Existe uma página específica para este artigo. Para acessá-la clique aqui.

Imagens (e um vídeo) que valem por inúmeros artigos


Aqueles que defendem a necessidade de haver um estado:

filosofia.png


Como são as coisas no Brasil:

panfleto.png

 

O assalariado no Brasil e no mundo:

salarios.png

 

Como os problemas são resolvidos nas respectivas esferas:

lucro.png

 

Como cada setor evoluiu:

publicoprivado.png

 

Em 1997, durante o programa Manhattan Connection, Paulo Francis defendeu a privatização da Petrobras e acusou seus diretores de roubarem a empresa. Em retaliação, a Petrobras entrou com um processo na justiça de Nova Iorque pedindo uma indenização de 100 milhões de dólares, o que levou Francis a um grande stress que culminou com a sua morte por ataque cardíaco.

Quase 20 anos depois, vemos pelas manchetes dos jornais todos os dias como Paulo Francis estava certo.



0 votos

SOBRE O AUTOR

Ilisp
Instituto Liberal de São Paulo.

Visite sua página no Facebook.


OFF-TOPPIC: pessoal do IMB, seria possível vocês redigirem um artigo refutando as teorias conspiratórias sobre o Nióbio que abundam desde a época do Enéias? Quinta-feira o Instituto Liberal reiniciou o debate, e seria ótimo se vocês dessem continuidade. Eis o que comentei no website do IL, é o que resumidamente penso do assunto:

"Se há indícios concretos ou, ao menos, motivos para crer que as empresas autorizadas pelo Estado brasileiro a retirarem do solo e comercializarem este metal estão cometendo fraudes de qualquer natureza, em conluio com grupos estrangeiros ou não, a solução é, em se confirmando as irregularidades, rescindir os contratos de permissão em vigor e abrir este mercado para mais empresas interessadas no empreendimento - seja lá de onde elas forem. A que oferecer a melhor barganha leva as jazidas - e paga impostos sobre tudo o que produzir. Elevar o preço na marra? Claro, abusar desta condição de quase monopolista pode funcionar no começo, mas no médio prazo surgirão alternativas de melhor custo-benefício para atender a demanda daqueles insatisfeitos com a situação. Deixar de vender o Nióbio como comodittie e agregar valor ao mineral em nossa indústria da transformação? Seria ótimo, se nosso parque industrial não estivesse parado no tempo desde meados do século passado. Só falta criarem a estatal NIOBRÁS no Brasil, que dará origem ao escândalo do NIOBRÃO. O brasileiro não aprende mesmo: sempre achando que vai encontrar um bilhete premiado no chão e poderá passar o resto da vida bebendo e sambando."
"Tal afirmação nunca foi feita. Em ponto nenhum do artigo. E nem em nenhum outro artigo"

Não me refiro à uma frase ou texto escrito nos artigos do IMB. Estou questionando a percepção daqueles que defendem esse modelo de afrouxamento da terceirização proposto pelo governo, pois essa discussão toda é parte da realidade em que estamos vivenciando. Aliás, não creio que esse artigo seja uma mera exposição teórico-dissertativa acerca do que seria e quais os benefícios de uma terceirização segundo os liberais, muito menos um texto desvinculado da conjectura atual, como você transparece para quem lê. Logo, minha indagação é pertinente, ainda que, o que questiono, não esteja explicitamente escrito no artigo.

Em relação ao artigo linkado, em momento algum vi algo a mostra que abordasse diretamente o problema terceirização-corporativismo privado que eu levantei acima. O que mais se aproxima seria esse trecho:
"Em primeiro lugar, a ideia de que custos menores para empresas é algo ruim. Além do fato de que custos baixos permitem maior acúmulo de capital — o que possibilita mais investimentos e mais contratações —, falta explicar como que custos de contratação menores podem ser ruins para pessoas à procura de emprego."
Sim, não há problema algum em um empresário tentar reduzir seus custos para se adequar a concorrência e auferir maiores lucros. O entrave se encontra, como eu falei, no empresário monopolista que não possui um fator invísivel para motivá-lo à otimizar sua produção. A mão visível do Estado garante que seu produto inevitavelmente será consumido e, com isso, seu lucro será certeiro. Por conseguinte, não há a preocupação constante deste em inovar, melhorar a qualidade, aumentar a produtividade da sua mão de obra. Nesse sentido, a terceirização beneficia esse empresário, justamente por rebaixar seus custos com contratados (temporários ou não) à niveis abaixos daquilo que os empregados produzem, sabendo se que eles estão confortáveis em relação aos processos trabalhistas que enfrentarão (ajudinha estatal). Bem como, estagna ou retarda as inovações, tendo em vista que sua produção atual será adquirida pelos consumidores à um preço "monopolístico" durante um tempo maior que o de uma concorrência que existiria num livre mercado. Ademais, seu produto foi feito empregando mão-de-obra com um ônus muito abaixo daquilo que ela de fato produz. Desse modo, a margem de lucro é gigantesca, sendo que esse lucro pode sim ser revertido em capital para futuras melhoras, o que, na minha opinião, não aflinge ou preocupa de modo algum uma empresa monopolista, pois esta pode facilmente pegar crédito subsidiado de bancos estatais, ou ser empreendido em outros investimentos pessoais e, na minha percepção, fúteis e de pouco potencial de gerar valor no futuro.

ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • Ronaud Pereira  19/01/2016 20:07
    Quando comecei encarar a realidade de que O Brasil JÁ É um país socialista, tudo começou a fazer sentido. E começou a se tornar assim já desde o PSDB. Com o PT só se acentuou...
  • Campos  20/01/2016 01:34
    O Brasil é um país proto-socialista desde Getúlio Vargas.

  • Patricia Mc   19/01/2016 20:18
    E o brasileiro otário ainda clama por público, gratuito (sic), e de qualidade (sic sic).
  • Antônio  19/01/2016 20:26
    Vale lembrar que o futebol também já foi estatizado. A Caixa, o Banrisul e outros bancos estatais patrocinam quase todos os times.
  • Vale Conferir  19/01/2016 20:53
  • Marco de Tropoja  19/01/2016 22:59
    Futebol brasileiro é uma vergonha,não temos uma liga decente aqui,um calendario,respeito ao publico.7x1 foi pouco.
  • Jose Luiz Dias Filho  19/01/2016 21:12
    Meu receio é que os malfeitores deem um cavalo-de-pau nos brasileiros de bem e escapem quase ilesos e tudo permanecerá como antes: Favelas gigantescas, superfaturamentos, feudos de marajás, criminalidade galopante, etc.
  • Pobre Paulista  19/01/2016 21:38
    Disclaimer: Instituto Liberal não é contra o estado, apenas considera que o estado não está no seu molde favorito.
  • Vitor Hugo  20/01/2016 17:52
    Esse Instituto Liberal não. Eu sigo a página e eles são totalmente anarcaps (apesar de não utilizarem o termo), direto estão brigando com estatistas nos post defendendo privatização (e livre concorrência é claro) da segurança e justiça. O que basicamente significa o fim do Estado.
  • Kim  20/01/2016 19:41
    Eles defendem o Estado para manter as leis para ter Lei e Ordem.

    Eles não são anarcocapitalistas.
  • Rene  20/01/2016 12:03
    Aquela última imagem, antes do vídeo, diz muita coisa. Gostei principalmente dos pontos de interrogação no Detran.

    Ano passado, minha esposa fez o documento de habilitação de trânsito dela. A burocracia exigida para se fazer uma coisa simples como é dirigir deixa qualquer um com raiva. A prova do exame psicotécnico é completamente subjetiva. É estranho uma pessoa fazer um exame de 10 minutos e receber um diagnóstico "Não apto para direção". A prova prática, então, parece que foi projetada para reprovar o maior número de candidatos possível. A pessoa termina as aulas práticas, e um mês depois é que ela vai fazer o exame. Neste momento, o coitado do candidato vai em uma rua que ele não está acostumado a dirigir para ser avaliado por um funcionário público com cara de poucos amigos. Tudo isso sabendo que se fizer alguns poucos erros, só vai poder repetir o exame daqui a um mês e meio, e vai ter que desembolsar quase 300 mangos.

    O Brasil é um dos lugares mais rígidos do mundo para conseguir a primeira habilitação. E não há um único estudo que comprove que este exame rígido tenha contribuído para a melhora da qualidade dos motoristas formados. Triste.
  • Viking  21/01/2016 15:03
    como brasileiro odeia ler, esse tipo de postagem divulgado nas redes sociais colabora bastante com nossa causa. é bem eficiente.
  •   22/01/2016 05:24
    Concordo. Ja mandei duas pra frente...
  • Allan  18/05/2016 01:14
    Tão difícil para algumas pessoas entenderem isso...
  • anônimo  18/05/2016 02:53
    Saúde estatal? Pergunta se os planos privados querem arcar com alta complexidade...
    Pergunta para um morador dos EUA se eles preferem o sistema de saúde norte americano que é privado.
    Telecomunicações privatizadas Anatel agência reguladora...
    Bancos publicos grandes? O que impede dos demais bancos crescerem, certamente não são os bancos públicos... Até porque os privados tem crescido sempre....
    Segurança é competência do Estado desde a concepção do mesmo... me sugiram um lugar que o estado nao gerencia a seguranca para que conheca suas beneces... talvez seja ignorancia minha...
    Quem sabe privatizam o judiciário... Já imaginaram o interesse privado arbítrando quanto aos conflitos de aplicação das leis...
    Não precisamos de menos estado, precisamos de qualidade na gestão da coisa pública seriedade dos governantes e um sistema político adequado...
  • Professor  18/05/2016 15:53
    "Saúde estatal? Pergunta se os planos privados querem arcar com alta complexidade..."

    E nem haveria por que eles quererem, dado que todo o sistema é estritamente regulado e cartelizado pelo governo, o qual fechou o mercado justamente para proteger os lucros dessas grandes empresas. E você parece defender esse arranjo.

    Saia da obscuridade:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=105
    www.mises.org.br/Article.aspx?id=923
    www.mises.org.br/Article.aspx?id=1849
    www.mises.org.br/Article.aspx?id=2029


    "Pergunta para um morador dos EUA se eles preferem o sistema de saúde norte americano que é privado."

    Privado, não. "Privado". Lá, o governo estipula preços e até proíbe que a seguradora de um estado forneça serviços em outro estado. É como se a Unimed só pudesse atuar no Rio, a Amil só em São Paulo, a Sul America só em MG e por aí vai.

    Não há reserva de mercado -- imposta pelo estado -- mais gostosa e tranquila do que essa.

    Quer criticar o sistema americano? Junte-se a nós. Mas ao menos saiba do que está falando:

    Como realmente funciona o sistema de saúde americano

    Agora, quer ver como realmente é a saúde estatal nos países ricos. Pois não:

    Comece por aqui:

    Verdades inconvenientes sobre o sistema de saúde sueco

    As diferenças entre os serviços de saúde da Alemanha e do Canadá

    Como realmente funciona o sistema de saúde americano

    Na Inglaterra, comece por aqui:

    British Clinic Is Allowed to Deny Medicine

    Depois vá aqui:

    Now sick babies go on death pathway: Doctor's haunting testimony reveals how children are put on end-of-life plan

    No Reino Unido, a medicina estatal já chegou à sua perfeição: bebês doentes estão sofrendo eutanásia compulsória.

    Sem recursos (que inesperado!), os hospitais do NHS (National Health Service) estão simplesmente cortando a alimentação deles, que são deixados à míngua até morrerem.

    Estatistas -- que são obcecados com controle populacional -- até salivam quando lêem coisas assim.

    E termine aqui:

    Nearly 1,200 people have starved to death in NHS hospitals because 'nurses are too busy to feed patients'

    1.200 pessoas morreram de fome nos hospitais estatais do Reino Unido (o National Health Service - NHS) porque as "enfermeiras estavam ocupadas demais para alimentá-las".

    Como bônus, fique com isso (a foto é forte):

    www.dailymail.co.uk/news/article-1218927/Plumber-shattered-arm-left-horrifically-bent-shape-operation-cancelled-times.html


    Sobre o Canadá, veja uma compilação de notícias "muito humanas" aqui.

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=349

    Depois, leia aqui:

    Report: Tens of thousands fled socialized canadian medicine in 2013


    "Telecomunicações privatizadas Anatel agência reguladora... "

    Ué, e o que é a ANATEL senão uma agência estatal que existe justamente para cartelizar e fechar o mercado, e impedir a livre concorrência?

    Veja um exemplo prático do que é a ANATEL aqui:

    Brasil versus Romênia - até quando nosso mercado de internet continuará fechado pelo governo?

    "Bancos publicos grandes? O que impede dos demais bancos crescerem, certamente não são os bancos públicos... Até porque os privados tem crescido sempre...."

    Bancos estatais contam com repasses do Tesouro, o que lhes permite fazer empréstimos a juros abaixo dos de mercado, conquistando assim a maior fatia do mercado. Você, pelo visto, não sabia disso.

    Veja o gráfico 6 deste artigo para entender a discrepância:

    "Não precisamos de menos estado, precisamos de qualidade na gestão da coisa pública seriedade dos governantes e um sistema político adequado..."

    Precisamos também do Papai Noel, do Coelhinho da Páscoa e da Fada Sininho. Aí, sim, resolvemos tudo.
  • Stephen Kanitz  18/05/2016 11:19
    Só uma correção. iniciativa privada é pleonasmo.
  • gustavo  18/05/2016 12:17
    Dúvida, algumas coisas são fáceis de serem privatizadas outras nem tanto. Pois não basta apenas privatizar, é necessário abrir o mercado. Se vc privatiza por exemplo a Petrobras mas n permite outros players retirarem petróleo, simplesmente n fez nada, não melhora para o cliente, n melhora os processos de produção, nem diminui a robalheira.

    No caso minha dúvida seria como privatizar e abrir o mercado de uma empresa de saneamento. Pois, n consigo imaginar a bagunça q seria se cada nova empresa começar a fazer seu buraco e cada uma colocar seu encanamento e além disso como ficariam divididas os mananciais/reservatórios de água..
    Alguem tem idéia?
  • Auxiliar  18/05/2016 15:07
    Explicado em detalhes excruciantes aqui:

    www.mises.org.br/Article.aspx?id=646


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.