar, digamos, 100 milhões de reais, comprar um super lote de terra, decretar esse terreno como independente do Brasil, fundando assim o Ancapistão, e então eu sublotearia para pessoas interessadas em viver em libertarianismo?

O Estado Brasileiro e a violência que ele empregaria. Que não é diferente do que ele já faz.


KKKK sempre disse isso aqui.....fecha o pau e dá tiroteio nessas eleições de sindicato.


Se um grupo de pessoas mora onde não há sindico e não há taxas, isso não costuma ser chamado de condomínio. Pode ser chamado simplesmente de bairro, como o que eu moro. Mas isso não tem muita relação com o artigo, porque um condomínio é uma associação voluntária entre pessoas para um determinado objetivo. Mora em condomínio quem quer e enquanto quer.


Ah, se eu ganhasse dez reais cada vez que aparecesse um sabe-tudo cujos únicos argumentos são dizer aos outros para "estudar mais", "abrir a mente", "aprender com a história".......


Eleições de Sindicatos saem até morte. São iguaizinhos máfias.



brasil.elpais.com/brasil/2017/04/25/internacional/1493140921_135343.html

''vai anunciar hoje uma redução histórica da pressão fiscal sobre as empresas. A medida, que vai reduzir de 35% para 15% o imposto de corporações''



Isso eu percebi pelo namorado da minha mãe, que é italiano e consegue ser mais pão-duro que eu. Como eu gostaria que os brasileiros pudessem importar livremente alimentos da Itália (bolachas, etc...)... Quebraria a medíocre indústria nacional.


Mas aí que eu digo que a Suécia e os outros escandinavos são os melhores exemplos do mundo real ....não UTÓPICO....pois agrada uma parte aos liberais pelos motivos que tu elencaste ( do n° 1 ao 6) acima, bem como os mais a esquerda pela parte do bem estar social ...

Nunca existirá país 100% liberal e nunca existirá país 100% socialista onde todos são iguais tipo aqueles soldadinhos verdes que a mãe da gente dava de brinquedo nos anos 80.

Os Escandinavos são o equilíbrio, o meio da escala , o mundo factível sem viagens idealistas impraticáveis.

Numa escala de Hong Kong,Singapura à Cuba, Venezuela da vida ...fico com a Suécia, Dinamarca ,Noruega e Finlândia.

Mas isso é uma opinião totalmente pessoal, sem criticar quem discorde de " falta de intelecto" ou outras ofensas bem comuns aqui.




Caros amigos do IMB,

Li um artigo de vocês de 2011, explicando a correlação entre a inflação e a expansão dos monetária.

Nesse artigo, especificamente do Leandro, é informado que a principal maneira para se acompanhar a efetiva expansão monetária é o acompanhamento dos meios fiduciários, que seria:

"Meios fiduciários = (a) papel-moeda em poder do público + (b) depósitos em conta-corrente - (c) papel-moeda total - (d) reservas bancárias."

No meio do artigo, consta que vocês tem um gráfico que acompanha esse indicador desde que esse texto foi escrito, vocês ainda mantem esse gráfico atualizado? Em caso afirmativo, poderia nos disponibilizar?

Obrigado desde já!!


20ª no ranking da Fraser e 24ª no ranking da Heritage. Vem reduzindo os impostos sobre pessoa física e jurídica e aumentando os indiretos.

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2161




1- Imaterial. Não se está discutindo "abolição do estado", mas sim estado grande e intervencionista versus estado pequeno e contido. Se a única resposta que você conseguiu criar foi esta, isso mostra bem o seu desespero.

Ah, quer saber quais países prosperaram seguindo os ensinamentos da Escola Austríaca? Pois não.

www.mises.org.br/Article.aspx?id=729

2- Infelizmente, não possuo informações sobre os milhões (ou seriam bilhões) de condomínios que existem ao redor do mundo. Não sou tão onisciente assim. Você tem essa informação? Se sim, compartilhe, por favor.


E o pior é que eu caí na bobagem (e na irreversível perda de tempo) de ler tudo. Três quartos da monografia são apenas introdução. Depois, o cidadão simplesmente inventa coisas que eu jamais disse, e então se põe a criticar essas coisas. Aí, quando você acha que o autor vai finalmente começar a falar algo de relevante, a monografia acaba.

Qual a conclusão final dele? Ele diz que "o crédito público e o crédito privado não impactam isoladamente a demanda agregada. [...] A variação do volume total de crédito não impacta muito o crescimento do pib real"

Ué, mas isso não tem absolutamente nada a ver com o que foi dito no artigo acima. O artigo acima apenas diz que, no período de tempo analisado, foram os bancos estatais que majoritariamente estavam jogando dinheiro na economia por meio da expansão do crédito (a definição precípua de inflação: aumento da oferta monetária), aditivando a carestia.

Meu artigo nada fala sobre "demanda agregada" e nem faz qualquer relação entre essa e o PIB real. Tampouco diz que a carestia foi causada pela "demanda agregada" ou pelo aumento do "PIB real" (mas sim pela desvalorização da moeda em decorrência do aumento da oferta monetária).

Vão mal nossas faculdades (e olha que o Insper é considerado uma das melhores).


Vamos aproveitar uns minutinhos para refletir.

A maior parte dos artigos libertários apenas descreve o fenômeno do agigantamento estatal e suas consequências. Porém explorar as causas baseado na Ação Humana de Mises é de suma importância para que possamos de muitas maneiras promover a mudança cultural nas pessoas, pois o tamanho do Estado é definido somente pela legitimidade concedida pelas massas.

Nós não vamos voltar a monarquia tão pouco acabar com o Estado antes que a maioria das pessoas realmente queira isto. E como faremos com que as pessoas tenham o forte desejo que nós temos de viver e trabalhar livremente, sem o obstáculo burocrático? Pela visão. Explico melhor abaixo:

Toda e qualquer proposta estatal está sempre envolta em medidas diretas que beneficiam pessoas e empresas a curto prazo. Dentre elas:

- Distribuição de renda;
- Cargos públicos com estabilidade e salários acima da média;
- Crédito subsidiado;
- Moradia gratuita;
- Bolsas de estudo;
- Regulamentação de direitos de cotas e toda sorte de regalias trabalhistas na esfera privada;
- Proteção de minorias;
- Monopólio em setores de atuação;
- Obras faraônicas;

E por aí vai...

Reparem que a lista acima contém tudo o que um progressista padrão promete (e cumpre). Estas medidas são visíveis, estão ali na cara do cidadão, dizendo: "Vote (ou invista) em mim que vou lhe proporcionar diversas vantagens que o fulano ali do outro partido jamais iria fazer". Esta estratégia, ou mais precisamente, a Propaganda [/] visa alcançar o maior número de séquitos possível, e com isto atingir o objetivo do controle Estatal.

Por outro lado o capitalismo é totalmente envolto em benefícios indiretos, como:

- Queda proporcional de preços ao longo do tempo;
- Valorização do poder de compra;
- Liberdade total para empreender;
- Proteção a propriedade privada;
- Segurança jurídica nas transações;


Mesmo estes benefícios sendo profundos e estáveis, não são percebidos de pronto e tão pouco são alcançados a curto prazo. Na brilhante exposição de Adam Smith sobre a [i] mão invisível do mercado
, nada é mais verdadeiro: todas as realizações individuais são desprovidas de mérito público ou notoriedade, embora acabem beneficiando a todos.


Um dos princípios do capitalismo é o livre mercado, logo a competição pelo cliente é árdua. O mais capaz, esforçado e honesto sempre irá vencer aquele que prefere trocar o balcão da loja pela beira da praia. Em contraponto o socialismo promete a realização de sonhos com uma simples escolha de voto, pulando etapas para alcançar degraus que demorariam anos ou décadas para se materializar. Nos deparamos com um aspecto peculiar do ser humano: a lei do menor esforço .

Em que pese que esse instinto básico de sempre procurarmos formas mais fáceis e rápidas de executar uma tarefa nos trouxe enorme progresso material e intelectual, fazendo com que hoje máquinas calculem e trabalhem para nós 24 horas por dia, este impulso pode ser pervertido em inércia e hipocrisia, sem bem manipulado por um político carismático.

Embora o alcance total do livre comércio seja infinitamente maior que o socialismo, só são beneficiados aqueles que possuem dinheiro. E para ter dinheiro a premissa é o trabalho. E trabalhar, estudar e lutar cansa. Todos aqui sabem disso melhor do que eu. Porém trabalhamos e somos honestos ao não expropriar o próximo porque temos valores morais, e aí está outro problema sério quando defrontamos o liberalismo vs progressismo: a ética.

Pensemos: Você é desprovido de qualquer tipo de valor moral e quer ter o melhor estilo de vida possível. Qual seria a vantagem de escolher uma vida de trabalho e esforço, se um político demagogo te oferece casa, dinheiro, faculdade e ainda um cargo com salário alto e pouco trabalho?

Mas afinal, por que estou dizendo tudo isto?

Infelizmente até agora o liberalismo tem sido jantado pela demagogia imediatista do progressismo. Décadas de mentiras transformaram a livre iniciativa em pecado, o patrimônio em crime e o esforço é jogado na lata do lixo. É hora de montarmos a nossa propaganda, mostrando de forma direta, simples e agressiva:

- Que a burocracia só existe para roubar o cidadão
- Que é feio e imoral se tornar parasita do próximo, sendo funcionário público ou político de carreira
- Que cobrar impostos é mais crime que não paga-los.
- Que o verdadeiro sonegador é aquele que toma a riqueza do trabalhador de forma demagógica, pois independente de quanto um político ganha ele nada produz, logo, nada paga de impostos.
- Que qualquer proposta que lhe prometa dar algo, seja dinheiro, bens ou serviços só é feita tirando o dinheiro de alguém.
- Que aquele que paga hoje a conta, amanhã não pagará mais, e a consequência será muito pior.

Não sou da área de Marketing, mas tenho certeza que muitos leitores e colaboradores do IMB entendem melhor do que eu de como transformar essa ideia em Ação. Sim, Ação Humana mais uma vez.

Obrigado por quem leu até aqui.




Ciro Gomes pergunta:

1- Cite um país próspero e rico que não possui estado (ou um estado mínimo), o qual pratica 100% os ensinamentos da Escola Austríaca.

2- Se for difícil uma citação para o item anterior, então cite um condomínio que não possua síndico, que não cobra taxas (impostos) dos condôminos e que "deixa rolar anarquicamente" toda e qualquer situação de seus moradores.



Para um megaempresário, uma socioeconomia controlada pelo Estado é muito mais confortável do que o livre mercado. Por isso megaempresários promovem a esquerda.

* * *




Não depende apenas do indivíduo eleito realizar aquilo que quer fazer.

Seria mais exato os políticos dizerem em campanha que pretendem fazer ou que lutarão para fazer isso ou aquilo, em vez de dizer taxativamente que farão.

Porém, esse discurso mais comedido e ponderado não cativa a maioria.

PS: meu comentário pressupõe que há políticos sinceros e refere-se a eles.

* * *



O caso venezuelano é mais um exemplo de sucesso socialista.

Todos os tipos de socialismo sempre trouxeram maus resultados para a população em geral. Mas é um erro dizer que "o socialismo falhou", pois pressupõe que os líderes socialistas realmente buscam um "mundo melhor". É o que eles dizem, mas o que eles realmente querem é poder total e permanente. E Maduro está conseguindo isso.

* * *


No início do século XX os EUA eram um dos países mais corruptos do mundo, isso mudou e não foi com a "atitude consciênte" do seu povo que percebeu estar agindo errado, mudou porque as leis mudaram e o respeito à elas veio com a ação da justiça punindo os infratores.
Converse com qualquer policial no Brasil e pergunte a ele qual nível de motivação ele tem para cumprir seu dever.
Num país onde a maioria daqueles que comandam os 03 Poderes deveriam estar na cadeia, esperar o que da sua população ?


Com a iminência de bombardeio americano sobre a Coreia do Norte, será que poderemos entrar novamente numa fase de valorização do Real?


Reserva de mercado



Infelizmente uma pessoa com a mente despreparada pode estar fadada a ficar como você colega. Ou seja, ler, ler e não absorver o conteúdo. Parece que você banca o intelectual, mas na prática não aprendeu nada com a história do mundo. Eu te indicaria primeiramente um estudo profundo em Filosofia e Sociologia. Mas aí você tem o jeito de ser aquele cara que adora ficar trocando figurinhas nos comentários, mas com pouco enriquecimento lógico. Portanto... Ah! A propósito sim! Lí Marx, Smith e Ricardo. Não na sequência de suas épocas.?















Na boa amigo. Você escreveu um texto gigantesco, me chamou de coitado, mas você não tem a prática do pensamento lógico. Lamentável para alguém que até tem alguma informação técnica do assunto. Vejo você como um romântico. Talvez na terra da Alice, toda essa didática acima funcione. Abra a mente. Aprenda com a história e comece a observar os acontecimentos com uma base mais filosófica da coisa. Abraços


dspace.insper.edu.br/xmlui/bitstream/handle/11224/943/Rodrigo%20Pertence%20Gomes%20Mafra%20Bicalho_Trabalho.df.pdf?sequence=1

esse trabalho parece refutar a tese


Rafa,

"Um país com renda per capita de 10 mil dólares não pode ser considerado rico..."

Um país é considerado rico com uma renda per capita de no mínimo 30 mil dólares.

"mas foi bom falar da China, pois ela serve de exemplo para um fato: uma nação até pode alcançar um padrão de renda médio com políticas estatizantes; é o caso da China, e é o caso do Brasil. Mas, se continuar nesse caminho, vai se estagnar. Para subir de patamar, e se tornar rica, não tem jeito: são necessárias altas doses de liberalismo econômico."

A China não conseguiu obter um padrão de renda médio com políticas estatizantes, ao longo do tempo desde as reformas econômicas de Deng Xiaoping, o Estado chinês foi aumentando sua quota de participação a míseros percentuais, a participação do Estado na economia chinesa não chega a 25%. Aliás o que está atrasando o desenvolvimento da China são as empresas zumbis, ou melhor dizendo, as estatais, todas elas operam com prejuízo e o governo sempre socorrendo elas a todo momento. Nesse meio tempo, se formou uma bolha de crédito por conta das estatais e das empresas privadas que são de empresários ligados ao PCC, as "monumentais" cidades fantasmas comprovam essa vericidade. Por conta destes excessos praticados pelo alto comando político do país, eles admitem não ter um plano B para a economia, já sabem que a bolha irá estourar, mas por enquanto vão empurrando com a barriga.
Estranha coincidência: os mais ricos da China estão ligados ao Partido Comunista
Se quiser conferir mais notícias sobre a China, este site "epochtimes" é excelente.


Sempre o mesmo erro de confundir causa e efeito. Sempre. E isso já está cansativo.

1º) Ele somente citou países com economias livres e com Estados pequenos.
Se fosse o Intervencionismo que causasse desenvolvimento e riqueza (como ele está propondo), o Brasil a partir do Estado Novo de Getúlio Vargas, o México pós-1917 e a Argentina durante e depois do Peronismo (só para citarmos 3 exemplos famosos e próximos de nós), seriam os países mais prósperos, mais desenvolvidos e mais ricos da Terra. Mas foi justamente o oposto que aconteceu ainda durante o "mandato" desses governos.
O porque isso acontecer é explicado pela Teoria Austríaca dos Ciclos Econômicos.

2) Se não quer usar os rankings, há outros lugares que se pode ver os dados usados para construir os rankings. O Doing Business é o mais usado, mas há também o Wall Street Journal.

Se o Leandro ou algum leitor estiver com tempo sobrando, seria uma boa escrever uma resposta para esse texto. Não é a primeira vez que já postaram ele numa discussão que eu presenciei.



"Sobre os países escandinavos em geral, seu ambiente empreendedorial é extremamente desregulamentado e os países são um dos mais abertos do mundo para o livre comércio. Você demora no máximo 6 dias para abrir um negócio e as tarifas de importação estão na casa de 1,3%, na média."

Existe uma agenda em comum entre os verdadeiros sociais-democratas e os verdadeiros liberais. Essa agenda melhorá indiscutivelmente a vida de todos, salvo a dos egoístas oligarcas que sempre mandaram nessa Banania.



O Brasil fracassou porque a maioria dos brasileiros não têm vergonha na cara. Vivem descendo a lenha nos políticos, mas quando há uma chance, por mínima que seja, agem exatamente igual àqueles que censura. Ou será que não devolver o troco dado a mais por engano, ou furar fila não seriam o reflexo em menor escala das atitudes dos políticos canalhas?


Os alienados só enxergam dois lados. Se vc fala mal de um lado, eles automaticamente te jogam no outro.

Quando falo em acabar com essa classe chamada de "políticos" têm gente que ri e depois diz que é impossível pq não tem outro jeito de "governar" o país... Vê se pode.

Aí se eu meto a besta de falar que é o "governar" que f*** tudo nego me tira de maluco... E nem adianta provar com exemplos ou o que quer que seja. Eles se negam a enxergar a realidade.

Esse lugar é dureza.



Rá, mais um! Estão desesperados, mesmo. Pergunta já postada e já respondida aqui mesmo nesta seção de comentários. Vide comentário do leitor Khross (em 25/04/2017 18:54), que foi completamente destruído.

Tá uma delícia ver "essa súbita ardência anal" (apud Olavo) dos estatistas. Nunca pensei que fosse tanta.

P.S.: Ei, Testador, nenhuma resposta a nenhuma das duas perguntas? Tenta aí, vai. Não será vergonha nenhuma.


As duas partes do desafio são perguntas sem sentido pois são baseadas em dados incorretos. As perguntas não fazem sentido pois prosperidade não tem relação alguma com o tamanho do estado e o estado tanto de Cingapura como de Hong Kong não é pequeno. Contestem estes dados.

informadordeopiniao.blogspot.com.br/2014/11/os-chistes-sobre-indices-de-liberdade.html


1) Roma?! Se fodeu toda exatamente quando seu estado cresceu.

O lento suicídio do Império Romano - gastos crescentes, assistencialismo, privilégios e inflação

Portugal?! Desde 1914, quando adotou o presidencialismo e agigantou seu estado, tornou-se completamente irrelevante. Aliás, eis os gastos do governo central português, sem incluir o serviço da dívida. Quanto mais os gastos cresceram, mais irrelevante se tornou o país.

data.worldbank.org/indicator/NE.CON.GOVT.ZS?locations=PT&year_high_desc=true

Ou seja, a empiria vai exatamente contra a sua afirmação.

Inglaterra?!Enriqueceu no século XVIII com a Revolução Industrial, aquela mesma que a esquerda diz que explorava mulheres e crianças justamente porque não havia estado regulador! E agora você diz que a Inglaterra enriqueceu naquela época porque tinha um estado grande e regulador?

Favor entrarem num consenso.

2) Arábia Saudita em relação a qual país, cidadão? Você sequer entendeu a pergunta?! Pede-se para comparar dois países similares. A quem você está comparando a Arábia Saudita?


Trump acaba de afinar em relação ao muro. Não mais será construído.

www.foxnews.com/politics/2017/04/25/trumps-reported-shift-on-border-wall-money-could-prevent-govt-shutdown.html

edition.cnn.com/2017/04/25/politics/donald-trump-border-wall/index.html

https://www.nytimes.com/2017/04/25/us/politics/mexico-wall-spending-trump.html?_r=0



Aperte Ctrl+F5 enquanto na página do IMB para limpeza de cache do navegador. Resolve o problema.


1: Tem também Roma, Portugal, Inglaterra. Aliás os exemplos de países que floresceram economicamente por práticas de livre mercado só existe recentemente pois vivemos na era da pax americana.
2: Arábia saudita


Suécia não tem leis anti-truste e de dumping? Pra min só a Suíça, Finlândia e Holanda que não tinha.


Continua exatamente ali no canto direito. Há a aba "mais acessados" (das últimas 12 horas) e há a aba "comentários".

Clique na aba "comentários".


Como sempre, os intervencionistas adoram citar países com um Estado historicamente pequeno (só ver a tabela), com economias livres e por consequência ricas/produtivas que podem sofrer intervenções por bastante tempo que demorarão para a economia estagnar e a população empobrecer.

Por que eles não se arriscam em citar exemplos ainda mais intervencionistas, mas em economias fechadas e burocratizadas como a Portugal, Espanha, Grécia (os três grandes países menos desenvolvidos da Europa Ocidental), Rússia, Ucrânia, Índia, Bolívia, Irã, México, Egito, Brasil, Marrocos, etc? O motivo é óbvio por si só.


Na época das manifestações a favor do Impeachment eu li um texto no Facebook que o refuta. Vou ver se consigo achar.



Sabe o que é engraçado? É que se tivesse feito essa pergunta em meados de 2010, iriam chover comentários respondendo: BRASIL.


Não sei qual o dono da Europa, se é que exista um, mas sei qual o dono de diversos territórios da Europa.


Esse cara continua cometendo o mesmíssimo erro que está sendo refutado nesse artigo e vários outros artigos desse site. Ele comete o erro de inversão da Causa e Efeito.

Aliás, esse artigo do IMB fala em um trecho justamente sobre isso: que quanto mais a economia cresce, mais o governo possui potencial para crescer junto sem prejudicar a economia (pelo menos aparentemente). Mas o mesmo não acontece quando a economia encolhe (principalmente por causa do inchaço do governo), pois o governo é forçado a permanecer do mesmo tamanho.

Se intervencionismo gerasse desenvolvimento por si só (e não precisasse parasitar continuamente uma economia livre e produtiva, que foram os exemplos que ele utilizou), o Brasil, a Venezuela, a Índia, a Rússia e o México (que possuem economias engessadas por causa de suas burocracias super arcaicas) seriam as maiores potências econômicas prósperas do mundo.

Ele somente cita países ricos e desenvolvidos e que possuem uma economia altamente desregulamentada (se você se recusa a utilizar o Heritage e o Fraser, não há problemas, é só utilizar o DoingBusiness do Banco Mundial que confirma os rankings de liberdade econômica).

Seria uma boa se alguém perdesse tempo e refutasse cada ponto do texto. Além de eu estar sem tempo, não estou com paciência de discutir com pessoas que viram a América Latina desenvolvimentista falir diante dos seus olhos e ainda acreditam em desenvolvimentismo.


Opa, isso deveria ser réplica ao "República de Curitiba 15/03/2017 14:16"


"Porra Hillary vai causar a Terceira Guerra Mundial! Vamos votar no Trump!"

Agora nenhum neocon aparece aqui para tentar justificar o voto nesse mais outro fantoche dos globalistas que era o que "iria salvar a América". E nem os "gradualistas".