clube   |   doar   |   idiomas

Existe uma página específica para este artigo. Para acessá-la clique aqui.

A bancarrota da Oi é mais um golpe no modelo de “capitalismo de estado” implantado pelo PT

A empresa de telefonia Oi está financeiramente insolvente.  Na segunda-feira, dia 20, ela entrou com o maior pedido de recuperação judicial já protocolado na história do país.

A empresa informou que o total que tem a pagar a terceiros é de R$ 65,4 bilhões.

Este pedido de recuperação é seis vezes maior do que o recorde anterior, pertencente à OGX, de Eike Batista, que, em 2013, declarou ter dívidas de R$ 11,2 bilhões.

Com a medida, a Oi se protege de cobranças de credores, enquanto tenta renegociar sua dívida bilionária com supervisão judicial.

Somente a dívida financeira da companhia está próxima de R$ 50 bilhões, sendo R$ 34 bilhões devidos a credores estrangeiros e cerca de R$ 16 bilhões a instituições financeiras.

Qual a história da Oi?

Indo direto ao ponto, a atual Oi nasceu da megalomania do ex-presidente Lula de querer criar "campeãs nacionais" em vários setores da economia — além da Oi, a BRF, a JBS/Friboi e a Fibria são as principais representantes desse delírio, assim como foram a LBR (quebrada) e a Marfrig (no vermelho). 

A intenção de Lula, com a Oi, era criar uma "supertele nacional" para fazer frente a gigantes como a espanhola Telefónica (dona da Vivo) e a mexicana América Móvil (dona de Claro, Embratel e Net).  Falava-se até em lançar operações em outros países.

Obcecado, Lula não se furtou a desrespeitar as leis vigentes e, por meio de um decreto presidencial, mudou a Lei Geral de Telecomunicações (algo que não poderia ser regulamentado naquela época), permitindo a fusão da Telemar com a Brasil Telecom, de Daniel Dantas.

Envolto em um morfético discurso nacionalista, Lula exortou os bancos estatais — BNDES, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil — a financiar a operação.  Utilizando do nosso dinheiro de impostos, a fusão foi feita, daí resultando a Oi.

Mas, desde o início, já havia indícios de que essa operação política seria um fracasso. Tanto que, ainda em 2010, Lula começou a manobrar para trazer um novo sócio para a empresa, a Portugal Telecom. A justificativa era que, com os portugueses na gestão e trazendo mais capital, a companhia decolaria.

O tempo mostrou, mais uma vez, que a intervenção do estado resultou em um péssimo negócio. A Oi continuou afundando em dívidas, em prejuízos e em serviços de péssima qualidade.

Pior, afundou-se em denúncias de corrupção. Foi descoberto que, antes da fusão com a Brasil Telecom, a Telemar havia dado R$ 5,2 milhões para a Gamecorp, empresa controlada por Lulinha, o filho mais velho de Lula.

Mais tarde, vieram à tona investigações em Portugal sobre irregularidades na entrada dos portugueses na negociata da Oi.  A coisa era tão escabrosa, que até o ex-primeiro ministro português, José Sócrates, acabou indo para a cadeia.

Inevitavelmente, a imagem da empresa ficou enlameada. As sucessivas trocas de administrações não bastaram para superar a incapacidade da empresa de se reinventar, de ser mais eficiente, de prestar bons serviços e de ter solidez fiscal.

A recuperação judicial da Oi é apenas mais um retrato do nosso descalabro.

Por que a Oi tem de falir

Veja essa notícia, do mês passado:

Prejuízo da Oi cresce 268% e atinge R$ 1,6 bilhão no primeiro trimestre

A Oi encerrou o primeiro trimestre com prejuízo líquido consolidado de R$ 1,644 bilhão, 268% maior que o de R$ 447 milhões no mesmo período de 2015, impactado principalmente pelo resultado financeiro. Este foi de R$ 1,903 bilhão, 49,9% maior que no mesmo trimestre do ano anterior, quando era de R$ 1,269 bilhão.

Ou seja, os prejuízos da empresa eram contínuos.  E isso é nefasto para toda a sociedade. 

Sim, empresas tendo seguidos prejuízos são nefastas, pois estão destruindo riqueza da sociedade.

Imagine que você adquiriu um material que, em seu estado bruto e inalterado, vale $100.  Ato contínuo, você altera essa matéria-prima, adiciona sua criatividade e sua mão-de-obra, e gera um produto final que as pessoas irão voluntariamente querer adquirir por $150.  Você gerou valor para a sociedade.  Você acrescentou valor para a sociedade e auferiu um lucro por causa disso. 

Agora, imagine que você adquire esse mesmo material, que em seu estado bruto e inalterado vale $100, altera-o à sua maneira e gera um produto final valorado em apenas $50 pelas pessoas.  Você não apenas não auferiu lucro nenhum, como na realidade subtraiu riqueza da sociedade.  A sociedade ficou mais pobre por sua causa. 

É por isso que empresas que geram prejuízos são deletérias para uma sociedade.  Elas consomem recursos e não entregam valor.  Elas, na prática, subtraem valor da sociedade.  Uma empresa que opera com prejuízo é uma máquina de destruição de riqueza.  (O mecanismo sinalizador que orienta todas as decisões e fornece os resultados é o sistema de preços). 

E é por isso que empresas que operam continuamente com prejuízo — por mais importantes que elas sejam para o "orgulho nacional" — devem falir e ser vendidas para novos administradores mais competentes. Falências são algo extremamente positivo para uma economia, pois permitem que aqueles concorrentes mais produtivos e mais capazes tenham a oportunidade de comprar os ativos das empresas falidas a preços de barganha, permitindo-os fortalecer suas operações e voltar a criar valor para a sociedade. 

Um governo proteger empresas falidas ou que operam com seguidos prejuízos é a maneira mais garantida de empobrecer uma economia.

A situação é pior

A situação da Oi se torna ainda mais bizarra quando se leva em consideração o fato de que essa empresa não apenas foi formada com dinheiro público, como ainda opera em um setor totalmente protegido pelo governo por meio de uma agência reguladora.

A função da ANATEL, como já comprovada por vários fatos, é exatamente a de criar uma reserva de mercado, proteger as empresas já estabelecidas, e impedir a entrada de concorrentes estrangeiros no setor, garantindo assim retornos confortáveis para as operadoras de telefonia.

O que há no setor de telefonia do Brasil é uma brincadeira de capitalismo. Vivo, Oi, TIM e Claro brincam de concorrência umas com as outras — concorrência capitalista, no entanto, nunca existiu.  Essas empresas são protegidas pelo governo de potenciais concorrentes, e vão empurrando com a barriga as inovações, e cobrando altíssimos preços por serviços latrinários.  Todas são recordistas de reclamações no Procon. 

O economista Felipe Rosa explica esta situação:

A Anatel também regula a quantidade de empresas que atuam por região, assim como proíbe a livre entrada e saída de empresas ofertantes de produtos e serviços no atacado e no varejo. Essa combinação no controle de entradas e saídas de produtos e empresas, somadas ao rígido regime tarifário imposto pela Anatel, são aspectos preponderantes para o fraco desempenho brasileiro no setor quando o comparamos ao britânico.

A Anatel, ao regular a entrada e saída de empresas nas telecomunicações, está protegendo as concessionárias que possuem a outorga de ofertar o serviço em suas regiões. Tal ação garante às quatro empresas dominantes nesse segmento total e completa segurança contra a entrada de potenciais concorrentes. Essa característica de mercado proposta pela agência reguladora brasileira carteliza o mercado institucionalmente, tornando o arranjo concorrencial propício para uma política de preços altos e/ou serviços ineficientes.

A questão da ANATEL já foi abordada mais detalhes neste artigo específico, e não será o foco dessa postagem de blog. 

A intenção aqui é mostrar a façanha da Oi: uma empresa formada com o nosso dinheiro e resultado de uma megafusão patrocinada pelo governo, opera em um mercado protegido e cartelizado, e ainda consegue ir à falência. 

Eis um retrato perfeito de quão nefasto é o capitalismo de estado no Brasil.


2 votos

autor

Diversos Autores

  • Vidente  22/06/2016 00:31
    Não existe divisão real das telefonicas. A manobra recente da Vivo e GVT e Claro e Net foi um rearranjo que deixou os frutos podres na conta da Oi.
  • Affonso Ramos Neto  22/06/2016 00:33
    "Capitalismo de estado" não seria a definição intrínseca do fascismo?
  • Otton Tiburtino  22/06/2016 13:01
    Acertadamente - Fascismo em alto grau - o Brasil "Sodomou" de vez
  • Erick  22/06/2016 00:36
    Um exmeplo prático: uma ligação de pouco mais de 1 minuto da Italia para o Brasil em um celular usando um chip pre pago "normal", ou seja não o mais barato, é algo como E$ 0,16. Menos da metade do preço de uma ligação equivalente dentro do Brasil. A Vivo por exemplo cobra R$ 1,70 por minuto no Pré-pago no horário normal.

    Só mais um exemplo dos "benefícios" da Anatel e sua turma.
  • Marcel Pascoski  22/06/2016 00:56
    Só falta JBS. A EBX afundou-se, a Oi afundou-se, e só pra constar o JBS estuda uma possibilidade de sua sede ser na Europa, pasmem! Foi financiada como nosso dinheiro agora cai fora. Campeões nacionais é o caralho !
  • Gabriel  22/06/2016 01:15
    Esse caso da Oi me lembra bastante a Varig, empresa gigante fortemente relacionada com o Governo e que acabou falindo.

    Mas no caso da Varig isso se deu porque ela queria manter o seu alto custo e ineficiência mesmo após a abertura do setor aéreo brasileiro, já no caso da Oi pelo visto foi pura incompetência mesmo.
  • Luiz Crm  22/06/2016 02:02
    Quantas vezes a Oi já quebrou? Quantas vezes foi socorrida co dinheiro público? Tudo isso para oferecer um serviço de péssima qualidade.
  • Vladmir Santos  22/06/2016 02:04
    O nosso dinheiro foi utilizado para criar a empresa e agora será utilizado de novo para salvar a empresa.

    Eis nossa querida esquerda fazendo o que sabe fazer de melhor: privatizando lucros (que vão para os bolsos dos poucos escolhidos) e socializando os prejuízos (que ficam nos bolsos dos mais pobres, os que mais sofrem com a inflação).

    Quem defende mesmo a forma lulista de distribuir renda?

    À medida que o pano vermelho cai, conseguimos ver como é maldita a herança deixada por eles. E ainda temos os que querem a Dilma de volta... Seria cômico, se não fosse trágico.
  • Pedro  22/06/2016 02:08
    Os caras conseguiram quebrar um oligopólio protegido pelo estado. Respeito.
  • JOSE F F OLIVEIRA  22/06/2016 02:18
    EM 2013, a OGX, do empresário Eike Batista, marcou a história da economia brasileira ao entrar com um pedido de recuperação judicial de R$ 11,2 bilhões. Anos depois, a Sete Brasil, parceira da Petrobras, tentou negociar R$ 19,3 bilhões. Agora, esses valores podem ter sido superados em muitas vezes graças a uma dívida gigantesca no setor de telefonia. Na última segunda-feira (20), a Oi entrou com um pedido de negociação semelhante para tentar evitar a falência imediata. O valor da brincadeira? R$ 65,4 bilhões, a maior soma do tipo no Brasil.
  • Rogério Marques  22/06/2016 02:23
    Por acaso existe alguma coisa -- qualquer coisa -- em que petista tenha metido a mão e não tenha sido destruída?
  • Marcelo Carnevale  22/06/2016 02:37
    PT confirmando sua vocação para Perda Total.
  • Renan  22/06/2016 03:31
    Concordo com o artigo, mas tenho uma ressalva.
    A Oi está longe de fornecer "serviços de péssima qualidade", como cita o artigo. Sou cliente da Oi há dois anos, antes disso passei por Claro, Tim e Vivo, nessa ordem e sempre fazendo portabilidade. A Oi é, de longe, a melhor das 4. O 3G é super rápido e continua rápido depois que acaba a franquia, mais do que qualquer outra. Sou do interior de SP e, em questão de cobertura, a Oi só perde pra Vivo. Além disso, a Oi tem o melhor atendimento ao cliente e, de longe, os melhores preços. Só mudei da Vivo pra Oi porque tinha muito mais opções pela metade do preço.
    Talvez uma das razões dos prejuízos da Oi tenha sido oferecer serviços de melhor qualidade que as demais por preços bem inferiores, tornando-a não competitiva.
  • Armando Ribeiro  22/06/2016 12:20
    Embora eu jamais tenha feito parte da turma que gosta de malhar as teles, devo confessar que esse seu depoimento é totalmente inédito para mim. Eu realmente nunca vi ninguém elogiar a Oi. Os relatos são sempre pavorosos, que vão desde contas telefônicas com cobranças indevidas, passando por mau atendimento nas lojas, até serviços de internet ruim.

    Conheço sim gente que gosta da Vivo. Quanto à TIM, todo mundo critica, mas ninguém reconhece que ela, por ser a mais barata, fornece um serviço à altura do preço.
  • Quevedo  22/06/2016 13:47
    Talvez uma das razões dos prejuízos da Oi tenha sido oferecer serviços de melhor qualidade que as demais por preços bem inferiores, tornando-a não competitiva.

    Isso non ecziste!!
  • Pessimista  22/06/2016 14:16
    Operadora com qualidade e preço baixo? kkkk só pode ser alguém que comprou ações da OI.

    Se a OI é tão boa porque tem o menor market Share dentre as 4 principais operadoras de telefonia?

    No reclame aqui a OI é a segunda operadora com mais reclamações, sendo apenas a VIVO com mais reclamações, mas leve-se em conta que a VIVO tem o maior market share das telefonias móveis.

    Não parece que a OI é tão boa assim, parece que seus prejuízos são frutos de má gestão mesmo.
  • Jaum  22/06/2016 14:36
    Você tá dizendo que a Oi oferece serviço de melhor qualidade com preço inferior. Você acredita em papai Noel?
  • LOUCO  22/06/2016 15:08
    Amigo me desculpe mas você falar que uma empresa fali por oferecer serviços melhores e com preços mais baixos que as concorrentes beira a loucura. Esse na verdade é o segredo do sucesso de todas as empresas que tem enormes lucros no mercado, e esse é justamente o motivo de no médio prazo os serviços se tornarem melhores e mais baratos fazendo as empresas investirem em tecnologia e consequentemente beneficiar toda a sociedade. Agora creio que a Oi deva ser boa especificamente no interior de São Paulo, e mesmo assim no setor de telefonia móvel. Mas a Oi oferece no geral o pior serviço em qualquer área de autuação do território brasileiro. Inclusive em meu bairro no subúrbio carioca só tem algum serviço da Oi quem não consegue outras operadoras por conta da área de abrangência das mesmas.
  • Renan  23/06/2016 17:13
    1: Nao tenho nem nunca tive acoes da OI
    2: Sei que o segredo do sucesso eh fornecer bons servicos a precos baixos, mas se vc nao conseguir determinar corretamente os precos que estao sendo cobrados, pode acabar tentando cobrar barato pra conseguir clientes, mas nao conseguir o efeito de ter o numero de clientes que faria valer esse preco, seja por falhas de marketing ou qualquer outra coisa. Eh bem simples e comum que isso aconteca. O empresario tenta cobrar menos pra atrair clientes, porem o preco cobrado nao cobre os custos ou nao fornece lucros suficientes pra reinvestir/ampliar a empresa. No limite, imagine a Apple vendendo iPhones a US$1,00, produto bom (discutivel, eu sei), preco baixo, falencia certa. Impressionante de ver que tanta gente nao conseguiu chegar nem a esse simples raciocinio
    3: Quem respondeu meu comentario soh disse q a Oi eh ruim. Atitude bem nao-coerente, tentar fazer os fatos encaixarem em suas expectativas/modelos/teorias ao inves de pensar um pouco (ou muito) pra tentar explicar os fatos. Nao conduzi nenhuma pesquisa pra determiner a qualidade dos servicos da Oi no geral, mas soh vejo vcs falando que a Oi tem pessimo servico baseado em achismos. Eu sei que o fato eh que passei pelas 4 operadoras recentemente e na Oi eh onde pago menos em valor absoluto, tenho mais minutos e mais internet tambem em valor absoluto, e em cobertura soh perde pra Vivo na minha percepcao. A cobertura da Tim e da Claro sao ridiculas
    4: Quanto ao market share da OI, pode ser facilmente falha de marketing, ou entao porque ela eh bem, bem, mais recente no mercado que as outras. Eh triste ver que tem gente que pensa que o melhor custo/beneficio sempre vai ter a maior market share. Ha muitos outros fatores, como um bom marketing, a confianca do consumidor pela tradicao (acho que eh o caso, etc
  •   30/06/2016 14:34
    Provavelmente o que o Renan tentou dizer é que a empresa foi artificialmente obrigada a manter os preços baixos por pressão (governo?), como ocorreu com a petro, o que resultou em sua falêcia...
  • anônimo  22/06/2016 03:57

    O link abaixo mostra uma consulta pública do BNDES, para quem quiser financiamento na área de "internet das coisas".

    Será que o BNDES não tem financiamento pra plantar maconha ?

    www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Apoio_Financeiro/Apoio_a_estudos_e_pesquisas/BNDES_FEP/prospeccao/chamada_internet_das_coisas.html
  • Economista da UNICAMP  22/06/2016 13:15
    Assim como a Nokia esta para a Finlândia, como a Samsung está para a Coréia do Sul, como a GM está para os EUA, a Oi está para o Brasil.

    Deixar uma gigante nacional falir é um absurdo! O custo de deixar a Oi falir será muito maior do que o custo de um resgate. Pensem nos empregos que serão destruídos, no pânico do mercado financeiro, não há nada de saudável para a economia um tombo colossal como esse.

    Too big to fail.
  • anônimo  22/06/2016 14:49
    O legal do site do IMB é que é cheio de easter eggs dentro dele. ahahaha
  • Professor de Macroeconomia  22/06/2016 15:07
    Exatamente economista da UNICAMP.

    A OI não é apenas um orgulho nacional, mas também um pilar da nossa economia, alguns estudos meus já apontam que a quebra da OI impactará em 2,1% no PIB , já levando-se em conta os efeitos multiplicadores sobre a economia.

    Recomendo de imediato que o governo ofereça uma linha de crédito subsidiada com prazos estendidos para aliviar o caixa da OI.

    Também se necessário que o governo adquira milhões de linhas da operadora. Ao fazer isso o governo não apenas estará turbinando as receitas da OI, mas gerando milhões de empregos e fortelecendo a empresa para competir em nível global.

    Espero que o governo aja com menos ideologia dessa vez, ignore os obstaculos contábeis e escute Keynes que há 80 anos atrás clareou os ensinamentos da economia.
  • George  22/06/2016 19:55
    Ou seja, os controladores da OI conseguiram quebrar um empresa sob regime de concessão, e a saída é usar o dinheiro dos contribuintes para beneficiar grupos privilegiados. Privatizam-se os lucros, socializam-se as perdas, mandando a conta pro povo pagar? Eu não to lendo isso...
  • Noiado da Unicamp  22/06/2016 15:21
    A Oi precisa falir e tem que ser urgente. O prejuízo que ela trás para o país é muito mais nefasto que alguns milhares de funcionários na rua.
  • Estudioso barbudo  22/06/2016 20:34
    Não só o valor gerado pela Oi é inestimável, como eu sugiro que nós criemos a gigante das comunicações: a CorreOIs. Sim, uma audaciosa fusão da Oi com os Correios, já aproveitamos para resgatar as duas como ainda anunciamos um plano gigantesco de investimento público para turbinar o crescimento! Contaremos com um avançado serviço de envio de cartas de fatura e um moderno envio de SMS das correspondências. SUCESSO!
  • Dom Pedro XVI  29/06/2016 17:55
    Estudioso Barbudo, você é um gênio!
  • Capital Imoral  22/06/2016 15:32
    Deturparam Mises...disse o neoliberal.


    Agora dizem que o socialismo não deu certo na venezuela, mas esquecem de dizer que o socialismo de verdade, só existe quando não existir mais dinheiro e propriedade, e o pais for uma grande comunidade onde todos são amigos.

    Mas não estou aqui para falar de socialismo, pois o que faliu neste exemplo não foi o socialismo, mas sim o capitalismo...novamente.

    O neoliberal poderia dizer "há mas não era capitalismo, porque o estado estava intervindo", da mesma forma eu posso usar este argumento para Venezuela, "há mas não era socialismo, pois ainda existia dinheiro e propriedade privada", que socialismo é esse? Maduro tentou acabar com essas coisas, foi quase morto. Percebe agora neoliberal, o que é de fato socialismo? Não ouse dizer que Venezuela é um pais socialista, e eu não vou dizer que o Brasil é um pais 100% capitalista.

    Deturparam Mises, disse Helio beltrião.
  • George  22/06/2016 20:00
    Você não sabe o que é capitalismo, nem socialismo.

    Então porque não se cala, amigo?
  • George  22/06/2016 20:05
    Venezuela capitalista era o 20º país mais rico do mundo.Depois do chavismo, é país que passa fome. Aprenda alguma coisa sobre o mundo real, amigo, algo além desses devaneios que você gosta de postar aqui.
  • WDA  23/06/2016 23:43
    Não, não deturparam Mises, seu imbecil. Nem Helio Beltrão disse isso ou qualquer liberal, tampouco se pode depreender tal coisa do texto. Mesmo porque as afirmações do texto somente CONFIRMAM a teoria de Mises.

    Capitalismo de Estado não é capitalismo "laissez-faire" e sim uma forma de INTERVENCIONISMO ESTATAL, criticada por Mises com base em raciocínios apodíticos.

    Intervencionismo é uma forma abrandada de socialismo, distorcendo um ambiente capitalista com políticas de cunho socialista. De fato, o intervencionismo reduz o grau de liberdade econômica e, portanto, o grau de capitalismo em um país.

    Quanto maior a intervenção estatal na economia, maior o grau de socialismo presente na sociedade. E mais uma vez, a intervenção do Estado na economia se mostrou ineficiente e incompetente, como o texto prova.

    " ...mas esquecem de dizer que o socialismo de verdade, só existe quando não existir mais dinheiro e propriedade, e o pais for uma grande comunidade onde todos são amigos."

    Você é tão estúpido que nem sabe do que fala! Esta descrição por você apresentada não é do socialismo e sim do COMUNISMO! Essa coisa impossível que a incoerência Marxista promete sem poder jamais cumprir.

    " "há (sic) mas não era socialismo, pois ainda existia dinheiro e propriedade privada", que socialismo é esse? Maduro tentou acabar com essas coisas, foi quase morto. Percebe agora neoliberal, o que é de fato socialismo? Não ouse dizer que Venezuela é um pais socialista, e eu não vou dizer que o Brasil é um pais 100% capitalista. "

    O criminoso Ditador Maduro continua muito vivo, quem está morrendo é a população a quem ele impôs o socialismo. Ele como chefe do partido dominante e chefe-supremo da nação naturalmente é "mais igual" que os outros e vive como um ricaço, enquanto o povo está morrendo por inanição. Isso é típico de regimes socialistas.

    E, sim, o socialista declarado, Maduro, impôs a seu povo fortes medidas socialistas, restringiu enormemente o acesso e os direitos à propriedade privada. E o forte socialismo de Maduro destruiu - como sempre - a economia e está matando a população.

    O socialismo mais uma vez provou ser um fracasso. E você é mais um socialista que provou ser imbecil.
  • Equilibrado  23/06/2016 23:58
    Calma, WDA. O camarada acima é um fake liberal que apenas está zoando o discurso-padrão da esquerda. Tem muito disso nas seções de comentários aqui.

    Mas a sua resposta foi excelente.
  • WDA  24/06/2016 00:18
    Obrigado, Equilibrado. Sei que aqui há vários fakes bacanas, como o Sociólogo da USP, etc. Mas esse Capital Imoral eu realmente achei que fosse um socialista querendo causar desordem, pq vi várias manifestações dele que me pareceram bastante realistas e mais virulentas do que as dos fakes que eu conhecia.

    De todo modo, obrigado por esclarecer.
  • Blogueiro sujo  24/06/2016 00:11
    O problema do Brasil é o EXCESSO de mercado, meu amiguinho.

    Precisamos de mais Estado.
  • Artista do Leblon  22/06/2016 18:24
    A falência da OI é culpa do excesso de capitalismo e livre mercado no Brasil.

    Isso é um fato inegável.
  • Pessimista  22/06/2016 19:12
    Fosse um livre mercado a OI já teria quebrado faz tempo.
  • George  22/06/2016 19:52
    Opinião risível. Simplesmente risível.

    A OI foi o primeiro símbolo do capitalismo de estado petista, batizado e protegido pela ANATEL, que sempre serviu como sindicato das empresas de telefonia, garantindo privilégios e vantagens anacrônicas enquanto as mesmas, especialmente a OI, enquanto prestavam um serviço horrível, especialmente a própria OI. Típico da intervenção do Estado na economia.

    As empresas que lutaram no livre mercado não só prestaram serviços ou criaram produtos de qualidade à população, como sobreviverão à crise sem grandes perdas, tendo sofrido nada mais que meras turbulências.

    Compare a OI ou a Petrobras com a EMBRAER, que foi privatizada e deixou de sofrer controle ou influência estatal, e você verá essa verdade, em vez de meras teorias ideológicas falidas e inexistentes na realidade.
  • George  22/06/2016 20:00
    E mais, ainda que você estivesse certo e a quebra da OI fosse consequência do livre mercado, isso seria ótimo, pois no livre mercado as empresas incompetentes e inadequadas para prestar serviços à população quebram, dando espaço àquelas que que servem aos anseios do mercado.

    Você tem alguma ideia do que é o mercado, amigo?

    Nós somos o mercado. Nós, consumidores.

    Numa economia de livre mercado, nós é que escolhemos quem presta os melhores serviços a nós, não o Estado, um punhado de burocratas que acredita que pode substituir a vontade das pessoas.
  • Antropólogo da UNB  22/06/2016 20:54
    Concordo com o Artista do Leblon.
  • Cientista Social da UFRJ  22/06/2016 21:54
    Concordo com vc.

    O grande problema do Brasil é o excesso de mercado em detrimento do Estado.
  • Sociólogo da USP  22/06/2016 19:35
    Ta aí o resultado da privatização da Telebrás. Não houve melhora no serviço, nem no preço e como vemos agora, nem na gestão.

    ''Empresa privada é mais eficiente que empresa estatal'', disseram os liberais

    #voltatelebrás
  • Ernesto de Carvalho  22/06/2016 20:46
    Quando Lula resolveu criar mais uma campeã nacional, percebi que ia dá em merda. Quando o conselho da Oi tomou dinheiro emprestado para pagar dividendo gordo aos acionistas, tive a certeza do desastre. A dívida reflete a monumental incompetência gerencial na empresa, patrocinada pelo padrinho Lula, o onagro.
  • Concurseiro por Vocação( nascido pra isso)  22/06/2016 22:16
    Entreguistas! Querem entregar o sistema de telefonia nacional para o capital especulativo internacional! Contra burguês, vote 16!
  • Ivan  23/06/2016 06:22
    Perdi meus lados com esse nome.
  • coringa  23/06/2016 16:32
    13 anos mamando nas tetas do estado e em um mês sem a boquinha já entram em falência. Os caras são "bons" mesmo. Hehehehehehe
  • Otton Tiburtino  23/06/2016 19:10
    esse tal de Guabiru do Agreste além de ladrão não conseguiu ser mais nada
  • mauricio barbosa  25/06/2016 00:14
    Nunca vi tanto troll reunido igual neste texto,parece que estão falando entre-si.Quanto aos demais comentaristas pró-mercado show de bola nestes MAVs asquerosos.
  • Daniel  27/06/2016 02:19
    De onde vocês tiraram que a Oi é coisa do governo Lula? HAHAHAHAH

    A Oi é resultado da privatização da TELEBRÁS, no governo FHC. O nome anterior era TELEMAR.
  • Dantas  27/06/2016 12:20
    Queridão, a atual Oi (aquela que opera como linha fixa, móvel e provedora do internet) foi resultante da fusão -- patrocinada pelo governo e utilizando dinheiro dos nossos impostos -- entre a Telemar e a Brasil Telecom, de Daniel Dantas.

    Antes dessa desastrosa fusão arquitetada pelo governo, havia apenas a operadora de celular Oi, que vinha até muito bem.

    É natural que petistas, perante mais um desastre diretamente criado por Lula -- como, aliás, tudo aquilo em que ele colocou a mão -- queiram tirar o corpo fora e, como sempre, ressuscitar o cadáver de FHC, atribuindo ao sociólogo fabiano todos os males do país. A falta de vergonha na cara dessa gente nunca deixa de espantar.

    Petista, aliás, só não consegue ser mais patético por falta de atenção recebida.

    Hahahaha! (É assim? Fiz certinho?)
  • Gladstone  27/06/2016 12:21
    Relincha mais.
  • Andre Cavalcante  27/06/2016 14:46
    Hahahaha! É gargalhada!
    Hihihihi! É que é relincho.

    :D

    Sobre o que o Daniel escreveu: - No comments. (é estúpido demais)
  • Leandro Algusto  27/06/2016 15:11
    Mão só com a OI mas diversas empresas estão capengando das pernas, a OI só é a ponta do iceberg.
  • George Orwell  27/06/2016 16:15
    Capital Imoral 22/06/2016 15:32:49

    (...)
    " mas não era capitalismo
    (...)

    " mas não era socialismo
    (...)

    Não, esse asno não é um fake liberal. Seus repetidos ataques ao vernáculo são a prova de que ele é só um MAV asqueroso e semi-analfabeto, que se acha no direito de falar sobre o que não sabe nem pode compreender.
  • Capital Imoral  27/06/2016 18:00
    Que tal falarmos sobre: " O grande irmão" chamado capitalismo?

    Eles sabe o que você pensa, ele sabe o que você gosta, ele está no seu e-mail ofertando o que você viu. Ele sabe o que você reza e o que você pensa.

    O mais triste disso tudo, é que você ama o grande irmão, todos amamos o grande irmão. O grande irmão não tem face, ele é tudo e todos, é aquela força que sempre tenta corromper a alma humana.

    O grande irmão é o Deus da matéria, que corrompe diariamente o homem. Ele sabe que você não quer os céus, você quer a carne, o sexo com a mulher bonita, o gosto do belo vinho, o prazer da carne vermelha. O Grande irmão sabe o que você gosta, e você o ama.

    O homem traiu o homem? Sim com certeza, mas o mal só encontrou o maldade que ali já existia.

    Como pode trair o homem e a si mesmo George Orwell?
  • Capital Imoral  27/06/2016 18:39
    Estou esperando George Orwell... diga: "Eu amo o grande irmão."


    todos nós amamos...
  • George Orwell  27/06/2016 19:40
    Sim, eu aprecio o prazer da carne, do sexo com uma mulher bonita, de um belo vinho. Você que é um anjo puritano e não gosta dessas coisas, deveria se mudar para a Venezuela, lugar onde nada disso existe mais graças ao socialismo, pra não ser contaminado por essas tentações mundanas.
  • osvaldo dos santos  27/11/2016 21:39
    A essa altura da vida, cabelos grisalhos e frustração ante o nosso comportamento, cansaço de ver desfilar símbolos de várias ideologias políticas, chego a modesta conclusão: O que realmente importa é a SERIEDADE no trato tanto das coisas públicas quanto das coisas privadas. O regime pode ser capitalista, marxista, socialista, facista e até mesmo nazista, se houver seriedade principalmente com o dinheiro público, a coisa vai, nos falta seriedade, somos um povo essencialmente mau caráter, não vale julgar pelas exceções, a maioria de nós não presta. E se não nos criticarmos, jamais evoluiremos como espécie humana. É evidente que o país precisa de reformas, mas, no mínimo simultaneamente a reforma individual no comportamento de cada um de nós. Se for da vontade de todos, poderemos fazer desse país, uma grande nação... Lembram-se disso?
    Continuamos sendo um país grande, habitado predominantemente por uma massa amorfa, alienada, corrupta e violenta, e daí surgem os dirigentes políticos, com raras exceções, contrariam suas origens. Pé no chão, porque a jornada é muito longa, num torrão tão próspero, aqui estamos nós, bandalhos, vaidosos, ambiciosos e muito violentos; competentes até.
  • saoPaulo  28/11/2016 13:55
    osvaldo dos santos 27/11/2016 21:39
    Seu comentário foi um misto de misticismo new age com pura ignorância econômica.
    É um disparate tão grande dizer que "o regime pode ser capitalista, marxista, socialista, fa[s]cista e até mesmo nazista, se houver seriedade principalmente com o dinheiro público, a coisa vai", que estou me controlando para não elevar os ânimos... Procure neste mesmo site sobre todos estes regimes, leia tudo, e saia desta ignorância pavorosa.
    A parte misticista new age fica por conta da sua aparente crença de que basta o ser humano se tornar um anjinho, como acreditam muitos marxistas, e tudo ficará as mil maravilhas, como se fôssemos robôs e os sistemas de incentivo em nada importassem.
    E se eu te disser que uma massa amorfa, alienada, corrupta e violenta, é justamente o resultado de um regime que incentiva este comportamento? E se eu te disser que o Brasil é corrupto justamente porque quem é honesto é penalizado, e corruptos beneficiados? E se eu te disser que o Brasil é violento justamente porque quem tenta se proteger é penalizado, enquanto agressores são premiados? Por que sociedades mais capitalistas geralmente são menos corruptas e violentas?
    Bem vindo ao IMB. Que as ideias deste site iluminem sua escuridão.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.