clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


eu lembro que nao fez muito tempo que uma pesquisa encomendada pela propria esquerda mostrou que os pobres consideram o merito, querem prosperar na vida, e querem menos estado na vida delas... o status quo que resiste em mudar vem de cima, de todo mundo que de alguma forma ganha com a situacao.
outro dia conversando com um amigo, torneiro mecanico, acabou me perguntando sobre a reforma da previdencia. ele apesar de humilde eh muito aberto a novas ideias, entao antes de dizer o que eu pensava a respeito perguntei se ele sabia como funcionava na pratica, e depois de uma desenhada da situacao expus a ele que eu nao concordava com coisas que estavam sendo propostas, mas que eh impossivel continuar como ta por simples questao matematica.
ao final da conversa ele coçou a cabeça e disse que nao saberia como ia chegar no trabalho no dia seguinte e dizer aos colegas que era a favor de mexer na previdencia. simplismente pq ele tambem entendeu a sacanagem que era, mesmo que nao entendesse a maioria dos termos que eu tentei explicar.
particularmente passei dos 30 anos e ate uns tempos pra ca eu sequer pudia criticar o governo, os governantes, hoje em dia eu paro em qualquer fila e as pessoas fazem isso por conta propria
impossivel nao reconhecer tambem a lavagem do tipo "se nao for o governo quem vai construir as estradas", pois se isso nao for desfeito primeiro nao tem como abrir espaço pra novas ideias, ate por isso muitas pessoas desinformadas sao relutantes com outras perspectivas, pois eh tao enraizado algumas coisas que eh como se fizessem parte delas, mas sempre tem tambem aquelas com pre disposicao a aceitar outros argumentos, como o meu amigo foi ao perguntar sobre a previdencia


Ainda não vi nenhum artigo comentando que quando essa definição esdrúxula de trabalho escravo serve para a propriedade privada através do artigo 243 da constituição federal:

Art. 243. As propriedades rurais e urbanas de qualquer região do País onde forem localizadas culturas ilegais de plantas psicotrópicas ou a exploração de trabalho escravo na forma da lei serão expropriadas e destinadas à reforma agrária e a programas de habitação popular, sem qualquer indenização ao proprietário e sem prejuízo de outras sanções previstas em lei, observado, no que couber, o disposto no art. 5º. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 81, de 2014)


Com todo respeito, ninguém está querendo resolver o problema liberando armas para todos. O que se quer é que o cidadão possa se defender mesmo, deixando de ser alvo passivo pra se tornar alvo reativo. O problema é insolúvel. Não é possível um cidadão sequer sonhar com a diminuição das mortes. Elas podem até aumentar, mas com uma pequena diferença: do outro lado vai morrer gente também. Quando existe uma guerra, os dois lados precisam se armar, quer gostem, quer não gostem. Aquele que não se armar será massacrado, exterminado. E é isso que está acontecendo agora no brasil, onde essa mistura de raças que não deu certo prefere votar nos seus ladrões preferidos a combate-los abertamente.


Sim, mas só é possível com imensa disciplina fiscal e monetária, e economia extremamente aberta.

www.mises.org.br/FileUp.aspx?id=364


Eu amo esse país.
https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/10/1931082-veja-regras-e-duvidas-sobre-a-cobranca-de-multas-aos-pedestres-e-ciclistas.shtml

Carro: R$40.000 em uma carroça de plástico.

Ônibus/metrô: 2h em uma lata de sardinha fedorenta.

Bicicleta ou a pé: é atropelado e depois multado.


Os problemas sociais e políticos são evidentes e de fácil resolução, mas existe um poder operando atrás de tudo isso que faz malograr todo e qualquer esforço no intuito de melhora e solução...



Leandro,

Já li nos seus artigos do IMB que o câmbio atrelado leva a um descasamento entre política monetária e cambial e que isso leva o arranjo a um colapso no longo prazo.

Mas é possível manter essa política no longo prazo de alguma forma? Como Cingapura conseguiu? Lá opera um regime de cambio atrelado em relação a uma cesta de moedas, não?


"Cidade maravilhosa" "agiota". Hum. Mais um "ixxperto".

Olhando a cidade que você mora, vejo que você realmente é um "ixxperto".

Rio. A cidade mais clientelista do Brasil. Nada funciona sem o estado. E, por isto, muito mal. A segunda maior arrecadação do país, graças as matrizes instaladas aí e o royaltie do petróleo. E o estado mais falido do Brasil.
E a cidade é um lixo. Uma natureza fantástica e um lixão encravado no meio.

Olhe o exemplo do futebol. A grande maioria dos times brasileriros tem estádio próprio.

Mas no Rio "o Maraca é nosso.". Nosso quem cara pálida?

Agora entendi porque desviou do assunto do artigo e do comentário.

Boa tarde. Meu último comentário.



Excelente questionamento.
O foco hoje é no excesso de conteúdo, onde professores fingem que ensinam e alunos fingem que aprendem. E tudo se resumi a fazer uma boa prova. Daí o que o aluno faz: cola, porque o objetivo é tirar nota boa e não apreender a utilizar aquele conteúdo.
Por isso que gosto do método Waldorf. Ele trabalha o indivíduo de maneira integral. Primeiro mostra os fenômenos, depois ensina a teoria. Ensinam também ecologia, agricultura, culinária, música, marcenaria,etc. Alunos são avaliados em vários aspectos e não com provas, ou seja, é respeitado a individualidade e o mais importante, o aluno vai para prática, para experimentar fazer algo. Não fica somente no mundo das idéias.
A única coisa que eles ainda não introduzem ainda é tecnologia, que fica a cargo dos pais.


Vou tentar fazer uma abordagem diferente da excelente resposta do Empreendedor. (Como sou um pouco novo na ciência econômica, caso escreva alguma besteira ficaria feliz se algum leitor atual do IMB desse um feedback).

Primeiro vamos considerar o cenário hipotético no qual o operário José foi contratado para apertar parafusos ganhando 1500$ para isso, sendo que cada TV sai da fábrica por 1000$. Nessa situação apenas duas TVs pagariam o salário de José certo? Errado. A pergunta que deve ser feita é: quanto o trabalho de José adiciona ao valor de uma TV durante o processo de produção, imaginando que seja possível calcular algo dessa natureza? Caso os parafusos apertados por José adicionem o valor de 10$ a cada televisão serão necessárias na verdade 150 TVs para pagar o salário de José, fora os outros funcionários envolvidos no processo de produção, que podem adicionar mais valor por realizar processos que exigem maior domínio técnico.

Contudo, acredito ser muito difícil, para não dizer impossível, definir a quantia exata em dinheiro de quanto cada funcionário adiciona ao produto. Isso porque durante a linha de produção a maioria deles está contribuindo para um produto que só será completado no fim do dia, digamos. Desse modo, do ponto de vista do consumidor, aquele funcionário que completa a produção dos componentes internos da TV não adiciona valor, pois de nada serve ao cidadão comum ter uma TV incompleta,ou apenas os componentes internos de uma TV, caso o fim desejado seja assistir televisão. No entanto, do ponto de vista do empreendedor, todos os cargos exercidos por seus funcionários têm valor na medida em que estão interligados em uma linha de produção na qual uma TV seja produzida no fim do dia. Quanto de valor o empresário dá a cada cargo? É uma pergunta difícil de ser respondida, pois é preciso considerar a utilidade marginal de cada um, análise que entre a capacidade técnica exigida, o número de indivíduos aptos e desejosos de trabalhar em determinado cargo e a competição realizada pelas outras empresas por estes mesmos trabalhadores.

Mesmo assim, é preciso tentar saber qual o valor dado pelo presidente Andre a cada funcionário de sua fábrica de TVs. Acredito que a resposta para isso seja de que Andre espera que cada funcionário contribua para a produção não de um único aparelho, mas do conjunto de todos os aparelhos produzidos no mês. Em outras palavras, o empreendedor baseia seu julgamento de valor na expectativa de produção de X unidades em determinado período de tempo, exposto de outro modo, na expectativa de produção de um conjunto Y de X unidades em um período t de tempo, sendo esse período igual aquele em que os funcionários recebem seus salários, por exemplo um mês. Portanto, o salário de 1500$ de José é uma representação do valor adicionado, do ponto de vista do empreendedor, a todo o conjunto de TVs que ele ajudou a produzir, no período de um mês, apertando parafusos. É importante ressaltar que, caso a empresa esteja lucrando, significa que este julgamento de valor é, no mínimo, compatível com o julgamento de valor daquela parcela da sociedade disposta a comprar a televisão.

Por fim, o fenômeno do adiantamento temporal dos salários pode estar ligado à não necessidade de venda de todas as X unidades do conjunto Y, ou seja, as TVs produzidas em janeiro não precisam, necessariamente, serem vendidas em janeiro para que o operário José receba seu salário. Ele continuará recebendo, por força de contrato, mesmo que nenhuma TV seja vendida no seu mês de produção, independente da empresa estar lucrando ou dando prejuízo. Nesse sentido, podemos dizer que ele recebe sim bens presentes no lugar de bens futuros, que seria o valor de uma TV inteira no momento da venda. Logo, o valor do salário é calculado no momento em que ele produz o trabalho e não quando todo o processo de produção é completado, incluindo o recebimento do dinheiro pelo empresário através da venda em algum momento no futuro.


Victor, não há o que se concluir quando se trata de FRAUDE eleitoral e apoio explícito da Rússia de Putin ao assassino bolivariano.
Quanto ao Brasil, a mentalidade da maioria dos brasileiros é marxista e adora um Estado-babá, portanto somo SIM (e infelizmente) uma Nação socialista.



Errado.

A "natureza do homem" é a mesma natureza da, obviamente, natureza.

A "natureza da natureza" é a adaptabilidade, competição, sobrevivência, disputa de recursos e reprodução.

Adoro quando as pessoas mandam esse papo de hippie de que o humano trabalha demais, como se antes de toda nossa tecnologia a vida fosse somente ficar deitado na grama. O veado se caçava sozinho, se matava e se jogava no espeto e virava churrasco. As melhores frutas do alto do pomar caiam sozinhas, na quantidade que queríamos. Todos lugares tinham água limpa e abundante. Os tigres dentes de sabre eram gatinhos que nos abraçavam. As doenças... Que doenças? Todo mundo era saudável, expectativa de vida de 150 anos.
SÓ QUE NÃO.

Todo homem sempre teve que se sustentar e sobreviver, e isso dava muito trabalho, MUITO trabalho MESMO, muito mais do que hoje em dia.

Agora vem e mandam essa que o mundo tá difícil, e que a culpa é do homem. NÃO, o mundo sempre foi difícil e o homem só facilitou tudo. Agora o óbvio: se você se ajuda mais aos outros gerando valor para eles, é óbvio que você deve ser mais bem compensado, pois você tornou a vida dos outros melhores e portanto tem que tornar a sua também para compensar seu esforço.
Se você não faz questão das recompensas melhores, não se esforce então. Viva como um homem das cavernas. Vá pra mata e cace sua comida, veja o que dá mais trabalho mesmo, se você sobreviver.



Bom, eu discordo que a tabela periódica seja inútil. Quer dizer, depende de como a escola cobra esse conhecimento. Se sua escola só pediu pra decorar, realmente é uma m****. Mas se sua escola te explicou que existe todo um mercado químico/farmacêutico/siderúrgico/nuclear/metalúrgico por trás que faz o mundo girar, no qual depende toda indústria moderna, acredito que seja um conhecimento útil e mais tarde você possa virar um industrial ou usar isso a seu favor na sua empresa.

Briófitas, ou o estudo de plantas no geral, apesar de ser um saco de estudar, é extremamente importante pra agricultura, que provavelmente é uma das áreas mais importantes da humanidade (afinal todo mundo tem que comer né). Tem mais, se as pessoas soubessem mais biologia, não teriamos essas aberrações de ideologia de gênero dominando a cabeça dos jovens. Ideologia de gênero só existe pra quem desconhece, ignora ou fecha os olhos e tapa os ouvidos pra biologia. Novamente, a cobrança pode ser revisada, mas o conhecimento é básico pra entender o mundo.

Você fez ótimos pontos no texto, como por exemplo a necessidade de uma educação financeira e de direito (realmente é inexplicável como não aprendemos o básico de direito nas escolas). Mas quando saiu insinuando como inútil estudar esses conceitos tecnológicos/biológicos/matemáticos, extremamente úteis na indústria moderna, acredito que tenha caído naquele papo de hippie de humanas da faculdade, que acha que o estudo tem que ser uma experiência 100% agradável, macia e prazerosa. Quando na verdade, estudo requer disciplina, nem sempre você está disposto a estudar, mas tem que fazer. Do mesmo jeito que o dia a dia de um empreendedor não é aquela aventura toda dos filmes, tem as partes entediantes e as partes de muito desgaste, mas tudo vale a pena ao conseguir fabricar e vender seu produto.
Eu, por mim, fazia que nem no japão e botava cálculo 1 no currículo do ensino médio (supondo que tivesse que ter um currículo obrigatório). Queria ver esquerdista conseguir se formar sem aprender lógica. Não é a toa que engenheiro esquerdista é coisa rara, mesmo nas federais são minoria.

O ENEM fez justamente o contrário, diminuiu absurdamente a exigência de matemática, biologia, química e física que tinha nos vestibulares, e aumentou a exigência e número de matérias de humanas (cobrando daquela maneira enviesada que a gente já conhece). Acontece que matemática te ensina a pensar logicamente, assim como as outras disciplinas de exatas. Eles sabem que justamente é mais fácil dominar um indivíduo com pouco raciocínio lógico, pois razão é barreira de entrada pra ideologia esquerdista. Esquerda ganha na base da emoção. Agora tem um monte de moleque entrando em exatas reprovando e abandonando o curso porque foram enganados pela prova do ENEM e a meta medíocre, ou melhor, baixa, que eles cobram na prova. (Ainda sim dizem que a prova é difícil)

Não me entendam mal, não quer dizer que todo mundo de humanas é incapaz de raciocinar logicamente porque são menos aptos na matemática (que normalmente vem do fato de terem tido professores ruins e não terem descoberto que todos humanos são autodidatas). Mas a matemática e as exatas em geral são um excelente exercício pra mente, torna o raciocínio mais pragmático e objetivo. Sem esses devaneios subjetivos que o pessoal de humanas adora criar.


feminismo é coletivismo

Não tem escapatória.

Se querem um movimento pra, por exemplo, acabar com tarados na rua, criem um movimento com outro nome
Acrescentar um "libertário" em feminismo só dá a impressão que alguma parte desse movimento cancerígeno é aceitável


queria te dar uma dica pessoal:

TODO MUNDO NASCE AUTODIDATA
isso mesmo, é o que a escola não quer que você saiba, é o que os professores mais odeiam: um aluno que sabe que é autodidata, que não depende do sistema, e questiona o sistema

você tá no caminho certo lendo artigos aqui no mises

Vou te dar uma dica boa que nao tinha em grande volume na minha época:
Todo conhecimento que existe em faculdades está disponível na internet, no youtube por exemplo
Aulas, textos, exercícios, TUDO. E você aprende bem mais rápido pela internet que com professor, se nao entender, volta e ve de novo. Sem alunos vagabundo atentados te atrapalhando, professores picaretas, nem nada. Desde física quântica até negócios, tudo mesmo tá aqui, inclusive muito melhor explicado que nas aulas. Então é uma questão de fazer um planejamento do que você quer aprender primeiro e seguir um plano. Logo logo você vai estar falando 4 línguas e excelente em programação ou o que for que você queira aprender.

Comece aprendendo inglês,n fique fluente, porque aí você terá acesso aos materiais de melhor qualidade. Aprendi inglês sozinho assistindo vídeo e jogando video game, como muitos outros.

Cuidado com armadilhas: se você tá só tirando 10 na sua escola, não fique acomodado. Muitas vezes aquilo apresentado na escola nem é tão util pra carreira que você for seguir. Tire 10 na escola, mas priorize seu projeto para ganhar uma grana logo cedo. Seu futuro eu agradecerá.


Paulo Bat, fico feliz de ver que progrediu bastante desde seus últimos comentários neste site quando defendia pateticamente suas conquistas técnicas na empresa mais endividada do mundo para ataques pessoais vazios em extremo exercício de subjetividade.
Não odeio funças, eu os adoro,aqui na cidade maravilhosa eles se ajoelham implorando por meus serviços de agiotagem. O brasilero não é um povo de ódio, é um povo de malandragem.
Mais estudos locais na próxima.


Estou eu em 2017 confirmando todas suas palavras escritas neste breve comentário.


Mas e quanto aos anos de 2001, 2006, 2008, 2010, 2011 e 2012? Houve políticas de desestatização e cortes de gastos?



Taxas de câmbio atreladas via Banco Central em vez de fixas via Currency Board.

Artigo inteiro explicando por que tal arranjo é propenso ao colapso:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2196


O padrão-ouro clássico era simplesmente a definição de uma moeda de papel em termos de ouro.

Vou tentar dar um exemplo prático.

1 metro são 100 centímetros.

Uma polegada são 2,54 centímetros. O que é igual a 0,0254 metro.

Um pé é 0,3048 centímetro. O que é igual a 0,003048 metro.

Neste exemplo, o metro é o ouro, a polegada é a libra e o pé é o dólar.

A partir do momento em que você define cada moeda em termos de ouro, o câmbio entre elas se torna naturalmente fixo, assim como o "câmbio" entre centímetros, pés e polegadas também é imutável.

Até aqui, tudo certo. Nada de errado com esse arranjo.

O problema com o bimetalismo é que ele introduzia a prata na equação acima, e estipulava um valor fixo em relação ao ouro ao mesmo tempo em que o valor flutuava em relação às outras moedas.

Na prática, é como se polegadas e pés fossem fixas em relação ao metro, mas flutuantes entre ambas, o que atentaria contra a lógica. Aí a Lei de Gresham entra em ação.


Igor. Vou te contar um segredo. O ódio faz muito mais mal a quem odeia do que a quem é odiado. Você odeia os funças que nem sabem que você existe. Eu mesmo. Você conhece meu nickname e minha profissão, a qual você demonstrou ódio pelo fato de eu ter sido funça. Que aliás o fui por longos 31 anos.

Segredo dois: Ódio destroi, não constroi.
Vide Hitler. Seu ódio aos não arianos o levou a loucura que foi a quase destruição da Alemanha. Ódio aos judeus, eslavos, negros, ciganos.

A Alemanha só voltou a ser o que é quando o ódio hitleriano foi vencido e a Alemanha renasceu sem ódio.

Por isto, pense: não adianta você destilar o ódio contra quem você despreza. Assim como alcool destilado se volta contra quem o consome em excesso, o ódio destilado só ataca o figado de quem odeia. Não de quem é odiado.

Por isto que admiro o "viva e deixe viver."

Ou, "os cães ladram (quem odeia) e a caravana (quem é odiado) passa."



Leandro, vou te encher o saco de novo, é que eu gostaria de refutar esses trechos que peguei de uma apostila de cursinho minha (sobre a situação econômica do Japão):

"[...]Em 2001, ocorreu queda nas exportações e consumo interno, além do aumento do desemprego. O período é marcado pela deflação, ou seja, queda generalizada de preços causada pela redução do consumo. A economia começa a se recuperar a partir de 2002, quando se implanta políticas de desregulação econômica, cortes nos gastos públicos e privatizações.

Em 2006, o Japão sai do período de quase dez anos de deflação.

Em 2008, com a crise mundial, o Japão é um dos mais afetados por depender basicamente de suas exportações, principalmente para os EUA.

Em 2010, o governo japonês intervém na cotação do iene, favorecendo as exportações.

O Japão é empurrado para outra recessão, em 2011, agravando a dívida pública, devido a um grande terremoto, seguido de um tsunami, que destruíram indústrias, afetando setores vitais como o automobilismo e o eletroeletrônico. Para reconstruir as áreas afetadas pelo terremoto, aumenta a dívida japonesa que ultrapassa 230% do PIB do Japão.

Em 2011, a redução do fornecimento de eletricidade, após a desativação temporária das usinas nucleares empurra a economia para recessão.

Em 2012, o gasto extra com importação de petróleo e gás para substituir a geração de energia nuclear e a redução do comércio com a China, por causa das disputas pelas ilhas SENKAKU afetam a economia do Japão. O acirramento, em 2012, pela disputa das ilhas SENKAKU deve-se à presença de petróleo e gás. O Japão disputa, em 2012, com a Coreia do Sul DOKDO e TAKESHIMA."


Se puder me ajudar eu agradeço.


Imaginem se um grave for descoberto na vida de Ludwig Von Mises. O pessoal apagará toda sua obra!
Falando sério, que atitude atrasada apagar o texto, digna dos mais asquerosos comunistas.


Mas o padrão ouro não seria o mesmo a fixação? No primeiro artigo sobre o assunto, mostra uma frase do Rothbard a respeito disso eu acho:

"O dólar, por exemplo, foi definido como sendo 1/20 de uma onça de ouro, a libra esterlina como um pouco menos de 1/4 (exatamente 0,2435) de uma onça de ouro, e por aí vai. Isso significa que as "taxas de câmbio" entre as várias moedas nacionais eram fixas"


Ridículo! O impacto de fazer dinheiro não é comprar mais coisas ou mais comida, isto é a consequência.

Com o dinheiro você pode diminuir a probabilidade de um negocio dar errado, garantindo sua sobrevivência a eventos que não pode prever.
Acumular ele significa investir em mais projetos e correr menos riscos.



Eu tenho 19 anos e montei meu primeiro negocio com 17.
Ganho mais que minha família inteira. E não trabalho quase nada, mas eles acham que eu estou fazendo um negocio ilegal ou roubando, é foda!

É tão legal ver este tema que fiquei martelando da cabeça dos meus pais por anos desde que larguei o ensino médio.
Posso contribuir também para te ajudar a empreender.


Os livros que abriram minha mente para este tema:

Pai Rico, Pai Pobre de Robert Kiyosaki. "O livro mais importante que existe na minha opinião"
Fala sobre a diferença entre as entre os ativos e passivos. Bens que dão dinheiro e itens que te tirão dinheiro, como os trabalhos e negócios tradicionais não deixam ninguém rico e como alcançar a liberdade financeira.
Ate uma criança entende este livro e da para ler em um dia.
Leio ele pelo menos 3 vezes no ano.

Rápido e Devagar de Daniel Kehniman.
Este fala sobre o pensamento rápido (intuitivo e compulsivo) e devagar (logico e racional) afetam nossas felicidade e riquezas e como a falta de auto controle(ansiedade, medo, egoismo, individualismo, consumismo excessivo) é responsável pelos males da nossa sociedade. E ensina como podemos contornar explorando o melhor dos dois

Rápido e Devagar de Daniel Kehniman.
Este fala sobre o pensamento rápido (intuitivo e compulsivo) e devagar (logico e racional) afetam nossas felicidade e riquezas e como a falta de auto controle(ansiedade, medo, egoismo, individualismo, consumismo excessivo) é responsável pelos males da nossa sociedade. E ensina como podemos contornar explorando o melhor dos dois

Como Fazer amigos e influenciar Pessoas de Dale Carnegie.
O título diz tudo. Obrigatório e imemorial. Intender este livro pode ser a diferença entre o fracasso e o sucesso do empregador e empregado. Serio mesmo. Leio ele pelo menos um vez por ano, apesar de ser uma leitura chata.


GoPro de Eric Worre. "Este ninguém vai te apresentar."
É sobre Marketing de Rede. Mas tem um conteúdo que você não vai encontrar em nenhum livro sobre como influencia os empregados a trabalhar felizes e com vigor. Não to zoando!

Dicas para anular seus gastos.
Comprar ativos No brasil, devido a alta inadimplência e impostos, tem investimentos de renda fixa que rendem de 8% a 14% de juros ao ano. Só para ter ideia, nós estados unidos raramente passam de 4%.
Por exemplo, se você comprar um título do tesouro (que você empresta dinheiro pro governo pagar a divida publica) com rendimento de 10% ao ano, com alíquota de imposto de 15%.
Supondo que aplique 200 reais por mês, no fim de 11 anos (acredite é pouco tempo), seus custos de vida vão ficar 200 mais baratos e você ainda recebe todo o dinheiro de volta.
* Você pode aplicar ate os rendimentos superarem seus gastos, assim seu estilo de vida sai de graça.
* Você pode aplicar ate os rendimentos superarem os gastos da empresa e quem sabe usar eles para pagar seus funcionários e eles saírem de graça.
* E é muito mais confiável que aposentadoria.
Tesouro Direto Atualmente rendem 9,5%a.a. Mas durante a crise chegaram a 15%a.a.
Lci/Lca/Cdb/Letra de Credito Podem render ate entre 9 e 14%a.a. O lucro depende do tamanho da aplicação.
Moedas virtuais Tem um grande risco, mas sem risco não há lucro. Na época que comecei a investir nelas investi pouco, mas renderam mais 200% em menos de um ano.
Comprar Imoveis Só vale a pena se o valor do rendimento não for anulado pelo IPTU, as pessoas quiserem comprar ou alugar e você não ter nenhum trabalho com isto, colocar na mão de uma corretora de imoveis. No brasil é arriscado.
Ações Eu odeio ações, mas se conhecer no que esta investindo e TER PÉ NO CHÃO. O lucro é infinito.
Montar um negocio auto-gerenciável Esta é insana, eu nunca fiz. Mas conheço que fez, trata-se de montar um negocio complexo em que seus próprios empregados gerenciam a empresa, empresas ou franquias. Tem que ter sangue frio e saber influenciar as pessoas. Geralmente fazem isto com franquias, mas você pode fazer com sua própria empresa.
*Minha empresa é parcialmente desta forma. Mas eu trabalho vendendo pela internet e só tenho dois empregados.
Comprar qualquer besteira que pode ficar mais caro no futuro O nome diz tudo. Mas tem que ter cuidado, alguns investimentos que parecem bons agora podem ser uma fria no futuro.
Marketing de Rede Por sua conta e risco, cuidado para não entrar em sistemas de piramide. É um negocio difícil e os lucros apesar de serem bons, raramente são alcançados por pessoas normais. Se encontrar uma empresa confiável pode conciliar com seu trabalho.
*Tenho ativos de 3000 reais em uma empresa que tem mais de 5 anos neste setor. Sem preconceitos!

Deixar seu dinheiro no lugar certo
A maioria dos bancos brasileiros é lixo corporativista (Todos os tradicionais que a maioria dos brasileiros de classe media usam), mas dentre eles se destacam os bancos sem taxas. Aconselho assim você pode acompanhar seu dinheiro e seus investimentos e saber se estão te roubando (Acredite, acontece). Eu uso o Intermedium S/A, mas há outros. Você pode economizar ate 500 reais no ano, isto enquanto esta começando a investir é a diferença.
* Quanto ao risco, bancos como o que eu uso dificilmente quebram. Quando quebram, o sensacionalismo da tv faz parecer que todos os bancos que não são grandes são instáveis. Uma besteira que te impede de crescer.


Montar uma sociedade anônima limitada
Essa é a mãe das dicas. Supondo que tenha ativos superiores a 2000 reais (Eu escrevi ativos, não salario ou rendimento da sua empresa) Você sacrifica um pouco deste dinheiro e monta uma sociedade anônima. Pode escolher sua esposa ou irmão para ser seu sócio(precisa de pelo menos 1). Coloque todos os seus bens em nome da Sociedade Anônima.
pode contratar advogados e contadores para te aconselhar.
Com uma Sociedade anônima é possível abaixar os impostos sobre todos os seus bens e às vezes ate anular. Juntando seus ativos você talvez possa ate viver de graça.


Rivalizando fortemente com esse:

https://www.conversaafiada.com.br/economia/2012/02/27/o-capitalismo-de-estado-venceu-e-melhorou-a-vida-do-pobre


O interessante é que os socialistas em seus argumentos nunca confrontam o capitalismo ou, melhor dizendo, o liberalismo de verdade, como o apresentado no artigo.

O inimigo é sempre o neoliberalismo, ou o imperialismo yankee, ou o capital internacional.

Eu penso que a primeira regra para se acreditar no socialismo seja saber enganar a si mesmo. Depois de tantos fracassos, essa é a única explicação plausível.



Concordo plenamente, liberdade para portar armas seriam um passo. Mas parar de punir quem se defende e planejar estrategias mais efetivas contra criminosos.

Dado o fato de que se um criminoso te matar para pegar sua arma, sofreria a mesma punição que você sofreria se matasse ele para se proteger.


Os socialistas querem a liberdade para entrar na nossa casa, sentar no nosso sofá e tomar a nossa cerveja.

Essa é a liberdade que eles querem.


Ter um CNPJ até que não é tão difícil. O problema é para fazer o negócio funcionar (abrir de fato, legalmente).
Tenho uma amiga que fez 20 anos de piano e, claro, "abriu" a sua "Escola de Música".
Resumindo: ela tirou o CNPJ em dias, comprou uma casa em um endereço que achava adequado e reformou. Gastou quase R$100.000,00 na reforma. Quando foi pra começar, ela se deparou com o seguinte: precisava regularizar a reforma junto à prefeitura e ter um documento dos bombeiros. Mais dinheiro gasto com o engenheiro que só assinou as plantas (quem foi à prefeitura levar todos os documentos foi ela mesma). Mais dinheiro gasto para fazer outra reforma para se adequar às exigências dos bombeiros e na compra de extintores. Também foi obrigada a fazer um curso nos bombeiros (pelo menos esse foi de graça, exceto que teve que perder algumas tardes nisso, as quais poderia esta ganhando dinheiro).
Quando achou que, enfim, ia funcionar tudo direitinho, já havia passado tanto tempo, que o ano fiscal virou e teve que ir atrás de novas "certidões negativas" junto a diversos órgãos. Aí, já vários meses funcionando apenas parcialmente (não ocupava todos os horários porque perdia horas nas repartições), conseguiu, enfim chegar no balcão para a emissão do tal "sonhado" alvará. Na última hora, apareceu um fiscal dizendo que não seria possível porque ela não tinha estacionamento próprio para os clientes. De fato, os estudantes e pais estacionam na rua mesmo em frente à escola (que é bem tranquila e sem saída, diga-se de passagem).
Depois de mais de 6 meses de peregrinação, chutou o pau da barraca e hoje está "funcionando" sem alvará e sem nada.
Sabe aquele fiscal? Ele vai toos os anos, religiosamente, em fevereiro recolher um "agrado" de R$500,00 (o último, geralmente aumenta ano a ano) pra ele não lavrar uma autuação e ela ser obrigada a fechar.

Há propósito, já está funcionando à 6 anos assim, meus filhos tem aulas com ela e estou muito satisfeito com os seus serviços, que pagamos regiamente.


Seu texto é bizarro.

Explicando a infame questão do papel higiênico: Isto é paranormal, diria ate uma evolução instantânea, nega algumas teorias quase comprovadas de Darwin. Você quer dizer então que no fim da luta de classes o corpo humano vai se desenvolver a ponto de não precisar mais "cagar" porque o corpo só joga o alimento fora, para poder consumir mais e fortalecer o capitalismo.
Logo se não "cagamos", não precisamos de papel. Faz sentido!
...E se for verdade, os porcos capitalistas são Deuses que criaram a raça humana só para consumir seus produtos.

O "gás verde" Venezuela se recusou a assinar vários documentos ambientalistas mesmo antes de Maduro, e hoje sequer são convidados para estas convenções. A poluição diminui de fato, mas em mesmo ritmo que a pobreza.

Os "saques" aos supermercados Supondo que deixe o povo venezuelano se libertar dos opressores. Quem vai levar comida ate eles, o governo. Dado ao fato que o governo esta racionando. Maduro continua gordo!

A "inflação galopante" venezuelana Nem intendi o que quis dizer nesta. Mas porque a burguesia não sai da Venezuela ao invés de abdicar de sua riqueza para prejudicar nosso rei Maduro? Nunca saberemos, será que é porque seus bens estão expropriados pela ditadura.

"Apagões" na Venezuela Este vive no mundo da fantasia. Existe inclusive um paradoxo. Os trabalhadores saem para festejar - supondo que por espontâneo vontade - porque o "Ministério da Suprema Felicidade Social" precisa dar uma ordem e apagar as luzes?

O autor verdadeiramente extrapolou em suas "acusações" contra o Mises.org e seu argumento neste texto, chegando, data venia, ao ridículo. Inclusiva quando diz que o sistema digestório e o cú são apenas para a exploração burguesa, e ainda diz que a biologia vai ficar apenas nos livros após a revolução.
Venezuela esta tão ruim que ate os defensores do socialismo, estão negando ela.

O autor que não revela seu nome, ao contrario de todos os outros comentaristas. Mas deixou uma dica de qual ´faculdade não escolher.
UNICAMP ensinando os indivíduos a ignorar os fatos, a ciência e a biologia.


Pode não resolver o problema da sociedade,mas o meu problema ela irá resolver,enfim parem de pensar feito gado e ficar comparando o tempo todo o Brasil com outros países,libertarianismo é liberdade individual e a sociedade pouco importa.Ou como dizem no serviço,"se vira".
OBS:É lógico que eu gostaria que nosso povo tivesse o nível cultural e sócio-econômico que suíços e outros povos tem,mas se formos esperar este milagre acontecer no curto prazo,"melhor esperar sentado,pois em pé cansa".


Esse teu cenário é até bacana.

O que eu queria discutir mesmo se há possibilidade de "escravidão" por dívidas, mesmo em um cenário libertário.




Texto maravilhoso. Concordo. Acho que o formato de ensino deveria ser discutido por nossa sociedade para pensarmos em um modelo mais eficaz e atual. Enquanto isso, quem sabe você possa desenvolver uma escola integrada, que ensine todo esse conteúdo. É claro que está longe do ideal e consumiria muito o tempo da criança, mas, por ora é a possibilidade que temos.


E todos eles são o paraíso na Terra. Todos seguem os princípios de igualdade social. Por exemplo, em Cuba, cerca de 99,8% das pessoas são alfabetizadas. Infelizmente nem todas tem emprego por lá, mas isso é um mero detalhe. É muito melhor ser um intelectual estudado e não ter emprego do que alguém com comida na mesa e totalmente ignorante.
Já na Venezuela dizem que não há nem sequer papel higiênico feito por empresas capitalistas opressoras (pleonasmo). Por outro lado, há centenas de goiabeiras (entre outras) para que o povo possa limpar o rabo igualitariamente. Não há nada mais ecologicamente correto e democrático que isso, pois não é necessário derrubar nenhuma árvore para este fim e se alguém não gosta da sensação causada pela folha de goiabeira, o mesmo poderá substituir esta pela folha de bananeira por exemplo. Outro ponto muito importante: as folhas de goiabeira (e outras) com a "sujeira" derivada da limpeza, podem agora ser usadas como excelente adubo nas plantações da Venezuela, contribuindo desta forma, para o equilíbrio ecológico e diminuindo o lucro de empresas opressoras fabricantes de adubos em geral e minimizando, desta forma, o impacto no aquecimento global.
Ouvi dizer que com uma folha de bananeira grande, é possível limpar as "partes baixas" de uma família média por uma semana. Muito bom. Pais e filhos usando inclusive a mesma folha de bananeira, não há maior símbolo de igualdade do que este.
Já na coreia do norte, as habilidades de canto deste povo em questão já se fazem perceber desde jovens. Com 5 anos de idade, uma criança já tem decorado e muito bem afinado o vasto repertório musical existente neste país (aproximadamente 10).
Com um sorriso no rosto, todo dia ao acordarem, essas criança cantam todo o repertório musical da coreia do norte, onde, em comum em todas as letras destas músicas, é a admiração que as crianças tem pelo seu governador Kim Jong-un e seus antecessores.
A fonte de toda alegria e felicidade destas crianças tem sido um mistério por décadas o que levantou a curiosidade de pesquisadores norte coreanos. As pesquisas mais recentes tem sugerido que toda essa euforia é devida a vasta riqueza nutricional deste país. Pois a base alimentar adotada pela coreia do norte tem sido as algas marinhas. Estas vastamente encontradas nas areias das praias, caíram no gosto da população, onde uma variedade de pratos, entre eles: algas ao molho, algas ao vapor e algas in natura são os preferidos da população. No entanto, no aniversário do senhor Kim Jong-un, os habitantes locais se dão ao luxo de prepararem o famoso prato de algas marinhas a milanesa que também é muito apreciado no âmbito internacional.
Podemos concluir que apesar de algumas ressalvas, todos estes países são exemplos de igualdade, consciência social e preocupação ambiental.
É bem verdade que alguns vão dizer que nestes países todos são igualmente fudidos, mas é como dizem, um copo pode estar meio cheio ou meio vazio, dependendo do ponto de vista. Para estes povos, o copo parece estar sempre meio cheio....


Idiota é este seu argumento sobre religião. Deve ser o reflexo do argumentador.


Luiz Moran agradeço a resposta.
Você está fazendo um exercício de suposição amenizando a parcela de culpa de uma população que nunca foi muito liberal, na Venezuela as pessoas, ao contrário deste artigo, não estão protestando contra o socialismo e sim contra o Maduro, a maior parte do povo venezuelano ainda está esperando o paraíso socialista prometido por Chávez e, segundo os venezuelanos médios, deturpado por Maduro que enganou a população e está roubando tudo para si, família e amigos.
Tive a felicidade de frequentar tal país durante muito tempo, descomunalmente belo, e constatei esse ambiente, politicamente os venezuelanos apoiam socialismo, SO-CI-A-LIS-MO com todas as letras, bem diferente do Brasil onde este aparece na opinião política da população maquiado de coletivismo e estatismo, na Argentina de peronismo e Peru senderismo.
Pessoalmente considero a Venezuela socialista bem aqui em nosso continente uma dádiva. Agora que temos países na região com razoável PIB per capita como Chile e Uruguay e países bem mais modestos crescendo de forma razoável graças à reformas econômicas liberalizantes como Peru, Colômbia e Paraguay. A Venezuela é o exemplo perfeito do que não fazer, e ela não pode melhorar, tem que ficar alí como uma zumbi, putrefata e escancarada para todos verem e ótimos artigos como este serem difundidos com frequência.



São uma sucessão de problemas, mesmo liberando as armas, não resolveria de todo; os problemas.
Temos por exemplo um diferença gritante no tamanho da população dos dois países, cultura e doutrinação diferentes. Temos menos policiais que países desenvolvidos e ao mesmo tempo os policiais brasileiros tem praticas menos efetivas contra os crimes. Para piorar a situação, algumas pessoas são punidas por se defender.
Arma ofereceriam a oportunidade de se defender, mas não resolveriam o problema.


Essa é a falácia da falsa causa.
No Japão,China, Coréia, a criminalidade é muito baixa sendo o armamento civil terminantemente proibido...

Se liberarem as armas no Brasil, a criminalidade cairá muito; por isso eu sou a favor.
Mas nunca seremos uma Suíça, nosso povo não tem capacidade para isso.


Desculpa, mas o desarmamento não é a causa dessa diferença entre Brasil e Suiça. Se essa farsa fosse revogada no Brasil, diminuiria um pouco o número, mas longe de resolver o problema e muuuuito longe de ficar próximo à Suiça.


Victor, no seu comentário vc despreza o fato de que dificilmente exista um candidato em quem se possa confiar, e, pior ainda, mesmo que esse candidato exista vc também despreza a hipótese (para mim é um fato, tanto lá quanto aqui no BR) de que as eleições sejam FRAUDADAS em todo o seu processo: pesquisas eleitorais fraudulentas, urnas eletrônicas inauditáveis e apurações secretas, caracterizando-se portanto numa falsa democracia.
Pense nisso.


Veja o ranking das pessoas que mais inspiram os jovens da geração Z (nascidos a partir da década de 90):

Steve Jobs (8%)
Jorge Paulo Lemann (5%)
Silvio Santos (4%)
Barack Obama (3%)
Jesus Cristo (3%)
Bill Gates (3%)
Flávio Augusto da Silva (3%)
Elon Musk (2%)
Mark Zuckeberg (2%)

A pesquisa foi feita em abril e maio deste ano e teve a participação de 4.093 candidatos a programas de estágio e trainee e 310 representantes de RH de empresas de diversos setores e portes.

Muitos parabéns ao Flávio por estar neste seleto grupo.

g1.globo.com/economia/concursos-e-emprego/noticia/steve-jobs-e-jorge-paulo-lemann-estao-entre-os-que-mais-inspiram-a-carreira-dos-jovens-diz-pesquisa.ghtml


Em seu ímpeto reacionário, os neoliberais fascistas apressam-se em narrar a situação do povo venezuelano e a conspiração da CIA contra a felicidade advinda dos programas sociais de Maduro. Como sempre defensor do povo, sacrifico-me ao ousar refutar as críticas maliciosas dos autores, que ostentaram neste artigo o absurdo de afirmar que é o povo que sofre com a escassez gerada pelos controles de preço ao invés do grande capital e das oligarquias internacionais.

- Explicando a infame questão do papel higiênico: O ato de 'defecar' é essencial para a manutenção da conjuntura capitalista sob uma perspectiva marxista-polilógica, pois aliena o trabalhador da condição de exploração em que vive ao expô-lo a um trono produzido industrialmente (visando a burguesia prendê-lo às condições de produção, como explicado genialmente pela Escola de Frankfurt), onde ele é torturado pelos alimentos que consumiu, incapaz de refletir e lutar pela justiça social.

O fim da luta de classes trará alterações inevitáveis não só no psicológico do proletariado como também em seu corpo. Enquanto no sistema capitalista o proletariado é forçado a eliminar grande parte dos alimentos consumidos, de modo a demandar mais alimentos (e gerar mais lucros à burguesia agrária e à do mercado de produtos higiênicos), no sistema socialista será mera questão de tempo para que os velhos hábitos impostos pela burguesia sejam exclusivamente contemplados pelos livros de biologia.

Como explicado por Trotsky e Marx, o fim da luta de classes com a ascensão do proletariado inevitavelmente tornará ilimitada a capacidade física e intelectual do proletário, fazendo-o não mais protestar pelas futilidades antes impostas pela sociedade burguesa, como o 'papel higiênico', retomando a sociedade ao belo passado bucólico quando não era necessário sentir-se oprimido por seus desejos orgânicos e bastava jogá-los pela janela. A Venezuela enfrenta um processo de mudança necessário e em breve, o proletariado esquecerá do hábito imposto pela burguesia neoliberal a seu povo.

- O "gás verde": Sendo a Venezuela uma produtora de petróleo, é mister que Maduro esteja preocupado em limpar sua imagem perante a vanguarda revolucionária fabiana ambientalista, utilizando de gás verde para apaziguar as multidões pagas pela CIA para oporem-se ao regime, criado de uma belíssima forma simbólica, uma 'paz verde' (Greenpeace).

- Os "saques" aos supermercados: Trata-se de pura restituição de mais-valia não consolidada. Quando as elites contratam trabalhadores para aumentarem seu lucro, os neoliberais reacionários maliciosamente se omitem; porém quando estes vão às suas lojas, quebram as vidraças e trazem os bens produzidos para casa ao ponto de que não mais haverá contratações (ou seja, fim da exploração do povo venezuelano), os neoliberais reacionários chamam de "saque". Trata-se de apenas um exemplo da luta de classes em ação, impedindo os autores burgueses de enxergar a libertação do povo.

- A "inflação galopante" venezuelana: O senhor Maduro está mais do que correto: se os índices de preço estão fixos, é simplesmente impossível que esteja ocorrendo uma inflação (aumento de preços). Na verdade, o que está a ocorrer na Venezuela é uma deflação, pois a burguesia unida à CIA deseja entesourar sua riqueza, abdicando no curto prazo de sua própria alimentação, energia e sustento para que o proletariado não triunfe na Venezuela; daí o aumento de mais de 1.000 vezes na quantidade de dinheiro em circulação no país, trata-se de uma imprescindível ação do estado para manter de pé a demanda agregada perante uma armadilha de liquidez da burguesia e uma conspiração do capital internacional.

- "Apagões" na Venezuela: Trata-se de mais um exemplo do paradoxo da luta de classes em ação: apenas os reacionários sentem os apagões enquanto os trabalhadores estão nas ruas a festejar as conquistas sociais do país por ordem do Ministério da Suprema Felicidade Social, eventualmente entrando em conflito com os agentes da CIA a enfrentar a revolução.

-------------------------------------------------------------------------------------

O autor verdadeiramente extrapolou em suas "acusações" contra o Bolivarianismo neste artigo, chegando, data venia, ao ridículo. Recomendo que venha à Unicamp como estudante e tome um curso de ciências sociais para que aprenda como de fato funciona o mundo.


Alguém poderia informar se as taxas de analfabetismo (inclusive funcional) são semelhantes às nossas? E, principalmente, se esse contingente é OBRIGADO a votar?
Seria um paralelo interessante que diria muito sobre as "democracias" bananenses...


Parabéns pelo texto!

Eu fico particularmente feliz pelas citações ao livro de F. Hayek, pois foi justamente sua obra "O Caminho da Servidão" que abriu os meus olhos para o tanto de doutrinação e manipulação a que eu estava sendo submetido, sem perceber. Se antes eu era simpático ao socialismo e à utopia do comunismo, e mesmo alguma coisa no meu íntimo me incomodando, tentando me dizer que havia algo errado com aquilo mas que eu não sabia o que era, somente após a leitura desse livro (que só tomei conhecimento de sua existência acidentalmente, via Internet, pois era praticamente impossível tal tipo de obra ter qualquer divulgação em meu ambiente de convivência) pude realmente vislumbrar a realidade e a verdade dos fatos. E aquilo foi um choque para mim!

Hoje comparo o ato de ler a obra de F. Hayek, e o livro "As 6 lições" de Mises, e alguns trabalhos de Milton Friedman, como o ato de tomar a pílula vermelha de Matrix! A sensação de retomar a minha liberdade de escolha é algo por demais precioso, do qual não mais abrirei mão.

Continuem com o bom trabalho!


Sim. Idéias não existem no vazio. Quem tem idéias quer colocá-las em prática, não importa o quão ruim elas sejam. Se alguém está com a idéia de me escravizar, essa pessoa não precisa receber contra-argumentos, mas sim uma bala na cuca.

Como explicou o George Reisman, o socialismo necessariamente requer métodos brutais para ser implantado.

A única maneira de o socialismo realmente ser implantado por meios pacíficos seria com os donos de propriedade voluntariamente doando sua propriedade ao estado socialista.

Porém, se o socialismo tivesse de esperar que os donos de propriedade doassem voluntariamente sua propriedade para o estado, este certamente teria de esperar para sempre. Logo, se o socialismo tem de ser implantado, então ele só pode existir por meio da força — e força aplicada em escala maciça, contra toda a propriedade privada.

Nessas circunstâncias, os donos de propriedade irão quase que certamente resistir e tentar defender seus direitos — pela força, se necessário —, e estariam totalmente corretos em agir assim.

Por isso, todo socialista defende desarmamento. Eles sabem que têm de ir a campo e roubar toda a propriedade dos homens. E sabem também que, se quiserem ser bem sucedidos nessa empreitada, é melhor irem armados e preparados para matar os donos de propriedade, os quais certamente tentarão defender seus direitos. Daí a importância de se desarmar a população.


Essa é uma dúvida minha. Defender socialismo não é mesma coisa que ameaçar agredir as pessoas? Não violaria o PNA?


A Venezuela já superou Cuba, Congo e Zimbábue e Eritréia em termos de socialismo:

www.heritage.org/index/ranking

Agora no pódio ela está em segundo lugar, atrás apenas da Coreia do Norte.

Eis o pódio, em ordem crescente de socialismo:

Cuba
Venezuela
Coreia do Norte

Cansado de ter problemas capitalistas? Vá para um desses três países e esse problemas não lhe incomodarão mais. E aproveita que a Venezuela é pertinho.


"E, como o governo está no completo controle da situação (acima de tudo, ele possui o monopólio das armas), não há nada que as pessoas possam fazer quanto a isso, o que torna a situação ainda pior."

Eis aí o principal motivo do desarmamento tão defendido pela esquerda. Nunca teve nada a ver com segurança pública, mas sim com o controla da população. A esquerda não é contra armas. Ela é contra os civis terem armas. Mas totalmente a favor de o governo (controlado por ela) ter todas as armas existentes.

Uma população desarmada jamais conseguirá organizar um levante contra esses vagabundos vermelhos.


Jamais se esqueçam desta que tem tudo para ser a maior pérola da história da internet brasileira, quiçá mundial:

Venezuela: o socialismo que deu certo


Sempre lembrando que os defensores deste modelo aqui no Brasil podem voltar ao poder em janeiro de 2019. Aliás, o mais fervoroso defensor, o senhor Guilherme Boulos, já é o candidato oficial do PSOL.



Quando vejo na internet jovens universitários bananenses dançando e cantando comemorando o governo de Nicolas Maduro ("Sou do levante, tô com Maduro"), imediatamente me torno seguidor ardoroso de Hans-Hermman Hoppe:

"Não pode haver tolerância para com comunistas em uma ordem social libertária. Eles terão de ser fisicamente removidos e expulsos da sociedade."


O brasileiro quer a quadratura do círculo: indústrias grandes e protegidas pelo governo, e produtos baratos e de qualidade.

"Ainn, quem vai proteger os empregos que serão perdidos na FIESP?"

Caguei para os empregos da FIESP. Essa gente que vá arrumar outro meio de vida. Que direito elas têm de destruir meu padrão de vida me proibindo de comprar produtos bons e baratos do exterior apenas para garantir os altos salários de seus sindicatos?

Até onde sei, nenhuma economia se desenvolveu querendo "proteger empregos". Se essa ideia estúpida tivesse prosperado lá atrás, não haveria nem carros (que acabou com empregos na indústria de carroças), nem computadores (que acabou com empregos na indústria de máquinas de escrever), nem luz elétrica (que acabou com empregos na indústria de velas), nem internet (que certamente foi a maior destruidora de empregos da história), nem smartphones (que a acabou com a indústria de telefones fixos e de celulares obsoletos) nem praticamente nada de moderno que existe hoje.

Tampouco alguma economia prosperou dando reserva de mercado e obrigando sua população a comprar coisas caras e ruins -- o que acaba com a renda disponível e, consequentemente, impede o progresso de outros setores da economia.



Quanto mais aberta é uma economia, menor é o desemprego dela.

As estatísticas estão aqui:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2507


"Um país com moeda estável e valorizada perante outras tende a ter um poder de comprar maior, poderia se comprar carros, alimentos e tudo bem barato por importação."

Correto. Consequentemente, o padrão de vida desta população seria invejável. Você acorda cedo e vai trabalhar exatamente para receber um salário. Poder usar esse salário para comprar produtos bons e baratos é exatamente o que eleva seu padrão de vida.

Quanto mais você consegue adquirir com o mesmo valor salarial, maior será sua qualidade de vida.

"A pergunta, porque o cidadão daquele país vai comprar algo fabricado no próprio pais se é mais barato fora dele?"

Só se ele for otário.

Para mim, não faz diferença nenhuma se o produto que compro foi fabricado em São Paulo, Santa Catarina, Bahia, Pará, Vietnã, Madagascar, China, Alemanha ou Hong Kong. Estou interessado apenas em preço e qualidade, e não na etnia da pessoa que o fabricou.

Quem se preocupa com localização da fábrica, e não com a qualidade e o preço, é ou otário ou muito rico.

Obviamente, no Brasil, não há essa liberdade de escolha. Aqui somos todos obrigados a comprar as porcarias caras fabricadas pela FIESP, pois o governo não deixa comprar barato de fora. Assim, os pobres são espoliados e têm se padrão de vida reduzido apenas para bancar

"Se a moeda brasileira fosse uma "libra" como conseguir ter competitividade dentro do seu próprio território (eu não vou comprar um arroz brasileiro mais caro se posso comprar um arroz chines barato)?"

Se você tem moeda, então toda a sua produção industrial é de qualidade. E sua moeda é fraca, todos os seus produtos são uma porcaria.

Para começar, uma moeda forte ajuda as indústrias mais competentes. Qualquer indústria exportadora tem também de importar máquinas e bens de capital de qualidade, além de peças de reposição, para produzir seus bens exportáveis (pergunte isso a qualquer mineradora ou siderúrgica). Se isso puder ser feito a um custo baixo (permitido por uma moeda forte), tanto melhor.

Uma moeda forte permite que as indústrias comprem bens de capital, máquinas e equipamentos de qualidade a preços baixos. Isso as deixaria mais produtivas, aumentaria a qualidade dos seus produtos, e faria com que eles fossem mais demandados lá fora.

(Nos primeiros anos do Plano Real, a moeda era muito mais forte do que é hoje, e não houve nenhuma desindustrialização; ao contrário, houve modernização do parque industrial).

Nenhum país que tem moeda fraca e inflação alta produz bens de qualidade que sejam altamente demandados pelo comércio mundial. Todos os bens de qualidade são produzidos em países com inflação baixa e moeda forte. Apenas olhe a qualidade dos produtos alemães, suíços, japoneses, americanos, coreanos, canadenses, cingapurianos etc.

Se moeda forte fosse empecilho para a indústria, todos esses países seriam hoje terra arrasada. No entanto, são nações fortemente exportadoras. Moeda forte e muita exportação.

"Eu sei que a Inglaterra consegue, mas implementar um politica dessa no Brasil "de surpresa" não derrubaria a economia do país?"

Dar uma moeda forte a uma economia, o que aumentaria a qualidade de vida do povo, derrubaria a economia? Como, exatamente?

Durante o governo Dilma, o real foi bem fraquinho. Um dólar chegou a custar R$ 4,24. Pela lógica desenvolvimentista, era para a indústria ter bombado e as exportações explodido. No entanto, aconteceu exatamente o contrário.

Como você explica isso?

"Simplesmente abrir as portas com a importação me parece um suicídio."

Atentando à lógica: você está dizendo que, quanto mais fechado for um país, mais rico ele será; e quanto mais aberto, mais pobre.

Não há um mísero exemplo prático disso.

Quem diz que protecionismo gera potência industrial está, na prática, dizendo que reserva de mercado e abolição da concorrência é exatamente o que faz algo prosperar, se modernizar e se tornar pujante.

Na prática, está dizendo que economia fechada e reserva de mercado é o que cria pujança e prosperidade. Atentado à lógica.

Para a piorar a situação dos protecionistas, vale lembrar que o Brasil já é um país completamente fechado e protecionista desde que foi descoberto em 1500. Por favor, cite um único período do país em que tivemos tarifa de importação zero. Aliás, facilito: cite um único período que tivemos baixas tarifas de importação.

Temos a economia mais fechada entre os países sérios, e nada de a indústria progredir e ficar pujante.

Logo, quem deve explicações são os protecionistas. A teoria que eles defendem -- "economia protecionista gera indústria pujante" -- é aplicada no Brasil desde 1500. E nada de ela finalmente se comprovar. Até quando você esperar? 517 anos não bastam?

Pela lógica protecionista, era para o Brasil (muito mais fechado e protecionista que EUA e Europa) ter uma indústria pujante e competitiva. Por que isso não ocorreu? Pois é.

Algum dia espero que essa gente finalmente entende que protecionismo nada mais é que uma desculpa, disfarçada de teoria econômica, para proteger os lucros e as reservas de mercado do grande baronato industrial nacional. Quem defende protecionismo está a soldo da FIESP.

Artigos cruciais sobre o assunto:

Três consequências da desvalorização da moeda - que muitos economistas se recusam a aceitar

A empiria comprova a boa teoria: desvalorizar o câmbio piora a economia e reduz as exportações

A abertura comercial é imprescindível para o crescimento econômico - e isso não é folclore

Defender o protecionismo é defender a escassez - defender o livre comércio é defender a abundância

Protecionismo é riqueza para poucos e pobreza para todos

Países não comercializam com outros países; apenas indivíduos o fazem

Quem realmente ganha com a obstrução do livre comércio?

Se você é contra o livre comércio, você tem medo da abundância e da prosperidade

O livre comércio não destrói empregos; quem destrói empregos são os consumidores

Nove perguntas frequentes sobre importação, livre comércio e tarifas protecionistas

Como a Nova Zelândia e o Chile transformam vacas, ovelhas, uvas e cobre em automóveis de qualidade


Talvez isso possa ajudá-lo: www.heritage.org/index/

Explore os indicadores de cada país, tire suas conclusões e use-as como ponto de partida de sua pesquisa.


D.Cesilla
Não é calibrar nossos propósitos é ser apessoa que impactou a história da sua família.
Não é só ter dinheiro para pagar o remédio como o Engenheiro falido falou muito bem.
É oferecer aos seus filhos e netos a capacidade de expressar sua verdadeira individualidade.
Uma vida que vai impactar uma descendência.
Essa é a verdadeira lição que o personagem falou pro pescador.
Não é perseguir o dinheiro mas sim saber jogar o jogo.
Tem uma frase do Einstein que ele fala:
"Aprenda as regras do jogo e jogue melhor que todo mundo".
Ou citando um versículo da bíblia:
"Saia do meio da sua parentela."
Mude a sua forma de pensar empreenda com o objetivo de impactar vidas
e a sociedade pela riqueza que sua empresa gera.
E consequentemente ficando livre das agruras que a falta dele gera.


José,

pelo menos você tem a boa vontade de procurar aprender. Isso é sem dúvida positivo.




Obrigado Tamure vou ler os arquivos lincados e procurar os demais que vc sitou.


a) Carga tributária sobre empresas e empreendedores
b) complexidade da burocracia
c) facilidade de empreender (o que inclui quão rígidas são as leis trabalhistas)
d) total dos gastos do governo (e em que ele gasta)
e) quantidade de empresas que recebem subsídios e empréstimos subsidiados via bancos estatais
f) alíquota das tarifas de importação
g) quantidade de agências reguladoras (quanto mais agências reguladoras, mais cartelizado e fechado é um mercado)
h) facilidade de empreender em um determinado mercado (se há agências reguladoras, é praticamente proibido entrar concorrência ali)
i) imparcialidade do sistema judiciário

Sobre o que torna países ricos:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2665
www.mises.org.br/Article.aspx?id=1956


Eu, por exemplo, tenho vastos conhecimentos em economia e finanças, mas não posso ser consultor nessa área, pois não sou diplomado. Não posso gerir o patrimônio de terceiros, não posso recomendar compra de ações, derivativos, muito menos fazer qualquer sugestão de investimentos, ou fazer um estudo de viabilidade econômica. E no Brasil, que a cultura do diploma está mais forte que nunca, é quase impossível você começar a vida sem pelo menos um papel meia boca aprovado pelo Mec.


Muito esclarecedor o texto, gostaria se possível de um auxílio, como eu poderia, dado um certo país, analisar sua economia, Brasil por exemplo, sei que vivemos em um corporativismo, mas como analisar isso? se um país é rico porque ele é rico? se ele é pobre porque ele é pobre?

Sei que quanto mais liberdade de mercado tivermos mais riquezas vamos gerar, mas como determinar que temos mais liberdade de mercado?

obrigado.


Sou ainda leigo no assunto, mas tenho comprado livros e me informando cada vez mais. Pergunta simples. Um país com moeda estável e valorizada perante outras tende a ter um poder de comprar maior, poderia se comprar carros, alimentos e tudo bem barato por importação. A pergunta, porque o cidadão daquele país vai comprar algo fabricado no próprio pais se é mais barato fora dele? Se a moeda brasileira fosse uma "libra" como conseguir ter competitividade dentro do seu próprio território (eu não vou comprar um arroz brasileiro mais caro se posso comprar um arroz chines barato)? Eu sei que a Inglaterra consegue, mas implementar um politica dessa no Brasil "de surpresa" não derrubaria a economia do país? Deveria essa ser uma "etapa 2"? Entendendo que a "etapa 1" seria desregular, desburocratizar, privatizar, e reduzir consideravelmente o nível de impostos sobre o mercado interno. As empresas poderiam se criar e reinventar e se preparar para uma competição mais agressiva. Simplesmente abrir as portas com a importação me parece um suicídio.


O povo venezuelano tem sua parcela grande de culpa, votou no chavismo mesmo depois de 2007 quanto este assumiu definitivamente o discurso socialista. Maioria manifestou seu livre direito de escolha.


Junto com a destruição da economia, a mentira socialista é de longe a mais assassina de todas.
Um exemplo dessa tirania é o desarmamento da população, como podemos constatar na comparação entre Brasil e Suíça.
O número de homicídios no Brasil, onde a população foi ilegalmente DESARMADA, gira em torno de 148 por dia: 25,7 por 100 mil habitantes.
Na Suíça, onde todo cidadão é convocado pelo Estado a portar uma ARMA, o número de homicídios por ANO é menor do que 50: 0,60 por 100 mil habitantes.
Em suma: no Brasil mata-se, por dia, 03 X mais do que em um ano inteiro na Suíça.


É muito fácil falar isso quando se empreende em um setor não-regulado. Agora tente fazer isso no setor financeiro, médico, segurança, etc. Onde na maioria das vezes se exige um curso superior e milhares de certificações estatais, caso contrário você é multado e até preso.


"No Brasil, para abrir uma empresa são necessários 107 dias, em média."

Pelo que eu saiba estão querendo reduzir essa burocracia para abertura de empresas, querem reduzir para a abertura no mesmo dia.


Ricardo

Tudo que você disse já rebati em uma matéria sobre assuntos de defesa, eu estou com muita preguiça para te responder adequadamente.

Dá uma passada lá para ver a conversa que tive com Eparro: www.forte.jor.br/2017/10/14/plebisul-maioria-vota-pela-separacao-de-rs-sc-e-pr-do-brasil/


Trabalhou décadas como funça na Petrossauro, que vida boa hein? Acumulou conhecimento técnico de ponta e patrimônio a custa dos desdentados deste país. Felizmente seus netos terão todas as condições de seguirem seus passos de funça de sucesso, afinal nenhum liberalismo será implantado por funças liberais.





Penso parecido, mas claro que isso não me faz um fã de Temer ou seu seguidor como pensam os petistas, quero que ele sofra as consequências dos seus atos criminosos, diferentemente do petistas que endeusam seus "heróis"!


Ninguém se interessa pelos seus dons para remunera-lo por isso e nem comprar nada de você? Só pode ser por dois motivos, ou seus dons não sejam úteis às pessoas (se fosse elas pagariam por isso) ou você que não está sabendo vender seu "peixe" e está esperando a mãe estado te reconhecer. Vivemos num capitalismo e temos que jogar esse jogo. É como querer ser campeão mundial de judô estudando regras de futebol.
Aliás, tem muitos filósofos que apareceram que estão muito bem sucedidos (Karnal, Cortella e Pondé).


"Ter 40% da sua renda confiscada para sustentar as mordomias do dono da corte, submeter-se compulsoriamente à CLT (que confisca outra parte do seu salário a título de INSS, FGTS e demais encargos sociais e trabalhistas), declarar imposto de renda sem ser remunerado por isso (e podendo ir para a cadeia caso faça uma declaração errada), ser proibido de importar bens bons e baratos do exterior etc.

Se isso não é escravidão, então nada mais é. "


Eu deixei pouco claro. Não neguei que pagar imposto seja escravidão, tanto que eu deixei o link no comentário (espero que você tenha visto). Eu falei que o fato da pessoa ter a vida de um assalariado, aprioristicamente, não é escravidão. Ser assalariado não é escravo, ser obrigado à sustentar o estado, sim.

"Endividar-se junto a um banco estatal para comprar casa e pagar juros durante 30 anos também é escravidão, mas aí é uma escravidão consentida. "

Bom se você não pagar a casa ou afins ao menos você não vai ser sequestrado pelo estado.



Do que você está falando? Aponte, por favor, o trecho em que o autor está dizendo que todo e qualquer favelado tem iguais condições de empreender que um magnata. Não li isso em lugar nenhum do artigo.

Ah, sim, eu conheço a história do Flávio. É verdade que ele não era nenhum favelado, mas também está longe de ter nascido em berço esplêndido. Nasceu em uma família que hoje seria considerada classe C esbarrando na D.

Realmente, aqui é a terra da inveja e do menosprezo: se um indivíduo é bem-sucedido, então só pode ser porque ele nasceu em "berço esplêndido", ainda que tenha passado longe disso. "Ah, eu não tenho chance nenhuma, pois não nasci milionário".

O derrotismo e o conformismo do brasileiro nunca deixam de surpreender.





Ter 40% da sua renda confiscada para sustentar as mordomias do dono da corte, submeter-se compulsoriamente à CLT (que confisca outra parte do seu salário a título de INSS, FGTS e demais encargos sociais e trabalhistas), declarar imposto de renda sem ser remunerado por isso (e podendo ir para a cadeia caso faça uma declaração errada), ser proibido de importar bens bons e baratos do exterior etc.

Se isso não é escravidão, então nada mais é.

Endividar-se junto a um banco estatal para comprar casa e pagar juros durante 30 anos também é escravidão, mas aí é uma escravidão consentida.


Amigo, entendo você. Tenho 19 anos e uma vontade de empreender desde os 16. Estudo computação, mas já entrei enxergando a universidade apenas como uma chave para abrir portas(minha família é pobre). Estou engajado no inicio de um projeto de Startup e me arrependo de não ter começado a fazer pequenas coisas antes. Então minha dica: já aprende programação, não é difícil. Depois bota a mão na massa e vai criando suas coisas. Abç :)


Data venia, jamais em minha vida li tamanho absurdo.

Sou pós-doutor em filosofia, bacharel em sociologia, mestre em antropologia e intelectual de mérito inegável. A parede do meu escritório é tingida das descrições de minhas conquistas acadêmicas. Sou acadêmico da mais alta estirpe: conhecido de radialistas, deputados, cátedras de universidades federais e nome ecoado nos círculos progressistas nos EUA e na Europa.

Conheci a vida na universidade: a erva da terra que alimentou minha criatividade, o almoço subsidiado que me manteve forte por 20 anos, meu primeiro amor (o marxismo) e minha primeira desilusão (a URSS). Aprendi tanto.

Hoje quando me sento para dirigir o Uber (graças ao livre-mercado, o Estado não me paga), choro ao tocar no volante. Penso no desperdício que só Egeu entenderia que é ter um Hércules da Justiça Social vendendo frutas no mercado ao invés de livrar os estábulos da mancha anarco-neoliberal fascista reacionária leandro-roquista.

São tempos taciturnos.


Adorei todos os comentários, pela diversidade de ideias, dando oportunidade a quem tem discernimento de buscar seu próprio caminho sem se dobrar a um ou a outro, ser livre pra fazer o que quiser. Parabéns ao provocador e a todos os provocados. Da minha parte gosto de atuar dos dois lados, no empreendedorismo e como empregado ou funcionário público, pois as experiências me dão oportunidades e me enriquecem, e desta forma posso contribuir com as duas partes, pensando num mundo melhor pra mim, meus filhos e todos que vierem. Hoje estou na universidade trabalhando com EAD (ensino a distância) como bolsista da CEPES ganhando aquém do que desejaria, mas vivendo esta experiência tive a ideia e oportunidade de abrir minha própria escola de EAD (www.munamundi.com.br), na qual sou empreendedor com as experiências que adquiri na faculdade. Aceito cursos de pós-graduados e com vivência prática para colocar a venda na nossa plataforma, sejam bem-vindos!


Eu, que sou "mão de vaca" economizei bastante.

Em Dezembro de 2015 viajei para a Alemanha, de férias.
Em Maio de 2016, tomei uma demissão e fui para o Japão (até rimou), voltei do Japão, fiquei um mês no Brasil e como não arrumei outro emprego nesse tempo, fui para a China, voltei da China e abri o meu próprio negócio (Maio de 2017). Sendo que quando voltei da China, pensei: para onde eu vou agora ?. (eu sou um sujeito que só vou para lugares onde eu falo, pelo menos, o básico do idioma local)

Minha família me criticou pelo tamanho esbanjamento de dinheiro, sendo que a maioria deles quando é demitido, não tem dinheiro para ir na pizzaria da esquina tomar um chopp e comer uma pizza.

E tem uns "funças" na minha família que, mesmo com a tal estabilidade de emprego, não tem dinheiro pra nada, mesmo ganhando muito bem.



O autor desse texto é um dos dois únicos brasileiros que "dá bilhão" sem ajuda do governo (o outro é o M. dias branco).

O autor do "Pai rico Pai pobre" é um vendedor de sonhos e enganador profissional, que FALIU sua própria empresa.

Você pode até não ter gostado do texto, mas tenha mais cuidado na hora de fazer essas comparações ;-)


Nenhum rapaz "pobre da periferia" teria conseguido um cheque especial de 20 mil reais em 1995... pra quem não sabe, isso era equivalente a 200 salários mínimos na época, hoje isso seria equivalente a 187 mil reais. Não duvido que ele tenha conseguido os 20 mil, nem que tenha morado em um bairro da periferia, mas duvido que ele fosse "pobre" na época em que conseguiu. Existem famílias com dinheiro em todos os bairros da cidade e o banco, no mínimo, não achou que iria perder esse dinheiro. E ele possuía analistas de risco de crédito que investigavam a família dos indivíduos antes de aceitar um valor deste tamanho.

É fácil empreender quando se tem berço esplêndido.


Um livro, um filme é uma propriedade privada que se paga para tê-lo. Li todos os coments e nenhum me fez mudar de ideia. Roubo é roubo e quem copia algo sem permissão e disponibiliza com ou sem fins lucrativos está roubando. Aí vão dizer, copiei a sua arquitetura da sua casa, sem sua permissão, crime! Há poderia existir pagamento antes da produção, ou publicidade sobre a obra, primeira e segunda praticamente com algum autor hipermega famoso. Os que estão começando nem precisaria começar. Sobra a netflix. Eu nunca copiaria a netflix, será que outros não?


Mas, eles não iriam piratiar esses serviços também e disponibilizar em seu site?



"e o salvador assassinato de Olof Palme em 86, o unico caso de assassinato politico, que do ponto de vista da Historia Economica, e' justificavel." Todo Liberal pensa assim?


Não. Trabalhei na PETROBRAS, lider mundial em tecnologia em águas profundas. E tenho orgulho disto.

Apesar do fato de ser economia mista causou o problema de ter sido vítima de governos sanguessugas a muito tempo.

Mas, graças ao elevado nível do seu corpo, consegue sempre dar volta por cima e dar lucro aos acionistas.

Agora mesmo. O petrolão e seus ladrões associados a jogou lá em baixo e, menos de 3 anos depois já está dando a volta por cima. Pela terceira vez foi reconhecida pela Offshore Technology Conference, que anualmente ocorre em Houston e premia as empresas top mundiais em tecnologia em águas profundas.

Bom, mas fazem mais de sete anos que saí dela. Graças à excelente formação tecnológica que tive nela, tenho uma excelente carreira, primeiro como empregado de uma empresa européia e hoje consultor independente reconhecido no mercado.

Os bons técnicos dela nunca tiveram medo nem da quebra do monopólio e nem de uma possível privatização.

Aliás, com a quebra do monopólio, em 1998 e a venda de ações dela em 2001, reduzindo a participação da União de 80% para 39% do capital social a Petrobras teve a melhor fase. O problema é que a União detinha 51% das ações ordinárias, com direito a voto.

Nos leilões que ocorreram desde 1998 ela competiu em leilões com as gigantes, grandes, médias e pequenas e foi a que teve maior sucesso.

O segundo lugar em sucesso, as gigantes Shell, BG e Chevron foi em parceria com a Petrobras como operadora. Das que entraram sozinhas, só a Statoil teve sucesso com o campo de Peregrino.

Pela que o nacionalismo arcaico atrapalhou, mudando a lei do petróleo em 2009 e voltando a ter mais de 50% do capital total (acho que 59% via BNDESpar).

Agora, o engraçado que fiz meu post mostrando a idiotice da CLT e do FGTS e o tal de Igor fica incomodado que eu tenha trabalhado na Petrobras. É falta do que ter o que fazer.

Acho que este final de semana nem vou passear com meus netinhos e ficar em casa amuado, pelo fato de ter tido a audácia de postar um comentário neste site e incomodado você Igor.

Aliás, fazia tempos que não postava comentários. E os editores do site são testemunhas que mais de uma vez elogiei o site por, mesmo sendo contra algumas ideias, nunca fazerem censura proibindo alguém de comentar.

Igor. O obtsuso ideológico, seja de esquerda radical ou direita radical, ataca o oponente, não a ideia.

Talvez por isto exista uma teoria da ferradura em relação à extrema esquerda e a extrema direita. Ambos estão próximos como as pontas de uma ferradura.

Uma boa noite a todos.