clube   |   doar   |   idiomas
Vinte fatos que comprovam que a posse de armas deixa uma população mais segura

Os recentes acontecimentos em Ottawa, Canadá, comprovam, pela enésima vez, que controle de armas serve apenas para deixar uma população pacífica ainda mais vulnerável.

O desarmamento não apenas deixa uma população menos livre, como também a deixa menos segura.  E não existe liberdade individual se o indivíduo está proibido de se proteger contra eventuais ataques físicos.  Liberdade e autodefesa são conceitos totalmente indivisíveis.  Sem o segundo não há o primeiro.

Respeitar o direito de cada indivíduo poder ter armas de fogo ainda é a melhor política de segurança, como os fatos listados abaixo mostrarão.  Já restringir, ou até mesmo proibir, o direito de um indivíduo ter uma arma de fogo o deixa sem nenhuma defesa efetiva contra criminosos violentos ou contra um governo tirânico.

A Universidade de Harvard, que não tem nada de conservadora, divulgou recentemente um estudo que comprova que, quanto mais armas os indivíduos de uma nação têm, menor é a criminalidade.  Em outras palavras, há uma robusta correlação positiva entre mais armas e menos crimes.  Isso é exatamente o oposto do que a mídia quer nos fazer acreditar. 

Mas o fato é que tal correlação faz sentido, e o motivo é bem intuitivo: nenhum criminoso gostaria de levar um tiro. 

Se o governo de um país aprova um estatuto do desarmamento, o que ele realmente está fazendo é diminuindo o medo de criminosos levarem um tiro de cidadãos honestos e trabalhadores, e aumentando a confiança desses criminosos em saber que suas eventuais vítimas — que obedecem a lei — estão desarmadas.

A seguir, 20 fatos pouco conhecidos que comprovam que, ao redor do mundo, mais armas deixam uma população mais segura.

#1 Um estudo publicado pela Universidade de Harvard — Harvard Journal of Law & Public Policy — relata que países que têm mais armas tendem a ter menos crimes

#2 Ao longo dos últimos 20 anos, as vendas de armas dispararam nos EUA, mas os homicídios relacionados a armas de fogo caíram 39 por cento durante esse mesmo período.  Mais ainda: "outros crimes relacionados a armas de fogo" despencaram 69%.

#3 Ainda segundo o estudo da Harvard, os nove países europeus que apresentam a menor taxa de posse de armas apresentam taxas de homicídios que, em conjunto, são três vezes maiores do que as dos outro nove países europeus que apresentam a maior taxa de posse de armas.

#4 Quase todas as chacinas cometidas por indivíduos desajustados nos Estados Unidos desde 1950 ocorreram em estados que possuem rígidas leis de controle de armas.

Com uma única exceção, todos os assassinatos em massa cometidos nos EUA desde 1950 ocorreram em locais em que os cidadãos são proibidos de portarem armas.  Já a Europa, não obstante sua rígida política de controle de armas, apresentou três dos seis piores episódios de chacinas em escolas.

#5 Os EUA são o país número 1 do mundo em termos de posse de armas per capita, mas estão apenas na 28ª posição mundial em termos de homicídios cometidos por armas de fogo para cada 100.000 pessoas.

#6 A taxa de crimes violentos nos EUA era de 757,7 por 100.000 pessoas em 1992.  Já em 2011, ela despencou para 386,3 por 100.000 pessoas.  Durante esse mesmo período, a taxa de homicídios caiu de 9,3 por 100.000 para 4,7 por 100.000.  E, também durante esse período, como já dito acima, as vendas de armas dispararam.

#7 A cada ano, aproximadamente 200.000 mulheres nos EUA utilizam armas de fogo para se proteger de crimes sexuais.

#8 Em termos gerais, as armas de fogo são utilizadas com uma frequência 80 vezes maior para impedir crimes do que para tirar vidas.

#9 O número de fatalidades involuntárias causadas por armas de fogo caiu 58% entre 1991 e 2011.

#10 Apesar da extremamente rígida lei desarmamentista em vigor no Reino Unido, sua taxa de crimes violentos é aproximadamente 4 vezes superior à dos EUA.  Em 2009, houve 2.034 crimes violentos para cada 100.000 habitantes do Reino Unido.  Naquele mesmo ano, houve apenas 466 crimes violentos para cada 100.000 habitantes nos EUA.

#11 O Reino Unido apresenta aproximadamente 125% mais vítimas de estupro por 100.000 pessoas a cada ano do que os EUA.

#12 Anualmente, o Reino Unido tem 133% mais vítimas de assaltos e de outras agressões físicas por 100.000 habitantes do que os EUA.

#13 O Reino Unido apresenta a quarta maior taxa de arrombamentos e invasões de residências de toda a União Europeia.

#14 O Reino Unido apresenta a segunda maior taxa de criminalidade de toda a União Europeia.

#15 Na Austrália, os homicídios cometidos por armas de fogo aumentaram 19% e os assaltos a mão armada aumentaram 69% após o governo instituir o desarmamento da população.

#16 A cidade de Chicago havia aprovado uma das mais rígidas leis de controle de armas dos EUA.  O que houve com a criminalidade?  A taxa de homicídios foi 17% maior em 2012 em relação a 2011, e Chicago passou a ser considerada a "mais mortífera dentre as cidades globais".  Inacreditavelmente, no ano de 2012, a quantidade de homicídios em Chicago foi aproximadamente igual à quantidade de homicídios ocorrida em todo o Japão.

#17 Após essa catástrofe, a cidade de Chicago recuou e, no início de 2014, voltou a permitir que seus cidadãos andassem armados.  Eis as consequências:  o número de roubos caiu 20%; o número de arrombamentos caiu também 20%; o de furto de veículos caiu 26%; e, já no primeiro semestre, a taxa de homicídios da cidade recuou para o menor nível dos últimos 56 anos.

#18 Após a cidade de Kennesaw, no estado americano da Geórgia, ter aprovado uma lei que obrigava cada casa a ter uma arma, a taxa de criminalidade caiu mais de 50% ao longo dos 23 anos seguintes.  A taxa de arrombamentos e invasões de domicílios despencou incríveis 89%.

#19 Os governos ao redor do mundo chacinaram mais de 170 milhões de seus próprios cidadãos durante o século XX (Stalin, Hitler, Mao Tsé-Tung, Pol Pot etc.).  A esmagadora maioria desses cidadãos havia sido desarmada por esses mesmos governos antes de serem assassinados.

#20 No Brasil, 10 anos após a aprovação do estatuto do desarmamento — considerado um dos mais rígidos do mundo —, o comércio legal de armas de fogo caiu 90%.  Mas as mortes por armas de fogo aumentaram 346% ao longo dos últimos 30 anos.  Com quase 60 mil homicídios por ano, o Brasil já é, em números absolutos, o país em que mais se mata.

Quantas dessas notícias você já viu na mídia convencional, que dá voz apenas a desarmamentistas?

Armas são objetos inanimados, tão inanimados quanto facas, tesouras e pedras.  Costumes, tradições, valores morais e regras de etiqueta — e não leis e regulações estatais — são o que fazem uma sociedade ser civilizada.  Restrições sobre a posse de objetos inanimados não irão gerar civilização.

Essas normas comportamentais — as quais são transmitidas pelo exemplo familiar, por palavras e também por ensinamentos religiosos — representam todo um conjunto de sabedoria refinado por anos de experiência, por processos de tentativa e erro, e pela busca daquilo que funciona.  O benefício de se ter costumes, tradições e valores morais regulando o comportamento — em vez de atribuir essa função ao governo — é que as pessoas passam a se comportar eticamente mesmo quando não há ninguém vigiando.  Em outras palavras, é a moralidade a primeira linha de defesa de uma sociedade contra comportamentos bárbaros.

No entanto, em vez de se concentrar naquilo que funciona, os progressistas desarmamentistas querem substituir moral e ética por palavras bonitas e por leis de fácil apelo. 

Por último, vale um raciocínio lógico: quem é a favor do desarmamento não é contra armas, pois as armas serão necessárias para se desarmar os cidadãos.  Logo, um desarmamentista nunca será contra armas — afinal, ele quer que a polícia utilize armas para confiscar as armas dos cidadãos. 

Consequentemente, um desarmamentista é necessariamente a favor de armas.  Mas ele quer que apenas o governo (que, obviamente, é composto por pessoas honestas, confiáveis, morais e virtuosas) tenha armas. 

Conclusão: nunca existiu e nem nunca existirá um genuíno 'desarmamento'.  Existe apenas armamento centralizado nas mãos de uma pequena elite política e dos burocratas fardados que protegem os interesses dessa elite.

___________________________________________

Leia também todos os nossos outros artigos sobre desarmamento.

__________________________________________

Participaram desse artigo:

Walter Williams, professor honorário de economia da George Mason University e autor de sete livros.  Suas colunas semanais são publicadas em mais de 140 jornais americanos.

Ron Paul, médico e ex-congressista republicano do Texas. Foi candidato a presidente dos Estados Unidos em 1988 pelo Partido Libertário e candidato à nomeação para as eleições presidenciais de 2008 e 2012 pelo partido republicano.

É autor de diversos livros sobre a Escola Austríaca de economia e a filosofia política libertária como Mises e a Escola Austríaca: uma visão pessoal, Definindo a liberdade, O Fim do Fed – por que acabar com o Banco Central (2009), The Case for Gold (1982), The Revolution: A Manifesto (2008), Pillars of Prosperity (2008) e A Foreign Policy of Freedom (2007).

O doutor Paul foi um dos fundadores do Ludwig von Mises Institute, em 1982, e no ano de 2013 fundou o Ron Paul Institute for Peace and Prosperity e o The Ron Paul Channel.

Stefan Molyneux, ex-empresário do ramo de software, hoje se dedica inteiramente à filosofia. Já escreveu sete livros, todos disponíveis em seu website.

Michael Snyder, colunista do blog Economic Collapse.


2 votos

autor

Diversos Autores

  • Steve Lee  19/11/2014 13:46
    Sempre é bom rever:

  • Wesley Mattos   18/12/2016 11:29
    Acho que seria muito mais seguro para a população armada, os bandidos estão agindo sem medo de repressão e estão cada vez mais cruéis porque eles sabem que o povo não tem arma, eles vão sem medo para roubar, só de o povo ter uma arma faria eles pensarem duas vezes antes de agir pois teriam medo de levar chumbo, se forem avaliar mesmo após a recolha das armas os bandidos ainda parecem não ter dificuldade para consegui-las por isso o povo não tem segurança e isso também esta levando a policia a ser igualmente cruel e revoltados pois são eles só na linha de frente, o Pais precisa de base solida começando pela educação pois uma criança na escola é uma a menos nas ruas pagando pau pra bandidos que desfila sem medo com seus carrões caros que adquiriram do trafico.
  • Lucas  23/09/2015 16:38
    votei no não
  • Dom Comerciante  19/11/2014 14:06
    Se um assassino em massa aparecer onde trabalho e eu tiver a sorte de ter uma arma, atiro sem pensar - sou muito utilitarista nesse sentido: mato um pra salvar dois com certeza!
  • Estevam  19/11/2014 15:19
    também considero deontológico, legítima defesa de terceiros é ético
  • Roy Mustang  20/11/2014 00:49
    Tem um termo técnico para isto, que não lembro agora, mas toda a pessoa armada protege todos em um raio de alguns metros. Ouvi isto de entrevistas do Bene Barbosa.
  • Lucas Braga dos Santos  17/05/2015 17:26
    Efeito auréola.
  • Dom Comerciante  19/11/2014 14:18
    Aliás, só gostaria de acrescentar o fato óbvio de que proibir armas de fogo a população é igual a lei seca, é condenar sem crime ou crime sem vítima que seja. É injusto, porque além de impedir as pessoas de ter esse bem ainda estimulará o surgimento de um mercado paralelo que normalmente só irá abastecer criminosos.
  • Guilherme  19/11/2014 14:27
    Exato. Ao mercado paralelo apenas criminosos e pessoas destemidas têm acesso. Um pai de família e trabalhador fica ao relento. Se sua casa for invadida, ele vai ter de se virar com uma tesoura -- enquanto sua mulher e filhas são seviciadas.
  • Dam Herzog  19/11/2014 19:55
    Muito boa a sua resposta sucintamente disse tudo.
  • J. Rodrigues  19/11/2014 22:09
    Perfeito, Don Comerciante.
    É a mesma coisa que punir por "condição pré-delitiva". Coisa do código penal da Rússia stalinista e de Cuba ainda hoje.
  • Marcio  19/11/2014 14:58
    Bom dia. Li o artigo e vi uma realidade. Precisamos ter armas. Moro em uma das cidades com índices altíssimos de roubo, furto e assassinato. Infelizmente com um governador omisso e conivente com o crime. Para os governantes é fácil apoiar o desarmamento e o politicamente correto, já que andam em carros blindados cercados por seguranças. Desarmamento é uma necessidade do cidadão. É um direito.
  • Bruno  19/11/2014 15:14
    A número 20 usa dados ruins. O estatuto do desarmamento está aí há 10 anos, não faz sentido julgar seus resultados por dados que abrigam um intervalo de tempo de 30 anos.

    Esse tipo de coisa pode deixar o artigo desacreditado.
  • Silvio  19/11/2014 16:33
    Sim, você está certo, até porque, pelo que pude ver(oglobo.globo.com/brasil/mapa-da-violencia-2013-brasil-mantem-taxa-de-204-homicidios-por-100-mil-habitantes-7755783), a taxa de homicídios a cada 100 mil habitantes no Brasil permanece praticamente a mesma desde 2003 (até 2003 havia um crescimento perceptível, sendo que, desde então, a taxa se estabilizou).

    Para falar a verdade, se você ver desde 2003 (ano que foi promulgado o Estatuto do Desarmamento), perceberá que houve é uma redução nessa taxa. Logo, creio que no item 20 o pessoal escorregou mesmo ao citar o Estatuto do Desarmamento.

    PS: não sou a favor do Estatuto, portanto, não me atirem pedras
  • Tendler  19/11/2014 20:40
    Caiu por causa do estado de São Paulo, que desvirtuou a média. Em todos os outros estados, as taxas aumentaram.

    Pode conferir nas tabelas daqui e daqui

    Informe-se melhor, cidadão. São deslizes como esse seu -- que nem se deu ao trabalho de pesquisar em detalhes os números -- que fazem a festa dos políticos e dos demagogos.
  • Morpheus  20/11/2014 03:04
    Antes de mais nada, Tendler o cacete. Silvio Tendler é um puto esquerdista e, a despeito do nome e do fato de gostar de documentários, não quero ser associado a ele. Apesar disso, gosto muito dessa brincadeira dos nomes que volta e meia o pessoal faz por aqui.

    Agora vamos ao que interessa. Vou citar o item 20, que deu ensejo a essa conversa (até rimou):

    #20 No Brasil, 10 anos após a aprovação do estatuto do desarmamento — considerado um dos mais rígidos do mundo —, o comércio legal de armas de fogo caiu 90%. Mas as mortes por armas de fogo aumentaram 346% ao longo dos últimos 30 anos. Com quase 60 mil homicídios por ano, o Brasil já é, em números absolutos, o país em que mais se mata

    Veja que a citação ficou toda estrambólica, justamente por causa do próprio período de tempo citado. Lendo o item, dá-se a impressão de que a dramática redução do comércio legal de armas de fogo esteve profundamente relacionada ao enorme aumento de homicídios. E isso não é o que ocorre, justamente porque na era do Estatuto do Desarmamento não se observou essa escalada, muito pelo contrário, o que se observou foi uma estabilização na taxa de homicídios (com uma ligeira tendência de queda).

    Mas, por causa dessa estabilização (com tendência de queda), justamente para afastar a impressão de que o Estatuto de fato contribuiu para fazer algo de útil (o que todos sabemos ser uma mentira deslavada), fez-se necessário citar toda a série histórica. O problema é que acabou não se comparando períodos semelhantes, dando a impressão de que no caso se praticou estatística, isto é, a arte de torturar os números até que eles confessem o que se deseja. O que, todos sabemos, é intelectualmente desonesto.

    Sei que não houve desonestidade, apenas se tentou prevenir uma possível falácia dos esquerdistas mostrando toda a série, não apenas a parte que lhes convinha (os últimos 10 anos). Não houve desonestidade, mas houve, a meu ver, um grande lapso. Se houve um lapso, o que é que se esqueceu?

    O que transformou o Brasil na versão live action do Grand Theft Auto não foi o Estatuto do Desarmamento. O Estatuto, na realidade, foi um dos desdobramentos dessa causa. Foi por ignorar essa causa que ficou esse buraco impossível de ser coberto só com a explicação da redução do comércio legal de armas de fogo. Tudo bem, mas que causa é essa então? Simples, a causa foi uma política estatal deliberada de afrouxar o controle da criminalidade e até mesmo incentivá-la. Política essa praticada tanto no nível federal quanto estadual.

    Não sei se alguém aqui teve a oportunidade de ler o livro do Conte Lopes, "Matar ou Morrer", mas, lendo essa obra, a explicação para o fenômeno da explosão de homicídios fica tão simples e evidente quanto uma conta de dois mais dois. Embora ele se concentre em São Paulo e trate da perseguição do governador Franco Montoro contra sua pessoa como um problema eminentemente pessoal (por causa da sua fama de "dedo mole") e não exatamente como um problema contra toda a polícia, se considerarmos que nos anos 80 a coisa esculhambou geral e da mesma forma não somente em São Paulo (pensemos no Rio de Brizola), temos que algo de muito podre ocorreu com a mudança do eixo de poder proporcionada pela redemocratização. Por causa dela, os putos dos militares entregaram o país de mão beijada aos socialistas, que passaram a fazer livremente o que sempre fazem nos lugares onde governam: aumentam a pobreza e a violência.

    Como uma ironia macabra, o marco da explosão da criminalidade no Brasil está em 1984. Sim, tanto o livro quanto o ano. 1984, o livro, dá a pista de quais seriam os autores e o motivo desse crime contra a população brasileira. Os autores (para variar) são os esquerdistas e o motivo (para variar também) é a concentração de mais e mais poder na mão do estado (isto é, nas mãos deles mesmos). 1984, o ano, foi aquele da reforma penal, marco legislativo que oficialmente transformou os bandidos em peças delicadas de porcelana, as quais devem ser manuseadas com todo o desvelo.

    Sempre ouvi (e estou bem certo de não ser o único) que a reforma penal de 1984 foi um grande avanço legislativo etc. e coisa e tal, sendo que nunca vi um único cidadão apontar para essa maldita reforma como a causa primeira do problema da violência insana que aflige este país. Boquirrotos como o Datena e outros membros anencéfalos da nossa imprensa volta e meia falam da necessidade da alteração das nossas leis penais arcaicas, feitas na época do Getúlio Vargas. No entanto, foi justamente com a revogação de parte dessas leis que se abriu a caixa de Pandora da criminalidade (não apenas os homicídios). Engraçado é que esses imbecis clamam pela extinção dessa parte remanescente, parte essa que impede justamente o Brasil de se tornar algo pior do que já é (para quem já viu as propostas da nova reforma penal, sabe que a coisa tem potencial para ficar mais feia do que já está).

    A explosão da violência não foi um problema causado principalmente pelo desarmamento da população civil (até porque, quando da promulgação do Estatuto, o brasileiro já era um povo praticamente desarmado), mas sim foi um problema eminentemente legislativo. Tudo bem que a culpa de tudo em ambos os casos foi sempre do estado mesmo, mas o foco inadequado fez com que o item 20 ficasse meio sem pé nem cabeça mesmo.

    Com isso em mente, aquela série histórica é de uma obviedade ululante. Ela pode ser entendida não somente como o nível de homicídios, mas também pode perfeitamente ser vista como o nível de esquerdismo no país. Repare que é uma curva sempre ascendente que a partir de um certo ponto, mais precisamente a partir do ano de 2003 (ano em que o Brasil "lulou"), chegou a seu limite.
  • Silvio  20/11/2014 03:22
    Sobre o caso de São Paulo, temos que o puto do Montoro abriu as pernas para os criminosos fazerem a festa. E é claro que eles fizeram. Fleury e Quércia, sucessores de Montoro e ambos pertencentes ao PMDB, deram continuidade a essa política de frouxidão, embora fossem evidentemente menos amigos dos bandidos do que o Montoro. Na verdade, esses dois só não fizeram um trabalho melhor na segurança pública porque estupraram as finanças do estado.

    Após o Fleury, tivemos o Covas. Nesse quesito, este foi uma fotocópia do Montoro e deixou a população paulista numa situação muito má com relação à criminalidade. Para você ter uma idéia, foi na época dele que nasceu o PCC. Tudo bem que a culpa pelo PCC não foi bem do Covas, mas sim de outra turma (que até hoje contribui muito para a contínua explosão da criminalidade no nosso país e até em outros). Apesar disso, Covas foi reeleito (por uma margem estreita de vantagem com relação ao Maluf, que quase ganhou ao prometer que colocaria a ROTA na rua).

    Covas morre, assume o vice, que é o atual governador. Até hoje não sei por que razão, mas Alckmin quebra com a orientação de seu antecessor e passa a adotar uma melhor política de segurança pública (só podia ser melhor, pior que a política do Covas só a do Brizola ou de qualquer petista). Alckmin sai e entra José Serra. Embora ex-secretário e amigo de Montoro, ele deixa as coisas como estavam. Alckmin volta e deixa as coisas como está. Bom lembrar que nesse período teve aquele ataque do PCC, mas quem ocupava o governo à época era o Cláudio Lembo. Mas o Lembo não teve culpa por isso, afinal, ele só assumiu o governo por alguns meses e o PCC é culpa de outra turma.

    Embora reconheça o impacto dos números de São Paulo nos números nacionais, contei toda essa história para concluir: grandes coisas o combate à criminalidade em São Paulo. Tudo não passou do pessoal do Montoro desfazendo a burrada causada por Montoro e seu pessoal. Se eles não tivessem feito a criminalidade explodir, não precisariam se empenhar em reduzi-la drasticamente depois. É claro que teve no meio disso tudo a nova legislação penal (hoje nem tão nova assim), que só ajudou a piorar as coisas. Mas ela foi idealizada por Miguel Reale Jr., o qual conseguiu essa bocada em Brasília por causa de Montoro e sua turma.

    É claro que a turma da estrela solitária (não estou me referindo aos botafoguenses) não está limpa. Embora Montoro e sua turma estivessem fazendo estripulias esquerdistas no Executivo e Legislativo (tanto federal e estadual), aqueles estavam nessa época ajudando a afundar o país em outras frentes (sindicatos, universidades, Igreja, jornais etc.), basicamente tentando alterar a percepção do brasileiro sobre a figura do criminoso, querendo transformá-lo de vagabundo, safado e pilantra para um pobre oprimido e marginalizado, que vê na criminalidade a única forma de se manifestar contra o desumano sistema capitalista concentrador de riquezas.
  • Tendler  20/11/2014 10:05
    "E isso não é o que ocorre, justamente porque na era do Estatuto do Desarmamento não se observou essa escalada, muito pelo contrário, o que se observou foi uma estabilização na taxa de homicídios (com uma ligeira tendência de queda)."

    Dúvida: você estaria apenas se fazendo de égua ou realmente não sabe ler números?

    Qual parte da minha frase você não leu? Os números aumentaram em praticamente todos os estados, mas caíram muito em São Paulo. E como São Paulo é o estado mais populoso do Brasil, as estatísticas desse estado afetam toda a estatística nacional.

    Deixe de ser analfabeto numérico e pare de ser tiete do governo.
  • Santos  20/11/2014 15:27
    Não estou me fazendo de tonto e nem sou analfabeto funcional. Na verdade, revendo seus comentários, estou tendo agora a forte impressão de que você está usando a estratégia de Lênin contra mim.

    Além disso, como posso ser tiete do governo se sou contra a existência dele? E, mesmo que defendesse a existência de um governo, (governo entendido como estado) ainda assim sou contra a existência do partido que o controla atualmente.
  • Vnunca  12/05/2015 06:25
    Mesmo que eu queira acreditar que uma medida simples como o fim do desarmamento pudesse melhorar fácilmente o panorama da violência no meu país, esses argumentos ainda estão bastante frágeis para se transformarem numa política de armamento da população. Não se pode ver os números sem uma análise mais profunda. E não acho que isso tenha relação alguma com direita ou esquerda. (Néh? rs)
  • Miranda  11/06/2016 05:05
    Nestes ultimos 10 anos do estatuto alem dos criminosos se fortalecerem nas capitais, as cidades do interior, normalmente pacatas, hoje estao com altissimos indices de violencia.
    Esse tipo de pesquisa nao aparece nos meios pelegos de midias.
    Moro numa cidade que a 5 anos atraz era uma traquilidade e um sossego, podiamos passnoitete tarde da noite sem nenhum medo. Hoje nossa pacata cidade virou um antro de ladroes e homicidas, minha casa foi invadida, e o jornal que so usava a ultima pagina para os crimes, agora usa muitas folhas.
    Sera que estas pesquisas destes orgaos e ongs de vagabundos constam esses aumentos barbaros de violencia.
    Eu ja tenho minha arma e estou comprando outras depois de uma maratona de aulas e testes de tiro e exames pscotecnicos e muito dinheiro, tenho armas autozizadas pela PF e pelo exercito. Ninguem vai mais invadir minha casa. Toda minha familia esta aprendendo a usar armas, legalmente num clube de tiro, com cosciencia e respeito ao ser humano de bem.
    Sei que é muito dificil mas toda familia de bem deveria ter armas em casa e portar tambem no carro. Previlegio somente de bandidos.
  • Tolentino  19/11/2014 15:19
    Sim, desacredita e refuta o artigo inteiro, com todos os seus dados. Refuta inclusive a disparada dos 60 mil homicídios anuais no Brasil após a promulgação do estatuto.

    É cada gênio...
  • Silvio  19/11/2014 15:33
    "Moro em uma das cidades com índices altíssimos de roubo, furto e assassinato. Infelizmente com um governador omisso e conivente com o crime"

    Mas, caro senhor, isso é realidade em praticamente todas as cidades e se aplica a todas às unidades federativas do Brasil, com exceção das seguintes (justiça seja feita):

    a) DF: lá não tem cidades;
    b) Maranhão e Rio Grande do Norte: nesses estados o atual do chefe do Executivo é uma mulher, logo, não há um governador omisso e conivente com o crime.
  • Emerson Luís, um Psicólogo  20/11/2014 23:41

    "b) Maranhão e Rio Grande do Norte: nesses estados o atual do chefe do Executivo é uma mulher, logo, não há um governador omisso e conivente com o crime."

    O que você quis dizer com isso?

    Que não há um governador omisso porque não é "governador" e sim "governadora"?

    Ou que a pessoa no cargo não é omissa porque é uma mulher?

    * * *
  • Silvio  24/11/2014 00:47
    Mas é claro que é a primeira opção, afinal, a maldade e a estupidez não são requisitos masculinos apenas. E, além disso, todos sabemos que no Nordeste a violência já chegou a níveis insanos.
  • Paulo  19/11/2014 15:02
    Excelente artigo!

    Só tem um problema colateral: o trecho a partir de

    "Essas normas comportamentais — as quais são transmitidas pelo exemplo familiar,..."

    apresenta algumas idéias que podem muito bem ser aplicadas CONTRA o libertarianismo.
  • Paim  19/11/2014 15:07
    Por quê?! Desde quando libertarianismo é contra a família e a favor de estilos alternativos? Que sandice a sua.
  • Um observador  19/11/2014 15:32
    Se algo não envolve imposição pela força, então não é contra o libertarianismo.
  • Renato  19/11/2014 15:54
    Paulo, não entendi exatamente o que você quis dizer. Os liberais são contra o poder familiar?
  • Pedro  19/11/2014 19:19
    Creio que, no texto, o argumento contra os ideais libertários seja a parte em que defende a superioridade dos milhares de anos de refinamento prático da sociedade, no lugar de divagações teóricas sobre o que seria o ajuste ideal da sociedade.

    Ou seja, esse texto, ao final diz: o que temos hoje é o jeito certo, por ser resultado de séculos de dura realidade. Já os libertários dizem que tudo o atual arranjo é errado (Estado, impostos etc).

    Creio que seja essa a idéia.
  • Nilo BP  19/11/2014 22:18
    A idéia do Paulo, né? Libertários sensatos sabem perfeitamente que a sociedade precisa sim de instituições, aliás é feita de instituições. Só não as coercivas (i.e. o Estado).

    A família não tem nada de coercivo - se você quer se libertar da "dominação patriarcal" é só levantar âncora e buscar o próprio caminho.
  • Um observador  19/11/2014 15:30
    Dúvida: existe alguém aqui que é a favor da liberação das armas, mas é contra a legalização das drogas?
    Não vejo como alguém pode ser a favor do primeiro, mas não do segundo, sem entrar em contradição.

    Mas como o IMB costuma ser frequentado não apenas por libertários, mas também por conservadores, é possível que alguém possa ter esse entendimento.

    Um comentário puramente pessoal: nada tenho contra armas e sou a favor da liberação. Mas não consigo olhar para a foto do artigo e não achar aquilo algo besta... Parece coisa de fanático.
  • Felipe  19/11/2014 16:05
    "Mas não consigo olhar para a foto do artigo e não achar aquilo algo besta"

    Eu acho algo bonito, um pai e uma mãe protegendo sua familia.

    "existe alguém aqui que é a favor da liberação das armas, mas é contra a legalização das drogas?
    Não vejo como alguém pode ser a favor do primeiro, mas não do segundo, sem entrar em contradição."

    É possível, depende do argumento que você usa para defender legalização do comercio de armas.
  • Um observador  19/11/2014 18:39
    Felipe,

    Eu diria que vai depender mais é do argumento à favor da proibição das drogas. Não consigo pensar em um argumento para proibi-las que também não possa ser utilizado para justificar a proibição das armas.
  • anônimo  20/11/2014 19:54
    Concordo. Armas e drogas, tudo liberado. Não teria nenhum dos itens em casa (só cerveja, que já é liberada), mas defendo até a morte a liberação desses itens.
  • rafael   19/11/2014 16:31
    isso acontece porque a arma de fogo vem sendo demonizada a anos e quando a gente ve uma fica assim....somos a favor do direito individual se quer ter armas otimo, faz bem para segurança
    se quer usar drogas pra mim tanto faz, mas está financiando o crime , as drogas e o alcool alteram as pessoas entao só acho seu uso valido desde de que nao invada o espaço de outros, agora legitima defesa é um direito sobre sua vida o governo nao deve interferir a escolha é sua nao deles pense bem oq impede de 10 moleques invadir sua casa e fazer oq quiser? apenas o medo deles de ir preso ou tomar um tiro , mas esse medo vem se acabando e até dá policia eles nao tem mais sabe que nao vao atirar ...
  • Chakal  19/11/2014 18:06
    Maconheiro detected
  • frederico  12/01/2015 19:08
    kkkkkkkkkk exato e ainda bem que das 3 opções sou esta...
  • frederico  12/01/2015 17:45
    questão muito bem levantada , pois você encontrara varias pessoas que não conseguem entender que é incoerente defender a regulamentação das drogas e ser contra a das armas ou vice e versa...
    quando isso acontecer e se acontecer veremos UNIDOS conservadores, maconheiros e LGBTs PELO DIREITO a suas liberdades individuais...
  • Silvio  19/11/2014 15:43
    "I'll give you my gun when you take it from my cold, dead hands"
    Charlton Heston

  • Típico Filósofo  19/11/2014 16:23
    Apelo à compaixão dos leitores por todos os justiceiros assassinados pela cultura fascista da posse de armas apenas por serem vítimas da sociedade:

    "#7 A cada ano, aproximadamente 200.000 mulheres nos EUA utilizam armas de fogo para se proteger de crimes sexuais.

    #8 Em termos gerais, as armas de fogo são utilizadas com uma frequência 80 vezes maior para impedir crimes do que para tirar vidas.

    #9 O número de fatalidades involuntárias causadas por armas de fogo caiu 58% entre 1991 e 2011 (...)

    #18 Após a cidade de Kennesaw, no estado americano da Geórgia, ter aprovado uma lei que obrigava cada casa a ter uma arma, a taxa de criminalidade caiu mais de 50% ao longo dos 23 anos seguintes. A taxa de arrombamentos e invasões de domicílios despencou incríveis 89%. (...)"
    (Grifo meu)

    Trata-se de um genocídio do justiceiro social (quase sempre originário de minorias) e dos movimentos sociais periféricos. A democratização da propriedade, do amor e da justiça foram abandonadas em prol da brutalidade contra o "bandido", que nada faz além de fazer valer seus direitos negados pela sociedade; uma vítima homérica condenada pelos deuses do conservadorismo como somente uma fraude, que em meio a tantos de origens semelhantes que lograram escapar do crime, ainda tenta justificar a própria infâmia e violência.

    Façamos luto pelas milhões de vítimas do "cidadão de bem". Para acabarmos com este massacre imediatamente, não basta controle de armas - é preciso a retirada forçada delas.

    Para os que se limitam a pensar na "vítima" ostentadora:
    O "assassino" também tem seu direito à vida.
  • Silvio  19/11/2014 17:53
    Ora, ora, dessa vez temos de concordar com o Típico Filósofo, pelo menos em parte. Esse item 18 é sinistro. Os conservadores podem ver o caso suíço e o caso dessa cidade e concluir então que não se deve derrubar a regulamentação estatal, mas sim trocar o seu sinal, ou seja, que o que deve ser feito é uma reforma no Estatuto do Desarmamento para obrigar o cidadão a ter sua arma de fogo! Poxa, aí também não. A pessoa deve ser livre para escolher se quer ter armas ou não.

    Aliás, sobre o caso da cidade na Georgia, nem sei como uma lei maluca dessas pôde passar nos EUA. Ela vai contra a 2ª Emenda, justamente a emenda que os americanos usam para defender o direito de portar armas de fogo! A própria Constituição reconhece que esse é um direito do cidadão. Sendo um direito, jamais pode ser subvertido e tornado obrigação pelo estado, cuja função é justamente proteger os direitos naturais do cidadão. Nossa, que loucura!
  • José Jorge  19/11/2014 18:46
    Se for pra escolher, prefiro muito mais ser obrigado a ter uma arma do que proibido.
  • Rogério Ch  19/11/2014 18:17
    Hum... o direito do assassino... leva um pra casa então, se tá com pena.
    Típico do sujeito que sequer se identifica...
    "Será que ele é, será que ele é... Olha a cabeleira do Zezé...
    A menos que esteja somente querendo criar polêmica... vai saber. É cada uma, viu!
  • Dafuq  19/11/2014 20:38
    ja que voce odeia tanto as armas, troll esquerdista, enfie todas que puder no seu proprio rabo e preferencialmente atire nele de dentro pra fora. imbecil!
  • Thiago2  19/11/2014 21:51
    Façamos luto pelas milhões de vítimas do "cidadão de bem".
    Quando o estado socialista, comunista ou facista mata milhões ele (tipico filosofo esquerdista) nem liga.
  • Vive la Liberte  20/11/2014 11:28
    Você está cada vez melhor, hahaha.
    Depois de ler o artigo, a primeira coisa que faço é pesquisar por seus comentários sempre brilhantes.

    Há um tempo atrás alguém dispôs um link aqui no site para um blog que parodiava ideias socialista em estilo semelhante. Esqueci agora o endereço. Você conhece? É você quem o edita?

    Abraços.
  • Anônimo  20/11/2014 12:08
    Refere-se, provavelmente, aos camaradas da Vanguarda Popular e ao seu "Partido Mais Comunista":

    www.vanguardapopular.com.br/portal/

    Sempre gloriosos e com propostas relapsas que em muito chocam a classe média reacionária leitora.
  • Vagner  19/11/2014 16:27
    Impressoras 3D's estão chegando. A capacidade humana não tem limites. E quanto mais tecnológica uma população, mais livre ela é.
  • João Galta  19/11/2014 18:27
    Com certeza! Esses projetos me dão esperança:





    Molon labe!
  • anônimo  20/11/2014 09:27
    Home of the brave, land of the free
    Impressionante a quantidade de palhaços que acha que os EUA são a salvação do mundo livre, geralmente olavetes, mesmo depois de vc esfregar nas ventas deles coisas como essa
  • Nilo BP  20/11/2014 16:46
    Identity politics, f*dendo a humanidade desde a idade da Pedra.

    "Esquerdistas odeiam o governo americano, logo o governo americano é conservador, logo se o governo americano não gosta dos russos/muçulmanos/chineses eles são esquerdistas, logo se você defende os russos você é esquerdista. QED"
  • sandro lima  21/11/2014 16:39
    Sim, e essa impressora vai fazer muita coisa tomar rumos diferentes, assim como a internet continua fazendo até hoje.



  • Silvio  21/11/2014 19:07
    Exatamente o contrário, meu senhor. Quanto mais livre uma sociedade, mais tecnológica ela é.

    E isso não é um preciosismo meu, pois não podemos confundir causa com conseqüência.
  • sandro lima  19/11/2014 17:06
    Totalmente a favor da liberação de armas!

    No Inicio, poderia aumentar um pouco a taxa de crimes com armas de fogo, mas com o passar dos tempos, as pessoas aprenderiam a respeitar o espaço alheio.
    Hoje os crimes acontecem porque as pessoas sabem que a probabilidade delas serem pegas é pequena!
    Queria ver assaltantes fazendo arrastões em restaurantes sabendo que lá, eles poderiam encontrarem 5 ou mais pessoas armadas em pontos aleatórios...
    Ou invadir uma residência e fazer os donos de reféns.

    O pior, é ver gente que é contra...
  • gustavo sauer  19/11/2014 17:28
    O mesmo político que defende o desarmamento é o político que tem um segurança particular que anda armado. Kkkkkk
  • Gustavo  19/11/2014 17:40
    Alguém saber explicar porque a taxa de homicídio no Piauí é tão baixa comparada ao resto do país? o que lá tem de diferente?
  • Lima   19/11/2014 18:48
    Todas as estatísticas são fornecidas pelas Secretarias de Segurança dos respectivos estados. Ou seja, você pode duplicar os números conhecidos e ainda assim não chegará nem à metade da realidade.
  • Dam Herzog  19/11/2014 17:43
    Prezada Presidenta do Brasil Dilma.
    Peço desculpas pelos ofensas pessoais que não foram merecidas no curso da campanha..Sou um cidadão igual aos outros.
    Já fui assaltado e obediente a lei, estava desarmado pois não possuo armas. Estava dirigindo e uma moto na minha frente reduziu a velocidade ai eu parei. O carona se aproximou do meu carro calmamente como se viesse pedir ajuda sacou uma arma de cano curto, e levou meu carro só que por sorte havia deixado os documentos em casa por esquecimento. O carro que custou horas de trabalho para ser adquirido pois não existe "free lunch" há muito deve ter sido desmontado, acreditava que o governo me dava a segurança paga pelos impostos. Deveriamos sensibilizar os legisladores ao direito de ter uma arma em casa para defesa já que os quem ama a liberdade professa a religião da paz, "É ilegitimo agredir os não agressores, a não ser em retaliação a uma agressão". Permita o porte de armas. A Suiça é o pais mais Neste segundo mandato de D. Dilma fraudado, roubado, s´o Petrolão é terrivel (12ª para 120ª), com uso de urnas não confiáveis, na opinião de especialistas em urnas, e sem voto com duplo ticket impresso. Um ticket para ser colocado em uma urna, outro para o cidadão (escravo) comprovar que votou. E as os votos da urna seriam computados no computador e comparado com o total das urnas, e alguma ideia a mais que não imagino agora. Apesar de mentalmente não reconhecela como presidente, cai na real e sei que a Srª será a presidenta pelos proximos 4 anos. Então achei que a srª deveria fazer algumas mudanças em seu governo. O PT neste segundo mandato irá calar a mídia, como prioridade, suprimir a liberdade de imprensa, nos calar como fez nestas manifestações do dia 15 de novembro. Neste momento o William Bonner sera substiduido pelo Franklin Martins, O Estadão publicará versos de Camões, e a Folha de São Paulo que é um jornal esquerdista continuará a publicar o que o Gramma brasileiro na Republica Bolivariana do Brasil.O Sr Genuino triplicará seu salario e sera o ministro da justiçana fazenda ficara o Mercadante com as ideias velhas e mofadas do KEYNES. A câmara e o senado serão denominados Soviet Supremos. E com a aposentadoria dos ministros técnicos do Supremo Tribunal Federal entraram mais ministros do PT,serão todos, progressivas do PT com as leis do PT na mão. O ÚNICO maneira da Dilma melhorar sua imagem suja, será nomeando para a Fazenda o ex ministro Palocci, Secretario Geral do Ministério ministério da Fazenda o SR Portugal que já fez parte da Fazenda e o Henrique Meireles para o banco central.Tudo com autonomia. E por na cabeça que não entende de economia como exemplo o fiasco dos juros, a inflação, desvalorização da moeda, Liberdade econômica de 100ª para 114ª no ranking mundial. Olhe Hong Kong, Singapura,Nova Zelândia Austrália. Desfaça os laços especiais com o Mercosul que só prejudica o nosso povo, exija orçamentos equilibrados,venda todos os bens e prÉdios do governo, crie o ministério de desburocratização e desregulação e crie o ministério da Liberdade economica se não tiver nomes poderei indicar um apesar de ser uma cidadão que não representa nada que procurarei no site Mises. Reduza o total de ministério para 15. Proclame que o Brasil quer relações comerciais e diplomática com todos os paises do mundo, e declare que de hoje em diante este pais seguirá uma politica de Neutralidade tipo Suiça. Venda todas as estatais e todas as terras do governo. Acabe com as concessão de rádios e TV. Declare que o PT se modernizou e que vai respeitar a propriedade e a Liberdade será um bem maior e estudara o que significa a palavra mercado.. Não interviremos em nenhuma guerra e abandonaremos a ONU , FMI ,Banco Mundial, Brics Mercosul, pois o Brasil está na rabeira dos BRICS não mais participaremos de blocos politicos e economicos. pois o Brasil está na rabeira. Defina Lei como um conjunto de normas de conduta justas iguais para todos prospectivas no tempo e no espaço. Defenda a maioridade penal a partir dos 10 anos como crime, desde pequeno devemos aprender o principio da não agressão. Mande redigir uma nova constituição, pois esta é em todos os artigos socialista e entrava o desenvolvimento do pais. Proíba a recuperação de empresas com ajuda do governo, os bancos podem fazer isto ou venda ou fusão. Também declare o Bitcoin moeda que possa ser usada na nossa economia no pagamento de impostos e valida como qualquer cartão de credito, apesar dela ser melhor que o cartão de credito. Quem quiser transportar passageiros poderá faze-lo a qualquer preço.Acabe com o alvará dos táxis. A concorrência é a verdadeira redutora de de preços,num mercado livre e desempedido.. Se quer menos monopólio nas comunicações abra o mercado a brasileiros e estrangeiros. No curriculo escolar coloque o estudo do mercado (o maior produtor de bens e serviços que apareceu na vida do homem). Proiba leis que punam o cidadão que tem grandes fortunas pois ele exatamente o criador de riqueza, ele só desfruta de um pouco mais de conforto, ele não pode comer 10 vezes ao dia. Proíba os Sindicatos e Conselhos obrigatórios e pagos pois eles exploram os trabalhadores. Sindicatos só pagos voluntariamente e que respeitem o principio da não agressão.Não tribute ganhos financeiros de investidores,eles serão reinvestidos mais que o governo. Venda museus Parques(eles seram melhor cuidados). Os ditos Movimentos Antisociais invadem destroem, roubam, matam, e nada acontece mas se eu entrar na Caixa Economica Federal e tentar roubar sou processado e preso. Existe justiça nisto. Os brasileiros não gostam das ideias do PT seja humilde e mude-as pois a senhora possuem uma posição de líder. Tudo que existe no Brasil foi comprado com o dinheiro dos impostos, vindo do trabalho dos brasileiros. O governo só cria dinheiro ilegal. Não cria riqueza. Cria inflação que desvaloriza os nossos bens e encarece os produtos nacionais e importados. Diminua os impostos. Não queremos pagar campanhas de nenhum politico, com dinheiro do nosso imposto.Abra as fronteiras o brasileiro comprará onde o preço for de melhor qualidade e mais barato. Acabe com a ideia de preços administrados. Libere todos os preços. Veja o que deu abaixar o preço da luz, a baixa forçada dos juros. Desejo a Srª o melhor governo do mundo.
  • Lula contra a mídia golpista  19/11/2014 17:51
    Novamente vocês demonstram a total falta de sensibilidade com o próximo.

    Para vocês qualquer conflito deve ser resolvido a bala, ao invés de busca resolver os problemas sociais em uma discussão madura, você lutam pela volta do caos, um velho oeste em pleno século XXI.

    Intelectuais renomados tem mostrado que parte dos bandidos são nada menos do que produto de um sistema opressor.

    A elite adora ostentar seus telefones de última geração, suas roupas e tenis de marca em cima daqueles que lutam diariamente para sobreviver.

    O que você pregam na verdade é o direito de matar essa minoria quando bem entender, um mero ladrão de galinha terá uma punição desumana como esse caso aqui:

    g1.globo.com/bahia/noticia/2014/09/crueldade-diz-policia-sobre-homem-que-decepou-maos-de-suspeito-na-ba.html

    Fica claro que o rearmamento da sociedade, e a perda do estado sobre o monópolio da violência, devolverá ao Brasil um sistema próximo do coronelismo nordestino, em que os proprietários do capital oprimirá os mais pobres com o uso de seus capangas armados.

    O povo não quer um retrocesso, por isso eu digo não as armas.
  • Rene  19/11/2014 18:53
    Uma pergunta: Era para este ser um comentário irônico, estilo "Típico filósofo", ou vc está falando sério mesmo?
  • Pobre Paulista  19/11/2014 21:04
    No melhor estilo "HUE HUE HUE BR? BR? BR? LOL."

    Obs OFF: Meu captcha aqui deu EZTEC... É propaganda subliminar, pessoal do site? :-P
  • Diones Reis  19/11/2014 20:18
    Se as pessoas tivessem direito ao porte, a situação da matéria poderia ter sido evitada nestes casos.

    1 - O que teve a mão decepada NÃO iria invadir o terreno, pois saberia que alguém iria defender a propriedade.

    2 - O fazendeiro NÃO iria decepar a mão do suspeito em cárcere, pois com certeza o suspeito reagiria a esta tentativa.

    E quanto ao coronelismo, um povoado nunca iria estar na servidão de um coronel, se estivesse armado.
    Prova disto é o que aconteceu em 1923 no povoado de Nazaré do Pico, que botou Virgulino Ferreira da Silva (Lampião) pra correr.

    Em tempo: Lula se trata no Sírio Libanês, referência e excelência no tratamento de pessoas ricas.

    Portanto, Lula não estaria na Elite?
  • Lucas Guedes  19/11/2014 19:07
    "O povo não quer um retrocesso". Quer dizer que quando 59 milhôes de brasileiros disseram não ao desarmamento em 2005 eles estavam apoiando o desarmamento? Esquerdistas e seu mau costume de achar que suas ideias sempre representam o povo. O povo brasileiro é contra o Estatuto do Desarmamento, os pobres estão cansados de serem roubados e não poderem se defender. Em algumas regiões do Nordeste não há mais habitantes na zona rural, pois a polícia não consegue impedir os crimes e os cidadãos não podem se defender pois não têm armas. Então antes de falar em nome do povo busque saber o que o povo pensa.
  • anônimo  19/11/2014 21:38
    Só tem um erro: o Canadá, em 2012, aboliu o registro de armas. Leia:

    www.midiasemmascara.org/artigos/desarmamento/12867-conservadores-extinguem-registro-de-armas-longas-no-canada.html

    Seria interessante verificar as estatísticas de violencia no Canadá (homicídios por 100000 pessoas, etc.) e ver se aumentou ou diminuiu....
  • Bené  19/11/2014 22:00
    Anônimo, seja uma pouquinho mais honesto intelectualmente. Ou vá sacar pra cima de outros. Esse seu link não fala sobre armas em geral, mas apenas de armas de cano longo. Ora, ninguém sai às ruas com uma espingarda. O que inibe criminosos é justamente o temor de que os cidadãos estejam portando pistolas. Você poder comprar uma espingarda não diminuiu os assaltos na rua e nem os tiroteios públicos, como o que ocorreu no Canadá.

    De resto, a legislação de armas do Canadá é quase igual à brasileira. Só é melhor justamente por cause dessa questão das armas de cano longo.

    ottawacitizen.com/news/national/what-to-know-about-gun-control-in-canada
  • anônimo  20/11/2014 22:30
    Agradeço pela informação.
  • Steve Lee  19/11/2014 22:28
    Aproveitando a deixa, como o pessoal aqui está em temos de armas de pressão, mais especificamente carabinas PCP?

    Graças a uma brecha na lei e aos avanços tecnológicos, há algumas delas que são tão poderosas e destruidoras quanto uma espingarda de pólvora.

    Armem-se já.
  • Leandro  20/11/2014 11:25
    Eu tenho uma Sumatra 2500 (uma réplica da Winchester e da Browning). Utilizando a munição correta (chumbos de 32 grains, ou 2,07 gramas), o estrago é assustador. O projétil sai do cano a uma velocidade de aproximadamente 360 metros por segundo e o tiro quebra um tijolo.
  • Kamajor  19/11/2014 23:18
    Ouvi certa vez, em um programa de rádio, uma frase de um desconhecido que dizia: ''Eu me recuso a acreditar que a diferença entre mim e um assassino é que ele pode ter uma arma e eu não'' Uma pergunta: vocês acham mesmo que alguem com intenção de cometer um crime tem dificuldade de obter uma arma de fogo?
  • MARAT  20/11/2014 00:42
    .
    Não sou à favor do desarmamento da população. Temos o exemplo da Suíça, cujo cidadão após o serviço militar leva seu fuzil para casa, no entanto a criminalidade lá beira o zero. Sou à favor de educação e conscientização da população. Aqui no Brasil o desarmamento foi preconizado e inserido na sociedade pela esquerda, mais precisamente o PT, pois é sabido que uma das coisas que os comunistas mais temem, é uma população armada.
    Tal fato, deu aos marginais do País, a certeza de delinquir sem oposição, pois o cidadão além de não contar com a polícia por perto, certamente não terá arma para se defender.
    .
    Por outro lado, a Universidade de Harvard, não o merece crédito de ser um grande baluarte da verdade e do moralmente correto. Outro dia li, que lá em Harvard, estavam implantando um curso chamado: "Sexo Anal", destinado à toda comunidade universitária, composto de 101 módulos.
    oglobo.globo.com/sociedade/sexo/sexo-anal-tema-de-seminario-na-universidade-harvard-14505721
    .
    Como podem ver, falta um pouco de coerência nesta universidade, sem entrar no mérito do assunto acima citado, qual o valor social de tal matéria em uma universidade?
  • CORDAY  20/11/2014 03:40
    Também sou a favor da educação e conscientização da população, desde que essa educação e conscientização se dê pela família, igrejas e outras instituições voluntárias. O estado, jamais.

    Embora o Estatuto do Desarmamento tenha sido promulgado quando o PT já havia assumido o poder, essa brincadeira já estava prevista no Plano Nacional de Direitos Humanos, feito na gestão do PSDB. Ou seja, ambos são farinhas do mesmo saco vermelho.

    Sobre Havard, só espero que o pessoal que se matricular no curso estude bastante, pois só assim evitarão de tomar pau nessa matéria. E, se tomarem pau, f@#3*. Literalmente.

    Ainda sobre Havard, saiba que hoje em dia a universidade está para o esquerdista assim como a umidade está para o bolor. Dito de outra forma, se fosse só em Havard, tava bom, o problema é que isso se dá em praticamente todas as universidades.
  • MARAT  21/11/2014 18:33
    Quanto ao teu último parágrafo, eu não quis ser tão incisivo, mas concordo plenamente.
  • CORDAY  21/11/2014 19:32
    Ainda bem que concordamos, pois seria uma pena eu vir a ser obrigada a te matar novamente.
  • Wanderson  20/11/2014 02:00
    Brasil como sempre andando na contra-mão
    Eu fiquei impressionado com que eu li sobre o estado da geórgia no EUA :)
    fizeram uma lei que OBRIGAVA os cidadãos a ter uma arma em casa...
    mentalidade totalmente diferente do brasil.
  • anônimo  20/11/2014 09:30
    Com certeza diminui os crimes, mas esse não é o motivo pelo qual as pessoas deviam andar armadas.
  • Jakson  20/11/2014 10:41
    além de se previnir contra governos tirânos.Há mais algum motivo?
  • anônimo  20/11/2014 12:11
    Não, mas nem precisaria, ninguém tem que se justificar
    Quem quer a proibição sempre vem com uma história tipo 'pra que vc quer uma arma X? ou Y?' Não importa pra que vc quer, esse é um direito e vc não tem que abrir mão só pra agradar uns esquerdinhas vagabundos.
  • Moreno  20/11/2014 10:15
    O fato número oito ficou estranho:

    "8 Em termos gerais, as armas de fogo são utilizadas com uma frequência 80 vezes maior para impedir crimes do que para tirar vidas."

    A armas impedem mais crimes do que as tiram ?

    Isso é muito arriscado, imagina se um cara descoordenado andar armado por ai vai matar pessoas inocentes e não o bandido. Usar uma arma não é o mesmo que uma arminha de espoleta.

  • Escuro  20/11/2014 11:26
    "A armas impedem mais crimes do que as tiram ?"

    Frase ininteligível e sem sexo. Objeto, predicado e sujeito não se ligam.

    "Isso é muito arriscado, imagina se um cara descoordenado andar armado por ai vai matar pessoas inocentes e não o bandido."

    Hein?

    "Usar uma arma não é o mesmo que uma arminha de espoleta."

    E quem disse que é? Arminha de espoleta é para crianças de até 2 anos. Arma de verdade já deve ser utilizada a partir dos 10 anos. É desde cedo que se aprende a utilizar as coisas com responsabilidade.
  • Forever  20/11/2014 13:26
    ''Isso é muito arriscado, imagina se um cara descoordenado andar armado por ai vai matar pessoas inocentes e não o bandido. Usar uma arma não é o mesmo que uma arminha de espoleta. ''

    Sério? Você me vem com esse argumento batido? Se uma pessoa quer matar a outra sem nenhum motivo hoje com o desarmamento em vigor ela pode simplesmente pegar uma faca de cozinha e esfaquear outrem (vai proibir a comercialização da FACA também? ''Para o bem da sociedade''?) Ou mais simples ainda,ela pode ir na favela mais próxima e comprar uma arma ilegal...
  • Jakson  20/11/2014 10:38
    Excelente artigo.

    Já conversei com muitos amigos sobre isso.E visivelmente a doutrinação já aboliu a possibilidade de uma conversa saudável. Quando dizemos (Sou a favor do porte de armas). Eles o entendem como uma promoção ao ódio. Mas espero ter conseguido maior domínio do assunto, para abrir os olhos de muitos.

    Att.
  • Guilherme  20/11/2014 14:10
    E a putada na mídia não para de dar chiliques; e de mentir descaradamente.

    sao-paulo.estadao.com.br/blogs/sp-no-diva/alerta-bancada-da-bala-pode-revogar-estatuto-do-desarmamento/
  • felipe  20/11/2014 15:21
    Materia totalmente tendenciosa, mostra a vergonha que são esses jornalistas.

    Ainda cita um estudo que o estatuto do desarmamento poupou 13 mil vidas.

    Com base no que ele consegue saber quantas vidas teriam sido mortas ?

    e cade o outro lado? quantas vidas foram tiradas por que o individuo não pode se defender?

    alem disso, nenhum momento cita perda da liberdade de cada um portar uma arma.
  • Silvio  20/11/2014 15:49
    Eles não citam a perda da liberdade de cada um portar uma arma porque eles partem do pressuposto de que as pessoas não têm essa liberdade. Logo, nem haveria o que se discutir.

    Pressuposto muito errado, nunca é demais ressaltar.
  • Rogério  20/11/2014 14:40
    Será? Há vários fatores a se considerar:

    - Bandido não tem nada a perder, o cidadão comum tem;

    - Bandido atira para matar mesmo em situações em que não há reação, imagine o cidadão armado com seus filhos;

    - Se os criminosos atacam policiais armados, por que deixariam de atacar o cidadão comum?

    - Se os criminosos invadem até quartéis, por que deixariam de invadir uma residência, mesmo sabendo que os moradores podem estar armados?

    - A maioria dos criminosos hoje agem em grupo, logo a chance de uma pessoa ser baleada e morta é muito maior;

    - Pesquisas indicam que aumentam em 80% as chances de uma pessoa ser baleada e morta estando armada - lembrem-se: o bandido não tem nada a perder.

    - Obviamente que com mais armas em circulação, a chance de ocorrer mortes em situações banais aumenta, ignorem essas pesquisas acadêmicas sobre os EUA, no Brasil é outra história.

    Achar que todos andarem armados resolve o problema da criminalidade é o mesmo que dar livros a todas as pessoas e achar que serão educadas.



  • Ceni  20/11/2014 15:31
    "Bandido não tem nada a perder, o cidadão comum tem;"

    Bandido não tem nada a perder quando tem a certeza de que o cidadão comum (inclusive dentro de sua casa) está desarmado e não tem a menor chance de se defender.

    E o cidadão comum não tem nada a perder quando um bandido invade sua casa e promete matar toda a sua família. A única opção racional é matar o desgraçado.

    E você, muito humanamente, quer impedir isso.

    "Bandido atira para matar mesmo em situações em que não há reação, imagine o cidadão armado com seus filhos;"

    Um cidadão armado matou o bandido antes, quando este ainda estava tentando pular o muro da casa.

    "Se os criminosos atacam policiais armados, por que deixariam de atacar o cidadão comum?"

    Ninguém falou que bandidos vão parar completamente de atacar o cidadão comum. Só que o cidadão comum, se estiver armado, ao menos terá chance de tentar se defender, algo que você que não quer de jeito nenhum que aconteça.

    "Se os criminosos invadem até quartéis, por que deixariam de invadir uma residência, mesmo sabendo que os moradores podem estar armados?"

    Com que frequência bandidos invadem quartéis? E quando foi que isso aconteceu sem que esses bandidos tivessem recebido a ajuda de algum policial ou soldado corrupto, que deu todas as dicas de como funciona a rotina do quartel?

    "A maioria dos criminosos hoje agem em grupo, logo a chance de uma pessoa ser baleada e morta é muito maior;"

    E se ele estiver compulsoriamente desarmado, as chances melhoram?

    "Pesquisas indicam que aumentam em 80% as chances de uma pessoa ser baleada e morta estando armada - lembrem-se: o bandido não tem nada a perder."

    Pesquisas indicam que pesquisas não indicam nada. Dependendo da amostragem, há pesquisas que indicam que o Vasco é o melhor time do mundo.

    No entanto, vou dar uma colher de chá: coloque aqui o link da pesquisa. Mas atenção: quero a pesquisa, e não uma reportagem de jornal falando sobre uma eventual pesquisa.

    "Obviamente que com mais armas em circulação, a chance de ocorrer mortes em situações banais aumenta, ignorem essas pesquisas acadêmicas sobre os EUA, no Brasil é outra história."

    Obviamente que com mais facas, tesouras e carros em circulação, a chance de ocorrer mortes em situações banais aumenta. Ignorem essas pesquisas acadêmicas sobre os EUA, no Brasil tudo funciona diferente: desde as leis econômicas até o povo, que aplaude bovinamente tudo aquilo que políticos aprovam.

    "Achar que todos andarem armados resolve o problema da criminalidade é o mesmo que dar livros a todas as pessoas e achar que serão educadas."

    Achar que proibir cidadãos de bem de terem armas irá resolver o problema da criminalidade é o mesmo que achar que proibir drogas irá acabar com a venda de drogas.
  • anônimo  20/11/2014 20:38
    pesquisei "estatuto do disarmamento" no google e achei essa noticia :
    www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/brasil/2014/11/20/interna_brasil,543971/projeto-tenta-alterar-o-estatuto-do-desarmamento.shtml

    agora vejam o que o individuo fala: "Corremos um grande risco de ver um projeto como o Estatuto do Desarmamento, que levou cinco anos de discussão, ser alterado por um projeto colocado para votação sem o menor cuidado e debate."


    isso quando 63% da população brasileira votou CONTRA a proibição do comércio de armas.
    Depois dizem que o brasil é uma democracia
  • Eduardo  20/11/2014 22:42
    Essa conversa de que "Não podemos alterar esse sem consultar a população" é sem sentido, digna de um regime ditatorial, afinal, esse estatuto nem existiria se a população fosse realmente ouvida.

  • sandro lima  24/11/2014 15:12
    Não seria mais simples liberar armas para quem quiser comprar, e esses
    63% da população brasileira votou CONTRA a proibição do comércio de armas, simplesmente não comprar??

    Agora, somos obrigados a viver sem proteção por conta de uma parcela maior que simplesmente não tem interesse em ter uma arma em casa?


  • anônimo  24/11/2014 20:55
    leia de novo, amigo: 63% da população brasileira votou contra a PROIBIÇÃO do comércio de armas
  • Emerson Luis, um Psicologo  21/11/2014 00:03

    "Venezuela lança plano nacional para desarmamento de civis"

    g1.globo.com/mundo/noticia/2014/09/venezuela-lanca-plano-nacional-para-desarmamento-de-civis.html

    www.vermelho.org.br/noticia/216465-7

    Será que eles vão desarmar os agentes cubanos também?

    * * *
  • MARAT  21/11/2014 18:37
    O que os comunistas mais temem é uma população armada.
  • Hailong  21/11/2014 02:25
    Será? Há vários fatores a se considerar:

    Esse artigo considera 20 fatores, outros nesse mesmo site consideram mais ainda. Aliás existe uma bibliografia razoável que considera todos os fatores importantes e chegam a mesmíssima conclusão desse artigo

    - Bandido não tem nada a perder, o cidadão comum tem;

    Bandidos na maioria das vezes têm o que perder sim, muitos têm propriedades e famílias como qualquer outra pessoa. Além do mais mesmo que se não tivesse nada a perder, aceitaria morrer por isso ? Existem vários vídeos de linchamentos de bandidos perigosos e coisas do tipo na internet se tiver estomago e se achar adequado veja e note esses chorando igual criancinha pela própria vida. Não ter nada a perder só leva a pessoa a querer ganhar. Além do mais e pior de tudo esse raciocínio só revela o nível de acovardamento que o homem de hoje alcançou, agora têm que ter medo até de um pé de chinelo com canivete enferrujado...

    - Bandido atira para matar mesmo em situações em que não há reação, imagine o cidadão armado com seus filhos;

    Mas é justamente que a arma se faz necessário. Se você sabe que pode levar um tiro de qualquer forma então você é simplesmente obrigado a prestar defesa a sua família.

    - Se os criminosos atacam policiais armados, por que deixariam de atacar o cidadão comum?

    Normalmente se trata de duas situações diferentes. Policiais raramente são atacados por assaltantes de residências mas por narcotraficantes. Além do mais já pensou se os policiais estivessem desarmados ?

    - Se os criminosos invadem até quartéis, por que deixariam de invadir uma residência, mesmo sabendo que os moradores podem estar armados?

    Você pensa que os bandidos brasileiros são o quê os Navy Seals ? O Exército Israelense ou Os Cavaleiros do Zodíaco ? os criminosos brasileiros são compostos basicamente por bostinhas que mal sabem empunhar uma arma, e só conseguem algum sucesso no crime justamente pela população estar indefesa. O fato de existir muitos bandidos no brasil se deve a qualquer um conseguir ser bandido aqui, que por sua vez se deve ao estado indefeso da população. Bandido têm vida mansa porque não encontra resistência alguma. Um cidadão comum dispondo de qualificação de defesa (cursos e treinos de tiro, defesa pessoal, segurança residencial) já oferece resistência normalmente acima das capacidades do criminoso. Note por exemplo que milícias formadas por populares dão cabo de criminosos com uma mão só.

    Agora em casos de quadrilhas qualificadas você têm que lembrar que existe outros mecanismos, de segurança privada adequados para essa situação do qual também sofrem severas restrições no Brasil.
    -

    A maioria dos criminosos hoje agem em grupo, logo a chance de uma pessoa ser baleada e morta é muito maior;

    Empresas de segurança servem pra isso.

    - Pesquisas indicam que aumentam em 80% as chances de uma pessoa ser baleada e morta estando armada - lembrem-se: o bandido não tem nada a perder.

    E quem foi estudado, criminosos ? bom, esses têm muita chances de morrer, e eles morrem de medo disso.

    - Obviamente que com mais armas em circulação, a chance de ocorrer mortes em situações banais aumenta, ignorem essas pesquisas acadêmicas sobre os EUA, no Brasil é outra história.

    Afinal todo mundo vai se arriscar a levar um tiro em situações banais né ? Absolutamente todos os dados dessa e de todas as outras pesquisas mostram justamente o contrário...
    E um dos motivos dessa diferença entre EUA e Brasil é que lá em muitos lugares ainda pode ter e aqui não.

    Achar que todos andarem armados resolve o problema da criminalidade é o mesmo que dar livros a todas as pessoas e achar que serão educadas.

    Não achamos, isso está absolutamente provado, mostre um mísero exemplo contrário e ai agente discute quem está achando o quê.
  • Vagner  21/11/2014 11:21
    E quanto ao argumento: "Os brasileiros não tem educação. Não tem uma estrutura moral para ter posse de arma. Armas aqui significariam morte nos trânsitos todos os dias."?

    Como lidar com isso?
  • Love  21/11/2014 11:34
    Os brasileiros não têm educação e nem estrutura moral, e ainda assim podem votar e dirigir?! Ué...

    Aliás, não custa lembrar, carros também são armas, e são ainda mais letais. Um carro pode causar uma colisão seguida por um engavetamento e matar mais de 30 pessoas.

    Vamos proibir os carros, pois o brasileiro não tem educação (algo crucial no trânsito) e nem estrutura moral para dirigir.
  • Felipe  21/11/2014 11:52
    Brasileiros?

    Você simplesmente generaliza assim, então por EU viver numa sociedade de gente sem educação eu tenho que pagar por isso?

    É um pensamento totalitário e sem ética nenhuma.

    A questão da briga de transito é tosca e fruto de quem não tem raciocinio.

    As morte acontecem por um individuo desequilibrado e armado que mata um individuo desarmado.

    Agora vale salientar 3 coisas da frase acima:

    1 - O individuo desequilibrado irá existir sempre, e se ele quiser ele irá conseguir uma arma com ou sem a proibição.

    2 - A vítima estava desarmada, se ao menos tivesse uma arma poderia se salvar.

    3 - Um individuo mesmo desequilibrado vai pensar 10x antes de sacar sua arma caso ele saiba que a maioria dos individuos possuem uma arma no carro.
  • anônimo  21/11/2014 12:36
    Deixe de frescura, todo mundo sabe que quando se fala 'brasileiros', 'classe média', etc,o sujeito ta se referindo à maioria.
  • Montes  21/11/2014 14:03
    Mas como é que os brasileiros vão desenvolver educação e estrutura moral se o governo não deixa que o povo as desenvolva?

    Ninguém nasce educado e moralmente elevado. São as conseqüências dos nossos erros e acertos, ou seja, nossas experiências de vida, que nos permitem desenvolver essas características. Agora, se o povo não quer (ou não pode) assumir as rédeas de suas próprias vidas e deixa tudo para o estado, não há dúvida de que o povo está perdido.

    Não vejo como pode ser possível que (mesmo num futuro muito remoto) um povo seja educado e minimamente moral se pensa da seguinte forma:

    -nem presto muita atenção na hora de comprar um produto, porque sei que se der algum problema o Código de Defesa do Consumidor vai me proteger;

    -nem me preocupo em educar meus filhos porque já trabalho bastante e o governo dá escola em tempo integral pros moleques;

    -é claro que não preciso me preocupar em fazer a minha própria segurança, afinal, a polícia está aí pra quê, né? Além disso, se deixar uma arma em casa, quem é que vai vigiar meu menino e impedir que ele pegue essa arma?

    -pior é que os políticos não fazem nada para resolver isso. É uma vergonha!

    E há milhares de outros exemplos que podem ser dados para ilustrar o que disse.

    Pois bem, se as pessoas agem como crianças e são impedidas (ou não querem) cuidar das suas vidas, é claro que o povo sempre será atoleimado e precisará de um estado-babá. Nessa situação, os brasileiros jamais terão educação nem estrutura moral para fazer o que quer que seja, a não ser para chorar por mais tutela estatal. E é claro que um país cheio de gente assim sempre será um porcaria.
  • Senhor A  22/11/2014 01:26

    Montes

    Foi o que eu falara em outro artigo daqui, do Mises. Postarei novamente o meu comentário:


    Um dos efeitos gerados pelas intervenções estatais, que eu sempre procuro apontar, é o da perda da responsabilidade dos indivíduos.

    Quando o Estado intervém nas vidas dos milhares de indivíduos, um dos objetivos é "fazer o que os cidadãos não podem/sabem fazer". As consequências podem ser devastadoras, já que o Leviatã interfere na ação humana, não deixa que indivíduos façam suas escolhas, com isso, o produto da não escolha pode ser aceito como algo positivo pelos próprios indivíduos, ou seja, os cidadãos possivelmente não irão querer escolher, agir, mas farão justamente o contrário, vão querer que o Estado resolva ou escolha para eles. Perdem a responsabilidade!

    Sociedade sem responsabilidade é um amontoado de indivíduos vivendo no caos.

    Quando existe uma nação de indivíduos responsáveis o que mais se vê é pessoas que sentem o peso dos atos realizados, sabem o que faz. Consequentemente, procuram proteger a si mesmos e aos seus próximos, pois reconhecem que o peso de tal atribuição não é de outro, somente deles mesmos. Quando sabem que a escolinha do bairro não está em boas condições, os indivíduos do local correm para mudar o quadro com intuito de torná-lo positivo, pois sabem que seus atos gerarão bons frutos e farão com que seus filhos sejam beneficiados, assim como em outras esferas da vida.

    Quando vejo o Estado (principalmente o governo) tomando conta do papel de pai dos filhos dos outros, o que vem em mente é o impacto negativo na autonomia dos pais, que podem dizer: "Não preciso fazer isso porque o governo já o fez". E futuramente dirão: "Maldito governo, não cumpriu com seu dever, agora meu filho se foi".
  • wagner  21/11/2014 18:32
    Como vocês explicam o caso do Japão, que tem um controle rígido de armas e tem uma criminalidade baixa?

    exame.abril.com.br/mundo/noticias/numero-de-assassinatos-no-japao-e-ridiculo-de-tao-baixo
  • Moura  21/11/2014 19:15
    Aqui:

    Gun control in Japan

    Dica: comece analisando a composição de uma sociedade e sua evolução.

    Pra começar, o Japão é uma das sociedades mais homogêneas do mundo. Aliás, é uma das poucas que ainda é assim. E sempre foi assim. Os japoneses possuem uma identidade cultural extremamente rígida.

    Mais: o Japão foi uma sociedade de castas por milhares de anos. O povo -- os camponeses, que formavam nada menos que 98% da população -- nuca teve armas. Nunca houve a mais mínima idéia de democracia no Japão feudal e o povo japonês -- que era dominado por uma aristocracia, por guerreiros e por mercadores; todos eles representando apenas 2% da população -- nunca considerou a hipótese de se insurgirá contra seus senhores.

    Ou seja, é uma sociedade historicamente formada por pessoas complacentes, ordeiras e submissas à autoridade. Se uma sociedade é formada por indivíduos ordeiros, totalmente homogêneos, e cumpridores devotos de qualquer lei (inclusive das ruins) e com tendências à submissão, dificilmente essa sociedade será violenta. (Você já viu sequer alguma greve no Japão? Houve violência?)
  • Jonas  22/11/2014 00:10
    Mas é claro que desarmar a população funciona. Vamos deixar de lado o raciocínio metonímico, que consiste em discutir o projeto de desarmamento apenas em termos de seu objetivo declarado, e vamos avaliar o resultado dessa violação das liberdades individuais por aquela que é a verdadeira intenção dos desarmamentistas. Se vocês levarem em conta que controle de armas nada tem a ver com segurança pública mas com controle social -- como se diz na internet: controle de armas nada tem a ver com armas, mas com controle --, então logo perceberão que eles alcançaram um sucesso extraordinário nos países desarmados. Hitler e Stálin são dois exemplos de como o desarmamento funciona.
  • Baleia  22/11/2014 01:15
    Pelo visto, andou acompanhando as lições do mestre Olavão. Parabéns. Pena que o único político de projeção que traz a discussão nesses termos corretos é o Deputado Jair Bolsonaro, que é tão ouvido pelos seus colegas quanto a Voz do Brasil é ouvida pelo público em geral.

    Apesar disso, é iluminador se dar conta de que por trás de todas essas políticas esquerdistas aparentemente contraditórias entre si existe um propósito específico que as torna coerentes entre si. Esse propósito, como o senhor bem apontou, é controle, ou seja, o velho desejo humano (e verdadeira tara dos esquerdistas) de concentrar mais e mais poder. Triste, mas iluminador assim mesmo, porque nos revela claramente qual a intenção desse pessoal.
  • Fabio Bastos  22/11/2014 22:02
    Não basta somente revogar a lei mas que o cidadão de bem tenha o direito de usar a sua arma contra um bandido sem que seja punido por isso. O Estado não é onipresente para garantir a segurança em todos os lugares.
  • anônimo  23/11/2014 00:31
    O que os defensores da PNA tem a dizer sobre esse caso:

    Zoe Edwards, 38 anos, mãe de dois filhos, explodiu de raiva quando um grupo de 10 a 15 adolescentes bulliers atirou ovos em sua casa em Worsley, Manchester, no último Halloween. De pijama, ela entrou em seu 4x4 e perseguiu os moleques. Ela disparou com uma arma BB, que atingiu um moleque pelas costas e outro na sua mochila. Edwards negou ser abusiva ou possuir uma arma, mas admitiu que ela tinha deixado a casa dela para descobrir quem havia atirado os ovos. Ela também disse ao tribunal que tinha sido vítima de uma ovada antes e depois do incidente. Mas o juiz Mark Hadfield a considera culpada de agressão e comportamento ameaçador.

    www.dailymail.co.uk/news/article-2845161/Angry-mother-two-wearing-just-pyjamas-chased-gang-youths-4x4-shot-BB-gun-egged-conservatory.html

    Então. O que a PNA tem a dizer sobre esse caso? Quem iniciou a agressão foram os moleques. No entanto, vejam que é uma mulher adulta e armada disparando contra adolescentes desarmados....
  • Wyatt Earp  23/11/2014 02:29
    Ou você é desonesto ou é burro. Não há terceira opção.

    Pra começar, uma arma BB é uma mera pistolinha de chumbinho. E os chumbinhos disparados são esferas de calibre 4,5 mm. O máximo que conseguem fazer é deixar a pele vermelha.

    Portanto, você dizer que a mulher estava "armada" é uma fragorosa mentira.

    Em segundo lugar, não eram meninos, mas sim 15 adolescentes que foram depredar a propriedade dela.

    Terceiro, nada aconteceu com os vagabundos. Nada. A resportagem deixa isso claro.

    Quarto, a mulher agiu corretamente. Vagabundos que se juntam em grupinho para ameaçar e depredar propriedade alheia têm de ser bem punidos. Nesse caso, dos 15 vagabundos, apenas um tomou um tiro de chumbinho (e na mochila!), e nada lhe aconteceu. Infelizmente.

    Minha sugestão: vá sacar pra cima de outros. Vá distorcer notícias em sites de iletrados e monoglotas. Aqui, você só vai passar vergonha
  • Ricardo  23/11/2014 02:37
    Mas nem precisa dar muita justificativa, não. A mulher está corretíssima. Vagabundos como esses têm de ser tratados assim mesmo.

    Há um ditado americano que diz que "armas fazem bons vizinhos". E é isso mesmo. Se você sabe que o seu vizinho está armado, você não vai folgar com ele. E se o seu vizinho sabe que você está armado, ele também não vai folgar com você. Todos irão se respeitar e ser cordiais e civilizados uns com os outros. Mesmo que seja por puro temor.

    Hoje ninguém respeita ninguém, e justamente porque sabem que não há nenhum risco de represália por parte do ofendido.
  • Guilherme  23/11/2014 03:04
    Sem contar que 15 jovens atirando ovos faz bem mais estrago do que uma velha disparando esferas de chumbinho de um carro em movimento. 15 ovos atirados na cabeça de uma pessoa podem, no mínimo, causar traumatismo craniano, se não morte.
  • anônimo  23/11/2014 10:09
    Ela não estava armada (na hora de bancar a vítima vcs transformam até um revolverzinho de brinquedo em arma) mas bem que devia.Do ponto de vista do dono da casa só o que se via era a sua propriedade invadida e depredada por uns vagabundos, ninguém sabe qual a intenção deles nem se eles estava armados também
  • Forever  23/11/2014 12:21
    E....? Uma cambada de cavalo (''adolescentes'') jogando ovos na casa da mulher e ela não pode fazer nada a respeito? Como disseram a arma BB é uma pistola de chumbinho,os ''adolescentes'' estão vivos e saudáveis (e impunes também) Agora,se alguém começa a jogar ovos no seu carro/casa no mínimo você vai partir para a agressão,já que estão destruindo um bem seu.

    A mulher está corretíssima (pegou leve com os vagabundos ainda).
  • Henry Morgan  23/11/2014 14:50
    Engraçado é como falam que a oferta de justiça é uma das funções básicas do estado e que deve ser monopólio deste. Mas vejam que nesse caso (para variar) tudo o que a justiça estatal fez foi promover injustiça.

    A mulher está cuidando da vida dela e tem sua propriedade atacada sem mais nem menos. Agora ela decide tomar uma providência a respeito. Sobre essa providência, segundo a reportagem, interessante notar que ela negou que estivesse portando uma arma de chumbinhos (ou de qualquer tipo) e, ainda que estivesse, sua reação teria sido extremamente branda.

    Pois bem, o caso chega aos ouvidos dos burocratas estatais e o que eles decidem fazer a respeito? Parabenizar a mulher por sua conduta corajosa e ir atrás dos delinqüentes para que estes sejam punidos e reparem os danos que causaram a ela? Claro que não! Esses delinqüentes (agora me refiro àqueles a soldo do estado) decidem que ELA ESTAVA ERRADA POR TER AGIDO DE FORMA AGRESSIVA CONTRA OS VAGABUNDOS QUE A AGREDIRAM!

    Não é à toa que, segundo o advogado dessa mulher, ela ficou supresa com o veredito. E como uma pessoa normal não ficaria supresa com uma loucura dessas?

    Por isso, parabéns ao anônimo que trouxe esse assunto aqui nos comentários, pois, de uma só tacada, provou que as pessoas sim precisam andar armadas e que a existência de um estado é algo completamente nocivo e fonte infindável de injustiças e conflitos.
  • Ricardo  23/11/2014 17:40
    No caso inglês, há tempos existem essas gangues de moleques que depredam, agridem, só pelo prazer de fazer. Inclusive, o pessoal que governa o Reino Unido hj, muitos eram vândalos quando eram jovens, quebravam as vidraças dos lojas, restaurantes, só pelo prazer de fazer (não é à toa que defendem esses vagabundos)...

    www.dailymail.co.uk/home/moslive/article-1215635/Our-Boys-Bullingdon-The-early-years-David-Cameron-Boris-Johnson.html

    Tory? Conservative? Só a sigla....
  • Típico Filósofo  23/11/2014 18:12
    É assim que o jovem perde espaço na sociedade e vê seus direitos constantemente deteriorados pela investida da propriedade privada, lançado ao crime e à depravação de seu caráter ao criminalizar a prática de entrar no quintal alheio e lançar ovos contra a casa.

    O juiz está corretíssimo: apoiar a iniciativa fascista da mulher significaria o fim do direito das crianças ao entretenimento sobre o patrimônio cultural da humanidade que é o lançamento de ovos, atitude de despautério em quaisquer sociedades democráticas modernas - é, simplesmente, criminalização do direito do jovem às artes e à recreação; forçando-o ao entretenimento capitalista e ao culto do material, para que não crie dano à "propriedade alheia" - absurdo.

    Os cidadãos progressistas não se opõem quando a "propriedade / riqueza" de um é retirada (invadida) para o entretenimento dos jovens através do cinema, porém resistem à mesmíssima situação apenas porque envolve lançamento de ovos? Trata-se de puro ilogismo reacionário.

    Todo indivíduo tem o direito inalienável à diversão.
  • Típico membro de DCE  23/11/2014 21:24
    Companheiro Filósofo,

    Como sempre, o senhor nos traz mais argumentos brilhantes e inatacáveis. No entanto, dessa vez eu fiquei com uma dúvida: não seria melhor se esses jovens resolvessem se entreter de uma forma mais, digamos, construtiva?

    Quero dizer, é claro que eles estavam certos de pegar ovos comprados com o dinheiro dos pais deles e atirá-los na propriedade dos outros, afinal, como o camarada bem observou, esses jovens possuem o direito inalienável à diversão. Porém, não seria melhor se eles pegassem esses ovos e preparassem refeições a serem doadas (vendidas jamais, pois sabemos que capitalismo é exploração) às pessoas miseráveis, aquelas mesmas marginalizadas pelo opressor sistema capitalista?

    Perdão pela minha dúvida, mas é que estou engajado no movimento revolucionário a pouco tempo e ainda não consegui eliminar por completo os odiosos valores judaico-cristãos que meus pais tentaram impor sobre mim desde que me lembro por gente.
  • Típico Filósofo  24/11/2014 00:40
    Caro universitário,

    Pontualíssimo insight e questionamento. Entretanto, é mister que o senhor compreenda que ao voluntariamente preparar refeições com bens próprios (ou doados pela estrutura familiar opressora e patriarcal), os jovens estariam, na verdade, sendo contra-producentes às causas sociais; ao adotar "soluções" reacionárias, privadas e anticientíficas (caridade), criadas para amenizar a tensão classista inerente à estrutura produtiva capitalista, a juventude estaria aliando-se perversamente à lógica do grande capital e lesando o processo da formação da consciência de classe entre os trabalhadores e por consequência, corroendo o plano da instauração de uma ditadura do proletariado.

    A lógica supramencionada é verdadeira tanto ao método marxista (formação da consciência de classes e realização da inevitável tomada dos meios de produção pelo proletariado) como também aos métodos de gramscianos (ao executar a "caridade", o jovem estará sabotando a participação do estado na sociedade e assim, delongando a mudança de valores e papéis na estrutura produtiva). A "caridade" somente possui função social caso feita por um plano maior, condicionada pelo estado e verdadeiramente revolucionário - ou seja, o socialismo; que trouxe grandes mudanças gloriosas à experiência humana.

    "Altruísmo" sem o Estado é sabotagem de uma burguesia decadente às causas revolucionárias.
  • anônimo  23/11/2014 21:45
    Típico filósofo kick ass!! Merecia um artigo só com as melhores dele!
  • Paul Kersey  24/11/2014 15:04
    O desarmamento da população chegou a tal ponto que dois bandidinhos de meia tigela conseguem render os moradores de um prédio inteiro com ...uma faca!

    Inacreditável!

    www.em.com.br/app/noticia/gerais/2014/11/24/interna_gerais,592970/bandidos-rendem-moradores-em-predio-no-bairro-buritis.shtml
  • ivan  26/11/2014 12:13
    Sobre os tais 20 Fatos - que nem perco tempo os lendo - que tal PENSAREM em uma Sociedade Humanizada onde NÃO Precise-se de Armas de Fogo para Ter Segurança,, bastando um Povo, de Fato, Civilizado, pelo menos a MAIORIA????__ Além de tudo, muito VARIA o tipo de Preparo -EDUCAÇÃO- de cada população espalhada pelo Mundo. __Não só no Brasil, mas o Mundo está CHEIINHO de Homenzinhos BÊBADOS. Imagina Armados, Cadê a Segurança????
  • Lessa  26/11/2014 13:14
    "que tal PENSAREM em uma Sociedade Humanizada onde NÃO Precise-se de Armas de Fogo para Ter Segurança,, bastando um Povo, de Fato, Civilizado, pelo menos a MAIORIA????"

    Que tal pensarmos em um paraíso terrestre, um verdadeiro jardim do Éden, formado por pessoas que flutuam e convivem harmoniosamente com unicórnios e ursinhos fofinhos e voadores, tudo isso em um ambiente devidamente adornado com arco-íris e purpurinas?

    Pronto, problema resolvido.
  • Orígenes  27/11/2014 12:19
    Mas já pensaram algo muito parecido com isso. A essa loucura dá-se o nome de comunismo.

    Como uma pessoa na posse de suas faculdades mentais pode bem perceber, isso é impossível de ser alcançado. Mas, justiça seja feita, muito mais louco do que o comunismo em si são os meios que o pessoal bolou para se conseguir alcançar esse paraíso terrestre.
  • Ali Baba  29/11/2014 21:14
    @ivan 26/11/2014 12:13:24

    Apesar do comentário com formatação horrível, algo me fez querer responder...

    Sobre os tais 20 Fatos - que nem perco tempo os lendo - que tal PENSAREM em uma Sociedade Humanizada onde NÃO Precise-se de Armas de Fogo para Ter Segurança,, bastando um Povo, de Fato, Civilizado, pelo menos a MAIORIA????

    Você deveria perder um pouco de tempo lendo os 20 fatos desse artigo. Seria pelo menos educado ler algo antes de comentar sobre aquele algo.

    Amigo, todos pensam todos os dias como seria uma sociedade fraterna e justa, onde armas não fossem necessárias. Eu adoraria viver em um mundo assim, assim como acho que muita gente aqui também adoraria... mas não vivemos em sonhos... vivemos no mundo real. E no mundo real, existem pessoas más. Para me defender dessas pessoas más eu gostaria de portar uma arma. Mesmo que eu não quisesse de fato portar uma, não gostaria de ter subtraído meu direito a portar uma.

    Vale aquela frase bastante repetida: se você não gosta de armas, é simples, não tenha uma.

    __ Além de tudo, muito VARIA o tipo de Preparo -EDUCAÇÃO- de cada população espalhada pelo Mundo. __Não só no Brasil, mas o Mundo está CHEIINHO de Homenzinhos BÊBADOS. Imagina Armados, Cadê a Segurança????

    Seu problema é com pessoas que se embriagam? Eu gostaria de ver uma estatística séria sobre quantas pessoas embriagadas conseguem (1) portar uma arma; (2) mirar uma arma; (3) acertar alguém com essa arma. Além disso, suspeito fortemente que o número de homicídios cometidos por esses bêbados com boa pontaria é muitas ordens de magnitude inferior ao número de homicídios cometidos pelos únicos que tem permissão (informal) de portar armas no Brasil: os bandidos.

    Por essa lógica tortuosa, pessoas não deveriam ter carros, uma vez que pessoas podem embriagar-se e atropelar algum transeunte. Percebe a sutil diferença? Você pode até ser a favor de leis que proíbam pessoas de beber e dirigir, mas essas leis não impedem as pessoas de ter carros. Por que, usando a mesma lógica, deveriam proibir as pessoas de ter armas?

    Por fim, quanto a educação. Acho, sinceramente, que o valor da educação está muito superestimado. Todo mundo diz que a "solução é a educação"... mas se fosse assim, a Rússia seria uma potência mundial, uma vez que até pré-adolescentes citam Dostoievski, e os EUA seriam o país mais atrasado do mundo, com seus pré-adolescentes mal conseguindo falar a língua materna. Veja bem, não estou dizendo que a educação não é importante... só não acho que ela seja tão importante assim. Especialmente, não vi nenhuma relação entre nível educacional e a capacidade de portar armas.
  • wagner  29/11/2014 17:44
    Vi esses dados na internet, alguém tem algo a dizer sobre eles?

    Austrália:A NRA (National Rifle Association) vem divulgando na Internet um e-mail sobre o suposto fracasso da experiência australiana. Em 2000, o Procurador Geral da Justiça da Austrália respondeu à NRA desmentindo uma por uma as informações contidas no documento, demonstrando a eficácia das medidas de controle de armas neste país. A NRA desconsiderou a posição oficial do governo australiano e continua espalhando suas mentiras, copiadas pelo lobby brasileiro.A verdade é que desde a provação da nova lei, em1996, o numero total de mortes diminuiu em 43% e a taxa de homicídios por arma de fogo caiu 50% [Australian Bureau of Statistics, 2003]. O movimento pró-armas fala de uma "onda de criminalidade" na Austrália, mas escondem que só os assaltos cometidos com armas brancas aumentaram (20%) e que assaltos com armas de fogo diminuíram a seu mínimo em seis anos. O rígido controle de armas tem salvado vidas na Austrália, e não o contrário.

    Inglaterra:A Inglaterra, onde o acesso a armas de fogo é rigorosamente proibido, elas são usadas sóem 8% dos assassinatos e essa é uma das razões porque a taxa de homicídios é tãobaixa naquele país (vinte vezes menor que a do Brasil). O aumento do número de delitos com armas neste país deve-se ao emprego criminoso de armas que a legislação não proibiu, como as armas de ar comprimido. (UK Home Office).

    Os Estados Unidos, onde existe uma arma para cada adulto, têm a maior taxa de homicídio entre os países desenvolvidos.
  • Steve Lee  29/11/2014 19:22
    "A verdade é que desde a provação da nova lei, em1996, o numero total de mortes diminuiu em 43% e a taxa de homicídios por arma de fogo caiu 50% [Australian Bureau of Statistics, 2003]."

    E cadê os números dessa "verdade"? Dados de 2003?! Estamos em 2014. Por que a série é interrompida em 2003?

    Já este artigo expõe os dados. Item #15.

    "O movimento pró-armas fala de uma "onda de criminalidade" na Austrália, mas escondem que só os assaltos cometidos com armas brancas aumentaram (20%) e que assaltos com armas de fogo diminuíram a seu mínimo em seis anos."

    É sério que confessaram isso com essa cara lavada? Aumentou em 20% o número de assaltos com facas (óbvio, pois agora bandidagem sabe que a vítima está desarmada), e eles comemoram? E é óbvio que diminuiu o número de assaltos com armas de fogo: pra que usar um revólver se agora você consegue o mesmo intento com um simples faca? Pra que carregar um revólver se agora um canivetinho faz o mesmo serviço, dado que a vítima certamente está desarmada?

    Os gênios aparentemente não perceberam que houve uma simples permuta: trocaram a modalidade do assalto.

    E por que eles não falaram nada sobre o aumento no índice de invasões da casas?

    "O rígido controle de armas tem salvado vidas na Austrália, e não o contrário."

    Tem feito a alegria de assaltantes e invasores de domicílios, isso sim. Mas não é de se esperar que desarmamentistas confessem isso. Ver item #15 do artigo.

    "A Inglaterra, onde o acesso a armas de fogo é rigorosamente proibido, elas são usadas sóem 8% dos assassinatos e essa é uma das razões porque a taxa de homicídios é tãobaixa naquele país (vinte vezes menor que a do Brasil)."

    Que ignorância é essa? Esse artigo utiliza dados, ao contrários dessas suas meras palavras ao avento. E os dados sobre a Inglaterra comprovam: é o segundo país mais violento da União Européia. Ver itens 10 a 14.

    "O aumento do número de delitos com armas neste país deve-se ao emprego criminoso de armas que a legislação não proibiu, como as armas de ar comprimido. (UK Home Office)."

    Lindeza moral sem fim. Proibiu-se as armas, a criminalidade aumentou quase que imediatamente, e a culpa é de quem? Das espingardas de chumbinho! Tão óbvio....

    Um sujeito que recorre a esse tipo de lógica deveria ter vergonha até de sair de casa.

    "Os Estados Unidos, onde existe uma arma para cada adulto, têm a maior taxa de homicídio entre os países desenvolvidos."

    Não é isso o que os dados mostram. Ver item #10.

    Sugestão de vida: vá sacar pra cima de ignorantes. Aqui você só vai conseguir auto-humilhação.

    Beijos.
  • wagner  30/11/2014 02:26
    Bom, aqui você pode ver que a taxa de homicídio da Austrália era de 1,7 em 1996 e em 2010 é de 1,16www.nationmaster.com/country-info/profiles/Australia/CrimeE aqui mostra como os EUA tem a maior taxa de homicídio entre países desenvolvidospt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_pa%C3%ADses_por_taxa_de_homic%C3%ADdio_intencional#Ranking:_Anos_2000Agora faça o favor de me responder, e não em atacar os meus dados, já que muitos desses dados que o artigo traz são tirados de sites que eu nunca ouvi falar
  • Love  30/11/2014 02:52
    1) Pelo visto, você não lê os links que você próprio indica. Está escrito lá, de todo o tamanho:

    "Outro problema na comparação dos números a seguir é que alguns dados incluem tentativas de homicídio e outros, não. Estes valores podem variar muito em alguns países. Por exemplo, na Alemanha, 3 de cada 4 tentativas de homicídio resultam em morte."

    Se você perceber na tabela, os EUA são o único país desenvolvido que não exclui 'tentativa' de suas estatísticas. Todos os outros excluem, o que mascara substantivamente a realidade deles. Como dito acima, apenas na Alemanha a realidade é 25% pior do que os números oficiais indicam.

    2) Outra coisa: nos EUA, a liberdade varia, e muito, de estado para estado. Há estados em que é praticamente proibido o cidadão comprar uma arma de grande porte. Vamos fazer o seguinte: compare os números de Texas, Arizona e Tennessee com Califórnia, Illinois e Nova Jersey. E aí compare os números destes estados (cada um deles é do tamanho de um país europeu) com os europeus. Você vai se surpreender.

    Só os índices de homicídio na cidade de Chicago, totalmente desarmada até 2013, já bastam para desvirtuar as estatísticas totais dos EUA.

    3) Nas taxas de homicídio dos EUA, quantas são as mortes de criminosos que se detam mal ao tentar abordar um indivíduo armado? Isso não é especificado.

    Procure um curso de lógica básica.


  • wagner  01/12/2014 23:02
    Sem problemas, coloque mais 25% nos índices de cada país desenvolvido, coloque até 50%, ou se quiser dobre, ainda assim eles não vão chegar no índice dos EUA. E bom, a maioria dos estados americanos com as maiores taxas de homicídios são estados que não são restritivos quanto ao porte de arma, como Louisiana, Alabama, Novo México...

    E ainda não me foi respondida a questão da Austrália, por que o índice de homicídios baixou depois do controle de armas?

    Vim aqui com dúvidas e fui recebido com xingamentos, é essa a forma lógica e não ignorante de se argumentar?
  • Jaques  01/12/2014 23:33
    Gozado, Wagner. Fui olhar as estatísticas (não achou que eu fosse fazer isso, né?), e vi que a coisa é bem diferente do que você diz.

    Compare a coluna "gun ownership" com a coluna "gun murders". Ela conta uma história bem diferente dessa sua:

    en.wikipedia.org/wiki/Gun_violence_in_the_United_States_by_state

    Especial atenção para North Dakota (principalmente!), South Dakota, Montana, Wyoming, West Virgina, Utah, Wisconsin e Alaska de um lado, e District of Columbia (especial atenção neste!), Michigan, Pennsylvania, New México (um dos mais desarmados, ao contrário do que você disse mentirosamente) do outro.

    As únicas exceções de ambos os lados são Havaí (onde todo mundo só quer saber de surfe) e Rhode Island de um lado, e Louisiana do outro. Todo o resto segue a regra: mais armas, menos crimes. E, aliás, nos estados mais armados, a çriminalidade é menor que da Europa.

    "Vim aqui com dúvidas e fui recebido com xingamentos, é essa a forma lógica e não ignorante de se argumentar?"

    Não, você não veio aqui com dúvidas. Você veio aqui com "certezas" infundadas. Ao ser flagrado mentindo, resolveu apelar. De resto, as pessoas aqui realmente têm essa estranha mania de não ser muito finas com quem vem aqui mentir e deturpar. Estranho isso, né?
  • wagner  02/12/2014 01:06
    Menti? Não falei que o NM era um dos estados mais armados, mas um estado pouco restritivo ao porte de arma. Em outro artigo aqui fala-se que esse fato já seria suficiente pra fazer a criminalidade diminuir, já que deixaria o bandido na dúvida. E realmente, é um argumento bem intelectual o "todo mundo só quer saber de surfe", outra "exceção" que esqueceste é o estado menos violento, New Hampshire, que tem uma baixa taxa de armas, comparada aos outros estados.

    Aliás, uma das minhas "certezas infundadas" ainda não foi respondida, por que na Austrália o índice de homicídios baixou depois do controle de armas?
  • Jaques  02/12/2014 02:33
    Austrália? Tem certeza que quer ir pra essa área? Ok, você pediu:

    Comece aqui:

    johnrlott.blogspot.com.br/2012/08/some-notes-on-claims-about-australias.html

    Depois aqui:

    johnrlott.blogspot.com.br/2013/01/australian-gun-ownership-back-up-to.html

    E finalize com esse paper:

    johnrlott.tripod.com/Australia_Gun_Buyback_EI.pdf


    Vários gráficos e fontes em cada um dos links. Boa leitura.


    Aqui vai uma pequena palhinha:

    Australians own as many guns now as they did at the time of the Port Arthur massacre, despite more than 1 million firearms being handed in and destroyed, new research reveals.

    A University of Sydney study has shown there has been a steady increase in guns imported into the country over the past decade, with the number of privately owned guns now at the same level as 1996. . . .

    There was a large gun buyback in 1996 and 1997 that reduced gun ownership from 3.2 to 2.2 million guns. But immediately after that gun ownership increased dramatically and is essentially back to where it was before the buyback.
  • Frère  02/12/2014 01:18
    Ah, Dakota do Norte, o estado mais livre da terra dos livres!

  • Leonardo Regazzini  04/12/2014 16:26
    Muito bom o artigo. Pena que escolheram uma PÉSSIMA foto na composição. Fala sério! Uma família feliz mais branca que a parede do meu quarto. Excelente noção de marketing, hein.
    ps.: apenas pra não passar em branco, em tempos de machadinha, artigo mais do que atual.
  • Forever  05/12/2014 13:19
    Tanta coisa para ser questionada sobre o artigo e você se importa com a cor da pele das pessoas da foto? E daí que elas são ''mais brancas que a parede do seu quarto''? E se fosse uma família amarela (asiática) ou negra? O que isso muda no debate central (que é o porte de armas?).


    Espero que esse comentário seja uma ironia...
  • And ever  06/12/2014 00:44
    Se isso te faz feliz, então toma essa.
  • Pedro Lesage  05/12/2014 23:00
    Gostaria de saber que motivos em particular levam paises como o japao, a ter indices tao baixos de homicidios, apesar de ser proibida a posse de armas.
  • Moura  06/12/2014 08:06
    Já explicado aqui mesmo nessa seção de comentários. Era só procurar..

    Aqui:

    Gun control in Japan

    Dica: comece analisando a composição de uma sociedade e sua evolução.

    Pra começar, o Japão é uma das sociedades mais homogêneas do mundo. Aliás, é uma das poucas que ainda é assim. E sempre foi assim. Os japoneses possuem uma identidade cultural extremamente rígida.

    Mais: o Japão foi uma sociedade de castas por milhares de anos. O povo -- os camponeses, que formavam nada menos que 98% da população -- nuca teve armas. Nunca houve a mais mínima idéia de democracia no Japão feudal e o povo japonês -- que era dominado por uma aristocracia, por guerreiros e por mercadores; todos eles representando apenas 2% da população -- nunca considerou a hipótese de se insurgirá contra seus senhores.

    Ou seja, é uma sociedade historicamente formada por pessoas complacentes, ordeiras e submissas à autoridade. Se uma sociedade é formada por indivíduos ordeiros, totalmente homogêneos, e cumpridores devotos de qualquer lei (inclusive das ruins) e com tendências à submissão, dificilmente essa sociedade será violenta. (Você já viu sequer alguma greve no Japão? Houve violência?)
  • anônimo  07/12/2014 08:22
    Mais um projeto que vai complicar a vida do cidadão de bem:

    Projeto de lei da vereadora da Câmara Municipal de Porto Alegre, Mônica Leal (PP), proíbe o uso de celular no setor de pagamento e recebimento de agências bancárias.

    "Nossa proposta é no sentido de dificultar a comunicação entre marginais dentro das agências bancárias, inibindo dessa forma as práticas hoje adotadas por quadrilhas de assaltantes, com o uso da telefonia celular em setores em que há manuseio de valores, dentro e fora do estabelecimento financeiro, conhecida como "saidinha de banco", destacou.

    Conforme a vereadora, o objetivo é promover maior segurança aos cidadãos que transacionam dinheiro em espécie nas agências bancárias. "As agências bancárias deverão ter afixadas, em seu interior, em local visível ao público, cópia da lei e placas informando a proibição estabelecida. A inobservância do disposto nesta Lei sujeitará o infrator às seguintes sanções: advertência para não utilizar o equipamento em setores proibidos da agência bancária, sendo informado da necessidade de segurança dos clientes, apreensão do equipamento pelo responsável da agência bancária, que somente será devolvido quando da sua saída da agência, e multa de 200 Unidades Financeiras Municipais (UFMs)."

    O projeto estabelece que as agências bancárias têm o prazo de 90 dias, contados da data de publicação da Lei, para se adequarem. O não atendimento acarretará multa de 1.500 UFMs.


    www2.camarapoa.rs.gov.br/default.php?reg=20642&p_secao=56&di=2013-11-06


    Leia a íntegra do projeto:

    Projeto de Lei do Legislativo - PLL 297/13

    proíbe a utilização de telefone móvel (celular), rádio amador e similares no setor de pagamento e recebimento de agências bancárias.
  • alberto assunção  08/12/2014 08:21
    Eu simplesmente acho que todos temos direito a se defender de uma agressão injusta. Isso faz parte do ser humano. Não permitirque um cidadão de bem adquira uma arma para a sua defesa é inaceitável. A criminalidade se arma cada vez mais, aqueles que não cumprem a lei tem armas em sua posse e os cidadãos de bem, que quer andar na lei não pode.isto é absurdo, o estado não tem condições de defender o cidadão, estamos nas mãos do crime porque não temos como se defender. Até quando vamos assistir a este massacre que esta vivendo o cidadão de bem?
  • Joao Girardi  21/12/2014 06:46
    No fundo todo desarmamentista gosta mesmo é de fazer apologia a bandido, justamente porque depende deles pra viver às custas de um Estado inchado.
  • Felipe  28/01/2015 15:43
    Escrevi um artigo sobre a 12GA... acho que devemos pensar melhor antes de comprar pistolas 380 e revolver 38 para defesa do lar... nossa lei permite comprar uma 12!!! Vejam o artigo: [link]www.foodandfire.blogspot.com.br/2015/01/defesa-do-lar-va-de-calibre-12-uma.html

    Abraço a todos!
  • Hugo  03/04/2015 13:42
    No caso do estatuto do desarmamento do BR poderia citar o fato de que os homicídios até 2002 se concentrava em São Paulo e Rio,sendo que as taxas de homicídio de boa parte dos estados brasileiros ficavam na época em patamares relativamente baixos,porém depois do estatuto do desarmamento muitos desses estados que tinham níveis de homicídios razoavelmente baixos apresentaram aumentos de centenas de porcento,chegando a superar 300%,enquanto São Paulo e RJ contrabalancearam a subida dos crimes dos outros estados com quedas consistentes na taxa de homicídios.
  • Marcelo Corghi  07/04/2015 15:21
    Leandro e demais membros, usei este artigo para um debate com um colega, e o mesmo, através dos links de Harvard, chegou a este texto abaixo, dizendo que a quantidade de armas não tem relação com a criminalidade:

    In sum, though many nations with widespread gun ownership have much lower murder rates than nations that severely restrict gun ownership, it would be simplistic to assume that at all times and in all places widespread gun ownership depresses violence by deterring many criminals into nonconfrontation crime. There is evidence that it does so in the United States, where defensive gun ownership is a substantial socio-cultural phenomenon. But the
    more plausible explanation for many nations having widespread gun ownership with low violence is that these nations never had high murder and violence rates and so never had occasion to enact severe anti-gun laws. On the other hand, in nations that have experienced high and rising violent crime rates, the legislative reaction has generally been to enact increasingly severe antigun laws. This is futile, for reducing gun ownership by the law-abiding citizenry—the only ones who obey gun laws—does not reduce violence or murder. The result is that high crime nations that ban guns to reduce crime end up having both high crime and stringent gun laws, while it appears that low crime nations that do not significantly restrict guns continue to have low violence rates.

    Thus both sides of the gun prohibition debate are likely wrong in viewing the availability of guns as a major factor in the incidence of murder in any particular society

    Podem me esclarecer? fiquei confuso
  • Leandro  07/04/2015 16:33
    Não sei quão bem você domina o inglês, mas o trecho que você selecionou fala exatamente aquilo que diz o artigo.

    Vou simplificar:

    "In sum, though many nations with widespread gun ownership have much lower murder rates than nations that severely restrict gun ownership,"

    Em vários países em que a posse de armas é generalizada, as taxas de homicídios são menores do que nos países em que a posse de armas é restrita. (E isso é com base em estatísticas).

    "it would be simplistic to assume that at all times and in all places widespread gun ownership depresses violence by deterring many criminals into nonconfrontation crime."

    Aqui ele parte para o terreno da mera suposição -- contrariamente ao parágrafo acima, baseado em estatísticas -- e diz que tal conclusão não pode ser generalizada.  Beleza, trata-se de uma posição cautelosa compreensível. Mas é apenas isso, uma suposição. Os números dele próprio, no entanto, substanciam a conclusão do primeiro parágrafo.

    "There is evidence that it does so in the United States, where defensive gun ownership is a substantial socio-cultural phenomenon."

    Aqui ele volta a repetir o que foi concluído no primeiro parágrafo: as evidências estatísticas comprovam que a posse de armas reduz a criminalidade.

    "But the more plausible explanation for many nations having widespread gun ownership with low violence is that these nations never had high murder and violence rates and so never had occasion to enact severe anti-gun laws."
     
    Aqui, ele tenta achar uma explicação sócio-cultural para o fato de que os países que têm uma população armada apresentam baixos índices de criminalidade. Exatamente como era de se esperar de Harvard -- e como citado no artigo --, as próprias estatísticas (mais armas, menos crimes) desagradaram os pesquisadores (que provavelmente esperavam o contrário), de modo que eles agora buscam na sociologia uma explicação para tal correlação estatística.

    "On the other hand, in nations that have experienced high and rising violent crime rates, the legislative reaction has generally been to enact increasingly severe antigun laws. This is futile, for reducing gun ownership by the law-abiding citizenry—the only ones who obey gun laws—does not reduce violence or murder."

    Aqui, em um surto de bom senso, ele diz, pra desespero dos progressistas, que controle de armas é inútil, pois só os cidadãos cumpridores da lei irão obedecer essa imposição. Nota-se que os progressistas de Harvard são bem mais inteligentes que os progressistas nossos.

    "The result is that high crime nations that ban guns to reduce crime end up having both high crime and stringent gun laws, while it appears that low crime nations that do not significantly restrict guns continue to have low violence rates."

    Conclusão que confirma o artigo: países que proíbem as armas vivenciam um aumento da criminalidade. Países que mantêm as armas liberadas vivenciam criminalidade baixa.  Palavras dele próprio.

    Até aqui, tudo rigorosamente de acordo com o que foi dito no artigo.

    "Thus both sides of the gun prohibition debate are likely wrong in viewing the availability of guns as a major factor in the incidence of murder in any particular society"

    Trecho completamente desconectado de tudo que ele próprio acabou de concluir acima.  Após ele próprio mostrar que "mais armas, menos crimes" e "menos armas, mais crimes", o autor -- lembre-se, é de Harvard -- tenta ponderar que ainda é precipitado para conclusões supremas. A explicação para tudo deve estar na sociologia. Postura normal e esperada.


    E então, qual parte que você não entendeu?
  • Marcelo Corghi  07/04/2015 16:44
    Leandro, meu inglês não é dos melhores. agora ficou mais claro para mim.
    Muito obrigado pelo esclarecimento e tempo dispensados.
    um abraço
  • Hugo  29/04/2015 03:56
    Leandro estava vendo uma notícia de 2012 da BBC sobre armamento da população no BR e EUA. Mesmo ela mostrando que as armas deixaram os EUA mais seguro e que o desarmamento piorou a violência no BR ainda acha que o BR tá certo,e pior,se surpreende que o setor de armas,que é estritamente emperrado pelo governo,há...mercado negro! essas pessoas realmente são muito ilógicas e burras!

    Link da aberração: www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/12/121218_armas_brasil_eua_violencia_mm.shtml
  • philipe  04/07/2015 13:16
    ola gostaria de saber se é possível postar mais uma vez o artigo de Harvard onde mostra a pesquisa que foi feita pela universidade a favor do armamento civil, pois o link já não da mais acesso a este artigo, não consta nada no link de acesso e gostaria muito de poder acessar o artigo que foi indicado.
  • Morris  04/07/2015 14:42
    O acesso continua normal:

    www.law.harvard.edu/students/orgs/jlpp/Vol30_No2_KatesMauseronline.pdf

    E atenção: não se trata de uma pesquisa "a favor do armamento civil". Trata-se de uma pesquisa neutra sobre estatísticas.
  • Lucília Simões   14/05/2016 13:20
    Leitura obrigatória.
    Apenas sinto falta do nome do tradutor nos artigos do Mises.
  • anônimo  02/07/2016 00:11
    Por outro lado, compare números de violência entre dois estados americanos com demografia parecida.

    Arizona (onde se pode portar armas sem pedir permissão) x Massachusetts (onde tem forte controle de arma). Vamos lá, comparem:

    População e número de crimes em Arizona

    População e número de crimes em Massachusetts
  • Joe Arpaio  02/07/2016 14:57
    Com o detalhezinho básico de que a esmagadora maioria dos crimes no Arizona é perpetrada por gangues latinas (formadas por imigrantes ilegais), as quais não existem em Massachusetts.

    Agora imagine se os cidadãos do Arizona estivessem desarmados? O estado já seria praticamente El Salvador.

    https://en.wikipedia.org/wiki/Category:Gangs_in_Arizona

    https://noarizona.wordpress.com/2012/02/06/chilling-crime-facts-phoenix-arizona/

    https://www.youtube.com/watch?v=1tIYitieYKQ
  • Agapito Costa  03/09/2016 20:28
    #3 Agapito Costa 13-04-2011 14:08
    Criminosos são e serão uma pequena minoria em qualquer época, lugar ou países. E o dano que eles causaram à humanidade é infinitesimal quando comparado com os horrores, o derramamento de sangue, as guerras, as perseguições políticas, os fanáticos religiosos, as fomes, as escravizações e as destruições em grande escala perpetrada pelos governos da humanidade. Potencialmente, o governo é a mais perigosa ameaça aos direitos do homem: ele mantém o monopólio do uso de força física contra as vítimas legalmente desarmadas. Quando irrestrito e ilimitado pelos direitos individuais, um governo é o mais mortal inimigo do homem.
    A necessária conseqüência do direito do homem à vida é seu direito à legítima defesa. Numa sociedade civilizada, força é usada somente em retaliação e somente contra aqueles que iniciaram seu uso. Lembramos os que desencadearam o movimento de 64 foram os que hoje querem nos desarmar. Por quê ? Por outro lado se toda sociedade pacifista renunciasse o uso da força retaliatória, estaria deixada abandonada a mercê do primeiro matador que se decidisse ser imoral. Tal sociedade alcançaria o oposto da sua intenção. Invés de abolir a maldade, ela o encorajará e premiará o crescimento do mal. Mais uma vez vamos dizer um não bem grande ao desarmamento. Todos os cidadãos com menos de sessenta anos lembrem-se que os governos militares jamais mandaram desarmar um cidadão, salvo algum mal entendido; mesmo o país vivendo um clima de tensão seguido de atentados.
    Citar | Reportar ao administrador
  • Carbonilla  16/02/2017 14:15
    Ter uma arma sem ter o devido treinamento de como usá-la talvez seja pior do que não tê-la. Sou totalmente a favor do cidadão se armar, mas é preciso treinar com a arma antes, fazer curso de tiro e ver como anda o psicológico. Parece bobagem mas já vi neguim dar tiro na perna por pura afobação.


Envie-nos seu comentário inteligente e educado:
Nome
Email
Comentário
Comentários serão exibidos após aprovação do moderador.