Existe uma página específica para este artigo. Para acessá-la clique aqui.

O pavoroso Al Gore

A imprensa brasileira compreensivelmente não está noticiando os trambiques do seu garoto-modelo, por isso temos de recorrer a fontes estrangeiras.

Como noticia o britânico Telegraph, Al Gore pode se tornar o primeiro sujeito no mundo a faturar um bilhão de dólares exclusivamente por causa das "políticas verdes" que ele tanto advoga.

O que tem de errado nisso? Explico:

Ano passado, a empresa da qual Al Gore é parceiro, uma private equity chamada Kleiner Perkins, emprestou 75 milhões de dólares para uma pequena empresa da Califórnia.  Essa empresa californiana, chamada Silver Spring Networks, produz hardware e software com o intuito de deixar as redes elétricas mais eficientes.

Até aí, beleza.  Não há nada de errado nisso.

Mas eis que na semana passada entra em cena o Departamento de Energia americano e anuncia subsídios de 3,4 bilhões de dólares para tais empreendimentos.  Do total, mais de 560 milhões foram destinados para concessionárias de utilidade pública com as quais a Silver Spring tem contratos.

Isso significa que a Kleiner Perkins de Al Gore, que entrou com meros 75 milhões de dólares, poderá colher lucros estrondosos nos próximos anos, cujas estimativas chegam a 1 bilhão de dólares.

Quando um sujeito enriquece no livre mercado, isso significa que ele teve êxito em ofertar bens e serviços que os consumidores estavam demandando.  Trata-se de um arranjo puramente voluntário e meritocrático.  Agora, quando um sujeito membro da elite política utiliza o aparato estatal para se tornar ainda mais rico, isso significa que ele teve êxito em espoliar os contribuintes de seu país.

Mas temos de reconhecer o espírito empreendedor de Al Gore.  Primeiro o indigitado sai percorrendo o mundo promovendo suas mentiras climáticas.  Isso lhe rende um Nobel e o servilismo de toda a imprensa mundial (a imprensa brasileira certamente é uma das mais sabujas.  É praticamente impossível encontrar uma linha sequer criticando Gore).

Logrado êxito na promoção do terrorismo ambiental, Gore passa a promover intervenções estatais geradoras de pobreza alheia (e enriquecimento próprio).  A intenção é fazer com que o mundo retorne ao modo de vida do início do século XX.  Países mais espertos e que estão preocupados em enriquecer, como China e Índia, simplesmente ignoram as políticas preconizadas pelo charlatão.  No Brasil, o sujeito tem um ardoroso fã clube midiático liderado por Sérgio Abranches - que, sendo sociólogo, está perfeitamente apto a palpitar com firmeza e desenvoltura sobre questões climáticas das quais nem os cientistas do MIT se sentem seguros para falar.

Uma vez implementadas tais políticas pelo congresso americano, Gore apenas se ocupa de coletar os milhões de dólares que passam a jorrar dos contratos que ele tem com as empresas que ele ajudou a enriquecer por meio dos subsídios do estado.  Fecha-se o ciclo de investimento. 

Pelo menos ficou explícito agora quais são - e sempre foram - as reais intenções de Gore.

Ou seja: foi transformado em ícone do humanismo um sujeito que cria factóides para arrebatar receitas polpudas do contribuinte.  E não se enganem: isso não é problema exclusivo dos americanos.  Quando as políticas algorianas forem implantadas no Brasil, seu suado dinheirinho será utilizado para benefício de empresas e empresários com boas conexões com o estado. 

E tudo em nome do verde e com todo o apoio da mídia.  Simplesmente não haverá como nos defendermos.  Como dizem em Minas, "Nós tamo a pé".

0 votos

SOBRE O AUTOR

Leandro Roque
é o editor e tradutor do site do Instituto Ludwig von Mises Brasil.


OFF-TOPPIC: pessoal do IMB, seria possível vocês redigirem um artigo refutando as teorias conspiratórias sobre o Nióbio que abundam desde a época do Enéias? Quinta-feira o Instituto Liberal reiniciou o debate, e seria ótimo se vocês dessem continuidade. Eis o que comentei no website do IL, é o que resumidamente penso do assunto:

"Se há indícios concretos ou, ao menos, motivos para crer que as empresas autorizadas pelo Estado brasileiro a retirarem do solo e comercializarem este metal estão cometendo fraudes de qualquer natureza, em conluio com grupos estrangeiros ou não, a solução é, em se confirmando as irregularidades, rescindir os contratos de permissão em vigor e abrir este mercado para mais empresas interessadas no empreendimento - seja lá de onde elas forem. A que oferecer a melhor barganha leva as jazidas - e paga impostos sobre tudo o que produzir. Elevar o preço na marra? Claro, abusar desta condição de quase monopolista pode funcionar no começo, mas no médio prazo surgirão alternativas de melhor custo-benefício para atender a demanda daqueles insatisfeitos com a situação. Deixar de vender o Nióbio como comodittie e agregar valor ao mineral em nossa indústria da transformação? Seria ótimo, se nosso parque industrial não estivesse parado no tempo desde meados do século passado. Só falta criarem a estatal NIOBRÁS no Brasil, que dará origem ao escândalo do NIOBRÃO. O brasileiro não aprende mesmo: sempre achando que vai encontrar um bilhete premiado no chão e poderá passar o resto da vida bebendo e sambando."
"Tal afirmação nunca foi feita. Em ponto nenhum do artigo. E nem em nenhum outro artigo"

Não me refiro à uma frase ou texto escrito nos artigos do IMB. Estou questionando a percepção daqueles que defendem esse modelo de afrouxamento da terceirização proposto pelo governo, pois essa discussão toda é parte da realidade em que estamos vivenciando. Aliás, não creio que esse artigo seja uma mera exposição teórico-dissertativa acerca do que seria e quais os benefícios de uma terceirização segundo os liberais, muito menos um texto desvinculado da conjectura atual, como você transparece para quem lê. Logo, minha indagação é pertinente, ainda que, o que questiono, não esteja explicitamente escrito no artigo.

Em relação ao artigo linkado, em momento algum vi algo a mostra que abordasse diretamente o problema terceirização-corporativismo privado que eu levantei acima. O que mais se aproxima seria esse trecho:
"Em primeiro lugar, a ideia de que custos menores para empresas é algo ruim. Além do fato de que custos baixos permitem maior acúmulo de capital — o que possibilita mais investimentos e mais contratações —, falta explicar como que custos de contratação menores podem ser ruins para pessoas à procura de emprego."
Sim, não há problema algum em um empresário tentar reduzir seus custos para se adequar a concorrência e auferir maiores lucros. O entrave se encontra, como eu falei, no empresário monopolista que não possui um fator invísivel para motivá-lo à otimizar sua produção. A mão visível do Estado garante que seu produto inevitavelmente será consumido e, com isso, seu lucro será certeiro. Por conseguinte, não há a preocupação constante deste em inovar, melhorar a qualidade, aumentar a produtividade da sua mão de obra. Nesse sentido, a terceirização beneficia esse empresário, justamente por rebaixar seus custos com contratados (temporários ou não) à niveis abaixos daquilo que os empregados produzem, sabendo se que eles estão confortáveis em relação aos processos trabalhistas que enfrentarão (ajudinha estatal). Bem como, estagna ou retarda as inovações, tendo em vista que sua produção atual será adquirida pelos consumidores à um preço "monopolístico" durante um tempo maior que o de uma concorrência que existiria num livre mercado. Ademais, seu produto foi feito empregando mão-de-obra com um ônus muito abaixo daquilo que ela de fato produz. Desse modo, a margem de lucro é gigantesca, sendo que esse lucro pode sim ser revertido em capital para futuras melhoras, o que, na minha opinião, não aflinge ou preocupa de modo algum uma empresa monopolista, pois esta pode facilmente pegar crédito subsidiado de bancos estatais, ou ser empreendido em outros investimentos pessoais e, na minha percepção, fúteis e de pouco potencial de gerar valor no futuro.

ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • Caio Augusto  04/11/2009 19:35
    Eu acho esse sujeito absolutamente repulsivo. Só de olhar pra sua cara eu já sinto engulhos.
  • Bruno  05/11/2009 00:37
    O cara fez lobby? Vou deixar esse texto em observação minha, até alguém falar e comprovar tacitamente que ele lobby. Senão é é a opinião encampada como sempre no textos do IMB sobre o assunto (até porque vocês realmente encamparam a idéia de que aquecimento global é mentira). liberal como sempre, que só vê o curto prazo.\n\nJá te disse Leandro em um e-mail. A natureza sempre vai voltar ao equilíbrio. Se nos, seres humanos, vamos suportar o tranco ou se vamos ter condições de viver sob o novo equilíbrio aí é outra história.
  • Leandro  05/11/2009 05:17
    Bruno, como assim? Gore é uma das estrelas do partido Democrata, um dos que pautam a agenda ambientalista do governo Obama e um dos maiores defensores das "políticas verdes" que devem ser implantadas de modo nada democrático pelos governos.

    Se você acha que Gore é um sujeito de princípios, preocupado com o meio ambiente e avesso a lobbies, permita-me contar uma pouco conhecida história dele:

    Em 1997, quando era vice-presidente dos EUA, Gore fez campanha pela privatização da National Oil Reserve (Reserva Natural de Petróleo) da Califórnia. Ela foi vendida para a empresa Occidental Petroleum, em uma manobra puramente política. A Occidental explorou o lugar, provocou sérios danos ambientais e destruiu um cemitério indígena sagrado. Mas garantiu rendimentos polpudos para a família Gore, que possuía ações da Occidental - daí seu empenho pela privatização. (A Occidental é também a empresa que construiu um oleoduto na Colômbia, tudo mediante contratos do governo.)

    Ou seja: o sujeito tá nesse negócio de ambientalismo só pela grana - e sabe direitinho o que tem de fazer e quem manipular.

    Agora, se você quer crer na inocência desse político, fique à vontade. Apenas não dê epítetos àqueles que se atrevem a duvidar da santidade do preclaro.
  • Cristiano  05/11/2009 10:12
    Quando leio isso não fico desesperado com o malinvestment decorrente dessas sandices, do custo absurdo que recai sobre a economia, etc.. me desespera, sim, a sufocante avalanche de mentiras na imprensa.
  • Daniel  05/11/2009 13:55
    Não é novidade. Dois anos atrás foi publicada essa notícia: "Al Gore gasta mais energia num mês do que um americano médio num ano"

    Link: http://pt.wikinews.org/wiki/Al_Gore_gasta_mais_energia_num_m%C3%AAs_do_que_um_americano_m%C3%A9dio_num_ano

    Isso aí é bandido da pior espécie.
  • Carlos Alexandre Machado de Mello  05/11/2009 15:29
    BRUNO:
    Se você quer saber quem é Al Gore, passe a visitar o blog Mitos Climáticos, especializado em meteorologia e climatologia; em especial, leia todos os posts de setembro deste ano e o de 14 de outubro passado, prá você ver o tipo de picareta esperto que é Al Gore!!!
  • Fernando Chiocca  13/11/2009 16:59
    The World's First 'Carbon Billionaire' http://blog.nj.com/njv_paul_mulshine/2009/11/clouds_hang_over_the_global-wa.html
  • Eduardo Rodrigues  15/11/2009 12:24
    Site que elucida questões sobre aquecimento global e ambientalismo em geral. Imperdível para quem quer saber mais sobre esses assuntos sem ser enganado. http://ecologia-clima-aquecimento.blogspot.com/
  • Thad  17/11/2009 10:02
    O que ele fez de diferente que não entendi? a família bush tem empresas junto com a familia do bin laden, a empresa do filho do lula ganha milhões e milhões do dia pra noite mesmo tendo prejuízo.\n\nae o cara avisa o mundo de um problema e começa a investir em soluções para resolver o problema (que obviamente alguma hora terão de ser adotadas) e lucra com isso ele é um pilantra? ele é no mínimo um visionário. seria melhor se ele tivesse roubando dinheiro de empreiteiras e criando empresas que dão prejuizo para fazer desvios bilionarios como todos os outros politicos que conhecemos bem.\n\nPatético esse texto.
  • Leandro  17/11/2009 13:45
    Como fica claro, mexer com semideuses é problemático. Sua turba de fiéis está sempre disposta a revidar com pedras. Prezado Thad, como o texto mostrou, Gore está enriquecendo mediante dinheiro do governo (i.e., do contribuinte). Para você, isso poder ser uma coisa moral, normal. Mas para nós, é uma conduta criminosa. Citar a família Bush e o Lulinha como justificativa para o crime, tentando fazer com que a conduta de Gore pareça melhor e mais ética, apenas piora seu comentário, alem de deixar-lhe a descoberto. Petética sua incapacidade de percepção.
  • Fernando Chiocca  04/12/2009 16:11
    Ha Ha Ha\nAlgore, revealed as a liar, chickens out of his big Copenhagen speech:\nhttp://www.lewrockwell.com/spl/gore-cancels.html
  • mcmoraes  02/07/2010 10:25
    Bruno disse: "O cara fez lobby? Vou deixar esse texto em observação minha, até alguém falar e comprovar tacitamente que ele lobby. Senão é é a opinião encampada como sempre no textos do IMB sobre o assunto (até porque vocês realmente encamparam a idéia de que aquecimento global é mentira). liberal como sempre, que só vê o curto prazo."

    TV Weatherman leads 30,000 Scientists in lawsuit charging Al Gore with fraud in Global Warming Scam. Also supporting the Scientists are 9000 PHD researchers.

  • Walter Hauer  29/11/2010 13:47
    A imprensa nunca mediu o tamanho da pegada ecologica do autor da tal medida, o Al Gore, e dos donos das eco griffes e do monopólio do protesto. O poder do eco terrorismo, aquele que transformou vegetação nativa em problemas, como a intocabilidade, a perda de direitos e da dignidade de quem preservou, ficando todos os recurços para estas eco picaretagens midiáticas, as organisações não gratas, as ONGs, e para os eco asilos de empregos públicos vitalícios. As eco têtas e todo o custo da corrupção funcional destes eco heróis das florestas alheias. Veja o tamanho do prejuizo do eco terrorismo no blog MATAALHEIAMAMATANOSSA.BLOGSPOT.COM e como funciona a eco farça vendo as divertidas charges
  • Eduardo  08/12/2010 18:07
    Bem, a Marina tentou fazer a mesma coisa que o Gore... Conseguiu incríveis 20 milhões de votos, em nome de uma fraude chamado aquecimento global...
  • Ricardo  10/12/2010 15:23
    Leandro, eu acredito que o possível (ou provável) charlatanismo do Al Gore não invalida as preocupações que todos devemos ter com o meio ambiente. Assim como os cientistas do MIT, eu também não me sinto seguro para abordar temas mais áridos, porém não sou cego. Se havia uma calota polar em 1980 que não existe mais em 2010, alguma coisa está errada, não?
  • Fernando Chiocca  10/12/2010 15:30
    "Preocupações que todos devemos ter com o meio ambiente"? Que preocupações? Se o mundo esquentar será ótimo para a agricultura e eu prefiro bem mais o calor do que o frio. Mas infelizmente não est'a... é está a preocupação que você se refere?
  • Ricardo  12/12/2010 17:07
    Fernando, eu abordei a questão da temperatura, mas obviamente o problema não se resume a isto. Você deve saber que a água potável também é um bem ameaçado, e já há previsões de guerras motivadas pela falta dela no futuro. Neste caso, não haverá nada de "ótimo para a agricultura". As sociedades mais avançadas que todos nós admiramos são aquelas que privilegiam o bem coletivo, e este cenário não admite posições individualistas como "eu prefiro bem mais".
  • Fernando Chiocca  12/12/2010 19:20
    A água potável também é um bem ameaçado??
    Guerras serão travadas por algo que, literalmente, cai do céu??
    Você só pode estar de brincadeira.

    A única razão de haver escassez de água é devido ao monopólio do governo na sua distribuição. Aqui em São Paulo, por exemplo, é um crime vender água para imóveis em caminhão pipa. Só a Sabesp pode vender água.

    Preservem a inteligência!!
  • mcmoraes  12/12/2010 21:50
    Ricardo, as sociedades mais avançadas são aquelas que privilegiam ou privilegiaram num passado recente a propriedade privada: How Capitalism Saved America
  • Marcelo Amorim  10/01/2011 14:54
    E o caso da massagista? www.bbc.co.uk/news/10472152

    Al Gore é o queridinho da mídia e das celebridades.
  • André Ramos  20/01/2011 15:46
    O ser humano é um malvado que acaba com a natureza só pensando em lucrar. O mundo ideal é aquele do filme Avatar, em que os smurfs compridos vivem em harmonia com a natureza e se conectam com os bichos pra se deslocar...
    O texto do Leandro não prega o fim do mundo, mas apenas demonstra que a agenda do ambientalismo é usada para (i) aumentar o controle estatal sobre os indivíduos, apontados como assassinos das futuras gerações, e (ii) enriquecer oportunistas, que vestem o manto (ou chale) sagrado da floresta para tungar, através do estado, nossa carteira.
  • Fernando Chiocca  10/02/2011 13:14
  • Jerry  19/01/2012 11:02
    Esse artigo simplesmente não explica como o Al Gore lucrou com a causa ambiental. Me parece que ele lucrou exclusivamente como corporativista.

    Segundo o texto "Al Gore pode se tornar o primeiro sujeito no mundo a faturar um bilhão de dólares exclusivamente por causa das "políticas verdes"." Então não é "exclusivamente", certo?


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.