clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


Também só compro livro físico se não tiver disponível para o formato kindle, comprado há 4 anos, aqui no Brasil.


Boa tarde a todos!
Desculpem-me se a pergunta, sou bastante leigo no assunto, gostaria de entender por qual motivo os preços sobem quando há excesso de oferta monetária, seria pelo fato de encarecer a produção o exagerado aumento da demanda? Quero dizer, como as empresas "sentem" que há necessidade de corrigir os preços? Obrigado a todos desde já.


Eu, que tenho 41 anos, não gostaria de retornar 20 anos no tempo, imagine 100 rsrs



"Não é sobre padrão de vida, é sobre poder e influência, uma preferência pessoal"

Resumindo e deixando claro, você prefere "poder e influência" a "padrão de vida".

Ok, está explicado.



BESTA VORAZ .
O benefício social da POUPANÇA é muito superior ao benefício privado do CONSUMO .
Exatamente por isso que a poupança NUNCA deve ser TAXADA com impostos diretos pessoais progressivos injustos imorais aberrantes e indignos .
"" IRS is THEFT "" = O imposto sobre o trabalho e a poupança é ROUBO .
Só a besta voraz estatista consegue destruir o incentivo certo e seguro , ao trabalho , à produção , à produtividade , à inovação , à poupança , e ao investimento , através da PILHAGEM desenfreada dos IMPOSTOS .
Só os impostos LIVRES são justos e dignos .
Só não vê quem não quer .
PENSE BEM ... pensar ainda não PAGA IMPOSTO .



Essas "agências reguladoras", que hoje estão recheadas de parasitas do $$$ alheio, é uma obra do medíocre falastrão fabiano FHC.


Se ele defende a distribuição de renda, então pra ele o imposto não deveria ser dor de cabeça, muito pelo contrário, ele deveria pagar feliz, pois está fazendo na prática o que ele defende.



A 1a palavra que o bebê brasileiro aprende: Mamãe. 2a palavra: Governo.

E o governo não gosta. Acha pouco.


O pobre, eu que não estou muito longe disso e qualquer um que seja decente e mentalmente saudável "não se sente espoliado quando o patrão aparece de carrão novo", ou quando qualquer pessoa decente, mediante meios legítimos tenha conquistado algo, seja muito ou seja pouco.

Quem fez por merecer o que tem ou teve a sorte de obtê-lo por qualquer meio legítimo deveria ser prezado por isso, e não vilipendiado.

O "pobre" poderia não precisar de trocentas parcelas para obter tudo o que você mencionou e ainda mais, se por aqui tivéssemos MAIS capitalismo. Isso JÁ acontece em países mais capitalistas que o nosso (EUA, Noruega, Nova Zelândia, Cingapura, etc.) e poderá ir muito além, desde que eles mantenham ou aprofundem o capitalismo nessas regiões.


Tal frase se refere, especificamente, ao setor tecnológico. Está escrito lá:

"Há um motivo por que as inovações quase sempre se concentram nos setores de alta tecnologia: este é um setor (ainda) relativamente pouco regulado. Burocratas, por definição, são lentos e tendem à inércia. Eles não conseguem criar regulações na mesma velocidade que o mercado cria inovações. Havendo pouca regulação, há poucas barreiras artificiais ao empreendedorismo, aos investimentos e às descobertas. O grande beneficiado acaba sendo o consumidor.

Já os outros setores da economia — mais antigos e, por isso, mais regulados — seguem engessados. Raramente surgirão inovações dali. O estado impede. [...]

Burocratas podem não ser rápidos o bastante para perceber o que realmente está acontecendo em termos de evolução tecnológica; mas, eventualmente, eles podem recorrer ao poder da caneta tentar abolir tudo. Eles detêm todo o poder destruidor do governo.


Ou seja, o setor tecnológico sempre larga na frente do governo. E a este resta apenas tentar aboli-lo.


"Eles não conseguem criar regulações na mesma velocidade que o mercado cria inovações"

Infelizmente isso não é verdade. Se fosse, veríamos o setor privado crescer mais que o setor público, e o que vemos ao redor do mundo é o contrário disso.


Se o governo regular Uber como um serviço público serão criadas várias agências municipais pra coordenar este serviço, mais concursos.



Poxa galera ...nisso eu concordo...27,5% é pra ferrar o cara....e não retorna em nada....isso é roubo. E você trabalha de graça pra Receita Federal quando faz o ajuste anual e é punido se faz errado.



Aproveitando esse mês de abril, o IMB pretende lançar artigo sobre esse roubo, humilhação e tortura psicológica (você já catou seus 3.540 papéizinhos de recibos?) que é o imposto de renda?


O que mais me irrita nessas matérias de esquerda é a arrogância deles em "falarem" por toda uma classe.
"Os trabalhadores do uber estão sendo manipulados" "...estão sendo explorados" "..precisam de proteção"

Porra! que eu saiba quem foi trabalhar no Uber foi porque quis, ou uber obriga alguém? se a pessoa concordou com as condições e ainda é livre para sair, então não há exploração. Se eles acham ruim o que o Uber oferece, então ofereça algo melhor ou cale a boca.

Afinal, nada mais irritante do que um filhinho de papai que virou jornalista achar que sabe o que é melhor para todos.


CÚPULA NECROSADA, ATOLADA PIAMENTE EM ABISMOS ETERNOS DE MENTIRAS, CORRUPÇÃO E ROUBOS ESTELARES, POR MAIS DE 13 ANOS (PT) ...


Estava olhando a expansão da base monetaria dos eua

https://fred.stlouisfed.org/series/BASE

Parece que ela se recuperou nos ultimos meses

e a inflação dos eua subiu junto..

Seria isso efeito dos bancos emprestando mais por algum aumento na confiança? Se sim, a postura anti trump Vai ser manter os juros baixos para a inflação subir e formar bolhas


Por que o IMB insiste em chamar um bando de ladrões de "governo" ?

Por que não chamam essa turma de máfia ou quadrilha ? "Governo" de quê ?

A segurança do "governo" causou recordes de pessoas baleadas. Os hospitais do "governo" são recordistas em mortes. As escolas do "governo" são recordistas em analfabetismo.

Quem acredita em governo merece ser assaltado.




Globalismo não é uma "Teoria da" Conspiração faz muito tempo.

Globalismo já uma realidade desde que quase todos os países pertencem à blocos comerciais e esses blocos comerciais (e consequentemente os países que participam desses blocos) estão subordinados à entidades de alcance mundial como ONU e OMC.

Nunca achou estranho que a partir dos anos 90 e Principalmente a partir dos anos 2000 diversas leis idênticas estarem sendo aprovadas pelo mundo inteiro mais ou menos ao mesmo tempo? Várias dessas leis recentes são criadas pelas entidades e secretarias da ONU e repassadas para as burocracias dos países (que podem ser aprovadas ou não, mas geralmente são). Isso é feito até hoje e continuará sendo feito.



André, foi exatamente isso que eu falei ai em cima. Se não fosse essa regulação, tudo poderia ter sido resolvido.


Apenas parem tudo e vejam este vídeo de 1996. Tem menos de dois minutos.

Reparem nas confissões ("se não fosse essa arma...") e relembrem uma época em que a imprensa era um pouquinho mais honesta em suas abordagens...

www.facebook.com/VotePelasArmas/videos/1760743100847681/


eu voltaria se pudesse levar comigo todo tipo de equipamento necessario, como um celular com o maior cartão micro SD de hoje, com o maximo de livros possiveis do maximo de areas possives, biologia, medicina, fisica e etc.
algo pra carregar a bateria do celular (q tb teria alguns jogos kkk) e conhecimento proprio pra n depender muito ddos livros e poder colocar mais livros de areas q n conheço.


"No Brasil, a res publica é cosa nostra." MITOU SERIAMENTE!!!!


Não é sobre padrão de vida, é sobre poder e influência, uma preferência pessoal, como destaquei desde o primeiro comentário.

Vinicius, é sim Max Ghunter, adoro esse cara, mas há iletrados que acham que é marxismo...


"Até a década de 1970, os preços das passagens aéreas nos EUA eram controlados pelo governo, que também concedia monopólios sobre determinadas rotas para determinadas companhias aéreas — as extintas PanAm e TWA lucraram exorbitantemente com esta reserva de mercado — e impedia a entrada de novos concorrentes. "


Nem faz tanto tempo assim... Muito interessante a matéria.

Agora, me restou uma duvida: os EUA foram s primeiros a promover a desregulamentação do setor aéreo?


Continuando meu post:

Por mais que você ache que as leis e regulações justificam o comportamento da empresa, olha o que aconteceu:

United muda regras após passageiro ser retirado de voo" target='_blank'>www.cenariomt.com.br/2017/04/17/united-muda-regras-apos-passageiro-ser-retirado-de-voo/"> United muda regras após passageiro ser retirado de voo

A United decidiu alterar as regras de passagens para membros da tripulação, proibindo que funcionários ocupem postos reservados por passageiros que já embarcaram.

oglobo.globo.com/economia/ceo-da-united-se-retrata-com-investidores-foi-uma-experiencia-humilhante-21221616

[...][i]CEO da companhia, Oscar Munoz, afrrmou nesta segunda-feira que a situação foi uma "experiência humilhante" e que assume total responsabilidade pelo caso.[i]

Ou seja, o próprio CEO da empresa sabe que isso tudo é preocupante e se retratará publicamente. Se o procedimento dele está correto, segundo o governo, você e um documento de 45 páginas (que é meio livro) e que os consumidores estão errados em não querer ler, então por que o CEO agiu dessa forma? Ele não deveria defender públicamente a empresa citando o referido documento e dizer que a culpa é do consumidor, pois além de quebrar contrato o mesmo é um criminoso?

Ai você mesmo diz que as pessoas estão muito emotivas, sim, estão mesmo, e com razão, e se o CEO está preocupado com esse episódio, é porque ele sabe que isso pode influenciar negativamente a empresa nos anos futuros. O CEO e você, ao assumir que as pessoas estão emotivas, acaba refutando a idéia que o poder do consumidor é uma infantilidade.

Claro, eu não espero que a empresa vá quebrar denovo por causa desse episódio, mas como disse antes, muitos consumidores passarão a evitar a empresa sempre que possivel. O fato que a empresa pelo menos se preocupou em tentar mudar as regras e consertar a situação mostra que ela tem ciência disso.





"pobre trabalhador mediano atual, vendendo seu tempo na terra realizando o sonho de outras pessoas enquanto é perseguido pelo imposto e arrasado pela inflação"

Isso é Max Ghunter não é? Ele costumava falar isso para despertar o animal investidor dentro de cada um.


"O governo federal atual como o garantidor de empréstimos feitos por investidores privados à Chrysler, mas não deu dinheiro à empresa."

Você quer dizer o governo na década de 70? Como assim como "garantidor de investidores privados"? Poderia me explicar em mais detalhes? Vale lembrar que nessa época houve o [link=jalopnik.com/these-two-ads-show-why-the-malaise-era-was-never-necess-1478545905]Malaise Era[/link], onde porcarias como os carros K da própria Chrysler foram empurrados, enquanto os americanos preferiam os carros da Toyota e Honda. Pode ver que até hoje só picapes e utilitários são preferenciais das três grandes, enquanto carros de passeio continuam em destaque Hondas Civic e Accord e Toyotas Corolla e Camry.

No Brasil, pior ainda. Por décadas o mercado era atrasado ao extremo e havia verdadeiras porcarias nacionais, como o Dodge 1800. Se não eram problemáticos, eram medíocres comparados ao restante do mundo. O Opala só saiu de linha em 1992 porque abriram o mercado. Senão iria ficar um bom tempo. Pode ver que carros permanecerem em linha por mais de dez anos são coisas de países pobres, a Kombi só saiu de linha em 2013 por causa de uma gambiarra jurídica (da qual eu sou contra) que obrigava bolsas infláveis frontais e freios antitravamento.



Ué, mas se você é mediano hoje, as chances é que você seria mediano em 1915 também.

Só que mediano em 1915 é bem pior.

E outra, se você diz isso, é porque não entendeu muito bem a mensagem do artigo. O artigo diz que você viveria de forma inferior ao seu padrão de vida atual, mesmo sendo bilionário.


Ainda estou em dúvida se esse comentário foi sério ou foi zoeira pura. Como sou um inabalável otimista na inteligência e na sanidade da humanidade, estou apostando vigorosamente na segunda hipótese.

P.S.: tendo sido a segunda hipótese, digo apenas foi genial a ironia de confundir propositalmente o sentido de "tribo" e adotar a conotação politicamente correta, dizendo que tribo se refere a todas as pessoas do mundo.


Sem contar que a declaração dele foi uma explícita confissão de derrotismo. Ele disse que preferiria viver em 1915 porque ali ele automaticamente seria "alguém de sucesso" (só não sei o que ele faria para ser alguém de sucesso), em oposição à vida atual, na qual ele é, segundo o próprio, uma pessoa "mediana" e sem sucesso profissional.


Ah, tá, era isso. Por um momento, realmente cheguei a imaginar que você fosse apresentar um pensamento minimamente original, sem clichês e lugares comuns. Realmente pensei que você fosse trazer um insight novo ou diferenciado, mostrando algo que até então havia passado em branco. Mas não.

No final, foi apenas a mesma ladainha marxista de sempre. "Ai, prefiro ser um bilionário morrendo jovem com tuberculose e sífilis a ter de passar pela suprema humilhação de trabalhar para alguém em troca de um salário".

A mentalidade da luta de classes é tão deletéria, que ela aniquila até mesmo a autoestima da pessoa, fazendo-a perder completamente a noção da realidade. Lamentável.


Faça as pergunta ao inverso,

"Você gosta de viver como um pobre trabalhador mediano atual, vendendo seu tempo na terra realizando o sonho de outras pessoas enquanto é perseguido pelo imposto e arrasado pela inflação? Mas apesar disso tem à disposição vários meios de prolongar e anestesiar este sofrimento por décadas"

"Você odiaria ser um bilionário em 1915 com tudo da época a sua disposição, morrendo prematuramente de maneira ordinária, escrevendo seu nome na história?"

Não estou ignorando a óbvia melhora em 100 anos, e dizendo que eu sim abriria mão do atual conforto para ser bilionário com todos os riscos incluídos.



E de onde vieram todos estes avanços tecnológicos? De países capitalistas. Saíram de países capitalistas coisas como o cinema (mudo, sonoro e a cores), os antibióticos, as sulfas, as vacinas, etc.
Sobram dedos nas mãos, para o número de prêmios Nobel em medicina, dados a pessoas do mundo comunista, nos últimos 100 anos.
As cleptoditaduras marxistas só sabem produzir armas (Ak-47, mig-21, etc.) e porcarias tipo carros Lada e usina atômica de Chernobyl.


Por algum motivo que me foge à compreensão, quem mais critica o capitalismo são aqueles que mais usufruem de suas benesses...


"E se, como creio ser o caso, minhas preferências não forem atípicas, então praticamente cada indivíduo de classe média é hoje mais rico do que era o americano mais rico do país há 100 anos."

No entanto, de acordo com os panfletos intelectuais de esquerda, isso ainda não basta, pois os ricos continuam sendo mais ricos que a classe média e os pobres.

É muito mais importante xingar quem tem mais dinheiro do que trabalhar e produzir para melhorar o padrão de vida dos mais pobres.



Andre, você se importaria em compartilhar os seus gostos pessoais? Juro que não quero pegar no pé, mas se sua afirmação for realmente verdadeira, então você é indiferente entre viver no Brasil ou em Cuba ou Venezuela, algo difícil de acreditar.


Bem interessante o texto!
O que faz nos pensar em como o capitalismo trouxe todas essas vantagens e confortos até para os mais pobres e graças ao capitalismo. O que também nos faz pensar que os padrões de 1915 são quase o que se tem em Cuba nos dias de hoje (com exceção de sabão, vidro e outras "tecnologias" já abundantes em 1915)


Pela sua análise quando entramos nos trens da CPTM em horário de pico voltamos ao ano de 1915, pois as pessoas fedem mais que cachorros de rua. A propósito, sabonete é do séc VI e aspirina estava nas prateleiras alemãs em 1899.


Gostaria de informações sobre nossos colegas libertários que já faz 2 meses que estão nos campos de concentração cubanos. Alguém tem noticia deles?


Essa história de Globalistas (com todos os significados que dao a essa palavra) querendo controlar o mundo em associação a esquerda, para acabar com os valores nacionais e conservadores e instituir um governo mundial, me cheira a paranóia, oriunda dessas Teorias da Conspiração ridículas encontradas na internet, coisa de artigos da Breitbart ou de videos do Olavo, ou de outro profeta do apocalipse digital qualquer.
De quem falarão mais?
Da Maçonaria? Dos Judeus? Dos Reptilianos?
Serão todos Satanistas?
Será que adoram uma cabeça de bode?
Francamente...
As vezes me sinto dentro daquele romance de Umberto Eco chamado "O Pêndulo de Foucault".
A internet criou a era da paranóia coletiva digital.
Senhor tende piedade!


Pois é, e não tem nada parecido com essa prerrogativa de a companhia aérea dispor dos assentos á revelia do pagante.

"6.9.4. Em caso de preterição de embarque, o Transportador deverá oferecer as seguintes alternativas ao Passageiro: I - a reacomodação: a) em Voo próprio ou de terceiro, para o mesmo destino, na primeira oportunidade; b) em Voo próprio, a ser realizado em data e horário de conveniência do Passageiro; Os Pnaes, nos termos da Resolução 280 da Anac, terão prioridade na reacomodação. II - o reembolso: a) integral, assegurado o retorno ao aeroporto de origem; b) do trecho não utilizado, se o deslocamento já realizado aproveitar ao Passageiro; III - a conclusão do serviço por outra modalidade de transporte."

Link: https://www.latam.com/pt_br/transparencia/contrato-de-transporte-aereo/

"(OBRIGAÇÕES DO PASSAGEIRO) 1.2. Obediência à Tripulação. Após o embarque, o Passageiro deve observar os avisos transmitidos pela tripulação da aeronave, por qualquer meio de transmissão, incluindo orais e escritos, conforme aplicável, aos quais deverá se submeter. Fica desde já esclarecido que o comandante, responsável pela operação e segurança da aeronave, tem poderes para:
I) impedir o embarque de Passageiro que: a) esteja alcoolizado ou sob ação de entorpecentes ou de substância que determine dependência ou alteração psíquica; b) não esteja devidamente trajado ou calçado;"

Link: https://www.voegol.com.br/pt/contrato-de-transporte-aereo

Se nos Estados Unidos as empresas de aviação tem tantos poderes assim, isso não deixa de ser um ponto negativo pra os states, mesmo que sob alguma alegação pós 9/11;

Pelo menos nos contratos das maiores empresas de aviação brasileiras, não consta essa sujeição compulsória do passageiro á ser dispensado do avião a qualquer momento.


Para alguns a inveja corrói mais do que a pobreza. Com um bilhão em 1915 essa pessoa teria objetivamente menos recursos materiais, mas muito mais status.



Sempre lembrando que um iPhone de quatro mil reais é obra e graça do governo brasileiro e suas tarifas de importação, carga tributária e políticas que geram desvalorização cambial. Nos países sérios, um iPhone não custa mais do que três dígitos.

No mais, sobre essas pessoas, é sempre interessante a capacidade delas de absolver a entidade que realmente as esfola (o governo) e condenar os indivíduos (empreendedores) que fornecem bens e serviços voluntariamente. As pessoas culpam o empreendedorismo (que melhora suas vidas) e dão um passe livre para o confisco da sua riqueza feita pelo governo e pelos políticos.

A única entidade que pode afetar, atrasar e atrapalhar todo esse progresso incrível, dificultando o acesso do cidadão comum a essas comodidades que melhoram seu padrão de vida, é o governo e suas políticas que destroçam a economia e o poder de compra das pessoas.


Se o avanço atual é fruto do avanço da "ciencia" é algo bem questionável. A ciencia não é garantia de avanço algum, e muitos filosofos questionam sequer se a ciencia pode nos dar o avanço que vemos hoje. Tudo pode ter sido mero fruto do bom senso que todos possuem e a ciencia pode nada ter a ver com isso, ou pode ser fruto de uma revelação. Muitos cientistas descobriram coisas dormindo, ou por acidente, ou seja, não é necessariamente a "ciencia" que nos garante avanço tecnologico.


Galera fala assim "Ai mas se nem todo mundo pode ter um IPhone 7 de 4000 reais, então ninguém pode". Mas se esquecem que um celular quantum, ou um blu, que tem preço acessível até para pobre, já é melhor do que um IPhone 4 p. ex. Qualquer celular moderno já é muito mais poderoso do que um server do tamanho de uma geladeira de 30 anos atrás. Realmente nem todo mundo pode ter uma masserati, uma ferrari ou um celular de última geração, mas se quiser ter, vai ter que desembolsar uma pequena fortuna. Não vejo problema nenhum.


"1. Os tripulantes não poderiam fazer esta viagem de carro porque existem regras de tempo de trabalho continuado para eles. Uma longa viagem de carro iria queimar horas do período ativo deles e provavelmente faria com que não pudessem fazer o voo completo ao chegar ao destino. Voando "dead-heading", o tempo de translado não conta. "

A United poderia ter acionado tripulantes de outra região.

"3. A empresa não pode oferecer no leilão benefício financeiro mais alto que o teto da FAA. O objetivo é evitar que vigaristas - que existem nos EUA como no Brasil - tentem usar o sistema de reservas das companhias para extrair "resgates" por assentos."

A United poderia ter pago passagens para seus tripulantes viajarem em um voo de outra companhia.

E por aí vai. Claro, depende da situação, mas há várias outras soluções simples para uma empresa desse porte, ao invés do uso da violência.


Grato por sua resposta.

Um advogado que quer faturar uma grana em cima da resposta emocional das pessoas dando entrevista para um veículo de quinta categoria não constitui propriamente um especialista. Especialistas de verdade estão singularmente quietos porque sabem que as pessoas estão emocionais com este assunto e não querem ouvir o que a lei e a regulação falam.

Sua analogia com a compra de um carro é engraçada, mas só isto - não tem qualquer valor legal. As companhais aéreas não "alugam" assentos. Tanto que se usam do direito de mudá-los sem a menor cerimônia. Esta tudo descrito nas 45 páginas que "o especialista" alega ter lido. No mundo da realidade legal, além da quebra deste contrato, o passageiro cometeu 3 crimes: desobedecer ao comandante (que tem poderes plenipotenciários depois que o voo abriu), mentir à polícia (ao dizer que estava indo ver pacientes, quando sua licença médica havia sido cassada) e desobedecer a uma ordem legal dada pela polícia. Há uma chance razoável de que vá parar no no-fly list e nunca mas viajará de avião nos EUA.

Eu só queria fazer as pessoas entenderem que há temas que estão sendo evitados. O resto de sua mensagem é inconsequente para este objetivo e, por esta razão, não vale a pena responder. Continue indignado - não mudará nada.


Muito bonitinho esse mundo de fantasia em que liberais e libertários vivem no Brasil.

Eu fui funça também, devidamente concursado nas esferas estadual e federal e sou liberal desde os 20 anos,época em que eu era visto como um ET e você só achava Adam Smith e Schumpeter no sebo ou em coleção de banca,estando agora com quase 43.Hoje não sou mais, mas não me envergonho desse período por dois motivos, um ideológico e outro prático.
O ideológico é porque nos lugares por onde passei no funcionalismo pratiquei no que foi possível os conceitos em que acredito, sempre sabendo que o que eu fazia ou faria nãome tornaria elegível a promoções pois eu era outsider demais praquilo. E o segundo motivo é de ordem pragmática: nasci pobre e negro numa época em que isso era dupla desvantagem. Na minha época favela não era comunidade e eu andava além do RG com a carteira de trabalho no bolso, pra evitar passear de Veraneio vascaína ou cor de argila. Precisava fazer o melhor pra melhorar a vida da minha família e percebi que um concurso público me levaria a isso mais rápido do que currículo embaixo do braço escrito "aprendo rápido" mas me apresentando com cabelinho pixaim. Assim que consegui o que me propus deixei o funcionalismo, me tornando profissional liberal e pronto. Finitá la commedia.


Adorei o texto! Faz a gente pensar em como nos evoluimos, em menos de 100 anos conseguimos coisas que seriam impensáveis!!!!! Graças ao grande capitalismo libertador! Só nao entende isso quem tem a mente muito confusa...


Não, filinho. Por mais que as regulações digam que isso é o certo a se fazer (e regulações nada mais são que canetadas de burocratas e não a palavra de um ser divino todo poderoso), o procedimento não é nada correto.

1) Se individuo A firma um contrato voluntário com individuo B, cada parte tem o dever moral de honrar o contrato. Se B não consegue honrar o contrato, cabe a ele ressarcir A. Ponto.

2) B prometeu transportar A. Se B precisa do assento (que já foi vendido para A) por algum problema interno da empresa, então isso é problema puramente da empresa. O passageiro nada tem a ver com isso. Sortear o passageiro e forçosamente removê-lo é apenas prática ruim de negócios e injustificável.

3) Você fala que preferência do consumidor é balela, pelo visto você continua frequentando restaurantes que tratam mal e te servem comida ruim por preços altos, né? Ou será que você simplesmente para de ir lá e vai pra um restaurante melhor?

Não é necessário que haja um boicote aberto e generalizado dos serviços da United, muitos consumidores, se possivel, evitarão usar o serviços da empresa (refletindo assim nas vendas), e usando apenas quando necessário ou se houver uma vantagem significativa de preço. (lembrando que ela já entrou em concordata em 2002 e foi salva pelo governo, o que é reflexo da preferência do consumidor)
Eu, pessoalmente, evito sempre que possivel usar serviços da gol, pois já tive problemas sérios com eles, então só uso quando não tenho alternativas ou a vantagem monetária é significativa. O consumidor só não consegue exercer sua preferência quando tem pouca escolha no mercado.

O problema que essa coisa do consumidor simplesmente "ir embora e nunca mais voltar" é dificil mensurar, pois o consumidor não anuncia que irá parar de usar seus serviços. Ele simplesmente não volta mais.

Agora, se as pessoas não se importam com esse tipo de coisa, já mostra que isso não é um fator decisivo para a influência na escolha delas.



É engraçado notar que, antigamente, eu realmente achava que as universidades públicas,principalmente a USP(onde estudo atualmente), eram o centro de todo saber.
Graças a deus que eu não sou o mesmo de antigamente . Ler argumentos tão vazios de uma pagina de esquerda , após ler um artigo do IMB , me fazem ter 100 por cento de certeza que estou no viés correto de pensamento e me incentivam a sempre questionar os professores (assumidamente marxistas) sobre suas ideias . Obrigado a todos do IMB pelo excelente trabalho.
[link]www.esquerdadiario.com.br/Vai-ter-Marx-sim-Nada-de-Mi-Mi-Mises


5) Errado. Esse especialista em leis aéreas disse que a United quebrou leis e contratos.

www.philly.com/philly/columnists/stu_bykofsky/United-Airlines-right-is-wrong-for-passengers-.html?mobi=true

Ademais, em termos estritamente éticos e morais, quando você paga por um assento, ele se torna sua propriedade por tempo limitado (a duração do voo). Após ter pago por um assento, você não pode simplesmente ser expulso dele (exceto caso esteja ameaçando a vida de terceiros ou caso esteja gerando incômodos aos outros passageiros). É o equivalente a eu comprar um carro e, logo depois, a concessionária tomá-lo de mim "por sorteio".

Outra coisa: uma indenização não pode ser "forçada" sobre mim. Se eu necessito com urgência fazer uma viagem, ninguém pode me obrigar a não fazê-la por 800 dólares. E se for um caso de vida ou morte? E se eu for um cirurgião indo executar uma cirurgia de emergência?

A partir daí, seus itens 5, 6, 7 e 8 se tornam destituídos de sentido.

"Acho tb que a tese de que "os consumidores mandam" e vão enterrar a empresa de um populismo infantil."

Isso não foi dito. E, mesmo que tivesse sido dito, não estaria errado.

Agora, caso nada disso aconteça e tudo continue na mesma, então isso seria simplesmente uma demonstração dos próprios consumidores de que eles não estão nem aí.

Nada de errado.

"A esmagadora maioria das pessoas não liga e vai continuar voando sem problemas - particularmente os frequent fliers, que conhecem bem as regras e tem sua própria agenda."

De novo: caso isso aconteça -- e eu concordo com você que é isso o que vai acontecer --, então isso seria simplesmente uma demonstração dos próprios consumidores de que eles não estão nem aí, e não veem problemas em dar seu dinheiro para quem os maltrata. Fazer o quê? Não há nada o que se possa fazer contra uma preferência voluntariamente demonstrada.


Livros, filmes, documentários, desodorantes, sabonetes, água encanada, pasta de dente, aspirinas, odontologia e comida farta sob demanda já estavam disponíveis? Não sabia.

Caso não sejam essas as coisas "de que você gosta" (e que não estavam disponíveis à época e das quais você diz não sentir falta), digo apenas que sou feliz (e minhas narinas agradecem) por você não estar no meu círculo de amigos.


Quando eu era criança, anos 80 e poucos, acho q era 85 a 89, não me lembro bem, eu assistia um anime chamado Macross. Eu me perguntava porque a Terra desenvolveu uma tecnologia voltada para a diversão enquanto que os Et's tinham uma tecnologia militar. Eu até entendia porque os ET's tinham uma tecnologia militar, mas eu ficava me perguntando porque nós eramos assim. Mas eu não sabia que existiam locais no mundo que se assemelhavam aos ET's. Hoje eu entendo que o capitalismo é que produziu a tecnologia voltada para o entretenimento , o conforto e melhoria do padrão de vida. Por isso os países socialistas possuíam apenas tecnologia militar, mas nada para melhorar a vida das pessoas.


1915, quase tudo que gosto já estava disponível nesta época e inclusive meu ramo de atuação.


Grato pelo artigo. Para um entendimento mais equilibrado da situação, são úteis algumas informações adicionais:

1. Os tripulantes não poderiam fazer esta viagem de carro porque existem regras de tempo de trabalho continuado para eles. Uma longa viagem de carro iria queimar horas do período ativo deles e provavelmente faria com que não pudessem fazer o voo completo ao chegar ao destino. Voando "dead-heading", o tempo de translado não conta.
2. Tecnicamente, houve overbooking sim, já que a demanda por assentos superava seu número. Tripulantes são passageiros sim e sua demanda é relevante. De fato, em algumas poucas situações, tem até preferencia sobre passageiros pagantes - este é um dos casos.
3. A empresa não pode oferecer no leilão benefício financeiro mais alto que o teto da FAA. O objetivo é evitar que vigaristas - que existem nos EUA como no Brasil - tentem usar o sistema de reservas das companhias para extrair "resgates" por assentos.
4. Como o leilão não funcionou, a United, corretamente, realizou o sorteio - procedimento padronizado e de acordo com as regras da FAA.
5. O problema começou porque um dos sorteados, contrariando o contrato que é parte integral de sua passagem, recusou-se a sair. Ao recusar uma ordem dos tripulantes e desobedecer ao comandante, cometeu um crime.
6. Neste contexto, ainda seguindo as regras da aviação, o comandante pediu à polícia do aeroporto que o retirasse da aeronave - mais que uma "conveniência", como insinuado no texto, é uma exigência legal - a companhia não tem poder de polícia para lidar com isto. Até aqui o roteiro é similar às dezenas de vezes que isto acontece todo mês na aviação americana. Invariavelmente, com a chegada da polícia, mesmo o mais persistente passageiro pega sua bagagem e sai do avião.
7. Aqui mudou tudo. Este passageiro desafiou a polícia e se recusou a cumprir uma ordem legal para sair da aeronave. Além de um crime, ele cometeu um erro grave - a polícia tem a obrigação legal de usar a força necessária para retirá-lo do avião e restituir à companhia o controle do avião. E assim o fez.
8. Ao fim e ao cabo, ele causou o problema para si mesmo, por não ler direito a situação. Ele achou que estava num destes protestos de rua, onde daria para negociar sua situação e não entendeu que, do ponto de vista legal e regulatório, ele havia "sequestrado" o avião - nem os funcionários da United nem a polícia tinha outras alternativas de ação.

É claro que é desagradável e ainda ouviremos mais sobre este assunto, mas é importante compreender que existem regras para a aviação e o passageiro as violou de forma incontornável. Foi o grande causador do problema.

Sobre o preço da ação, acho que houve uma reação exagerada e voltará ao normal em poucas semanas. Acho tb que a tese de que "os consumidores mandam" e vão enterrar a empresa de um populismo infantil. A esmagadora maioria das pessoas não liga e vai continuar voando sem problemas - particularmente os frequent fliers, que conhecem bem as regras e tem sua própria agenda. Mas posso estar errado - os próximos meses dirão...


Realmente, nada se compara. Mas com certeza foi por essa falta de conforto que muitas pessoas tinham motivação de inovar e empreender. Rockfeller, Carnegie, entre outros, por terem vindo da pobreza e falta de condições, tinham tino e ambição pra transformar o mundo ao redor deles. Hoje o excesso de conforto infelizmente tem criado homens acomodados, apáticos e sem ambição.




Como você corretamente disse, apenas uma mente esquerdista (ou seja, ignara) pode dizer que avanço científico, tecnológico e material está dissociado do capitalismo, sendo que a realidade é que é justamente o capitalismo -- e sua acumulação de capital -- quem permite o progresso científico, tecnológico e material.

Capitalismo significa acumulação de capital. E capital é tudo aquilo que gera riqueza futura. Capital é toda a riqueza acumulada — que pertence a empresas ou a indivíduos — e que é utilizada para o propósito de gerar mais riqueza futura.

Para acumular capital é necessário poupar e investir. E são os investimentos -- possibilitados pela poupança e pela acúmulo de capital -- que criam a tecnologia e o avanço científico.

No dia em que alguém demonstrar ser possível haver avanço tecnológico, científico e material sem investimentos e sem acumulação de capital, aí sim você poderá dizer que essas três coisas estão totalmente dissociadas do capitalismo.

Por que uma sociedade poupadora enriquece e uma sociedade consumista empobrece

Nós não humanizamos o capitalismo; foi o capitalismo quem nos humanizou


P.S.: se fosse verdade isso que você disse, então Sudão, Etiópia e Guiné-Bissau (países não-capitalistas e sem capital acumulado) teriam as mesmas chances de fazer avanços científicos, tecnológicos e materiais que EUA, Alemanha e Suíça.

É cada um...


* If you are bumped involuntarily and the airline arranges substitute transportation that is scheduled to get you to your final destination (including later connections) within one hour of your original scheduled arrival time, there is no compensation.

* If the airline arranges substitute transportation that is scheduled to arrive at your destination between one and two hours after your original arrival time (between one and four hours on international flights), the airline must pay you an amount equal to 200% of your one-way fare to your final destination that day, with a $675 maximum.

* If the substitute transportation is scheduled to get you to your destination more than two hours later (four hours internationally), or if the airline does not make any substitute travel arrangements for you, the compensation doubles (400% of your one-way fare, $1350 maximum).

https://www.transportation.gov/airconsumer/fly-rights


Ou seja, varia entre US$ 675 e US$ 1.350, dependendo da duração do atraso.


O texto é bem interessante, mas uma mente esquerdista diria que esse progresso é fruto apenas do avanço cientifico e não do capitalismo (que na verdade, segundo a mente esquerdista, estaria limitando os beneficios desse avanço para a população)




Estou procurando na internet esse regulamento mas não consigo achar. Alguém pode passar um link mostrando que a FAA impõe esse limite de 800 dolares? Isso parece muito estranho....


E eu tb. E uma das formas de termos mais dinheiro sobrando para ter tudo isso, é o estado deixando de roubar quase metade da nossa renda anual (inclusive de empresários). Já seria um bom começo.


Como resolver a questão exclusivista existente no capitalismo?


Deixa ver se entendi: eles estavam com voo cheio, queriam tirar alguém de bordo, ofereceram 800,00 dólares porque não poderiam oferecer mais, como ninguém quis mandaram tirar a força um passageiro. Agora a cia vale 800 milhões a menos... Se tivessem pago 8.000,00 com certeza haveria gente que iria desistir da viagem, e eles ainda estariam no lucro. Pior, eles poderiam pagar esses mesmos 8000,00 aos tripulantes da outra aeronave pra eles fazerem hora extra. Ainda estaria bom.


Então que P*##@ de grande liberal é esse que foi funça a vida toda, ajudou a criar a Petrobras e BNDS e deu suporte acadêmica a uma ditadura?


Como podem as empresas genuinamente privadas competirem contra as amigas do estado?


Os verdadeiros preços baixos na Europa advêm de empresas genuinamente privadas, como Ryanair, EasyJet, Jet2.com, Monarch Airlines, Eurowings e mais várias outras que surgiram após a desregulamentação. As grandes empresas, aquelas que têm participação estatal (como a própria Air France, cujo governo é dono de 17% da empresa), estão entre as mais caras.



na Europa os governos financia algumas empresas aéreas, certo?

Tipo Ibéria, Air France.... os preços lá serem tão baixos tem alguma coisa a ver com isso?


Jesus em certa ocasião proclama: Meu Reino não é deste mundo. Ora, quando ele é instado a se pronunciar sobre o pagamento de tributos ele magistralmente recorre à efígie cunhada na moeda, que impunha uma "propriedade" sobre aquele material.
O que deveria ser tirado como lição do "Dai a César o que é de César", e infelizmente as Igrejas fazem o oposto hoje em dia, é que deixai o que é material para o mundo e dedicai o que é espiritual às coisas do Reino dos Céus.
A monetização da fé de hoje em dia faz com que se tente dar a Deus o que é desse mundo, pois Deus já é o dono do ouro e da prata.



Pois é. E o Roberto diz ter se arrependido de ajudar na criação desses monstros, na época em que ele era um keynesiano. O Gustavo não ser considerado um herói brasileiro mostra como a esquerda venceu, dominou toda a cultura, a história.


E foi justamente isso que levou a uma derrocada momentânea na imagem e nas ações da United: uma ação irracional, descabida e sem amínima análise prévia dos resultados desta.


Quando digo que o iluminismo nada mais fez que justificar ideologicamente a transição do poder a partir da igreja católica para os bancos, e que no fim das contas éramos escravos de uma instituição religiosa e hoje somos escravos de instituições bancárias me chamam de esquerdista....


Leandro, tenho uma dúvida.

Sabendo que as empresas estatais não precisam operar de forma eficiente para sobreviverem (já que elas o fazem com o dinheiro do contribuinte), existe alguma garantia de que muitas empresas terceirizadas não seriam apenas cabides de emprego para políticos corruptos que atuariam como "empresários"?

Gostaria que me esclarecesse isso, por favor. Ao meu ver, terceirização em setor público altamente regulamentado (como é o nosso caso) seria extremamente suscetível à corrupção e sem nenhuma garantia de melhoria de serviços, uma vez que o financiamento da terceirizada é garantido pelo Estado.


Que regulamentação bizarra essa da FAA, qual o sentido disso de limitar a oferta?

Qual o argumento burocrata pra isso?
Para pra pensar: A United poderia oferecer muito mais e finalmente convencer algum consumidor a desistir, E TUDO ISSO PODERIA SER EVITADO!!

Uma mera regulamentação que limita o poder da empresa de convencer o consumidor, colaborou significativamente nesse caso. Imagine, a United ia oferecer tipo 5 mil dolares, ela ia economizar muito mais do que tirar alguém a força e causar todo o preju atual.


Brincadeira viu...


Sim e não.

O governo federal atual como o garantidor de empréstimos feitos por investidores privados à Chrysler, mas não deu dinheiro à empresa.

Condenável, sim, mas bem diferente do que fez a dupla Bush/Obama, que deu dinheiro diretamente para as três montadoras, em duplo desrespeito aos consumidores (que queriam que as empresas quebrassem) e aos pagadores de impostos (que não têm que sustentar empresas ineficientes).

https://www.thoughtco.com/chrysler-bailout-overview-3367827



No Brasil os únicos vídeos feitos através de smartphones que "bombam" na "grande mídia" são àqueles que atacam e difamam nossa polícias.
Estranho, não é mesmo ?


Leandro, se o Lula fosse reeleito em 2018 (ou algum espécime comunista no lugar dele), poderia ele fazer como fez no primeiro mandato: uma política monetária ortodoxa? A bomba estourou na Dilma e aparentemente vai inflar outra vez daqui à alguns anos.

Sobre o Jimmy, não foi ele quem salvou a Chrysler com um empréstimo gigantesco de dólares?


Postos de combustíveis (talvez o único país do mundo que ainda tenha frentistas...), serviços de encomendas (os Correios são parasitas que não são roubados por outros parasitas, enquanto as outras poucas concorrentes da iniciativa privada são obrigadas a sustentá-los, inclusive os próprios Correios), setor de telecomunicações, setor aéreo (este já foi pior, quando tinha controle de preços), setor químico, setor de cinema, setor de transportes (privado e coletivo), neste último caso, é notório ainda vermos pobres motoristas dirigindo Kias Bestas caindo os pedaços (um dos resquícios dos bons importados que impulsionaram o mercado automotivo no país na década de 90). Um dos poucos setores sem regulação estatal é o envolvendo tecnologia da informação. Área espetacular, pode ficar milionário criando um aplicativo, pena que eu não tenha essa aptidão.

O maior problema do Brasil está no sistema, incrustado por essas autarquias, órgãos e agências. Veja .



Basta criar leis duras, como na China. Os ladrões começarão a rarear. O medo falará mais alto. Condenações, servirão de exemplo.



Meus caros,

Gosto bastante dos artigos do IMB e porque até defendo o liberalismo clássico. O artigo é interessante, mas gostaria de fazer um reparo sobre este trecho do texto que considero um embuste:

Por isso, sociedades ultra-consumistas são necessariamente sociedades de subsistência. Uma tribo africana consome 100% de sua produção (renda). Como não consegue poupar, não consegue acumular capital.

Primeiro, penso que rotular uma tribo africana como consumista é um argumento fraco e falacioso, porque o consumista não é a tribo Africana, Asiática, americana ou europeia, mas sim são as pessoas, na medida em que, são as pessoas que poupam, consomem e comercializam e não as tribos ou países (como o artigo cita o exemplo de Robinson Crusoé ). Pessoas e somente pessoas são consumistas.
Como THOMAS SOWELL DIZ: não é através da Raça, etnia, países, religião e outros rótulos, que se devem recair o sucesso ou insucesso, mais sim as pessoas;

Segungo, em África existem também pessoas que poupam, acumulam capital e estão em melhores situação que outras pessoas. E como na Europa, América e Ásia, também existem que não poupam através do consumismo absoluto.

Então acho que este argumento é bastante fraco e falacioso.

ESTE é o meu humilde reparo, de um estudante do liberalismo clássico austríaco.


Os melhores Cumprimentos.


Não sei se é trollagem ou esqueceu de mudar o nick mas vou responder mesmo assim, pelos heterodoxos, os citados são encarados como liberais clássicos, criaturas inocentemente eficientes e nacionalistas e apesar de toda sorte de pensamentos e escrituras liberais que teceram, ajudaram a montar o aparato estatal atual que tanto nos aflige, Petrobras e BNDS são obras que devem muito a Roberto Campos, um liberal a serviço de aumentar eficazmente o estado.
Gustavo Franco e outros são encarados como neoliberais, criaturas que ainda não contribuíram para um estado maior e mais eficiente, afinal uma privatização mal feita ainda é diminuir o estado.