clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


""Liberdade econômica" cobrando 33% de imposto de renda sobre fortunas"

Nem é sobre fortunas. Esta é simplesmente a alíquota mais alta do IRPF.

É alta para um libertário? Sem dúvida nenhuma. Mas, ainda assim, é uma das menores alíquotas do mundo ocidental. Ah, era 39% e caiu para 33%, com tendência de continuar caindo. Tá no rumo certo.

"25% de imposto sobre empresas"

Também uma das mais baixas do mundo ocidental. Só perde pra Irlanda e Suíça (e, é claro, Hong Kong e Cingapura).

Ah, e no Brasil é 34%

"e mais 11% de seguridade social obrigatória, tudo o que os libertários são contra aqui no Brasil.

11% é a soma total. A empresa paga 3% e o empregado paga 8%.

Já aqui no Brasil, 11% é só aquilo que o empregado paga. A empresa chega a pagar 20%.

É óbvio que a Nova Zelândia está longe de ser perfeita (e ninguém aqui afirmou que é, ao contrário de sua calúnia). Mas, comparada ao Brasil, suas baixas alíquotas previdenciárias beiram o libertarianismo.

""Liberdade econômica" com educação e saúde de qualidade controlados e amplamente subsidiados pelo Estado."

Ué, no Brasil também é. Aliás, em quase todos os países do mundo o estado interfere na saúde. Não há como escapar desta praga. Só que aqui no Brasil é melhor ainda: o estado gerencia escolas e hospitais diretamente. Por isso estamos bem melhores que a Nova Zelândia...

""Liberdade econômica" com um salário mínimo de 3 mil dólares garantido por lei."

Oi?! De onde você sacou isso? O salário mínimo é de 12,50 dólares neozelandeses por hora. Isso dá, levando-se em conta uma jornada de 7 horas por dia e 5 dias por semana, 1.750 dólares neozelandeses por mês, o que equivale a US$ 1.269 (taxa de câmbio de 1,37 NZD por USD).

Um tiquinho abaixo dos seus 3 mil dólares...

É cada coitado que vem mentir -- e ser humilhado -- por aqui...

Tenta da novo.


Defende a liberação da economia e o livre comércio pleno.

Aumento da arrecadação -- que é o objetivo do governo (que infelizmente existe e não será abolido amanhã) -- seria uma consequência inevitável disso.

Você é contra? Prefere o aumento direto de impostos e a manutenção da economia amarrada? Se sim, sem problemas, mas apenas tenha a hombridade de falar abertamente.


A minha opção favorita você esqueceu de mencionar: segurança pública


Não, péra... o IMB tá ensinando os governos a arrecadar mais imposto? É isso mesmo?


"Liberdade econômica" cobrando 33% de imposto de renda sobre fortunas, 25% de imposto sobre empresas e mais 11% de seguridade social obrigatória, tudo o que os libertários são contra aqui no Brasil.
"Liberdade econômica" com educação e saúde de qualidade controlados e amplamente subsidiados pelo Estado.
"Liberdade econômica" com um salário mínimo de 3 mil dólares garantido por lei.


Os doze países primeiros colocados em educação possuem algo incomum: todos possuem aborto legalizado (Alemanha; Singapura; Coreia do Sul; Canadá; Finlândia; Japão; Estados Unidos; Nova Zelândia; Holanda, Grã-Bretanha; França; Austrália....). Fazer parte deste time requer políticas árduas. Não existe exceção. Ninguém chegou de 15º ao primeiro colocado sem liberar aborto. O tema é mais complexo de que ser contra ou a favor.


Mercados e interações voluntárias de fato alinham os interesses das pessoas, e é assim porque, no mercado, a única maneira de você ter êxito é estabelecendo relações produtivas e proveitosas com pessoas de quem você depende.

Já o estado assistencialista e inchado nada mais é do que uma máquina que confisca o dinheiro dos produtivos para repassar aos improdutivos, criando assim grupos de ganhadores (privilegiados) e perdedores (os que pagam a conta). Os interesses desses dois grupos serão necessariamente conflitantes, levando, especialmente em uma democracia, a uma competição pelo poder. E esse poder será usado e abusado não só para afetar o outro grupo, mas também para garantir que o outro grupo não venha também a assumir esse mesmo poder e usá-lo contra você. Os petistas tentaram isso, mas felizmente foram apeados.

Para piorar, políticos utilizam raça, gênero e religião como métodos adicionais para dividir e fraturar a cultura da sociedade, de modo que ninguém mais hoje está a salvo do ódio e da coerção do estado. Daí todos ficamos dependentes do estado de alguma maneira e ficamos todos corrompidos -- não só aqueles que diretamente ou completamente se beneficiam do esbulho pilhado pelo estado.

Ótimo artigo.




Juliano, talvez me equivoquei no uso das palavras. Quis dizer que não precisamos ir muito longe para encontrar medidas protecionistas nos impostos, basta olhar a relação do ICMS nas operações interestaduais. O longe que digo é ESTADO/ESTADO e PAIS/PAIS.

Peço desculpas pela equívoco, espero ter esclarecido nessa resposta rs



Ué, não entendi. Você diz que chamar de protecionismo é "ir longe demais", mas aí logo em seguida mostra que a coisa é ainda muito pior do que um simples protecionismo. Foi má escolha de palavras?


Não seja tão pessimista, uma volta aos bons anos 30 transformará qualquer millenial politicamente correto em alguém comparável ao The greatest generation em um par de anos.


Não importa o candidato vencedor do pleito 2018, a agenda é uma só: apagar incêndios de órgãos públicos paralisando, passar reformas econômicas tímidas ou medianas para o mercado não se desesperar e tentar fazer caixa frente a penúria das contas públicas para atingir as metas fiscais.
A transferência de poder para os municípios só se dará via nova constituinte, ainda é cedo demais para tamanha ousadia, ainda tem uma fase antes disso, colapso econômico / hiperinflação / calote, escolha sua opção favorita.


Cite uma única situação onde o mercado estava cometendo um erro e a intervenção estatal a corrigiu.


Veja como é uma escola pública americana, neste site: https://www.youtube.com/watch?v=lmlPR_rehp0&t=526s


Falar do imposto sobre produtos importados como medida protecionista é ir longe demais. Vou ser mais breve.

Compra de mercadorias para Imobilizado (para quem não sabe, é quando uma empresa compra máquinas, veículos - por exemplo, para uso na empresa (na teoria)) fora do estado onde a empresa está estabelecida, ou seja, operações interestaduais, faz a empresa ser obrigada a recolher o famoso Diferencial de Alíquota. A alegação do Estado é de que fazendo assim, a empresa está deixando de recolher um imposto dentro do seu próprio Estado para dar ao Estado vizinho. O problema é que, as vezes dentro do seu próprio Estado não tem o fornecedor desse maquinário. Aì você é obrigado a pagar 10% de ICMS (dependendo do seu estado) além do valor já pago na Nota Fiscal.

O buraco é bem mais embaixo do que aprece.


Distorções? Como exatamente o estado corrige distorções? Aliás, como ele sequer reconhece uma distorção? E qual o mecanismo que ele tem para "corrigi-la"?

Quem corrige distorções são exatamente empreendedores em busca do lucro. Se eu enxergo uma distorção no mercado, irei agir de acordo para lucrar em cima dela. E meu lucro irá atrair outros empreendedores igualmente interessados no lucro, o que fará com que qualquer eventual distorção seja rapidamente corrigida.

Já quando o estado intervém, ele inevitavelmente cria ganhadores e perdedores, privilegiados é prejudicados. Nada garante mais a perpetuação de distorções do que as próprias regulações do estado.

Apenas olhe a seu redor: quais são os mercados mais distorcidos que você conhece? Eles são livres ou regulados pelo estado?

Cite um mercado que você considera distorcido e eu irei citar uma agência reguladora responsável por regulá-lo.



Não vejo nenhum candidato à presidência 2018 dizendo que dará mais independência aos municípios e reduzirá a influência de Brasília, portanto, o Brasil seguirá sendo um país dominado por fascistas e parasitas no poder.

Cada vez mais a elite governante brasileira escraviza a grande massa que produz.


Na minha opinião nem ao céu nem ao inferno, o estado deve fiscalizar e coibir praticas desleais, ilegais ou que interfiram na livre concorrência. O mercado sem regras se transforma selva, no caos. Mas é evidente que o estado não deve e não é capaz de controlar de forma eficaz o mercado. Portanto o mercado deve ser livre para agir e inovar, mas o estado deve estar atento para corrigir distorções


Aqui um artigo completo e detalhado sobre aquela época, com vídeos, relatos e tudo:

Recordações de um Brasil socialista


O assistencialismo está travestido de estabilidade, principalmente no "INFUNCIONALISMO" público. As pessoas não entendem ou não querem enxergar que na "instabilidade" do livre mercado é que a prosperidade e a auto-realização ocorrem.

Depois reclamam que estão sofrendo de ansiedade e depressão, nada mais natural, já que não constroem nada e não realizam nada de gratificante para si mesmos e para a sociedade da qual fazem parte. Vivem uma existência desprovida de significado e propósito.


Homens dependentes do Estado: é o que fizeram com atual geração. Precisaremos de 50 a 100 anos para desconstruir essa triste realidade cultural.


A democracia gerou, em todo o mundo, um enorme inchaço burocrático.

A burocracia nos cerca e reina sobre nossas vidas com um poder cada vez mais arbitrário. Dado que tal aparato burocrático é ele próprio o governo, ele é capaz de assegurar que seus integrantes estejam bem protegidos contra as duras realidades econômicas que o resto de nós enfrenta.

Além dos burocratas, funcionários públicos e políticos, há um outro grupo de pessoas que se safa muito bem no sistema democrático: aquelas pessoas que comandam empresas e instituições que devem sua existência à generosidade do governo ou a privilégios especiais.

Pense nos gestores de grandes empresas nacionais que são protegidas pelo governo contra a concorrência, tanto por meio de tarifas de importação quanto por agências reguladoras que cartelizam o mercado e impedem a entrada de empresas concorrentes. Pense naqueles setores industriais e agrícolas recebedores de fartos subsídios. Pense nos grandes bancos e nas grandes instituições financeiras que são protegidas pelo Banco Central.

E há também as organizações sociais — sindicatos, movimentos raciais e sexuais, instituições culturais, a televisão pública, as agências assistenciais, os grupos ambientais e assim por diante — que recebem dinheiro diretamente do governo. Muitas das pessoas que comandam tais organizações não apenas têm empregos lucrativos e estáveis, como também possuem ligações íntimas com a burocracia estatal e com políticos, algo que garante vários privilégios e muito poder a estas organizações.

Esta é uma forma de parasitismo institucionalizado, com a cumplicidade de nosso sistema democrático.

O estado assistencialista democrático também estimula a irresponsabilidade e o comportamento antissocial. Pessoas que se comportam mal, que não conseguem manter as suas promessas, que agem sem preocupação com os outros, em suma, pessoas imprudentes e imediatistas são recompensadas. Como elas estão acostumadas que o governo lhes forneça tudo de que elas necessitam, elas desenvolvem a mentalidade dos aproveitadores, daqueles que não querem trabalhar para o seu próprio sustento.

Para piorar a situação, legislações trabalhistas rígidas (assim como leis anti-discriminação) tornam difícil para os empregadores se livrarem de funcionários incompetentes.

Por fim, em qualquer sociedade, a maioria tende a ser constituída pelos mais pobres e não pelos membros mais bem sucedidos e competentes. Logo, em uma democracia, há inevitavelmente uma pressão sobre os políticos para redistribuírem riqueza — para tirar dos ricos e dar aos pobres. Desta forma, o sucesso empreendedorial e a excelência são punidos por impostos progressivos.

Assim, na democracia, é de se esperar que haja um emburrecimento da população e uma diminuição de normas gerais de cultura e etiqueta. Onde a maioria reina, a mediocridade torna-se a norma.


Como disse em outro lugar, só o livre mercado dá ao cidadão a liberdade de fazer escolhas e o liberta do estado. Quanto mais burocratizada a economia menos escolhas ele pode fazer, maior a dificuldade de mudar de profissão, de emprego ou de passar a empreender em outro ramo da economia.

BUROCRACIA= A INIMIGA NÚMERO UM DA LIBERDADE


Excepcional artigo. Uma das melhores e mais completas abordagens deste tema que considero um dos mais importantes de nossa era.


Semi escravos com:
- maior frota de veículos do mundo, com uma venda de carros mais de 3 vezes superior aos EUA
- maior mercado privado de ouro do mundo

A mão-de-obra chinesa se tornou tão cara para certos setores que a maior parte das fábricas têxteis migraram de regiões com Shenzhen e Guangdong para Vietnã, Laos, Filipinas, Camboja. Lá, talvez, você encontre alguns "semi escravos" em condições parecidas com os bolivianos em São Paulo que ficam desesperados quando libertados de seus "senhores".

Fontes:
www.daniel-allen.net/wp-content/uploads/2014/07/ITB_Aug_AsiaManufacturing_Jul71.pdf
www.gold.org/supply-and-demand/chinas-gold-market-progress-prospects
carsalesbase.com/china-car-sales-analysis-2016/


Eu era adolescente na época e me lembro bem. O que ninguém falou ainda foi do apoio maciço da população ao plano. Fechar supermercados e confiscar bois no pasto eram espetáculos aplaudidos entusiasticamente pela plebe. Como sempre, o capitalismo malvadão tinha que ser castigado pela sua ganância. Tanto era o apoio que o PMDB lavou a égua nas eleições de outubro de 1986. No dia seguinte ao apuramento dos resultados o plano foi abandonado e os preços começaram a disparar na mesma proporção que a população percebia que tinha feito papel de trouxa.
Abraços


Quando será que o estado brasileiro vai diminuir? Pelo visto a iniciativa não virá do governo. Tudo que o artigo trás faz sentido, porém obviamente nada disso será implementado pelo governo.
Sou a favor de redução do estado, principalmente na economia, mas não sou a favor do estado zero, afinal, sou funça.


Apenas 0,1% da população brasileira tem a capacidade mental de entender esse texto. Por isso essas idéias não ganham apelo popular.

É preciso um canal que facilite um entendimento disso através de vídeos desenhados e bem produzidos, para que o pobre lá do sertão possa comprar essa idéia.

Se ficar só nesse micro-nichozinho aqui não dá em nada.



Pode-se dizer que Mises foi o pioneiro do movimento libertário contemporâneo?


O que tem de bonito na propriedade privada dos meios de produção sendo que no comunismo primitivo (que podemos ver até hoje nas tribos indígenas) não há fome, desemprego, inveja e angústia por viver em um mundo cão como é o ocidente capitalista?


SÓ QUE A POPULAÇÃO NEM SEQUER ENTENDE ISSO,
COMO MUDAR se maioria nem aritmetica sabe direito,
Sabem muito de futebol,samba,
tampouco quer aprender e evoluir;
como fazer mudança só com nem um por cento agindo?
sonho,puro sonho...
A escola sendo usada como maquina de implantar ideo]ogia socialista,e o eleitor vota em seminalfabeto que não reconhece o que é o alheio, e
investe recursos escassos em outros paises,bilhões
esquecendo saude educação no proprio pais.


Poderiam responder ao texto desse figura tentando minimizar o que foram os gulags? A página original: apaginavermelha.blogspot.com.br/2011/04/historia-o-mito-do-gulag-e-seu.html.

HISTÓRIA

O mito do GULAG e seu comparativo com tiranias capitalistas

Por Vladimir Tavares

É muito comum encontrar em livros pretensamente de história ou mesmo debates em fóruns de discussão o termo "GULAG", geralmente usado de forma errada, inclusive, em frases como "a URSS tinha gulags", "você já ouviu falar do gulag?", "eu sei o que eram os gulags". Quem nunca ouviu falar desse ou daquele indivíduo que "abandonou o socialismo após saber da existência dos Gulags"? Geralmente a abreviação é usada como forma de propaganda anticomunista em livros sobre a guerra fria, por irresponsáveis sem qualquer estudo a respeito do assunto ou ainda em boatos que estão a anos-luz de qualquer estudo sério a respeito do assunto, algo que este texto se propõe a fazer.

Karl Heinrich Marx, expressão máxima do socialismo científico, ensinava que "as idéias predominantes de uma época são as idéias da classe dominante", neste diapasão, a burguesia internacional gasta milhões em propaganda anticomunista. Comparar a guerra ideológica travada entre a burguesia e os trabalhadores é como comparar um dois indivíduos que vão para uma luta de boxe. É claro que aquele que tem mais dinheiro poderá pagar pelo melhor técnico, comprar os melhores alimentos, suplementos que lhe darão energia de primeira categoria, as melhores luvas, o melhor protetor bucal, os melhores médicos, caso tenha uma lesão, e ainda poderá comprar o júri da luta. O boxeador pobre, entretanto, terá que rezar que para achar um bom técnico disposto a ajudá-lo, talvez não poderá comprar os melhores alimentos, faltando-lhe uma dieta apropriada, não poderá comprar os caros suplementos, terá que contar com médicos da rede pública de saúde e terá de ser bom o suficiente para que o júri se convença. Esta analogia é necessária, para que o leitor possa compreender a potestade que é a imprensa da burguesia, que através de suas editoras monopolistas publica quase que exclusivamente livros de propaganda anticomunista, cujas livrarias apresentarão apenas uma versão da história. Sabe-se, entretanto, que na história não faltam exemplos de exércitos armados apenas com foices e martelos, de camponeses protegidos apenas por trapos e no máximo armaduras de couro, que derrotaram cavaleiros protegidos por armaduras de aço, como ocorreu em Portugal. Sabe-se que os camponeses da República de Novgorod, da velha Rússia, conseguiram derrotar a mais poderosa ordem de cavaleiros da Idade Média na Europa, os cavaleiros teutônicos, e que na Alemanha o povo trabalhador, sob a liderança do cavaleiro Geyer Florian, derrotou a nobreza germânica. Essa é a dimensão e natureza da luta contra a ideologia da burguesia, uma luta contra a elite reacionária que visa trazer apenas a subjulgação da classe operária e de todos aqueles que defendem uma sociedade justa.

Dada a compreensão desta luta, deve-se primeiramente sublinhar que diferente do senso comum, o GULAG significa "Glavnoye Upravlyenye LaGyera", isto é, "Administração Geral dos Campos". Falar em "gulags" é o mesmo que falar em "Sistemas Penitenciários" no Brasil, por exemplo, é um termo impreciso, incoerente, que nitidamente revela o desconhecimento do interlocutor a respeito do assunto e sua completa falta de epistemologia e de preparo para debates, ao qual é recomendado apenas o silêncio. A Administração Geral dos Campos era o órgão que administrava os diversos campos de trabalho na URSS, que seguia o princípio penal de que o preso deve dedicar-se à atividade produtiva como forma de sua recuperação. Este sistema, presente em monarquias e repúblicas, em sistemas autoritários e libertários, são uma constante em praticamente todos os sistemas penais dos países civilizados. Segundo Júlio Frabbrini Mirabete, eminente jurista brasileiro, ex-procurador de justiça do Estado de São Paulo e membro da Academia Paulista de Direito, e Rodrigo de Abreu Fudoli, autor de "Da remissão da pena privativa de liberdade", o sistema penitenciário passou por uma considerável evolução ao longo da história. A princípio, a pena privativa de liberdade partia do princípio de vingança e castigo, era comum, na Roma antiga, que os condenados recebessem como pena o trabalho nas galés, grandes barcos com remos operados por presos, depois, na época do Iluminismo, foi questionada a idéia do castigo físico, tendo ganho força a idéia de "trabalhos forçados", da "escravidão" meramente como elemento de penalização, numa época em que na Europa o capitalismo já estava em vigor. Entre os séculos XVI e XIX desenvolveu-se a idéia do trabalho pedagógico, moralizante e disciplinador do infrator da lei. Ao contrário do senso comum de que "o trabalho reeduca" é um lema nazista, este é na realidade um lema do sistema penal, seja ele de um país de orientação socialista, nazista, liberal, conservador...

Autores como Wilhelm Reich, em "A revolução sexual", mencionam que na Rússia socialista e mais tarde na URSS, era comum que o trabalho dos presos tivesse um caráter moralizante, disciplinador, onde os presos trabalhavam na confecção de objetos como calçados, o que lhes permitia se reinserirem na sociedade após o cumprimento de suas penas. Enquanto nos anos 20 e 30 predominava esse princípio na União Soviética, países como os Estados Unidos aplicavam penas de trabalhos forçados, nos quais o prisioneiro trabalhava exaustivamente com bolas de ferro em seus pés, cena inexistente no país dos sovietes. Segundo o autor sueco Mário Sousa, autor do brilhante trabalho denominado "Myten om miljontals fångna och döda i Stalins Sovjetunionen"(O mito dos milhões de presos e mortos na União Soviética de Stalin), "para os campos de trabalho Gulag iam os criminosos de crimes graves (homicidio, roubo, violação, crimes económicos, etc.) e uma grande parte dos condenados por actividades contrarevolucionárias. Outros criminosos com pena superior a três anos podiam também ser postos em campos de trabalho. Depois de um tempo num campo de trabalho o preso podia ser mudado para uma colónia de trabalho ou uma zona especial aberta. Os campos de trabalho eram zonas muito grandes onde os condenados viviam e trabalhavam debaixo de um grande controlo. Trabalhar e não ser um peso para a sociedade era coisa evidente, nenhuma pessoa saudavel passava sem trabalhar"(escrito português de Portugal conforme a velha regra)[1]. Ainda, o autor fala sobre as colônias de trabalho, que eram 425, onde havia um regime com menor controle, mais livre, para onde iam geralmente infratores de crimes menores e crimes políticos, trabalhando em fábricas ou mesmo colônias agrícolas, esses presos eram remunerados. No Brasil, existe um sistema similar ao este, ele se chama "Colônia penal", sendo a maioria agrícola e algumas de natureza industrial, fabricando, por exemplo, bolas de futebol, exercendo atividades que venham a possibilitar a reinserção do indivíduo na sociedade.

É certo que nenhum sistema penitenciário é um sanatório, casa de dencanso ou spa, de maneira que no sistema soviético, assim como em outros, havia irregularidades, nenhuma delas, ordenada por Stalin ou qualquer órgão diretivo do Estado Soviético. Estes casos de abuso contra prisioneiros ocorreram em sua maioria durante os anos II Guerra Mundial, quando nem a população podia vier tranquilamente sob a ameaça dos fascistas invasores, sofrendo com o racionamento de comida e uma série de privações, como não poderia deixar de ser, essas privações também ocorriam nos campos de trabalho. Muitos dos guardas que cometiam esses abusos eram pessoas que perderam sua família ante os nazistas ou seus colaboradores, pessoas que perderam suas casas, filhos, entes queridos ou simplesmente viram milhares de seus camaradas serem queimados vivos ou enforcados pelos defensores das idéias de Hitler, com quem encontravam-se frente a frente no Gulag nos anos depois da guerra. Diante do fato de que essa guerra alterou a vida de todo o país, vitimando mais de 20 milhões de soviéticos, é compreensível que muitos guardas do NKVD viessem a oferecer um tratamento gentil e cortez para criminosos nazistas. Apesar do quê, havia casos excepcionais em que o próprio Stalin chegou a pedir clemência para com os presos do Wehrmacht, o que contradiz a idéia do "Stalin cruel". Segue-se, entretanto um exemplo de ordem cruel:

"O Presidente Bush clama ao Congresso que permita que a CIA continue usando procedimentos de interrogatório "alternativos" - o qe inclui, de acordo com registros publicados, forçar os prisioneiros a ficar em pé por 40 horas, privando-os do sono e o uso da "cela fria", na qual o prisioneiro é deixado nu em uma cela mantida próxima de 50 graus negativos e molhado com água fria"[2]

O sistema carcerário soviético alcançou o número máximo de 2,5 milhões(aproximadamente) de presos em 1953, após a Segunda Guerra Mundial, quando muitos nazistas foram incarcerados e aumentou a incidência de criminalidade em razão das condições materiais do país após a guerra, tratava-se de um país em tempos difíceis, que teve grande parte de sua infraestrutura destruída e sua qualidade de vida alterada pela guerra, algo que jamais aconteceu, por exemplo, em países como os Estados Unidos, que desde o início do século XIX, isto é, há quase 200 anos, não conhece uma guerra em seu território. Este país, que gasta milhões por ano em guerras imperialistas e propaganda anticomunista, tem mais de 2 milhões de miseráveis e tem a maior população carcerária do mundo, tendo alcançado o número de 7 milhões de presos em 2007[3], o que é quase a população da cidade do Rio de Janeiro. Este número chegou a ser confirmado no site The Conservative Voice (A voz conservadora), em link[4] que atualmente está fora do ar. Um fato interessante sobre o sistema penitenciário soviético é que nem mesmo por parte dos anticomunistas mais extremistas há relatos de abuso sexual de presos por outros presos ou mesmo por parte de policiais, como acontece no Brasil e nos Estados Unidos. No primeiro, por exemplo, durante o período fascista que vigorou de 1964 a 1985, é possível encontrar casos de prisioneiros que sofriam técnicas de tortura deploráveis, mulheres que tinham insetos introduzidos no canal da vagina, que eram deixadas nuas e sem tomar banho por semanas, homens que tinham a sua masculinidade humilhada, com a introdução de objetos fálicos em seu ânus e mesmo sendo estuprados pelos mesmos torturadores que usavam termos homofóbicos contra comunistas. Embora no sistema penitenciário soviético houvessem casos de presos que sofriam tratamento duro das autoridades do NKVD como socos na barriga, nada se compara ao tratamento que os presos políticos do Brasil sofriam na época da ditadura latifundiário militar, tais como estupros, choques elétricos, mutilação, sodomia e outros tipos de abuso sexuais e físicos. Diferente do que ocorreu no Brasil, desconhece-se casos de dissidentes soviéticos que tenham saído paraplégicos do Gulag.

Disparates segundo o qual "a ditadura militar brasileira foi mais branda do que a ditadura comunista-terrorista" não passam de clichês vazios e desprovidos de qualquer objetividade, ignorando que em muitos casos eram regimes revolucionários que em razão de situação extraordinária adotaram o Estado de Exceção, uma vez que viviam uma ameaça real, a Rússia, por exemplo, foi invadida por 14 países só entre 1918-21, a URSS, em 1945, foi invadida por dezenas de países vassalos da Alemanha nazista, mais ela própria, por mais de 2 milhões de homens só no primeiro dia da invasão, tendo perdido 20 milhões ante a histeria anticomunista alemã; isso tudo sem contar os casos de terrorismo nos anos 20 e 30 promovidos com o intuito de desestabilizar o sistema socialista, na URSS e fora dela, contra suas representações diplomáticas. A ditadura latifundiário-militar fascista não conheceu invasores externos, quando muito guerrilheiros treinados em Cuba, China e Tchecoeslováquia contra tiranos formados por escolas de tortura nos Estados Unidos e alguns até mesmo na antiga Alemanha nazista. Não é segredo para ninguém que enquanto o governo perseguia implacavelmente os comunistas, patrocinava grupos neonazistas como o CCC e tinha nazistas convictos no poder como Fillinto Müller, além de ter homiziado fugitivos do Tribunal de Nuremberg como o Dr. Josef Mengele, que conviveu tranquilamente no Brasil até sua morte, um nazista protegido por fascistas, por farsantes pseudo-nacionalistas.

Um dos pontos curiosos ao se falar do GULAG, é que ele é atacado pelos mesmos indivíduos que defendem que "bandido bom é bandido morto". Alguns círculos direitistas, celebrando o massacre do Carandiru, condenam a repressão comunista a uma revolta carcerária ocorrida na Ásia Central, quando os nazistas detentos da OUN-UPA[5] tomaram um campo de trabalho e montaram um governo rebelde no Cazaquistão, revolta essa descrita e aplaudida no livro de Solzhenytsin, que é na Rússia apelidado de So-lzhi-nytsin(lzhi signifiga "mentiras", em russo). O autor, que esteve no GULAG e saiu de lá em perfeitas condições de saúde, não faz nem esforço para em seu livro ocultar a sua admiração pelo nazismo, criticando Hitler apenas por não ter usado devidamente o potencal do movimento colaboracionaista. Este pseudo-humanista, venerado pela extrema-direita, chega ao extremo de defender estupradores, fazendo apologia a dois soldados que haviam sido presos por estuprar uma civil alemã.

De fato, as críticas ao sistema do Gulag são desprovidas de epistemologia e carecem de objetividade. Mesmo números como os 10, 20, 70, 100 ou 300 milhões, não podem ser corroborados por dados, uma vez que os dados oficiais apontam o número de 2.369.222 pessoas presas e 642.980 executados, durante o período de 1921 a 1954, sto é, num período total de 33 anos, apresentando um número menor do que os Estados Unidos da América(que só em 2007 tinha mais de 7 milhões de encarceirados, sendo o campeão mundial de detentos), e mesmo a República Federativa do Brasil, que anualmente tem mais de 250 mil presos. As execuções dizem respeito a crimes contra-revolucionários, uma vez que, conforme já descrito, a Rússia e a URSS enfrentaram uma ameaça real, concreta e objetiva que justificaram a aplicação do Estado de Exceção, uma guerra civil, a invasão por 14 países neste intercurso, sabotagem, revoltas, terrorismo e a II Guerra Mundia. Houve momentos em que houveram abusos de autoridade, como durante a era em que Genrih Yagoda dirigiu a OGPU, facilitando a infiltração de agentes nazistas, e Nikolay Yejov, que mais tarde foi executado pelos seus abusos, algo que jamais aconteceu a qualquer torturador da ditadura fascista brasileira ou da ditadura americana."


E abaixo as fontes dele:

[1] SOUSA, Mario. Mentiras sobre a história da União Soviética. Em www.mariosousa.se/MentirassobreahistoriadaUniaoSovietica.html Acesso em 12/04/2011, às 22:00

[2] MALINOWSKI, Tom. What cruelty is. Artigo do jornal The Washington Post. Em www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2006/09/17/AR2006091700516.html Acesso em 12/04/2011, às 22:03

[3] Study: 7.3 millions of in U.S. prison system in '07 - CNN. Em articles.cnn.com/2009-03-02/justice/record.prison.population_1_prison-system-prison-population-corrections?_s=PM:CRIME Acesso em 10/04/2011 às 14:54

[4] articles.cnn.com/2009-03-02/justice/record.prison.population_1_prison-system-prison-population-corrections?_s=PM:CRIME

[5] OUN-UPA: Organização dos Ucranianos Nacionalistas-Exército Insurrecional Ucraniano, grupo terrorista organizado e dirigido por Stepan Bandera, que recebeu guarida na Alemanha Ocidental após a II Guerra Mundial. Era conhecida por suas atrocidades contra populações ucranianas, bielorrussas, tchecas e polonesas, países que reconhecem essa organização como criminosa de guerra. Empregada pelos nazistas para combater os partizans comunistas, eles aterrorizavam vilas e matavam as famílias de guerrilheiros anti-nazistas ou simplesmente de pessoas que não queriam aderir à sua organização. O Exército Americano tem registros de sua colaboração com os alemães, embora seus apologistas insistam em dizer que lutaram "contra Hitler e contra Stalin".


Quais as consequências dessas reportagens?
https://oglobo.globo.com/boa-viagem/brasileiros-querem-mais-companhias-aereas-atuando-no-pais-21757023
economia.estadao.com.br/noticias/geral,cai-tarifa-de-importacao-para-4-9-mil-produtos,70001940895



veja... o que você acha e o que artigos do IMB dizem acerca do Direito não mudam o FATO... não mudam a forma como o Direito funciona realmente.

Ué, mas "como o Direito funciona realmente" é o que é amplamente criticado nos artigos linkados. Ao menos os leu?

O Direito é o governo regulamentando...

Qual o seu ponto? Nunca ouviu falar em regulamentação privada ? Essas empresas também são o Direito (seja lá o que quer que isso signifique!) ?

Passar por cima disso de forma infantil como você fez agora vai fazer com que vocês continuem no mesmo lugar de sempre, rodando em círculos... cometendo os mesmos erros.

Exatamente o que você fez ao nem os artigos, ou ler e não entender. Fica a recomendação para o artigo linkado aqui: leia-o todinho com as leituras recomendadas sobre empresas regulamentadoras, entenda e argumente coerentemente ao invés de "passar por cima disso de forma infantil como você fez agora".


"Uma tarifa com intuito protecionista é imposta exatamente para impedir que as pessoas importem. Se ela realmente lograr tal objetivo, a receita do governo será zero. Óbvio. Se o intuito do governo é desestimular as pessoas de importar -- e se as pessoas realmente não importarem --, então a arrecadação do governo com essa tarifa será zero. E ele não ligará, pois era isso o que ele queria."

Ah, isso funciona muito bem contado como uma piada. Fui pesquisar e descobri que isso é mais explícito do que parece. São os chamados tributos extrafiscais, que têm unicamente a função de restringir o comércio. E nem o ICMS ou o IPI escapam dessa classificação.

Qual o sentido de manter impostos que provavelmente até prejudicam a arrecadação do governo? Emparvoecedor.


Essa é fácil. Até eu sei. O que gera riqueza é divisão do trabalho, poupança, acumulação de capital, capacidade intelectual da população (se a população for burra, a mão-de-obra terá de ser importada), respeito à propriedade privada, baixa tributação, segurança institucional, desregulamentação econômica, facilidade de empreender, moeda forte, ausência de inflação, empreendedorismo da população, leis confiáveis e estáveis, arcabouço jurídico sensato e independente etc.

Sem isso, não há investimentos estrangeiros, que é o que traz crescimento para países pobres.

Nenhum país da África tem isso, tampouco a Somália, tem essas características.


"afinal o Juros não é uma variável controlada pelo FED?"

Sim. O Fed controla os juros de curto prazo manipulando a oferta monetária no mercado interbancário.

"Logo, o FED não poderia apenas (se essa fosse a intenção dele) manter os juros baixos mesmo com o crescimento menos acentuado da base monetária?"

Não. Quando o crescimento da base monetária desacelera, os juros do interbancário aumentam. (Irão reduzir depois, no longo prazo, em decorrência da queda futura na inflação de preços; mas, no curto prazo, aumentam).


E o grande problema do Liberalismo/Libertarianismo está aí:

Os responsáveis por essa mudança são os políticos e eles não tem grande interesses e vantagens por fazer isso.

Alguns países conseguiram algo próximo disso mais por acaso do qualquer outra coisa, e nada está garantido.


O governo brasileiro é tão parasita que não consegue mais decidir qual tarifa quer cobrar da população. Cobra com intuito protecionista e também arrecadatório e manda o dedo do meio pros brasileiros.


Minha Casa Minha Vida é apenas um esquema de endividamento criado pelo estado.

Os ricos, por causa de sua menor propensão ao calote, têm acesso fácil a financiamento imobiliário barato e subsidiado pelo estado (via bancos estatais). Os preços dos imóveis sobem e, consequentemente, os pobres são empurrados para o "Minha Casa Minha Vida", um programa estatal criado exatamente para tentar remediar os efeitos inflacionários nos imóveis causados pela expansão do crédito estatal (ou seja, para tentar facilitar a aquisição de imóveis pelos mais pobres).

O estado cria um programa (Minha Casa Minha Vida) para remediar os efeitos causados por outro programa (crédito barato de bancos estatais para a compra de imóveis, utilizado pelos mais ricos).

Ao incentivar a demanda por imóveis do MCMV, os preços destes também sobem.

No final, tudo ficou mais caro.

E a consequência é que os pobres ficaram ou sem casa (indo pras favelas) ou endividados pro resto da vida.

"Saúde - Estado provê"

E com qual qualidade?

"Educação - Grátis"

E com qual qualidade?

"Remédios - Grátis."

Isso já acabou, pois não há mais orçamento para isso.

"Salário - Bolsa Família"

O valo não paga nem a conta de luz.

"Melhorias e brindes - Vereador que escolheram"

Eu não invejo.


"A partir de meados de 2004, com a economia americana já recuperada da recessão de 2001, o Fed começou a reduzir o ritmo de injeções de dinheiro no sistema bancário. Consequentemente, os juros começaram a subir"

Não ficou claro para mim, afinal o Juros não é uma variável controlada pelo FED? Logo, o FED não poderia apenas (se essa fosse a intenção dele) manter os juros baixos mesmo com o crescimento menos acentuado da base monetária?


O Estado brasileiro é fascista em seu mais alto grau.

Somente uma ruptura da sociedade através da prática incessante da desobediência civil, até que o último governante caia, poderá nos dar alguma chance.

A elite governante, os empresários com boas conexões políticas, os parasitas burocratas, os sindicalistas, as ong's, a mídia vendida e seus jornalistas analfabetos e mentirosos, o MST, o MTST, e, os marajás do funcionalismo público, formam uma minoria dominante que suga e escraviza a maioria produtora.

Somo maioria, só nos falta vergonha na cara, um pouco de organização e ação.

Chega desse descalabro nefasto e pernicioso !


Mas neste sistema os maiores beneficiários são os pobres.
Casa - Minha casa
IPTU - Insento
Saúde - Estado prove
Educação - Grátis
Faculdade - Proune
Remédios - Grátis.
Salário - Bolsa Fámilia
Melhorias e brindes - Vereador que escolheram.
etc, etc....

Agora já a classe média que desfruta do Capitalismo:
IR retido na fonte, Convenio, Seguro de carro e casa, escola particular, guardinha da rua. Acabamos pagando 2 vezes pelos mesmo serviço.

O único problema é que na visão de um miserável sou considerado rico e na visão do rico uma formiguinha que se mata de trabalhar por migalhas.


Leandro, explica pra ele porque a Somália é subdesenvolvida e o seu povo vive na miséria.


Desregulamentar é coisa de país pequeno, países grandes fazem isso aqui:

https://www.publico.pt/2017/08/28/economia/noticia/danone-envia-5000-vacas-para-a-russia-para-combater-restricoes-na-importacao-1783627


Gostei do artigo por diversos motivos. Não o apagaria, mas acho que os donos do site têm todo direito de publicar e apagar o que quiserem. Se podem até extinguir o site, por que não poderiam suprimir um simples artigo por qualquer motivo? No meu entender não precisavam nem explicar as razões da retirada. Mas se acharam importante dar as referidas explicações, também têm o meu apoio. Resumindo: eu não me acho no direito de dizer a eles o que eles devem fazer. São livres, como eu também sou. Podem fazer o que quiserem, desde que arquem com as consequências.


Opa, eu começo.

Vou contar dois casos. O primeiro aconteceu há poucos meses.

Com a queda do preço do petróleo, o governo de centro-direita recorreu a uma redução de impostos para tentar estimular a economia. Políticos de esquerda, intelectuais e ativistas criticaram a medida, dizendo que ela beneficiava os mais ricos e afetava os mais pobres.

Ato contínuo, o governo implantou, no início de junho, um programa de "contribuições voluntárias" ao Tesouro. Com isso, todos aqueles políticos e cidadãos que haviam criticado sua redução de impostos poderiam demonstrar na prática seu amor ao estado e aos mais pobres.

Tudo o que a pessoa tem de fazer é ir ao website do Tesouro norueguês e doar para o governo a quantia que ele quiser.

Pois bem. Passado o primeiro mês de vigência, o programa norueguês de doações voluntárias arrecadou... 1.000 euros. Sim, mil euros entre os mais de 5,3 milhões de pessoas que residem no país, que é um dos mais ricos do mundo.

O mais legal é que os defensores dos impostos gostam dizer que "pagam seus impostos com satisfação e vontade", pois eles tornam possíveis "serviços públicos de magnífica qualidade".

Porém, isso não vale nem mesmo para Noruega! Isso mostra o quanto as pessoas realmente apreciam os serviços do estado.

A conclusão é que, quando se trata de sair das palavras e ir para a prática, os defensores de um estado grande preferem que a tarefa de bancar o governo fique inteiramente por conta de terceiros. Aqueles que defendem impostos, principalmente aumento de impostos, querem que apenas terceiros arquem com tudo, e não eles próprios. A esquerda gosta de criar impostos, mas não de pagá-los. Assim é gostoso.

Segundo caso: eu já estive na Noruega (e em quase todos os países da Europa; sou bem viajado). De todos os países escandinavos, a Noruega é de longe o pior.

A gasolina é a mais cara do mundo. As bebidas alcoólicas, distribuídas pelo estado, idem. Comer, então, é proibitivo. Dado tudo eram os olhos da cara, eu tinha de me contentar com o McDonald's (caríssimo também).

Mas nada se compara à surpresa que tive ao descobrir que eu tinha de pagar para poder sentar-me à mesa e comer!

Sério mesmo, se tem um país que é anti-pobre, esse país é a Noruega. Quem não tem dinheiro não come (se conseguir comprar algo, vai ter de comer em pé), não bebe e não anda de carro.

Comparado à Noruega, a Suíça é uma pechincha. E os EUA, então, são de graça.

Converta os preços para dólares e compare os preços dos produtos com os preços que são cobrados nos EUA. É outra galáxia.

E não precisa confiar em mim não. Veja o relato de um universitário do Texas (estado rico) que foi pra lá. O sujeito quase virou mendigo. Três cervejas, US$ 57!

sites.utexas.edu/culturescontexts/2013/08/29/why-is-norway-so-expensive-think-living-wages/

Ah, e segundo uma britânica, compras básicas de supermercado para uma família comum ficam em 1.000 libras esterlinas!

anotherbagmoretravel.wordpress.com/2013/02/19/norway-europes-most-expensive-country/

Um pobre brasileiro que esteja trabalhando nos EUA consegue viver com abundância. Tem carro, casa boa (de aluguel), come o que quer e consome bastante. Já um pobre brasileiro na Noruega nem sai do avião. (A menos que ele consiga entrar num programa assistencialista).


Mais aqui:

www.tripadvisor.com.br/ShowUserReviews-g190455-r115014580-Norway.html


A Noruega só se mantém porque bóia sobre petróleo e pode utilizar essas receitas para dar boa vida para os mais pobres. Tire o petróleo da Noruega e veja o que sobra.

Já Suécia e Dinamarca, que não têm essa mordomia garantida pelo petróleo, têm de se virar. O que ambas fazem? Desregulamentam sua economia.

Todos os socialistas querem ser a Dinamarca - será mesmo?

Cinco fatos sobre a Suécia que os social-democratas não gostam de comentar


Abraços, foi um prazer.


Calma aê quando falar em programas implantados pois, apesar de social democracia não ser direita liberal, o Bolsa Família é só a fusão de 3 programas de FHC. Já o Minha Casa Minha Vida se inspirou no PAR (Programa de Arrendamento Residencial) de FHC.

Diga-se de passagem, o "boom" da construção civil teve início com o PAR ... vide a compra da Tenda pela Gafisa.

A esquerda é muito boa em renomear e assumir pra si os méritos de outros. Até ideias os caras roubam, né fácil não.



Ferir a decência não, por favor. Se os lulistas doentios são capazes de distorcer a realidade dos fatos ou mesmo inventá-los ou ainda de roubá-los em seu favor (como o Bolsa Família que foi a mera fusão de 3 programas sociais de FHC), não podemos nos calar, pois o nosso silêncio só fará o histerismo fanático deles chegar aos ouvidos ou olhos de quem lê estas postagens.


Isso não é nada. O meu ramo, oftalmologia e optometria, é protegido para ninguém, pois não tem fabricantes nacional. Mas as tarifas de importação são violentas.

Precisei comprar um oftalmoscopio wellch&allyn. Nos EUA, 300 dólares; aqui 3.200 reais.

E não existe um mísero fabricante nacional. A proteção se dá para os fornecedores de peças de reposição da indústria de ótica.

Um autorefrator que custa 2.500 dólares nos EUA chega a 35 mil reais no Brasil. Comprei o meu seminovo por 15 mil reais com um ano de uso de um amigo que fechou o consultório.

Parece que o objetivo é lascar quem tem problemas de visão porque não vejo razão minimamente racional pra fazerem isso.


Leia Bastiat, meu caro, em especial "A falácia da vidraça quebrada". Todo capital que antes era empregado numa indústria ineficiente agora passa a poder ser empregado para atender outras demandas dos consumidores. E sim, demandas para consumo existem, sempre existirão e jamais acabarão!

Comprar produto importado mais barato irá, sim, gerar desemprego temporário naqueles indústrias ineficientes, os quais SERÃO RECRIADOS em outros setores tão mais rapidamente quanto mais o ambiente local for livre para entrada de novos empreendedores.

O que não dá é empobrecer toda a população para manter a boa vida de poucas pessoas que estão nos setores protegidos. Pense na indústria automotiva, por exemplo.


O crescimento e a industrialização dos EUA começaram na década de 1820 com as ferrovias com locomotivas a vapor. E então vieram as estradas macadamizadas, assim chamadas em homenagem ao engenheiro escocês John Loudon McAdam. Depois surgiram as ceifadeiras, criadas por Cyrus McCormick, e as siderúrgicas, criadas por Andrew Carnegie.

Tudo isso antes de 1860 (quando realmente houve elevação das tarifas de importação, que foi o estopim da Guerra Civil).

Os estados americanos que mais se enriqueceram durante esse período anterior a 1860 foram os do nordeste. E o motivo é simples: os grandes industriais europeus aportaram lá, na Nova Inglaterra. Esse é um fenômeno que simplesmente não pode ser ignorado em qualquer análise econômica minimamente séria.

E aí houve o inevitável: regiões industrializadas sempre viram protecionistas. Em 1860, o Congresso aprovou a Morrill Tariff, que elevou enormemente as tarifas sobre importações para proteger as indústrias do norte bem como seus altos salários, prejudicando severamente os estados do sul, que agora tinham de arcar com os altos custos de importação, mas que não tinham como repassar estes altos custos para seus preços, pois vendiam três quartos da sua produção para o mercado mundial. Vestuário, equipamentos agrícolas, maquinários e vários outros itens ficaram extremamente caros de se obter. O sul queria livre comércio porque também era a única maneira de exportar sua produção.

Isso impulsionou os estados do sul se rebelaram. Aí deu-se origem àquela maravilha que foi a Guerra Civil Americana, com 600.000 mortos.

(Recomendo este texto a respeito, que faz uma ótima compilação destes eventos.)

Com a vitória do norte, tarifas protecionistas foram implantadas que vigoraram até o ano de 1900, caindo a partir dali).

Como consequência dessa imposição tarifária e da destruição do livre comércio, o sul empobreceu (e, até hoje, é mais pobre do que o norte).

Tarifas fizeram exatamente o que prometiam: protegeram (de 1865 a 1900) aquelas indústrias do nordeste americano que já estavam estabelecidas, e empobreceram o resto do país. E, de quebra, mataram 600.000 civis em uma guerra.


Alguns detalhes:

1) Até 1913, a única forma de o governo federal americano se financiar (a única forma que era permitida pela Constituição) era por meio de tarifas de importação. Ou seja,toda a carga tributária federal se resumia a tarifas de importação.

2) A Morrill Tariff elevou progressivamente a tarifa de importação de 15% em 1860 para 44% em 1870. Foi uma década perdida para os EUA.

A partir de 1870 a tarifa voltou a cair, chegando a 27% em 1880, a 15% em 1910 e a 7,7% em 1917.

E vale um adendo importante: como os preços só caíam por causa da moeda forte (os EUA viviam o padrão-ouro), os preços nominais dos produtos importados também só caíam. Logo, os custos nominais dessas tarifas -- que já eram decrescentes -- caíam ainda mais.

3) De resto, repito o que disse acima: é de crucial importância distinguir entre tarifas de importação com intuito protecionista e tarifas de importação com intuito arrecadatório. Uma é o exato oposto da outra.

Uma tarifa com intuito protecionista é imposta exatamente para impedir que as pessoas importem. Se ela realmente lograr tal objetivo, a receita do governo será zero. Óbvio. Se o intuito do governo é desestimular as pessoas de importar -- e se as pessoas realmente não importarem --, então a arrecadação do governo com essa tarifa será zero. E ele não ligará, pois era isso o que ele queria.

Já uma tarifa com intuito arracadatório existe, ao contrário, para trazer o máximo possível de receita para o governo. Ela não está ali para impedir as pessoas de importar; ao contrário, o governo está torcendo para que as pessoas importem o máximo possível, pois só assim ele terá muitas receitas. E se o governo exagerar na tarifa, então ela vira meramente protecionista, e a arrecadação do governo tenderá a zero -- exatamente o contrário do que ele almejava.

Por uma questão de lógica simples, sabendo que o governo americano da época sobrevivia exclusivamente com as receitas dessas tarifas, então a conclusão lógica é que, à época (antes de 1860 e pós-1870), elas não tinham caráter protecionista. Se tivessem, o governo não teria receita.

As tarifas de importação do governo Sarney e do governo Dilma, por exemplo, eram meramente protecionistas. Já as americanas eram arrecadatórias.

E, ainda assim, eram mais baixas que as nossas atuais.

4) Os EUA cresceram porque havia ampla liberdade de empreendimento e o governo federal era mínimo (excetuando o período Lincoln). Não havia regulamentações (ao menos, não como as de hoje), e o governo federal coletava impostos unicamente via tarifas sobre importados, pois esta era a única maneira permitida pela constituição.

Excetuando-se o período da Guerra Civil, os EUA cresceram de 1820 a 1929. E, até 1913, como não havia um Fed, era um crescimento com queda de preços.

Livre mercado e moeda-forte. Combinação que jamais deu errado.


P.S.: de resto, vale lembrar que os EUA nem sequer foram citados no artigo acima, muito menos mencionados como exemplo para algo. Logo, sua afirmação soa como desespero.


E os EUA depois da vitória do Norte, por acaso não aplicaram tarifas protecionistas e impondo sua vontade aos sulistas?
E os EUA com a expressão Big Agra? Por acaso não são protecionistas?

Os neoliberais não aprendem mesmo. Vocês estão querendo transformar o Brasil numa Somália.


Estava procurando uma certa câmera reflex na internet, e deu assim:

Ebay: U$ 300,00.
BR: R$ 5.000

Também já pensei em abrir um negócio focado na fabricação de clones de Arduino e shields em geral, alguns que eu projetei e não existem, embora haja uma demanda enorme, mas graças ao nosso glorioso, mais que soviético e draconiano imposto de importação de 60%+ICMS local, o capital inicial requerido para o meu negócio seria altíssimo, e olha que nem considerei as etapas burocráticas e registros que não tenho a mínima ideia do que precisaria ser feito para a coisa ser "legal".

Como o negócio estaria iniciando, eu venderia os produtos com preços bem menores. De fato, se fosse possível importar tudo de Shenzhen sem impostos, mesmo com o câmbio no patamar atual, o custo individual seria irrisório, mas enfim.

Sem essas amarras, eu poderia complementar a minha renda trabalhando para mim mesmo. O governo se intrometeu e quer ser o meu sócio de qualquer maneira.

E cobra caro, muito caro por isso.

Estatistas não fabricam, e se forem importar, pagam as taxas de boa fé "em nome da proteção da indústria nacional", e da destruição da iniciativa de quem queria começar a fazer dinheiro e vender produtos a preços mais realistas.

Foda-se o Estado, porque desde que comecei a pesquisar sobre liberalismo, estou convicto como rocha de que contrabando é autodefesa.


Prezado Igor, parabéns pela constatação e pela consciência. É bem por aí mesmo. Já que você não pode reverter o sistema (mesmo porque não foi você quem o criou), ao menos tente ajudar aqueles que foram prejudicados por ele.


"Completamente errado. Aliás, não só errado como também incoerente.

O Direito vem antes do Estado; e a propriedade privada originou o Direito

O direito é uma ordem espontânea e não algo deliberadamente criado por "iluminados"

A existência do estado é, acima de tudo, uma contradição jurídica "


Completamente errado não, rapaz...

veja... o que você acha e o que artigos do IMB dizem acerca do Direito não mudam o FATO... não mudam a forma como o Direito funciona realmente.

O Direito é o governo regulamentando...

Passar por cima disso de forma infantil como você fez agora vai fazer com que vocês continuem no mesmo lugar de sempre, rodando em círculos... cometendo os mesmos erros.

Se isso era tudo o que você tinha como prova de "contradição", então você se estrepou belamente.

Não seja tolo...



Rearranjando as palavras: a educação deve vir DA FAMÍLIA, que forma pessoas pensantes e com princípios; o ensino deve formar sim apenas profissionais - de preferência SEM um planejamento central que visa exclusivamente a criar "cidadãos partícipes na construção" de um estado gigante.
A "alienação política" seria desejável no sentido oposto à "exorbitante importância política" reinante em Pindorama: quanto mais ignorarmos (de preferência fiscalmente) esses homenzinhos políticos, menos precisaremos que eles "nos dêem instrumentos" ou "sejam um esteio" para qualquer coisa.

Realmente vai demorar gerações até desencrustarmos o estatismo de nosso DNA...


E tem cachorro grande falando isso também, começo a achar o desastre econômico brasileiro mais escancarado que nunca:

www.valor.com.br/brasil/5096608/pais-tera-que-aumentar-imposto-diz-pessoa


"Para o capitalismo funcionar, a noção de PROPRIEDADE e afins, precisamos do DIREITO."

Correto.

"É o Direito que vai modular a conduta dos agentes, vai estipular as regras, as garantias..."

Correto.

"E o Direito é o governo regulamentando..."

Completamente errado. Aliás, não só errado como também incoerente.

O Direito vem antes do Estado; e a propriedade privada originou o Direito

O direito é uma ordem espontânea e não algo deliberadamente criado por "iluminados"

A existência do estado é, acima de tudo, uma contradição jurídica


Se isso era tudo o que você tinha como prova de "contradição", então você se estrepou belamente.



"Portanto, embora o autor do texto tenha tentado buscar a tautologia atemporal, inquestionável ou natural, lamentavelmente, não conseguiu definir sua pretensão de "ser libertário". Muito menos a aplicação dela. "

Se o autor conseguiu definir sua pretensão tudo vai de quem NÃO foi capaz de entender uma pretensão tão bem expressa, magistralmente expressa.

Se não conseguimos ensinar matemática a um cachorro, não significa que não conseguimos definir bem a matemática para que o pobre cão conseguisse resolver equações de segundo grau. O fato é que o pobre cão NÃO POSSUI HABILIDADES que o permitam compreender a matemática por melhor que seja demonstrada.

O problema não está em como o pretencioso matemático define as regras NATURAIS da matemática para demonstra-la ao pobre CÃO, mas, SIM, o problema esta nas habilidades intelectuais dos cães para entender a matemática.

ISSO SIM, ficou claro para quem leu o comentário ...hehehe!


"A esmagadora maioria dos governos ocidentais está com um problema devastador: eles já alcançaram o limite suportável da tributação (alguns já até ultrapassaram, como o Brasil), mas seus custos não-discricionários, como os gastos com bem-estar social e previdência, estão acelerando."

É óbvio que aqui em banânia não teremos desregulamentação econômica e livre comércio.
Dada esta situação, qual a outra "solução" que os governos adotam? Inflação.
Os dados estão aí, trabalhem com eles. É só saber identificar as oportunidades e enriquecer com elas...


Eu tava aqui pensando com meus botões na tamanha contradição que esse site está inserido...

vejam

Para o capitalismo funcionar, a noção de PROPRIEDADE e afins, precisamos do DIREITO.

É o Direito que vai modular a conduta dos agentes, vai estipular as regras, as garantias...

E o Direito é o governo regulamentando...

Como diria o filósofo Pondé : "o futuro da ética é a judicialização da vida. A ética "real", pouco a pouco, se torna um "mercado da ética", que enriquece advogados, juízes, procuradores, promotores e "assessores"."

Ou seja...os burocratas.






Tenho uma profissão regulada pelo estado, trabalho em uma indústria protegida, tenho um excelente salário, serviço garantido se fizer tudo direito e sempre que alguma empresa tenta importar equipamento semelhante o MDIC encaminha a solicitação para eu avaliar se vamos fabricar o item ou não, e só consegui entrar nessa porque durante a bonança dos 2000 os filhos dos bacanas queriam especular com imóveis e sobraram vagas para as pessoas comuns, agora que a coisa apertou aqui e nos concorrentes só entram filhos de amigos no esquema.

Meu irmão caçula é 15 anos mais novo, mesmo muito inteligente e estudado só consegue subempregos informais, tem muita gente experiente disponível pra trabalhar, um garoto de 18 anos que entrou no mercado de trabalho numa crise dessas não está tendo 10% das oportunidades que tive.

Esse artigo me ajudou a perceber como dentro da minha própria família as consequências de atos incautos de governos nos colocam em lados opostos, meu irmão estava com um plano de vender sucos rápidos na faculdade, vou ajudá-lo com capital e projeto, devolver um pouco do que o governo roubou dele e deu para mim.



O salário médio da indústria da China já supera o do Brasil e do México. Logo, esse argumento de que os chineses praticam "trabalho escravo" não mais se sustenta.


Esse argumento do "trabalho semi-escravo da China" é um dos mais estapafúrdios imagináveis. Desde quando "trabalhadores semi-escravos" conseguem produzir bens de qualidade ao ponto de quebrarem todas as indústrias de um país? Aliás, de todos os países do mundo (já que o temor em relação aos chineses é mundial)?

Esses chineses são realmente espetaculares. Trabalhando sob um chicote, conseguem produzir com mais competência e capricho do que trabalhadores que ganham altos salários no ABC.

Se isso realmente ocorre, então, francamente, essa turma do ABC deveria sumir do mundo, nem que fosse de vergonha. Se um semi-escravo fizesse constantemente um serviço melhor que o meu, eu morreria de vergonha, ficaria quietinho no meu canto (com medo de alguém me ver), e jamais teria a cara de fazer qualquer exigência.

Extrapolando, se toda a indústria do país conseguiu a façanha de ser quebrada por "semi-escravos", então ela realmente não tinha nada que existir. Era uma vergonha perante o mundo, e um constrangimento para nós.

Outra coisa: se a população brasileira voluntariamente opta por comprar produtos baratos chineses em vez do lixo produzido pela FIESP, por que ela deve ser proibida disso?

P.S.: na década de 1980, todo mundo tremia de medo dos japoneses. Todos diziam que o mundo seria dominado por grandes conglomerados japoneses. Hoje, ninguém nem lembra mais deles. Com os chineses será a mesma coisa.


Achei muito interessante essa desconstrução de mais um "mito" da esquerda. Olhando as fontes, no entanto, achei curioso o Olavo de Carvalho e a Mídia sem Máscara sendo citados como referência. Acompanho o site porque compartilho de uma visão anarcocapitalista. Mas acho temerário essa relação com a direita conservadora, a qual também almeja fazer uso do Estado para privar liberdades civis que vão contra suas crenças.


A lógica do livre mercado me parece bastante correta se considerarmos que todos os países produzem em condições de igualdade ou ao menos parecidas no que diz respeito a direitos trabalhistas. Porém, como aplicar a mesma lógica quando a China, por meio de um governo autoritário e ditatorial submete a sua imensa população a condições semi-escravas de trabalho? Evidente que nenhuma empresa nacional conseguirá competir com esses produtos.


A abertura comercial, concordo, é um dos instrumentos fundamentais ao crescimento econômico de uma nação. A conformação do estado, como o conhecemos nas democracias ocidentais deve ser um esteio ao estado de direito, à iniciativa privada (o empreendedorismo), o respeito aos contratos, a igualdade dos cidadãos frente às leis e assim por diante.

E tudo isso tem que estar assentado em algo chamado educação, que forma pessoas e não apenas profissionais, mas cidadãos partícipes na construção de uma nação.

Saber que tudo isso, esse pensar, ainda está tão longe dos próprios profissionais que passaram por uma academia, haja visto a alienação política de nossos concidadãos, a visão estatizante da sociedade, o esquerdismo oco, o estado babá, a regulação de nosso cotidiano, as agências reguladoras, a legislação trabalhista, a fiscal, a ambiental, e tome taxa que o governo resolve.

Pergunto: que país estamos construindo, quando os políticos nos dão os instrumentos para o agigantamento do estado e a alienação da cidadania?


Por isso, é de crucial importância distinguir entre tarifas de importação com intuito protecionista e tarifas de importação com intuito arrecadatório. Uma é o exato oposto da outra.

Uma tarifa com intuito protecionista é imposta exatamente para impedir que as pessoas importem. Se ela realmente lograr tal objetivo, a receita do governo será zero. Óbvio. Se o intuito do governo é desestimular as pessoas de importar -- e se as pessoas realmente não importarem --, então a arrecadação do governo com essa tarifa será zero. E ele não ligará, pois era isso o que ele queria.

Já uma tarifa com intuito arracadatório existe, ao contrário, para trazer o máximo possível de receita para o governo. Ela não está ali para impedir as pessoas de importar; ao contrário, o governo está torcendo para que as pessoas importem o máximo possível, pois só assim ele terá muitas receitas.

E se o governo exagerar na tarifa, então ela vira meramente protecionista, e a arrecadação do governo tenderá a zero -- exatamente o contrário do que ele almejava.

As tarifas de importação do governo Sarney e do governo Dilma, por exemplo, eram meramente protecionistas. Assim com são as atuais sobre os automóveis estrangeiros. Já as vigentes nos países ricos -- excluindo aquelas específicas, como por exemplo as agrícolas na Europa e nos EUA -- são arrecadatórias.



Para se ter uma ideia da potência do esbulho, este site tem uma calculadora que permite calcular, por estado, quanto você irá pagar de tributos ao importar um bem.

www.tributado.net/

Se você mora no Rio Grande do Sul e decidir importar um produto que custa US$ 1.000 (R$ 3.160) mais US$ 50 de frete, você pagará R$ 3.368 só de tributos, o que dá mais de 100% do preço do produto.

O preço final total será de R$ 6.685.

Obviamente, quase ninguém vai comprar.

Ou seja, as indústrias nacionais, começando pela FIESP, estão sem nenhuma concorrência estrangeira.


"pelas atitudes do cidadão norte-americano Cristopher Cantwell em Charlottesville, EUA."

IMB fake news.

achei que o IMB fosse um pouco mais maduro politicamente pra não cair na armadilha de Charlottesville. mas não, são crianças políticas.

quais as atitudes do Cantwell em Charlottesville??


Negar características raciais é uma ignorancia, mas comum no brasil, pois somos todos educados a crer que todos são iguais. Porque o Estado é forte no Brasil? Porque ibéricos e latinos, racialmente ocupam profissões mais estatais, seja militar ou funcionario publico. Ja os libaneses, árabes e judeus, tem uma tendencia muito maior para o comercio, para o capitalismo que voces tanto defendem. O proprio cristianismo, religião considerada pilar do capitalismo, vem dos cartagineses, da infiltração cartaginesa na aristocracia romana, por isso o proprio Santo Agostinho era de origem cartaginesa, nasceu no norte da africa, e vários outros santos da época. Raças possuem caracteristicas psicologicas, o ibérico prefere estabilidade do que o exceço de trabalho, por isso o Fascismo foi tão forte nos países latinos - Argentina, Brasil, Portugal, Espanha e Italia, isso na época da segunda guerra mundial. Romanos eram povos militaristas e construtores, diferente dos povos do comercio, que eram os cartagineses. Celtas eram aliados de Cartago contra Roma, isso explica muita coisa, pois a america do norte herda dos celtas e gauleses, e é o lugar mais liberal do mundo.


Cidadao comun, isso nada acrescenta. Mostre quem distorceu e o que foi distorcido.


O que precisa ser privatizado é esse governo ladrão e miserável.

Porque político brasileiro só quer mesmo é se dar bem e tá pouco se lixando para o povo.


Está absolutamente dentro dos fatos reais ocorridos na RSA. Como professor já fui altamente combatido por dizer estas mesmas coisas. A lavagem cerebral da esquerda e sua desonestidade intelectual é monstruosa.
Como pode um terrorista _ Mandela _ e um incitador da violência - Desmond Tutu - receberem prêmio nobel da paz....



Huuuum... Não sabia que os nazistas tinham implantado o controle de preços. O nazismo continua sendo o que é: nazismo. O que entendi do texto é que havia um forte controle estatal da economia, mas não houve abolição da propriedade privada como aconteceu na união soviética onde havia o socialismo e o estado era o dono de tudo. Parece que estas medidas autoritárias do nazistas tiveram apoio de uma burguesia temerosa de perder os seus bens com o avanço do socialismo soviético. É estranho que Mises insista em chamar o socialismo de nazismo quando o nazismo é apenas nazismo. Por ser um liberal, a única coisa que ele vê é a intervenção estatal. E observando apenas isso ele "joga tudo no mesmo saco". Forçou a barra.
Esse texto está aqui como um dos mais acessados. Imagino que os que mais gostam de ler este texto é o pessoal da direita conspiracionista. Aqueles que são bem infantis e não podem tolerar que o holocausto foi realizado por um governo de direita. Então procuram todos os textos do mundo que digam que o nazismo era socialismo e portanto, de esquerda. Afinal, o lado em que acreditam tem que ser limpinho e perfeito e o inimigo tem que ser malvado, feio e sujo. Daqui a pouco a direita vai delirar que aquela "maravilha" que era Inglaterra da revolução industrial, onde famílias inteiras trabalhavam, inclusive crianças, de 10 a 18 horas para ganhar um salario de fome, foi na verdade obra dos "comunistas".
Vocês tem toda razão ao defenderem tanto a liberdade humana, mas essa liberdade permitiu que os donos das indústrias da Inglaterra "empregassem" até crianças para trabalhar 18 horas por dia. E, é claro que eram os donos da fabricas quem decidiam que o salário seria uma m****. entendo que vocês dirão que a liberdade foi respeitada pois os patrões não apontaram uma arma para a cabeça dos trabalhadores obrigando-os a trabalhar nestas condições desumanas, mas parece que os trabalhadores não estavam muito satisfeitos com estas condições horríveis de vida e por isso formaram sindicatos, fizeram greves e lutaram por uma vida mais digna. Se fosse pela vontade dos patrões, os trabalhadores estariam sendo tratados até hoje do mesmo modo com eram tratados na Inglaterra do seculo XIX. Na verdade, ainda hoje há lugares onde trabalhadores são tratados dessa forma. A liberdade é algo muito importante e deve ser defendida, mas ela não é a única necessidade do homem. As pessoas também querem segurança, conforto, dignidade, tratamento humano. O liberalismo só defende a "liberdade".
E nem adianta convencer com aquele papinho de que a condição natural do homem é a pobreza e a escassez e que, portanto, esse tratamento horroroso dado aos trabalhadores era melhor que a situação anterior. Esse papo não cola!
Olhando as coisas por esse lado, eu não sei se os capitalistas industriais são melhores do que os senhores de engenho que apontavam armas para as cabeça dos peões!
E esse papo não cola porque o objetivo é mostrar que o capitalismo é bom. Mas eu sei que é. Não sou anticapitalista. Mas o liberalismo tem uma face perversa de defender a "liberdade", mesmo que isso signifique ser cruel com as pessoas.

Outra coisa: que texto é esse de vocês reclamando da esquerda querer derrubar estatuas de intolerantes violentos? Eu ainda não li o texto, nem vou ler, mas acredito que se refira ao incidente em Charlottesville. Ah por favor, voltem a razão! Vocês acabaram de afirmar aqui que o nazismo é um socialismo e agora reclamam porque a esquerda queria derrubar a estátua de um líder adorado por supremacistas brancos que se declaram (sim, se declaram) nazistas? Este líder era um racista a favor da escravidão. Não são vocês que se dizem a favor da liberdade de todos os homens? Não estou entendendo vocês. Se vocês odeiam o nazismo e são contra o racismo e a escravidão não deveriam estar reclamando da esquerda. Até o partido republicano repudiou o incidente. O Trump não se mostrou contra os supremacistas mas isto já era esperado. Qualquer idiota sabe que Trump é um facista.
Sim, o Che Guevara também tinha seus defeitos e intolerâncias, mas existe a direita inteira para julgá-lo. Vocês publicarem um texto atacando o falecido Guevara, quando um bando de nazistas, racistas, vivinhos da silva, gritam palavras de ordem contra não brancos e matam antifacistas por atroplelamento foi uma atitude ridícula.
è óbvio que está errado defender o comunismo, ou o Che Guevara, mas vocês acreditam mesmo que algum dia o comunismo vai ser implantado? Eu não acredito. Querem apostar contra? No entanto, o episodio neonazista, ao qual vocês dizem estar contra foi bem real e há um presidente facista comandando o pais mais poderoso do mundo. Com isso vocês não estão se importando não é?
Acho contraditório se dizer contra o nazismo e a favor da liberdade, mas fazer um texto criticando a esquerda por querer a derrubada da estatua de um escravocrata. A esquerda começa derrubando primeiro a estatua que ela quiser derrubar. Se vocês querem tanto derrubar a estatua de Che Guevara, então lutem vocês por esta causa e parem de mimimi! E eu não estou nem um pouquinho preocupada com a derrubada da estatua do Che. Acho ridiculo fazer estatua pra qualquer figura relacionada a política.


Essa questão tem um reflexo interessante no Brasil.
A lei vigente sobre aluguéis de imóveis urbanos é de 1991, Lei n° 8.245. Sem dúvida, ela intervém no mercado e ataca a liberdade de contratar.
Contudo, ela é bem mais liberal que a antiga Lei n° 6.649, de 1979, produto da concepção econômica socialista da ditadura militar. A Lei n° 6.649/1979 conferia ao locatário todos os direitos enumerados no caso de Nova Iorque.
Evidentemente, quando a Lei n° 6.649 foi revogada pela Lei n° 8.245 houve previsões catastróficas de que o preço dos aluguéis conduziriam os pobres ao desabrigo. O que se viu, bem ao contrário, foi o aumento da oferta de imóveis e consequente diminuição geral dos preços das locações.
No âmbito judicial, a quantidade de processos que versavam sobre locações caiu brutalmente.
É óbvio que tal observação não serve a: a) esquerdistas assumidos, porque uma lei que respeita a liberdade de contratar conduzir ao aumento de oferta e consequente decréscimo de preços é, para eles, algo horrível de constatar-se; b) esquerdistas que não têm coragem de assumir-se, defensores que são da desgraça econômica protagonizada pela ditadura militar, pelo menos entre 1967 e 1985, porque é mais um exemplo do arcabouço normativo estatizante e antiliberal.


Exatamente o que foi dito. Com o detalhe de que o BC faz injeções monetárias no interbancário para manipular os juros (a Selic).


"Se não fossem as práticas assistencialistas irresponsáveis praticadas pelo Fed, não haveria crise nenhuma"

Coreto.

"mas milhões de pessoas hoje não teriam sua casa própria, ou estariam morando em condições precárias, é isso?"

Totalmente errado. Se não fossem todas essas políticas de subsídios, os imóveis não seriam caros, e consequentemente todos teriam muito mais facilidade de acesso.

Lei básica de economia: se o governo subsidia a compra de um bem, a demanda por esse bem dispara. Consequentemente, os preços explodem. Consequentemente, todos têm de se endividar muito mais que o necessário para obter esse algo.

Não houvesse subsídios para a aquisição, os preços seriam muito menores. Com efeito, é provável que as pessoas nem precisassem se endividar, podendo comprar com a própria poupança (como sempre foi antigamente).

Aliás, no Brasil, recentemente aconteceu o mesmo. O governo expandiu o crédito imobiliário via bancos estatais e estimulou as pessoas a se endividarem (a juros baixos) para sair comprando casas. Os preços subiram.

O governo, ao estimular a expansão do crédito imobiliário via bancos estatais, encareceu artificialmente os preços das moradias.

Mesmo com a SELIC a 14,25%% ao ano, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil ofereciam empréstimos para a aquisição de imóveis a juros de 7% ao ano.

Um banquete para os especuladores imobiliários.

Quanto mais crédito farto e barato (os empréstimos dos bancos estatais são baratos porque o Tesouro repassa dinheiro de impostos a esses bancos, o que permite que eles cobrem juros menores), maior a demanda artificial por imóveis. Logo, mais os preços sobem.

Os ricos, por causa de sua menor propensão ao calote, têm acesso fácil a financiamento imobiliário barato e subsidiado pelo estado. Os preços sobem e, consequentemente, os pobres são empurrados para o "Minha Casa Minha Vida", um programa estatal criado exatamente para tentar remediar os efeitos inflacionários nos imóveis causados pela expansão do crédito estatal (ou seja, para tentar facilitar a aquisição de imóveis pelos mais pobres).

O estado cria um programa (Minha Casa Minha Vida) para remediar os efeitos causados por outro programa (crédito barato de bancos estatais para a compra de imóveis, utilizado pelos mais ricos).

Ao incentivar a demanda por imóveis do MCMV, os preços destes também sobem.

No final, tudo ficou mais caro.

E a consequência é que os pobres ficaram ou sem casa (indo pras favelas) ou endividados pro resto da vida.



Mali e Chade capitalistas?! Meu Deus do céu, é cada ignaro que despenca por aqui...

O Mali está na posição 102 do índice de liberdade econômica da Heritage Foundation. Já o Chade está simplesmente na posição 162, perto de Afeganistão e Sudão.

www.heritage.org/index/ranking

Se esses países são capitalistas, então a Suíça até saiu do espectro ideológico, tão excessivamente capitalista ela seria...

Ah, outra coisa, ignaro: que gera riqueza é divisão do trabalho, poupança, acumulação de capital, capacidade intelectual da população (se a população for burra, a mão-de-obra terá de ser importada), respeito à propriedade privada, baixa tributação, segurança institucional, desregulamentação econômica, facilidade de empreender, moeda forte, ausência de inflação, empreendedorismo da população, leis confiáveis e estáveis, arcabouço jurídico sensato e independente etc.

Chade e Mali têm isso?

Parabéns. Você bateu o recorde.


Boa noite!!!
Primeiramente parabens pelo comentario!!!
Eu gostaria de saber um documentário bom e confiável falando sobre a crise de 2008, de preferencia com uma visao de um liberal. obrigado


E aí, viram a mais recente lambança da Samsung? Seu chefão foi preso. Acusado de pagar propina a um acessor da ex-presidente da Coreia do Sul, que foi impichada por corrupção.

www.economist.com/news/business-and-finance/21727769-unlike-other-jailed-chaebol-bosses-he-may-not-be-pardoned-samsungs-boss-sentenced?

E é este modelo -- exatamente o mesmo adotado por Dilma -- que nossos intervencionistas defendem para o Brasil, agora sob Ciro Gomes. Os idiotas simplesmente não entendem que quando há conluio entre governo e grandes empresas, a corrupção é a consequência inevitável. Só quem ganha são os burocratas do governo (que recebem as propinas) e os chefões das grandes empresas (que ficam com a reserva de mercado).


Pensando como o governo gosta de pensar (inventando coisas), e se o governo americano simplesmente inventasse moda e subisse o compulsório pra acima de 100%?

Ex: Um compulsório de 200%, onde para cada dólar deixado em caixa ele mantivesse 2.

Eu realmente to inventando moda, mas se o governo criou até taxa de juros interbancária negativa, porque isso seria impossível?

Nesse caso ele conseguiria, não?


O mercado interbancario tbm eh open market. Os bancos, para fecharem as contas de emprestimos,pagamentos e saques, no final do dia correm para empréstimos interbancários. Assim os bancos conseguem liquidez para operarem sem necessitar de reservas reais. O BC ainda eh a última instância nessas operações, pq esses empréstimos tem que fechar os saldos. Alem disso, os bancos nao deixam dinheiro parado sem render nada.


Deixe-me ver se eu entendi direito.
Se não fossem as práticas assistencialistas irresponsáveis praticadas pelo Fed, não haveria crise nenhuma, mas milhões de pessoas hoje não teriam sua casa própria, ou estariam morando em condições precárias, é isso?


Como vocês explicam a miséria e o sofrimento de países como o Mali e o Chade, que nunca tiveram uma experiência Socialista em suas histórias? Sempre foram capitalistas e são os países mais pobres do mundo!


O valor das reservas em excesso é várias vezes maior que o total de depósitos em conta-corrente, de modo que mesmo um compulsório de 100% ainda deixaria várias reservas em excesso livres para serem usadas.

Uma coisa que poderia ser feita é cancelar as reservas em excesso (passivo do BC) e simultaneamente cancelar os títulos que ele adquiriu e que criaram estas reservas (ativo do BC).

Mas aí haveria o problema legal de que esse dinheiro é dos bancos, e estaria sendo confiscado.

Em suma, não há solução.



Tem muita coisa para refutar neste empilhado desconexo de coisas que vc escreveu, mas vou ater-me apenas num ponto: "O estado nasceu como um mediador de poderes, ja que o poder economico sobre os pobres era grande...". Murray Rothbard, em Anatomia do Estado, dismistifica esta visão ao mostrar que o estado nasceu quando a tribo de saqueadores - que vivia de invadir, matar e roubar outros povos - percebeu que eles viveriam mais confortavelmente se, em vez de dizimar a população e destruir as cidades dominadas, eles apenas se declarassem governo, estipulando impostos a serem pagos pela população submetida. Desta forma, a tributação foi estipulada para garantir à população que vivia nas cidades segurança contra a ação violenta dos invasores, ou seja, daqueles mesmos que os obrigava a pagar impostos, ou ainda, metaforicamente falando, do governo. Note, que esta visão do Estado contrasta fortemente com a visão falaciosa socialista de Thomas Hobbes e seu fictício Leviatã. Esta obra, Anatomia do Estado, está disponível no site do IMB para baixar, gratuitamente, em pdf (www.mises.org.br/Default.aspx?login=show). Vc também pode adquirir a obra impressa no mesmo site.


Vamos dar uma olhada.

Objetivo do Autor: Esses são os remédios eficazes para curar de uma vez por todas o câncer da corrupção política do Brasil, da miséria social e combater severamente a escalada da violência em todo território brasileiro, que está sendo promovida pela grande maioria dos políticos atuais, que são bandidos e vagabundos, e pelos os falsos defensores dos direitos humanos.

Vamos ver se cura a miséria, a corrupção e a violência.

1ª MEDIDA => Depois da tomada do Poder, o Congresso Nacional será fechado por tempo indeterminado, e a sua folha de pagamento será destinada para os Cofres da Nação. O Brasil passará a ser administrado por uma Junta Cívica e Militar com Poderes Supraconstitucional, acima dos Três Poderes, para poder fazer as reformas básicas necessárias;

As três últimas juntas militares que governaram o Brasil fizeram um trabalho exemplar. Elas não expandiram o estado de forma alguma e / ou incorreram em inflação na casa das dezenas de milhar para a execução de suas reformas básicas necessárias.

2ª MEDIDA => O Governo Provisório, ao assumir o Poder, será obrigado a determinar imediatamente a Polícia e o Ministério Público a investigarem, minuciosamente, todos os Políticos, desde o Vereador ao Presidente deposto Temer, sem nenhuma exceção e sem precisar de nenhuma autorização judicial para realizar essas investigações; porém, aqueles políticos — acusados de corrupção e enriquecimentos ilícitos provados e condenados na Justiça — serão presos e terão os seus bens confiscados para ressarcirem os Cofres Públicos que foram roubados, assaltados e saqueados por esses políticos bandidos, facínoras e ladrões;

A parte final dos ressarcimentos já não é o que prevê a atual lei de improbidade?

3ª MEDIDA => Será reduzido todos os salários e as aposentadorias dos políticos, dentre outras classes de funcionários do alto escalão também, e as suas mordomias, auxílios e privilégios serão extintos, e todas essas economias de verbas serão repassadas para os Cofres da Nação;

Os generais estão incluídos na lista? Acho improvável que uma junta militar e cívica governando o país no mais alto escalão possível decidirá contra ela mesma. Especialmente porque eles já planejaram suas vidas levando os fundos em consideração. Se algum membro da Junta argumentar contra a decisão de perda de privilégios, o papel de defender a medida estará nas mãos de outros interessados. Ou seja, exatamente a situação atual. Não tenho motivo para acreditar que será diferente do que já ocorre.

4ª MEDIDA => Os bens dos políticos corruptos e das empresas envolvidas com a corrupção serão todos confiscados e repassados para os Cofres da Nação. Todos os Deputados Federais e Senadores, dentre outros, serão presos por crime de Lesa-Pátria. Da motivação para serem presos => Os seus altos salários de mais de R$ 170 mil reais por mês (entre salários, benefícios e privilégios), em relação ao Salário Mínimo de Miséria de R$ 937,00 reais, é uma das provas da má distribuição de renda, e que eles estão industrializando a Miséria Social do Brasil => Lesando o Povo, a Pátria e a Nação. Eles estão transgredindo a Constituição Federal de 1988, como os Princípios da Legalidade e o da Moralidade (Caput do art. 37 da CF/88), os incisos I, II, III e IV do art. 3º, o Caput do art 6º, o Preambulo da CF/88, dentre outros, e é por isso que eles tem que ser presos e julgados por um Tribunal Cívico e Militar;

Somente um grifo para a posteridade.


5ª MEDIDA => Todos os órgãos públicos inúteis, como as vices governadorias, dentre outros, e a maioria dessas ONGs serão extintas, e todas essas economias de verbas serão repassadas para os Cofres da Nação;

Ou seja, não haverá corte de impostos, somente redirecionamento dos fundos auferidos.

É improvável [link=https://oglobo.globo.com/economia/ate-2020-pais-tera-rombo-fiscal-de-meio-trilhao-de-reais-preve-governo-21711761]que faça diferença no cenário fiscal atual/link] e levando em conta a Lei de Parkinson, em que o gasto do estado varia em função da arrecadação; não há motivo algum para acreditar que os fundos adquiridos com todos os ressarcimentos previstos nas 41 medidas não serão usados como colateral para criar mais dívidas. O histórico de arrecadação do governo é claro: "os gastos sobem de encontro à receita."


6ª MEDIDA => Será taxada as grandes fortunas, e todas essas arrecadações serão destinadas para os Cofres da Nação;

Repito o ponto acima e adiciono:

Taxando as "grandes fortunas", você só estará: dando mais um motivo para pessoas com dinheiro fugirem do Brasil; tirando recursos que podem ser utilizados para investir e criar empregos legítimos pelos tolos que ficarem no país; dando mais dinheiro aos governantes e menos dinheiro à população, o que significa que o mercado será orientado para suprir as necessidades do grande consumidor (o estado) ao invés da população (aumentando assim o incentivo pecuniário aos empresários remanescentes para que incorram em propinas às elites políticas em troca de prestação de serviços - ou seja, incentivando a corrupção que visa combater) e além disso, em um contexto político atual em que as taxas de investimento estão em queda-livre há anos, você não está dando se quer um motivo para alguém (brasileiro ou estrangeiro) investir.

Você deu poder absoluto à sua junta! Pare de fazê-la agir como o estado atual já age.

7ª MEDIDA => Todo fundo partidário e os impostos destinados para os Sindicatos serão repassados para os Cofres da Nação;

Repito o item 5.

8ª MEDIDA => A lei Rouanet será extinta e a sua verba será destinada para os Cofres da Nação;

Repito o item 5.

9ª MEDIDA => Todos os Ministérios serão fechados por tempo indeterminado e os seus Ministros expulsos dos seus cargos, e as folhas de pagamentos desses Ministérios serão repassados para os Cofres da Nação; esses Ministérios serão reabertos em número reduzido, como também será criado o Ministério da Defesa e da Segurança Pública, formado pela Marinha, Exercito e Aeronáutica, e as pastas de todos os Ministérios serão entregue as pessoas qualificadas para assumirem esses Ministérios;

"Pessoas qualificadas" já não administram todas as pastas? Olha a maravilha que é!

Se as pastas fracassarem, o brasileiro poderá decidir não mais financiar o governo federal assim como ele não financia um restaurante que não lhe agrada? Não? As pastas não podem ir à falência?

Então dá no mesmo. Só o uniforme dos gestores que mudará.

10ª MEDIDA => Todas as Secretarias, Ministérios e ONGs de Direitos Humanos serão extintos, e as suas verbas serão destinadas para os Cofres da Nação. Em seus lugares serão criadas Secretarias Ecumênicas Religiosas (municipais e estaduais) e o Ministério Religioso Ecumênico, com a incumbência de evangelizar o povo brasileiro em todos os meios de comunicações, sem impor religião a ninguem. Isso é mais benéfico do que esses órgãos dos falsos direitos humanos satânicos e demoníacos;

Repito o item 9.

11ª MEDIDA => Todas as obras públicas de construções que os municípios, os estados e a União querem realiza-las, só poderão ser feitas pelas as Forças Armadas, através de contrato. Elas ficaram responsáveis de contratar os trabalhadores, como também presos e (menores aprendizes sobre a disciplina militar);

Repito o item 9.

12ª MEDIDA => Será criada varias empresas estatais militarizadas, onde algumas delas irão produzir energia eólica, solar, dentre outras fontes de energias limpas e renováveis, para garantirem o crescimento econômico e do consumo do Brasil. Outras estatais militarizadas irão construir trem e ferrovias para ligar o Brasil de Norte a Sul do País, dentre outras construções. Entretanto, os funcionários dessas empresas estatais militarizadas irão ganhar salários compatíveis com as suas funções, idênticos a da inciativa privada, sem nenhum privilégios, mordomias e auxílios, pois elas tem que ter lucros para ser repassados para os Cofres da Nação;

Aqui estão as reformas básicas e os fundos repassados aos Cofres Públicos nas medidas acima?

Então a Lei de Parkinson acerta novamente: os gastos vão de encontro à receita. Até na sessão de comentários do Mises.

Não dá para fazer ajuste fiscal sem decapitar o gasto estatal. Confiar impostos a estatistas para pagar as contas é garantia de decepção.

Repito os itens 5, 6 e 9.

13ª MEDIDA => Todos os municípios e os estados que estão no vermelho serão administrados por juntas cívicas e militares, e os seus administradores políticos serão expulsos dos seus cargos, e as suas assembleias de deputados e câmaras de vereadores serão fechadas, e suas folhas de pagamentos serão repassadas para .os Cofres da Nação. Se as gestões das juntas cívicas e militares forem melhor para o povo do que a dos políticos ladrões, então todos os municípios e estados passarão a ser administrados por juntas militares;

Continuarão no vermelho se a medida 12 for aprovada.

14ª MEDIDA => Será assentada nas terras improdutivas, em forma de cooperativas, milhões de famílias, sobre o comando das Forças Armadas, para produzirem riquezas, gerar empregos e contribuições para o crescimento econômico do Brasil;

As terras improdutivas produzirão riquezas?

Por que então elas já não estão produzindo riquezas se elas não são improdutivas de verdade? Ah, sim. Elas pertenciam ao estado e a medida 6 foi aprovada.

15ª MEDIDA => Não será aumentado o tempo de contribuição para o trabalhador poder se aposentar. O Brasil será muito rico e terá bastante dinheiro para garantir os pagamentos de todas as aposentadorias;

Ah, se fosse tão fácil resolver a situação da previdência!

16ª MEDIDA => Será criada a Patrulha do Bairro das Forças Armadas, formada por 20 milhões de pessoas convocadas (homens, mulheres, reservistas ou não), que serão treinados para fazer o patrulhamento a pés e motorizados nos bairros durante 24 horas por dia, através do revezamento entre eles, com o apoio das polícias, para reduzir a violência em 99% (roubos, trafico de drogas, homicídios, etc.). Bandidos serão tratados como bandidos e serão obrigados a trabalhar para indenizar as suas vítimas e os custeios de suas estadias nos presídios, onde o Governo indenizará imediatamente as suas vítimas, e os presos terão que ressarcir ao Governo. Todos os presídios serão militarizados;

1 em cada 10 brasileiros terão que ficar andando por aí patrulhando os bairros? Assumo que assalariados, não?

17ª MEDIDA => Serão extintas as audiências de custodias, os auxílios reclusões, as tornozeleiras eletrônicas e os crimes afiançados. Quem for preso por crime que o leve a prisão, determinado por lei, vão ter que trabalhar para indenizar as suas vítimas e pagar as suas estadias nos presídios. Serão criados presídios militarizado empresarial estatal. Quem não quiser trabalhar, também não vai comer, vai morrer de fome;

Vale lembrar: boa parte dos chefes de família brasileiros poderiam ser presos amanhã por porte ilegal de armas sem direito à audiência de custódia em um mundo com a 17º medida. Você gostaria que seu escrutínio acima fosse imposto a eles?

A lei nem sempre estará do seu lado, mesmo se você estiver no lado certo.

Que digam os que resistiram aos soviéticos na Europa Oriental.

18ª MEDIDA => Será feita uma faxina geral na bandidagem, para com isso milhões de turistas possam vim ao Brasil, com segurança, gastar os seus dólares aqui, para aumentar a nossa reserva cambial, como também será reduzida a maioridade penal para 12 anos;

Então nós concordamos que um câmbio valorizado é ideal. Então chega de impostos, insegurança política e gasto governamental, por favor. Eles não estimulam uma vinda de dinheiro de estrangeiro.


19ª MEDIDA => Todos os Ministros do Supremo Tribunal Federal, Procuradores Gerais de Justiça e o Procurador-Geral da República, dentre outros, serão destituídos dos seus cargos; e estes serão preenchidos — obrigatoriamente — por pessoas escolhidas por concursos públicos, ou de outras formas sem indicações políticas, porque o Poder Judiciário e o Ministério Público têm de ser totalmente independentes dos Poderes Executivo e Legislativo, evitando assim que os políticos corruptos que os indicam para tais cargos sejam protegidos e acobertados por muitos desses "doutores" da Lei, como está ocorrendo atualmente no Brasil (por debaixo dos panos). Hoje fazem de tudo para proteger esses bandidos envolvidos nos escândalos de corrupção, a exemplo do mensalão, petrolão, lava - jato e outros tantos que destroem a nossa economia e desmoralizam o Povo Brasileiro e a Nação;

A Polícia também é concursada. Olha a maravilha que é.

Repito o item 9.

20ª MEDIDA => Será criado o Poder Judiciário Municipal, o Ministério Público Municipal e a Polícia Municipal. Todos ficarão no mesmo prédio público, de forma integrado, ganhando salário compatível com a realidade salarial do Brasil, sem auxílio, mordomia e privilegio, onde o piso salarial de cada função será identifico em todos os municípios (por exemplo: juiz municipal ganhara salários idênticos em todos os municípios, e assim também será para o promotor de justiça municipal e a policia municipal), pois o seu orçamento será federal, podendo os seus funcionários, ocupante da mesma função, permutar entre eles dum município para o outro;

Repito o item 9.

21ª MEDIDA => A Justiça de Pequenas Causas, do Trabalho, dentre outras de 1º grau, seja ela federal ou não, serão extintas, e os seus funcionários serão removidos para os Tribunais Municipais e Ministerios Públicos Municipais, que passarão a ter poderes de julgar todas essas ações;

As pequenas causas não têm como objetivo acelerar o sistema jurídico?

22ª MEDIDA => Todos os tribunais de justiça estadual de segundo grau não terá mais os cargos de desembargadores e sim, de juízes de 2º grau, e os demais que forem entrando tem que ser por concursos públicos, e não mais por indicações políticas.Os Tribunais Regionais Federais (TRF) de 2ª instância, TRT, dentre outros, serão extintos, e todos os seus servidores concursados vão para os Tribunais Estaduais de 2º grau, onde serão aumentados os números de turmas para decidirem todas as questões que chegarem a eles do 1º grau;

23ª MEDIDA => Todos os tribunais de 3º grau (STF, TST, STJ, STM e TSE) serão fundido num só, formando um único tribunal de 3º grau com várias turmas para julgar todos os tipos de ações, onde não serão mais chamados de ministros e sim, juízes de 3º grau, e os demais que forem entrando tem que ser por concursos públicos, e não mais por indicações políticas;


Repito o item 9.

Não acho que os tribunais superiores existam por capricho.

24ª MEDIDA => Serão criadas leis dando poderes a Polícia a resolver também questões cíveis de menor porte, inclusive confiscar bens para ressarcir divida de pessoas que foram enganadas ou lesadas. Nesse novo sistema de governo e de sociedade não terá mais espaço para vigaristas, pessoas canalhas e vagabundas, que aproveitam das leis fajutas para lesar e enganar os cidadãos de bem;

Vale lembrar: essa é a mesmíssima polícia que arquiva 90% dos homicídios.

25ª MEDIDA => Em todas as cidades, que não tem Quartel das Forças Armadas, passarão a ter. Não haverá mais o excesso de contingente; portanto, terá vagas pra todo mundo, sendo facultativo para as mulheres e obrigatório para os homens servir a Pátria. Serão obrigados a servirem durante 2 anos, onde um ano será de treinamento, e o outro anos terá que trabalhar fazendo a segurança pública do Brasil, dentre outros serviços públicos;

Quer dizer que uma cidadezinha lá em Juazeiro do Sul precisará ter Quartel das Forças Armadas com todos os custos financeiros e fardo sobre a infraestrutura que vêm com eles?

26ª MEDIDA => Todas as escolas públicas, com exceção de algumas, serão militarizadas, para evitar que o tráfico de drogas e os bandidos ponham em risco as vidas dos nossos estudantes dentro dessas escolas, como ocorrem atualmente em muitas delas. Nelas serão introduzida a cadeira de Religião Ecumênica, Educação Moral e Cívica, Direito Constitucional, dentre outras. Temos que educar os nossos estudantes para transformá-los em cidadãos de bem, caridosos e do espírito fraternal, que defendam uma sociedade fraternal e mais justa;

27ª MEDIDA => Todos os menores de 18 anos serão obrigados a está matriculados numa escola. Aqueles que abandonarem a escola, os pais perderão as suas guardas para o Estado, e Este assume as suas guardas colocando - os no internato de escolas militares, só saindo de lá depois de atingir a maioridade cívica de 18 anos, ou, caso contrario, poderão voltar para as casas dos seus pais, desde que se comprometam a não abandonar a escola;


Se fosse um comunista querendo impor sua agenda às crianças até mesmo à base de sequestro e internatos de doutrinação, você aprovaria?

Não dê esse poder ao estado.

28ª MEDIDA => Será criada uma Lei Trabalhista moderna e bem elaborada, onde o empregador e o empregado sairão ganhando sem nenhum prejuízo, sem precisar mais da Justiça do Trabalho, onde esta, no futuro, será extinta, e também será reduzido os impostos em cima das empresas e das burocracias do estado em cima delas, para que as empresas possam se desenvolver para ganhar mais mercado e contratar mais gente para trabalhar;

Acho improvável que haverá redução de impostos sem redução alguma de gastos e aumento absurdo deles. Tudo mencionado acima foi somente redirecionamento.

29ª MEDIDA => Será extinta a Justiça Eleitoral. Caso faça necessário, os cargos desde Vereadores ao de Presidente da República serão todos ocupados por pessoas qualificadas escolhidas por concursos públicos, que serão realizados a cada 4 anos, ao invés de eleições políticas, ganhando salário compatível com a realidade salarial do Brasil, sem privilégios, auxílios e mordomias. Terminados os seus mandatos, caso queiram ocupar novamente esses cargos políticos, terão de submeter-se novamente aos concursos públicos, junto com os demais concorrentes. Desta forma, não só iremos selecionar melhor as pessoas que irão governar o país, como também acabaremos de uma vez por todas com os partidos políticos, os investimentos públicos e privados em campanhas políticas, com as eleições políticas, dentre outras desgraças que destrói a nossa Pátria e a Nação, pois os municípios, os estados e a União são empresas de alta complexidade e tem que ser administrados por pessoas qualificadas, e não por qualquer um;

Repito o item 9.

30ª MEDIDA => Todas as leis e outras coisas de interesses públicos a nível municipal, estadual e federal que os políticos concursados forem elaborando, dentro das suas circunscrições territoriais, terão que ser apresentadas obrigatoriamente ao seu povo para aprova-las ou reprova-las, de forma direta, através de terminais de computadores do governo. A votação não será de forma obrigatória e sim, vota quem quer, onde os parlamentares votarão nas suas casas legislativas, e o povo, por sua vez, irá votar nos terminais de computadores do governo, onde os votos dos parlamentares e o do povo serão somados para aprovarem ou reprovarem as leis e outras coisas de interesses públicos dentro de suas circunscrições territoriais, para com isso podermos, desta forma, controlar o Estado de forma direta, onde o Estado tem que atender exclusivamente os interesses do povo, e não os interesses dos políticos como ocorrem atualmente;

A população e os parlamentares que aprovarem uma lei que traga consequências negativas ao país terão de cobrir o prejuízo?

Não? Então eles só têm a ganhar?

31ª MEDIDA => O futuro Congresso Nacional — que será formado por políticos capacitados escolhidos por concursos públicos, realizados a cada 4 anos ( ao invés de eleições políticas) — serão obrigados a encontrar os meios necessários de aprovar, pelo voto direto do povo, medidas de urgência para erradicar com a miséria social, a falta de moradia e o desemprego. Terão de encontrar também os meios necessários para reduzir maciçamente a violência do Brasil e imprimir "padrão FIFA" — qualidade de serviços de primeiro mundo — hospitais, escolas e transportes públicos (assim como outras utilidades públicas);

Repito o item 9.

32ª MEDIDA => Será criado o Poder Fiscalizador de Polícia, formado por todos os Delegados e Promotores de Justiça. Estes passarão a ter poderes de investigar qualquer pessoa sem nenhuma autorização judicial, para assim combater o crime organizado e a corrupção política que campeia e domina o nosso País de ponta a ponta;

Se fosse um comunista no poder, você gostaria que a medida acima fosse aprovada contra os opositores?

33ª MEDIDA => As Forças Armadas passarão a ser o fiscal dos Municípios, dos Estados e da União, podendo intervir na administração pública de qualquer um deles, em caso de corrupção política e de outras ações criminosas que venham afetar a vida do povo. Essas intervenções se encerrarão quando a situação for normalizada;

Repito o item 9...

Se as Forças Armadas e o Estado não puderem ir à falência, o mercado da sua esquina tem mais incentivo para fornecer um serviço eficiente que o estado que garante seu direito à vida.

34ª MEDIDA => Serão construídas vilas de milhares de casas em locais adequados para os funcionários públicos, como também para erradicar a falta de moradia do Brasil, onde essas vilas ficarão sobre a administração das Forças Armadas;

Repito os itens 9 e 6.

35ª MEDIDA => Serão investigados todos os contratos das extrações do nióbio, do ouro, dentre outros minérios, e aqueles que lesaram a Pátria e a Nação roubando os nossos minérios, principalmente o nióbio, serão presos e terão todos os seus bens confiscados e repassados para os Cofres da Nação;

O que não faltou no Brasil foram pedras mágicas (petróleo, ouro, ferro, bauxita) e tudo que elas trouxeram foi miséria. Hoje o brasileiro tem de pagar mais por um recurso que está em um preço historicamente baixo para financiar uma estatal que sofre com o item 9.

36ª MEDIDA => Será feito uma reforma tributaria, para com isso podermos diminuir as cargas tributarias de cima das empresas para elas poderem ganhar mais mercado e gerar mais empregos e mais tributos para os Cofres da Nação;

Com tanto aumento de gasto estatal, você quer realmente cortar impostos?

Se sim, você financiará o governo através de dívidas. Mas os juros serão altíssimos porque você não está cortando gastos em momento algum e só os aumentou desde o começo, até quando cortou funções do governo.

Isso nos leva à alternativa final de financiamento do novo estado: inflação monetária. Mais um incentivo para fugir do Brasil.

37ª MENIDA => Será implanto em todas as escolas o Patriotismo, o Civismo, o Nacionalismo e a cantoria de vários hinos e dobrados que engrandecem a nossa Pátria, a Nação e o Brasil. Todas as repartições públicas serão obrigadas a ter hasteada a Bandeira Nacional, a do seu Estado e do seu Município. A data de 31 de Março passará a ser feriado nacional, com várias paradas militares e escolas desfilando nas ruas e avenidas em homenagem aos militares por ter salvado o Brasil do comunismo em 1964;

Se fosse um comunista querendo implantar em todas as escolas a Pedagogia do Oprimido, você defenderia?

Deixe nossas crianças em paz, esquisitão.

E repito o item 9.

38ª MEDIDA => Será criado um Site Inteligente para cadastrar todas as pessoas físicas do Brasil. Todos serão obrigados a informar aonde reside, cor da pele, profissão, data de nascimento. Ao nascer e ao morrer, os órgãos competentes serão obrigados a informarem imediatamente ao departamento responsável por esse site. Ao se mudar para residir em outro lugar será obrigado a informar também o novo endereço. Tem que informar quantas pessoas residem na casa, quem estuda, quem trabalha ou não, quanto ganha. As escolas, as empresas, dentre outros, serão obrigados a repassar os dados de todos os seus integrantes ao departamento desse site, pois tudo isso é para o governo ter maior controle da sua população para redistribuir renda, dentre outros, como também a polícia ter acesso a esse site para combater o crime com mais precisão;

Se fosse um comunista querendo criar um arquivo de toda a população para saber aonde ela vai a cada momento, você aprovaria?

39ª MEDIDA => Será aumentado maciçamente o investimento em segurança e vigilância nas nossas fronteiras brasileiras para impedir o contrabando de armas, o tráfico de drogas, dentre outros;

Mais gasto estatal...

40ª MEDIDA => O Governo Provisório será obrigado a implantar imediatamente todos os requisitos das "Medidas de Força" dentro da própria Constituição Federal de 1988, em nome do povo e da democracia, e decretar que todos os requisitos constitucionais que contrariam essas referidas "Medidas de Força" estão sumariamente revogados e nulos de pleno direito.

Ou seja, não temos como evitar nenhuma das medidas acima senão fugindo do país?

Bem, não é por qualquer motivo que o suposto inventor do avião é o maior herói brasileiro.

Conclusão

Vai acabar com a Corrupção?

- Ser corrupto jamais foi tão lucrativo.

Vai acabar com a Miséria?

- O Brasil já teve aumento do gasto governamental e hiperinflação múltiplas vezes. Dessa vez, funcionará!

Vai acabar com o Crime?

- Algo parecido com patrulhas locais foi tentado na forma das UPPs. Na prática, nenhum brasileiro quer morrer por nada. O resultado das UPPs foi uma previsível convivência e tolerância do tráfico de drogas ao invés do combate direto e armado contra os traficantes. A venda e compra de drogas e até briga interna pelo domínio das comunidades não cessou.

Repito o item 9.