Existe uma página específica para este artigo. Para acessá-la clique aqui.

Uma maneira eficaz de controlar o uso de armas


Simples


0 votos

SOBRE O AUTOR

Equipe IMB


A meu ver, essa "desregulamentação" estatal sobre a terceirização não passa de uma intervenção, de feição "liberal", que não implicará nos efeitos desejados e previstos.

Basicamente, pelo que eu entendi, a intenção do governo é gerar mais empregos que de fato paguem salários realmente vinculados à riqueza produzida pelo empregado. Com isso, busca se mover a economia, através de poupanças, maior capital do empregador para investimento e consumo real dos empregados. Desse modo, o Estado pode arrecadar mais, pois, na análise de Smith que é complementanda pelo autor do artigo, a especialização (terceirização) gera riqueza e prosperidade. Fugindo, portanto, do ideal keynesiano de que quanto maior o consumo de quem produz maior o progresso, negligenciando a possível artificialidade dessa troca.

Minha objeção consiste em afirmar que a regulamentação do modo que foi feita não é benéfica para o Estado, logo, como tudo no Brasil, querendo ou não, está ligado à esse ente, não torna se benéfica ao indivíduo.

Primeiro, pelo fato de que, as empresas que contratam outras empresas terceirizadas podem ter um elo empregatício direito com os empregados dessa última. Nessa perspectiva, caso uma terceirizada, receba os repasses do contratante, porém não esteja pagando os benéfícios/ salários dos seus empregados em dia, sob alegações diversas, iniciará se um processo judicial entre a empresa contratada e o contrante para solucionar esse caso, haja vista que é do interesse do terceirizado receber o que lhe é devido. Consequentemente, o tempo depreendido, os custos humanos e financeiros são extremamente onerosos para a empresa contratante, de modo que, sua produtividade e poder de concorrencia no mercado é reduzida. Ou seja, a continuidade do desrespeito aos contratos firmados e a morosidade da Justiça, práticas comuns no país, muitas vezes, anulam a ação estatal que visa gerar mais empregos e melhorar a produtividade das empresas. O que afeta principalmente os empreeendedores com um capital menor e que operam em mercados menos regulados. Logo, busca se intervir para corrigir um problema, sendo que o corolário dessa nova intervenção é exaurido por uma ação feita anteriormente

Outro ponto pouco abordado por vocês é que as terceirizações beneficiam também os empresários oriundos de reservas de mercado. Logo, uma ação estatal que, a posteriori privilegia os amigos dos políticos, não pode implicar nas consequências previstas a priori. Isso porque, a possibilidade contratação de terceirizados a partir de salários menores do que de fato seriam em um contexto natural/equilibrado torna se muito mais viável para os corporativistias, pelo simples fato de que seus acordos com agências e orgãos públicos influenciam também nas decisões judiciárias que envolvem a sua empresa e a empresa terceirizada. Desse modo, o megaempresário contrata a empresa terceirizada e estabelece um acordo onde há um repasse menor da grande empresa para a terceirizada e, na sequência, apenas uma parte muito pequena, não correspondente ao valor gerado, desse repasse para a empresa terceirizada é convertida em salários para os terceirizados, onde a empresa terceirizada acaba lucrando mais, ao ter menos gastos. Portanto, um terceirizado que trabalha para uma empresas monopolística (no sentido austríaco) possui maiores chances de ser ludibriado e não lhe resta muitas opções de mudança de nicho, haja vista que infelizmente inúmeros setores do mercado brasileiro sofrem regulação e intervenção constante do governo.

No mais, ótimo artigo.
Gustavo, os Dinamarqueses podem usufruir desse tipo de assistencialismo, justamente porque o mercado deles é produtivo.

O mercado deles é produtivo como consequência da LIBERDADE DO MESMO, como o próprio artigo aponta.

Lá não existe salario mínimo, o imposto sobre o consumo é baixo, assim como o imposto sob pessoa jurídica.
No máximo, o imposto de renda é alto, mas eles tem uma moeda forte e estável, um lugar livre pra se empreender e contratar alguém(não existe nem salário minimo lá!).

Defender o modelo Dinamarques na situação Brasileira demonstra toda a ignorância básica em economia, nosso mercado fechado produz pouco pra aguentar um estado desse tamanho. Ainda sim, o estado da Dinamarca é menor que o Brasileiro, nunca ouvi falar sobre lá ter quase 40 ministérios, nunca ouvi falar lá sobre a existência de Agencias Reguladoras em todos os setores do Mercado, nunca ouvi falar lá sobre a existência de centenas de estatais!

E mais, a crise Sueca dos anos 80 justamente explica isso, o Welfare explodindo nessa época acabou ''sufocando'' o mercado, deixando-os em uma crise enorme de déficits astronomicos.
Qual foi a solução?

Austeridade e Livre-Mercado, na década de 90 a suécia voltou a crescer fortemente, uma reforma radical de corte de gastos e liberdade de mercado, no fim das década de 80 e começo da 90, permitiu que a Suécia saísse da crise causada pelo Welfare.

Mas por fim, você acha justo tirar o dinheiro das pessoas a força pra sustentar tudo isso para os que não querem trabalhar?

Antes de qualquer boa consequência, analise a ética e a moral.
É como querer defender o homicídio, dizendo que isso amenizara a escassez na terra no futuro. Não interessa, homicídio de inocentes é errado, é irrelevante as boas ou ruins consequências que o crime pode trazer.

E mais, Noruega já esta retirando dinheiro do seu fundo, mais uma vez veremos mais uma crise em alguns escandinavos, o peso do estado não dura muito, por mais produtivo que um mercado seja. É economicamente impossível, a empiria da ciência economica prova isso!

O texto apenas demonstra que o sistema capitalista, ainda mais a forma liberal, é totalmente ineficiente.

Senão vejamos,

1: hoje já não é proibido nenhuma empresa ter seus laboratórios e certificados de qualidade internos ou externos, inclusive no Brasil existe a certificação "Certified Humane Brasil é o representante na América do Sul da Humane Farm Animal Care (HFAC), a principal organização internacional sem fins lucrativos de certificação voltada para a melhoria da vida das criações animais na produção de alimentos, do nascimento até o abate"; (não necessita liberalismo para isso), inclusive a Korin agropecuária é certificada por essa empresa, entre tantas outras.

2: Não é proibido nenhuma instituição avaliar a qualidade dos produtos e denunciar caso seja de péssima abaixo do esperado; (não necessita liberalismo para isso também)

3: No liberalismo estas mesmas instituições que avaliariam a qualidade ou emitiriam certificados poderiam ser construídas justamente para os objetivos do bloco gigante de algum ramo, como por exemplo carne, tendo esse poder eles também teriam o poder de patrocinar jornais e revistas para desmentir qualquer empresa de certificados privados concorrente e pronto, num mundo globalizado quem não aparece não é visto. O lucro dos grandes blocos estaria garantido... num capitalismo sem regulação estatal quem iria impedir isso? Da mesma forma que a "Certificadora" do grande grupo poderia difamar as carnes de um grupo concorrente.

claro, se não existissem grupos, talvez até funcionaria, porém pq não criar grupos para ter maior vulto de recursos para maior propaganda e maior lucro? Justamente. Apenas prova objetivo maior - lucro - é o motor para irregularidades, seja de agente público ou privado.

aguardando respostas...

ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • Carlos Santos  21/01/2011 23:42
    Armas não matam pessoas, pessoas matam pessoas.
  • void  21/01/2011 23:54
    Ron Paul ftw!
  • Erik Frederico Alves Cenaqui  22/01/2011 11:20
    A capacidade de sintese do site continua impecável.\r
    \r
    Muito bom.\r
    \r
    Abraços
  • Marcos  24/01/2011 21:34
    Pois é, aqui no Brasil temos um controle rigoroso de armas e vamos a "maravilha" que está a segurança pública...
  • Blademir Andrade  05/03/2011 00:55
    Políticas de desarmamento são muito apreciadas em governos totalitários.
    Desarmar o cidadão só vai garantir a segurança do bandido.
    Cidadão com arma legal é mais vigiado do que preso solto em indulto ou em condicional.
  • Raimundo Queiroz  22/03/2011 22:10
    Os comentários acima são rigorosamente verdadeiros, mas como explicar isso à malta de fanáticos desarmamentistas do show biz,mídia e por último aos petistas?
  • Angelo Noel  08/04/2011 09:31
    Damn!
    Agora o estado conseguirá prever e impedir ataques homicidas como o ocorrido no Rio...
  • Augusto  08/04/2011 10:43
    Angelo,\r
    \r
    Eu postei o abaixo em outro artigo do Mises.org.br, mas talvez ele caiba melhor aqui:\r
    \r
    ---------\r
    Lido em um forum do Orkut, tratando da possivel relacao de causalidade entre o resultado do referendo do desarmamento e o crime que ocorreu hoje no Rio: \r
    \r
    "Infelizmente o liberalismo faz com que esqueçamos a importância do Estado. \r
    O Estado não carrega o bebe 9 meses no útero nem cria, mas ele protege as pessoas por meio do monopólio legítimo da força, você não sabe o que é viver em Estados falidos como em alguns países na África, sem Estado o país mergulha em guerra civil. \r
    Você tem que agradecer muito ao Estado, ninguém poderia ter filhos em segurança sem um Estado e é dever dele sim proteger a criança de abusos dos pais e eventualmente retirar a guarda. Palmada não resolve nada, nem ninguém tem direito de agredir outro ser-humano, é realmente terrível essas espécies de pais que acham que a criança é propriedade deles, quando ela é um ser-humano autônomo!" \r
    \r
    quanto a parte relativa a agressao a outro ser humano (palmadas em criancas - pois eh, o topico como sempre acontece, se desvirtuou no meio do caminho), ate eh possivel concordar... mas o resto, eh dureza...\r
    ---------------
  • Angelo Noel  08/04/2011 12:18
    Triste isso, Augusto.
    Essa pessoa tem um argumento válido: "...ninguém tem o direito de agredir outro ser-humano".
    O problema é q o estado ao invés de reduzir a violência, ele institucionaliza o uso e potencializa o nível dela.
    Supor que nos casos de abusos infantis sem o estado p/ tutelar essas crianças, viveríamos em uma sociedade bárbara, seria semelhante a alegação de que a polícia tem uma bola de cristal em cada delegacia e que a comunidade ou vizinhaça é totalmente indiferente á esses crimes cometidos.
    Pelo menos a liberdade gerar nossos próprios filhos a biologia ainda nos mantém...
  • augusto  08/04/2011 18:19
    Exato!
  • Caio Cesar  08/04/2011 17:31
    Um dos posts mais ridículos que vi no mises.

    Augusto, primeiro você compara o estado a um "pai" ou "mãe" que defende seus filhos com o monopólio do poder. Ok. Se o estado é tão defensor assim de seus filhos, porque justamente nos locais em que mais armas há no mundo - EUA e Suíça - nas mãos dos civis, a violência é mínima?
    Além disso, seu "estado protetor" não interviu a morte das crianças. Agora imagine se os professores estivessem armados. O louco que atacou seria morto rapidamente, e talvez ele nem entraria no colégio, sabendo que há tantas pessoas armadas. Oras, se os seguranças das lojas e porteiros de colégios também estiverem armados, quem será o louco de invadir o local?
    O estado protetor não salvou as 186 crianças na escola de Beslan, na Russia, nem salvou os mais de 30 universitários nos EUA. Agora veja se você vê coisas como estas na Suíça, onde todos são armados....
  • augusto  08/04/2011 18:22
    Caio,\r
    \r
    Eu acho que voce nao prestou atencao. Eu apenas postei um argumento que eu li no Orkut, de alguem defendendo a necessidade do estado para que houvesse condicoes de se gerar e manter uma sociedade organizada. Argumento do qual, claro, eu discordo, pelo menos na teoria.\r
    \r
    Especificamente quanto a parte de um pai ou mae poder bater em seu filho, tenho certeza que mesmo entre os libertarios nao ha nenhum consenso a respeito do assunto.
  • Caio Cesar  08/04/2011 19:14
    Ah! Perdão, não notei. rs

    O G1 aparentemente ficou ao lado do desarmamento da população, em uma reportagem que ele colocou, a respeito do caso na inglaterra, em 1997. Oras, devemos culpar a sociedade inteira por culpa de um louco que usa sua arma indevidamente? E qual seria a diferença de não legalizar e legalizar, neste caso? Impediria do sujeito de pegar a arma e matar algumas outras pessoas? Claro que nao. Hoje sabemos que é muito fácil adquirir uma arma e fazer algum desastre sem ao menos precisar de legalização alguma...
  • Angelo Noel  08/04/2011 22:24
    Pois é, Caio.
    E como todos nós sabemos, o teu exemplo se aplica a qualquer outro crime sem vítima q o estado inventa...
    Só espero q outros veículos de comunicação se expressem de maneira honesta acerca da descriminalização do porte de armas. Tenho certeza q não são todas as empresas do ramo q concordam c/ esse pacifismo utópico generalizado...
  • Fernando Ulrich  18/05/2011 14:48
    Haehaehaehaehae.. não tinha visto esse post ainda. Brilhante!
  • José Luiz de Sanctis  08/12/2015 12:17
    Sobre o controle de armas, estou convencido que toda pessoa deveria saber controlar uma. Esse é o único controle que deve existir.
  • Marco de Tropoja  17/08/2016 19:37
    Hahahaha muito bom.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.