Existe uma página específica para este artigo. Para acessá-la clique aqui.

Raúl Castro reconhece o óbvio - com 50 anos de atraso

Escreve-nos o leitor Luciano:

Raúl Castro, um libertário?

Olhem que pérola dita pelo ditador:

"Há folhas de pagamento infladas, muito infladas, terrivelmente infladas, em quase todos os setores, e pagam-se salários não vinculados à produção, com o que não se pode evitar que se deteriore a capacidade de compras do povo"

Ele apenas demorou uns 50 anos para perceber.  O verdadeiro problema do socialismo é a velocidade intelectual.  É o socialismo admitindo a derrota econômica, pura e simplesmente.  Cuba passa por uma grave crise, novas pérolas virão, aguardemos.  Acho que merece uma notinha no blog, para a posteridade.

Permita-nos destacar outro trecho da notícia:

[Raúl Castro] reiterou suas advertências dos últimos anos de que a situação econômica cubana é crítica, que seu governo não pode manter subsídios "excessivamente paternalistas", e que há um milhão de cubanos que sobram nas relações de empregados estatais.

"Continuar gastando acima da receita significa comer o futuro e pôr em risco a sobrevivência da revolução".

Conclusão

Mesmo aqueles que se alimentam de ilusões pueris são, no fim, forçados a reconhecer que as leis da economia não podem ser adulteradas por paixões e ideologias.  Ou você as entende e respeita, ou é engolido por eles.

0 votos

SOBRE O AUTOR

Equipe IMB


OFF-TOPPIC: pessoal do IMB, seria possível vocês redigirem um artigo refutando as teorias conspiratórias sobre o Nióbio que abundam desde a época do Enéias? Quinta-feira o Instituto Liberal reiniciou o debate, e seria ótimo se vocês dessem continuidade. Eis o que comentei no website do IL, é o que resumidamente penso do assunto:

"Se há indícios concretos ou, ao menos, motivos para crer que as empresas autorizadas pelo Estado brasileiro a retirarem do solo e comercializarem este metal estão cometendo fraudes de qualquer natureza, em conluio com grupos estrangeiros ou não, a solução é, em se confirmando as irregularidades, rescindir os contratos de permissão em vigor e abrir este mercado para mais empresas interessadas no empreendimento - seja lá de onde elas forem. A que oferecer a melhor barganha leva as jazidas - e paga impostos sobre tudo o que produzir. Elevar o preço na marra? Claro, abusar desta condição de quase monopolista pode funcionar no começo, mas no médio prazo surgirão alternativas de melhor custo-benefício para atender a demanda daqueles insatisfeitos com a situação. Deixar de vender o Nióbio como comodittie e agregar valor ao mineral em nossa indústria da transformação? Seria ótimo, se nosso parque industrial não estivesse parado no tempo desde meados do século passado. Só falta criarem a estatal NIOBRÁS no Brasil, que dará origem ao escândalo do NIOBRÃO. O brasileiro não aprende mesmo: sempre achando que vai encontrar um bilhete premiado no chão e poderá passar o resto da vida bebendo e sambando."
"Tal afirmação nunca foi feita. Em ponto nenhum do artigo. E nem em nenhum outro artigo"

Não me refiro à uma frase ou texto escrito nos artigos do IMB. Estou questionando a percepção daqueles que defendem esse modelo de afrouxamento da terceirização proposto pelo governo, pois essa discussão toda é parte da realidade em que estamos vivenciando. Aliás, não creio que esse artigo seja uma mera exposição teórico-dissertativa acerca do que seria e quais os benefícios de uma terceirização segundo os liberais, muito menos um texto desvinculado da conjectura atual, como você transparece para quem lê. Logo, minha indagação é pertinente, ainda que, o que questiono, não esteja explicitamente escrito no artigo.

Em relação ao artigo linkado, em momento algum vi algo a mostra que abordasse diretamente o problema terceirização-corporativismo privado que eu levantei acima. O que mais se aproxima seria esse trecho:
"Em primeiro lugar, a ideia de que custos menores para empresas é algo ruim. Além do fato de que custos baixos permitem maior acúmulo de capital — o que possibilita mais investimentos e mais contratações —, falta explicar como que custos de contratação menores podem ser ruins para pessoas à procura de emprego."
Sim, não há problema algum em um empresário tentar reduzir seus custos para se adequar a concorrência e auferir maiores lucros. O entrave se encontra, como eu falei, no empresário monopolista que não possui um fator invísivel para motivá-lo à otimizar sua produção. A mão visível do Estado garante que seu produto inevitavelmente será consumido e, com isso, seu lucro será certeiro. Por conseguinte, não há a preocupação constante deste em inovar, melhorar a qualidade, aumentar a produtividade da sua mão de obra. Nesse sentido, a terceirização beneficia esse empresário, justamente por rebaixar seus custos com contratados (temporários ou não) à niveis abaixos daquilo que os empregados produzem, sabendo se que eles estão confortáveis em relação aos processos trabalhistas que enfrentarão (ajudinha estatal). Bem como, estagna ou retarda as inovações, tendo em vista que sua produção atual será adquirida pelos consumidores à um preço "monopolístico" durante um tempo maior que o de uma concorrência que existiria num livre mercado. Ademais, seu produto foi feito empregando mão-de-obra com um ônus muito abaixo daquilo que ela de fato produz. Desse modo, a margem de lucro é gigantesca, sendo que esse lucro pode sim ser revertido em capital para futuras melhoras, o que, na minha opinião, não aflinge ou preocupa de modo algum uma empresa monopolista, pois esta pode facilmente pegar crédito subsidiado de bancos estatais, ou ser empreendido em outros investimentos pessoais e, na minha percepção, fúteis e de pouco potencial de gerar valor no futuro.

ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • Zéh  07/04/2010 17:04
    Será que um dia admite que tudo que conseguiu foi ferrar com milhões de pessoas?
  • Irlan  07/04/2010 19:19
    E o embargo economico? Nenhum país hoje no mundo consegue sustentar todas as suas necessidades internas se não recorrer à produções do exterior.

    Se o Brasil sofresse hoje um embargo economico passaria por um tremendo perrengue.

    Se os Estados Unidos sofressem hoje um embargo econômico, não teriam petróleo e uma série de produtos pra se abastecer.

    É o que se passa com Cuba.


    Sustentabilidade economica a URSS conseguiu. Inclusive durante um certo periodo foi mais "desenvolvida" que a grande maioria capitalista, dando comida, trabalho e casa pra todo mundo.

    Uma pena ter tido um regime ditatorial, justificado sem necessidades pela guerra fria. Perseguindo até os opositores dentro do movimento de esquerda. Isso tem nome e era o Stalinismo, que é uma unica corrente das várias dentro do socialismo.
  • Sergio  27/03/2013 11:09
    Não entendo o raciocínio do embargo.Se eu fosse um cubano amante de "la Revolución", gostaria imenso de não ter negócios com a besta capitalista do EUA,e o embargo só me faria crescer pelo modo socialista de produção.No entanto,quando o governo cubano justifica as dificuldades da ilha ,só confirma que precisa desesperadamente do capitalismo para viver melhor.Neste caso porque fizeram aquela ridícula revolução? A última coisa que o EUA deseja é a morte da dinastia Castro:não encontrarão jamais melhor carcereiro para a ilha.Creio que quando Castro morrer ,10 milhões de cubanos invadirão Miami para beber Coca Cola ,e isto tira o sono do Departamento de Estado.
  • vladimir  30/10/2016 18:54
    corrigindo:
    o embargo só foi dos EUA
    OS governo cubano podia negociar com qualquer pais menos EUA
    O governo brasileiro tem AMPLOS negócios com Cuba, vide obras secretas
    O atraso é culpa do governo cubano mesmo.
  • Leandro  07/04/2010 20:12
    Irlan,

    Você começou bem, até chegar nesse ponto:

    "Sustentabilidade economica a URSS conseguiu. Inclusive durante um certo periodo foi mais "desenvolvida" que a grande maioria capitalista, dando comida, trabalho e casa pra todo mundo."

    Ora, hoje se sabe que foi o dinheiro americano que deu enorme sobrevida à URSS, permitindo que eles importassem comida. Dizer que havia comida para todos é, no mínimo, uma tentativa mal sucedida de humor pastelão.

    Quanto a moradia e trabalho, é verdade. Apinhava-se várias pessoas nos mesmos imóveis e todas eram empregados em inúmeras estatais. Pleno emprego a troco de produção zero.
  • Bruno  07/04/2010 22:59
    Primeiro que reconhecer os erros não vai fazer dele um liberal. E pode até ser que ele tenha percebido isso a tempos, porém não tinha força ou vontade de derrubar o irmão. O maior problema lá é a falta de democracia.

    O Deng Xiaoping foi o primeiro a colocar o gato de qualquer cor para caçar o rato.

    "Ora, hoje se sabe que foi o dinheiro americano que deu enorme sobrevida à URSS, permitindo que eles importassem comida. Dizer que havia comida para todos é, no mínimo, uma tentativa mal sucedida de humor pastelão."

    Esta frase acima é besteira sem tamanho. Fala sério, tu acredita nisso?

    Triste para o ideário liberal é soltar fogos por causa de umas frases minimamente realistas.

    "...Quanto a moradia e trabalho, é verdade. Apinhava-se várias pessoas nos mesmos imóveis e todas eram empregados em inúmeras estatais. Pleno emprego a troco de produção zero. ..."

    Parece o Brasil.
  • Leandro  07/04/2010 23:19
    Bruno, em primeiro lugar, o adjetivo "libertário" utilizado para Raúl Castro foi uma ironia tão óbvia, que pensei que dispensava maiores explicações.

    Quanto ao dinheiro americano para a URSS, isso não é opinião minha; são fatos documentados. Antes de dizer que tais fatos são besteiras, você deveria antes se certificar de que está bem informado sobre eles. Você está partindo do pressuposto: "Se eu nunca ouvi falar, é porque não existe."

    A economia socialista soviética sobreviveu artificialmente graças a quatro expedientes, em ordem:

    1) A abertura do mercado, feita por Lênin, que atraiu investimentos estrangeiros em quantidade;

    2) a Segunda Guerra;

    3) a ocupação e exploração dos países satélites do Leste Europeu;

    4) a exploração da imensa rede de milionários pró-comunistas que moravam no Ocidente, rede essa que vinha sendo formada por Stálin desde a década de 1930. Para se ter uma idéia de quanto isso representou em dinheiro, basta ver que na Guerra Civil Espanhola a URSS não teve de gastar um tostão: toda a pretensa ajuda soviética às forças republicanas espanholas veio de milionários de Nova York e de Hollywood.

    Mesmo com tudo isso, o cidadão soviético comum da década de 1980 consumia menos proteínas do que um súdito do Czar em 1913, e tinha um padrão de vida, sob muitos aspectos, inferior ao dos negros da África do Sul sob o apartheid.

    Tão ruim era a economia soviética, que bastou os EUA aumentarem seus gastos militares que a coisa desintegrou.
  • David  05/09/2013 20:14
    Não é só isso. Salvo engano meu, a USRR nunca parou de exportar petróleo e minério, o que garantia boa parte dos subsídios necessários para manter o bonde andando. Parece um país falido da AL que nós conhecemos...
  • Jorge nobre  08/04/2010 08:03
    Caro Leandro,\r
    \r
    É meio "off topic", mas já que você mesmo tocou no assunto, o que acha você do papel de Reagan na queda do comunismo?\r
    \r
    A maioria dos libertários costuma minimizar o papel de Reagan, eles dizem que o comunismo caiu porque deveria mesmo cair e Reagan nada teve com isso... Eu não estou dizendo que são todos, mas a maioria pensa assim. Esse é, alias, um dos motivos para eu desconfiar dos libertários em geral.
  • Leandro  08/04/2010 11:24
    Prezado Jorge, ele foi um catalisador. Sem dúvida acelerou a queda ao desafiar a URSS a uma corrida armamentista, coisa que ele sabia que o país não tinha a menor condição de acompanhar.

    Mas é fato que a economia da URSS um dia ou outro ia cair - o comunismo é uma impossibilidade prática, como Mises demonstrou ainda em 1920.

    Mas não foi só Reagan o responsável. Alguns creditam a João Paulo II um papel ainda mais decisivo nessa queda, ao dar seu apoio explícito ao Solidariedade. Vale lembrar que todo o desmantelamente começou na Polônia.

    Enfim, é um bom debate.

    Abraços!
  • Eduardo Minga  08/04/2010 12:35
    Essa declaração do Raúl Castro, mais uma vez (pra variar) mostra o fiasco que é o socialismo/comunismo.\r
    \r
    De qualquer forma, para infelicidade do movimento libertário, existem dois fatores que impedem que isso se torne uma realidade óbvia para todas as pessoas, como deveria ser:\r
    \r
    1- O embargo economico a Cuba, que sempre serve de desculpa para o fracasso economico da ilha, que como explica a teoria austríaca, seria inevitável de qualquer jeito.\r
    2- A militância de esquerda é infinitamente mais atuante e engajada do que qualquer movimento libertário. O resultado disso, é que por mais absurdas que sejam suas idéias, eles conseguem convencer um imenso número de pessoas de que estão certos. Como dizia Joseph Goebbels, "uma mentira mil vezes dita, torna-se verdade". Considerando isso, fica fácil de entender porque é amplamente aceito pela maioria absurdos como "O livre-mercado leva a monopólios", "O livre-mercado reduz a qualidade de vida das pessoas", "A busca pelo lucro reduz a qualidade dos produtos", "Regulação é necessária para fomentar a concorrência" e etc. Ouvimos isso tantas vezes desde q nascemos, que a maioria das pessoas acabam assumindo isso como verdades absolutas, sem questionar nada a respeito.
  • Luciano  13/04/2010 17:24
    Olhem que beleza, o ditador resolveu privatizar os salões de beleza.

    Agora falta privatizar a ilha toda para tirar todos da miséria.

    E viva a revolução !

    veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/internacional/privatizacao-cosmetica/
  • NELSON LUIZ PEDRA  24/04/2010 19:52
    O regime comunista é uma tragédia para o indivíduo e para a nação que o adota.Como viver num lugar sem esperança de dias melhores,onde o mérito não é recompensado?Sem esperança,mata-se o homem.
  • Jean  20/12/2011 12:01
    Olá Leandro, gostaria de saber se vc tem algo para me indicar para que eu encontre dados sobre isso que disse: "a exploração da imensa rede de milionários pró-comunistas que moravam no Ocidente, rede essa que vinha sendo formada por Stálin desde a década de 1930. Para se ter uma idéia de quanto isso representou em dinheiro, basta ver que na Guerra Civil Espanhola a URSS não teve de gastar um tostão: toda a pretensa ajuda soviética às forças republicanas espanholas veio de milionários de Nova York e de Hollywood."

    Achei isso muito interessante e seria um material muito bom para ter em mãos.

    Obrigado,

    Jean Monteiro
  • Leandro  20/12/2011 13:05
    Uma pesquisa sobre a Hollywood da década de 30 relata vários artistas em campanha engajada para arrecadar dinheiro para o lado republicano (em oposição aos nacionalistas) da Guerra Civil Espanhola. E não só em Hollywood, mas também em todas as hostes ocidentais progressistas. Dentre os mais engajados, destacavam-se Ernest Hemingway, George Orwell, W. H. Auden, André Malraux, Saint-Exupéry e Simone Weil. Todos contra Franco. Todos contra o fascismo. O dinheiro jorrou... e foi parar no bolso de Stálin.

    O livro Arms for Spain: The Untold Story of the Spanish Civil War relata bem como a URSS "traiu" a Espanha, sem ofertar nenhuma ajuda financeira, enviando armas antiquadas e, ainda pior, espoliando o governo espanhol em milhões de dólares ao secretamente manipular a taxa de câmbio. A própria Wikipédia faz um bom resumo dos eventos. Já o livro The Spanish Civil War dá relatos mais detalhados sobre o envolvimento de estrangeiros nessa guerra.

    Recomendo.

    Abraços!
  • Jean  21/12/2011 06:04
    Obrigado Leandro!!

    Essas referências serão muito úteis para mim.

    Abraços
  • anônimo  28/06/2012 11:37
    Por que o bloqueio econômico é apontado como falha? Cuba precisa dos EUA pra sobreviver?! Os EUA são obrigados a negociarem com Cuba?! Que eu saiba, um grande parceiro comercial de Cuba é o Canadá. Até que ponto isso atrapalha tanto? \r
    \r
    Não faz sentido até libertário dizer que isso pesa contra...
  • Gunnar  05/09/2013 21:49
    Pesa contra no sentido propagandístico da coisa.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.