clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários



Como seria sustentado as Forças Armadas Brasileiras sem o Estado, sabendo que é impossível confiar a segurança de uma nação nas mãos de terceiros?


Excelente artigo. Irá me ajudar muito a solidificar meu ponto de vista em relação à seguridade social.


Aproveitei o sábado e o início de domingo para reler todos os artigos do IMB sobre a Venezuela que foram escritos desde 2009.E a realidade é que este presente artigo é um resumo de tudo que já foi escrito neste site.Não creio que falte nada para ser dito sobre a Venezuela aqui no IMB,assim se você quiser entender exatamente o que está acontecendo naquele país,pesquise na caixa de pesquisa o termo "Venezuela"e compreenda a realidade daquele país.Meu único receio é que a única saída para aquele descalabro é mesmo medidas liberais,o que será extremamente difícil de implementar em um país onde grande parte das pessoas se declara bolivariana.


E vc estudou história?? Onde foi feito o seu doutorado? Quais os livros que vc publicou? Brasileiro adora se gabar de possuir conhecimento...


Existem alguns princípios de diplomacia que são aplicados pelo Brasil desde a época do império.

Poucos países seguem a risca, mas estes princípios promovem a paz e crescimento dos países e da região.

Não intervenção;
Autodeterminação dos povos;
Respeito aos tratados e resolução pacifica;

Vale a pena estudar a historia desse de continente a fundo. Não é à toa que a américa do sul não é zona de guerra.
Tem um pais que representa quase metade dela promovendo a paz.

Quando estudar a história note que:

As fronteiras foram definidas de forma a demarcar e não lutar (até aproveitando a união dos reinos de Portugal e Espanha. Vai que separa depois?)

Resolver na diplomacia (2x a Inglaterra se meteu que eu lembro. A ilha que o capitão Inglês reclamou em nome da rainha e o caso dos marinheiros. 2x o Brasil arbitrou na diplomacia. A fronteira com a Argentina em Sc. Devem ter muitos outros exemplos que não lembro agora).

Se a guerra for inevitável, interna ou externa, resolva até o fim.
Vários exemplos tristes. Mas o Brasil até manteve o exercito em outro pais para garantir que o perdedor não fosse anexado. Não tem grupo separatista aqui. Nem guerrilha (as FARB).
Os dois países tiveram a vontade do próprio povo respeitada. O resultado é a paz e a estabilidade.

Devemos pensar muito bem antes de fazer besteira. Apesar dos absurdos dos últimos anos, como a ordem do cruzeiro do sul para o presidente ditador, a homenagem para o assassino psicopata revolucionário que adorava matar mas se entregou sem lutar na hora de morrer, considerando a historia toda o Brasil fica na frente de muitos países quando o assunto é diplomacia.

Não é toa que o primeiro discurso da ONU é feito por um país que nem é membro do conselho de segurança.

Quando for agir, pense no passado presente e futuro. O futuro é o mais complicado.
Nesse caso da Venezuela, o Brasil deve apoiar o povo Venezuelano pois eles vão estudar a história a não vão perdoar uma invasão sob qualquer pretesto.

Já expulsar do mercado comum do continente quem deixa faltar comida no mercado da esquina é um ótimo sinal. Na medida certa.
Talvez a mensagem não devesse ser feita no primeiro de abril, mas veja que bom, quatro países com diplomatas trabalhando juntos no sábado.

Sem ameaças ao governo que representa o país. Se os Venezuelanos precisarem de abrigo quiserem trabalhar para sustentar as familias, acolha.
Como os brasileiros são acolhidos lá fora e os estranjeiros foram acolhidos aqui e construiram o país.
Isso reforça ainda mais a paz e cooperação entre os países. Só gera mais riqueza.

Ou alguém ainda acredita que o estrangeiro rouba os empregos? Se todo mundo sair de um país sobra emprego pro último que fica? Emprego é recurso natural?

As vezes a melhor ação é sutil, parece que nada esta sendo feito, mas é o caminho.
Se você promove a guerra, você não tem mais sossego. Ameaçar também não adianta.

Ensinar é o ideal e nisso muita gente desse site está de parabéns.
Ensinar pelo exemplo é melhor ainda. Nisso a diplomacia brasileira ainda está de parabéns.

Veja as ameaças diplomáticas dos últimos anos. Tem país que não leva mais a sério o outro.
Tão ameaçando destruir cidades do outro país. Isso também não é bom. Pacificou?
Veja as intervenções externas. Vários exemplos. Estabilizou? Democratizou? Libertou?

Estude a história do seu próprio país e descubra porque esse é o segundo continente mais pacifico do mundo.
Você vai ficar surpreso de tanta coisa inteligente que vai achar.


Contribuições sobre a África atual são bem-vindas. A África do passado (até o final da década de 1980) já foi abordada aqui:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2420


Bom, como não sei se minha pergunta foi enviada, aqui vou eu de novo: Há algum interesse da equipe do Mises Brasil de escrever um artigo sobre a liberdade econômica da África?


Se nao tantas pessoas nao passariam pelo deserto e pelas fronteiras entre México e EUA para irem a procure de emprego e melhores condições de vida e muitos brasileiros se arrisca nessa travessia a à procura de melhores condições de vida.


Cadê o capital imoral que recebeu propina da Odebrecht? Quero ver ele ficar defendendo o socialismo!



Vamos supor que o governo precise de materiais de papelaria. Como evitar que ele faça falcatruas através de licitações e propinas? Como o livre mercado evitaria isso? A solução seria acabar com o Estado de vez? rs


É porque ele se insurgiu contra um governo estrangeiro e visto como "imperialista". Aí vale.


A liberdade depende do interesse das pessoas. A América Latrina virou um antro esquerdopata. Isso aqui virou uma guerra contra a liberdade e um lugar onde pessoas se vendem por migalhas.

Quando os individuaos se unem para defender a liberdade de outros individuos, a tendência é que os socialistas, comunistas, nacionalistas, bolivarianos, iluminatis, maçons e outros grupos de malucos tenham menos poder. Esses grupos sociopatas precisam ser aniquilados por conta dos inúmeros crimes que vem cometendo. O gramscismo foi adotado pelos comunistas, mas esses grupos infiltrados já existiam há décadas com a maçonaria e iluminatis.

Nosso problema é que o povo foi doutrinado para defender interesses coletivos que atropelam os individuais. O poder do individuo foi completamente destruído pelas imposições coletivistas.

Não tem jeito. A única solução é individuos defendendo a liberdade individual. Isso é a única solução capaz de frear o coletivismo.

Enfim, quem quer expropriar bens de outras pessoas não pode reclamar quando é roubado pelo governo.



É estranho como uma figura como o Tiradentes é lembrada até hoje, imaginaria que alguém que lutasse contra a máfia estatal não fosse visto como herói e sim levado ao esquecimento.


se não existe exploração, por que os trabalhadores fazem greves?

Creio que trabalhadores fazem greves porque querem ganhar mais ou trabalhar menos.

Agora faço outra pergunta:

Porque quando um empreendedor quer aumentar seus ganhos ele é mau, ganancioso e explorador, mas quando um empregado quer aumentar seus ganhos ele é uma pobre vítima explorada ?



Sua pergunta, além de completamente sem sentido, está totalmente mal formulada. Permita-me corrigi-la:

Exatamente por não querermos o socialismo, não queremos que existam impostos. O estado pode até continuar existindo, desde que ele se financie voluntariamente (quem gosta de estado e de políticos que os sustente com o próprio dinheiro, e não com o dinheiro dos outros) e não detenha o monopólio sobre nada.

Estado é roubo, assalto e espoliação, e não há nada que ele possa dar sem que antes tenha tomado. Defender um arranjo que espolia $100 e devolve $50 como algo sensato, inteligente e indispensável apenas depõe contra a sua própria inteligência.


Agora eu pergunto uma coisa, se vocês não querem o socialismo, o que fazemos com os impostos e o Estado?
Ele não serve pra nada se suga o nosso dinheiro e depois não pode devolver como socialismo ???


Quais foram? Até 1800, o mundo estava literalmente estagnado. E estava assim há séculos. No entanto, a partir de 1800, a economia mundial passou a crescer 2,5% ao ano. E, a partir de 1950, 2% ao ano.

O que gerou este repentino crescimento econômico a partir de 1800? Isto:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2509


A única coisa que me faz feliz de ser brasileiro é este dia: Tiradentes.

A frente Libertários. Que Dória vença em 2018, e mesmo não conseguindo cortar os braços do Estado, poderemos pelo menos arrancar-lhe alguns dentes.


Abraços e fé!



Você nunca verá nenhum palestrante que fala tanto sobre ética, nenhum desses filósofos celebridades, falando sobre a ética dos impostos. Nunca.



Você identificou o problema mas não busca a resolução. Você trabalha 8 horas por dia é para pagar contas, e boa parte delas não tem utilidade. Capitalismo é bom, mas em se tratando da tua renda mensal, pagar internet, TV a cabo, compra TV nova, geladeira nova, filhos na escola particular, shopping final de semana... é realmente necessário? Não é possível reduzir os gastos?

Você está trabalhando 8 horas por dia, se degastando. Isso tudo é para enriquecer. Mas enriquecer quem? O patrão, claro. Ninguém te obrigou a ser escravo de gente opressora. Você assinou um contrato de livre escola: CLT!

Largue esse emprego, ele não vale nada! Se você me disser que não tem escolha, pois trabalha para sustentar a família, aí que eu te digo para sair deste emprego, mais um motivo para buscar coisas melhores.

Todo dia tem gente ficando milionária no brasil (dados do IBGE). Gente superando as dificuldades. Sabe como? Empreendendo!

Saia do emprego, trabalhe focado para enriquecer, só que aqui será para você e não para patrão opressor.


Hoje 2017, a esquerda do PT governou e lesou o país, isso prova q nenhum sistema q não seja liveral e libertário poderá trazer benefícios ao povo.,,


Esta é a semana em que fico mais p... e ao mesmo tempo triste, durante todo o ano. Terei de entregar tudo o que ganhei no mês de abril mais uma fatia do que ganhei em março para pagar o imposto de renda. Graças aos ensinamentos religiosos que recebi, procuro ser resignado e não sofrer tanto por ter que deixar um mês e meio de lambuja pro meu inimigo nada oculto e que a cada vez mais quer mais e mais, de forma implacável!
Devido à revolta que estava nela há 5 anos atrás é que comecei a pesquisar na internet sobre esse roubo que é o pagamento de impostos e fui trazido até esse site e a partir dali, é como se eu tivesse nascido novamente. Passei a ter outra mentalidade e desde então, divulgo, como se fosse vendedor de alguma franquia, o libertarianismo, a Escola Austríaca e o quanto o estado inchado e misturado às nossas vidas nos faz um mau extremo!
Não vislumbro uma mudança muito grande em nosso país, dada a dependência que muitos dos brasileiros possuem em relação ao estado. Mas só de eu ter passado a enxergar a vida de outra forma, sou imensamente agradecido àqueles que colocaram a candeia em cima do móvel e não debaixo dele... Que outros possam ver a luz.
E viva Tiradentes (seja mito ou verdade, mas a mensagem foi dada!).


Como dizia Bastiat, isso é Espoliação legal. Segundo Bastiat, espoliação legal é, quando o estado impede o liberdade de um, para dar à outro. Quando o estado tira de um, para dar à outro. Isso tudo em forma de "lei". Isso tudo previsto na constituição. Por que sou obrigado a pagar imposto para um nordestino ter uma casa própria? Cadê minha liberdade em usar meu dinheiro como quero?


No Império do Brazil tínhamos 14 impostos e agora na república temos 94 tributos. Pela volta da monarquia parlamentar!


AHAHAHAHAHAHA!!!!

O esquerdinha sendo esquerdinha. A parte mais divertida de todo o bla-bla-blá: "Minha dignidade agora depende do agrado de estranhos? Que tipo de sistema é este onde só quem provê recebe de volta?"

Em que mundo este senhor acha que não se depende do agrado de estranhos?

Nem no sistema socialista alguém recebe de volta sem prover, cara-pálida. Salvo se for algum apaniguado do Governo, únicos favorecidos nesse regime.

O Uber é a síntese do mundo real, onde se tem que agradar ao cliente e trabalhar duro. Se fizer isso vai ganhar dinheiro.

No socialismo nem quem trabalha duro consegue crescer. O Governo decide quanto todos vão ganhar.



A prova do tempo me absolve.

Toda conspiração estadunidense que fervorosamente expus no IMB se mostrou realidade.

Espiões da CIA posicionados estrategicamente na sociedade fabricavam bolos, croissants e cupcakes (símbolos do imperialismo cultural) com trigo ilegal enquanto o povo passava fome. Saciada, a burguesia venezuelana ia mais ao banheiro e consumia o papel higiênico popular da classe trabalhadora. Em retaliação heroica à privação, os proletários tomaram cédulas de dinheiro para realizar suas limpezas rotineiras como uma crítica mordaz do sistema capitalista.

E a luta pela Venezuela segue:

Hoje mesmo morreram 10 em um microcosmo da luta de classes em uma padaria na Venezuela. Mais vítimas para o capitalismo que teima em sabotar a revolução bolivariana: g1.globo.com/mundo/noticia/saque-a-padaria-deixa-mortos-na-venezuela.ghtml


Minha sincera opinião: o Brasil caminha para ser o Zimbabwe latino.

A população não quer abrir mão de seus "direitos adquiridos", os políticos não querem sua cota de sacrifícios, ninguém protesta contra a alta carga tributária, a violência urbana virou coisa do cotidiano, a mídia vitimiza a população... Agora que temos praticamente toda a população contra a Reforma da Previdência, a sina do Brasil em ser uma nação subdesenvolvida está mais forte do que nunca.


porque eu não estou conseguindo acessar os livros aqui na biblioteca?


Você está confundindo livre mercado com estado totalitário. É exatamente num estado totalitário que um indivíduo é marcado como persona non grata e proibido de circular.

Em uma rua com milhões de carros circulando diariamente, impossível um indivíduo ser marcado, identificado e proibido de circular nela.

Mas, ok, pelo bem do debate, vamos supor que este seu cenário fictício se torne uma realidade. O que ocorreria?

1) Tal indivíduo sempre poderá utilizar outras ruas;

2) Em caso de acesso remoto -- ou seja, o hospital só é acessado por aquela rua --, os próprios donos do hospital farão um contrato com o dono da rua estipulando total liberdade de acesso a qualquer pessoa. Se não fizerem isso, o hospital ficará sem clientes e irá à falência.

Detalhe: para alguém comprar uma rua, todos os moradores e comerciantes desta rua -- seus proprietários -- têm de estar de comum acordo. Caso um único não esteja, não há negócio, pois sua propriedade -- o espaço que sua casa ocupa -- não pode ser vendida sem seu consentimento. Isso é o básico do básico.

Caso todos concordem com a venda, eles certamente farão um contrato, o qual conterá uma cláusula especificando não apenas que os moradores e comerciantes daquela rua deverão ter irrestrito acesso a ela, como também estipulando que o novo administrador jamais poderá bloqueá-la, por qualquer motivo que seja, inclusive por rixas pessoais com alguém.

Eis a palavra-chave: contrato.


"Há também o fato de que a maioria das pessoas hoje freqüenta universidades sem ter a mínima noção do que querem. Estão lá ou porque são obrigados ou porque a educação é "gratuita", no caso das universidades públicas. Dinheiro público e recursos escassos estão sendo desperdiçados em pessoas que estão lá apenas para matar o tempo e farrear — tudo por causa de uma estúpida imposição estatal. E mesmo para as que se formam, fica a pergunta: formaram-se em quê? Muito provavelmente ganharam um diploma para nada, pois dificilmente a universidade fornece o treino necessário exigido pelo mercado. O indivíduo fica lá por anos e sai sem saber fazer absolutamente nada de prático. Seria muito mais negócio se essas pessoas abandonassem a universidade e fossem trabalhar direto na área de que gostam. O aprendizado seria muito melhor, mais rápido e mais proveitoso. No caso específico do jornalismo, não é raro ouvirmos relatos de um foca que aprendeu mais em três meses de redação do que nos quatro anos do curso."

Quem sai do ensino médio sofre inúmeras pressões para cursar ensino superior. Se você tem um filho, por favor, tire-o dessa porcaria e o ensine a estudar por conta própria. O tempo será melhor realocado e ele ficará longe das infecções estatistas. Aguentei três anos de muita coisa que não adicionou valor nenhum a minha vida.

O engraçado é que, apesar de muitas universidades e faculdades não prepararem para o mercado, o que o mercado vai lá e exige? Todas as vagas exigem diplomas e/ou estarem cursando ensino superior.

Suponha que exista um empregador que precise de alguém que analise e pesquise organismos em uma reserva ambiental privada. Ele pode contratar entre um sujeito sem diploma mas que já realizou inúmeras pesquisas por conta própria com relação a área ou um sujeito com bachalerado em ciências biológicas e que este sujeito nunca fez nada além de copiar e fazer as matérias previamente elaboradas no curso. Quem ele vai contratar? O diplomado, mesmo que ele não saiba nada.


disse tudo amigo ele faz o que quiser com ela, o problema esta que isto vai tornar a vida das pessoas proibidas um caos pois imagine a situação de voce ter que levar alguem a um hospital e não puder chegar la simplesmente porque foi proibido de usar a rua, diante disso pergunto o que voce ira fazer?? isso so foi um exemplo posso citar aqui varios outros nos quais demonstro que o dono do estado privado pode atrapalhar a vida das pessoas-logico que se ele tiver prejuizo financeiro ele vai voltar atras porem se existem casos em que ele não perdera nada e podera atrapalhar a vida das pessoas que ele não gosta causando assim um transtorno serio para varias pessoas


"Até que, do meio pro fim, descobrimos que esses mesmos trabalhadores já estão formando sindicatos. Nem Freud explica isso."

Não, meu caro. Os referidos sindicatos são os sindicatos dos taxistas. Mais atenção na próxima.


(Off-topic)

Congratulações ao IMB pelo novo layout do site.

Está aprazível e organizado.


Meu mundo caiu... Que decepção!

O que um intelectual, da envergadura do Típico Filósofo, está fazendo se metendo em uma atividade tão braçal como motorista da Uber?


O Jeffrey Tucker é top, para mim talvez o autor que com mais fluidez escreve sobre liberdade. Mas extraordinariamente esse artigo tem algumas coisas difíceis de assimilar. Mas convenhamos, trata-se de uma situação bastante contraditória.

Na primeira parte do artigo, foi destacado o fato de os motoristas da Uber trabalharem proprietários, autônomos, donos do seu próprio tempo, etc. Ninguém sonha que todas as pessoas do mundo poderiam alcançar ou almejar tal condição, mas até então os motoristas da Uber eram os melhores exemplos da satisfação encontrada nesse ambiente de liberdade, como contrapeso aos trabalhadores que são protegidos por regulações. Até que, do meio pro fim, descobrimos que esses mesmos trabalhadores já estão formando sindicatos. Nem Freud explica isso.

E quanto às agências reguladoras, não são o maior ou o problema. O problema maior, e pior, é o inescapável monopólio. Nem precisa acanalhá-las, vilipendiá-las ou falar em aboli-las (no sentido lato), se o objetivo é "simplesmente" liberar o mercado. Basta ser pró-liberdade, defendendo que nenhuma empresa seja obrigada a se submeter às regulações de tais agências (ou de quaisquer outras entidades que exerçam funções semelhantes) para poder estabelecer-se e operar. Em outras palavras, é importante que essas que hoje são agências reguladoras estejam também sujeitas à concorrência, e então elas podem atuar como associações, onde as empresas se comprometem ou obedeçam a determinados regulamentos, ou oferecendo certificados, selos, etc.

Mas mais importante, como consequência disso advogar pelo esclarecimento do consumidor. Não obstante ser exatamente isto que o artigo faz. É muito mais coerente argumentar que o consumidor tem muito mais condições de desfrutar e exercer a democracia se ele estiver em um ambiente de livre mercado, onde as agências possam fazer sua propaganda, demonstrar quais as vantagens de se obter produtos ou serviços das empresas vinculadas a elas... E por aí vai. Desde que não haja monopólio, elas podem perfeitamente existir em um ambiente de livre concorrência.




"Desculpe-me a sinceridade, mas isso é postura de derrotado. "Ai, se o estado não cuidar de mim, vou acabar sendo levado a comprar uma BMW!".

Pelamor....

Propaganda é um fator de produção. É um bem de capital. É um investimento. (Agora, propaganda política, isso sim é danoso para toda a sociedade. Só tem mentira e o resultado é a entrega do poder para sociopatas)".


Já li os artigos linkados. Sobre seu exemplo, em nada condiz com que eu questionei, em momento algum imbuí ao Estado a atribuição de nos proteger dos anúncios publicitários, independente do tipo ou para qual público é destinado. Para mim, essa é a típica neurose liberal de generalizar apressadamente e definir aqueles que se contrapõem a algumas de suas visões como estatistas.

Quando alguém se dispõe a comprar uma BMW a pessoa não o faz, a priori , por conhecer os caracteres objetivos desse carro, como freio ABS, teto móvel, sensor traseiro, capacidade do tanque, etc, ou seja, pela utilidade objetiva e mensurável do automóvel. Mas sim pela sua utilidade subjetiva a qual pode englobar outras percepções individuais como, no exemplo do carro, design, status socioeconômico, mulheres, felicidade por consumir, etc. É nesse aspecto que incide a propaganda. Ao reduzir a preferência temporal do indivíduo e ampliar sua utilidade pessoal sobre certo bem, a publicidade cumpre não apenas com sua função de difundir um novo produto ou marca, mas também de induzir e manipular a consciência das pessoas para ao menos experimentarem ou propagarem ainda mais a informação da existência dessa mercadoria.

A economia, independemente da linha de pensamento, se restringe a analisar a propaganda no aspecto que lhe é devido. Nesse sentido, não questiono a percepção dos austríacos da publicidade enquanto fator necessário e legítimo de produção. Mas não se pode negligenciar esse aparato como mecanismo de interferência psicológica no aspecto individual e coletivo. É evidente que a publicidade atua no sentido de moldar a cognição de cada um ao difundir expectativas, boatos, vazamentos, informções duvidosas. Isso se deve ao fato de que é sabido que os seres humanos não são de um todo racional e autocrítico e, com efeito, estão constantemente suscetíveis à manipulações, induções, erros e acertos.

Isso é empiracamente perceptível em ocasiões como a Mega Sena acumulada, a Black Fraude (inclusive em paises do exterior) etc

Hayek, de certo modo, abordou essa temática ao afirmar que os agentes econômicos, em trocas voluntárias, não apresentem total conhecimento durante o processo de troca, embora esse beneficie ambos. No entanto, tal tema, ainda que sob a ótica marxista, foi melhor analisado e elaborado por Adorno.

Enfim, ainda não me convenceram totalmente



Off topic (mas nem tanto):

É importante os leitores do site ficarem cientes da existência do art. 318 do Código Civil:

"Art. 318. São nulas as convenções de pagamento em ouro ou em moeda estrangeira, bem como para compensar a diferença entre o valor desta e o da moeda nacional, excetuados os casos previstos na legislação especial."

É uma desgraça sem fim...


Propaganda não é danosa. Ponto.

Agora propaganda enganosa é danosa.

Simples assim.



Depois de ler os comentários aqui relativos a descriminação das Drogas vou dizer o seguinte. Eu sempre fui contra, achei uma estupidez de todo o tamanho quando os partidos políticos apareceram com essa ideia. Mas o que aconteceu foi bem diferente do que eu pensava. Resultou, mas resultou passado 1 ou 2 meses. O tráfico de Heroína caiu a pique, a canábis não é problema para ninguém, o problema é que o traficante de canábis estimula os consumidores a experimentar drogas pesadas. Então a proibição de venda e a não proibição de consumo é o contrasenso que permite a Policia apanhar os criminosos e que evita que todos os consumidores se tornem traficantes. Mas não foi só pela lei ser aprovada que resultou. Os Drogados passaram a ir ao médico sem medo de ir presos, e as doenças como hepatites, HIV, começaram a ser combatidas. Os drogados começaram a ser informados sobre saúde, higiene, contágio. Depois entrou o Ministério da Saúde com o programa da Metadona que substituiu a heroína. A Metadona tira os efeitos de ressaca e não dá efeito psicotrópico. Os drogados deixaram de ir roubar para comprar droga e o desmame da heroína feita por um Médico com metadona é rápido. Os drogados curados da dependência física foram trabalhar para os Municípios, apanhar folhas, lixo, jardinagem. Eles integraram-se na sociedade rápido. Há uma coisa, os drogados com 40/50 anos foram os primeiros a deixar a droga e com isso os vendedores de heroína quase desapareceram. Quando a Policia apanha um jovem de 20 anos com canábis notifica ele para estar presente numa sessão de esclarecimento onde lhe e dito tudo sobre a droga. E simplesmente pergunta para o jovem: A quem você comprou? E ele sem problema responde, não irá ser preso não vai testemunhar, nada. Por isso qualquer um pode denunciar traficantes sem problema.


Corrupção e incompetência é ago corriqueiro em agências públicas.

Minha mulher trabalha no SUS e vive falando isso pra mim. Como raramente são mandados embora, os médicos ficam o dia inteiro coçando o saco.


Até agora estou tentando compreender como uma empresa estatal que praticamente detém o monopólio do mercado consegue estar falida e ainda possui serviços caros.

Realmente a única utilidade de empresas estatais é servir de cabide de emprego para funças.


Você não comprou a Jequiti somente porque havia propaganda no SBT, comprou? Você assume que outras pessoas são diferentes de você e o fariam? Se sim, você usaria força para impedi-las caso quisessem comprar Jequiti?

Quem me dera que a propaganda pudesse criar escassez. Quem trabalhou com vendas sabe que para cada 50 entrevistados, um só está interessado.

Sendo assim, a meta da propaganda é conectar aquele consumidor solitário e desavisado ao meu produto pois o conhecimento não é absoluto. Exemplo:

Se eu quero investir em uma escola nova em uma cidade que não conhece meu sistema de ensino e minha marca (ou seja, não possuem conhecimento), eu preciso fazer propaganda para garantir que as pessoas saberão que meu empreendimento existe e para que eu possa conectar aos interessados quem antes eram leigos da minha empreitada. Propaganda alguma plantará na cabeça de quem não tem filhos a necessidade de fazer matrículas.


Tá vendo chifre em cabeça de cavalo. Você viu um problema mas identificou com a causa errada: apenas lembre que metade dessas 8 horas que você passa trabalhando são para pagar as contas do governo, e que ainda te obriga a seguir uma legislação rígida de trabalho que tira o teu direito de negociar o tempo de trabalho e o pagamento direto com o empregador e ainda te obriga a sustentar sindicatos com o imposto sindical. Esse mesmo governo ainda te obriga a colocar seus filhos no colégio sob a pena de ser preso para lá, longe de seus olhos, onde lá irão aprender as "maravilhas" sobre fumar maconha e do socialismo cubano. A culpa por todas as coisas que você mencionou não são do "capitalismo selvagem" e sim do estatismo galopante que nos obriga a trabalhar dobrado para sustentar um governo corrupto e mentiroso.


"Ele sabe que o estado e seus funcionários estão ali apenas para intimidá-lo, chantageá-lo e extorqui-lo, para confiscar sua propriedade e seu dinheiro. Pior: ele sabe que eles são hipócritas arrogantes e presunçosos, que afetam superioridade moral e se acham acima de todo o bem e todo o mal". Perfeito.

E o pior que a grande maioria da sociedade exalta o funcionarismo público.


Por essa lógica, nenhum shopping jamais permitiria a entrada de ninguém.

Seu erro está em não ser capitalista. Se eu fosse o proprietário de uma rua, estimularia ao máximo o estabelecimento de comércios naquela rua (ganharia muito com o aluguel) e liberaria geral o acesso de pessoas à rua. Quanto mais elas consumissem, mais o comércio ganharia, mais dinheiro de aluguel para mim.


Isso justamente acontece no horário eleitoral obrigratório. E ainda parasitas querendo mandar na sua vida.

O tempo todo as pessoas são influenciadas, inclusive você se influenciou por alguém e através disso conclui que a propaganda é algo maligno.


A propaganda é um serviço feito para que um produto seja divulgado para o público ou até mesmo criar uma demanda inexistente( vide mercado de diamantes). Não há nada de errado nisso.


Desculpe-me a sinceridade, mas isso é postura de derrotado. "Ai, se o estado não cuidar de mim, vou acabar sendo levado a comprar uma BMW!".

Pelamor....

Propaganda é um fator de produção. É um bem de capital. É um investimento. (Agora, propaganda política, isso sim é danoso para toda a sociedade. Só tem mentira e o resultado é a entrega do poder para sociopatas).

Sobre o tema da publicidade:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=431

www.mises.org.br/Article.aspx?id=1968

www.mises.org.br/Article.aspx?id=1385


-Cafezinho com Capital Imoral, post3.
No artigo desta semana, irei comentar sobre os 5 primeiros mandamentos instituídos por Deus e como o capitalismo deturpa esses mandamentos.

Os 5 primeiros mandamentos
Finalizamos recentemente, um dos momentos mais importantes para os Cristãos do mundo inteiro; A semana santa. Nada como relembrar parte dos 10 mandamentos e como o capitalismo eliminou pouco a pouco da nossa vida, essas leis divinas.

1 - Amar a Deus sobre todas as Coisas.
O mandamento mais importante instituído por Deus, é sem dúvida também, o mandamento mais odiados pelo capitalistas e neoliberais do mundo inteiro. Porque amar a Deus sobre todas as coisas, significa renunciar a si mesmo. O capitalismo vive de quebrar está regra, ele necessita que você seja um rei de sua individualidade e que tudo e todos sejam vistos como uma escolha de mercado. Deus torna-se um concorrente direto de minha marca; eu quero que você tenha olhos para minha marca, não para bíblia. A consequência, é um fenômeno que faz que você cultue outros deuses; como o deus do sexo, o deus da matéria, o deus da ideologia.

2 - Não tomar seu santo nome em vão.
Quando os homens aderiram ao capitalismo, Deus transformou-se em um nome de mercado. Em um "case" como gostam de chamar os publicitários, apenas uma imagem que concorre com outras milhares de imagens. Devido ao livre mercado de idéias que está matando todos seres humanos; a mente humana foi tão destruída pela liberdade irrestrita que os homens começaram a zombar da própria divindade. Como terei dinheiro dos homens, se eles pouco consomem, ficam o dia inteiro em reflexões interiores e leituras?. Deus tornou-se concorrente direto dos capitalistas, pois ele é a voz que diz: Não! Eu não vou consumir! Eu estou bem com o que tenho. A única opção racional que resta, é matar este Deus. Nasce assim uma máquina de difamação nas televisões, rádios, jornais, escolas, livrarias. Tudo e todos em uma liturgia comum de ódio.

3- Guardar domingos e festas de guarda.
Decaímos tanto, devido ao capitalismo, que o domingo virou dia de "descanso"; mas em seu sentido religioso, o domingo não foi instituído como dia de descanso, mas como dia de guarda. Antigamente os homens trabalhavam 6 dias, e no sétimo dia paravam por um dia inteiro para refletir sobre o que transcende o homem. Foi assim que começamos a evoluir o ser interior que habita em todos nós, tanto no sentido intelectual quanto no sentido espiritual.

Adivinha quem foi que desvirtuou tudo isso? Sim, o capitalismo. Agora o homem quer assistir um jogo de futebol no domingo, Fica o dia inteiro em frente à televisão comendo igual um porco! A mulherzinha quer ir no shopping satisfazer seu vazio interior, com a matéria e estética. O jovem quer acessar o xvideos para "relaxar". O homem de antigamente não existe mais, e não foi os socialistas que mudaram este homem.

4- Honrar pai e mãe.
Um jovem é apenas reflexo da cultura de um povo, quando o capitalismo controla à cultura e institui sua cultura consumista, os homens começam a decair. Honrar pai e mãe é um dos poucos mandamentos que ainda sobrevive nessa sociedade podre, pois em algum sentido genético, o jovem ainda tem algum respeito por sua mãe, entretanto, não posso deixar de notar que o capital tem a capacidade de até mesmo fazer os filhos se voltarem contra os pais. Tudo isso graças a ideologia do capital; deixe-me lembra-lo sobre o pai que matou o próprio filho, devido à ideologia politica: g1.globo.com/goias/noticia/2016/11/pai-mata-filho-durante-discussao-e-depois-comete-suicidio-diz-policia.html

5- Não matar
Talvez este seja o mandamento que o capital mais desvirtuou nos homens. Deus diz: "ameis uns aos outros, assim como eu vos amei". Como irei amar o meu próximo, quando nem sequer existe vida interior dentro de mim para receber está mensagem? Estou ocupado demais jogando meu playstation 4, estou ocupado demais tentando fazer sexo com a menina do facebook, estou ocupado demais cobiçando a matéria e a carne alheia. Porcos! Imundos!
Tudo isso levou o homem a matar o seu próximo, pois ele nem sequer é capaz de perceber as sutilezas da vida. Um homem mata por sexo! Um homem mata por uma moto! Um homem mata por um relógio! Um homem mata por dinheiro.

+Plus - Ovinho de chocolate para Leandrinho.
Eu não posso deixar de lembrar, sobre como o capitalismo desvirtuou uma data cristã e transformou em uma data comercial; Data está, onde sai ovos de chocolate do bumbum de um coelho. Ou você vai negar isso também neoliberal? Vai dizer que foi Kim Jong-un que criou a páscoa no Brasil? Fica evidente os malefícios da cultura capitalista dentro de uma sociedade. Não existe exemplo melhor para retratar à queda que o capitalismo nos impõe, do que está mudança de paradigma cultural. A páscoa cristã, era uma data de reflexão e guarda; refletir sobre o que? refletir sobre seus pecados; guardar o que? guardar a esperança de uma ressurreição "incorruptível". O capital simplesmente matou tudo isso e o importante agora é comer chocolate e ganhar bastante dinheiro. Não é mesmo leandrinho?


Cafezinho é uma coluna publicada toda quarta-feira pelo filósofo e escritor Capital Imoral.
Capital Imoral é filósofo, escritor e já refutou Mises.


Alguém poderia melhor me explanar sobre a propaganda na visão austríaca? Pelo o que eu entendo, os empreendedores conseguem sim moldar os anseios dos consumidores, através de variados mecanismos publicitários e psicológicos, que induzem e manipulam as pessoas para o consumo.


Mas ele não é o dono da rua? Ele faz o que quiser com a sua propriedade, é que nem a sua casa ou voce deixa as pessoas passarem a vontade por ela?



analisei varias vezes a ideia do anarquismo e por hora conclui o seguinte: seria bem melhor um mundo sem nenhum politico e sem o modelo de estado atual, porem não é possivel acabar com todas as formas de estado-podem acabar com o estado publico porem assim que ele for extinguido varios novos estados privados irão surgir-como exemplo de estado privado vou citar o dono de uma rua ele por ser o dono da rua sera o novo estado privado pois ele podera atrapalhar qualquer pessoa que precise usar a rua seja para trabalhar, morar ou simplesmente para usa-la como ponte ate chegar ao seu destino


Sem comentário. Apenas parabéns aos editores, tradutores e comentadores, todos de alto nível. Um verdadeiro oásis intelectual e ético.


Local: fazenda de americano no México (no meio do nada...)
Personagem 1: americano, de visita
...................2: empregado brasileiro
...................3: " mexicano

O mexicano reclamou ao 'boss' que estavam cansados de só terem miojo de frango todos os dias. ao que seu 'boss' respondeu: alegrem-se! neste sábado terão miojo de...CAMARÃO!
.......................................................................................................
Pois é...alegre-se! O Papa não é comunista! É socialista FABIANO!


Na China este 'Império do Medo' já impera há décadas. Em breve em todos os 'cinemas' do Brasil!


George Bernard Shaw, mencionado no artigo como 'fabiano', era um declarado eugenista, ferrenho defensor de que certas 'desprezíveis raças' humanas deveriam ser exterminadas. Como se explica então que no Brasil, através da criação dos MST, da aplicação de medidas referentes à educação (via ONU), ideologia de gênero, direitos humanos e etc. se privilegie justamente o contrário?


Fiquei um pouco confuso... Tinha me rido de um panfleto sobre a greve geral contra as reformas do governo Temer --- com frases como esta: "Os lucros dos banqueiros (...) não podem estar acima (...) da soberania da Nação" --- e lamentado pela ignorância da gente que acha que o dinheiro do governo não acaba nunca. Contudo, pelas explicações dadas aqui, o panfleto tinha mais razão do que eu pensava...



Agradeço imensamente ao capitalismo! Quanto aos empreendedores também lhes agradeço pelo capitalismo sim, mas acredito que o "capitalismo selvagem " que observamos nas empresas, vai além dos maus salários, passa tbm pelas cargas horárias altas, alguns vão dizer: altas??? , trabalhamos 8 horas por dia!!! Gente é muito! Passamos um terço de nossas vidas trabalhando, sem contar o deslocamento nas grandes cidades... e nossa família? Nossos filhos? Cada um em casa com suas tecnologias, mas sozinhos, sem a companhia de seus pais, que trabalham cada dia mais para proporcionar a sua família o melhor que o capitalismo possa oferecer! Sou grato sim ao capitalismo, mas temos que evoluir agora na busca de tempo para formarmos cidadãos melhores para diminuirmos as drogas, criminalidade e tantas outros males que afetam nossa sociedade.


Seu amigo ama o opressor da Google Store por ser alienado da sua condição de proletário e pela Síndrome de Estocolmo

Nesse caso faz-se ainda mais imprescindível separá-lo do opressor mesmo que contra sua vontade. Ele foi alienado da sua condição de proletário através da hipnose das vibrações, cliques, passarinhos e luzes saltitantes do aplicativo quase sempre posicionado muito à frente dos olhos do motorista (onde está o adicional por insalubridade previsto pelo § 1º do art. 193 da CLT?) em um ângulo escolhido por ele próprio onde a mais-valia do capitalista é maior.

Seu amigo deve entender que sua fidelidade é com sua classe (motorista do Uber), não com o burguês de 20 Megabytes e com o capital internacional por trás dele.


Pior do que o editorial do NYT é a parte dos comentários. É inacreditável o número de pessoas que acreditam que o editorial está correto e ainda vão além. O governo fez um ótimo trabalho de doutrinação. As pessoas estão incrivelmente estúpidas. Elas realmente descentralizaram toda a responsabilidade pessoal por suas vidas para o governo. Pra falar a verdade, não vejo problema nisso. Cada um faz o que achar melhor da própria vida. O problema real é querer arrastar todo mundo para o mesmo buraco. Se a pessoa não possui capacidade para cuidar da sua própria vida e fazer as próprias escolhas, que viva com isso. Mas deixe os outros em paz!


O que me intriga é como Hoppe demora tanto tempo para escrever o que poderia ser explicado em linhas


Roberto Campos e Mario Simonsen são muito respeitados pelos heterodoxos porque sempre foram muito superiores a eles. Eram indivíduos brilhantes, e suas idéias eram consistentes.

O heterodoxos obtiveram mais sucesso em impor suas práticas e preferências, especialmente porque sempre foram favorecidos pelo compadrio. Mas nenhum deles jamais poderia apagar o brilho de Campos e Simonsen.


No Brasil, além de ter de tentar prever demandas dos consumidores e tentar ser mais eficiente possível, ainda tem que aguentar amolação de sindicato, (in)justiça do trabalho, impostos, órgãos estatais reguladores, moeda que não presta e (muita) burocracia e que confunde a cabeça.

Enquanto empreender e arrumar emprego está cada vez pior, não faltam oportunidades para entrar em cargos estatais e esbanjar do espólio alheio.


Esse é o exemplo claro do que acontece em nosso pais, o governo cria "caminhos" para empresas grandes, como a Odebrecht, obterem todo o mercado de grandes construções no pais, em troca de financiamentos para campanhas eleitorais e tudo o mais. Monopólio só beneficia grandes empresas e o próprio governo, o consumidor que era pra ser o "manda-chuva" fica em segundo plano.



No gancho do seu raciocínio: Ainda argumentarão que é exatamente por essa razão que o ensino e pesquisa devem ser mantidos pelo estado. "Ensino público gratuito e de qualidade"



Que feio isso, hein! Você copiou e postou como se o comentário fosse seu, hein, Trader!

Há algo de positivo em se traduzir um trecho com idéias úteis e divulgá-lo. Mas o bom-senso, a moralidade e a honestidade intelectual exigem que se credite o trecho a quem de fato o produziu. E de preferência que se indique a fonte onde o trecho foi encontrado, para que outros também possam conferi-lo.



".......bilhões em recursos físicos e humanos até então ociosos fossem repentinamente transformados em ativos geradores de riqueza, trazendo grande satisfação ao consumidor. E, inevitavelmente, gerando grande insatisfação para governos e sindicatos protegidos por eles......."

Colocação perfeita.

EIS A QUESTÃO:LIBERDADE!! OS "GOVERNOSOS" a inveja, sensação de perda de controle,de poder e como arrecadar (GOVERNO SINDICATOS,CRIAM DIFICULDADES PARA VENDER FACILIDADES) se todos estão produzindo e consumindo e mais NÃO SAO OBRIGADOS NEM A CONSUMIR NEM A PRODUZIR,SÓ DE LIVRE E ESPONTANEA VONTADE , DE LIVRE E ESPONTANEA VONTADE,ASSUMINDO OS RISCOS , SOFRENDO OU GOZANDO OS RESULTADOS.

Lembro:EM CUBA NÃO TEM ISSO,NÃO TEM LIVRE E ESPONTANEA VONTADE DE FAZER OU NÃO FAZER,DE ENTRAR ,MUITO MENOS DE SAIR. Se em Cuba não tem então assim nao pode ser na mente deformada dos elementos socialistas,esquerdistas,petistas larapios, especialistas em CRIAR DIFICULDADES E VENDER FACILIDADES,"taxas de sucesso".

Quase dá para afirmar: se o governo,sindicatos e "trabalhistas" estão descontentes e desesperados, então a coisa esta certa, É BOA!

Outros ramos e atividades estão se dando conta que podem usar ativos "estacionados",ociosos e recursos humanos ávidos em entrar em ação eventualmente ou quando se lhes aprouver.LOGO LOGO VAMOS TER COZINHEIROS,DOCEIRAS,ETC, ONLINE ,prontos para entrar em ação,HOTEIS e hospedagens até em residências são oferecidas e o mundo será melhor sem a gigolagem do governo.




Como alguém já disse: "O comunismo conseguiu, através dos avanços tecnológicos, colocar o homem no espaço; só não conseguiu colocar carro na garagem e máquina de lavar na casa das pessoas"


Os preços sobem porque o dinheiro criado pela expansão do crédito faz todos os custos e salários subirem. Mais dinheiro entrando economia via financiamentos para investimentos faz aumentar a demanda por mão-de-obra na indústria, na construção civil, e nos setores de serviço e comércio.

Ao mesmo tempo em que uma construtora passa a demandar mais engenheiros, arquitetos, mestres-de-obras, corretores, vendedores, relações públicas etc., os setores de serviço e comércio continuam demandando com a mesma intensidade esses profissionais.

Os salários sobem.

Simultaneamente, os preços das matérias-primas e dos bens de capital (demandados para investimentos físicos) também sobem. Por fim, o maior consumo de bens de consumo (possibilitado pelos maiores salários) também leva a um aumento dos preços.

Todos os preços sobem, em maior ou menor intensidade (no início e no auge da expansão do crédito, os preços das matérias primas e dos bens de capital sobem mais que os dos bens de consumo; no final da expansão, ocorre o inverso).

Como houve expansão monetária, todo este aumento de preços e custos acaba sendo sustentado. Não tivesse havido expansão monetária, o aumento dos preços e custos teria de ser revertido.

Só que tal processo de expansão não dura para sempre. Quando ele é interrompido, começa a recessão.

Artigo inteiro detalhando este processo:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2466


Off Topic, mas não achei artigos recentes sobre meu questionamento.

Estou no primeiro semestre do curso de Direito, tenho que fazer um projeto de pesquisa científica e escolhi o tema "Leis de isenção fiscal no Ceará, e seus efeitos na geração de empregos e empreendimentos". Eu não vou fazer a pesquisa em sí, apenas o projeto de como seria a pesquisa. Eu queria usar como referencial teórico a Praxeologia, e queria achar exemplos de trabalhos científicos que usaram a praxeologia como referencial teórico.

Eu adoraria se pudessem me ajudar, até pra ajudar a espalhar a escola austríaca entre universitários.



Uma das melhores pra mim é uma que ele falou em um roda viva:

"O Brasil foi a amante que eu mais amei e a que mais me corneou"

Também outra que eu gosto muito é:

"Os números após suficientemente torturados podem chegar ao resultado que quisermos"


Para o Governo pouco importa que a UBER nos ofereça uma fonte de riqueza e a liberdade de escolha. Para esses pilantras o foco são os impostos abusivos e obrigatórios, sem mencionar o protecionismo que só favorece aos donos de ALVARÁS, onde a maioria destes são políticos e funcionários do governo. Nos obrigando a pagar preços absurdos por uma corrida de poucos km.
Esse é o jogo dos comunistas, subjugar nossa liberdade de escolha e econômica.



Bem que o Olavo fala que esse jornal não presta, e agora o Jeffrey Tucker confirma.

Penso que essa briga entre sindicatos, governo e a Uber exista contra os sites independentes da mídia esquerdista que são rotulados pela mesma de "fake news", e não é a toa que os esquerdistas estão fazendo de tudo pra controlar a internet depois da derrota da Hillary, como a dilma e a merkel fizeram pressionando o Zuckerberg pra deletar paginas liberais e conservadoras.


Tipico Filosofo, a pergunta que não quer calar: quem ti obriga a trabalhar no UBER?
E só porque você acha isso, agora tem que proibir as pessoas de trabalharem no UBER, mesmo elas estando satisfeitas e aceitando o emprego?
Eu quero entender isso, tu pode odiar esse emprego, mas quem lhe obriga a trabalhar nele?
Conheço um rapaz que ama o UBER, consegue por as contas em dia graças a ele, agora você quer proibi-lo de trabalhar no UBER só porque você esta insatisfeito?

É IRRELEVANTE isso que você ta falando, pouco importa se da dinheiro ou não, o que não pode é proibir as pessoas de ofertarem esse serviço.

Só uma duvida minha....


Em matéria de desenvolvimento e riqueza com certeza batemos outros tempos. Mas em matéria de liberdade estamos perdendo, quem leu Bertrand de Jouvenel sabe bem que o que caracteriza a humanidade nos últimos 500 anos é o crescimento absurdo do Estado e a destruição das liberdades individuais. Qualquer democracia hoje é mais tirana que qualquer monarquia medieval, só parecem melhores porque o Estado hoje tem poder de esmagar sem dificuldades qualquer reação ao seu poder e possuem meios de roubar seus suditos que são mais sutis e suscitam menos reações violentas.


Preciso como um relógio suíço Phillipe. Sua capacidade de resumir toda a destruição de capital me surpreendeu.

Parabéns.



Apresso-me em desespero de volta ao IMB depois de anos.

Devido à armadilha de liquidez e consequente baixa arrecadação de impostos gerados pela ganância dos capitalistas e conspiração midiática neo-liberal, o estado não me paga há três meses.

Circunvalado de dívidas, vi-me forçado ao demérito de ingressar na "iniciativa privada" pela primeira vez em meus 48 anos e sujeitar-me à exploração dos posseiros do capital internacional. Sim, tornei-me motorista do Uber e mal sou capaz de descrever os horrores da minha atual profissão:

a) Você é pago de acordo com as viagens que faz.

Absurdo inexprimível em palavras! E se eu não tiver condições psicológicas para realizar as viagens? Onde está meu direito à saúde e à dignidade humana previstos na Constituição? Como não posso tirar semanas remuneradas para cuidar da minha integridade física e psíquica? É um retrocesso das leis do trabalho.

O que eu sou? Um mero traste escravo dos clientes? Fico à disposição de humilhar-me e oferecer balas a eles na esperança de ganhar 5 estrelinhas em um aplicativo? Minha dignidade agora depende do agrado de estranhos? Que tipo de sistema é este onde só quem provê recebe de volta?

b) Onde está o sindicato?

Minha experiência de organização sindical: seja na CIPA, na tesouraria ou nos comícios - foi TUDO jogado aos cães. No Uber não tem sindicato. Você enfrenta sozinho o patrão: um sinistro ícone de celular que te explora impessoalmente e te aliena da condição proletário.

É uma exploração impessoal, sinistra e quase hedionda. Dá para fazer grave contra um aplicativo? Não.

O grande capital encarna em sua forma mais maligna e opressora.

c) O serviço não cessa em cortar preços.

Para engolir a competição, o capitalista de 30 Megabytes não cessa em cortar os preços para promover a competição predatória. Onde está o COPOM para regular as tarifas do Uber para garantir que as empresas nacionais possam competir? "É tecnologia nova," dizem meus colegas políticos e eu entendo. O grande capital hoje se oculta atrás da tecnologia (como o BitCoin) e explora a classe trabalhadora gozando do atraso das instituições legais.

Estamos adiante de um novo capitalismo.


O caminho das pedras é câmbio a R$ 8,00 e SELIC a 2%, só não vê quem não quer.


Obrigado pela resposta Leandro!
No caso do aumento da demanda pela expansão do crédito, o aumento nos preços ocorrerá em função, por exemplo, no aumentos de custos que uma fábrica terá para aumentar sua produção em função do aumento da demanda? É correto este raciocínio? Obrigado mais uma vez.


Poderiam responder a isso? Se puderem dar uma resposta analisando cada ponto.
É uma transcrição da fala presente no vídeo dessa menina, que parece que é desenhista:
https://www.youtube.com/watch?v=ZZ8udFzGG0c&t=11s

"Nossa, que legal esse desenho. Vou usar ele como estampa de camiseta pra vender na minha loja.

Nossa, gostei dos vídeos dessa menina. Vou criar iguais pra colocar no meu canal."

"Eu acho que pelo menos uma vez durante sua carreira, um artista vai passar por uma situação parecida. E eu acho que todo mundo aqui conhece algum artista que já foi plagiado.
Infelizmente essa é uma coisa que continua acontecendo, apesar dos nossos esforços pra tentar impedir.
Porque a gente vive numa época de "internet livre", então as pessoas realmente não entendem o limite do quanto elas podem usar qualquer coisa que elas acham na internet do jeito que elas quiserem.
E já que a gente vive num mundo onde todas essas coisas de limites são meio nebulosas. Eu vou falar aqui pra vocês o que é plágio.
Vamos pegar ajuda da nossa amiga Wikipédia:
"O plágio (diz-se também plagiarismo ou plagiato) é o ato de assinar ou apresentar uma obra intelectual de qualquer natureza (texto, música, obra pictórica, fotografia, obra audiovisual, etc) contendo partes de uma obra que pertença a outra pessoa sem colocar os créditos para o autor original. No ato de plágio, o plagiador apropria-se indevidamente da obra intelectual de outra pessoa, assumindo a autoria."

Ou seja, toda vez que você encontra alguma coisa na internet, pode ter certeza que teve um autor ou teve alguém que criou aquilo, e se fosse pegar e usar esse conteúdo sem os créditos ou sem autorização do autor, isso pode caracterizar plágio.
Eu sei o que o google parece ser, uma terra de ninguém. Muita gente usa pra fazer pesquisa de referência de imagem, enfim. Mas o google, na verdade, é só uma ferramenta de pesquisa, não quer dizer que tudo que você encontra lá é gratuito pra você usar do jeito que quiser.

E o mesmo vale pra qualquer outro tipo de conteúdo que a gente encontra na internet.

A questão é que é muito fácil você encontrar uma imagem bonitinha na internet ou de algum desenho, ou fotografia que você acha legal e de repente pega pra usar no seu blog, fazer uma postagem, ou até mesmo usar como estampa pros produtos da sua loja. Mas fácil não quer dizer que você está sendo correto.

As pessoas, no geral, sempre esquecem que existe alguém por trás desse trabalho que você achou. No caso de material artístico, tem sempre um artista por trás dessa obra que dedicou muito do seu tempo e muitos anos de estudo pra criar isso que você tá vendo aí na sua tela.

Já é muito difícil pra um artista viver nesse mundo onde a arte é desvalorizada e as pessoas não conseguem entender ou respeitar o que a gente faz. E ainda às vezes a gente tem que lidar com esse tipo de situação, de ter sua arte roubada ou plagiada.
Eu mesma já tive a minha plagiada algumas vezes, tanto nesses sites que geralmente pegam imagens aleatórias na internet pra vender como produtos, tanto como já tive diversas postagens do meu blog, que foram simplesmente copiadas e coladas num tumblr qualquer sem crédito nenhum.

É claro que sempre vai existir uma inspiração, eu me inspiro em diversos artistas e diversos canais aqui no youtube. Existe uma diferença entre você se inspirar e você simplesmente chupinhar e copiar esse conteúdo sem discriminação.
Então, finalmente, o que fazer quando você tem a sua arte plagiada?

Bom, eu acho que a primeira coisa que pode ser feita quando percebe, é tentar falar com a pessoa que fez isso. As vezes a pessoa realmente não sabe que ela tá fazendo isso e ela pode concertar tirando a sua imagem do ar, enfim. Eu acho que dá pra tentar resolver primeiro conversando.

Caso não funcione, a pessoa não reconhecer o erro dela e não tire do ar todas as suas artes, então chega o momento que a gente vai ter que partir pra justiça e a melhor coisa é consultar o advogado. Eu sei que é muito chato quando a situação chega nesse ponto, mas a gente não pode deixar essas coisas passarem como se fosse nada. "


Há vários canais de transmissão.

O mais tradicional ocorre como consequência direta da expansão do crédito: você vai ao banco, pega um empréstimo e gasta esse dinheiro adquirindo bens e serviços (seja para consumo ou para investimento). Igual a você, milhões de outras pessoas fazem o mesmo.

Este aumento da demanda -- gerado pela expansão do crédito -- leva a um aumento dos preços.

E, como houve aumento da quantidade de dinheiro na economia, este aumento dos preços acaba sendo sustentado pela expansão monetária. (Não tivesse havido expansão monetária, o aumento dos preços teria de ser revertido).

O ciclo se mantém e se perpetua.

Outra maneira é pela taxa de câmbio. O aumento da quantidade de dinheiro na economia -- causado pela expansão do crédito e pelos déficits do governo -- gera uma desvalorização da taxa de câmbio. Consequentemente, produtos importados ficam mais caros. Este encarecimento é repassado aos consumidores. Como houve expansão monetária, este aumento de preços acaba sendo sustentado. (Não tivesse havido expansão monetária, o aumento dos preços teria de ser revertido).

Há também o aumento de preços causado pela expectativa de que a inflação continuará subindo pelo simples fato de que ela subiu no passado. Comerciantes e industriais reajustam seus preços baseados nesta expectativa. Se houver expansão monetária, tais reajustes serão sustentados. (Não tivesse havido expansão monetária, o aumento dos preços teria de ser revertido).


Liberdade de entrada não significa capacidade de entrar em um dado setor. Se as pessoas não possuem a capacidade de entrar em uma determinada área da economia (porque, por exemplo, elas não possuem o capital para isso), isso não significa que a liberdade de entrada no mercado foi violada.

Por exemplo, se for necessário um investimento mínimo de, digamos, $1 bilhão, para se ter uma mínima esperança de poder competir no setor de aparelhos eletrônicos e informática, isso não significa de modo algum que tal setor não possui liberdade de entrada, ou que a minha liberdade, como indivíduo, de entrar em tal setor foi violada de alguma forma só porque eu pessoalmente não tenho a capacidade de levantar o bilhão necessário.

O fato de eu não possuir ou não poder levantar o capital necessário não implica uma violação da minha liberdade de entrada, assim como o fato de eu não possuir um canal de televisão ou um jornal, e não gozar do apoio de nenhum deles, não implica uma violação da minha liberdade de expressão ou de imprensa.

Sob quais circunstâncias a liberdade de entrada estaria sendo violada? Ela estaria sendo violada se eu realmente possuísse ou pudesse obter o capital necessário — e, obviamente, fosse também capaz de satisfazer vários outros requerimentos necessários para poder concorrer, como ter montado uma equipe com administradores capacitados e mão-de-obra qualificada, dominar conceitos tecnológicos etc. — e fosse coercivamente impedido de entrar neste setor pelo governo.

Isto seria o equivalente à censura. Tal arranjo também poderia muito adequadamente ser descrito como monopólio, pois eu estaria agora lidando com um mercado, ou com parte de um mercado, que estaria fechado para mim em decorrência do elemento essencial da iniciação de força física pelo governo — um mercado do qual fui forçosamente excluído e que, como consequência, foi transformado em monopólio de outros.


"se um empregado tem o salário de R$ 1.000,00, o que levaria o empregador a demiti-lo e contratar um MEI pagando mais do que R$ 1.000,00?"

Para começar, a lei da terceirização não é sobre isso. Em segundo lugar, isso já ocorre hoje, sendo a única maneira de se encontrar algum oxigênio numa economia completamente asfixiada pelo governo.

O problema é que você aparentemente está ignorando o essencial: o custo do empregado para o patrão não é de R$ 1.000, mas sim de R$ 2.830. Por quê? Por causa dos estúpidos encargos sociais e trabalhistas criados pelo governo.

Portanto, veja só: o empregado irá receber aproximadamente apenas R$ 900 (pois há desconto do INSS), mas seu patrão irá desembolsar R$ 2.830. Toda a diferença vai para o governo.

Um empregado, para valer a pena ser contratado, terá de produzir pelo menos R$ 3.000 para seu empregador (se ele produzir menos que isso, não valerá a pena contratá-lo, pois o custo será maior que a receita gerada). Mas este mesmo empregado só levará para casa R$ 900, pois o governo abiscoita todo o resto.

Você defende isso?

Mais ainda: por que você acha que empreendedores estão obrigados a pagar quantias totais vultosas (o fato de o trabalhador levar menos dinheiro para casa é culpa do governo) para empregados que não produzem tanto? Empreendedor não é instituição de caridade. Ele não irá contratar ninguém cujo custo total (imposto pelo governo) seja maior que a receita produzida.

"Pra mim, a vantagem é justamente você pagar metade ou menos do que pagava antes por causa dos tributos e ter o mesmo funcionário executando a mesma atividade."

Com uma diferença básica: agora, sem os encargos sociais e trabalhistas, o empregado não apenas pode continuar ganhando os mesmos R$ 900 líquidos, como pode até ganhar mais, dado que agora o empregador (contratante) não mais terá de arcar com todos os encargos sociais e trabalhistas.

"Eu sendo empregador enxergaria essa oportunidade e executaria."

E você acha que, reduzindo salários, teria mão-de-obra de qualidade? Qual você acha que seria a qualidade de seus bens e serviços produzidos? Mais: como você acha que os consumidores reagiriam às suas porcarias?

Seu comentário é típico de quem nunca empreendeu. Funcionário bom escolhe onde quer trabalhar e quanto quer ganhar, e empresário inteligente paga com gosto, pois sabe que este empregado lhe traz receitas.

"Claro que assim, poderia contratar 2 pelo preço de um, diminuiria o desemprego, mas a renda individual reduziria, ou entendi errado?"

Ué, já que é esse mamão com açúcar todo, seja coerente: tire o bumbum pesado da cadeira e vá "ser empresário" você também. Pela sua lógica, ganhar dinheiro vai ser mamão com açúcar.

Se você não fizer isso, de duas uma: ou você odeia dinheiro ou você próprio não acredita no que fala.


Nesse caso não há nada de errado. Se há uma empresa já estabelecida no mercado, se não há nenhuma barreira artificial à entrada de novos concorrentes, e se essa empresa se mantém no mercado porque sabe fornece ótimos serviços a preços baixos, então não há nada a ser corrigido. O mercado está funcionando corretamente e o consumidor está voluntariamente premiando a empresa que lhe fornece bons serviços a preços baixos.

O fato de você não conseguir entrar neste mercado livre -- talvez por falta de capital ou por falta de know-how -- não denota nenhuma falha de mercado. A realidade é que você simplesmente não descobriu uma forma de vender ainda mais barato e melhor do que a empresa já estabelecida.


Obrigado pela resposta, a teoria em si eu entendi, minha pergunta é como se da essa percepção na industria ou comércio... como que um gestor "sabe" que está na hora de subir os preços. Isso pra mim não ficou claro como que funciona na prática.


Investimento , produto de capital acumulado, em tecnologia e ciência foi o que nos deu e nos proporcionou todo nosso conforto de hoje, ou seja uma coisa boa. Garanto para você, que, se o governo ou estado, tivesse no controle do desenvolvimento tecnologico, não estaríamos nem de longe nesse patamar. De repente foi isso que ele quis dizer.


Instituto Mises Brasil me explique por favor: se um empregado tem o salário de R$ 1.000,00, o que levaria o empregador a demiti-lo e contratar um MEI pagando mais do que R$ 1.000,00? Consciência?? Pra mim, a vantagem é justamente você pagar metade ou menos do que pagava antes por causa dos tributos e ter o mesmo funcionário executando a mesma atividade. Eu sendo empregador enxergaria essa oportunidade e executaria. Claro que assim, poderia contratar 2 pelo preço de um, diminuiria o desemprego, mas a renda individual reduziria, ou entendi errado?