clube   |   doar   |   idiomas
Últimos comentários


Consequências? Absolutamente nenhuma.

A Venezuela não tem poder para nada, ninguém leva o país a sério no cenário mundial e sua produção de petróleo (100% estatal) está em queda, de modo que o país se tornou importador de petróleo (pelo qual paga em ouro).


Cuspi meu café agora. Já ia dizer que sou do levante e tô com Maduro.

Mas então eu lembrei disto:

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/2/21/Oil_exports.PNG/750px-Oil_exports.PNG
(Dado defasado de 2010)

Se a Venezuela fosse a Arábia Saudita, eu estaria preocupado. Se os EUA não tivessem gás de xisto, eu estaria preocupado. Eu só torço que a ação da Venezuela não crie um precedente que possa levar a economia americana ao colapso porque eu gosto dos EUA.

Os EUA tem muito pouco a oferecer ao mundo, na verdade. A indústria se mudou para a China. A maior riqueza americana é o dólar que os estrangeiros querem porque precisam dele para comprar petróleo. Se os produtores de petróleo abandonarem o dólar, os americanos verão uma queda abrupta no seu poder de consumo.

Mas a Venezuela não pode fazer isso sozinha. Se a Rússia e a Arábia Saudita, ignorando tudo que sabemos sobre diplomacia e política externa dos dois países, seguissem o exemplo do Maduro, aí sim haveria uma preocupação grande.

Por enquanto fica a nível de curiosidade. Entendi agora o motivo de a Venezuela ter sido colocada na lista de países com veto migratório.


Antes de 2014, esquerdistas ocidentais viviam elogiando o sistema da Venezuela. Não contentes, alguns ainda chamavam a Venezuela como "a experiência socialista mais bem sucedida". Mas de uma hora pra outra, não é mais socialismo.

www.washingtonexaminer.com/bernie-sanders-jeremy-corbyn-and-the-starving-children-of-venezuela/article/2626078

reason.com/archives/2017/05/31/noam-chomskys-venezuela-lesson

www.salon.com/2013/03/06/hugo_chavezs_economic_miracle/

www.breitbart.com/national-security/2017/05/04/ten-influential-public-figures-praised-venezuelas-descent-socialist-hell/


outro dia conversando com colegas do trabalho, ao defender autonomia para que estados ou regiões (na ocasião falávamos da Espanha mesmo), minha posição causou uma comoção negativa. Em nível pessoal as pessoas entendem que separar-se em uma situação em que ambas as partes não estão satisfeitas é válido (casamento, emprego), mas ao se falar do sacrossanto estado... perdem totalmente a visão!...


OFF: www.terraetempo.gal/artigo.php?artigo=4739&seccion=7 - Venezuela rompe com o petrodólar

"A partir desta semana o preço médio do petróleo é cotado em yuan chinês", anunciou a 15 de Setembro o ministro venezuelano do Petróleo. Pela primeira vez o preço de venda do petróleo venezuelano deixa de ser cotado em dólares.

Possíveis consequências dessa medida?



Acredito que falta maior comprometimento por parte do Banco Central para criar politicas financeiras, que atenda melhor pequenos comerciante e população em geral, onde se preocupa muito somente com o controle dos juros do mercado, enquanto muitos não resiste e fecham as portas, por que e vemos são facilidade de empréstimos as grandes empresas, e dificuldades para as pequenas e micros empresas, ainda mais nesse período de crise que muitas permanece com as portas abertas somente através de cortes de funcionários, reduzindo mais os postos de trabalho no pais. no próximo mês começa a vigora a Nova Reforma Trabalhista, vamos como será que mercado vai reagir com geração de novos empregos como esta esperando A equipe Econômica Atual... vejam a Baixo.
br.blastingnews.com/sociedade-opiniao/2017/09/o-impacto-da-nova-reforma-trabalhista-no-brasil-002013419.html


Onde se deu errado, fora devido à revolução, e não secessão.


O LULA é do sul né
Separar o SUL seria ótimo mesmo principalmente quando leio isso.
Se o SUL , poderia ser SC e RS fossem desmembrados, eles estariam muito melhor que o Brasil
O RS tem duas colonizações, o Norte e o SUL, onde o Norte é formado pelas imigrantes europeus e o Sul pelo colonização mais antiga de portugueses e escravos.
Grande maioria destes Politicos como Getulio Vargas eram da parte Sul
Já SC não tem este tipo de colonização




Se eu fosse paulista e trabalhasse em alguma indústria ligada à FIESP, jamais iria querer secessão. Quem sustenta meu emprego e meus altos salários são as tarifas protecionistas que Brasília aplica ao resto do país, proibindo nordestinos de comprar produtos baratos do estrangeiro e os obrigando a comprar produtos caros e de pior qualidade da FIESP.

As tarifas protecionistas de Brasília tornam todo o país uma reserva de mercado da FIESP, garantindo altas rendas para quem está na FIESP. Com uma eventual secessão de São Paulo, todo este mercado cativo se perderia e a FIESP se estreparia.

Nordestino trabalhador que é contra a secessão de São Paulo não entende o mais básico de economia. Sem São Paulo, não haveria mais motivos para tarifas protecionistas. Consequentemente, o nordestino trabalhador teria muito mais liberdade para importar bens baratos e de qualidade do exterior.


Sim, todos os países africanos que foram colônias britânicas e que se separaram se estreparam. Aliás, com efeito, até mesmo o Brasil se estrepou (em termos de impostos e regulamentações).

A questão, no entanto, já foi respondida no artigo: somente os envolvidos na separação é que devem determinar se querem ou não se separar, independentemente do que terceiros pensem das consequências. "Para que a defesa do princípio da auto-determinação tenha sentido, é necessário permitir que outras pessoas tomem decisões com a quais não concordemos."

Uma das coisas que gostei no artigo foi justamente o fato de ele não fazer proselitismo dizendo que toda e qualquer secessão sempre trará coisas boas para os envolvidos. Ele fala abertamente que algumas pessoas podem ficar em pior situação. E este é o ponto: não cabe a nós decidirmos; isso é exclusividade dos envolvidos. A Catalunha pode piorar após uma secessão? Sim, pode (embora isso seja totalmente subjetivo). Mas isso é algo que só cabe a eles decidir e vivenciar.


Excelente artigo. Não duvido da secessão como o melhor meio de reduzir o estado. Mas posso tentar um puxão de orelha?

"Nosso (nós libertários) objetivo deve ser o de fazer regredir poderes políticos sempre que possível, retirando-os da esfera federal e centralizadora e devolvendo-os a estados e, melhor ainda, municípios autônomos. O objetivo sempre deve ser a descentralização, fazendo com que estados grandes e centralizadores sejam menos poderosos. Barcelona sempre será menos perigosa que Madri. A legislatura de um estado americano sempre será menos temível que o Congresso em Washington."

Nós celebramos no artigo o sucesso das secessões do Panamá e do Uruguai, por exemplo; mas podemos realmente celebrar a secessão da Índia e dos países africanos?

No caso deles, a Barcelona se mostrou infinitamente pior que a Madrid e suas populações sofrem até hoje por isso. Os indicadores de padrão de vida receberam um golpe, as instituições coloniais que mantinham territórios e populações imensas usando de menos de 1000 burocratas foram jogadas fora; as liberdades pessoais e os direitos de propriedade foram para o espaço. O estado se agigantou e se tornou um chamariz para todo santo psicopata do país e de fora (URSS e EUA).

Por que algumas secessões fracassam miseravelmente e criam um estado ainda mais tirânico enquanto outras logram tanto sucesso?

(Faço a pergunta acima na esfera utilitária [haverá mais ou menos liberdade econômica?]. Concordo com o artigo quanto à ética da secessão)


Olha o que eu achei https://pt.wikipedia.org/wiki/Movimentos_separatistas_no_Brasil#Movimentos_separatistas_contempor.C3.A2neos


Ah sim, me lembrei q teve um movimento separatista em 1932



Há também um movimento de secessão no Irã por parte dos curdos atualmente.


Sim, o Brasil é um país imenso composto por várias culturas, mas isso é complemente irrelevante sobre a secessão. Secessão é sobre liberdade de associação, uma liberdade individual, que por princípio lógico deve ir até a secessão no nível individual.



Espero que esta luta, a separação Paulista, e tantas outras logrem sucesso o mais breve possível. Ganharam todos, os que se separam e os que permanecem.


As cidades da Serra Gaúcha e do interior de Santa Catarina tem uma cultura que poderia muito bem estar afinada com uma migração maciça de libertários.

Por tradição eles já tentam se livrar das garras do império há pelo menos 200 anos... Algum município próximo da Argentina, bem distante e "esquecido" pelos governos, com uma população mentalmente sadia, solo relativamente fértil e espaço para industrializar...

Se me chamar, to dentro. Já estava mesmo resoluto em deixar minha fábrica funcionando no Paraná antes de ir para os EUA...


A política é um indicador retardatário. A política segue a cultura. A cultura comanda, a política segue. Não haverá nenhuma mudança política enquanto não houver uma mudança filosófica, educacional e cultural. Ao longo dos últimos 100 anos, a mentalidade estatizante assumiu o controle da educação, da mídia, das artes, da literatura e da cultura popular — e assim, em consequência disso, eles tomaram o controle da política. Não ocorreu ao contrário. Primeiro houve a mudança cultural, depois a veio a política.

É por isso que o movimento libertário tem de ser uma batalha pelos corações e mentes. Tem de ser uma revolução intelectual de ideias, pois, neste exato momento, as ideias ruins estão dominando o mundo. Não é possível esperar que ocorra um milagre político libertário em uma sociedade não-libertária.

O libertarianismo jamais será um movimento político de massa, isto é, defendido pela maioria da população. Várias pessoas sempre irão defender o estado, e não devemos nos iludir quanto a isso. Pode ser por causa de traços genéticos, de fatores ambientais, de influências familiares, de uma escolaridade tendenciosa, ou simplesmente por causa de um inato desejo humano de querer a ilusão da segurança.

No entanto, será um erro fatal querer diluir a nossa mensagem apenas para buscar aprovação de pessoas que automaticamente serão sempre contra nós. Será uma perda de tempo e energia preciosos.

O que é importante não é tentar convencer aqueles que fundamentalmente discordam de nós, mas sim tentar sair do controle político deles.

É por isso que a secessão é uma abordagem taticamente superior: é muito menos hercúleo convencer pessoas de mentalidade pró-liberdade a sair de um arranjo estatal do que convencer aqueles de mentalidade estatista a ignorar o estado.

A secessão não é uma questão de maiorias ou minorias, mas sim de indivíduos.


Separação é solução fácil, ao contrário da Catalunha e regiões da Itália historicamente separadas que estão recentemente unificadas na base da canetada, ao Brasil pouco ou não se aplica, o principal argumento é a obvia exploração perpetrada por Brasília sobre as regiões mais produtivas. O momento de estabelecer um novo e mais municipalizado pacto federativo é agora pois nenhuma secessão se dá indo com o povo indo votar e têm o resultado desejado.
O caminho mais comum é: Guerra civil, genocídio, separação de facto com limitadíssimo reconhecimento internacional, boicote internacional, reconstrução anêmica e normalização, enquanto isso toda a população qualificada não ufanista vai embora para paragens mais pacíficas.


Troque reais por bitcoins e estará fazendo a "secessão" econômica, sem precisar ir morar em um local ermo.


É por isso que, apesar de me considerar um libertário (crer e tentar viver o princípio da não agressão), pragmaticamente já ficaria muito feliz com o seguinte cenário para o Brasil:

1) Novo pacto federativo: para dar verdadeira autonomia administrativa para estados e, principalmente, municípios (a justificativa para isso é histórica e cultural: há muitos brasis dentro do Brasil!).

2) Reforma tributária: os impostos passariam a ser coletados pelas prefeituras e só então enviados para o governo estadual e, por fim, para Brasília (aqui a ideia é para que o prefeito faça de um tudo para manter o dinheiro perto).

3) Alteração na constituição: para permitir a existência de cidades com exclusão de regras, tais como as cidades privadas de Honduras. Seria uma espécie de Zona Franca, mas mais franca e menos zona. Mesmo que o congresso tenha que aprovar cidade a cidade, mesmo que apenas uma fosse criada, o seu sucesso seria o exemplo para as demais cidades que vão querer imitar.

4) Alteração na constituição: para por um teto no déficit nominal do governo, bem como limitar a carga tributária a meros 20% do PIB (o quinto dos infernos, mas melhor que os 2/5 que vivemos hoje).

E tais pautas nem são assim tão longe de serem conseguidas...


Se o Brasil fosse realmente uma federação e assim praticasse o princípio da subsidiariedade, as eleições para prefeito seriam mais importantes do que as para presidente. As pessoas seriam mais responsáveis, produtivas e "antenadas".

Aliás, isso vale para qualquer país.


Desde criança eu sonhava com a separação do Sul do resto do país. Hoje, como vivo aqui em Campo Grande-MS, e após conhecer o libertarianismo e ter me aprofundado nos temas, incluindo o da secessão, meu desejo é ainda maior.

Primeiro, porque Campo Grande, mesmo não tendo uma grande população (está por volta dos 800 mil), é uma cidade cercada de fazenda e mato em sua volta, nem região metropolitana tem. Aqui é um dos poucos lugares em que a crise afetou menos a população, pois o agronegócio é bastante forte.

Em nível estadual, o governo daqui tem um viés bem ''menos estatista'' do que muitos outros que já vivi (SC e RS).

Um dos problemas é conseguir influenciar as pessoas nessa ideia. Outro grande problema é que, ao contrário de Sul e Sudeste, o governo daqui recebe exatamente o que paga de impostos ao governo federal. Ou seja: não é explorado como o sul e sudeste e nem privilegiado como o nordeste. Então esse sentimento de revolta contra Brasília que se tem nos paulistas e sulistas já não ocorre.

Penso em criar um grupo, nem que seja pra disseminar essa ideia da secessão. Mas, infelizmente, embora seja excelente, a ideia é praticamente utópica no curto prazo. Acho que a única maneira é realmente a informação.

Só quando todos os cidadãos souberem do que se trata a tal "união", quando souberem que somo uma colônia gigantesca de Brasília, é que poderá haver secessão. Enquanto isso não ocorre, acho que um novo pacto federativo seria uma boa. Mas é claro que isso não é do intere$$e dos políticos. Continuo fazendo meu trabalho aos poucos e alertando sobre o quanto o governo federal nos rouba, como os municípios (principalmente) e os estados são escravos deste esquema, e o quão rico esse lugar seria se houvesse liberdade econômica. Infelizmente esse me parece ser o único caminho. Ainda bem que estamos entrando em uma era de cada vez mais acesso à política e economia através da internet. Quem sabe daqui uns 30 anos, a mentalidade do brasileiro seja outra...


Alguém sabe os motivos do DogeCoin não subir?

Seria a oferta monetária muito alta?


Já morei no Norte, Nordeste , Sudeste e já andei muito no sul e no centro-oeste. Nestes locais vi várias culturas diferentes e bem definidas. Uma língua comum não significa um mesmo pais. Nem a continuidade territorial.

Talvez as pessoas que moram numa coisa chamada Brasil sempre tiveram a vontade de viver em separado.

Constitucionalistas de 1932, farrapos, cabanagem, fora aqueles que foram vencidos pelo poder da coerção estatal central representaram o desejo de se separarem, muito antes desta zona que está hoje instalada.

Seria um bom debate esta idéia de secessão.

Que tal um plebiscito :

A) poder centralizado ( já falido);

B) pacto federativo;

C) secessão.

Talvez a população não esteja preparada para o debate. Mas quando vc anda pelo Brasil vê vários países num só.

Pode ser viagem minha, mas como há várias culturas, o brasileiro não se identifica com os políticos que em tese deveriam representa-lo pois não existe vínculo. Talvez isso contribua com a falta de cobrança da maioria da população e a coisa fica virando mais uma torcida de futebol do que um debate mais apurado e profundo.

Abs a todos


varios estados brasileiros tem seus movimentos separatistas:
MG, SP, RJ, ES, PE, CE são os que me lembro agora, de cabeça


Entendi a ironia, mas também gostei da resposta por contrastar as falaciosas políticas de intervencionismo tarifário com o livre mercado incipiente do início do século XX.
Fico imaginando o quão diferente seria nosso país se tivéssemos acertado neste início ou, de outra forma, se o real interesse do povo tivesse prevalecido nos primeiros conflitos do mercado.


Eu, sendo um bom Paulista, luto ativamente pela independência do Rio de Janeiro.


No Brasil não. Impossível, gasto inútil de energia querer mudar o Brasil.
Agora em algum país da América Portuguesa, aí sim é possível. Secessão é o único caminho viável.



Quais são, me desculpe a ignorância? O Sul seria uma, mas não sei de outras.


Secessão faz bem e muito, incluindo na eterna atrasada América do Sul , Uruguai se separou do Brasil em 1825, Panamá se separou da Colômbia em 1903 e a região do extremo norte chileno Arica se separou do Peru e se juntou ao Chile em 1929. Todas estas regiões estão em melhores condições econômicas que o outro lado da fronteira desenhada.
O único lamento é a inocência dos catalães em acreditar que tal processo se dará sem derramamento de sangue.


Todo e qualquer movimento separatista é legítimo. Não há argumentos a favor de manter alguém submisso a um governo que ele não reconhece.

No caso da secessão do Sul seria melhor ainda, pois assim eles parariam de mandar lixos para o Congresso nacional. Os piores petistas do país são os gaúchos e os paranaenses. E depois vem os de São Paulo. Esses petistas do Sul conseguem ser piores que os coronéis enviados pelo Nordeste.

Livrar o resto do Brasil dessa gente seria um enorme favor.


Ótimo texto,
Gostaria de perguntar se o movimento separatista proposto pelo "Sul é meu país" seria, portanto, legítimo?


Muito bom e esclarecedor artigo.
Aqui nesta américa portuguesa (brasil) existem várias nações que também serão independizadas,é só uma questão de tempo.


Mas ninguém defendeu a duplicação de instalações. Leia de novo o primeiro link acima.


Gostaria de ver um exemplo prático da duplicação de instalações, sejam elétricas, hidráulicas, de gás, com a tecnologia disponível hoje, que forneça um serviço ótimo com preços justos. Certamente a concorrência seria acirrada, mas o custo de implantação e manutenção de redes duplicadas, dividindo o mesmo mercado limitado, tornaria as tarifas elevadas, reduzindo os ganhos com a concorrência. Há a necessidade de saltos tecnológicos, como afirmei, para permitir, por exemplo, que várias operadoras compartilhem a mesma rede de distribuição de energia elétrica. Os custos de manutenção da rede de distribuição seriam partilhados entre as operadoras e o consumidor escolheria a operadora pela tarifa ou outro critério. A tecnologia deve estar nos medidores residenciais que devem discriminar o consumo por operadora, que poderia despachar a quantidade de energia consumida pelos seus cliente para suprir a demanda.


.
"O socialismo consiste na promessa de obter um resultado pelos meios que produzem necessariamente o resultado inverso. "

Essa frase, certíssima, nada é se não a própria SÍNTESE da dialética marxista.

O Socialismo é exatamente aquilo que Marx INVENTOU em sua DESCRIÇÃO do tal Capitalismo.

A descriçaõ fantasiosa que Marx fez do que seria o sistema de MÍSTICA ACUMULAÇÃO de CAPITAL (valendo-se da condenação católica a "acumulação de tesouros na terra) É EXATAMENTE o sistema Socialista em funcionamento.

Na URSS, leste europeu e em Cuba, entre muitos outros, o que vigorou e ainda vigora em alguns é exatamente o que Marx descreveu como sendo o sistema econômico vigente na época, alegadamente o tal capitalismo.

Quando Marx elaborou a sua dialética mutante a idéia era explicar exatamente à classe dominante a forma que ela poderia manter-se no poder eterno através de uma empulhação ardilosa. Vai daí que desde SEMPRE os grandes financiadores da propaganda marxista SEMPRE foram milionários intelectualizados.

A classe dominante não era a burguesia oriunda dos burgos, mas ainda a ARISTOCRACIA tradicional que dominava o Estado ou a hierarquia estatal e que se via ameaçada, em sua hegemonia, pelos EMERGENTES BURGUESES.

É imbecil algué afirmar que o protecionismo ou MERCANTILISMO fosse favorável ao emergente. O sistema vigente era um clube fechado osnde o Estado controlava a concorrência para proteger os aliados. Exatamente como ainda persiste com tarifas de importação e concessões tributárias, crédito subsidiado e etc..

Esse MERCANTILISMO SOCIALISTA é exatamente o que fez a JBS-FRIBOI conseguir dominar o mercado da alimentação. Legislação que sufocou os pequenos frigorificos, que não tinham acesso fácil aos emprestimos do BNDES, bem como a liberação de crédito SUBSIDIADO e FACILITADO do BNDES aos irmãos Batista.

O Estado SOCIAL-MERCANTILISTA é exatamente o que vigorava na época de Marx e que era do INTERESSE dos GRANDES EMPRESÁRIOS proibirem a CONCORRÊNCIA dos EMERGENTES.

As idéias LIBERAIS surgiram criticando esse sistema de "cartas marcadas" e não havia como defende-lo.
Logo a idéia era DEFENDE-LO SOB UM ARDILOSO PSEUDO ATAQUE.

Eis aí onde teses e antiteses se confunde numa dinâmica circular entre aparência e essência.

Ao se ostentar "oposto a isso que está aí" o ARDIL marxista conseguiu, VIA PROPAGANDA MASSIFICANTE dos sindicatos e pregadores populares (AGITPOP), induzir a CRENÇA de que as IDÉIA LIBERAIS defendiam exatamente AQUILO que ELAS ATACAVAM.

Ou seja, a miscelânia desconexa de Marx-Engels associaou as idéia Liberais àquilo que estas idéias atacavam e a sua DITADURA do PROLETARIADO, que defendia a hegemonia de uma CLASSE DOMINANTE ORGANIZADA e HIERARQUIZADA, foi propagandeada como a "VERDADEIRA OPOSIÇÃO" exatamente ÀQUILO que ELA PRETENDIA PERPETUAR através de uma SOCIEDADE ESTÁTICA como foi o FEUDALISMO. Onde o transito de classe não era livre pois o dominio da terra (FEUDOS) e a correspondente COBRANÇA de IMPOSTOS era o ÚNICO MEIO de pertencer à NOBREZA.

O comercio e a revolução industrial TIROU do dominio de extensões de terra (FEUDOS) o protagonismo na posição social. FOI ISSO que FEZ a ARISTOCRACIA se AGARRAR ao ESTADO e DEFENDE-lo ATRAVÉS do BESTEIROL MARXISTA movido a PROPAGANDA MASSIFICANTE REGADA com FARTURA de RECURSOS MATERIAS.

Religiosos profissionais, agitpops e sindicatos, autoridades, artistas e etc. eram as vozes que ecoavam as "verdades" revolucionárias que prometiam o PARAÍSO na TERRA num FUTURO SEM DATA e INCERTO.

Não por acaso Marx se valeu da LEI da USURA (da Igreja católica) para condenar o GANHO de CAPITAL, também usou a "ACUMULAÇÃO CAPITALISTA" valendo-se da condenação religiosa à "ACUMULAÇÂO de TESOUROS na TERRA".

Na verdade Marx promoveu um SINCRETISMO e DIALÉTICAMENTE seu besteirol quanto mais bem entendido pela aristocracia e grande burguesia, mais destes obtinha recursos.

Essa foi a DIALÉTICA MARXISTA:

INVENTAR um SISTEMA CAPITALISTA e IMPLANTA-LO ATRAVÉS do alegado combate a tal sistema. ESSA É A SÍNTESE DA DIALÉTICA MARXISTA!!!


Se o agiota tira a vida de alguém e da sua família, ele deve responder por homicídio que não impede muitos de matar, imagina essa regulamentação? Tá ajudando bastante os bancos ou as pessoas?



Todo estado Democrático deve lutar duramente contra dois males essenciais: Comunismo e islamismo


Recomendo a leitura dos livros "Escolhi a liberdade" de Victor Kravchenko e "A Nomenklatura" de Michael Voslensky, como complemento mais denso e profundo a esse texto.


Concordo plenamente! Como ser humano ele foi um grande Lixo.


Vcs tem planos de fazer concurso público? Entre um emprego ruim no setor privado e um que pague bem e trabalhe pouco, qual vcs escolheriam?



P/ comprar bitcoin é preciso ter conta num banco? Dá p/ comprar por boleto?



É difícil falar sobre privatizações com uma imprensa que sofre de direitofobia ou libertofobia.

Qualquer coisa pode ser fornecida pela iniciativa privada.

Nós só não estamos tendo apagões, porque as indústrias foram forçadas a comprar energia no livre mercado. Isso gerou mais produção de energia e aumentou investimentos. A única coisa que o governo fez foi criar os sistema integrado nacional, para melhorar a integração da geração de energia.


Eis os fatos:

1) A Eletrobras está completamente endividada e repleta de passivos.

2) Os reservatórios estão em queda e o acionamento de termelétricas está mais constante. Ou seja, os custos operacionais serão maiores.

3) Para piorar, o governo, em tese, quer vender estes ativos, em vez de simplesmente entregá-los para quem for mais capaz de geri-los.

Ou seja, em resumo: quem comprar a Eletrobras não só irá pagar bem caro, como ainda terá de arcar com vários esqueletos e passivos.

Fosse eu o comprador, aumentaria -- e muito -- as tarifas.

Por isso o IMB está correto ao criticar esse modelo de privatização baseado na venda de ativos. Coisas do governo não devem ser vendidas, mas sim entregues gratuitamente a quem quiser -- ou, mais especificamente, aos próprios funcionários da empresa, como detalhados nos artigos linkados acima.

Privatizar vendendo é a maneira errada de se privatizar. É garantia de aumento de tarifas. Óbvio: quem comprou caro os ativos, e ainda herdou vários passivos, terá de refazer seu caixa rapidamente. E não há maneira mais prática de se fazer isso do que elevando tarifas.

Por isso estão errados estes sites liberais que dizem que a privatização da Eletrobras irá baratear as tarifas. Simplesmente não há nenhuma garantia disso. Nem mesmo há embasamento teórico para se fazer esta afirmação.

E o problema todo está na maneira errada de se privatizar. Se o governo simplesmente saísse de cena e entregasse as estatais para seus funcionários, mandando-os se virar dali em diante, e abrindo o mercado para a livre concorrência, inclusive estrangeira, aí sim você poderia dizer com 100% de certeza que haveria queda nas tarifas.

Qualquer outra arranjo que não esse não dá garantia de nada.


Parabéns pelo artigo.

me ajudou a ter um esclarecimento sobre a época e que uma grande parte da população brasileira acha que foi o presidente da época, ele só estava no momento certo e na hora certa. tirou proveito disso tudo.

obrigado pela clareza no artigo.

att,
ademir jr.


Obrigado pela resposta amigo, muito bom os artigos, mas ela não sana minha dúvida, pois até onde eu estou sabendo o governo somente irá vender algumas ações da Eletrobrás, o pouco conhecimento que tenho me permite visualizar que isso apenas servirá para gerar caixa para o governo, não sei até que ponto essa venda de ações para a iniciativa privada irá impactar no preço final da energia, que é o que importa para nós.


Este artigo, embora tenha sido construído em função da ideologia marxista-comunista-socialista, mudados os cenários, circunstâncias, grupos, povos e motivações ideológicas, se aplica perfeitamente (em seus métodos e organização "revolucionária" de dominação, controle e necessidade de padronização de mentes e moldagem de indivíduos ao padrão ideológico do grupo que assume o poder) às ditaduras nazifascistas e religiosas de todas as colorações. Neste século XXI precisamos estar alertas para todos os radicalismos que estão pipocando em todo o mundo, com especial atenção para o nosso Brasil onde todos os espaços políticos estão abertos e desocupados para serem disputados por "líderes" populistas iluminados e bons de mobilização de uma população desiludida e desesperançada pela corrupção, violência, ineficiência e (des)governo generalizado.
Até agora não surgiu ninguém que possa nos retirar da mesmice de políticos de esquerda, de centro-esquerda e pseudos "direitistas" populistas e religiosos de sempre. Tomara que não estejamos caminhando novamente para mais anos e décadas perdidas.


Vejo na AVISA um dos maiores entraves para o desenvolvimento para crescimento dos empreendedores. Burocratas que pouco sabem "especialistas" e "doutores" que dificultam licenças procrastinam liberação de produtos em fim é tanta regrinha que inviabiliza centenas de ideias e oportunidades. Fiscalizações Brasil a fora para repreender inibir a livre iniciativa empurrando muito para informalidade.


Uma qualidade da Monarquia muitíssimo superior à República é a SINCERIDADE em suas declarações e regras.

Na República, da boca pra fora, "todos são iguais", mas na prática ricos e políticos são praticamente inatingíveis. A lei é apenas para meros mortais.

Na imensa maioria das repúblicas, "todos possuem direito a quase tudo", mas na prática isso não ocorre e jamais irá ocorrer (já que é economicamente impossível).

A Monarquia possui a qualidade de não tentar mentir para as pessoas com promessas vazias como a República faz.


Não, e nem deveria, pois isso não vai ocorrer. Foi só espuma pra desviar atenção do noticiário político.

No entanto, para saber como deveria ser o setor elétrico, inclusive como deveria ser sua privatização, sugiro este artigo:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=646

E também este, que aborda privatizações gerais:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=2457



Olá amigos, há algum artigo aqui que aborde a atual pretensão do governo de privatização da Eletrobrás, e os efeitos que podem ser esperados? Grato desde já pela atenção.


É possível sim, Rafael. Há uma resolução da Aneel para isso e já funciona no Brasil.

Infelizmente, para uso residencial, ainda não é possível ter abatimentos de impostos que ocorrem na indústria, mas assim mesmo pode valer a pena. Hoje em dia, o retorno é equivalente ao de um investimento rendendo cerca de 1% ao mês. Já está sendo lucrativo.


Estava me ocorrendo aqui uma preocupação, que se aplica a todas as criptomoedas baseadas em proof-of-work (POW).

Imagine que algum governo queira derrubar o mercado de bitcoin. Ele investe massivamente em mineração para adquirir os 51%. Neste ínterim, começa a adquirir ordens de put em empresas envolvidas com bitcoin e ETFs, além de pré-vender seu hardware. Enquanto não chega a este ponto, vai vendendo seus bitcoins em trades automáticos, como quase todo minerador faz, de modo que tenha uma exposição mínima de seus fundos. A partir do momento em que estiver posicionado, lança o ataque. Obviamente não derruba a rede, mas lança uma confusão suficiente para derrubar o mercado, além de gerar um fork que tenderia a ser parecido com aquele que deu origem ao Ethereum e Ethereum Classic. Muito pouco provável, mas ainda assim, uma possibilidade.

Neste sentido, eu concordo com o pessoal que defende o proof-of-stake (POS). Não é um algoritmo com provas matemáticas robustas como o POW, mas o consenso tende a deixá-lo bastante seguro. Além disso, ele estimula a poupança na própria moeda. Com sistemas de "forging" e "leasing", gera mais fundos quem tem mais posição na moeda, gerando uma menor pressão vendedora. Além disso, a moeda se parece com uma conta em banco, que vai sempre rendendo juros.

No momento, o market cap das POS é muito pequeno. Os maiores, se não me engano, são NEO e Waves, ainda muito abaixo das POW. Mas vou te dizer, é bem interessante. Minha wallet com Waves tem um leasing para um pool e quase todo dia recebo Waves ou algum outro tipo de token. A maioria sequer chega a valer 1 centavo de dólar, mas às vezes recebo posições de dezenas de dólares em tokens. Tudo automático, sem eu ter que fazer nada, nem investir em hardware muito caro.


Errado. É perfeitamente possível ter livre concorrência no setor elétrico. Teoria e prática confirmam isso.

Como? Aqui:

www.mises.org.br/Article.aspx?id=646 (teoria)

www.mises.org.br/Article.aspx?id=1309 (prática)


A distribuição de energia elétrica padece de um problema crônico, que dificulta a concorrência. O fato das redes de distribuição representarem investimento de valor muito elevado, não justificando multiplas redes em uma mesma área de distribuição. Existe uma limitação natural à concorrência. O modelo mais viável é a concessão governamental através de liciação pela menor remuneração do operador. Tem coisas que o mercado não consegue resolver sem um salto tecnológico. Essa é apenas uma delas.




Podemos falar sobre socialismo após o almoço ?

Falar em socialismo dá uma fome danada.


Gostei do artigo. Mas acho que faltou citar o "efeito multiplicador" dos gastos públicos e explicar porque aquele não existe.


Veja as contradições. Tenho 74 anos e aqui em casa se respirava política de direita e todos votavam segundo o patriarca. Quando surgiu o partido dos trabalhadores, eles não passavam de pessoas de "pouca inteligência, humildes, não eram doutores" e meu pai era fiel na ideologia de que precisava de pessoas que soubessem governas. Não era burguês, não se curvava para a burguesia, não desprezava os pobres, mas o PT jamais. Assim vesti uma blusa vermelha emprestada e votei nos vermelhos. Meu pai faleceu com 80 anos decepcionado com a política. Sou contra partido em escola e que o adolescente cresça lendo, aprendo a fazer o discernimento necessário e seguir a vida.


Os demais dados estão errados? Basta ler a Constituição de 1824 que confirma exatamente o que ele disse. Estudos históricos constitucionais confirmam isto (e estou falando de literatura especializada, e não sites e blogs da internet).


A m... toda já veio degringolando desde a guilhotinagem na França, mas a escalada pelo socialismo foi ampliada mundialmente.

Acho que o século IXX foi marcado pela queda dos impérios e formação das repúblicas.

Depois veio o século XX, onde os negros e as mulheres conquistaram direitos.

Essas lutas por direitos realmente eram necessárias e sempre temos que tomar cuida com erros. Porém, essas lutas acabaram se transformando no direito a tudo. Se todos tem direito a tudo, ninguém tem direito a nada.

O século XX foi marcado pelo assassinato de 100 milhões de pessoas por regimes socialistas, que supostamente querem defender o povo contra o poder financeiro.

Falsas democracias foram criadas justamente para derrubar a liberadade do povo, que foi sonhada por séculos durante o imperialismo. Os socialistas conseguiram destruir coisas que eram sonhadas há mais de 300 anos atrás.

Nós ainda estamos vivendo sob heranças malditas do socialismo do século XX, apesar dos métodos mudarem da luta armada pela doutrinação. Acho que eles perceberam que a luta armada não funcionou e matou gente demais.

Enfim, a liberdade sonhada há 300 anos atrás está sendo bloqueada pelos comunistas. O imperialismo foi derrubado e agora aparecem esses comunistas safados.



Obrigado pelo esclarecimento. No meu entendimento um ataque de 51% poderia sim gerar entradas "falsas" no blockchain, configurando assim "roubo" de moedas. Mas pelo que entendi, isso na prática seria um fork, que seria tratado da mesma maneira que na Reddcoin.



Quero comprar bitcoin mas nao confio muito nisso como fasso pra saber se é mesmo seguro


Só para adicionar: já ocorreu um ataque 51% na rede Reddcoin há muito tempo, uma rede com tempo menor de geração de bloco (1 minuto) e com muito menos hashpower (mais barata para atacar).

Causou problemas, mas acabou mitigado.


Isso é uma pedalada fiscal que faria inveja a Dilma. A LRF brasileira proíbe explicitamente esse tipo de coisa.


Na verdade não, Pobre Paulista. É muito menos. Tem no bitcoin wiki. Inclusive é descrito como "provavelmente não é um problema".

Um atacante de 51% não pode criar bitcoins do nada, não pode criar bitcoins com mais blocos, não pode forjar transações de bitcoin de outras pessoas como sendo dele, não pode se apropriar de fundos que não lhe pertencem. Ou seja, pode muito pouco.

O máximo que consegue é enviar uma transição para um terceiro e se recusar a colocá-la no bloco, deixando-a vencer e possibilitando enviar a transação para outra parte; também pode se negar a validar transações de outras pessoas, o que não é realmente muito provável.

Caso ele consiga enviar transações e não validá-las (não pode gerar um bloco, pois se gerar, a transação está efetivada), ele conseguiria, em tese, realizar double spending. Mesmo assim, nenhum bitcoin foi criado. O destinatário da primeira transação verá que sua quantia não está em sua carteira.

algumas discussões interessantes no reditt a respeito da adoção do segwit. Com os endereços do tipo "qualquer um pode gastar", mineradores poderiam se unir em cartel e se apropriar de fundos de terceiros, forjando endereços. Mesmo assim, cada transação teria de ser gerada novamente e validada e isso estaria essencialmente incompatível com os blocos gerados pela minoria dos minerados. Na verdade, seria um hard fork, pois dividiria a rede, essencialmente, em duas sequências incompatíveis. Poderia gerar uma confusão no princípio, mas dificilmente exchanges e gerenciadores de grandes wallets seguiriam a rede "dos ladrões". Também é muito improvável.


Excelente artigo !

A propósito de cripto-moedas, saibam os admiradores (como até então eu mesmo era) do "libertário" Sr. Peter Schiff, que seu EuroPacificBank simplesmente NEGA abertura de conta naquela instituição a estrangeiros (inclusive brasileiros) que em algum momento tenham operado BitCoins em seus próprios países (caso tais transações envolvendo bolsas de negociação daquele ativo digital apareçam nos extratos bancários solicitados previamente como parte da documentação exigida pelo EPB).



Não é isso, um ataque de 51% pode gerar transações falsas e registrá-las com sucesso no blockchain. Pode não apenas causar diversos ataques de double-spending como também pode roubar bitcoins para si.

E há também o risco de fork da rede.

Criptomoedas são o futuro, mas o BTC ainda é um experimento que deve ser acompanhado com cautela.


Poucas pessoas conseguiram este feito de manter sua poupança com esta valorização estrondosa,ou seja mesmo o bitcoin é girado,as pessoas compram e vendem de acordo com suas necessidades,não conheço nenhum especulador que conseguiu manter um ativo por tanto tempo com esta valorização,enfim a vantagem do bitcoin além da especulação é manter nossas poupanças a salvo de confiscos chamados eufemisticamente de política econômica,fico feliz ao saber que meus irmãos e amigos venezuelanos estão encontrando proteção e guarida nesta ferramenta monetária que o Mercado criou e Deus abençoe que tenha vida longa pois só assim estes governantes pilantras se curvaram anti a realidade de que do meu patrimônio cuido eu...


Coitado do rapaz, "idéias e somente idéias, somente idéias podem iluminar a escuridão" garoto.


terracoeconomico.com.br/matematica-no-mundo-da-economia

Aprendam aí, amigos heterodoxos austríacos.


Mudando de assunto rapidinho.

Vocês poderiam fazer um artigo sobre isso?

https://www.truthdig.com/articles/japan-is-writing-off-nearly-half-its-national-debt-without-creating-inflation-we-could-too/

Essa atitude do Governo japonês pode dar certo ou não?


Só vou colocar um adendo: num ataque de 51%, o minerador não pode criar mais bitcoins por bloco que o permitido pelo protocolo. Para reverter uma transação, ele precisa ser rápido, desfazendo-a antes de ir para um bloco. Quando este já estiver criado e propagado, não é possível eliminá-lo, do contrário seus blocos futuros seriam simplesmente descartados como inválidos pela rede. Ele não pode roubar bitcoins de ninguém. No máximo, vai poder negar algumas transações, mas nada realmente muito sério e que afete o passado ou mesmo cause grandes transtornos ao funcionamento da rede.

Ou seja, há muito pouco ganho para um minerador que tome mais de 51% da rede Bitcoin, além de requerer um investimento extremamente massivo em poder computacional, caro até mesmo para governos. É muito, mas muito mais barato, simplesmente continuar minerando sem causar problemas para a rede como um todo.

Agora pense no poder que governos emissores de moedas, "com 100% do hashrate" das suas fiduciais, têm: eles podem negar transações de qualquer um; com medidas judiciais ou simples decretos, dependendo do lugar, podem congelar e tomar os fundos de qualquer pessoa; podem emitir moeda à vontade, arriscando até mesmo a confiabilidade da mesma, porque podem forçar seus cidadãos a usá-la (Venezuela, no momento). No entanto, as pessoas ainda as utilizam.

Por qualquer prisma que eu analise, o bitcoin é uma moeda com muito, mas muito melhores fundamentos que qualquer outra que utilizamos hoje. Não há como falsificá-la ou manipular sua taxa de inflação. A insegurança é somente nas bordas, na manipulação de mercado, no hacking de carteiras e exchanges (o real não é inseguro por causa dos batedores de carteira). E a segurança para os usuários só tende a melhorar.


Para completar, há este artigo interessante do Zero Hedge.

As perguntas são boas: uma moeda deflacionária vai fazer com que as pessoas parem de comprar comida porque o preço vai cair? Vão parar de andar de carro ou abastecê-los porque a gasolina estará mais barata em 6 meses? As pessoas param de comprar eletrônicos porque seus preços sempre caem? Não, são demandas inelásticas.

Há até uma citação do BIS (suíço, um banco de ouro para bancos centrais, que divulga seus balanços em SDRs emitidos pelo FMI - não em dólares): a tendência é que, com a moeda deflacionando e o poder de compra da população aumentando, as pessoas passem, de fato, a consumir mais, não menos. Ou seja, comprarão carros mais caros, casas mais caras e maiores para morar, eletrônicos melhores, comerão em melhores restaurantes, enfim, tudo que estimula a "demanda agregada" de que os keynesianos tanto falam.

O que aconteceria com uma moeda deflacionária é que haveria uma tendência a que os preços dos ativos não se inflacionasse tanto (e na saída de uma moeda inflacionária para uma deflacionária, caíssem. Isso aconteceu no Brasil, em certo grau, no começo do plano Real, não foi, Leandro?). Isso porque as pessoas não precisariam investir para se abrigar de uma perda de poder de compra futura, algo que ocorre continuamente em muitos países hoje. Ou seja, o que gera as bolhas são as pessoas continuamente fugindo de suas moedas fiduciárias, o que leva a investimentos que não dão retorno sólido em longo prazo.

No curto prazo, contudo, advirto, bitcoin pode sofrer correções. É normal com algo que sobe rápido. Entra muito especulador que não entende bem em que está investindo, tem pânico ou quer realizar lucro, normal. Ainda não é muito usado também, então a volatilidade existe. Mas a tendência de longo prazo é para cima mesmo, encontrando-se com seus fundamentos, a menos que surja algo melhor ou que governos consigam, com sucesso, proibir seu uso.


Pra ser empreendedor no Bostil, precisa ser um verdadeiro herói.

Como eu não sou, virei somente um especulador.

Boa sorte na jornada.


Essas crises políticas, institucionais e democráticas que estão ocorrendo em vários países, são causadas por governos que fazem o inverso do que as pessoas querem.

As pessoas querem o respeito a propriedade privada, justiça, fim da violência, saúde básica, educação básica, combate a miséria, etc.

Esse estado desenvolvimentista criou privilégios, desperdício, corrupção e expropriações completamente exageradas. As instituições que deveriam defender as pessoas, acabaram agredindo quem os sustenta.

Foi uma facada nas costas do povo.



Se eu quiser fazer um financiamento com Bitcoin.

Alguém faz empréstimos em Bitcoin ?




Nunca aconteceu e, após 9 anos, é improvável que aconteça. O que ocorre é hacking de carteira e exchange, por isso você deve ter cuidado com seus fundos e chaves.

No entanto, duas ressalvas (bastante técnica):

1 - já é um problema conhecido que os algoritmos de hash do Bitcoin, Ripe-160 e SHA-256, podem ser quebrados por computadores quânticos com relativa facilidade. Por enquanto, estamos na infância dessa tecnologia. As máquinas existentes ainda não são tão poderosas e estão sendo empregadas para usos mais lucrativos. Isso certamente demandará uma atualização que, uma vez feita, resolverá o problema.

2 - o Bitcoin e todas as criptomoedas baseadas em prova de trabalho podem sofrer um ataque de 51%. Ou seja, se 51% da rede estiver nas mãos de um único minerador, este pode gastar os mesmos fundos duas vezes ou invalidar algumas das últimas transações.

São riscos muito remotos, mas existem.


Não diria isso não. É possível fazer auditoria no blockchain e rastreio das transferências.

Cada carteira pode ter centenas de endereços e são todos anônimos, mas uma vez que você tenha feito uma transferência de uma exchange para um deles, é possível rastrear sim.

Monero, Dash e Zcash foram moedas criadas para prevenir esse problema.


O endereço Bitcoin que ele divulgava no canal dele para doações era o 12gqLwGvuJfkHPH2jhrVgXRnEwqVmpF1E2

Basta ver nesse link: https://www.youtube.com/watch?v=Xz3UaCk577I

Indo no endereço https://blockchain.info/address/12gqLwGvuJfkHPH2jhrVgXRnEwqVmpF1E2
vemos que o mesmo recebeu 3.91020515 BTC e distribuiu a grana em diversas outras contas, o que dificulta o rastreamento. Esperteza da parte dele. Com certeza ele deve ter mais.

3.91 BTC já equivale a mais de 40 mil reais.

Agora algumas perguntas:

1 - Esses btc são só de doações ou o próprio Daniel doava para si mesmo?
2 - Pq ele distribuiu o dinheiro em várias contas? Segurança? 40 mil é um valor ok mas não a ponto de alguém fazer um atentado quanto a isso.
3 - Existe um software que permite rastrear todas as contas btc que ele criou e ver o saldo total sem investigar uma a uma?

Não é a toa que ele desistiu de fazer vídeos no Youtube. Deve estar bem de vida com os btc.


Eu estou minerando Ethereum na Genesis Mining, vamos ver no que isso vai dar.

Já achei algumas migalhas de ETH.


Sou leigo se tratando desse tipo de assunto e tenho duas perguntas: por que o bitcoin é seguro? Não tem risco de ser hackeado? E além do bitcoin, que outras medidas eu poderia tomar para proteger meu dinheiro? Desde já agradeço.


Qualquer tipo de medida que aumente o poder dos governos deve ser combatido pelos cidadãos.




Se a quantidade de bitcoins se limitam a 21 milhões de moedas, esse seria o limite de sua oferta monetária?

Outra dúvida...

Além do BTC ter como característica a escassez e a quantidade que se limitará a 21 milhões de BTC, existem outras criptomoedas com a mesma característica?

Obrigado


Acho que o problema está na parte "O monopólio natural do governo", não tem como existir um monopólio natural do governo, apenas um monopólio coercitivo. Sem corrigir esta parte não vejo como construir uma discussão em cima dessa frase.