O Waze é a onda do futuro e representa o progresso - por isso o estado quer proibi-lo
Economia colaborativa como forma de corrigir lacunas

Nota do editor:

Há alguns anos, o aplicativo Waze surgiu para nos propiciar algo melhor e mais completo do que um GPS convencional. Além dos mapas e direções para se sair do ponto X e se chegar ao Y, o recurso se baseia na interatividade entre os usuários. 

No Waze, as rotas são configuradas levando-se em conta as informações em tempo real que são inseridas no sistema pelos seus milhares de usuários.  Os usuários podem relatar acidentes, congestionamentos, barreiras policiais, radares escondidos, volume de tráfego, velocidade média da via, câmeras rastreadoras etc. Isso permite que o motorista preveja os pontos onde há maior congestionamento, os locais de acidentes, os bloqueios e os radares móveis.

E é por isso que o Waze é superior ao GPS tradicional: trata-se de um aplicativo baseado na interatividade voluntária e espontânea de seus usuários.

Ao solicitar um trajeto, o aplicativo reúne todas as informações alimentadas pelos usuários e traça a melhor rota para que o motorista economize seu tempo de viagem. Sendo melhor que um GPS, o Waze fornece rotas e atualizações de tráfego em tempo real.

Por seu lado, o próprio motorista também contribui com informações que encontra pelo caminho, seja uma árvore que caiu no chão, pista escorregadia ou uma blitz policial.

E aí começaram os problemas para o estado.

Como o estado não tolera inovações que solapem sua onipotência, ele agora quer acabar com o Waze.  E tendo como base o onipresente Marco Civil da Internet.

Leia esta notícia, de 30 de agosto:

Comissão da Câmara dos Deputados aprova projeto para proibir Waze

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) da Câmara dos Deputados aprovou na terça-feira (30/8) um projeto que pode atrapalhar o futuro do aplicativo de navegação em mapas Waze no Brasil: de autoria do deputado Major Fábio (PROS-PB) o projeto de lei nº 5596, de 2013, pretende proibir o uso de aplicativos e redes sociais que alertem motoristas sobre a ocorrência de blitze no trânsito.

O texto pretende alterar o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), instituindo como infração o ato de conduzir veículo com dispositivo, aplicativo ou funcionalidade que identifique radares ou blitze pelo caminho. [...]

Além disso, o projeto de lei se apoia no Marco Civil da Internet para propor que redes sociais, como Facebook e Twitter, sejam obrigadas a retirar do ar postagens de usuários com alertas sobre esse tipo de ação da polícia em todo o Brasil, mediante ordem judicial. Em caso de descumprimento, as empresas que mantêm esses serviços e seus usuários teriam de pagar multa de R$ 50 mil.

A partir da aprovação na comissão de tecnologia, o projeto segue para a Comissão de Viação e Transportes (CVT) e para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Para Francisco Brito Cruz, diretor do instituto de pesquisa de direito digital Internet Lab, a aprovação do projeto na Comissão foi uma surpresa. "Nenhum dos dados apresentados na audiência pública foi levado em conta no projeto de lei", disse o pesquisador, que participou do debate sobre a proposta.

Para ele, "a preocupação com as blitz não será resolvida com bloqueio do Waze", e a proibição desse tipo de aplicativo pode causar "prejuízos à inovação", além de impedir que as pessoas usem o Waze quando precisam pedir ajuda às autoridades policiais O especialista criticou ainda a forma como o debate sobre o assunto foi conduzido. Ele acredita que houve pouca participação do relator do projeto, Major Fábio.

O artigo a seguir é uma ode ao Waze e a tudo aquilo que ele representa.

___________________________________________

Foi só recentemente que comecei a utilizar o Waze em meu smartphone.  O aplicativo existe desde 2012, mas, devido à lentidão com que me rendo às novas tecnologias, o Waze ainda era uma novidade para mim até algumas semanas atrás.

O Waze é um aplicativo de navegação que mostra o tráfego em tempo (quase) real, utilizando informações inseridas instantaneamente por usuários.  Essencialmente, o aplicativo interliga usuários que estão em uma determinada área, permitindo que eles compartilhem, em tempo real, informações relacionadas a tudo que envolve o trânsito: de congestionamentos a acidentes, passando por objetos perigosos na pista e a localização de uma eventual blitz policial — esta, sem dúvida, sendo o maior perigo de todas.

Assim como o Google Maps, só de dirigir com o aplicativo Waze aberto em seu smartphone você já está enviando informações em tempo real sobre o trânsito, com todas as retenções, os congestionamentos e os perigos sendo captados pelo aplicativo.  Você também pode ativamente relatar determinadas condições peculiares do trânsito, das ruas ou da estrada, corroborando o que outros usuários já relataram antes de você.

Por exemplo, se você vir uma árvore caída, você pode relatar que há um "objeto na via", e então, à medida que outros motoristas vão passando pelo local, eles podem verificar se a árvore ainda está lá ou não.  Você pode fazer isso para objetos, buracos, animais, veículos parados na pista, acidentes, atropelamentos, obras, ausência de sinalização, meteorologia (nevoeiro, chuva de granizo, alagamento, gelo na pista), interdição e, é claro, para alertar aos outros motoristas que há policiais à espreita e ávidos para tomar seu dinheiro.

Com mais de 50 milhões de usuários ao redor do mundo, o Waze cobre uma multiplicidade de regiões e áreas, com um número de motoristas grande o bastante para fornecer relatos claros e atualizados sobre trânsito, perigos e, principalmente, rotas alternativas, que é a principal atratividade do aplicativo. 

Só na cidade de São Paulo há mais de 1,5 milhão de usuários ativos.  Na cidade do Rio, 500 mil.  Quanto mais você contribui com relatos, e quanto mais os outros usuários confirmam tudo o que você já relatou, mais alta fica a sua classificação no ranking e mais peso seus relatos têm dentro da comunidade do Waze.  Trata-se simplesmente de um índice de confiabilidade.

Existe também um aplicativo separado chamado "Waze Rider", no qual os usuários do Waze podem oferecer caronas para outras pessoas que fazem trajetos similares.  O objetivo declarado é concorrer com a Uber.

Cooperação e a economia colaborativa

É por meio dessas particularidades do Waze que um fenômeno inerente às sociedades livres se manifesta por completo: a ordem espontânea.

Segundo o economista austríaco Friedrich Hayek:

O que na verdade constatamos em todas as sociedades livres é que, embora grupos de homens se unam em organizações para consecução de alguns fins específicos, a coordenação das atividades de todas essas várias organizações, bem como dos diversos indivíduos, é produzida pelas forças que favorecem uma ordem espontânea. A família, a propriedade rural, a fábrica, a pequena e a grande empresa e as diversas associações [...] são organizações que, por sua vez, estão integradas numa ordem espontânea mais abrangente.

Ou seja, a ordem espontânea é fruto da evolução da ação de vários atores da sociedade e se regula de maneira descentralizada e ao mesmo tempo coordenada.

Veja no caso do Waze: no momento em que o sistema processa as informações inseridas por um determinado usuário que está em uma determinada localidade, este usuário não tem a mais mínima ideia de para onde os outros usuários estão indo.  O usuário simplesmente fornece informações, voluntária e espontaneamente, para que os outros usuários tracem suas rotas, mas ele não tem interesse em saber o destino final de nenhum outro usuário. Nenhum usuário sabe para onde outro usuário se desloca, mas mesmo assim eles se auxiliam reciprocamente atualizando informações que vão acrescentando ao longo do trajeto.

Com a utilização do aplicativo, outras informações são fornecidas e utilizadas pelos usuários que servem aos propósitos de cada um. A ordem espontânea que pode ser verificada no Waze é que o melhor itinerário não é conhecido a partir da maior quantidade de possibilidades de rota, mas sim das informações dispersas inseridas pelos indivíduos, as quais ajudam na elaboração do trajeto mais rápido. Essas informações dispersas também possibilitam aos motoristas encontrarem postos de combustível com preços mais atrativos na área onde se situam, por meio do recurso que permite a pesquisa de postos e preços listados pelos usuários do aplicativo.

Ainda segundo Hayek, "precisamos da descentralização porque somente ela poderá nos assegurar que o conhecimento de circunstâncias particulares de tempo e local serão prontamente utilizados".

Um aplicativo que reune todas as informações que seus usuários alimentam (intensidade de tráfego), e as devolve para a utilização na consecução do propósito de cada um deles (o destino escolhido), serve como exemplo de como este conhecimento pautado nas ações aparentemente desconectadas e alheias entre si pode ser produzido por uma vasta e interligada cooperação.

Por tudo isso, o aplicativo Waze realmente é a epítome da economia colaborativa na qual vivemos hoje.  É também um grande exemplo de como os mercados unem as pessoas e as incentivam a cooperar e a trabalhar em conjunto para o bem de todos. Eis aí uma tecnologia pode poupar a você tempo e dinheiro, bem como permitir que você dirija com muito mais segurança — e tudo isso a custo zero, graças às pessoas que voluntariamente contribuem e ajudam. 

Essa ordem espontânea é a onda do futuro, e são aplicativos como o Waze que trazem esse futuro para mais perto de nós.

Razões para sermos otimistas

Tudo isso mostra como é sensacional o mundo em que vivemos hoje.  Com todas as notícias trágicas que nos são apresentadas diariamente, tendemos a nos esquecer de como o mundo está continuamente melhorando para todos.  Mais ainda: em termos de riqueza, vivemos em uma época totalmente sem precedentes na história humana. 

Se as pessoas — majoritariamente, políticos, burocratas, reguladores e intelectuais que lhes dão apoio — simplesmente refreassem suas propensões ditatoriais, parassem de querer controlar as ações dos outros indivíduos ao redor, e deixassem que o mercado — isto é, a livre interação entre as pessoas — reinasse supremo, vivenciaríamos um crescimento ainda mais inaudito na riqueza e na cooperação.  Apenas deixem as pessoas criar e produzir livremente, e a melhora na qualidade de vida virá.  E a custos cada vez menores.

Como nos mostra o Waze, o capitalismo e o individualismo não geram isolamento.  Muito menos estimulam o "cada um por si".  Muito pelo contrário.  O que essas idéias estimulam é a interação e a cooperação com outros de uma maneira respeitosa à soberania individual: você mantém suas idéias em relação às coisas relacionadas a você próprio, e respeita as idéias de terceiros em relação às coisas que dizem respeito a eles próprios.

De várias maneiras, trabalhar em conjunto com terceiros trará resultados que são do seu interesse próprio.  E tecnologias como Waze, Uber, Airbnb, Descola Aí, Cabe na Mala, Banca Clube, Ebay e várias outras nos permitem, da melhor maneira possível, usufruir a melhor característica do mercado: interagirmos com terceiros e nos beneficiarmos segundo nossos próprios interesses.

Por tudo isso, não podemos tolerar absolutamente nenhuma tentativa de intromissão do estado neste arranjo.  Muito menos sua proibição.

_______________________________________________

Leia também:

As aplicações P2P quebrarão os monopólios e as reservas de mercado, e tornarão todos capitalistas 

A descentralização chegou: qualquer um pode ser empreendedor sem ter de pedir autorização ao estado 

_______________________________________________

André Mellagi é psicólogo e doutorando em Psicologia Social.

Ryan Miller é pós-graduado na Univesidade de Michigan e tradutor freelancer.


0 votos

SOBRE O AUTOR

Diversos Autores


Meu caro, pelo seu discurso você nunca foi liberal e nunca entendeu o que é ser liberal. E ainda tem coragem de vir com esse apelo sobre pobreza.

Gostaria de fazer uma pergunta a todos vocês:
Pois não.

Vocês já foram Pobres pra saber?
Nasci pobre, muito prazer.

Vocês já tiveram um parente morto por bala perdida?
O que isso tem a ver com capitalismo/liberalismo? Você está misturando segurança pública (que é MONOPOLIO do estado), que alias é altamente ineficiente (no Brasil, morrem 56.000 pessoas por ano, o maior indice do mundo, a gente perde até pra India, que é 43.000 por ano, outro país com alto controle estatal e burocrático) com conceitos economicos. O estado nega aos seus cidadãos o próprio direito de se defender com uma arma e mesmo assim é incapaz de solucionar o problema.

Falam tanto em mercado, economia. Mas nunca vi um liberal que enriqueceu graças a todo seu conhecimento na área, algum de vocês é rico por acaso? Maioria que vejo é classe média, acho gozado porque se manjam tanto de produzir valor e riqueza vocês deveriam ser ricos..Mas não é isso que eu vejo.

Ai meus deuses... essa foi triste.
1) O Brasil está muito longe de ser um país livre, economicamente. É o país que fica em 118 lugar no índice de liberdade econômica.

2) Ser liberal não é uma formula para ser rico e sim defender que as pessoas tenham a liberdade para efetuarem trocas entre si sem intervenção constante do Estado por via de impostos e regulações. É dessas trocas de valor que a riqueza é produzida. Cada um teria a liberdade de crescer de acordo com suas habilidades e viver num patamar de vida que julga confortável, mas repito, o Brasil NÃO É E NUNCA FOI UM PAÍS LIVRE, ECONOMICAMENTE. Você se dizia liberal e não sabe desse básico. Aham. To vendo.

Eu já fui liberal, ai cai na real com a vida, vi que esse papo de mercado não é bem assim.
Não, amigo, você nunca foi liberal. Sinto muito. Ou você está mentindo ou você diz ser uma coisa que nunca entendeu direito o que é (o que mostra o seu nível de inteligência).

Inclusive, um amigo meu foi pra Arabia Saudita, ele disse que lá existem muitas estatais e assistencialismo e o país enriqueceu assim mesmo...

Aham, beleza, usando a Arabia Saudita como exemplo:

Saudi Arabia's riches conceal a growing problem of poverty

"The state hides the poor very well," said Rosie Bsheer, a Saudi scholar who has written extensively on development and poverty. "The elite don't see the suffering of the poor. People are hungry."

The Saudi government discloses little official data about its poorest citizens. But press reports and private estimates suggest that between 2 million and 4 million of the country's native Saudis live on less than about $530 a month – about $17 a day – considered the poverty line in Saudi Arabia.


Opa, perai, como é que 1/4 da população da Arabia Saudita vive abaixo da linha da pobreza? Você não disse que era um país ótimo, rico, cheio de estatal e assistencialismo? Explique isso então.


Falam de acabar com o imposto mas negam toda a imoralidade que a ausência deste geraria, como injustiças e até coisas que ninguém prever.

Que imoralidades, cara-palida? Favor discorrer.

Favor, tentar novamente. Essa sua participação foi muito triste.


Poderiam responder o comentário desse Leonardo Stoppa:
Estranho, hipócrita é dizer que o socialismo atual compete com o capitalismo. Comunismo sim complete com capitalismo mas socialismo é uma forma de redistribuição que, quando interpretada por pessoas que estudam economia a partir de livros de economia (e não Olavo de Carvalho) é uma espécie de segurança ao capitalismo.

Se um dia você entender que existe conhecimento além do que você conhece você vai ver que dentro do conceito atual de socialismo estão as formas de redistribuição de renda (SUS, Fies, Bolsas). Em países de primeiro mundo a galera acaba usando essa grana inclusive para comprar iPhone, logo, é um socialismo que serve ao capitalismo pois deixar essa grana parada na conta de um milionário vai resultar na venda de 1 iPhone para apple, agora, quando redistribuído vira vários iPhones.

O problema da sua visão é que você estuda em materiais criados sob encomenda. Você deixa de estudar em livros de economia para aprender pelas palavras de um cara que é pago por aqueles que pagam os impostos, ou seja, aqueles que são contra a redistribuição, logo, você abre mão do conhecimento para a alienação.

Socialismo não é comunismo. Pode vir de certa forma assemelhado nos livros antigos, mas depois da segunda guerra mundial e principalmente depois da queda da URSS, ficou claro que não há em se falar em controle centralizado e ausência de propriedade privada, mas quem estuda um pouco de economia e sociologia sabe que a intervenção e a redistribuição são importantes atividades governamentais para salvaguardar a atividade industrial.

A final, de que adianta ter industrias de ultima geração se apenas 1% do povo compra seus produtos??

ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • Matheus  02/09/2016 14:54
    Talvez muitos discordem, mas eu sou contra existir crimes sem prejudicados, como "excesso de velocidade" ou "dirigir embriagado". Acho que poderia ser considerado um agravante caso a pessoa lese alguma outra pessoa ou propriedade, mas não uma infração em si.
  • DeusOdeia  02/09/2016 15:14
    A pessoa está alcoolizada, ela pode cometer uma agressão, através do uso do carro, é como uma pessoa amoral estar com uma arma na mão !
  • Terráqueo  02/09/2016 15:29
    Concordo.
    Não não o menor sentido penalizar alguém ex ante por um "crime".


    Arranjo Privado

    Em ruas privadas haveria regras privadas, estabelecidas de comum acordo.
    Ficaria evidenciado os limites do uso de tais vias, logo, se fosse estalecido uma proibição quando a "direção sob embriaguez" ou "excesso de velocidade" não haveria problemas, pois tudo foi acordado no "contrato".

    Portanto, vários problemas se resumem a Direitos de Propriedade claramente definidos.

    Terráqueo
    Dirijo sem carteira de habilitação(licença estatal compulsória), já fui conduzido a Delegacia duas vezes...não me importo vou assim até meus últimos dias. Nem vou contar os casos em fui por "desacato".

  • Danos a Terceiros  02/09/2016 15:59
    Caro Matheus:

    Permita-me discordar. O fato de um indivíduo colocar em risco a vida de terceiros é motivo suficiente para se iniciar um debate democrático sobre o tema. Não precisamos esperar que a atitude irresponsável de alguém mate outrem para tomar uma atitude póstuma. Aí seria tarde. Inês (ou outrem) já estaria morta.
    Note que não estou defendendo que a democracia seja ilimitada - muito ao contrário! Tenho plena consciência do jusnaturalismo. Sei que a regra é a liberdade, e a democracia é para ser usada apenas em casos excepcionais.
    Apenas afirmo que atividades com grande chance de causar danos a terceiros fazem com certeza parte desses casos excepcionais. E que nesses casos a maioria pode democraticamente decidir proibir essas atividades sim.

    Abcs!
  • Matheus  03/09/2016 19:02
    Caro Danos a Terceiros,

    Se fossem de fato "atividades com grande chance de causar danos a terceiros", eu concordaria contigo. Porém não considero que seja na maioria das vezes. É perfeitamente possível dirigir de maneira segura após algum consumo de álcool, principalmente se for em em vias locais de baixa velocidade. A questão da velocidade é ainda mais relativa. Que veículo oferece mais risco à outros numa mesma rodovia: uma BMW 2016 a 140km/h, ou uma Kombi da década de 80 a 110km/h?
    Entenda também que não excluo ameaça como crime. Ameaçar outras pessoas por certas maneiras de dirigir deve ser considerado crime assim como apontar uma arma a um inocente.
  • Cássio  02/09/2016 18:03
    E isso que eu sempre falei da lei seca, existem motoristas que bebem e dirigem e existem aqueles que bebem, dirigem e MATAM, são 2 categorias diferentes, e digo que 90% dos que bebem estão na 1ª categoria, dos que não matam. Sem contar que vários motoristas que causaram acidentes porque estavam bebados no máximo responderam a um processo e estão livres hoje, ou seja, uma verdadeira injustiça com aqueles que apenas beberam uma cerveja e tiveram suas carteiras apreendidas sendo obrigados a pagar multa de quase R$ 2.000,00. A lei seca é muito mais um instrumento de arrecadação e androidização das pessoas do que uma lei para tornar o trânsito mais seguro.
  • Mr. Random  13/09/2016 14:02
    Saudações. Gostaria de discordar dos comentários do Cássio e do Matheus. Com todo respeito se alguém quer andar de carro e com álcool deveria usar um veículo Flex, (risos).

    Concordo que a lei seca provavelmente faça parte de uma "política pública" para aumentar o caixa da União, (afinal se o objetivo da lei fosse realmente pegar somente os motoristas embriagados, acredito que o teor alcoólico permitido teria de ser maior), no entanto também acredito que o propósito da proibição é preventivo, uma vez que o condutor estaria, a princípio, unilateralmente assumindo o risco de provocar um acidente.

    Ora, a meu ver quase nunca um pedestre irá hesitar em atravessar a via para considerar se quem vem lá está sóbrio ou não.

    Para deixar claro: não sou um profundo conhecedor da Escola Austríaca, e hoje minha área não é a economia, mas mesmo que não houvesse uma lei acredito que uma norma com o mesmo propósito acabaria sendo acordada. Se o meu entendimento estiver correto, creio que numa sociedade onde a liberdade individual fosse um princípio absoluto o objetivo principal de um acordo sempre seria o bem comum.
  • Anônimo  02/09/2016 20:22
    é necessário coerência, e isso que é difícil, porém, acredito que mais vale precaver, apesar de limitar a liberdade.

    pense: qual é o mal de se vender em qualquer lugar um componente altamente radioativo para qualquer pessoa, se ele ainda não afetou ninguém (e não temos exata certeza se irá afetar)? moraria num lugar que permitisse isso?
  • Bruno  04/09/2016 16:54
    Bom, armas e balas se enquadram neste aspecto. Segundo vc, a culpa de um assassinato foi do vendedor de armas, n do atirador.

    Concordo com o Matheus. Pode beber à vontade, mas se danificar alguém ou propriedade privada alheia que seja punido rigorosamente (pelo dono do local do crime em questão)

  • ???  02/09/2016 14:58
    O WAZE fornece as atualização do tráfico em tempo real? Nossa é uma revolução mesmo!
  • !!!  02/09/2016 15:24
    Sim, em tempo real. Bom, ao menos em São Paulo, onde uso, é.

    Agora, é óbvio que, se você estiver na roça, e não houver nenhum usuário nas redondezas, você não terá informações muito atualizadas.

    Quanto mais usuários estiverem em um determinado local, mais rapidamente serão processadas as informações.

    Milagres não existem: se algo depende de informações compartilhadas, então é necessário um grande volume de informações compartilhadas para que as atualizações sejam rápidas e acuradas.
  • Rennan Alves  02/09/2016 16:17
    Creio que seja uma brincadeira entre as palavras "tráfego" e "tráfico".

    Pelo menos, é o que eu quero acreditar
    ...
  • Rafael Isaacs  02/09/2016 15:17
    Qual a relação do instituto mises com a atlas network?
  • Porta-Voz  02/09/2016 15:26
    Nula. No máximo, camaradagem e respeito mútuo.
  • Filósofo da USP  02/09/2016 15:30
    Nenhuma.

    O IMB é financiado pela KGB e pelo George Soros.
    Cretinos que querem destruir a Nação do Bem Socialista.
  • Pobre Paulista  02/09/2016 16:18
    Soros? Bem que eu desconfiei dos detalhes em vermelho no logotipo do instituto.
  • anonimo  02/09/2016 17:14
    A KGB já foi dividida em duas partes, são elas a FBS E SVR. A ligação dessas duas agências com o Soros não tem a mínimo argumento necessário que sustente essa ideia. Soros como qualquer outro globalista quer entrar no mercado russo, para aplicar o mesmo tipo de "gerência" que é feito no mercado europeu e no mercado americano. Mas como o Putin é pulso forte e um líder excepcional(obs: não sou pró-russo e muito menos gosto do Putin, mas reconhecer a liderança dele é no mínimo prudente), diferente do Obama que manda U$400 milhões para terroristas.
    O Soros é um dos maiores traficantes da America do Sul junto com as FARC, e o sonho dele é ver todo o continente americano como socialista. O poder vem com o governo e os globalistas detém o governo, e os austríacos e o IMB luta justamente contra esse tipo de situação, são polos opostos. Acusar de ser financiado pela KGB e Soros são difamações dos esquerdistas que nem deve ser levado em conta aqui pelos leitores.
  • José Ricardo das Chagas Monteiro  02/09/2016 16:09
  • Thiago  02/09/2016 15:29
    Tudo o que o Estado mais repudia é a liberdade. E isso é cada vez mais óbvio.
  • Rosangela Souza  02/09/2016 15:30
    Bom dia, eu sou o Estado, como posso lhe atrapalhar hoje?
  • anarcocapitalista  02/09/2016 15:56
    Bom dia, eu sou o estado, vou lhe atrapalhar hoje.
  • Ancap  02/09/2016 16:01
    Continue existindo!!!
  • Minarquista  02/09/2016 16:05
    Continue tirando o meu dinheiro à força na forma de impostos, para gastá-lo em coisas desnecessárias, ou mesmo em coisas necessárias mas que poderiam ser obtidas de forma privada!
  • Socialista  02/09/2016 16:11
    Continue taxando pouco os ricos, e me dando poucas benesses!
  • Comunista  02/09/2016 16:14
    Isso é impossível! O Grande Irmão Estado é a razão da minha existência, e nunca poderia me ser prejudicial! Por favor, chamem a polícia e detenham imediatamente a camarada Rosangela Souza, traidora da pátria!
  • Povo  02/09/2016 16:21
    Oi estado, você poderia pegar uma metade do meu salário para pagar alguns burocratas que fornecerão alguns serviços gratuitos para mim?
  • Empreendedor  02/09/2016 17:25
    Coloque a polícia estatal para prender todos os ambulantes famintos vendendo produtos ilegalmente nas ruas, apreender toda mercadoria sem NF, bata em alguns de nós para servir de exemplo para os outros.
    Mostre para a classe média que somos vagabundos que não estudaram e não vão procurar emprego, que nossos produtos fazem mal à saúde e como contrabando é responsável por toda a falta de recursos do estado para prover bem estar.
  • Funça liberal  02/09/2016 17:33
    Privatizar, cortar gastos e desregulamentar.
    Se fizer tudo isso vai me impedir de progredir na carreira da maneira que almejo e vou perder minha principal ocupação de promover liberalismo para os pobres produzirem mais para o estado arrecadar mais ao mesmo tempo atiçar esquerdistas para aumentarem o estado e indiretamente me beneficiarem.
  • Ildomar  02/09/2016 15:38
    Sempre me perguntei porque um carro naõ sai da fábrica com velocidade máxima adequada as estradas onde irá trafegar.

    Se a velocidade máxima é 120km/h por que o carro sai da fábrica em condições para ultrapassar facilmente acima dessa velocidade.

    A velocidade máxima permitida está errada ou as montadoras?

  • Vimdomar  02/09/2016 17:00
    Pronto, era só o que faltava. Só porque burocratas idiotas estabeleceram que não se pode trafegar acima de uma determinada velocidade em um determinado ponto do Planeta Terra, então os governo devem proibir a produção de todos os veículos que ultrapassem tal velocidade.

    Mas por que parar em 120km/h? Há várias ruas locais cuja velocidade máxima permitida é de 40 km/h. Sendo assim, acho muito lógico que o estado proíba a fabricação de veículos automotores capazes de alcançar qualquer velocidade superior.

    Em países atrasados, como Suíça e Alemanha, não há limite de velocidade nas estradas. E aqueles bárbaros (e bávaros) seguem fabricando carros que alcançam 250km/h. Absurdo. É por isso que há uma total carnificina nas estradas de lá. Né?
  • Poor man  02/09/2016 17:14
    No Brasil que estamos assegurados com leis de limite de velocidade, morrem mais de 50 mil pessoas por ano.

    g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2014/09/mais-de-50-mil-pessoas-morrem-por-ano-vitimas-de-acidente-de-transito.html

  • reinaldo  02/09/2016 19:47
    saia da auto estrada na ALemanha e dirija 1 km/h acima do limite para ver policiais brotando do chão, ao redor do carro.
  • Hans  02/09/2016 20:41
    Eu já passei três meses rodando por Áustria, Alemanha e Suíça de carro. Em todos os três países, era extremamente comum as pessoas pararem em restaurantes à beira de estrada, mandar ver um caneco de cerveja, e voltar a dirigir.

    Nunca vi carro de polícia parando as pessoas nas autoestradas para fazer bafômetro. Aliás, eu nem me lembro de ter visto polícia nas estradas.

    Nas cidade, há lombadas eletrônicas (inclusive, eu levei algumas multas).

  • anônimo  03/09/2016 01:04
    250 atualmente já é uma velocidade facilmente alcançável pelos carros de lá, e nem estou falando de carros caros, mas sim de carros ''medianos'' para os padrões de lá, como Golf GTI e BMW série 3. Os Alemães produzem coisas muito superior a isso, como a marca nacional mais icônica de lá: PORSCHE, modelos que passam fácil dos 300 km/h, sem falar nas M5, Audi RS6, Mercedes-AMG, Mclarens, Ferraris, Bentleys...
  • 4lex5andro  02/09/2016 19:54
    É uma questão técnica que poderia ser implementada mas esbarraria na segurança também.
    Cogite-se a hipotése de precisar fazer uma ultrapassagem ou manobra evasiva e ter a ignição cortada abruptamente por um limitador de velocidade.
  • lorivaldo  03/09/2016 01:04
    Colocar limites de velocidade (principalmente em estradas) é de uma estultice tremenda. Se eu estou em uma estrada com uma baita reta, longe de povoados ou cidades, por que não andar mais rápido?
  • mauricio barbosa  02/09/2016 16:04
    IMB está ficando aberto a palhaçadas,mas enfim viva a liberdade de expressão desde que não ofenda as pessoas,no mais o estado sempre tentando tolher nossas liberdade de escolha,nos tratam como gado e escravo,é duro ter de aguentar tudo isso calado e impotentemente.
  • Luís  05/09/2016 02:38
    É até divertido ler os comentários, mas para alguém que vem de fora e não conhece nada do assunto pode confundir.

    Como as piadas são baseadas na ironia, muita gente pode não entender, e geralmente tem alguém que não entendeu a ironia e faz comentários que comprovam que estão totalmente perdidos.

    A intenção inicial foi boa, e parece uma forma bem didática de educar os ja iniciados, mas poderiam colocar alguma forma de alerta, talvez no nome, para impedir que os novatos se confundam.
  • Social Democrata  02/09/2016 16:07
    Continue ineficiente!
  • Poor man  02/09/2016 16:39
    Como é bom ler este artigo. Porque os tempos são difíceis no Brasil, E as vezes parece que não existe alternativa, a não ser, fazer concurso público.
  • Quebec  02/09/2016 17:20
    Emigre, seja digno, se tiver uma profissão realmente útil, com boa demanda, for produtivo, limpo, organizado e falar o idioma local não faltarão oportunidades. O principal macete é aprender a fornecer seu trabalho de maneira independente, self employed, muitos países lhe dão 6 meses de visto de trabalho assim teste para você.
  • anônimo  02/09/2016 20:34
    Concurso não é opção sabe pq? Pq justamente essa mentalidade da geração concurso público que está inflando o estado, matando a economia e matando o hospedeiro que vcs querem parasitar.
  • Rhyan  02/09/2016 16:41
    Vai adiantar muito proibir, vai surgir um app pirata apk no dia seguinte. E se vacilar ainda vai ser compartilhado via torrent.

    O estado perdeu a guerra para a tecnologia faz tempo, ele só vai vencer essa guerra se fechar a internet, o pior é que ele tem esse poder.
  • Gregg  02/09/2016 16:50
    #TMJ
  • Pobre Paulista  02/09/2016 18:00
    Não duvide disso.
  • Andre  02/09/2016 18:37
    Não dê idéia.
  • Andre Cavalcante  02/09/2016 19:28
    O problema não é vc baixar o Waze da PlayStore ou de qualquer outra fonte.
    O problema é vc usar o Waze no trânsito. Se fizer, é passível, provavelmente de multa.
  • anônimo  02/09/2016 20:36
    Nope, o problema é a gangue de parasitas TEREM COMO SABER o que é que eu uso no trânsito.
    Esse é um dos efeitos colaterais da popularidade dessas pragas chamadas smartphones, onde tudo depende da conivência de apple, google etc.
    Num computador de verdade rodando linux isso nunca aconteceria.
  • reinaldo  02/09/2016 19:45
    É só o Waze retirar o recurso que avisa a localização de barreiras policiais que já estará dentro da lei.
    Vi alguns aqui defenderem o suposto direito de beber e dirigir, só por que alguns poucos bebem, dirigem e matam. Uma argumentação absurda por si só, que nem merece o tempo de ser debatida.
    mas no caso de alguns caras sequestrarem um ente querido seu, e a policia montar barreiras nas estradas para pegar o cara. O sujeito é avisado de todas as barreiras pelo Waze, que bom não?
    Ou o contrabandista, que evita todas as blitz, ou o pessoal que faz racha de madrugada também evitará uma possível blitz.
    Mas acho que o mercado sozinho dá conta destes casos também, não?
    tudo bem o cara contrabandear, pois há demanda para produto contrabandeado e falsificado.
    tudo bem o cara beber e dirigir, podendo matar ou não alguém, pois está no direito dele beber e dirigir.
    tudo bem alguém sequestrar outro, porque é mais rápido ganhar dinheiro assim.....
  • azevedo  02/09/2016 20:26

    "É só o Waze retirar o recurso que avisa a localização de barreiras policiais que já estará dentro da lei."

    Dentro de qual lei? Estipulada por quem? Nenhum país sério tem essa "lei".

    Um aplicativo de celular simplesmente avisar que há uma quadrilha de batedores de carteira logo à frente não é crime nenhum. Ninguém está sendo prejudicado por esse aviso. Ninguém está sendo roubado.

    "Vi alguns aqui defenderem o suposto direito de beber e dirigir, só por que alguns poucos bebem, dirigem e matam. Uma argumentação absurda por si só, que nem merece o tempo de ser debatida."

    O que apenas mostra o seu preparo intelectual. Já se anuncia, logo de cara, despreparado para apresentar qualquer argumentação lógica.

    "mas no caso de alguns caras sequestrarem um ente querido seu, e a policia montar barreiras nas estradas para pegar o cara. O sujeito é avisado de todas as barreiras pelo Waze, que bom não?"

    Duh! Falei que era intelectualmetne despreparado...

    Quando se montam barreiras policiais para capturar sequestradores, não só as barreiras são perfeitamente perceptíveis à distância, como também todas elas são alertadas pela imprensa. O policiais ficam totalmente à vista, fazendo uso de pesada artilharia militar, e todas as saídas da cidade ficam fechadas.

    Nessa situação, o Waze é totalmente inócuo para ajudar bandidos.

    Aliás, uma pergunta: você também é a favor da criminalização da piscadinha de farol usada para alertar sobre uma blitz à frente?

    "Ou o contrabandista, que evita todas as blitz"

    Definição de contrabandista: empreendedor que traz produtos de outros países sem pagar o arrego para o governo, contribuindo assim para facilitar o acesso dos mais pobres a produtos de qualidade.

    Se você acha que tal pessoa é um criminoso, isso mostra o seu caráter. E se o Waze ajuda essas pessoas a escaparem das mãos vorazes dos burocratas do estado, longa vida ao Waze.

    "ou o pessoal que faz racha de madrugada também evitará uma possível blitz."

    Xiii, agora você se estrepou. Propensos rachistas, ao verem pelo Waze que há uma blitz logo a frente, deixarão de fazer o racha, por motivos óbvios.

    "Mas acho que o mercado sozinho dá conta destes casos também, não?"

    Como mostrado acima, nem sequer é uma questão de mercado, mas sim de ética e moralidade.

    "tudo bem o cara contrabandear, pois há demanda para produto contrabandeado e falsificado."

    Viu só? Você, no fundo, está preocupado apenas com as receitas do estado. Você certamente é o tipo de ser desprezível que aplaude a apreensão de remédios feito pelo governo, em detrimento de idosos e aidéticos, relatada na segunda metade deste artigo.
  • Batista  02/09/2016 20:29
    "É só o Waze retirar o recurso que avisa a localização de barreiras policiais que já estará dentro da lei."

    Esse aí domina tudo de tecnologia...

    Queridão, tire esse recurso e imediatamente outro será criado pelas mentes criativas dos milhões de usuários e entusiastas do aplicativo. Você realmente sabe como funciona um aplicativo de celular?

    Estude um pouco antes de dar pitaco em público. Será melhor para a sua imagem.
  • anônimo  02/09/2016 20:32
    Ficar se contorcendo pra ficar dentro da lei quando a lei é escrota e imoral...é coisa de gente que nunca iria se opôr à escravidão de negros...já que era lei...
  • rlpda  02/09/2016 19:59
    A qualidade dos nossos parlamentares é realmente impressionante. Será que o Major pretendia proibir a presença de telefones celulares nos carros? Se serve de esperança o policial militar não foi reeleito. Infelizmente a CCTCI da Câmara dos Deputados continua por lá.
  • Pombo  02/09/2016 22:59
    Legal que o artigo tenha contribuição de um psicólogo. A área da psicologia social só se estuda marxismo e teorias que dizem que o Estado tem que cuidar das pessoas. Outra bizarrice são as regulamentações que os conselhos regionais e federal impõem aos psicólogos. O psicólogo não pode atender um paciente em domicílio, mesmo que o local tenha salubridade e que o psicólogo garanta o sigilo das sessões de psicoterapia.

    Somente clínicas com autorização dos conselhos regionais que podem funcionar e a burocracia para abrir consultório é gigantesca e cara. Isso condena os profissionais da área ao desemprego, pois não há vagas para todos os profissionais nas clinicas. Poderia haver um Uber para psicólogos, mas a regulamentação não permite isso. Outra bizarrice é a agenda politicamente correta que é imposta aos psicólogos.

    O psicólogo não pode fazer terapia com objetivo de mudar a orientação sexual do paciente se ele for homossexual. O objetivo é atender a agenda politicamente correta do movimento LGBT. A justificativa é que a homossexualidade não é doença e que isso estigmatizaria os homossexuais, mas se a terapia não faz mal ao paciente ou a terceiros, isso é conversa fiada para atender a agenda política do movimento LGBT. Se o paciente está pagando e a terapia não for fazer mal a ele e terceiros e se ela não for picaretagem, ela poderia ser feita.

    Há também a agenda política do movimento negro, feminista e por aí vai. E se o psicólogo se recusar a fazer o que os conselhos impõem, ele pode até mesmo ter o diploma caçado.
  • anônimo  02/09/2016 23:10
    Mas este aplicativo não ajuda os bandidos a fugir da polícia?
  • Oposto  02/09/2016 23:58
    Como, exatamente?

    E já foi discutido aqui mesmo, nesta seção:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2502&comments=true#ac180312
  • Estudante Liberal  03/09/2016 02:00
    Olá!
    Uq vocês liberais dizem sobre a NASA?
    Uma empresa estatal que é exemplar assim como a empresa Norueguesa de petroleo..

    E sobre o caso do Ford Pinto,que pegava fogo em um acidente e tal...

    Milton Friendman estava correto,porem esqueceu que,as primeiras pessoas ao comprar o carro não estavam cientes de tal defeito e assim ficaram no prejuízo total.Legitimo entrar com uma ação na justiça?Oq dizer sobre isso?

    E sobre a Mitsubishi publicar estatisticas mentirosas sobre os seus carros?(Consumo e etc).

    E sobre a mentira da VW na fraude da poluição?

    Somente uma duvida de um estudante..

    Obrigado

  • Aurélio  03/09/2016 04:01
    "Uq vocês liberais dizem sobre a NASA?"

    A NASA torra dinheiro do contribuinte para ficar mandando robozinho pra Marte. Até agora, nada disso se converteu em benefício para a humanidade.

    No entanto, vou fazer um elogio. Os políticos americanos são mais sagazes que seus congêneres brasileiros. Eles ao menos sabem que burocratas decidindo não são uma boa para a ciência. Boa parte do desenvolvimento atual da NASA é feito a partir de empresas privadas e centros de pesquisa descentralizados.

    De resto, se as pessoas estivessem dispostas a consumir voluntariamente as criações da NASA, elas fariam doações em uma quantidade ainda maior que do que a agência recebe hoje em impostos. Até hoje, as poucas tecnologia da NASA para nosso mundo são muito caras, como aqueles travesseiros ortopédicos.

    A NASA passará a ser extremamente útil quando ela voltar a enviar burocratas para a lua, como fazia no final da década de 1960, em uma viagem só de ida.

    "Uma empresa estatal que é exemplar assim como a empresa Norueguesa de petroleo.."

    A Statoil é exemplar?! Qual o seu critério?

    A Statoil vende a gasolina mais cara do mundo!

    Atualmente, um litro de gasolina na Noruega está custando 14,70 coroas norueguesas.

    Ao câmbio de hoje (8,27 coroas por dólar), dá 1,77 dólar por litro.

    Já nos EUA, um litro de gasolina está custando US$ 0,66 por litro.

    A renda per capita dos noruegueses é 1,22 vez maior que a dos americanos.

    Mas sua gasolina custa 2,68 vezes mais. E o país é totalmente autossuficiente, ao contrário dos EUA.

    Realmente, acho que até mesmo petistas teriam dificuldade em quebrar a Statoil: a estatal cobra a gasolina mais cara do mundo, opera sob monopólio estatal, e ainda tem como mercado consumidor uma das populações mais ricas do mundo.

    Sim, a Statoil é exemplar...

    "E sobre o caso do Ford Pinto [...] as primeiras pessoas ao comprar o carro não estavam cientes de tal defeito e assim ficaram no prejuízo total.Legitimo entrar com uma ação na justiça?"

    Totalmente legítimo. O defeito do carro representava uma clara quebra de contrato. E contratos são sacrossantos. Recorrer ao judiciário (privado ou estatal) para punir uma quebra de contrato é algo totalmente defendido pela teoria libertária.

    "E sobre a Mitsubishi publicar estatisticas mentirosas sobre os seus carros?(Consumo e etc)."

    Desconheço.

    "E sobre a mentira da VW na fraude da poluição?"

    Os critérios de poluição foram estipulados por burocratas do governo, sofrendo pressões de grupos ambientais e do lobby de empresas que vendem a eletrônica embarcada (responsável por mensurar os níveis de poluição no escapamento dos carros). Aquiescer com essas demandas encareceria sobejamente o preço final dos veículos. E em troca de nada (a poluição gerada pelos carros de hoje é negligível).

    Nesse caso em específico, a VW agiu corretamente.
  • ROQUE EUGENIO  03/09/2016 16:18
    HUUUUUU! o sr esta escrevendo via internet graças aos avanços cientificos, tecnologicos,advindos produzidos em função da competição, das corridas espaciais milhares de objetos,aparelhos ,peças,componentes,medicamentos,em todas as areas,hoje usados, inclusive o satelites que nos interligam la do espaço,permitindo que todos digam coisas inteligentes ,mais e menos.
  • Estudante Liberal  03/09/2016 21:56
    Obrigado pelas declarações e sim entendo perfeitamente o raciocínio.

    ''Nesse caso em específico, a VW agiu corretamente''

    Mas veja bem,controle de poluição não é um direito de propriedade?Sei que é um tema polemico e etc,mas hoje os carros poluem muito pouco,porem em compensação o numero de carros nas ruas cresceu muito então no final das contas descompensou tudo,3000 carros que poluem pouco,acabam poluindo muito mais que 1000 carros que poluem bastante...Sera?
    Mas por exemplo: Na europa motores 2 tempos são proibidos,se fosse legalizado existiram carros a preço de banana com motores 2 tempos(talvez) e ai a cidade e as propriedades ficariam tomadas daquela queima de oleo absurda dos motores 2 tempos,seria uma nuvem de fumaça branca como uma neblina invadindo a cidade.

    E o fato do estado obrigado uso de catalisaores e limites de poluição ao longo dos ultimos 30 anos..Não ajudou a garantir o direito de propriedade e assim a menor poluição?
    Sei que oque realmente contribui para os carros poluirem menos,foi o fato da queda no consumo dos carros.O carro que consome menos consequentemente polui menos...

    Voltando só no caso do Ford Pinto..
    ''Totalmente legítimo. O defeito do carro representava uma clara quebra de contrato. E contratos são sacrossantos. Recorrer ao judiciário (privado ou estatal) para punir uma quebra de contrato é algo totalmente defendido pela teoria libertária.''

    Concordo,porém vamos ao fatos dessa caso.Havia uma clausula no contrato sobre isso?E se não houvesse?Digo,pessoas compraram o carro e não havia nenhuma garantia..Entendo que no médio e longo prazo,o mercado corrigiria isso com a desistência dos futuros consumidores em comprar esse carro.Mas os primeiros consumidores pagaram pra ver.Bem..É uma questão de liberdade e de risco,ao comprar um produto no dia seguinte de seu lançamento,você assume o risco,então pra se cercar desse risco,um contrato poderia ajudar muito rs rs...O estado obrigar ou testar os carros pra passar em testes de segurança..poderia evitar isso não acha?Aumentariam preços,trataria pessoas como bebes mas..poderia ajudar uma minima regulação não acha?
    Pegando um gancho nesse assunto..

    Regulamentação de segurança como ESP/ABS/EBD e afins..Isso ajudaria os barbeiros a não atingir terceiros..Digo,um leigo em pilotagem poderia cometer erros que tais sistemas eletronicos corrigiriam esse erro,evitando assim atingir terceiros.Uma velhinha que em um dia de chuva pisa no freio bruscamente travando as rodas e assim atropelando alguém ou atingindo outros carros..Se fosse obrigatorio o ABS,isso poderia ser evitado..Hoje em dia,tais sistemas são muito mais baratos e não inflacionaria tanto o preço dos carros.Acho que compensaria.Não sei..Oque acham?

    Obrigado
  • Entusiasta da nasa.  03/09/2016 14:31
    Sei que muita gente acha a nasa tola e etc. Eu pessoalmente acho incrível.

    Dito isso, é um absurdo pagadores de impostos serem obrigados a pagar por ela. A NASA seria muito melhor se fosse privada, garanto que uma campanha simples de doações já resolveria, eu mesmo seria um doador.

    E se não houvessem doadores suficientes, sinto muito, teria de fechar.
  • Aluno Austríaco  03/09/2016 13:39
    O governo não presta para cuidar do trânsito.

    Essa cobrança de zona azul nas vagas de estacionamento é na verdade uma zona vermelha.

    Se os próprios moradores das ruas fossem os donos das vagas, iria sobrar dinheiro para fazer melhorias nas ruas.

    Esse controle de preços do governo sobre as vagas de estacionamento destruiu a qualidade das ruas.

    Isso causa superlotação das ruas. Os próprios moradores não podem estacionar na porta de casa. Resulta na falta de dinheiro para asfaltar as ruas. Sem contar os alarmes de carros fazendo barulho por falta de segurança.

    A socialização das vagas de estacionamento e do próprio trânsito destruiu a urbanização das cidades.
  • Aluno Austriaco  03/09/2016 14:10
    As prefeituras cometem crimes de responsabilidade, ao cobrarem pelas vagas de estacionamento com o zona azul, sem oferecer nenhum seguro se o carro for roubado.

    Quando é um estacionamento privado, os sociopatas querem obrigar que os empresários paguem pelos carros roubados.

    Socialismo na c.... dos outros é refresco.
  • Raphael  03/09/2016 18:49
    Deveriam ler o projeto de lei antes de divulgarem essas informações incorretamente.
    O PL proíbe a funcionalidade de informar onde tem blitzes e não o waze.

    É só o app omitir essa funcionalidade e ele poderá ser usado livremente.

    Concordo que o estado mais atrapalha do que ajuda e gosto mt dos artigos daqui, mas dessa vez o IMB pisou na bola.

    Querer divulgar a ideologia com base em informações falsas ou tendenciosas não acho legal. Isso é enganar. É apelação.
  • Michelangelo  03/09/2016 19:18
    Pois aqui está íntegra do projeto de lei. Ele é absolutamente explícito em sua intenção de proibir o aplicativo inteiro, e não apenas uma funcionalidade.

    Veja o que está escrito:

    PROJETO DE LEI N o , DE 2013 (Do Sr. Major Fábio)

    Proíbe o uso de aplicativos e redes sociais na internet para alertar motoristas sobre a ocorrência de blitz de trânsito.

    Art. 1º Esta Lei proíbe o uso de aplicativos e redes sociais na internet para alertar motoristas sobre a ocorrência de blitz de trânsito.

    Art. 2º É proibido o uso de aplicativos, redes sociais e quaisquer outros recursos na internet para alertar motoristas sobre a ocorrência e localização de blitz de trânsito.


    Ao longo do texto de 3 páginas, o termo "proibir" e suas variantes aparecem nada menos que 4 vezes.

    Aliás, o político que elaborou o projeto é bem mais esperto que você: como ele sabe que não existe isso de um aplicativo abolir apenas uma de suas funcionalidades (pois é open source, e cada um pode mexer nele como quiser), ele decidiu logo defender a proibição direta do aplicativo.

    Outra coisa, o Waze é um aplicativo mundial. Não existe isso de apenas no Brasil ele deixar de ter uma funcionalidade que é corriqueira em todo o resto do mundo. Logo, ou se proíbe totalmente o aplicativo, ou ele continua do jeito que está. Não tem meio termo.

    É igual ao Google na China. Como não existe isso de o buscador censurar apenas as páginas críticas ao regime, o governo simplesmente decidiu bani-lo por completo. Claro.

    Bola fora, isso sim, é o IMB ter leitores pró-estado e pró-totalitarismo. Ou então simplesmente analfabetos funcionais. Não esperava isso de leitores daqui.

    O máximo da ignorância é nêgo fazer concessões "de leve" ao totalitarismo, achando que tudo irá parar por aí.
  • Lopes  03/09/2016 19:23
    Começa é assim mesmo. "Ai, gente, vamos abrir só um pouquinho de mão das nossas liberdades. É para a nossa segurança que os políticos estão agindo. Não há mal nenhum nisso. É para o nosso bem. Vamos fazer só uma concessão."

    Ei, Raphael, aprenda algo: a liberdade não é negociável. Não existe isso de fazer pequenas concessões ao autoritarismo em troca de um pouquinho mais de proteção (do papai estado).

    A história mostra que os adeptos das concessões ao inimigo sempre foram os maiores covardes. E sempre foram os grandes derrotados.

  • Raphael Paiva  03/09/2016 21:50
    Lopes, entendo que a questão da liberdade é um assunto delicado e polêmico.
    Mas por exemplo, uma pessoa que acoberta um assassino (ajuda ele a fugir da polícia após o assassinato, apaga as pistas deixadas) não deveria ser punida por isso?
  • Guilherme  03/09/2016 19:26
    Raphael, o Twitter também tem incontáveis perfis anônimos que avisam sobre blitz e lei seca. Como é impossível proibir a criação desses perfis anônimos (eu mesmo posso criar um em questão de segundos), então a solução lógica é mandar bloquear ao Twitter, bem ao estilo chinês.

    Você defende isso? Se for coerente, sim.

    É cada autoritário que despenca por aqui...
  • Tulio  03/09/2016 19:30
    O texto do projeto de lei também inclui o Twitter nessa. Tá escrito lá:

    Art. 1º Esta Lei proíbe o uso de aplicativos e redes sociais na internet para alertar motoristas sobre a ocorrência de blitz de trânsito.

    Art. 2º É proibido o uso de aplicativos, redes sociais e quaisquer outros recursos na internet para alertar motoristas sobre a ocorrência e localização de blitz de trânsito.

    Waze, Twitter, Facebook -- qualquer coisa que divulgue uma blitz (colocando em risco a arrecadação do governo) terá de ser proibido.

    E tem otário apoiando isso, dizendo que é para o nosso bem. Ô gentinha...
  • Raphael Paiva  03/09/2016 21:43
    Pois é Tulio, quero saber se vão proibir o twitter inteiro por causa desses perfis, duvido.
  • Andre  06/09/2016 14:54
    Google maps também já começou a colocar dados em tempo real do trânsito e ocorrências locais, vão proibir também? Vamos voltar a andar com guias no porta luvas e depender do rádio para com sorte ele falar algo do trânsito, governo promovendo o atraso.
  • Taxidermista  03/09/2016 20:33
  • Max Rockatansky  03/09/2016 20:35
    "Impeachment Is Un-Democratic: The Left's Odd Definition of Democracy", Ryan McMaken:

    mises.org/blog/impeachment-un-democratic-lefts-odd-definition-democracy
  • Ricardo  05/09/2016 15:35
    Deveriam ser proibidas as inclusões sobre informações de blitz ou barreiras policiais! A quantidade de criminosos e motoristas embriagados que se beneficiaram desta ferramenta será enorme! Assim como pessoas que ficam dando sinal de luz avisando pra todo mundo que encontra no caminho que logo a frente há uma blitz, sem saber que exite a possibilidade do carro que acabou de avisar pode conter uma vitima de sequestro, um homicida procurado, ou criminosos foragidos dos quais a mesma pode ser vitima num futuro próximo
  • Andre  06/09/2016 12:33
    Mesmo em no atual ambiente de atrofia estatal há maneiras eficientes de resolver estas suas dúvidas:

    Bêbados dirigindo: Quando os policiais querem pegar os bêbados eles sabem muito bem como fazê-lo, fazem cercos dignos de Jerusalém em torno da zonas boêmias, aquelas blitz que vê em grandes avenidas são apenas para mostrar serviço, exercer poder e fazer a classe média ignorante se sentir segura.

    Criminosos: Os poupatempos do estado de SP atualizando documentos triviais prendem muito mais foragidos do que estas inúteis blitz, programas de denúncia que pagam de R$5mil a R$10mil por informações que levem aos criminosos também levam à diversas prisões.

    A polícia também não está lá muito motivada para prender ninguém, afinal a justiça estatal está a postos para soltar a vítima da sociedade opressora que você está tão preocupado que não use o waze.
  • Henrique Zucatelli de Melo  06/09/2016 09:07
    E quando o jardim da infância invadiu a sessão de comentários para espalhar seus hormônios e arrogância tão peculiares nessa idade, os comentaristas habituais se calaram diante de tais jovens, cheios de vontade, mas como pouquíssima sabedoria.

    Crianças, é muito bom ver vocês aqui.



Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.