Existe uma página específica para este artigo. Para acessá-la clique aqui.

Trinta e sete motivos para defender a Uber

1. O consumidor é soberano

Os comerciantes falam que "o cliente sempre tem razão". Ao que tudo indica, no entanto, nossa classe política não concorda com essa máxima.

Geralmente, quando surge um novo produto ou serviço, quem quer usa; quem não quer não usa. De onde vem esta polêmica toda no caso do Uber? Cadê o Procon?

2. É moral

Proibir um adulto de entrar em um carro que voluntariamente lhe oferece uma carona, e também proibi-lo de pagar o quanto ele quer para esse motorista é descabido e imoral. Desde quando você delegou este direito de escolha a um político?

3. Todos os clientes adoram

Em pouco mais de um ano de operação no Brasil, a Uber conquistou os corações de seus clientes, que, fidelizados, passam a promover espontaneamente a empresa expressando sua satisfação pelo serviço e se tornando uma frente de , principalmente nas redes sociais.

1.png

4. É legal

Se fosse ilegal, não seria necessária uma legislação para proibi-lo. Bastaria mandar a polícia fechar a empresa. Por que ninguém sugere isso? Porque não há como; porque não é ilegal. Uber não é clandestino.

Por isso o Juiz Paulo Bonini, da 41ª Vara Cível de São Paulo, afirmou que o simples fato de um serviço ser inovador, e não haver ainda regulação que o contemple, não faz dele ilegal:

"[... ]os fatos (...) na~o justificam a suspensa~o de um servic¸o que e´ prestado em diversos pai´ses de forma regular, com ou sem regulamentac¸a~o. O simples fato de uma atividade, em geral inovadora, na~o ser regulamentada, na~o traduz sua ilicitude de plano.".

O serviço da Uber é previsto pela Lei 12.587/12, que trata dos serviços de transporte motorizado privado (não coincide com o transporte público individual prestado pelos taxistas).

Sendo assim, a Uber respeita a legislação. Quem quer mudá-la é a classe política e o cartel dos taxistas.

5. Regular # regulado

2.png

Sendo legal, a Uber é regular. Isso é diferente de ser regulado (ou regulamentado).

A regulação é uma legislação específica do estado contra uma determinada atividade. Tal legislação (geralmente) dita como o serviço tem de ser provido (ou como o bem tem que ser produzido).

Ou seja, trata-se de uma interferência na gestão da atividade. Atualmente, a maneira como o serviço é provido é decidida pela empresa, pelos motoristas e pelos clientes (com as avaliações deles). Quem regula o mercado é o consumidor. Os serviços da Uber já são regulados.  Pelos clientes. Não há regulamentação política e nenhum cliente sente falta.

Na realidade, a regulação política serve, sempre e apenas, para prejudicar o concorrente. É sempre o agente econômico que está sendo desafiado quem aciona e pressiona o estado para regulamentar o concorrente melhor que ele (se fosse pior, ninguém se importaria). 

Hoje, com a Uber, é possível comprovar isso ao ver como os taxistas passaram a exigir a regulamentação.

6. Alto padrão de qualidade

3.png

Os usuários já sabem, e quem experimenta pela primeira vez fica espantado: "Fantástico! Como pode ser tão melhor e ainda mais barato?"

O carro é bom, novo, limpo, o motorista abre a porta, pergunta em qual estação pôr o rádio, oferece água, balas, o ar está sempre ligado e o motorista coloca a temperatura de sua preferência. O motorista é gentil, bem vestido, instruído e dirige com segurança.

7.  É mais barato

4.png

Além de tudo, ainda é mais barato.

Com o Uber X, por exemplo, a tarifa é de R$ 0,35 por minuto e apenas R$ 1,43 por km; e no Uber Black é de R$ 0,40 por minuto e R$ 2,42 por km. Cerca de 45% (UberX) e 10% (Uber Black) mais barato.

Experimentar para crer.

Onde estão nossos políticos defensores dos mais pobres? (A imagem acima dá o exemplo do Rio)

8. É mais seguro para o cliente.

a. Quem escolhe os motoristas é uma empresa que vive de reputação e não um ente estatal que não deve explicações a ninguém. Os motoristas são selecionados, capacitados, recebem avaliação constante (e não só no ingresso). A viagem, o motorista, o percurso e o valor ficam registrados para sempre.

b. Se você esqueceu alguma coisa no carro, há uma função específica no aplicativo para isso.

c. É pago com cartão. Você não precisa carregar dinheiro. Você e o motorista vão sofrer menos assaltos e nunca há problemas de troco.

9.  É mais seguro para o motorista

Muitas vezes os taxistas são assaltados, dirigem em horários e lugares perigosos e isso desestimula o ingresso de mulheres na profissão e incentiva a entrada de pessoas, por assim dizer, mais "dispostas ao risco".

Com Uber, ao contrário, o motorista sabe antecipadamente quem é o cliente.  O cliente tem todo um histórico de avaliação. Não por acaso, 22.400 dos motoristas do Uber são mulheres (14% do total) e a empresa promete empregar 1 milhão de mulheres até 2020.

10. O motorista é mais bem avaliado

5.png

Para avaliar o motorista, o carro, a corrida, o serviço de forma geral, você pode facilmente dar um feedback (em forma de 5 estrelas) ao fim da corrida. O motorista também faz a mesma coisa com você. O sistema grava tudo, tira constantemente a média e os motoristas com média baixa são afastados da Uber.

Se, além disso, você quer fazer alguma reclamação específica, pode escrever um e-mail e a empresa será sempre solícita em responder e resolver o problema em uma janela de poucas horas.

Com o cartel dos taxistas, ao contrário, não há muito o que fazer. Você terá de ir ao DETRAN, pegar uma senha, ficar na fila, perder várias horas, conversar com um burocrata, fazer uma reclamação formal e depois de 3 pessoas fazerem isso, eles vão apenas dar uma advertência ao taxista. Esquece.

11. Impostos

a. Para quem considera isso uma virtude, Uber já paga impostos.

b. Os motoristas pagam impostos como qualquer outro CNPJ (visto que a  corrida é paga com cartão de credito, fica tudo registrado).

c. A empresa paga impostos federais.

d. Algumas prefeituras, além disso, querem impor um imposto específico e adicional. Se isso acontecer, quem vai pagar mais será o cliente. O custo da Uber irá aumentar e será transferido aos clientes. Este dinheiro irá para Brasília em vez de ficar no seu bolso.

12. Ajuda velhos, mulheres e crianças

6.png

Por ser muito mais seguro, muitas pessoas deixam mais tranquilamente a esposa, os filhos ou parentes velhos ir de Uber. Há quem mande o pai velho e doente para o hospital via Uber. Há até quem mande o filho para a escola ou para a balada. Alguns ligam para o motorista, pedem um cuidado especial e o motorista leva até a porta (da escola ou do hospital) e, em alguns casos, até dentro (e em outros casos ainda espera com você na recepção do hospital até lhe chamarem).

Durante tudo isso, você pode acompanhar o caminho do carro pelo aplicativo.

13. Usa o GPS

7.png

Ao entrar no carro, o motorista clica na tela do telefone, a corrida começa e o aplicativo já lança o caminho mais rápido com GPS. Você vê tudo isso no seu telefone e no do motorista.

Além disso, quase sempre os motoristas perguntam se você prefere usar o Waze, que, como todo mundo sabe, consegue evitar o trânsito, poupar tempo e dinheiro. Tudo isso fica gravado no final da corrida.

14. Tem várias opções

a. UberX, o mais barato, usa carros do dia a dia, com no máximo 5 anos de uso e nas cores preto, prata ou cinza.

b. Já o UberBlack, versão mais sofisticada, são carros sedãs médios, como o Toyota Corolla, Hyundai Azera, Volkswagen Jetta e Ford Fusion com até três anos de uso e sempre na cor preta.

c. Tem também o UberBike — carros com suporte traseiro para transportar bicicletas.

d. UberPool: você divide o carro com outra pessoa e racha o custo.

e. UberPet: para quem deseja conforto especial para os animais de estimação.

f. Nos EUA, as opções são ainda mais amplas, incluindo UberXL (veículos maiores como SUV e Minivan);

g. UberSelect: pode ser BMW, Mercedes, Audi etc. com interior de couro; e

h. UberChopper: transporta os passageiros de helicóptero.

15. O direito é a favor

Ao longo do ano, o Judiciário declarou diversas vezes a legalidade do serviço prestado pelos motoristas por meio da plataforma, assim como a inconstitucionalidade das leis municipais que tentam barrá-la (como a Complementar MRJ 159/2015, que visa banir serviços como os da Uber no Rio de Janeiro). Além disso, rejeitou várias vezes as demandas pela proibição do aplicativo. Eis as decisões favoráveis:

1. "A Justiça do Rio de Janeiro concedeu, em 9 de outubro, uma liminar em Mandado de Segurança à Uber garantindo que seus motoristas parceiros pudessem continuar trabalhando."

2. "A Justiça reconheceu a inconstitucionalidade da Lei Complementar MRJ 159/2015, que visa banir serviços como os da Uber no Rio de Janeiro."

3. A 1ª Vara da Fazenda Pública da Capital do Estado do Rio de Janeiro, no dia 14 de agosto, reconheceu a constitucionalidade e legalidade dos serviços de transporte individual privado prestados pelos motoristas parceiros da Uber (as decisões proferidas pela 3ª e pela 15ª Varas de Fazenda Pública do Rio de Janeiro e também pelo Exmo. Desembargador Elton Martinez Carvalho Leme, da 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, foram nesse mesmo sentido."

4. "No dia 3 de setembro, mais uma vez, o Poder Judiciário se manifestou favoravelmente à manutenção do aplicativo e da Uber em operação, por entender que não há elementos para justificar a suspensão do aplicativo."

5. "A decisão da 9ª Vara da Fazenda Pública do Estado de São Paulo reitera as razões da decisão da 41º Vara Cível, que reconhece que a falta de regulamentação não caracteriza ilegalidade."

6. "A própria Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF), em sua Comissão de Assuntos Constitucionais do Distrito Federal, já deu parecer favorável à Uber."

7. "O Ministério Público do Rio de Janeiro já confirmou que não há crime na atividade praticada pelos motoristas parceiros da Uber, sendo fato atípico."

8. ''Segundo o CADE: "não há elementos econômicos que justifiquem a proibição de novos prestadores de serviços de transporte individual(...)''.''

16. A população é a favor

8.png

Quando surge um novo produto, quem gosta usa, quem não gosta não usa. Ponto. Ninguém tem o direito de decidir se os outros podem consumi-lo ou não.

No entanto, uma pesquisa indicou a simpatia da população brasileira pelo Uber, chegando a alcançar mais de 82,14% das opiniões a favor (e 9,29% contra).

Em várias votações sobre a proibição, a população se mobilizou voluntariamente em defesa do aplicativo.

17. Gera empregos durante a recessão

Em meio à recessão e ao aumento crescente do desemprego, a Uber apresenta uma saída ao desenvolver um novo nicho de mercado, criando vagas de trabalho e gerando riqueza. Muitos motoristas da Uber são profissionais qualificados que perderam o emprego em outras áreas. Outros deixaram o trabalho anterior para ganhar mais, produzindo mais.

Até setembro deste ano, a empresa empregava aproximadamente 5 mil motoristas no Brasil, com a meta de gerar 30 mil empregos até outubro de 2016. Para aqueles que, em pleno 2015, ainda acreditam que a tecnologia tira empregos, é só olhar para a realidade. Pode começar por este simples vídeo e por este artigo que resume um amplo estudo acadêmico.

Veja também este breve vídeo para ver como a Uber fornece trabalho a pessoas surdas.

18. Liberta os taxistas do aluguel

Quem está contra a Uber são os taxistas donos das placas e os sindicatos. Mas muitos taxistas que não têm placas estão migrando em massa para a Uber. Hoje, quem não tem placa aluga o carro (com diária de cerca R$ 200 dependendo da cidade). Ou seja, para começar a ganhar ele tem antes de cobrir esta despesa. As primeiras corridas (até R$ 200) servem só para cobrir o aluguel. Com a Uber, ao contrário, não tem aluguel; o motorista ganha desde o começo.

19. Ajuda a mobilidade urbana

Muitas pessoas deixaram de usar o carro para usar Uber. Dependendo de quantos quilômetros você roda diariamente, do preço do estacionamento, do seguro, da gasolina, dos reparos anuais etc., é mais conveniente recorrer à Uber.

Foi calculado, no estudo O Alto Custo do Estacionamento Grátis, do economista Donald Shoup, que aproximadamente 30% do tráfico de grandes cidades é gerado por carros em busca de vagas para estacionar. Com a Uber isso acaba de vez. Como expresso nos pareceres de juristas como Carlos Affonso Souza e Ronaldo Lemos "em tempos de franca expansão da chamada economia do compartilhamento (...) proibir essa alternativa de incremento na mobilidade urbana quando as grandes cidades brasileiras esta~o estranguladas, leva ao questionamento sobre qual seria o motivo do legislador (...). Que interesse superior e urgente motivaria tamanha intervenc¸a~o na autonomia privada (...)?".

20. É bom para o meio ambiente

O compartilhamento de transporte quando você usa Uber reduz a quantidade de carros em trânsito diariamente e de carros circulando em busca de estacionamento, diminuindo assim as emissões de carbono e os engarrafamentos. Como descrito pelo Planeta Sustentável em setembro deste ano, só a cidade de São Paulo tem em média um aumento de 22 mil veículos circulantes a cada mês. São 730 veículos a mais por dia. Isso promove o "estrangulamento" de grandes cidades e pode ser amenizado por meio do transporte compartilhado.

21. Mostra como funciona o mercado

As relações de oferta e demanda, a melhoria da qualidade do serviço graças à competição, a regulação pelo consumidor — a Uber demonstra na prática e de forma simples que o livre mercado é baseado em relações voluntárias e pacíficas, que mercados desregulamentados, livres, sem barreiras ao ingresso, sem reservas de mercado e sem oligopólios fornecem produtos melhores e mais baratos.

22. Estimula o empreendedorismo

Servindo como exemplo para iniciativas como o TruckPad, aplicativo que une caminhoneiros autônomos a cargas sem necessidade de intermediários, e o  chamado "Uber das Faxineiras", que permite conectar diaristas às suas clientes, a Uber propõe um modelo de negócios baseado nas relações voluntárias do mercado, estimulando o empreendedorismo.

No Brasil já chegaram e estão se expandindo Bla Bla Car e Lyft. Nos EUA tem também Loup; Bridj; Leap; Via; Lyft line.

23. Incentiva a melhora dos concorrentes

9.png

Ao estabelecer a competição direta, a Uber gera incentivo para a melhora da qualidade dos concorrentes. Alguns taxistas têm se engajado em ações promocionais: oferecendo cupons de descontos em datas especiais, fantasiando os motoristas no halloween e até mesmo dando água e bombons para os passageiros. É o "efeito Uber".

24. Mostra o grau de corrupção de uma cidade

Ao sofrer maior resistência nas cidades onde a força dos cartéis e a intervenção coercitiva do governo para impedir a liberdade de escolha da população são mais pesadas, a Uber mostra onde a corrupção está mais institucionalizada. Mais explícito ainda é o "Índice Uber", que cruza e soma dados do nível de burocracia e de interferência estatal em vinte países, concluindo que naqueles lugares onde a burocracia é maior e o governo é mais corrupto, a demanda pela proibição foi maior.

25. Mostra o que realmente é a política

No caso Uber, a violência com que os grupos organizados se lançaram contra a empresa mostra pela enésima vez que:

a. A política é coerção;

b. A política é lobismo;

c. As minorias organizadas usam o estado para se impor; para criar reservas de mercado; para criar oligopólios e monopólios; para aumentar o preço e baixar a qualidade;

d. A classe política protege interesses privados;

e. A regulação é usada para prejudicar o concorrente;

f. O intervencionismo contra trocas voluntárias sempre prejudica o consumidor final.

26. Dá razão aos economistas

Desde sempre, os economistas tentaram explicar que mercados fechados e protegidos pelo governo criam reservas de mercado, oligopólios, monopólios, preços altos e qualidade baixa.

Os pesquisadores Adrian  Moore e Ted Balaker, já em 2006 (6 anos antes da Uber nascer), resenharam uma vasta literatura de 19 estudos acadêmicos que mostram os benefícios da desregulamentação do serviço de táxis. Outros, como o urbanista Anthony Ling, em 2011, vislumbravam possibilidades semelhantes ao modelo de negócios que seria proposto um ano depois pela Uber e os entraves estatais que dificultavam o transporte compartilhado.

Como afirmado pelo economista Luiz Alberto Esteves "Todo serviço regulado sempre vai gerar alguma concentração e algum poder de mercado, que, no fundo, vai resultar em lucros maiores para quem dispõe do direito de fornecer no serviço".

E é exatamente o que ocorre com os táxis, que, altamente regulamentados, constituíram um cartel com direitos exclusivos prestando serviços de qualidade decadente a preço crescente.

27. Vítima de violência

10.png

Os motoristas Uber apanham e ficam calados, sem nem reagir. Milhares de casos deste tipo aconteceram no mundo todo.

28. Preço dinâmico

Este é talvez o aspecto mais inteligente de Uber. Sabe quando chove e você não acha táxi?  Sabe quando eles se escondem para não ficar parados no trânsito?  Sabe quando você tem de sacar dinheiro, pois os taxistas não aceitam cartão? Pois bem, com Uber isso não acontece. Quando chove ou nos horários de pico, a demanda é mais alta e o preço do Uber aumenta de acordo. E ainda assim fica mais barato que o táxi.

É como se fosse a bolsa de valores: você vê o aumento do preço em tempo real e pode escolher entre aceitar ou esperar um pouco. Se não fosse assim, você simplesmente não encontraria um carro disponível.

29. Estimar o preço da corrida antes

Lembra-se de quando você perguntava para os amigos ou para o porteiro do hotel, "quanto dá mais ou menos de táxi?" Acabou. Com Uber, você pode estimar o preço final antes da corrida, e a estimativa é sempre certa.

30. Poupa tempo

Você poupa muito tempo, pois, durante a corrida, pode trabalhar, ler (sim, o motorista dirige devagar), responder aos emails, ligar para seus caros, fazer outras coisas. Ademais, você não gasta tempo para buscar um estacionamento, por não estacionar longe do ponto de chegada etc.

31. Atendimento ao cliente

Você já tentou contatar a Uber para qualquer mínima coisa? O atendimento é rapidíssimo, gentil e eficaz, talvez um dos melhores atendimentos ao cliente junto com a Amazon. Só para mostrar um exemplo, aconteceu a alguns clientes que o motorista errou caminho; e, como tudo fica gravado, eles apontaram para a empresa, ele reformulou a rota mais eficiente e reembolsou a diferença.

32. Uber é sensacional

11.png

a. Nem nos seus sonhos você tinha um motorista privado que chamava com um toque na tela do celular e ele vinha lhe pegar com um McLaren, um Lotus, um Maserati, um Lamborghini, com um fantástico Porsche antigo, ou até com um Indycar da corrida de Indianápolis.

b. Você pode conectar seu Spotify diretamente ao rádio do carro (em cada corrida).

c. Tem um ambiente de trabalho deste tipo:

12.png

33. Faz ações de caridade

13.png

Em meio a tragédias humanitárias, a empresa presta serviço gratuito à população afetada, como foi o caso na catástrofe de Bento Rodrigues, quando a Uber buscou e distribuiu doações sem nenhum encargo aos doadores nem aos receptores da ajuda.

34. Deixa seu cachorro entrar no carro

14.png

Além de fazer parceria com a Zee Dog para o transporte de animais no Rio de Janeiro e em São Paulo, a empresa sugere que os clientes informem ao motorista a intenção de levar um animal de estimação a bordo, e, conforme o acordo entre as partes, o animal poderá ser transportado.

35. Paga seu "almoço grátis"

15.png

Faz promoções relâmpago oferecendo transporte gratuito, além de levar brindes como sanduíches e picolés até você sem cobrar nada.

36. Gera riqueza e bem estar

Este é o ponto principal, mas nunca lembrado. Por gerar empregos, por ajudar durante a recessão, por criar um novo nicho de mercado, por satisfazer os clientes, por fazer poupar tempo, por melhorar a mobilidade, por ajudar o meio ambiente, por realocar homens e recursos de forma mais eficiente, a Uber cria riqueza, aumenta a renda das pessoas, aumenta a produtividade — ou seja, aumenta o bem-estar das pessoas.

37. É o futuro

Toda indústria entra em obsolescência.  Foi o caso das máquinas de digitar, das operadoras de caixa nas agências bancárias, das crianças limpadoras de chaminés durante a Revolução Industrial, da câmera fotográfica analógica. Os seres humanos sempre encontram formas mais eficientes, mais baratas e melhores de servir seus semelhantes. Da mesma forma, a "Economia Compartilhada", Uber, Loup, Bridj, Leap, Via, Lyft line são o futuro do transportes. As prefeituras de Cingapura e Nova York estão já lançando os primeiros carros sem motorista para substituir os táxis.

Uber vai ganhar. Não tem como parar o progresso. Faça um favor à humanidade: não fique do lado errado da história.


2 votos

SOBRE O AUTOR

Adriano Gianturco e Brenda Pereira

Adriano Gianturco é doutor em Teoria Política, professor do Ibmec de Belo Horizonte, e autor do livro "O empreendedorismo de Israel Kirzner".

Brenda Pereira é graduanda em Relações Internacionais pelo IBMEC-BH.




O estado matou a liberdade dos açougues em prol dos empresários corporativistas

Há dez anos havia uma predominância muito maior de açougues de bairro. Eram comércios na maioria das vezes confiáveis e a procedência das carnes normalmente não era tão duvidosa quanto a vendida no supermercado.

Geralmente os donos desses açougues eram pais de família que manipulavam a carne com certo rigor, contratavam gente da vizinhança pra dar aquela força no comércio, faziam o bom e velho fiado pra quem não podia pagar na hora, enfim, era um tempo onde havia maior proximidade entre os produtos de consumo e o consumidor.

Mas eis que apareceu o governo e suas "bondades". E aí o açougueiro foi para o abismo com uma série de taxações, regulações, decretos, portarias, leis inúteis, legislações pesadas e tudo o mais necessário para acabar com um negócio promissor e confiável sob a desculpa de proteger os clientes daquele "malvadão" que – absurdo! – quer trabalhar e lucrar com o comércio de carnes.

E são tantas regras "protecionistas" que, sabendo da impossibilidade dos donos em cumpri-las de forma plena, os fiscais do governo se aproveitam da situação para caçar "irregularidades" como "a cor da parede", pedindo aquele salário mínimo para assinar o alvará de funcionamento.

Enquanto isso, o estado isentou as grandes empresas de impostos e multas sempre que possível, bem como das regras sanitárias que o açougueiro da esquina tem que cumprir. Enquanto o dono do açougue do bairro era impedido de obter uma mísera linha de crédito para investir em seu negócio, o governo fornecia uma gorda verba para as grandes empresas por meio do BNDES.

E veio o período maquiavélico de "aos amigos os favores, aos inimigos a lei", onde não há nada que impeça as grandes empresas. As dívidas caíam de 1 bilhão para 320 milhões, a "fiscalização" sanitária se tornou aliada e o Ministério da Agricultura passou a conceder seus selos livremente para os amigos do governo. Claro que isso teve um custo, pago com aquela verba pra campanha eleitoral para "resolver" tudo.

E o resultado não poderia ser diferente: nos baseando na confiança em um selo estatal e no sorriso técnico do Tony Ramos afirmando que "carne confiável tem nome!".

O corporativismo, ou seja, a aliança entre estado e grandes empresários, nos trouxe resultados deploráveis. Mas o malvado continua sendo o seu José da esquina, aquele que queria vender suas carnes e terminou fechando por excesso de burocracia estatal. Enquanto isso, os corporativistas da JBS, BRF e companhia cairão no esquecimento em breve.

O corporativismo brasileiro é um desastre sem fim.
Prezado Paulo, você reclama que teve emprego e salário, mas não ganhava tanto quanto os funcionários mais antigos e experientes. Você foi contratado a um salário menor e achou isso injusto. Queria já chegar ganhando o mesmo tanto que funcionários melhores e mais experientes, que já estavam lá há anos. É isso mesmo?

Não posso acreditar.

Outra coisa: você teve salário e emprego (e ainda teve plano de saúde!) graças à possibilidade de terceirização. E se fosse proibida a contratação de terceirizados? Será que você teria tido esse emprego e esse salário? Será que você sequer teria tido essa chance?

Desculpe, mas parece que você está cuspindo no prato que comeu. Você teve emprego e renda (e plano de saúde!) graças a uma liberdade de contrato, e agora vem dizer que essa liberdade foi ruim para você? Bom mesmo seria se o mercado de trabalho fosse restrito. Aí sim você já seria contratado como presidente...

É interessante como você parte do princípio de que o mundo não só lhe deve emprego e renda (e plano de saúde!), como ainda lhe deve um emprego extremamente bem-remunerado imediatamente após a contratação (você já quer entrar ganhando o mesmo tanto que os funcionários mais antigos e experientes).

De fato, ainda estamos deitados em berço esplêndido. Aqui todo mundo só quer saber de direitos.


P.S.: ainda no aguardo de você responder à pergunta do Leandro (a que aparentemente te deixou assim tão zangado): a terceirização nada mais é do que permitir que uma pessoa tenha maior liberdade para contratar outra pessoa para fazer um trabalho. Só isso. Qual exatamente seria um argumento racional e respeitável contra esse acordo voluntário e livremente firmado entre duas partes?

ARTIGOS - ÚLTIMOS 7 DIAS

  • Marcelo Filho  31/12/2015 02:46
    Em Doha, no Catar, planejava ir na mesquita Abdul Wahhab. Não passava táxi vazio e o Easy Taxi não econtrava nenhum. Então precisei usar o Uber, que evito no exterior por causa da cobrança de 6,38% de IOF (obrigado Dilma).

    O motorista chegou em pouco tempo e aparentava não conhecer a mesquita nem o caminho. Ela é enorme, tem várias entradas, estacionamento pra centenas de carros. O motorista entrou lá e pedi pra parar perto de uma escadaria que achei ser a entrada. Ele me perguntou se eu conhecia o local, se eu tinha certeza que lá era a entrada. Falei que não, mas que me virava pra achar.
    Saio do carro e logo aparece um segurança, me diz que posso entrar por aqui, por ali, por lá, por dentro do estacionamento subterrâneo.

    Nisso o motorista do Uber foi dar a volta no final do estacionamento e passa por mim de novo: É aqui mesmo a entrada? Quer que te leve pro outro lado do estacionamento?

    Falei que era lá mesmo, ele se despediu e partiu.

    Esse é padrão Uber de qualidade que gostaríamos de ter em todos os serviços.
  • Gabriel Ribeiro Mumbach  31/12/2015 02:46
    Certa feita li que a idade da pedra acabou não foi por falta de pedra. Acredito que assim vai acontecer com tudo que se torna obsoleto na sociedade. Não existe quem freie inovações facilitadoras de qualidade.
  • Welton Dos Santos Freire  31/12/2015 02:47
    Eu só preciso de 2: é melhor e mais barato do que o convencional.
  • JOSE OLIVEIRA  31/12/2015 10:40
    O tempo é o GRANDE aliado do modelo UBER.A cada dia o véu do bom senso e da viabilidade se apresentam a todos nós.Os taxista de bom senso estão aderindo ao UBER. Os taxistas estão saindo desse cipozal BUROCRÁTICO E CARTELIZADO. Espero que essa nova CULTURA/Modelo não seja complacente a Promiscuidade,a Contrabando, a Mula de órgãos Humanos, a Pedofilia,a Droga.etc.

    Ostros serviços não regulados: "Outros APPs de ELEVAR A DIGNIDADE HUMANA" - a LIBERDADE,ALÍQUOTAS TRIBUTÁRIAS ACEITÁVEIS, AMPLIAR REDE PÚBLICA WI-FI, ISENTAR A AQUISIÇÃO DE TABLETs-a natureza agradece(árvores),etc,etc.
  • Pedro Tavares  31/12/2015 13:31
    Excelente artigo, quebra a espinha dorsal de qualquer ceticismo contra o Uber e ainda mostra a obscenidade da política.
  • Sergio Tegon  02/01/2016 01:54
    Texto definitivo sobre o assunto UBER.
    Parabéns
    Sergio
  • Angelo T.  04/01/2016 12:57
    Muito bom esse artigo! O melhor que li defendendo o Uber.
  • Paulo Roberto de Almeida  19/02/2016 02:44
    Todas excelentes razões, que podem ser resumidas nestas três: é lógico, é inteligente, satisfaz uma demanda de consumidores. Bastaria isso...
  • Jânio Fagundes  25/05/2016 21:21
    Na semana passada estive em uma viagem de negócios em SP, peguei taxi e Uber e realmente não dá pra comparar, o serviço do Uber é infinitamente melhor e ainda saiu mais barato, contra fatos não há argumentos.
  • Douglas Gomes  01/06/2016 11:55
    Não tem o que se discutir sobre isso. O serviço é infinitamente melhor que o de táxis comuns.

    Os taxitas querem barram a inovação e a evolução tecnológica! Isso é quase uma piada.

    Quando tivemos a liberdade de filmes, via Netflix ou qualquer outra forma, não vi os donos de videolocadoras hostilizando ninguém.

    Se estão perdendo mercado, é porque existe a necessidade de se melhorar o serviço.
  • Thiago  18/06/2016 20:10
    Desde que minha esposa iniciou a experiência em utilizar o UBER, percebemos o quanto estávamos "reféns" da má qualidade dos taxis de todo o Brasil.
    Uber é comodidade, conforto, segurança e preço baixo! Como bater essa novidade? Eu acredito que não há como os taxistas reverterem de modo legal essa situação!
  • Paulo   29/06/2016 16:17
    Aqui na minha cidade, antes mesmo de chegar o serviço, ele ja foi proibido. Eu já usei em viagens, em são paulo, floripa, e fortaleza, e posso afirmar: proibir é que deveria ser crime. Serviço completamente superior aos taxis, mais barato e mais completo.
  • Diana  05/07/2016 01:38
    Artigo excelente! O melhor que já li sobre o Uber.
  • Lourenço Lainete  07/07/2016 16:29
    A uber já é uma realidade na cidade de são e vem chegando para baratear mais e ainda é uma boa opção de transportes para todos nós.
  • Alem-Mar  08/07/2016 13:55

    Infelizmente, nosso estágio civilizacional é esse:


    veja.abril.com.br/noticia/brasil/taxistas-apelam-a-moro-contra-o-uber
  • Roberto de Lucca  16/07/2016 18:03
    Eu sou totalmente a favor do UBER, achei o serviço de extrema qualidade, além do serviço ser mais barato os motoristas são muito mais educados e atenciosos.
  • Alessandra da Fontoura  04/08/2016 20:41
    Artigo maravilhoso! O melhor que já li até hoje falando sobre o Uber.
  • Rberto  09/08/2016 03:06
    Na semana retrasada fui numa viagem de negócios em RJ, peguei taxi da Uber e realmente não dá pra comparar, o serviço do Uber é infinitamente melhor e ainda saiu mais barato, contra fatos não há argumentos.
  • Pedro  16/08/2016 15:01
    No Distrito Federal já regularizaram. Concorrência é sempre bom para o consumidor.
  • Faby Gonçalves  16/08/2016 21:07
    Sempre uso o Uber, e nunca tive nenhum tipo de problema.
    já com taxis normais posso relatar muita coisa, eu aprovo o Uber, que venha novos tempos!
  • Ricardo  06/09/2016 21:15
    Uber é melhor coisas para o Consumidor. Os taxistas que estão incomodados com a concorrência são os que tem um péssimo atendimento. Uber tem um Atendimento de primeira qualidade com um preço acessível. Crime é o Brasil querer Barrar a evolução do mundo, Tecnologia e conforto.
  • Roberto de Lucca  12/10/2016 14:08
    Nossa Uber é ótimo, estive em SP e vi que os preços são excelentes em comparação com os taxis, concorrência quem ganha é o consumidor.

    Se quiserem conhecer meu site também acesse: kit para fazer cerveja
  • Como Reverter a Calvicie  15/11/2016 05:31
    A Uber é uma empresa de vanguarda, moderna, altamente produtiva e tem um Atendimento de primeira qualidade com um preço acessível.

    Excelente Artigo! Parabéns e obrigado por compartilhar!

    Ana Blog DHT
    Veja mais
  • Matheus Vicente Lima  14/12/2016 22:02
    Os taxistas ficam reclamando por causa do uber, os caras não entendem que o uber veio na verdade pra salvar ele, não conseguem entender que pagam taxas absurdas para o governo e são explorados, em vez de agradecerem, ficam espancando pessoas e quebrando carros. O consumidor só tem a agradecer ao uber que trouxe um serviço de qualidade e com um preço justo.
  • Miriam  26/12/2016 05:19
    É a evolução não tem como parar, táxi é um serviço que existe a décadas e nunca passou por uma reciclagem é o mesmo formato que interessa a poucos... por mais que incomode alguns tem que se adaptar brigar não vai resolver em vez de gastar energia brigando com Uder deveriam estar lutando por taxas menos abusivas com o poder público... Meu site comofazerdetox.com
  • Alberto   27/12/2016 03:46
    É a evolução é necessário a adaptação para novas tendências... Taxistas (aparentemente) são pessoas pouco interessadas em inovações parece que para eles a coisa está legal ali do jeito que está a anos... Sempre que passo em pontos de táxis estão ali nas rodinhas conversando espera um cliente vai ali volta... enfim agora apareceu uma novidade que mexeu com o universos deles e eles não sabem como lidar com isso - homempotente.org/
  • Nina sustetavel  12/03/2017 00:53
    Artigo muito bom essa parte " Este é o ponto principal, mas nunca lembrado. Por gerar empregos, por ajudar durante a recessão, por criar um novo nicho de mercado, por satisfazer os clientes, por fazer poupar tempo, por melhorar a mobilidade, por ajudar o meio ambiente, por realocar homens e recursos de forma mais eficiente, a Uber cria riqueza, aumenta a renda das pessoas, aumenta a produtividade — ou seja, aumenta o bem-estar das pessoas." é muito interessante.
    www.dietaeboasaude.com/


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.