clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


Não, e nem deveria, pois isso não vai ocorrer. Foi só espuma pra desviar atenção do noticiário político.

No entanto, para saber como deveria ser o setor elétrico, inclusive como deveria ser sua privatização, sugiro este artigo:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=646

E também este, que aborda privatizações gerais:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2457



Olá amigos, há algum artigo aqui que aborde a atual pretensão do governo de privatização da Eletrobrás, e os efeitos que podem ser esperados? Grato desde já pela atenção.


É possível sim, Rafael. Há uma resolução da Aneel para isso e já funciona no Brasil.

Infelizmente, para uso residencial, ainda não é possível ter abatimentos de impostos que ocorrem na indústria, mas assim mesmo pode valer a pena. Hoje em dia, o retorno é equivalente ao de um investimento rendendo cerca de 1% ao mês. Já está sendo lucrativo.


Estava me ocorrendo aqui uma preocupação, que se aplica a todas as criptomoedas baseadas em proof-of-work (POW).

Imagine que algum governo queira derrubar o mercado de bitcoin. Ele investe massivamente em mineração para adquirir os 51%. Neste ínterim, começa a adquirir ordens de put em empresas envolvidas com bitcoin e ETFs, além de pré-vender seu hardware. Enquanto não chega a este ponto, vai vendendo seus bitcoins em trades automáticos, como quase todo minerador faz, de modo que tenha uma exposição mínima de seus fundos. A partir do momento em que estiver posicionado, lança o ataque. Obviamente não derruba a rede, mas lança uma confusão suficiente para derrubar o mercado, além de gerar um fork que tenderia a ser parecido com aquele que deu origem ao Ethereum e Ethereum Classic. Muito pouco provável, mas ainda assim, uma possibilidade.

Neste sentido, eu concordo com o pessoal que defende o proof-of-stake (POS). Não é um algoritmo com provas matemáticas robustas como o POW, mas o consenso tende a deixá-lo bastante seguro. Além disso, ele estimula a poupança na própria moeda. Com sistemas de "forging" e "leasing", gera mais fundos quem tem mais posição na moeda, gerando uma menor pressão vendedora. Além disso, a moeda se parece com uma conta em banco, que vai sempre rendendo juros.

No momento, o market cap das POS é muito pequeno. Os maiores, se não me engano, são NEO e Waves, ainda muito abaixo das POW. Mas vou te dizer, é bem interessante. Minha wallet com Waves tem um leasing para um pool e quase todo dia recebo Waves ou algum outro tipo de token. A maioria sequer chega a valer 1 centavo de dólar, mas às vezes recebo posições de dezenas de dólares em tokens. Tudo automático, sem eu ter que fazer nada, nem investir em hardware muito caro.


Errado. É perfeitamente possível ter livre concorrência no setor elétrico. Teoria e prática confirmam isso.

Como? Aqui:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=646 (teoria)

www.mises.org.br/Article.aspx?id=1309 (prática)


A distribuição de energia elétrica padece de um problema crônico, que dificulta a concorrência. O fato das redes de distribuição representarem investimento de valor muito elevado, não justificando multiplas redes em uma mesma área de distribuição. Existe uma limitação natural à concorrência. O modelo mais viável é a concessão governamental através de liciação pela menor remuneração do operador. Tem coisas que o mercado não consegue resolver sem um salto tecnológico. Essa é apenas uma delas.




Podemos falar sobre socialismo após o almoço ?

Falar em socialismo dá uma fome danada.


Gostei do artigo. Mas acho que faltou citar o "efeito multiplicador" dos gastos públicos e explicar porque aquele não existe.


Veja as contradições. Tenho 74 anos e aqui em casa se respirava política de direita e todos votavam segundo o patriarca. Quando surgiu o partido dos trabalhadores, eles não passavam de pessoas de "pouca inteligência, humildes, não eram doutores" e meu pai era fiel na ideologia de que precisava de pessoas que soubessem governas. Não era burguês, não se curvava para a burguesia, não desprezava os pobres, mas o PT jamais. Assim vesti uma blusa vermelha emprestada e votei nos vermelhos. Meu pai faleceu com 80 anos decepcionado com a política. Sou contra partido em escola e que o adolescente cresça lendo, aprendo a fazer o discernimento necessário e seguir a vida.


Os demais dados estão errados? Basta ler a Constituição de 1824 que confirma exatamente o que ele disse. Estudos históricos constitucionais confirmam isto (e estou falando de literatura especializada, e não sites e blogs da internet).


A m... toda já veio degringolando desde a guilhotinagem na França, mas a escalada pelo socialismo foi ampliada mundialmente.

Acho que o século IXX foi marcado pela queda dos impérios e formação das repúblicas.

Depois veio o século XX, onde os negros e as mulheres conquistaram direitos.

Essas lutas por direitos realmente eram necessárias e sempre temos que tomar cuida com erros. Porém, essas lutas acabaram se transformando no direito a tudo. Se todos tem direito a tudo, ninguém tem direito a nada.

O século XX foi marcado pelo assassinato de 100 milhões de pessoas por regimes socialistas, que supostamente querem defender o povo contra o poder financeiro.

Falsas democracias foram criadas justamente para derrubar a liberadade do povo, que foi sonhada por séculos durante o imperialismo. Os socialistas conseguiram destruir coisas que eram sonhadas há mais de 300 anos atrás.

Nós ainda estamos vivendo sob heranças malditas do socialismo do século XX, apesar dos métodos mudarem da luta armada pela doutrinação. Acho que eles perceberam que a luta armada não funcionou e matou gente demais.

Enfim, a liberdade sonhada há 300 anos atrás está sendo bloqueada pelos comunistas. O imperialismo foi derrubado e agora aparecem esses comunistas safados.



Obrigado pelo esclarecimento. No meu entendimento um ataque de 51% poderia sim gerar entradas "falsas" no blockchain, configurando assim "roubo" de moedas. Mas pelo que entendi, isso na prática seria um fork, que seria tratado da mesma maneira que na Reddcoin.



Quero comprar bitcoin mas nao confio muito nisso como fasso pra saber se é mesmo seguro


Só para adicionar: já ocorreu um ataque 51% na rede Reddcoin há muito tempo, uma rede com tempo menor de geração de bloco (1 minuto) e com muito menos hashpower (mais barata para atacar).

Causou problemas, mas acabou mitigado.


Isso é uma pedalada fiscal que faria inveja a Dilma. A LRF brasileira proíbe explicitamente esse tipo de coisa.


Na verdade não, Pobre Paulista. É muito menos. Tem no bitcoin wiki. Inclusive é descrito como "provavelmente não é um problema".

Um atacante de 51% não pode criar bitcoins do nada, não pode criar bitcoins com mais blocos, não pode forjar transações de bitcoin de outras pessoas como sendo dele, não pode se apropriar de fundos que não lhe pertencem. Ou seja, pode muito pouco.

O máximo que consegue é enviar uma transição para um terceiro e se recusar a colocá-la no bloco, deixando-a vencer e possibilitando enviar a transação para outra parte; também pode se negar a validar transações de outras pessoas, o que não é realmente muito provável.

Caso ele consiga enviar transações e não validá-las (não pode gerar um bloco, pois se gerar, a transação está efetivada), ele conseguiria, em tese, realizar double spending. Mesmo assim, nenhum bitcoin foi criado. O destinatário da primeira transação verá que sua quantia não está em sua carteira.

algumas discussões interessantes no reditt a respeito da adoção do segwit. Com os endereços do tipo "qualquer um pode gastar", mineradores poderiam se unir em cartel e se apropriar de fundos de terceiros, forjando endereços. Mesmo assim, cada transação teria de ser gerada novamente e validada e isso estaria essencialmente incompatível com os blocos gerados pela minoria dos minerados. Na verdade, seria um hard fork, pois dividiria a rede, essencialmente, em duas sequências incompatíveis. Poderia gerar uma confusão no princípio, mas dificilmente exchanges e gerenciadores de grandes wallets seguiriam a rede "dos ladrões". Também é muito improvável.


Excelente artigo !

A propósito de cripto-moedas, saibam os admiradores (como até então eu mesmo era) do "libertário" Sr. Peter Schiff, que seu EuroPacificBank simplesmente NEGA abertura de conta naquela instituição a estrangeiros (inclusive brasileiros) que em algum momento tenham operado BitCoins em seus próprios países (caso tais transações envolvendo bolsas de negociação daquele ativo digital apareçam nos extratos bancários solicitados previamente como parte da documentação exigida pelo EPB).



Não é isso, um ataque de 51% pode gerar transações falsas e registrá-las com sucesso no blockchain. Pode não apenas causar diversos ataques de double-spending como também pode roubar bitcoins para si.

E há também o risco de fork da rede.

Criptomoedas são o futuro, mas o BTC ainda é um experimento que deve ser acompanhado com cautela.


Poucas pessoas conseguiram este feito de manter sua poupança com esta valorização estrondosa,ou seja mesmo o bitcoin é girado,as pessoas compram e vendem de acordo com suas necessidades,não conheço nenhum especulador que conseguiu manter um ativo por tanto tempo com esta valorização,enfim a vantagem do bitcoin além da especulação é manter nossas poupanças a salvo de confiscos chamados eufemisticamente de política econômica,fico feliz ao saber que meus irmãos e amigos venezuelanos estão encontrando proteção e guarida nesta ferramenta monetária que o Mercado criou e Deus abençoe que tenha vida longa pois só assim estes governantes pilantras se curvaram anti a realidade de que do meu patrimônio cuido eu...


Coitado do rapaz, "idéias e somente idéias, somente idéias podem iluminar a escuridão" garoto.


terracoeconomico.com.br/matematica-no-mundo-da-economia

Aprendam aí, amigos heterodoxos austríacos.


Mudando de assunto rapidinho.

Vocês poderiam fazer um artigo sobre isso?

https://www.truthdig.com/articles/japan-is-writing-off-nearly-half-its-national-debt-without-creating-inflation-we-could-too/

Essa atitude do Governo japonês pode dar certo ou não?


Só vou colocar um adendo: num ataque de 51%, o minerador não pode criar mais bitcoins por bloco que o permitido pelo protocolo. Para reverter uma transação, ele precisa ser rápido, desfazendo-a antes de ir para um bloco. Quando este já estiver criado e propagado, não é possível eliminá-lo, do contrário seus blocos futuros seriam simplesmente descartados como inválidos pela rede. Ele não pode roubar bitcoins de ninguém. No máximo, vai poder negar algumas transações, mas nada realmente muito sério e que afete o passado ou mesmo cause grandes transtornos ao funcionamento da rede.

Ou seja, há muito pouco ganho para um minerador que tome mais de 51% da rede Bitcoin, além de requerer um investimento extremamente massivo em poder computacional, caro até mesmo para governos. É muito, mas muito mais barato, simplesmente continuar minerando sem causar problemas para a rede como um todo.

Agora pense no poder que governos emissores de moedas, "com 100% do hashrate" das suas fiduciais, têm: eles podem negar transações de qualquer um; com medidas judiciais ou simples decretos, dependendo do lugar, podem congelar e tomar os fundos de qualquer pessoa; podem emitir moeda à vontade, arriscando até mesmo a confiabilidade da mesma, porque podem forçar seus cidadãos a usá-la (Venezuela, no momento). No entanto, as pessoas ainda as utilizam.

Por qualquer prisma que eu analise, o bitcoin é uma moeda com muito, mas muito melhores fundamentos que qualquer outra que utilizamos hoje. Não há como falsificá-la ou manipular sua taxa de inflação. A insegurança é somente nas bordas, na manipulação de mercado, no hacking de carteiras e exchanges (o real não é inseguro por causa dos batedores de carteira). E a segurança para os usuários só tende a melhorar.


Para completar, há este artigo interessante do Zero Hedge.

As perguntas são boas: uma moeda deflacionária vai fazer com que as pessoas parem de comprar comida porque o preço vai cair? Vão parar de andar de carro ou abastecê-los porque a gasolina estará mais barata em 6 meses? As pessoas param de comprar eletrônicos porque seus preços sempre caem? Não, são demandas inelásticas.

Há até uma citação do BIS (suíço, um banco de ouro para bancos centrais, que divulga seus balanços em SDRs emitidos pelo FMI - não em dólares): a tendência é que, com a moeda deflacionando e o poder de compra da população aumentando, as pessoas passem, de fato, a consumir mais, não menos. Ou seja, comprarão carros mais caros, casas mais caras e maiores para morar, eletrônicos melhores, comerão em melhores restaurantes, enfim, tudo que estimula a "demanda agregada" de que os keynesianos tanto falam.

O que aconteceria com uma moeda deflacionária é que haveria uma tendência a que os preços dos ativos não se inflacionasse tanto (e na saída de uma moeda inflacionária para uma deflacionária, caíssem. Isso aconteceu no Brasil, em certo grau, no começo do plano Real, não foi, Leandro?). Isso porque as pessoas não precisariam investir para se abrigar de uma perda de poder de compra futura, algo que ocorre continuamente em muitos países hoje. Ou seja, o que gera as bolhas são as pessoas continuamente fugindo de suas moedas fiduciárias, o que leva a investimentos que não dão retorno sólido em longo prazo.

No curto prazo, contudo, advirto, bitcoin pode sofrer correções. É normal com algo que sobe rápido. Entra muito especulador que não entende bem em que está investindo, tem pânico ou quer realizar lucro, normal. Ainda não é muito usado também, então a volatilidade existe. Mas a tendência de longo prazo é para cima mesmo, encontrando-se com seus fundamentos, a menos que surja algo melhor ou que governos consigam, com sucesso, proibir seu uso.


Pra ser empreendedor no Bostil, precisa ser um verdadeiro herói.

Como eu não sou, virei somente um especulador.

Boa sorte na jornada.


Essas crises políticas, institucionais e democráticas que estão ocorrendo em vários países, são causadas por governos que fazem o inverso do que as pessoas querem.

As pessoas querem o respeito a propriedade privada, justiça, fim da violência, saúde básica, educação básica, combate a miséria, etc.

Esse estado desenvolvimentista criou privilégios, desperdício, corrupção e expropriações completamente exageradas. As instituições que deveriam defender as pessoas, acabaram agredindo quem os sustenta.

Foi uma facada nas costas do povo.



Se eu quiser fazer um financiamento com Bitcoin.

Alguém faz empréstimos em Bitcoin ?




Nunca aconteceu e, após 9 anos, é improvável que aconteça. O que ocorre é hacking de carteira e exchange, por isso você deve ter cuidado com seus fundos e chaves.

No entanto, duas ressalvas (bastante técnica):

1 - já é um problema conhecido que os algoritmos de hash do Bitcoin, Ripe-160 e SHA-256, podem ser quebrados por computadores quânticos com relativa facilidade. Por enquanto, estamos na infância dessa tecnologia. As máquinas existentes ainda não são tão poderosas e estão sendo empregadas para usos mais lucrativos. Isso certamente demandará uma atualização que, uma vez feita, resolverá o problema.

2 - o Bitcoin e todas as criptomoedas baseadas em prova de trabalho podem sofrer um ataque de 51%. Ou seja, se 51% da rede estiver nas mãos de um único minerador, este pode gastar os mesmos fundos duas vezes ou invalidar algumas das últimas transações.

São riscos muito remotos, mas existem.


Não diria isso não. É possível fazer auditoria no blockchain e rastreio das transferências.

Cada carteira pode ter centenas de endereços e são todos anônimos, mas uma vez que você tenha feito uma transferência de uma exchange para um deles, é possível rastrear sim.

Monero, Dash e Zcash foram moedas criadas para prevenir esse problema.


O endereço Bitcoin que ele divulgava no canal dele para doações era o 12gqLwGvuJfkHPH2jhrVgXRnEwqVmpF1E2

Basta ver nesse link: https://www.youtube.com/watch?v=Xz3UaCk577I

Indo no endereço https://blockchain.info/address/12gqLwGvuJfkHPH2jhrVgXRnEwqVmpF1E2
vemos que o mesmo recebeu 3.91020515 BTC e distribuiu a grana em diversas outras contas, o que dificulta o rastreamento. Esperteza da parte dele. Com certeza ele deve ter mais.

3.91 BTC já equivale a mais de 40 mil reais.

Agora algumas perguntas:

1 - Esses btc são só de doações ou o próprio Daniel doava para si mesmo?
2 - Pq ele distribuiu o dinheiro em várias contas? Segurança? 40 mil é um valor ok mas não a ponto de alguém fazer um atentado quanto a isso.
3 - Existe um software que permite rastrear todas as contas btc que ele criou e ver o saldo total sem investigar uma a uma?

Não é a toa que ele desistiu de fazer vídeos no Youtube. Deve estar bem de vida com os btc.


Eu estou minerando Ethereum na Genesis Mining, vamos ver no que isso vai dar.

Já achei algumas migalhas de ETH.


Sou leigo se tratando desse tipo de assunto e tenho duas perguntas: por que o bitcoin é seguro? Não tem risco de ser hackeado? E além do bitcoin, que outras medidas eu poderia tomar para proteger meu dinheiro? Desde já agradeço.


Qualquer tipo de medida que aumente o poder dos governos deve ser combatido pelos cidadãos.




Se a quantidade de bitcoins se limitam a 21 milhões de moedas, esse seria o limite de sua oferta monetária?

Outra dúvida...

Além do BTC ter como característica a escassez e a quantidade que se limitará a 21 milhões de BTC, existem outras criptomoedas com a mesma característica?

Obrigado


Acho que o problema está na parte "O monopólio natural do governo", não tem como existir um monopólio natural do governo, apenas um monopólio coercitivo. Sem corrigir esta parte não vejo como construir uma discussão em cima dessa frase.


Libertário que insiste em ter moeda emitida por uma banco central monopolista escravizador é poser.


www.atlasproj.com/blog/daniel-fraga-bitcoins-evitar-extorsao/

www.youtube.com/results?search_query=daniel+fraga+bitcoins

panampost.com/editor/2017/07/25/bitcoin-is-protecting-the-right-to-free-speech/


Não quis dizer que o bitcoin é um Telexfree, e sim que algumas pessoas estão tratando-o como tal.

Por exemplo, dizendo aos quatro ventos que vai conseguir 10% de valorização por mês ad infinitum e se aposentar daqui 3 anos e viver da renda. Já vi gente propagandeando 50% de valorização ao mês garantida, o que obviamente mostra que a pessoa nunca abriu um Excel.

Abraços.




A partir do momento em que você adquire BTCs, você não mais precisa de recorrer a bancos, desde que as outras pessoas com quem você transaciona também aceitem BTC.

Vou tentar exemplificar.

Suponha que você tem R$ 200 mil na sua conta bancária e quer converter tudo para BTC. Você tem duas opções:

1) Sacar todo dinheiro em espécie e repassar para alguém que esteja em sua presença física lhe vendendo BTCs (essa opção é totalmente improvável); ou

2) Fazer uma TED para uma das várias exchanges (casas de câmbio) existentes. (Veja aqui a lista delas, e quais bancos fazem essas TEDs gratuitamente.) Esse é o procedimento mais comum.

A partir do momento em que esta TED se concretiza, você não precisa usar bancos.

Você converte os reais em BTCs e então envia os BTCs para uma wallet (carteira), a qual apenas você tem acesso e ninguém sabe que existe, muito menos o governo.

Pronto, seu dinheiro (BTC) está armazenado e apenas você tem acesso a ele.

E como você vai fazer transações econômicas a partir daí? Simples.

a) Caso o vendedor aceite BTCs, então é fácil: você irá apenas transferir diretamente BTCs de sua carteira para a carteira do vendedor. Tudo pelo smartphone, sem usar bancos.

b) Caso você precise de reais em espécie, você pode transferir BTCs a uma pessoa que esteja disposta a vender reais em espécie em troca de BTCs.

c) Agora, caso a outra pessoa não use BTCs e exija um depósito bancário em reais, aí não tem jeito: você terá de enviar BTCs da sua carteira para uma exchange (veja a lista acima). Na exchange, você vai trocar BTCs por reais. E então vai enviar os reais para sua conta bancária e então transferir para o vendedor.

Isso, obviamente, decorre exclusivamente do fato de a outra pessoa estar exigindo reais. Se ela exige reais, e quer reais depositados na conta bancária dela, então não tem jeito: você tem de recorrer ao sistema bancário. Não há como fazer mágica.

Igualmente, se você recebe um salário em reais, e seu empregador quer lhe pagar via rede bancária, aí não tem jeito: você terá de manter uma conta bancária para receber estes reais (afinal, é assim que seu empregador quer). Porém, tão logo os reais caem em sua conta, você pode imediatamente transferi-lo para as exchanges, e reiniciar o processo.

Observe que o problema todo não está no BTC, mas sim nas pessoas que só aceitam usar a moeda estatal. Aí não há mágica.

Porém, se, por exemplo, houver uma cidade ou mesmo um país em que o uso de BTC seja generalizado (cada pessoa tem sua carteira), aí ninguém precisa de usar bancos. E nem mesmo as exchanges (casas de câmbio). É tudo direto: um transfere para outro via smartphone, sem ter de usar qualquer atravessador.

O futuro será esse.


Sou relativamente leigo em Bitcoin (entendo o básico, mas não os detalhes), e tenho uma dúvida: até que ponto o usuário do Bitcoin realmente está livre do sistema bancário?


Eu gostei muito desse artigo. Mas gostaria de falar sobre um assunto meio off topic.

Eu abri recentemente uma pequena cafeteria na minha cidade e gostaria de saber administrar bem meu negócio. Um amigo me recomendou este site. Então gostaria de perguntar: Que livros vocês me recomendam para saber administrar meu pequeno negócio?

Obrigado.



Eu fiz o curso do Sayad on line, o cara é socialista sem se dar conta...


Ou então, no mesmo espírito, podemos dizer que foi o Geddel que ajudou no atual arrefecimento da inflação. Tão logo essa dinheirama que ele entesourou voltar a circular, a inflação volta a subir. ;)


Tomara que os governos mundo afora proíbam com leis inúteis a bitcoin e suas parentes, assim se transforma em um assunto delicado e exponha a nu onde a mão estatal é impossível de alcançar e assim dar o mínimo de liberdade para quem deseja transacionar sem o sistema financeiro estatal e o máximo de tripudiação para quem transaciona em moeda estatal inflacionada porque Renan Calheiros e cia assim desejam.


O brasil sempre teve essas vergonhas, oque precisa e de um governo honesto pra melhorar. Mas a questão é cade esse governo né? Esse sempre o problema do brasil!


Só o M1 de EUA, China, Japão e Zona do Euro juntos dão US$ 25 trilhões. E estamos falando apenas do dinheiro imediatamente disponível.

Tem muito chão ainda.


Concordo. Mas quem compra bitcoin "pra ficar rico" é porque ainda não entendeu absolutamente nada da proposta. O BTC nunca foi criado pra enriquecer ninguém, mas sim para proteger o indivíduo da sanha estatal (como o próprio texto faz questão de ressaltar, no que fez muito bem).

Ficar nominalmente rico com o BTC é simplesmente um efeito colateral das destruições monetárias praticadas pelo governo. Também acho que o BTC está temporariamente numa bolha e, no curto prazo, a tendência é de queda. Eu mesmo parei de comprar um pouco e estou esperando cair mais pra voltar a comprar.

Mas minha intenção nunca foi ficar rico, mas sim proteger meu patrimônio contra o estado.

Por tudo isso, você dizer que BTC é "telexfree" é algo completamente descabido.

Saudações.



Eu sinceramente não vejo o ouro (e a prata) sendo usado, para transações comerciais do dia a dia, em lugar algum do mundo. Foram justamente essas dificuldades de divisão, transporte, verificação, que deram origem ao papel-moeda: um contrato que garante uma certa quantidade de metal precioso, para ser sacado quando seu detentor quiser.

Isso deu margem ao surgimento de reservas fracionárias e manipulação, o que acabou sendo a causa do fim do padrão-ouro muito depois, em 1971. Desde então, nosso dinheiro é baseado somente na confiança.

E aí surge o bitcoin, uma moeda absolutamente segura (até hoje, fraudes e roubos foram só em exchanges e carteiras, nunca no algoritmo), que não pode ser falsificada, com taxa de inflação previamente definida em algoritmo, com oferta absolutamente previsível e impossível de ser manipulada, com criptografia tão forte que é muito mais rentável minerar do que tentar quebrar um único endereço... e extremamente fácil de ser usada: se você quiser enviar um centésimo de centavo para alguém, é só especificar o endereço e pronto: estará na carteira da outra pessoa em alguns minutos.

Enfim, embora muito provável, não digo que ela seja necessariamente a vencedora dentre as criptomoedas, mas no meu ver essa situação é irreversível. Não ligo para oscilações de curto prazo. A tendência é realmente para cima.


Acredito que o espaço para a valoração do bitcoin ainda é muito vasto. Conforme mais pessoas entram e passam a utilizar a moeda, teremos de fazer sua divisão em partes menores para viabilizar o uso, tendo como consequência a sua valoração.

Levando em conta que o preço se estabilizasse em $4000 dólares, e tendo em vista que a quantidade de bitcoins é inflexível e limitada aos 21 milhões de moedas, teríamos, somando todos os bitcoins do mundo, o valor de U$ 84 bilhões de dólares... Temos empresas que valem mais que isso.


Eu sou totalmente a favor de moedas virtuais. Mas sou contra o eterno oba-oba do brasileiro de procurar uma forma de ficar rico rápido. Infelizmente a moda da vez é o bitcoin, o novo Telexfree. Precisa arrefecer a loucura para ficar seguro de comprar.


Aliás, alguém tem notícias do patrimônio atual do Fraga? Eu lembro que ele começou a comprar BTC quando ainda custava centavos. Hoje, cada BTC vale 13 mil reais. O cara já deve estar bilionário.


Relato sensacional. Pra mim, o melhor exemplo aplicado de Bitcoin para o Brasil ainda é o que aconteceu com o Daniel Fraga. Ele fez um vídeo no YouTube criticando um juiz, e quando a justiça tentou extorquir dinheiro dele encontraram apenas 15 reais na conta bancária dele. Todo o resto já estava em Bitcoin.


Discordo. Pode até ser que caia no curto prazo (pode até cair muito no curto prazo), mas a tendência de longo prazo é pra cima. Apenas uma ínfima quantidade de pessoas ao redor do mundo usa BTC hoje, de modo que o potencial de crescimento da demanda futura é quase que infinito. Quanto mais pessoas ficarem conhecendo, mais entrarão.

Ademais, a oferta de bitcoins é escassa (bitcoins não podem ser impressos por governos). Oferta escassa com demanda crescente e o preço só tem com ir pra cima.

Aliás, na Europa, por exemplo, não faz sentido nenhum a pessao não investir em bitcoin. Lá os juros são negativos; quem deixa dinheiro no banco não só perde pra inflação como ainda tem de pagar juros pro banco. Quem é que quer uma bizarrices keynesiana dessas?! Quando o BTC se popularizar por lá, não vejo como o preço não subir.




Em junho 2016 de peguei 19 mil reais e inventei montar uma loja no Brasil. Se tivesse investido em Bitcoin, em junho 2017 (nem quero calcular agosto!), eu teria quase 102 mil reais! Mas, agora, já era! Quem investiu, investiu... BTC de agora pra frente, a tendência é cair e chegar num preço estável perto dos 2.000 dólares. Ainda mais com esse demente desse gordo da coreia.


A prova de que o Bitcoin veio pra ficar e pra desbancarizar foi o recente chilique no Twitter do CEO do JP Morgan, Jamie Dimon.

Quando um grande banqueiro vai a público xingar o bitcoin e seus usuários, e fazer papel de ridículo, é porque ele sabe que o futuro do negócio dele (uma reserva de mercado protegida pelo governo) já está traçado.


Ué, se a questão é essa ("o governo deve agir sem se preocupar com o lucro"), então ela já foi inteiramente respondida em um artigo próprio:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2761


Eduardo, eu sempre defendi o uso do ouro, mas não visualizo o ouro sendo usado na Venezuela. Ninguém vai ser maluco de sair transportando ouro pelas ruas, e mesmo o ouro não teria essa facilidade de transação. Aliás, acho que nem sequer teria igual liquidez, pois ele não é exatamente divisível e fracionável. E, principalmente, não dá pra ser transacionado eletronicamente sem passar por canais monitorados pelo governo.

No final, não vejo algo que poderia ser melhor que o bitcoin para a Venezuela. Um viva a essa tecnologia blockchain (na qual ainda não confio muito, mas confesso que é mais por ignorância mesmo).


Já eu multipliquei meu patrimônio por 8 vezes em apenas um ano e meio com Bitcoin. Enquanto os desconfiados atrasam sua entrada (inevitavelmente entrarão, pois esta é a tendência do futuro: desbancarização e abolição de atravessadores), os iniciantes lucram o tubos.

Hoje, um bitcoin custa R$ 14 mil reais. Imagina o patrimônio de quem entrou quando custava 1 centavo?


A questão foi trazida justamente por um professor de economia. É de suma importância que, se possa ser refutado, que seja. Aguardo.


Eu nem sou muito fã de bitcoin. Jamais colocaria nele toda a minha poupança, por exemplo. Ainda não confio muito no sistema. Mas devo reconhecer que para países devastados pelo governo realmente não há alternativa melhor. Se, no futuro, ele ficar conhecido apenas por ter ajudado tais pessoas, isso já será um feito digno de louvor.


Como o trabalho é obrigatório no socialismo (v. O Manifesto do Partido Comunista), se ele não fosse membro da liderança, da elite do único partido e nem loteado em algum cargo em comissão, certamente essa pessoa iria ter sua caderneta de racionamento tomada, e então, ou morreria de fome, ou seria presa no Gulag, ou seria executada (talvez sumariamente). Isto aconteceu na URSS, por exemplo.

Sobre Marx nunca ter trabalhado, ironicamente, para definição de trabalho dele, realmente ele nunca trabalhou. Ele precisaria empregar sua força para produzir os meios de seu sustento, algo que ele nunca fez. Agora, se usar o conceito geral de trabalho, ele trabalhou sim, pois foi redator em alguns jornais, embora essa não fosse nem de perto a principal fonte de sustento (quem lhe sustentava na verdade foi a Jenny e, mais para o fim da vida, Engels).


Na verdade é o contrário. Como acharam o banco clandestino do Geddel, este dinheiro que estava parado agora vai voltar a circular. Ou seja, vamos ter mais inflação por causa do Geddel...


Eu entendi a frase pq fiz faculdade de economia (infelizmente, pois deveria ter feito engenharia. Se arrependimento matasse...):

"O monopólio natural do governo não pode objetivar o lucro porque a única maneira de ter lucro é quando este monopólio é ineficiente, ou seja, com o preço e a quantidade de oferta acima do preço de equilíbrio".

Segundo a teoria keynesiana, os monopólios geram um equilíbrio de mercado onde preços são mais altos e quantidades produzidas são mais baixas do que em situações de "concorrência perfeita". Sendo assim, são ineficientes quando comparados com a "concorrência perfeita".

Além disso, ainda seguindo o raciocínio, o governo teria função social, de produzir sem pensar no lucro para prover a sociedade com serviços que vão beneficiar a todos pelas externalidades não capturáveis pelo mercado privado (ou seja, os investimentos do governo em infraestrutura, serviços de justiça, blá blá blá são para corrigir as "falhas de mercado").

Partindo das constatações acima, seguindo a linha de raciocínio keynesiana, e sabendo que o governo é um monopólio, a frase está dizendo que se o governo agir como um "monopólio empresarial", visando o lucro, vai levar o mercado para um equilíbrio de preço mais alto e quantidade mais baixa do serviço oferecido, qualquer que seja. Sendo assim, não faria sentido para o governo agir pensando no lucro pois "socialmente" ele iria criar uma situação pior. O governo deveria, portanto, agir sem se preocupar com lucro, pois a externalidade dos bens e serviços produzidos pelo governo irão exceder os custos de produção, quando vistos no "agregado social" (seja lá o que for esse "agregado")

Por gentileza, alguém poderia seguir com as críticas agora para esclarecer ao amigo Hola o motivo desse racional acima ser algo totalmente sem nexo? Infelizmente não posso me alongar mais. Agradeço antecipadamente.


Se você ler a Crítica ao Programa de Gotha, verá Marx defendendo abertamente a ditadura do proletariado e o desprezo nítido dele pelas democracias. Qualquer leitura que se faça hoje sobre o marxismo ser democrático é simples distorção do conteúdo doutrinário. E tem mentecapto que até hoje acha que ditadura do proletariado quer dizer "verdadeira democracia" (sendo que são oxímoros).


A verdade é que quem defende essa via, sob a mentalidade da guerra de manobra, é minoria na esquerda. A esquerda brasileira é muito influenciada pela guerra de posição, mais até por conveniência do que por luta pelo socialismo, pois é o que os ajuda a ter posições privilegiadas na sociedade. É bem mais cômodo ser socialista em cargo em comissão, sendo servidor público, ou recebendo dinheiro do trabalhador como sindicalista, do que pegar em armas e ir tentar sair confiscando a propriedade privada alheia — onde vão ter reação forte e vai morrer muita gente. O interesse da maioria dos líderes socialistas é lotear o estado é viver as custas destes, e não realmente implementar uma revolução. São fisiológicos antes de tudo! É o famoso "socialismo para vocês, capitalismo para mim", só que financiado com o erário público.


Floresta Amazonica, o que é mais lucrativo: um pomar altamente produtivo ou prédios em locais afastados de centros urbanos?
Um floresta com milhares de recursos naturais que podem ser repostos facilmente ou prédios em um local que não moram nem 1 milhão de índios?

Se prédios são tão rentáveis assim como você imagina, por que os fazendeiros não seguem o seu conselho e fecham seus pomares produtivos para fazer conjuntos habitacionais em locais afastados dos centros urbanos?

Desmatar uma floresta de forma irrecuperável (se isso ainda fosse possível) com potencial altamente lucrativo apenas para subir conjuntos habitacionais não faz nenhum sentido do ponto de vista econômico por dois motivos: a Amazônia possui pouca população, ou seja, não haverá procura suficiente para a oferta hipotética. E uma floresta ou um pomar produtivo é muito mais lucrativa do que prédios, além de que o custo de manutenção é mais rentável (cuidar de um pomar é muito mais barato do que cuidar de um prédio).


Alexandre Dugin?
Para ele Cuba deve ser o quê, uma democracia sui generis, uma atípica forma de soberania popular? Cara, posta esse artiguinho na Carta, vai lá.


Caríssimo,
Desculpe, mas você falou muita besteira, eu encaro sua reação diante desse artigo excelente e realista como aquela situação em que se joga pérolas a porcos, estes, de tanto chafurdar na lama, jamais reconhecerão o valor singular de uma pérola.
Suas inferências beiram o patético, com todo respeito, defendendo "cartelização" como se isso fosse algo bom, imagino que você deve comprar pão e leite numa única padaria e acha o transporte público controlado por meia dúzia de empresas acomodadas uma maravilha, não?


O que acontece hj na República Popular da China foi planejado em 1998, quando o Partido Comunista Chinês soltou um relatório alertando para o crescente abismo econômico entre o campo e as cidades e o risco, cada vez maior, do crescimento econômico sobre os recursos naturais do país. O ponto principal se embasava no tamanho da economia, que já atingira um altíssimo nível. Foram emitidas algumas recomendações:

1. Reduzir o crescimento anual do país a patamares sustentáveis, em torno de 5% ao ano;

2. Reduzir a área plantada e a produção agrícola em 20% para diminuir o impacto sobre as reservas de água;

3. Ampliar o uso de energia renovável, principalmente solar e eólica;

4. Incentivar o consumo interno por meio da revogação da Política do Filho Único e

5. Ampliar o setor de serviços com o aumento da população urbana de 60% para 80%.

O documento previa a implantação dessas políticas a partir de 2008, mas a China aceitou adiá-las por causa da crise econômica mundial causada pela quebra do sistema habitacional estadunidense. O quadro, hj, só não está pior porque Beijing ajudou a segurar a barra.

Voltando ao modelo chinês, o Partido Comunista Chinês está acima do governo e estabelece as políticas de Estado que orientam os planos quinquenais da economia. Não é um modelo rígido como o da União Soviética. As metas são gerais. Não se determina, por exemplo, que o país deverá atingir uma meta para produzir 1.999.999.999 celulares, mas que haverá um aumento na produção por meio de produção local por empresas estratégicas chinesas ou mistas.

As empresas estratégicas, e aí está o pulo do gato, têm 51% de capital do "sócio chinês", ou seja, do Estado. A premissa é de que o socialismo não prescinde do mercado, que é anterior aos modelos econômicos, mas que o socialismo se caracteriza pela posse dos meios de produção. Uma rede de supermercado não necessita de capital do governo, não é estratégica, mas uma empresa que trabalha nanotecnologia ou biotecnologia a partir de células-tronco, dois pontos fortes da China hj, Se a Apple quiser sair da China, tudo bem. A fábrica (e a tecnologia) ficam.

Retornemos à análise do sistema chinês. Vc tem, acima de tudo, o PCC, que é organizado em departamentos de Política Econômica, Relações Exteriores, Relações Trabalhistas, Segurança Interna, Defesa etc. Daí partem as diretrizes gerais. Num segundo plano está o governo, que aprova estas diretrizes no Grande Congresso do Povo, depois do exame pela Conferência Política Consultiva, que reúne os oito partidos democráticos aliados do PCC. Ou seja, temos um país que funciona internamente de maneira socialista e que participa de maneira capitalista no mercado externo.

Vou te dar um dado interessante. Com US$ 100, uma família de três pessoas consegue pagar aluguel (US$ 10), se vestir (três calças jeans no padrão Taco custam US$ 10), se alimentar (US$ 50) e ainda poupar. A educação é gratuita até chegar ao ensino superior. As universidades só são gratuitas para alunos que sempre se destacaram. O serviço de atendimento médico é extensivo à toda população e de qualidade. Por incrível que pareça, o grande problema do governo é convencer os chineses a gastar. Como a inflação é baixa, há muita poupança doméstica. Guarda-se muito dinheiro no colchão, o que duplica a poupança nacional de US$ 12 trilhões.

Com base no Poder de Paridade de Compra, o padrão de vida do chinês de classe média equivale ao de um italiano. A média salarial do país, hj, supera a brasileira.

Vou deixar claro, não acho que este modelo funcione no Brasil, mas ele explica coisas que deixam os ocidentais perplexos, como as cidades fantasmas (quem aplicou suas reservas nelas sabe que, mais cedo ou mais tarde, elas serão ocupadas)...

Um abraço.


Eu consegui viver para ver com meus olhos a esquerda defender um banco que oferece subsídios, com dinheiro dos pobres, para mega-empresários.


"e não o PORQUE a ideia de um subsidio a pequenos empresários é errado por si só."

Pois aqui vão dois artigos que explicam em detalhes por que os empréstimos subsidiados -- não importa para qual tamanho da empresa -- distorcem todo o mercado de crédito:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2407

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2751


"O monopólio natural do governo não pode objetivar o lucro porque a única maneira de ter lucro é quando este monopólio é ineficiente, ou seja, com o preço e a quantidade de oferta acima do preço de equilíbrio".

Ininteligível e totalmente sem sentido.

Sobre monopólios naturais:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=1309

www.mises.org.br/Article.aspx?id=637

www.mises.org.br/Article.aspx?id=646


Preciso de ajuda:

Peço que expliquem e/ou linkem artigos para ajudar na discussão:

"O BNDES não deve ser abolido, ele apenas deve deixar de ser um bolsa empresários-grandes e voltar a ser um auxílio a pequenas empresas competirem com grandes empresas."

Apenas encontrei artigos que comentam sobre o BNDES ser um "bolsa-empresários grandes", e não o PORQUE a ideia de um subsidio a pequenos empresários é errado por si só. Ademais, gostaria de uma forma de entrar em contato com os especialistas do Instituto sempre que tiver uma dúvida neste sentido, qual é o e-mail?

Outra:
"O monopólio natural do governo não pode objetivar o lucro porque a única maneira de ter lucro é quando este monopólio é ineficiente, ou seja, com o preço e a quantidade de oferta acima do preço de equilíbrio".


A grande maioria das pessoas querem uma vida melhor com ou sem estado.

A ideologia não faz sentido, se não trouxer melhoria na vida das pessoas.

Alguns conflitos são necessários, para tirar as pessoas da zona de conforto. Porém, o conservadoriasmo sempre deve preservar e manter as boas relações, sem criar conflitos desnecessários.

A competição do capitalismo sempre acaba trazendo mais benefícios do que prejuízos. Muita gente não consegue ver que a soma total da competição é positiva. A esquerda sempre vê o lado perdedor, e nunca reconhece o esforço e o trabalho de quem ganhou.

Ninguém vira campeão sem ter perdido uma vez na vida. O campeões são os perdedores que não desistiram.

Um bom exemplo é o Rubinho Barrichelo. Muita gente tira sarro dele, mas o sonho de muitas pessoas é ser um Rubinho. O cara ganhou milhões de reais perdendo corridas. Quem não queria ganhar milhões de reais perdendo corridas de carro ?


Se a vida fosse perfeita, o resultado é que não haveria felicidade, porque nenhuma vitória, nem derrota aconteceria.
Essa perfeição do mundo transformaria o ser humano em "robôs" ou em amebas.



Não sou economista, minha formação é engenharia, mas pelo que eu li, me parece que econometria é que nem entender sistemas de energia elétrica usando Lei de Ohm. Ou realizar experimentos de laboratório de química em Vênus e esperar os mesmos resultados.



Acredito que quando começam a ouvir mortes por violência física, o governo precisa intervir sim!


Leandro, não sou economista, sou sociologo, aposentado do BB em 2.000 - Pense aí pra mim depois me responda. O Bco do Brasil, banco executor das atividades governamentais, até hoje, 09/2017, obriga os demais bancos de depositárem todo o dinheiro existente então, na agência, que são mais de 6.000 agências no Brasil inteiro, as 16 horas, em ponto, sob pena de altas multas se isso não acontecer.
De 16 horas até às 18 horas, esse dinheiro recebido das outras agências, particulares, é contado e somado ao dinheiro da própria agencia do Bco do Brasil, e, apurado o valor existente correspondente ao movimento financeiro da cidade inteira, junto com o que já havia nele. Então as 18 horas é feita uma partida contabil transferindo esse valor para um setor no Bco Central.
Pensando bem, esse valor foi transferido para o Bco Central, mas só o valor como se diz, digital, pois o papel moeda correspondente ficou guardado no cofre do Banco Ag. Centro da cidade. Então subentende-se que esse valor foi somente o valor do lastro de ouro no tesouro nacional.
O Banco Central por sua vez tem o prazo de até 20 horas de apurar quanto em dinheiro foi transferido do Brasil inteiro, ou seja, de suas mais de 6.000 agencias do BB, é apurado quando em dinheiro o Brasil teria até aquele dia, dinheiro esse que, como sou curioso, alguns acham que esse dinheiro já em Brasilia apurado às 20 horas do dia, é depositado em contas do governo federal, sob responsabilidade da presidencia da republica, que, à noite, às vezes, até paga contas com ele e às 4 horas da manhã haverá novo balanço para verificação de quanto sobrou, para que até as 8 horas da manhã seguinte seja transferida novamente para as agencias do BB em todo terrítório brasileiro.
Essa parte de Brasilia não posso dizer nada pois não sei, mas ainda dizem que o governo federal tira dinheiro desse valor todos os dias gastando com alguma coisa, e, para não faltar, o Bco Central cria um título da divida pública e vende nas bolsas de valores, COISA QUE DEDUZO QUE HAVERÁ ASSIM AUMENTO DA DÍVIDA PÚBLICA DO PÁIS, ISTO É, SE TUDO ISSO, PARTE DE BRASILIA FOR VERDADE. POIS PARTE DA AGENCIA EU JÁ PRESENCIEI ESSA ROTINA BANCÁRIA...
Sendo assim, imagino o PORQUE OS EX PRESIDENTES FICAM LOUCOS PARA VOLTAREM AO PODER DE PRESIDENTE DA REPUBLICA, LEVANDO EM CONTA QUE, NO MEIO DE QUINTILHÕES DE REAIS, UMA RETIRADA DE 100 MILHÕES POR UM PRESIDENTE, Não é nem notado.
Leandro, verifique com seus amigos aí e apure essa parte de Bco Central de Brasilia-DF.
Só por curiosidade...






Bom, mesmo sem ter passado por uma revolução, nossos pretensos revolucionários já estão no estágio em que não passam de burocratas privilegiados que chegaram ao poder. Ponto.

Por isso eu acho que uma esse socialismo mais intenso, com confisco de propriedade mais acintoso, é improvável de acontecer. Aí vale se questionar sobre os pontos que Safatle citou: por que o PT não fez isso na primeira vez que chegou ao poder?


Boa noite.
Me peguei viciado em ler o Mises. Todo dia um aprendizado. Não sábia até então, o quanto estava aprisionado aos axiomas semânticos.
Quero agradecer a vocês por me despertar e sair da matrix.
Valeu mesmo!
Abraço

Silvio


Não. Superestrutura se refere a um conceito marxista. Marx argumentou que o modo de produção é a subestrutura de uma sociedade, e que a cultura geral é a superestrutura. Segundo ele, as pessoas se apegam a uma visão específica das leis, da ética e da política de uma sociedade somente por causa de seu comprometimento a um modo específico de produção. Se esse modo de produção for alterado, o apego das pessoas às leis, à ética e à política será alterado.

Quanto à produção militar, não há segredo nenhum. Numa economia dirigida, o governo direciona todos os recursos escassos para um único setor, no qual ocorre então uma superprodução, gerando por conseguinte escassez em todos os outros setores (que ficam sem esses recursos escassos).

Havia fartura de equipamentos militares, mas havia escassez de automóveis, geladeiras, máquinas de lavar e, claro, de alimentos.

Quem louva o poderio militar soviético, mas ignora que ele se deu inteiramente às custas do bem-estar da população (exatamente porque a economia era dirigida e não havia sistema de preços livres) revela grande desconhecimento de conceitos básicos de economia.


A "super-estrutura" do poder soviética havia colapsado.

Creio que esteja se referindo ao poder militar soviético, a maior estrutura militar de todos os tempos foi o soviético, isso não podemos negar. Era uma economia essencialmente voltada para a guerra, embora a economia restante estava fadada ao fracasso, a economia militar estava seguindo a todo vapor até a queda, várias entrevistas demonstram que o ritmo de obras era muito maior na URSS do que na Rússia ou em outros países-satélites. A estrutura naval soviética era a mais impressionante, eram 1000 navios de superfície, de 280 a 360 submarinos e tantos outros aspectos militares que rivalizava abertamente contra os EUA.


Há quase 100 anos atrás, o escritor português Fernando Pessoa (1888 – 1935) escreveu: "O comunismo não é um sistema: é um dogmatismo sem sistema — o dogmatismo informe da brutalidade e da dissolução. Se o que há de lixo moral e mental em todos os cérebros pudesse ser varrido e reunido, e com ele se formar uma figura gigantesca, tal seria a figura do comunismo, inimigo supremo da liberdade e da humanidade, como o é tudo quanto dorme nos baixos instintos que se escondem em cada um de nós." > conservadores.com.br/o-anticomunismo-de-fernando-pessoa/

"Eu me pergunto sempre: "Quais são as pessoas que curtem a esquerda e, em espécie, o comunismo?" Geralmente os fracassados, aqueles que nunca iriam conseguir chegar onde sonhavam sem a ajuda de uma corrente política que precisa de acólitos." > minutoprodutivo.com/internacional/entrevista-medico-romeno-conta-como-era-viver-num-pais-socialista

"Porém o suprassumo da cretinice é contestar a fidelidade de Lula ao comunismo mediante a alegação de que é um larápio, um corrupto. Qual grande líder comunista não o foi? Qual não viver como um nababo enquanto seu povo comia ratos? Qual partido comunista subiu ao poder sem propinas, sem desvio de dinheiro público, sem negócios escusos, sem roubo e chantagem?" > www.dcomercio.com.br/categoria/opiniao/el_mayor



Socialistas gostam da liberdade tanto quanto austríacos de uma prova de econometria.